Page 1

TAXA PAGA

4520 Santa Maria da Feira

PUBLICAÇÕES PERIÓDICAS

Desde 11 de Abril de 1897

Mérito Municipal 1972 1997 Ano CXVIII

Semanário

Direcção: Orlando Macedo

12 Outubro 2015

Nº 5931

€0,60 (iva inc.)

REPORTAGEM

“PARA O ANO, TERMINA A MINHA VIDA ACTIVA NAS ASSOCIAÇÕES JUVENIS” pág. 2 e 3

O programa Escola Segura da PSP continua a alertar os pais para os riscos que as crianças correm no seu dia-a-dia. pág. 16 e 17

SOCIEDADE Ataque de um Pitbull deixou três pessoas feridas em Romariz. Um criança de dois anos, a prima de 16 e o avô foram transportados para o S. Sebastião. pág. 09

FUTEBOL Paulo Joaquim, presidente do CIRAC, em Grande Entrevista, na abertura das comemorações dos 40 anos da associação

“O nosso objectivo passa por chegar à fase de grupos” Pepa, treinador do Feirense, que joga hoje, em casa frente ao Boavista, a passagem à próxima fase da Taça CTT. pág. 22


ENTREVISTA

“Poucas associações têm, neste momento, a dinâmica do cirac”

02

12.OUT.2015

Paulo Joaquim Rodrigues já perdeu a conta aos mandatos à frente do Círculo de Recreio, Arte e Cultura de Paços de Brandão. Agora que a associação se aproxima dos 40 anos, e as comemorações já iniciaram, é altura de fazer um balanço. O presidente exalta a dinâmica do Cirac, a sua juventude, e vê com bons olhos o PAPC e a cultura na Feira, pedindo, contudo, uma maior planificação das actividades a nível concelhio. Daniela Castro Soares daniela.soares@correiodafeira.pt

Qual o balanço que faz destes 40 anos do Cirac? É um balanço positivo, muito pela dinâmica que a associação tem. Poucas associações têm, neste momento, a dinâmica do Cirac. Talvez porque somos uma associação juvenil, temos muitos jovens. Estamos agora a preparar a comemoração dos 40 anos, uma data que se deve marcar, e queremos crescer mais, a nível de estrutura. O Encontro de Coros abriu as comemorações. O que mais figura no programa para celebrar a data? Vai haver umas surpresas. Outubro, o mês de fundação do Cirac, culminará com um jantar no Europarque, para associados e amigos. Ainda não fizemos, oficialmente, 40 anos, mas já abrimos as comemorações porque queremos fazer de uma forma faseada, já que, no próximo ano, teremos, na mesma, as nossas actividades correntes. Já estamos a preparar o Festival de Música de Verão, o Encontro de Teatro, e algumas actividades que serão delineadas e divulgadas em Janeiro. O que diferencia o Cirac de outras associações culturais do Concelho? O Cirac é uma associação recreativocultural com jovens. A direcção tem 17 elementos e, destes, 13 são jovens. A diferenciação passa por nunca virarmos a cara a um desafio. Temos tido sempre oportunidade de dar aos jovens a capacidade de desenvolver projectos. Temos o grupo de artes circenses e bombos, que corre o país inteiro, porque é o que eles gostam de fazer. Em termos de estrutura, não vemos como uma associação, mas sim como uma empresa. Estamos a fazer obras, mas não esperamos por subsídios. Estão a ser feitas sem qualquer apoio, quer camarário, quer da Junta de Freguesia de Paços de Brandão. O único apoio que temos tido tem sido do IPDJ [Instituto Português de Desporto e Juventude]. Neste momento, o que temos a fazer, estamos a fazer. Na [passada] segunda-feira, fizemos um balanço e o nosso plano de actividades e orçamento estão 90% executados. Tudo o que estava proposto, está executado, o que para nós é bastante bom. Não estamos à espera de dinheiro público. Nós próprios fomos criando as nossas fontes de receita de forma a colmatar a falha que tem havido a nível de apoios estatais.

Já são muitos mandatos à frente do Cirac, verdade? Este é o meu sétimo/oitavo mandato. Nunca estive fora da direcção, sou dos únicos elementos que durante os 23 anos que cá está, esteve 23 anos na direcção. É óbvio que temos de ir preparando a casa para o futuro e, para o ano, termina a minha vida activa e participativa nas associações juvenis. Vou continuar ligado ao Cirac mas vou sair da direcção. Preciso de descansar. Tenho vindo, em mandatos anteriores, a dar oportunidade a jovens para ir subindo na direcção. Fomo-nos substituindo uns aos outros de forma a que se conseguisse preparar pessoas. Tomei posse em Janeiro e só fiz uma reunião de direcção. Não preciso de mais. Na primeira reunião, incumbi os jovens das suas funções e, a partir daí, eles têm de resolver os problemas. Depositei total confiança nos jovens e na minha direcção e tem funcionado. Eu sou só o bombeiro que vem apagar alguns fogos. De resto, tranquilo. Quando ceder a cadeira, que objectivos quer ver cumpridos? Em primeiro lugar, a casa arrumada. Finalmente, estamos a conseguir arrumar a casa. Temos este edifício e, durante muitos anos, não lhe prestamos atenção. Foi ficando velho e não nos apercebemos. Há quatro anos, tivemos mesmo de fazer algumas reparações: substituir o telhado, isolar as paredes laterais, porque havia infiltrações, pintar o edifício... O palco sofreu uma alteração, conseguimos electrificar tudo, está moderno, já não andamos com um escadote a pôr e a tirar projectores. Faltam pequenos pormenores, acabar o auditório, e a partir daí a sede fica para mais uns 20 anos, para haver condições de trabalho. O meu grande sonho, que não é exequível nesta altura, por uma questão logística e financeira, era arranjar um espaço mais amplo para o Cirac. Necessitamos de um espaço nosso, extra sede (pois temos de manter a história deste edifício, o primeiro cinema do Concelho), para guardarmos o nosso material, que está espalhado por vários sítios, desde o pavilhão da Junta, à casa da minha sogra, em S. João de Ver, até aqui na fábrica de um colega. Está um bocado disperso e acaba por se estragar. A ideia seria juntar de forma a termos tudo organizado e sawww.correiodafeira.pt


bermos o que temos. Para já, é um bocado complicado porque, a nível financeiro, o Cirac, embora se encontre numa situação estável, não é nenhuma super potência cheia de dinheiro. Essa será a única coisa que ficará por fazer, mas ainda falta um ano, e eu não desisto. Na sua última entrevista ao CF, falava na necessidade de legalizar o edifício. Está concluída? Está quase. A legalização do edifício está praticamente concluída, faltam só alguns pormenores, acertos técnicos. Penso que durante o próximo ano, no máximo até ao início de 2017, estará terminada e teremos o edifício legalizado, mais um triunfo na nossa história. Como presidente de uma associação cultural do Concelho, como vê o Projecto de Apoio aos Projectos Culturais (PAPC)? Sou defensor do que está a acontecer ao nível do PAPC. Não há qualquer lei que obrigue a Câmara a dar subsídios às associações. É óbvio que estamos a comparar aquilo que era feito antigamente, havia dinheiro para tudo, dava-se dinheiro para tudo. Houve um corte radical, extremo. A nível de projectos, a Câmara faz bem em apoiá-los, porque existem projectos no Concelho que não se devem perder, pela sua história, envolvência. Muita gente acha que todas as associações deviam receber dinheiro, mas sabe-se perfeitamente que o mundo deu uma volta. Antigamente, as coisas aconteciam porque chegávamos à Câmara, batíamos à porta e dizíamos “preciso de dinheiro para fazer um pavilhão ou arranjar um edifício” e a Câmara dava 30, 50, 60 mil. Efectivamente, hoje, a Câmara tem as suas contingências financeiras. As associações que tiveram a capacidade de se ir desenvolvendo, com uma perspectiva empresarial, conseguiram, com algumas dificuldades, continuar o seu trabalho. O que é de estranhar são aquelas que estavam subsidiodependentes e que, neste momento, não fazem nada. Ou não têm capacidade ou, como já ouvi, dizem “se a Câmara não der dinheiro, eu não faço”. Isto tem de acabar. As associações, todas elas, são importantes, são como as empresas, empregam pessoas, fazem as famílias viver, mas muitas fecham, outras abrem. As associações, presidentes e direcções, têm de começar a perceber que estamos a viver uma época diferente. Uma associação que não tenha pernas para andar tem de terminar. Não concorda, então, que todas as actividades culturais devam ser apoiadas? Hoje em dia, fazer festinhas dentro de uma associação é importante, tem todo o interesse para a localidade, para a população ou público da associação. Isto virou de tal maneira que as festas tradicionais, o S. João, o S. Martinho, acabam por ser, devido às circunstâncias, um refúgio para as pessoas, para desanuviarem. Estamos quase com um papel de IPSS. Não queremos ocupar esse lugar, mas temos um papel preponderante de trazer as pessoas que, muitas vezes, andam chateadas, aborrecidas, defraudadas com a sua situação actual de vida. Mas temos de pensar que uma associação não vive só dessas festinhas. Aliás, essas festinhas dão prejuízo. Chegar aqui no S. Martinho, em que pagamos as castanhas e o vinho por cheio e quem vem paga 1 euro, não pensem que vamos ter lucro. A questão não é essa, é criar um convívio entre os sócios, amigos, população que passa aqui um bocado da noite. Mas, além desses momentos, temos de ter os nossos projectos, e são eles que fazem a associação viver. Se não tivermos capacidade de desenvolver projectos para fora, para o exterior, a associação não faz sentido. Para isso, vamos criar associações de www.correiodafeira.pt

bairro. A associação fica fechada no bairro, vive para a população daquela localidade mas não pode estar a pedir à Câmara dinheiro para ter um grupo de amigos para vir jogar umas cartas. Eu tenho um grupo de amigos que joga cartas mas que paga quotas de sócio do Cirac, consome no bar e participa nas actividades. Temos de ser pragmáticos e começar a olhar para isto de uma forma empresarial, que é aquilo que as pessoas não entendem que têm de fazer. Quando começarem a fazer uma gestão empresarial, vão perceber que há formas de ir buscar dinheiro, candidaturas… A autarquia organizou, há duas semanas, o seminário para o associativismo no Ispab. Eu fui, aprende-se sempre qualquer coisa. Mas, a nível do Concelho, uma grandíssima parte de associações culturais e recreativas não estava presente. Se as pessoas estão à espera que o dinheiro venha ter a casa, existem outros meios, como os fundos sociais de reinserção. De resto, há que procurar, ver como se faz uma candidatura… Existem muitos organismos públicos que abrem candidaturas para que possamos ir buscar algum dinheiro. Por exemplo, a Fundação EDP, com fundos na ordem dos mil euros. São mil euros que já não é preciso gastar do orçamento, tirar dinheiro do caixa. E há o reconhecimento, por parte dessas entidades, que temos interesse, que participamos activamente. As pessoas têm de se mentalizar que é preciso alterar completamente a maneira de pensar do associativismo. Quem não pensar com um cariz empresarial, não vai ter hipótese. Como vê a cena cultural no Concelho? O concelho da Feira diferencia-se de muitos concelhos pela sua actividade cultural, como por exemplo, a nível associativo. Somos o concelho com mais associações. E, enquanto o Grande Porto tem uma oferta muito grande de cultura, mas é cultura paga, no concelho da Feira você tem fins-de-semana em que, se quiser ver cultura, tem de andar a correr de um lado para o outro. A oferta é variadíssima, muitas vezes gratuita, outras com custos relativamente baixos, comparativamente ao que existe noutros lados. Acho que temos uma vida muito activa a nível cultural. Mas isso também traz alguns senãos. O Cineteatro, com a sua agenda, cria transtornos. As datas não são planeadas, fazem actividades em cima das que nós fazemos e a oferta acaba por nos matar uns aos outros. Por exemplo, fazemos espectáculos aqui de teatro e, ao mesmo tempo, há um espectáculo de teatro no Lamoso. O público acaba por repartir-se. Acredita que deveria haver uma planificação a nível concelhio? Acho que o concelho da Feira precisava de uma planificação, não o Município com a sua programação própria, mas a nível associativo. E seria exequível, as associações juntaramse todas e planearem as actividades? O concelho da Feira é muito grande. Se você tiver uma actividade em Canedo, eu posso ter uma actividade em Paços de Brandão. O público de Canedo não vem a Paços, o público de Paços não vai a Canedo. Podia fazer-se uma planificação mais assertiva de actividades, ajustar datas. O nosso Festival de Música de Verão, que vai na sua 39.ª edição, tem esse nome porque era feito nos meses de Verão (Junho, Julho e Agosto). O ano passado já começamos em Maio porque, hoje em dia, quase todas as freguesias têm as tasquinhas, que acabam por nos constranger. Rio Meão faz, Lamas faz, e, aí sim, estamos a falar de coisas muito próximas que nos podem afectar. Assim, este ano, o nosso festival vai passar, em 97%, para Maio. Vai continuar com o nome, mas de Verão vai ter pouco. A ideia será fugir a essas festinhas. Da mesma forma que há algumas associações que fazem projectos que, se calhar, era favorável ajustarem as datas, porque há eventos que não têm de ser naquela data. Uma coisa são aniversários, datas em que não se pode mexer. Agora dizerem que não podem alterar, por exemplo, um encontro de folclore, que é tipicamente naquela data, mas porquê? Se mudar o fim-de-semana, não é por aí que vão acabar os subsídios. Com a boa vontade de todos, penso que era possível. Agora, é preciso é haver boa vontade de todos. 12.OUT.2015

03


AVENIDA DAS FOGACEIRAS

avenidadasfogaceiras@gmail.com

Textos: Orlando Macedo

PASSADO (im)PERFEITO A ‘tal’ espuma das notícias da semana que passou

Atalaia

Desaparecido em combate Mudou-se para Caneças? Exilou-se (exilaram-no) em Freixo de Espadaà-Cinta? Emigrou para parte incerta?... O mistério adensa-se e os feirenses roem as unhas até ao sabugo, em desespero perante o “desaparecimento” político de António Topa. Apesar de ser membro do Conselho Nacional do PSD; de ser o nº 2 na hierarquia do poder “laranja” distrital; de ser o feirense que até hoje mais sobressaiu nas listas de candidatos indicados pelos socialdemocratas, uma escassa semana decorrida após o acto eleitoral das Legislativas, António Topa vive um momento sui generis: é inegável que alguém está a querer apagálo da fotografia da ‘família laranja’, confirmando indícios que já haviam chegado ao Correio da Feira ao longo da campanha eleitoral. Mas o sinal mais evidente e inequívoco foi-nos proporcionado pelo nosso querido homólogo “Terras da Feira”, que conseguiu a proeza de evitar referir (comentar/noticiar) o seu nome na peça que dedicou aos resultados das eleições legislativas, com aporte aos nossos Concelho e Distrito. A primeira página [do TF, que olvida António Topa]é um exemplo acabado dos poderes que se movem nas entrelinhas. Obviamente a proposição (pela CPConcelhia do PSD de Ovar) do nome engenheiro de Vila Maior, suscita várias interpretações, dentre elas a que os vareiros terão aceite seguir as indicações da direcção nacional do Partido para rodear assim as resistências dos seus homólogos fogaceiros, os quais perceberam desde início, que tal indicação iria prejudicar (como aconteceu) a posição de Amadeu Albergaria na ordenação da lista da PàF. Consequentemente, adensam-se duas negras interrogações: a) Começou o ajuste de contas com António Topa, no seio do PSD local? (caramba! O cadáver das Legislativas ainda está quente…) b) Quem é que (agora) tem poder no Terras da Feira para mandar apagá-lo da fotografia?... (a “contrainformação” que por aí fervilha, circunscreve a área de pesquisa ao Centro Histórico…) Para quem conheça a disciplina férrea (seguidismo cego, chamamlhe alguns) que desde os tempos de Alfredo Henriques impera na gestão dos assuntos do PSD local, não haverá surpresa de maior. Ali, a mão que premeia a fidelidade e distribui mordomias, é a mesma que determina os castigos. Mas pareceme que, neste caso, a sanha persecutória foi (vai) além do que o senso comum permite. E a fractura, já está exposta… (Em tempo: Apresento as minhas sinceras desculpas às virgens que, eventualmente, tenha ofendido, com o texto acima. Mas habituemse; no “Correio da Feira” não há espaço para interinices).

