Page 1

P mgl R rom E pct

A PRESENÇA ROMANA NOS CONCELHOS DE MANGUALDE E PENALVA DO CASTELO: REVISÃO DOS CONHECIMENTOS

Relatório do 1º Trimestre

Apresentado por Pedro Pina Nóbrega à ACAB-Associação Cultural Azurara da Beira

Outubro de 2003


A Presença romana nos concelhos de Mangualde e Penalva do Castelo: revisão dos conhecimentos Relatório 1º Trimestre

1. – Relação dos Participantes Como foi referido no projecto entregue em Agosto passado, o único participante foi o responsável pelo projecto, Pedro Pina Nóbrega.

2. – Meios utilizados Não foram utilizados quaisquer meios específicos, apenas meios informáticos para armazenamento e tratamento de dados.

3. – Duração dos trabalhos Os trabalhos iniciaram-se em 07 de Julho com a consulta de alguns exemplares da imprensa regional extinta1 e não tendo havido qualquer interregno até à presente data. Contudo, verificaram-se momentos fortes de consulta de documentação: 1. 07-08 Julho: Consulta de documentação na Biblioteca Nacional; 2. 05-09 Agosto: Consulta de documentação na sede da ACAB; 3. 19 Agosto a 03 Setembro: Visita e identificação de sítios arqueológicos ou possíveis vestígios arqueológicos.

4. – Estratégia da intervenção As estratégias por nós tomadas foram diversas, consoante o objecto de investigação. Mesmo assim, decidimos começar por ter um primeiro contacto com a imprensa regional extinta, posteriormente por uma consulta da documentação em posse da ACAB e finalmente visitar diversos sítios arqueológicos já referidos ou comunicados por populares; todos estas actividades desenrolaram-se a par da revisão do nosso trabalho académico2. a) Consulta da imprensa regional3 Depois efectuadas as devidas pesquisas multi-campo na base de dados da Biblioteca Nacional, procedeu-se à consulta de alguns títulos. Esta consulta consistiu na leitura integral dos diversos exemplares e na recolha de dados sobre o “estatuto editorial” do periódicos e das notícias com informações arqueológicas.

1

No âmbito do projecto A arqueologia mangualdense e penalvense na imprensa regional e paroquial extinta. Veja-se o relatório do 1º trimestre. 2 A Presença romana nos concelhos de Mangualde e Penalva do Castelo, apresentado na disciplina de Arqueologia do Mundo Provincial Romano, na Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa. 3 Cf. Nota 1.

1


A Presença romana nos concelhos de Mangualde e Penalva do Castelo: revisão dos conhecimentos Relatório 1º Trimestre

b) Consulta de documentação na ACAB Os documentos consultados têm tipologias diversos, por isso as estratégias usadas foram diversas. A bibliografia foi alvo de uma leitura atenta, tendo sido registados todos os dados inéditos face ao nosso trabalho académico. Os relatórios dos diversos trabalhos arqueológicos foram alvos de uma leitura superficial, tendo-se retirado notas sobre os diversos materiais e estruturas encontrados, as conclusões dos responsáveis das intervenções. Estes dados e a cartografia constante dos relatórios foram comparados com dados já apurados na consulta da imprensa regional. c) Visita e identificação de sítios arqueológicos Visitaram-se sítios já identificados na bibliografia, tendo-se recolhidos informações sobre o actual estado de conservação. Fizeram-se algumas incursões pela freguesia de Alcafache, Espinho, Cunha Baixa, Chãs de Tavares, Germil, Quintela de Azurara e Castelo de Penalva, tendo identificado alguns locais ou materiais susceptíveis de terem uma origem romana. Todos estas informações serão alvo de uma análise mais atenta e de uma comparação com paralelos existentes na região. d) Revisão do nosso trabalho académico Foram delineadas diversas acções que constituirão esta revisão. Veja-se anexo 1. a concretização destas acções ocorrerá durante o 3º e 4º trimestre, exceptuando a observação de material epigráfico e a visita a alguns arqueositios que só terão lugar durante Julho e Agosto de 2004.

5. – Descrição da actividade realizada

Data

Actividade

07-07-2003

Consulta d’A Reacção.

08-07-2003

Consulta da Gazeta de Mangualde, d’O Beirão, d’O Povo Beirão, d’O Conspirador.

05-08-2003

Consulta do Levantamento do Património Arqueológico do concelho de Mangualde de Luís Filipe Coutinho Gomes (=Gomes, 1995). Consulta da Voz de Fornos do Dão.

06-08-2003

Consulta da Voz de Fornos do Dão e do Novo Tempo e d’A Reacção. 2


A Presença romana nos concelhos de Mangualde e Penalva do Castelo: revisão dos conhecimentos Relatório 1º Trimestre

07-08-2003

Consulta d’A Reacção.

08-08-2003

Consulta do relatório de escavação de Barreiros, FMD. Consulta dos processos de classificação da Raposeira e do Castro do Bom Sucesso.

09-08-2003

Consulta dos relatórios de escavação da Raposeira e o seu confronto com as informações do Alberto Osório de Castro.

19-08-2003

Visita ao Castro do Bom Sucesso. Recolha dos materiais à superfície.

20-08-2003

Identificação do marco miliário da capela de S. Sebastião em Santiago de Cassurrães, referida em Gome, 1995.

21-08-2003

Visita à freguesia de Alcafache e Fornos de Maceira Dão: Achou-se o marco miliário de Casal Sandinho. Visita á freguesia de Espinho: encontrou-se um possível marco miliário ou coluna em Água Levada.

22-08-2003

Conversa com a Dr.ª Gertrudes Branco, sobre o castro do Bom Sucesso, tendo ela recomendado uma visita ao local.

25-08-2003

Identificação da ponte e via da Quinta da Ponte, entre Canelas e Lamegal. Identificação de dois possíveis marcos miliários ou colunas no Lamegal. Identificação em Quintela de Azurara da coluna referida em Gomes, 1995.

29-08-2003

Visita com o Dr. António Marcelino

o Eng. Lúcio Balula ao Monte da

Senhora do Castelo: Identificação da calçada romana de acesso ao monte. 01-09-2003

Visita com o Dr. António Marcelino ao Castro do Bom Sucesso e às Quintas do Costa. Envio de Correspondência para: Casa Agrícola Cardoso Meneses, Casa de Gôje, J. F. De Cunha Alta, J. F. de Santiago de Cassurrães, Museu da Sociedade Martins Sarmento, Instituto Português de Arqueologia (Dr.ª Jacinta Bugalhão), Museu Regional de Arqueologia de Arganil, CASCA, S.A.

02-09-2003

Visita às Antas com o Prof. Dr. João Inês Vaz para uma melhor leitura da ara. Consegui-se ler a inscrição e tirou-se fotografias.

03-09-2003

Resposta da Proprietária da Quinta de Gôje.

08-09-2003

Resposta do Dr. José Luís Cardoso de Menezes

08-09-2003

Resposta à Proprietária da Quinta de Gôje

09-09-2003

Resposta ao Dr. José Luís Cardoso de Menezes

10-09-2003

Envio de Correspondência: Extensão Territorial de Viseu do IPA. 3


A Presença romana nos concelhos de Mangualde e Penalva do Castelo: revisão dos conhecimentos Relatório 1º Trimestre

11-09-2003

Resposta da Junta de Freguesia de Santiago de Cassurrães

25-09-2003

Resposta do Dr. José Luís Cardoso de Menezes

26-09-2003

Resposta ao Dr. José Luís Cardoso de Menezes

29-09-2003

Resposta da Câmara Municipal de Arganil

6. – Resultados obtidos Da actividade desenvolvida (ver os dois pontos anteriores), obtivemos um conjunto de informações sobre os seguintes sítios arqueológicos: 1) Castro de Fornos ou Outeiro do Crasto Segundo o investigador acima citado o topónimo “Outeiro do Castro” é mencionado no Tombo do Mosteiro de Santa Maria de Maceira Dão, do ano de 1445, mas já na carta do Couto do mesmo Mosteiro – outorgada por D. Afonso Henriques, em 31 de Outubro de 1173 – se falava no Castro de Fornos. Leite de Vasconcellos visitou este castro em 1892, mas não encontrou quaisquer vestígios arqueológicos, como refere no artigo publicado n’A Reacção de 18-09-1892. Face a estes dados não podemos afirmar que estamos perante um castro romanizado. 2) Campos de Fornos do Dão Leite de Vasconcellos refere, no mesmo artigo, que encontrou em Fornos do Dão vários campos cobertos de telhas de rebordo de origem romana. Serão estes campos no local denominado Barreiros ou Cabeço da Mota, explorado pelo Prof. Dr. João Inês Vaz(1997:44), junto a Fornos do Dão? Jorge Adolfo Meneses Marques (2000: 74-75) também refere a existência de vestígios romanos no local do Areal a 350m NO da sepultura escavada na rocha do Caminho da Alminhas, junto a Tabosa. 3) Citânia da Raposeira Este é o arqueosítio com informação mais pormenorizada, visto que o seu escavador no século XIX era o proprietário e editor do jornal Novo Tempo. É neste periódico que encontramos referências pormenorizadas que nos permitem neste momento inferir as seguintes ilações: O local escavado recentemente pela Dr. Clara Portas corresponde ao mesmo escavado pelo Dr. Alberto Osório de Castro; muito material foi despachado para o Museu da Sociedade Martins Sarmento, como Valentim da Silva(1945:32) viu expostos. 4


A Presença romana nos concelhos de Mangualde e Penalva do Castelo: revisão dos conhecimentos Relatório 1º Trimestre

