Issuu on Google+

Ano I • Número 2 • maio/2011 www.peloproximo.com.br

A demência e a doença de Alzheimer Os benefícios da terapia assistida por animais no tratamento da doença SP lança programa pioneiro de Cão-Guia no país

Toxoplasmose, polêmica global

Feira de adoção em Nova Friburgo A demência é uma síndrome caracterizada pelo declínio global e progressivo das funções cognitivas. Caracterizando-se também por déficits cognitivos em múltiplas esferas não associados, necessariamente, com o prejuízo da consciência. O quadro é, geralmente de natureza crônica e progressiva, e sua evolução interfere sensivelmente com as atividades pessoais, sociais e de trabalho desses pacientes. Todas as demências têm em comum um grave prejuízo na habilidade de aprender novas informações (Brandt e Rich,1995).

(...) Envelhecer pressupõe alterações físicas, psicológicas e sociais no indivíduo. Tais alterações são naturais e gradativas.

Seu cão é agressivo? Veja as dicas

1º Mutirão no Abrigo João Rosa foi um sucesso Nise Silveira, a precursora da Pet Terapia no Brasil


Ano I • Número 2 • maio/2011 www.peloproximo.com.br

Editorial Caros leitores, A edição deste mês está recheada de novidades. No 2º número do jornal, abordaremos o tema Demência e Alzheimer e os benefícios da terapia assistida por animais no tratamento da doença com a assistente social Rita de Cássia da Associação Brasileira de Alzheimer. Uma matéria especial sobre mitos e verdades da castração, o programa pioneiro de Cão Guia lançado este mês em São Paulo e vai conhecer a brasileira precursora da pet terapia no Brasil.mmmmmmmmmmmmm Na coluna Direito Animal, a Dra. Andréa Lambert traz informações sobre a polêmica da toxoplasmose muito discutida nos últimos dias e esclarece a sua forma de contágio. Teremos também uma seção de dicas de primeiros socorros que você poderá aplicar no seu animal de estimação em uma situação emergencial.mmmmmmmmmm Os outros destaques, ficam por conta do mutirão realizado em prol do Abrigo João

Rosa para os nossos amados anjos de quatro patas e a Feira de Adoção do Projeto AmiCão AmiCat realizada em Nova Friburgo com os cães e gatos resgatados em parceria com o Pêlo Próximo.mmmmmmmmmmm E, por fim, saberão um pouco mais sobre o programa de rádio "Sempre Pelos Animais", comandado pela nossa amiga Luisa Nóbrega.mmmmmmmmmmmmmmmm Tenho certeza de que todos irão adorar! Roberta Araujo Coordenadora Geral do Projeto Pêlo Próximo

Editorial ROBERTA ARAÚJO - COORDENADORA DO PROJETO PÊLO PRÓXIMO

Expediente Diretora Executiva - Roberta Araújo Divulgação e Textos: House Clipping Email: pauta@peloproximo.com.br Tel: (21) 9622-8392 Colaboradores: Renata Leivas - veterinária Elaine Natal - Comportamentalista Andrea Lambert - Veterinária Luciana Pellagaggi - Terapeuta Ocupacional Luciana Botelho - Fotógrafa Designer e Diagramação: Fernanda Bitencourt.

02


Cantinho da

Adoção

Esse espaço será reservado para adoção e apadrinhamento de cães e gatos. Se você tiver um animal precisando de um lar, entre em contato conosco pelo email peloproximo@gmail.com, envie uma foto e as características do animal. Abaixo, seguem alguns cães resgatados pelo Projeto Amicão & Amicat, na enchente de Nova Friburgo que precisam de um lar. Quem quiser apadrinhar um deles, pode visitar o site do www.amicaoamicat.com.br

Clemente: foi abandonado pelo dono amarrado em uma árvore, em Friburgo. Encontramos ele muito estressado e assustado por ter sido abandonado nessas condições, mas hoje adora interagir com as pessoas. É um bom cão de guarda, ágil, e alegre, e convive bem com outros animais.

Pingo: veio do Rio, pra ficar com a gente até achar uma família, pois seu antigo dono o abandonou quando se mudou da casa onde moravam. Ele ficou sozinho e abandonado É um cão muito carente, alegre e brincalhão.

Toddynho: foi abandonado e encontrado com uma bicheira enorme, que estava tomando conta de suas costas, passou por um tratamento longo e agora está totalmente curado e a ferida cicatrizada. Está pronto para adoção, se dá bem com outros animais, é tranquilo e gosta muito de carinho.

Rex amarelo: mais uma vítima das enchentes. Sua casa caiu, e quem se salvou foi embora, deixando ele na casa sozinho. Hoje é um cão alegre, carinhoso, que adora a companhia das pessoas e faz amigos com facilidade.

CONTATOS: Site: www.amicaoamicat.com.br email : amicaoamicat@gmail.com Celular 22-9212-6756/9289-5352

Coluna Eu e meu dono Vencedora da Promoção “Qual a maior travessura que seu cão aprontou ?” A leitora Bruna Oliva, de Muriaé, Minas Gerais, foi a vencedora da promoção “Qual a maior travessura que seu cão aprontou ?”. Ela receberá em sua casa o Livro “Como Treinar um Supercão” da Editora Alta Books. Parabéns para as duas! Ao lado, publicamos a travessura da sua cadelinha Baby.

“No ano de 2006 (não me lembro o mês ao certo, muito menos o dia, rs), estávamos com visitas em casa e minha mãe deixou um bolo em cima da mesa. Durante todo o dia a Baby ficou rodeando o bolo, mas como as cadeiras não permitiam o acesso dela à mesa, ficamos despreocupados”. Então fomos à missa e quando chegamos em casa, cadê o bolo? Uma cadeira estava um pouco afastada e a fôrma, a qual estava o bolo, tinha apenas alguns farelos. E a Baby? Estava debaixo da cama, toda estirada, com a barriga imensa! Tentava se levantar, mas nem conseguia, coitadinha... rs. Inicialmente ficamos preocupados, mas logo ela se recuperou e voltou a ser a mesma Baby de sempre. O que era para ser uma bronca acabou sendo motivo para muitas risadas.”

na Bru

nce y ve b a eB

ção omo r p s da dora

03


Ano I • Número 2 • maio/2011 www.peloproximo.com.br

Primeiros socorros para o seu melhor amigo É importante saber o que fazer, no caso de seu cão ficar doente ou envolver-se em um acidente. Veja aqui bons conselhos para lidar com problemas como envenenamento, cortes nas patas e diarréia. As informações abaixo ajudarão você nos primeiros socorros em seu cão em um caso de uma emergência. O texto é apenas um guia - peça sempre conselhos veterinários Acidentes Você pode ver o ocorrido ou seu cão pode retornar machucado. De qualquer maneira, afaste seu cão do local do acidente para evitar que se machuque mais. Mantenha o cão o mais quieto e confortável possível. Se necessário mantenha-o preso. Se houver ferimentos óbvios, sangramento, faça pressão nestes pontos com uma atadura ou pano limpo. Chame o veterinário o mais rápido possível. Corte na pata Pode ocorrer um sangramento repentino devido a um caco de vidro ou outro objeto pontiagudo quando andando na praia ou fora de casa. Se houver muito sangramento, enrole a pata em gaze ou em um pano limpo e faça pressão com esparadrapo. Leve seu cão ao veterinário para que receba tratamento apropriado. Nunca use elástico ou torniquete nos membros, especialmente por períodos prolongados (acima de 15 minutos). Olho ferido Procure cuidadosamente por qualquer corpo estranho, como uma semente de grama. O veterinário deve remover qualquer corpo estranho perfurante cuidadosamente sob anestesia geral, pois podem facilmente penetrar mais. Evite que o cão coce o olho afetado com as patas ou esfregue nos móveis e leve-o ao veterinário para ser examinado e tratado. Se o olho estiver seriamente machucado, cubra-o com gaze umedecida e leve o cão ao veterinário imediatamente. Vômito Você não deve se preocupar caso seu cão vomite ocasionalmente, isso é normal. O fato dele vomitar muitas vezes em um período curto de tempo é razão para preocupação ou se parecer não estar se sentindo bem. Se parecer bem, você pode tentar tratá-lo em casa. Não dê alimento por 12 horas e apenas ofereça pequenas quantidades de água. Depois de descansar o estômago, você deve

