Page 1

7, 9 0 R$ Nº03 ISSN 2317-3696

EDIÇÃO

MAIS SABORES NO FORNO

PADARIAS ESPECIAIS ESPALHAM-SE PELA CIDADE E OFERECEM, ALÉM DE PÃES ESPECIAIS, DOCES E OUTRAS DELÍCIAS

DECORAÇÃO

PERGOLADOS PARA UM DOCE PRAZER

TECNOLOGIA

APARELHOS PARA DEIXAR A CASA UM BRINCO

GPS

AS MELHORES GALERIAS DA CIDADE

CIDADÃO INN

VIDA DE MAX TROMBINI VIRA FILME


ISSN 2317-3696

EDIÇÃO

Nº03

R$

7, 9 0

Editorial MAIS SABORES NO FORNO

w w w . i n n s a o p a u l o . c o m . b r

PADARIAS ESPECIAIS ESPALHAM-SE PELA CIDADE E OFERECEM, ALÉM DE PÃES ESPECIAIS, DOCES E OUTRAS DELÍCIAS

Expediente DIRETORA RESPONSÁVEL Fátima Lopes fatimalopes@innsaopaulo.com.br

DECORAÇÃO

PERGOLADOS PARA UM DOCE PRAZER

TECNOLOGIA

GPS

APARELHOS PARA DEIXAR A CASA UM BRINCO

AS MELHORES GALERIAS DA CIDADE

FOTO DE CAPA: KEINY ANDRADE Capa_INN_003c.indd 1

CIDADÃO INN

DIRETOR EXECUTIVO João de Paulo Neto joaodepaulo@innsaopaulo.com.br

VIDA DE MAX TROMBINI VIRA FILME

06/05/2013 15:28:28

PROJETO EDITORIAL Editora Inn CONSELHO EDITORIAL Rosane Aubin Fátima Lopes João de Paulo Neto EDITORA CHEFE Rosane Aubin

Gostosuras e belezas

E

STA EDIÇÃO da sua

sombra e flores. A densidade está

revista está gostosa e

no artigo sobre a Casa de Vidro,

perfumada, densa e

construção histórica que a arquiteta

DIREÇÃO DE ARTE Edgard Santos Jr. Eric Iwamoto DIRETOR DE FOTOGRAFIA Julio Portes

leve. Estranhou? É fácil

Lina Bo Bardi ergueu no Morumbi

explicar. Nossa reportagem de capa

para morar com o marido, Pietro

responde pela parte deliciosa: o

Maria Bardi. A jovem estudante de

repórter Luiz Cláudio Rodrigues

arquitetura Carolina Ongaratto

investigou o que as padarias cheias

fotografou

de docinhos caprichados e pães feitos

impressionada com a história desses

à moda francesa têm a oferecer aos

dois passionais italianos, um casal

paulistanos,

reconhecidamente

que marcou a paisagem e a arte da

apaixonados por esse tipo de

cidade. Também temos as principais

estabelecimento. Keiny Andrade,

galerias na avaliação de dois críticos

um fotógrafo atento aos detalhes,

de arte, e uma entrevista inspiradora

registrou o apresentador Neto no

de Renata Turbiani com Max

Portal do Padeiro, na imagem que

Trombini, o Aprendiz de Samurai.

ilustra nossa capa. A onda perfumada

E, como a leveza é essencial,

vem dos pergolados, uma tendência

reunimos várias opções de bares,

ASSISTENTE DE PUBLICIDADE Pedro de Paulo

cada vez mais

baladas e restaurantes que podem

IMPRESSÃO

em

na

ajudar na hora de jogar para o alto

arquitetura:

as preocupações e os problemas e

Renata de Farias

aproveitar os prazeres da vida.

entrevistou

Esperamos que a leitura seja leve,

alguns

agradável e traga conhecimento e

voga

arqui-

tetos, que mostraram

4

PROJETO GRÁFICO E DIAGRAMAÇÃO

INN SÃO PAULO I MAIO/JUNHO

o

e

ficou

TEXTO Eduardo Bonilha Renata Turbiani Lúcio Oliveira Renata de Farias REVISORA Silvana Marli Fernandes DIRETORA DE PROJETOS ESPECIAIS Alessandra Cominara alessandra@innsaopaulo.com.br JORNALISTA RESPONSÁVEL Rosane Aubin (MTB 12.275)

REDAÇÃO E PUBLICIDADE Av. José Giorgi, 1.121 Cj. 15 Granja Viana - Cotia - São Paulo CEP: 06707-100 Tel.: (11) 4612-2253 editora@innsaopaulo.com.br

informação!

seus

projetos cheios

Boa Leitura!

de

Rosane Aubin

conforto,

local

FOTO Keiny Andrade Carolina Ongaratto

As opiniões e os artigos nesta edição não expressam, necessariamente a opinião dos editores. É proibida e reprodução em qualquer meio de comunicação das fotos e matérias publicadas sem a autorização do editor. As pessoas não listadas no expediente não estão autorizadas a falar em nome da revista ou a retirar qualquer tipo de material sem prévia autorização emitida pela redação ou pelo departamento de marketing da revista INN São Paulo. Os preços citados nesta edição estão sujeitos a alterações sem aviso prévio bem como os estoques dos produtos são limitados.


Sumário

w w w . i n n s a o p a u l o . c o m . b r

14

24

Perfil Inn Ousadia premiada

34

Decoração Pergolados: sombra, água fresca e beleza

38

52

10

Tecnologia Aparelhos ajudam a tomar conta do lar

40

Motores GPS Integrado, uma nova atração dos carros

8

Happy Hour

Espaço com ares vintage e a inovadora casa de shows do Jockey

44

10

Reportagem

Casa de Vidro abriga exposição

16

Dicas Inn

A boa música que vem do Pará

24

Capa Inn

Padarias com algo a mais

6

INN SÃO PAULO I MAIO/JUNHO

44

Cidadão Inn Um samurai que veio de Ubatuba

52

GPS As galerias mais respeitadas de São Paulo

60

Roteiro Bares, restaurantes e baladas

66

São Paulo em 2 Tempos Pátio do Colégio há quase cem anos


MAIO 2012 I INN Sテグ PAULO

PB


Happy Hour

Antigo, mas novo: o galpão e os móveis do Estúdio Glória surpreendem pela atualidade