Segunda – feira

Branco & Nulo - Quase 200 mil portugueses votaram nulo ou em branco, escreveu o ‘Negócios’. Pois é; mas há indicações de que alguns ficaram vermelhos de raiva, por terem sido anulados e branqueados nos (dos) cadernos eleitorais. Gazeta – O presidente da República fez gazeta às comemorações do 5 de Outubro. Parece que necessitou de mais um dia para meditar acerca dos resultados das eleições legislativas. Numa República que se prezasse, marcava-se-lhe “falta” e expulsava-se [da vida pública] para todo o sempre. Nós, por cá, vamos premiálo com mordomias…

Terça-Feira

Quota mínima – Na ressaca da contagem dos votos, passou-se à análise sociológica dos deputados: no que respeita ao ‘género’, estando ainda por apurar os dos círculos ‘da Europa’ e ‘Fora-da-Europa’, já se percebeu que apenas 33% são mulheres. Continuamos a ser um país de quotas mínimas… obrigatórias. Cérebros - Citando um estudo integrado no projecto “Brain Drain and Academic Mobility from Portugal to Europe”, a Rádio Renascença difundiu que “metade dos “cérebros” que emigraram não pensa em regressar”. Pudera; se assim não fosse não poderiam ser considerados “cérebros”, não é?...

Quarta-feira

Noves fora… - O ´JN’ no-

ticiava que o “Ministério Público não quer que Sócrates veja processo”. A crer nos advogados do ex-primeiro-ministro… não há nada para ver. Quando o telefone toca - O ‘DN’ revelava que “Nomes para novo governo já circulam nos bastidores”. Depois de a Paula Teixeira da Cruz ter sido ministra, não percebo porque é que o meu telefone ainda não tocou...

Quinta-feira

Legítima dúvida – O ‘i’ p a r a n g o n a v a u m a a f i rmação do juiz Rui Rangel: “os juízes são a classe menos confiável em Portugal”. Bolas; se calhar, o “boom” da emigração não é só por causa do Passos Coelho… (des)Congelação – Analistas económicos alertavam para que “falta de acordo para Orçamento pode congelar austeridade”. Até aí, tudo bem, a s fa m í l i a s a g r a d e c e m ; o problema é se, depois, o descongelamento vai ser acelerado, em microondas selecionado em potência máxima…

12.OUT.2015

www.correiodafeira.pt

Sábado

Alta-costura - No ‘Sol’, Maria Luísa Albuquerque apareceu a garantir: “Nós [PSD] não temos linhas vermelhas”. Também, era o que faltava! Quanto a linhas, cada um que se cosa com a sua. As vermelhas são do PC. E ponto final. Paletes de Candidatos – Marcelo Rebelo de Sousa diz que quer ser presidente da República para pagar a dívida a Portugal. Se a coisa vai por aí, vamos ter chatice: só na lista das Finanças, há milhares de candidatos à espera de vez…

Domingo

Sexta-feira

Dançar (na corda-bamba) - O ‘DN’ falava de uma “nova moda em Espanha”, em que os políticos dançam para ganhar votos. Nós por cá, somos mesmo diferentes: os políticos é que nos dão música e fazem-nos dançar… na

Fontes:; DN; i; JN; Lusa; Negócios; Público; RR; SIC; SoI 04

corda-bamba. Burros - No caderno de Economia, o ‘DN’ revelava que a “OCDE prevê abrandamento da economia portuguesa”. Os “ocedeistas” ou são mal intencionados, ou são burros. Ainda há dias o governo nos assegurava que vamos crescer acima do nível europeu…

Engavetada – Em entrevista ao ‘JN’, Luís Montenegro disse que o “PS não pode colocar a Democracia na gaveta’. E tem razão, não há espaço. A gaveta está abarrotada… com a social-democracia. Roturas - O ‘Público’ titula que Sérgio Sousa Pinto demitiu-se do Secretariado do PS “em rotura com o diálogo à esquerda”, mas a justificação não passa de redundância. Nas legislativas, o PS já havia ficado “todo roto”… à esquerda.


www.correiodafeira.pt

12.OUT.2015

05


RESCALDO ELEITORAL: FIM DE UM REGIME AUTORITÁRIO E AUSTERITÁRIO António Cardoso,

Secretariado do Partido Socialista da Federação do PS/Aveiro

OPINIÃO

NÃO BAIXAR OS BRAÇOS No passado dia 4 de Outubro, os portugueses foram chamados às urnas para escolher o Parlamento que orientará a legislatura do novo governo. No rescaldo dos resultados eleitorais, ficou claro que o Parlamento escolhido pelo povo irá exigir do novo governo o fim do autoritarismo e da austeridade que marcou duramente a vida da maioria dos portugueses nos últimos quatro anos. Analisando os resultados, o novo Parlamento terá três grandes orientações ideológicas: - A primeira, a Direita composta pelo PSD/ CDS, com 38,6% dos votos. As outras duas, com 50,9% dos votos, que resultam do somatório (PS;BE;CDU). Quanto à segunda orientação ideológica, está o PS com 32,4%. A terceira é constituída pelo BE e CDU com 18,5%. Ironicamente, o partido mais votado foi o Partido Socialista, mas considerado pela opinião pública como “único derrotado” a 4 de Outubro por não ter conseguido o seu principal objetivo: “ganhar à Coligação de Direita”. A mesma análise foi feita a nível concelhio onde o PS só ganhou em S. Paio de Oleiros! Mas, em verdadeiro rigor, se for retirada a contribuição dos eleitores

FICHA TÉCNICA

Lá vamos… Fui “militar” na antiga, depois do 25 de abril, catalogada de «organização fascista», Mocidade Portuguesa. Lembro que no dia 1 de dezembro, agora banido do mapa dos feriados para bem da competitividade do País – este ex-governo, além de nos roubar nas pensões, e nos ordenados, até nos roubou os feriados, por isso, e por mais algumas “habilidades”, mereceu vencer as eleições – desfilava à voz de comando de um “graduado” que repetia vezes sem conta: “esquerda, direita, marchar”. E eu, puto, juntamente como os meus colegas, “militares fascistas”, lá marchava. Pois é. Nas eleições do passado dia 4, a coligação “Portugal À Frente” foi a mais

06

Jorge de Andrade

político. O Partido Socialista tem que ser firme no respeito pela sua linha genética da sua ideologia de esquerda socialdemocrata de defesa do Estado Social e permanência dentro da União Europeia. Se estes valores forem respeitados, o Partido Socialista deverá apoiar a Coligação de Direita PSD/CDS. Caso a Direita não respeite o Estado Social, e se BE e a CDU se disponibilizarem a respeitar a permanência de Portugal na União Europeia, deverá o Partido Socialista disponibilizar-se para formar um governo de esquerda. Portugal precisa do Partido Socialista para sair do estado de pobreza, de desigualdade social a que chegou. O Partido Socialista espera que os partidos com assento parlamentar sejam responsáveis e promovam as políticas que melhor servem a maioria dos portugueses. Ter os ricos cada vez mais ricos e ao mesmo tempo o número de pobres aumentar, em especial a pobreza infantil, é inaceitável. Concluindo, através dos resultados eleitorais, os portugueses deram um sinal aos políticos para acabar com a “excessiva austeridade” e para se preocuparem em primeiro lugar com as pessoas. Disseram ainda que não querem governos autoritários do quero, posso e mando! Assim, novas janelas de esperança se abrem para os portugueses com ventos de melhor governo para Portugal.

ESQUERDA, DIREITA, MARCHAR… Carlos Fontes

Administração

do CDS, o Partido Socialista ganha em muitas outras freguesias. Os números são bem claros. Será uma apreciação falaciosa comparar os resultados de 2011 com 2015. Se o fizerem com rigor, em 2015, o Partido Socialista vence em mais freguesias do que em 2011! Para o Partido Socialista de Santa Maria da Feira, as comparações partidárias com interesse são entre o Partido Socialista e o Partido Social-Democrata. Refletindo estes resultados eleitorais a nível nacional, cabe ao Partido Socialista a soberana responsabilidade de ser o regulador de uma boa governação para Portugal. Assim, terá que impor que o programa de governo da Direita e respetivo orçamento, a ser aprovado na Assembleia das República, contemple o fim das medidas austeritárias e viabilize o Estado Social (Serviço Nacional de Saúde, Escola Pública e Segurança Social). Caso o governo continue arrogante e com medidas de austeridade de corte de pensões, redução de salário, empobrecimento das famílias com o embaratecimento do trabalho, o Partido Socialista deverá desafiar a restante esquerda (BE;CDU) a viabilizar um governo liderado pelo Partido Socialista, onde estas medidas programáticas sejam concretizadas. Se nenhuma destas soluções governativas for aceite pela direita e depois pela esquerda, os portugueses deverão ser chamados de novo às urnas para sair deste impasse

votada. Por isso, mesmo que, no final do dia, quase todos clamassem vitória, foi a única vencedora. Sem maioria, mas venceu. Por isso, mesmo que isso me custe muito, deve formar governo. Isto é o que eu penso, e muitos mais, mesmo aqueles que estão longe de apreciar os quatro anos de governação da coligação. Mas há exceções. E muitas. Alguns entendem que, no parlamento, haverá, agora, uma maioria de esquerda. Faço um esforço enorme e não a encontro. Vejo o Bloco e a CDU, conto os seus deputados, e não vejo maioria alguma. Estou a contar mal? No meu tempo – não agora – na 3.ª classe já não se admitia que um aluno não soubesse contar, e até era obrigatório saber a tabuada. Coisa que nos tempos que correm nem a maioria dos “senhores doutores” sabe. Eu sei que alguns consideram o Parti-

do Socialista de esquerda. Mas esses andam distraídos. No partido, há gente de esquerda, claro que há, como há no PSD e até no CDS. Há pessoas que estão onde lhes dá mais jeito… ou melhor tacho. Aguardemos o desenrolar da marcha. Esquerda, direita, marchar. Mas não esqueçamos que, em democracia, mesmo em minoria, quem deve formar governo é quem vence. E por muito que isso me custe, mais uma vez, tal como aconteceu sempre depois do 25 de abril (nessa altura abril escrevia-se com LETRA GRANDE) quem foi mais votado foi um partido (ou coligação) de direita. A esquerda no novo parlamento terá pouco mais de três dezenas e meia de deputados. Aos outros não os cataloguem de esquerda. Porque, se o fizerem, estão a insultar a esquerda… e, quem sabe, se não insultam também a direita.

Colaboradores: Alberto Soares, Armandino Silva, Armando Neto, Filipe Freixo, Lu’ s Higino, Manuel Silva, Maria Celeste Rato, Paulo Ferreira, Paulo Neto, Roberto Carlos, Serafim Lopes, Vasco Coelho

administracao@correiodafeira.pt

Director

Comentadores: Ant— nio Cardoso, Carlos Fontes e Margarida Gariso

Informa• › es Banc‡ rias: Banco BPI NIB: 0010 0000 51061450001 94

Redacção Daniela Soares daniela.soares@correiodafeira.pt

Nélson Costa desporto@correiodafeira.pt

Propriedade: Efeito Mensagem, lda Registo na C.R.C. de S. M. Feira, n¼ 513045856 Contribuinte n.¼ 513 045 856 Capital Social 5.000 Euros Detentores de mais de 10% do Capital Social Efeito Mensagem, lda

Registo no N. R. O. C. S., N.¼ 100538 Dep— sito Legal n.¼ 154511/00 Tiragem: 5.000 exemplares (Tir‡ gem mŽ dia) Impress‹ o: Coraze - Oliveira de AzemŽ is Pre• o Avulso: 0,60€

SEDE: Rua 1¼ de Maio, n¼ 221 A, Espargo - Santa Maria da Feira 4520 - 115 Espargo Telef. 256 36 22 86 E-mail: geral@correiodafeira.pt secretaria@correiodafeira.pt

(Os artigos assinados s‹ o da inteira responsabilidade dos seus autores, n‹ o vinculando necessariamente a opini‹ o da direc•‹

12.OUT.2015

Nacional - € 25 Europa - € 50 Resto do Mundo - € 65

Cobranças:

Orlando Macedo direcao@correiodafeira.pt

Preço Assinaturas:

www.correiodafeira.pt

o)

Cobrador@correiodafeira.pt

Dep. Comercial: C’ ntia Aleluia comercial@correiodafeira.pt

Design e Paginação: Pedro Almeida pedro.almeida@correiodafeira.pt


partidos comentam resultados eleitorais

POLÍTICA

Valores muito baixos das propostas leVantam dúVidas Daniela Castro Soares daniela.soares@correiodafeira.pt

A segunda fase de pavimentação dos arruamentos do Concelho voltou a gerar alertas, por parte dos vereadores da Oposição, na última reunião do executivo municipal. A obra foi adjudicada à empresa Manuel Francisco Almeida S.A. no valor de 854.337,47 mil euros. “Era a proposta economicamente mais vantajosa” – disse o presidente da Câmara, Emídio Sousa. “É um valor muito mais baixo do que a base. Não está em causa a empresa, é uma empresa de confiança, mas sim os preços tão baixos” – alertou o vereador independente Eduardo Cavaco. Trata-se de um “trabalho de grande responsabilidade” que “se não ficar bem feito, todos sofremos”. “As obras finais têm de ficar bem feitas para durarem 15/20 anos. Queria deixar esta chamada de atenção porque as empresas têm de saber que a Câmara paga bem mas vai ter uma fiscalização à altura. Não vai haver dinheiro depois para andar a fazer muitas obras” – salientou Eduardo Cavaco. O socialista António Bastos concordou que, com aqueles dados, “pode pôr-se em causa o tempo de vida útil da obra”. “O valor base era de 1.221.935 milhão de euros. O preço está quase 40% abaixo. Ou a base está muito alta… E, se está, com que objectivo?” – questionou.

