Page 1

PEDRO DURÃO PORTFÓLIO


PEDRO DURÃO PORTFÓLIO

+351 912 411 417

pedrosalvadordurao@gmail.com


ÍNDICE

ESCOLA SECUNDÁRIA MARIA AMÁLIA VAZ DE CARVALHO FAUTL, 4º ANO, 2012

4

OS LUGARES DO COLECTIVO PROJECTO FINAL DE MESTRADO, FAUTL, 5 º ANO, 2013

22

HOTEL EM SÃO TOMÉ ESTUDO PRÉVIO, 2014

48

CURRICULUM

65

CARTA DE RECOMENDAÇÃO

67


ESCOLA SECUNDÁRIA MARIA AMÁLIA VAZ DE CARVALHO FAUTL, 4º ANO, ‘11/’12

A construção da Escola Secundária Maria Amália Vaz de Carvalho, projectada pelo arquitecto Miguel Ventura Terra em 1913, nunca foi totalmente concretizada. A inexistência de parte da ala Norte do edifício e o respectivo topo, que conteria os balneários de apoio aos campos desportivos, levou à redistribuição funcional da escola. O que seria o anfiteatro passou a ser um espaço insuficiente para a prática de desporto e parte das salas de aula deram lugar a balneários improvisados. As restantes actividades recreativas e culturais cingiram-se ao espaço da sala de alunos e à biblioteca. O exercício propunha um projecto de recuperação e modernização da escola assente em alguns dos princípios formulados pelo programa Parque Escolar. O novo programa procura, então, responder às carências funcionais do edifício existente, não só através da construção de um conjunto de novos equipamentos, um auditório e um pavilhão gimnodesportivo, ao qual se acrescenta um corpo de balneários, mas também através da reocupação de alguns dos espaços existentes. O pavilhão e os balneários dão lugar, respectivamente, à instalação de uma nova cantina, actualmente localizada no piso semienterrado da ala Norte, e de uma zona de serviço. Seguindo o princípio de “escola aberta à comunidade”, acrescentase também uma nova entrada dirigida para a utilização independente dos novos equipamentos colectivos em período pós-lectivo. A formalização do programa desenvolvido faz-se a partir da vontade de fechar os três pátios definidos pelo edifício existente, preservando e resignificando a permeabilidade entre eles. Adaptando o conceito de “learning street”, introduzido por Herman Hertzberger na Escola Montessori, em Delft, na década de 1960, as várias áreas e funções da escola articulam-se através de um percurso que constitui, em si, um conjunto de lugares de aprendizagem informal, dos quais fazem parte o átrio e a galeria. A galeria funciona também como um espaço de transição, de encontro e permanência, que simultaneamente separa e aproxima os três pátios. Os elementos verticais, desenvolvidos a partir de uma interpretação do desenho dos vãos do edifício existente, que constituem, numa escala mais aproximada, dispositivos de articulação entre o novo e o antigo, acrescentam também uma qualidade ambivalente: encerram os espaços da galeria e do átrio preservando a permeabilidade que permite uma leitura unitária dos espaços colectivos da escola.

4


Localização

5


Implantação

6


Projecto Original Miguel Ventura Terra, 1913

7


Planta Acesso Rua Artilharia 1

8


9


Planta Acesso Rua Rodrigo da Fonseca

10


11


Vista Exterior Pรกtio Sul

12


Vista Exterior Pรกtio Norte

13


Alรงado Rua Artilharia 1

14


15


Corte Longitudinal Pรกtios

16


17


Corte Longitudinal Auditテウrio, テ》rio/Espaテァo Polivalente, Pavilhテ」o Gimnodesportivo