Novidades com ar vintage

O ESTÚDIO GLÓRIA, de Karina Vargas, é conhecido por quem gosta de móveis com ar antigo vestidos com roupa moderninha. Com tecidos exclusivos e muita criatividade, a designer recria e restaura pecas vintage que viram verdadeiras obras de arte. Agora, a charmosa mobília e a mais nova criação de Karina, uma exclusiva linha de produtos para cama, mesa e banho desenvolvida artesanalmente, estão em exposição em um espaço que vale uma visita, mesmo que você não queria comprar nada. A loja, na Rua Mateus Grou, número 576, em Pinheiros, tem atmosfera totalmente em sintonia com o trabalho da designer. Ela reformou o espaço que nos anos 1940 abrigou uma padaria famosa, que formava longas filas no bairro, e deixou tudo com um ar vintage de casa da vovó que acabou de tomar um banho de loja. Um exemplo dos móveis que os visitantes encontram no imenso galpão são a penteadeira Luis XV e o criado-mudo em cores pastel e detalhes em dourado. Maria Antonieta acharia o máximo! www.estudiogloria.com.br 8

INN SÃO PAULO I MAIO/JUNHO


10

INN Sテグ PAULO I MAIO/JUNHO


Perfil

OUSADIA PREMIADA

Artigo sobre energia nuclear de estudante do Dumont Villares ganha prêmio da Unesco

O

Fotografia: Julio Portes

ESTUDANTE Guilherme Talermann, do Colégio Dumont Villares, estava na primeira série do Ensino Médio quando teve uma aula sobre fusão e fissão nuclear. Na saída, ele e os amigos discutiram o assunto, e ele começou a questionar os colegas sobre as opiniões contrárias a esse tipo de energia. “Percebi que muitas pessoas falam sem ter conhecimento, e isso é muito ruim. Foi aí que decidi escrever o trabalho abordando a questão do preconceito”, conta o jovem, que à época, em 2012, tinha 15 anos. Quando tomou conhecimento sobre um concurso promovido pela Unesco para comemorar o Dia Mundial da Ciência pela Paz e Desenvolvimento, em 10 de novembro de 2012, ele decidiu abordar o assunto. Inscreveu o artigo Preconceito Radioativo, em que fala sobre o desconhecimento que cerca o tema. Com determinação, ele mostrou que poderia desenvolver um trabalho consistente. “Tive receio no começo, por desconhecer o assunto. Mas o Guilherme foi ousado; estava decidido a falar sobre energia nuclear”, conta a professora que orientou o estudante, Cleusa Dellagnese. A originalidade do jovem foi reconhecida: ele ficou com o segundo lugar no concurso − o primeiro ficou com Ingryd Rodrigues dos Passos, do Externato Santa Terezinha, de Araraquara, São Paulo, de 18 anos − e foi convi-

Da esquerda para direita: Angela Reda Perez Fonseca, Guilherme Talerman Pereira, Dna. Eliana Baptista Pereira Aun e Cleusa Dellagnese.

Contra a corrente: Guilherme defendeu a energia nuclear, que costuma ser criticada 14

INN SÃO PAULO I MAIO/JUNHO

dado a visitar as instalações da Eletrobras Eletronuclear, no Rio de Janeiro e em Angra dos Reis, em março deste ano. “O que mais me impressionou, além do comprometimento com a segurança, foi a preocupação com o meio ambiente que a empresa tem. O Greenpeace não tem o que falar”, brincou Guilherme durante o passeio, em que foi acompanhado pela professora Cleusa, por sua mãe e por outro representante da escola. Além de ter recebido o troféu de segundo lugar e o certificado de participação, o aluno teve seu artigo publicado na revista da Unesco. “Ele defendeu a tese de que, apesar de desconhecida pela sociedade, a energia nuclear é a melhor e mais limpa fonte de energia sustentável no Brasil”, escreveu a professsora Cleusa em texto disponível no site da escola. Na viagem ao Rio de Janeiro, Guilherme recebeu mais um troféu que retrata um reator nuclear do presidente da Eletronuclear, Othon Luiz Pinheiro da Silva. A comitiva visitou as usinas de Angra 1 e Angra 2, além das obras de Angra 3. O evento promovido pela empresa incluiu uma palestra para estudantes da região, ocasião em que Guilherme Talermann foi convidado a falar sobre seu artigo. O texto também foi publicado na revista da companhia, chamada Átomo.


Dicas

É DO PARÁ! Em seu disco de estreia, A fim de onda, Luê mostra a riqueza da música regional com pegada MPB Por: Eduardo Bonilha

U

M DOS POLOS mais reveladores de novos talentos, o Pará vem se firmando no cenário musical nacional com um time de artistas que primam pela alegria e pela diversidade. O Estado, que já deu Fafá de Belém, Alípio Martins, Beto Barbosa e, recentemente, Gaby Amarantos e todo um movimento do tecnobrega, apresenta agora Luê. Cantora de voz macia e firme, ela se adapta a vários ritmos e, ainda por cima, é uma compositora cheia de originalidade, que desvia da tendência do eletrônico para deixar seu som ser dominado por instrumentos acústicos, criando um efeito orgânico do começo ao fim. Criada no meio musical − seu pai, Júnior Soares, é um dos fundadores do Arraial do Pavulagem, grupo que promove a música de raiz da região amazônica −, Luê começou no violino clássico, que estudou dos 9 aos 21 anos. Aos poucos, foi flertando com a MPB e conseguiu unir esses dois interesses ao conhecer a rabeca, um primo popular do instrumento. Faltava algo mais para ela se sentir uma artista completa, até que descobriu sua voz. A partir daí, cantar se tornou natural, como mostra nas dez

16

INN SÃO PAULO I MAIO/JUNHO


Dicas Discos – Gang do Eletro – Gang do Eletro (Deck) Vencedores da categoria Revelação no Prêmio Multishow 2012, a Gang do Eletro também vem do Pará e na esteira rolante conduzida por Gaby Amarantos, que colocou o tecnobrega nas pistas de dança de todo o país e no exterior. O grupo conta com o DJ Waldo Squash, conhecido pelas festas de aparelhagem em Belém e que já trabalhou com Gaby e até com o Pet Shop Boys. Na receita da Gang, cumbia, carimbo, reggaeton e dance europeu dão o tom nas dez faixas, com letras que convidam o ouvinte a entrar na onda e não ficar parado. – Biquíni Cavadão – Roda Gigante (Warner Music) Uma das poucas bandas ícones do rock nacional dos anos 1980 que segue com frescor, sempre na estrada. Chega ao seu 14º disco, com 12 faixas, das quais 11 são inéditas. Entre elas, algumas parcerias que rejuvenescem o som da banda, como em “Acordar pra sempre com você”, com Lucas Silveira, do Fresno, e em “O último a saber”, com João Eduardo Vasconcelos, do Los Porongas. Rogério Flausino, do Jota Quest, também está presente dividindo os vocais com Bruno Gouveia em “Agora é moda”, de Rita Lee.

