Page 1

fevereiro 2018

PROJECTO PIONEIRO LEVA BICICLETA ÀS ESCOLAS DE PENAFIEL PÁG. 3

ÇO PRE APA EC D

1€

CÂMARA MUNICIPAL DE PENAFIEL PROMOVE FESTIVAL DA LAMPREIA PÁG. 13 À 21

FC PENAFIEL EM POSIÇÃO DE SUBIDA

PÁG. 27

NOVA VIATURA VMER EM PLENO FUNCIONAMENTO

PÁG. 22 e 23


Boelhe acolheu iniciativa “CANTO DE JANEIRAS”

A Equipa da Pastoral Familiar da Paróquia de Boelhe promoveu, no passado dia 21 janeiro, o tradicional “Canto de Janeiras”. Nesta iniciativa, que visa manter viva a tradição de cantares das Janeiras e dos Reis, procurou preservar-se e promover todo o património imaterial e etnográfico na freguesia de Boelhe, num momento de convívio e partilha cultural. O evento decorreu na Igreja Paroquial de São Gens de Boelhe e foi aberto à participação de grupos e

movimentos associativos locais como a Associação para o Desenvolvimento da Freguesia de Boelhe, a Comissão de Festas em honra a São Gens e a Nossa Senhora do Rosário, o Grupo Coral de Boelhe, o Grupo de Catequistas em conjunto com os elementos do Grupo Coral Infantil e Juvenil e a Associação de Danças e Cantares da Villa Bonelli “Rancho Folclórico de Boelhe”, numa atividade que integrou a proposta do Ano Pastoral 2017/18 e o projeto cultural “Serões da Aldeia”.

TRIÂNGULO DE GUERRA lançado em Penafiel

A Biblioteca Municipal de Penafiel acolheu, no passado dia 27 de janeiro, o lançamento do livro da escritora Cecília Beça, “Triângulo de Guerra”, obra que retrata a realidade dos refugiados do Curdistão. O intuito da autora neste seu primeiro livro, apesar de se tratar de um romance de leitura fácil e agradável, é que o leitor se coloque na pele dos personagens a fim de perceber melhor o drama dos refugiados, tema que con-

sidera ser de pouco interesse para os portugueses. “Infelizmente para a sua causa, as pessoas não dão o devido tempo aos curdos. Há anos que eles vivem um enorme conflito e são um povo muito afável e alegre”. Helena Castro, uma das responsáveis pela apresentação da obra, gostaria que as pessoas ficassem sensibilizadas para o drama dos refugiados. “O que seria desejável é que, de uma maneira geral, as pessoas que o lêem percebam que qualquer pessoa pode ser um deslocado. Qualquer pessoa que está num meio que não é o seu gostaria de ser bem acolhida”, referiu a jornalista e ativista dos Direitos Humanos.

FICHA TÉCNICA

PROPRIEDADE H. COIMBRA LDA. | DIREÇÃO GONÇALO NOVAIS | EDITOR HELENA BARBOSA | PAGINAÇÃO RITA TEIXEIRA | TEXTOS GONÇALO NOVAIS HELENA BARBOSA | GI CM PENAFIEL | IMPRESSÃO : PAPEL BRANCO, ARTES GRÁFICAS | TELEFONE 255 431 163 | E-MAIL PENAFIELMAGAZINE@GMAIL.COM DEPÓSITO LEGAL Nº 429562/17 | TIRAGEM 5000 EXEMPLARES

PENAFIEL MAGAZINE

2


PENAFIEL MAGAZINE

3

PENAFIEL LANÇA PROJETO “A BICICLETA NAS ESCOLAS” texto Gonçalo Novais

“Há muito que sonhava com um projeto destes, em que se leva o ciclismo às escolas. É um projeto pioneiro em Portugal, mas posso afirmar que também o é a nível europeu”

O Município de Penafiel está a implementar o projeto “A bicicleta nas escolas”, um programa pioneiro a nível nacional, que abrange cerca de 40 escolas do concelho, num total de cerca de 1300 alunos que frequentam as atividades extra-curriculares (AEC´s), e que foi um dos vencedores da 1ª edição do Orçamento Participativo de Penafiel 2016/2017. Numa altura em que a Federação Europeia de Ciclistas continua a apontar Portugal como estando na cauda da Europa sobre o uso da bicicleta, estando apenas à frente da Bulgária, Penafiel quer dar um passo em frente no sentido de contrariar a tendência, começando na escola, com os mais novos, tal como explica a vereadora da Câmara Municipal de Penafiel Susana Oliveira. “O uso da bicicleta está em voga e o Município tem de acompanhar essa tendência. Para além do esforço que faz na promoção de melhores acessibilidades, procura agora ser pioneiro com este projeto que vai desenvolver junto dos mais pequeninos, num contexto seguro e controlado, a utilização deste meio de transporte, mas em segurança, através do conhecimento das regras e equipamentos a usar, no sentido de prevenir acidentes que possam acontecer”, explica, no lançamento de uma iniciativa que materializa no terreno uma das ideias apresentadas no âmbito do Orçamento Participativo da Câmara Municipal de Penafiel. “Este projeto surgiu de uma ideia de um clube penafidelense que foi apresentada no âmbito da primeira edição do Orçamento Participativo, que teve lugar no final de 2016, e que arrancou um pouco mais tarde do que o esperado, por um lado em virtude do encerramento de um ciclo autárquico com a ocorrência de eleições no ano passado, e por outro em virtude de um pedido feito por parte do Município no

sentido de uma reformulação do projeto inicial, com vista a um alargamento do mesmo a todo o concelho. Agora, está efetivamente a arrancar um dos seis projetos aprovados no âmbito da primeira edição do Orçamento Participativo, e estamos a assistir à concretização de um dos escolhidos, que vai dar a oportunidade a muitas crianças de aprender a andar de bicicleta, com a supervisão de gente qualificada da ADRAP que as vai orientar em todo este processo”, sublinhou Susana Oliveira, que referiu que o investimento efetuado neste programa ronda cerca de quarenta mil euros, que foram canalizados para os recursos humanos e equipamentos e materiais a ser utilizados durante as aulas. Por sua vez, Joaquim Ferreira, presidente da Associação Desportiva e Recreativa Ases de Penafiel (ADRAP), assumiu que o projeto é a concretização de um grande objetivo. “Há muito que sonhava com um projeto destes, em que se leva o ciclismo às escolas. É um projeto pioneiro em Portugal, mas posso afirmar que também o é a nível europeu, uma vez que conheço pessoas residentes em vários desses países, que não conhecem nenhum projeto deste tipo. Há dezenas de escolas de ciclismo em Portugal e há milhares espalhadas por esse mundo fora, mas sem a presença diária e o apoio logístico que esta iniciativa pressupõe”. Este apoio, segundo o dirigente, envolve uma equipa de técnicos qualificados do clube, que diariamente se deslocarão até às várias escolas do concelho em três viaturas que estarão no terreno, nas quais seguirão, além dos técnicos, 15 bicicletas (adequadas ao tamanho das crianças) e equipamentos de proteção e segurança, como capacetes, joelheiras ou cotoveleiras. Enquadrado nas atividades de enriquecimento escolar, o projeto “A bicicleta nas escolas” conta com o apoio de professores, treinadores e auxiliares ligados à área do ciclismo que têm a missão de dotar os alunos de conhecimentos sobre este meio de transporte, bem como, reforçar a importância do mesmo na contribuição para a mobilidade sustentável e melhor qualidade de vida. Este projeto, dinamizado em parceria com a ADRAP, é realizado duas vezes por mês, com sessões teóricas e práticas, e permite aos alunos do concelho de Penafiel aprender as principais regras de segurança rodoviária, fomentando a prática do ciclismo como modalidade desportiva.


SILVA & VINHA/ADRAP/SENTIR PENAFIEL conquista primeiros títulos do ano Ainda mal começou o ano de 2018 e a Silva & Vinha/ADRAP/Sentir Penafiel já arrecadou os primeiros títulos do ano nos Campeonatos Nacionais de Pista, que tiveram lugar no Velódromo Nacional em Sangalhos (Anadia), nos dias 20 e 21 de janeiro. No total, foram três os títulos obtidos pelos penafidelenses no certame. Na classe Master 30 masculina, Carlos Ferreira obteve o título nacional de scratch, numa prova em que se superiorizou a Gonçalo Santos (C. Ciclista do Centro), que foi segundo, e a José Leite (Peça-

modôvar-GFP-CDA), que concluiu a prova no terceiro lugar. Os outros dois troféus foram atingidos no paraciclismo, nomeadamente por Manuel Ferreira, que na classe de C5 obteve os títulos de perseguição individual nas distâncias de 1,5 km e 500 metros. Além destes dois atletas, a comitiva da formação penafidelense foi ainda representada, na categoria de Juniores, por Pedro Pinto, Manuel Baião, Tiago Ferreira e Luís Silva, e em Cadetes Masculinos por João Nunes, João Gomes e Rúben Silva.

PUB

PENAFIEL MAGAZINE

4


PENAFIEL MAGAZINE

5

Presidente da Junta de TERMAS DE S. VICENTE não deixa cair serviços de correios O posto dos CTT de Termas de S. Vicente foi um dos 22 de todo o país apontados para encerrar. No entanto, os serviços continuarão ao dispor da população já que o presidente da junta arranjou uma alternativa ao encerramento. Os serviços de correios estão já a funcionar nas instalações da junta de freguesia, no Espaço do Cidadão. José Barbosa Soares considera que esta é uma mais-valia que a freguesia não poderia perder e, portanto, assegurou que os serviços seriam mantidos ainda que transferidos para o espaço cidadão e geridos pela junta. “Quando fomos informados tivemos a preocupação de entrar em contacto com responsáveis, porque a nossa freguesia, sendo a segunda maior do concelho e estando a vários quilómetros de distância da cidade, não poderia perder este tipo de valência”, considera o presidente da junta, acrescentando que “além da nossa freguesia outras localidades usufruíam destes serviços, como Valpedre, S. Miguel de Paredes, Cabeça Santa, Canelas e Eja”. Questionado sobre a origem desta sua iniciati-

va, o autarca não tem dúvida em afirmar que “quem é eleito é para tentar resolver os problemas, é esse o nosso foco, tentar resolver os problemas da freguesia e dos cidadãos”. Criando um novo posto de trabalho, a junta assegura a mesma qualidade de serviço a que a comunidade estava habituada. Para José Barbosa Soares, a população está satisfeita com esta solução. “Penso que toda a gente fica servida à mesma altura, não tendo perdido nenhum serviço. Penso que não há ninguém revoltado com a situação, as pessoas estão satisfeitas de uma maneira geral”, conclui o predidente da junta.