Actualmente a zona escavada encontra-se a descoberto, sendo o acesso ao local vedado debilmente por uma cancela. Inquirimos o Museu da Sociedade Martins Sarmento sobre a existência nos seus depósitos de materiais provenientes deste sítio, mas não obtivemos qualquer resposta. Leite de Vasconcellos, num artigo de 11-08-1892 publicado n’A Reacção, diz ter visto no Palácio Anadia moedas imperiais provenientes deste sítio. Valentim da Silva (1945:31) refere o mesmo. Mário Hipólito (1961: 55) diz que em 1959 foi o nosso prezado amigo Dr. António de Oliveira informado, no próprio palácio Anadia, que nenhuma das referidas moedas aí se encontrava. 4) Rechã No Novo Tempo de 27-10-1889 Osório de Castro refere ter recebido uma carta de Henrique Gomes, das Contenças de Baixo, onde este referia que no termo das Contenças, no sítio da Rechã, em propriedades suas e vizinhas, se encontram também muitos vestígios de uma antiga povoação, a telha de rebordo, grandes muros de habitações, etc. Num outro artigo de 15-10-1890, Osório de Castro refere este sítio como sendo na Cunha Alta. Inquirimos a Junta de Freguesia de Santiago de Cassurrães e a sua homónima de Cunha Alta sobre a existência nos seus territórios de algum local com esta denominação. Até à data apenas nos respondeu a Junta de Freguesia de Santiago de Cassurrães, localizando a “Rechã” na mesma zona onde Gomes e Carvalho (1992: 136) tinham localizado. 5) Citânia do Bom Sucesso Osório de Castro refere, no Novo Tempo de 30-11-1889, que lhe comunicaram que no alto do monte da Senhora do Bom Sucesso (...) se encontram importantíssimas ruínas de uma cividade, muralhas ciclópicas, vias romanas, colunatas, restos de habitações, etc. Leite de Vasconcellos, num artigo de 18-08-1892 publicado n’A Reacção, diz que explorou este castro juntamente com Osório de Castro. A cerâmica encontrada era análoga à do monte da Senhora do Castelo. Hoje em dia já não restam quaisquer vestígios, apenas de apanham cerâmicas à superfície.

5


A Presença romana nos concelhos de Mangualde e Penalva do Castelo: revisão dos conhecimentos Relatório 1º Trimestre

6) Salgueiro O mesmo Bernardo Amaral diz existir uma pedra com uns fojos o pequenas covas, e aí perto têm aparecido tijolos de bordo e pedras de cantaria. 7) Braçais Aqui, segundo o mesmo informador, existia um outro dólmen e perto uma pedra com uma inscrição. Que seria esta inscrição? Uma ara, uma estela ou um miliário? 8) Monte da Senhora do Castelo Osório de Castro, no mesmo artigo de 01-10-1890, refere a existência de lajes com fossetes de vários tamanhos e que ainda há poucos anos os pastores e lavradores de pedreiras mostravam um grande granito onde se via profundamente gravada uma forquilha de três dentes. O mesmo autor refere, num artigo de 08-10-1890, que existiram até ao fim do primeiro quartel do século ruínas de grandes fortificações, e escombros de moradas, que foram destruídas com a construção da ermida e com o nivelamento da esplanada. Neste artigo, refere também da última capela à casa do ermitão (...) uma calçada de pedra rolada, e a nascente da esplanada (...) uma saliência rectangular de fortificação exterior com pedras almofadadas. Leite de Vasconcellos, num artigo de 11-08-1892 publicado n’A Reacção, diz que a cerâmica encontrada é análoga à do Bom Sucesso. A calçada referida por Osório de Castro, foi por nós identificada, juntamente com o Eng. Lúcio Balula e o Dr. António Marques Marcelino, mesários da Santa Casa da Misericórdia de Mangualde. 9) Citânia da Estação dos Caminhos de Ferro Num artigo de 15-10-1890, Osório de Castro refere que este sítio foi descoberto estes últimos dias. Leite de Vasconcellos, no seu artigo publicado em 18-09-1892 n’A Reacção, refere o aparecimento de telhas de rebordo, moedas e mós. 10) Citânia da Vinha do Sr. José d’Albuquerque Osório de Castro, num artigo de 15-10-1890, apenas refere este sítio, numa enumeração das várias citânias já descobertas na altura. Leite de Vasconcellos, no seu artigo publicado em 18-09-1892 n’A Reacção, refere a existência, a par destes vestígios romanos, de sepulturas escavadas na rocha. 6


A Presença romana nos concelhos de Mangualde e Penalva do Castelo: revisão dos conhecimentos Relatório 1º Trimestre

11) Via romana Mangualde/Sr.ª do Castelo Osório de Castro, no seu artigo de 15-11-1890, dá-nos informações importantes para a localização de dois troços de via entre Mangualde e o sopé do monte da Sr.ª do Castelo. Segundo este autor quando o caminho que vai de Mangualde até ao primeiro lanço da escadaria da montanha, atravessa o ribeiro sobre m pequeno pontão, perde-se quase logo num maninho e enormes eiras de um só jacto granítico. Pois nesse maninho podem ver-se dois troços bem conservados de via romana, do tempo de Tibério, porventura, feitos de grandes lajes ajustadas, três metros de largura pouco mais ou menos, e obliquando, do trilho que leva ao monte da Senhora do Castelo, francamente para norte, em direcção talvez às grandes povoações romanas da bacia beirã do Douro, - Rua, Caria. Parece que ao acabar a inflexão para o norte, a via bifurcava, seguindo um dos ramos para nascente, para as propriedades da Raposeira, distantes uns 200 metros, e das Campas, entre as quais poisa a grande eira do caminho da Senhora do Castelo. 12) Território entre Outeiro e Senhorim Leite de Vasconcellos, no seu artigo publicado em 18-09-1892 n’A Reacção, refere que nos dias 13 e 14 percorri todo o território que vai de Outeiro até o Castelo de Senhorim, já no concelho de Nelas. (...) Aí vi um penedo cheio de covinhas, e que é de certo um dos mais notáveis monumentos do nosso país neste género; vi numerosas sepulturas abertas na rocha, e junto delas muitas telhas de rebordo, um peso romano, e numerosas cavidades em rochedos, feitas intencionalmente, mas diversas das covinhas; vi algumas antas, chamadas orcas aqui na localidade Devido à imprecisa localização destes vestígios, não podemos fazer corresponder com quaisquer vestígios actualmente conhecidos. 13) Santiago de Cassurrães Luís Filipe Gomes (1985) refere a existência de um marco miliário anepígrafo junto da capela de S. Sebastião. Visitámos o local e podemos validar esta informação. 14) Casal Sandinho Durante uma visita à freguesia de Alcafache identificámos numa casa de construção recente localizada perto do km 5 da Estrada Municipal 595, a servir 7


A Presença romana nos concelhos de Mangualde e Penalva do Castelo: revisão dos conhecimentos Relatório 1º Trimestre

de frade encontra-se parte de um possível marco miliário. Tem 75 cm de altura, dos quais 25 pertencem à base que ainda apresenta, mas um pouco desbastada. Segundo informações do proprietário terá vindo de uma casa velha de Casal Sandinho. 15) Água Levada Numa visita à freguesia de Espinho identificámos no inicio da Travessa da Paz, deitado à entrada de uma casa encontra-se um monólito cilíndrico de granito com 75 cm de altura e 45cm de diâmetro. Pela sua morfologia podia ter servido de marco miliário. 16) Quinta do Porto Através de informações de populares identificámos, sobre o rio Ludares, uma ponte com cinco olhais rectangulares, apresentando a montante três talhamares sub-cilíndricos. 17) Lamegal Com base em informações de populares podemos identificar os seguintes vestígios: Uma calçada que vem da Ponte da Quinta do Porto e vai até à actual estrada municipal 604, atravessando pela zona sudeste a aldeia, seguindo depois o caminho até aos Trancoselos. Esta calçada tem uma largura constante de 2,50cm e os terrenos por onde ela passa são conhecidos como o “Lameiro da Carreira”. Numa casa abandonada da rua Celestino da Fonseca encontra-se a servir de suporte a uma viga do telhado um monólito de granito que pela sua configuração pode ter sido um miliário. Mede 110cm de altura. Outro monólito de granito encontra-se numa propriedade do Dr. Campos abaixo da capela com 90cm de altura e 35cm de diâmetro. Terá sido também um miliário? 18) Quintas do Costa Visitámos este sítio na companhia do Dr. António Marques Marcelino, verificando o actual estado de abandono das escavações, contudo os actuais proprietários mantém o terrenos tal qual como ficaram após o encerramento das escavações.

8


A Presença romana nos concelhos de Mangualde e Penalva do Castelo: revisão dos conhecimentos Relatório 1º Trimestre

19) Quinta de Gôje A actual proprietária disse-nos desconhecer quaisquer vestígios arqueológicos, nomeadamente os referidos pelo Prof. Dr. Inês Vaz (1997: 78) no local do “Olival da Capela”. 20) Antas Juntamente como Prof. Dr. Inês Vaz procedeu-se à observação da ara, em posse do Pe. José Pedro Costa Matos, tendo feio a sua leitura, o seu registo métrico e fotográfico. 21) Castro de Guimarantinhos Luís Filipe Gomes (1985) coloca a hipótese de no monte da capela da Senhora do Pranto (Serra da Poisada) tenha existido o castro de Guimarantinhos. Já nos topónimos aparece o lugar “Crasto”. 22) Cunha Baixa O mesmo investigador refere que o caminho das minas de urânio está implantado na via romana que saindo de Mangualde por detrás da Mata dos Condes se dirigia para Seia. 23) Moimenta de Maceira Dão O Sr. Cardoso disse ao mesmo investigador que quando lavrava mas fundo lhe aparecia tijoleira. 24) Fornos do Dão Luís Filipe Gomes (1985) refere a existência junto à igreja paroquial de tambores e um coluna. Numa visita ao local pudemos validar a informação respeitante aos tambores. 25) Castelo Mendo e Alagoas Luís Filipe Gomes (1985) dá a informação da existência nesta zona de dois castros, documentando esta informação com fotografias onde se podem observar vestígios de casas circulares. Face aos dados que fornece não podemos afirmar que estamos perante um castro romanizado. 26) A Cerca Luís Filipe Gomes (1985) indica o aparecimento neste local de estruturas habitacionais e de uma cabeça humana talhada na esquina superior de uma rocha, semelhante às do Castro de Yecla Yeltes e de Genso.