– Tetine – In Loveland With You (Slum Dunk Music) Radicados em Londres desde 2000, os paulistas Bruno Verner e Eliete Mejorado chegam agora ao 18º disco do duo incluindo EPs e vinis. A pegada eletrônica se mantém dominante, mas os instrumentos acústicos, como piano, violão e percussão, ganham destaque. As faixas se alternam entre letras em inglês e em português − destaque para “O bandido”, uma narrativa climática na voz de Eliete. Outra grata surpresa é a presença do Mutante Arnaldo Baptista em “To burn”, um punk funk que abre o novo trabalho do grupo.

– Alabama Shakes – Boys & Girls (Rough Trade) Uma das melhores surpresas do festival Lollapalooza, realizado no Jockey, em São Paulo, em março passado, a banda comandada pela vigorosa Brittany Howard traz novo fôlego ao rock com pegada black. Não é demais dizer que Janis Joplin vem à cabeça na primeira audição, e as comparações não param por aí. Representando o bom soul do sul dos Estados Unidos, Brittany puxa a voz da alma, e ainda empunha uma guitarra que é uma beleza. Basta ouvir a primeira faixa deste CD, “Hold on”, para deixar o som impregnar e se tornar fã. – Gal Costa − Recanto ao Vivo (Universal Music) Depois de lançar o disco Recanto em 2011 só com músicas inéditas de Caetano Veloso, Gal Costa passou a apresentar o show de mesmo nome. O registro de dois deles, realizados no Theatro Net Rio, no Rio de Janeiro, chega agora em um CD duplo. Das 11 músicas gravadas em estúdio, nove fazem parte deste “Ao vivo”, entre elas “Autotune autoerótico”, “Miami maculelê” e “Tudo dói”, que ganham interpretação mais firme. Nas demais faixas, clássicos no cancioneiro de Gal como “Baby”, “Vapor barato” e “Modinha para Gabriela”.

18

INN SÃO PAULO I MAIO/JUNHO


Dicas Livros – Febre (Patuá, 104 págs.) Professor de jornalismo e autor de contos e poesias, Renato Essenfielder lança agora seu primeiro romance. Escrito na primeira pessoa, conta a história de um homem que tem sua temperatura corporal aumentada conforme se aproxima o dia de seu casamento. A estrutura do texto acompanha esse distúrbio, o que permite uma narrativa original, já que as ideias do personagem vão se embaralhando de acordo com seu estado febril. – Geografia de Dona Benta (Globinho, 252 págs.) – O Sítio do Descobrimento – A Turma do Picapau Amarelo na Expedição de Pedro Álvares Cabral (Globinho, 160 págs.) Dois relançamentos colocam Monteiro Lobato de volta às estantes das livrarias, e ambos com conteúdo paradidático. Em O sítio do descobrimento, lançado em 2000, a escritora Luciana Sandroni se apropria dos personagens de Lobato e põe Pedrinho e sua turma na caravela de Cabral. Em Geografia de Dona Benta, de 1935, o escritor mostra o mundo às crianças. Esta edição vem atualizada com mapas explicando as transformações geográficas.

– Coleção Rock’n’Roll (Melhoramentos) São dois livros − Hambúrguer e Sorvetes & milk-shakes − ideais para quem gosta de dar um toque gourmet ao fast-food. No primeiro, além do tradicional cheeseburger, há receitas com peixes e até com caranguejo, todas para fazer em casa. No segundo, as dicas vão desde os sorvetes mais simples até a sofisticação do mascarpone como ingrediente ou do sorbet de champanhe, uma espuma rosada fácil de fazer e boa para impressionar na sobremesa.

– Dicionário Gastronômico − Vinho com Suas Receitas (Gaia e Boccato, 176 págs.) De A a Z, a jornalista Jezebel Salem preparou verbetes que ajudam o leitor a entender melhor o universo do vinho. E ela contou com o chef francês Christian Formon, que preparou receitas em que a bebida entra como ingrediente e outras em que ela é a melhor opção de acompanhamento, com dicas de harmonização. Com linguagem simples e de fácil compreensão, não é preciso ser nenhum enólogo para aproveitar as dicas que o livro oferece.

– Alma em Nietzsche – A Concepção de Espírito para o Filósofo Alemão (LeYa, 192 págs.) Doutor em filosofia, o autor Mauro Araújo de Sousa parte do preceito de Platão de que somos formados por corpo e espírito para explicar as ideias de Nietzsche, reconhecidamente ateu, sobre a alma. Nessa jornada, o escritor também se vale do uso que a Igreja Católica faz do conceito platônico para contrapor às reflexões nietzschianas, buscando esclarecimentos sobre a formação do homem, sua intuição, sua inteligência e sua vida.

20

INN SÃO PAULO I MAIO/JUNHO


Dicas Cinema – Amor Profundo (Drama) Hester, mulher de um importante juiz, vive um casamento de aparências e se envolve com um piloto de avião que sofre com os traumas da Segunda Guerra Mundial. Esse caso vai mudar o rumo da personagem quando sua infidelidade for descoberta, e ela até chega à beira do suicídio. O filme se passa nos anos 1950 e é protagonizado por Rachel Weisz, de O jardineiro fiel. Estreia prevista para 24 de maio.

– Se Beber, Não Case! – Parte III (Comédia) Dessa vez, o quarteto cai na estrada após a morte do pai de Alan (Zack Galifianakis) para levá-lo a um tratamento psiquiátrico, já que ele fica muito deprimido. Mas o encontro com uma quadrilha de traficantes os fazem desviar a rota e irem parar em Tijuana, no México. Daí em diante, pode esperar muita confusão cheia de trapalhadas, e preparar a risada. Estreia prevista para 30 de maio.