oferecer refeições pequenas e leves por um dia e depois ir gradualmente retornando a dieta normal. Se seu cão não melhorar, continuar vomitando ou parecer não estar bem, você deve entrar em contato com o veterinário. Anote como e o que ele vomitou para poder descrever para o veterinário. Colete um pouco do vômito em uma vasilha para que o veterinário possa examiná-lo. Não alimente seu animal de estimação e peça conselhos ao veterinário. Diarréia A diarréia pode conter sangue e/ou muco. As vezes, é acompanhada de vômito. Se tirando estes sintomas seu cão parecer bem, você pode tentar tratá-lo em casa. Não dê alimento por 12 horas e ofereça pouca água com um pouco de glicose ou caldo de carne fraco. Depois de descansar o estômago, você deve oferecer refeições pequenas e leves a ele por um dia e depois ir gradualmente retornando a dieta normal. Se seu cão não melhorar ou estiver fraco, letárgico ou depressivo, leve-o ao veterinário imediatamente. Se ele parecer bem, leve-o para uma consulta no próximo momento disponível. Primeiro, ligue para o veterinário e anote cuidadosamente os conselhos dados. Picadas de inseto e cobra Os sinais de uma picada de inseto são inchaço, dor nos músculos e área afetada, vômitos, fraqueza, febre, descoloração da pele e choque. Os sinais de choque são gengivas pálidas ou brancas, batimento cardíaco acelerado e respiração rápida. No entanto, se houver qualquer dificuldade respiratória ou se o rosto começar a inchar, leve o cachorro imediatamente ao veterinário. No caso de picada por cobra, independente do tipo que picou o animal, o atendimento de emergência é o mesmo. Mantenha o animal calmo e não deixe que ele se movimente muito. Coloque uma bandagem ao redor do local afetado com pressão firme. Encaminhe o mais rápido possível ao veterinário para que ele receba o soro específico, que é o único método eficaz de combater o envenenamento. - não corte o local da picada: O veneno da jararaca, por exemplo, causa hemorragia; se você cortar o local, o sangramento se agravará; - não faça torniquete: até pouco tempo, o torniquete era usado para evitar que o veneno se difundisse para o resto do corpo. Porém, fazendo o torniquete, a alta concentração de veneno no local da picada pode vir a causar gangrena ou até a perda do membro.

Convulsões Caso seu cão comece a fazer movimentos espasmódicos, normalmente acompanhados de travamento da mandíbula, salivação, urinação e defecação, então ele está tendo uma convulsão. Ele pode cair no chão. Dor de ouvindo A primeira coisa a fazer é tirar a coleira e afastá-lo de qualquer perigo (ex.: lareiras, escadas, mesas). Garanta que ele possa respirar segurando sua cabeça e, se possível, com o pescoço esticado. Não coloque os dedos dentro da boca do cão. Mantenha o ambiente o mais escuro e quieto possível, evite barulhos repentinos como campainhas e portas batendo. A maior parte dos ataques acabam rápido (embora pareçam durar uma eternidade!). Anote exatamente os sintomas de seu cão antes, durante e depois da convulsão, e ligue para o veterinário assim que possível. Envenenamento Seu cão coçará o ouvido e pode ficar com a cabeça pendendo para o lado. Ele pode esfregar a orelha no chão, balançar a cabeça, uivar e não querer deixar ninguém tocar seu ouvido. Se isso acontecer de repente, pode ser que uma semente de grama ou outro objeto tenha entrado no ouvido. Não coloque absolutamente nada dentro do ouvido dele e ligue para o veterinário. Cuide prontamente de problemas auriculares; negligenciá-los ou tentar curá-los pode fazer com que a cura seja mais difícil. Engasgar Se você ou alguém da sua família vir seu cão engolir algo venenoso, ligue imediatamente para o veterinário. Procure aconselhamento veterinário o mais rápido possível e leve o restante do agente envenenador e/ou a embalagem para ser avaliada pelo veterinário. Cruzamento não planejado Seu cão pode estar tentando vomitar ou coçando a boca freneticamente com as patas. Tente abrir sua boca e remover o objeto que está obstruindo - esteja ciente de que há chance de ser mordido fazendo isso. Olhe o céu da boca, pois às vezes algo gruda lá, ou um osso pode ficar preso transversalmente. Se você não puder ver o objeto, procure imediatamente ajuda veterinária. Em alguns casos, pode ser necessário uma anestesia geral para a remoção segura de um objeto na boca.

04


Livro do mês Cruzamento não planejado

O cirurgião veterinário pode aplicar uma injeção logo após ela ter cruzado, o que normalmente fará com que sua fêmea não tenha filhotes. É vital contatar o consultório veterinário em até 24 horas, para que eles possam lhe dizer quando a injeção deverá ser aplicada. Desmaio Procure aconselhamento veterinário imediatamente. Coloque seu cão dentro de uma cesta e mantenha a passagem de ar livre esticando o pescoço e segurando a língua fora do caminho. Torção gástrica Se seu cão parece desconfortável ou irritado e a barriga parece distendida e cheia de gases, ligue para o veterinário e leve o cão para uma consulta imediatamente. Transportando seu cão até o veterinário em uma emergência É normalmente preferível levar seu cão até o consultório do que trazer o veterinário. Na clínica há equipamentos especiais e uma equipe treinada. Não dê nada para seu cão comer ou beber, pois ele pode precisar de anestesia geral. Coloque seu cão gentilmente em cima de um cobertor velho ou casaco no chão.Duas pessoas podem pegar as pontas do cobertor como se fosse uma maca macia para transportá-lo até o assento traseiro do carro. A pessoa que estiver andando de costas deve trazê-lo direto para dentro do carro, colocando-o gentilmente sobre o banco. Alguém deve ficar na parte traseira com ele a caminho da clínica. Se houver perigo dele morder, amarre o focinho temporariamente. Não o deixe amarrado por um período prolongado pois isso pode comprometer sua respiração. Informe à clínica veterinária que está a caminho para que possam se preparar para a chegada. Fonte: Pedigree

Livro Carol por Carol conta a história de uma yorkshire terrier sob a perspectiva da personagem Livros a respeito dos sentimentos que envolvem cães e gatos e seus donos existem - e muitos - à disposição daqueles que colocam esses seres de quatro patas em suas casas e, a partir, eles, literalmente, começam a ser uma parte essencial em suas vidas. "CAROL POR CAROL", que chega às livrarias de todo o país em abril, é um caso à parte pela originalidade da sua abordagem, que diverte e toca o coração do leitor nas 186 páginas do livro. Diferentemente dos outros livros existentes no mercado editorial sobre o assunto - que normalmente abordam o(a) amiguinho(a) de quatro patas mais sobre o prisma de suas peraltices, de quantos sapatos, móveis e outros "objetos escolhidos" ajudaram a destruir, situações engraçadas que dividiram juntos, entre outros assuntos, em CAROL POR CAROL as aventuras vividas por Luciana com sua apaixonante Yorkshire Terrier nos 13 anos em estiveram lado a lado não são narradas pela escritora: da primeira à última página o livro dá voz à amada cadelinha CAROL, o que ela teria dividido em sentimentos e emoções caso fosse agraciada com o dom de se comunicar através de palavras. A obra é sensível, original, pertencente à famosa categoria dos livros que se lêem "de um fôlego só", tamanha a sensibilidade com que a autora consegue transportar-se para dentro de CAROL, mais precisamente pelos seus pensamentos, desejos, sonhos, etc. Aliás, ainda no prefácio do livro ela convida o "leitor a conhecer a CAROL e sua visão do mundo", com uma singela - e, absolutamente, pertinente, advertência: "Você pode se apaixonar". Embora ela trate o "Você pode se apaixonar" como uma advertência, ao ler a última linha da página 186 a frase soa mais como uma premonição, afinal, ao fechar o livro já lido, o sentimento do leitor - mesmo aqueles um pouco distantes dos amiguinhos de quatro patas será, no mínimo, algo como "eu amaria ter uma cadelinha dessas roendo o meu tapete e comendo os meus sapatos".mmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmm A autora Luciana Fonseca é arquiteta e paisagista. Paulistana e filha única, desde a infância é apaixonada por cães. Conseguiu convencer os pais a entrar em uma aventura canina em 1990 e conheceu sua amada Carol Thur. O amor, cumplicidade e lealdade compartilhados por Luciana e Carol marcaram sua vida para sempre. Desde então, Luciana nunca se separou de Yorkshires. Luciana é leitora compulsiva e sempre considerou os livros grandes amigos e mestres, enquanto mantinha, por sua vez, seus próprios escritos. Registrou, em forma de diários, cartas e introspecções variadas, muitos momentos da vida, inclusive da vida com a Carol. E essa história feliz rendeu lindas e emocionantes linhas e páginas. Assim surgiu o CAROL POR CAROL, uma tentativa de Luciana de, por meio da narração da própria Carol, alcançar outros humanos e seus pets.

