Issuu on Google+

Órgão Informativo da Associação Comercial e Industrial de Marília - Gestão 2012-15 - Maio/2013 - No. 09

DIA DAS MÃES

Rosas são distribuídas pelo 16º ano consecutivo CREDIÁRIO Pág 03

CERTIFICAÇÃO Pág 04

ACCREDITO Pág 05

VAREJO Reunião envolvendo representantes da Acim, Unimed de Marília e Polícia Militar, definiu detalhes de como será a distribuição de rosas na cidade, na celebração ao Dia das Mães, quando as mães que estiverem nos corredores comerciais da cidade, no sábado, dia 11, e nos hospitais, asilos e maternidades, no domingo, dia 12, receberão um dos 12 mil botões de rosas que serão distribuídos. Pág 16

Pág 07

ENTREVISTA Páginas 09 e 10


Pág 02

Notícias da Acim

Opinião do Pr esidente Presidente O mês de maio é considerado pela classe comercial como sendo o segundo melhor momento de vendas. Perde apenas para o Natal. Com o Dia das Mães, muitas lojas começam a recuperar a estiagem financeira entre o mês de dezembro até maio, ou seja, praticamente cinco meses com vendas inferiores. A recuperação é quase certa, mas para isso é preciso preparar melhor a equipe de vendas, ter um estoque com produtos modernos e com preços convidativos. Pensando eu auxiliar os comerciantes, e principalmente os comerciários, a Acim já colocou em prática um programa de capacitação profissional, oferecendo dois cursos de grande interesse, voltados para a área de vendas e de marketing. A proposta deste programa é disponibilizar um treinamento em um período curto, com investimento bem em conta e que possa agregar no trabalho da loja e acrescentar nos tradicionais cursos que normalmente são realizados de forma mais profundas seja nas faculdades que temos na cidade ou até mesmo nos cursos do Senac. Naturalmente esses cursos que são realizados há muito tempo, são mais completos, porém, o que estamos

realizando é rápido, prático e opferece uma boa ideia do que deve ser feito nestas ocasiões. É sabido que de nada adianta a oportunidade se não estivermos preparados. Assim sendo, pelo que se apresenta, oportunidades existem: nosso calendário de promoções mostra bem isso; capacitação, cursos e treinamento são disponibilizados. Resta agora a participação, envolvimento e comprometimento do empresariado em investir na equipe de trabalho e os colaboradores que necessitam ter motivação para participação, além do estímulo que deve existir para que obstáculos sejam superados. Este ano de 2013 promete ser dos melhores em todos os sentidos, mas para que possamos aproveitar bem as ocasiões será preciso investir: tempo, conhecimento, dinheiro e oportunidades. Tanto o comerciante, quanto o comerciário precisam de uma alinhamento neste sentido, afinal, todos ganham com boas vendas. Libânio Victor Nunes de Oliveira, é o atual presidente da Associação Comercial e Industrial de Marília

Conheça a diretoria da Acim

Maio/2013

EXPEDIENTE NOTÍCIAS DA ACIM, é um órgão informativo oficial da Associação Comercial e Industrial de Marília. - Endereço para correspondência: Rua 24 de dezembro, 678 - Bairro Alto Cafezal - CEP 17.500-060 - Marília - São Paulo - Brasil - Site: www.acim.org.br - E-Mail: acim@acim.org.br - Telefone: (14) 3402 3301 Filiada a Federação das Associações Comerciais do Estado de São Paulo (Facesp) DIRETORIA EXECUTIVA: Presidente - Libânio Victor Nunes de Oliveira; 1º Vice-Presidente - Luiz Carlos de M. Soares; 2º Vice-Presidente Gilberto Joaquim Zochio; 1º Secretário - José Luis Leite; 2ª Secretária Regina Lúcia Ottaiano Losasso Serva; 1º Tesoureiro - Adriano Luiz Martins; 2ª Tesoureira - Ilma Maria Aires de Lucena; Coordenador SCPC - Carlos Francisco Bitencourt Jorge; Coordenador Acim-Med - João Gonçalves. CONSELHO FISCAL: César Jorge Elias José, Isaura Soares Saraiva, Manoel Batista de Oliveira. SUPLENTES - Carlos Cavalheire Bassan, José Roberto Guimarães Torres e Sandra Márcia Bouche Cardoso. CONSELHO CONSULTIVO: Odair Aparecido Martins (presidente), Roberto Borghette Mello (vice-presidente), Ailton Bezerra da Silva, Antonio Alpino Filho, Aparecida Peres Frendenberg, Carlos Bodini Barion, Claudemir Torres Prizão, Dielson Morais Trindade, Eduardo Kiyoshi Kawakami, Hederaldo Joel Benetti, Humberto Ferreira da Luz, José Antonio Gasparini, José Raimundo Souza Azevedo, José Rubis Garla, Leonardo Kozo Sasazaki, Maria Tereza Amaro da Silva Marques, Mário Antonio Ferioli, Marli Aparecida Espadoto, Milton Tedde, Oswaldo Fernandes de Souza, Reinaldo Miguel,Rodrigo Cirino, Sandra Maria Benetti, Subhi Ahmad Khalil Abu Khalil, Suely Peres Vicente, Wanderley Rossilho D´Avila e Wilson Mattar. SUPERINTENDENTE: José Augusto Gomes E-mail: j.guto@acim.org.br. EDIÇÃO E PRODUÇÃO: Eficaz Comunicação Empresarial S/C Ltda - Marília/SP E-mail: atendimento@eficaz.jor.br.