Preço próximo do “anormalmente baixo”

São valores “muito distanciados” que podem transformar uma obra que devia durar 15/20 anos numa obra que dura cinco ou seis. “É o erário público que sai prejudicado. Duvido deste tipo de procedimentos em que o preço está muito próximo do anormalmente baixo considerado pela lei” – referiu, pedindo uma “fiscalização permanente dos técnicos da Câmara e externos”. “O preço é óptimo, mas daqui tiro várias ilações, como o facto de as coisas poderem depois não correr bem na execução física” – avisou. Eduardo Cavaco apenas acrescentou: “Se o empreiteiro cumprir o que está no caderno de encargos, não fico preocupado”. “Não compreendo. O projecto e o caderno foram aprovados, sujeitos ao Tribunal de Contas, foram a concurso público, os concorrentes foram ouvidos, ninguém reclamou. O empreiteiro tem de cumprir o caderno de encargos” – frisou Emídio Sousa, lembrando que se tratava de “um valor inferior de quase 400 mil”. “Apraz-me registar, é uma poupança que dará dinheiro para fazer outras obras” – realçou. A pavimentação em causa é “a primeira de muitas” pois o executivo pretende “apostar forte na requalificação da rede viária”. “Há uma razão para as empresas quererem trabalhar com a Câmara, pagamos a tempo e horas, num prazo muito inferior a 30 dias. Os empreiteiros fazem questão de ganhar obras na Câmara da Feira” – adiantou. O PS absteve-se neste ponto.

Alguns partidos quiseram pronunciar-se sobre os resultados das últimas eleições legislativas, que decorreram no dia 4 de Outubro. A comissão política concelhia do MPT – Partido da Terra de Santa Maria da Feira admitiu que “teve dificuldades em passar a sua mensagem, tendo sido juntamente com outros pequenos partidos muitas vezes ofuscado pelos grandes e outras pelo populismos mediático de alguns candidatos”. “Assim, consideramos que os resultados ficaram aquém daquilo que esperávamos, mas foram apenas um degrau num longo caminho que teremos de percorrer” – frisam, em comunicado. O MPT respeita a escolha que os portugueses fizeram, “mas não entende esta aposta nos mesmo de sempre e que colocaram Portugal na situação que está”, considerando “os resultados em Santa Maria da Feira do MPT como o início de um caminho longo e duro que tem de desbravar”. “Considerando que vivemos num distrito quase laranja e num concelho laranja, o MPT não desanima. Apesar de tudo, no distrito, foi em Santa Maria da Feira onde o MPT obteve mais votos” - adiantam. O partido garante que continuará a lutar para ajudar no engrandecimento de Santa Maria da Feira, na construção de um concelho onde todos possam contribuir sem se olhar à cor ou tamanho do partido.

Os Verdes elegem dois deputados

Os Verdes vêem a perda da maioria absoluta pela coligação PSD-CDS como um sinal de que “a maioria dos eleitores entendeu não dar apoio à política que vinha a ser prosseguida pelo anterior Governo” e entendem, assim que “o próximo Governo seja constituído, deverá ter em conta esta determinação e vontade dos Portugueses”. Dizem ainda que “apesar da forte discriminação por parte dos grandes órgãos de comunicação social, cresceu em número de votos e de mandatos (mais um deputado), demonstrando uma tendência de crescimento consolidado desde 2002, que em tudo se deve à coerência do trabalho realizado, bem como a um efectivo contacto muito directo com as populações, cujas vozes, interesses e necessidades procuram transportar, com grande dedicação, para a dimensão parlamentar, denunciando, alertando, propondo e trabalhando respostas necessárias”. Na sua campanha, contaram com o trabalho dos membros do PEV, PCP, ID e de muitos independentes “que foram incansáveis” e os Verdes acabaram por eleger dois deputados, José Luís Ferreira por Lisboa e Heloísa Apolónia por Setúbal, que “continuarão a dar voz aos problemas ambientais do país, do ordenamento do território, da cultura, aos problemas sociais”. Nesse sentido, o PEV, assim que se iniciar a nova legislatura, apresentará um primeiro pacote de iniciativas legislativas que oportunamente será divulgado. Os Verdes não deixam de manifestar a sua preocupação pela elevada abstenção que se fez sentir nestas eleições, “à qual não é certamente alheio, entre outros factores, o elevadíssimo índice de emigração de portugueses, que buscaram no estrangeiro o que lhes foi negado pelas políticas de degradação social e económica em Portugal”.

ps propõe candidatura a fundos do parque escolar FIÃES O Partido Socialista de Fiães informou, em comunicado, ter apresentado, na última assembleia de freguesia, no passado dia 28 de Setembro, uma recomendação para a Junta efectuar esforços no âmbito de uma candidatura ao programa “Parque Escolar” para “benefício” da escola Coelho e Castro “após ser público a disponibilização de 350 milhões de euros para a construção e requalificação de escolas”. A proposta, ainda que “aprovada por maioria”, levou votos contra do PSD. Os socialistas agendaram, para a ordem de trabalhos, o pedido de anulação do protocolo de colaboração entre a freguesia de Fiães

e o Fiães Sport Clube. “Sobre este assunto, sublinhamos que todos ficaram esclarecidos que o protocolo não será utilizado e que o Fiães Sport Clube não transferiu qualquer verba para a Junta de Freguesia, contudo, a maioria vetou a anulação do protocolo que era a intenção socialista no agendamento do ponto, essa decisão demonstra a falta de humildade em se reconhecer um erro político” – aponta o PS. Em reacção à intervenção do presidente da assembleia de sócios do Fiães Sport Clube, o partido “concorda que a boa intenção do protocolo deverá dar origem a outros protocolos de colaboração, por exemplo, como referenciado, para a www.correiodafeira.pt

construção de uma bancada”. Outros assuntos abordados foram “a falta de cinzeiros e de recursos para colocação de lixo na casa mortuária”, um alerta do PS, e o regulamento do cemitério, apresentado pelo executivo, em que os socialistas propuseram o adiamento da votação. “Para que a Junta de Freguesia promovesse a escuta pública junto da população, recolhendo opiniões e sugestões, por se tratar de um assunto bastante sensível e que poderá pôr em causa o interesse dos fianenses. A nossa sugestão não foi aceite e, por consequência, votamos contra, mas a proposta foi aprovada pelos restantes” – adiantam. 12.OUT.2015

07


Indaqua crItIcada por cobrar aos munícIpes redes em falta

SOCIEDADE

Daniela Castro Soares daniela.soares@correiodafeira.pt

O Projecto de Regulamento dos Serviços Públicos Municipais de Abastecimento de Água e Saneamento no Município, na sequência do IV Aditamento ao Contrato de Concessão com a Indaqua, foi um dos temas quentes da última reunião de Câmara. “Um documento com pouco interesse para o Município, mas interessante para a Indaqua” – atirou o socialista António Bastos. Um assunto “tão falado” mas que continuará a ser tema de conversa. “Ainda existem muitos munícipes com redes por fazer” – alertou, criticando os benefícios dados à concessionária, que sempre fez as obras “de mão beijada”. “Aqueles que não são abrangidos pelas redes sujeitam-se a pagar os troços de rede na totalidade. Se forem até 40m, sujeitam-se a pagar cerca de 2000 euros” – avisou. António Bastos salientou que “todos os munícipes têm direito a água e saneamento” e por isso as ligações em falta devem ser “da total responsabilidade da Indaqua”. “Tem de pagar a rede no espaço público. É surreal esta situação e não deve ter a concordância da Câmara. Se a Indaqua explora, deve explorar todas as redes que têm de ser feitas” – afirmou. O vereador questionou,

ainda, sobre a responsabilidade do contador. “Diz aqui que o utilizador é responsável pelas fraudes, avarias… Imaginemos que a responsabilidade não é do utilizador. Ele tem de ser salvaguardado” – referiu.

Lacuna no roubo do contador

A vereadora do PS Susana Correia esclareceu: “Há uma lacuna relativamente ao roubo”. E Mário Oliveira lembrou o caso recente, em Espargo, em que o roubo do contador foi imputado ao usufrutuário. “É de todo injusto e por isso tem de ser acautelado” – declarou. O presidente da Câmara, Emídio Sousa, recordou que é necessária “alguma prudência” porque há “vários motivos para um contador desaparecer”. O regulamento irá agora a discussão pública e depois submetido à ERSAR. “Porque é que a Indaqua não vai ressarcir os valores pagos pelos ramais? Quem pagou, sente-se injustiçado. A Indaqua explorou 40 mil focos no Concelho, em 10 anos, o que ascende a um valor de 25 milhões de euros, no mínimo” – lembrou António Bastos. Redes que custaram aos munícipes 1000 euros. “A Indaqua rentabilizou sem nada ter investido. Recolheu os valores que o Estado investiu” – sublinhou. O PS votou contra o projecto de regulamento.

Jornadas da educação com InscrIções abertas FEIRA Estão abertas as inscrições para as IX Jornadas de Educação, a realizar nos dias 23 e 24 de Outubro, na Biblioteca Municipal. Dirigidas a todos os agentes educativos – professores, educadores e pais – as jornadas são organizadas pela Câmara Municipal e contam com o apoio do Centro de Formação Terras de Santa Maria e FapFeira. Ao longo de dois dias, especialistas na área da Educação vão debater 15 temas enquadrados em cinco painéis: “Aprender hoje”, “Educar para o futuro”, “Adolescer hoje” e “Formamos, logo empregamos?”. Os participantes poderão ainda inscrever-se em dois workshops, um sobre a influência dos professores na orientação vocacional dos alunos e outro sobre educação para além da escola.

08

12.OUT.2015

As IX Jornadas da Educação – formação acreditada para professores pelo Centro de Formação Terras de Santa Maria – pretendem proporcionar aos agentes educativos a oportunidade de partilhar e favorecer o intercâmbio de práticas educativas consideradas exemplares, para melhor compreender os desafios e obstáculos na área da Educação. Os interessados em participar nas IX Jornadas da Educação devem inscrever-se através do telefone 256 370 888 ou e-mail jornadasdaeducacao@gmail. com. As inscrições são gratuitas, mas limitadas à lotação da sala. O programa completo e ficha de inscrição encontram-se disponíveis no portal do Município, em www.cm-feira.pt (separador Educação). www.correiodafeira.pt

liga dos amigos terras de santa maria quer ajudar utentes A Liga dos Amigos Terras de Santa Maria (LATSM) – Unidos pela Saúde nasceu na passada quartafeira. Uma associação, sem fins lucrativos, que surge do empenho e dinamismo de vários utentes e profissionais da USF Terras de Santa Maria, na Feira. A LATSM tem como objectivo “promover o bemestar e dignificar os cidadãos enquanto utentes, através da realização de acções de apoio às famílias, da integração social e comunitária e da protecção dos utentes com reduzidos meios de subsistência”. Tem ainda como preocupação fundamental o apoio cívico, cultural, social e educativo aos utentes das Unidades dos Cuidados de Saúde Primários do Concelho e a outros cidadãos que acorram aos seus serviços, cuja situação possa ser enquadrada nas acções da associação. O presidente é o advogado feirense Márcio Correia, de 36 anos. “É com grande responsabilidade que aceito este novo desafio em prol da comunidade. Esta associação tem como principal intenção a promoção de bons hábitos de vida, informar e prevenir as pessoas de doenças, bem como o auxílio àqueles que precisem de ajuda na comunidade. A angariação de parcerias com vista a melhorar os meios das Unidade de Saúde Familiar é uma das metas pelas quais lutaremos. Este é um projecto aberto à comunidade, e estamos receptivos a todas as pessoas que queiram colaborar e aderir à nossa missão, apresentando sugestões e propostas de actividades” – diz o presidente da LATSM.

estágios pepal quase todos preenchidos O presidente da Câmara, Emídio Sousa, faz questão de referir que, na Câmara da Feira, o Programa de Estágios Profissionais na Administração Local (PEPAL) decorre sem problemas. “As candidaturas abriram para 13 estágios e apenas na área de informática ficou deserto” – informa, na sequência da investigação do programa Sexta às 9, da RTP1, que falava dos estágios PEPAL pelo país que ainda não tinham iniciado, devido à falta de transferência das verbas prometidas pelo Estado Central, mas cujos candidatos já tinham sido entrevistados e aceites, e aguardavam, desde Março, uma resposta. “Oito estágios estão preenchidos, faltam quatro na área de informática. Da nossa parte deu-se seguimento. Mesmo com o atraso da administração central, a Câmara avançou com recursos próprios” – frisa.

Identificados por posse de haxixe FEIRA Dois jovens foram, no dia 2 de Outubro, identificados por posse de haxixe. Um homem, de 26 anos, por posse de cerca de quatro doses de haxixe, e outro, de 18 anos, por posse de cerca de 1,5 doses de haxixe.

cadr promove rastreios gratuitos O Centro de Apoio ao Doente Respiratório promove, no dia 28 de Outubro, rastreios gratuitos à Espirometria e Apneia do Sono. O evento tem o apoio da Junta de Freguesia de Lourosa, onde podem ser realizadas as inscrições.


cão ataca criança e adolescente ROMARIZ Três pessoas, entre as quais uma criança de dois anos, ficaram feridas na sequência de um ataque de um cão da raça “Pitbull”, ao início da noite de quinta-feira, em Romariz. As circunstâncias do ataque ainda estão a ser apuradas mas, de acordo com testemunhos recolhidos no local, uma rapariga de 16 anos e a prima, de dois anos, foram a casa do tio, na Travessa da Portela, onde se encontrava o cão. Ao entrarem na vedação que circunda a habitação, a rapariga mais velha, emigrada em França mas a passar férias em Portugal, acabaria por ser mordida num ombro e sofreu, ainda, escoriações nas mãos. Já a criança de dois anos foi ferida na cabeça, rosto e na perna direita. O avô da criança, que enfrentou o animal, não terá sido mordido, mas sofreu um hematoma na cabeça, quando evitava o ataque do cão. Os feridos foram assistidos no local pelos Bombeiros de Arrifana e transportados para o Hospital S. Sebastião. A GNR esteve no local e identificou os proprietários do cão.