– Universidade Monstros (Animação) Antes de se tornarem amigos inseparáveis, Sulley e Mike passaram pela universidade para se tornarem monstros assustadores, e lá o clima entre os dois não era dos melhores, cheio de rivalidade. Nesse novo filme da Pixar, os fãs das aberrações mais queridas do cinema poderão conferir como a dupla se formou depois de várias trapalhadas que os colocaram em diversas enrascadas. Estreia prevista para 21 de junho.

– Guerra Mundial Z (Terror) A raça humana está ameaçada por causa de uma invasão de zumbis, que atacam em várias partes do planeta contaminando o que veem pela frente. O filme é baseado no best seller de Max Brooks e deve ser o primeiro de uma trilogia. Brad Pitt é o protagonista no papel de um oficial das Nações Unidas que tem de ir às zonas invadidas atrás de uma cura para a onda de mortos-vivos. Estreia prevista para 28 de junho.

– Além Da Escuridão − Star Trek (Ficção Científica) Finalmente os fãs da série Jornada nas estrelas poderão ver a tão aguardada sequência dessa nova versão cinematográfica, que continua nas mãos do diretor J. J. Abrams (criador do seriado de TV Lost). Em Além da escuridão, o capitão Kirk se vê envolvido com uma crise que afeta toda a tripulação de sua nave, a Enterprise, e deve combater o inimigo com poder de destruição em massa. Estreia prevista para 14 de junho.

22

INN SÃO PAULO I MAIO/JUNHO


24

INN Sテグ PAULO I MAIO/JUNHO


Capa

!

MUITO ALÉM DO PÃOZINHO

Padarias especiais oferecem pães gourmet e outras delícias que conquistaram o paladar dos paulistanos Por: Luis Cláudio Rodrigues Fotografia: Keiny Andrade, Alexandre Pirani e Divulgação

O

PÃO NOSSO DE cada dia está numa oração diária de todos os católicos do mundo. E olha que não é pouca gente! Mas povos de todas as culturas e religiões têm o pão como alimento básico e diário em suas dietas. No Brasil, esse segmento de mercado representa 2% do PIB nacional e gera 1,5 milhão de empregos indiretos em todo o país, segundo o (Sindicato e Associação dos Industriais de Panificação de São Paulo e Instituto do Desenvolvimento da Panificação e Confeitaria (Sindipan, Aipan e IDPC) de São Paulo. A procura pela panificação é tamanha que o consumo

26

INN SÃO PAULO I MAIO/JUNHO

diário é de 15 milhões de pãezinhos por dia, somente na capital paulista. “O consumo per capita difere no Brasil todo, mas São Paulo (Estado e Capital) chega a 45 quilos ao ano. Nos outros Estados brasileiros, essa média gira em torno de 33 quilos ao ano, revela Antero José Pereira, presidente do Sindipan. Na capital paulista, além das megapadarias que surgiram nos últimos dez anos, as boulangeries têm chamado a atenção pela variedade de pães especiais, chefs especializados e ambientes sofisticados. Elegemos algumas das mais bem frequentadas na cidade para descobrir alguns de seus segredos.


Capa

!

Marie-Madeleine Boutique Gourmet Inaugurada em outubro de 2010 na Vila Nova Conceição, a boulangerie Marie-Madeleine é uma boutique gourmet que produz pães artesanais leves e frescos, entre eles croissants e baguetes, além de produtos de pâtisserie e rotisserie. A casa elabora seus elogiados pães através do processo de fermentação natural com um levain exclusivo de mais de 40 anos cultivado pelo boulanger francês Jean -Louis Clément, detentor do título “Meilleur Ouvrier de France” e uma das maiores autoridades mundiais na técnica de produzir pães. Jean-Louis Clément e a chef Izabel Pereira se conheceram na França, enquanto ela realizava cursos para se aprimorar. O boulanger se tornou o maior entusiasta e padrinho de Izabel no projeto da Marie-Madeleine. A casa possui também uma cozinha-ateliê onde ocorrem cursos de gastronomia e um espaço para eventos exclusivos. Nas prateleiras de seu empório, encontram-se produtos de alta qualidade, como azeites, geleias, vinhos, queijos e carnes premium. Formada em gastronomia pela Universidade Anhembi Morumbi, Izabel Pereira decidiu ir para Paris, mais especificamente à École Lenôtre, aprimorar seus conhecimentos na área. Lá teve a oportunidade de conhecer

Fermento especial: a Marie-Madeleine, uma parceria entre uma brasileira e um francês, prepara pães artesanais leves e frescos 28

INN SÃO PAULO I MAIO/JUNHO

Jean-Louis Clément. Encantado com a vocação da jovem aprendiz e sua paixão pela culinária, o experiente chef a incentivou a abrir seu próprio negócio, o que já era um sonho de Izabel e, principalmente, incluir uma boulangerie entre seus planos. Ainda em Paris, o conceito da Marie-Madeleine ganhava forma, mas foi em uma viagem a Vézelay que nasceu a motivação para realizar o sonho no Brasil. Izabel comanda hoje a Cozinha Marie-Madeleine e a Patisserie, em conjunto com Jean-Louis Clément, que supervisiona a boulangerie. Por sua expertise, a Marie-Madeleine possui uma filial no elitizado Shopping Cidade Jardim, com uma loja inspirada nas vitrines das confeitarias tipicamente francesas. O charmoso espaço dá destaque aos doces variados e artesanais da pâtisserie francesa. Rua Afonso Brás, 511, Vila Nova Conceição Tel. (11) 2387-0019 Shopping Cidade Jardim, Av. Magalhães de Castro, 12.000, Piso 1 - Tel. (11) 3198-9318 Horário de atendimento: segunda a sábado, das 10h às 22h; domingos e feriados, das 12h às 20h Preço do pãozinho: o baguete custa R$ 9,00


Capa

!

