Page 1

O Cavaleiro da Dinamarca Sophia de Mello Breyner Andresen


a d o r i e l a v o ca

A obra conta a história de um homem que vivia com a sua família numa floresta da Dinamarca.

Numa noite de Natal, durante a ceia, quando todos estavam reunidos à volta da lareira, a comer e a contar histórias, comunicou-lhes que iria partir em peregrinação à Terra Santa, para orar onde Cristo tinha nascido e que, portanto, daquela noite a um ano, não estaria ali. Prometeu também que, dali a dois anos, estariam juntos de novo.


Os Peregrinos têm em português um nome que deriva de uma forma latina: Per ager, que significa “através dos campos”; ou Per eger, “para lá das fronteiras”. Definem-se, assim, por uma extraterritorialidade simbólica que os faz, momentaneamente, viver sem cidade e sem morada. Experimentam uma espécie de nomadismo: não se demoram em parte alguma, comem ao sabor da própria jornada, dormem aqui e ali. Relativizam a prisão de comodismos, necessidades, fatalismos e desculpas. E o seu coração abre-se à revelação de um sentido maior.


A Dinamarca fica no norte da Europa


“Na Primavera seguinte partiu e, levado por bons ventos, chegou muito antes do Natal Ă s costas da Palestina,


dali, seguiu com outros peregrinos, para JerusalÊm.�


Jerusalém

“Visitou um por um, os lugares santos...”


“Rezou no monte do Calvário...”

Possível local

O Monte Calvário é uma pequena elevação fora dos muros de Jerusalém. Fica ao norte, perto da Porta de Damasco. Calvário vem do latim "calvária" crânio. Em aramaico é Gólgota - crânio, caveira No local, em 1885 o general inglês Charles George Gordon descobriu um túmulo, cujas pesquisas revelaram nunca ter sido o mesmo ocupado continuamente. Passou a ser tido como o de Cristo.


No possĂ­vel local onde Jesus foi sepultado, encontramos a Igreja do Santo Sepulcro


“...e no Jardim das Oliveiras,...”


Getsémani (Significa literalmente "prensa de azeite") é um jardim situado no sopé do Monte das Oliveiras, em Jerusalém (actual Israel), onde se acredita que Jesus e os seus discípulos tenham orado na noite anterior à crucifixão de Jesus. De acordo com o Evangelho segundo São Lucas, a angústia de Jesus no Getsémani foi tão profunda que o "seu suor transformou-se em grandes gotas de sangue, que escorriam até ao chão."


“...lavou a sua cara nas águas do Jordão ...”


m é b m a t ou e c s e d e . u o q t e r l o e u q M a a ar c fi M i o n g n i s a u g a s e Jordão d e ce s e d e s e d lugar on

A característica principal do rio Jordão é o seu progressivo aumento de salinidade à medida que avança para o Mar Morto. De facto, penetra doce no Lago de Tiberíades mas saliniza a partir daí até chegar ao Mar Morto que, com 325 partes por mil de salinidade, é 25 % mais salino que os oceanos.

De acordo com os Evangelhos, João Baptista desenvolveu a sua pregação nas proximidades do Jordão, onde Jesus foi batizado


“e viu, no luminoso inverno da Galileia, as águas azuis do lago Tiberíades.”


O Mar da Galileia, também conhecido por Mar de Tiberíades ou Lago de Genesaré ) é um extenso lago de água doce, o maior de Israel, com comprimento máximo de cerca de 19 km e largura máxima de cerca de 13 km. Desagua nele o rio Jordão, que vem do monte Hérmon e de Cesareia de Filipe, e que depois segue para o Mar Morto.


Grande parte do ministério de Jesus Cristo decorreu nas margens do lago de Tiberíades.

O evangelho segundo Marcos (1:14-20) e o evangelho segundo Mateus (4:18-22) descrevem como Jesus recrutou quatro dos seus apóstolos nas margens do lago de Genesaré: o pescador Pedro e seu irmão André, e os irmãos João e Tiago. Um famoso episódio evangélico, o Sermão da Montanha, teve lugar numa colina com vista para o lago e muitos dos milagres de Jesus também aconteceram aqui: caminhada pela água, acalmar uma tempestade, alimentar cinco mil pessoas e muitos outros.


“Procurou nas ruas de Jerusalém (...) o rasto de sangue e sofrimento que ali deixou o Filho do Homem, humilhado e condenado.”


“Quando chegou a noite de Natal, dirigiu-se paea a gruta de Belém. Ali rezou toda a noite.”


A Basílica da Natividade, também conhecida como Igreja da Natividade, localizada em Belém, na Palestina, é uma das mais antigas igrejas ainda em uso no mundo.

A Sua estrutura foi construída sobre uma caverna que a tradição cristã marca como o local de nascimento de Jesus. O local é considerado sagrado tanto para o cristianismo como para o islamismo.


Uma estrela de prata marca o local tido como o ponto exacto do nascimento de Jesus. A Sua construção data do ano de 326, quando teria sido ordenada por Santa Helena, mãe do imperador romano Constantino.


Já de regresso à Dinamarca, uma tempestade violentíssima quase destruiu o barco em que viajava e ele teve que ficar em Itália. Aí conheceu várias cidades (Ravenna, Veneza, Florença, Génova) onde fez diversos amigos, como o Mercador de Veneza, que lhe contou a belíssima história de amor de Vanina e Guidobaldo. De Giotto e Dante,... Após inúmeras peripécias , consegue chegar à floresta em que vivia, mas uma tempestade quase lhe provoca a morte.No entanto, anjos acendem pequenas estrelas no abeto que ficava em frente à sua casa, guiando-o até ao calor do seu lar e de sua família...


Quando ele ia pela floresta ele pensou que o gelo do rio estaria gelado e seguiria-o até sua casa mas não encontrou o rio... Foi andando sempre em frente sem destino e mais ao longe viu uma luz que se destacava pela sua grandeza... Esta, era a luz de sua casa. O cavaleiro não sabia disto, mas ainda assim resolveu ir atrás da luz, encontrando a sua casa. É por essa razão que se enfeitam os pinheiros no Natal e essa é a grande história do cavaleiro da dinamarca.


Fim Um trabalho de Língua Portuguesa e Educação Moral e Religiosa Católica

O Cavaleiro da Dinamarca  
O Cavaleiro da Dinamarca  

Trabalho realizado em conjunto pelas disciplinas de EMRC e Língua Portuguesa

Advertisement