Conselho Consultivo Ailton Bezerra da Silva

Conselho Consultivo Antonio Alpino Filho

TIRAGEM MENSAL: 2 mil exemplares gratuitos


Maio/2013

Notícias da Acim

Pág 03

CREDIÁRIO

Consultas ao SCPC surpreendem em março Os dados registrados no mês de março surpreenderam o coordenador do Serviço Central de Proteção ao Crédito (SCPC) da Associação Comercial e Industrial de Marília (Acim), Carlos Francisco Bitencourt Jorge, ao verificar que o terceiro mês do ano não superou os dados do mês de janeiro, que continuam sendo os melhores do ano, até o momento. “Acreditava-se que após o Carnaval os números seriam bem melhores”, disse o dirigente que verificou queda nas consultas ao SCPC de pessoas físicas e jurídicas, bem como sobre os cheques e as inclusões e exclusões de CPFs ao Banco de Dados da entidade. “Normalmente o mês de março demonstra elevação no número de consultas, em todos os sentidos, apesar da queda natural que seguimos nos últimos anos”, falou. Naturalmente com uma freqüência maior na utilização das compras a vista e pelos cartões de crédito, débito e benefícios, o sistema do SCPC representa as consultas pelo crediário ou compras através dos cheques. “As consultas ao SCPC não representam volume de vendas”, disse Carlos Francisco Bitencourt Jorge ao verificar queda de 16,04% nas consultas de CPFs (Física) queda de 15,45% nas consultas de CNPJs (Jurídicas) e queda de 16,25% nas consultas so-

bre os cheques. Quanto as inclusões de CPFs ao Banco de Dados do SCPC caiu 12,38% e as exclusões de CPFs foram de queda de 27,44%. “Uma mudança de comportamento do consumidor, que, sem dúvida, tem optado pelas compras a vista ou através de financeiras”, comentou o dirigente da Acim. No mês de março as consultas sobre os CPFs (física) registraram 31.845 consultas, diante das 37.933 registradas no ano passado. Sobre os CNPJs (Jurídicas) foram realizadas 3.162 consultas este ano diante das 3.740 registradas em março do ano passado. Quanto aos cheques, foram 30.802 consultas registradas em março deste ano, diante das 36.781 consultas realizadas no mesmo período no ano passado. Foram incluídos CPFs em março ao Banco de Dados do SCPC, de 2.476 pessoas enquanto que no ano passado foram de 2.826 CPFs incluídos. Os que foram excluídos, também foram menos. Apenas 1.375 pessoas retomaram o crédito em março, quando no ano passado foram 1.895 pessoas. “O mês de março era para ser, no mínimo, superior a janeiro”, disse surpreso Carlos Francisco Bitencourt Jorge. Nos três meses de 2013 soma-se 28.463 devedores cadastrados no Banco de Dados do SCPC da Acim, num total de dívi-

das cadastradas de 57.200. “Uma pessoa pode ter mais de uma dívida”, explicou ao apontar um montante de: R$ 14.217.386,38 que deixa de circular no comércio local por causa dos débitos pendentes nos últimos cinco anos. “São mais de dois milhões de reais que estão parados por ano”, apontou o coordenador do SCPC da Acim ao tirar a média anual do montante que deixa de circular entre as lojas da cidade. “Outra explicação de mais pessoas terem menos crédito no comércio”, apontou. “Isto faz com que este devedor só compre a vista”, falou ao comentar sobre a movimentação pelo crediário. “Ou utilize o nome de outra pessoa para comprar pelo crediário”, sugeriu ao lembrar que uma vez com o CPF ou CNPJ no SCPC da Acim, a restrição é nacional.


Pág 04

Notícias da Acim

Maio/2013

CERTIFICAÇÃO DIGITAL

Dirigente alerta para validade da assinatura O superintendente da Associação Comercial e Industrial de Marília (Acim), José Augusto Gomes, está alertando os empresários em geral, quanto a importância dos contribuintes estarem atentos a validade da certificação digital. Com as renovações iniciadas em janeiro, por causa de documento vencido, isto pode prejudicar profissionais que devem entregar documentos para a Receita Federal, e ter outros contratempos. “Se o documento estiver vencido, o contribuinte pode ter problemas com a conectividade social, serviço de FGTS e com a entrega de declarações e emissão de notas fiscais”, disse o dirigente da associação comercial. “Advogados, por exemplo, não poderão fazer peticionamento eletrônicos”, exemplificou. De acordo com José Augusto Gomes as pessoas físicas e jurídicas, ou órgãos públicos que em 2010 emitiram o certificado, esse ano deverão renovar a documentação, que tem validade de três anos. “Daí a importância do usuário observar este detalhe”, alertou o superintendente da Acim ao fazer o alerta e colocar a Acim a disposição para a renovação da certificação. “Pode acontecer da pessoa achar que pelo fato de ter em mãos a assinatura digital, é para o resto da vida”, comentou ao lembrar que a cada três anos é