Carol por Carol Editora: SSUA Editora Preço sugerido: R$29,50 186 páginas

05


Ano I • Número 2 • maio/2011 www.peloproximo.com.br

Coluna direito animal com a Dra. Andrea Lambert

Toxoplasmose – Doença do Gato ou do Preconceito? “Eu não posso nem chegar perto, corro risco de pegar toxoplasmose” Esta frase da personagem da atriz Camila Pitanga ao ver uma gatinha na novela “Insensato Coração" causou um grande movimento de revolta de pessoas indignadas. Na novela a personagem da Camila Pitanga está grávida e vendo uma gatinha no carro manifesta o medo de pegar Toxoplasmose de só chegar perto do animal. Médicos como Dr. João Silva Mendonça chamam a Toxoplasmose de doença do gato, mas por que chamar doença do gato se a maior fonte de contaminação é pela ingestão da carne ou outros alimentos que podem estar contaminados? Dizem que a razão é o gato ser o único animal a fechar o ciclo da doença com eliminação de oocistos p e l a s fe z e s , m a s p e l a fo r m a d e contaminação mais comum ser pela alimentação e a forma como a mídia e certos profissionais tratam do assunto, o mais correto seria chamar a toxoplasmose de doença do preconceito.

Como explicam? Alguns podem dizer sorte, mas a verdade é que imputar no gato a contaminação da toxoplasmose só prejudica o controle da doença, prejudica os gatos aumentando o preconceito, abandono e sofrimento destes animais. A toxo p l a s m o s e c a u s a d a p o r u m protozoário (Toxoplasma gondii) é uma zoonose encontrada em todas as partes do mundo e pode ser encontrada em todos os animais, mas é importante ressaltar que para qualquer animal passar a Toxoplasmose, precisa estar contaminado. No caso do gato doente, a contaminação se dará através das fezes e num período de no máximo 15 dias da fase aguda da doença e as fezes do animal estando no ambiente por mais de 24 horas. Portanto a falta de higiene do local aonde vive o gato é a maior responsável pela contaminação. Outra fonte de contágio é a mão suja de fezes quando levada a boca.

Responsabiliza-se uma espécie já perseguida por uma doença quando a via de transmissão pelo contato direto com o animal é rara e com isto o foco da verdadeira fonte de contaminação é desviado, levando pessoas a continuarem com o habito alimentar errado e adquirir a doença.

A Toxoplasmose é considerada uma doença imunodepressora, portanto de pouca gravidade em pessoas sadias que quando entram em contato com o protozoário, suas defesas imunológicas a combatem, sem causar dano algum, sendo dessa forma, o contagio pelo gato, mínimo e raro.

Na novela dias depois foi colocada outra via de contaminação, a carne mal passada, mas o estrago já tinha acontecido além de não esclarecer por completo sobre a doença e o verdadeiro risco da contaminação pelo gato, ninguém garante que todos que assistiram a Camila Pitanga com medo do animal assistiram o outro capítulo e outros programas continuaram a afirmar o perigo do contato com os gatos.

Pela forma assintomática constituir a maioria dos casos a sua importância está na possibilidade da transmissão congênita quando ocorrer durante a gravidez, mas com certeza nenhuma gestante deve evitar contato com os gatos e sim fazer exames de sangue na gestação para saber se é portadora assintomática e tomar medidas para evitar contaminação, como cuidado com a alimentação, não comer carnes ou ovos crus ou mal passados e lavar corretamente os vegetais.

Formei-me em veterinária em 1990, desde criança tenho animais resgatados das ruas, sempre convivi com gatos dentro de casa e nos exames de sangue para detectar a toxoplasmose os resultados sempre foram negativos, como de muitos amantes de animais que conheço.

(Unifesp) que diz não ter sentido ter medo de tocar em gatos e esclarece “É bem mais comum pegar a doença pela ingestão de carne crua ou mal passada”, e ainda comenta “A gestante pode contrair uma doença até mais grave do marido, que pega metrô todos os dias”. Outra forma de contaminação é o transplante de órgão.

Citações infectologista Paulo Olzon, UOL Ciência e Saúde

Andréa Lambert Médica veterinária e presidente da ANIDA – Associação Nacional de Implementação dos Direitos dos Animais E-mail: andrealambertvet@gmail.com Site: www.andrealambertfederal.com.br

Então a melhor forma de evitar a Toxoplasmose ou qualquer doença é procurar informação com bons profissionais e sem preconceitos, como o infectologista Paulo Olzon, da Universidade Federal de São Paulo

06


Coluna comportamento animal Palestra

Agressividade Muitos são os casos que atendo sobre agressividade e contrariando o que muitos pensam, isso não se limita às raças grandes. Muitas vezes os pequenos demonstram esse compor tamento e geralmente são “perdoados” por serem miúdos e aparentemente indefesos. Aqui vamos abordar os motivos mais comuns para esse tipo de problema. O primeiro passo para tratarmos o cão agressivo é saber o que motiva a agressividade. Existem várias causas para esse comportamento. Mas antes de procurar ajuda de um adestrador ou comportamentalista, leve-o ao veterinário. Faça no bichinho uma série de exames que descartem problemas de saúde. Os animais também ficam malhumorados se estiverem sentindo dor ou irritação.mmmmmmmmmmmmmmmmm Bem, descartando a doença, a agressividade pode ter outros motivos. Os mais comuns são: Agressão por medo Neste caso, temos que acima de tudo fazer com que o cão confie em nós. É um processo lento e que exige muita paciência de toda a família. Alguns cães quando estão com medo, podem ter seu instinto de defesa ativado. Ele pode achar que tal situação ou pessoa oferece perigo, então poderá morder para se defender. Fazer com que o cão sinta-se integrante da matilha e socializá-lo, são exercícios fundamentais e que vão ajudar no processo de ligação entre você e o peludo. Mas lembre-se: Assim como existem pessoas diferentes, cada cão tem seu próprio tempo para aprender. Não exija demais, seja paciente. Quando se consegue estabelecer a comunicação com o cão, o resultado é maravilhoso.

Um cão não negocia, não pede “por favor”. Sei que para as leis humanas isso pode soar um tanto cruel, injusto... Mas para os cães não existe igualdade de direitos.mmmmmmmm Quando o dono não tem conhecimento dessas leis, corre o grande risco de permitir que o cão se torne o líder supremo. Tente mexer na vasilha de comida ou simplesmente tirar do lugar preferido um cão que se acha líder da casa! O primeiro engraçadinho que ousar leva uma dentada ou na melhor das hipóteses um bom e alto rosnado dizendo: “Quem você pensa que é para me desafiar assim?” Vejo muitos casos em que o cão está com o seu dono e quando outra pessoa se aproxima, ele late, rosna e em alguns casos chega até a morder. A atitude mais comum que vejo é o dono acariciar o cachorro e falar num tom macio: “Calma, tudo bem, é amigo.” Bem, partindo do princípio que o cão não fala português e entende o nosso tom de voz e a nossa postura, nesse momento o dono está passando a seguinte informação para o cão: “Isso, muito bem! É isso que quero que você faça!” Confesso que em alguns casos percebo claramente que o dono “gosta” dessa demonstração de “amor” e “proteção” do seu fiel escudeiro. Bem... Lamento informar que agindo assim você não tem um cão, você tem um problema. Costumo falar que esse é um típico caso onde o cão tem um humano e não ao contrário. Para evitar dramas como esse, eduque seu cão para que ele entenda que é muito amado, mas quem manda é você! Não abra exceções! Ele não vai ficar chateado ou magoado se a família mostrar a ele o seu lugar na hierarquia. Muito pelo contrário! Ele se sentirá protegido e amado, portanto será muito mais calmo e feliz.mmmmmmmmmmmmmmm

Projeto Pêlo Próximo realiza palestra para os novos voluntários no Centro de Estudos Costa Leivas Encerramos a última etapa de seleção dos novos voluntários do Projeto Pêlo Próximo, com a palestra da coordenadora Roberta Araújo, que esclareceu a importância do trabalho realizado nas instituições visitadas e aproveitou para reafirmar o comprometimento de todos que estão entrando no grupo. Durante a palestra, os novos voluntários tiveram oportunidade de tirar dúvidas também com a comportamentalista Elaine Natal, adestradora e comportamentalista do Pêlo Próximo e com a Dra. Renata Leivas, veterinária parceira do Projeto. As visitas dos voluntários e pets terapeutas deste mês de maio já estão agendadas.mmmmmmmmm

Agressão por dominância Esse tipo de problema é muito comum quando os donos tratam o cão com excesso de carinho e atenção, isto é, não conseguem impor limites. A linguagem humana e a canina são muito distintas. Quando um cão percebe que consegue "manipular" os membros da casa, está entendendo que ele é o mais forte. A partir daí só Deus sabe o que pode acontecer.