9


A Presença romana nos concelhos de Mangualde e Penalva do Castelo: revisão dos conhecimentos Relatório 1º Trimestre

7. – Previsão do programa ulterior de trabalhos no caso de relatórios de progresso. Como previsto no projecto por nós apresentado, continuaremos a consultar a imprensa regional extinta, pretendendo consultar neste trimestre os exemplares existente da Gazeta de Mangualde, do Conspirador, do Beirão, do Povo Beirão, O Amigo da Justiça e do Correio de Penalva. Iremos também remeter cartas aos diversos museus susceptíveis de possuírem nas suas colecções materiais provenientes dos concelhos de Mangualde e Penalva do Castelo. Levaremos a cabo, igualmente, algumas das acções já delineadas para a revisão do nosso trabalho.

8 – Referências Bibliográficas utilizadas CARDOSO, Anabela dos Santos Ramos (1994) – Casas Solarengas no concelho de Mangualde. Mangualde: Câmara Municipal de Mangualde e Associação Cultural Azurara da Beira. (Terras de Tavares e Azurara. 5); CARDOSO, António José de Figueiredo (1971) - Penalva do Castelo: subsídios para o estudo da evolução política administrativa do Concelho. Lisboa: Instituto Superior de Ciências Sociais e Política Ultramarina. GOMES, Luís Filipe Coutinho (1985) – Levantamento arqueológico do concelho de Mangualde. [Trabalho policopiado apresentado ao Instituto de Arqueologia da Universidade de Coimbra]; GOMES, Luís Filipe Coutinho & CARVALHO, Pedro Sobral de (1992) – O Património Arqueológico do Concelho de Mangualde. Mangualde: Câmara Municipal de Mangualde e Associação Cultural Azurara da Beira. (Terras de Tavares e Azurara. 3); GOMES, Luís Filipe Coutinho & CARVALHO, Pedro M. Sobral de (1997) – A Orca dos Padrões: Mangualde. Mangualde: Associação Cultural Azurara da Beira; HIPÓLITO, Mário de Castro (1961) – Dos Tesouros de moedas romanas descobertos em Portugal. Conimbriga. Coimbra. 2-3; MARQUES, Jorge Adolfo de Meneses (2000c) -

Sepulturas escavadas na rocha na

região de Viseu. Viseu: [s.n.]. 1ª ed. SILVA, Valentim da (1945) – Concelho de Mangualde (Antigo concelho de Azurara da Beira): Subsídios para a História de Portugal. Porto: Tipografia Alberto de Oliveira;

10


A Presença romana nos concelhos de Mangualde e Penalva do Castelo: revisão dos conhecimentos Relatório 1º Trimestre

UNIVERSIDADE CATÓLICA PORTUGUESA-CENTRO REGIONAL DAS BEIRAS-POLO DE VISEU (1997) – Caracterização sócio-económica do Concelho de Penalva do Castelo: um estudo empírico. Penalva do Castelo: [s.n.]; VAZ, João Luís Inês (1997) – A Civitas de Viseu : Espaço e Sociedade. Coimbra: Comissão de Coordenação da Região Centro (História Regional e Local; 2).

11


A Presença romana nos concelhos de Mangualde e Penalva do Castelo: revisão dos conhecimentos

Relatório 1º Trimestre

ANEXO I Proposta de revisão do trabalho académico Capítulo

Acção

Execução

Observações

Consultar UCP-CRB-PV, 1997. Parte I

Consultar Cardoso, 1971. Consultar Cardoso, 1994. Consultar Gomes & Carvalho, 1992.

Parte II n.º 2 ABV.POC-MOI

Visitar o local

Parte II n.º 9 CNB.OLI

Rever segundo Gomes, 1985a

Parte II n.º 12 ESP.BOC

Relocalização

Parte II n.º 13 ESP.CER

Solicitar à CASCA, S.A. levantamentos topográficos anteriores à implantação da unidade fabril.

Parte II n.º 16 ESP.LAJ

Rever segundo Gomes, 1985a

Parte II n.º 17 ESP.OLV-MND

Rever segundo Gomes, 1985a

Parte II n.º 19 ESP.QTA-NOV

Rever segundo Gomes, 1985a

Parte II n.º 20 ESP.CAS

Rever segundo Gomes, 1985a

Parte II n.º 21 ESP.SAL

Rever segundo Gomes, 1985a

Parte II n.º 22 ESP.VNE

Rever segundo Gomes, 1985a

Parte II n.º 27 ESP.FRX

Rever com base em informações do Novo Tempo

Parte II n.º 28 MGL.MNT-CAS

Incluir informações do Novo Tempo

Parte II n.º 29 MGL.MOI-OLI

Visitar o local

Parte II n.º 31 MGL.PAS

Incluir menção à via romana

Parte II n.º 32 MGL.QTA-CAL

Incluir menção à via romana

Parte II n.º 34 MGL.QTA.IGJ

Visitar o local 12

Carta enviada a 01-09-2003, sem reposta.


A Presença romana nos concelhos de Mangualde e Penalva do Castelo: revisão dos conhecimentos

Relatório 1º Trimestre

Localização das sondagens Parte II n.º 35 MGL.QTAS-FPU

Localização do troço de via (comparar com informações do Novo Tempo)

Parte II n.º 36 MGL.QTA-QUA

Localização das sondagens

Parte II n.º 37 MGL.REG

Localização das sondagens

Parte II n.º 39 MGL.REG

Possibilidade da placa provir da Quinta da Igreja

Parte II n.º 40 MGL.VIN-GIA

Rever com base nas informações do Dr. Marcelino

Parte II n.º 43 QTA.QTA

Revisão total Inquirir Junta de Freguesia de Santiago de Cassurrães Efectuado sobre a localização deste topónimo

Parte II n.º STC.REC

Inquirir Junta de Freguesia de Cunha Alta sobre a

Enviada carta a 01-09-2003,

localização deste topónimo

sem resposta

Confrontar com as informações do Novo Tempo. Parte II n.º 47 STC.MAR

Rever segundo Gomes, 1985a

Parte II n.º 48 STC.STC

Rever segundo Gomes, 1985a

Parte II n.º 49 STC.TAP Parte II n.º 53, 54, 55 TVT.* Parte II n.º 55 VZT.TOR

Rever segundo Gomes, 1985a Revisitar o local Visitar os três locais Visitar o local Confrontar com os dados do Novo Tempo

Parte II n.º 63 CTP.PNT-CAS

Rever com vista à exclusão

Parte II n.º 66, 67, 68 ESM.*

Visitar os três locais

Parte II n.º 69 ESM/INS.MUR

Visitar

Parte II n.º 71 INS.PCT

Contactar o Proprietário

Efectuado 13


A Presença romana nos concelhos de Mangualde e Penalva do Castelo: revisão dos conhecimentos

Relatório 1º Trimestre

Parte II n.º 72 INS.PNT-POR

Rever com vista à sua exclusão

Parte II n.º 73 INS.PNT-QUI

Visitar o local

Parte II n.º 74 INS.QTA-GOJ

Contactar o Proprietário

Parte II n.º 76 INS.SGM

Contactar o Proprietário da “Casa de Sangemil”

Parte II n.º 80, 81, 82 SEZ.*

Visitar os três locais

Parte II n.º 83 TCZ.PNT-TCZ

Rever com vista à sua exclusão

Parte III 2.1.2. As redes viárias

Incluir medidas das vias

Parte III 2.1.2.1. Rede Principal

Rever à luz dos novos dados e completar (miliários e vias)

Parte III 2.1.2.2. Rede Secundária

Rever á luz dos novos dados e completar (miliários e vias)

Parte III 2.1.4. vias e núcleos populacionais

Revisão total

Parte II 2.2. Tipos de Sítios

Revisão da tipologia dos sítios

Parte II 2.2.1. Castros

Revisão da informações sobre os castros

Parte II 2.2.2. Villae

Cartografar a aglomeração das villae

Parte II 2.2.3 Habitates

Cartografar os aglomerados de habitates à volta das villae

Executado

Elaboração de cartografia

Parte II 3. Recursos económicos Consultar bibliografia sobre economia rural romana Geral

Relocalizar os sítios nas C.M.P.’s com coordenadas GAUSS Elaborar cartografia digital

Nota: Não se incluem as acções de Revisão que serão elaboradas no trabalho A Epigrafia latina nos concelhos de Mangualde e Penalva do Castelo e que serão utilizadas neste trabalho. 14


A Presença romana nos concelhos de Mangualde e Penalva do Castelo: revisão dos conhecimentos

Relatório 1º Trimestre

ANEXO II Relação da correspondência expedida

N.º

Data

Destinatário

Assunto [envio do projecto]

Via

000/03-IMP

16-08-2003

ACAB

001/03-IMP

01-09-2003

Museu da Academia das Xorcas de Ouro do Monte do Modorno ou Medorno, CE Ciências de Lisboa

002/03-IMP

01-09-2003

Museu

da

Ciência

Universidade de Lisboa 003/03-IMP

11-09-2003

PMP

Resposta R001/03-IMP

Mangualde da Xorcas de Ouro do Monte do Modorno ou Medorno, CE Mangualde

IPA-Extensão Territorial de Vestígios arqueológicos no Monte da Senhora do CE Viseu

Castelo

ANEXO III Relação da correspondência recebida N.º Data R001/03-IMP 29-08-2003

Remetente ACAB

Assunto Arqueologia

15

Via PMP

Resposta Não teve


P mgl R rom E pct

A PRESENÇA ROMANA NOS CONCELHOS DE MANGUALDE E PENALVA DO CASTELO: REVISÃO DOS CONHECIMENTOS

Relatório do 2º Trimestre

Apresentado por Pedro Pina Nóbrega à ACAB-Associação Cultural Azurara da Beira

Janeiro de 2004


A Presença romana nos concelhos de Mangualde e Penalva do Castelo: revisão dos conhecimentos Relatório 2º Trimestre

1. – Relação dos Participantes Como foi referido no projecto entregue em Agosto passado, o único participante foi o responsável pelo projecto, Pedro Pina Nóbrega. Contudo contou-se com a colaboração de diversas pessoas: Pe. José Pedro da Costa Matos, pároco das Antas e S. João da Fresta; Prof. Dr. João Luís Inês Vaz; Prof. Dr. Amílcar Guerra; Margarida Fonseca, estudante de Arqueologia e História na FLUL;

2. – Meios utilizados Não foram utilizados quaisquer meios específicos, apenas meios informáticos e fotográficos para armazenamento e tratamento de dados.