José Augusto Gomes, superintendente da Acim

preciso atualizar a certificação digital que deixa de funcionar. Para o superintendente da Acim quando um empreendedor decide certificar digitalmente a empresa ele obtém ganhos em competitividade, pois agiliza os processos produtivos, com mais segurança às suas movimentações financeiras, e confere à empresa uma identidade eletrônica que permite o controle destas operações com economia de tempo e redução de custos. “Hoje o acesso a informação sobre a certificação digital é muito grande”, disse José Augusto Gomes ao citar uma

cartilha existente sobre o tema com o objetivo de orientar micro e pequenos empreendedores que desejam obter a certificação e, com isso, ampliar o campo de atuação. “Os interessados podem ter acesso gratuito a todo o conteúdo do material através do endereço www.accertifica.com.br”, anunciou José Augusto Gomes. “Nele, é possível encontrar o passo-a-passo para o processo de certificação e o uso correto do documento”, falou. “Ali é descrito em tópicos como definições e conceito, possibilidade de uso, como adquirir (com informações detalhadas para pessoas físicas e jurídicas e a documentação necessária) e curiosidades”, explicou ao lembrar que no sites da Acim e da Boa Vista Serviços também constam informações sobre o assunto. O download pode ser efetuado nos formatos PDF, iPad e Pageflip. Este último permite ao usuário virar as páginas como se estivesse lendo um livro ou um jornal. De acordo com a Infraestrutura de Chaves Públicas, autarquia ligada à Presidência da República, há hoje cerca de 5 milhões de certificados ativos e, apenas em 2011, foram concedidos 1,74 milhão. A região Sudeste concentra mais da metade das empresas já certificadas digitalmente. São 51,7% das 5,25 milhões de firmas.


Maio/2013

Notícias da Acim

Pág 05

CARTÃO DE BENEFÍCIOS

Fundo Social recebe R$ 128 mil do ACCredito O presidente da Associação Comercial e Industrial de Marília (Acim), Libânio Victor Nunes de Oliveira considerou importante o trabalho desenvolvido com o Cartão de Benefícios ACCredito, numa parceria com a Federação das Associações Comerciais do Estado de São Paulo (Facesp), quando mais de oito mil beneficiários investem nas lojas da cidade e promovem a circulação financeira dentro do próprio município. “Com a utilização do Cartão ACCredito em Marília o Fundo Social de Solidariedade do Município de Marília é favorecido com uma parte da receita entre Acim e Facesp”, disse o dirigente satisfeito com o resultado que mostra repasse de R$ 128.616,45 nos 50 meses de atividade na cidade. De acordo com Libânio Victor Nunes de Oliveira o programa começou em 2008 quando foram repassados apenas R$ 872,17. No ano seguinte foram R$ 25.732,59 repassados com as atividades dos 12 meses de 2009. Em 2010 no ano foram repassados R$ 33.730,36, valor pouco superior em 2011 quando foram repassados R$ 32.508,74. Em 2012 foi o segundo melhor ano com repasse na ordem de R$ 33.095,36. “Quando começamos em 2008 foi o resultado apenas do mês de dezembro”, lembrou o presidente da Acim ao destacar que somente no mês de janeiro deste ano foram repassados R$ 2.677,23. “Nossa média de repasse por mês é de R$ 2.700,00”, lembrou o dirigente da Acim. Atualmente o Cartão de Benefícios ACCredito da Acim e Facesp con-

Vinicius Camarinha e Libânio Victor Nunes de Oliveira

ta com mais de oito mil beneficiados na cidade de Marília que investem nas lojas da cidade, com desconto direto na folha de pagamentos das empresas. Existem mais de 200 estabelecimentos comerciais como Postos de Gasolina, Supermercados e Farmácias que vendem através do cartão de benefícios, que funciona de forma semelhante a um cartão de crédito ou desconto, ou seja, todo informatizado. “Hoje temos mais de 20 empresas que oferecem o cartão para os funcionários”, destacou Libânio Victor Nunes de Oliveira que pretende, dentro do planejamento anual da Acim, elevar o número de beneficiados, de empresas que vendem através do cartão e de empregadores que oferecem o cartão de benefícios aos funcionários. Documento esclarecendo a performance do Cartão de Benefícios

ACCredito foi produzido e encaminhado ao Prefeito de Marília, Vinicius Camarinha; a presidente do Fundo Social de Solidariedade do Município de Marília, Paula Almeida; ao vice prefeito Sérgio Lopes Sobrinho e a Secretaria Municipal de Administração. “Em breve vamos nos reunir para discutir formas de melhoria no atendimento, nas ofertas e principalmente no aumento de rede de uso do cartão”, comentou o presidente da Acim que considera importante este trabalho realizado na cidade. “O Cartão ACCredito é interessante para o beneficiário, que passa a comprar com desconto na folha de pagamento; do comerciante que tem a garantia do recebimento e principalmente para o município que faz a circulação de dinheiro na economia local”, explicou Libânio Victor Nunes de Oliveira.