Elaine Natal - Adestradora especialista em comportamento canino Tel: (21) 9786-1220 / 8045-6820 www.clubedaspatinhas.com.br

07


Ano I • Número 2 • maio/2011 www.peloproximo.com.br

Um programa especial dedicado aos nossos animais Todos os sábados, a partir das 12h00, na Rádio Continental AM 1520AM, a psicóloga e amante dos animais, Luisa Nóbrega, apresenta o programa Sempre Pelos Animais, com assuntos voltados para os nossos melhores amigos. O Programa Sempre Pêlos Animais teve inicio em Maio 2010, a partir de uma parceria com a Rádio Continental, onde Luisa atua na produção e apresentação de forma voluntária com o objetivo de levar informação e conscientizar as pessoas para a participação ativa pela justiça e bem estar animal. Além disso, o programa conta ainda, com enquetes, dicas de livros, filmes, sites, noticias, entrevistas divulgação de eventos em prol do bem estar animal. Luisa Nóbrega atua há cerca de 10 anos em proteção de animais, principalmente na área educativa, mas também auxiliando em adoções, encaminhando para esterilizações e procura sempre destacar a importância dos animais de estimação para a saúde e desenvolvimento equilibrado das pessoas. O programa tem sua divulgação através da Internet (Orkut, Twitter e Facebook), além de um mailing de pessoas que amam os animais e que recebem semanalmente a pauta do programa. O sucesso é tanto, que Luisa já conquistou ouvintes de Portugal, França e Colômbia.

Para quem tiver oportunidade de acompanhar o programa aos sábados, a transmissão é feita também pelo site da Radio Continental em tempo real, alcançando assim grande número de ouvintes. O destaque do programa é o quadro de ENTREVISTAS, que conta sempre com a participação de profissionais da área de saúde e comportamento animal, advogados, representantes de ONGs, da Prefeitura e de projetos que beneficiem os animais. Para os vegetarianos, o programa reserva ainda um quadro de CULINÁRIA NATURAL, com o objetivo de estimular a redução do consumo de carne, pelo bem dos animais e pelo equilíbrio ecológico. No ultimo sábado de cada mês, a nutricionista Michelle Panizza, apresenta uma receita simples e saborosa para os ouvintes e para os ouvintes que participam da enquete do dia, o sor teio de um almoço com acompanhante no Restaurante Bardana Natural. -“Nosso objetivo é incentivar o consumo de produtos conscientes, procurando divulgar e estabelecer parcerias com empresas que não testam seus produtos em animais” – finaliza Luisa.

Programa SEMPRE PELOS ANIMAIS Produção e Apresentação: Luisa Nobrega - RJ Tel.:(21)9317-4599 Rádio Continental 1520AM www.continental1520.com.br Dia: Sábados - Horário: das 12 às 13h Orkut/facebbok: semprepelosanimais@yahoo.com.br twitter: @sempreanimais

fernanda b i t e n c o u r t designer cel.: 8886 1479 fe_bitencourt@yahoo.com.br fernandabitencourt.carbonmade.com fernandabitencourt.blogspot.com

Marca, cartão, papel timbrado, envelope, folder, convite, cartaz, banner, camisa promocional e uniforme, adesivo, revista, jornal, convites, anúncio, brindes em geral (boné, calendários, canetas), livro, embalagem (CD, DVD), outdoor, busdoor, crachá, bloco, newsletter, letreiro.

08


Mutirão de Amor e Solidariedade Voluntários doam seu tempo para ajudar animais abandonados No ultimo sábado (30) o 1º Mutirão Solidário organizado pelo Projeto Pêlo Próximo e Abrigo João Rosa reuniu cerca de 25 voluntários que chegaram ao Abrigo dispostos a meter a mão na massa. O evento teve início às 8h30 da manhã, com a limpeza dos canis, banho, secagem, vermifugação e passeio com os animais. Após o banho, voluntários se reuniram para pintar os canis e a fachada do Abrigo João Rosa e consertar os portões, enquanto isso os cães eram fotografados pelas lentes da fotografa Raquel Lima, que se prontificou a registrar todos os momentos do mutirão e a fotografar os animais após o banho. Os cães receberam muito carinho e atenção dos voluntários que participaram do mutirão. “Esse é o primeiro de muitos. Tivemos uma excelente receptividade das pessoas. Todos que compareceram estavam dispostos a trabalhar e a dar amor aos animais, que retribuíam todo o carinho recebido. Pretendemos realizar o mutirão mensalmente no Abrigo João Rosa e ajudá-los no que for preciso” – finaliza Roberta Araújo, coordenadora do Projeto Pêlo Próximo. O próximo Mutirão no Abrigo João Rosa acontece no mês de Junho. Os interessados em participar e ajudar o abrigo com doações devem enviar email para: abrigojoaorosa@yahoo.com.br.

09


Ano I • Número 2 • maio/2011 www.peloproximo.com.br

A demência e a doença de Alzheimer Os benefícios da terapia assistida por animais no tratamento da doença

O envelhecimento populacional trás consigo novas realidades. Estudos epidemiológicos afirmam que a incidência de pessoas portadoras de incapacidades variam de 0,2% a 20% no total da população. (...) Envelhecer pressupõe alterações físicas, psicológicas e sociais no indivíduo. Tais alterações são naturais e gradativas. Neri (1995:73) coloca que: O grande desafio hoje é ver o envelhecimento numa perspectiva de desenvolvimento, isto é, conciliar os conceitos de envelhecimento e desenvolvimento ao longo da vida. Um bom desenvolvimento significa um bom envelhecimento. Ou seja, o alicerce de uma boa velhice se encontra na infância e na juventude. Isso quer dizer que desenvolvimento e envelhecimento são processos concorrentes significa que as mudanças evolutivas classificadas como crescimento, ganho ou progresso e, as que apontamos como perdas e degeneração se fazem presentes da infância à velhice.

A Demência: Aspectos gerais A demência é uma síndrome caracterizada pelo declínio global e progressivo das funções cognitivas. Caracterizando-se também por déficits cognitivos em múltiplas esferas não associados, necessariamente, com o prejuízo da consciência. O quadro é, geralmente de natureza crônica e progressiva, e sua evolução interfere sensivelmente com as atividades pessoais, sociais e de trabalho desses pacientes. Todas as demências têm em comum um grave prejuízo na habilidade de aprender novas informações (Brandt e Rich,1995). O diagnóstico de doença de Alzheimer é baseado em exames clínicos, excluindo-se outras causas possíveis para o transtorno. Nenhum teste isoladamente pode estabelecer o diagnóstico. Segundo os critérios do Manual Diagnóstico e Estatístico dos Transtornos Mentais – DSM-IV (1995), a demência tem como característica principal o desenvolvimento de múltiplos d é f i c i t s c o g n i t i v o s , e n t r e e s te s , o comprometimento da memória e pelo menos mais uma função, tais como: afasia (prejuízo da linguagem), apraxia (prejuízo da capacidade de executar atividades motoras, apesar de não apresentar comprometimento

nas estruturas responsáveis pela motricidade), agnosia (prejuízo no reconhecimento ou identificação de objetos, apesar do funcionamento sensorial estar intacto) ou prejuízo do funcionamento executivo (comprometimento da capacidade para planejar, organizar, sequenciar e abstrair, etc.). Estes déficits cognitivos devem ser graves a ponto de terem repercussões no funcionamento social ou ocupacional do indivíduo, com prejuízos em relação a um funcionamento anterior. Além disso, podem estar associados a sintomas psicológicos e compor tamentais como: ansiedade, depressão, perturbações do humor e do sono, delírios, alucinações, que podem levar ao stress no meio familiar (DSM-IV, 1995).