InquérItos a mortes nas urgêncIas arquIvados A Inspecção-Geral de Actividades em Saúde arquivou os inquéritos abertos após a morte de oito utentes, no Inverno passado, que aguardaram várias horas em serviços de urgência de Lisboa, Almada, Setúbal, Peniche, Santarém, Aveiro e Santa Maria da Feira. De acordo com a imprensa, a IGAS entende que as mortes não podem ser imputadas aos profissionais de saúde envolvidos, mas propôs uma série de mudanças de “natureza administrativa”, cuja “implementação” promete vigiar. As mortes ocorreram em Dezembro de 2014 e Janeiro de 2015 quando os vários serviços de urgência viviam situações “caóticas” devido ao pico da gripe e do frio, com os familiares dos doentes a queixarem-se de longas horas de espera e relatos de falta de camas nos hospitais. Dos oito casos, o Ministério Público investigou três por sua iniciativa. Todos acabaram por ser arquivados.

Bastonário dos médicos lamenta

O bastonário da Ordem dos Médicos lamentou, na passada quarta-feira, que não tenham sido instituídos processos disciplinares aos conselhos de administração dos hospitais na sequência das mortes nas urgências. “Os conselhos de

administração dos hospitais e as direcções clínicas não prepararam adequadamente os serviços de urgência para uma situação que em todos os Invernos é previsível: o aumento da procura dos serviços de urgência e da necessidade de internamento” – disse José Manuel Silva, em declarações à Lusa, acrescentando que “os hospitais não estavam preparados adequadamente devido aos cortes excessivos”. O bastonário frisa também que “o Ministério da Saúde deveria apresentar já um plano de contingência para o próximo Inverno”. “Um plano para o aumento do número de camas hospitalares, de contratação de profissionais para os serviços de urgência e de flexibilização de horários nos cuidados de saúde primários, que no passado Inverno foi feito tarde por causa dos cortes excessivos impostos ao Serviço Nacional de Saúde” – afirma, sublinhando a “estranha coincidência de, só três dias depois das eleições, ser divulgado o relatório do programa nacional de vigilância da gripe 2014/15”. “Certamente, não será só uma coincidência, e veio demonstrar o enorme excesso de mortalidade que houve este Inverno, essencialmente devido à gripe e ao frio como acontece em todos os Invernos, mas que este ano atingiu um pico tremendo” – observa.

câmara com horárIo alargado para apoIar assocIações Até ao fim do mês, os serviços do Pelouro da Cultura da Câmara Municipal de Santa Maria da Feira vão funcionar em horário alargado, às quartas, sextas e sábados, para apoio exclusivo às associações culturais nos processos de elaboração e submissão de candidaturas ao Programa de Apoio a Projectos Culturais (PAPC) para 2016. Nos dias 14, 21 e 28 de Outubro (quartasfeiras) e 16, 23 e 30 de Outubro (sextasfeiras), o serviço está disponível das 15h00 às 19h30, no edifício do pelouro da Cultura. Nos dias 17 e 24 de Outubro (sábados), o horário será mais alargado, estando os técnicos disponíveis das

10h00 às 13h00 e das 14h00 às 17h00, na Biblioteca Municipal. Recorde-se que o período para apresentação de candidaturas ao PAPC decorre até 31 de Outubro de 2015, sábado, razão pela qual a data limite passará para o primeiro dia útil seguinte, segunda-feira, 2 de Novembro, até à hora de encerramento dos serviços da autarquia (17h00). O regulamento e os formulários de candidatura ao PAPC encontram-se disponíveis on-line, no portal do Município (www.cm-feira.pt / separador Cultura) e nos serviços do Pelouro da Cultura, Turismo, Biblioteca e Museus. www.correiodafeira.pt

rosto solidário acolhe reunião do ecos for ethics A Rosto Solidário acolheu, nos dias 1 e 2 de Outubro, a terceira reunião do Projecto Higher Education and CompanieS FOsteRing ETHICal Skills, nas instalações do ISVOUGA. O projecto Hecos for Ethics é uma Parceria Estratégica financiada pelo programa Erasmus+ da Comissão Europeia, no âmbito da Acção Chave 2: A Cooperação para a Inovação e Boas Práticas, que ao longo de três anos envolverá nove parceiros de Itália, Suécia, Bélgica, Hungria, Eslováquia e Portugal. A Rosto Solidário é o parceiro de Portugal, sendo o consórcio liderado pela AICCRE – Associazione Italiana del Consiglio dei Comuni e delle Regioni d’Europa – Federazione Veneta – de Itália. Os restantes parceiros são uma ONG de Itália, duas Câmaras de Comércio e Indústria da Bélgica e da Eslováquia, e quatro Universidades da Suécia, Bélgica, Hungria e Eslováquia. O tema central do projecto são as competências éticas e pretende-se envolver várias partes interessadas desde formadores, instituições de ensino superior, empresas, ONG e estudantes (futuros quadros e gestores). Objectiva-se cruzar as práticas de responsabilidade social das empresas com o reconhecimento europeu (European Qualification Framework) e o knowhow das ONG’s ao nível da educação não formal e experiências práticas na sensibilização da comunidade.

12.OUT.2015

09


ProJecto AnAliSA conSumo de drogAS noS AdoleScenteS FeirenSeS Os alunos do 9.º, 10.º e 11.º anos, que frequentam as escolas secundárias do Concelho, serão convidados a preencher um questionário que pretende analisar os hábitos de consumo de drogas nos adolescentes entre os 15 e os 16 anos, visando sobretudo identificar os factores de risco e apontar caminhos para a prevenção na adolescência. O questionário marca o arranque do projecto europeu de prevenção “Juventude na Europa – prevenção da toxicodependência baseada em evidências”, que em Portugal é liderado por Santa Maria da Feira, o primeiro município do país envolvido neste estudo e um dos dez parceiros internacionais. Para além da Islândia, que coordena o projecto e está responsável pela gestão das actividades transnacionais, o projecto conta com a parceria de Malta, Turquia, França, Portugal, Espanha, Letónia, Itália e Grécia. Em Santa Maria da Feira, o projecto já foi apresentado a todas as escolas abrangidas e, recentemente, a vereadora da Educação, Cristina Tenreiro, reuniu-se com os directores dos nove agrupamentos e do Colégio Liceal de Santa Maria de Lamas para operacionalizar a implementação do questionário, que também será aplicado na Escola Profissional de Paços de Brandão. Os encarregados de educação também terão acesso a informação sobre o projecto, na expectativa de que autorizem os educandos a fazer parte deste estudo. Com 65 perguntas, o questionário é anónimo e o conteúdo integralmente confidencial – nem os pais nem os professores terão a acesso aos documentos preenchidos –, abrangendo temas diversos, como o bullying, a violência e os hábitos de consumo de tabaco, álcool, cannabis e bebidas energéticas, analisando ainda o tempo passado pelos adolescentes em frente ao com-

putador e ao telemóvel e a atitude dos pais perante a conduta dos filhos. Depois de preenchidos, os questionários serão enviados para a Islândia, onde serão esmiuçados pela equipa coordenadora do projecto. Para Março está agendada uma primeira conferência local em Santa Maria da Feira, para disseminação dos resultados relativos aos adolescentes feirenses e debate de políticas locais de prevenção. “Ao trabalhar com esses factores localmente, o risco de início precoce de consumo de álcool e uso de substâncias entre os adolescentes pode ser diminuído substancialmente. É sobejamente reconhecido que o consumo de álcool e outras substâncias por crianças e adolescentes é uma preocupação urgente em toda a Europa, não somente porque o seu consumo é ilegal para adolescentes, na maioria dos países, mas principalmente porque os estudos têm mostrado que o consumo precoce de álcool e o uso de drogas aumenta a probabilidade de problemas e comportamentos desviantes no futuro” - lê-se na apresentação do projecto. “Juventude na Europa” é um projecto de prevenção primária baseada em evidências para a prevenção do início do uso de álcool e de substâncias entre os adolescentes nas cidades europeias e municípios. Foi desenvolvido e testado há mais de 15 anos na Islândia, que hoje tem uma das mais baixas taxas de consumo de álcool e de uso de substâncias entre os adolescentes na Europa. Este projecto é financiado pela União Europeia, ao abrigo do programa Erasmus +, destinado a apoiar as actividades de educação, formação, juventude e desporto em todos os sectores da aprendizagem ao longo da vida. Em Portugal, o projecto é coordenado pela Câmara Municipal, em parceria com o Conselho Municipal de Educação, escolas abrangidas e comunidade.

cercA de 800 criAnçAS do Pré-eScolAr com ActividAdeS São 57 os jardins de infância do Concelho que aderiram ao programa de Actividades de Animação e Apoio à Família (AAAF), abrangendo cerca de 800 crianças que beneficiam de apoio à educação e de acompanhamento antes e depois do período diário de actividades educativas, bem como à hora do almoço e nas interrupções lectivas. Uma resposta disponibilizada pela autarquia desde o início de Setembro, que se encontra a funcionar em pleno. As várias actividades propostas – expressões, tradições, cultura, educação, ambiente, ciência, cidadania e saúde – decorrem nos jardins de infância aderentes, em espaços concebidos para o efeito e em horários acordados com os encarregados de educação, na sua maioria entre as 7h30 e as 19h00. À semelhança do ano anterior, o objectivo é privilegiar a expressão corporal e a motricidade fina, através de aulas de expressão 10

12.OUT.2015

físico-motora, utilizando diferentes exercícios, individuais e colectivos, que visam estimular a criatividade corporal, a espontaneidade e a autonomia da criança, assim como a sua coordenação motora. Actividades simples, que vão desde a prática de alongamentos, expressão dramática, mímica, imitações, jogos, simulações ou exploração espontânea de movimentos corporais são utilizados pelos professores no âmbito do trabalho colectivo. “Com as actividades de animação e apoio à família pretendemos que a escola seja compreendida pelas crianças, pais e comunidade como um local de aprendizagens múltiplas, para além do apoio prestado ao nível do acompanhamento, antes e depois do horário lectivo e nas férias, sendo um suporte fundamental para muitas famílias do nosso Concelho na conciliação dos horários laborais e familiares” – refere Cristina Tenreiro. www.correiodafeira.pt

Jovem Autarca por dentro do projecto Skate Parque Sofia Pais, eleita porta-voz dos jovens do concelho de Santa Maria da Feira, quis ouvir os skaters e a equipa técnica da Câmara Municipal para avaliar as possibilidades de construção de um Skate Parque em território feirense. Sofia Pais quer envolver activamente os praticantes da modalidade no processo de discussão e de construção deste equipamento. Para além dos skaters, Sofia Pais convocou para este encontro a vereadora do Desporto e Juventude, Cristina Tenreiro, e dois técnicos da Câmara Municipal, das áreas de Urbanismo e Desporto, que discutiram a dimensão do espaço, as valências, o material de construção a utilizar, a iluminação e a segurança dos utilizadores e espectadores. O processo colaborativo dos jovens skaters na construção do Skate Parque foi outro tema dominante. Os jovens presentes foram desafiados a acompanhar e a complementar a proposta apresentada na reunião. Esta foi mais uma das inúmeras reuniões de trabalho e contactos realizados por Sofia Pais desde que tomou posse, em Fevereiro último, sempre acompanhada pelos dois vereadores eleitos e restante equipa, tendo em vista a concretização das propostas que definiram como prioritárias. A construção de um Skate Parque foi uma das propostas colocadas em cima da mesa, mas sem orçamento disponível ao abrigo do projecto Jovem Autarca, pelo que a prioridade é discutir a proposta junto da Câmara e dos skaters, para que os próximos jovens eleitos possam dar continuidade ao trabalho desenvolvido pela actual equipa. No final de Outubro, Sofia Pais fará um balanço da sua experiência pioneira como jovem presidente de Câmara e do trabalho realizado desde Fevereiro.

PS organiza fórum “Segurança, que Futuro?” A Comissão Política Concelhia do Partido Socialista de Santa Maria da Feira organiza, no próximo dia 23 de Outubro, o fórum “Segurança, que Futuro?”, um evento público que surge após reuniões efectuadas com diversas entidades relacionadas com a protecção civil e segurança do Concelho, com o Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) de Aveiro e com a autarquia de Gondomar, que se encontra a implementar um projecto ambicioso para protecção do concelho. O debate terá lugar nas instalações dos bombeiros voluntários de Santa Maria da Feira, pelas 21h00, e terá como convidados: Marco Martins, bombeiro voluntário e presidente da Câmara Municipal de Gondomar; José Bismarck, comandante do CDOS de Aveiro; e a moderação ficará a cargo da líder do grupo municipal do PS, Margarida Rocha Gariso.


ArruAmento que serve PArque de LAzer em “PéssimAs condições”

FREGUESIAS

Daniela Castro Soares daniela.soares@correiodafeira.pt

ARGONCILHE Os vereadores do Partido Socialista continuam a sua visita pelas freguesias, tendo passado, desta vez, por Argoncilhe. “Para nos deslocarmos ao Parque de Lazer, temos de passar por Sanguedo. O arruamento que o serve está em péssimas condições. Solicitamos, por isso, o projecto do parque e do arruamento” – requisitou António Bastos. Mas não só, querem também “o estudo do prolongamento da Avenida S. Martinho, que tem sido construída a retalho ao longo dos anos” e, antes que se inicie a terceira fase das obras, a “hipótese de traçado do terceiro troço”. “Falase num projecto feito pela Câmara mas não temos conhecimento do que se passa” – afirmou. Os socialistas abordaram, ainda, as Ruas Santa Isabel e Senhora do Campo, que o CF noticiou, na semana passada, já terem um projecto de requalificação p r ev i s t o . “ O l h a m o s p a r a o s arruamentos na freguesia do Olival (Sandim) e vemos que são concelhos completamente diferentes. Os passeios estão b e m d e fi n i d o s , c o m o s p e rfis devidamente executados, acessibilidade para todos, ao contrário do que acontece no

nosso Concelho. Dizem que vai ser requalificado a curto prazo, mas não é só meter tapete” – alertou António Bastos.

Procedimentos “frágeis”

O vereador critica os procedimentos “frágeis” que depois têm consequências na execução física da obra. “Em vez do pavimento durar dez anos, dura seis” – salientou. É um “dilema” que divide dois concelhos. “Os autarcas de Argoncilhe e do Olival não conhecem os limites das suas freguesias. O vereador vai dizer-me que os limites estão bem definidos no PDM, mas isso não basta. Isso é o que está no papel. Quais são os limites de Gaia-Feira naquele local?” – questionou. Uma pergunta na sequência de queixas que surgem. “Há habitações a pagar IMI em Gaia que estão localizadas na Feira. A Câmara deve averiguar o que está a acontecer. É uma questão de bom senso” – frisou, exigindo saber os protocolos entre as Câmaras e as Juntas. Sobre estas matérias, o presidente da Câmara, Emídio Sousa, apenas disse que o arruamento que serve o Parque de Lazer iria “ser visto” e que o projecto da Avenida S. Martinho tinha sido “fornecido há cinco anos”.