CROCA vai ter eleições intercalares

Fruto de uma demissão em bloco da oposição, a população de Croca voltará às urnas para decidir os destinos da Junta de Freguesia, neste momento liderada por António Libano, do Partido Socialista, numas eleições intercalares. A Coligação Penafiel Quer e o Movimento Independente “Dar as Mãos por Croca”, eleitos para a Assembleia de Freguesia de Croca, são os protagonistas da discórdia.

Neste que foi um sinal de protesto contra o atual executivo, a oposição queixa-se de falta de respeito por parte do atual presidente da junta e critica ainda os métodos e procedimentos de composição da junta. Já o Partido Socialista de Penafiel emitiu um comunicado, acusando a Coligação “Penafiel Quer” e o movimento independente “Dar as mãos por Croca”

de se terem demitido com o propósito de provocar eleições. Os socialistas afirmam que a oposição, neste processo, não foi capaz de “respeitar o voto dos croquenses” e de criar condições de governação. “Os membros da Assembleia de Freguesia de Croca eleitos pela Coligação Penafiel Quer e Movimento Independente Dar as mãos por Croca assumem, definitiva e claramente, o desrespeito pela vontade dos croquenses, tendo-se demitido em bloco, com o único intuito de provocar eleições antecipadas. Esta é apenas a última medida da campanha de verdadeiro ‘terrorismo político’ que os eleitos pela Coligação Penafiel Quer e movimento independente Dar as mãos por Croca vêm adoptando desde que perderam as eleições do passado dia 1 de Outubro”, refere o comunicado. Ainda que a base dos conflitos esteja no desentendimento da oposição com o atual presidente da junta, António Líbano continuará a ser o candidato do partido à Junta de Freguesia. PUB


Instalada ASSEMBLEIA INTERMUNICIPAL da CIM do Tâmega e Sousa

Decorreu, no dia 22 de janeiro, na sede da Comunidade Intermunicipal do Tâmega e Sousa (CIM do Tâmega e Sousa), em Penafiel, o ato de instalação da Assembleia Intermunicipal desta instituição para o mandato 2017-2021. A atual Assembleia Intermunicipal é composta por 50 membros de entre os eleitos nas Assembleias Municipais dos 11 municípios que integram a CIM do Tâmega e Sousa, nomeadamente Amarante, Baião,

Castelo de Paiva, Celorico de Basto, Cinfães, Felgueiras, Lousada, Marco de Canaveses, Paços de Ferreira, Penafiel e Resende. Após o ato de instalação, procedeu-se à eleição da Mesa da Assembleia Intermunicipal. Alberto Santos, presidente da Mesa cessante e atual presidente da Assembleia Municipal de Penafiel, foi reconduzido no cargo, tendo ainda sido eleitos, para o cargo de vice-presidente, Eugénia Vieira, deputada da

JANTAR VÍNICO promoveu vinhos da sub-região de Paiva

Decorreu, no passado dia 19 de janeiro, o segundo jantar vínico do programa eno-gastronómico TâmegaSousa Vinho Verde Wine Experience, que teve como mote os vinhos verdes produzidos na sub-região de Paiva – uma das cinco sub-regiões dos vinhos Verdes do Tâmega e Sousa –, que integra o concelho de Castelo de Paiva e as freguesias de Travanca e Souselo, em Cinfães. A Quinta do Outeiro, uma propriedade vitivinícola situada em Castelo de Paiva, foi o cenário deste jantar,

PENAFIEL MAGAZINE

6

que reuniu cerca de 40 convidados, entre jornalistas, bloggers, wine lovers, críticos de gastronomia e vinhos, produtores de vinho e representantes de associações empresariais. O jantar contou ainda com a presença do reconhecido ator António Capelo, “embaixador” de Castelo de Paiva. O jantar foi pontuado por vinhos brancos e tintos produzidos a partir das castas mais características da sub-região de Paiva, selecionados pelo enólogo Jorge Sousa Pinto, um dos mais renomados consultores de enologia e viticultura da Região dos Vinhos Verdes. As provas confirmaram a qualidade e especificidades dos vinhos desta sub-região, mas foram os vinhos tintos, especialmente os produzidos a partir da casta vinhão, que granjearam especial atenção dos comensais. Esta casta é característica da sub-região de Paiva e é a partir dela que produzem alguns dos mais prestigiantes vinhos tintos de toda a Região dos Vinhos Verdes e que dão fama a esta sub-região, traduzida em tintos de excelência, poderosos e complexos. A posta arouquesa, raça que detém o selo de Denominação de Origem Protegida, foi a protagonista dos pratos deste jantar, reinterpretada pelo conceituado chef Álvaro Costa, atual chef executivo do Porto Palácio Congress Hotel & Spa e do Hotel NH Collection Porto Batalha. Promover, junto de um público especializado, o Vinho Verde do Tâmega e Sousa é o principal objetivo do programa eno-gastronómico TâmegaSousa Vinho Verde Wine Experience, que conta com a gastronomia da região como principal aliado. Depois das sub-regiões de Basto e de Paiva, os próximos jantares terão lugar a 16 de fevereiro, na Fundação Eça de Queiroz – Restaurante de Tormes, em Baião (sub-região de Baião), a 16 de março, na Casa da Calçada – Restaurante Largo do Paço, em Amarante (sub-região de Amarante) e a 20 de abril, na Quinta da Aveleda, em Penafiel (sub-região do Sousa).

Assembleia Municipal de Amarante e, para o cargo de secretária, Maria de Fátima Azevedo, deputada da Assembleia Municipal de Baião. Na reunião de Assembleia Intermunicipal foi ainda eleito o primeiro-secretário da CIM do Tâmega e Sousa para o mandato 2017-2021, cargo que passa a ser assumido por Telmo Pinto, anterior presidente e coordenador da cooperativa DOLMEN – Desenvolvimento Local e Regional.

TÂMEGA E SOUSA promovido no Reino Unido O Tâmega e Sousa esteve em destaque no Reino Unido, numa ação promocional deste território no mercado britânico, promovida pelo Consórcio “Tâmega e Sousa Internacionaliza”, constituído pela Comunidade Intermunicipal do Tâmega e Sousa, pelo Conselho Empresarial do Tâmega e Sousa, pela Ader-Sousa – Associação de Desenvolvimento Rural das Terras do Sousa, pela Dolmen – Desenvolvimento Local e Regional e pela Escola Superior de Tecnologia e Gestão do Politécnico do Porto. A região foi promovida numa iniciativa que incluiu uma mostra eno-gastronómica, na qual o Vinho Verde foi o principal protagonista. O evento de promoção teve lugar na Embaixada de Portugal no Reino Unido, em Londres, no passado dia 29 de setembro e apresentou como objetivo divulgar os vinhos e a gastronomia do Tâmega e Sousa no mercado britânico, assim como partilhar experiências e contactos. Esta é já a nona ação de marketing territorial promovida pelo Consórcio “Tâmega e Sousa Internacionaliza”, depois de a região ter marcado presença no Fòrum Gastronòmic de Girona 2017, em Espanha, na Fête des Vendanges de Montmartre 2017, em França, na FIDMA – Feria Internacional de Muestras de Asturias 2017, em Espanha, no Festival Arcu Atlánticu 2016 e 2017, em Espanha, e na BTL – Bolsa de Turismo de Lisboa 2017, e de ter organizado uma mostra enogastronómica do Tâmega e Sousa no Consulado Geral de Portugal em Paris (2017) e a Feira Internacional de Gastronomia e Vinhos do Tâmega e Sousa 2016, no Luxemburgo.


Largo Carvalhinhos Ed. Boavista 4x 4615 -612 lixa

916 834 680

email: inventoscoimbra@gmail.com

•PALCOS • CAMARINS • INSUFLÁVEIS • TENDAS • WC´S PORTÁTEIS


Penafiel acolheu iniciativa “VEM CONHECER A TUA MENTE” O movimento “Criar Valor” e a AKNI- Clínica do Cérebro dinamizaram, no passado dia 3 de fevereiro, a iniciativa “Vem conhecer a tua Mente”, ação de desenvolvimento pessoal que teve lugar na sede da Associação Empresarial de Penafiel. Luís Sousa, que a par do seu colega André Cabral, é um dos dinamizadores do movimento “Criar Valor”, explicou ao Penafiel Magazine em que consistiu a ação realizada. “Trata-se de um pequeno evento em que são desenvolvidas duas ações. Uma de natureza clínica, de análise ao cérebro, efetuada a partir da medição de determinados parâmetros, e outra mais orientada para a definição de objetivos para o ano de 2018 em diversas áreas”. “A necessidade de evoluir existe sempre e a nossa missão é a promoção do desenvolvimento pessoal, ajudar as pessoas a desenvolver as suas capacidades. Neste evento, e tendo em conta a missão do movimento, o principal

objetivo é ajudar as pessoas na definição de objetivos. Quando começa um novo ano, há quem ande entusiasmado com planos e objetivos que pretende atingir, mas depois não consegue materializar essa vontade em ações e comportamentos concretos. Com esta iniciativa, pretendemos ajudar as pessoas a clarificar e definir metas a atingir, bem como a manter o esforço na prossecução desses objetivos ao longo do tempo”, referiu Luís Sousa, que revelou ainda a sua satisfação com a adesão significativa de interessados à iniciativa. Por sua vez, Inês Maia explicou a função da AKNI- Clínica do Cérebro na dinamização da iniciativa.

“A nossa função neste evento consiste basicamente na recolha de dados de cariz psicofisiológico que dão informação sobre o equilíbrio do nosso sistema nervoso e que apresentam uma grande importância para a nossa qualidade de vida e desempenho da pessoa em várias áreas”, sublinhou. O evento “Vem conhecer a tua Mente”, organizado em parceria com a Câmara Municipal de Penafiel e a Associação Empresarial de Penafiel, faz parte de um conjunto de iniciativas que antecedem a organização do 2º Evento de Desenvolvimento Pessoal, já agendado para o dia 8 de setembro deste ano.