10


Doença de Alzheimer A doença de Alzheimer (DA) é a forma mais comum de demência (LOPES e BOTTINO, 2002; RODGERS, 2004) e foi descrita pela primeira vez em 1906, por um psiquiatra alemão chamado Alois Alzheimer (18651915), que identificou em uma de suas pacientes, a senhora August D., um quadro de déficit de memória, alterações comportamentais e incapacidade de realizar atividades rotineiras. A essa descrição ele adicionou duas alterações anatômicas que encontrou ao examinar o cérebro da senhora August, após sua morte. O nome da doença foi uma homenagem à importante descoberta feita pelo Dr. Alzheimer. A doença de Alzheimer é um tipo específico de demência. Sendo a mais comum das síndromes neurocomportamentais e a que produz maior deterioração da saúde e da qualidade de vida. O quadro é geralmente de natureza crônica e progressiva e, sua evolução interfere sensivelmente com as atividades pessoais, sociais e de trabalho desses pacientes. Estágios clínicos Durante o processo de envelhecimento, 15% das pessoas desenvolvem incapacidade c o g n i t i va p r o g r e s s i va . D e s te to t a l , aproximadamente 5% das pessoas acima de 65 anos e 20% das pessoas acima de 80 anos desenvolvem demência de grau moderado a grave. A mais importante causa de demência, e de maior incidência, é a doença de Alzheimer (DA) (Bottino e Almeida,1995). O esquecimento é o sintoma que acontece mais precocemente, mas pode ser difícil de detectar nos estágios iniciais da doença. A memória para eventos recentes apresenta-se inicialmente mais comprometida que a memória para eventos remotos. Outras dificuldades cognitivas são os déficits de atenção e concentração, alterações de comportamento, outros sintomas e sinais psiquiátricos.mmmmmmmmmmmmmmm O início do quadro nem sempre pode ser bem delimitado e há poucas queixas do paciente. Do ponto de vista clínico, a doença se inicia com comprometimento cognitivo progressivo, com redução da capacidade de registrar informações, com esquecimentos de fatos e situações no curto prazo, progredindo para a perda de memória das informações de médio e longo prazo. O indivíduo passa a ter mais dificuldade em se exprimir, faltam-lhe palavras ou frases, as suas rotinas diárias, mesmo básicas, se tornam mais complicadas, e há desorientação no tempo e no espaço, mesmo em relação aos locais nos

quais a pessoa esta habituada a conviver. Geralmente um familiar busca ajuda ao perceber alguma incapacidade de adaptação a um evento estressor, perda e/ou mudança, algum comportamento inadequado ou mesmo fuga. O indivíduo passa a extraviar pertences, esquecer o fogão ligado, repetir perguntas e histórias e, a perder-se em locais familiares. Os 3 A's em doença de Alzheimer: agnosia (dificuldade em reconhecer faces, pessoas ou identificar objetos), afasia (dificuldade para denominar objetos, gerar ou executar a palavra e/ ou compreender a palavra falada), apraxia (dificuldade em executar atos motores simples ou complexos), causam grandes transtornos para todos os envolvidos no cuidado com o paciente. Nos estágios finais observa-se que o comprometimento da função do aparelho cognitivo como mediador da relação sujeito com o ambiente e com os outros, colocando nas mãos do “cuidador” a responsabilidade de oferecer um cuidado que, não apenas garanta a manutenção da vida, mas que sustente a dignidade do individuo e uma subjetividade possível. Na literatura especializada a sintomatologia

da doença de Alzheimer (DA) costuma ser didaticamente descrita em três estágios. O curso da doença de Alzheimer é lento, insidioso e sua investigação requer o afastamento de todas as possibilidades e evidências patológicas passíveis de serem encontradas nas demais demências. Sua evolução apresenta estágios bem distintos, com comprometimentos a nível cognitivo e funcional bem delimitados: o primeiro, que geralmente dura de 2 a 3 anos, é caracterizado pelo distúrbio da memória, que habitualmente é o prime iro sintoma a ser percebido, além de alterações das funções visuo-espaciais, da linguagem, aprendizado e concentração, fazendo com que o indivíduo tenha dificuldades em lidar com situações mais complexas. Problemas de memória envolvendo particularmente fatos recentes são comuns. Discretas alterações de personalidade como: menor espontaneidade ou certa apatia, tendência a evitar contatos sociais e desinteresse também ocorrem nos estágios iniciais da doença. O segundo estágio é caracterizado por uma deterioração mais acentuada da memória e pelo aparecimento de sintomas como afasia, apraxia e alterações visuo-espaciais. Surgem dificuldades do pensamento abstrato ou redução do desempenho intelectual. O indivíduo começa a ter dificuldades com cálculos numéricos, com a compreensão de textos ou com a organização de sua rotina diária de trabalho. Alterações de comportamento e da aparência podem ser observadas, bem como agitação, irritabilidade, teimosia e redução na capacidade de se vestir adequadamente. Sintomas extrapiramidais podem ser observados em alguns pacientes como: alterações de postura, de marcha, de tônus muscular e sinais de parkinsonismo. O terceiro estágio ou estágio terminal, todas as funções mentais estão gravemente afetadas. A pessoa atingida torna-se confusa ou desorientada em relação ao tempo e espaço. Pode divagar ou confabular tornandose incapaz de estruturar uma conversa, comunicando-se através de sons incompreensíveis ou permanecendo em mutismo. Mostra-se desatento, não cooperativo, com bruscas alterações de humor, ficando progressivamente acamada, com incontinência urinária e fecal, tornandose totalmente incapaz de cuidar de si própria. Podem aparecer sinais e sintomas neurológicos como rigidez, tremor, reflexos primitivos e crises convulsivas. A deterioração corporal é rápida e a morte se dá em conseqüência de problemas que ocorrem em estados de grave deterioração da saúde. A duração média da doença desde o início da sua manifestação até a morte pode variar de 2 anos a mais de 20 anos.

11


Ano I • Número 2 • maio/2011 www.peloproximo.com.br

A demência é uma síndrome neuropsiquiátrica decorrente de inúmeras e diferentes causas que podem ser reversíveis ou não. Os estudos epidemiológicos indicam que entre as demências, a do tipo Alzheimer vem se configurando como a doença de maior prevalência e incidência na população idosa. No entanto, não é raro encontrar casos iniciados antes dos 65 anos, casos esses considerados de início pré-senil e cuja atenção é menor em relação ao grupo idoso (Engelhardt et al., 2001). Em vir tude dos diferentes quadros demenciais existentes, o declínio das capacidades cognitivas constitui um instrumento relevante numa formulação diagnóstica para as demências que, segundo o DSM-IV (1995), é imprescindível que haja a presença de declínio da memória, seguida da manifestação de mais um dos itens abaixo relacionados: afasia, apraxia, agnosia e perturbação do funcionamento executivo – atividades que envolvam a capacidade de planejamento, organização, discernimento, julgamento, abstração. A prevalência de demências na velhice possui diferentes representações e repercussões no contexto econômico, político, social e cultural, assim como entre as pessoas e as famílias afetadas. Hoje temos a mídia cada vez mais notificando-nos de todas as descobertas e, matérias explicativas sobre várias doenças. Mesmo assim, o diagnóstico de uma doença degenerativa tende a ser representado pelo paciente e sua família com uma exclusão social.mmmmmmmmmmmmmmmmmmm A doença de Alzheimer pode ser considerada u m a d o e n ç a f a m i l i a r p o r, m u d a r drasticamente o cotidiano das famílias. É necessário que se busque conhecer e identificar toda a trajetória da demência para que se possa entender a percepção e o significado desse evento na vida das famílias, dos portadores e cuidadores. O modo como a família lida e maneja com o diagnóstico de doença progressiva, depende de muitos fatores entre eles podemos citar: rede de apoio formal e informal. As doenças dos idosos, em geral, são crônicas, múltiplas, perduram por vários anos, exigem serviços de saúde, demandam de cuidados permanentes e podem gerar dependência e incapacidade.mmmmmmm Destacamos também o sentimento de perda que se renova a cada dia com o agravamento dos sintomas, a frustração perante a ausência ou chance de cura, a irritabilidade, o afastamento do convívio social e, o sentimento de não estar fazendo o suficiente.

múltiplos benefícios, possibilita o dialogo sobre diferentes opiniões (raças de cães, pássaros, tamanhos, cores...), regras (quando e para quem jogar determinado objeto), jogos (boliche, escovação...) e experiências (nome do seu animal, de quem ganhou, para quem deu...). O trabalho realizado com animais é uma forma de estimulação geral (cognitiva e funcional). mmmmmmmmmmmmmmmm Os desafios desse trabalho demandam em adaptações para os jogos, o toque, o acariciar... Existindo com os animais e os terapeutas uma troca permanente de afeto, de carinho, de sentimentos, lembranças da infância... mmmmmmmmmmmmmmm Com a terapia tudo revive, o corpo não usado, a mente parada, afetos anestesiados e os "amigos de 4 patas” esquecidos. É uma atividade muita rica para trabalhar com idosos, uma vez que promove o falar do seu passado, a aceitação de normas e/ou regras para a atividade, a verbalização, a percepção visual, o exercício físico em si, como também poder reconstruir fatos de uma determinada época de sua vida...