ProJecto PArA unir PAssAdiços de fiães e cALdAs Agora que os passadiços vão de vento em popa, um novo projecto surge em cima da mesa: unir Fiães às Caldas de S. Jorge, através dos percursos pedestres. Actualmente separados, podem vir a formar um caminho ininterrupto de nove quilómetros ao longo do rio Uíma. O curso de água e a biodiversidade – espécies únicas como pirilampos, lontras, salamandrade-pintas-amarelas, libelinhas e até águia-d’asa-redonda, alvo até de estudos científicos – são os grandes motivos para a procura destes trajectos pedonais nos últimos anos. Todos os dias são percorridos por cerca de 400 pessoas, um autêntico “ginásio a céu aberto”, como descreve o próprio presidente da Câmara, Emídio Sousa, ao Jornal de Notícias. As pessoas fazem exercício físico mas também con-

vivem naquele que é um espaço de eleição para quem quer aproveitar o que de melhor a Natureza oferece. Há muita gente do Concelho, mas também de fora, que ali se desloca. Os percursos de Fiães e Caldas (este último que inclui um passadiço em madeira, ainda que a maioria da sua extensão seja em terra batida, saibro e estreitos caminhos entre campos) estão separados por pouco mais de três quilómetros. São percursos com potencial, que a Câmara quer aumentar com a união do passadiço de Fiães às Caldas, passando pela freguesia de Lobão. “Os presidentes da Junta estão a contactar os proprietários dos terrenos mas é difícil” – confessa Emídio Sousa ao JN, acrescentando que há parcelas cujos donos não estão identificados. www.correiodafeira.pt

GrifAGem J. Pedro em chAmAs ARRIFANA Os proprietários da Grifagem J. Pedro, na Zona Industrial de Arrifana, não ganharam para o susto quando, na passada segunda-feira, souberam de um incêndio no interior do edifício. Os bombeiros foram chamados ao local e rapidamente apagaram as chamas que terão tido origem numa máquina da zona da gráfica. Um dos bombeiros sofreu ferimentos nos olhos e foi transportado para o Hospital S. Sebastião.

Amo promove concerto S. PAIO DE OLEIROS A Associação Musical Oleirense promove um concerto no âmbito do seu XXXI aniversário. O evento, com o Coral Caetanense como convidado, tem lugar no próximo sábado, pelas 21h15, na Igreja Matriz de S. Paio de Oleiros. No dia seguinte, há animação de missa de aniversário pelo Orfeão da AMO.

festival da francesinha angariou fundos para os Bombeiros ARRIFANA Os Bombeiros de Arrifana levaram a cabo, no passado fim-de-semana, o Festival da Francesinha, com o intuito de angariar fundos para a renovação da frota de veículos de socorro. O festival, que decorreu no antigo parque de viaturas da associação, contou com o apoio da Junta de Freguesia e de algumas instituições na divulgação e oferta de ingredientes. Uma ideia que partiu de uma “brincadeira” no Festival das Colectividades, “em que uns iam lançando o desafio a outros para realizar algumas iniciativas de apoio à Direcção”. Com mais eventos planeados, a próxima iniciativa ocorre no Cineteatro António Lamoso, no dia 6 de Novembro, com o concerto da Companhia da Música.

12.OUT.2015

11


“Grutas da vergonha” mais perto de serem fechadas

centro cívico quaSe pronto GUIZANDE “As obras estão concluídas, faltam apenas os arranjos exteriores” – adianta o presidente do Centro Social de S. Mamede, de Guizande, a respeito do novo Centro Cívico da freguesia, situado na antiga Escola do Viso. Um projecto na ordem dos 300 mil euros, que beneficiou de fundos comunitários do PRODER, mas que teve alguns contratempos. “Sofremos uma penalização, por incumprimento” – diz, apenas, Joaquim Santos. Dos 200 mil euros previstos, chegaram apenas 151 mil euros, tendo o restante de ser arrecadado pela associação, que contou, ainda, com um apoio da Câmara na ordem dos 28 mil euros, aprovado na última reunião do executivo municipal. O centro está quase pronto, pouco falta

para abrir além de alguma burocracia, e criará dois novos postos de trabalho: uma animadora social e uma assistente de acção directa. Joaquim Santos está confiante que as pessoas vão aderir a este conceito. “Vou começar a recolher inscrições, tenho a certeza que muitos utentes do Movimento e Bem-Estar vão querer inscrever-se. Já falei com algumas pessoas e estão ansiosas que abra” – referiu. Mas ainda há outro projecto que Joaquim Santos quer ver concretizado. “Estamos a ver a possibilidade de a Câmara comprar um terreno na proximidade do Centro Cívico para fazer um parque de lazer” – revela. Um parque que seria construído com a candidatura, já feita, ao Portugal 20/20, da qual aguardam resposta.

Meu Super abre eM arGoncilhe ARGONCILHE O Meu Super, franchising alimentar da Sonae MC, abriu, na passada quinta-feira, a loja de Argoncilhe, concretizando assim mais um “significativo contributo para o desenvolvimento económico e social da zona de Santa Maria da Feira”. A nova abertura da marca insere-se na “estratégia de expansão da insígnia na região e tem por objectivo o crescimento e o cimentar de um relacionamento estreito com a localidade onde está inserida, com base nas relações de proximidade e assegurando a melhor proposta de valor, caracterizada pela variedade e qualidade dos produtos, sempre aos mais baixos preços”. Com 240m2, a loja Meu Super Argoncilhe

reforça a qualidade de serviços e produtos nesta zona do país. O Meu Super conta agora com mais de 170 lojas, distribuídas pelos 18 distritos de Portugal continental e ilhas. De forma a potenciar a experiência de compra dos seus clientes, o Meu Super passa agora a integrar em todas as suas lojas o Cartão de fidelização do Continente, o maior cartão de descontos do país, com mais de 1.900 milhões de euros de descontos concedidos desde o seu lançamento. A loja situa-se na Rua Dr. Francisco Sá Carneiro, n.º 13, e está aberta de segunda a sábado, das 08h30 às 20h30, e aos domingos e feriados, das 09h00 às 20h00.

“in Memoriam – cerco a lourosa” no largo da igreja LOUROSA 14 de Outubro de 1964. O dia em que a população de Lourosa se juntou para impedir a saída do jovem padre Damião da freguesia, por indicação do Paço Episcopal, culminando com a intervenção de um forte contingente da GNR, que resultou em dois mortos e dezenas de feridos, ficou recalcado durante muito tempo na memória local. Volvidos mais de 50 anos, este acontecimento é reavivado, no próximo sábado, num espectáculo multidisciplinar que envolve mais de 150 pessoas da comunidade, cruzando o video mapping e multimédia com performances, coreografias e paradas de rua. “In Memoriam – Cerco a Lourosa” é um espectáculo comunitário da companhia Persona, com a participação da Orquestra Criativa de Santa Maria da Feira, escolas, 12

12.OUT.2015

artistas e população de Lourosa, num total de 28 entidades envolvidas, que marca o encerramento das comemorações do cinquentenário da efeméride. Não sendo uma recriação dos factos ocorridos em 1964, o espectáculo pretende reavivar o acontecimento na memória dos mais velhos e passar o testemunho às novas gerações, envolvendo-as de forma activa no processo de criação, resultado de uma residência artística da companhia Persona com a comunidade local. Alguns dos que viveram ou testemunharam este episódio e familiares das vítimas participam no espectáculo, partilhando o palco com actores, dezenas crianças das escolas e representantes de associações locais. O espectáculo decorre no largo da Igreja de Lourosa, pelas 21h30. www.correiodafeira.pt

MOZELOS Os buracos na Travessa da Cooperativa, em Mozelos, têm gerado várias críticas dos moradores, incomodados e envergonhados pelo prolongamento da situação. Colocaram, até, um banner a convidar todos a visitar as “grutas de vergonha”, como lhes chamam. Mas o presidente da Junta de Freguesia, José Carlos Silva, tranquiliza os habitantes. O concurso de obra está lançado mas “não se pode tapar os buracos sem mais nem menos”. “Senão daqui a um ano estão a abrir-se outra vez por não sabermos qual é o problema” – diz ao CF. O autarca garante, contudo, que as obras não tardarão a começar para se poder fechar, de vez, as “crateras” naquela rua.

Festa da Sopa com animação musical FIÃES A Festa da Sopa vai preencher Fiães no fim-de-semana de 24 e 25 de Outubro. A ementa inclui uma malga, uma bebida e uma sandes de porco. No local, nos dias de festa, há animação musical. O evento tem lugar no Parque Estacionamento da Junta de Freguesia de Fiães nesse sábado, com início às 12h30, e domingo, a começar às 12h00.

inscrições para a última viagem termalSenior CALDAS DE S. JORGE As inscrições estão abertas para a última viagem do programa “Termalsenior – saúde e termalismo”, desta actual época termal. De 4 a 24 de Novembro, o transfer das termas fará a ligação a novas freguesias. Da parte da manhã, passará pelas localidades que integram a UF de Santa Maria da Feira, Travanca, Sanfins e Espargo. Da parte da tarde, o circuito irá contemplar Lobão, Gião, Guizande, Louredo e Pigeiros. Este programa sénior contempla a realização de uma terapêutica termal de quinze dias, nas Termas S. Jorge. Tendo por base, uma preocupação social, apresenta condições privilegiadas, como o transporte gratuito, entre as juntas freguesia e o balneário e alguns benefícios financeiros, associados ao cartão “Feirasenior”, com a aplicação de um desconto de 10% a 15%, em tratamentos termais. Para os destinatários, que queiram beneficiar destas vantagens, basta dirigirem-se a estas juntas de freguesia, consultar o regulamento e preencher o respectivo formulário. Até ao momento, as Termas S. Jorge já garantiram cerca de 10 viagens entre as diversas freguesias do concelho de Santa Maria da Feira, onde participaram mais de 70 termalistas. Face ao sucesso deste programa, a Sociedade de Turismo de Santa Maria da Feira já lançou o desafio a outros municípios, como a oportunidade de reforçarem as suas políticas sociais, junto da população senior, aproveitando a possibilidade de usufruir das valências de um equipamento termal de proximidade.


(re)DESCOBRIR

Noite de Poesia exaltou a solidariedade

S. PAIO DE OLEIROS A Biblioteca recebeu, na passada sexta-feira, mais uma Noite de Poesia, com o acompanhamento de música e gastronomia, coordenada pelo escritor oleirense Anthero Monteiro. A tradição, que antes tinha o nome “Quarto Crescente”, acabou por se chamar “Magnólia”, quando mudou para as instalações actuais da Biblioteca, depois de ser plantada uma Magnólia no jardim, rebatizando assim a Tertúlia Poética. A noite contou a colaboração de membros da “Onda Poética” mas também pessoas de outras imediações, como Santa Maria da Feira, Cortegaça e Porto. Ainda o músico Rui Paulino David e a Confraria do Pão-de-ló de Ovar, que não quiseram faltar. Desta vez, a noite foi subordinada ao tema “Solidariedade” com a apresentação de poemas solidários. Um tema escolhido devido ao clima que tem vindo a ocupar a Europa. Os poemas e textos sobre os problemas dos outros, que foram lidos durante o decorrer da noite, pertenciam a poetas que “se dedicaram durante os anos 30 e 50m apesar da censura do Estado Novo, à escrita de poemas dedicados ao tema da Solidariedade, como foi o caso de Carlos Oliveira, Mário e Sidónio Muralha”, como refere Anthero Monteiro, um professor que se dedica desde os 13 anos à poesia. A Colaboração da Confraria do Pão-de-ló de Ovar contribuiu para esta noite, e foi a combinação perfeita, “o pão-de-ló combina com a poesia, porque o pão-de-ló também alimenta a alma”, dizem os representantes da Confraria. O público presente pôde assistir e participar com uma entrada de duas pétalas, um montante simbólico para as despesas. No final da noite, todos puderam apreciar a gastronomia e provar o famoso pão-de-ló de Ovar. A Biblioteca esteve ainda de parabéns pelo completar de 40 anos ao serviço da cultura, arte, literatura, educação e conhecimentos locais, concelhios e nacionais. Os 40 anos alcançados são ainda poucos para Anthero Monteiro, pois existem muitas outras instituições com mais história. Contudo, os 40 anos resultaram de “muito esforço e dispêndio de muita energia e muito ganho a nível espiritual” “Estamos todos de parabéns” – afirma Anthero Monteiro.

www.correiodafeira.pt

Publicidade

12.OUT.2015

13


Fiães Fashion na Quinta da Cavacada FIÃES A freguesia de Fiães recebe um evento que exalta a moda. O Fiães Fashion acontece já este sábado, pelas 21h00, na Quinta da Cavacada (Camélias), na antiga Escola D. Pedro V.