Alunos do concelho de Penafiel participaram no programa “CUIDA-TE” Cerca de 300 alunos do ensino secundário do concelho de Penafiel participaram no programa “Cuida-te”, do Instituto Português do Desporto e Juventude em parceria com a Câmara Municipal de Penafiel, cuja candidatura foi apresentada pelo Grupo de Jovens da Capela (CECA), num desafio lançado em 2017. A iniciativa ficou marcada por um teatro-debate “(In)dependências”, constituído por um prólogo e cinco situações de tipos de dependência, tais como o telemóvel e computador, álcool, drogas e consequências, hábito ou dependência, diversidade e curiosidade e, por fim, dependências e famílias. A vereadora da Câmara Municipal de Penafiel, Susana Oliveira, destacou a interação do público sobre os temas em debate. “Esta iniciativa permitiu que os alunos do nosso concelho interagissem com os atores sobre os temas em análise. No final da peça de teatro foram levantadas questões sobre os perigos associados às diversas situações de dependência a que os nossos jovens estão sujeitos. É muito importante PENAFIEL MAGAZINE

8

promovermos este género de parcerias, que têm como objetivo elucidar os nossos jovens para a adoção de um estilo de vida saudável, fazendo-os sair da sua zona de conforto e falar com eles de forma aberta e clara dos problemas. Foi, sem dúvida, uma excelente forma de lhes passar mensagens tão importantes”, sublinhou.


PENAFIEL MAGAZINE

9

CENTRO SOCIAL DE RECESINHOS organiza espetáculo para aquisição de novo equipamento A promotora do evento, a instituição de solidariedade social Centro Social de Recezinhos, dispôe de várias valências, entre elas um lar de idosos, centro de dia, serviço de apoio domiciliário e uma creche. Para além desta iniciativa, outras com o mesmo fim estão previstas para os meses que se seguem.

O auditório da Associação Empresarial de Penafiel vai acolher, no dia 24 de fevereiro, pelas 21h30, um espetáculo solidário que visa angariar fundos para a colocação de um elevador monta-camas no Centro Social de Recezinhos. Do cartaz fazem parte três grupos do concelho de Penafiel que irão abrilhantar o evento, o Grupo de Guitarras de Penafiel, a Escola Merenguita e o Canto Nono. A a colocação de um elevador monta-camas irá dotar aquela instituição de um valiozo recurso na mobilidade dos doentes acamados, facilitando também o acesso de bombeiros e outros agentes. PUB

MUNDO ESOTÉRICO

ASLETINHO PRODUTOS • N AT U R A I S • ESOTÉRICOS

LEITURA D E C A R TA S VIDÊNCIA

TLM: 910 211 156 TEL: 255 145 389

R UA P É D E AG R A , N 1 0 4 5 6 0 - 0 0 2 G A L EG O S P N F


ROTA DO ROMÂNICO COM RECORDE DE VISITANTES EM 2017 Os monumentos da Rota do Românico da região do Tâmega e Sousa são cada vez mais procurados pelos turistas estrangeiros. A confirmá-lo estão os números, que apontam para cerca de 9.000 visitantes de 204 grupos organizados, que no ano passado visitaram os 58 monumentos desta Rota. Além da afluência de visitantes portugueses, é registado um crescimento de 20% face ao ano de 2016, sendo de realçar a afluência crescente de turistas oriundos de países asiáticos como o Japão e a Coreia do Sul, mas também do Brasil, Espanha ou França. Este registo de acréscimo de visitantes surge na sequência da participação da Rota do Românico na FITUR – Feira Internacional de Turismo, que se realizou entre os dias 17 e 21 de janeiro, em Madrid, que se constituiu como mais uma oportunidade de promoção do património da região nos circuitos comerciais de referência a nível internacional.

PUB

PENAFIEL MAGAZINE

10


PENAFIEL MAGAZINE

11

Amigos do Arquivo de Penafiel organizam II Seminário “Penafiel e os Penafidelenses na História” Os Amigos do Arquivo de Penafiel vão levar a cabo, no dia 10 de março, o II Seminário “Penafiel e os Penafidelenses na História”. Nesta iniciativa, que decorrerá no Auditório do Museu Municipal, os oradores participantes vão levar a cabo uma revisitação ao património histórico do concelho penafidelense, num evento integrado na programação das comemorações dos 248 anos de elevação de Penafiel a cidade. O evento prolonga-se durante todo o dia, sendo que da parte da manhã tem duração das 9h45 às 12h30, e da parte da tarde realiza-se entre as 14h30 e as 17h30. A inscrição é gratuita, mas obrigatória.

Bombeiros de Entre-os-Rios organizam workshop sobre suporte básico de vida pediátrico Os Bombeiros Voluntários de Entre-os-Rios organizam, no próximo dia 17 de fevereiro, um workshop sobre suporte básico de vida pediátrico. O evento, que decorrerá no Quartel dos Bombeiros Voluntários de Entre-os-Rios, tem como cabeça de cartaz o slogan “E se o seu filho deixar de respirar, sabe o que fazer?”, está englobado na campanha de angariação de fundos que está a ser levada a cabo pela associação para a compra de dois veículos, um de combate a incêndios, e outro de transporte de doentes.  As inscrições são limitadas a 100 participantes e têm um custo de 10 euros, com certificado incluído. A duração da formação é de quatro horas, repartidas por duas turmas de 50 participantes, uma que terá formação das 9h às 13h e outra das 14h às 18h.

PUB


Centenas de foliões saem à rua em vários desfiles de Carnaval em Penafiel As crianças dos jardins de infância e das EB1 do concelho de Penafiel vão sair à rua, no dia 9 de fevereiro, com o habitual desfile de Carnaval. O cortejo dos pequenos foliões sairá às 10h00, do Largo Conde Torres Novas (Campo da Feira) em direção à Avenida Egas Moniz, Avenida Sacadura Cabral, Praça Municipal, Rua Dr. Joaquim Cotta, Largo Nossa Senhora da Ajuda e Rua do Paço, fazendo depois o percurso em sentido contrário. Na freguesia das Termas de São Vicente, o cortejo terá lugar no dia 11 de fevereiro, a partir das 15h00, com saída do Hotel das Termas de São Vicente e passagem na E.N.106 até ao lugar das Ponte das Cabras, regressando à unidade hoteleira. Este desfile irá contar com a participação de cerca de 400 foliões. A iniciativa é organizada pelo Grupo de Teatro Amador de São Vicente de Pinheiro, com o apoio da Câmara Municipal de Penafiel. No dia de Carnaval, 13 de fevereiro, a Associação para o Desenvolvimento de Santiago de Subarrifana, com o apoio da Câmara Municipal de Penafiel e da Junta de Freguesia de Penafiel, vai promover o tradicional desfile de Carnaval, nas principais ruas da cidade. O corso carnavalesco sairá de Santiago de Subarrifana, às

14h00, com centenas de foliões, cinco carros alegóricos e três grupos de bombos. Também no mesmo dia, às 14h30, a freguesia de Rio de Moinhos, com o apoio da Câmara de Penafiel, dinamizará o corso carnavalesco, com cerca de 500 foliões. O desfile terá início no Pavilhão Desportivo Municipal de Rio de Moinhos, seguindo em direção à Avenida da Vista Alegre, passando pela Avenida de Cans, Largo do Carvalhal e Praça 20 de junho.


PENAFIEL MAGAZINE

13

ROTA DA LAMPREIA INICIA-SE A 16 DE FEVEREIRO

Câmara Municipal de Penafiel promove Festival da Lampreia texto Gonçalo Novais

A Câmara Municipal de Penafiel vai promover, entre os dias 23 e 25 de março, a edição de 2018 do Festival da Lampreia, que durante três dias proporciona aos visitantes a oportunidade de, na zona ribeirinha de Entre-os-Rios, degustar esta iguaria gastronómica, que pode ser servida com arroz ou à bordalesa. Num evento em que marcam presença cinco restaurantes (Restaurante Solar do Souto, Restaurante Ponte de Pedra, Casa das Lampreias, Restaurante Taberna Fininha, e Restaurante O Miradouro), os destaques da edição deste ano vão não apenas para a presença do programa da RTP ‘Aqui Portugal’, com emissão em direto de Entre-os-Rios a partir das 14 horas do dia 24 de março (sábado), como também para a 1ª Entronização da Confraria da Lampreia de Entre-os-Rios (CLER) realizada às 10h30 desse mesmo dia, que constituirá um importante marco histórico para uma associação fundada a 15 de março de 2017 e que tem como objetivo divulgar as virtudes deste produto característico da gastronomia do concelho de Penafiel. Além da gastronomia, a animação musical será uma

constante no festival. No dia 23 de março (sexta-feira), o Grupo Etnográfico Cantar é Viver (Capela) sobe ao palco para dar início a um programa de atuações musicais que continuará no domingo seguinte (25 de março), com o Rancho Folclórico de São Vicente de Irivo, o Grupo Folclórico de Penafiel e o Rancho Folclórico de São Mamede de Canelas. Já antes, contudo, terá início a Rota da Lampreia, que junta à degustação deste prato a oportunidade de realizar uma visita pelo património edificado e natural de várias freguesias do concelho. Quinze restaurantes oriundos de freguesias como Abragão, Boelhe, Cabeça Santa, Croca, Eja, Galegos, Penafiel, Rio Mau, Termas de São Vicente ou Torrão (Marco de Canaveses) aderem a uma iniciativa que alia a promoção turística de Penafiel à divulgação da sua gastronomia e divulgação e dinamização da atividade económica e comercial dos restaurantes locais. A Rota da Lampreia tem o seu início agendado para o dia 16 de fevereiro (sexta-feira), e prolonga-se até 25 de março, o último dia do Festival da Lampreia de 2018.