Portal do Padeiro A megapadaria do Morumbi já foi agraciada duas vezes com o Top of Mind Brazil, concedido anualmente pelo Instituto Brasileiro de Pesquisa de Opinião Pública (Inbrap). O lugar é um verdadeiro point no bairro. Entre os seus diferenciais há um espaço gourmet, mas o que realmente chama a atenção da exigente clientela do lugar são seus salgadinhos, principalmente as miniquiches de diversos sabores: queijo, alho-poró, champignon, tomate seco e, é claro, a tradicional quiche lorraine. Mas, para quem deseja algo mais, o Portal do Padeiro oferece um bufê de refeições saborosas, bolos, canapés, sanduíches de metro e patês variados. As encomendas para festas são um dos pontos fortes da padaria, que os aceita somente por telefone. Entre seus clientes famosos está o ex-jogador de futebol Neto, hoje comentarista da TV Bandeirantes. “Fica próxima ao meu apartamento e a frequento há mais de três anos, todos os dias. Primeiro porque é uma família que toma conta do negócio. Os funcionários são muito atenciosos e a qualidade dos produtos é de primeira linha”,

diz o atleta. Já que estávamos diante de um ídolo do futebol brasileiro nossa reportagem não deixou de perguntar sobre o seu sonho de ser presidente do Corinthians. “Sim, claro! Tenho esse sonho sim. Até para tentar retribuir tudo o que esse clube fez por mim. E para isso já estou me envolvendo politicamente lá dentro. Fui eleito conselheiro e preciso de mais duas eleições desse cargo para me tornar apto a candidatura presidencial. Os corintianos poderão esperar de mim, se for presidente, principalmente a honestidade, até pela gratidão eterna, e muita vontade de seguir fazendo o que é certo. Com o objetivo de deixar o Corinthians sempre no topo do futebol mundial”, planeja o ex-jogador de futebol. Rua Prof. José Horácio Meirelles Teixeira, 546, Morumbi Tel. (11) 3501-2090 Horário de atendimento: de domingo a domingo, das 6h às 22h Preço do pãozinho: R$ 11,30, o quilo

Clientela estrelada: Neto é um dos fiéis frequentadores do Portal do Padeiro

CRÉDITO: KEINY ANDRADE

30

INN SÃO PAULO I MAIO/JUNHO


Capa

!

Deli Paris A Deli Paris é a boulangerie pioneira no Brasil em produtos com receitas típicas francesas, feitas artesanalmente com a maior qualidade e os melhores ingredientes. Situada desde 1998 no coração da Vila Madalena − na Rua Harmonia −, a padaria tem como inspiração o charme dos cafés da região parisiense. No café da manhã são oferecidos bolos, frutas, frios, sucos, omeletes, ratatuille e queijos (das 7h às 11h30). Para quem prefere almoçar por lá há um bufê com sete pratos quentes e dez tipos de saladas. Seu chá da tarde é famoso por servir o tradicional pão de nozes com manteiga. Entre as novidades do seu cardápio estão as crepes parisienses e de gorgonzola com tomate seco e cebola. Pelo charme do lugar é como aproveitar um pedacinho da França em São Paulo. Rua Harmonia, 484, Vila Madalena Tel. (11) 3816-5911 Horário de atendimento: de domingo a domingo, das 7h às 22h Preço do pãozinho: R$ 16,90, o quilo

5

Pioneira: a Deli Paris começou a onda de padarias em estilo francês na cidade

6 Variedade: localizada na Vila Madalena, a casa oferece muitos tipos de doces e bufê no almoço

32

INN SÃO PAULO I MAIO/JUNHO


Perfume no ar: Alexandre Galhego usa plantas para vestir o pergolado e deixar o ambiente com aromas

34

INN Sテグ PAULO I MAIO/JUNHO


Tecnologia

OS NOVOS AJUDANTES DO LAR

Aparelhos eletrodomésticos ajudam a deixar a casa em ordem

N

ESTES NOVOS TEMPOS em que muitas donas de casa estão sem empregadas domésticas por conta das mudanças na legislação trabalhista, o mercado de eletrodomésticos oferece cada vez mais produtos que facilitam a árdua tarefa de manter a casa limpa e em ordem. Aqui, alguns dos mais importantes lançamentos com tecnologia de ponta para deixar a morada um brilho! De geladeira que avisa quais alimentos estão faltando até um aspirador que desliza pelo chão sem se enroscar nos móveis, os novos produtos prometem facilitar a vida dos donos de casa.

Lavadora/Secadora Intelligent Sensor A Electrolux trouxe um novo conceito para a categoria de lava e seca com o lançamento da Intelligent Sensor. O desing e a inovação tecnológica foram totalmente criados pela equipe de desenvolvimento de produto do Brasil, com 90% dos componentes de origem nacional. Com capacidade para 12 quilos, seu design top load (abertura superior) segue a ergonomia que as consumidoras brasileiras pediram em pesquisas encomendadas pela empresa. A máquina tem sensores de nível que detectam a quantidade de água necessária para a carga de roupas colocada no cesto, evitando o desperdício, economizando até 40% no enxague. Preço sugerido: R$ 3.199,00.

Lava-Louças LE12X Com painel blue touch, a lava-louças LE12X permite lavar a louça de até 12 pessoas de uma só vez. Ideal para quem tem família grande ou para quem gosta de receber os amigos em casa. Sua porta metálica dupla não fica superaquecida, tem capacidade para utensílios altos. Possui cestos inteligentes que ajustam a altura e hastes removíveis. Seu interior de aço inox permite maior durabilidade. Preço sugerido: R$ 2.899,00.