Pág 06

Notícias da Acim

Maio/2013


Maio/2013

Notícias da Acim

COMÉRCIO VAREJISTA

Vendas devem crescer 5% O presidente da Associação Comercial e Industrial de Marília (Acim), Libânio Victor Nunes de Oliveira, está otimista quanto a previsão de crescimento do volume de vendas no comércio varejista para a temporada de 2013, com tendência as vendas a prazo de produtos de baixo e médio valor agregado. “As vendas do varejo devem subir entre 5% e 6% este ano”, disse o dirigente de forma segura. “Se a projeção se confirmar, as vendas devem ter um aumento inferior ao registrado no ano passado, que foi de 6,75%”, falou. “Já o PIB do comércio, segundo as previsões, deve aumentar 5%, também menos que os 8,4% verificados no ano passado”, completou. Para o presidente da Acim todos os índices propulsores do crescimento já apresentam sinais de arrefecimento. “O pior sinal é a inflação. Ela continua corroendo o salário do trabalhador e não dá nenhum sinal de trégua”, disse em tom de preocupação. “É hora do Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central (BC) elevar a taxa básica de juros”, opinou. “Normalmente não defendo esse tipo de aumento, mas tem horas que o remédio, mesmo amargo, tem que ser tomado para não comprometer mais na frente”, sugeriu o dirigente com experiência no comércio varejista. “Penso que seja necessário que o BC faça isso para que, futuramente, não tenhamos que tomar uma decisão mais com-

plicada”, opinou. O volume de vendas a prazo no comércio cresceu 11,23% na comparação com fevereiro de 2012, o melhor resultado dos últimos dez meses. Segundo os técnicos o resultado foi bom, mas deve ser visto com ressalvas. “Não dá para dizer que o comércio está “bombando”, porque foi um mês muito atípico”, disse Libânio Victor Nunes de Oliveira. “Em março, provavelmente teremos um número mais realista”, acredita. Apesar do crescimento de 6,65% na comparação com fevereiro de 2012, a inadimplência já apresenta uma tendência de queda, em dezembro de 2012 diante de dezembro de 2011, a alta havia sido de 13,80%, e em janeiro na comparação com janeiro de 2012, o indicador havia aumentado 11,80%. Na opinião do presidente da Acim o brasileiro é um bom pagador, mas é desequilibrado. “Ele não faz planejamento para comprar”, disse Libânio Victor Nunes de Oliveira ao explicar que o indicador de inadimplência mudou, passando a considerar, para efeitos de cálculo do índice, atrasos superiores a 30 dias. Antes, somente os atrasos que superavam 60 dias entravam na base de cálculo que leva em conta mais de 150 milhões de consumidores cadastrados em 800 mil pontos de venda em todo o País. “O importante é continuar monitorando os índices, para não sermos surpreendidos”, avisou de olho nos números.

Pág 07

Bem Vindos Associados Rosazu Confecção Life Telecom Gras Modas Kamy Embalagens Casa dos Batentes Jrs Representacaoes em Geral

Klee Interiores Móveis Ned Comércio e Construção

Marcela Automóveis Shopping do Marceneiro Happy Kids - Vestuário Apollo Comunicação Visual

Drogaria Imperial Auto Posto Universitario Anhanguera Marilia - Cursos

Mon Petit Baby C & R Presentes Boa Cesta Sindimar e Região Tedesco Representações


Pág 08

Notícias da Acim

Maio/2013

ENTREVISTA

Comandante da Polícia acredita no comércio O comandante do 9º BPM/I – Marília, o Tenente Coronel Marcos César Gritscher Leite, nascido em Marília, retornou a cidade depois de experiências adquiridas como: Comandante de Pelotão de Choque, Ronda Oficial, Comandante de Força Patrulha; Oficial P/1; Oficial P/ 2; Oficial P/3; Oficial P/4; Oficial P/5; Oficial SJD; Chefe da Seção de Orçamento e Custos; Comandante de Pelotão e Instrutor em Curso de Formação de Soldados PM; Comandante de Companhia PM, Comandantede Companhia de Policiamento de Choque, Comandantede Companhia de Força Tática,Subcomandante de Batalhão e Comandante de Batalhão. Filho de Orlando da Rocha Leite e Marlene Gritscher Leite, este mariliense nasceu dia 10 de outubro de 1963 e se preparou muito para atingir o cargo máximo da região. Ingressou na Polícia Militar do estado de São Paulo dia 04 de fevereiro de 1985, passando por unidades como: 3º Batalhão de Policiamento de Choque – Canil Central; 9º BPM/I – Marília; Comando de Policiamento de Área/I-4 – Marília; Comando de Policiamento Florestal e de Mananciais, atual Comando de Policiamento Ambiental; 32º BPM/I – Assis e 31º BPM/I – Ourinhos. Tem participação em cursos como o de Formação de Oficiais – Academia de Polícia Militar do Barro Branco – 1985-1987; Bacharel em Direito – Universidade de Marília – 19951998; Curso de Aperfeiçoamento de Oficiais – 2006-2007, Bacharel em Ciências Jurídicas – UNIMAR – 1995-1998. Por ser de Marília, acredita que o comércio da cidade é forte e representativo, e por esta razão, atrair milhares de pessoas, elevando a preocuapação com a segurança em geral. No comando do 9º Batalhão de Polícia Militar do Interior (BPM/I) – Marília este Tenente-Coronel de Polícia Militar quer ajudar os comerciantes, comerciários e consumidores da cidade..