ADOLFO AMÍLCAR MORENO, VEREADOR DO TURISMO DA CÂMARA MUNICIPAL DE PENAFIEL

“Em Entre-os-Rios, a lampreia é confecionada de uma forma muito especial” texto Gonçalo Novais

A Rota e o Festival da Lampreia são muito mais do que iniciativas de divulgação de pratos característicos da gastronomia do concelho de Penafiel. Com efeito, a preservação e divulgação de uma iguaria consumida há vários séculos constitui um dos motivos para que, em 2018, a Câmara Municipal de Penafiel dinamize estas duas iniciativas, tal como explica o vereador do Turismo, Adolfo Amílcar Moreno. “Aproximamo-nos, mais uma vez, da nossa Rota da Lampreia no concelho de Penafiel, bem como do nosso festival. Este ano, inicia-se a Rota no dia 16 de fevereiro, e que a partir daí se prolonga até 23 de março, que juntamente com os dias 24 e 25, perfazem a realização do Festival da Lampreia em Entre-os-Rios, mais concretamente num local privilegiado e ímpar como o é a zona ribeirinha desta mesma localidade e onde ao longo dos séculos existe a tradição da confeção da lampreia. Como se sabe, o concelho de Penafiel é banhado por dois grandes rios, o Tâmega e o Douro, onde sempre houve lampreia, que depois da construção das barragens deixou de subir até Entre-os-Rios. Contudo, não deixa de ser verda-

PENAFIEL MAGAZINE

14

de que nesta localidade esta iguaria é confecionada de uma forma muito especial. Por um lado, porque se tenta ter sempre um produto de muita qualidade e por outro, mesmo que a proveniência da lampreia não venha necessariamente do Douro, os comerciantes tentam ter sempre no prazo de uma ou duas semanas o ciclóstomo nos tanques de águas corredias a ser ‘batido’ e a ‘endurecer’, o que depois na confeção se reflete no sabor. Em Entre-os-Rios esta iguaria é conhecida pelo arroz de lampreia e pela lampreia à bordalesa”, começa por explicar o vereador, antes de sublinhar a importância que a divulgação da iguaria pela população teve na idealização e evolução do festival tal como hoje é conhecido. “Este evento já tem alguns anos e começou com a iniciativa Lampreia à Mesa com arroz ou bordalesa, ao qual se sucedeu a idealização do festival. É um evento que tem um cariz muito especial, porque se realiza num local privilegiadíssimo como Entre-os-Rios, e que tem a particularidade de oferecer às pessoas a oportunidade de provar lampreia por dez euros, o que não é muito comum. Como se sabe, esta


PENAFIEL MAGAZINE

iguaria é um prato caro, que não está ao alcance de toda a gente. Daí querermos ‘democratizar’ a lampreia, até para fazer chegar esta iguaria aos que nunca provaram e que assim têm a oportunidade de o fazer sem gastar muito dinheiro”, referiu. A 1ª Entronização da Confraria da Lampreia de Entre-os-Rios e a presença da RTP no certame, duas das novidades da edição deste ano, são destacadas pelo vereador como motivos de especial interesse na iniciativa. “Na edição deste ano do festival teremos a primeira Entronização da Confraria da Lampreia de Entre-os-Rios, que tem como missão a promoção, divulgação e defesa deste produto, que se já é conhecido em vários locais, pode tornar-se uma iguaria de projeção ainda maior graças ao trabalho que esta confraria realize, até por força da interação com o grande movimento confrádico existente no país. Teremos igualmente este ano o gosto de acolher um programa da RTP no local, que também vai contribuir muito para a divulgação do nosso festival, da nossa lampreia e da nossa confraria. Nesta época do ano, a Confraria da Lampreia de Entre-os-Rios, que não só é parceira como também marca presença no certame, desempenha um papel muito importante na divulgação do festival e da Rota. Contudo, a parte mais importante do seu trabalho realizar-se-á durante o ano, nomeadamente entre os meses de abril e dezembro, porque o mundo confrádico em Portugal é muito grande, com a presença de cinco confrarias só no concelho de Penafiel e todas elas participam e convivem nos capítulos que acontecem de norte a sul do país. E é aí que a Confraria da Lampreia de Entre-os-Rios vai seguramente fazer um excelente trabalho, dar-se a conhecer e trazer visitantes ao concelho através da promoção deste produto”, espera Adolfo Amílcar Moreno.

“O Festival e a Rota da Lampreia procuram promover o concelho na sua totalidade”

15

Em fevereiro e março, e no âmbito deste trabalho levado a cabo em prol da promoção da lampreia, é importante referir as diferenças entre duas iniciativas distinta, mas complementares, como são o Festival da Lampreia realizado em março e a Rota da Lampreia que o antecede já a partir do dia 16 deste mês. Adolfo Amílcar Moreno explica a forma como ambas as iniciativas coexistem em prol de um objetivo comum de promoção da gastronomia local e do concelho como um «todo». “O Festival da Lampreia e a Rota da Lampreia complementam-se. O festival concentra-se em Entre-os-Rios, com a presença dos restaurantes aderentes, e apresenta um cariz mais popular, no qual se pretende dar a oportunidade de provar a iguaria por valores mais reduzidos, ao mesmo tempo que a animação e a música popular estão presentes, enquanto que a Rota ‘convida’ o visitante a explorar o concelho de Penafiel através da promoção da gastronomia local. Até porque existem nesta altura não apenas as pessoas que se deslocam propositadamente ao festival, como também as pessoas que podem ter mais interesse em fazer a rota pelo concelho e ficar a conhecer as várias freguesias onde se situam os restaurantes que confecionam bem esta iguaria. Além da promoção da gastronomia local, existe a intenção de promover igualmente o nosso concelho e o nosso rico património, que vai desde a Rota do Românico ao turismo termal, passando pelo centro histórico lindíssimo da cidade de Penafiel, o Museu Municipal ou a beleza das paisagens, entre outros motivos de interesse. Pela via desta iguaria, procuramos promover Penafiel na sua totalidade. A Natureza foi muito generosa para com o concelho de Penafiel, na medida em que nos concedeu uma ‘porta de entrada’ fantástica através do rio Douro, com uma paisagem belíssima, que funciona como uma antecâmara para os muitos motivos de interesse que podem ser descobertos durante uma qualquer viagem que se possa fazer ao concelho. Desta forma, nesta época do ano que é considerada como tendo uma atividade económica mais reduzida, a época da lampreia permite uma dinamização turística maior, com um acréscimo de visitantes e dormidas e reforça a imagem positiva que já se tem do nosso concelho”, sublinhou o vereador, que destacou a adesão significativa das pessoas a ambas as iniciativas, e em particular ao festival. “A adesão das pessoas é muito significativa, não apenas em virtude dos muitos amantes deste prato, como também pelo facto de ser uma iguaria sazonal, de janeiro a abril. Vendem-se centenas de lampreias em Entre-os-Rios neste período e o festival não só promoveu o aumento de pessoas a comer não apenas no evento, como também nos estabelecimentos de restauração daquela zona, como o aumento da atividade comercial dos vendedores de lampreia ali presentes”. Não são apenas os amantes deste prato que retiram benefícios do festival. Também os restaurantes aderentes, oriundos de várias freguesias do concelho, encontram nesta iniciativa uma forma efetiva de divulgação não apenas da qualidade evidenciada na preparação deste prato, como também de outras especialidades que possam preparar e servir aos clientes. “Ao participarem num evento desta envergadura, os restaurantes aderentes também se promovem a eles próprios, até porque são estes estabelecimentos os grandes protagonistas deste certame. E acabam por sentir um retorno da sua participação não apenas nesta altura, como no resto do ano, pois dispõem ali de um palco onde se dão a conhecer e divulgam várias outras especialidades que fazem em outras ocasiões. Desta forma, é assegurado que, em futuras visitas ao concelho de Penafiel, os visitantes possam ter vários locais de referência onde possam degustar e deliciar-se com os vários pratos da gastronomia local, nas várias freguesias do concelho”, concluiu.


Presidentes de junta sublinham importância do Festival da Lampreia na atividade económica local Com uma população de cerca de um milhar de habitantes, a freguesia de Eja é uma referência durante o período da comercialização e confeção da lampreia, com um impacto económico significativo sentido durante esta época do ano. Isabel Guedes, presidente da junta de freguesia, destaca a importância particular do lugar de Entre-os-Rios neste período. “Entre-os-Rios é, na área geográfica em que se encontra, o local que mais se destaca ao nível da atividade comercial relativa quer à comercialização quer à confeção de lampreia. Os vários restaurantes e pontos de venda existentes neste lugar fazem com que, nesta altura do ano, recebamos bastantes turistas, o que se torna importante não apenas para o desenvolvimento e promoção da nossa freguesia, como também para dar a conhecer Eja na sua totalidade. Neste sentido, creio que esta época do ano representa um importante contributo para a economia local, nomeadamente para os comerciantes que se dedicam à venda ou confeção da lampreia e tendo em conta que a lampreia, seja com arroz ou à bordalesa, é um prato com um custo relativamente elevado, e em função da vinda de um grande fluxo de visitantes a Entre-os-Rios para degustar esta iguaria, acredito que o impacto económico para a freguesia deva ser elevado”, refere, elogiando o papel do Festival da Lampreia na divulgação da iguaria. “Acho que o Festival da Lampreia é uma excelente forma de divulgação do produto e dos restaurantes que o confecionam. Até porque para além de possibilitar um contacto inicial deste prato com pessoas que possam ter algum receio de o experimentar, permite a concentração de cinco restaurantes numa tenda dedicados à confeção desta iguaria, o que potencia a atração de muitos visitantes e a divulgação deste produto”, conclui.

“O Festival da Lampreia é uma excelente forma de divulgação do produto e dos restaurantes que o confecionam”

“Desde a criação da Rota e do Festival da Lampreia, nota-se uma grande afluência de pessoas que se deslocam a Abragão para degustar esta iguaria nos restaurantes locais”

Já o presidente da Junta de Freguesia de Abragão, José Sousa, falou da importância da Rota e do Festival da Lampreia na divulgação da qualidade da confeção levada a cabo pelos restaurantes abragonenses, não apenas na confeção desta iguaria específica, como no resto do ano. “Para a freguesia de Abragão trata-se de um período muito importante para a atividade económica local, uma vez que desde a criação da Rota e do Festival da Lampreia, nota-se uma grande afluência de pessoas que se deslocam a Abragão para degustar esta iguaria nos restaurantes locais, que já confecionam este prato com uma qualidade superior. E é o facto de as pessoas saberem que a lampreia é aqui bem confecionada, que leva a um acréscimo significativo do número de visitantes. Contudo, mesmo durante o ano, o fluxo de pessoas a visitar Abragão mantém-se, por força da qualidade do trabalho dos nossos restaurantes na preparação de vários outros pratos, qualidade que tem um reconhecimento cada vez maior, isto já para não falar da oportunidade que existe de usufruir igualmente das paisagens da zona ribeirinha de Abragão, junto ao rio Tâmega, da beleza das nossas casas senhoriais e do património monumental associado à Rota do Românico, na Igreja de São Pedro”, realçou. PUB

PENAFIEL MAGAZINE

16


PENAFIEL MAGAZINE

17

Viagem pela Rota da Lampreia Será já no próximo dia 16 de fevereiro que a Rota da Lampreia abre para mais um roteiro gastronómico pelo concelho de Penafiel. Além da degustação de uma iguaria de relevo da gastronomia do concelho, a Rota da Lampreia proporciona ao viajante o usufruto de uma grande variedade de motivos de interesse, que o podem levar ao encontro do património edificado, da beleza paisagística e do centro histórico da cidade de Penafiel, ou de freguesias como Abragão, Boelhe, Cabeça Santa, Croca, Eja, Galegos, Penafiel, Rio Mau ou Termas de São Vicente. Os restaurantes são os grandes protagonistas desta rota e o Penafiel Magazine dá-lhe a conhecer alguns deles.