CULTURA

DAnçAS Do poVo AniMAM CAStelo

Daniela Castro Soares daniela.soares@correiodafeira.pt

A primeira de muitas noites dançantes em Santa Maria da Feira, que começou no Castelo, em comemoração do Dia Nacional dos Castelos, mas que continuará, todas as quartas-feiras, no Cineteatro António Lamoso. Chamouse “Tertúlia Medieval” mas foi, na verdade, uma mostra de danças do povo, em que o público foi convidado a participar. “Surge num percurso dedicado às danças tradicionais. Tivemos uma adesão significativa e encorajadora, no ano passado, e quisemos fazer um upgrade, com uma ligação maior ao território, realizando o evento num património de referência, associado à Idade Média e às grandes conquistas, o Castelo, promovendo a dança e, em particular, as danças medievais” – diz ao CF o vereador com o pelouro da Cultura. Esperando uma adesão significativa, Gil Ferreira queria todos presentes naquele evento, desde “curiosos a aficionados das danças”. “Se aderirem tanto como aderiram às tertúlias folk, tenho a certeza que teremos um público simpático” – afirmava, no início do evento. E o público foi chegando, tímido. Queria ver o que ia acontecer, mais do que se envolver na acção. E foi assim que, das cerca de 30 pessoas que apareceram, apenas 15 quiseram juntar-se à roda e à professora Ana Carlos. “Isso é tudo vergonha?” – perguntava esta, mas a resposta era unânime, queriam “ficar só a ver”. Como é o caso de um casal das Caldas da Rainha, a fazer termas em S. Jorge. “Estamos muito empenados para isto” – brincavam, pensando que o evento ia ser só

14

12.OUT.2015

“uma mostra” e não “uma espécie de workshop”. Ainda assim, quem se juntou à “grande roda” divertiu-se. Iniciada a dança, os sorrisos eram inevitáveis. A falta de jeito ou de coordenação não era desculpa, pois tratavam-se de coreografias simples, uns passos para a direita, outros para a esquerda, muitas palmas. Uma roda bonita de se ver com as pessoas a irem ao centro e a voltarem, homens e mulheres a dividirem-se, elas centravam, eles afastavam. Naturalmente, o público feminino predominou, e as mulheres dançavam com as amigas, porque o que interessava era ter par e participar na festa. “Vou complicar” – dizia a professora. Ouviam-se suspiros, as senhoras tiravam os casacos e a professora descalçou os sapatos. Deixou de haver roda e o grupo preencheu a sala, construindo figuras como a “serpente” ou recriando jogos como o “bom barqueiro”. Alguns falhavam o timing, mas logo retomavam o passo. Mais para a frente, são os pares que brilham, juntando as palmas da mão esquerda e, olhos nos olhos, rodam um sobre o outro, fazendo lembrar os bailes antigos. Um encontro em que se “respirava o espírito medieval”, desde a iluminação com velas, desde a entrada do Castelo até ao Salão Nobre, aos elementos da organização trajados a rigor, até ao ambiente a meia-luz e praticamente despido de mobiliário, que criava uma sensação de intimidade. O objectivo era divertir e “ficar a conhecer as danças do povo”. “Não há muitos registos de danças do povo, sabemos apenas que eram danças de roda e de pares, que as pessoas levavam a cabo ao fim de um dia de trabalho. Uma dança despreocupada” – explicava Ana Carlos.

www.correiodafeira.pt

Vista Alegre com edição alusiva a Santa Maria da Feira O município de Santa Maria da Feira acaba de lançar uma nova linha de peças da Vista Alegre, com motivos identitários do território, designadamente Festas das Fogaceiras e Castelo da Feira. As peças podem ser adquiridas na Loja Interactiva de Turismo. Com o motivo da Festa das Fogaceiras, encontra-se disponível uma colecção de três peças: um prato para Fogaça, modelo Coupe; um prato de tapas, modelo Carré; e um par de chávenas de café, modelo Broadway. Os coleccionadores e aficionados pelo Castelo poderão optar pelo prato de tapas, modelo Carré, alusivo ao exlíbris feirense.

emídio Sousa visita África do Sul A próxima viagem do presidente da Câmara, Emídio Sousa, já está agendada. A “grande comunidade emigrante de feirenses” na África do Sul, que também celebra a Festa das Fogaceiras, enviou mais uma vez o convite ao autarca, requerendo a sua presença, e sublinhando que faz 30 anos desde que se realiza aquela festa no país. “Convidaram-me mais do que uma vez, gostava de ter ido, mas tive representações na Venezuela e no Rio de Janeiro, onde também se comemora as Fogaceiras. Agora faz 30 anos que a festa se celebra e é minha intenção, no próximo ano, fazer uma representação na África do Sul” – informa Emídio Sousa, que considera “a ligação à diáspora sempre importante”.


Circo das Marionetas de regresso As Marionetas da Feira voltam a percorrer o país com o Circo das Marionetas, em sítios como Alcobaça, Arcos de Valdevez e Torres Vedras. Neste espectáculo de encantar, direccionado para toda a família, que tanto pode ser apresentado na rua como em palcos, é recriado todo o ambiente circense com Marionetas de Fios. Um Circo de Marionetas que conta com as participações especiais de: Ivan, o contorcionista; François, o trapezista; Sissi, a cadelinha amestrada; Paquito, com as suas habilidades no monociclo; entre outros.

VERA PAIVA EXPÕE EM ROMARIZ ROMARIZ A artista Vera Paiva, uma jovem residente de Romariz, inaugurou a sua primeira exposição em nome individual, na passada sexta-feira, na sede da Sociedade Columbófila da terra. Vera Paiva é licenciada em Artes Plásticas e Intermédia pela ESAP (2013) e pós-graduada em Práticas Artísticas Contemporâneas pela FBAUP (2014).

A exposição é constituída tanto por obras bidimensionais (desenho e pintura) como por obras tridimensionais, valorizando sempre a manualidade, o cromatismo e a técnica. Os motivos principais estão relacionados com padrões do quotidiano, abraçando uma dimensão algo nostálgica. A exposição estará patente até este sábado.

Desfolhada à Moda Antiga exalta tradições ARRIFANA Uma Desfolhada à Moda Antiga é o que está programado para o próximo sábado, em Arrifana. “As memórias do Passado, a alegria do Presente e os cantares e sabores tradicionais” não faltarão. O evento tem lugar no Largo Manuel José Pereira, pelas 21h00.

Cineteatro recebe “Gira Pró Inferno” FEIRA O próximo espectáculo a ser apresentado no palco do Cineteatro António Lamoso intitula-se “Gira Pró Inferno”. Apresentado pelo Grupo Gólgata, é baseado na obra “Auto da Barca do Inferno” de Gil Vicente. Com texto de Castro Guedes e encenação de César Costa, esta abordagem de Revista Portuguesa funde a linguagem vicentina com o vocabulário contemporâneo. As cenas e os textos originais são explorados, permitindo que as personagens de época se desdobrem nos seus homónimos do século XXI. A peça é exibida no próximo sábado pelas 21h30.

fotolegenda

“Auto dos Bons Diabos”

FESTIVAL DE TEATRO DO GEDE COMPLETOU MAIS UMA EDIÇÃO ESCAPÃES O III Festival de Teatro do Grupo de Expressão Dramática de Escapães terminou no passado fim-de-semana. No sábado, subiu ao palco “Mala de Cartão”, no Salão Paroquial de Escapães, a cabo da Nova Comédia Bracarense (Braga). Uma comédia de costumes que decorre nas terras do Minho por volta do ano de 1965, vivendo-se a ditadura salazarista. No domingo, o Teatro de

Balugas (Barcelos) apresentou “Auto dos Bons Diabos”, onde Baltazar Diabo e a sua companhia eram os últimos resistentes do que restava de um vale outrora rural, esvaziado em grande parte pela fuga para as cidades, vilas e estrangeiro. Aqui habitavam histórias de resiliência e sobrevivência, onde a cultura popular de gerações resiste nas mãos de um punhado de artistas anónimos.

HALLOWEEN NO VISIONARIUM ESPARGO O Halloween aproxima-se e o Visionarium não quer passar ao lado desta data. No dia 31, “a feitiçaria invade” o espaço, com um programa recheado. Tudo começa às 19h00, com a recepção dos feiticeiros, seguindo-se o “Reino da Bruxaria”. Às 20h00, há o “Manjar dos Demónios” e, pelas 21h00, realizase o “Sarau Maléfico”, com dentaduras

“Repertório” foi o mais recente espectáculo do Cineteatro António Lamoso, no passado sábado. A celebrar os 20 anos do Ballet Contemporâneo do Norte, é dirigido por Miguel Pereira e concebido a partir do trabalho do BCN, do criador e de outros autores. A criação surge do resgate e recombinação de peças, da vontade de reanimar o movimento artístico. Debruça-se sobre as componentes objectivas da técnica e dos instrumentos, destacando a sua indossociação do sentimento e da sensibilidade artística. É um processo de redescoberta e transmissão que incorpora as vivências pessoais de cada elemento.

Publicidade

de Drácula, minhocas pegajosas, baba viscosa e espuma diabólica. Às 23h00, toma lugar o “Baile dos Horrores” e, por fim, às 23h40 há Doçura ou Travessura. O custo da actividade, destinada a crianças dos seis aos 12 anos, é de 20 euros, por criança, incluindo jantar, actividades e acompanhamento dos monitores. www.correiodafeira.pt

12.OUT.2015

15


REPORTAGEM

Escola sEgura volta à acção

16

12.OUT.2015

Coincidente com o início do ano lectivo 2015/2016, a PSP começou mais uma operação “Escola Segura – Ano Escolar 2016/2016”, que irá durar até 9 de Junho de 2016

Todas as crianças têm o direito de crescer em segurança, num clima de tranquilidade, sem medos nem receios, pelo que a Polícia de Segurança Pública (PSP) tenta fazer desse direito uma realidade, através do Programa Escola Segura. Numa iniciativa conjunta dos Ministérios da Administração Interna e da Educação, o Programa contribui para a criação de condições de segurança que as crianças merecem para que se possam sentir apoiadas e protegidas, condições essas que são asseguradas por agentes policiais treinados e preparados para este tipo de acção. Segundo a PSP, o programa terá como missão garantir a segurança nas imediações dos estabelecimentos de ensino, os percursos casa-escola-casa e a realização de acções de acordo com os anos lectivos – alcoolismo, noite segura, violência no namoro, bullying, prevenção rodoviária – que são propostas às escolas. Para que os pais também tenham noção dos perigos, nomeadamente no que toca aos atropelamentos, a PSP apostou na entrega de folhetos sobre acções em zonas escolares. Os folhetos utilizam imagens chocantes para avisar os pais dos perigos do dia-a-dia de uma criança. Contudo, a PSP nem sempre está ao corrente dos problemas de todas as escolas. “Há escolas com acontecimentos de que não temos conhecimento e outras escolas que nos chamam em todas as situações” adianta Paulo Marques, responsável pela Escola Segura desde 1999. A participação policial é precisa normalmente em casos mais graves, quando uma suspensão da escola não chega, o que leva a que hajam várias participações e, se mesmo assim não se resolverem, a situação pode levar a criança a uma instituição. A existência de uma boa relação com as escolas faz com que estas façam as denúncias à PSP, mesmo que hoje em dia já sejam obrigadas a fazer isso devido ao protocolo que existe entre os dois Ministérios. Contudo, há certas escolas que, por vezes, não denunciam, preferindo camuflar os incidentes, para que as situações não passem cá para fora, pois, acham, cria uma má imagem da escola. Paulo Marques conta que há pais que vêm ter com ele e perguntam qual a escola que seria melhor para o seu filho. Mas Paulo Marques tenta www.correiodafeira.pt

fazê-los entender que, muitas vezes, só não se ouve nada referente àquela escola por essa não fazer as denúncias das situações problemáticas, o que é pior. “Essa escola não tem menos ou mais problemas do que as outras, simplesmente não denuncia os casos de problemas que outra escola tenta resolver” – refere.

Redes sociais problemáticas

Hoje em dia, qualquer criança com os seus 13/14 anos já tem uma conta em qualquer rede social, sendo a mais conhecida o Facebook, o que tem vindo a gerar a ocorrência da maioria dos problemas escolares. A PSP tem recebido imensas queixas devido às redes sociais, que originam agressões e desacatos entre os alunos da escola, devido muitas vezes ao bullying indirecto. Algumas dessas queixas já ocorreram neste ano, não devido a agressões concretas, mas sim ao gozo e humilhação, o que pode resultar em traumas para as vítimas. As agressões directas são mais usadas pelos rapazes e as indirectas pelas raparigas. A realidade vista nas escolas hoje em dia é essa. As crianças aguardam ansiosamente pelo toque para o intervalo para que possam sentar-se no chão e actualizarem a sua conta nas redes sociais e ficarem a par das novidades dos amigos. O problema deve-se muitas vezes à desatenção dos pais, que não controlam essas situações e, muitos deles, não sabem utilizar as novas tecnologias, pelo que não têm noção do que os filhos fazem ou dizem. Paulo Marque já presenciou uma situação de um rapaz que vivia a vida de acordo com os jogos da playstation. “Considerava-se uma personagem de jogo” - explica Paulo Marques, alertando para a gravidade do caso. Todas as situações problemáticas nas escolas são enviadas para a Comissão de Menores, porque há crianças e jovens que, que quando denunciam o problema, já são vítimas há muito tempo, o que muda completamente o seu estado de espírito, a criança fica com medo de ir para a escola. Os professores, muitas vezes, são aqueles que dão conta da mudança de comportamento daquela criança, por serem quem passa a maioria do tempo com eles, mas acontece, com frequência, não saberem


como diz o Falco” têm histórias sobre os perigos para uma criança e contêm recomendações dadas pelo Falco” – conta Paulo Marques. O Correio da Feira assistiu a uma das formações da PSP, na passada sexta-feira, que ocorreu na Eb 2,3 Fernando Pessoa. A turma do 8.º ano, que ouviu falar de “Bullying Escolar”, pôde expor as suas dúvidas. “Alguém sabe o que é o bullying?” – perguntava Paulo Marques e foram várias as respostas dos alunos, como “maus-tratos”, “agressão”, “abuso”. Já quando o agente questionou sobre o Facebook, apenas um pupilo ainda não tinha aderido àquela rede social, embora não por vontade própria. “Não tenho porque porque os meus pais não deixam” – disse. O resto da turma tinha conta na referida rede social e poucos cediam as palavras-chave, ou seja, os pais não tinham acesso às suas contas. Os alunos mostravam-se atentos ao que Paulo Marques ia explicando, tentando sempre participar e fazer perguntas. No final, após a visualização de um filme sobre o bullying escolar, todos os alunos tinham uma opinião a dar. Enquanto uns brincavam com a situação, outros estavam mais sérios, pelo que deu para perceber que muitas das denúncias não são feitas devido ao medo ou por perderem a confiança dos colegas. “Muitas vezes não denunciamos por causa de termos medo de piorar a situação para o nosso colega” – revelou um aluno, seguindo-se outro: “Não vou denunciar senão sou bufo”. Publicidade

lidar com a situação. “Deviam estar mais preparados para lidar com a ocorrência de problemas”, diz Paulo Marques, “mas isso nem sempre é possível já que todas as aprendizagens são diferentes e, às vezes, faz falta formações da nossa parte”.

Conselhos para os pais

Na abertura do ano escolar, Paulo Marques aconselha os pais a estarem atentos, saberem sempre onde o filho está, a que horas entra e sai, o trajecto que costuma fazer e, sobretudo, ter a confiança do filho. O último ponto é importante para que a criança ou jovem possa falar sobre o que se passa na vida dele. “Muitas vezes existe uma relação entre pais e filhos baseada no medo, o que leva os filhos a preferirem calar-se ou falar com um professor. Os pais passam pouco tempo com os filhos pelo que não se apercebem das coisas” – aclara. A utilização de drogas por parte dos adolescentes é algo que pode surgir ou agravar-se pela desatenção dos pais, que não têm conhecimento sobre o assunto ou não sabem identificar os sinais, pelo que Paulo Marques aconselha os pais a informarem-se. Mas é o álcool que mais preocupa o agente porque, nos dias de

hoje, é uma droga “socialmente aceitável”. “Se um miúdo bebe, o pai muitas vezes brinca com a situação, enquanto se souber que experimentou um charro, o caso já muda totalmente de figura” – refere Paulo Marques. Outro dos conselhos vai para o cuidado com o uso de roupa com o nome da criança. Apesar de serem raras as vezes, há pessoas que, com uma intenção “maldosa”, podem criar com a criança uma relação de confiança, e assim conseguem facilmente aproximar-se, chamar pelo nome. “Sou um amigo do teu pai, não te lembras? Ele disse para te vir buscar” – exemplifica o agente. Aos alunos, Paulo Marques aconselha a que procurem contar tudo a alguém em quem confiem, e, caso não seja o pai e a mãe, procurem um professor ou alguém mais velho da família.