38

INN SÃO PAULO I MAIO/JUNHO


Utilitário esportivo: Renault Duster na versão Tech Road traz GPS integrado como parte do kit Media Nav; a tela é de 7 polegadas, sensível ao toque e com display colorido

40

INN SÃO PAULO I MAIO/JUNHO


Cidadão INN SÃO PAULO - Por que resolveu escrever o livro Revendo sua vida como um todo, qual a análise que Aprendiz de Samurai? faz do que passou? MAX TROMBINI - Sempre fui um garoto mui- Nunca lamentei minha pobreza nem minhas dificuldades. to sonhador, me deslumbrava com tudo. Durante Não sou do tipo que reclama. Pelo contrário. E também toda a minha vida, a cada dificuldade que passa- acho que toda dificuldade vem acompanhada de uma va, eu pensava: “Um dia vou registrar essas pas- oportunidade. Sei que agora é fácil filosofar, é claro que sagens”. Tive muitos momentos difíceis, de dor, e vivi muitos momentos difíceis, como contei no livro. Lógiqueria, de alguma forma, compartilhar com as pes- co que já tive vontade de desistir, mas, nesses momentos, soas. E é algo engraçado, porque desde pequeno quando eu estava começando a me entregar, sempre vinha pressentia que faria isso. Tem coisas que sentimos uma mão para me dar um ânimo a mais. Hoje, agradeço que vão acontecer. Contar minha história era uma por tudo o que tenho e o que aconteceu comigo. Sou muito dessas. Eu sabia que iria fazer um dia. Então, de- feliz e realizado com tudo o que conquistei. pois de algum tempo, comecei a anotar tudo em um caderno. Foram quatro anos fazendo isso. Lá Tem alguma frustração? coloquei tudo o que aprendi, todos os meus ensi- Outro dia mesmo me falaram: “Ah, você deve estar namentos no tatame, tudo o feliz por, de algum modo, que vivi, os valores que adparticipar da seleção e treinar quiri da luta... Quando achei atletas de outros países”. Eu já “Realmente, eu nunca que era hora, chamei um treinei, por exemplo, a equipe amigo jornalista, o Wagner japonesa de judô. Foram nove fui um campeão. Na verHilário, e ele me ajudou a olímpicos, os dade, sempre fui um atle- medalhistas melhorar minha narrativa. monstros do esporte, atletas ta mediano, que teve mais que todo mundo reverenciaMas o que mais me impulsionou a escrever foram os meus va, e esses caras vieram para sorte como professor do sonhos mesmo, a vontade de cá atrás de mim, para treinar que como lutador.” registrar e compartilhar com comigo. É ótimo, claro. Mas as pessoas as dificuldades e confesso que trocaria tudo mostrar que a luta tem granisso por disputar uma Olimde potencial para ajudar o jovem, principalmente píada e ganhar uma medalha. Não sou do tipo que os que saem de periferia, como eu, a vencer seus faz demagogia e diz que o que aconteceu foi o melhor problemas emocionais, financeiros... A minha in- para mim, nada disso. Ganhar uma medalha é algo tenção foi essa: passar para o mundo uma história que eu sempre quis e não escondo. Dói ter perdido de superação. a seletiva. É uma tristeza que vou carregar para sempre, não posso tapar o sol com a peneira, mas tamComo você mesmo disse, na sua vida foram muitos bém entendo que não era para ser. E se a vida que eu os momentos difíceis, mas ao mesmo tempo você tenho hoje, como professor e treinador, é um prêmio teve alguns episódios até mágicos e ajuda de muita de consolação que Deus me deu, estou bem feliz com ele. Fora que tenho dois filhos lindos, consegui ajugente. A que atribui isso? Eu falo no livro que parece que hoje está meio fora de dar a formar vários outros campeões. moda falar em Deus. Tem uma frase de Voltaire (escritor e filósofo inglês) que diz o seguinte: “Se Deus não existis- E arrependimentos? se, seria preciso inventá-lo”. E acredito muito em Deus, Não sei se arrependimentos, mas pecados tenho um respeito todas as religiões, inclusive. Acho que quando monte. Se eu for a uma igreja me confessar, terei vávocê coloca seu coração no caminho do bem, querendo rios para contar (risos). E também não sei se é bem proporcionar o bem para as pessoas, existe uma energia um arrependimento, mas eu sei que às vezes magoo cósmica que te protege. Esse Deus te protege, te acom- as pessoas e não gosto disso. Tenho um jeito explosipanha. Minha mãe sempre me dizia que tenho uma vo. Mesmo não tendo convivido com meu pai, não sei estrela, uma luz própria. Se é verdade ou mentira não se posso atribuir isso ao meu sangue italiano. Eu falo sei, mas sempre acreditei muito nisso. E todas as vezes um monte de bobagens e depois me arrependo. Tenque precisei, essa estrela brilhou para mim. Por meio de to me policiar para melhorar. Se pudesse voltar atrás, amigos, professores e até de pessoas que surgiram e de- algumas coisas não faria de novo, mas um grande arsapareceram com a mesma velocidade. rependimento eu não tenho.

46

INN SÃO PAULO I MAIO/JUNHO


do TUF (reality show do UFC que é exibido todos os domingos à noite pela Rede Globo). Já que estamos falando sobre artes marciais, o que falta para o Brasil se tornar uma grande potência olímpica nesses esportes? Esse é um assunto que não tem fim. Todo atleta vai sempre reclamar de algo. Vai dizer que não tem apoio, não tem patrocínio... Ainda assim eu acho que melhoramos muito. Atualmente, a CBJ é um exemplo de administração e apoio ao atleta. Eles têm regalias dentro da CBJ que eu jamais vi em outro esporte. Muito disso é mérito do presidente da entidade, o Paulo Wanderley Teixeira. Um cara acima da média e que faz toda a diferença. As coisas estão melhorando, mas mas não na velocidade com que as pessoas gostariam. E eu estou analisando em uma visão macro. Se olharmos o micro e pegarmos dez atletas para escutar as suas queixas, eles falarão de diversos problemas e eu terei de concordar com eles. Do ponto de vista do atleta ainda falta muito a ser feito. Mas, se analisarmos o esporte em si, ele vem caminhando para o crescimento, até por conta da Olimpíada do Rio de Janeiro. Mas, claro, que ainda tem muito para melhorar. O ideal olímpico está longe de acontecer. O importante é que não estamos caminhando para trás. Estamos, sim, avançando. Mas é tudo moroso. Quem acha que vai se destacar no judô nas Olimpíadas do Rio de Janeiro, em 2016? Em uma competição de alto nível como essa é complicado fazer apostas. Nos jogos passados, em Londres, em 2012, alguns atletas que não eram favoritos subiram ao pódio. Caso do Rafael Silva, o Baby, e do Felipe Kitadai, que ganharam o bronze. E outros que estavam no topo acabaram não acontecendo, como o