RESTAURANTE

CASA DAS LAMPREIAS

Localização: Rua da Torre – Eja / Contactos: 255 612 403/ 914 924 562 Como o próprio nome indica, este restaurante, que existe desde 1951, é um estabelecimento de referência na confeção de lampreia, bem como de outras iguarias da cozinha tradicional portuguesa. A comida de qualidade e o ambiente agradável e acolhedor tornam-no num local excelente para um convívio com amigos, ou para um jantar com alguém especial. A organização de serviços de “catering” para comunhões, batizados ou outros eventos é outro dos pontos fortes deste estabelecimento. PUB


RESTAURANTE

O MIRADOURO

Localização: Entre-os-Rios / Contactos: 255 613 422

Restaurante que alia gastronomia com beleza paisagística. Além da confeção da lampreia e sável, o Bacalhau à Miradouro e o cabrito assado em forno a lenha são as outras atrações de um espaço com uma vista soberba sobre os rios Douro e Tâmega. Tem duas salas, com capacidade para cerca de 100 pessoas.

RESTAURANTE

TABERNA FININHA

Localização: Rua Principal nº 1090 – Entre-os-Rios / Contactos: 255 612 306 Estabelecimento aberto há pouco mais de um ano, este restaurante partilha com outros estabelecimentos vizinhos a arte de bem confecionar a lampreia, o que o torna mais uma de entre as casas de referência na degustação desta iguaria em Entre-os-Rios. Contudo, os motivos de interesse gastronómico abrangem ainda o sável, a posta, o polvo ou o bacalhau, além da possibilidade de confecionar, mas apenas por encomenda, o cabrito assado no forno. Se a comida já poderia justificar uma visita, a magnífica paisagem sobre o rio Tâmega, e o ambiente intimista, requintado e acolhedor são outros dos traços mais marcantes de um restaurante com três salas e capacidade para albergar 116 pessoas.

PENAFIEL MAGAZINE

18


PENAFIEL MAGAZINE

RESTAURANTE

MIRANTE DO DOURO

Localização: Av. Marginal- Rio Mau / Contactos: 255 677 713 A extraordinária vista sobre o Douro, apesar de convidativa, não é o único motivo de interesse para visitar este restaurante localizado em Rio Mau. A confeção da lampreia, do bacalhau à lagareiro ou da posta à Mirante, são os outros bons motivos para descobrir este restaurante com capacidade para mais de 200 pessoas, em que o prazer de uma boa refeição pode ser acompanhado de uma vista sobre as magníficas paisagens do Douro.

RESTAURANTE

SOLAR DO SOUTO

Localização: Rua Central de Ribaçais – Abragão/ Contactos: 255 941 001 Uma das grandes referências na confeção de lampreia no concelho, localizada em Abragão, e restaurante de projeção regional. Quem visita este restaurante tem vários pratos de referência à sua escolha, desde os Bifinhos à Tia Arminda, o anho assado em forno a lenha, o cozido à portuguesa e o bacalhau. Casa que se encontra em funcionamento há mais de 20 anos, e que se encontra atualmente em atividade com restaurante, pizzaria, café e o renovado espaço da “Casa das Iscas”, onde se podem degustar petiscos da região.

19


RESTAURANTE

D’AURORA

Localização: Rua Montes Novos – Croca / Contactos: 255 735 167/ 967 366 588

Em Croca, também se confeciona lampreia com qualidade e este estabelecimento é uma evidência disso. Os dois compartimentos que constituem este restaurante com capacidade para albergar cerca de 200 pessoas tornam-no numa referência ao nível da organização de serviços de ‘catering’ para batizados ou comunhões e o Bacalhau à Aurora, a posta, a cabidela de frango caseiro ou o cabrito fazem o resto. A possibilidade de dispor de música ambiente em qualquer dia e a realização de sessões de música ao vivo aos sábados à noite são outras das marcas distintivas deste elegante e acolhedor restaurante de Croca.

RESTAURANTE

O PALADAR

Localização: Rua do Calvário – Boelhe / Contactos: 927 279 316/917 625 802 O representante da freguesia de Boelhe nesta Rota da Lampreia, iguaria na qual é uma das grandes referências do concelho ao nível da sua confeção. Não é apenas na lampreia que se esgotam os motivos de interesse para uma possível visita a este restaurante. A comida no forno a lenha (cabrito, lombo, vitela, bacalhau ou cozido à portuguesa) aos fins-de-semana, e o arroz de cabidela às quintas-feiras, são razões para que os apreciadores destes pratos façam uma visita a Boelhe. A organização de eventos é outro dos pontos fortes do restaurante, que para além da presença na Rota da Lampreia, já prepara, nos dias 8 e 10 de março, a celebração do Dia da Mulher, e as reservas para ambos os dias já podem ser efetuadas.

PENAFIEL MAGAZINE

20


PENAFIEL MAGAZINE

RESTAURANTE

RAMIRINHO II

Localização: Rua de Vila Verde – Marecos / Contactos: 255 725 314/ 912 839 120 Com portas abertas há mais de 60 anos, é um restaurante que dispensa grandes apresentações. Estabelecimento de referência na confeção de cozinha tradicional portuguesa, tem nos seus vários pratos de bacalhau, anho assado, cozido à portuguesa, vitela assada, tripas à moda do Porto, arroz de cabidela e costela mindinha, várias das atrações deste espaço emblemático do concelho, que também integra a Rota da Lampreia deste ano. O bom parque de estacionamento e o ambiente espaçoso e acolhedor tornam-no convidativo quer para acolher grandes eventos, quer para um convívio entre amigos.

RESTAURANTE

O SOUSA

Localização: Rua Central de Marecos / Contactos: 255 713 099/918 792 357 Recatado e com ambiente agradável e acolhedor, este restaurante beneficia de uma localização próxima à cidade de Penafiel o que, a par do anho e vitela assada, da costela mindinha ou do cozido à portuguesa, torna-o num local de visita interessante a qualquer apreciador de comida tradicional portuguesa. Além de um espaço constituído por duas salas, o restaurante dispõe ainda de um salão de festas e eventos, com capacidade para cerca de 300 pessoas.

21


“O facto de se ter criado abordagem pré-hospitalar do doente, salva imensas vidas” Centro Hospitalar do Tâmega e Sousa foi uma das unidades hospitalares que recebeu uma viatura nova da VMER texto Helena Barbosa

Foram entregues, a nível nacional, 22 novas viaturas VMER a 21 instituições hospitalares, resultado de uma parceria entre o Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM) e os Serviços Partilhados do Ministério da Saúde (SPMS), integrada no plano de revitalização do INEM traçado pelo Ministério da Saúde. Sustituindo a anterior viatura, com mais de 700 mil quilómetros, a nova Viatura Médica de Emergência e Reanimação (VMER) atribuída ao Centro Hospitalar do Tâmega e Sousa (CHTS) entrou, no dia 14 de dezembro do ano passado, em funções.

PENAFIEL MAGAZINE

22

A VMER é um veículo de intervenção pré-hospitalar destinado ao transporte rápido de uma equipa médica ao local onde se encontra o doente. Tem como funções a estabilização pré-hospitalar e o acompanhamento médico durante o transporte de vítimas de acidente ou doença súbita em situações de emergência. A avaliar pelos dados de 2017, em que a VMER – Vale do Sousa deu resposta a 2.750 situações de emergência médica, a necessidade deste equipamento era premente neste Centro Hospitalar, tendo em conta ainda a dimensão do território coberto pelo CHTS. “Este Centro Hospitalar é dos que cobre uma das maiores áreas geográficas a nível nacional e naturalmente que isso se reflete no trabalho da VMER. Temos uma cobertura geográfica de 12 concelhos, 4 distritos, e com alguma frequência, quase diária, a VMER tem que se deslocar para socorrer pessoas que estão a 40, 50 quilómetros do hospital”, explicou a diretora da urgência do Centro Hospitalar do Tâmega e Sousa, Carla Freitas. Com uma média de saída de sete vezes diárias (ultrapassando a média nacional de seis), a equipa da VMER é composta por dois elementos, um médico e um enfermeiro, que tem que acorrer a todo o tipo de situações. “Somos ativados, como todas as viaturas de emergência, pelo CODU e, portanto, sempre que ativa a equipa sai para o terreno procurando dar uma rápida e eficaz resposta à situação”, afirma a médica cirurgiã, ainda que, muitas vezes, a equipa esteja dependente de vários fatores alheios a si para obter sucesso. “São sempre situações de muito stresse, principalmente porque muitas vezes a equipa, por muita informação que seja dada pelo CODU, nem sempre essa informação é transmitida corretamente àquela entidade por quem relata a ocorrência e a equipa não sabe exatamente para o que vai”, explica Carla Freitas. O cenário encontrado nos locais da emergência representa também um factor que vai influenciar o


PENAFIEL MAGAZINE

trabalho destes profissionais. Por exemplo, explica a diretora, “a equipa pode ir socorrer uma criança que se engasgou e tem uma dificuldade respiratória com compromisso da via aérea. É das piores coisas que pode acontecer à equipa, pois encontram uns pais que estão em pânico. Uma situação que se for abordada rapidamente se resolve sem sequela nenhuma, mas que quando temos muita gente à volta perturba imenso o trabalho e dificulta-nos as atuações e põem em causa a vida da criança”. “Outra situação que é muito angustiante e bastante difícil para quem está no terreno são os acidentes”, continua a diretora. “Isto porque a multidão que fica a assistir perturba o trabalho, dificulta a chegada às vítimas. Se for um acidente com várias vítimas é preciso triar e perceber as prioridades em cada vítima, perceber qual o grau de urgência em cada uma. E isso quando há 20 ou 30 pessoas à volta em pânico não é fácil”. São situações graves e de risco de vida aquelas que, habitualmente, a VMER encontra. O trabalho depois faz-se a nível interno, com a equipa de emergência que, dentro de portas, encaminha o doente ou a vítima para as salas de atendimento , seja a sala de trauma, seja a de emergência. Apesar da paixão pelo que faz no serviço em que está, a diretora da urgência não esconde que as situações que aqueles profissionais vivem são tanto mais angustiantes quanto mais jovens foram os doentes. É por isso que Carla Freitas considera que as pessoas que trabalham nas viaturas de emergência médica, “seja aqui no hosptital seja noutra viatura, são pessoas muito especiais e por quem eu tenho a maior admiração”. “Lembro-me de um tiroteiro aqui perto, num bairro, que fez duas vítimas. As pessoas não se afastavam, colocando os profissionais de saúde em risco de vida também. Já aconteceu por diversas vezes o profissional ter que colocar a vítima dentro da ambulância, antes de começar a fazer qualquer procedimento médico, o que não deveria ser o procedimento imedito, para ele próprio não correr risco de vida. Já aconteceu também terem que vir escoltados pela polícia. Portanto, para trabalhar na emergência médica é preciso ter uma personalidade muito particular, ser alguém que tenha, para além dos conhecimentos técnicos que a atividade exige, um grande espírito de abnegação, muito altruísta e que pense sempre primeiro nos outros, senão não vai”.