18


19


Fotografias da Maquete

20


21


OS LUGARES DO COLECTIVO PROJECTO FINAL DE MESTRADO, FAUTL, 5 º ANO, 2013

O abandono dos centros urbanos, a sua consequente degradação e o acentuado zonamento funcional, social e étnico justificam a importância do retorno à reflexão sobre a cidade consolidada. O território da colina de Santana passa actualmente por um processo de significativa transformação, resultado da desactivação de cinco unidades hospitalares. Estas grandes áreas correspondem a vincadas descontinuidades no tecido urbano, algumas delas consequência da ocupação de edifícios conventuais que preservam os perímetros das suas cercas, resistentes às transformações da morfologia urbana. Propõe-se uma reflexão sobre a devolução destas grandes áreas urbanas ao atravessamento público da cidade como forma de revitalização do território próximo. Restringindo o ensaio à área actualmente ocupada pelo Hospital de Santo António dos Capuchos, parte-se da hipótese de criação de novas permeabilidades pontuadas por uma sucessão de espaços de convivialidade, lugares do colectivo que potenciem encontro e reunião, activados pela sua configuração e distribuição funcional. Preservando a memória física da cerca do outrora Convento dos Capuchos como percurso de ronda atravessável e percorrível, de um plateau que avista a cidade distante e dela é visto, procura-se criar uma nova centralidade capaz de revitalizar a envolvente. Neste sentido, é objecto de aprofundamento das questões do projecto um edifício multifuncional no espaço que articula o território contido nos limites da cerca, a montante, e a zona consolidada, mas caracterizada pela desertificação e envelhecimento, a jusante, entre a Rua do Passadiço e a Avenida da Liberdade. São, portanto, matérias de estudo os espaços públicos à escala da cidade, mas também os lugares de interacção social à escala do edifício e da casa, tendo em conta a sua articulação e sucessão, tomados como elementos de acrescida importância na activação da vida do quotidiano urbano. O trabalho de investigação desenvolve-se em três partes. Na primeira parte faz-se uma contextualização de natureza teórica no sentido de clarificar o conceito de convivialidade e enquadrá-lo na prática da arquitectura, tendo em conta a sua aplicação em diferentes escalas, da cidade à casa. Para isso, é essencial partir de um enquadramento teórico sobre os lugares do colectivo e as práticas dos indivíduos no espaço, apoiado numa articulação entre a sociologia, a antropologia e a arquitectura. Na segunda parte dirige-se a investigação para o projecto partindo da rua, entendida como domínio público, espaço colectivo para além da porta de casa. Interessa, para isso, a identificação de um conjunto de unidades morfológicas que compõem a cidade e a reflexão sobre as questões de projecto evocadas pela análise da cidade tradicional, como a proximidade, associada à densidade, e a multiplicidade funcional. Na terceira parte desenvolvem-se as questões relacionadas com a domesticidade e as percepções de intimidade, pertença e segurança, associadas às relações público/privado, individual/colectivo e introversão/extroversão, para as quais é de particular importância a definição de limites e a articulação entre domínios. A estratégia seguida rege-se então por uma interdisciplinaridade, que aproxima as ciências sociais da prática da arquitectura, no sentido de encontrar soluções para a revitalização do tecido urbano, num contexto de cidade consolidada.