3. – Duração dos trabalhos Neste trimestre não se registaram momentos mortos propriamente ditos, o projecto esteve sempre a decorrer, apesar de não trabalharmos nele quotidianamente. Não se verificaram períodos superiores a 8 dias de inoperância.

4. – Estratégia da intervenção As estratégias por nós tomadas foram diversas, consoante o objecto de investigação. Algumas das estratégias foram escolhidas na continuidade do trabalho anterior outras em virtude dos novos campos a explorar e dos desafios que surgiram. a)

1

Consulta da imprensa regional

Na continuidade do trabalho já desenvolvido no trimestre anterior, esta consulta consistiu na leitura integral dos diversos exemplares e na recolha de dados sobre o “estatuto editorial” do periódicos e das notícias com informações arqueológicas.

b)

Revisão do nosso trabalho académico Apesar de no relatório anterior termos previsto a concretização das acções delineadas, para a revisão do trabalho, apenas nos 3º e 4º trimestre, resolvemos concretizar algumas destas acções.

c)

Contacto com as Instituições museológicas Este contacto foi feito maioritariamente por carta ou mensagem de correio electrónico. Apesar de termos recebido repostas de quase todas as instituições contactadas, iremos visitar as instituições para validar a informação que nos foi transmitida. Normalmente a respostas destas instituições é sempre “Não”, mas com persistência e com uma visita ao local acabamos sempre por encontrar aquilo que encontramos, principalmente quando temos informações sobre a sua existência.

1

No âmbito do projecto A arqueologia mangualdense e penalvense na imprensa regional e paroquial extinta. Veja-se o relatório do 2º trimestre.

1


A Presença romana nos concelhos de Mangualde e Penalva do Castelo: revisão dos conhecimentos Relatório 2º Trimestre

5. – Descrição da actividade realizada Data 15-10-2003

Actividade Envio de Correspondência para: Museu da Ciência da Universidade de Lisboa e Museu da Academia das Ciências de Lisboa.

16-10-2003

Envio à ACAB da versão final do projecto e do relatório parcelar relativo ao 1º Trimestre.

21-10-2003

Resposta da Academia das Ciências de Lisboa.

07-11-2003

Envio da notícia “O Património arqueológico da freguesia de Quintela de Azurara” para publicação no Noticias da Beira, p. 4.

08-11-2003

Inicio da Revisão do nosso trabalho académico.

10-11-2003

Envio de Correspondência: Sociedade Martins Sarmento, Casa Anadia, Museu Regional de Arqueologia de Arganil, Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas, Museu Grão Vasco, Casa da Ínsua. Resposta do Museu Nacional de Arqueologia (Dr. Luís Raposo).

12-11-2003

Encontro com o Prof. Dr. Amílcar Guerra em que foram abordados as correcções ao nosso trabalho académico do ano transacto. O Prof. Manifestou disponibilidade para colaborar no projecto como consultor. Emprestou o nosso trabalho académico para uma melhor leitura e percepção das correcções feitas. Resposta ao Dr. Luís Raposo do Museu Nacional de Arqueologia. Pesquisa Bibliográfica na Biblioteca da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa.

13-11-2003

Informação de um popular do aparecimento de muitos materiais cerâmicos no sítio da “Caldeira” junto à ponte do Casal das Donas sobre o rio Ludares.

14-11-2003

Publicação do artigo “Vestígios arqueológicos de Quintela de Azurara”, publicado no Notícias da Beira, p. 6. Conversa com o Dr. Marcelino sobre a actividade desenvolvida.

15-11-2003

Conversa com o Dr. Marcelino sobre a actividade desenvolvida.

20-11-2003

Envio de Correspondência: Instituto Português de Arqueologia.

21-11-2003

Consulta de Bibliografia na Biblioteca da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa.

22-11-2003

Consulta de Bibliografia na Biblioteca da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa. Redacção do artigo de divulgação na imprensa regional.

26-11-2003

Consulta de Bibliografia na Biblioteca da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa.

27-11-2003

Resposta a da Sociedade Martins Sarmento.

28-11-2003

Envio de Correspondência: Centro de Estudos Geográficos da UL: Fototeca (Dr. Mário Neves) e Mapoteca (Prof. Dr. Maria Helena Dias). Resposta da Prof. Dr. Maria Helena Dias da Mapoteca do CEG da UL.

02-12-2003

Consulta de O Penalvense na Biblioteca Nacional.

04-12-2003

Encontro com a Prof. Dr. Maria Helena Dias da Mapoteca do CEG da UL. Foi concedida autorização para a consulta de cartografia antiga.

05-12-2003

Resposta de Vicente Olazabal. Publicação do artigo “Arqueologia mangualdense e penalvense: investigar para conhecer”, no Noticias da Beira, p. 1 e 7.

2


A Presença romana nos concelhos de Mangualde e Penalva do Castelo: revisão dos conhecimentos Relatório 2º Trimestre 06-12-2003

Continuação da Revisão do Trabalho académico.

07-12-2003

Continuação da Revisão do Trabalho académico.

11-12-2003

Resposta do Dr. Mário Neves. Visita ao Museu da Sociedade Martins Sarmento em Guimarães.

12-12-2003

Elaboração do relatório da visita ao Museu da Sociedade Martins Sarmento.

13-12-2003

Resposta ao Museu da Sociedade Martins Sarmento e ao Sr. Vicente Olazabal.

15-12-2003

Resposta ao Dr. Mário Neves. Envio de correspondência à Direcção do CEG da UL. Resposta do Sr. Vicente Olazabal. Resposta ao Sr. Vicente Olazabal

18-12-2003

Consulta de O Despertar de S. João da Fresta, O Amigo da Justiça, O Beirão, O Conspirador, Gazeta de Mangualde.

19-12-2003

Consulta de O Amigo da Justiça, O Povo Beirão.

22-12-2003

Resposta do Instituto Português de Arqueologia (Dr. Maria João Sousa). Envio de Correspondência ao Museu de História Natural – Secções de Antropologia e Minerologia da Faculdade de Ciências da Universidade de Coimbra e ao Museu do Instituto Geológico e Mineiro. Resposta ao Instituto Português de Arqueologia (Dr. Maria João Sousa).

23-12-2003

Resposta do Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas.

29-12-2003

Resposta do Museu de História Natural – Secção de Minerologia da Faculdade de Ciências da Universidade de Coimbra.

Foi solicitado junto da Mapoteca e da Fototeca do CEGUL autorização para consultar cartografia antiga à escala 1:25000 e 1:50000 e fotografias aéreas da região de Mangualde e Penalva do Castelo. Relativamente à consulta de cartografia antiga a autorização foi concedida pela Prof. Dr. Maria Helena Tavares Dias, directora da Mapoteca do CEGUL. No que diz respeito à consulta das fotografias aéreas, fomos informados pelo Dr. Mário Neves, responsável pela Fototeca do CEGUL, que não é possível a consulta pois não existe neste momento nenhum funcionário neste serviço. Recomendou-me colocar a minha situação à direcção do CEGUL, o que fiz aguardando neste momento resposta. Foi contactado o Pe. António Freirinha, antigo pároco das Antas, na tentativa de que soubesse a proveniência da ara das Antas. Na ausência de qualquer resposta, pedi ao Pe. José Pedro da Costa Matos, actual pároco das Antas, que tentasse saber junto dos anteriores párocos a possível proveniência da ara. Não podemos consultar todos os exemplares dos jornais que pretendíamos, por estarem alguns empacotados na Biblioteca Nacional e por estarem em manutenção na Hemeroteca Municipal de Lisboa. Foram já consultados neste trimestre, na Biblioteca Nacional, todos os exemplares disponíveis de O Penalvense e O Despertar de S. João da Fresta. De forma a validar a informação transmitida pelo Museu da Sociedade Martins Sarmento, aproveitando uma deslocação a Guimarães por motivos académicos, visitámos o este Museu. Em anexo encontra-se o relatório desta visita.

3


A Presença romana nos concelhos de Mangualde e Penalva do Castelo: revisão dos conhecimentos Relatório 2º Trimestre

6. – Resultados obtidos Da actividade desenvolvida (ver os dois pontos anteriores), obtivemos um conjunto de informações sobre os seguintes sítios arqueológicos: 1)

Citânia da Raposeira Vários fragmentos de cerâmica encontram-se depositados no Museu da Sociedade Martins Sarmento, em Guimarães. Expostos podemos observar três cossoiros e três fragmentos cerâmicos. Numas prateleiras podemos encontrar tegulae com marcas de patas de animal, caprinos, semelhantes aquelas que se encontram numa tegulae depositada na ACAB. Tendo como certo que o local recentemente escavado por Clara Portas é o mesmo que foi escavado por Alberto Osório, poderão estas tegulae terem vindo da Raposeira. Contudo, não existia qualquer referência à proveniência das tegulae.