48

INN SÃO PAULO I MAIO/JUNHO

Leandro Guilheiro e o Tiago Camilo. Mas, aqui, acho que todos esses nomes terão sucesso. Sem sombra de dúvidas acho que o Brasil vai brigar por umas oito medalhas. Em 2012 levamos quatro. Você ainda participa dos treinamentos da equipe brasileira de judô? Eu não tenho um cargo direto, fixo, até por conta de todos os meus outros afazeres. Mas regularmente sou convidado para puxar os treinamentos de campo da seleção e até de equipes e atletas de outros países. De uma forma ou de outra estou sempre ligado à Confederação, principalmente agora, por conta do filme, que é patrocinado por ela. Sobre o filme, não tem medo da superexposição, já que deverá atingir um público maior do que o livro? Não penso muito nisso, e também não tenho problemas, afinal, já desabafei tudo no livro. Na época, algumas pessoas até me falavam: “Max, você vai ter coragem de contar isso?” Tratei de alguns assuntos polêmicos, como aborto, e abri meu coração. Não tenho medo da exposição. E estou muito satisfeito com os caminhos que o filme está tomando. Até por conta das pessoas que estão envolvidas nele, como o Fernando Meirelles, o Stefano Capuzzi, garoto prodígio da O2 Filmes, os atores... O que eu quero, com esse filme, é que minha história fique registrada para sempre. E não é a história de um campeão, até porque eu nunca fui um. Na verdade sempre fui um lutador mediano, que teve mais sucesso como técnico do que como atleta. Mas isso também não me preocupa. Quero é mostrar a história de um cara que superou seus problemas e suas dificuldades, um cidadão normal que só está tentando mostrar o que deu certo para ele. E também quero poder ajudar, principalmente, os jovens, para que eles possam adquirir um pouco dos valores do judô. Se com a minha experiência eu


procuro entender, afinal, assim como eu também não quis música, algo que meu avô adorava, ela não quer lutar. Prefere balé. E seu filho? O Enzo tem 7 anos e sempre praticou judô, já participou de algumas competições, mas agora tem falado muito em futebol. No fundo eu fico torcendo para que ele mude de ideia e queira ser um judoca, mas não posso escolher por ele, né? Fico com o coração apertado, mas a única coisa que posso fazer é apoiar as decisões dele e cobrar para que ele faça bem-feito o que quer que escolha fazer. O que a luta representa para você, Max? Ah, a luta é minha espinha dorsal. É tudo o que sei fazer e dela tirei tudo o que tenho. Luta é minha vida. E só desejo que quando pensem em mim, me vejam usando um quimono, lembrem de mim como um homem que lutou sempre e amou tudo o que fez. Quero continuar nessa estrada, perdendo ou ganhando, mas sempre na mesma estrada. Se for para eu sair dela para ga-

Com os alunos: muitos sonhos a realizar 50

INN SÃO PAULO I MAIO/JUNHO

nhar, prefiro perder, mas continuar seguindo o mesmo caminho. Dizem que um homem, durante sua vida, precisa ter um filho, escrever um livro e plantar uma árvore. O livro e os filhos você já conquistou, e a árvore, plantou? Já plantei sim. Foi uma sakura (cerejeira), árvore símbolo dos samurais. Inclusive, é a planta que aparece na capa do livro. Hoje ela está linda, grande, forte. Onde está plantada? Isso eu não posso contar. Um dia vou revelar para todo mundo, mas por enquanto não. Sou supersticioso e prefiro manter o seu paradeiro em segredo. O que ainda falta fazer? Se eu fosse contar todos os meus planos e sonhos você iria dizer que sou um louco. Ainda tenho muita coisa para realizar. E sonho mesmo, sempre. Aliás, no dia em que eu parar de sonhar é porque estarei pronto para morrer.


GPS

ANNA MARIA MAIOLINO 52

INN Sテグ PAULO I MAIO/JUNHO


GPS Galeria Nara Roesler

Há mais de 35 anos, Nara Roesler promove arte contemporânea junto a um conjunto nacional e internacional de colecionadores, curadores e intelectuais. Em 1989, ela fundou a Galeria Nara Roesler em São Paulo, como um espaço para expandir as fronteiras da prática artística, no Brasil e fora dele. Representando alguns dos mais interessantes artistas da atualidade, a galeria justapõe trabalhos dos anos 1960 em diante e suas ramificações contemporâneas. O ano de 2012 foi de grandes mudanças: Vik Muniz e Isaac Julien foram somados ao seu crescente rol de artistas; o seu espaço expositivo foi dobrado, totalizando uma área de 1.600 metros quadrados; e o projeto curatorial Roesler Hotel foi revitalizado, com propostas inovadoras como as exposições coletivas Lo bueno y lo malo, sob curadoria de Patrick Charpenel (diretor da Fundacción/Colección Jumex) e Buzz, mostra dedicada à Op Art idealizada pelo artista Vik Muniz. Avenida Europa, 555, Jardim Europa Tel. (11) 3063-2344

Millan

Fundada em 1996, a Millan buscava apresentar relações entre a produção dos artistas contemporâneos que representava e os modernos que influenciaram sua formação. Atualmente, representa, de maneira coerente, um time de artistas sólido e plural, que abrange nomes consagrados até jovens em início de carreira. Dirigida por André Millan e Socorro de Andrade Lima, a galeria acompanha de perto a trajetória de sua equipe de artistas e oferece apoio irrestrito aos processos de criação. Rua Fradique Coutinho, 1.360, Pinheiros Tel. (11) 3031-6007

AMBIENTE DA GALERIA

FACHADA

54

HENRIQUE OLIVEIRA

INN SÃO PAULO I MAIO/JUNHO


GPS Lume

Fundada em 2011 como uma galeria de fotografia, em pouco tempo a Lume passou a ser referência de conceitualismo e transgressão. Hoje, diversificou suas atividades e começou a trabalhar com um dos mais renomados artistas plásticos do Brasil: Florian Raiss. Foge do comum também em seu espaço físico: diferente de outras, a Lume fica no segundo andar de um prédio, lembrando muito as galerias de Nova York. A partir de 14 de maio, exibe a série Flying houses, do francês Laurent Chéhère. Rua Joaquim Floriano, 711, 2º andar, Itaim Bibi Tel. (11) 3704-6268

