Page 1

TAXA PAGA

4520 Santa Maria da Feira

PUBLICAÇÕES PERIÓDICAS

Ano CXXI

Semanário

Direcção: Orlando Macedo

16 Abril 2018

Nº 6054

€0,80 (iva inc.)

CORREIO DA FEIRA FAZ 121 ANOS VISTO DO LADO-DE-CÁ… Desta vez, vestimos a pele de protagonistas, para falar do nosso aniversário e do que aí vem, com intimismo q.b.. Confira.

CONHECER JORGE DE ANDRADE

DEUS, SER HUMANO E FAMÍLIA, AS TRÊS BASES DE UMA VIDA Em mês de aniversário do Jornal, o Administrador do Correio da Feira abriu as portas de sua casa para um conversa sobre Angola, Religião, Viagens e o futuro da Imprensa regional pág. 15

CULTURA

pág. 12

Margarida Neto ganha Concurso Nacional de Canto Lírico e sonha ter o palco da Casa da Música só para si

SOCIEDADE

pág. 09

Indaqua volta a participar no Dia das Boas Acções e recupera recreio e sanitários da EB N.º1

VOLEIBOL

pág. 24

AA José Moreira sagra-se campeã da Segunda Divisão Nacional de Seniores Femininos


02

16.ABR.2018

www.correiodafeira.pt

OPINIÃO

121.º ANIVERSÁRIO DO CORREIO DA FEIRA.

Texto: Orlando Macedo

Mensagem da Administração

Atalaia Ponto prévio: O texto que se segue, apenas a mim vincula; por isso (e para evitar dar pretextos aos do costume) não é um Editorial (mas poderia ser).

Sem jeito para o beija-mão Há um ano, convidado a enviar mensagem, a propósito do 120º Aniversário do Correio da Feira, o presidente da câmara aceitou assinar um texto cirurgicamente trabalhado para ser lido nas entrelinhas, em que – para além do óbvio e incontestável – ficaram de fora o momento, o respeito, a sensibilidade e, até, o decoro. Devo aliás, confessar que, face a tanta infelicidade politicamente aduzida, ainda hoje me interrogo sobre se Emídio Sousa não terá sido atraiçoado na confiança em quem produziu tal… ‘mensagem’ (chamemos-lhe assim, por piedade) tendo assinado ‘de cruz’. Ora, reveja-se a pérola: “O nosso Portugal democrático e o concelho de Santa Maria da Feira reveem-se numa imprensa livre e independente e, orientada pelos princípios basilares do Jornalismo, que se impõe lembrar [sublinhado meu] e reafirmar, em efemérides tão simbólicas como esta”. O recado, teve (e tem) tanto de esconso e escusado como de deplorável, porquanto, ainda que falhando o destinatário, consegue ser injusto e redutor para o remetente. Mais adiante, e sem resistir ao desvario de alfinetadas gratuitas, o(a) autor(a) da diatribe conseguiu a proeza de misturar o associativismo local com a efeméride do Jornal, na tentativa ridícula de desvalorizar (por diluição de valor) o trabalho de 120 anos a promover os valores locais, a pretexto da mobilização “de uma sociedade civil que pretendemos pautada pela liberdade e pluralidade, mas que valorize a história e a identidade do nosso território” (sic). Ora ‘liberdade e pluralidade’, é prática corrente neste Jornal, desde Setembro de 2011; e a valorização ‘da história e identidade do nosso território’ uma consequência inevitável, constante… e indesmentível – logo, não carecendo da aprovação de quem não tem legitimidade para aferir – pelo que, a falta de chá daquela ‘mensagem’, só pecou pelo ridículo. Outro(s) a merecerão, que não este Correio da Feira. Ainda assim, há que registar que a proeza maior, foi conseguida pela forma como a Câmara Municipal conseguiu evitar o elogio (merecido) e o justo reconhecimento do trabalho de uma equipa de profissionais que há quase 7 anos conseguiu restaurar um título centenário, libertando-o das garras do alinhamento partidário e devolvendo-lhe o direito a ser respeitado. E isto, não tanto pela provecta idade, mas principalmente pelos critérios de imparcialidade que balizam o trabalho de uma equipa que não depende nem do orçamento do Município, nem das campanhas ‘de seca’ em tempo de dilúvios. Aqui, não há espaço nem jeito para o beija-mão. Habituem-se.

Na passagem de mais um ano deste vetusto jornal regional, afigura-se à administração partilhar com os Leitores e todos os Feirenses duas considerações: 1ª - No programa de aniversário dos 120 anos do Correio da Feira, que reconhecemos ambicioso, há projectos que ficaram por concluir. Notem ‘há’, o que facilmente deixa depreender que, continuam a existir, que não desistimos. A sua concretização não se esgota nos tais trezentos e tantos dias de que se compõe o ano; não pode, não é compatível com a realidade financeira que desejamos e impomos para o Correio da Feira, mas realizando-se com a certeza de que sempre que concretizarmos cada uma das iniciativas programadas, os leitores e os Feirenses continuarão a sentir orgulho no seu jornal regional. Desse vasto e ambicioso Programa, dois projectos estão perto de se assumir como realidades para brevemente apreciarmos. Trata-se das temáticas Diáspora e Exposição dos Centenários, que pretendemos proporcionar aos nossos leitores através do trabalho sensível da jovem e dedicada equipa do Correio da Feira, e de todos os que prestam a sua colaboração ao Jornal. 2ª – Os custos financeiros inerentes à realização do programa dos 120 Anos do

Correio da Feira são da responsabilidade da empresa do Jornal Correio da Feira. Não estamos dependentes de subsídios ou de ajudas financeiras. Desde já repudiamos toda e qualquer afirmação de recebimentos financeiros vindos da autarquia para a concretização do Programa dos 120 anos do Correio da Feira, como a que recentemente proferiu um vereador em reunião de Câmara. Sobre o assunto, deixamos aqui um sério desafio: quem afirmou, que prove o alegado movimento de verbas. Ou então, que reponha a verdade dos factos, através da indispensável retractação publica, acompanhada do pedido de desculpas que se impõe, pela inverdade cometida em reunião de Câmara. No que concerne à Autarquia, o Jornal contou sempre com a colaboração dos nossos Eleitos, na pessoa do Sr. Presidente e Sr. Vereador da Cultura, que se declararam sempre disponíveis para colaborar com a empresa, de forma a dignificar os festejos dos 120 anos da publicação. Foi disso exemplo a integração no Programa de aniversário do Jornal, do be-

líssimo concerto de Aranjuez, executado na praça de armas do castelo de Santa Maria da Feira, traduzido num momento inesquecível para todos os que assistiram. E único. Na passagem de mais uma data de aniversário, impunha-se estas explicações por parte da administração aos nossos queridos Leitores e a todos os Feirenses, mas em especial a todas as personalidades e entidades envolvidas com o Correio da Feira na organização dos festejos de aniversário. Não podíamos terminar sem referenciar os nossos Leitores, Colaboradores, Anunciantes,e Feirenses em geral,recordando uma vez mais que a nossa existência se justifica pelo serviço à comunidade e se comprova semanalmente há 121 anos ininterruptos. E assuim continuará, enquanto os feirenses quiserem, independentemente de outras vontades. Um caloroso agradecimento a toda a Equipa. A eles devemos mais um ano de edição deste centenário Jornal CORREIO DA FEIRA Jorge de Andrade e Paulo Fonseca

Visto do lado-de-cá…

Cumprido mais um ano na vida do nosso Jornal, entendemos, por uma vez, assumir a condição efémera do protagonismo circunstancial, desnudando-nos perante os Leitores, a propósito da efeméride. Confira. (É aqui, entram as 5 questões e as sequentes respostas) 1. O que significa 121 anos de Correio da Feira? 2. Como te sentes, vivendo o momento ‘por dentro’? 3. Como interpretas o ano de comemorações planeado?

4. Para ti, que momento teve maior significado? 5. Como antevês o jornal, daqui a 10 anos?

Albino Santos Fotógrafo

1- É um marco na Imprensa regional, graças a muito trabalho e qualidade de todos os que por aqui têm passado, e à dedicação e esforço de todas as administrações até à presente data. 2- É muito gratificante fazer parte desta GRANDE equipa e contribuir para a continuidade do Correio da Feira, no início de um período de mais 121 anos.

3- Foi um ano de reafirmação da marca “Correio da Feira”. 4- A apresentação do “Correio da Feira” no Hostel da Praça, que deu a conhecer toda a equipa que trabalha no Jornal a leitores, assinantes e amigos, na presença de mais de uma centena de feirenses ilustres.

5- Não é fácil antever o futuro, mas espero que as pessoas estejam mais atentas e interessadas no Jornal, porque “Só se nota a falta quando deixarmos de aparecer” e depois, pode já ser tarde. Com o esforço dos Administradores e mais ajuda das pessoas, vamos continuar a levar as notícias aos nossos leitores por muitos e longos anos.

Carla Silva Administrativa

1 - Significa muito empenho, muita dedicação por parte de todos aqueles que passaram pelo Correio da Feira e que deram o seu melhor para que o mesmo chegasse até aqui. 2 - Sinto-me honrada por fazer parte do Correio da Feira, por saber que a minha dedicação contribui para a continuidade de um Jornal com 121 anos. É um privilégio saber que com o meu trabalho, este Jornal continua

a ter vida. 3 - Vejo como uma grande e memorável festa que o aniversariante oferece aos seus convidados. Simplesmente é querer partilhar com todos os feirenses a alegria deste aniversário. 4 - Um dos momentos mais marcantes foi sem dúvida, o Concerto no Castelo em Julho do ano passado,

foi um momento único. Um espectáculo maravilhoso que nunca mais esquecerei. 5 - Apesar de todas as dificuldades e entraves que o Correio da Feira tem ultrapassado durante estes 121 anos, tem conseguido aguentar-se com firmeza e tem conseguido honrar sempre os seus compromissos. Não tenho quaisquer dúvidas que daqui a 10 anos a sua postura se manterá.


www.correiodafeira.pt

16.ABR.2018

03

121 anos

Daniela Castro Soares Jornalista

1 - São 121 anos de estórias, 121 anos a cobrir o território, 121 anos a informar os feirenses da melhor maneira possível com os recursos à disposição de um pequeno semanário que hoje, pela sua longevidade, figura entre as 33 publicações centenárias portuguesas e faz parte da História do país. 2 - Considero um grande privilégio acompanhar esta efeméride do Correio da Feira e fazer parte de uma equipa que não só ajudou a preservar o legado deixado mas também contribuiu para a

inovação de conteúdos e grafismo, fazendo com que o jornal subisse no patamar da qualidade. 3 - Foi um plano ambicioso apresentado pela Administração e Direcção do jornal, não executado até à data na sua totalidade devido a alguns constrangimentos, mas que englobou uma série de iniciativas marcantes que os feirenses recordarão durante muito tempo, e outras que, espero, possam ainda vir a concretizar-se.

4 - Não posso deixar de enaltecer o concerto no Castelo que, pela actuação dos músicos e envolvência do espaço, foi um momento ímpar. 5 - Não é segredo que os jornais, especialmente os regionais, vivem momentos difíceis, pois, sem apoios, têm uma estrutura que comporta maiores custos do que lucros, o que torna extenuante a gestão dos investidores. Alguns fecharam, muitos arrastam-se num marasmo do qual não conseguem sair e outros tiveram de ceder a pressões para ficar à tona da

água. Felizmente, o Correio da Feira hoje é um jornal completamente isento, que vive do empenho da sua equipa, que trabalha afincadamente atrás da novidade e da criatividade, e de uma administração que tem segurado o barco até em marés em que se previa naufrágio. Daqui a 10 anos, acredito (ou quero acreditar) que o Correio da Feira ainda existirá, na lista de sobreviventes, seja através do papel, que ainda resiste à evolução dos tempos, ou já apenas em formato digital, nos ecrãs das novas gerações que trazem consigo diferentes hábitos de leitura.

José Carlos Macedo Comercial

1 - Há 121 anos alguém teve e sentiu a necessidade de abraçar uma missão, a de informar. Essa missão passou, ao longo de mais de um século, por diversas realidades nacionais e mundiais que representaram um enorme desafio no sentido de técnicas de impressão e elaboração da notícia, a confirmação das fontes para informar fidedignamente. Com todo um caminho por desbravar e com um público atento e curioso, este jornal teve que ser consistente, resistente e ao mesmo tento afoito porque, depois da sua primeira edição, a necessidade passou a aguçar o engenho. E teve que se adaptar, reescrever à medida que a realidade o presenteava com matéria para o seu público. Resistir a cada

década não foi fácil e as mentalidades assim o desafiavam mas a missão persistiu até aos dias de hoje. Consolidação e afirmação no mundo da informação, melhor informação dia-a-dia, reconhecimento público, independência do mundo político e a continuidade na missão de informar, cumprir o sonho do fundador são, no final, aspectos que sublinham e confirmam que, há 121 anos, a primeira edição, fazia sentido. No fundo é uma idade de vitória em toda a linha, de uma caminhada todos os dias difícil que só os mais distraídos teimam em confundir.

que há quem persista em não reconhecer isso mesmo. Os órgãos de comunicação de acção regional são fundamentais para as suas populações no que toca a informar e a permitir interacção. Por isso, estar por dentro, significa continuar a lutar diariamente pela sustentabilidade de uma missão de 121 anos, honrar os antecessores e a presente realidade.

2 - O sentimento é de satisfação por fazer parte de uma equipa de trabalho com muita qualidade. Algo apreensivo por-

3 - Apenas como um pequeno e simples marco que pretende(u) afirmar a sua presença na vida da comunidade que informa todas as semanas e sublinhar a continuidade e a importância da missão de informar de forma independente, mesmo remando contra uma maré de escolhos que teimam em desrespeitar

não garante um trabalho diferenciador e imparcial, mas os agentes e a atual equipa, sim, garantem-no. Esse trabalho, alienado a 121 anos de história, é satisfatório.

disso, mas com razões envolventes e conhecidas, pelo menos, pela equipa. Uma pretensão que será, mais tarde ou mais cedo, concretizada.

3 - Em suma, diferenciador e importante para a reafirmação do Correio da Feira no panorama da imprensa concelhia e distrital. Novas secções foram criadas e ambições foram alcançadas. Não foi possível realizar um dos objetivos delineados, a Diáspora, e não há como fugir

4 - Pese o facto de não poder estar presente no Concerto comemorativo da efeméride, destaco o encontro entre a equipa do CF e os mais diversos leitores e assinantes no jornal no Hostel da Praça.

mais de um século de história. 4 - O primeiro dia de trabalho e a primeira missão. Apenas temos connosco a certeza de que somos capazes, correndo o risco de ser insuficiente. 5 - Noutros patamares e a utilizar outros meios de comunicação e a informar melhor. Tem e acumula conhecimento, tem recursos humanos de qualidade e sobretudo muita diversidade de ideias. Irá conseguir criar os meios e acredito que vai continuar a sua missão, de forma moderna e sem perder o rumo. Informar é a missão, evoluir é imperioso. Daqui a 10 anos…muito diferente, seguramente.

Marcelo Brito Jornalista

1 - É, incontornavelmente, uma efeméride trabalhosa de e para todos os agentes envolvidos numa caminhada de 121 anos. A fundação marcou o arranque de uma longa história de escrita e leitura, mas não convém esquecer todos os que deram continuidade, com pouco ou muito esforço, a esta já longa narrativa. Em suma, significa trabalho e dedicação. 2 - É gratificante fazer parte da história do Correio da Feira. A longevidade do jornal

5 - Não é fácil projetar o futuro do Correio da Feira, mas tendo em conta o atual panorama da Comunicação Social e da Imprensa em Portugal, caso não haja investimento privado, as jornais regionais terão, cada vez mais, a tendência de extinguirem-se. Esperemos que esse não seja o desfecho deste semanário que produz, não de forma exclusiva, um trabalho ímpar e distinto entre o leque de jornais regionais portugueses.


04

16.ABR.2018

www.correiodafeira.pt

121 ANOS

Nélson Costa Jornalista

1 - Significa, simultaneamente, orgulho e responsabilidade por ser parte integrante de uma equipa que trabalha para um jornal que pertence ao grupo restrito dos centenários nacionais. 121 Anos a contar histórias de um Concelho representam, indubitavelmente, um espólio grandioso das Terras de Santa Maria e das suas gentes. O Correio da Feira representa um acervo histórico de uma riqueza considerável e deve, na minha opinião, ser encarado como um – naturalmente, entre muitos outros, com

maior ou menor relevância – ícone do Concelho. 2 - Como referi na questão anterior, sinto essencialmente orgulho e um grande sentido de responsabilidade. Tentei honrar o momento em cada trabalho. 3 -O programa dos 120 anos do Correio da Feira que apresentámos foi consideravelmente ambicioso. Tentámos assinalar o momento com o brilho que 120 anos de história merecem.

Algumas das ideias projetadas e ambicionadas acabaram (por diversas razões, nem todas por responsabilidade direta do jornal) por não se efetivar e outras ainda estão em fase de conclusão. No entanto, também conseguimos concretizar alguns dos projetos delineados (alguns ficaram certamente na memória de quem os viveu). 4 - A ter que escolher apenas um, talvez a presença do Correio da Feira na exposição dos jor nais nacionais

centenários, que passou, por exemplo, pelo Parlamento Europeu e pela Assembleia da República. 5 - O futuro de qualquer órgão de comunicação social, particularmente regional (sem o suporte de um grande grupo), é incerto. Mas gostava de ver um Correio da Feira em contínuo crescimento e inovação, indo de encontro aos ‘novos públicos’. Provavelmente com reforço de aposta no online, sem descurar a versão impressa, que acredito que continuará a prevalecer.

Orlando Macedo Director

1 - A primeira palavra que me vem à baila é ‘Resistência’… Mas também ‘Património’. Resistência, num momento em que só o pundonor de quem administra se mostra capaz de manter o Jornal à tona, em contraponto com as tentativas desesperadas de alguns em manter canais de comunicação domesticados, submissos e bem-comportados e bemmandados. Património, porque, por mais que a autarquia continue a assobiar para o ar – no que respeita a este exemplo de Património Cultural – o tempo háde fazer justiça a este título mais que centenário, reconhecendo-o, enquanto

valoroso guardião de memórias. 2 - Responsável e responsabilizado. Responsável, porque cabe-me assumir, na primeira linha, a objectivação de um projecto apaixonante, a um tempo vetusto e sem-idade. Responsabilizado, porque me foi confiado, pelo guardião do título, uma herança sócio-cultural notável, independentemente do ponto de vista porque queiramos aferi-la. 3 - Agridoce. O que fizemos foi bom; o que planeámos teria sido perfeito; o que deveríamos ter feito, teria sido excepcio-

nal. Mas ainda não acabou, como adiante se verá, sem tempo nem espaço para os beija-mão… 4 - Aparte o aparato óbvio, a recepção no Palácio de Belém, a 25 de Abril, e por duas razões principais: uma, o significado das palavras de apreço com que o Presidente da República nos distinguiu; outr, a constatação de que o actual Correio da Feira é hoje, por comparação com os seus pares, iniludivelmente, um dos melhores jornais regionais portugueses. Sem favor nem falsas modéstias, apesar de ainda haver tanto caminho

para andar… 5 - Antevejo-o a consolidar a liderança informativa, em Aveiro Norte, que já hoje percepcionamos (quem olhar à volta, percebe). Nessa altura, teremos departamentos autónomos a tratar conteúdos de informação, com particular incidência na Área Metropolitana do Porto, onde seremos caso paradigmático, graças às nossas edições assentes em suportes de informação televisiva, on-line… e em papel (Em 2018, a edição em papel será ‘artigo de luxo’ e devidamente paga como tal).

Pedro Almeida Design e Paginação

1 – 121 anos de Correio da Feira é história, é o aglomerado do trabalho de várias pessoas que conseguiram deixar o seu marco neste Concelho e para as pessoas do mesmo, porque o Correio da Feira não é só o ‘jornal’, mas também quem trabalha nele, as pessoas que o lêem e a narrativa que fica documentada para sempre.

antigos de Portugal, mas também pela equipa que o constitui, pelos momentos de aprendizagem pessoal e de evolução profissional, numa área em que cada vez a evolução dos meios de comunicação é mais rápida. Para mim é gratificante fazer parte desse processo de evolução, que consigo acompanhar a par e passo.

2 – Considero um grande privilégio fazer parte de um Jornal centenário, um dos mais

3 – Interpreto o ano das comemorações como ambicioso, mas sem ambição não faz

nada. Com muita pena, não conseguimos concluir todos os projectos nos prazos propostos, mas também sei que não vamos desistir de os realizar. 4 – Houve grandes momentos de relevo durante este ano que passou, mas acho que a apresentação do Programa das Comemorações dos 120 anos no Hostel da Praça foi o que, para mim, teve mais significado, pelo ambiente de festa e co-

memoração, em que se envolveram toda a nossa equipa e os convidados. 5 – O futuro é muito imprevisível, principalmente com o aparecimento das novas tecnologias e no meio regional em que o Correio da Feira opera. Mas estamos já a preparar respostas adequadas e penso que o Correio da Feira, daqui a 10 anos vai continuar atualizado e a seguir as tendências tecnológicas.


www.correiodafeira.pt

16.ABR.2018

05 Pub.


06

16.ABR.2018

www.correiodafeira.pt

OPINIÃO

PRESTAR CONTAS AOS FEIRENSES António Cardoso Membro da Comissão Política Concelhia e Distrital do Partido Socialista

NÃO BAIXAR OS BRAÇOS Chegou a hora de a Câmara Municipal apresentar as Contas da Gerência de 2017. A tática seguida foi orientada na explanação das actividades desenvolvidas durante o mandato 2013-2017. Com esta habilidade, permitiu a apresentação de um cardápio de obras que não pertencem à discussão dos resultados do ano de 2017. Foi desta forma ardilosa que o Chefe do Executivo Municipal iniciou o debate da prestação de Contas na Assembleia Municipal. Dos destaques evidenciados, a obra mais marcante do ano foi o incontornável investimento em betuminoso nas nossas redes viárias, sabendo a Câmara do seu elevado substrato eleitoral, pois dá muitos votos!…. Porém, para um orçamento de dezenas

de milhões de euros, este resultado sabe a pouco. Em 2017, assistiu-se a uma gestão municipal pouco ambiciosa dado que o executivo municipal se contenta com a colocação de pisos sintéticos em alguns campos de futebol, a conclusão de um pavilhão desportivo e pouco mais, continuando na “lista de espera” as promessas de construção de novos Centros Escolares e de Saúde! É muito pouco para tantos milhões consumidos no orçamento municipal. Para o anónimo munícipe feirense, continuam por resolver eternas necessidades básicas de saneamento básico em muitos locais do Concelho, onde os esgotos continuam a ser lançados pela calada da noite para as redes de águas pluviais. A nível do tão propalado desenvolvimento económico, tarda em explicar a anemia que se vive

no PERM, que tarda em mostrar resultados. A elevada percentagem de lotes vendidos “estranhamente” continua a ganhar ervas merecendo durante a noite ser absurdamente iluminados!... Por seu lado, a Oposição no seu papel Fiscalizador da atividade municipal criticou responsavelmente, de forma contundente, a ausência de políticas de combate a problemas sociais, a falta dos Centros Coordenadores de Transportes, a precariedade dos transportes públicos, etc. Por sua vez, o PSD, partido que apoia a maioria Municipal, naturalmente defende e aplaude de forma “acrítica” as políticas seguidas. Por último, que ninguém se deixe enganar, a verdadeira Prestação de Contas será feita na aprovação da Conta Gerência de 2018, que será marcado como ano zero

deste mandato, pois será dedicado a pagar os gastos extraordinários das eleições de outubro de 2017 que só puderam ser contabilizados em janeiro de 2018. Ciclicamente, o primeiro ano de um novo mandato é para pagar dívidas contraídas pela gestão anterior. No segundo, a atividade municipal quase que paralisa com o objetivo de poupar. O terceiro é dedicado a promessas eleitorais através de estratégias de marketing. O último ano do mandato é para gastar por conta do que se poupou e do que poderá ser pago no novo mandato. Esta tem sido uma prática bem-sucedida de perpetuação no poder, executada de forma exemplar pelo PSD de Santa Maria da Feira. Portanto, resta aos partidos da Oposição encontrar uma estratégia que “desmonte este embuste feirense”.

o ar que respira e o ruído na cidade. Reforço, tal medida está inscrita no Orçamento 2018. Tal proposta foi rejeitada. Na última Assembleia, voltámos ao tema e, desta vez, dirigimos a pergunta direta ao Senhor Presidente Emídio Sousa: Considerando que a monitorização do ar e ruído está inserida no Orçamento, queremos saber qual a empresa que o está a fazer e onde podemos consultar os dados? A resposta de Emídio Sousa foi no mínimo

surpreendente: não temos qualquer monitorização de ar e ruído. Estou, não tenho dúvidas, perante mais um exemplo verdadeiro do projeto de intenções que é o Orçamento camarário desta governação. Enche-se o Orçamento de frases bonitas, chavões e ornamentos vários. Fica bonito meter ali aquela da monitorização do ruído e do ar. Dá-lhe, ao Orçamento, um ar moderno. O problema é quando alguém resolve ler

o escrito. O problema é quando se lê para além dos considerandos folclóricos e se vê o vazio que ali está. Fica já, aqui e agora, escrito preto no branco, que o CDS não vai deixar cair o tema. Está na altura de se exigir que se cumpra aquilo que afirmam fazer e que foi aprovado em Orçamento. Está na altura de quebrar esta venda constante de gato por lebre. Está na altura de exigir que se governe mais, se execute mais e se dance menos.

UM AR MODERNO Daniel João Santos, CDS-PP

No Orçamento Municipal aprovado para 2018 está escrito ser intenção da Câmara Municipal a divulgação da qualidade do ar e níveis de ruído em Santa Maria da Feira. Como estamos de boa-fé, considerando que o Orçamento é para cumprir, propusemos na penúltima Assembleia Municipal, nós CDS, que os resultados dessa monitorização fossem divulgados nos órgãos de comunicação social. Acreditamos que o Feirense tem o direito de saber como está

Publi-informação

NA WALK’IN A ENFERMAGEM É DIFERENTE! Sabia que os Enfermeiros são sempre o primeiro contacto com os nossos clientes? Porque a Saúde está em primeiro, nas clínicas Walk’in não existem administrativos e são os enfermeiros que estabelecem o primeiro contacto com os nossos clientes de forma a garantir, antes de qualquer consulta médica, uma avaliação global do estado de saúde de cada cliente. A utilização deste método permite uma maior aproximação entre clientes e profissionais de saúde, resultando num ganho em eficiência na prossecução da nossa missão: Contribuir para prevenir, tratar a doença e melhorar a qualidade de vida da população respeitando a conveniência, integração e continuidade da prestação de cuidados de saúde. Deste modo os nossos Enfermeiros praticam uma enf ermagem única e respeitadora da relação com as pessoas tornando-se num elemento fundamental para um atendimento de qualidade

e para um acompanhamento personalizado. Na Walk’in Clinics, vai encontrar este compromisso de profissionalismo e qualidade. As consultas de enfermagem que têm como finalidade a avaliação de saúde

FICHA TÉCNICA

Repórteres Fotográficos:

Administração Jorge de Andrade administracao@correiodafeira.pt

Direcção Orlando Macedo (CP 2191)

Design e Paginação:

Colaboradores: Alecsander Pereira (Novas Tecnologias) Alberto Soares, Armandino Silva, Armando Neto, Filipe Dias, Filipe Freixo, Jo‹ o Pedro Gomes, Luís Higino, Manuel Silva, Maria Celeste Rato, Paulo Ferreira, Paulo Neto, Serafim Lopes

Pedro Almeida pedro.almeida@correiodafeira.pt

Comentadores: Ant— nio Cardoso e Carlos Fontes

Secretaria:

Estatuto editorial: Dispon’ vel na p‡ gina da Internet www.correiodafeira.pt

Diana Santos Albino Santos

direcao@correiodafeira.pt

Carla Silva secretaria@correiodafeira.pt

Redacção

Dep. Comercial:

Daniela Castro Soares (CP 6426)

JosŽ Carlos Macedo comercial@correiodafeira.pt

daniela.soares@correiodafeira.pt

Cobranças:

Nélson Costa (CP 6715)

Cobrador@correiodafeira.pt

nelson.costa@correiodafeira.pt

Preço Assinaturas:

Marcelo Brito (CP 6929)

Digital - € 20 Nacional - € 30 Europa - € 55 Resto do Mundo - € 70

marcelo.brito@correiodafeira.pt

dos clientes, considerando os seguintes objectivos: • Identificar os factores de risco associados a cada cliente (Antecedentes pessoais e familiares, hábitos alimentares, alcoólicos, tabágicos, sono e exercício físico, alergias, medicação, entre

(Os artigos assinados s‹ o da inteira responsabilidade dos seus autores, podendo n‹ o vincular a posi• ‹ o do jornal)

SEDE: Rua 1.¼ de Maio, n¼ 221 A, Espargo - Santa Maria da Feira 4520 - 115 Espargo Telef. 256 36 22 86 E-mail: geral@correiodafeira.pt

PAGAMENTO DE ASSINATURAS Banco BPI NIB: 0010 0000 51061450001 94

outros); • Sensibilizar os clientes para a adopção de estilos de vida saudáveis; • Referenciar para outras especialidades, caso seja necessário. Indo ao encontro do pensamento de Florence Nightingale (fundadora da primeira escola de enfermagem), os nossos Enfermeiros fazem muito “mais do que administrar tratamentos ou a aplicar emplastros”, eles dão o seu melhor todos os dias para garantir um acompanhamento permanente dos nossos clientes, promover a saúde e prevenir a doença. Os serviços de enfermagem compreendem: Acolhimento e triagem | Encaminhamento | Administração de terapêutica Administração de vacinas | Realização de tratamentos de enfermagem Onde estamos: Santa Maria da Feira – Hiper Pingo Doce | Aveiro – Hiper Pingo Doce de Aveiro Mude a forma como cuida de si. www.walkinclinics.pt | 808 20 20 80

Propriedade: Efeito Mensagem, lda Registo na C.R.C. de S. M. Feira, n¼ 513045856 Contribuinte n.¼ 513 045 856 Capital Social 5.000 Euros Detentores de mais de 10% do Capital Social Efeito Mensagem, lda Registo no N. R. O. C. S., N.¼ 100538 Dep— sito Legal n.¼ 154511/00 Tiragem: 5.000 exemplares (Tiragem mŽ dia) Impress‹ o: Coraze - Oliveira de AzemŽ is Pre• o Avulso: € 0,80 (IVA incluido)

Mérito Municipal 1972 1997 (Ouro)

(Ouro)

ANIR Associa• ‹ o Nacional de Imprensa Regional (Membro fundador)


www.correiodafeira.pt

16.ABR.2018

07

POLÍTICA INFORMA Voo cancelado: conheça os seus direitos

SORAIA FIGUEIREDO É A NOVA PRESIDENTE DA JSD SANGUEDO SANGUEDO As eleições para a Mesa do Plenário e Comissão Política do núcleo da JSD de Sanguedo decorreram no dia 7 de Abril e apuraram Soraia Figueiredo como a líder dos destinos políticos daquela estrutura partidária para o próximo mandato. A presidente eleita garante que vai tentar “corresponder às expectativas dos jovens” e mostrase “determinada” em promover uma “maior participação cívica e política da juventude”. Para isso, será necessário “consolidar o papel do núcleo da JSD

na freguesia”. “Ao longo do mandato, iremos desenvolver um amplo conjunto de actividades e iniciativas para congregar um maior número de jovens de Sanguedo em torno da JSD”, diz. Entre estas, actividades de convívio e acções de formação política. “Seremos uma voz activa na defesa da Juventude e desenvolvimento da nossa freguesia”, frisa Soraia Figueiredo, em comunicado, dizendo que o estímulo da participação cívica e política da juventude é “condição essencial

para conseguir alcançar uma estratégia eficaz de desenvolvimento para Sanguedo”. “Iremos procurar atrair os jovens para o nosso projecto, potenciando o seu espírito crítico e ideias para, em conjunto, apontarmos o caminho que Sanguedo deve seguir em busca do desenvolvimento”, refere. A Comissão Política acrescenta que se mantém ao lado do PSD “a nível local, concelhio e nacional” e traça como principal objectivo o “reforço do espaço político do partido e da JSD na freguesia”.

Junto a paragem de autocarro

CDS APONTA PASSEIO PERIGOSO EM ROMARIZ ROMARIZ Há um passeio, na Rua da Reguenga em Romariz, que, segundo diz o CDS-PP em comunicado, encontra-se “sem segurança”. “O piso do passeio está a abrir fendas por baixo e o varandim que serve de apoio está a ficar, em alguns sítios, sem cimento”, apontam.