Acções nas Escolas

O Programa Escola Segura aposta nas formações nas escolas com vários temas, sendo que o mais usual tem sido o Bullying Escolar. A formação começa cedo, na préprimária e primeiro ciclo. “Mesmo que os miúdos não saibam ler, nós pedimos à educadora. Os folhetos com o título “Eu faço

www.correiodafeira.pt

PRECISA-SE ESTOFADOR

Requisitos: Idade Entre os 25 e os 50 anos Pede-se Experiência na função de Estofador de Mobiliários Pede-se Experiência Cozer á Máquina Ponto Corrido Zona Espinho Centro. Candidaturas para o e-mail: Joaquim.leca@masalgueiro.pt

PRECISA-SE

AVIADOR DE SOLAS (O candidato deve ser experiente na função designada. Deve saber Cardar, apontar e Colar solas.) Contacto: 968063697 e 256911113

PRECISA-SE

MÁQUINA DE MONTAR CALCANHEIRAS (O candidato deverá saber desempenhar bem a função. ) Contacto: 968063697 e 256911113

ALUGA-SE PRECISA-SE STA. MARIA DE

- AVIADOR LAMAS DE SOLAS. (O candidato deveLUGAR ser experiente na função T2 COM designada. Deve saber Cardar, apontar DE GARAGEM e Colar solas.) A 5 MIN DO - MÁQUINA DE MONTAR INTERMARCHE CALCANHEIRAS (O candidato deverá 933 570 357 saber desempenhar bem a função. ) Emprego Contacto: 968063697 e 256911113

12.OUT.2015

17


ECONOMIA

“A MINHA BOLEIA” TRANSPORTA CRIANÇAS COM SUCESSO

Anabela Gomes, uma auxiliar de acção educativa, despediu-se do seu posto de trabalho num infantário e lançou-se por conta própria num negócio de transporte colectivo de crianças. “A minha boleia”, criada há oito anos, surge a partir de uma conversa circunstancial com uma amiga, que também trabalhava no infantário, depois de Anabela Gomes lhe expor a sua ideia. Apesar de algumas dificuldades burocráticas no início, como a espera de cerca de um ano pela aprovação da sua candidatura na Agência Local em Prol do Emprego (Alpe), a empresária não teve medo de abrir o seu negócio por conta e risco, por ser bastante decidida e contar com o apoio do marido, e não desistiu. Após a formação de transporte colectivo de crianças, obrigatória e renovável de cinco em cinco anos, começou com cinco dos meninos de quem tomava conta no infantário. Actualmente, tem a seu cargo 30 crianças, sempre em horários diferentes, tentando intercalá-los, pois em cada viagem só pode transportar de seis a oito crianças, dependendo das idades, sendo que as crianças a partir dos 12 anos podem ir no banco da frente. Anabela Gomes trabalha sobretudo na zona de Lourosa, Fiães e Vergada. A cidade de Santa Maria da Feira ainda não se encontra no mapa do transporte, apesar de Anabela Gomes já ter recebido algumas propostas. Impossíveis de aceitar, contudo, por ser a única motorista e ter apenas uma carrinha, o que dificulta o negócio. “Sozinha não dá para abranger mais” – diz a empresária. As horas mais difíceis são os intervalos da tarde, entre as 14h/15h e as 18h30, pois o trabalho não pára. “A minha boleia”, que conta, neste momento, com a parceria de alguns centros de estudo – entre eles Explicarte, Cubo e Mentes Brilhantes, localizados em Lourosa – transporta por dia cerca de 20 crianças, entre as escolas e os centros de

18

12.OUT.2015

estudo. As idades das crianças não diferem muito. A mais nova tem dois anos e as restantes têm entre cinco e 16 anos. O investimento numa nova carrinha para substituir a actual (por estar perto dos 16 anos, o que não é permitido no transporte de crianças) veio dificultar os projectos de compra de mais uma carrinha e de contratar outra pessoa para ajudar no negócio. “Apesar do negócio ser rentável, a manutenção de uma carrinha é dispendiosa, nem tudo é lucro” – justifica.

Planos para o futuro

A evolução da empresa – que se nota principalmente no aumento do número de crianças e nas boas referências que vai tendo, o que faz Anabela Gomes querer cada vez mais ser uma boa profissional – faz com que a empresária não esteja arrependida do risco que correu na abertura de um negócio por conta própria. O único medo ainda presente é que surja algum contratempo, como a carrinha avariar ou ela adoecer, e não poder assim fazer o seu trabalho. Daí, um plano B está a ser pensado: arranjar uma pessoa que a possa substituir num desses casos de improviso. Contudo, não é fácil, trabalhar com crianças exige muitas responsabilidades, pelo que “nem toda a gente se sujeita a andar na estrada com crianças”. Apesar das dificuldades, o negócio tem corrido bem nos últimos sete anos, sem nenhuma ocorrência de maior, apenas algumas avarias na carrinha, e na manutenção de peças, que se resolveram facilmente. Os planos para o futuro passam pela compra de uma nova carrinha para que possa contratar alguém que a ajude no transporte de crianças e continuar com o “bom trabalho” que está a ser feito, sendo uma referência para os pais que a contratam para assegurar o transporte dos seus filhos. www.correiodafeira.pt


PUBLIREPORTAGEM

Yasmin, a única a comercializar crisTina

A loja Yasmin, em Santa Maria de Lamas, no edifício Topázio, nasceu a 15 de Outubro de 2011, após Ana Carina Santos, responsável da loja, ter ficado desempregada. Surgiu a ideia, uma loja de moda e acessórios, uma escolha devido à sua grande paixão pelo mundo da moda. A Yasmin, apesar de ter aberto já numa altura em que se ouvia falar da crise, tem conseguido ter sucesso. “Um dia de cada vez”, como diz Ana Carina Santos. A loja que, ao longo dos anos, foi destinada apenas ao sexo feminino, apresentou, em Setembro deste ano, uma novidade: Yasmin Kids, um espaço vocacionado para as crianças. Um

projecto que Ana Carina Santos já tinha em mente, mas que só foi concretizado depois do nascimento do filho, uma das melhores alturas. O Yasmin Kids, dirigido a crianças dos zero aos seis anos, funciona “quase como uma estratégia de marketing”, explica Ana Carina Santos, adiantando que quando as mães vão à loja à procura de algum artigo passam sempre pela zona dos mais pequenos, localizada num dos cantos mais visíveis. Mesmo que não comprem qualquer peça para elas, deitam sempre o olho ao vestuário das crianças e muitas vezes acabam por não resistir e levar algumas peças. No vestuário para adulto, há roupa casual, que ocupa a maior parte da loja, mas também roupa de festa, procurada pelas clientes quando têm eventos especiais na agenda. A menor procura deste tipo de roupa, contudo, leva a que muito do vestuário seja conseguido apenas por encomenda. A loja oferece ainda o serviço “personal shopper” para qualquer cliente que queira uma mudança de imagem. Um serviço orientado por Ana Carina Santos, que tem formação na área, ajudando no aconselhamento das clientes, sobre o que devem ou não vestir. Para além das marcas mais conhecidas que a loja apresenta – Kocca, Relish, Morgan, Ugg Australia, e Bamburi (para os adultos) e Tutto Piccolo, Pan com chocolate e Barcarola (para as crianças) – há duas que têm vindo a sobressair: Cristina by Cristina Ferreira

www.correiodafeira.pt

e Daily Cristina. Apesar de se encontrar na loja há quase um ano, só agora começou a ganhar mais visibilidade. A Yasmin é a única do Concelho a comercializar a marca, o que traz exclusividade à loja. A marca, que tem ganho algum reconhecimento nacional e internacional, tem despertado a curiosidade de muitas clientes que passam pela Yasmin ou procuram a loja no Facebook, começando a abranger clientes também das ilhas, que já têm feito algumas encomendas de peças. A ideia de comercializar o calçado da CRISTINA surgiu quando Ana Carina Santos percebeu que faltava algo na loja. Surgiu, então, a ideia de calçar as clientes, para além de as vestir. “Se a nossa loja é dedicada às mulheres, e sobretudo à sua imagem, porque não também calçá-las?” – pensou Ana Carina Santos. A escolha pelo calçado da Cristina Ferreira foi fácil. Para além de ser uma marca 100% portuguesa e ter uma excelente qualidade e conforto para o dia-a-dia de uma mulher, Ana Carina Santos nutre uma grande admiração por Cristina Ferreira e adora seguir o seu trabalho. O espaço, que é totalmente dedicado às mulheres, vai continuar assim pois Ana Carina Santos não pensa incluir na sua loja roupa para o sexo masculino. “São muito mais esquisitos do que as mulheres” – refere. A proprietária da Yasmin gostaria de abrir, quem sabe, mais uma loja, mas, por enquanto, pensa apenas no dia de amanhã, e no futuro do negócio.

12.OUT.2015

19


SENSAÇÕES SEM FRONTEIRAS 20

12.OUT.2015

Cataratas de Iguaçu Depois de uma viagem pela Argentina que nos levou aos lugares mais interessantes desse espectacular país da América do Sul, a nossa última paragem foi as Cataratas de Iguaçu. Um tour argentino brinda-nos com cenários naturais tão diversos, que decerto vamos reter para sempre na nossa memória: o branco dos glaciares, as montanhas verdejantes que se reflectem em lagos e lagoas de água azul-turquesa, o árido mas multicolorido deserto de Salta às estepes patagónias e tudo isto sempre na companhia de um povo amistoso e bem-disposto, tendo como primordial a preocupação de proporcionar aos turistas, momentos agradáveis acompanhados de boa cozinha, regada com bom vinho nacional ao som de boa música. Entre muitos outros, o vinho, a música e a dança são motivo de orgulho nacional, sim porque os argentinos decerto serão o povo mais orgulhoso de toda a América Latina, concordemos ou não com as razões do seu orgulho. Mas para chegar a este paraíso natural não precisa de viajar até a Argentina já que este país divide-o com o Brasil e Paraguai. A tri-fronteira é um ponto turístico podendo ser observada pelos visitantes em cada um dos lados. Para os turistas que escolheram a Argentina como destino de férias o ponto de chegada é o aeroporto internacional de Cataratas del Iguacu. A cidade que nos acolhe é Puerto de Iguacu onde não perdemos muito tempo, iniciando de imediato a nossa visita pelo lado argentino à rainha de todas as cataratas.

Para quem já visitou outras cataratas, como as de Niagara na América do Norte, compreende-se a famosa frase da primeira-dama dos Estados Unidos, Eleaonor Roosevelt: “Poor Niagara” (Pobre Niagara). São 275 quedas de água, numa extensão total de 2.7 km ao longo do Rio Iguaçu,

numa altura máxima de 82 metros, no entanto, a maioria das quedas não ultrapasse os 64 metros.

A mais bela e impressionante é a Garganta do Diabo. Trata-se de uma queda em forma de U com as impressionantes medidas de 150 metros de largura, 700 metros de comprimento e 82 de altura. “Ruge” diabolicamente levantando um nevoeiro permanente de partículas de água, molhando, como que castigando, todos os que se atrevem a aproximar-se.

Visitar este Património Natural da Humanidade, considerada uma das 7 Maravilhas Naturais do Mundo implica molhar-se e por muito que se preocupe em proteger-se com capas fique com a ideia de banhos forçados muito em especial para quem faz passeios de barcos, os guias fazem sempre umas brincadeiras levando as embarcações muito próximas das quedas para “baptizarem” os turistas. O nível de águas está no seu máximo durante os meses de Dezembro e Janeiro, mas a época mais aconselhada para visitar são os meses mais secos que vão de Abril a Setembro. A sua visita às cataratas não deve limitar-se ao lado argentino ou brasileiro, aproveite e explore os dois lados das cataratas, Argenwww.correiodafeira.pt

tina e Brasil e em nenhum momento se irá arrepender pois os dois lados completamse. Confesso que gostei mais do lado brasileiro, as vistas são mais impressionantes, no entanto, no lado argentino sentimo-nos mais próximos das quedas.

A primeira noite passamos no famoso Hotel das Cataratas, única unidade hoteleira no parque Iguaçu, lado brasileiro. Excelente 4 estrelas com uma vista magnífica para todo o complexo natural. Para ficar com uma ideia exacta do curso do rio e toda esta maravilha natural que compõem as cataratas não deixe de fazer um voo de helicóptero. Leva aproximadamente dez minutos, mas a recordação desse momento é eterna e uma oportunidade para fazer belas fotos.