Maio/2013

Notícias da Acim

01 – Como o senhor observa a segurança pública no comércio da cidade? Há de se enfrentar algumas considerações, antes de respondermos a esta pergunta. A segurança é um dever do Estado, mas responsabilidade de todos. Dever do Estado significa que não é somente uma obrigação das Polícias Militar e Civil, mas de todos os organismos e entes estatais que, de forma harmônica e sistêmica, devem propiciar a almejada segurança. Assim, a segurança também é um dever do Poder Legislativo, por meio da elaboração de leis eficientes e eficazes para a prevenção (políticas públicas de segurança) e repressão (políticas de dissuasão) ao crime. As leis são as maiores armas de prevenção e combate à criminalidade, nas quais os demais órgãos estatais fundamentam as suas ações (Governos, Ministérios, Secretarias, Polícias, Ministério Público, Judiciário, Sistema Prisional, etc.). Da mesma forma, as leis impactam no comportamento dos demais organismos sociais e na individualidade das pessoas, convocando-os para a conduta correta, tornando-os também responsáveis pela convivência pacífica e harmônica da sociedade. Quando a conduta esperada não acontece, sobrevêm as sanções. A segurança da sociedade, portanto, depende da participação de todos. Analisando, desta forma, a segurança no comércio da cidade de Marília é extremamente satisfatória diante do cenário nacional, mas devemos continuar trabalhando, em conjunto, para que seja cada vez melhor. 02 – Quais são os aspectos que necessitam de melhoria? A melhoria ocorre na medida em que se estabelece um canal de diálogo em duplo sentido entre o policial militar e o cidadão, graças ao vínculo emocional que se cria entre ambos, gerando confiança. Isso se dá com a disseminação do acesso ao atendimento de emergência (telefone 190), visando o pronto e rápido atendimento, e comações conjuntas com outros órgãos públicos das três esferas,nas soluções de demandas que chegam à Polícia Militar do Estado de São Paulo e que poderiam ser melhor solucionadas por esses mesmos órgãos especializados. Ovideomonitoramento das ruas e avenidas da cidade e a implantação da atividade delegada em Marília, já em tratativas com o Poder Executivo Municipal, encerrariam esse primeiro ciclo de melhorias. 03 – O trabalho da Polícia Militar desenvolvido no centro comercial é igual ao desenvolvido nos bairros? Igual na qualidade, versatilidade e adequabilidade sociais. Distinto em razão das diferentes demandas e perfis de comportamento: a forma como as pessoas agem, por exemplo, durante o dia, nos corredores comerciais de nossa cidade, em pouco se assemelha ao seu comportamento à noite, em suas residências. O trabalho desenvolvido pela Polícia Militar obedece ao Plano de Policiamento Inteligente, que analisa as necessidades e peculiaridades de cada área, as informações disponíveis nos sistemas inteligentes da Polícia Militar, da própria comunidade, a dinâmica criminal, ocorrência de eventos específicos etc., os quais fundamentam a distribuição do policiamento pela cidade, em seus diversos programas e modalidades (Rádio Patrulhamento – Atendimento 190, Rondas com Apoio de Motocicletas, Força Tática, Policiamento Comunitário, Ronda Escolar, Trânsito, Rural, Cavalaria e Canil). 04 – De que forma o comércio pode e deve colaborar com o policiamento? Graças a campanhas com foco na transmissão de dicas de segurança, disseminadas por diversos meios (impressos, palestras e junto à imprensa local); no fortalecimento da confiança junto aos serviços policiais militares; na divulgação do telefone 190, gratuito, fácil de ser lembrado e de socorro imediato diuturno e durante todos os dias do ano;além daparticipação representativa nos Conselhos Comunitários de Segurança, nos quais carências gerais podem e devem ser tratadas. Esses são bons exemplos, podendo se expandir, conforme necessidades locais. 05 – Iluminação Pública, na opinião do senhor, é uma questão de segurança?

Pág 09

Sim, pois a iluminação pública adequada contribui para o surgimento de locais mais seguros,além de favorecer a sensação de segurança, de dissuasão da atividade criminosa e de facilitar as próprias intervenções policiais militares, já que permite a rápida e exata identificação do endereço de quem pede socorro. 06 – Quais as campanhas que estão sendo desenvolvidas junto aos comerciantes da cidade em geral? Campanhas educativas que visem à prevenção primária são as nossas maiores aliadas, com foco nos cuidados em deslocamentos com numerários, em procedimentos nos horários de fechamento dos estabelecimentos comerciais e nos comportamentos em horários noturnos. Além disso, orientações acerca da redução de acidentes de trânsito com vítimas, uma vez que este tipo de ocorrência impacta diretamente as ações de policiamento em razão da necessidade em se manter uma viatura no local do acidente, retirando-a do direto combate ao crime, na preservação da ordem pública e em fazer com que as leis sejam cumpridas. 07 – O sistema viário da cidade, quanto ao comércio em geral, necessita de melhorias em que sentido? O sistema viário atual foi concebido em um período no qual havia menos veículos em circulação. Daí a necessidade de um trabalho de reengenharia que busque melhorias na sinalização, pavimentação e fiscalização por meio de câmeras de monitoramento, o que aumentaria a segurança, o comportamento do usuário e a destinação dos policiais militares em outras ações preventivas. 08 – Roubos, furtos, acidentes de trânsito, entre outros são, são problemas comuns envolvendo o comércio. Quais outros que o comércio deve se precaver? Crimes de estelionato e posturas inconvenientes, tais como depredações e vandalismos. Oscomerciantes devem ter especial atenção às suas rotinas. Cuidados tambémcom a divulgação pelos funcionários de informações sobre valores na medida em que tais informações podem ser passadas a outras pessoas, potencializando a ocorrência de crimes contra a pessoa e o patrimônio. 09 – Existem planos de intensificação do policiamento no centro comercial e nos bairros? As regiões comerciais compõem o que denominamos de Áreas de Interesse de Segurança Pública (AISP), cujo planejamento e emprego operacional são diferenciados e direcionados aações distintas em razão do perfil, da maior quantidade do público e da sazonalidade (tais como datas comemorativas e horários especiais de funcionamento do comércio). Há, ainda, atividades de apoio a essas demandas, tais como o emprego das Bases Comunitárias Móveis (BCM),as Rondas com Apoio de Motocicleta (ROCAM), a Força Tática, o Trânsito, a Cavalaria e o Canil: tudo depende do conjunto de informações fornecidas pelo comércio e do que foi detectado no planejamento do policiamento. 10 – Como que a associação comercial pode colaborar com a Polícia Militar? A ACIM pode colaborar fazendo o que faz de melhor há 78 anos: unindo os profissionais do comércio que querem o desenvolvimento da cidade. Isso acontece com a disseminação aos comerciantes, comerciários e população em geral em fornecer sugestões de melhorias, estimulando ações seguras, denunciando a prática de ilícitos, divulgando trabalhos e resultados positivos das ações da Polícia Militar do Estado de São Paulo, além de dar continuidade nas campanhas já desenvolvidas em parceria, auxiliar nas análises e estudos prévios de impactos no entorno de um novo ponto comercial (em razão do público que pode migrar em maior quantidade, quer por transeuntes, quer pelo trânsito ou pelo comportamento criminal), enfim, servindo como ator e parceiro fundamentais no enfrentamento do mal. Com tais ações conjuntas, temos certo nosso princípio: o real e verdadeiro compromisso com o cidadão.