“A grande maioria dos profissionais não ficam muitos anos a fazer VMER. De facto, é duro, é difícil, é angustiante, é stressante”

23

Uma realidade dura e difícil é aquilo que a equipa da VMER enfrenta todos os dias e, ainda que os profissionais estejam preparados para as situações e adversidades que possam encontrar, a diretora garante que “a grande maioria dos profissionais não ficam muitos anos a fazer VMER. De facto, é duro, é difícil, é angustiante, é stressante. Nós temos uma equipa que está sistematicamente a ser renovada e todos os anos nós tempos elementos novos a entrar para a equipa para substituir aqueles que saem”. Viagens que podem acabar com um acidente da viatura ou o local da ocorrência para onde vão que muitas vezes não é amistoso, são apenas algumas das condicionantes emocionais que os profissionais enfretam. As dificuldades que encontram na execução do seu trabalho são fruto,muitas vezes, de uma população desinformada e pouco ou nada orientada para colaborar com o profissional de saúde, com pressa de obter resultados, como se os médicos fizessem algum tipo de magia instantânea que curasse de imediato um doente. “As pessoas não entendem e não aceitam que nós precisamos de algumas horas para fazer um diagnóstico e para propôr um tratamento. E mais dificil é quando estamos na rua, ou dentro da casa de uma pessoa, onde quase não nos conseguimos mexer, onde uma maca não passa, quanto mais todo o material que implica uma reanimação”, diz. Apesar dos contratempos encontrados, o que é certo é que estas viatura salvam vidas todos os dias. “O facto de se ter criado abordagem pré-hospitalar do doente, salva imensas vidas”. Para além disso, Carla Freitas considera que houve uma grande evolução também noutros dispositivos de emergência, como o INEM e os Bombeiros. “Não nos podemos esquecer das SIV’s e do INEM, que todos os dias salvam vidas. Os corpos de bombeiros têm feito também muita formação. Também nos bombeiros nós notamos uma diferença muito grande de abordagem em relação ao que era no século passado. Há aqui uma evolução enorme e que nos permitiu diminuir e muito a mortalidade pré-hospitalar e mesmo intra-hospitalar, uma vez que os doentes graves chegam cá já muito mais estáveis do que chegavam no início da década de 90”, conclui a diretora.


Águias de Santa Marta é campeão distrital de futsal feminino O Águias de Santa Marta é o novo campeão da 1ª Divisão Distrital de futsal feminino. A vitória por quatro bolas a três, obtida no passado fim-de-semana frente ao Barranha, foi o culminar de mais uma temporada de sucesso, marcada pela conquista de 14 triunfos em 15 jornadas, numa altura em que faltam disputar três jornadas para o fim. Depois de, no dia 27 de janeiro, a equipa de Santa Marta ter saído vencedora do dérbi frente ao Estrelas de Rio Mau, o triunfo frente ao Barranha veio confirmar uma subida que já se adivinhava há algum tempo. Diana Sousa, jogadora do Águias de Santa Marta, explica o sucesso desportivo de uma equipa que conquistou, em dois anos consecutivos, os títulos das duas divisões distritais de futsal feminino. “O que explica este sucesso registado em dois escalões competitivos diferentes é o facto de termos um bom grupo. Tratam-se de jogadoras com muita qualidade individual, que quando trabalham em equipa, marcam claramente a diferença para as adversárias. Quando não estamos tão bem como equipa, existe sempre o valor individual que sobressai e que compensa esse tipo de situações”. Na mesma linha de pensamento da sua atleta segue o treinador Sérgio Vieira, que enaltece a qualidade e valia do plantel que tem à sua disposição. “O domínio do Águias de Santa Marta no futsal feminino distrital deve-se, sobretudo, ao grupo. Trata-se de uma equipa unida, com atletas que jogam juntas há alguns anos e às quais se juntaram para esta temporada três ou quatro aquisições que potenciaram ainda mais a qualidade existente. Além do mais, é um grupo que trabalha afincadamente e joga com amor à camisola e quando se juntam todos estes fatores, as coisas têm tendência a correr sempre bem. Aliás, a primeira coisa de que me apercebi quando aqui cheguei era a de que a qualidade da equipa era muita, o que me colocou como os grandes desafios do trabalho a realizar a capacidade de motivar o grupo para os jogos, numa época em que o objetivo era atingir o primeiro lugar. Posto isto, a resposta da equipa tem sido muito positiva e o grupo tem-se revelado muito forte ao longo da temporada”, referiu, mostrando-se confiante quanto à qualidade das prestações futuras da equipa no campeonato nacional. “A equipa está preparada para se adaptar a um contexto competitivo de maior exigência, nomeadamente de nível nacional, até porque temos algumas jogadoras no plantel que já estiveram no patamar mais elevado do futsal feminino nacional. Acredito que quando lá chegarmos vamos dar uma resposta positiva em competição, no sentido de tornar este clube mais conhecido a nível nacional e reforçar o respeito que já se sente por esta coletividade”. Por sua vez, o presidente Adão Sousa explicou a forma como se foi construindo toda uma estrutura de sucesso no plano competitivo. “Creio que este domínio está associado à forma como construímos esta ‘família do futsal’. O Águias de Santa Marta é muito mais do que uma equipa de futsal. É uma família. Quando acabamos os jogos, e contrariamente ao que acontece na grande maioria das equipas, vamos conviver juntamente com alguns amigos da Direção, confraternizar e a analisar os jogos realizados. É igualmente de realçar o esforço que a Direção tem feito no

PENAFIEL MAGAZINE

24

de empresas e entidades que já fazem um esforço muito grande para ajudar. No âmbito da participação nas provas da Associação de Futebol do Porto (AFP), o orçamento tem sido composto basicamente por mim e a minha família, porque senão seria impossível fazer o que fazemos com as atletas, nomeadamente os lanches, os jantares ou despesas com combustível. Em relação ao futuro, o investimento requerido para a participação em provas nacionais assusta um bocado e vamos ter que nos sentar novamente com quem de direito, a fim de perceber se poderá haver um apoio maior, que permita enfrentar uma futura época nas provas nacionais. Para o caso de tal apoio não ser possível, o cenário futuro tornar-se-á mais complicado”, avisou. Líder com 42 pontos e qualificada para a Taça Nacional, a equipa do Águias de Santa Marta tem ainda três jogos do campeonato pela frente, com deslocações aos pavilhões do Citânia de Sanfins, no dia 7 de fevereiro e do Alfenense, a 24, bem como uma receção ao Juventude de Gaia, no dia 17.

âmbito financeiro, porque não apenas o treinador como algumas das jogadoras são de fora do concelho, o que nos leva a uma despesa acentuada. Mas esta estrutura tem que se organizar e preparar, no sentido de garantir que haja uma equipa de futsal no concelho de Penafiel que se destaque, com o intuito de marcar presença no campeonato nacional. Representar Penafiel de forma condigna tem sido a principal missão deste clube e, de facto, esta equipa tem honrado o lema ‘Sentir Penafiel’ em todos os pavilhões onde jogamos, colocando o concelho associado a uma equipa campeã de futsal”. O presidente não deixou, porém, de manifestar os seus receios quanto às exigências financeiras e logísticas associadas à participação nos campeonatos nacionais, admitindo a necessidade de angariação de apoios maiores que viabilizem a presença do Águias de Santa Marta no degrau mais alto do futsal feminino nacional. “No passado já fomos campeões distritais, mas fomos multados pela Federação Portuguesa de Futebol (FPF) por não termos inscrito a equipa, porque preparar uma época no campeonato nacional requer uma grande capacidade financeira e os patrocínios que temos, para além de não suportarem esse tipo de despesas, provêm


PENAFIEL MAGAZINE

25

ESTRELAS DE RIO MAU perto da manutenção Quem também está perto de concretizar os seus objetivos para a época é o Estrelas de Rio Mau, que também representa o concelho de Penafiel na 1ª Divisão Distrital de futsal feminino. Numa temporada em que a equipa terminou a 15ª jornada do campeonato em nono lugar, com 12 pontos, a manutenção no escalão maior do futsal feminino distrital será o resultado de um projeto desportivo assente na estabilidade da sua estrutura. “Somos a única equipa que, desde que iniciou o seu projeto de futsal feminino, nunca mais o interrompeu. Somos nesta modalidade um clube de participação regular, com altos e baixos evidentemente, mas com um permanente espírito de união, garra, dedicação e espírito de sacrifício, com pessoas que fazem muitos quilómetros para servir o clube e cumprir a sua função. E estamos a falar igualmente de pessoas que se comprometem de tal maneira, que algumas das jogadoras e elementos da equipa técnica fazem parte dos próprios órgãos sociais do clube. Este envolvimento coletivo e forte é a base de um projeto de continuidade, assente na aposta em atletas jovens e com maior margem de progressão”, refere Agostinho Barros. O presidente do clube que tem o futsal como modalidade de referência e a promoção da prática desportiva entre os jovens da freguesia e do sul do concelho como principal missão, considera que a construção do pavilhão pode potenciar ainda mais a modalidade. “O projeto de construção do pavilhão já está concluído e tudo indica que a obra vai avançar no decurso do presente mandato autárquico. Além da proximidade das nossas equipas em relação ao local de treino, o apoio do público seria com certeza maior. É um equipamento que será com certeza uma mais-valia no âmbito da promo-

ção do desporto na nossa freguesia, e em particular no futsal. Nesta modalidade temos mostrado algum trabalho, traduzido numa primeira fase em boas prestações no campeonato amador, seguidas de uma subida de divisão e a conquista da taça distrital. Contudo, a nossa grande pretensão é promover o desporto na juventude. É certo que todos querem e gostam de ganhar, mas o mais importante é garantir que os jovens da freguesia de Rio Mau e das outras freguesias do sul do concelho possam usufruir da prática desportiva, tanto de futsal, como de outras modalidades que, entretanto, possam surgir. Somos a única coletividade desportiva do concelho de Penafiel que é considerada uma associação juvenil e para que tal aconteça temos de estabelecer certos requisitos, como o de fomentar o desporto e apoiar a juventude. Para sermos um clube de referência neste aspeto, não precisamos necessariamente de obter sempre boas classificações e resultados desportivos, mas sim de promover modalidades desportivas integradoras dos jovens da nossa freguesia e estando sempre de portas abertas para acolher os das freguesias vizinhas”, assumiu.