O passeio “serve a paragem de autocarro, onde crianças e idosos esperam para apanhar o meio de transporte”, e isso preocupa o CDS-PP que, na voz do seu deputado da Assembleia de Freguesia Joaquim Costa, “já alertou diversas vezes a Junta de Freguesia para o estado em que

se encontra essa infraestrutura e para o perigo iminente que pode acontecer a quem o utiliza”. Vários meses volvidos “nada foi feito”, garante o partido, que “espera que não seja preciso acontecer um incidente para logo depois irem a correr resolver o problema”.

Numa altura em que os cancelamentos de voos são recorrentes, é importante que os consumidores saibam os direitos que têm ao utilizar os serviços de transporte em companhias aéreas. Os direitos dos passageiros estão ao abrigo do Regulamento Europeu que estabelece as regras relativas em caso de atraso, cancelamento e overbooking de um voo. No caso de o voo ser cancelado, o consumidor tem direito a optar entre o reembolso do bilhete no prazo de 7 dias e o reencaminhamento para o destino final através de um transporte alternativo. Para além disso, estes passageiros têm ainda direito à assistência, isto é, a refeições, bebidas, chamadas telefónicas ou mensagens por e-mail. Se o consumidor optar por ir noutro voo, no dia seguinte, tem ainda direito a alojamento e ao transporte entre o aeroporto e o local onde vai ficar alojado. Relativamente às indemnizações, os passageiros podem pedi-las, salvo certas exceções, como por exemplo, nos casos em que o voo tenha sido cancelado pelo menos duas semanas antes da hora reservada. O passageiro também não irá receber uma indemnização se tiver sido informado do cancelamento entre duas semanas e sete dias antes da hora inicialmente programada e, cumulativamente, lhe tiver sido oferecido um reencaminhamento, de forma a partir até duas horas antes da hora de partida e chegar ao destino até quatro horas depois da hora programada de chegada. O mesmo acontece se a companhia informar o consumidor sobre o cancelamento com sete dias de antecedência relativos à data e hora contratada, e propor um reencaminhamento de forma a que o passageiro consiga partir até uma hora antes da hora programada de partida e chegar ao destino final até duas horas depois da hora prevista. Por fim, as indemnizações também não se aplicam nos casos em que a companhia aérea consiga provar que o cancelamento foi causado por circunstâncias extraordinárias, como por exemplo o mau tempo, e que tomou as medidas necessárias para evitá-lo. Para pedidos de apoio ou de informação pode recorrer à DECO ou ao CIAC da CM de Santa Maria da Feira, na loja 04 do Mercado Municipal, ou através da linha verde 800 203 194 ou do endereço ciac@cm-feira.pt. A DECO tem um protocolo de colaboração com o Município de Santa Maria da Feira e presta apoio presencial no Concelho.

Iniciativa do PEV

Tília com classificação de Interesse Público FEIRA Os Verdes vêm, em comunicado, congratular-se pela sua iniciativa bem-sucedida que resultou na atribuição da classificação de Interesse Público a um exemplar isolado da espécie Tília Tomentosa Moench, localizado no lugar da Piedade, em Santa Maria da Feira. “O PEV considera que esta classificação, cujo pedido foi formulado pelo dirigente nacional do Partido Ecologista Os Verdes, Antero Resende, e atribuída pelo Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas vem confirmar a importância e atributos do exemplar em causa, tal como Os Verdes argumentaram”, diz o partido. Na base do pedido, esteve o facto de se tratar de “um exemplar centenário, representativo dos exemplares mais antigos do território continental,cujo porte se enquadra no parâmetro de Monumentalidade e cujo desenho apresenta particular beleza, determinante na estética do espaço envolvente”.


08

16.ABR.2018

www.correiodafeira.pt

REUNIÃO DE CÂMARA breves Emídio Sousa em visita à Bulgária Emídio Sousa visitou targovishte, a convite do presidente do Município daquela cidade da Bulgária, germinada com Santa Maria da Feira. Processos de Urbanização e Edificação A vereadora do PS, Lia Ferreira, solicitou ao Executivo da Câmara que disponibilize os processos de urbanização e edificação, a serem discutidos em sede de reunião de Câmara, com maior antecedência. “Os processos só ficam disponíveis para consulta umas horas antes da reunião. Não conseguimos avaliar conscientemente. Era importante que nos disponibilizassem mais cedo os processos e que venham referenciados”, afirmou a vereadora do PS. Em resposta, o vereador do PSD, josé Manuel Oliveira, garantiu que “os processos de urbanização e edificação ficam disponíveis com dois dias úteis de antecedência”. Protocolo com a Universidade do Porto No âmbito da universidade júnior, foi aprovada a minuta do protocolo de colaboração a celebrar entre a universidade do Porto e o Município, que proporciona a possibilidade de jovens feirenses passarem uma semana das suas férias na universidade do Porto.

Feira Viva visada

AjuStES DirEtOS NOVAMENtE NA MirA DA OPOSiçãO Margarida Gariso volta a apontar críticas aos ajustes diretos na Câmara, nomeadamente na Feira Viva, e fala em “prática reiterada e contratos de trabalho encapotados”. Os ânimos voltaram a aquecer, na última reunião de Câmara, quando o assunto foi os ajustes diretos na contratação de trabalhadores, em particular da Feira Viva. No período antes da Ordem do Dia, a vereadora do PS Margarida Gariso apresentou dois pontos a discussão em que a temática central versava os ajustes diretos. A vereadora fala na existência de “mais de 50 prestadores de serviço nas Piscinas Municipais, através da Feira Viva”, mas que se tratam, na realidade, de “contratos de trabalho encapotados”, apontando ainda a contratação recente por ajuste direto. “A Câmara tem que dar o exemplo dentro de casa e ser coerente com aquilo que afirma. Se consultarmos o BASE [site para consulta online de contratos públicos], podemos verificar que, a 18 de janeiro, foram contratados dois trabalhadores para trabalhos na secretaria por ajuste direto, no lugar de contratos de trabalho. Caso contrário, a Câmara não está a proteger os trabalhadores e a lei”, acusa Margarida Gariso, solicitando “dados concretos de quanto ganha cada prestador de

serviço: horas diárias/valor por hora”. Noutro ponto, a vereadora do PS aponta a “prática reiterada de ajustes diretos”, consubstanciada nos “dois milhões de euros pagos a prestadores de serviço da empresa de segurança Comansegur, só no último mandato, feitos essencialmente por ajuste direto”, afirma, reforçando: “na Câmara, só a última contratação foi por concurso público. Na Feira Viva é sempre ajuste direto”.

“Quer maior transparência que esta?”

Em resposta, o presidente da Autarquia feirense, Emídio Sousa, lembra que “a Feira Viva forneceu todos os contratos a Margarida Gariso”, aquando da sua primeira solicitação (18 de janeiro), a que a vereadora do PS retorquiu, relembrando, que pretendia “os dados com a relação custo/horas de trabalho”. Perante a insistência, a troca de palavras subiu de tom, com Emídio Sousa a acusar a vereadora de o interromper constantemente, questionando: “Enviei, ou melhor, pedi para o fazerem porque tenho mais do que fazer

do que estar a tirar fotocópias para a senhora vereadora de todos os contratos da Feira Viva. Quer maior transparência que esta?”. Entre conversas sobrepostas, o presidente da Câmara acusou ainda Margarida Gariso de ter feito “uma série de afirmações erradas” e explica: “Há falta de nadadores salvadores. É uma profissão exigente, com a necessidade de cumprimento frequente de determinados requisitos físicos. Por isso, não podemos fazer contratos de longa duração, pois corremos o risco de ficar com trabalhadores que não podem exercer a função da nadador salvador por não conseguirem cumprir esses exigentes requisitos”, afirmou, para depois acrescentar que “têm também situações de contratos temporários para suprir baixas temporárias, como em casos de gravidez”. A vereadora do PSD, Helena Portela, também interveio, sublinhando que “o ajuste direto é legal”. Mesmo com Margarida Gariso a não dar mostras de estar satisfeita com as justificações, o assunto foi dado como terminado.

Plano de Transportes Escolares Na última reunião de Câmara, foi aprovado por unanimidade o plano de transportes escolares para o ano letivo de 2018/2019. A vereadora Cristina tenreiro sublinhou que se trata de uma “previsão, com base nos dados enviados pelos Agrupamentos”, e que “em setembro, poderá ter de se fazer ajustes”. Margarida Gariso aproveitou para referir que tem recebido “queixas do pais porque, às vezes, há situações em que os transportes estão lotados ou em más condições”, perguntando como atua a Câmara nestas situações. Cristina tenreiro confirmou a existência de “reclamações” e que “sempre que acontecem, dão a conhecer à GNr e à empresa para esclarecer e saber se há ou houve problemas”. Livro “António Joaquim. Uma Vida, Uma Obra” O livro “António joaquim. uma Vida, uma Obra”, uma obra autobiográfica do pintor natural de travanca, vai ser colocado à venda ao público com o preço de lançamento de 30 euros (até final do mês de abril). A partir dessa data, o custo da obra passará a ser de 35 euros, conforme o aprovado na última reunião de Câmara. Eficiência energética na iluminação pública No âmbito do concurso público “EEiP Fase 2 e Fase 3 – Eficiência energética na iluminação pública”, de Santa Maria da Feira, foi aprovada a adjudicação da obra à empresa Cunha Bastos, Lda., de Carvoeiro – Viana do Castelo, por um valor ligeiramente acima de um milhão de euros. Margarida Gariso diz que a obra “peca por tardia” e que “a gestão da iluminação pública custa anualmente cerca de 4,5 milhões de euros”. O presidente da Câmara, Emídio Sousa, afirmou que esta eficiência energética na iluminação pública vai permitir “em média 50% de redução no consumo de 10%/15% das luminárias públicas”. O tema acabou por originar uma discussão sobre a gestão da rede de distribuição de eletricidade, quando terminar o contrato de concessão com a EDP. Margarida Gariso defendeu que o Município deveria “assumir a gestão da rede de distribuição de energia”, apontando o exemplo de S. joão da Madeira. Em resposta, o vereador António topa Gomes não colocou de parte essa possibilidade, mas afirmou que a posição do Município não pode ser assim tão linear, pois “o caso obriga a vários estudos, que não são fáceis de se fazer”, apontando uma série de fatores que devem ser ponderados antes da decisão final (em setembro de 2018).


www.correiodafeira.pt

16.ABR.2018

09

REUNIÃO DE CÂMARA

Atualização do Plano Municipal de Defesa da Floresta contra Incêndios

MUNICÍPIO FALHA PRAZO O polémico artigo do Orçamento de Estado sobre a gestão de combustível esteve em discussão, com a vereadora do PS a acusar o Município de falhar com os prazos estabelecidos. Margarida Gariso acusou o Município de não ter cumprido o prazo para a atualização do Plano Municipal de Defesa da Floresta contra Incêndios (gestão de combustível), que deveria estar aprovado ou atualizado até 31 de março de 2018. A vereadora socialista afirmou que o “atraso é sempre justificado com dificuldades e desculpas. Espero que o Município não venha a ser penalizado e faça o que lhe é exigido, até para dar o exemplo aos munícipes. Não foi por falta de aviso. Em janeiro, já tinha alertado para a legislação introduzida pelo artigo 153.º do Orçamento de Estado”. Ainda segundo a vereadora do PS, trata-se de uma lei que decorre dos acontecimentos dramáticos

do ano passado, mas que “já existia [as coimas foram agora aumentadas para o dobro], através do número 2 do artigo 15.º do Decreto-Lei n.º 124/2006, mas não estava a ser cumprida pelos municípios, nomeadamente pelo de Santa Maria da Feira”. Em resposta, o vereador do PSD, Vítor Marques, assumiu o atraso, “como outros Municípios”, na atualização do Plano Municipal de Defesa da Floresta contra Incêndios, mas acabou por incidir muito em críticas à forma como o atual Governo conduziu e conduz todo o processo. “Não sei se é para levar a sério as deliberações deste Governo, que nesta matéria demonstra algumas incongruências. Tenho

dúvidas que venha a ser aplicado o que quer que seja às Câmaras”, referiu. Vítor Marques defendeu ainda que “há quem entende que o Plano Municipal de Defesa da Floresta contra Incêndios continua em vigor até que o novo e alterado entre em vigor. Tenho dúvidas que o Governo tenha legitimidade para dar cumprimento ao número 7 do artigo 153.º do Orçamento de Estado [retenção, no mês seguinte, de 20% do duodécimo das transferências correntes do Fundo de Equilíbrio Financeiro (FEF)] porque a redação do artigo juridicamente é dúbia”, sublinhando que “não foi apenas o Município de Santa Maria da Feira que não ligou ao Decreto-Lei n.º 124/2006, foi toda a gente, inclusive

o Estado Central – os sucessivos Governos”. O vereador do PSD, com o pelouro da Proteção Civil, Ambiente e Saúde, refere também que a Câmara “já tem feito “trabalho na atualização do Plano Municipal de Defesa da Floresta contra Incêndios”, mas aponta as formalidades do processo, bem como as “incongruências legislativas constantes do Governo, que dá o dito por não dito em várias situações” como razões para o atraso. O presidente da câmara, Emídio Sousa, a terminar a discussão, também deixou a sua opinião sobre o tema. “O processo de limpeza das florestas deixa-me muitas reservas, até no que diz respeito à defesa ambiental”, apontou.

Em causa a mudança do nome da rotunda do Hospital

EMÍDIO SOUSA ACUSADO DE “DESRESPEITAR A ASSEMBLEIA MUNICIPAL” A vereadora do PS falou na deliberação unânime da Assembleia Municipal para mudar o nome da rotunda do Hospital para Albino Aroso. Emídio Sousa responde com “recomendação e não deliberação”. A última reunião de Câmara ficou marcada pela discussão (com muita celeuma à mistura) sobre o nome da rotunda do Hospital – assunto que também tinha vindo a debate na Assembleia Municipal, de 6 de abril – no período antes da Ordem do Dia. Margarida Gariso começou por referir que “compete ao presidente da Câmara garantir o cumprimento das deliberações da Assembleia Municipal”, algo que ainda não tinha acontecido em duas situações aprovadas: “Em 2013, dar um nome de uma rua ou praça do Município a Álvaro Cunhal” e “em 2014 [14 de fevereiro], que o nome da rotunda do Hospital S. Sebastião se passasse a chamar Albino Aroso [médico português que ficou conhecido como o ‘pai

do planeamento familiar’], deliberações aprovadas por unanimidade e ainda por cumprir. Neste último caso, a deliberação foi aprovada juntamente com um voto de pesar pelo falecimento de Albino Aroso”. No entanto, o entendimento do Executivo da Câmara é completamente diferente. Emídio Sousa disse que se tratava de uma “recomendação e não uma deliberação” pois “a competência de atribuição de nomes às ruas compete às câmaras municipais, em conjunto com a Juntas, e não à Assembleia Municipal. Esta não pode deliberar sobre a toponímia do Município”. A vereadora da Oposição não ficou convencida com a explicação do presidente da Câmara, acusando-o de

não respeitar a Assembleia Municipal. “Todas as recomendações são objeto de votação, portanto há uma deliberação através da votação. Ao não fazer cumprir a deliberação, como é competência do presidente da Câmara, está a desrespeitar um órgão como a Assembleia Municipal”. Margarida Gariso relembrou que a deliberação foi “aprovada por unanimidade, ou seja, também pelos próprios deputados do PSD”, acrescentando que esperava que Amadeu Albergaria fizesse cumprir o que foi aprovado pelo Órgão Municipal por si presidido. Emídio Sousa respondeu de imediato. “Eu não respondo ao meu partido, respondo aos feirenses”, reforçando depois que a Assembleia Municipal não tem compe-

tência para deliberar nesta matéria. “Não estou a desrespeitar qualquer Órgão”, repetiu. Com a insistência do argumento de “desrespeito pela Assembleia Municipal”, Emídio Sousa acabou por afirmar que “não concordava com a decisão de mudar o nome da rotunda do Hospital. O nome deve manter-se”, garantindo de seguida que “se a rotunda não tiver denominação já atribuída – se tiver, mantém-se – então irei, em concordância com o restante Executivo, apresentar uma proposta de toponímia para a rotunda do Hospital”. O extremar de posições ficou assim novamente bem vincado entre o Executivo e a Oposição.


10

16.ABR.2018

www.correiodafeira.pt

SOCIEDADE Comemorações de Elevação a Cidade

Lourosa e Fiães com programa recheado

Com duas oficinas com foco nas aves

ZOO DE LOUROSA PARTICIPA EM INICIATIVA DA FUNDAÇÃO DE SERRALVES LOUROSA Conhecimento e educação ambiental andarão de mãos dadas, entre os dias 16 e 22 de Abril, na Bioblitz, iniciativa da Fundação de Serralves, que integra, pelo segundo ano consecutivo, o Zoo de Lourosa, convidado pela “notoriedade do seu trabalho científico e diferenciação”, diz a assessoria do equipamento gerido pela Feira Viva, em comunicado. O “reputado evento” reúne diversos especialistas da conservação e preservação animal do país e dá a oportunidade aos participantes de todas as idades de encontrarem e identificarem “o maior número possível de espécies no Parque de Serralves num curto espaço de tempo”, ou seja, uma espécie de “inventariação biológica relâmpago”. “Um Bioblitz difere

de outros inventários pelo intenso esforço de concentrar muitas pessoas – especialistas, voluntários, famílias, alunos, professores e outros membros da comunidade – com a determinação comum em descobrir a Biodiversidade de um determinado local”. Durante a semana, mediante inscrição prévia, há um ateliê dirigido às escolas, chamado ‘A Cada Ave o seu Bico’, onde se demonstra que os bicos das aves são “uma importante adaptação física e estão perfeitamente desenhados para que cada uma das diferentes espécies possa conseguir alimentos de maneira adequada”, além de estarem adaptados ao habitat onde vivem. “Vestindo a pele de uma ave”, os visitantes vão experimentar o

melhor utensílio que se adapta à sua alimentação e, no final, levam para casa a sua “ave-mola”. No fim-de-semana, há para o público a oficina ‘Ao Som dos Passarinhos’, no seguimento da campanha da Associação Europeia de Zoos e Aquários ‘Silent Forest’, que sensibiliza para a crescente ameaça que vivem as aves canoras no Sudoeste Asiático, contando a história de um músico apaixonado pelo som das aves que se cruza com uma fada das flores e dos passarinhos numa oficina em que, por entre instrumentos musicais e brincadeiras de grupo, os mais pequenos são levados a conhecer as dificuldades que enfrentam aquelas espécies. A participação no Bioblitz é gratuita mas sujeita a inscrição prévia.

COLÓQUIO SOBRE ACIDENTES DE TRABALHO EM LOUROSA LOUROSA A Associação dos Amigos da Encosta D’Além, em colaboração com a delegação do distrito de Aveiro da Associação Nacional dos Deficientes Sinistrados do Trabalho (ANDST), leva a cabo, no dia 27 de Abril, um colóquio/debate sobre os direitos dos sinistrados do trabalho e doentes profissionais.

Os oradores serão o presidente da direcção da ANDST, Luís Machado, e o representante da ANDST no distrito de Aveiro, António Silva, e debater-se-á a associação e o seu papel histórico na defesa dos direitos dos sinistrados do trabalho, acidentes de trabalho (conceito e reparação) e doenças profissionais (direitos e garantias).

O colóquio realiza-se “numa freguesia bastante industrializada”, com especial enfoque na indústria da cortiça, em que o “índice de sinistralidade laboral, sobretudo doenças profissionais, se reveste de particular acuidade”, diz a ANDST, em comunicado. A realizar-se no auditório da Junta de Freguesia de Lourosa às 21h00.

Power jump e zumba para ajudar tem lugar no próximo domingo. O evento consiste numa manhã de power jump e zumba, com início às 10h30, no Largo de Santo António em Rio Meão, em frente

Caminhada para a prevenção do AVC FEIRA A 1.ª Caminhada Comemorativa do Dia Nacional do Doente com Acidente Vascular Cerebral (AVC) decorreu no dia 7 de Abril pelas ruas de Santa Maria da Feira. Uma forma de alerta para a prevenção da doença, através da identificação precoce dos sinais, uma vez que Portugal é o país da Europa com a maior taxa de mortalidade por AVC. A iniciativa levada a cabo pela Unidade de AVC do Centro Hospitalar de Entre o Douro e Vouga (CHEDV) e Unidade de Cuidados na Comunidade do ACES Feira/Arouca, em parceria com a Câmara Municipal, Sociedade Portuguesa do AVC e Associação Portugal AVC, incluiu um percurso de 6.5km, em que participaram profissionais de saúde, utentes e seus familiares, ao longo do qual foi divulgada informação sobre o AVC através do contacto com a população.

Junta de Freguesia comemora Dia da Terra

Palestra ‘Terra, o nosso lugar’

Evento solidário reverte para o IPO

RIO MEÃO O IPO do Porto está a organizar, com o apoio da Junta de Freguesia de Rio Meão, um evento solidário de angariação de fundos para a instituição, que

Já passaram 17 anos desde que Lourosa e Fiães foram elevadas a cidade e as Juntas de Freguesia não podiam deixar de assinalar a data. Com um programa recheado, há muito por onde escolher. Em Fiães, as Piscinas disponibilizam, durante o período das comemorações,aulas gratuitas de hidroginástica e hidrobike.Na quinta-feira, às 19h00, no salão nobre da Junta de Freguesia, há hastear da bandeira e sessão solene, além da apresentação de “Um Projecto para a Cidade”pelo arquitecto e chefe da Divisão de Planeamento da Câmara Municipal de Santa Maria da Feira, Nuno Pinheiro.Segue-se a entrega do prémio vencedor‘Criação da imagem gráfica’ e revelação do vencedor do ‘Orçamento Participativo 2018’. No dia 25 de Abril, às 11h00, realiza-se a III Ulfilanis Run, na Zona Desportiva de Fiães; e no dia 28 de Abril, às 19h00, tem lugar um jogo de voleibol que juntará veteranos e séniores no Pavilhão Municipal de Fiães. Já em Lourosa, o tema das comemorações deste ano será a indústria corticeira como potenciadora de desenvolvimento. Na quinta-feira,pelas 9h00,há hastear da bandeira nos paços da Junta de Freguesia e,durante todo o dia,os habitantes da cidade terão entrada livre no Zoo. Às 21h00, realiza-se a Sessão Solene com uma apresentação sobre o trabalho na cortiça, seguido de testemunhos de entidades ligadas ao mundo corticeiro. O dia encerra com a intervenção dos convidados e de um Porto de Honra.

à Casa Barra. No caso das condições meteorológicas não permitirem a realização do evento, este passará para o edifício das colectividades em Rio Meão.

MILHEIRÓS DE POIARES Na véspera do Dia Mundial da Terra, a Junta de Freguesia de Milheirós de Poiares organiza a palestra ‘Terra, o nosso lugar’. No sábado, pelas 21h15, na Junta de Freguesia, debate-se alimentação saudável, com Francisca Feiteira (espaço ‘Aconchego do Quintal’), e agricultura sustentável, com a professora Cristina Sousa, que abordará, entre outros, a temática da biodiversidade. Pub.


www.correiodafeira.pt

16.ABR.2018

11

SOCIEDADE

CHEDV e CHBV organizam

14.ª edição das Jornadas do Internato Médico As Direcções do Internato Médico e as Comissões de Médicos Internos do Centro Hospitalar de Entre Douro e Vouga (CHEDV) e do Centro Hospitalar do Baixo Vouga – Aveiro (CHBV) organizam, este ano, as Jornadas do Internato Médico de 2018 (JIM 2018). O evento tem como grandes objectivos criar um espaço de divulgação científica por parte dos médicos internos e dar a oportunidade aos médicos internos de colaborarem na organização de um evento científico. A 14.ª edição das Jornadas contará com a presença do Bastonário da Ordem dos Médicos, Miguel Guimarães, do presidente da Secção Norte e Centro da Ordem dos Médicos, António Araújo, e do presidente da Câmara Municipal de Santa Maria da Feira, Emídio Sousa. A realizar-se nos dias 26 (workshops pré-Jornadas), 27 e 28 de Setembro em Santa Maria da Feira.

Indaqua associa-se ao Dia das Boas Acções

EB N.º 1 COM RECREIO E UTILITÁRIOS RECUPERADOS O Dia das Boas Acções é uma das maiores acções internacionais de solidariedade que se comemora em mais de 90 países. Portugal participa pela segunda vez, sendo que no ano passado juntou 40 ONG e mais de 2000 voluntários e envolveu recolha de roupas e alimentos, workshops, aulas de dança e yoga, música ao vivo e muita animação. Na passada sexta-feira, 200 cola-

boradores da Indaqua uniram-se à comemoração e meteram mãos à obra, ajudando 20 instituições de apoio a crianças e idosos nos seis concelhos onde a companhia detém concessões de abastecimento de água – Matosinhos,Vila do Conde, Santa Maria da Feira, Fafe, Santo Tirso/Trofa e Oliveira de Azeméis. No total, 3400 pessoas beneficiarão deste Dia das Boas Acções

através do melhoramento dos seus espaços com execução de tarefas como pintura de muros e paredes, conserto de canalizações, plantação de árvores, reabilitação de jardins ou acompanhamento de idosos ao cinema. Nos espaços contemplados, encontra-se a EB N.º 1 de Santa Maria da Feira, que viu o seu recreio e casa-de-banho recuperados.

Estagiárias de Nutrição desafiam comunidade hospitalar

DIA MUNDIAL DA SAÚDE COM FOCO NO CONSUMO DE SAL FEIRA O Dia Mundial da Saúde no Centro Hospitalar de Entre o Douro e Vouga (CHEDV) foi celebrado de forma diferente este ano com uma iniciativa das estagiárias de Nutrição que desafiaram a comunidade hospitalar a controlar a sua ingestão de sal ao lanche, tendo por base as opções alimentares disponíveis na bancada.“Foi constatado que a grande maioria dos participantes não tinha a percepção da quantidade de sal que ingere diariamente e

não sabia qual era a recomendação para a sua ingestão”, diz o CHEDV, em comunicado. O tema era ‘Saúde Para Todos’ e o objectivo era “consciencializar para o consumo elevado de sal”. “Em Portugal, a quantidade de sal consumida é quase o dobro daquela que é recomendada pela Organização Mundial da Saúde, sendo o país da Europa com maior taxa de mortalidade provocada por AVC e a hipertensão arterial um dos factores

Para melhor gerir o stress durante o estudo e os testes

Aulas de yoga gratuitas no Agrupamento Fernando Pessoa FEIRA A parceria do Áshrama Santa Maria da Feria – Centro do Yoga e o Agrupamento de Escolas Fernando Pessoa continua ao dar aos alunos a possibilidade de experimentarem gratuitamente aulas de yoga. Nas aulas de Yoga Sámkhya serão ministradas técnicas do Yoga que ajudarão os alunos e professores a melhor gerir o stress durante o estudo e testes, “permitindo-lhes estudar e trabalhar durante mais tempo e de forma lúcida e produtiva”, diz o Centro do Yoga, em comunicado. As aulas estão inseridas na iniciativa nacional ‘Yoga e Exames Sem Stress’ promovida desde 2005 pela Confederação Portuguesa do Yoga e que irá levar aulas do Yoga gratuitas a estudantes de 23 cidades em todo o país durante o mês de Maio. Segundo o Áshrama, alguns dos benefícios do yoga são: combate eficazmente o stress, possibilita recuperações físicas completas em algumas dezenas de minutos; melhora a lucidez e aumenta a energia; eleva a autoconfiança; ensina a exponenciar a atenção e melhorar a concentração, favorece o desempenho e repõe o experimentado pós-férias (retemperado, lúcido e vigoroso).

DEDO NA FERIDA

de risco mais relevantes”. A iniciativa levada a cabo no Hospital foi “realizada com sucesso, verificando-se uma grande adesão, preocupação e curiosidade acerca do tema”. Foi, ainda, elaborada uma campanha para sensibilizar e educar a população a adoptar medidas para reduzir o consumo de sal e promover hábitos de vida saudáveis, como, por exemplo, “ler sempre o rótulo nutricional” dos produtos alimentares.

ARGONCILHE A Rua Nova da Lomba, em Argoncilhe, encontra-se neste estado há bastante tempo e a leitora do CF que alertou para a situação queixa-se de promessas incumpridas por parte da Junta de Freguesia relativas a uma requalificação que tarde em chegar. Aqui os moradores não plantaram couves nos buracos, mas com a chuva que cai, pouco falta para que virem jacuzzis…


12

16.ABR.2018

www.correiodafeira.pt

CULTURA

“O meu ObjetivO é levar a minha interpretaçãO das músicas às pessOas”

Marcelo Brito* marcelo.brito@correiodafeira.pt

Foi com apenas 4 anos que margarida neto, natural de santa maria da Feira, começou a integrar coros infantis. aos 10, entrou para o conservatório de música de Fornos. depois de completar o quinto grau de piano concorreu para o conservatório de música do porto, mas para canto lírico, curso no qual está, atualmente, no terceiro ano. em março de 2018, a jovem feirense de apenas 18 anos venceu o concurso nacional de canto lírico dos conservatórios Oficiais de música, mas em 2017 tinha já arrecadado o segundo lugar, algo que, para si, “foi surpreendente. estava no segundo ano, que correspondia à categoria b – o terceiro corresponde à categoria a – e alcançar o segundo lugar foi surpreendente”, disse. no ano seguinte, venceu entre concorrentes três, quatro e até cinco anos mais velhos e com mais experiência. “na categoria a, na qual há pessoas com, por exemplo, 23 anos, concorrer com quem já está mais avançado do que eu foi bom. Fiquei muito satisfeita porque quer dizer que estou à altura de um nível que não estava à espera”. a jovem feirense arrecadou ainda o prémio de melhor intérprete portuense. “levámos uma peça de um compositor que vive ou é do porto e se o júri achar que a nossa expressividade é suficientemente boa, entrega o prémio”, diz, descrevendo as regras do concurso. “tínhamos de levar quatro peças e, pelo menos, três línguas diferentes. levei uma portuguesa, uma inglesa e duas italianas”. para margarida neto é mais difícil cantar em alemão “por causa dos fonemas” e mais fácil em italiano “porque as vogais são muito cheias e não são nasais, que são as mais difíceis”. mas porquê canto lírico? “sempre gostei de cantar. cantava informalmente e a partir do momento em que comecei a pensar em seguir música, pensei porque não o canto? porque não desenvolver o canto em vez do piano já que gosto muito de cantar? também gostava muito de tocar piano, mas sempre preferi

a feirense margarida neto está a causar sensação no mundo da música. venceu o 11.º concurso nacional de canto lírico dos conservatórios Oficiais de música – depois de em 2017 ter alcançado o segundo lugar –, tendo arrecadado ainda o prémio de melhor intérprete de compositor portuense. já passou pelo conservatório de Fornos e, com apenas 18 anos, atuou, enquanto solista, na casa da música do porto, com mais quatro colegas, mas pretende ter o espaço único e exclusivamente para si. cantar”, revela. agora, o piano ficou “um bocadinho para trás”, embora tenha sido crucial no desenvolvimento musical. “ter feito piano primeiro foi muito melhor do que não ter feito nada, ou apenas canto, porque o piano dá-me bases”. Quanto à exigência entre dar às cordas vocais ou às teclas, “igual”. a jovem feirense não esconde a pretensão em afirmar-se e fazer carreira enquanto cantora lírica e, pelo caminho, conta com a experiência e aprendizagem no conservatório de música do porto que, comparado com o de Fornos, “é muito mais exigente. é uma escola estatal e na qual, basicamente, a região norte concentrase toda. é para lá que vão todos aqueles que querem fazer carreira musical. tinha colegas de penafiel, por exemplo, e saíamos de uma aula às 22h30 e ainda iam apanhar o comboio para casa. é muito exigente, mesmo para quem gosta”, conta margarida neto. a feirense define-se como “felizarda” tendo em conta os professores que já encontrou. “Fui uma sortuda, uma felizarda, por ter tido tão bons professores tanto no conservatório de Fornos como no do porto”.