Benefícios da terapia assistida por animais no tratamento da doença Abordamos a demência e a doença de Alzheimer e, como falarmos da participação desses pacientes em Terapia utilizando animais? Com a evolução da doença o doente perde muitas habilidades. Ao depararmos com esse trabalho visualizamos um resgate no tempo. Lembranças de animais e, também nos surpreendemos com: lembrar nomes e se recordar de um cão que não estava presente naquele dia... memória recente A Terapia Assistida com Animais demonstrou ser uma atividade que minimiza os efeitos negativos do envelhecimento acompanhado de uma doença crônica degenerativa e progressiva. As brincadeiras desenvolvidas com os animais permitem criar meios de manter a mente, as emoções, a comunicação e os relacionamentos em atividade. O idoso traz uma bagagem da infância, a vivência de jovem e de adulto e, mais a sua experiência atual da velhice, o que o leva a possuir certamente o significado do lúdico (terapêutico).mmmmmmmmmmmmmmm A atividade lúdica desenvolvida pela Terapia Assistida com Animais (TAA) oferece

Rita de Cassia Maia Ribeiro Assistente Social Especialista em Gerontologia Especialista em Psicogeriatria

www.abrazrj.com.br

12


www.pousadaresidencial.com

SP lança programa pioneiro de Cão-Guia no país O governador Geraldo Alckmin lançou dia 20, o Programa do Cão-Guia e anunciou a construção do Centro de Referência para o Cão-Guia em um prédio sustentável, na USP. O projeto tem como objetivo a implementação do Centro de Referência para o Cão-Guia em parceria com a Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia da USP (FMVZ). O valor da obra está orçado em R$ 2,5 milhões. Além da criação e treinamento de cães-guia para pessoas com deficiência visual, o programa definirá os parâmetros em relação ao uso do cão-guia e os métodos de treinamento. “Duas notícias boas: primeiro, o Centro de Treinamento e Estudos do Cão-Guia e, a outra, o programa, através da secretaria dos Direitos da Pessoa com Deficiência. Nós temos 145 mil pessoas cegas no Estado de São Paulo, e perto de dois milhões de pessoas com deficiência visual. E o cão-guia vai dar mais liberdade para as pessoas pegarem o metrô, o trem, poderem ir aos espaços públicos, poderem se locomover com mais segurança, com mais tranquilidade”, declarou Alckmin. Os filhotes de cachorro que farão parte do treinamento serão entregues, em um primeiro momento, a uma família adotiva, selecionada pelo programa, e que cuidará do cão durante um ano.

Os filhotes serão visitados mensalmente por um membro do Centro para verificar o desenvolvimento do animal. Após o primeiro ano com a família, o cão é encaminhado ao Centro de Treinamento, por onde passará por um adestramento intensivo, específico para guia de cegos. Nessa etapa, o animal será avaliado permanentemente por treinadores qualificados, contratados pelo centro e avaliados clinicamente por veterinários da FMVZ. O treinamento terá duração de quatro a seis meses, dependendo da evolução do animal. Centro será o primeiro público deste tipo no País O prédio do Centro de Referência foi planejado para ser um edifício sustentável, levando em consideração o respeito ao meio ambiente. Ele terá captação de água da chuva para reuso e prevê o uso de equipamentos de geração de energia passiva (como a energia solar). Além disso, as áreas de canis, destinadas à p e r m a n ê n c i a , a p o i o , t r a t a m e n to e treinamento, terão baias cobertas e descobertas para cães em treinamento,

maternidade e filhotes, isolamento, adoção e sala de banhos para os cães. O local terá capacidade para até 92 cães.

Serviço: Escola de Cães-Guia Helen Keller www.caoguia.org.br Projeto Cão-Guia - ONG Integra www.projetocaoguia.com.br Cão Guia Brasil http://www.caoguiabrasil.com.br

13


Ano I • Número 2 • maio/2011 www.peloproximo.com.br

Cartas dos leitores Boa noite, Elaine. Tenho um cachorro (SRD) de 1 ano e 5 meses, inteligente,super ativo,"limpíssimo"e muito agressivo com estranhos! Quinta passada tive uma experiência horrorosa: ele mordeu uma pessoa. Mordeu MESMO!A minha pergunta é: sendo um cão amado e bem tratado, de onde vem essa agressividade toda? É "genético","hormonal" ou comportamental? Moro em uma casa com bom espaço, ele tem atenção, é MUITO querido, mas algumas vezes, até brincando, ele me machuca!O que você acha dos florais? O q posso e devo fazer p melhorar essa agressividade?Aguardo sua resposta. Um abraço. Daniela Medrado/RJ Olá Daniela, ? A agressividade pode ser Genética, Hormonal ou comportamental. ? Os florais funcionam muito bem quando aliados ao treinamento e aulas comportamentais. ? Ele tem espaço, atenção, amor, carinho, porém você deve estar esquecendo de impor regras. Pela sua narrativa, seu cão é o que chamamos de dominante. Para ele na hierarquia, ele está sempre no topo, o líder. O que nós chamamos de "família, o cão vê como "matilha", porém com regras diferentes. Na matilha, é necessário que exista um líder! Para a maioria dos donos, ser um líder significa que o cão vai gostar menos dele. Isso é um grande engano! É impressionante o carinho e a alegria demonstrados pelos cães quando o líder os agrada, ou quando volta de uma caçada ou de algum passeio. Se você conseguir ser o líder do seu cão, ele o respeitará e amará muito mais. Entender como funciona o mundo canino, lhe dá uma nova visão sobre seu cão e também a forma correta como ele deve ser educado. Os valores dos cães são diferentes dos nossos e quanto menos relutarmos em aceitar este fato, menos problemas teremos. Algumas dicas para ter um cão submisso e feliz

Agenda de Eventos e Cursos Rio de Janeiro Curso de Comportamento e Adestramento Canino Data: 14 e 15 maio Elaine Natal – Adestradora do Projeto Pêlo Próximo Informações: clubedaspatinhas@gmail.com 10ª Campanha de Adoção do G.A.R.R.A. & Amigos Data: 14 de maio das 10:00 as 16:00 Local: Parque dos Patins – Lagoa Doação de Cães e Gatos Grupo Voluntário Ajuda Bicho Quitandinha Data: 14 de maio das 11:00 às 17:00 Rua General Rondon, 1050 – Petrópolis Adote um Bichinho e Salve uma Vida – Tijuca Data: 14 de maio das 09:00 às 16:00 Rua Conde de Bonfim, 539, lj B Campanha de Adoção do SOS VIDA ANIMAL - Copacabana Data: 14 de maio das 10:00 às 16:00 Praça Edmundo Bittencourt - Bairro Peixoto Campanha de Adoção do AMA Animal Data: 15 de maio das 10:00 às 16:00 Local: Parcão da Lagoa.

? Castração. A testosterona é um dos motivos da agitação, marcação de território e até

agressividade. Quando um cão é castrado, ele para de produzir a testosterona, ficando assim muito mais fácil ter controle sobre ele. Além disso, é comprovado que diminui em até 99% a chance de ele ter tumores ou câncer de próstata. ? Não permitir que o cão puxe na hora de passear ? Não deixe que coloque as duas patas dianteiras sobre o dono – isso em cães dominantes, não é um abraço, é um desafio: Na matilha, subir em outro cão com as patas da frente é sinal de desafio. ? Nunca permitir que ele rosne para ao dono ou para qualquer membro da matilha/família ? Socializar seu cão com o mundo lá fora (outros cães, pessoas, barulhos e lugares diferentes, exercícios, Correr, brincar com outros cães, ser submisso ao seu líder, ter comida e água, um lugar para dormir bem, viver numa matilha estável e controlada). ? Não deixar que o cão impeça que o dono passe ? Sempre alimentar o cão depois de você e sua família comer ? Não deixar brincar de morder, mesmo que seja de brincadeira (lembram de como os filhotes determinam a hieraquia?). ? Sempre escovar seu cão. Na matilha, só o líder tem o direito de manipular os outros membros da matilha, além de fortalecer o vínculo entre vocês. Para casos de cães extremamente dominantes, além de um dono com postura firme, podese usar: ? Adestramento ? Florais ? Aromaterapia ? Cromoterapia E várias outras técnicas separadas ou juntas.