2)

Citânia do Bom Sucesso No aludido museu encontram-se também materiais provenientes do Castelo de Chãs de Tavares. Podemos, igualmente, observar expostos nas vitrinas um percutor, fragmentos cerâmicos e fragmentos de sigillata hispânica. Um destes fragmentos de sigillata hispânica é o fragmento publicado por Adilia Alarcão (1958: 68:3).

3)

Monte da Senhora do Castelo No museu anteriormente citado, podemos observar expostos um punção, um seixo rolado, um pendente ou elemento de adorno, escória.

4)

Mangualde No museu, a que já nos referimos, encontram-se expostos materiais cuja proveniência é Mangualde. Face aos dados recolhidos no Novo Tempo podemos colocar a hipótese de a verdadeira proveniência ser uma das “citânias” então descobertas junto à actual cidade de Mangualde: Raposeira, Estação de Mangualde e Vinha do Sr. José d´Almeida.

5)

Ponte Porcas e Calçada romana na Ínsua O sr. Vicente Olazabal, da Casa da Ínsua, indicou-nos a existência de uma possível calçada romana entre a actual ponte porcas e a aldeia de Ínsua. Assim poderá estar desvendado o “mistério” da classificação como romana da actual ponte Porcas por Alarcão (1988: 59) e por Leite (1956: 64 e 1997: 42). Na altura da redacção da Tese de Licenciatura do dr. Fernando Leite, ainda devia existir uma antiga ponte que entretanto foi substituída pela nova ponte. Alarcão deve apenas se ter baseado na informação de Leite sem visitar o local. Desconhecemos que a antiga ponte se situava no local da actual ponte a se a montante desta.

6)

Caldeira Um popular informou o nosso pai de que apareceram no sítio da caldeira, junto da ponte de Casal das Donas sobre o rio Ludares, bastantes fragmentos cerâmicos. Estes dados não nos

4


A Presença romana nos concelhos de Mangualde e Penalva do Castelo: revisão dos conhecimentos Relatório 2º Trimestre permite avançar para uma ocupação romana do local, apenas uma visita ao sítio poderá validar esta informação.

7)

Antas Foi encontrado o topónimo “Quinta de Bandufe” na carta militar 1:25000. este topónimo localiza-se na fronteira da actual freguesia da Matela com a de Esmolfe, junto ao rio Carapito. Sabendo que até meados do século passado Matela pertenceu às Antas, e o radical BAnd- do topónimo em tudo semelhante ao radical da divindade cultuada na ara. Cremos que podemos estar perante um pervivência na toponímia do nome da divindade e que o local de achamento e/ou de culto não seria muito longe da localização deste topónimo.

Relativamente à existência de materiais provenientes de Mangualde e Penalva do Castelo depositados em diversos Museus, obtivemos resposta negativa do Museu Regional de Arqueologia de Arganil e do Museu da Academia das Ciências. O Museu da Sociedade Martins Sarmento respondeu que não lhe eram possível no momento dar qualquer informação pois o inventário encontrava-se em tratamento. De notar que temos informação bibliográfica que refere o depósito pelo Prof. Dr. Castro Nunes de materiais de Mangualde no Museu Regional de Arqueologia de Arganil. No museu da Academia das Ciências de Lisboa, como uma das herdeiras do espólio do Museu da Ajuda, colocámos a hipótese de aí se encontrarem as arrecadas do “Medorno”.

7. – Previsão do programa ulterior de trabalhos no caso de relatórios de progresso. Como previsto no projecto por nós apresentado, concluiremos a consulta da imprensa extinta, pretendendo consultar neste trimestre os exemplares existentes da O Penalvense, Mira Serra, Família Paroquial (Cunha Baixa e Mesquitela), Família Paroquial (Santiago de Cassurrães), O Despertar de São João da Fresta, Arauto da Verdade, Antas a Nossa Terra, Comunidade Cristã, Castelo de Penalva, Mensagem, Mira Serra, Terra de Tavares. Iniciaremos o estudo do Epistolário do Dr. José Leite de Vasconcellos2, depositado no Museu Nacional de Arqueologia. Continuaremos a levar a cabo, igualmente, algumas das acções já delineadas para a revisão do nosso trabalho.

8 – Divulgação de resultados preliminares Em vista a divulgar algumas das informações já recolhidas e despertar a população local para a defesa do seu património conhecendo-o, foram publicados os seguintes artigos no Notícias da Beira. 1) Para Quando um museu em Mangualde? 2) Os vestígios arqueológicos de Quintela de Azurara. 3) A arqueologia mangualdense e penalvense: investigar para conhecer.

2 Este estudo integrar-se-á no projecto Os concelhos de Mangualde e Penalva do Castelo no Epistolário do Dr. José Leite de Vasconcellos.

5


A Presença romana nos concelhos de Mangualde e Penalva do Castelo: revisão dos conhecimentos Relatório 2º Trimestre

9 – Referências Bibliográficas utilizadas ALARCÃO, Adilia (1958) – Sigillata hispanica em museus do norte de Portugal. Revista de Guimarães. Guimarães. 68:3. ALARCÃO, Jorge (1988) – Roman Portugal, 2(1). Warminster: Aris & Philips Ltd. Págs. 59-63. LEITE, Fernando Barbosa de Barros (1956a) – O Concelho de Penalva do Castelo. Beira Alta. Viseu. 15(1) LEITE,

Fernando

Barbosa

de

Barros

(1997)

Concelho

de

Penalva

do

Castelo:

Recolha

Bibliográfica/Contributo para uma monografia. Penalva do Castelo: Câmara Municipal de Penalva do Castelo.

6


A Presença romana nos concelhos de Mangualde e Penalva do Castelo: revisão dos conhecimentos

Relatório 2º Trimestre

ANEXO I Relação da correspondência expedida N.º

Data

012/03-ROM

10-11-2003

Destinatário

Assunto

Museu da Sociedade Martins Sarmento

Via

Citânia da Raposeira (Mangualde): Materiais e correspondência de CTT

Resposta R007/03-ROM

Martins Sarmento 013/03-ROM

10-11-2003

Casa Anadia

Moedas romana da Raposeira

CTT

014/03-ROM

10-11-2003

Museu Reg. de Arqueologia de Arganil

Materiais arqueológicos provenientes dos concelhos Mangualde e CE Penalva do Castelo

015/03-ROM

10-11-2003

Inst. Sup. de Ciências Sociais e Politicas

Materiais arqueológicos do antigo Museu Pedagógico.

CE

016/03-ROM

10-11-2003

Museu Grão Vasco

Materiais arqueológicos provenientes de Mangualde e Penalva do CE Castelo

017/03-ROM

10-11-2003

Casa da Ínsua – Sr. Vicente Olazabal

Vestígios romanos na Quinta da Ínsua

CTT

R009/03-ROM

018/03-ROM

20-11-2003

Instituto Geográfico

CE

Anulada

019/03-ROM

20-11-2003

Instituto Português de Arqueologia

Limites administrativos dos concelhos de Mangualde e Penalva do Castelo Consulta de Processos de Sítios arqueológicos

CE

R012/03-ROM

020/03-ROM

28-11-2003

Centro de Estudos Geográficos U.L.: Consulta de Fotografias

CE

R010/03-ROM

CE

R008/03-ROM

R011/03-ROM

Fototeca: Dr. Mário Neves 21/03-ROM

28-11-2003

Centro de Estudos Geográficos U.L.: Consulta de mapas antigos Mapoteca: Prof. Dr. Maria Helena Dias

22/03-ROM

13-12-2003

Sr. Vicente Olazabal da Casa da Ínsua

Vestígios romanos na Quinta da Ínsua

CE

23/03-ROM

13-12-2003

Museu Sociedade Martins Sarmento

Vestígios romanos dos concelhos de Mangualde e Penalva

CE

24/03-ROM

15-12-2003

Dr. Mário Neves (Fototeca do CEG da Consulta de Fotografias da Fototeca do CEG

CE

U.L.) 25/03-ROM

15-12-2003

Director

do

Centro

de

Estudos Consulta de Fotografias da Fototeca do CEG

CE

Geográficos da U.L. 26/03-ROM

13-12-2003

Sr. Vicente Olazabal da Casa da Ínsua

Re: Vestígios romanos na Quinta da Ínsua

7

CE


A Presença romana nos concelhos de Mangualde e Penalva do Castelo: revisão dos conhecimentos

Relatório 2º Trimestre 27/03-ROM

28/03-ROM

22-12-2003

22-12-2003

Museu de História Natural – Secção de Materiais provenientes dos concelhos de Mangualde e Penalva do CE Antropologia (F.C.U.C.)

Castelo

Museu Antropológico da F. C. U. P

Materiais provenientes dos concelhos de Mangualde e Penalva do

Anulada

Castelo 29/03-ROM

22-12-2003

Museu do Instituto Geológico e Mineiro

Materiais provenientes dos concelhos de Mangualde e Penalva do CE Castelo

30/03-ROM

22-12-2003

Museu de História Natural – Secção de Materiais provenientes dos concelhos de Mangualde e Penalva do CE Minerologia (F.C.U.C.)

Castelo Re: Consulta de processos

31/03-ROM

22-12-2003

Dr. Maria João Sousa (I.P.A.)

01/04-ROM

02-01-2004

Inst. Sup. de Ciências Sociais e Politicas Espólio do antigo Museu Pedagógico

R014/03-ROM

CE CTT

(Secretaria) 02/04-ROM

02-01-2004

Museu de História Natural da F. C. U. P.