Objetivo é estudar no estrangeiro

ainda que seja “possível fazer carreira em portugal” e que “o ensino seja bom e totalmente equiparado ao estrangeiro”, e mesmo “não tendo ainda projeção internacional”, a jovem feirense tem como objetivo estudar lá fora.“a diferença entre o ensino em portugal e no estrangeiro é o ambiente envolvente. por exemplo, está-se na universidade a estudar, mas também há concertos e vai-se conhecendo melhor. aprende-se muito a ver os outros. uma coisa que não podemos fazer em portugal porque não existem tantos concertos quanto isso. Gostava de ir para a universidade no estrangeiro, mas ainda não tenho nada definido. é apenas uma pretensão”, revela margarida neto que para completar os estudos no conservatório de música tem de completar as disciplinas de Formação musical, canto, estudo de Ópera, italiano, alemão, Organologia, teclas, análise técnica de composição e história e cultura das artes. diana damrau, dawn upshaw, natalie dessay, patricia petibon, Kristin chenoweth e sofia escobar. estes são os nomes das intérpretes favoritas de margarida neto. “Gosto delas, são boas cantoras, têm uma expressi-

vidade que gostaria de alcançar”. a expressividade é algo que a feirense tem vindo a trabalhar e a melhorar. “a minha primeira audição foi no 10.º ano e estava tão nervosa que estaquei. Fiquei na mesma posição de início ao fim. só mexia a boca. há sempre espaço para mais expressividade”. enquanto desenvolve a técnica no conservatório de música no porto, margarida neto também frequenta a escola secundária serafim leite, em s. joão da madeira, no curso de artes visuais e até da diretora da instituição, anabela brandão, já recebeu elogios. “no dia mundial da Filosofia, no ano passado, a professora da disciplina, que sabia que estudava canto lírico, desafiou-me a cantar nos corredores. Fi-lo e a professora anabela brandão passou e ficou muito admirada, disse que nunca tinha visto a escola tão atenta. Foi uma experiência diferente. as pessoas gostam, mas não há este tipo de cultura em portugal. as pessoas não saem para irem ao teatro”, dá como exemplo.

Margarida quer a Casa da Música só para si

no âmbito da celebração do centenário do conservatório de música do porto, margarida neto integrou o espetáculo, subindo ao palco da casa da música, na cidade portuense, com mais quatro solistas. “Quando saiu, perguntei-lhe se tinha gostado e se era aquilo que ela queria fazer no futuro. estranhei bastante, pela positiva, a resposta da margarida. disse-me: ‘Queria era ter a casa da música só para mim’. a atuação da margarida sabe bem. não se vê nervosismo algum. é um espetáculo que resulta”, conta vítor neto, o pai da jovem. “não levo um concurso mais a sério do que um concerto. levo os dois de igual forma. um concurso não é mais importante do que um concerto. O meu objetivo é levar a minha interpretação das músicas às pessoas. cantar de outra forma não faz sentido”, termina margarida neto. *O autor escreve segundo o novo acordo ortográfico


www.correiodafeira.pt

16.ABR.2018

13

CULTURA

Dia dos Moinhos

Cozer do pão e recriação de costumes LOUROSA A Junta de Freguesia de Lourosa, em conjunto com o grupo Dia L e o Centro Cultural e Recreativo Os Malmequeres de Lourosa, celebra, no próximo sábado, a partir das 15h00, o Dia Nacional dos Moinhos, com o cozer do pão num forno a lenha e a recriação de tradições e costumes ligados à actividade dos moinhos no moinho do Parque do Rio Maior, na Avenida de Loruosa. O moinho estará aberto ao público para visita durante todo o dia.

Dia Internacional dos Monumentos e Sítios

VISITAS ORIENTADAS, ENTRADAS GRATUITAS E CARICATURAS Os Museus do Concelho apresentam, no âmbito do Dia Internacional dos Monumentos e Sítios, celebrado esta quartafeira, um programa recheado de actividades, entre as quais uma exposição com artistas do Eixo Atlântico. ‘O Cajado de Daghdha’, do ilustrador galego Norberto Fernández, é a primeira publicação de banda desenhada do Eixo Atlântico. Nasce da vontade de presentear os cidadãos da Eurorregião com uma publicação no âmbito dos 25 anos da associação. O Castelo, a Viagem Medieval e o presidente da Câmara, Emídio Sousa, figuram nesta história de aventuras, em que os prota-

gonistas percorrem o Caminho Português de Lisboa a Santiago à procura de um tesouro. No âmbito desta exposição conjunta, o Museu do Papel expõe os originais do livro de 48 páginas desta história que tem como personagens figuras populares da Galiza e Portugal. Já o Museu Convento dos Lóios, expõe o conjunto de caricaturas de todos os autarcas, alcaldes e alcaldesas pertencentes ao Eixo Atlântico, criações do caricaturista Adão Silva, natural de Braga. A exposição ‘O Cajado de Daghdha’ integra a programação da V Capital da Cultura do Eixo Atlântico e estará patente nos museus até 1 de Julho. Ainda no âmbito do Dia Interna-

cional dos Monumentos e Sítios, o Museu Convento dos Lóios promove a oficina pedagógica ‘Domus: Os Segredos da Casa Romana’ e visitas orientadas ao Museu e Castro de Romariz; e o Museu de Lamas abre as suas portas, gratuitamente, para uma visita ao popularmente conhecido ‘Museu da Cortiça’ que integra o espólio privado do fundador e benemérito industrial Henrique Amorim, num acervo recuperado e reorganizado com colecções de Arte Sacra, Estatuária Portuguesa, Etnografia, Ciências Naturais e identidade da comunidade local. As visitas orientadas em ambos os Museus exigem marcação prévia.

Formação de agentes culturais

Cristina Farinha em encontro ICC FEIRA O Imaginarius Centro de Criação – Arte e Espaço Público promove mais um encontro cultural.Desta feita,o espaço recebe a investigadora Cristina Farinha,para uma conversa que incidirá sobre o tema Mobilidade de Projectos e de Artistas,inserido no programa de qualificação e formação dos agentes do sector cultural e criativo. Sob a perspectiva profissional da cooperação internacional, Cristina Farinha será convidada a partilhar dicas e oportunidades de financiamento ao nível da mobilidade e internacionalização de projectos artísticos, com enfoque nos que relacionem arte e espaço público. Cristina Farinha é investigadora na área da cultura e das indústrias criativas e o seu trabalho foca-se no fortalecimento do papel da cultura e da criatividade,na promoção da cooperação internacional,na mobilidade e na capacitação e fortalecimento do empreendedorismo no sector cultural e criativo. A conversa,que tem lugar no dia 27 de Abril às 10h30,dirige-se a agentes culturais e criativos,singulares ou colectivos,que pretendam desenvolver projectos com componente internacional. A participação é gratuita mas sujeita a inscrição.


14

16.ABR.2018

www.correiodafeira.pt

CULTURA

“Longa vida a recordar”

‘Sonho de Uma noite de Verão’

EnORME LEGAdO dEIxAdO POR UM CEnTEnáRIO

Orfeão da Feira leva a cena peça de Shakespeare

Carlos Fontes

FIÃES Mão amiga fez-me chegar à mão um livro escrito por um fianense (Elísio Ferreira dos Santos, para os seus conterrâneos, Elísio da Frada) que no passado dia 18 de março completou 100 anos de vida. O autor, que conheço desde a minha juventude, e por quem nutro enorme respeito, contempla-nos com uma obra de 165 páginas nas quais está bem expressa muita da história de Fiães das últimas décadas. «Várias vezes referi a pessoas próximas que era uma pena que essas memórias se perdessem, pois sempre que alguém partia, perdíamos um bocado da nossa história», escreve, na obra, na sua «palavra de abertura», Emídio Sousa, fianense, atual presidente da Câmara Municipal da Feira. Estamos inteiramente de acordo, senhor presidente. Fiães tem grande história. O padre Manuel Francisco de Sá deixou-nos, em 1940, uma obra que ainda hoje deve ser considerada como o mais valioso testemunho da história de Santa Maria Maior de Fiães, da Terra da Feira. Agora, o senhor Elísio da Frada acrescenta mais alguns subsídios para essa história. Pouco tempo antes dele, Salvador Soares da Silva também nos brindou com alguns «subsídios» que no futuro podem ser importantes para um melhor conhecimento das gentes de Fiães. «Este livro é um acervo importante para compreendermos um pouco mais e melhor a vida de Fiães nos últimos cem anos», escreve António Valdemar, atual presidente da Junta de Freguesia de Fiães. Mas o autarca fianense vai mais longe e acrescenta que Elísio Ferreira dos Santos é uma pessoa que sabe «olhar para as estrelas», subindo ao «cimo do que vê», sendo motor no desenvolvimento de Fiães e «fonte de inspiração». Li com atenção, e muito agrado – como sempre faço quando estou perante obras que me falam da minha terra – esta obra intitulada “Longa vida a recordar”. Reinaldo Pinto Pinheiro, o professor que levou o senhor Elísio da Frada a completar a antiga 4.ª classe, e também foi o meu, dizia-nos, nas suas aulas, que «escreve bem aquele que bem se faz entender». Este livro espelha isso mesmo. Elísio Ferreira dos Santos faz-se entender bem. «Privilegiamos o

FEIRA O Grupo de Teatro Experimental do Orfeão da Feira apresenta, nos próximos dias 12 e 13 de Maio, no Cineteatro António Lamoso, a peça de William Shakespeare intitulada ‘Sonho de Uma noite de Verão’. A primeira apresentação no sábado tem lugar às 22h00 e no dia seguinte há reposição com matiné às 17h00.

Angariação de fundos

Concerto pela Festa de Santa Maria LAMAS A Comissão de Festas em Honra de Santa Maria 2018, Santa Maria de Lamas, promove, no sábado, um concerto pela Banda de Música da Cidade de Espinho, para angariação de fundos para as festas na freguesia. O concerto tem início às 21h30 no pavilhão do Colégio de Lamas com participação especial dos Ritmare, danças Colégio, Tuna Esperança e Guê-jota.

conteúdo, em detrimento da forma», lê-se numa nota no rodapé na página em que o autor inicia a sua narração. A obra mostra isso mesmo. As coisas muito rebuscadas nem sempre são as melhores. Pelo contrário... José Henriques Ribeiro, presidente do Centro Social Padre José Coelho (recorde-se que sendo o livro distribuído gratuitamente, qualquer donativo dele resultante reverte para as obras do Centro Social) no prefácio do livro, não tem dúvidas: «Recordações, que atravessaram quase todo o século passado e duas décadas deste, são-nos apresentadas de forma simples nesta publicação que celebra cem anos de vida do autor - Elísio Ferreira dos Santos». Recorde-se que Elísio Ferreira dos Santos, além de industrial de sucesso, foi um dos mais destacados elementos do Grupo Musical de Fiães, no qual se iniciou a tocar contrabaixo de cordas com a idade de 17 anos. Está de parabéns o senhor Elísio da Frada e de parabéns está Santa Maria Maior de Fiães pelo legado que agora recebe.

European Art Museum

Leonor Sousa representa Portugal na dinamarca A pintora com ateliê em Fiães Leonor Sousa foi convidada pelo responsável pelo European Art Museum, na dinamarca, para expor as suas peças e tornar-se, assim, embaixadora de Portugal no país. “Esta é uma oportunidade para ser parte da História da Arte Europeia”, diz o responsável do museu, num e-mail enviado à pintora. Leonor Sousa não cabe em si de orgulho e garante: “Irei até onde as minhas forças me levarem, o mundo esperame”. O European Art Museum contém trabalhos de vários estilos artísticos e a única “censura” é a qualidade dos mesmos. “A diversidade artística é a energia, ou a alma, se assim quiserem dizer”.

documentário estreia no Imaginarius

‘A Última Caminhada’

À VOLTA dE 140 MIL MEMóRIAS

Concerto encenado de coro e orquestra

Uma teia em permanente construção que começou em Fevereiro com alguns nomes apontados pela Câmara e Juntas de Freguesia e prosseguiu com uma equipa multidisciplinar do Imaginarius Centro de Criação a bater à porta e a marcar encontros com dezenas de pessoas em centros de dia, cafés, museus ou à beira-rio, por 21 freguesias do Concelho, no âmbito do projecto ‘140 Mil Memórias’, que terá a sua estreia no festival Imaginarius. O objectivo foi reunir, num Concelho com aproximadamente 140 mil habitantes, memórias individuais e colectivas, que deram origem a um “museu participativo”, composto de histórias, artefactos, imagens e sons. Sempre que “uma memória era acordada”, registava-se em vídeo e fotografia. ‘140 Mil Memórias’ é a metáfora da

representatividade de todos os residentes ou naturais de Santa Maria da Feira que “persegue a utopia de conhecer e dar a conhecer cada um e cada memória do passado, seja ele longínquo ou mais recente”, diz a Autarquia, em comunicado. Os oito núcleos temáticos – a água e os rios, do trabalho dos campos à indústria, a religião, o Vouguinha, o desporto, as fogaças e outras doçarias, as histórias e as lendas, e o namoro – foram surgindo do cruzamento das memórias de cada um e reunidos em documentário. Uma viagem pelas memórias afectivas de mais de uma centena de pessoas de diferentes gerações que terá como primeira paragem o Mercado Municipal nos três dias do festival Imaginarius (24, 25 e 26 de Maio), ponto de partida para acções futuras.

O público que visitar a instalação também será convidado a deixar a sua memória, a partir de um objecto seu, que simbolize essa vivência e que ajude a contar a sua história. Entre Abril e Maio constrói-se a instalação, definese a dramaturgia expositiva, editam-se vídeos, seleccionam-se objectos. Serão ainda preparadas visitas guiadas e ensaiados os espectáculos que vão dar vida à exposição. ‘140 Mil Memórias’ é um projecto desenvolvido pelos artistas convidados Vera Alvelos e Patrick Hubmann, com direcção de produção de Ricardo Falcão e recolha audiovisual de João Azevedo e João Ferreira que consolida uma “vontade de encontrar memórias que fazem parte do território de Santa Maria da Feira e representam a identidade das suas gentes”.

S. JOÃO DE VER A Junta de Freguesia de S. João de Ver promove, no próximo dia 28 de Abril, um concerto encenado com orquestra e coro baseado na obra ‘O nazareno’ de Frei Hermano da Câmara. Intitulado ‘A Última Caminhada’, o concerto com a participação da Orquestra Cromática Santa Marinha de Cortegaça, Grupo Polifónico Santa Maria de Esmoriz e Grupo Coral de Jovens de Maceda tem lugar na Igreja de S. João de Ver pelas 21h00.

AMO realiza

Café concerto ‘Abril, Cantigas Mil’ S. PAIO OLEIROS A Associação Musical Oleirense leva a cabo, no próximo dia 28 de Abril, um café concerto intitulado ‘Abril, Cantigas Mil’, na sua sede. O concerto pretende celebrar o mês da Liberdade e contará com a participação da Classe de Canto da AMO, João Oliveira, o par de bailarinos Raquel e Marcos e o duo ‘Humores Poéticos’ com Anthero Monteiro e Maria Mar.


www.correiodafeira.pt

16.ABR.2018

15

CONHECER

COM UM gRANDE PODER, VEM UMA gRANDE RESPONSABiLiDADE

Nome Jorge Braga Brandão de Andrade Nascimento Luanda, 28 de Outubro de 1965 Profissão Empresário

Daniela Castro Soares daniela.soares@correiodafeira.pt

É numa casa cheia de artefactos e peças de colecção de todo o mundo que encontramos Jorge Braga Brandão de Andrade. Nascido e crescido em Luanda, são as memórias ligadas à terra aquelas que mais se destacam. “Lembro-me da fazenda do meu pai em Angola, de como adorava sair da cidade e ir ao fim-de-semana para lá. Para mim, aquilo é que era bonito, estar no meio da natureza, dos animais, dos trabalhadores…”, diz. Mas não só. Filho de um dos mais importantes empreiteiros do país, Antero Brandão de Andrade e Silva, teve a rara oportunidade de ter como brinquedo… um avião

Administrador do jornal Correio da Feira há sete anos, Jorge de Andrade é um rosto conhecido da sociedade feirense, em grande parte, devido à família que lhe deu berço. Chegou a trabalhar com o pai, nas Obras Públicas, mas cedo percebeu que o seu caminho não era construir estradas, mas sim percorrê-las. Entusiasta das viagens, fundou, há duas décadas, com o seu companheiro de vida, a Quadrante – Operador Turístico, que abriu as portas em Portugal para destinos como as Maldivas, Dubai ou Costa Rica. Um homem de ar autoritário, mas de uma sensibilidade latente, consolidada em pilares como Deus e a Família. verdadeiro. “O meu pai, no ano em que o Homem foi à Lua, comprou um avião para nós brincarmos e estacionou-o no jardim. Era um avião da Força Aérea, que fazia o transporte do correio de Angola; o meu pai comprou aquilo na sucata mas trabalhava. Veio no jornal e tudo, uma reportagem sobre o avião que estacionou num quintal”, conta Jorge, rindo. A família tinha ido para Angola precisamente porque a empresa do avô, em que o pai também trabalhava, ganhou o concurso para a construção do Aeroporto de Luanda. Era para ser apenas um trabalho, mas An-

tero de Andrade e Silva apaixonou-se pelo continente africano. “O meu avô voltou e o meu pai ficou lá a representá-lo; disse que não queria voltar para a metrópole, que não queria sair de Luanda”. Ligou-se à Força Aérea, fez campos de aviação e contribuiu para aumentar os poucos quilómetros de estrada asfaltada que encontrou no país.

A ‘loucura’ do campo

De três em três anos, a família vinha a Portugal de férias e esses são os tempos que Jorge lembra com mais carinho.“As minhas memórias mais antigas são da Vila da Feira,

do tempo que passávamos de férias na Quinta de Santo António. Foram os momentos mais marcantes da minha vida”. Mais uma vez, no meio da natureza.“A loucura de andar com os caseiros, no meio das vacas, e ir para a ribeira… onde agora é o liceu e a Santa Casa da Misericórdia, eram as nossas ribeiras. As carroças de bois levavam as pessoas para ir trabalhar e ao fim da tarde recolhiam-nas”. Na ribeira, havia uma cabana em madeira pertencente ao avô. “Às vezes, fazia ali a minha sesta”. Aos 10 anos de idade, a Vila da Feira deixa de ser local de férias para passar a residên-


16

16.ABR.2018

www.correiodafeira.pt

CONHECER

cia quando, em Agosto de 1975, Jorge se vê obrigado, com a família, a fugir da guerra nas ex-colónias.“As memórias de África são tão poucas – a fazenda, a casa, o centro da cidade, a Baía, as igrejas – talvez pela forma como saímos de lá. Viemos traumatizados, saímos de um país em guerra, estávamos completamente abandonados, a nossa presença era mal-vista, vi coisas atrozes nos últimos tempos, violentas… Quando cheguei à Vila da Feira e lançavam foguetes, eu ficava arrepiado, porque pensava que eram as bombas que estouravam em Luanda”, conta, de olhos semicerrados, as imagens como flashbacks indesejados. Chegados a Portugal, a adaptação não foi fácil. “Portugal era um atraso de vida. Duas grandes cidades, Lisboa e Porto, e o resto era rural, uma pobreza extrema, não tinha nada a ver com a vida que se levava em Moçambique ou Angola; as pessoas eram analfabetas, foi um choque muito grande”. Até na escola, a realidade estava à vista de todos.“Em Angola, estudei no ensino público e não notava grandes diferenças entre as pessoas; aqui as diferenças sociais eram bastante marcadas. Havia uma separação nas salas de aula e notava-se pela forma como as pessoas se vestiam. Lembro-me de uma grande parte dos meus colegas ir, em pleno Inverno, descalça para a escola, e fazia tanto frio”. Mas talvez o mais difícil tenha sido a discriminação dos retornados. “Éramos apelidados, até por alguns professores, como ‘os que andaram a explorar os pretos em Angola’”. Apesar disso, garante Jorge, a família, constituída pelos pais e sete filhos, era “alegre”. “Éramos uma família muito unida”, diz, sorrindo, sobre uma das famílias mais conhecidas de Santa Maria da Feira que, ainda assim,“mantinha uma vida normal”.“Nunca andei a estudar em colégios privados, os meus pais obrigavam-nos a encarar as coisas com normalidade. Ensinaram-me o cuidado que devemos ter com a família e as obrigações que o nascimento nos dá porque não nos dá privilégios, dá-nos obrigações. Essa educação marcou-me muito”.

Adeus Feira, olá África do Sul

Pouco tempo depois, outra grande tempestade se avizinhava na vida de Jorge de Andrade. “O meu pai não aceitou o rumo que o país tomou e juntou-se a um grupo de pessoas que tentaram fazer uma contrarevolução para devolver o poder ao regime que vigorava. Não teve sucesso e ele ficou preso 100 dias”. O tribunal ditaria a absolvição de todas as acusações, mas bem mais feroz é o julgamento na praça pública. “Íamos para a escola e diziam que o meu pai andava a assaltar bancos. A família era muito conhecida, o nome saía nos jornais, a Vila da Feira era uma vila pequena e a chacota… foi grande”. Chamavam-lhes fascistas. “Havia uma revolta, porque as bocas não vinham dos nossos colegas, vinham de pessoas com responsabilidade de dar educação e que deviam ter o senso de não responsabilizar os filhos pelos actos dos pais”. A perseguição a Antero Andrade e Silva continuou e a família viu-se obrigada a fazer malas e seguir viagem novamente, dessa vez rumo… à África do Sul. “Foi doloroso. O meu pai deu-nos uma vida um pouco complicada. Estávamos a ambientar-nos na Vila da Feira, a criar amigos, e a meio do período lectivo dizem-nos ‘vamos embora para a África do Sul’. Não foi fácil”. O país e a língua eram estranhos e naquela cidade da Namíbia [Windhoek] todos os dias era servido um prato difícil de engolir: o racismo. “O Apartheid funcionava em pleno. Vínhamos de Angola, onde os pretos estudavam e conviviam connosco, nunca senti racismo; e ir para uma terra onde os africanos não podiam circular à noite… era incompreen-

sível”, diz Jorge, lembrando a divisão racial, mas também o “ódio” entre os próprios brancos. “Os afrikaners, os alemães e os ingleses não se podiam ver uns aos outros, as escolas eram separadas, ninguém se misturava. Era uma terra deplorável. A África do Sul não deixou saudades”. Desde então, nunca mais regressou aos sítios onde cresceu. “Não sou saudosista. Nunca mais fui a Luanda, nem tenho vontade. Iria ser um choque ver a casa onde eu nasci no estado em que sei que está. Construíram um hotel em frente, no centro da cidade, um dos maiores edifícios em Luanda, atrás da nossa casa e ela cedeu completamente, parece um caixote à beira de um edifício muito bonito”, diz, esforçando-se por limpar a imagem que se cria na sua mente. Já no que toca à Namíbia, há um regresso nas cartas, uma surpresa do companheiro de vida de Jorge. “O Paulo [Fonseca] está agora a organizar uma viagem à Namíbia. Estou curioso. Conhecemos bastante o país, o meu pai levavanos muito a passear e estou curioso para ver o desenvolvimento, já lá vão mais de 40 anos”, afirma, falando sob uma perspectiva essencialmente turística.

NA TORREiRA

Caminhar rumo à descoberta

Em 1981, assenta definitivamente arraiais em Santa Maria da Feira e, mais uma vez, custou a entrar no esquema. “Vivíamos como ciganos, o meu pai passava a vida connosco e com uma trouxa de roupa velha. Tinha aqui dois ou três grandes amigos com quem mantive ligação, mas os primeiros anos foram difíceis. Voltar a estudar português com alguns défices, não tinha história, o ensino da matemática era diferente… Obrigaram-me a fazer tudo de novo, tive de voltar ao 7.º ano”. Resultado? “Andei desanimado, não queria estudar, sempre um insucesso”. Ainda chegou a trabalhar com o pai, mas as Obras Públicas não o convenceram. “Odiava aquilo, sempre tive a certeza de que não era o que queria seguir. Não fazia a mínima ideia do que queria ser, gostava do campo, ainda tive uma pequenina empresa agrícola com umas vacas leiteiras, mas o meu pai não alimentava esse sonho”, revela. A religião sempre foi fulcral na sua vida e, a aproximar-se da idade adulta, decide entrar para o Seminário. “Sempre fui muito beato”, diz, atribuindo os créditos à avó materna que o “obrigava a rezar o terço”.“Todos os dias, às 18h00, o terço era obrigatório. Ouvíamos primeiro a radionovela ‘Maria e Simplesmente Maria’ e logo a seguir dava o terço. Ouvia aquilo, mas não era obrigado, eu gostava de estar ao lado da minha avó”. Seguindo o que sentiu que foi um “chamamento para servir Deus”, rumou ao Seminário onde ficou durante mais de um ano até que… as circunstâncias se intrometeram no caminho.“Não sei se fui eu que desisti ou se me fizeram desistir. No ano em que fui fazer o Postulantado em Lisboa, no seminário dos Passionistas em Linda-a-Velha, seguíamos todos para Espanha para fazer Noviciado. Quando me disseram que eu não ia, fiquei revoltado porque não vi porque é que era diferente dos meus colegas. Disseram-me que tinha de voltar para a Vila da Feira para o seminário, e eu decidi que não vinha, fiquei em Lisboa”. A sua fé, garante, é inabalável, mas não está isenta de dúvida.“Questionava muito, questionava tudo”, diz, até as regras e práticas da instituição, o que, obviamente, não caía bem entre os seus superiores. Hoje, Jorge ainda se questiona, sobre se tomou a direcção certa naquela encruzilhada. Tudo poderia ter sido completamente diferente. Neste percurso, os pais e a avó foram uma grande influência, mas também o seu tioBispo, D. Florentino de Andrade e Silva, que tanto admira.“É um exemplo de pessoa, de

NO SEmiNÁRiO

JORgE dE ANdRAdE E pAulO FONSECA NA NOVA ZElâNdiA fé, de homem. A presença do meu tio numa fase jovem, entre os 18 e os 23 anos, marcou muito a minha parte espiritual e a minha preocupação com os outros”. Jorge lembra, com afecto, as tardes passadas em Santo Tirso. “Apanhava a camioneta às 6h00 para chegar às 11h30 a Santo Tirso a tempo de rezar o Angelus. Almoçávamos, eu passava a tarde com ele e depois regressava. Essas tardes ensinaram-me o percurso do meu tio, a história dele, a história da igreja em Portugal, devo-lhe muito”. Uma conversa com Jorge de Andrade sobre religião é, na verdade, uma aula de História, dado o conhecimento e entusiasmo que sobressaem das suas explicações. “As bases da minha pessoa são: Deus, Ser Humano e Família. Não me estava a ver fora de uma instituição que marcou tanto a minha vida e continua a marcar”. Ainda no seminário, conheceu um Professor que lhe deu um novo rumo.“Eu era apaixonado por História e ou seguia História ou Filosofia, e esse Professor, que dava essas disciplinas, fez-me apaixonar por Filosofia,

e então segui esse curso na Universidade Católica de Lisboa”. O que o apelou? “Mais uma vez, perceber o Homem, o que somos, porque chegámos aqui e onde queremos ir. A Filosofia não nos dá as respostas, mas abre-nos o espírito para as respostas e foi isso que me cativou”.Também esta escolha, no entanto, acabaria por ficar pelo caminho. “Não acabei, fiquei com o 3.º ano incompleto, porque a vida obriga-nos a tomar decisões, não podemos viver toda a vida à custa do papá e da mamã. Eu tinha 20 e poucos anos, era um rapaz cheio de caprichos e tinha de ganhar para o meu sustento. Gostava muito de viajar, queria conhecer mundo, e na necessidade de vir representar o meu pai a Santa Maria da Feira, porque ele tinha voltado para Angola, decidi, com o meu sócio e companheiro de vida, abrir uma empresa na área do Turismo”.

Viagens personalizadas a ‘furar’ o mercado Assim, em 1995, nasce a Quadrante – Operador Turístico, fruto de uma paixão imensa


www.correiodafeira.pt

16.ABR.2018

17

CONHECER

TuRquia

ausTRália

a ExpERiêNCia COmO TOuR lEadER de dois jovens pelas viagens. “Tive sempre aquela ideia de que era uma agência de viagens que iríamos abrir, e convenci o Paulo, que estava a acabar o doutoramento em Farmácia, mas não queria exercer naquela área”. Sem qualquer formação em Turismo, levaram com muitas caras desconfiadas. “Perguntavam-nos ‘vocês vêm de onde: Abreu, Top Atlântico?’ Não vínhamos de qualquer empresa, éramos apenas pessoas que tinham a prática de viajar, viajávamos muito e desde a nossa primeira viagem tínhamos encontrado um défice no mercado português, de pessoas com conhecimento e sensibilidade para organizar viagens personalizadas, e foi assim que surgiu o Operador”, explica. Inicialmente com baterias apontadas para a aventura – “umas levadas na Madeira, uns mergulhos com tubarões no Dubai” – foram as próprias agências de viagens que os acabariam por encaminhar para o nicho de mercado em que se especializaram. “Ninguém quis saber de nós para ‘aventura.’ Os agentes que nos contactavam sabiam que

tínhamos visitado aqueles destinos, mas em regime de luxo e começaram a explorar esse nosso conhecimento”. Surge assim no mercado português uma oferta até então inexistente.“Começámos a pôr no mercado um produto completamente diferente. Havia as viagens organizadas e nós oferecíamos aos clientes a possibilidade de organizarem a sua viagem. Idealize e nós construímos”, era a ideia subjacente. Mas não foi sucesso à partida. “Pensávamos que, como era algo que não existia, no dia seguinte toda a gente ia aderir às nossas viagens. Mentira! Ninguém quis as nossas viagens, tinham medo, ninguém nos conhecia, ‘estes tipos nem do Turismo são…’ Não correu nada bem no início”. Foi preciso ganhar a confiança das pessoas, vender o que os outros vendiam – Palma de Maiorca, Tenerife, Gran-Canaria – e depois mostrar-lhes o tal “produto diferente”. “Foi assim que começámos a entrar no mercado. A parceria com ‘A Volta ao Mundo’ [revista especializada] também nos deu bastante nome e uma confiança junto dos agentes

de viagens muito importante”. Jorge lembra uma das maiores peripécias do arranque da empresa. “Uma vez fizemos um ‘charter’ de passagem de ano e tivemos de andar a oferecer os lugares a amigos, fomos todos passar o fim de ano a Palma de Maiorca de graça, foi um flop total. Havia tantos charters, tanta oferta, o nosso era só mais um. 200 e tal lugares, deu um rombo na empresa… Quase nos fechou, mas nós demos a volta”, diz, satisfeito. Agora, é só enumerar os triunfos. “Orgulhamo-nos de termos sido nós a lançar as Maldivas em Portugal, ninguém sabia onde eram as Maldivas, confundiam com as Malvinas; o Dubai, ninguém trabalhava com o Dubai, fomos nós que lançámos o Dubai no mercado português. A Costa Rica, para onde hoje qualquer pessoa, em sua casa, na Internet planeia uma viagem, fomos o primeiro operador a trabalhar com a Costa Rica.Tantos destinos, tantas companhias aéreas…”, afirma, falando da Emirates Airlines que, na altura, “nem entrava em Portugal”. “Andámos dois anos a negociar com a TAP para fazer um acordo de ligação”. Tudo isso não foram riscos? “Não, foi uma certeza de que o futuro passava por ali, por aqueles países emergentes do Médio Oriente, países onde se via o desenvolvimento, a riqueza, que estavam a apostar muito na sua abertura ao mundo. Era um risco muito calculado. Tínhamos a certeza de que ia ser um sucesso e foi. O Dubai, as Maldivas, eram a nossa Palma de Maiorca”, declara, jubilante. E se tivesse de escolher uma viagem? “Viagens não consigo escolher, são todas fabulosas, sempre que saio de casa, saio com um sorriso”. Especialmente, se for em direcção à Índia. “Sou apaixonado pela Índia. Já perdi a conta às vezes que lá fui”. Na Índia, fascina-o sobretudo a cultura. “Quem for daqui com mentalidade ocidental, só vê pobreza; mas quem for de espírito aberto, vê uma civilização com mais de dois mil anos. Aí está a base da Índia. Aquilo é um mundo completamente à parte, uma civilização única, a forma como encaram a vida e a morte é tão interessante. Estou sempre a dizer aos meus sobrinhos que quero que depositem as minhas cinzas no [rio] Ganges”, diz, rindo e olhando o fotógrafo, o sobrinho Pedro Almeida, e o riso contagia a sala. A nível profissional, confessa Jorge, o que mais o fez crescer foi a experiência como guia turístico. “Estar à frente de uma empresa foi tornar um sonho realidade, mas o que me mais fez crescer, como ser humano, foi viver 15 dias com 30/50/90 pessoas. Era muito novo e liderava grupos de pessoas mais velhas do que eu e que tinham um conhecimento do mundo maior do que o meu. Aprendi tanto com eles, devo-lhes tanto…”, afirma. Perceber pelo olhar que a pessoa não se está a sentir bem, que aquele lugar não combina com ela, pôr a necessidade do cliente à frente do desejo de visitar um local, foram tudo lições ganhas. “No fim de cada viagem, saía com cada lição de vida… Essa foi a parte mais bonita”.

