Issuu on Google+

PORTIFÓLIO: Arq. e Urbanista Pedro Hirata Conjunto Habitacional e Reestruturação de mobilidade e equipamentos na região Bresser-Mooca Projeto desenvolvido como etapa do curso Habitação e Cidade, na Escola da Cidade, em co-autoria com CECÍLIA CARRAPATOSO, CLAUDIA MUNIZ , FERNANDO FAYET e LUCAS FERREIRA. O projeto foi desenvolvido em uma semana e recebeu aprovação de banca examinadora composta por Luis Octavio de Faria e Silva, Ruben Otero, José Rollemberg e Maria Tereza Cardoso Fedeli. O projeto é de nido por um estudo em um lote remanescente da linha férrea existente no local, análise do entorno e propostas de habitação no interior do lote em questão e um masterplan de adequações na região.


PROPOSTAS PARA O MASTERPLAN:

1.

2.

1. Mobilidade: reforma e revitalização da passarela sobre a linha férrea para fortalecer e incentivar a transposição da linha férrea; 2. Mobilidade: novo terminal de ônibus sob o viaduto bresser; 3. Mobilidade: eixo com novo desenho viário (ciclovias, arborização, uso compartilhado) 4. Equipamentos públicos: desapropriação de galpões sem uso de nido para alocar nova creche + uso comercial; 5. Equipamentos públicos: novo mercado e espaço a ser ocupado por equipes de assistência social da prefeitura;

3 e 4.

5.

3 e 4.


Dentre as propostas, estão novos blocos de habitação de interesse social. Foram previstos, conjugado ao conjunto habitacional comércios em toda extensão do pavimento térreo da porção Sul do conjunto, contemplado por uma grande praça de acolhimento para pedestres. Para a transposição da ferrovia, um grande plano que conecta os edifícios do conjunto, de acesso semi-privado, com acesso ao público para as feiras que já acontecem no local.


Rehabitar la Montaña Projeto piloto em Medellín - Colômbia

Projeto desenvolvido como etapa do curso Habitação e Cidade, na Escola da Cidade, em co-autoria com CECÍLIA CARRAPATOSO, CLAUDIA MUNIZ , FERNANDO FAYET, HERBERT YAMAMOTO, LUCAS FERREIRA e RICARDO PIRONDI. O projeto foi desenvolvido sob a supervisão de Juan Sebastián Bustamante Fernández (Urbam - Centro de Estudios Urbanos y Ambientales de la Universidad EAFIT) e recebeu aprovação de banca examinadora composta por Luis Octavio de Faria e Silva, Ruben Otero, Luis Mauro Freire, Elisabete França e Maria Tereza Cardoso Fedeli.

O projeto piloto teve como objetivos principais melhorar os assentamentos existentes e responder às lógicas de mobilidade locais, seguindo a cartilha da Urbam.

Os assentamentos informais de formação recente localizam-se em áreas de difíceis condições urbanísticas, ambientais e de acessibilidade, devido a escassez de solos adequados para a urbanização. A complexidade topográ ca dessas áreas em declive teve, como consequência, a di culdade de garantir uma adequada acessibilidade a partir do sistema de vias e de transporte público. O sistema de vias nessas áreas possui estrutura orgânica, é, principalmente, pedestrial e construído pela própria população para garantir sua conexão com a cidade formal e para a acessibilidade local.


SISTEMA VIÁRIO O sistema viário compreende os seguintes tipos de vias: 1.Vias veiculares de cota principal; 2. Vias veiculares de cota secundária; 3. Vias de pedestre de cota; 4. Vias de pedestre perpendiculares às cotas. VIAS DE COTA: Principais estratégias: Contenção - Bio-engenharia; Drenagem - Canais de captação de águas pluviais; Passeio - Adequação do calçamento. VIAS DE PEDESTRES PERPENDICULARES ÀS COTAS: Principais estratégias: Contenção - Patamarização; Drenagem - Jardins ltrantes; Segurança - guarda-corpo; Drenagem - Praças alagadiças; Acessibilidade - Rampas.


O projeto piloto previu 4 etapas de implantação: 1. Planejamento: Mapeamento Encontrar áreas com médio adensamento Mapeamento Parcelamento dos lotes 2. Curto prazo: Estabilização de taludes Bio-engenharia Desincentivar a ocupação Silvicultura Desincentivar a ocupação Horta urbana Manejo da água Requali car canaletas existentes Manejo da água Canal de coleta da água Manejo da água Praças alagadiças 3. Médio prazo: Estabilização de taludes Bio-engenharia Manejo da água Coleta nas novas vias Manejo da água Reuso da água coletada Responder às lógicas de mobilidade Rampas e patamares


4. Longo prazo: Direcionar o crescimento Lotes com serviços Desincentivar a ocupação Novos equipamentos públicos Manejo dos resíduos sólidos Coleta seletiva Responder às lógicas de mobilidade Funicular Além das etapas de implantação, foram estudados os possíveis atores responsáveis por cada estratégia estabelecida no projeto piloto.


Urbanização Jardim Cumbica II

Projeto desenvolvido como etapa do curso Habitação e Cidade, na Escola da Cidade, em co-autoria com CLAUDIA MUNIZ , FERNANDO FAYET, HERBERT YAMAMOTO, LUCAS FERREIRA, RICARDO PIRONDI e VALQUÍRIA RAMOS.

O projeto foi apresentado em duas etapas por bancas examinadoras. A primeira composta por Luis Octavio de Faria e Silva, Ruben Otero, e Maria Tereza Cardoso Fedeli. A segunda banca examinadora foi composta por Luis Octavio de Faria e Silva, Ruben Otero, Maria Tereza Cardoso Fedeli, Jeferson Tavares, Michele Manigrasso e Giovanni Rasetti. Em ambas apresentações, recebeu aprovação. O projeto teve como objetivo reestruturar e tornar possível a regularização fundiária do assentamento Cidade Jardim Cumbica II, localizado em Guarulhos, na Região Metropolitana de São Paulo.


Os problemas encontrados no local que serviram de partidos estratégicos para a proposta de intervenção foram, principalmente: • Esgotos domésticos lançados diretamente sobre os córregos, sem nenhum tipo de tratamento; • Acúmulo de resíduos sólidos ao longo de todos os percursos dos córregos; • Ocupações sobre ou muito próximas a eles; • Assentamentos irregulares construídos ao longo de vários córregos; • Nascentes não protegidas As ocupações existentes no local foram classi cadas com três categorias: Alta, Média e Baixa vulnerabilidade, e os critérios adotados foram: • Material construtivo do domicílio; • Possibilidade de deslizamento de solo: declividade acentuada (superior a 30%); • Proximidade com os córregos e áreas alagáveis: in ltrações nos domicílios, solapamento das margens, contato com esgoto a céu aberto.


Sob os preceitos apresentados, chegou-se ao total de remoções de 220 domicílios (todos reassentados em novas unidades propostas no local.

Além das propostas habitacionais, foram idealizadas três praças ao longo da comunidade, adequação do córrego, soluções de saneamento básico, além de possível transposição da barreira física da Rodovia Presidente Dutra, visando melhorar o atendimento de transporte público e acesso à área.


Para tornar as propostas factíveis, foi proposta uma dinâmica construtiva à partir de módulos pré-moldados que atendem as necessidades dos mais diversos problemas enfrentados no local, desde a readequação dos córregos às propostas de habitação. E planejando a aplicação deste sistema, foi desenvolvido um esquema de canteiro de obras que possa atender à proposta e que visa a utilização de mão-de-obra local.


Portfólio pedro hirata