GAL OPPIDO

ALBERTO FERREIRA

LAURENT CHEHERE

56

INN SÃO PAULO I MAIO/JUNHO

FOTOS: SÍLVIA BALADY

FLORIAN RAISS


GPS Mendes Wood

Uma das galerias mais ousadas do país, a Mendes Wood foi fundada em 2009 e já movimentou o mercado com bons e jovens talentos. Representa um dos mais importantes artistas conceituais do Brasil, o renomado Tunga. Atualmente, exibe Phasmides, a segunda exposição individual do artista catalão Daniel Steegmann Mangrané. Rua da Consolação, 3.358, Cerqueira Cesar Tel. (11) 3081-1735

Pinakotheke São Paulo

A Pinakotheke inaugurou suas atividades em 1980, como uma organização especializada no planejamento e na produção de exposições e livros exclusivamente voltados para a história da arte no Brasil. A partir de 1994, com sua matriz no Rio de Janeiro, passou a fazer montagens de exposições. De lá para cá, estabeleceu diversas linhas de atividade, mas no campo das artes plásticas é respeitada por organizar coleções de arte particulares, como, por exemplo, a Coleção Roberto Marinho para o Museu Nacional de Belas Artes, entre outras importantes raridades da história da arte brasileira. Também promove exposições de grandes expoentes.

MANABU MABE

58

INN SÃO PAULO I MAIO/JUNHO

MANABU MABE

Rua Ministro Nelson Hungria, 200, Morumbi Tel. (11) 5375-8243


Roteiro

60

INN Sテグ PAULO I MAIO/JUNHO


Roteiro Bares Bar Léo

Fundado em 1940 e localizado no Centro, o Bar Léo, que foi arrendado pelos mesmos proprietários do Bar Brahma, reabriu em agosto para comemorar 70 anos. Mantendo a tradição dos petiscos alemães, o cardápio conta com porções de pasteis mistos e bolinhos variados. O almoço executivo, que era servido de segunda a sexta-feira com apenas um tipo de prato, agora tem outra opção todos os dias. Foram incluídos no cardápio pratos conhecidos da cultura brasileira como estrogonofe, galinhada, picadinho e bacalhoada. Muito pedido, o chope claro custa R$ 6,50, e o escuro sai por R$ 8,10. R. Aurora, 100, Centro. Seg. e ter., das 11h às 21h; qua. a sex., das 11h às 24h; sáb., das 10h às 19h. Cc: Master e Visa. Tel.: (11) 3221-0247

Bardega

Inaugurado no final de outubro, o wine-bar tem uma carta com 110 rótulos. Além da boa oferta, o Bardega oferece uma nova proposta: a de aproximar o consumidor dos produtos. Para isso, instalou 12 máquinas Enomatics, nas quais os próprios clientes podem se servir da bebida e na dose que desejarem (30 ml, 60 ml ou 120 ml). A maior parte dos vinhos disponíveis tem preços entre R$ 14 e R$ 40 a taça. No jardim ao fundo da casa, a clientela ainda encontra um Champagne Bar, com 14 rótulos de espumantes de diferentes países. Rua Dr. Alceu de Campos Rodrigues, 218, Itaim Bibi. Ter. a dom., das 18hs até o último cliente. Cc: American Express, Master e Visa. Tel. (11) 2738-7779.

Dezoito Bar & Movement

Fruto da parceria dos sócios Mario Levi e Roberto Sasso, empresários do ramo, com o ator Henri Castelli, o local traz a proposta de armar um sofisticado happy hour na região. Como o próprio nome sugere, a programação da casa começa às 18h com música ambiente e ao longo da noite ganha ares mais movimentados, com DJ e música ao vivo. O cardápio foi elaborado pelo chef Pedro Gentil e o menu de drinques traz diversas opções, fazendo uma releitura dos clássicos e utilizando ingredientes brasileiros. Boa pedida é o Jimador Spicy Lemon (R$ 28), feito com tequila El Jimador, limão-siciliano e gotas de tabasco. R. Professor Atílio Innocenti, 101, Itaim Bibi. Ter. a sáb., das 18h até o último cliente. Cc: Mastercard, Visa e American Express. Tel. (11) 3845-2464.

62

INN SÃO PAULO I MAIO/JUNHO


São Paulo em 2 Tempos

ONDE A CIDADE NASCEU

Pátio do Colégio mantém o charme dos anos 1920, quando foi inaugurado o monumento da fundação da cidade

A

Fotografia: Rosane Aubin

FOTO ANTIGA, do livro Lembranças de São Paulo, de Carlos Cornejo e João Emílio Gerodetti (Solares Edições Culturais), mostra o largo do Pátio do Colégio, com o prédio ao fundo, nos anos 1920. Em 1925 foi inaugurado o monumento pela fundação da cidade, uma obra do italiano Amadeu Zani, em granito e bronze com uma coluna que sustenta a estátua de uma mulher de braços erguidos, simbolizando a glória. Na base, baixos-relevos lembram a primeira missa, a catequese, a defesa da cidade pelo cacique Tibiriçá, e o encontro dos índios tamoios com os padres jesuítas. Foi justamente ali que a missa que marca a fundação do povoado de São Paulo de Piratininga foi rezada, em 25 de janeiro de 1554. José de Anchieta e Manuel da Nóbrega estavam presentes. Essa primeira celebração foi realizada

num barracão de pau a pique coberto de sapê, mas logo a congregação prosperou e construiu uma sede mais confortável. Em 1760, os jesuítas foram expulsos do país e o prédio virou o Palácio dos Governadores. Depois de várias reformas, no final do século XIX o conjunto ganhou ares neoclássicos, mas a capela, vítima do descaso, desabou em 1896. Em 1932, a sede do governo foi transferida para o Palácio dos Campos Elíseos, e o velho prédio foi demolido em 1953. No ano seguinte, o Estado devolveu o imóvel à Companhia de Jesus, para sua reconstrução como monumento histórico, e em 1979 o prédio readquiriu sua forma original. Hoje, abriga um museu, a cripta de José de Anchieta, a igreja localizada no mesmo ponto em que foi rezada a primeira missa e uma biblioteca temática. www.pateocollegio.com.br

O Largo do Pátio do Colégio hoje e nos anos 1920: cenário de grandes momentos da história de São Paulo

66

INN SÃO PAULO I MAIO/JUNHO


Revista Inn São Paulo #3  

A revista INN São Pauloé uma publicação da Editora INN, voltada aos moradores da região do Morumbi, Brooklin, Itaim, Moema, Campo Belo. Tra...

Advertisement