O Correio da Feira e a sua ‘aprendizagem’

Em 2011, com a Quadrante já consolidada, Jorge decide arriscar num novo projecto. “Achei necessário encontrar outra empresa que me fizesse crescer de uma forma diferente da Quadrante e há muito tempo tinha o Dr. Paulo Araújo a dizer-me ‘talvez tenha aqui um projecto novo que é ideal para ti’. O tempo foi passando até que o Sr. Alcides Branco, o antigo proprietário do Correio da Feira, se decidiu a vender o jornal e entrou em contacto comigo. Eu alinhei no desafio com uma condição: o Orlando [Macedo] tinha de estar ao meu lado”. E assim se iniciou uma nova era de Correio da Feira.

Mas o caminho foi atribulado. “O desafio do Correio da Feira foi violento, porque comprámo-lo em plena crise internacional e numa crise que a área da comunicação social ainda vive. Não é um projecto fácil, mas é um projecto que apaixona”, garante. Nos primeiros tempos, diz, apenas administrava a empresa e deixava para Orlando Macedo, actual director do CF, a responsabilidade dos conteúdos editoriais. Mas quando este saiu, por motivos pessoais, Jorge “apanhou o Correio da Feira completamente a zero”. “Não percebia nada, fiz uma aprendizagem de dia-a-dia, fui aprendendo com as pessoas que lá estavam, a Sandra Moreno, o Rui Santos, o Albino Santos, e a caminhada fez-se”. Alguns anos volvidos e tantos mares turbulentos, voltava a comprar o Correio da Feira? “Sim. Prefiro que o Correio da Feira esteja nas minhas mãos do que nas mãos de um partido. O CF é um jornal isento, está ao serviço dos feirenses, não está ao serviço de uma Autarquia ou de um partido político, não está ao serviço de ninguém politicamente. É um jornal aberto a todos os partidos e a todos os sectores da sociedade feirense. No risco de se perder o Correio da Feira para um partido político ou ficar para uma pessoa de fora da Feira, prefiro que o Correio da Feira esteja na propriedade de quem o detém”. E a responsabilidade de gerir um jornal com 121 anos? “É uma responsabilidade por aquilo que o CF representa na história regional e nacional e até na imprensa, mas o mais importante não são os 120 anos passados, o mais importante é o futuro dos jornais”. E sobre futuro há tanto a dizer… “O que me preocupa é aquilo que estamos a fazer hoje e aquilo que os feirenses querem do jornal, porque continuo sem saber, não consigo apalpar o pulso aos feirenses”, diz, atirando: “Querem um jornal mas não querem tomar a sua quota-parte na responsabilidade para uma imprensa isenta, livre”. Enquanto Jorge de Andrade existir, o jornal continuará “feirense e aberto a todos os que saibam respeitar o verdadeiro espírito democrático”.“Se um dia não puder suportar mais a despesa que o CF traz, haverá a necessidade de se procurar na sociedade feirense alguém que queira dar continuidade ao título; senão, temos de aceitar que as coisas nascem, vivem e morrem e o CF pode estar destinado a isso”. Mas salienta:“Há que ter consciência de que se o Correio da Feira morrer, morre porque os feirenses assim o querem, e não porque determinada administração decidiu fechar o CF”.

Nada mais do que o futuro

E o que ainda falta na vida de Jorge de Andrade? “Falta-me viver os dias que Deus me reservou, espero, com dignidade e saúde. De resto, falta-me a garantia de que você e os seus colegas têm futuro no Correio da Feira. Os colaboradores da Quadrante, se o pretenderem, têm futuro, a Quadrante garante o seu próprio futuro, basta eles saberem acompanhar as alterações dos tempos. Mas falta-me assegurar, com alguma tranquilidade, o futuro dos colaboradores do Correio da Feira”, refere. Dias passados com a cabeça no escritório, e nos colegas de trabalho, ou reservados para o núcleo familiar, onde se incluem a mãe e os cinco cães, sempre à volta do dono no espaço de todos os refúgios: o jardim. “A minha preocupação é o meu núcleo familiar e os meus colegas, porque eles são parte da minha família e estão a contar comigo, sempre a perguntar-me qual o novo projecto, qual o novo destino. Agora eu já digo ‘vocês têm de pensar, eu já estou a ficar velho’”, diz, terminando a entrevista com uma chávena de chá e uma homenagem à terra, na forma de doces de Coimbra.


18

16.ABR.2018

www.correiodafeira.pt

ECONOMIA

EMíDIO SOUSA DENUNCIA “PERSEGUIçãO FISCAL” àS EMPRESAS DA FEIRA

Marcelo Brito* marcelo.brito@correiodafeira.pt

ESPARGO A aposta da Autarquia em revitalizar o Europarque mantém-se e aquele que outrora foi adjetivado de ‘Elefante Branco’ acolheu um dos congressos mais importantes do tecido empresarial português. Promovido pela Confederação Empresarial de Portugal (CIP) sob o tema ‘O Valor das Empresas’, juntou os mais diversos empresários e agentes da Indústria nacional, assim como altas figuras da política portuguesa como o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, o ministro-adjunto Pedro Siza Vieira e o líder do PSD, Rui Rio. A primeira intervenção ficou a cargo do presidente da Câmara Municipal da Feira, Emídio Sousa, que considerou o tema em debate como “relevante, abrangente e transversal” e fez uma contextualização do tecido empresarial do Município. “Santa Maria da Feira tem cerca de 15 mil empresas e mais de 3 mil são industriais e tem uma fortíssima matriz industrial; 50% da população trabalha na indústria, 1% na agricultura e 49% nos serviços. Somos líderes mundiais na transformação da cortiça, o segundo maior exportador de calçado de qualidade, o maior produtor de embalagens de cartão e um dos maiores do setor da metalomecânica com quase 200 empresas em atividade”. O edil feirense considerou que o Município contribui “de forma decisiva para a imagem de excelência dos produtos fabricados” no país, sobretudo “na cortiça e no calçado. Temos um volume de importações de cerca de 500 milhões de euros e exportamos mais de 1,4 mil milhões por ano”, disse, reafirmando, perante congressistas e empresários, que a Feira caminha “a passos largos para o pleno emprego. A nossa ambição é desenvolver uma política de atração de investidores baseada na procura de mãode-obra qualificada porque entendemos que não podemos continuar a ser um país competitivo à força de mão-de-obra bara-

O Europarque recebeu o Congresso ‘O Valor das Empresas’ da Confederação Empresarial de Portugal (CIP) que contou com a presença do Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa. O chefe autárquico feirense, Emídio Sousa, aproveitou para denunciar, apelando à urgente intervenção do governante máximo português, a “inadmissível e incompreensível perseguição fiscal” da Autoridade Tributária de Aveiro às empresas do Concelho e de Aveiro. ta. Apostamos fortemente na educação e formação ao longo da vida, preparando, juntamente com o Ministério da Educação e o Instituto de Emprego, respostas às necessidades de mão-de-obra qualificada que as empresas pedem”.

Emídio Sousa denuncia perseguição da ATA

O chefe autárquico feirense aproveitou a presença do Presidente da República para denunciar, pedindo a sua urgente intervenção, uma “inadmissível e incompreensível perseguição fiscal por parte da Autoridade Tributária de Aveiro” às empresas concelhias e aveirenses. “Constatei que algumas empresas estão a mudar a sede fiscal para Lisboa e outros territórios nacionais, apesar de manterem as unidades de produção e toda a atividade mais relevante em Santa Maria da Feira. Procurei saber as razões. As Finanças de Aveiro perseguem a indústria. Há ameaças de multas de milhões de euros. Algumas empresas entraram em insolvência por este motivo. Acarretamos com o custo infra-estrutural e o desgaste de recursos que a produção obriga, mas os impostos vão para outros lados. É inadmissível. A continuar assim, a curto prazo e a título de exemplo, o município de Lisboa vai ser o maior transformador de rolhas de cortiças sem ter qualquer fábrica”, apontou.

“A imaginação para a tributação permanece viva, fértil e voraz”

Seguidamente, o presidente da CIP, António Saraiva, alertou para o facto da “sociedade ignorar o papel fundamental das empresas”, o que pode “hipotecar as possibilidades de desenvolvimento e crescimento. A verdade é que a recuperação deve-se às empresas. Se a taxa de desemprego está abaixo dos 8%, é porque as empresas geraram mais emprego. As privadas são responsáveis por

dois terços do emprego total e empregam mais de 80% dos trabalhadores por conta de outrem. Em 2017, 97% do aumento líquido do emprego por conta de outrem foi gerado nas empresas. As empresas criaram novos postos de trabalho para mais 169 mil trabalhadores”. Segundo António Saraiva, “mais de dois terços do investimento em Portugal é realizado pelas empresas. O défice historicamente baixo atingido em 2017 ficou a dever-se, em grande parte, à aceleração económica registada no último ano e ao aumento do emprego. Ambos são mérito dos empresários”, disse, não esquecendo as tributações impostas pela administração central. “A imaginação do Governo para criar novas formas de tributação permanece viva, fértil e voraz. Estamos no limiar de uma guerra comercial com consequências imprevisíveis, que não deixará de afetar a nossa economia. Não se dissiparam, ainda, as incertezas inerentes ao Brexit, que põem em causa o relacionamento económico com o Reino Unido”, avançou, garantindo, por fim, que “as empresas estarão à altura das responsabilidades, mas é preciso que o Governo faça a sua parte”.

“Tomei nota das suas preocupações”

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, regressou ao Europarque, local onde foi eleito, em 1996, presidente do Partido Social Democrata, garantindo a Emídio Sousa que tomou “notas das suas preocupações”, mas admitiu que “não são propriamente uma novidade. Todos temos presente os dois tópicos fundamentais. O primeiro é a complexidade das interpretações em matéria tributária e o segundo é a tendência decorrente dessa volatilidade interpretativa para uma concentração de recursos e uma ótica de uma centralidade e não de descentralização. De todo o modo, fiquei ciente daquilo que

o preocupa e que espero que deixe de preocupar-se no futuro”, disse. Relativamente ao futuro do tecido empresarial português, Marcelo Rebelo de Sousa apontou vários desejos – “distinção política, livre circulação económica e diálogo cultural e civilizacional – não deixando também de salientar algumas inquietações com direito a analogia. “Regresso à Guerra Fria com mais atores, mais fortes e sem os instrumentos discretos ou informais que permitiam atenuar os confrontos e impedir as escalas determinadas por erros de perceção recíproca. Desejamos uma Europa unida, poderosa, reformista, aberta ao mundo, mas tememos fragmentações, indecisões, egoísmo, bloqueamentos e clausuras perigosas. Desejamos um Portugal credível nas suas instituições, estável na política, na sociedade e na fiscalidade. É de interesse de todos que haja domínios de regime, suscitando convergências duradouras”, declarou. O chefe máximo português deixou ainda presente a vontade de ver o Orçamento de Estado para 2019 aprovado sem que tenha de intervir, à exceção da promulgação. “A crise política é indesejável e envolvendo o Orçamento de Estado é duplamente indesejável. Tinha já prevenido, há meses, que o OE 2019 iria ser ainda mais intenso. Porém, tenho a certeza de que todos os intervenientes estão conscientes de que não faz sentido que o processo prive Portugal de Orçamento aprovado a 1 de janeiro de 2019”. Marcelo Rebelo de Sousa realçou, ainda, “o óbvio”, isto é, “a normal conclusão da legislatura. Prefiro não ter de intervir na sequência da votação do Orçamento a não ser para promulgá-lo. Por outro lado, reformismo realista impõe-se, sabendo que a Democracia é pluralismo e liberdade, debate de ideias e posições”. *O autor escreve segundo o novo acordo ortográfico


www.correiodafeira.pt

16.ABR.2018

19

DESPORTO U. Lamas goleia S. João de Ver

Argoncilhe e U. Lamas B vencem dérbis

Juv. Fiães e Arrifanense na Final-Four da Taça

Feirense chega à vice-liderança

Joca apontou hat-trick na vitória dos lamacenses por 4-1. Lusitânia Lourosa cada vez mais perto do título.

O líder Argoncilhe e o U. Lamas B venceram, respetivamente, Lobão (4-1) e Nogueira da Regedoura (2-0).

Fianenses e arrifanenses o ultrapassaram Bairros e ADREP e garantiram presença na FinalFour da Taça Distrital.

Fogaceiros venceram o BeiraMar por 28-26 e ascenderam ao segundo lugar da tabela classificativa.

Campeonato Safina

II Distrital Futebol

Taça Distrital Futsal

Andebol

pág.22

Derrota frente a um adversário direto na luta pela manutenção

FEIRENSE PERDE NAS AVES E CAI PARA ÚLTIMO

pág. 23

pág. 25

CD Feirense

pág. 20

O Feirense perdeu no terreno do Desportivo das Aves por 1-0. Derrota frente a adversário direto na fuga à despromoção deixa fogaceiros com a ‘lanterna-vermelha’ da Liga NOS e em muito maus lençóis. Nélson Costa desporto@correiodafeira.pt

LIGA NOS O Desportivo das Aves recebeu e venceu o Feirense por 1-0 (mesmo resultado da primeira volta), em jogo referente à 30.ª jornada da Liga NOS, e deixou os fogaceiros, pela primeira vez esta época, no último lugar, a quatro pontos dos lugares de permanência. Mama Baldé, aos sete minutos, num lance apenas validado pelo vídeo-árbitro, marcou o único golo da partida. Numa partida que poderá ser decisiva nas contas finais do campeonato (no que 30.ª Jornada

1

diz respeito à despromoção), entre duas equipas em que apenas a vitória interessava, os avenses entraram praticamente a ganhar, com um golo de Mama Baldé, assistido por Vítor Gomes, após jogada de insistência e alguma apatia defensiva do Feirense. O golo foi inicialmente anulado, mas depois validado pelo vídeo-árbitro (7’). A resposta do Feirense surgiu aos 17 minutos numa jogada individual de Edson Farias, cujo remate foi desviado pela cabeça de Carlos Ponck. No minuto seguinte,

é Caio Secco que evita o 2-0, com uma defesa para canto, a remate de Rodrigo Soares (livre lateral). Aos 24 minutos, João Silva falha (escandalosamente) a melhor oportunidade de golo da turma de Nuno Manta, após assistência da esquerda de Luís Machado. Ainda na primeira parte, Caio Secco evitou o bis de Mama Baldé, num pontapé de bicicleta (31’). Na segunda parte, o Feirense entrou determinado a dar a volta ao encontro e, aos 51 minutos, de livre direto, Tiago Silva esteve

Árbitro: Carlos Xistra (AF Castelo Branco)

21 Nélson Lenho 19

46 83 Adriano Facchini

Fernando Tissone

26

Carlos Ponck

16

12

28

Nildo Petrolina

Edson Farias

Jean Sony

30

14 ABR - 16h15

8 Tiago Silva

Braga

Jorge Fellipe 15

Estádio do CD Aves

7

19

Alexandre Guedes

João Silva

32 5

50

Caio Secco

0

13 Luís Rocha

Rafael Crivellaro

Vítor Gomes

22

Flávio Ramos

Babanco

muito perto do empate. Pouco depois, novamente Mama Baldé (‘endiabrado’), lançado em velocidade pela direita, cruza, mas Alexandre Guedes não chega (64’). Com o aproximar do final da partida, Nuno Manta arriscou tudo, mexeu no desenho tático, mas a equipa falhou sempre no momento da definição e pertenceu ao Desportivo da Aves a melhor ocasião dos minutos finais, com Edson Farias a cortar para canto o remate do recém-entrado Hamdou (89’).

2

50

7

3

Rodrigo Soares

Mama Baldé

Luís Machado

Alex Kakuba

Treinadores José Mota

Nuno Manta Santos

Substituições

Braga (Luis Fariña, 55’), Mama Baldé (Amilton, 68’), Nildo petrolina (Hamdou Elhouni, 77’) Cartão amarelo a Rodrigo Soares (14’), Alexandre Guedes (32’), Braga (47’)

Jean Sony (Hugo Seco, 65’), Luís Rocha (Tasos Karamanos, 80’), Alex Kakuba (Briseño, 89’)

Disciplina

Cartão amarelo a Tiago Silva (65’), Luís Rocha (74’)

Golos

LIGA NOS

1. 2. 3. 4. 5. 6. 7. 8. 9. 10. 11. 12. 13. 14. 15. 16. 17. 18.

Resultados - 30.ª Jornada Paços de Ferreira 1 5 Sp. Braga Portimonense 0 1 Estoril Praia 0 CD Feirense CD Aves 1 Boavista FC 3 3 GD Chaves V. Guimarães 1 1 V. Setúbal Marítimo 1 1 Moreirense FC Benfica 0 1 F. C. Porto Os Belenenses 3 4 Sporting Rio Ave FC 16-abr CD Tondela Classificação P J V E D GM - GS F. C. Porto 76 30 24 4 2 73 - 16 Benfica 74 30 23 5 2 75 - 18 Sporting 71 30 22 5 3 59 - 21 Sp. Braga 68 30 22 2 6 70 - 27 Marítimo 44 30 12 8 10 33 - 41 Rio Ave FC 43 29 13 4 12 35 - 38 Boavista FC 38 30 11 5 14 32 - 42 GD Chaves 38 30 10 8 12 37 - 49 V. Guimarães 37 30 11 4 15 39 - 52 Portimonense 35 30 9 8 13 45 - 52 Os Belenenses 33 30 8 9 13 29 - 41 CD Tondela 31 29 8 7 14 33 - 42 V. Setúbal 29 30 6 11 13 36 - 53 Moreirense FC 29 30 7 8 15 27 - 44 CD Aves 28 30 7 7 16 30 - 45 Paços Ferreira 28 30 7 7 16 31 - 54 Estoril Praia 26 30 7 5 18 26 - 57 CD Feirense 24 30 7 3 20 27 - 45 Próxima Jornada - 20 a 23 de Abril Sp. Braga - Marítimo - 20/04 Paços de Ferreira - Os Belenenses - 21/04 CD Feirense - V. Guimarães - 21/04, 18h15 Estoril Praia - Benfica - 21/04 CD Tondela - CD Aves GD Chaves - Portimonense Moreirense FC - Rio Ave FC Sporting - Boavista FC F. C. Porto - V. Setúbal - 23/04

Mama Baldé (7’)

ESTATÍSTICAS

José Mota “As finais não se jogam, ganhamse. Não fizemos um jogo tecnicamente brilhante, sentimos ansiedade, não tivemos muita bola, mas já noutras fases fizemos tudo e não conseguimos pontos. O pragmatismo tem de existir nestes jogos e nestas situações. O adversário não teve grandes situações para chegar ao empate.”

Nuno Manta Santos

Posse de bola

41 %

59 % Remates

7

4 Remates à baliza

1

2 Cantos

6

5 Faltas cometidas

18

21

“A equipa que errasse menos, iria sair premiada. Nós tivemos um erro na fase inicial do jogo, custou-nos um golo. O estado de espírito não é o melhor. Assim muito friamente, são quatro jogos, se nos queremos manter na I Liga, temos de ganhar três jogos e esperar que algum dos adversários cometa algum deslize.”

MOMENTO DO JOGO

7’

Num jogo entre aflitos, marcar primeiro costuma ser fator decisivo. Assim foi na Vila das Aves. Mama Baldé, assistido por Vítor Gomes, marcou e o VAR confirmou a legalidade do golo.


20

16.ABR.2018

www.correiodafeira.pt

FUTEBOL

Lusitânia Lourosa cada vez mais próxima do título

U. LAMAS X S. JOÃO DE VER

HAT-TRICK DE JOCA NA GOLEADA IMPOSTA PELO U. LAMAS AO S. JOÃO DE VER No dérbi concelhio, o U. Lamas recebeu e goleou o S. João de Ver (4-1). Joca apontou três golos. O Lusitânia Lourosa aproveitou para aumentar a vantagem na liderança, ao golear o Paivense (1-6). CAMPEONATO SAFINA Numa jornada 27 marcada pelo dérbi concelhio entre U. Lamas e S. João de Ver, que terminou com uma goelada dos lamacenses sobre os vice-líderes (4-1), o Lourosa deu mais um importante passo rumo ao título (agora, parece apenas uma mera formalidade). Os lourosenses golearam, em Castelo de Paiva, o Paivense (1-6) e aproveitaram a derrota do S.João deVer para dilatarem a vantagem no topo da tabela classificativa, tendo agora mais 12 pontos conquistados

JOCA C.

F. F F

U. L.

U. Lamas

4

Paivense

1

Fiães

1

Canedo

2

S. João de Ver

1

Lus. Lourosa

6

Bustelo

0

Alvarenga

1

Estádio Comendador Henrique Amorim

CAMPEONATO SAFINA

1. 2. 3. 4. 5. 6. 7. 8. 9. 10. 11. 12. 13. 14. 15. 16. 17. 18.

Resultados - 27.ª Jornada Canedo FC 2 1 GDSC Alvarenga AA Avanca 2 2 FC Pampilhosa SC Esmoriz 1 0 CD Estarreja União de Lamas 4 1 São João de Ver SC Paivense 1 6 Lusitânia Lourosa JD Carregosense 1 0 SC Beira Mar Fiães SC 1 0 SC Bustelo SC Alba 3 0 AC Famalicão AD Ovarense 1 0 SC Vista Alegre Classificação P J V E D GM - GS Lusit. Lourosa 65 27 20 5 2 59 - 19 União de Lamas 56 27 16 8 3 46 - 18 São João de Ver 56 27 17 5 5 53 - 26 SC Beira Mar 50 26 16 2 8 48 - 30 SC Bustelo 46 27 13 7 7 34 - 27 Fiães SC 41 27 11 8 8 31 - 32 SC Esmoriz 39 26 11 6 9 30 - 27 AA Avanca 38 27 9 11 7 29 - 25 CD Estarreja 37 27 9 10 8 32 - 29 FC Pampilhosa 36 27 9 9 9 31 - 30 SC Alba 36 27 9 9 9 32 - 31 SC Vista Alegre 34 27 8 10 9 36 - 34 GDSC Alvarenga 33 27 9 6 12 27 - 35 SC Paivense 25 26 5 10 11 19 - 35 Carregosense 19 27 4 7 16 25 - 43 AD Ovarense 19 27 5 4 18 24 - 45 Canedo FC 17 27 4 5 18 18 - 47 AC Famalicão 14 26 4 2 20 23 - 64 Próxima Jornada - 22 de Abril GDSC Alvarenga - SC Vista Alegre FC Pampilhosa - Canedo FC CD Estarreja - AA Avanca São João de Ver - SC Esmoriz Lusitânia de Lourosa - União de Lamas SC Beira Mar - SC Paivense SC Bustelo - JD Carregosense AC Famalicão - Fiães SC Alba - AD Ovarense

Nélson Costa nelson.costa@correiodafeira.pt

que a equipa de Ricardo Maia e 15 sobre o duo que fecha o pódio, Beira-Mar e U. Lamas (com sete jornadas por disputar). O Fiães regressou aos triunfos no campeonato ao vencer, em casa,o Bustelo (1-0),aproximando-se do seu adversário na luta pelo quinto lugar. Na fuga à despromoção, destaque para a vitória caseira do Canedo sobre o Alvarenga (2-1).Apesar do triunfo,a turma de Vasco Coelho mantém-se abaixo da linha de água.

Árbitro: José Laranjeira U. Lamas: Nélson Silva; Sanguedo, Joel, João Marques, Vítor Hugo, Óscar Beirão, Luís (Fábio Raúl, 57’), Carlos Manuel (Tintim, 78’), Flecha (Pinheiro, 71’), Manú, Joca Treinador: Tonel S. João de Ver: Nuno; Rúben Gomes, Marco Ribeiro, Rui Silva, Renato Maia, Gouveia, Martini (Magolo, 35’), Yorn, Vítor Neto (Bino, 81’), Machadinho (Manuel Pinto, 60’), Zé António Treinador: Ricardo Maia Disciplina: Cartão amarelo a Vítor Hugo (34’), Flecha (45’), Joel (58’), Nélson Silva (60’), Óscar Beirão (63’), Fábio Raúl (75’), Zé António (85’), Magolo (89’). Cartão vermelho direto a Marco Ribeiro (45’) Golos: Joca (8’; 27’; 90’, g.p.), Flecha (66’), Renato Maia (68’)

Vitória justa, mas por números exagerados. O U. Lamas teve uma tarde muito inspirada no capítulo da finalização, o S. J.Ver não merecia castigo tão pesado. Joca apontou hat-trick, o primeiro num remate à entrada da área (8’),o segundo após cruzamento atrasado de Carlos Manuel (27’), e o terceiro de penálti, a castigar falta de Magolo sobre Tintim (90’). Flecha também marcou para os lamacenses,num cruzamento/remate (66’).Pouco depois,Renato Maia,de cabeça, após canto, fez – na altura o 3-1 (68’).Nota ainda para duas bolas aos ferros, uma para cada lado (a do S. J.Ver daria o 3-2).

Estádio Municipal da Boavista Árbitro: João Pinho Paivense: Rui Rodrigues; Maicon, Vasco, Cândido, Duarte, Chico (Marcelo, 53’), Daniel (Sandro Gonçalves, 53’), Joãozinho (Miguel Soares, 64’), Hugo Soares, Rafael Saraiva, Ginho Treinador: António Correia Lus. Lourosa: Marco Sá; Rena (Steven Rodrigues, 64’), António Alves, Ricardo Correia, Ivo Oliveira, Franck Dipita (Edu Silva, int.), Edu Marques, Rui Lopes, Koneh, Pedro Silva, Leo (Mário, 71’) Treinador: Luís Miguel Martins Disciplina: Cartão amarelo a Joãozinho, Hugo Soares; Franck Dipita, Leo, Rena Golos: António Alves (28’), Koneh (29’; 50’), Leo (32’), Rui Lopes (62’), Ginho (69’, g.p.), Mário (87’)

Goleada do Lourosa em Castelo de Paiva. Cedo os lusitanistas obrigaram a equipa da casa a recuar e, em apenas quatro minutos da 1.ª parte, resolveu a partida. António Alves, á segunda, após livre de Rui Lopes, inaugurou o marcador (28’), no minuto seguinte, Koneh fez o segundo, e Leo, aos 32’, fez o 3-0. No início da 2.ª parte, Koneh bisou, assistido por Edu Silva (50’). Rui Lopes, a passe de Edu Marques, fez o 5-0 (62’). O tento de honra do Paivense foi apontado por Ginho, de penálti (69’). Mário, com um grande remate de ângulo apertado, fechou a contagem (87’).

Estádio do Bolhão

Campo das Valadas

Árbitro: Renato Oliveira

Árbitro: Ilídio Matos

Fiães: Janita Valente (Tiago Castro, int.); Seminha, Edu, Carlos André, Fabiano, Bruno Tiago, Xavi, Hugo Silva, Viditos, Manú (Luccas Marques, 65’), Inverno (Nélson Diogo, 80’) Treinador: Carlos Santos

Canedo: Rui Gonçalves; Dani (Xavi, 66’), Paulo Ferraz, Neves, Vitinha (Apolo, 74’), Dioguinho, Nuno Fruta, Gil (Fabry, 55’), Badolas, Jorginho, Paulinho Treinador: Vasco Coelho

Bustelo: Marcelo; Pedrinho, Luís Martins (Napoleão, 65’), Catarino, Nuno Martins, Tiago Resende, Luís Vaz, Charneca (Rui Fernandes, 85’), Luís Rebelo, Marmelo (Ricardo Tavares, 65’), Sousa Treinador: Miguel Oliveira Disciplina: Cartão amarelo a Viditos, Xavi (74’), Edu (90+4’); Ricardo Tavares. Cartão vermelho direto a Inverno (90+5’, no banco) Golo: Edu (90+3’)

Entrou melhor na partida o Fiães, que dominou grande parte do primeiro período de jogo, ainda que sem golos. Destaque para a lesão de Janita Valente, nos minutos finais do primeiro tempo, que teve de ser substituído ao intervalo. Na segunda parte, foi o Bustelo a estar maioritariamente por cima na partida, ainda que com momentos de equilíbrio. Já no período de compensação, num livre lançado para a área por Viditos, Marcelo sai em falso e a bola sobra para Edu, que encosta para o único golo da partida (90+3’).

Alvarenga: Renan; Zá Manel, Lucas Passarin, Caio (João Duarte, 75’), Ramon, Ruan (Wallace, 85’), Salinas (Gabriel, 35’), Mateus, Yago, Pablo, Bruno Lopes Treinador: Pedro Costa Treinador: Rui Valente Disciplina: Cartão amarelo a Pablo (62’), Fabry (90+2’), Apolo (90+4’). Cartão vermelho direto Gabriel (55’), Jorginho (55’) Golos: Jorginho (9’), Pablo (62’), Badolas (80’)

Primeira parte em que o Canedo foi sempre superior.O Alvarenga apostava num bloco médio/baixo e em rápidas transições.Numa jogada de contra-ataque,Jorginho inaugurou o marcador para os canedenses (9’), que ainda dispuseram de mais duas boas oportunidades no 1.º tempo. Na 2.ª parte, a toada do encontro manteve-se, mas, num lance infeliz de Rui Gonçalves, o Alvarenga empatou (62’). Após vários lances de perigo (e bolas aos ferros), Badolas, num livre lateral que acabou por entrar direto, fez o 2-1 (80’). Até ao final, o Canedo controlou a reação dos forasteiros.


www.correiodafeira.pt

16.ABR.2018

21

FUTEBOL

António Graça

SP. ESPINHO IMPÕE PRIMEIRA DERROTA AO FEIRENSE Os Tigres da Costa Verde vingaram-se da goleada da primeira volta ao vencerem, pela margem mínima, o líder com a subida já consumada Feirense. Marcelo Brito marcelo.brito@correiodafeira.pt

II JUNIORES O Feirense, com a subida à Primeira Divisão já consumada, mas ainda com o primeiro lugar por garantir – que permite disputar o título de campeão nacional da Segunda Divisão – perdeu com o Sp. Espinho, por 1-0. Os espinhenses vingaram-se da pesada derrota sofrida na primeira volta, 6-0, e mantêm-se na luta acesa pela subida de divisão. O único tento da partida foi marcado por André Pinhal, aos 10’. Os fogaceiros não conseguiram sair da desvantagem e acabaram por consentir o desaire.

Sp. Espinho

1

Feirense

0

Parque Desportivo do Sp. Espinho Árbitro: David Silva (AF Porto)

O Feirense, caso vença o São Roque, equipa dos Açores e último classificado, e caso Freamunde e Beira-Mar, primeiro e segundo da tabela, empatem na próxima jornada, garante o primeiro lugar. NACIONAL DE JUNIORES 2.ª Fase - Subida - Zona Norte

1. 2. 3. 4. 5. 6.

Resultados - 7.ª Jornada São Roque 3 9 SC Freamunde Sp. Espinho 1 0 CD Feirense Merelinense FC 3 0 SC Beira-Mar Classificação P J V E D GM CD Feirense 18 7 6 0 1 18 SC Freamunde 13 7 4 1 2 23 SC Beira-Mar 13 7 4 1 2 12 Merelinense FC 9 7 3 0 4 10 Sp. Espinho 9 7 3 0 4 6 São Roque 0 7 0 0 7 6 Próxim a Jornada - 21 de Abril Sp. Espinho - Merelinense FC CD Feirense - São Roque, 16h SC Freamunde - SC Beira-Mar

GS 3 10 10 13 18 21

Sp. Espinho: Rui; Figueiredo, André, Filipe, Graça (Magalhães, 79’), Paulo Cruz, André Pinhal (Carlos, 90’), Bernardo, Rui Neto (Bruno Costa, 90’), Lucas Lima, Chang Treinador: Paulo Marques Feirense: Pedro Simões; Semedo (Nuno Soares, 51’), João Gonçalves, Rosas (Akiode, 51’), Edu, Cavadas, Rúben Ramos, Tavares, Vieira (Barbosa, 76’), Azevedo, Rúben Fonseca Treinador: Tiago Conde Disciplina: Cartão amarelo a Akiode (64’), Tavares (80’), André Pinhal (82’), Barbosa (90’), Figueiredo (90’) Golo: André Pinhal (10’)

LEÕES DO MONTE X HIPPYES

Nadais garante lugar na final

Hippyes chega à liderança do Grupo B INATEL No jogo grande da jornada 21 da Liga de Futebol Inatel Aveiro, referente ao Grupo B, o Hippyes foi ao terreno do Leões do Monte (líder à entrada da jornada) vencer por 2-0, com um bis de Diogo, e alcançou a liderança do grupo, logo seguido do Reguenga Palhota, que também venceu (2-0 em casa do Carqueijo,com golos de Marco Gomes e Liedson) e ultrapassou o ex-líder na tabela classificativa. No Grupo A, o líder Nadais venceu, em casa, a ADRAV por 1-0 (marcou Katrina),e aproveitou a derrota do Pigeirense no terreno dos Arrifanenses (pelo mesmo resultado, com golo de Aguiar), para garantir de imediato a presença na final da prova.