Materiais provenientes dos concelhos de Mangualde e Penalva do Castelo CTT

ANEXO II Relação da correspondência recebida N.º

Data

Remetente

R007/03-ROM

24-11-2003

Sociedade Martins Sarmento

R008/03-ROM

28-11-2003

Prof. Dr. Maria Helena Tavares Dias

R009/03-ROM

05-12-2003

Casa da Ínsua: Vicente Olazabal

R010/03-ROM

11-12-2003

Dr. Mário Neves

R011/03-ROM

15-12-2003

Sr. Vicente Olazabal

R012/03-ROM

22-12-2003

Dr. Maria João Sousa (IPA)

R013/03-ROM

23-12-1003

UTL:ISCSP (Secretaria)

R014/03-ROM

29-12-2003

Museu de História Natural – Secção de Minerologia (FCUC)

Assunto

Via

Resposta

CTT 023/03-ROM Re: Consulta de Mapas antigos

CE

Conversa pessoal

CTT 022/03-ROM Re: Consulta de fotografias da Fototeca do CEG

CE

024/03-ROM

Re: Vestígios romanos da Quinta da Ínsua

CE

026/03-ROM

Consulta de Processos

CE

031/03-ROM

Materiais arqueológicos do antigo Museu Pedagógico

CTT 001/04-ROM

Re: Materiais provenientes dos concelhos de Mangualde e

CE

Penalva do Castelo

8


A Presença romana nos concelhos de Mangualde e Penalva do Castelo: revisão dos conhecimentos

Relatório 2º Trimestre

ANEXO III Relatório da Visita ao Museu da Sociedade Martins Sarmento Aproveitando a nossa deslocação ao polo de Guimarães da Universidade do Minho, por razões académicas, fizemos uma curta visita ao Museu da Sociedade Martins Sarmento. Como referi no relatório do 1º Trimestre tínhamos referência ao envio de materiais arqueológicos da Raposeira para esta Sociedade, nomeadamente pelo Dr. Alberto Osório de Castro. Interpelado o Museu da Sociedade Martins Sarmento sobre a existência materiais arqueológicos dos concelhos de Mangualde e Penalva do Castelo, responderam-nos que não os possível fornecer as informações pretendidas acerca de peças provenientes de Mangualde e de Penalva do Castelo que eventualmente existam no nosso acervo. Conforme foi noticiado, no passado dia 20 foi inaugurado o nosso Museu da Cultura Castreja, em Briteiros, cujo processo de musealização implicou que se tivesse que reformular o nosso inventário, que presentemente se encontra em fase de tratamento, não estando, por isso acessível. Logo que possível, enviaremos as informações pretendidas. Na rápida visita que fizemos a este Museu, no dia 11 de Dezembro de 2003, podemos comprovar a existência das seguintes peças, que se encontram expostas nas vitrines:

Designação Punção

Proveniência N.ª Sr.ª do Castelo,

N.º Inventário

Observações

MAS-139 (c)

Mangualde Percutor

Castelo de Chãs de

MAS-143 (c)

Tavares, Mangualde Seixo rolado

N.ª Sr.ª do Castelo,

MAS-624 (c)

Mangualde Pendente, elemento

N.ª Sr.ª do Castelo,

adorno

Mangualde

MAS-559 (c)

Pensamos que poderá tratarse antes de um pequeno percutor de encabamento transversal. Nota-se o sulco do encabamento.

Cossoiros

Campo da Raposeira,

MAS-2024 a 27 (c)

Mangualde Frag. de cerâmica

Campo da Raposeira,

MAS-2038 a 41 (c)

Mangualde Escória

N.ª Sr.ª do Castelo,

MAS-3932 ou 82 (c)

Mangualde

Não podemos ver se se tratava de escória de ferro ou da liga de bronze.

Sigillata Hispânica

Castelo de Chãs de

MAS-2279 a 81 (c)

Tavares, Mangualde Sigillata Hispânica

Mangualde

MAS-2295 (c)

Tanto poderá ser da Raposeira, como das várias “citânias” descobertas na

9


A Presença romana nos concelhos de Mangualde e Penalva do Castelo: revisão dos conhecimentos

Relatório 2º Trimestre altura: Mangualde-Gare e Vinha do Sr. José d’Almeida. Frag. de cerâmica

Castelo de Chãs de

MAS-2133 (c)

Tavares, Mangualde

Curiosamente, numa pesquisa bibliográfica que já anteriormente tínhamos feito, verificámos que na Revista de Guimarães, publicada pela Sociedade Martins Sarmento, na secção boletim não vem qualquer referência, nos números de 1890, 91 e 92, à entrada destes materiais no Museu da Sociedade. Encontrámos apenas a referência, numa pesquisa bibliográfica efectuada na biblioteca da Sociedade Martins Sarmento, à aceitação da proposta para sócio do Dr. Alberto Osório de Castro, apresentada pelo presidente da Sociedade Martins Sarmento na sessão de 1 de Agosto de 1891.

Guimarães/Lisboa, 12 de Dezembro de 2003 Pedro Pina Nóbrega

10


P mgl R rom E pct

A PRESENÇA ROMANA NOS CONCELHOS DE MANGUALDE E PENALVA DO CASTELO: REVISÃO DOS CONHECIMENTOS

Relatório do 3º Trimestre

Apresentado por Pedro Pina Nóbrega à ACAB-Associação Cultural Azurara da Beira

Maio de 2004


A Presença romana nos concelhos de Mangualde e Penalva do Castelo: revisão dos conhecimentos Relatório 3º Trimestre 1. – Relação dos Participantes Como foi referido no projecto entregue em Agosto passado, o único participante foi o responsável pelo projecto, Pedro Pina Nóbrega. Contudo, neste trimestre, contou-se com a colaboração do Dr. Paulo Celso Fernandes Monteiro, que nos forneceu importantes informações sobre sítios e materiais de Penalva do Castelo, a do Dr. António Amaro das Neves, da Comissão Instaladora da Casa Sarmento-Centro de Estudos do Património, que nos apoiou nas pesquisas na Sociedade Martins Sarmento, às quais nos referiremos mais à frente.

2. – Meios utilizados Não foram utilizados quaisquer meios específicos, apenas meios informáticos e fotográficos para armazenamento e tratamento de dados.

3. – Duração dos trabalhos Neste trimestre não se registaram momentos mortos propriamente ditos, o projecto esteve sempre a decorrer, apesar de não trabalharmos nele quotidianamente. Não se verificaram períodos superiores a 8 dias de inoperância. Os períodos de aparente inoperância corresponderam a períodos de intensa troca de correspondência pessoal com a o Dr. António Amaro das Neves, da Casa Sarmento-CEP.

4. – Estratégia da intervenção As estratégias por nós tomadas foram diversas, consoante o objecto de investigação. Algumas das estratégias foram escolhidas na continuidade do trabalho anterior outras em virtude dos novos campos a explorar e dos desafios que surgiram. a)

Consulta da imprensa regional e paroquial

1

Na continuidade do trabalho já desenvolvido no trimestre anterior, esta consulta consistiu na leitura integral dos diversos exemplares e na recolha de dados sobre o “estatuto editorial” do periódicos e das notícias com informações arqueológicas.

b)

Contacto com a Casa Sarmento-Centro de Estudos do Património Este contacto, constitui um contacto pessoal, com a instituição. Da parte da instituição a pessoa de contacto foi sempre o Dr. António Amaro das Neves, membro da Comissão Instaladora da mesma. Esta instituição tem como um dos objectivos o estudo e salvaguarda do espólio da Sociedade Martins Sarmento. Através dela fomos questionando sobre a possibilidade da existência da correspondência entre Alberto Osório de Castro e Francisco Martins Sarmento, o que se veio a verificar.

c) Contacto com os descendentes de Alberto Osório de Castro Sabíamos da existência de duas teses de licenciatura sobre AOC, em que ambas autoras tinham contactado com os seus descendentes. Na tese da Dr. Maria Celeste Bernardo, de 1971, existiam referências à filha e à neta de AOC, que já faleceram, que morariam em Estremoz. Enviamos duas cartas à filha e à neta de AOC para Estremoz na tentativa de obter 1

No âmbito do projecto A arqueologia mangualdense e penalvense na imprensa regional e paroquial extinta. Veja-se o relatório do 3º trimestre.

_____________________________________________________________________________________________________________________________________

Pedro Pina Nóbrega

1


A Presença romana nos concelhos de Mangualde e Penalva do Castelo: revisão dos conhecimentos Relatório 3º Trimestre qualquer resposta. Entretanto conseguimos na Internet o endereço de correio electrónico da Dr.ª Celeste Bernardo e através dela os contactos dos descendentes actuais de AOC, a Dr.ª Isabel Taborda Oliveira, bisneta e detentora da Correspondência de AOC, e Sr. António Osório de Castro, sobrinho-neto em casa do qual se encontra a correspondência.

d) Consulta do Epistolário do Dr. José Leite de Vasconcellos Ver relatório do 1º trimestre do projecto Os concelhos de Mangualde e Penalva do Castelo no Epistolário de Dr. José Leite de Vasconcellos.

5. – Descrição da actividade realizada Data 02-01-2004

Actividade Envio de Correspondência ao Museu de História Natural da Faculdade de Ciências da Universidade do Porto. Resposta ao Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas.

18-01-2004

Consulta de Bibliografia em www.csarmento.uminho.pt

19-01-2004

Consulta de Bibliografia em www.csarmento.uminho.pt

26-01-2004

Envio de correspondência à Câmara Municipal de Penalva do Castelo (Dr. Carlos Santos).

05-02-2004

Envio de Correspondência para a Prof. Dr. Maria Helena Dias.