Rosa Madureira é campeã nacional de maratona A atleta do FC Penafiel, Rosa Madureira, é campeã nacional de maratona. O título foi obtido na Maratona do Funchal, realizada no passado dia 28 de janeiro, e no qual a “rubro-negra” concluiu a prova de 42,195 km em 2 horas, 51 minutos e 23 segundos, sendo seguida no pódio pela segunda classificada Manuela Machado (Clube Cyclones Sanitop) e por Mónica Ferreira (Chaves Running Team – Associação Desportiva Dragões de Chaves), que foi terceira. Participou ainda na maratona em representação do Penafiel na vertente feminina, Júlia Conceição, nona da geral e quinta no Campeonato de Portugal. Nos homens, o campeão nacional de maratona foi Élvio Silva, do Clube de Atletismo do Funchal, numa prova em que o Penafiel teve dois atletas entre os três primeiros classificados do Campeonato

de Portugal, mais concretamente Mark Macedo, segundo classificado com um tempo de 2 horas, 53 minutos e 55 segundos e Manuel Bessa, terceiro com o tempo de 2 horas, 55 minutos e 21 segundos. Aires Sousa foi o outro representante masculino do clube na maratona. PUB


RIO DE MOINHOS “escorrega” em casa. SÃO VICENTE DO PINHEIRO goleia na 2ª Divisão Distrital

A realizar uma época tranquila na Série 2 da Divisão de Honra da AF Porto, o Rio de Moinhos foi derrotado, no último fim-de-semana, diante do Felgueiras B (1-2). Depois de três jornadas consecutivas sem derrotas, e em que levou de vencida as formações do Gens (3-1) e do Ataense (1-0), e empatou diante do Nogueirense a uma bola, a equipa penafidelense manteve-se, no entanto, na sexta posição, com 29 pontos. Para o mês de fevereiro, o Rio de Moinhos tem ainda agendada a deslocação a casa do líder Vila Caiz, no dia 18 de fevereiro, seguida de um novo jogo em casa a 25 deste mês, diante do Alfenense.

Rans homenageia com vitória presidente José Coelho Foi uma semana muito dolorosa aquela que viveu o Grupo Recreativo e Desportivo de Rans, por força do falecimento de José Ribeiro Coelho, presidente do clube. Na sequência desta perda sofrida pela coletividade, a reação da equipa dentro de campo não podia ter sido melhor. O triunfo por duas bolas a zero diante do Águias de Galegos valeu muito mais do que três pontos, constituindo-se como uma homenagem ao presidente falecido. Além deste encontro da 12ª jornada, a primeira do mês de fevereiro, é de referir que a folga do Boelhe reaproximou as equipas do Cabeça Santa e do Irivo da liderança da classificação. A equipa orientada por Miguel Soares goleou em casa o Portela do Monte por quatro golos sem resposta, ao passo que o Irivo derrotou o Valpedre (4-2). Nos restantes encontros da jornada, o Ribas venceu o Cruzeiro (3-2) e Figueira e Ordins empataram sem golos. Lidera o campeonato o Boelhe com 23 pontos, seguido do Cabeça Santa, com 22 e do Irivo, na terceira posição, com 21. O Portela do Monte é quarto, com 18 pontos, o quinto é o Ordins, com 17, os sextos são o Águias de Galegos e o Cruzeiro, com 16, o oitavo é o Rans, com 13, o Ribas é nono, com 10, o décimo é o Figueira, com sete e o Valpedre é último, com quatro pontos.

PENAFIEL MAGAZINE

26

Em relação à campanha das equipas penafidelenses na Série 2 da 2ª Divisão Distrital, o destaque vai para a goleada aplicada pelo São Vicente do Pinheiro ao 1º Maio Figueiró, por cinco golos sem resposta, numa 17ª jornada em que o Calçada de Oldrões perdeu frente ao Codessos (0-2) e o Croca foi batido pelo Lixa B (0-4). Na tabela classificativa, o São Vicente do Pinheiro surge como a melhor classificada das equipas do concelho no nono lugar, com 26 pontos, o Calçada de Oldrões é 13º, com 17 pontos e o Croca é último, não tendo ainda pontuado para o campeonato.

Equipas penafidelenses conhecem adversários nas segundas fases das provas da FFPN Decorreu, no passado dia 3 de fevereiro, o sorteio das segundas fases quer da Taça dos Campeões, quer da Taça da Federação, provas organizadas pela Federação de Futebol Popular do Norte (FFPN) em que estão envolvidas equipas do concelho de Penafiel. Na segunda fase da Taça dos Campeões, o sorteio ditou a colocação do Cabeça Santa na Série A, juntamente com as equipas do Tarrio, Tagilde e Montesinhos. O Boelhe ficou integrado na Série B, onde terá pela frente as formações do Santa Cristina, Águias de Figueiras e UFC Sousa. Em relação à segunda fase da Taça da Federação, o Portela do Monte ficou integrado na Série A com o Cristelos, o Aveleda e o Areias, enquanto que o Irivo vai disputar a Série B com as formações do Abação, Ínfias e Touguinha. A primeira jornada está agendada para o dia 17 de fevereiro.


PENAFIEL MAGAZINE

27

FC Penafiel em posição de subida. Equipa B em zona de despromoção

Se a Ledman LigaPro tivesse terminado no passado fim-de-semana, o Penafiel carimbaria a subida de divisão. Depois de uma receção vitoriosa ao FC Porto B, graças ao golo apontado por Gustavo Costa, o empate dos ‘rubro-negros’ em casa do Braga B a zero bolas coloca a equipa orientada por Armando Evangelista na terceira posição com 37 pontos, numa altura em que estão decorridas 23 jornadas. Ora, uma vez que o líder do campeonato FC Porto B não pode subir à Primeira Liga, pode dizer-se que, neste momento, o Penafiel está em lugar de subida juntamente com a Académica, que é segunda classificada com 40 pontos. Para o mês de fevereiro, o Penafiel tem agendado para o dia 10 de fevereiro (sábado) o jogo em casa frente ao Varzim, a partir das 11h15, a deslocação ao terreno do Cova da Piedade, no dia 18 e um novo encontro no seu estádio frente ao Real, no dia 25. A equipa B encontra-se, por sua vez, numa situação mais complicada na tabela classificativa, onde aparece em lugar de despromoção, mais concretamente na 15ª posição, com 13 pontos. Depois de ter vencido na deslocação ao terreno do Folgosa da

Maia (2-1), os «bês» iniciaram o mês de fevereiro com uma derrota na receção ao Sobrado (0-1). Para este mês, o Penafiel B jogará ainda no dia 18 em casa do São Pedro da Cova e volta a jogar em casa, no dia 25, frente ao Baião. Falando ainda das camadas jovens, e numa época em que o clube participa com três escalões nos campeonatos nacionais, os Juniores terminaram a participação na Série B da 2ª Divisão Nacional da categoria no terceiro lugar, com 33 pontos. A derrota caseira na última jornada frente ao Espinho (1-2) atirou os ‘rubro-negros’ para a disputa do «play-off» de despromoção, no qual procurarão garantir a manutenção. É precisamente a lutar pela manutenção que se encontram as equipas de Juvenis e Iniciados. Os Juvenis, que foram 11ºs na Série A da primeira fase do campeonato, encontram-se ao fim de nove jornadas no quinto lugar da Série A da fase de manutenção, com 15 pontos e em lugar de descida. Os Iniciados, depois de um 12º lugar na Série B da primeira fase do Nacional, amealharam para já 12 pontos em nove rondas, que valem à equipa o quinto lugar, fora da zona de despromoção. PUB


ALBERTO SOUSA vence Campeonato Individual de Boccia Sénior do Vale do Sousa texto Gonçalo Novais

Primeiro classificado Alberto Sousa

O Pavilhão Desportivo Municipal de Rio de Moinhos acolheu, no passado dia 30 de janeiro, o Campeonato Individual de Boccia Sénior do Vale do Sousa, competição em que o pódio ficou entregue na totalidade a atletas penafidelenses. Alberto Sousa, em representação da Junta de Freguesia de Canelas, foi o grande vencedor e confessou a sua satisfação pelo troféu alcançado. “Estou muito contente por esta vitória, até porque a título individual ainda não tinha ganho nada, somente por equipas. Confesso que não estava propriamente à espera de ganhar, apesar de a minha chegada à final não me ter surpreendido, pese embora a determinada altura pensar que poderia ter de parar por lesão. Mas acabei por conquistar na mesma o primeiro lugar na

PENAFIEL MAGAZINE

28

prova, diante de um adversário que é meu colega de instituição”, referiu o primeiro classificado, que treina duas vezes por semana para se preparar para a competição. Adão Vieira, que é curiosamente presidente da Junta de Freguesia de Canelas, foi o segundo classificado de uma prova onde avaliou positivamente a sua prestação. “Em relação à minha prestação, posso dizer que durante toda a competição não tive grande dificuldade em derrotar os meus adversários, até que nesta final descontraí ao máximo, porque como se tratava de um colega de equipa, era indiferente ganhar eu ou ele. Isto sem prejuízo de que, quando entramos numa competição, levamos as coisas mesmo a sério, entramos mesmo para ganhar. Não é por acaso que, em três anos, já nos

sagrámos campeões nacionais de boccia por duas ocasiões. De referir que, além de praticante, também sou presidente da Junta de Freguesia de Canelas, e o meu envolvimento com o boccia também advém deste projeto de desenvolvimento da modalidade que foi apresentado e é apoiado pela entidade que presido e que se constitui como uma mais-valia para a nossa comunidade. Tanto que ao nível dos títulos alcançados, sejam regionais ou nacionais, somos a equipa de referência da nossa freguesia. Contudo, a ausência de um espaço de demonstração do que fazemos retira-nos visibilidade na freguesia, que inclusivamente desconhece, em certa medida, a modalidade. A construção de um espaço condigno a ser construído nos próximos anos vai possibilitar a resolução desta situação”, sublinhou.