1. 2. 3. 4. 5. 6. 7. 8. 9. 10. 11.

LIGA DE FUTEBOL INATEL - Grupo A

LIGA DE FUTEBOL INATEL - Grupo B

Resultados - 21.ª e Penúltim a Jornada CCD Nadais 1 0 ADRA Visconde FC Mozelos 3 0 CCD Paraíso FIDEC 1 1 ADRAC Rêgo Os Arrifanenses 1 0 CCD Pigeirense CCD Manhôce 0 0 AD Nariz Folga Real da Praça Classificação P J V E D GM - GS CCD Nadais 57 20 19 0 1 73 - 14 CCD Pigeirense 49 19 16 1 2 69 - 10 Os Arrifanenses 44 19 14 2 3 55 - 18 ADRA Visconde 36 19 12 0 7 42 - 19 ADRAC Rêgo 32 19 10 2 7 46 - 28 CCD Manhôce 20 19 6 2 11 17 - 41 Real da Praça 18 19 6 0 13 34 - 44 FIDEC 17 19 5 2 12 24 - 49 FC Mozelos 16 19 5 1 13 24 - 55 CCD Paraíso 10 19 3 1 15 12 - 58 AD Nariz 9 19 2 3 14 11 - 71 Últim a Jornada - 21 de Abril CCD Paraíso - Real da Praça ADRA Visconde - FIDEC CCD Pigeirense - FC Mozelos ADRAC Rêgo - CCD Manhôce AD Nariz - Os Arrifanenses Folga CCD Nadais

Resultados - 21.ª e Penúltim a Jornada Real AC 2 3 CCD Pessegueiro CCD Perrães 2 1 CD Salreu ADRC Carqueijo 0 2 Reguenga Palhota RC Travanca 1 0 CCD Lavandeira Leões do Monte 0 2 Hippyes FC Folga CRC Vale Classificação P J V E D GM - GS Hippyes FC 44 19 14 2 3 52 - 10 Reguenga Palhota 43 19 13 4 2 43 - 8 Leões do Monte 42 19 14 0 5 33 - 14 RC Travanca 36 19 11 3 5 49 - 25 CCD Lavandeira 33 19 9 6 4 43 - 25 7 5 7 23 - 23 CCD Pessegueiro 26 19 CCD Salreu 22 19 6 4 9 25 - 26 CRC Vale 21 19 6 3 10 22 - 52 ADRC Carqueijo 16 19 5 1 13 29 - 43 CCD Perrães 10 19 3 1 15 16 - 59 Real AC 5 20 0 5 15 19 - 69 Últim a Jornada - 21 de Abril CD Salreu - CRC Vale CCD Pessegueiro - ADRC Carqueijo CCD Lavandeira - CCD Perrães CCD Reguenga Palhota - Leões do Monte Hippyes FC - RC Travanca Folga Real AC

1. 2. 3. 4. 5. 6. 7. 8. 9. 10. 11.

Pub.


22

16.ABR.2018

www.correiodafeira.pt

FUTEBOL

Argoncilhe e Lamas B vencem dérbis a Lobão e Nogueira da Regedoura

MILHEIROENSE X GERAÇÃO RD

DÉRBI ENTRE MILHEIROENSE E GERAÇÃO RUI DOLORES TERMINA EMPATADO A turma de Rui Marques e a de Leonel Castro igualaram-se em Milheirós de Poiares. O Mosteirô também empatou, mas sem golos, com o Macieirense. O Paços de Brandão perdeu na Mourisca do Vouga. Marcelo Brito marcelo.brito@correiodafeira.pt

I DISTRITAL Dérbi de Santa Maria da Feira entre Milheiroense e Geração Rui Dolores com repartição de pontos. Igualdade, 1-1, entre a formação de Rui Marques e a de Leonel Castro. O Paços de Brandão perdeu na deslocação à Mourisca do Vouga, por 2-0, e o Mosteirô também foi derrotado, no Parque de Jogos de Santo André, por 0-1, com o Macieirense. Em Milheirós de Poiares, entrou a todo o gás a Geração Rui Dolores

ao colocar-se na frente por Yann. A reação dos visitados foi imediata e ainda na primeira metade, Joãozinho empatou. Na Mourisca do Vouga, triunfo dos locais frente aos à formação brandoense com os golos a surgirem apenas na segunda metade. Figo bisou. Em Mosteirô, a turma local, agora orientada por Hugo Resende, perdeu, já em tempo de compensação, com o Macieirense com um golo do ex-Romariz, Roma.

I DIVISÃO DISTRITAL

1. 2. 3. 4. 5. 6. 7. 8. 9. 10. 11. 12. 13. 14. 15. 16. 17. 18.

Resultados - 26.ª Jornada AD Valecambrense 2 2 S. Vicente Pereira SC Fermentelos 2 1 AC Cucujães UD Mourisquense 2 0 Paços de Brandão Mosteirô F. C. 0 1 FC Macieirense GD Calvão 1 0 ACRD Mosteirô Juveforce 2 1 ADCR Oiã SC Carqueijo 1 4 Oliveira do Bairro GD Milheiroense 1 1 Esc. Rui Dolores GD Mealhada 0 0 UD Mansores Classificação P J V E D GM - GS Oliveira do Bairro 66 26 20 6 0 71 - 23 UD Mourisquense 52 26 16 4 6 43 - 24 UD Mansores 49 26 14 7 5 64 - 31 S. Vicente Pereira 48 26 14 6 6 62 - 34 FC Macieirense 44 26 14 2 10 47 - 38 ACRD Mosteirô 39 25 11 6 8 50 - 31 GD Mealhada 39 26 11 6 9 35 - 34 Juveforce 38 26 10 8 8 45 - 43 SC Fermentelos 36 26 10 6 10 40 - 44 AD Valecambrense 35 26 9 8 9 38 - 44 Esc. Rui Dolores 33 26 9 6 11 32 - 41 ADCR Oiã 31 26 9 4 13 32 - 48 AC Cucujães 30 26 8 6 12 35 - 41 Paços de Brandão 29 26 8 5 13 27 - 35 GD Milheiroense 26 26 6 8 12 24 - 30 Mosteirô F. C. 24 25 6 6 13 32 - 49 GD Calvão 19 26 5 4 17 30 - 46 SC Carqueijo 10 26 2 4 20 24 - 95 Próxim a Jornada - 22 de Abril São Vicente Pereira - SC Fermentelos AC Cucujães - UD Mourisquense Paços de Brandão - Mosteirô F. C. FC Macieirense - GD Calvão ACRD Mosteirô - Juveforce ADCR Oiã - SC Carqueijo Oliveira do Bairro - GD Milheiroense Escolinha Rui Dolores - GD Mealhada UD Mansores - AD Valecambrense

Milheiroense

1

Mourisquense

2

Mosteirô

0

Geração RD

1

Paços Brandão

0

Macieirense

1

Complexo Desportivo Milheiroense

Estádio Manuel Castro Azevedo

Parque de Jogos de Santo André

Árbitro: António Gomes

Árbitro: Hélder Resende

Árbitro: Xavier Gomes

Milheiroense: Jacinto; Cerqueira (Khalifa, 85’), Mendes, Barbosa, Joãozinho, Joel Cardoso (Serginho, 75’), Toninho, Marcelo, Maia, Balona (Artur, 63’), Torres Treinador: Rui Marques

Mourisquense: Vasco Coelho; André Barros, Bruno Saraiva, Rui Mira, Paulo Monteiro, Ianique Cá (Casalinho, 55’), Ricardo Duarte, Figo (Fábio Diogo, 86’), João Pedro, Xano, Huguito (Brunito, 79’) Treinador: João Silva

Mosteirô: Carregosa; Talheiro, Serginho, Rui Nunes, Vasquinho, Zidane, Jorge Neves (João Marques, 65’), Zé Pedro (João Tavares, 74’), Ricardo Santos (Guima, 88’), Alex, Dbouk Treinador: Hugo Resende

Geração RD: Higuita; Cláudio, Pikas, Toninho, Bernardo, Víctor Rocha, Amorim (Abelha, 57’), Tiaguinho, Yann (André Oliveira, 79’), Gui, Diogo Torres Treinador: Leonel Castro

Paços Brandão: Pereira; Carvalho, Resende, FF, Rochinha, Candeias (Ruizinho, 79’), Mota, Elson (Hugo, 65’), Pedro Sá, Rúben (Justo, 59’), Paulo Sá Treinador: Kaká

Disciplina: Cartão amarelo a Joel Cardoso, Marcelo, Maia; Víctor Rocha, Diogo Torres, Abelha. Cartão vermelho direto a Artur; André Oliveira

Disciplina:Cartão amarelo a Paulo Sá (29’), Ianique Cá (33’), Candeias (37’). Cartão vermelho a Mota (90’)

Disciplina: Cartão amarelo a Serginho, Jorge Neves, Zé Pedro, Dbouk; Hélder, Miguelzinho, Diogo Fontes

Argoncilhe

4

Lobão

1

Campo Centro Social de Argoncilhe Árbitro: Marcelo Silva Argoncilhe: Chico; Rogério, Manel, João, Félix, Pedro Oliveira, Pedro Rodrigues (Zé, 87’), Miguéis (Catota, 75’), Gomes, Rui Sousa, Tiago Oliveira (Mário, 70’) Treinador: Mickael Amaral

C.

F. F F

U. L.

Jogo de muito equilíbrio entre Mosteirô e Macieirense. Durante a primeira parte as equipas encaixaram-se, mas conseguiram criar algumas oportunidades para inaugurar o marcador. Prevaleceu a falta de eficácia e a qualidade dos guardiões Carregosa e Cristiano. Na segunda parte, quando o empate já parecia uma certeza, aos 90+1’, Roma, na sequência de um canto, garantiu os três pontos para os visitantes.

2

N. Regedoura

0

Árbitro: Christian Barbosa

U. Lamas B: Vasco; Cristiano (Filipe, 85’), Carlos Mota, Ricardo Melo, Vivas, Francisco Monteiro, João Brenha (Pedro, 76’), Mauro, Fábio Fernandes, Ramalho (José Cavaco, 76’), Gaúcho Treinador: Eric Gaúcho

Lobão: Vitinha; Tiago (Pinho, 60’), Miguel, Ricardo, Miguel Ângelo, Roberto, Cristophe, Zé, Neves (Serginho, 60’), Romeu (Pedro Costa, 80’), Hugo Treinador: César Castro

Nogueira Regedoura: Miguel Couto; Ivo, Rui Moreira, Tiago (Eduardo, 67’), Xavito (Bruno, 90’), Cruz, Batista, André, Marco, Ricardo (Armando, int.), Castro Treinador: Franklim Campos

Disciplina: Cartão amarelo a Manel (4’), Tiago Oliveira (40’); Miguel Ângelo, Roberto, Zé, Neves, Hugo

Disciplina: Cartão amarelo a Cristiano, Francisco Monteiro, Ramalho; Rui Moreira (33’), Cruz (42’, 52’), Ivo (62’), Castro (79’), Marco (90’). Cartão vermelho por acumulação a Cruz (52’)

Golo: Tiago Oliveira (30’), Rui Sousa (65’), Mário (75’; 90’, g.p.), Serginho (84’)

O líder Argoncilhe chegou à vantagem ainda na primeira parte, aos 30’, por Tiago Oliveira. Mais golos, só na segunda parte. Aos 65’, Rui Sousa bateu Vitinha. Mário saiu do banco de suplentes para apontar dois golos. Aos 75’, marcou o terceiro para a formação do Mickael Amaral. Aos 84’ foi a vez de Serginho, que também saiu do banco, marcar para o Lobão. Aos 90’, de grande penalidade, Mário bisou.

Golos: Fábio Fernandes (45’), Vivas (85’)

O Nogueira da Regedoura entrou melhor na partida, mas sem criar oportunidades para desbloquear o nulo. A terminar da primeira parte, Fábio Fernandes bateu Miguel Couto e levou o Lamas B a vencer para o intervalo. Na etapa complementar, após a expulsão de Cruz, tarefa facilitada para os lamacenses manterem-se na frente do marcador. Aos 85’, Vivas, após combinação com Mauro, fixou o resultado.

Golo: Roma (90+1’)

O Paços de Brandão entrou na partida com algum ascendente ofensivo e criou duas boas ocasiões para inaugurar o marcador. Rúben, no cara-a-cara com Vasco Coelho não conseguiu adiantar os brandoenses. Na etapa complementar, aos 64’, após alívio da defensiva do Mourisquense, Figo desfez o nulo para os pupilos de João Silva. Aos 80’, após cruzamento atrasado e já sem Pereira na baliza, Figo, livre de marcação, fez o bis.

U. Lamas B

Campo N.º2 do Estádio Comendador Henrique Amorim

Golos: Figo (64’; 80’)

Golos: Yann (8’), Joãozinho (18’)

Entrada fulgurante da Geração Rui Dolores que, aos 8’, chegou à vantagem. Yann isolou-se perante Jacinto e não teve dificuldades para fazer o primeiro. A reação do Milheiroense não tardou e, aos 18’, após cruzamento de Torres, Joãozinho, sem deixar o esférico tocar no chão, atirou a contar na baliza de Higuita. Na etapa complementar, equilíbrio entre as duas formação, mas com ligeiro ascendente da Geração.

Macieirense: Cristiano; Leitinho, Fábio Rosas, Xavi, João Luís (Diogo Fontes, 72’), Abel, Hélder, Daniel Rúben, Steeve (Miguelzinho, 17’), Roma Treinador: José Carlos Borges

II DISTRITAL Jornada com dois dérbis entre equipas do Concelho de Santa Maria da Feira. O líder Argoncilhe recebeu e venceu, com direito a goleada, o Lobão por 4-1. Para a equipa de Mickael Amaral marcaram Tiago Oliveira, Rui Sousa e Mário, este com um bis. Serginho reduziu para os pupilos II DIVISÃO DISTRITAL - Série A Resultados - 22.ª Jornada de César Castro. O Lamas CD Arrifanense 3 0 AC Sabariz AD Argoncilhe 4 1 ADC Lobão B ultrapassou o Nogueira CD Furadouro 2 0 CCR Vila Viçosa União de Lam as 2 0 Nog. Regedoura da Regedoura por 2-0 com CCR São Martinho 0 0 ADC Sanguedo UD Fermedo 1 1 Real Nogueirense GD São Roque 2 1 Fiães SC golos de Fábio Fernandes Classificação P J V E D GM - GS e Vivas. 1. AD Argoncilhe 56 22 17 5 0 40 - 10 2. CD Arrifanense 52 22 16 4 2 52 - 15 Relativamente aos res3. GD São Roque 46 22 15 1 6 48 - 21 4. ADC Sanguedo 40 22 10 10 2 38 - 13 tantes jogos das equipas 5. CD Furadouro 40 22 12 4 6 51 - 26 6. Fiães SC 34 22 10 4 8 38 - 27 concelhias em prova, o 7. União de Lam as 31 22 10 1 11 34 - 35 8. Real Nogueirense 30 22 9 3 10 31 - 34 Arrifanense venceu, por 9. ADC Lobão 27 22 8 3 11 27 - 34 AD N. Regedoura 24 21 6 6 9 22 - 30 3-0, o Sabariz com golos de 10. 11. CCR Vila Viçosa 18 22 5 3 14 11 - 45 17 22 5 2 15 23 - 44 Fábio, Xavi e do goleador- 12. UD Fermedo 13. AC Sabariz 13 21 3 4 14 20 - 43 Martinho 5 22 1 2 19 9 - 67 mor Berna. O Sanguedo 14. CCR SãoPróxim a Jornada - 21 e 22 de Abril AC Sabariz - UD Fermedo empatou, sem golos, com ADC Lobão - CD Furadouro CCR Vila Viçosa - União de Lam as o São Martinho. Já o Fiães AD Nogueira Regedoura - CCR São Martinho ADC Sanguedo - CD Arrifanense B perdeu na deslocação a Real Nogueirense - GD São Roque Fiães SC - AD Argoncilhe - 21/04 São Roque por 2-1. MB

ARGONCILHE X LOBÃO


www.correiodafeira.pt

16.ABR.2018

23

FUTSAL

Juv. Fiães

6

Arrifanense

3

(*após prolongamento)

Bairros

2

Pavilhão da E.B. 2/3 de Arrifana

Árbitros: Tiago Tavares e Leandro Costa

Árbitros: Hugo Costa e Alexandre Costa

Juv. Fiães: Nuno Couto; Miguel, Mix, Emídio, Morais Suplentes: Nélson; Mica, Maric, Paulo Russo, Moisés, Bubu, Michael Treinador: Bruno Amaral

Arrifanense: Marco Leite; Gabriel, Miguel, Dani, Messi Suplentes: Bruno Bernardo, Rúben; Rafa, Paulinho, Sandro, Carlos Correia Treinador: António Pinheiro

Bairros: Nuno Santos; Preto, Derlei, Fábio Santos, Rafa Suplentes: Caetano; Pechelim, Sousa, Fidalgo, Nuninho, Sérgio Treinador: António Fonseca

ADREP: Joel; Hernâni, Luís Ruivo, Barreio, Ivo Pereira Suplentes: Rafa, Ferraz; Rafael Cruz, Gil Balseiro, Jony, Pinho Treinador: Alexandre Almeida

Golos: Miguel (5’), Nuninho (9’), Derlei (10’), Mica (14’), Moisés (29’), Maric (30’, 40’), Paulo Russo (32’)

JUVENTUDE FIÃES E ARRIFANENSE NA FINAL-FOUR DA TAÇA Os fianenses ultrapassaram o Bairros enquanto os arrifanenses venceram a ADREP, jogo com direito a prolongamento. Vão defrontar nas meias-finais da Final-Four, respetivamente, Dínamo Sanjoanense e Casal. TAÇA DISTRITAL As duas equipas concelhias em prova, Juventude Fiães e Arrifanense, qualificaram-se para a Final-Four depois de eliminarem, respetivamente nos Quartos-de-Final, Bairros e ADREP. A turma fianense derrotou, por 6-2, a formação de Oliveira do Bairro. Miguel adiantou a Juventude Fiães, mas

Nuninho e Derlei deram a reviravolta. A partir daí, Mica, Moisés, Maric com um bis e Paulo Russo marcaram para os concelhios. O Arrifanense eliminou a ADREP por 3-2 após prolongamento. Viu-se na frente do marcador após golo de Carlos Correira. Empatou Luís Ruivo, mas Gabriel voltou a dar vantagem

aos concelhios. Na etapa complementar, Gil Balseiro levou o jogo até prolongamento. Nesse período, Messi resolveu a favor do Arrifanense. MB TAÇA DISTRITO DE AVEIRO - FUTSAL Resultados - Quartos-de-final Dinamo Sanjoanense 5 4 FC Barcouço 2 ADC Bairros Juventude de Fiães 6 CD Arrifanense 3 2 ADREP ** AD Casal 6 5 AD Travassô * * Após G/Penalidades ** Após Prolongamento

2

Pavilhão da EB 2,3 de Arrifana

Disciplina: Cartão amarelo a Nuno Santos (18’), Moisés (26’), Caetano (30’), Bubu (26’), Mica (38’)

FUNDO VILA X ARRIFANENSE

ADREP

Os pupilos de Bruno Amaral entraram bem no encontro e inauguraram o marcador aos 5’ por Miguel. A reação do Bairros surgiu praticamente no imediato com Nuninho, aos 9’, e Derlei, aos 10’, a completarem a reviravolta. Aos 14’, Mica igualou o marcador e o jogo foi empatado para o descanso. Na segunda metade, superioridade incontestável da Juventude Fiães. Moisés, aos 29’, colocou os fianenses na frente, Maric aumentou a vantagem aos 30’ e Paulo Russo marcou aos 32’. No último minuto do encontro, Maric registou o bis e fechou as contas.

Disciplina: Cartão amarelo a Paulinho; Joel, Jony. Cartão vermelho direto a Hernâni e por acumulação a Jony Golos: Carlos Correia, Gabriel, Messi; Luís Ruivo, Gil Balseiro

O Arrifanense entrou melhor na partida e inaugurou o marcador por Carlos Correia. A ADREP reagiu ao golo consentido e empatou as contas por Luís Ruivo. Ainda antes do intervalo, o jovem Gabriel voltou a dar vantagem à formação verde e branca. Na etapa complementar, mais Arr if anense, mas perdulário nas ocasiões criadas. Ao invés, os forasteiros foram clínicos e empataram o jogo por Gil Balseiro. Já no prolongamento, o triunfo sorriu aos concelhios. Messi apontou o golo que ditou a eliminação da f ormação de Oliveira do Bairro. Pub.


24

16.ABR.2018

www.correiodafeira.pt

Voleibol

Em seniores femininos

AA JOSé MOREIRA SAGRA-SE CAMPEãO DA SEGUNDA NACIONAL ii Voleibol FeMiNiNo A equipa sénior feminina da AA José Moreira venceu, ontem, a Escola Pedro Eanes Lobato (1-3, com os parciais de 23-25; 16-25; 25-23; e 19-25), em partida referente à 9.ª jornada do Campeonato da Segunda Divisão Nacional de Seniores Femininos – 2.ª Fase, Série dos Primeiros, disputado no Pavilhão da Escola Pedro Eanes Lobato, na Amora, e sagrou-se campeã nacional. Com o triunfo averbado em casa do seu

adversário direto na luta pelo título, a formação da AA José Moreira mantém a invencibilidade nesta fase da prova e, quando falta apenas uma jornada para o término da prova, assegura presença no patamar máximo do voleibol sénior feminino na próxima época. Logo após o final da partida, José Moreira, o ‘senhor voleibol’ como é conhecido na modalidade, responsável máximo da equipa mostrava-se “orgulhoso” e sublinhou:

“penso que é uma enorme honra para o Concelho. Na próxima época, seremos a única equipa de voleibol, do Rio Douro até Santa Maria da Feira, presente na Primeira Divisão Nacional. Antes do início da presente época, em reunião com a vereadora do Desporto, Cristina Tenreiro, afirmei que a grande aposta da AA José Moreira seria no feminino e o resultado está à vista. Acredito que seja motivo de orgulho também para o Município”.

A formação treinada por Ricardo Lemos conta no seu plantel com as seguintes atletas: Célia Almeida e Mafalda Ribeiro (distribuidoras); Joana Costa e Rita Elísio (líberos); Daniela Matos, Mafalda Louro, Vanda Pinto, Catarina Oliveira e Maria Morim (pontas); Francisca Cruz, Maressa Pavuna e Rita Morim (centrais). Na próxima edição, o Correio da Feira dá-lhe a conhecer as novas campeãs nacionais numa reportagem exclusiva.

na 1.ª volta venceu em Fiães por 3-1 (ver tabela classificativa na página 28). Excelente foi o triunfo da equipa feminina na Fase B do Nacional da 3ª Divisão. As senhoras comandadas por Fernando Luís triunfaram por 3-0 (25-13, 25-9 e 25-20) frente à da AD Esposende, consolidando a liderança da classificação, com seis triunfos e apenas uma derrota. Nas camadas de formação, as iniciadas venceram as do Gueifães, por 3-0, enquanto os minis se classificaram na 6ª posição, num torneio realizado em Arcozelo (V. N. de Gaia). Derrota estrondosa sofreu o clube na votação do orçamento participativo da

Junta de Fiães. O projeto do clube, que visava um melhor apetrechamento da sua secção do Desporto Adaptado, obteve 19 votos, enquanto o vencedor – Fiães com vida, de Cristiana Santos (um projeto que pretende embelezar o Monte da Pedreira com um reclamo luminoso de grandes dimensões) contabilizou 65 votos. O do Grupo Musical de Fiães chegou aos 45, e o do Fiães Sport Clube aos 39 votos. Participaram na votação 180 eleitores de Fiães, tendo-se verificado um voto em branco. Um projeto de autoria de Paula Gonçalves (Felicidade de Brincar) obteve seis votos e um apresentado pelo Grupo de Escuteiros ficou-se pelos cinco.

Triunfo nos Açores, derrota na secretaria

Fiães Com vida ARRASA NO ‘PARTICIPATIVO’ Carlos Fontes

Enquanto a sua equipa sénior masculina somava mais três pontos na Ilha de Santa Maria, nos Açores, ao vencer a do Marienses por 3-1, na secretaria o Clube Desportivo de Fiães era ‘arrasado’ ao ver-se relegado para a 4.ª posição na votação do “orçamento participativo”, que decorreu na noite do passado sábado no salão da Junta de Freguesia de Fiães. Nos Açores, na penúltima ronda do Nacional da 2.ª Divisão (Série dos Primeiros), os fianenses não encontraram grande oposição para vencer. Já no encontro da 1.ª volta a supremacia do conjunto do Desportivo de Fiães foi evidente. Os açoria-

nos foram batidos pelo resultado máximo. Desta vez aconteceu algum equilíbrio. Os insulares derrotados no 1.º parcial (18-25) reagiram bem, e no 2.º derrotaram copiosamente os fianenses (25-15). Nos dois sets seguintes foi notória a maior valia dos visitantes. Em dois parciais, nos quais a exibição dos fianenses teve alguns momentos de bom nível, o Desportivo de Fiães acabou com o jogo vencendo por 16-25 e 23-25. No próximo sábado termina a competição, que tem no Famalicense (ascende à 1.ª Divisão) o grande vencedor. O Desportivo vai a Lisboa (Parede) defrontar a equipa do Nacional de Ginástica, que


www.correiodafeira.pt

16.ABR.2018

25

MODALIDADES

B0LA NAS REDES /PedroMartins1707

FEIrENSE BAtE BEIrA-MAr ANDEBOL O Feirense recebeu, no Pavilhão da Lavandeira, o BeiraMar e venceu por 28-26. O Feirense foi dominador e entrou bem na partida, criando dificuldades aos aveirenses. Estes, em termos atacantes, foram sempre muito condicionados pelos azuis. Ao intervalo, o Feirense vencia por 15-9.Voltou a entrar melhor na segunda metade, conseguindo distanciar-se na partida, mas os últimos dez minutos do Beira-Mar foram muito fortes, encurtando o resultado. Com este resultado, o Feirense

subiu ao segundo lugar da classificação e no próximo sábado desloca-se a Sandim para defrontar o líder Modicus (Ver tabela classificativa na página 28). Juniores perdem com o Avanca Na 1.ª Divisão Nacional de Juniores Masculinos, o Feirense recebeu o Avanca. Os visitantes entraram mais fortes e ao intervalo venciam por 10-16. Na segunda metade, o Feirense reagiu, cresceu na partida, mas não conseguiu evitar a derrota por 27-29.

Iniciados Femininos bateu S. Pedro do Sul

No Campeonato Nacional de Iniciados Femininos, o Feirense A deslocou-se a S. Pedro do Sul, na sequência de duas derrotas, e bateu de forma clara o seu adversário 23-39. Com uma entrada afirmativa na partida, as azuis conseguiram, em tempo de intervalo, vencer por 11-18. A segunda metade foi ainda mais produtiva para as fogaceiras que, com esta vitória, regressam ao segundo lugar.

OLEIrOS PErDE COM O CPN ANDEBOL O Pavilhão Municipal de São João de Ver recebeu o confronto entre São Paio de Oleiros e CPN que terminou com o triunfo dos visitantes por 31-27. “Sabíamos que teríamos um adversário difícil com ambição de ganhar pontos fora de casa. Entramos bem no jogo, mas depois sentimos alguma dificuldade em contrariar os argumentos ofensivos da equipa

adversária. Estivemos menos bem defensivamente e o CPN conseguiu aproveitar a vantagem em alguns momentos do jogo. Num jogo repleto de emoções fortes, jogamos muitas vezes mais com o coração do que com a cabeça. A equipa já está concentrada em melhorar para regressar novamente às vitórias no próximo jogo”, disse o novo técnico dos oleirenses António

Ferreira (Ver tabela classificativa na página 28). Pelo Oleiros jogaram e marcaram: Eduardo Farinha, Hugo Couto (5), Diogo Ferreira (1), Manuel Marques (1), João Furtado (2), Jorge Ferreira, José gomes (6), Miguel Cortinhas (3), André Campos, tiago Couto (1), tiago Ferreira (1), Leonardo Oliveira, Miguel Vieira, António Silva e Francisco Brandão.

No tetratlo Distrital

BEAtrIz SANtOS SAgrA-SE CAMPEã DIStrItAL ATLETISMO A Associação Cultural recreativa Desportivo de Escapães deslocou-se aVagos para participar

no tetratlo Distrital no qual Beatriz Santos,na vertente de Lançamentos, conquistou o título.A prova consistiu

Argoncilhe vai receber o histórico Beira-Mar. Já o Fiães desloca-se a Alvarenga. No quarto jogo da eliminatória,

O feirense Pedro Martins, antigo treinador do Vitória SC, vai treinar o Olympiakos na próxima época.

/InatelAveiro “Tricampeão Nacional pelo Pigeiros e Campeão Nacional pela Lavandeira” Paulo Vasconcelos, mais conhecido por Paulinho é recordado pela página Inatel – Campeonato Distrital de Aveiro.

/AFAveiro

“Clube Desportivo Arrifanense comemorou 97º aniversário” O Arrifanense aproxima-se do Centenário. Na semana transata comemorou o 97.º aniversário.

/CBVEsmoriz

em lançamento de martelo, lançamento de disco,lançamento de peso e lançamento de dardo.

S. JOãO DE VEr E LOurOSA DEFrONtAM-SE NA tAçA DE AVEIrO FUTEBOL Nos Quar tos-deFinal da taça de Aveiro – Pecol, o S. João de Ver vai defrontar o r ival Lourosa enquanto o

“Muito orgulhoso por representar o Olympiakos FC. Uma honra trabalhar num clube extraordinário, com adeptos tão apaixonados”

o Pampilhosa defronta o Vista Alegra. Os jogos disputar-se-ão no dia 1 de maio, pelas 16 horas.

“Saiu vencedor deste convívio a Equipa dos Bombeiros da Arrifana” Os Bombeiros de Arrifana venceram o 1.º Convívio de Futebol Inter-Bombeiros organizado pela secção desportivo dos Bombeiros Voluntários de Esmoriz.


26

16.ABR.2018

www.correiodafeira.pt

MODALIDADES

XUBAN ERRAZKIN 10.º NO GP DAS BEIRAS E SERRA DA ESTRELA

CICLISMO A Vito-Feirense-Blackjack, no 3.º Grande Prémio Internacional das Beiras e Serra da Estrela, disputado entre 13 e 15, viu Xuban Errazkin fazer 10.º lugar. O russo Dimitri Strakhov – Lokosphinx venceu a prova. Na primeira etapa, Xuban Errazkin foi 7.º em Figueira de Castelo Rodrigo. Edgar Pin-

to foi 11.º. Na segunda etapa, Edgar Pinto foi 5.º em Seia, Xuban Errazkin foi 15.º e Luís Afonso 16.º. Na terceira, Xuban Errazkin foi 10.º e Edgar Pinto 14.º. Taça de Portugal de Juniores António Ferreira foi oitavo na terceira prova da Taça de Portugal de Juniores. No dia 14,

disputou-se em Odemira a 2.ª prova da Taça Portugal de Juniores. Guilherme Mota da Alcobaça venceu, Luís Cabral da VitoFeirense-Blackjack foi 25.º, Pedro Andrade 32.º r António Ferreira 39.º. No Domingo, na 3.ª prova da Taça, Francisco Guerreiro da Bombarral venceu, António Ferreira foi

FEIRENSE COM OITO PÓDIOS EM VAGOS NATAÇÃO O Feirense, através da equipa da 1.ª Braçada, alcançou oito pódios na terceira prova da época realizada em Vagos, organizada pela Associação de Natação Centro Norte de Portugal. Foram conquistados três primeiros lugares, um segundo e quatro terceiros. Destacam-se: Duarte Bernardes (cadete C) venceu a prova de 25 metros costas + 25m bruços e ficou em terceiro na prova de 25m bruços + 25m livres;

Lia Pereira (cadete B), venceu a prova de 25m bruços + 25m livres e ficou em quinto na prova de 25m mariposa + 25m costas; Beatriz Castro (cadete B) ficou em segundo na prova de 25m bruços + 25m livres; Lara Pinto (cadete B) ficou em terceiro lugar na prova de 25m mariposa + 25m costas e em quarto na prova de 25m bruços + 25m livres; Rafael Amorim (cadete C), terceiro aos 25m mariposa + 25m costas e quarto lugar

aos 25m bruços + 25m livres; e Tomás Assunção (cadete B), terceiro aos 50m livres e quarto na prova de 25m mariposa + 25m costas. As estafetas mistas de 6x25m livres/bruços conquistaram o primeiro lugar (Lia Pereira, Tomás Assunção, Rafael Ferreira, Francisco Martins, Lara Pinto e Filipe Almeida) e o quarto (Beatriz Castro, Diogo Ferreira, Rafael Amorim, David Marques, Duarte Bernardes e Mara Rodrigues).

