Page 46

Efeitos da aplicação de Penergetic® Pflanzen sobre o teor de clorofila foliar em plantas de soja e tomateiro Ricardo Bemfica Steffen - Engenheiro Agrônomo, Doutor em Ciência do Solo, Pós-Doutor em Ciência do Solo/UFSM Gerusa Pauli Kist Steffen - Engenheira Agrônoma, Doutora em Ciência do Solo, Pesquisadora da Fepagro Florestas, Santa Maria/RS Joseila Maldaner - Bióloga, Doutora em Fisiologia Vegetal Cléber Witt Saldanha - Engenheiro Florestal, Doutor em Fisiologia

INTRODUÇÃO O parâmetro da planta mais estudado no intuito de indicar o nível de nitrogênio (N) foliar para predizer a necessidade de adubação de cobertura é o teor relativo de clorofila na folha. Este método fundamenta-se na correlação positiva existente entre o teor de clorofila e o teor de N na planta (SORATTO et al., 2006; BARBOSA FILHO et al., 2008, 2009). Teores de clorofila ocupam posição de destaque na medida em que determinam o potencial fotossintético da planta através do seu controle sobre a quantidade de radiação solar que uma folha absorve (BLACKBURN, 2007; HATFIELD et al., 2008). Uma possibilidade para determinação quantitativa do conteúdo das clorofilas de forma rápida e não destrutiva, com base nas suas assinaturas espectrais é o uso de clorofilômetros, que são sensores ativos da intensidade da cor verde nos tecidos foliares e operam combinando propriedades de transmitância e absorbância das clorofilas

(SHADCHINA e DMITRIEVA, 1995; BLACKBURN, 2007). As leituras indiretas efetuadas pelo medidor portátil de clorofila correspondem ao teor relativo de clorofila presente na folha da planta (TAKEBE e YONEYAMA, 1989; CHAPMAN e BARRETO 1997). Os teores de clorofila podem ser alterados por diferentes fatores, tais como, condições estressantes, adubação nitrogenada ou ainda aplicação de bioindutores alternativos. OBJETIVO Objetivou-se verificar se a aplicação foliar do produto Penergetic® Pflanzen altera os teores de clorofila nas folhas de plantas de soja e tomateiro em casa de vegetação. METODOLOGIA O ensaio foi conduzido em casa de vegetação utilizando plantas de soja e tomateiro cultivadas em copos plásticos contendo o substrato comercial Carolina Soil (Figura 1). Vinte e sete dias após a semeadura, cinco plantas de cada uma das culturas receberam aplicação de solução Penergetic® Pflanzen na parte aérea através de pulverização manual. Utilizou-se a dose de 1,9 g de produto Penergetic® Pflanzen por litro de água, sendo que cada planta recebeu 2,5 mL da solução. A solução foi aplicada utilizando-se borrifador manual.

Figura 1. Plantas de soja (A) e tomateiro (B) com 27 dias após a semeadura, cultivadas em copos plásticos contendo substrato comercial Carolina Soil.

Os tratamentos foram com e sem aplicação de Penergetic® Pflanzen, sendo utilizadas cinco repetições por tratamento de cada espécie vegetal (soja e tomateiro). As plantas foram mantidas em casa de vegetação durante sete dias, sendo rea46

lizada uma leitura diária, no mesmo horário, do teor de clorofila com o clorofilômetro ClorofiLOG CFL 1030 (FALKER, 2008). As leituras foram realizadas em um ponto do limbo foliar do primeiro par de folhas completamente expandidas a partir do meristema apical, amostrando uma planta em cada repetição.

Resultados Oficiais - 2ª Edição - Tecnologia em Bioativação - Penergetic®  

Revista Resultados Oficiais 2ª edição - Português Tecnologia em Bioativação - Penergetic®

Resultados Oficiais - 2ª Edição - Tecnologia em Bioativação - Penergetic®  

Revista Resultados Oficiais 2ª edição - Português Tecnologia em Bioativação - Penergetic®

Advertisement