Pág 10

Notícias da Acim

Maio/2013


Maio/2013

Notícias da Acim

Pág 11

PESQUISA DE CONFIANÇA

Otimismo do consumidor é elevado, diz Acim O vice-presidente da Associação Comercial e Industrial de Marília (Acim), Gilberto Joaquim Zochio, considerou interessante pesquisa desenvolvida pelo instituto Ipsos, que avaliou o Índice Nacional de Confiança (INC) do consumidor em geral. “O resultado da pesquisa realizada em fevereiro mostra um consumidor menos otimista”, disse o dirigente mariliense que aponta o baixo crescimento do PIB e a alta da inflação como sendo os dois principais fatores de preocupação. O INC /Ipsos atingiu 152 pontos em fevereiro de 2013, diante dos 161 em janeiro de 2013 e dos 176 pontos em fevereiro de 2012. De acordo com os dados a classe “C” continua a mais otimista, com 154 pontos em fevereiro, contra 165 em janeiro/2013. Em seguida vêm as classes “A/B”, com 146 pontos em fevereiro diante dos 153 pontos no mês anterior (janeiro/2013). As classes “D/E” - as menos otimistas passaram de 145 em janeiro/2013 para 137 em fevereiro/2013. “O INC/Ipsos é obtido a partir de mil entrevistas domiciliares realizadas todos os meses, em nove regiões metropolitanas e em 70 cidades do interior brasileiro”, explicou Gilberto Joaquim Zochio ao analisar os números apresentados. “A margem de erro é de três pontos porcentuais”, acrescentou.

O Índice da Ipsos varia de zero a 200 pontos. Acima de 100 pontos está a região do otimismo e abaixo de 100 pontos, a região do pessimismo. Para o presidente da Acim, Libânio Victor Nunes de Oliveira, a pesquisa mostra também que 39% dos entrevistados se mantêm seguros no emprego, número que apresenta queda de 1 ponto em relação ao mês passado. Já a propensão à compra de eletrodoméstico subiu 1 ponto de 46% para 47% em fevereiro/2013 e 52% em fevereiro de 2012. “Os indicadores de fevereiro são praticamente iguais aos de janeiro, mas ficam bem abaixo aos números de 2012”, resumiu o presidente da Acim que considera importante este tipo de monitoramento. Segundo o presidente da Acim o consumidor acreditava que 2012 seria um ano de aceleração do cres-

cimento econômico, mas que não ocorreu, ainda. “Hoje, o consumidor, está mais realista, apesar de continuar otimista”, frisou Libânio Victor Nunes de Oliveira. Os números apresentam detalhes interessantes para o presidente da Acim. “Em resumo, 50% dos entrevistados julgam a situação financeira atual como boa em fevereiro deste ano”, falou Libânio Victor Nunes de Oliveira ao verificar os 54% marcados em janeiro/ 2013 e 52% assinalados em fevereiro/2012. “Existem aqueles que acham que a situação futura vai melhorar totalizando 52% em fevereiro de 2013”, falou ao ver que no mês anterior (janeiro/2013), esse índice era de 53%. Em fevereiro de 2012 o número registrado foi 64%. “Por enquanto a performance do ano passado tem sido melhor”, concluiu.