FEIRENSE SAGRA-SE CAMPEÃO DISTRITAL DO QUILÓMETRO JOVEM

ATLETISMO O Feirense sagrou-se Campeão Distrital do Quilómetro Jovem, prova que realizou-se na Pista de Vagos no dia 14, quer no coletivo feminino, quer no masculino.

A nível individual f oram conseguidos sete pódios. M a r i a n a N eve s , B e n j a m i n A , e F i l i p a N eve s , I n f a n t i l , sagraram-se campeãs distritais. Já Simão Silva (Benjamin

8.º, Diogo Barbosa 20.º, Pedro Andrade 22.º e Luís Cabral 25.º. Por equipas, quarto lugar na vitória do Sporting. Na 1ª prova da Taça de Portugal de Paraciclismo, segundo lugar para Ricardo Gomes da Vito-FeirenseBlackjack, na vitória de João Marques da ACD Milharado.

Goretti Cardoso terceira na Meia Maratona de Ílhavo ATLETISMO A atleta do Caldas de São Jorge, Goretti Cardoso, arrecadou o terceiro lugar do escalão F50, no dia 8, na 2.ª Meia Maratona de Ílhavo. Pelo clube concelhio participaram ainda Ramiro Silva, Ricardo Ferrão, Vítor Marques, António Conceição e Lídia Ferreira No dia 7, na Pista de Atletismo de Aveiro - Campus Universitário recebeu o Estágio organizado pelo Departamento Técnico da Associação de Atletismo de Aveiro, para iniciados e juvenis. Do Caldas estiveram cinco atletas: Ana Oliveira, Beatriz Valente, Lara Rodrigues, Magali Melo e Maria Oliveira. No mesmo dia, realizou-se a prova Trilhos Termais com partida e chegada no Parque das Termas. O Caldas esteve representado por três atletas: António Neves, sénior foi 15.º no Trail Longo (20 km). No Mini Trail (10km) Vítor Marques em M40 foi 13.º e António Silva, em M50, conquistou o quinto lugar. No dia 8, realizou-se em França a 42.ª Maratona de Paris. Iven Pinho representou o Caldas e, entre mais de 43 500 atletas, conquistou o 433.º lugar, com o tempo de 02:52:19, novo recorde pessoal. Pub.

B), Margarida Oliveira (Iniciado f eminino), Francisco R e i s ( I n i c i a d o ) , A l ex a n d ra Canedo (Juvenil) e Nuno Alves (Juvenil) f oram vicecampeões do distrito.


www.correiodafeira.pt

16.ABR.2018

27

CLASSIFICAÇÕES

POSTOS DE VENDA Papelaria Atlântico Norte (Centro) – Espinho Papelaria Bessa – Espinho Papelaria Miranda – Cortegaça Papelaria Papelópia – São Paio de Oleiros Padaria da Quebrada – São Paio de Oleiros Papelaria Letra Legível – Paços de Brandão e Esmoriz Papelaria Menezes – Paços de Brandão Papelaria A. Santos – Paços de Brandão Café Zé das Micas – Rio Meão Quiosque Santo António – Rio Meão Café Ponto de Encontro – Rio Meão Bombas REPSOL – São João de Ver Quiosque Suil Park – São João de Ver Quiosque São Bento – São João de Ver Casa Silva – São João de Ver Quiosque dos 17 - São João de Ver Café São Jorge – Caldas de São Jorge Café Avenida – Fiães Bombas GALP – Fiães Papelaria Coelho – Fiães Casa Gama II - Fiães Quiosque Pimok – Lourosa Quiosque da Igreja – Lourosa Papelaria Europa – Lourosa Bombas CEPSA / ELF – Lourosa C + S - Lourosa Feira dos Dez – Lourosa Padaria/Pastelaria Caracas II – Lourosa Tabacaria Piscinas de Lourosa A. M. Informática - Lourosa Café–Restaurante Parque – S. M. Lamas Café do Zinho – S. M. Lamas Corks e Manias (INTERMARCHÉ) – S. M. Lamas Carnicópias – S. M. Lamas Bombas REPSOL – S. M. Lamas Quiosque Santa Luzia – Mozelos Café do Murado – Mozelos Quiosque da Igreja – Argoncilhe Pereira & Avelar - Argoncilhe Café Vergada – Vergada Casa Danibruno - Mozelos Café Melo – Sanguedo Café Danúbio - Sanguedo A. M. Informática - Sanguedo Padaria Jardim 2 – Lobão Papelaria Liperlás – Lobão Casa Gama – Lobão Café Grilo – Lobão Bombas BP – Guisande Bombas FIAVERDE – Gião Kiosque INTERMARCHÉ Canedo Livraria /Papelaria GIFT – Canedo Café Suldouro – Canedo Bombas de Louredo – Louredo Quiosque de Romariz – Romariz Papelaria ABC – Milheirós de Poiares Papelaria Milheiroense – Milheirós de Poiares Kiosque INTERMARCHÉ – Arrifana Quiosque Hábitos – Arrifana Padaria Seara – Arrifana Café Zubel – Arrifana Bombas BP - Arrifana Bombas PETROVAZ - Arrifana

CLASSIFICAÇÕES CPP CAMPEONATO DE PORTUGAL PRIO Série B

1. 2. 3. 4. 5. 6. 7. 8. 9. 10. 11. 12. 13. 14. 15. 16.

Resultados - 25.ª Jornada AD Sanjoanense 0 0 SC Salgueiros 08 Sp. Coimbrões 2 1 UD Sousense Sp. Espinho 1 1 CD Trofense FC Felgueiras 4 0 AD Camacha Canelas 2010 2 1 SC Freamunde CD Cinfães 0 0 FC Cesarense FC Pedra Rubras 0 2 Gondomar SC Aliança FC Gandra 1 0 Amarante FC Classificação P J V E D GM - GS FC Felgueiras 45 25 13 6 6 44 - 25 Sp. Espinho 45 25 13 6 6 40 - 24 Gondomar SC 44 25 12 8 5 35 - 21 CD Cinfães 40 25 11 7 7 30 - 31 FC Cesarense 39 24 9 12 3 34 - 18 Amarante FC 39 24 11 6 7 37 - 27 Sp. Coimbrões 34 25 9 7 9 35 - 38 AD Sanjoanense 32 25 7 11 7 25 - 24 FC Pedras Rubras 32 25 8 8 9 26 - 26 Canelas 2010 32 25 8 8 9 37 - 37 CD Trofense 31 25 9 4 12 27 - 35 AD Camacha 29 25 8 5 12 26 - 39 SC Salgueiros 08 27 24 5 12 7 23 - 23 Al. FC Gandra 27 25 8 3 14 24 - 39 SC Freamunde 23 24 5 8 11 18 - 21 UD Sousense 17 25 4 5 16 13 - 46 Próxim a Jornada - 24 e 25 de Março SC Salgueiros 08 - Amarante FC - 24/03 AD Camacha - CD Cinfães Gondomar SC - AD Sanjoanense SC Freamunde - Sp. Espinho FC Felgueiras - Aliança FC Gandra FC Cesarense - Canelas 2010 CD Trofense - Sp. Coimbrões UD Sousense - FC Pedra Rubras

Resultados - 23.ª Jornada AD Argoncilhe 5 1 CRC Vale usitânia de Lourosa 1 1 União de Lam as ARD Vilam aiorense 3 0 ADF Anta Paços de Brandão 0 2 Sp. Espinho São João de Ver 0 1 CG Paramos Fiães SC 1 0 Canedo FC SC Paivense 1 3 ADC Sanguedo Classificação P J V E D GM - GS 1. SC Paivense 55 23 17 4 2 75 - 19 2. GD Paramos 52 23 16 4 3 79 - 20 3. Sp. Espinho 51 23 16 3 4 67 - 20 4. Lusit. Lourosa 45 23 13 6 4 52 - 21 5. Vilam aiorense 38 23 12 2 9 50 - 32 6. Fiães SC 36 23 11 3 9 48 - 41 7. Paços Brandão 36 23 11 3 9 41 - 40 8. ADC Sanguedo 31 23 9 4 10 55 - 44 9. União de Lam as 28 23 8 4 11 35 - 46 10. São João de Ver 27 23 8 3 12 34 - 40 11. AD Argoncilhe 24 23 7 3 13 52 - 69 12. Canedo F. C. 16 23 5 1 17 25 - 87 13. ADF Anta 15 23 4 3 16 29 - 78 14. CRC Vale 4 23 1 1 21 17 - 102 Próxim a Jornada - 21 e 22 Abril CRC Vale - Canedo FC - 22/04 União de Lam as - AD Argoncilhe ADF Anta - Lusitânia de Lourosa - 22/04 Sp. Espinho - Vilam aiorense CG Paramos - Paços de Brandão SC Paivense - Fiães SC ADC Sanguedo - São Joaõ de Ver - 22/04

JUNIORES DISTRITAL DE JUNIORES I Divisão Resultados - 27.ª Jornada São João de Ver 1 3 Oliveira do Bairro usitânia de Lourosa 3 0 SC Esmoriz 0 CD Tarei AD Sanjoanense 6 CD Feirense 1 1 AA Avanca GD Gafanha 3 1 UD Mourisquense Fiães SC 2 3 CD Estarreja SC Paivense 2 2 SC Alba União de Lam as 2 3 FC Cesarense GD Mealhada 3 3 RD Águeda Classificação P J V E D GM - GS 1. GD Gafanha 65 27 20 5 2 62 - 20 2. AD Sanjoanense 59 27 18 5 4 70 - 29 3. FC Cesarense 55 26 16 7 3 60 - 36 4. Lusit. Lourosa 51 27 15 6 6 60 - 35 5. RD Águeda 48 27 14 6 7 44 - 33 6. União de Lam as 44 26 13 5 8 62 - 46 7. CD Estarreja 43 26 13 4 9 64 - 51 8. AA Avanca 40 27 11 7 9 49 - 40 9. Oliveira do Bairro 39 27 12 3 12 46 - 46 10. SC Alba 37 26 11 4 11 56 - 47 11. CD Feirense 35 27 8 11 8 36 - 36 12. SC Paivense 35 26 11 2 13 39 - 51 13. Fiães SC 25 27 6 7 14 39 - 51 14. São João de Ver 25 27 6 7 14 43 - 58 15. SC Esmoriz 23 27 7 2 18 43 - 78 16. GD Mealhada 18 26 4 6 16 34 - 69 17. UD Mourisquense 17 27 5 2 20 40 - 71 18. CD Tarei 15 27 4 3 20 27 - 77 Próxim a Jornada - 21 de Abril Oliveira do Bairro - RD Águeda SC Esmoriz - São João de Ver CD Tarei - Lusitânia de Lourosa AA Avanca - AD Sanjoanense UD Mourisquense - CD Feirense CD Estarreja - GD Gafanha SC Alba - Fiães SC FC Cesarense - SC Paivense União de Lam as - GD Mealhada

DISTRITAL DE JUNIORES II Divisão - Série A

1. 2. 3. 4. 5. 6. 7. 8. 9. 10. 11. 12. 13. 14. 15.

Resultados - 24.ª Jornada JA Rio Meão 2 0 Paços Brandão CCR São Martinho 2 2 AC Cucujães FC Macieirense 2 3 Lusitânia Lourosa Canedo F. C. 1 3 AD Argoncilhe CD Arrifanense 2 2 Mosteirô FC GD Milheiroense 1 1 S. Vicente Pereira ADC Sanguedo 2 4 Vilam aiorense Folga ADF Anta Classificação P J V E D GM - GS AD Argoncilhe 50 22 16 2 4 72 - 24 Canedo F. C. 50 22 16 2 4 68 - 29 Lusit. Lourosa 47 22 15 2 5 49 - 15 AC Cucujães 46 22 13 7 2 66 - 24 Paços Brandão 46 22 14 4 4 44 - 13 FC Macieirense 42 23 14 0 9 76 - 42 São Vic. Pereira 37 23 11 4 8 47 - 31 ADF Anta 35 21 11 2 8 48 - 29 São Martinho 34 23 10 4 9 42 - 37 Vilam aiorense 21 23 6 3 14 30 - 86 ADC Sanguedo 16 21 4 4 13 28 - 50 CD Arrifanense 15 22 3 6 13 23 - 42 GD Milheiroense 15 22 4 3 15 25 - 58 JA Rio Meão 14 23 4 2 17 22 - 64 Mosteirô F. C. 7 23 1 4 18 10 - 109 Próxim a Jornada - 21 de Abril Paços de Brandão - CCR São Martinho AC Cucujães - FC Macieirense Lusitânia de Lourosa - Canedo F. C. AD Argoncilhe - CD Arriafanense Mosteirô FC - GD Milheiroense São Vicente Pereira - ADC Sanguedo Vilam aiorense - ADF Anta Folga JA Rio Meão

JUVENIS DISTRITAL DE JUVENIS I Divisão Resultados - 27.ª Jornada usitânia de Lourosa 2 1 Anadia FC AD Taboeira 1 2 União de Lam as SC Beira Mar 2 1 AD Sanjoanense FC Arouca 1 4 GD Gafanha AA Avanca 0 1 Oliveirense Oliveira do Bairro 1 3 Sp. Espinho ADF Anta 4 3 FC Cesarense CD Feirense 2 0 Fiães SC SC Alba 1 0 RD Águeda Classificação P J V E D GM - GS 1. Sp. Espinho 67 27 21 4 2 57 - 17 2. SC Beira Mar 54 27 17 3 7 54 - 30 3. CD Feirense 54 27 17 3 7 40 - 23 4. União de Lam as 51 27 15 6 6 60 - 35 5. GD Gafanha 50 27 15 5 7 47 - 27 6. FC Cesarense 48 27 14 6 7 47 - 27 7. Lusit. Lourosa 47 27 15 2 10 49 - 39 8. Fiães SC 42 27 12 6 9 43 - 29 9. Oliveirense 42 27 14 0 13 42 - 34 10. AD Sanjoanense 40 27 12 4 11 51 - 30 11. SC Alba 35 27 9 8 10 27 - 29 12. AA Avanca 33 27 9 6 12 39 - 47 13. Anadia FC 32 27 9 5 13 37 - 43 14. ADF Anta 23 27 7 2 18 26 - 67 15. RD Águeda 21 27 5 6 16 31 - 50 16. AD Taboeira 19 27 6 1 20 26 - 51 17. FC Arouca 17 27 5 2 20 32 - 79 18. Oliveira do Bairro 17 27 4 5 18 22 - 73 Próxim a Jornada - 22 de Abril Anadia FC - RD Águeda União de Lam as - Lusitânia de Lourosa AD Sanjoanense - AD Taboeira GD Gafanha - SC Beira Mar Oliveirense - FC Arouca Sp. Espinho - AA Avanca FC Cesarense - Oliveira do Bairro Fiães SC - ADF Anta CD Feirense - SC Alba

1. 2. 3. 4. 5. 6. 7. 8. 9. 10. 11. 12. 13.

1. 2. 3. 4. 5. 6. 7. 8. 9. 10. 11. 12. 13. 14.

INICIADOS

INFANTIS A - Grupo 1 - Premium

1. 2. 3. 4. 5. 6. 7. 8.

1. 2. 3. 4. 5. 6. 7. 8. 9. 10. 11. 12. 13. 14. 15. 16. 17. 18.

1. 2. 3. 4. 5. 6. 7.

1. 2. 3. 4. 5. 6. 7. 8. 9. 10. 11. 12. 13.

DISTRITAL DE INICIADOS II Divisão - Série A

1. 2. 3. 4. 5. 6. 7. 8. 9. 10. 11. 12. 13.

Resultados - 23.ª Jornada SC Paivense 4 0 União de Lam as ADC Sanguedo 3 2 Sp. Espinho 1 AD Argoncilhe ADF Anta 4 ARD Vilam aiorense 0 1 Paços de Brandão Marf oot Silvalde 2 3 Lusitânia Lourosa Fiães SC 01-m ai Canedo FC Folga São Joaõ de Ver Classificação P J V E D GM - GS São João de Ver 58 21 19 1 1 76 - 13 Paços Brandão 55 21 18 1 2 72 - 16 Vilam aiorense 47 21 15 2 4 72 - 20 SC Paivense 44 21 14 2 5 52 - 15 Lusit. Lourosa 40 21 12 4 5 51 - 28 Sp. Espinho 29 20 9 2 9 47 - 38 Fiães SC 22 21 6 4 11 25 - 45 ADF Anta 21 21 6 3 12 28 - 68 União de Lam as 17 22 4 5 13 27 - 50 ADC Sanguedo 16 21 4 4 13 26 - 68 AD Argoncilhe 15 21 4 3 14 19 - 63 Marf oot Silvalde 14 22 4 2 16 21 - 54 Canedo F. C. 11 19 2 5 12 24 - 62 Próxim a Jornada - 22 de Abril União de Lam as - São João de Ver Sp. Espinho - SC Paivense AD Argoncilhe - ADC Sanguedo Paços de Brandão - ADF Anta Lusitânia de Lourosa - Vilam aiorense Canedo FC - Marf oot Silvalde Folga Fiães SC

Resultados - 6.ª Jornada União de Lam as 6 0 Vilam aiorense Esc. Rui Dolores 5 4 FC Cortegaça Fiães SC 7 1 Lusitânia Lourosa Folga CJ Salesianos Classificação P J V E D GM - GS Fiães SC 18 6 6 0 0 47 - 13 Esc. Rui Dolores 12 5 4 0 1 24 - 14 FC Cortegaça 9 5 3 0 2 19 - 13 União de Lam as 6 5 2 0 3 15 - 19 CJ Salesianos 4 5 1 1 3 16 - 21 Lusit. Lourosa 4 5 1 1 3 10 - 18 Vilam aiorense 0 5 0 0 5 6 - 39 Próxim a Jornada - 21 de Abril ADR Vilam aiorense - CJ Salesianos FC Cortegaça - União de Lam as Lusitânia de Lourosa - Escolinha Rui Dolores Folga Fiães SC

1. 2. 3. 4. 5. 6. 7. 8.

Resultados - 6.ª Jornada CD Arrifanense 3 2 AC Cucujães São João de Ver 4 1 ADC Sanguedo SC Paivense 4 4 Marfoot Silvalde FC Cesarense 7 0 SC Esmoriz Classificação P J V E D GM - GS SC Paivense 13 6 4 1 1 24 - 19 AC Cucujães 12 6 4 0 2 29 - 8 FC Cesarense 12 6 4 0 2 31 - 12 CD Arrifanense 12 6 4 0 2 27 - 12 Marfoot Silvalde 11 6 3 2 1 17 - 15 São João de Ver 6 6 2 0 4 15 - 18 SC Esmoriz 4 6 1 1 4 6 - 32 ADC Sanguedo 0 6 0 0 6 5 - 38 Próxim a Jornada - 21 de Abril AC Cucujães - São João de Ver ADC Sanguedo - FC Cesarense Marfoot Silvalde - CD Arrifanense SC Esmoriz - SC Paivense

1. 2. 3. 4. 5. 6. 7. 8. 9. 10.

INFANTIS A - Grupo 2 - Premium

1. 2. 3. 4. 5. 6. 7. 8. 9. 10.

Resultados - 11.ª Jornada CD Furadouro 5 8 Arada AC 10 Paços de Brandão Mini Foot 2017 4 CD Loureiro 1 2 GD Mealhada GD Calvão 7 4 UD Fermedo CSCR Poutena 1 1 Severfintas Classificação P J V E D GM - GS GD Mealhada 30 11 10 0 1 49 - 24 Paços Brandão 29 11 9 2 0 66 - 25 GD Calvão 23 11 7 2 2 48 - 34 CD Loureiro 19 11 6 1 4 41 - 26 UD Fermedo 18 11 5 3 3 41 - 25 CSCR Poutena 13 11 4 1 6 21 - 44 Severfintas 9 11 2 3 6 19 - 37 Arada AC 8 11 2 2 7 25 - 53 CD Furadouro 6 11 2 0 9 35 - 52 Mini Foot 2017 2 11 0 2 9 17 - 42 Próxim a Jornada - 21 de Abril Arada AC - Mini Foot 2017 Paços de Brandão - CD Loureiro GD Mealhada - UD Fermedo GD Calvão - CSCR Poutena Severfintas - CD Furadouro

INFANTIS A - Grupo 2 - Gold A

1. 2. 3. 4. 5. 6. 7.

Resultados - 10.ª Jornada Paços de Brandão 2 1 Esc. Rui Dolores SC Paivense 0 7 AD Sanjoanense AD Argoncilhe 4 10 ADF Anta Folga CD Feirense Classificação P J V E D GM - GS AD Sanjoanense 22 9 7 1 1 43 - 13 Paços Brandão 16 8 5 1 2 35 - 12 CD Feirense 16 8 5 1 2 27 - 18 Esc. Rui Dolores 13 9 4 1 4 25 - 28 ADF Anta 10 8 3 1 4 22 - 21 SC Paivense 7 9 2 1 6 27 - 52 AD Argoncilhe 3 9 1 0 8 24 - 59 Próxim a Jornada - 21 de Abril CD Feirense - AD Argoncilhe AD Sanjoanense - Paços de Brandão ADF Anta - SC Paivense Folga Escolinha Rui Dolores

INFANTIS B - Grupo 2 - Gold A

1. 2. 3. 4. 5. 6. 7. 8.

INFANTIS B - Grupo 1 - Premium

1. 2. 3. 4. 5. 6. 7.

Resultados - 6.ª Jornada FC Cesarense 6 0 AC Cucujães FC Cortegaça 2 2 São João de Ver Sp. Espinho 9 2 UD Fermedo Folga CD Arrifanense Classificação P J V E D GM - GS FC Cesarense 13 5 4 1 0 22 - 8 Sp. Espinho 12 6 4 0 2 30 - 16 CD Arrifanense 9 5 3 0 2 22 - 11 São João de Ver 6 5 1 3 1 12 - 12 FC Cortegaça 5 5 1 2 2 7 - 18 AC Cucujães 2 5 0 2 3 11 - 23 UD Fermedo 2 5 0 2 3 6 - 22 Próxima Jornada - 21 de Abril AC Cucujães - FC Cortegaça São João de Ver - CD Arrifanense UD Fermedo - FC Cesarense Folga Sp. Espinho

Resultados - 11.ª Jornada CD Feirense 1 1 CD Estarreja Fiães SC 1 16 AD Taboeira AD Anta 0 6 Oliveirense Folga AD Sanjoanense Classificação P J V E D GM AD Taboeira 24 8 8 0 0 57 CD Feirense 20 9 6 2 1 47 AD Sanjoanense 15 8 5 0 3 37 Oliveirense 15 9 5 0 4 45 CD Estarreja 8 9 2 2 5 24 ADF Anta 6 7 2 0 5 14 Fiães SC 6 9 2 0 7 23 Lusit. Lourosa 3 7 1 0 6 8 Próxim a Jornada - 21 de Abril Lusitânia de Lourosa - CD Feirense AD Sanjoanense - Fiães SC AD Taboeira - ADF Anta Folga CD Estarreja

-

GS 11 13 21 44 26 25 86 29

Resultados - 11.ª Jornada SC Beira Mar 4 0 ARC Barroca 2 FC Cortegaça FC Bom-Sucesso 9 RD Águeda 1 2 AA Avanca Esc. Rui Dolores 2 3 Arada AC NEGE 6 1 Anadia FC Classificação P J V E D GM SC Beira Mar 33 11 11 0 0 63 AA Avanca 23 10 7 2 1 48 RD Águeda 22 11 7 1 3 57 6 0 5 35 Esc. Rui Dolores 18 11 Arada AC 18 11 6 0 5 35 NEGE 16 11 5 1 5 44 Anadia FC 12 11 4 0 7 29 FC Cortegaça 10 11 3 1 7 23 FC Bom-Sucesso 7 10 2 1 7 33 ARC Barroca 0 11 0 0 11 6 Próxim a Jornada - 21 de Abril ARC Barroca - FC Bom Sucesso FC Cortegaça - RD Águeda AA Avanca - Arada AC Escolinha Rui Dolores - NEGE Anadia FC - SC Beira Mar

GS 8 21 24 30 49 38 42 53 46 62

INFANTIS B - Grupo 2 - Gold B

1. 2. 3. 4. 5. 6. 7. 8. 9. 10.

INFANTIS B - Grupo 1 - Gold A

BENJAMINS A - Premium Norte

1. 2. 3. 4. 5. 6. 7. 8. 9. 10.

Resultados - 9.ª Jornada CD Arrifanense 0 10 Lusitânia Lourosa Fiães SC 0 8 CD Feirense AD Sanjoanense 6 1 ADF Anta ARD Vilam aiorense 6 2 CJ Salesianos Valecambrense 1 1 Esc. Rui Dolores Classificação P J V E D GM - GS CD Feirense 27 9 9 0 0 78 - 4 Vilam aiorense 20 9 6 2 1 42 - 15 Fiães SC 17 9 5 2 2 34 - 29 AD Sanjoanense 16 9 5 1 3 42 - 18 Lusit. Lourosa 16 9 5 1 3 35 - 29 CJ Salesianos 12 9 4 0 5 26 - 39 ADF Anta 11 9 3 2 4 30 - 28 Valecambrense 6 9 1 3 5 11 - 32 CD Arrifanense 3 9 1 0 8 17 - 79 Esc. Rui Dolores 1 9 0 1 8 12 - 54 Próxim a Jornada - 21 de Abril CD Arrifanense - CD Feirense AD Sanjoanense - Fiães SC ADF Anta - Escolinha Rui Dolores ARD Vilam aiorense - Lusitânia de Lourosa Valecambrense - CJ Salesianos

INFANTIS B - Grupo 1 - Gold B

1. 2. 3. 4. 5. 6. 7.

INFANTIS B - Grupo 1 - Série A Resultados - 17.ª e Penúltim a Jornada FC Cortegaça 2 União de Lam as 1 ARD Vilam aiorense 8 0 Paços de Brandão São João de Ver 4 1 UD Fermedo Sp. Espinho 5 4 ADF Anta Lusitânia Lourosa 2 1 Fiães SC Classificação P J V E D GM - GS Lusit. Lourosa 46 17 15 1 1 121 - 13 Fiães SC 43 16 14 1 1 97 - 27 Sp. Espinho 42 17 13 3 1 102 - 41 ADF Anta 28 17 9 1 7 79 - 50 FC Cortegaça 25 17 8 1 8 48 - 45 União de Lam as 23 17 7 2 8 44 - 64 São João de Ver 17 17 5 2 10 41 - 86 UD Fermedo 10 17 3 1 13 29 - 86 Vilam aiorense 9 17 3 0 14 37 - 96 Paços Brandão 3 16 1 0 15 15 - 105 Últim a Jornada - 17 de Fevereiro União de Lam as - Lusitânia de Lourosa Paços de Brandão - FC Cortegaça UD Fermedo - ARD Vilam aiorense ADF Anta - São João de Ver Fiães SC - Sp. Espinho

Resultados - 10.ª Jornada Sp. Espinho 5 1 Valecambrense São Martinho Adiado GD Milheiroense 3 Canedo FC São Vicente Pereira 2 Folga Macieira de Cambra Classificação P J V E D GM - GS Canedo FC 21 8 7 0 1 54 - 20 GD Milheiroense 21 8 7 0 1 35 - 9 Sp. Espinho 13 8 4 1 3 28 - 21 São Martinho 10 8 3 1 4 18 - 18 Valecambrense 9 9 3 0 6 10 - 30 São Vic. Pereira 6 9 2 0 7 27 - 24 Macieira Cambra 6 8 2 0 6 5 - 55 Próxim a Jornada - 21 de Abril GD Milheiroense - Sp. Espinho Canedo FC - São Martinho Macieira de Cambra - São Vicente Pereira Folga Valecambrense

Resultados - 6.ª Jornada UD Mourisquense 3 10 AD Sanjoanense CD Feirense 1 1 C. B. Estarreja usitânia de Lourosa 2 2 GD Mealhada AD Taboeira 6 0 Fiães SC Classificação P J V E D GM - GS 1. C. B. Estarreja 16 6 5 1 0 42 - 5 2. CD Feirense 16 6 5 1 0 24 - 7 3. AD Taboeira 13 6 4 1 1 26 - 6 4. AD Sanjoanense 11 6 3 2 1 27 - 10 5. GD Mealhada 5 6 1 2 3 10 - 13 6. Lusit. Lourosa 4 6 1 1 4 7 - 23 7. Fiães SC 3 6 1 0 5 6 - 37 8. UD Mourisquense 0 6 0 0 6 10 - 51 Próxima Jornada - 21 de Abril AD Sanjoanense - CD Feirense Casa do Benfica em Estarreja - AD Taboeira GD Mealhada - UD Mourisquense Fiães SC - Lusitânia de Lourosa

INFANTIS A - Grupo 1 - Gold B

DISTRITAL DE INICIADOS II Divisão - Série B Resultados - 23.ª Jornada Esc. Rui Dolores 1 3 Arada AC UD Fermedo 1 3 FC Cesarense JA Rio Meão 0 5 CD Arrifanense AD Sanjoanense 2 0 Vilam aiorense SC Esmoriz 7 1 CD Tarei Milheiroense 0 7 CD Feirense Folga FC Arouca Classificação P J V E D GM - GS CD Feirense 55 20 18 1 1 111 - 15 CD Arrifanense 53 21 17 2 2 93 - 9 FC Arouca 49 21 15 4 2 79 - 14 FC Cesarense 43 20 13 4 3 61 - 28 SC Esmoriz 40 22 11 7 4 64 - 28 JA Rio Meão 29 20 9 2 9 34 - 47 GD Milheiroense 27 22 8 3 11 38 - 59 AD Sanjoanense 25 20 7 4 9 24 - 35 CD Tarei 18 21 4 6 11 20 - 65 Arada AC 18 22 5 3 14 34 - 94 UD Fermedo 15 21 4 3 14 18 - 53 Vilam aiorense 12 21 3 3 15 17 - 70 Esc. Rui Dolores 2 21 0 2 19 19 - 96 Próxim a Jornada - 21 e 22 de Abril Arada AC - FC Arouca FC Cesarense - Escolinha Rui Dolores CD Arrifanense - UD Fermedo ARD Vilam aiorense - JA Rio Meão CD Tarei - AD Sanjoanense CD Feirense - SC Esmoriz - 21/04 Folga GD Milheiroense

Resultados - 6.ª Jornada CD Feirense 3 2 GD Gafanha UD Mourisquense 3 2 Sp. Espinho ARC Oliveirinha 1 2 AD Sanjoanense ADF Anta 25-abr Anadia FC Classificação P J V E D GM - GS CD Feirense 18 6 6 0 0 40 - 9 Anadia FC 12 5 4 0 1 20 - 11 AD Sanjoanense 10 6 3 1 2 24 - 17 ADF Anta 10 5 3 1 1 15 - 12 UD Mourisquense 9 6 3 0 3 19 - 19 GD Gafanha 6 6 2 0 4 15 - 24 Sp. Espinho 3 6 1 0 5 13 - 26 ARC Oliveirinha 0 6 0 0 6 4 - 32 Próxim a Jornada - 21 de Abril GD Gafanha - UD Mourisquense Sp. Espinho - ADF Anta AD Sanjoanense - CD Feirense Anadia FC - ARC Oliveirinha

1. 2. 3. 4. 5. 6. 7.

