Issuu on Google+

FOTOS: CORBIS/VMI (À ESQUERDA) E LUÍS BARRA (À DIREITA)

eles procuram o preenchimentos de rugas, fazem liftings aos olhos e aumentos de nariz. Luís Costa, 41 anos, responsável pela introdução dos serviços de estética Logic Men em Portugal, fala do aumento das limpezas de pele, da fotodepilação (entre os mais novos) e das massagens (entre os mais velhos). Onde está, então, o marialva de bigode, o dandy de que Eça falava, n’Os Maias? Quintino Aires argumenta que a sexualidade deixou de estar centrada no pénis para se focar no corpo, até porque «um terço dos homens com mais de 40 anos sofre de disfunção eréctil e quer saborear os afectos e a relação, com uma sexualidade menos marcada pelo princípio do prazer biológico». No Verão passado, o mega-estudo Visões dos Homens sobre Masculinidade (MALES) – amostra de 27 839 homens entre os 20 e 75 anos, seleccionados ao acaso em oito países – apresentou conclusões surpreendentes. «Os inquiridos autodefinem-se pela honra, credibilidade e respeito dos amigos e colocam as relações de casal à frente do prazer puramente sexual», sublinharam os autores do estudo, no Journal of Sexual Medicine. «As percepções da masculinidade diferem substancialmente dos estereótipos que lhes estão associados: físico atraente, sexualmente activo e sucesso com as mulheres.»

DESCONSTRUÇÃO DO MITO

As notícias parecem boas – e deitam por terra a crença de que eles só pensam com a cabeça de baixo – mas não são isentas de «ansieda-

des e hesitações». O antropólogo Miguel Vale de Almeida, 48 anos, defende que elas se devem a três transformações profundas: a igualdade de direitos, a contestação da autoridade masculina e a variável orientação sexual. «Custa-me a aceitar as conclusões do estudo [que incluiu o Brasil, Espanha e Itália], porque os portugueses continuam muito influenciados por valores como a virilidade», comenta o médico José Murta Cadima, 52 anos, especializado em sexologia. No entanto, está convencido de que «este será um século de mudança para o homem lusitano e a sua ‘machinalidade’ [macho + masculinidade]». O poeta, bloguista e docente de História na Universidade do Porto, Vítor Oliveira Jorge, 61 anos, adianta: «Estamos a assistir à dessacralização da mulher, que se assume enquanto ser humano de pleno direito, incluindo o de transformar o homem num objecto de prazer.» De um tempo em que as mulheres só podiam ser histéricas ou ninfomaníacas, passou-se para outro, em que o homem começa a ser visto, também, como objecto sexual. O tal da hora Coca-Cola light, o stripper de shows eróticos em ladies nights e clubes gays, o que oferece serviços de acompanhante em anúncios de jornal e no ciberespaço.

‘‘

É complicado definir-se sem ser pela diferença de sexo. Os meus amigos gozam comigo, mas um homem que se depila é apenas um homem que se cuida» João Correia, 19 anos, Estudante 12.º ano

O ILUDIDO

O PAI

O METROSSEXUAL

O TECNOSSEXUAL

O UBERSEXUAL

O melhor amigo delas. Confidente e paciente, é tido por «boa pessoa». Um «querido». Deseja, secretamente, ser resgatado por uma mulher com garra e anseia pelo dia em que ela retribua a compreensão e o leve para a cama (para casa) como recompensa. Não raras vezes, é um gay que não saiu do armário e quer «o melhor dos dois mundos»... ÍCONES: Deles não reza a História, porque não gostam de dar nas vistas nem de correr riscos

O trintão apresentável, descontraído, não teme que lhe chamem «homem de segunda». Reciclou os valores tradicionais de «protector» e aplica-os no contexto urbano. Gosta de cuidar dos filhos (dos seus ou dos dela), faz questão de cozinhar, leva o lixo, passeia o cão e é admirado nas reuniões da escola. As mulheres de sucesso acham-no muito fashion e exibem-no como troféu às amigas.

O mais ambíguo de todos. Depila-se, bronzeia-se, cuida das unhas, da pele e do cabelo. Usa brincos com a mesma naturalidade com que exibe tatuagens, investe em acessórios de moda (carteiras, malas, joalharia). Apropria-se do território feminino e usa a aparência andrógina como arma de sedução. O novo Narciso, que brilha na publicidade e no mundo das artes, é disputado por ambos os sexos.

Também é urbano, faz desporto e trata do corpo, mas distingue-se do «metro» por ser informaticamente competente e dominar as redes sociais. É, geralmente, jovem e encara o iPod, o blueberry, o mp4 e o portátil como acessórios de afirmação social, a que se somam os tradicionais símbolos de testosterona, como o carro ou a mota.

O grande eleito das mulheres do século XXI, maduro, na casa dos «entas» e seguro de si. Surge por reacção ao «metro» e recupera o conceito clássico de Nietsche, ubermensch, o super-homem. Cultiva a imagem – sem exageros – e usa a inteligência estratégica para marcar território.

ÍCONES

ÍCONES

• Frederick Ljungberg (jogador de futebol ex-Arsenal)

• George Clooney • Daniel Craig • Bono Vox • Clive Owen • Figo

ÍCONES

• Brad Pitt • Johnny Depp • Tom Cruise

• David Beckham • Cristiano Ronaldo • Joaquim Gaspar

ÍCONES

22 DE JANEIRO DE 2009 v

71


o admiravel homem novo_6