Pág 12

Notícias da Acim

Maio/2013

SOLIDARIEDADE

Acim quer empresários envolvidos A diretoria da Associação Comercial e Industrial de Marília (Acim), decidiu participar da campanha solidária desenvolvida pelo Fundo de Solidariedade do Município de Marília, com o tema: “Roupa Boa a gente doa”, quando haverá o trabalho de reunir a maior quantidade de roupa possível para ser distribuída a população carente, antes de começar o inverno. “Vamos participar, como em todos os anos, mas iremos incentivar que colaboradores, associados e o empresariado em geral, também colaborem”, disse o presidente da Acim, Libânio Victor Nunes de Oliveira que iniciará a campanha com a doação de 75 cobertores pela associação comercial. O objetivo dos dirigentes da Acim é fazer com que mais cobertores sejam adquiridos pelo setor empresarial. São cobertores de 100% Poliester, não alérgico, agulhado, ecológico, do tamanho de 1,75m por 2,00 metros. “É um cobertor simples, mas que irá resolver o problema do frio para muitas famílias”, comentou o dirigente que espera contar com a colaboração de mais empresários da cidade neste sentido. “Vamos fazer um trabalho de conscientização, para que a quantidade seja maior e que empresas e empresários participem neste pequeno investimento”, disse o dirigente que considera a campanha válida em todos os sentidos.

Além do setor empresarial, o presidente da Acim autorizou a entidade ser um posto de recolhimento de agasalhos. Neste sentido, um trabalho direto com os funcionários da entidade será feito para que sejam doadas peças de roupas que não são mais utilizadas por eles ou familiares. “A preocupação com os mais necessitados é inerente de todos nós”, disse. “Ao criarmos condições para que as pessoas ajudem, isto passa a ser natural”, comentou ao acreditar no recolhimento de uma grande quantidade de roupas que serão utilizadas por outras pessoas. “Qualquer peça de roupa terá o seu devido valor para aquele que não tem nada”, comentou ao contar com o envolvimento dos funcionários.

A sede da Acim será posto de recolhimento

Duas vezes ao ano a Acim participa das campanhas desenvolvidas pelo Fundo de Solidariedade do Município de Marília: Natal e Inverno. “São dois momentos delicados em que a presença da Acim é positiva”, disse o dirigente ao lembrar que mensalmente já é repassado recursos financeiros para o órgão assistencial com o trabalho realizado em parte da movimentação do Cartão de Benefícios ACCredito, desenvolvido pela Acim numa parceria com a Federação das Associações Comerciais do Estado de São Paulo (Facesp). “Acreditamos no trabalho sério desenvolvido pelo Fundo de Solidariedade, por isso procuramos sempre colaborar com as campanhas”, comentou Libânio Nunes de Oliveira.


Maio/2013

Notícias da Acim

Pág 13

CADASTRO POSITIVO

Acim disponibiliza formulário do programa Quem quiser fazer parte do Programa de Cadastro Positivo, de âmbito nacional, pode acessar a “Home Page” da Associação Comercial e Industrial de Marília (Acim), através do endereço eletrônico: WWW.acim.org.br e passar a contar com os benefícios deste programa que visa valorizar o bom pagador. De acordo com o presidente da Acim, Libânio Victor Nunes de Oliveira, este programa é acessado por diversas empresas do ramo financeiro e ajuda na obtenção de crediário com taxas e condições especiais. “Este cadastro visa relacionar aquelas pessoas que estão comprometidas com o planejamento financeiro pessoal e profissional”, disse o dirigente ao destacar o acesso através da Acim. O Cadastro Positivo é baseado na Lei Federal 12.414 de nove de julho

de 2011 e está em pleno vigor. “Tratase de um banco de dados que identifica os bons pagadores, possibilitando vários benefícios”, disse Libânio Victor Nunes de Oliveira que é a favor do cadastro recém criado e que vem crescendo em acesso e interesse. “Engana-se aquele que acha que as pessoas não querem ser reconhecidas como bons pagadores”, falou ao observar a crescente procura de pessoas em acessar o site e preencher o cadastro e passar a fazer parte do sistema que é nacionalizado. “Não é difícil e nem demorado”, garante o presidente da Acim que é detentora do trabalho do Serviço Central de Proteção ao Crédito (SCPC) na cidade de Marília, considerado o maior banco de dados de CNPJs e CPFs com restrição ao crediário em geral.

Presidente da Acim, Libânio Victor Nunes de Oliveira

Uma vez no cadastro positivo a pessoa passa a ter o reconhecimento de bom pagador, podendo contar com melhores prazos, limites e taxas, bem como acesso gratuito as próprias informações e corre o risco de ter maior acesso ao crediário. “O profissional que for avaliar a condição de crédito passa a ter mais condições de concluir o processo de acordo com o histórico criado”, disse Libânio Victor Nunes de Oliveira. “A aprovação de negócios ou compras passam a ser com menos burocracia”, acredita o presidente da Acim que vem incentivando pessoas a fazerem o cadastro. “Não tenho dúvidas de que as possibilidades de melhores condições de negociação serão maiores”, disse o dirigente. Este trabalho da Associação Comercial e Industrial de Marília conta com a parceria da Boa Vista Serviços que detém recursos de tecnologia e segurança quanto aos dados existentes. No site da Acim a pessoa acessa o “banner” referente ao cadastro positivo e ao entrar pela primeira vez preencherá um cadastro que pede: o número do CPF/CNPJ; E-mail, nome, nome da mãe, data de nascimento, número do telefone celular e na sequência a criação de uma senha de acesso, tendo o endereço eletrônico como informação básica. “Um número de protocolo será criado para que o acesso seja monitorado”, disse o dirigente ao chamar a atenção para mais este serviço da Acim.