PENAFIEL MAGAZINE

Em terceiro lugar terminou António Moreira, atleta da Associação de Solidariedade Social de Vila Cova, que não escondeu o seu contentamento com o lugar no pódio que alcançou. “Sinto-me muito feliz por ter chegado ao terceiro lugar, ainda para mais porque não estava à espera de o conseguir, uma vez que nos últimos tempos não tive a oportunidade de treinar muito. Já sou praticante da modalidade há quatro anos e desde então já participei em provas em Resende, Castelo de Paiva, Lordelo ou Baião. Nestas competições, a parte desportiva e o convívio são aspetos muito importantes na nossa participação, sendo que, se é verdade que gostamos de ganhar, também não nego que estamos já numa idade em que temos alguma dificuldade de perceber se, em próximas competições, conseguiremos registar igualmente boas prestações. De referir que recebemos bastante apoio por parte das pessoas da nossa freguesia, que ficam muito satisfeitas quando nos vêm a levar um troféu. Este terceiro lugar vai ser, portanto, mais um motivo de alegria para eles”, declarou. Em declarações à comunicação social, o vereador com o pelouro do Desporto, Pedro Santana Cepeda, enalteceu a importância do boccia na conciliação da competição desportiva com o convívio social promovido entre os participantes, numa modalidade que refere como estando a crescer no concelho de Penafiel. “O número de praticantes seniores de boccia no nosso concelho tem vindo a crescer, através de um programa que a Câmara Municipal de Penafiel desenvolve junto das IPSS’s, que basicamente afeta um técnico municipal a estas instituições onde os idosos passam o dia, para transmitir tanto as regras do jogo como os regulamentos competitivos desta modalidade, e que felizmente tem levado à manifestação, por parte de muitas associações, de verem alargado até às mesmas este programa, daí o aumento do número de praticantes e a obtenção de excelentes resultados a nível regional e nacional. Este programa é muito interessante ao nível da conciliação entre o desporto e a promoção do convívio e socialização da população mais sénior, até por força das várias associações presentes”, referiu o vereador, que destacou igualmente a preocupação do Município em zelar pela promoção da qualidade de vida da população sénior do concelho de Penafiel. “A Câmara Municipal de Penafiel tem uma preocupação inter-geracional orientada desde os mais jovens aos mais experientes

29

“Este programa é muito interessante ao nível da conciliação entre o desporto e a promoção do convívio e socialização da população mais sénior até por força das várias associações presentes”

Pedro Cepeda, Vereador do Desporto - CM Penafiel

Segundo classificado - Adão Vieira

e apesar de o nosso concelho registar, dentro do panorama nacional, uma taxa de envelhecimento muito baixa, na qual a população jovem é quase o dobro da sénior, olhamos naturalmente para os nossos seniores com muito cuidado e atenção, no sentido de lhes proporcionar as melhores condições de vida, bem como este processo de envelhecimento ativo e participação nas dinâmicas sociais e desportivas do nosso concelho”, concluiu. O Campeonato Individual de Boccia Sénior do Vale do Sousa registou a participação de 150 atletas, em representação de 16 associações, clubes e IPSS’s da região.

António Moreira - terceiro classificado

PUB


Equipa de Masters do AD PENAFIEL chega ao pódio na Maia

A equipa de natação de Masters da Associação Desportiva de Penafiel atingiu o pódio no XVIII Torneio Internacional Cidade da Maia, prova realizada no dia 13 de janeiro, no Complexo Municipal de Piscinas de Águas Santas. Numa prova em que o Fluvial Portuense terminou na primeira posição com 1161 pontos, e o Leixões foi segundo com 707, o AD Penafiel obteve o terceiro posto, com 537 pontos. Muito contribuiu para este desfecho a obtenção de vários resultados de destaque registados pelos nadadores penafidelenses. Nos 100 metros costas, Christophe Ferreira (escalão E) e Ana Moreira (escalão H)

foram primeiros, António Costa (escalão E) foi segundo e Aníbal Costa (escalão C), Hélder Rocha (escalão B) e Inês Esteves (escalão A) terminaram na terceira posição. Nos 100 metros bruços, registaram-se segundos lugares para Fábio Madureira e Ana Ferreira (ambos do escalão A) e um terceiro lugar para Inês Silva (escalão A). Nos 100 metros livres, Pedro Moreira (escalão B) e Ana Moreira (escalão H) foram primeiros, Urbino Santos (escalão D) segundo, e Inês Esteves (escalão A) terceira na respetiva categoria competitiva. Em 100 metros mariposa, Fábio Madureira (escalão

Sub-17 do HÓQUEI CLUBE DE PENAFIEL terminam distrital em quarto lugar A equipa A do escalão de Sub-17 do Hóquei Clube de Penafiel terminou o campeonato distrital na quarta posição. A campanha penafidelense na «final-four» realizada no Pavilhão Municipal de Fânzeres ficou marcada por desaires contra o FC Porto (0-2) e o OC Barcelos (1-4) e segue-se agora a participação no campeonato nacional, onde o HC Penafiel está integrado na Zona Norte B com Aveiro. Neste escalão, a equipa B do HC Penafiel ficou em 13º, derrotando no último encontro o CH Carvalhos (2-0). Também nos Nacionais estão os Sub-13, que asseguraram o quinto lugar final do campeonato distrital na sequência de um triunfo frente ao Gulpilhares (5-2). Segue-se a participação na Zona Norte B com Aveiro. Quanto à equipa B, ficou em 14º lugar, tendo sido derrotada no último jogo frente ao AA Espinho (1-7). Por fim, os Sub-15 concluíram o campeonato distrital da categoria na 11ª posição, graças ao triunfo sobre o HC Paço de Rei (4-2).

PENAFIEL MAGAZINE

30

A) obteve o terceiro lugar, na prova de 100 metros estilos, Cesário Magalhães (escalão C) foi segundo e, por fim, na prova de 400 metros livres, Urbino Santos (escalão D) alcançou um novo segundo posto para os penafidelenses. Também presente na mesma competição esteve a equipa da categoria de Absolutos, em que Tomás Pereira conseguiu os mínimos para o campeonato zonal ao nadar os 200 metros costas em 2 minutos, 38 segundos e 29 centésimos, e a nadadora Ana Magalhães obteve a melhor percentagem de evolução, na circunstância de 107%.

PUB


PENAFIEL MAGAZINE

31

Vítor Santos e Ana Vigário vencem classe de Elite no OPEN SENTIR PENAFIEL em Ciclocrosse Fotos Vírginia Rodrigues

Vítor Santos (Quinta das Arcas/Jetclass/Xarão) e Ana Vigário (Sporting/Tavira) sagraram-se os campeões nas classes de Elite masculina e feminina, respetivamente, na sequência da terceira e última prova do Open Sentir Penafiel em Ciclocrosse, realizada em Castelões no passado dia 28 de janeiro. O penafidelense, que esta época venceu a Taça de Portugal e se sagrou vice-campeão nacional de ciclocrosse, acabaria a prova de Castelões no segundo lugar, apenas atrás de Márcio Barbosa (Aviludo Louletano) e num pódio completado por Nuno Oliveira (Vasconha BTT/Vouzela Maia). Contudo, os 140 pontos obtidos no total das três provas deram a Vítor Santos o primeiro lugar da prova. Por sua vez, Ana Vigário obteve o segundo lugar numa prova ganha por Isabel Caetano, e em que a terceira foi Cecília Araújo. Graças aos 160 pontos obtidos nas três provas do campeonato, a ciclista do Sporting/Tavira sagrou-se vencedora do Open. Nas demais categorias, e começando pelos Juniores Masculinos, Ricardo Pereira (ASC/Focus Team- Vila do Conde) venceu quer a geral, quer a prova de Castelões, na qual apareceu como único competidor na sua classe competitiva. Jessica Costa (ASC/Focus Team- Vila do Conde) não precisou de aparecer em Castelões para confirmar a sua vitória final, numa categoria que não teve representantes nesta última etapa. Em Juvenis Masculinos/Femininos, a vitória em Castelões sorriu a Tomás Carvalho (Maiatos/Reabnorte), que também terminou no primeiro lugar da geral, com 180 pontos. Destaque nesta categoria para as boas prestações dos atletas da Escola BTT IdealKorpus/Penafiel Bike Clube, com Simão Rocha a ser segundo em Castelões, Tomás Gaspar, quarto e João Nogueira, quinto. Passando para os Cadetes, João Cruz (ASC/Focus Team- Vila do Conde)

venceu a terceira prova e a geral da tabela classificativa com 134 pontos e com 120 pontos a sua colega de equipa, Ana Santos, foi a campeã em Cadetes Femininos. Nas diversas categorias competitivas relativas à classe Master, a classificação feminina do Open terminou liderada por Marina Leitão (Vasconha BTT/Vouzela), com 180 pontos e primeiros lugares nas três provas realizadas. O penafidelense Rogério Matos (Rompe Trilhos-APCar) venceu quer a prova de Castelões quer o Open, com 160 pontos em Master 30, Hugo Moreira foi o campeão da classe Master 40 com o “pleno” de vitórias nas três provas e por fim Mario Solla (Club Ciclista Padronés Cortizo- Anova) conquistou o triunfo em Castelões que o ajudou a carimbar o primeiro lugar da geral no Open, com 160 pontos, numa classe em que Eduardo Vieira (Escola BTT IdealKorpus/Penafiel Bike Clube) terminou no quinto lugar, com 52 pontos.

Merenguita com 12 pódios e quatro primeiros lugares em Ermesinde Doze pódios e quatro primeiros lugares. Foi este o desfecho da participação da Merenguita de Penafiel no passado dia 27 de janeiro na prova do campeonato realizada em Ermesinde, na qual os penafidelenses apareceram com 10 pares de competição. Em relação aos primeiros lugares, os mesmos foram obtidos pelos pares João e Bárbara (vitória em todas as danças na categoria Amadores Mo-

dernas), Hugo Romano e Carla Pinto (vitória em todas as danças na classe Senior Championship Latinas), Luís e Inês (Juniores Novice A Modernas, com triunfos em todas as danças), e Miguel e Mariana na categoria de Juniores Novice B Modernas. Além destas vitórias, registaram-se ainda as segundas posições dos pares Diogo e Rita (Adultos Intermédios Latinas), Hugo Romano e Carla Pinto (Juventude, Adultos, Seniores Modernas), Luís e Inês (Juniores Novice B Latinas) e André e Joana (Juniores Novice B Latinas) e ainda os terceiros lugares de Jorge e Inês (Juniores Novice B Modernas), José Júlio e Manuela (Ad/Senior Novice B Modernas), Diogo e Rita (Juv/Adultos/Sen Modernas) e Manuel e Tânia (Juniores e Intermédios Modernas). PUB


Penafiel Magazine Fevereiro 2018  
Penafiel Magazine Fevereiro 2018  
Advertisement