07-02-2004

Envio e Correspondência para a Sociedade Martins Sarmento

16-02-2004

Resposta do Museu de História Natural da FCUP (Prof. Dr. Jorge Eiras)

17-02-2004

Resposta ao Museu de História Natural da FCUP

18-02-2004

Resposta do Museu de História Natural da FCUP (Dr. António Huet Gonçalves) Resposta ao Museu de História Natural da FCUP (Dr. António Huet Gonçalves)

23-02-2004

Envio de Correspondência a Prof. Dr. Maria Helena Dias e Museu Nacional Machado de Castro. Consulta bibliográfica em www.csarmento.uminho.pt

01-03-2004

Envio de Correspondência à Dr.ª Isabel Taborda Oliveira (bisneta de AOC).

05-03-2004

Contacto Telefónico com a Dr.ª Isabel Taborda Oliveira.

11-03-2004

Contacto Telefónico com António Osório de Castro (sobrinho-neto de AOC).

13-03-2004

Consulta do espólio de AOC na Casa de António Osório de Castro.

17-03-2004

Fotocópia do espólio de AOC depositado na casa de António Osório de Castro.

22-03-2004

Envio de Correspondência à Dr. Isabel Taborda de Oliveira e à Dr. Maria Celeste Bernardo.

21-03-2004

Consulta das cartas enviadas a partir de Mangualde, do Epistolário de JLV. Consulta de bibliografia na Biblioteca do Museu Nacional de Arqueologia.

22-03-2004

Envio de Correspondência ao Pe. José Pedro da Costa Matos.

25-03-2004

Consulta das cartas enviadas a partir de Mangualde, do Epistolário de JLV. Consulta de bibliografia na Biblioteca do Museu Nacional de Arqueologia.

30-03-2004

Consulta das cartas enviadas a partir de Mangualde, do Epistolário de JLV.

_____________________________________________________________________________________________________________________________________

Pedro Pina Nóbrega

2


A Presença romana nos concelhos de Mangualde e Penalva do Castelo: revisão dos conhecimentos Relatório 3º Trimestre Consulta de bibliografia na Biblioteca do Museu Nacional de Arqueologia.

Foi efectuada a consulta de mapas antigos na Mapoteca do Centro de Estudos Geográficos da Universidade de Lisboa. Foi efectuada uma visita à Sociedade Martins Sarmento. Esta visita foi encetada pela recente “descoberta” da Correspondência entre Alberto Osório de Castro e Francisco Martins Sarmento. De facto não constitui nenhuma descoberta, pois existem referências a esta correspondência (Cardozo, 1950, p. 411) e pelo menos uma tinha estado na Exposição Francisco Martins Sarmento, em 1999 na Sociedade Martins Sarmento, mas recentemente tínhamos sido informados pela Sociedade Martins Sarmento da não existência destas Cartas. Numa segunda consulta que fizemos, desta vez, Casa Sarmento, foi encontrado pelo Dr. António Amaro das Neves um volume com treze cartas com algumas notas de despesas e um telegrama, com datas compreendidas entre 1882 e 1899. Em tempo oportuno foi enviado um relatório à ACAB, que custeou as despesas de transporte e alojamento. Aproveitando esta visita efectuou-se uma visita à Secção de Arqueologia do Museu de História Natural da Faculdade de Ciências da Universidade do porto onde foram observados objectos da Raposeira e de Germil. Sobre a consulta das cartas de Alberto Osório de Castro e a consulta do Epistolário do Dr. José Leite de Vasconcellos, veja-se os respectivos relatórios de progresso dos projectos A arqueologia mangualdense e penalvense na imprensa regional e paroquial extinta e Os concelhos de Mangualde e Penalva do Castelo no Epistolário do Dr. José Leite de Vasconcellos.

6. – Resultados obtidos Da actividade desenvolvida (ver os dois pontos anteriores), obtivemos um conjunto de informações sobre os seguintes sítios arqueológicos:  Forno Telheiro (vestígios romanos)  Chão do Concelho (vestígios romanos e medievais)  Raposeira (vestígios romanos)  Placa Honorífica de S. Cosmado (tentativa de aquisição por JLV)  Castro do Bom Sucesso (descrição de obras em 1938)  Antas (epígrafe votiva e materiais em pedra polida)  Abadia de Espinho (tentativa de aquisição do miliário por JLV)  Sr.ª do Castelo (moeda de ouro)  Cêrca, Água Levada (exploração por Maximiliano Apolinário)  Raposeira (Planta de parte das escavações de AOC, sucessão de achados, metodologia, materiais e estruturas encontradas, problemas posteriores de conservação, materiais encontrados, etc)  Medorno (confirmação dos dados d’O Novo Tempo e D’A Reacção, vestígios romanos)  Monte da Sr.ª do Bom Sucesso (confirmação dos dados d’O Novo Tempo e D’A Reacção)  Monte da Sr.ª do Castelo (confirmação dos dados d’O Novo Tempo e D’A Reacção)  Rechã (confirmação dos dados d’O Novo Tempo)  Lajinha (confirmação dos dados d’O Novo Tempo e D’A Reacção) _____________________________________________________________________________________________________________________________________

Pedro Pina Nóbrega

3


A Presença romana nos concelhos de Mangualde e Penalva do Castelo: revisão dos conhecimentos Relatório 3º Trimestre

Foi encontrada a Correspondência entre Alberto Osório de Castro e Francisco Martins Sarmento, no Arquivo da Sociedade Martins Sarmento, assim como a correspondência enviada por Francisco Martins Sarmento e José Leite de Vasconcellos a Alberto Osório de Castro, que se encontra na posse da sua bisneta Dr.ª Isabel Taborda Oliveira. Esta correspondência encontra-se repleta de informações sobre as investigações arqueológicas desenvolvidas pelo Alberto Osório de castro a expensas da Sociedade Martins Sarmento. Esta documentação permite não só recolher informações sobre sítios arqueológicos e respectivos materiais, mas também sobre os métodos utilizados, o impacto das descobertas na sociedade mangualdense, as relações institucionais e individuais do Alberto Osório, sobe a obra literária, etc.

7. – Previsão do programa ulterior de trabalhos no caso de relatórios de progresso. Continuaremos o estudo do Epistolário do Dr. José Leite de Vasconcellos2, depositado no Museu Nacional de Arqueologia. Iniciaremos a consulta dos processos de sítio depositados no arquivo do Instituto Português de Arqueologia e da bibliografia que não foi possível consultar para o nosso trabalho académico.

8 – Referências Bibliográficas utilizadas CARDOZO, Mário (1950) – Monumentos arqueológicos da Sociedade Martins Sarmento. Revista de Guimarães. Guimarães. 60 (3-4), pp. 406-486.

2 Este estudo integrar-se-á no projecto Os concelhos de Mangualde e Penalva do Castelo no Epistolário do Dr. José Leite de Vasconcellos. _____________________________________________________________________________________________________________________________________

Pedro Pina Nóbrega

4


A Presença romana nos concelhos de Mangualde e Penalva do Castelo: revisão dos conhecimentos

Relatório 3º Trimestre ANEXO I Relação da correspondência expedida N.º

Data

Destinatário

01/04-ROM 02-01-2004

Assunto

Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas Espólio do antigo Museu Pedagógico

Via

Resposta

CTT

(Secretaria) 02/04-ROM 02-01-2004

Museu de História Natural da F. C. U. P.

Materiais provenientes dos concelhos de Mangualde e CTT R002/04-ROM Penalva do Castelo

03/04-ROM 26-01-2004

Dr. Carlos Ferreira Santos (Vereador da Cultura Materiais arqueológicos do concelho

CTT

da Câmara Municipal de Penalva do Castelo) 04/04-ROM 05-02-2004

Prof. Dr. Maria Helena Dias

Consulta de mapas antigos

CE

05/04-ROM 07-02-2004

Sociedade Martins Sarmento

Correspondência entre Martins Sarmento e Alberto Osório de CE

R001/04-ROM

Castro 06/04-ROM 17-02-2004

MHN FCUP

07/94-ROM 18-02-2004

MHN FCUP

08/04-ROM 23-02-2004

Prof. Dr. Maria Helena Dias

Agradecimento

09/04-ROM 23-02-2004

Museu Nacional Machado de Castro

Materiais provenientes dos concelhos de Mangualde e CE

CE

Penalva do Castelo 10/04-ROM 01-03-2004

Dr. António Huet Bacelar Gonçalves

Agradecimento

CE

ANEXO II Relação da correspondência recebida N.º

Data

Remetente

Assunto

Via

R001/04-ROM

09-02-2004

Prof. Dr. M.ª Helena Dias

Re: Consulta de Mapas antigos

CE

R002/04-ROM

10-02-2004

Museu de História Natural

Materiais arqueológicos provenientes dos concelhos de

CTT

FCUP (Prof. Dr. Jorge Eiras)

Mangualde e Penalva do Castelo

Resposta

06/04-ROM

_________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________

Pedro Pina Nóbrega

5


P mgl R rom E pct

A PRESENÇA ROMANA NOS CONCELHOS DE MANGUALDE E PENALVA DO CASTELO: REVISÃO DOS CONHECIMENTOS

Relatório do 4º Trimestre

Apresentado por Pedro Pina Nóbrega à ACAB-Associação Cultural Azurara da Beira

Julho de 2004


A Presença romana nos concelhos de Mangualde e Penalva do Castelo: revisão dos conhecimentos Relatório 3º Trimestre

1. – Relação dos Participantes Como foi referido no projecto entregue em Agosto passado, o único participante foi o responsável pelo projecto, Pedro Pina Nóbrega.

2. – Meios utilizados Não foram utilizados quaisquer meios específicos, apenas meios informáticos e fotográficos para armazenamento e tratamento de dados.