INFANTIS A - Grupo 1 - Gold A

DISTRITAL DE INICIADOS I Divisão Re s ultados - 28.ª Jornada RD Águeda 4 0 FC Cortegaça FC Cesarense 0 0 AD Taboeira Fiãe s SC 0 3 Lus itânia Louros a UD Mourisquense 2 0 CD Estarreja GD Gaf anha 5 0 ADF Anta Sp. Espinho 2 5 CD Fe ire ns e FC Bom-Sucesso 0 6 União de Lam as Anadia FC 2 0 AC Cucujães CD Luso 0 6 AD Sanjoanense Clas s ificação P J V E D GM - GS Lus it. Louros a 69 28 22 3 3 68 - 14 AD Taboeira 67 28 21 4 3 101 - 18 FC Cesarense 65 28 20 5 3 86 - 16 CD Fe ire ns e 64 28 20 4 4 90 - 25 AD Sanjoanense 63 28 20 3 5 81 - 18 União de Lam as 63 28 20 3 5 67 - 18 Anadia FC 45 28 14 3 11 54 - 47 UD Mourisquense 42 28 13 3 12 52 - 48 CD Estarreja 41 28 12 5 11 52 - 43 GD Gaf anha 38 28 11 5 12 44 - 36 Sp. Espinho 36 28 11 3 14 47 - 64 CD Luso 32 28 9 5 14 42 - 60 Fiãe s SC 21 28 5 6 17 36 - 72 FC Cortegaça 20 28 6 2 20 23 - 81 RD Águeda 19 28 5 4 19 23 - 50 AC Cucujães 18 28 3 9 16 26 - 51 ADF Anta 15 28 3 6 19 19 - 69 FC Bom-Sucesso 1 28 0 1 27 10 - 191 Próxim a Jornada - 21 e 22 de M arço FC Cortegaça - Fiãe s SC AD Taboeira - CD Luso - 21/04 Lus itânia de Louros a - UD Mourisquense CD Estarreja - GD Gaf anha - 21/04 ADF Anta - Sp. Espinho CD Fe ire ns e - FC Bom Sucesso União de Lam as - Anadia FC AC Cucujães - FC Cesarense AD Sanjoanense - RD Águeda

Resultados - 23.ª Jornada Severfintas 2 0 S. Vicente Pereira CD Loureiro 3 3 GDR Soutelo CD Estarreja 0 3 Macieira Cambra UD Oliveirense 7 0 S. Marit. Murtoense AA Avanca 9 0 SC Alba 2 Valecambrense Esc. Rui Dolores 4 Folga AD Ovarense Classificação P J V E D GM - GS AA Avanca 59 22 19 2 1 135 - 14 Esc. Rui Dolores 53 21 17 2 2 78 - 14 Oliveirense 48 21 15 3 3 99 - 14 Severfintas 39 21 13 0 8 50 - 35 São Vic. Pereira 34 21 11 1 9 42 - 34 Valecambrense 31 21 9 4 8 44 - 28 SC Alba 30 20 9 3 8 42 - 38 GDR Soutelo 28 21 8 4 9 39 - 40 CD Loureiro 27 20 7 6 7 33 - 43 S. M. Murtoense 15 20 4 3 13 15 - 90 Macieira Cambra 14 21 4 2 15 22 - 49 CD Estarreja 10 21 3 1 17 14 - 81 AD Ovarense 1 20 0 1 19 4 - 137 Próxim a Jornada - 22 de Abril São Vicente Pereira - AD Ovarense GDR Soutelo - Severfintas Macieira de Cambra - CD Loureiro São Maritimo Murtoense - CD Estarreja SC Alba - Oliveirense Valecambrense - AA Avanca Folga Escolinha Rui Dolores

INFANTIS

DISTRITAL DE JUVENIS II Divisão - Série B Resultados - 23.ª Jornada Unidos de Rosas 0 8 FC Cortegaça CD Tarei 0 2 FC Cesarense CD Arrifanense 7 0 Arada AC UD Fermedo 2 1 AD Sanjoanense Mosteirô F.C. 5 1 Esc. Rui Dolores São Vicente Pereira 2 0 JD Carregosense AC Cucujães 6 0 GD Milheiroense Classificação P J V E D GM - GS AC Cucujães 60 23 20 0 3 101 - 10 FC Cesarense 55 23 18 1 4 78 - 24 CD Arrifanense 53 23 17 2 4 70 - 21 FC Cortegaça 52 23 16 4 3 60 - 21 GD Milheiroense 44 23 13 5 5 51 - 40 UD Fermedo 43 23 14 1 8 74 - 34 AD Sanjoanense 40 23 12 4 7 71 - 36 São Vic. Pereira 31 23 10 1 12 57 - 44 Mosteirô F. C. 27 23 8 3 12 45 - 52 CD Tarei 18 23 6 0 17 28 - 55 Unidos Rossas 18 23 5 3 15 36 - 94 Arada AC 13 23 4 1 18 24 - 73 2 1 20 21 - 128 Esc. Rui Dolores 7 23 JD Carregosense 3 23 1 0 22 12 - 96 Próxim a Jornada - 22 de Abril FC Cortegaça - GD Milheiroense FC Cesarense - Unidos de Rossas Arada AC - CD Tarei AD Sanjoanense - CD Arrifanense Escolinha Rui Dolores - UD Fermedo JD Carregosense - Mosteirô F. C. São Vicente Pereira - AC Cucujães

INFANTIS A - Grupo 2 - Gold B

DISTRITAL DE INICIADOS II Divisão - Série C

DISTRITAL DE JUVENIS II Divisão - Série A

Resultados - 6.ª Jornada União de Lamas 3 1 Paços de Brandão ADF Anta 5 3 Vilamaiorense CJ Salesianos 4 1 Esc. Rui Dolores Folga Oliveirense Classificação P J V E D GM - GS CJ Salesianos 15 5 5 0 0 35 - 8 Oliveirense 10 5 3 1 1 18 - 12 ADF Anta 10 6 3 1 2 19 - 19 Vilamaiorense 7 5 2 1 2 13 - 16 Esc. Rui Dolores 5 5 1 2 2 12 - 12 União de Lamas 4 5 1 1 3 10 - 19 Paços Brandão 0 5 0 0 5 6 - 27 Próxima Jornada - 21 de Abril Paços de Brandão - Oliveirense Vilamaiorense - CJ Salesianos Escolinha Rui Dolores - União de Lamas Folga ADF Anta

INFANTIS B - Grupo 1 - Série B

1. 2. 3. 4. 5. 6. 7. 8.

Resultados - 17.ª e Penúltima Jornada AC Cucujães 4 1 Esc. Rui Dolores Oliveirense 3 0 AD Sanjoanense CD Arrifanense 3 3 FC Cesarense Folgam CD Feirense e CJ Salesianos Classificação P J V E D GM - GS CD Feirense 32 12 10 2 0 76 - 8 AD Sanjoanense 32 13 10 2 1 71 - 19 Oliveirense 25 13 8 1 4 53 - 26 FC Cesarense 25 13 8 1 4 50 - 41 CJ Salesianos 15 13 5 0 8 48 - 45 CD Arrifanense 10 13 3 1 9 31 - 69 Esc. Rui Dolores 7 13 2 1 10 33 - 63 AC Cucujães 3 12 1 0 11 11 - 102 Última Jornada - 17 de Fevereiro Escolinha Rui Dolores - CJ Salesianos AD Sanjoanense - AC Cucujães FC Cesarense - Oliveirense CD Feirense - CD Arrifanense

BENJAMINS A - Gold A Resultados - 9.ª Jornada SC Paivense 0 3 São João de Ver São Martinho 1 7 Canedo FC usitânia de Lourosa 5 3 Fiães SC ADC Lobão 0 5 ADC Sanguedo Classificação P J V E D GM - GS 1. Canedo FC 24 9 8 0 1 50 - 10 2. Lusit. Lourosa 21 9 7 0 2 52 - 23 3. São João de Ver 21 9 7 0 2 33 - 17 4. Fiães SC 15 9 5 0 4 45 - 26 5. ADC Sanguedo 15 9 5 0 4 31 - 26 6. SC Paivense 6 9 2 0 7 22 - 23 7. São Martinho 6 9 2 0 7 12 - 71 8. ADC Lobão 0 9 0 0 9 12 - 61 Próxim a Jornada - 21 de Abril São João de Ver - São Martinho Canedo FC - ADC Sanguedo Fiães SC - SC Paivense ADC Lobão - Lusitânia de Lourosa

BENJAMINS A - Gold B

1. 2. 3. 4. 5. 6. 7. 8.

BENJAMINS A - Gold C

1. 2. 3. 4. 5. 6. 7. 8.

INFANTIS B - Grupo 2 - Premium

1. 2. 3. 4. 5. 6. 7. 8. 9. 10.

Resultados - 11.ª Jornada AC Famalicão 2 2 JA Rio Meão AAC Marfoot Silvalde 4 3 CD Tarei CD Luso 5 1 Clube Albergaria SC Fermentelos 3 1 Unidos de Rossas SC Esmoriz 5 1 Valecambrense Classificação P J V E D GM - GS Marfoot Silvalde 31 11 10 1 0 65 - 13 CD Luso 25 11 8 1 2 41 - 21 SC Esmoriz 22 11 6 4 1 42 - 27 JA Rio Meão 21 11 6 3 2 38 - 30 SC Fermentelos 19 11 6 1 4 32 - 37 CD Tarei 15 11 5 0 6 32 - 29 Unidos de Rossas 13 11 4 1 6 39 - 36 AC Famalicão 6 11 1 3 7 26 - 47 Valecambrense 3 11 0 3 8 17 - 49 Clube Albergaria 1 11 0 1 10 9 - 52 Próxima Jornada - 21 de Abril JA Rio Meão - Marfoot Silvalde CD Tarei - CD Luso Clube Albergaria - Unidos de Rossas SC Fermentelos - SC Esmoriz Valecambrense - AC Famalicão

Resultados - 9.ª Jornada CG Paramos 5 2 UD Fermedo AD Argoncilhe 3 3 Sp. Espinho FC Cortegaça 0 10 CD Feirense AAC Marfoot Silvalde 1 1 Paços de Brandão Classificação P J V E D GM - GS CD Feirense 27 9 9 0 0 52 - 2 Marfoot Silvalde 17 9 5 2 2 18 - 18 CG Paramos 15 9 5 0 4 31 - 26 Sp. Espinho 14 9 4 2 3 27 - 23 UD Fermedo 10 9 3 1 5 13 - 22 Paços Brandão 9 9 2 3 4 15 - 16 FC Cortegaça 4 9 0 4 5 10 - 32 AD Argoncilhe 4 9 0 4 5 17 - 44 Próxim a Jornada - 21 de Abril UD Fermedo - AD Argoncilhe Sp. Espinho - Paços de Brandão CD Feirense - CG Paramos AAC Marfoot Silvalde - FC Cortegaça

Resultados - 9.ª Jornada GD Fajões 2 4 Mosteirô FC ADF Anta 1 4 CD Furadouro AC Cucujães 5 3 CD Tarei AD Sanjoanense 2 2 FC Cesarense Classificação P J V E D GM CD Furadouro 24 9 8 0 1 29 AD Sanjoanense 22 9 7 1 1 38 FC Cesarense 19 9 6 1 2 33 AC Cucujães 18 9 6 0 3 34 CD Tarei 8 9 2 2 5 27 Mosteirô FC 7 9 2 1 6 18 ADF Anta 6 9 1 3 5 15 GD Fajões 0 9 0 0 9 20 Próxim a Jornada - 21 de Abril Mosteirô FC - ADF Anta CD Furadouro - CD Tarei AC Cucujães - AD Sanjoanense FC Cesarense - GD Fajões

GS 11 13 26 22 41 30 32 39

BENJAMINS A - Gold D

1. 2. 3. 4. 5. 6. 7.

Resultados - 9.ª Jornada FC Macieirense 4 2 Esc. Rui Dolores 1 CD Arrifanense SC Esmoriz 2 CD Loureiro 3 2 AD Ovarense Folga São Vicente Pereira Classificação P J V E D GM - GS AD Ovarense 21 8 7 0 1 35 - 7 CD Loureiro 13 7 4 1 2 24 - 21 S. Vicente Pereira 12 7 4 0 3 22 - 15 Esc. Rui Dolores 12 8 4 0 4 30 - 31 SC Esmoriz 12 8 4 0 4 16 - 23 CD Arrifanense 6 8 2 0 6 24 - 24 FC Macieirense 4 8 1 1 6 14 - 44 Próxima Jornada - 21 e 22 de Abril Escolinha Rui Dolores - SC Esmoriz - 22/04 CD Arrifanense - CD Loureiro São Vicente Pereira - FC Macieirense Folga AD Ovarense


28

16.ABR.2018

www.correiodafeira.pt

CLASSIFICAÇÕES

CLASSIFICAÇÕES

1. 2. 3. 4. 5. 6. 7. 8. 9. 10.

BENJAMINS B - Premium Norte

TRAQUINAS A - Gold A

Resultados - 9.ª Jornada Esc. Rui Dolores 0 15 AD Sanjoanense UD Fermedo 0 5 CD Feirense FC Cesarense 6 3 ADF Anta Oliveirense 6 1 Marfoot Silvalde FC Cortegaça 5 0 Fiães SC Classificação P J V E D GM - GS CD Feirense 25 9 8 1 0 39 - 8 FC Cortegaça 24 9 8 0 1 33 - 10 AD Sanjoanense 21 9 7 0 2 73 - 12 Oliveirense 18 9 6 0 3 48 - 24 Fiães SC 13 9 4 1 4 17 - 26 UD Fermedo 12 9 4 0 5 25 - 39 FC Cesarense 8 9 2 2 5 16 - 34 Esc. Rui Dolores 4 9 1 1 7 21 - 53 Marfoot Silvalde 4 9 1 1 7 10 - 45 ADF Anta 3 9 1 0 8 23 - 54 Próxima Jornada - 21 de Abril Escolinha Rui Dolores - CD Feirense FC Cesarense - UD Fermedo ADF Anta - Fiães SC Oliveirense - AD Sanjoanense FC Cortegaça - Marfoot Silvalde

Resultados - 9.ª Jornada Fiães SC 4 3 AD Argoncilhe ADF Anta 6 2 Unidos de Rossas ADC Sanguedo 2 3 União de Lamas JA Rio Meão 5 3 Canedo FC Classificação P J V E D GM - GS União de Lamas 21 9 7 0 2 47 - 22 ADC Sanguedo 16 9 4 4 1 24 - 16 JA Rio Meão 15 9 4 3 2 36 - 26 Unidos Rossas 15 9 4 3 2 25 - 20 ADF Anta 13 9 4 1 4 26 - 24 Fiães SC 13 9 4 1 4 36 - 36 Canedo FC 7 9 2 1 6 27 - 25 AD Argoncilhe 1 9 0 1 8 16 - 68 Próxima Jornada - 21 de Abril AD Argoncilhe - ADF Anta Unidos de Rossas - União de Lamas ADC Sanguedo - JA Rio Meão Canedo FC - Fiães SC

1. 2. 3. 4. 5. 6. 7. 8.

1. 2. 3. 4. 5. 6. 7. 8.

Resultados - 9.ª Jornada CD Arrifanense 1 4 GD Milheiroense ADF Anta 4 3 Lusitânia Lourosa ARD Vilamaiorense 1 12 Paços Brandão CJ Salesianos 3 5 CD Feirense Classificação P J V E D GM - GS CD Feirense 27 9 9 0 0 48 - 12 Paços Brandão 21 9 7 0 2 35 - 12 GD Milheiroense 18 9 6 0 3 42 - 21 CD Arrifanense 12 9 3 3 3 19 - 20 CJ Salesianos 12 9 4 0 5 19 - 27 Lusit. Lourosa 8 9 2 2 5 25 - 30 ADF Anta 7 9 2 1 6 14 - 32 Vilamaiorense 0 9 0 0 9 6 - 54 Próxima Jornada - 21 de Abril GD Milheiroense - ADF Anta Lusitânia de Lourosa - Paços de Brandão ARD Vilamaiorense - CJ Salesianos CD Feirense - CD Arrifanense

BENJAMINS B - Gold B

1. 2. 3. 4. 5. 6. 7. 8.

Resultados - 9.ª Jornada São João de Ver 7 1 Relâmpago Nog. Arada AC 2 1 Esc. Rui Dolores JA Rio Meão 1 8 União de Lamas Sp. Espinho 5 0 CD Estarreja Classificação P J V E D GM - GS União de Lamas 22 9 7 1 1 56 - 18 Sp. Espinho 19 9 6 1 2 44 - 18 Arada AC 18 9 5 3 1 45 - 17 CD Estarreja 16 9 5 1 3 47 - 24 São João de Ver 15 9 5 0 4 32 - 26 JA Rio Meão 7 9 2 1 6 15 - 39 Esc. Rui Dolores 7 9 2 1 6 14 - 43 Relâmpago Nog 0 9 0 0 9 13 - 81 Próxima Jornada - 21 de Abril Relâmpago Nogueirense - Arada AC Escolinha Rui Dolores - União de Lamas JA Rio Meão - Sp. Espinho CD Estarreja - São João de Ver

1. 2. 3. 4. 5. 6. 7.

1. 2. 3. 4. 5. 6. 7. 8.

TRAQUINAS TRAQUINAS A - Premium Norte Resultados - 9.ª Jornada FC Cortegaça 5 8 CD Loureiro UD Fermedo 1 3 CD Feirense AD Sanjoanense 2 1 ADF Anta usitânia de Lourosa 2 3 CJ Salesianos Esc. Rui Dolores 5 1 Paços Brandão Classificação P J V E D GM - GS 1. AD Sanjoanense 23 9 7 2 0 26 - 11 2. CD Feirense 20 9 6 2 1 16 - 6 3. CD Loureiro 19 9 6 1 2 39 - 23 4. Esc. Rui Dolores 18 9 6 0 3 38 - 24 5. ADF Anta 18 9 6 0 3 30 - 20 6. Paços Brandão 8 9 2 2 5 15 - 23 7. Lusit. Lourosa 7 9 2 1 6 21 - 30 8. CJ Salesianos 7 9 2 1 6 15 - 36 9. UD Fermedo 5 9 1 2 6 17 - 27 10. FC Cortegaça 3 9 0 3 6 16 - 33 Próxima Jornada - 21 de Abril FC Cortegaça - CD Feirense AD Sanjoanense - UD Fermedo ADF Anta - Paços de Brandão Lusitânia de Lourosa - CD Loureiro Escolinha Rui Dolores - CJ Salesianos

Resultados - 8.ª Jornada AA Avanca 5 2 SC Alba CD Arrifanense 1 3 CD Estarreja AD Sanjoanense 4 1 GDR Soutelo Folga Oliveirense Classificação P J V E D GM AA Avanca 16 7 5 1 1 32 CD Estarreja 12 5 4 0 1 25 SC Alba 12 6 4 0 2 23 AD Sanjoanense 12 6 4 0 2 24 CD Arrifanense 7 7 2 1 4 21 Oliveirense 6 6 2 0 4 18 GDR Soutelo 0 7 0 0 7 7 Próxim a Jornada - 21 de Abril SC Alba - AD Sanjoanense CD Estarreja - AA Avanca Oliveirense - CD Arrifanense Folga GDR Soutelo

LIGA DE FUTEBOL POPULAR DO MUNICÍPIO DE OVAR

-

GS 20 3 21 25 32 22 27

PETIZES

1. 2. 3. 4. 5. 6. 7. 8. 9. 10. 11. 12. 13.

TORNEIO DE PETIZES - Série A Resultados - 12.ª Jornada CD Feirense 6 5 ADC Lobão ADF Anta 25-abr AD Argoncilhe 4 Vilam aiorense usitânia de Lourosa 4 Folga União de Lam as Classificação P J V E D GM - GS 1. ADC Lobão 21 10 7 0 3 63 - 28 2. CD Feirense 18 10 6 0 4 60 - 42 3. ADF Anta 16 9 5 1 3 51 - 26 4. Vilam aiorense 16 9 5 1 3 42 - 35 5. AD Argoncilhe 14 8 4 2 2 38 - 26 6. Lusit. Lourosa 11 10 3 2 5 29 - 45 7. União de Lam as 0 10 0 0 10 18 - 99 Penúltim a Jornada - 21 e 22 de Abril ADC Lobão - ADF Anta - 22/04 AD Argoncilhe - Lusitânia de Lourosa União de Lam as - ARD Vilam aiorense Folga CD Feirense

Resultados - 9.ª Jornada CG Paramos São João de Ver CD Arrifanense 3 3 União de Lamas CD Feirense 4 2 Sp. Espinho Folga AD Sanjoanense Classificação P J V E D GM - GS São João de Ver 21 7 7 0 0 28 - 10 União de Lamas 17 8 5 2 1 35 - 15 Sp. Espinho 15 8 5 0 3 37 - 20 CD Feirense 12 7 4 0 3 17 - 23 CD Arrifanense 7 8 2 1 5 22 - 32 AD Sanjoanense 3 7 1 0 6 7 - 35 CG Paramos 1 7 0 1 6 12 - 23 Próxima Jornada - 21 de Abril São João de Ver - CD Feirense União de Lamas - CG Paramos AD Sanjoanense - CD Arrifanense Folga Sp. Espinho

TORNEIO DE PETIZES - Série B

1. 2. 3. 4. 5. 6. 7. 8.

TRAQUINAS A - Gold C Resultados - 9.ª Jornada Esc. Rui Dolores 25-abr CD Furadouro Arada AC 0 7 Real Nogueirense CD Tarei Adiado GD Milheiroense Folga Mosteirô FC Classificação P J V E D GM - GS 1. GD Milheiroense 18 7 6 0 1 48 - 12 2. CD Furadouro 18 7 6 0 1 27 - 7 3. Esc. Rui Dolores 13 7 4 1 2 24 - 24 4. Real Nogueirense 9 8 2 3 3 18 - 13 5. Mosteirô FC 7 7 2 1 4 18 - 21 6. CD Tarei 7 6 2 1 3 9 - 29 7. Arada AC 0 8 0 0 8 3 - 41 Próxima Jornada - 21 e 22 de Abril CD Furadouro - Arada AC - 22/04 Mosteirô FC - Escolinha Rui Dolores Real Nogueirense - CD Tarei Folga GD Milheiroense

Resultados - 12.ª Jornada São João de Ver 2 12 CD Feirense JA Rio Meão 1 4 Paços Brandão AD Sanjoanense 3 4 Lusitânia Lourosa Esc. Rui Dolores 7 2 CD Arrifanense Classificação P J V E D GM - GS JA Rio Meão 30 12 10 0 2 61 - 39 AD Sanjoanense 24 12 8 0 4 67 - 56 Paços Brandão 21 11 7 0 4 55 - 40 Esc. Rui Dolores 18 12 6 0 6 45 - 44 São João de Ver 13 12 4 1 7 45 - 58 CD Feirense 12 11 4 0 7 59 - 50 Lusit. Lourosa 12 11 4 0 7 41 - 61 CD Arrifanense 7 11 2 1 8 44 - 69 Penúltim a Jornada - 21 de Abril CD Feirense - Escolinha Rui Dolores JA Rio Meão - AD Sanjoanense Lusitânia de Lourosa - São João de Ver Paços de Brandão - CD Arrifanense

TORNEIO DE PETIZES - Série C

1. 2. 3. 4. 5. 6. 7.

Resultados - 12.ª Jornada Oliveirense 1 5 AD Sanjoanense CD Tarei 1 2 CD Feirense CD Furadouro 7 1 ADF Anta Folga AC Cucujães Classificação P J V E D GM - GS CD Furadouro 22 10 7 1 2 54 - 29 Oliveirense 13 7 4 1 2 30 - 20 ADF Anta 12 5 4 0 1 29 - 13 AD Sanjoanense 12 10 4 0 6 32 - 55 CD Feirense 10 10 3 1 6 42 - 48 CD Tarei 10 10 3 1 6 21 - 46 AC Cucujães 9 8 3 0 5 26 - 23 Penúltima Jornada - 21 de Abril AC Cucujães - Oliveirense CD Feirense - ADF Anta AD Sanjoanense - CD Furadouro Folga CD Tarei

Re s ultados - 19.ª Jornada ADR Quintas 1 1 GD Fajões M. Móveis 7 1 Padrão F. C. U. C. Cruze iro 4 2 Vendas de Baixo STOP F. C. 0 1 Sangue do CVPT Canários 2 0 F. C. JotaEm e GDJ Pedroso 1 3 União da Mata Folga Cadinha F. C. Clas s ificação P J V E D GM - GS União da Mata 43 18 13 4 1 48 - 13 GDJ Pedroso 41 18 13 2 3 44 - 18 Canários 36 18 11 3 4 31 - 19 STOP F. C. 34 17 11 1 5 41 - 27 Sangue do CVPT 30 18 8 6 4 36 - 23 M. Móveis 28 17 8 4 5 49 - 21 GD Fajões 25 17 7 4 6 22 - 16 U. C. Cruze iro 21 17 6 3 8 23 - 28 F. C. JotaEm e 20 18 5 5 8 32 - 41 Cadinha F. C. 12 17 3 3 11 16 - 42 Vendas de Baixo 12 17 2 6 9 20 - 36 ADR Quintas 9 16 2 3 11 21 - 54 Padrão F. C. 8 18 2 2 14 22 - 65 Próxim a Jornada - 22 de Abril Cadinha F. C. - GD Fajões, 10h Sangue do CVPT - M. Móveis, 10h União da Mata - Canários, 9h U. C. Cruze iro - STOP F. C., 10h F. C. JotaEm e - Vendas de Baixo, 10h GDJ Pedroso - ADR Quintas Folga Padrão F. C.

FUTEBOL POPULAR DE ESPINHO 1.ª DIVISÃO

1. 2. 3. 4. 5. 6. 7. 8. 9. 10. 11. 12. 13.

Resultados - 19.ª Jornada Desportivo Regresso 1 3 Cantinho Ramboia GD Ronda 1 1 Rio Largo Novasemente 3 1 Desp. Ponte Anta Magos de Anta 3 0 Bairro Ponte Anta Leões Bairristas 1 2 Corga de Silvalde Águias de Paramos 4 1 GD Outeiros Folga Quinta de Paramos Classificação P J V E D GM - GS GD Ronda 37 17 11 4 2 41 - 13 Magos de Anta 34 18 10 4 4 30 - 18 Cantinho Ramboia 34 17 11 1 5 34 - 28 Quinta Paramos 32 17 10 2 5 32 - 21 Corga de Silvalde 32 17 10 2 5 39 - 24 Leões Bairristas 28 17 7 7 3 23 - 18 Águias Paramos 24 18 7 3 8 31 - 35 Rio Largo 22 18 5 7 6 20 - 24 Novasemente 21 17 5 6 6 23 - 22 Bairro Ponte Anta 18 19 5 3 11 27 - 47 Desp. Ponte Anta 18 17 5 3 9 28 - 38 Desp. Regresso 10 18 2 4 12 22 - 37 GD Outeiros 7 18 1 4 13 19 - 44 Próxim a Jornada - 21 e 22 de Abril Corga de Silvalde - Novasemente Desportivo Ponte de Anta - GD Ronda Bairro Ponte de Anta - Águias de Paramos GD Outeiros - Quinta de Paramos Rio Largo - Magos de Anta Cantinho da Ramboia - Leões Bairristas - 22/04 Folga Desportivo Regresso

FUTEBOL POPULAR DE ESPINHO 2.ª DIVISÃO Re s ultados - 16.ª Jornada Juventude Estrada 2 0 Lomba de Paramos Estrelas Vermelhas 2 2 GD Idanha Estrelas Divisão 2 4 Império de Anta Associação Esmojães 2 1 AD Guetim Morgados de Paramos 4 0 Águias de Anta Est. Ponte de Anta 1 4 Cruzeiro Silvalde Clas s ificação P J V E D GM - GS Morgados Paramos 37 16 12 1 3 43 - 26 Assoc. Esmojães 35 15 11 2 2 39 - 14 AD Guetim 35 16 10 5 1 45 - 21 GD Idanha 32 16 9 5 2 40 - 23 Cruzeiro Silvalde 28 16 9 1 6 41 - 32 Juventude Estrada 25 16 7 4 5 32 - 23 16 6 3 7 35 - 31 Estrelas Vermelhas 21 Est. Ponte Anta 19 16 5 4 7 35 - 36 Império de Anta 17 15 5 2 8 28 - 35 Lomba Paramos 11 16 3 2 11 23 - 46 Estrelas Divisão 9 16 2 3 11 17 - 33 Águias de Anta 0 16 0 0 16 18 - 76 Próxim a Jornada - 21 e 22 de Abril Juventude Estrada - Associação Esmojães AD Guetim - Estrelas Vermelhas Águias de Anta - Lomba de Paramos Morgados de Paramos - Estrelas Divisão GD Idanha - Est. Ponte de Anta - 22/04 Império de Anta - Cruzeiro Silvalde - 22/04

1. 2. 3. 4. 5. 6. 7. 8. 9. 10. 11. 12.

VOLEIBOL

1. 2. 3. 4. 5. 6. 7.

Resultados - 8.ª Jornada UD Fermedo 0 6 Lusitânia Lourosa Fiães SC 4 0 Marfoot Silvalde CJ Salesianos 4 2 União de Lamas Folga ADF Anta Classificação P J V E D GM - GS CJ Salesianos 18 6 6 0 0 24 - 9 ADF Anta 13 5 4 1 0 39 - 6 Lusit. Lourosa 13 7 4 1 2 32 - 8 UD Fermedo 10 7 3 1 3 21 - 31 União de Lamas 6 7 2 0 5 20 - 38 Fiães SC 4 7 1 1 5 16 - 26 Marfoot Silvalde 3 7 1 0 6 10 - 44 Próxima Jornada - 21 de Abril Lusitânia de Lourosa - CJ Salesianos AAC Marfoot Silvalde - UD Fermedo ADF Anta - Fiães SC Folga União de Lamas TRAQUINAS B - 2.ª Fase - Série B

Resultados - 8.ª Jornada usitânia de Lourosa 5 0 Vilamaiorense Paços de Brandão 2 3 CD Feirense 4 Esc. Rui Dolores FC Cortegaça 5 ADF Anta 9 1 GD Fajões Classificação P J V E D GM - GS 1. CD Feirense 20 8 6 2 0 28 - 10 2. Paços Brandão 16 8 5 1 2 19 - 9 3. Lusit. Lourosa 10 8 3 1 4 29 - 15 4. Vilamaiorense 10 6 3 1 2 14 - 17 5. FC Cortegaça 10 8 3 1 4 16 - 25 6. ADF Anta 7 6 2 1 3 19 - 26 7. Esc. Rui Dolores 5 8 1 2 5 19 - 26 8. GD Fajões 4 6 1 1 4 14 - 30 Próxima Jornada - 21 de Abril ARD Vilamaiorense - FC Cortegaça CD Feirense - Lusitânia de Lourosa Escolinha Rui Dolores - ADF Anta GD Fajões - Paços de Brandão

TRAQUINAS B - 2.ª Fase - Série C

1. 2. 3. 4. 5. 6. 7.

Resultados - 8.ª Jornada AC Cucujães 0 12 CD Arrifanense Esc. Rui Dolores 5 0 JD Carregosense CD Feirense 2 4 FC Macieirense Folga AD Sanjoanense Classificação P J V E D GM - GS CD Feirense 16 7 5 1 1 23 - 10 CD Arrifanense 15 7 5 0 2 49 - 16 FC Macieirense 12 6 4 0 2 25 - 19 JD Carregosense 9 6 3 0 3 18 - 14 AD Sanjoanense 8 6 2 2 2 21 - 29 Esc. Rui Dolores 3 6 1 0 5 9 - 24 AC Cucujães 1 6 0 1 5 4 - 37 Próxima Jornada - 21 de Abril CD Arrifanense - CD Feirense JD Carregosense - AC Cucujães AD Sanjoanense - Escolinha Rui Dolores Folga FC Macieirense

FEMININO CAMPEONATO FEMININO - Fut 7

1. 2. 3. 4. 5. 6. 7. 8. 9. 10. 11. 12. 13. 14. 15. 16.

Resultados - 20.ª Jornada JA Rio Meão 3 1 Fães SC Valecambrense 1 9 Juveforce S. Maritimo Murtoense 4 2 UD Ferreirense ADS Sosense 4 2 UD Bustos Relâm pago Nog. 3 1 ADC Sanguedo Pessegueirense 3 5 AD Argoncilhe Esc. Rui Dolores 19-m ar AD Cucujães 0 MD Eirolense AD Ovarense 10 Classificação P J V E D GM - GS AD Ovarense 60 20 20 0 0 212 - 15 JA Rio Meão 51 20 17 0 3 82 - 34 AD Cucujães 46 18 15 1 2 97 - 17 S. M. Murtoense 45 20 15 0 5 80 - 27 UR Ferreirense 43 19 14 1 4 149 - 32 Juveforce 39 20 13 0 7 108 - 76 Esc. Rui Dolores 34 18 11 1 6 52 - 57 ADC Sosense 31 20 10 1 9 56 - 72 Fiães SC 28 19 9 1 9 68 - 52 AD Argoncilhe 24 20 8 0 12 60 - 80 ADC Sanguedo 20 20 6 2 12 38 - 52 MD Eirolense 14 20 4 2 14 21 - 68 Relâm pago Nog 10 19 3 1 15 30 - 130 UD Bustos 7 20 2 1 17 38 - 123 Valecambrense 7 20 2 1 17 18 - 152 Pessegueirense 2 19 0 2 17 17 - 139 Próxim a Jornada - 24 de Março Fães SC - Valecambrense Juveforce - São Maritimo Murtoense UD Ferreirense - ADC Sosense UD Bustos - Relâm pago Nogueirense ADC Sanguedo - Pessegueirense AD Argoncilhe - Escolinha Rui Dolores AD Cucujães - AD Ovarense MD Eirolense - JA Rio Meão

1. 2. 3. 4. 5. 6.