Pág 14

Notícias da Acim

Maio/2013

ARTIGO

A importância do arranjo físico em empresas Rosendo de Souza Júnior Vamos imaginar uma cena:- o cliente entra em uma loja de roupas com vontade de comprar (sim acredite, se ele entrou é porque está predisposto a comprar algo). É um dia de grande movimento na loja. Olha para todos os lados e encontra dificuldades para identificar o produto que procura, pois as mercadorias não estão expostas de forma a facilitar a identificação do que a empresa oferece e o que ele procura. É atendido pelo vendedor, escolhe as peças e segue para o provador. Ao chegar constata que o espaço físico do provador e muito apertado, ou mal iluminado, exigindo dele um sacrifício para poder provar as peças de vestuário que levou para lá. Além disso, a loja por estar bem movimentada está parecendo uma sauna, ou seja, a temperatura ambiente está alta e deixa o cliente incomodado ao experimentar as peças de roupas. Em função desse desconforto ele sente uma vontade de sair do provador e da loja sem comprar nada. O pior é que

muito provavelmente ele ficou com uma péssima impressão dessa empresa. Essa situação não é uma raridade no mercado, pois por muitas vezes nos sentimos nessa situação, querendo comprar e termos de adiar essa decisão em função de não nos sentirmos bem dentro de uma empresa. A forma como uma empresa organiza seu espaço físico é muito importante e influencia bastante no processo de compra. Deixar o cliente confortável fará com que ele queira ficar por ali e neste momento ele poderá prestar atenção na qualidade da mercadoria, no atendimento inter pessoal do vendedor, verificará com mais atenção, por exemplo, no caimento da peça de roupa em seu corpo e aí a decisão de compra estará mais tranqüila. Provadores com um espaço físico adequado às características de seus clientes, ambiente com boa ventilação e iluminação, corredores com bom espaçamento entre prateleiras ou expositores, identificação visual de mercadorias ou seções deixarão o cliente mais confortável e satisfei-

to. Um cliente se sentindo confortável fisicamente e mentalmente pode até não comprar nada num momento, mas ficará com uma excelente impressão de sua empresa e no futuro quando ele decidir pela compra se lembrará com certeza de você. Além do fato desse cliente falar bem do ambiente agradável que você oferece, ou seja, de sua empresa. Portanto analise sua estrutura física, converse com seus clientes dando a eles a possibilidade de opinar e sugerir mudanças observe a concorrência, faça comparações. Faça mudanças periódicas nas posições dos móveis sem comprometer os espaços, promova uma cara nova para seu espaço físico, pois o cliente irá perceber as mudanças. Pense no conforto de seus clientes, pois eles valorizam aquelas empresas que se preocupam em oferecer um ambiente mais aconchegante e moderno. Rosendo de Souza Júnior é consultor de do Sebrae em Marília


Maio/2013

Notícias da Acim

Pág 15


Pág 16

Notícias da Acim

Maio/2013

DIA DAS MÃES

Parceria é mantida para distribuição de rosas A parceria envolvendo a Associação Comercial e Industrial de Marília (Acim), Unimed de Marília e Polícia Militar, será mantida pelo 16º ano consecutivo visando a tradicional distribuição de rosas no sábado, que antecede o Dia das Mães e no domingo festivo. “Acertamos os detalhes logísticos e principalmente o de montagem para que possamos manter a distribuição das rosas que é aguardada pela comunidade mariliense”, disse o presidente da Acim, Libânio Victor Nunes de Oliveira que esteve reunido com o presidente da Unimed de Marília, Eduardo Akuri, e com o Sargento Mendonça, da Polícia Militar. “Vamos manter a tradição e fazer com que o Dia das Mães seja especial”, falou o presidente da cooperativa de trabalhos médicos de Marília e região. Serão distribuídos 12 mil botões de rosas que serão adquiridos direto de alguns fornecedores da cidade de

Holambra, principal produtor de flores do País, no interior paulista. A Polícia Militar será responsável pelo transporte dos produtos, bem como conservação, enquanto que a Unimed de Marília fará o trabalho de preparação das rosas e a Acim a logística de entrega em pontos e locais estratégicos da cidade. Serão envolvidos ainda, o pessoal do Grupo da Terceira Idade da Unimed de Marília, e do Tiro de Guerra de Marília que todos os anos ajudam no assessoramento dos trabalhos. “Vamos procurar uma ação mais prática que não haja a necessidade de muito trabalho para todos”, falou Eduardo Akuri ao sugerir algumas modificações na organização do evento. “Sem contar o fato de que as pessoas gostam de receber as flores, mas não fazem ideia do trabalho que isto exige”, lembrou Libânio Victor Nunes de Oliveira. “Estamos falando em 12 mil botões de rosas”, ressaltou ao lembrar que as

associações comerciais de Pompeia e Garça também serão contempladas. “No ano que vem queremos trabalhar para 15 mil botões de rosas”, planeja. A distribuição das rosas não se limita apenas na entrega às mães que estiverem nos principais corredores comerciais das regiões: central, leste, oeste, norte e sul da cidade. “Vamos distribuir algumas rosas no sábado nos corredores comerciais em que a Acim fará a organização”, lembrou o superintendente da associação comercial, José Augusto Gomes ao lembrar que no dia seguinte, no domingo, a distribuição é feita em hospitais, maternidades e asilos. “Não se trata apenas de uma distribuição só no comércio”, enfatizou o dirigente ao finalizar o acerto das três entidades envolvidas. “Trata-se de uma ação pioneira em Marília, que hoje é muito comum verificarmos em outras cidades”, lembrou Libânio Victor Nunes de Oliveira.


Maio 2013