3. – Duração dos trabalhos Os trabalhos neste trimestre concentraram-se essencialmente em Maio e no final do mês de Junho e no de Julho. Este facto deveu-se a motivos académicos e a compromissos já assumidos no ano académico anterior o que não nos permitiu dispensar ao projecto o tempo que desejávamos. Assim, parte do trabalho estendeu-se pelo mês de Julho e ainda se estenderá até à fase final da redacção do texto a publicar, prevendo-se a sua conclusão em Setembro.

4. – Estratégia da intervenção As estratégias por nós tomadas foram diversas, consoante o objecto de investigação. Algumas das estratégias foram escolhidas na continuidade do trabalho anterior outras em virtude dos novos campos a explorar e dos desafios que surgiram. a) Consulta dos Processos de Sítio de EIA no IPA Foi efectuada uma consulta superficial a todos os processos de sítio e de EIA existentes no IPA, tendo sido retirada informação que se achou pertinente para este projecto. Não se tratou de uma consulta exaustiva, mas sim de uma consulta de sondagem o que por si permitiu esclarecer as dúvidas que tinhas em relação a alguns sítios. b) Consulta do Epistolário do Dr. José Leite de Vasconcellos Ver relatório do 2º trimestre do projecto Os concelhos de Mangualde e Penalva do Castelo no Epistolário de Dr. José Leite de Vasconcellos.

5. – Descrição da actividade realizada Data

Actividade

10-04-2004

Conversa com o Dr. Paulo Celso Monteiro sobre diversos sítios romanos do concelho de Penalva do Castelo.

12-04-2004

Elaboração do artigo para o Ficheiro Epigráfico sobre a ara das Antas, em colaboração com o Prof. João Luís Inês Vaz. Revisão das Leituras da ara funerária de Quintela de Azurara, da ara da Fresta, da placa funerária da Quinta do Salgueiral, e da placa funerária da Qt.ª da Ínsua.

14-04-2004

Concepção da conferência: Alberto Osório de Castro: incursões pela arqueologia mangualdense

19-04-2004

Concepção da conf.: Alberto Osório de Castro: incursões pela arqueologia mangualdense

21-04-2004

Concepção da conf.: Alberto Osório de Castro: incursões pela arqueologia mangualdense

_____________________________________________________________________________________________________________________________________

Pedro Pina Nóbrega

1


A Presença romana nos concelhos de Mangualde e Penalva do Castelo: revisão dos conhecimentos Relatório 3º Trimestre 22-04-2004

Consulta das cartas enviadas a partir de Mangualde, do Epistolário de JLV. Consulta de bibliografia na Biblioteca do Museu Nacional de Arqueologia.

23-04-2004

Concepção da conf.: Alberto Osório de Castro: incursões pela arqueologia mangualdense

24-04-2004

Concepção da conf.: Alberto Osório de Castro: incursões pela arqueologia mangualdense

25-04-2004

Concepção da conf.: Alberto Osório de Castro: incursões pela arqueologia mangualdense

26-04-2004

Concepção da conf.: Alberto Osório de Castro: incursões pela arqueologia mangualdense

28-04-2004

Concepção da conf.: Alberto Osório de Castro: incursões pela arqueologia mangualdense

30-04-2004

Concepção da conf.: Alberto Osório de Castro: incursões pela arqueologia mangualdense

02-05-2004

Concepção da conf.: Alberto Osório de Castro: incursões pela arqueologia mangualdense Reacção do artigo: Alberto Osório de Castro: incursões pela arqueologia mangualdense, para publicação no Notícias da Beira

04-05-2004

Apresentação da conf.: Alberto Osório de Castro: incursões pela arqueologia mangualdense

05-05-2004

Concepção em formato papel e digital da conferência: Alberto Osório de Castro: incursões pela arqueologia mangualdense

06-05-2004

Concepção em formato papel e digital da conferência: Alberto Osório de Castro: incursões pela arqueologia mangualdense

07-05-2004

Consulta das cartas enviadas a partir de Mangualde, do Epistolário de JLV. Consulta de bibliografia na Biblioteca do Museu Nacional de Arqueologia. Concepção em formato papel e digital da conferência: Alberto Osório de Castro: incursões pela arqueologia mangualdense

08-05-2004

Lançamento da conferência: Alberto Osório de Castro: incursões pela arqueologia mangualdense, no sítio na Internet da ACAB

09-05-2004

Envio do texto da conferência: Alberto Osório de Castro: incursões pela arqueologia mangualdense ao Museu Nacional de Arqueologia, à Escola Secundária Felismina Alcântara, à Dr.ª Clara Portas, à Sociedade Martins Sarmento e aos descendentes de Alberto Osório de Castro.

14-05-2004

Consulta das cartas enviadas a partir de Mangualde, do Epistolário de JLV. Consulta de bibliografia na Biblioteca do Museu Nacional de Arqueologia.

20-05-2004

Consulta das cartas enviadas a partir de Mangualde, do Epistolário de JLV. Consulta de bibliografia na Biblioteca do Museu Nacional de Arqueologia. Consulta de bibliografia na Biblioteca Nacional.

28-05-2004

Resposta do Dr. Luís Raposo, Director do MNA. Consulta das cartas enviadas a partir de Mangualde, do Epistolário de JLV. Consulta de bibliografia na Biblioteca do Museu Nacional de Arqueologia.

04-06-2004

Consulta de bibliografia na biblioteca do Instituto de Arqueologia da FLUC Consulta de bibliografia na Biblioteca Geral da Universidade de Coimbra Resposta ao Dr. Luís Raposo, Director do MNA.

09-06-2004

Consulta das cartas enviadas a partir de Mangualde, do Epistolário de JLV. Consulta de bibliografia na Biblioteca do Museu Nacional de Arqueologia.

_____________________________________________________________________________________________________________________________________

Pedro Pina Nóbrega

2


A Presença romana nos concelhos de Mangualde e Penalva do Castelo: revisão dos conhecimentos Relatório 3º Trimestre 11-06-2004

Consulta das cartas enviadas a partir de Mangualde, do Epistolário de JLV. Consulta de bibliografia na Biblioteca do Museu Nacional de Arqueologia.

15-06-2004

Consulta de bibliografia na biblioteca do IPA

17-06-2004

Consulta das cartas enviadas a partir de Mangualde, do Epistolário de JLV. Consulta de bibliografia na Biblioteca do Museu Nacional de Arqueologia.

20-06-2004

Revisão do trabalho académico

22-06-2004

Consulta das cartas enviadas a partir de Mangualde, do Epistolário de JLV. Consulta de bibliografia na Biblioteca do Museu Nacional de Arqueologia.

24-06-2004

Consulta de bibliografia na biblioteca do Instituto de Arqueologia da FLUC

Sobre a consulta do Epistolário do Dr. José Leite de Vasconcellos, veja-se os respectivos relatórios de progresso do projecto Os concelhos de Mangualde e Penalva do Castelo no Epistolário do Dr. José Leite de Vasconcellos. Para além desta actividade foram estabelecidos contactos pessoais com o Dr. Paulo Celso Fernandes Monteiro, com a Sociedade Martins Sarmento, Casa de Sarmento-Centro de Estudos do Património, Academia das Ciências de Lisboa.

6. – Resultados obtidos Da actividade desenvolvida (ver os dois pontos anteriores), obtivemos um conjunto de informações sobre os seguintes sítios arqueológicos:  Raposeira;  Quintela de Azurara;  Moirelas;  Marco Miliário da Quinta da Ponte;  Outeiro de Espinho;  S. Martinho;  Fundo de Vila.

7. – Previsão do programa ulterior de trabalhos no caso de relatórios de progresso. Como previsto o projecto terminou neste trimestre, contudo, e como já referimos, até à elaboração do texto para publicação serão efectuados alguns trabalhos que visam clarificar alguns dados já obtidos e a transcrição das cartas que faltam, assim como, a consulta de toda a bibliografia referida por João Luís Inês Vaz, Luís Filipe Coutinho Gomes e Pedro Sobral Carvalho e outra do nosso conhecimento que não pode, por diversos motivos, ser consultado para a elaboração do trabalho académico já referido.

8. – Divulgação de dados Foi realizada no dia 3 de Maio na Escola Secundária Dr.ª Felismina Alcântara uma palestra sobre a actividade de arqueológica de Alberto Osório de Castro. Foi uma iniciativa conjunta da ACAB e do Departamento de História da ESFA. Nesta palestra foram dados a conhecer alguns dos dados constantes do Epistolário do Dr. José Leite de Vasconcellos. Um resumo desta comunicação foi publicado no jornal _____________________________________________________________________________________________________________________________________

Pedro Pina Nóbrega

3


A Presença romana nos concelhos de Mangualde e Penalva do Castelo: revisão dos conhecimentos Relatório 3º Trimestre Notícias da Beira de 8 de Maio de 2004. O Texto integral, juntamente com os diapositivos, encontra-se disponível na Internet no endereço http://confaoc.no.sapo.pt. Também foram utilizados dados deste projecto num trabalho académico por nós elaborado no âmbito da licenciatura que frequentamos, intitulou-se Castelologia do Entre Dão e Mondego (séculos IX e XIII). Um resumo deste trabalho, abordando apenas os aspectos do concelho de Mangualde, já está elaborado e deverá ser publicado no Notícias da Beira.

_____________________________________________________________________________________________________________________________________

Pedro Pina Nóbrega

4


A Presenรงa romana nos concelhos de Mangualde e Penalva do Castelo: revisรฃo dos conhecimentos

Relatรณrio 3ยบ Trimestre

_________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________

Pedro Pina Nรณbrega

5


REL_PREROM  

A PRESENÇA ROMANA NOS CONCELHOS DE MANGUALDE E PENALVA DO CASTELO: REVISÃO DOS CONHECIMENTOS

Advertisement
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you