Para terminar, uma frase que não é minha, mas traduz exatamente o que penso em relação ao dono e seu cachorro: “PARA ENTENDERMOS MELHOR NOSSO CÃO, NÃO DEVEMOS TORNÁLO MEIO HUMANO E SIM NOS TORNAR MEIO CÃES”

Elaine Natal Comportamentalista/Adestradora clubedaspatinhas@gmail.com

São Paulo Campanha de doação de sangue animal Data: 07 de maio das 09:00 às 17:00 Local: Pet Shop Bicho Clean Rua Itapiru, 149 - Jardim da Saúde Adote um Focinho Carente – Tucuruvi Data: 07 de maio das 10:00 às 17:00 Av Tucuruvi, 248 Feira de Adoção União SRD 2011 – Pompéia Data: 14 de maio das 11:00 às 17:00 Av. Pompéia, 913 Brasília Feirinha de Adoção de Cães e Gatos no DF Data: 07 de maio das 10:00 às 14:00 Subida do Colorado - BR 020 - Brasília Feira de Adoção de Cães e Gatos (Sociedade Humanitária Brasileira) – Sudoeste Data: 07de maio das 10:00 às 13:30 CLSW 103 Bloco A-Loja 32/43 (Pet Shop - Lex & Lulu) Minas Gerais Adote um Amiguinho Fiel – Centro Data: 07 de maio das 9:00 às 13:00 Praça Governador Valadares – Centro Amigo não se compra, se adota! – Braúnas Data: 07 de maio das 10:00 às 16:00 Rua 1º de Maio, 165 – Contagem Paraná Feira de Adoção – Fazendinha Data: 07 de maio das 10:00 às 17:00 R: General Potiguara, 2860 Rio Grande do Sul Feira de Adoção de Cães Adultos e Filhotes Data: 14 de maio - Manhã e Tarde Av.Guaiba s/n - Praia de Ipanema

14


Calendário 2011 - O Rio Pêlo Próximo A venda em nosso site por apenas R$ 10,00 Compre já o seu! www.peloproximo.com.br

Pêlo Próximo quer levar a terapia animal para Nova Friburgo Até o final deste ano, o Projeto Pêlo Próximo, atravessará a ponte para desenvolver em parceria com o Amicão & Amicat, o trabalho de pet terapia nas instituições de idosos e orfanatos de Nova Friburgo. O grupo irá selecionar alguns animais do projeto, que se enquadram no perfil exigido e dará início a um trabalho de adestramento para preparar esses cães para as visitas, que serão realizadas mensalmente na cidade. Além de beneficiar centenas de pessoas que perderam tudo nas enchentes , os cães que serão selecionados pela equipe. "Nossa idéia é mostrar que todo o animal tem o seu valor, independente de ter ou não um dono. Ele também pode dar e receber amor, levar alegria e qualidade de vida aos visitados”.- afirma Roberta Araújo, coordenadora geral do Pêlo Próximo.

Amicão & Amicat consegue adoção para 57 animais em Nova Friburgo Campanha contou com o apoio do Projeto Pêlo Próximo A primeira campanha de adoção de animais de Nova Friburgo, organizada pelo Projeto Amicão & Amicat, em frente ao IENF, na Praça Dermeval Barbosa Moreira no dia 16 de abril, atingiu um número recorde de adoções. A campanha teve um público estimado de 400 pessoas e 57 animais foram adotados (21 gatos e 36 cães). A campanha de adoção, que contou com o apoio do Projeto Pêlo Próximo, teve por objetivo incentivar a adoção de cães e gatos que foram resgatados durante a enchente que perderam seus donos e conscientizar a população contra o abandono desses animais. Todos os adotantes preencheram uma ficha e receberam um manual de procedimentos, elaborado pela comportamentalista Elaine Natal, para auxiliar na adaptação do novo membro da família. Para maiores informações sobre o Projeto Amicão & Amicat, entre em contato através dos telefones (22) 9289-5352|(22) 9212-6756 ou visite o site www.amicaoamicat.com.br

15


Ano I • Número 2 • maio/2011 www.peloproximo.com.br

Nise da Silveira a precursora da pet terapia no Brasil O auxílio dos animais aos pacientes psiquiátricos Nise da Silveira nasceu em 1906, em Maceió. Foi a única mulher, entre os 156 alunos da Faculdade de Medicina da Bahia, que graduou-se em 1926. Em 1927 seu pai morreu, a mãe mudou-se para a casa do pai, e Nise, decidida como sempre, pegou um navio para o Rio de Janeiro. Começou sua carreira em psiquiatria no hospital que na época era popularmente chamado de hospício da Praia Vermelha (hoje Hospital Pinel), em 1933. Nas décadas de 50 e 60, a psiquiatra junguiana Nise da Silveira utilizou animais na terapia de pacientes internos. Ela percebeu a facilidade com que esquizofrênicos se vinculavam a cães. Em seu trabalho pioneiro com essas pessoas, a médica desenvolveu o conceito de afeto catalisado. Ela parte da idéia de que é importante que o paciente conte com a presença não invasiva de um coterapeuta que permaneça com o doente, funcionando como ponto de apoio seguro a partir do qual o doente possa se organizar psiquicamente. Após ilustrar exemplos de coterapeutas humanos, Silveira afirma que animais são “excelentes catalisadores”. Segundo ela, eles “reúnem qualidades que os fazem muito aptos a tornar-se ponto de referência estável no mundo externo”, facilitando a retomada de contato com a realidade.mmmmmmmmmmmmmmmm

projeções de conteúdos do inconsciente que os tornam alvos de ódio ou temor excessivo”, escreveu a psiquiatra (Sabia Althausen) Frases de Nise da Silveira: “O cão é um animal ideal para esse papel. Dá afeto incondicional sem pedir nada em troca, não provoca frustrações, traz alegria ao ambiente do hospital”. “Um dia, apareceu por lá uma cachorra que os funcionários estavam sempre enxotando. Então eu botei nela o nome de Nise e disse para eles: agora, vocês vão ter que enxotar a chefe do serviço: "Passa fora, Nise...” “Já os gatos são esquivos, têm uma maneira de querer bem talvez mais semelhante à dos esquizofrênicos. São os meus mestres e grandes companheiros”.

A aproximação dos internos do Centro Psiquiátrico Pedro II no Rio de Janeiro, começou por acaso quando foi encontrada uma cadelinha abandonada e faminta no terreno do hospital. Silveira tomou-se nas mãos e, percebendo a atenção de um dos internos, perguntou-lhe se gostaria de tomar conta do bichinho “com muito cuidado”. Diante da resposta afirmativa, a psiquiatra deu o nome à cachorrinha de Caralâmpia (personagem da A terra dos meninos pelados de Graciliano Ramos, inspirada em Nise da Silveira). Os resultados terapêuticos da incumbência assumida pelo paciente foram excelentes. Em sua obra, a médica faz referência a outros casos em que ocorrem relações afetivas entre pacientes e animais: Abelardo, paciente temido por sua irritabilidade e força física, assumia postura tranqüila e centrada quando tomava conta de alguns cães e gatos, mostrando-se apto a cuidar deles e investir afeto. Já a paciente Djanira teve sua capacidade criativa como pianista retomada por meio da relação com bichos. Nem sempre, porém as relações eram amistosas. “Os animais recebem também

16


Mitos e verdades sobre a castração de cães e gatos A palavra castração assusta. Muitas pessoas ainda associam castração à mutilação gratuita e crueldade. Comprovações científicas desmentem o preconceito e mostram que a esterilização previne vários problemas de saúde dos animais domésticos. A castração consiste em uma cirurgia feita em cães e gatos, fêmeas e machos, para impedir que se reproduzam sem controle. Para cada bebê que nasce, 15 cães e 45 gatos também podem nascer. Em seis anos, uma cadela e seus descendentes podem gerar 64 mil filhotes!! No caso das gatas esse número é ainda maior. I s s o ex p l i c a o g r ave p r o b l e m a d a superpopulação desses animais, com a morte de milhares deles. Isso pode ser evitado por meio da informação. Como funciona? Consiste na retirada do útero, trompas e ovários, no caso das fêmeas. Nos machos, na retirada dos testículosmmmmmmmm. A cirurgia, feita com anestesia geral, é simples, mas deve ser executada apenas por veterinários devidamente habilitados. Em torno de uma semana o animal estará totalmente recuperado. A castração pode ser feita a partir dos 2 meses de idade. Para as fêmeas é recomendado castrar antes do primeiro cio.