Re s ultados - 9.ª e Pe núltim a Jornada CS Marítimo 0 3 CN Ginástica Famalicense AC 3 0 CA Madalena CD Marienses 1 3 CD Fiãe s Clas s ificação P J V D Sets + - Sets Famalicense AC 26 9 9 0 27 4 CD Madalena 19 9 6 3 20 11 CN Ginástica 18 9 6 3 21 11 CD Fiãe s 9 9 3 6 12 19 CS Marítimo 6 8 2 6 7 20 CD Marienses 0 8 0 8 2 24 Últim a Jornada - 21 de Abril CN Ginástica - CD Fiãe s , 17h CD Marienses - Famalicense AC CA Madalena - CS Marítimo

HÓQUEI PATINS

Agência Funerária Rua do Casal, n.º 68, 3700-732 Milheirós de Poiares Tlf./Fax: 256 811 124 | Tlm.: 968 685 709 / 965 815 114 E-mail: agencia.funeraria.ag@hotmail.com

Funerais | Cremações | Transladações Serviço Permanente 24h

III DIVISÃO NACIONAL - Série B

1. 2. 3. 4. 5. 6. 7. 8. 9. 10. 11.

Re s ultados - 15.ª Jornada FC Oliveira do Hospital 6 1 Pessegueiro Vouga FC Bom Sucesso 2 12 Acadé m ico Fe ira CD Cucujães 6 4 EL Azeméis CRC "Os Águias" 1 12 Biblioteca IR ACR Santa Cita 5 4 HC Mealhada Folga SC Leiria e Marrazes Clas s ificação P J V E D GM - GS Biblioteca IR 33 13 11 0 2 100 - 44 Acadé m ico Fe ira 31 14 10 1 3 73 - 40 CD Cucujães 28 14 9 1 4 79 - 54 FC Oliv. Hospital 28 14 9 1 4 72 - 57 EL Azeméis 26 14 8 2 4 76 - 51 ACR Pess. Vouga 22 14 7 1 6 58 - 60 ACR Santa Cita 20 14 6 2 6 80 - 69 HC Mealhada 15 13 4 3 6 47 - 51 CRC "Os Águias" 9 15 2 3 10 44 - 96 SC Leiria Marrazes 7 13 2 1 10 40 - 64 FC Bom Sucesso 1 14 0 1 13 28 - 111 Próxim a Jornada - 21 e 22 de Abril ACR Pessegueiro do V ouga - SC Leiria e Marrazes Acadé m ico da Fe ira - FC Oliveira do Hospital, 18h30 EL Azeméis - FC Bom Sucesso - 21/04 Biblioteca IR - CD Cucujães HC Mealhada - CRC "Os Águias", 3-3 Folga ACR Santa Cita

ANDEBOL II DIVISÃO NACIONAL 2.ª Fase - Grupo B - Zona 1

CAMPEONATO VETERANOS

1. 2. 3. 4. 5. 6. 7. 8. 9. 10. 11. 12. 13. 14. 15. 16.

ANTÓNIO OLIVEIRA & GUEDES, LDA.

II DIVISÃO NACIONAL

VETERANOS Resultados - 27.ª Jornada Argoncilhe 3 1 Serzedo Arrifanense 1 3 Lusitânia Lourosa Canedo 1 2 Cucujães São João de Ver 4 0 Lobão Guisande 2 1 Fiães SC Valecambrense 6 2 Carregosense D. Sandinenses 1 2 União de Lam as São Roque 1 5 AD Sanjoanense Classificação P J V E D GM - GS São João de Ver 77 27 25 2 0 102 - 22 União de Lam as 72 27 24 0 3 93 - 31 AD Sanjoanense 48 27 14 6 7 54 - 36 Guisande 48 27 14 6 7 51 - 43 Lusit. Lourosa 46 26 13 7 6 47 - 29 Valecambrense 45 27 12 9 6 51 - 35 Cucujães 44 26 13 5 8 58 - 56 Canedo 33 27 9 6 12 45 - 44 Lobão 33 27 9 6 12 35 - 46 D. Sandinenses 30 27 8 6 13 42 - 43 Carregosense 28 26 8 4 14 46 - 62 Serzedo 28 26 7 7 12 25 - 65 Argoncilhe 23 25 5 8 12 36 - 50 Arrifanense 21 26 4 9 13 26 - 59 Fiães SC 14 26 4 2 20 30 - 55 São Roque 4 27 1 1 25 22 - 87 Próxim a Jornada - 21 de Abril Lusitânia de Lourosa - Serzedo Cucujães - Arrifanense Lobão - Canedo Fiães SC - São João de Ver Carregosense - Guisande União de Lam as - Valecambrense AD Sanjoanense - D. Sandinenses São Roque - Argoncilhe

Pub.

2.ª Fase - Série Primeiros

TRAQUINAS B - 2.ª Fase - Série A

BENJAMINS B - Gold C Resultados - 9.ª Jornada Oliveirense 4 1 UD Mourisquense AD Taboeira 2 5 Severfintas AD Valonguense 2 7 AD Sanjoanense Casa Benfica Aveiro 2 1 SC Beira Mar Classificação P J V E D GM - GS AD Sanjoanense 27 9 9 0 0 45 - 13 Severfintas 20 9 6 2 1 45 - 21 Oliveirense 17 9 5 2 2 32 - 23 C. Benfica Aveiro 16 9 5 1 3 33 - 24 UD Mourisquense 8 9 2 2 5 26 - 26 AD Taboeira 8 9 2 2 5 17 - 30 SC Beira Mar 5 9 1 2 6 7 - 27 AD Valonguense 1 9 0 1 8 11 - 52 Próxima Jornada - 21 de Abril UD Mourisquense - AD Taboeira Severfintas - AD Sanjoanense AD Valonguense - Casa Benfica em Aveiro SC Beira Mar - Oliveirense

1. 2. 3. 4. 5. 6. 7.

TRAQUINAS A - Gold B

BENJAMINS B - Gold A

FUT. POPULAR

TRAQUINAS B - 2.ª Fase - Série D

1. 2. 3. 4. 5. 6. 7. 8.

Resultados - 4.ª Jornada F. C. Porto B 24 28 FC Gaia AA São Mamede 27 29 CS Marítimo CP Natação 31 27 São Paio de Oleiros GC Santo Tirso 31 22 Boavista FC Classificação P J V E D GM - GS FC Gaia 32 3 4 0 0 120 - 103 GC Santo Tirso 30 4 3 0 1 105 - 96 Boavista FC 29 4 2 0 2 101 - 111 CDC S. P. Oleiros 25 4 0 0 4 100 - 115 F. C. Porto B 24 4 3 0 1 110 - 96 CP Natação 23 4 2 0 2 110 - 106 CS Marítimo 20 4 1 0 3 116 - 125 AA São Mamede 18 4 1 0 3 95 - 105 Próxim a Jornada - 21 de Abril CS Marítimo - F. C. Porto B FC Gaia - CP Natação Boavista FC - AA São Mamede CDC São Paio de Oleiros - GC Santo Tirso, 18h

II DIVISÃO NACIONAL 2.ª Fase - Grupo B - Zona 1

1. 2. 3. 4. 5. 6. 7. 8.

Resultados - 4.ª Jornada F. C. Porto B 24 28 FC Gaia AA São Mamede 27 29 CS Marítimo CP Natação 31 27 São Paio de Oleiros GC Santo Tirso 31 22 Boavista FC Classificação P J V E D GM - GS FC Gaia 32 3 4 0 0 120 - 103 GC Santo Tirso 30 4 3 0 1 105 - 96 Boavista FC 29 4 2 0 2 101 - 111 CDC S. P. Oleiros 25 4 0 0 4 100 - 115 F. C. Porto B 24 4 3 0 1 110 - 96 CP Natação 23 4 2 0 2 110 - 106 CS Marítimo 20 4 1 0 3 116 - 125 AA São Mamede 18 4 1 0 3 95 - 105 Próxim a Jornada - 21 de Abril CS Marítimo - F. C. Porto B FC Gaia - CP Natação Boavista FC - AA São Mamede CDC São Paio de Oleiros - GC Santo Tirso, 18h

ASSEMBLEIA DE FREGUESIA DE SÃO JOÃO DE VER EDITAL

FILIPE LUIS E SOUSA COELHO, Presidente da Assembleia de Freguesia de S. João de Ver, faz saber, que irá realizar-se uma Sessão Ordinária da Assembleia de Freguesia, no próximo dia 19 de abril de 2018 (quinta-feira), pelas 21 horas no salão nobre da Junta de Freguesia, com a seguinte ordem de trabalhos: 1- Apreciação da informação do Presidente da Junta acerca da atividade exercida por si e pela Junta, bem como da situação financeira da Freguesia, após a realização da última Assembleia. 2- Apreciação do Inventário de todos os bens móveis da Freguesia. 3- Apreciação e votação dos documentos de prestação de contas do ano económico de 2017. 4- Revisão orçamental para integração do saldo transitado de 2017. S. João de Ver, 09/04/2018 O PRESIDENTE DA ASSEMBLEIA DE FREGUESIA, (FILIPE LUIS E SOUSA COELHO) “CORREIO DA FEIRA”, n.º 6054 de 16/04/2018

ASSEMBLEIA DE FREGUESIA UNIÃO DAS FREGUESIAS SANTA MARIA DA FEIRA, TRAVANCA, SANFINS E ESPARGO EDITAL

Carlos Jorge Campos de Oliveira, Presidente da Mesa da Assembleia de Freguesia da União das Freguesias de Santa Maria da Feira, Travanca, Sanfins e Espargo: Torna público, em conformidade com o disposto na alínea b) do n.º 1 do artigo 14.° da Lei n.º 75/2013, de 12 de Setembro, conjugado com o n.º 1 do artigo 11.º, da mesma Lei, que a sessão ordinária desta Assembleia de Freguesia vai ter lugar no próximo dia 23 de Abril (segunda-feira), pelas 21.30 horas, na sede da União das Freguesias, com a seguinte ordem de trabalhos: O. Período antes da ordem do dia, 1. Apresentação, discussão e votação das contas do ano de 2017. Santa Maria da Feira, 09 de Abril de 2018 O Presidente da Assembleia de Freguesia Carlos Jorge Campos de Oliveira, Dr. “CORREIO DA FEIRA”, n.º 6054 de 16/04/2018


www.correiodafeira.pt

16.ABR.2018

29

DIVERSOS

Agradecimento e Missa de 7.º Dia

Agradecimento e Missa de 7.º Dia

Agradecimento e Missa de 7.º Dia

Agripino Juvenal Morais

Paula Maria Batista dos Santos

Davide José Rocha da Silva

Viúvo de Ermelinda Josefa Morais Residia na Rua da Mourisca, n.º 120, R/C Dt.º SÃO JOÃO DA MADEIRA

Companheira de José Manuel Ferreira de Almeida Martins Residia na Rua Nossa Senhora da Boa Fortuna, n.º 575 GUISANDE

Casado com Dulce de Almeida da Costa Residia na Av. da Misericórdia, n.º 163, 2.º B SÃO JOÃO DA MADEIRA

84 Anos

Seus Filhos, Genros, Noras, Netos e demais família vêm por este meio agradecer a todas as pessoas que se dignaram tomar parte nas cerimónias fúnebres do seu ente querido, que se realizaram dia 12 de Abril na Capela Mortuária do Cemitério n.º 3 de São João da Madeira onde foi sepultado. Renovam profunda gratidão pelas presenças amigas na missa de 7.º Dia que se realiza amanhã, terça-feira, dia 17 de Abril, pelas 19h, na Igreja Matriz de São João da Madeira.

ANTÓNIO OLIVEIRA & GUEDES, LDA. - Agência Funerária Rua do Casal, n.º 68 - 3700-732 Milheirós de Poiares Fax: 256 811 124 / Telem.: 968 685 709 / 965 815 114 / 969 015 754 agencia.funerariaag@hotmail.com

51 Anos

Seus Filhos, Genro, Companheiro e demais família vêm por este meio agradecer a todas as pessoas que se dignaram tomar parte nas cerimónias fúnebres do seu ente querido, que se realizam hoje, dia 16 de Abril pelas 17h na Igreja Matriz de Guisande seguindo para o cemitério n.º 3 de São João da Madeira onde será cremada. Renovam profunda gratidão pelas presenças amigas na missa de 7.º Dia que se realiza quarta-feira, dia 18 de Abril, pelas 18h30, na Capela do Viso em Guisande.

ANTÓNIO OLIVEIRA & GUEDES, LDA. - Agência Funerária Rua do Casal, n.º 68 - 3700-732 Milheirós de Poiares Fax: 256 811 124 / Telem.: 968 685 709 / 965 815 114 / 969 015 754 agencia.funerariaag@hotmail.com

Agradecimento e Missa de 7.º Dia

Agradecimento e Missa de 7.º Dia

60 Anos

60 Anos

Fernando Pinto de Oliveira Filho de Manuel de Oliveira (Falecido) e Emília Pinto Residia na Rua Poder Local, Ent. 23, 2.º Esq. SÃO JOÃO DA MADEIRA

Sua Mãe, Irmãos, Cunhados, Sobrinhos e demais família vêm por este meio agradecer a todas as pessoas que se dignaram tomar parte nas cerimónias fúnebres do seu ente querido, que se realizaram dia 13 de Abril na Capela Mortuária do Cemitério n.º 3 de São João da Madeira onde foi sepultado. Renovam profunda gratidão pelas presenças amigas na missa de 7.º Dia que se realiza quinta-feira, dia 19 de Abril, pelas 19h, na Igreja Matriz de São João da Madeira.

ANTÓNIO OLIVEIRA & GUEDES, LDA. - Agência Funerária Rua do Casal, n.º 68 - 3700-732 Milheirós de Poiares Fax: 256 811 124 / Telem.: 968 685 709 / 965 815 114 / 969 015 754 agencia.funerariaag@hotmail.com

Agradecimento e Missa de 7.º Dia

72 Anos

Sua esposa e demais família vêm por este meio agradecer a todas as pessoas que se dignaram tomar parte nas cerimónias fúnebres do seu ente querido, que se realizam hoje, dia 16 de Abril pelas 11h na Capela Mortuária junto da Igreja Matriz de São João da Madeira seguindo para o cemitério n.º 2 onde será sepultado. Renovam profunda gratidão pelas presenças amigas na missa de 7.º Dia que se realiza quinta-feira, dia 19 de Abril, pelas 19h, na Igreja Matriz de São João da Madeira.

ANTÓNIO OLIVEIRA & GUEDES, LDA. - Agência Funerária Rua do Casal, n.º 68 - 3700-732 Milheirós de Poiares Fax: 256 811 124 / Telem.: 968 685 709 / 965 815 114 / 969 015 754 agencia.funerariaag@hotmail.com

Agradecimento e Missa de 7.º Dia

José Soares da Costa

Manuel Alves de Sousa Pinto

Casado com Maria Fernanda de Sousa e Silva Residia na Rua Abel Salazar, n.º 38, R/C Dt.º SÃO JOÃO DA MADEIRA

Viúvo de Isilda Maria Ana de Miranda Pinto Residia na Rua Júlio Dinis, n.º 13, 2.º Andar SÃO JOÃO DA MADEIRA

Sua Esposa, Filhos, Noras, Genro, Netos e demais família vêm por este meio agradecer a todas as pessoas que se dignaram tomar parte nas cerimónias fúnebres do seu ente querido, que se realizaram dia 10 de Abril na Capela Mortuária do Cemitério n.º 3 de São João da Madeira onde foi sepultado. Renovam profunda gratidão pelas presenças amigas na missa de 7.º Dia que se realiza hoje, dia 16 de Abril, pelas 19h, na Igreja Matriz de São João da Madeira.

ANTÓNIO OLIVEIRA & GUEDES, LDA. - Agência Funerária Rua do Casal, n.º 68 - 3700-732 Milheirós de Poiares Fax: 256 811 124 / Telem.: 968 685 709 / 965 815 114 / 969 015 754 agencia.funerariaag@hotmail.com

Agradecimento e Missa de 7.º Dia

86 Anos

Sua Família vem por este meio agradecer a todas as pessoas que se dignaram tomar parte nas cerimónias fúnebres do seu ente querido, que se realizaram dia 11 de Abril na Capela Mortuária do Cemitério n.º 3 de São João da Madeira onde foi sepultado. Renovam profunda gratidão pelas presenças amigas na missa de 7.º Dia que se realiza hoje, dia 16 de Abril, pelas 19h, na Igreja Matriz de São João da Madeira.

ANTÓNIO OLIVEIRA & GUEDES, LDA. - Agência Funerária Rua do Casal, n.º 68 - 3700-732 Milheirós de Poiares Fax: 256 811 124 / Telem.: 968 685 709 / 965 815 114 / 969 015 754 agencia.funerariaag@hotmail.com

Agradecimento e Missa de 7.º Dia

Preciosa Dias de Almeida

Albino Rodrigues da Silva (Fuma)

Maria do Carmo Vieira Monteiro

Viúva de José Soares Resende Residia na Rua das Fontaínhas, n.º 38 SÃO JOÃO DA MADEIRA

Casado com Maria Lucília de Sousa Ribeiro Residia na Rua António José de Bastos, n.º 444, 1.º Esq. MILHEIRÓS DE POIARES

Casada com Mário Alfredo Coimbra Laçal Residia na Rua Rio Velho, n.º 84 VILA DE CUCUJÃES

89 Anos

Suas Filhas, Genros, Netos, Bisneta e demais família vêm por este meio agradecer a todas as pessoas que se dignaram tomar parte nas cerimónias fúnebres do seu ente querido, que se realizaram dia 14 de Abril na Capela Mortuária do Cemitério n.º 3 de São João da Madeira onde foi cremada. Renovam profunda gratidão pelas presenças amigas na missa de 7.º Dia que se realiza quarta-feira, dia 18 de Abril, pelas 19h, na Igreja Matriz de São João da Madeira.

ANTÓNIO OLIVEIRA & GUEDES, LDA. - Agência Funerária Rua do Casal, n.º 68 - 3700-732 Milheirós de Poiares Fax: 256 811 124 / Telem.: 968 685 709 / 965 815 114 / 969 015 754 agencia.funerariaag@hotmail.com

Agradecimento e Missa de 7.º Dia

Rogério Martins de Azevedo 70 Anos

Casado com Belíssima de Almeida Anjos Residia na Rua das Cavadas, n.º 100 CESAR

Sua Esposa, Filhas, Genros, Netos e demais família vêm por este meio agradecer a todas as pessoas que se dignaram tomar parte nas cerimónias fúnebres do seu ente querido, que se realizaram dia 15 de Abril, na Igreja Matriz de Cesar seguindo para o cemitério local onde foi sepultado. Renovam profunda gratidão pelas presenças amigas na missa de 7.º Dia que se realiza sexta-feira, dia 20 de Abril, pelas 19h30, na Igreja Matriz de Cesar.

ANTÓNIO OLIVEIRA & GUEDES, LDA. - Agência Funerária Rua do Casal, n.º 68 - 3700-732 Milheirós de Poiares Fax: 256 811 124 / Telem.: 968 685 709 / 965 815 114 / 969 015 754 agencia.funerariaag@hotmail.com

71 Anos

Sua Esposa, Filhos, Nora, Genro, Netos e demais família vêm por este meio agradecer a todas as pessoas que se dignaram tomar parte nas cerimónias fúnebres do seu ente querido, que se realizaram dia 14 de Abril, na Igreja Matriz de Milheirós de Poiares seguindo para o cemitério local onde foi sepultado. Renovam profunda gratidão pelas presenças amigas na missa de 7.º Dia que se realiza sexta-feira, dia 20 de Abril, pelas 20h, na Igreja Matriz de Milheirós de Poiares.

ANTÓNIO OLIVEIRA & GUEDES, LDA. - Agência Funerária Rua do Casal, n.º 68 - 3700-732 Milheirós de Poiares Fax: 256 811 124 / Telem.: 968 685 709 / 965 815 114 / 969 015 754 agencia.funerariaag@hotmail.com

Agradecimento

Laurinda Maria Cardoso Pinto 67 Anos

Filha de Manuel Pinto e Maria D. P. Cardoso (ambos Falecidos) Residia na Travessa Vasco da Gama, n.º 17 MACIEIRA DE SARNES

Seus Irmãos, Cunhados, Sobrinhos e demais Família vêm por este meio agradecer a todas as pessoas que se dignaram tomar parte das cerimónias fúnebres, ou que de outra forma se lhes associaram na dor no funeral que se realizou no dia 10 de Abril, na Capela Mortuária junto da Igreja Matriz de São João da Madeira seguindo para o cemitério n.º 1 onde foi sepultada. ANTÓNIO OLIVEIRA & GUEDES, LDA. - Agência Funerária Rua do Casal, n.º 68 - 3700-732 Milheirós de Poiares Fax: 256 811 124 / Telem.: 968 685 709 / 965 815 114 / 969 015 754 agencia.funerariaag@hotmail.com

77 Anos

Seu Marido, Filhos, Genro, Noras, Netos e demais família vêm por este meio agradecer a todas as pessoas que se dignaram tomar parte nas cerimónias fúnebres do seu ente querido, que se realizaram dia 14 de Abril, na Igreja Matriz de Cucujães seguindo para o cemitério local onde foi sepultada. Renovam profunda gratidão pelas presenças amigas na missa de 7.º Dia que se realiza sexta-feira, dia 20 de Abril, pelas 19h, na Igreja Matriz de Cucujães.

ANTÓNIO OLIVEIRA & GUEDES, LDA. - Agência Funerária Rua do Casal, n.º 68 - 3700-732 Milheirós de Poiares Fax: 256 811 124 / Telem.: 968 685 709 / 965 815 114 / 969 015 754 agencia.funerariaag@hotmail.com

Agradecimento

Franclim dos Santos 76 Anos

Companheiro de Maria Helena de Oliveira Canedo Residia na Travessa Emiliano Castanhete, n.º 36, R/C Esq. PIGEIROS

Sua Família vem por este meio agradecer a todas as pessoas que se dignaram tomar parte das cerimónias fúnebres, ou que de outra forma se lhes associaram na dor no funeral que se realizou no dia 10 de Abril, na Igreja Matriz de Pigeiros seguindo para o cemitério local onde foi sepultado.

ANTÓNIO OLIVEIRA & GUEDES, LDA. - Agência Funerária Rua do Casal, n.º 68 - 3700-732 Milheirós de Poiares Fax: 256 811 124 / Telem.: 968 685 709 / 965 815 114 / 969 015 754 agencia.funerariaag@hotmail.com


30

16.ABR.2017

www.correiodafeira.pt

ADMIRÁVEL MUNDO NOVO DESTAQUE TECNOLÓGICO

Aldeia Global

GOOGLE STREET VIEW EM PORTUGAL

Alecsander Pereira*

O QUE A GOOGLE SABE SOBRE VOCÊ

A Google anunciou que irá recolher novas imagens para a funcionalidade Street View em Portugal de modo a manter atualizado o Google Maps. A partir dos próximos dias, a Google irá proceder à recolha de imagens de 360º nas cidades de Braga, Porto, Aveiro, Lisboa, Nazaré, Évora, Albufeira e Lagos, bem como em outras cidades e estradas portuguesas para renovar imagens já pree-

xistentes ou para fotografar regiões ou locais turísticos ainda não abrangidos em recolhas anteriores. O Street View é uma funcionalidade muito popular no Google Maps. Como sempre, a Google faz um grande esforço para proteger a privacidade, ao mesmo tempo que permite a todos os utilizadores beneficiarem do Street View. Antes da publicação das

imagens, a Google desfoca as caras de pessoas e as matrículas de carros que possam aparecer nas imagens de modo a proteger a privacidade das mesmas. E mesmo depois de publicadas as imagens, qualquer utilizador, através da opção “comunicar um problema” que aparece no canto inferior de cada imagem, pode solicitar a remoção dessa imagem ou sinalizar algum problema.

renomada Leica. Além disso, o P20 e o P20 Pro apresentam designs modernos e esquemas de pintura de gradiente de duas cores, como nunca vimos antes.

robótica. O robot, pré-construído a partir de componentes do famoso robot aspirador Roomba, é uma nova ferramenta destinada a estudantes, professores e programadores para entender os fundamentos da programação de robots.

BYTE NOTÍCIAS Cambridge Analytica Uma ferramenta que permite que o utilizador verifique se a sua conta teve as informações utilizadas pela Cambridge Analytica, foi disponibilizada pelo Facebook. Veja no QR-Code

HUAWEI P20 O Huawei P20 Pro é o novo smartphone que combina uma série de recursos de hardware e software com uma pitada de inteligência artificial. O P20 Pro vem com três câmaras na parte traseira, com resolução de até 40 megapixels e tecnologia da

Segurança em SMART TVS A ESET, empresa de segurança de TI, lançou o ESET Smart TV Security - uma solução avançada de proteção de tecnologia contra os ataques direcionados de malware em TVs conectadas à Internet e outros dispositivos com o sistema operacional Android TV. Robot programável A iRobot acaba de lançar o Create 2, uma plataforma robótica móvel, pré-construída e programável, desenvolvida para inspirar a próxima geração de líderes em

Gmail de cara nova Segundo um e-mail, não oficial, sobre a nova atualização do Gmail, prevista para daqui a algumas semanas, a aplicação terá um “visual novo e limpo” com alguns recursos novos, incluindo um recurso de “resposta inteligente” preditiva para a versão da web do Gmail. Este recurso de “resposta inteligente” já está disponível para pessoas que usam o aplicativo do Gmail em seus telefones.

REAÇÕES

A Softinsa,empresa do grupo IBM,pretende contratar 250 profissionais até ao final de 2018 para as áreas de Infraestruturas,Consultoria,Desenvolvimento e Gestão de Projetos. É valorizada a formação académica,para as áreas de engenharia,informática e matemática, bem como Gestão ou Design.

A IBM Security anunciou os resultados do IBM X-Force. O número de falhas de segurança caiu quase 25% em 2017, com os cibercriminosos a mudarem a forma de atuação,mais focada no lançamento de ransomware com o objetivo de bloquear dados que envolvam a contrapartida de pagamento de um resgate.

Durante as últimas semanas, algumas pessoas me questionaram sobre a situação do Facebook, pois ficaram preocupadas. Após algumas explicações, perguntei: “E tem conhecimento do que a Google sabe sobre você?” Na edição 6012, publicada em 29 de maio de 2017, no artigo “A Google e você neste Admirável Mundo Novo”, abordámos o que a Google sabe sobre você. Este artigo, praticamente, tem o propósito de “reforçar” e “relembrar” que devemos ter o máximo de cuidado com as informações que, por vezes, não sabemos que estão a ser “vigiadas”. Dylan Curran é consultor de dados e desenvolvedor Web, que faz uma extensa pesquisa para divulgar a conscientização técnica das melhores práticas, ou, vamos colocar assim, “a etiqueta digital”. Dylan resolveu dar uma espiada no que a Google sabia sobre ele. Mesmo com sua experiência como desenvolvedor Web, Curran ficou chocado. Quando pesquisou os dados, descobriu que estava constantemente a ter a sua localização rastreada e, em segundo plano, calculando quanto tempo levava para deslocar-se entre diferentes pontos. E, dentre estas informações, ainda estavam seus hobbies e interesses. O que mais o preocupou é que eram informações e registos que já havia eliminado em suas aplicações e ficheiros. É preocupante confiar em qualquer entidade tão grande com tantas informações nossas e, como vimos no caso do Facebook, em algum momento alguém iria cometer um erro. A diferença é que a Google não vende essas informações e não sofreu o mesmo tipo de falha de segurança de dados que o Facebook que, como sabemos, foi atacado depois que as informações pessoais de mais de 80 milhões de utilizadores foram colhidas por uma aplicação e, supostamente, entregues a uma empresa de análise de dados que segmentava anúncios para a campanha eleitoral do presidente Donald Trump. Ao longo dos anos, a Google desenvolveu ferramentas como “Minha Conta”, que pode ser acedida em myaccount.google.com/, de forma que os utilizadores possam, como informa a Google, “controlar e proteger a sua conta, tudo em um único local”. Com esta história contada por Dylan, na verdade, não é que a Google esteja a fazer algo malicioso, visto que as suas informações pessoais estão disponíveis somente para si. Entretanto, é essencial que as pessoas disponham um pouco de seu tempo e efetuem estas configurações de forma a definir as escolhas de privacidade corretas. Os links, e uma breve descrição sobre cada um destes, estão na edição 6012 do seu Correio da Feira. Apesar da Google informar que “as suas informações pessoais são controladas por si”, e ainda permite que possamos definir e gerir que informações pretendemos manter privadas e que dados são guardados na nossa conta, de forma a melhorar a nossa experiência na Google, esta situação deixa-nos desconfortáveis, pois passamos a perceber que estamos a ser acompanhados de perto. Mas observem que, de acordo com a política de privacidade da Google, a empresa também informa que “pode partilhar as suas informações “anónimas” com os parceiros, como os editores, anunciantes ou sites conectados”. *O autor escreve em Português do Brasil


www.correiodafeira.pt

16.ABR.2018

31

cultura

EntrEvista Exclusiva

ritmos cubanos no palco do cineteatro cubaníssima 1153 têm alma cubana e prometem animar o auditório do cineteatro antónio lamoso no próximo sábado, às 22h00, com um concerto espectáculo que tão cedo os feirenses não esquecerão. em entrevista ao correio da Feira, o manager Freddy Vieira explica o fascínio pelos ritmos ‘calientes’ e faz um balanço dos 15 anos celebrados este ano. como se formou o grupo? o fascínio pela singularidade da cultura musical cubana, património indiscutível da Humanidade, foi a “força maior” que esteve na génese deste nosso projecto. O que vos define? a frase “cubaníssima 1153 – espectáculos é cuba com assinatura!” retrata fielmente todo o cuidado posto no nosso trabalho. Qual o balanço que fazem destes 15 anos? Gratificante, muito embora, sejamos honestos, esperássemos mais, como qualquer “agente cultural” digno desse nome. arrependimentos? nem pensar, voltaríamos a fazer tudo da mesma forma! o caminho do facilitismo, do comercialmente mais apetecível e abrangente, nunca foi a nossa forma de estar neste difícil, e por vezes ingrato, mundo do espectáculo e da música em particular. O que podemos esperar deste espectáculo? seguramente, a verdadeira viagem sensorial, única, pela cultura musical da “pérola das caraíbas”, pelas suas influências africanas, revisitando alguns dos temas inesquecíveis do seu riquíssimo legado cultural, levando a todo o auditório a magia ímpar das sonoridades, estilos e cores únicos de um povo cheio de identidade e História! em suma, uma experiência memorável, que se exige ao Vivo, de grande carga sonora e pictórica, proporcionada por 14 artistas em palco! Que temas não faltarão? segredo! segredo! momentos existirão, seguramente, em que o público presente cantará connosco!

Quais as expectativas? como sempre, elevadas! amamos o que fazemos e não esperamos menos do que passar este sentir a todos quantos nos brindam com a sua presença em quaisquer de nossos concertos espectáculos. “Há que entrar pela porta grande e sair, sempre, pela porta maior!” – é nosso princípio basilar!

O que tem de especial a música latina para atrair tanta gente? nós, cubaníssima 1153, não somos um projeto de música latina, somos sim música cubana, pura e dura, honrando os seus géneros musicais maiores como o son cubano, o Guaguancó, o chá chá chá, o mambo, a rumba, o bolero e tantos outros, sempre com nuances de Jazz, com

o improviso como nota dominante e um trabalho vocal sempre de importância primeira e maior! Falando em concreto da nossa música, a de cuba, responderíamos à pergunta com duas outras perguntas: Qual o orador que prende o auditório e arrasta multidões? o monocórdico ou o dinâmico? seguramente, o segundo! Qual foi o concerto da vossa vida? difícil dizer, mas houve um que, por singularidades várias, foi especial! cubaníssima 1153 Quinteto no museu nacional dos coches em lisboa. com a embaixada de cuba representada em primeiríssima fila, foi no salão nobre do antigo museu, completamente lotado, de um público surpreendentemente entusiasta, muito embora envelhecido e elitista (zona da lapa, belém e afins)! “ai, os nossos coches! cuidado!” – disse a dada altura a curadora do museu, dada a nossa carga rítmica e sonora com a qual todo o auditório efusivamente vibrava!!! escusado será dizer que os coches saíram deste evento melhor do que estavam! “experiência memorável!” – foram as palavras finais do grande violinista e amigo laurentiu ivan-coca, nosso convidado em palco e primeiro responsável pela nossa presença em tão fabuloso espaço! Onde vêem o grupo daqui a 10 anos? esperamos que a celebrar 25 anos de carreira! seria uma honra poder regressar em concerto a esta nossa bela cidade de santa maria da Feira e poder contar com a presença inestimável do mesmo entusiástico público que esperamos ter na nossa companhia no próximo sábado no cineteatro antónio lamoso!


32

16.ABR.2018

www.correiodafeira.pt

6054  
6054  
Advertisement