22


Localização

23


Implantação Projecto Urbano

24


Desenhos do Processo

25


Planta Projecto Urbano

26


27


Planta Praça / Terreiro Habitação e Comércio

28


29


Planta Pátio, Patamar Superior Habitação e Comércio

30


31


Planta P谩tio, Patamar Inferior Ateliers / Escrit贸rios

32


33


Vista Exterior Praรงa / Terreiro

34


Vista Exterior Patim das Escadas e Soleira

35


Alรงado Rua do Passadiรงo

36


37


Corte Longitudinal Atravessamento PĂşblico do QuarteirĂŁo

38


39


Corte Transversal Largo, Pátio a Dois Níveis, Praça, Miradouro

40


41


Planta Tipologias de Habitação

42


Vista Exterior Galeria e Soleia

43


Vista Exterior Pรกtio Coberto

44


Corte Transversal Pormenorização Construtiva

45


Fotografias da Maquete

46


47


HOTEL EM SÃO TOMÉ ESTUDO PRÉVIO, FAUTL, 2014

O projecto de um hotel com vinte quartos, requerido pela cliente Margarida Jane Spitteler Pereira, designado The Emoyeni Garden Hotel, localiza-se na Avenida Marginal 12 de Julho, na cidade de São Tomé. Actualmente, o terreno está dividido em duas zonas: a Poente, na zona mais afastada da rua, encontra-se a casa da cliente; a Nascente, na zona mais próxima da rua, encontra-se a sede da empresa Corema, com uma Área Bruta de Construção de 206m2, envolvida por uma área ajardinada com aproximadamente 3200m2. A segunda zona é a disponível para a intervenção. O projecto reflecte a intenção da proprietária de utilizar o edifício existente, ocupado actualmente pela empresa Corema, e de acrescentar dois novos corpos edificados de forma a que, no conjunto, suportem a distribuição do programa pretendido. Este inclui, para além dos vinte quartos com dimensões variáveis, um conjunto de espaços administrativos, zonas de serviço de acesso condicionado e áreas comuns na zona mais próxima do jardim, a Sul. Às exigências programáticas acrescentam-se outras relacionadas com a implantação do edifício e também de carácter formal e construtivo. A implantação é condicionada, não só pela localização do edifício existente e pela sua distância aos muros que limitam o terreno, mas também pela existência de elementos arbóreos a preservar. A optimização do espaço disponível para a implantação, através do desenvolvimento de um sistema estrutural regular, preservando, ainda assim, a variedade dimensional e as diferentes orientações dos quartos, constituiu o principal desafio do desenvolvimento do projecto. De entre as exigências de carácter construtivo destacam-se: as paredes interiores construídas, sempre que possível, em placas de gesso cartonado, não pondo em causa o comportamento acústico apropriado a cada situação específica; e a cobertura o edifício novo em telha e com inclinação semelhante à do edifício existente. Alguns elementos formais procuram conferir unidade ao conjunto em que o novo e o antigo contrastam: as paredes divisórias das varandas, no piso elevado, e do pátio, no piso térreo, repetem-se assinalando a entrada do hotel no corpo recuado do edifício existente; o desenho assimétrico dos vãos procura resolver a variação dimensional existente entre as janelas e portas existentes e entre estas e as pertencentes ao edifício novo. Os vãos, com caixilharia em madeira e vidro duplo, que serão executados por um carpinteiro local, funcionário da cliente, constituem aliás um exemplo de aprofundamento pontual das questões construtivas do projecto. Ainda que com níveis de indefinição que caracterizam a fase de estudo prévio pedida, o projecto desenvolvido, que resulta de um compromisso alcançado com a cliente através de um processo de insistente experimentação e discussão, representa uma enriquecedora experiência de transição da prática académica para a prática profissional.

48


Localização

49


Implantação

50


Pormenor Caixilharia de Madeira com Vidro Duplo Escala 1:2

51


Planta Piso TĂŠrreo

52


53


Planta Piso Elevado

54


55


Vistas Exteriores Avenida Marginal 12 de Julho

56


57


Alรงado Nascente, Avenida Marginal 12 de Julho

58


59


Alรงado Sul

60


61


Alรงado Poente, Tardoz

62


63


64


CURRICULUM

Perfil Nome Pedro Salvador Durão Morada Rua do Gravato 26, 1400-194, Lisboa Telefone +351 912 411 417 E-mail pedrosalvadordurao@gmail.com Nacionalidade Portuguesa Data de Nascimento 25 de Junho de 1990

Formação Mestrado Integrado em Arquitectura FAUTL, 2013 Classificação Média Final: 15 Valores Classificação no Trabalho Final de Mestrado: 18 Valores Curso de V-Ray para Rhino 3D SimplyRhino Portugal, 2013 Programa ERASMUS Facolta’ d‘Architettura I, Politecnico di Milano, 2012 Curso de Língua e Cultura Italiana ISCSP, 2011 Workshop de Composição em Fotografia Instituto Portugês de Fotografia, 2010 Curso de Desenho de Corpo Nu, Nível I Sociedade Nacional de Belas Artes, 2008

Competências Técnicas AutoCAD desenho 2D Sketchup e Rhino modelação 3D V-Ray (certificado) renderização Adobe PhotoShop, Ilustrator e InDesign edição de texto e imagem Microsoft Office e iWork processamento de texto e datashow Windows e MacOS sistemas operativos

Línguas Português (nativo), Inglês (avançado) e Italiano (avançado) Francês e Espanhol (compreensão oral e escrita)

65


66


Carta de Recomendação

To whom it may concern, I'm very pleased to write this letter of recommendation on behalf of Mr. Pedro Durão. I was Mr. Durão’s ‘Project’ teacher in the Architecture studies course at the Architecture Faculty of the Universidade Técnica de Lisboa for two years. Later on, I was his tutor for his Master Thesis. During that period of time he showed remarkable shrewdness and intuition, intelligence and critical spirit. He also showed excellent commitment to his work in research and project activities alike. The combination of such skills allowed him to come up with creative and thorough replies, thus obtaining the highest marks in his workgroup. His Master Thesis ranked amongst the best in his final year. From what I’ve witnessed during the several years I’ve known him, I am persuaded that his commitment to work hard, his technical skills, enthusiasm and excellent team work capacities are an asset wherever he may work. Therefore, I strongly encouraged Mr. Pedro Durão to look for a trainee position, so that he can further increase his professional potential. It will be my pleasure to give any further assistance in this candidate’s application. Kindest regards, Lisbon, March 10, 2014.

Jorge Spencer, Ph.D. Professor of Architecture at the Faculty of Architecture of the Universidade de Lisboa

67


+351 912 411 417

pedrosalvadordurao@gmail.com


+351 912 411 417

pedrosalvadordurao@gmail.com

pedro durao portfolio  
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you