Vantagens da Castração: 1) Diminui drasticamente o risco de doenças nas vias uterinas, do câncer de mama, útero, próstata e testículos; 2) Elimina a Gravidez Psicológica, comum em algumas fêmeas após o término do cio, o que ocasiona aumento das mamas (muitas vezes com edema), a produção de leite e irritabilidade excessiva; 3) Elimina o risco do câncer dos órgão genitais; 4) Diminui o risco das fugas e brigas, que podem acarretar acidentes graves e até fatais; 5) Acaba com os latidos, uivos e miados excessivos que ocorrem por ocasião do cio; 6) Elimina os estados de excitação por falta de cruzamento (e o embaraço com as visitas!); 7) Elimina a inconveniente perda de sangue das cadelas no período de cio, assim como as desagradáveis reuniões de machos na porta de sua residência;

8) Diminuiu o hábito dos gatos de urinar em paredes e móveis para marcar território. A urina também perde o odor forte e desagradável.

Mitos sobre a Castração: 1)"Castração engorda?”mmmmmmmmmm O animal não engorda devido à castração e sim pela diminuição de suas atividades físicas, necessitando, portanto, mais exercícios. A quantidade de alimento também poderá ser diminuída. 2)"Eu não posso pagar!”mmmmmmmmmm O custo da operação será amplamente compensado por futuros gastos com alimentação, vacinas, etc. do animal gestante e das crias. Ou de eventuais complicações no parto ou ainda despesas com cirurgias e medicamentos decorrentes de doenças em animais não castrados (ex. Piometra). Hoje, várias clínicas realizam castrações a preços reduzidos ou facilitam o pagamento. 3) “Eu sempre arrumo pra quem dar os filhotes” mmmmmmmmmmmmmmmmm Nem sempre isso é verdadeiro, sendo mais comum a atitude de querer se livrar de um problema. É sempre bom lembrar que uma fêmea pode gerar dezenas de filhotes que, por sua vez, crescerão e terão outras crias, multiplicando o problema. Para que deixar novos filhotes nascerem se não há lares suficientes para os que já existem?

4) “Ele não tomará mais conta da casa.” Os animais castrados não perdem o instinto de proteger seu território. Por outro lado, perde o indesejável costume de urinar em diversos cantos. Cabe ainda lembrar que animais castrados ficarão mais caseiros, deixando de se envolver em brigas na disputa de fêmeas. 5) “Mas ela precisa ter pelo menos uma cria...” Ter uma cria não acrescenta saúde ao animal e sim mais animais ao problema. Pesquisas mostram que, quanto mais cedo for realizada a castração, menores as chances da fêmea desenvolver câncer de mama. A castração também prevenirá o surgimento de Piometra, doença freqüente em fêmeas adultas. 6) “Meu animal vai sofrer?”mmmmmmmmm A cirurgia, feita sob anestesia geral, é indolor. Dentro de um ou dois dias, o animal estará brincando e retomará suas atividades normais. 7) “Eu estarei interferindo na natureza do meu animal?” mmmmmmmmmmmmmmmm Seu animal não tem escolha, segue apenas o instinto. É dever do proprietário intervir e prevenir nascimentos indesejados. O animal será beneficiado e não subtraído de algo. Ajude a combater a superpopulação o abandono: castre seu cão ou gato, machos e fêmeas! Fonte: Arca Brasil

17


Ano I • Número 2 • maio/2011 www.peloproximo.com.br

Coluna Novidade para seu Pet 1 – Comedouro com Tampa Automática Se você é fissurado por pets e também quer cuidar bem de seu bichinho, este comedouro é ideal. Com tampa automática, este recipiente protege a comida de bactérias, impurezas e animais que possam infectar a ração de seu animal. É só o cachorro ou gato chegar perto do sensor, que as duas portinhas abrem sozinhas. Seu depósito interno de alumínio é removível, e pode ser lavado com água e sabão. Mais higiene para casa e zelo pelo seu bichinho. [http://www.mimapet.com.br]

2 - Casinha Penco Ecológica Preocupados em oferecer maior conforto aos nossos melhores amigos, desenvolvemos a casa ecológica para cães, muito mais prática do que as encontradas até então no mercado e testadas em nossos próprios cães. [http://www.pencoecologica.com.br]

3 - Lixador de unhas Premium As unhas do seu cão ou gato crescem para garantir que as patas cumpram sua função de garra. Mas os cães e gatos domésticos não precisam mais tanto dessa função das patas. Por esse motivo as unhas crescem além o desejado. Esse crescimento aliado ao fato de a maioria dos cães e gatos domésticos viverem em terrenos lisos (carpete, pisos etc.), faz com que o crescimento das unhas se torne mesmo um problema. Surge então a necessidade de aparar as unhas do seu animalzinho de estimação. Há vários instrumentos para realizar esse trabalho, mas a maioria deles exige habilidade profissional para não ferir o bichinho. Com o LIXADOR PREMIUM não há esse risco. Qualquer pessoa pode aparar as unhas do animal com segurança e conforto para ele. Esse produto foi desenvolvido para não causar qualquer risco para você ou seu bichinho. Ele possui uma lixa protegida por uma capa de acrílico com uma fenda de tamanho suficiente para a unha do seu animal. Essa tampa de acrílico não permite que o bicho se fira tentando morder a lixa em movimento e dá mais segurança para você. O produto segue com 4 resistentes lixas que vão durar muitas e muitas lixadas até que você tenha que trocá-las. Você não vai precisar ir ao veterinário tantas vezes só para cortar as unhas do seu bichinho. Funciona com duas pilhas médias não incluídas. [http://www.petsupermarket.com.br]

Menino paga tratamento de câncer vendendo desenhos na internet

Um menino americano de 5 anos conseguiu pagar o próprio tratamento de câncer vendendo 3.000 desenhos de monstros, palhaços e alienígenas na internet, muitos deles feitos na cama do hospital. Aidan Reed, que vive em Kansas City, nos Estados Unidos foi diagnosticado com leucemia em setembro do ano passado.

Os pai dele, Katie e Wiley, tiveram de ver o filho enfrentar semanas de sofrimento com o tratamento de quimioterapia e outros procedimentos dolorosos, mas tinham esperanças, já que os médicos haviam dito que o tipo de câncer de Aidan tem uma taxa de cura de 90%. Só que com as contas de hospital se acumulando, os Reed tiveram de colocar a casa da família à venda. Foi aí que surgiu a ideia de transformar um hobby de Aidan em fonte de recursos. “Eu gosto de desenhar cavaleiros, bobos da corte, palhaços assustadores e alienígenas", disse Aidan ao Survivors Club, uma organização que ajuda pessoas que enfrentam adversidade. “Eu também gosto de me vestir de palhaços bons e palhaços malvados. Eu posso ser um lobo ou um zumbi..." Sucesso Durante o tratamento, Aidan gostava de desenhar monstros. Estes desenhos foram colocados à venda na internet pela tia do menino, Mandi Ostein.

“Meu número de sorte é 60, então eu decidi que iria vender 60 desenhos", disse Ostein. Mas o sucesso foi tanto que a tia de Aidan acabou transformando sua casa em um centro de impressão e envio de desenhos. Muitos deles eram "assinados" pelo artista. Pedidos chegaram de vários países do mundo, inclusive do Brasil. "Eu fiquei chocado com a reação aos desenhos de Aidan. Acho que para ele também tem sido uma boa distração da doença", disse o pai de Aidan, Wiley Reed. No fim, foram vendidos cerca de 3.000 desenhos, arrecadando mais de US$ 30 mil (R$ 47 mil), o suficiente para cobrir todos os gastos com o tratamento e cancelar a venda da casa da família. "É absolutamente inacreditável. Nós somos moradores de uma cidadezinha do Meio Oeste americano. Este tipo de coisa não acontece com a gente", disse Ostein.mmmmmmmmmmmm

18


2º Edição | Maio 2011