Ficarmos três dias neste paraíso não será demais para usufruirmos das oportunidades que a região nos oferece, como uma excursão a Ilha de San Martin e assim fechar a sua viagem a Iguaçu com chave de ouro. Opções não faltam para momentos inesquecíveis. Consulte o Operador Quadrante para organizar e sua viagem e desfrute o paraíso. www.quadranteviagens.pt Jorge de Andrade


AUTOMUNDO

PEUGEOT 308 GT LINE DESPORTIVO DISFARÇADO DE CITADINO

Joaquim Oliveira Na renovação efectuada pela Peugeot à gama 308, surgiu uma nova versão desportiva, o GT Line, com motor “In-line” de 3 cilindros 1.2 turbo Puretech de 130cv. Gentilmente cedido pela CAETANO MOTORS (Vila Nova de Gaia), o novo “308 GT Line” foi a viatura escolhida por este Concessionário Peugeot para o teste efectuado pela equipa AutoMundo. Num primeiro olhar ao novo 308 GT Line, o que, de imediato, sobressalta é a nova frente da viatura com uma grelha na qual o símbolo do “leão” ocupa a posição central, tal como aliás já acontece na gama 508. Mas não é só na frente que se notam as novidades do modelo, pois todo ele é mais baixo do que a versão anterior (fruto do ligeiro rebaixamento da altura ao solo: 7 mm à frente e 10 mm atrás) e mais largo, fruto da colocação dos “frisos” na parte inferior da carroçaria. Na traseira, há mais novidades, tais como o aileron e a dupla saída de escape, o que nos desperta curiosidade para o que se esconde debaixo do capô. E é aí que encontramos o carácter vincadamente desportivo do 308 Gt Line, o motor 1.2 Puretech a gasolina de apenas 3 cilindros e equipado com turbo compressor, do qual a marca extrai 131cv às 5500 rotações num binário máximo de 230 Nm às 1750 rotações. Com tracção dianteira e equipado com uma caixa de velocidades Auto de 6 mudanças, travões de disco de maior dimensão

(ventilados à frente), suspensão e barra estabilizadora mais rígida, jantes de 17” (18” em opção). Mas não é só exteriormente que se nota o “disfarçado” carácter desportivo do “308 GT Line”, pois ao aceder ao habitáculo da viatura nos damos conta desse toque extra através da presença de soleiras das portas em alumínio, da conjugação da cor preta com prespontos vermelhos nos bancos, revestimentos, painel de bordo, painéis das portas, fole da alavanca das velocidades e nos tapetes a condizer. Os pedias são também em alumínio e o volante forrado a couro perfurado e de dimensões reduzidas, reforçando assim ainda mais o carácter desportivo da viatura. O painel de instrumentos está mais elevado do que o habitual, com curiosidades tais como o funcionamento do conta-rotações (que funciona da direita para a esquerda) e o ‘touchscreen Redline’ apresenta-se na linha apresentada nos estofos, o preto e vermelho como tons dominantes. Enfim chegado o momento de colocar este verdadeiro descendente de uma longa linha de desportivos a que a marca do “leão” nos tem habituado ao longo dos anos, é na estrada que começam a surgir as sensações que os 130cv do “308 GT Line” nos transmitem através do poder de aceleração e reprise, sem dúvida uma agradável surpresa que nos é oferecida por este pequeno motor de 3 cilindros turbo. O volante de pequena

www.correiodafeira.pt

dimensão e as suspensões um pouco rígidas complementam-lhe o carácter e o excelente comportamento de todo o conjunto, sem prejuízo de um outro ponto importante para todos, o conforto. A viatura apresenta um habitáculo bastante espaçoso, com tecto panorâmico em vidro, aumentando assim a luminosidade. Um maior conforto em caso de muita luz solar é-nos proporcionado por uma cortina de ocultação, finamente perfurada, que filtra 95% da luz exterior. O espaço da bagageira dá-lhe o estatuto familiar. Com os seus compartimentos de arrumação, muito práticos, disponíveis sob o tapete, o volume de carga posiciona-se como um dos mais generosos da sua categoria. Para uma utilização cada vez mais fácil e intuitiva, o novo 308 encontra-se equipado de série com um banco traseiro “Magic Flat”i. Graças a 2 comandos facilmente acessíveis, cada uma das duas partes do banco traseiro pode ser rebatida em apenas um segundo. Na estrada e de noite sobressai a iluminação com base em tecnologia LED, com faróis topo de gama Full LED (62 elementos), piscas de progressão sequencial (30 elementos), luzes de nevoeiro. No total, com as luzes traseiras (48 elementos), o 308 GT Line está equipado com 142 LEDs. Apesar do seu carácter desportivo, o “308 GT Line” não se revela muito guloso, sendo capaz de efectuar consumos médios de 5.1 litros/100Km.

12.OUT.2015

21


Lourosa empata no Cesarense (0-0)

Fiães goleia o Sp. Paivense (0-4)

Soutense lider isolado da II Distrital

16.ª Corrida do Castelo

Ineficácia dita empate sem golos. Apesar do resultado o Lourosa mantém-se na viceliderança da série D do CNS.

Os fianenses golearam o Sp. Paivense e seguem no grupo os 3.º classificados, juntamente com Lamas e Espinho.

SoutensevenceuemArgoncilhe (2-1) e aproveitou o empate entre Canedo e Arrifanense para se isolar no topo.

A próxima edição da Corrida do Castelo traz novidades e terá organização da Fullsport empresa de S. João de Ver.

Futebol

Futebol

Futebol

Modalidades

pág. 23

pág. 24

pág. 25

Feirense recebe hoje o boavista

Transformação de sociedade desportiva - Feirense, Futebol SAD

O Feirense recebe hoje, no Marcolino de Castro, às 20 horas, o histórico Boavista, em jogo a contar para a 2.ª fase da Taça CTT. Em caso de vitória, o Feirense entra na fase de grupos da competição.

DESPORTO

Foto: maisfutebol

Nélson Costa desporto@correiodafeira.pt

TAÇA CTT O Feirense vai hoje lembrar outros palcos, onde andou pela divisão principal do campeonato nacional português, ao receber o primodivisionário e histórico Boavista, do ex-internacional Petit. A partida é para a Taça da Liga (agora denominada CTT), mas uma vitória garante acesso à fase de grupos e a promessa de mais jogos frente a equipas da I Liga, além dos prémios monetários. Uma montra que certamente apetecível. O Boavista estreia-se hoje na Taça CTT. Já o Feirense entrou em prova logo na 1.ª fase – foi mesmo o primeiro jogo oficial da temporada para a equipa orientada por Pepa – com uma vitória caseira frente ao Covilhã (2-1). O histórico de confrontos entre os dois conjuntos mostra grande equilíbrio. Sete vitórias para o Feirense, oito para o Boavista e dois empates. Quanto ao jogo o favoritismo recai, naturalmente, para o Boavista, ainda que Jorge Couto, técnico-adjunto dos axadrezados, já tenha assumido que a prioridade vai para o campeonato. É assim de esperar algumas alterações no 11 habitualmente apresentado por Petit. Desde logo na baliza,

Na passada sexta-feira concretizou-se oficialmente a escritura de transformação do Feirense SDUQ em SAD e a alienação de parte do capital social aos nossos novos parceiros da empresa Tavisstock Global Resource, Ltd., liderada pelo empresário nigeriano Kunle Soname, conforme comunicado oficial publicado pelo clube. Relembre-se que a transformação de sociedade desportiva Clube Desportivo Feirense, Futebol SAD foi aprovada em Assembleia Geral e foi uma das promessas/reivindicações de Rodrigo Nunes para assumir a presidência da formação fogaceira.

Feirense época 1989/90

Pepa “Estamos ansiosos pelo encontro. O nosso grande objectivo passa por chegar à fase de grupos. Não é um sonho nem uma utopia. Traçamos esse objectivo internamente, logo desde que o sorteio foi conhecido”. “ “Chegar à fase de grupos traz visiblidade aos jogadores e ao clube, além da vertente financeira.”

2.ª Fase

onde Mika poderá ser substituído por Gideão. Carlos Santos, Diogo Lima, Inkoom e Uche também devem ser novidades na equipa inicial. Rivaldinho, filho do ex-internacional brasileiro Rivaldo, também se deve estrear com a camisola do Boavista. No Feirense não são de esperar tantas alterações. Ainda assim, Otávio, aproveitando que Makaridze só hoje chega da selecção da Geórgia, pode regressar à titularidade. Agostinho Carvalho, Semedo, Erivaldo e Porcellis também espreitam uma oportunidade e podem ser surpresas do castigado Pepa (Nuno Manta é quem estará no banco do Feirense a substituir o treinador principal).

Árbitro: Nuno Almeida

últimos 3 conFrontos II Liga 2008/09

2x2

II Liga 2008/09

2x0

I Divisão 1989/90

1x3

balanço JOgOS TOTAL

Estádio Marcolino Castro

equipas prováveis 22

14

10

Serginho Rúben Oliveira

70

Fabinho

42

2

Idris

Inkoom

Zé Manuel

5

55

1 Giorgi Makaridze

Nuno Diogo

12

Paulo Vinícios

17

99

9

4

Cris

Platiny

Uche Nwofor

Reuben Gabriel

Gideão

2

22

Ícaro Silva

Carlos Santos

29 35 Barge

Vasco Rocha

77

21

Luisinho

Kukula

Pepa

10 25

Diego Lima

Afonso Figueiredo

Treinadores Petit

Outros Convocados

Octavio, Alampasu; Mika, Agostinho Carvalho, Pedro Santos, Nandinho, Semedo, Wei, Tiago Jogo, Emma, Jony, Vieirinha, Erivaldo, Micael Freire, Porcellis Estão todos disponíveis. Pepa

22

12.OUT.2015

Lista de convocados só é divulgada hoje.

Lesionados

Fábio Ervões e André Bukia (recuperam de cirurgias)

Castigados

www.correiodafeira.pt

Não tem

pág. 28

17

EMPATES 7

2

8

20 horas


futebol

Arquivo CF

INEFICÁCIA EM EMPATE SEM GOLOS O Lusitânia de Lourosa empatou em casa do Cesarense, num jogo sem golos a contar para a 6.ª jornada da Série D do Campeonato Nacional de Seniores. Cesarense

0

Lourosa

0

Estádio do Mergulhão

Árbitro: Diogo Pinto

Cesarense: Bruno Pinto; Rúben Gomes, Júnior Pius, Pedro Rodrigues, Tiago Resende, Diogo Pereira (Hugo Silva, 81’), Bruno Costa (Nayry Vieira, 69’), Bruno Batista, Mauro, Vasco, Léo (Miguel, 84’) Treinador: Martelinho

Lourosa: Marco Sá; Tiago Ferreira, António, Vítor Sá, Ivo Oliveira, Joel (Moisés, 67’), João Pinto, Alex (Pedro Silva, 62’), Max, Xavi (Tiago Penantes, 71’), Djibril Treinador: Frederico Oliveira

Acção Disciplinar: Cartão amarelo a Moisés (89’)

CNS Partida sem golos a disputada no sábado por Cesarense e Lusitânia de Lourosa, no Estádio do Mergulhão, em Cesar – Oliveira de Azeméis. Um nulo que se justifica em grande parte pelo desacerto na altura da finalização de ambos os conjuntos. O início do encontro foi equilibrado com ligeiro ascendente do conjunto de Cesar, orientado por Martelinho. Contudo, com o passar do tempo o Lourosa foi impondo o seu jogo, mostrando por que é vice-líder da prova. Ainda assim, na 1.ª parte as oportunidades de golo não abundaram. O segundo período foi diferente. As duas formações jogaram mais perto das balizas

contrárias e as oportunidades de golo multiplicaram-se, mas a ineficácia foi uma constante. Não foi assim de estranhar o nulo registado aquando do apito final do árbitro Diogo Pinto, que, inclusive, apenas mostrou um cartão ao longo de todo o encontro – amarelo para Moisés (89’). Apesar do empate o conjunto lusitanista, orientado por Frederico Oliveira, mantém a vice-liderança da prova, com os mesmos pontos (11) que o anterior líder Lusitano Vildmoinhos - perdeu, em casa, com a Sanjoanense (3-2). O novo líder é o Estarreja depois da vitória tranquila na recepção ao Gafanha (3-0). Já o Cesarense baixou ao sexto lugar da tabela classificativa.

www.correiodafeira.pt

CAMPEONATO NACIONAL SÉNIORES Série D

1. 2. 3. 4. 5. 6. 7. 8. 9. 10.

Resultados - 6.ª Jornada Estarreja 3 0 Gafanha Bustelo 0 2 Oliveira de Frades Cesarense 0 0 Lusitânia Lourosa Lusitano FCV 2 3 AD Sanjoanense Anadia 2 3 Mortágua Classificação P J V E D GM - GS Estarreja 12 6 3 3 0 11 - 6 Lusitano FCV 11 6 3 2 1 18 - 8 Lusit. Lourosa 11 6 3 2 1 8 - 5 Anadia 10 6 3 1 2 10 - 9 Sanjoanense 10 6 3 1 2 11 - 10 Cesarense 9 6 2 3 1 9 - 4 Oliveira Frades 8 6 2 2 2 11 - 9 Mortágua 8 6 2 2 2 9 - 17 Gafanha 2 6 0 2 4 3 - 11 Bustelo 0 6 0 0 6 4 - 15 Próxima Jornada - 25 de Outubro Estarreja - Bustelo Oliveira de Frades - Cesarense Lusitânia de Lourosa - Lusitano FCV, 15h AD Sanjoanense - Anadia Gafanha - Mortágua

12.OUT.2015

23


Linhas do Relvado

CAMPEONATO PECOL

1. 2. 3. 4. 5. 6. 7. 8. 9. 10. 11. 12. 13. 14. 15. 16. 17. 18.

Resultados - 5.ª Jornada Avanca 1 2 Oliveira do Bairro Milheiroense 3 1 São Roque Paços de Brandão 0 1 Cucujães Carregosense 2 1 AC Famalicão Paivense 0 4 Fiães Sp. Espinho 1 0 Calvão São João de Ver 0 2 Águeda Esmoriz 3 1 Alba Valonguense 1 2 União de Lamas Classificação P J V E D GM - GS Oliveira do Bairro 15 5 5 0 0 13 - 4 Águeda 15 5 5 0 0 11 - 2 Fiães 10 4 3 1 0 9 - 2 União de Lamas 10 5 3 1 1 9 - 4 Sp. Espinho 10 5 3 1 1 7 - 4 Paivense 9 5 3 0 2 6 - 5 Valonguense 7 5 2 1 2 7 - 5 Carregosense 7 5 2 1 2 10 - 7 Cucujães 7 5 2 1 2 6 - 8 Calvão 6 5 2 0 3 8 - 8 Avanca 5 5 1 2 2 5 - 8 Paços Brandão 4 5 1 1 3 8 - 8 S. João de Ver 4 5 1 1 3 4 - 10 Milheiroense 4 5 1 1 3 5 - 14 AC Famalicão 3 5 1 0 4 5 - 6 Esmoriz 3 4 1 0 3 5 - 9 São Roque 3 5 0 3 2 3 - 8 Alba 3 5 1 0 4 6 - 15 Próxima Jornada - 18 de Outubro Oliveira do Bairro - Valonguense São Roque - Avanca Cucujães - Milheiroense AC Famalicão -Paços de Brandão Fiães - Carregosense Calvão - Paivense Águeda - Sp. Espinho Alba - São João de Ver União de Lamas - Esmoriz

Vasco Coelho

Professor de educação física e treinador de futebol (nível II)

SELEÇÃO NACIONAL

FIÃES E UNIÃO DE LAMAS VENCEM “FORA-DE-PORTAS”

CAMPEONATO PECOL O Fiães venceu o Paivense (0-4) e o União de Lamas o Valonguense (1-2) e juntam-se ao Espinho na ‘troika’ que ocupa o 3.º lugar do Campeonato Pecol. Também em destaque na 5.ª jornada da prova esteve o Milhei-

S. João Ver

0

Milheiroense

Águeda

2

S. Roque

Estádio SC S. João de Ver

roense que recebeu e venceu o S. Roque (3-1), alcançando a primeira vitória. A formação de Milheirós chegou aos quatro pontos e deixou a penúltima posição. Já o S. João de Ver não conseguiu resistir ao poderio do líder (juntamente

3 1

Complexo Desportivo Milheiroense

0

P. Brandão

1

Cucujães Estádio Zulmira Sá e Silva

Árbitro: Leandro Costa

Árbitro: Fernando Martins

Árbitro: Eduardo Rocha

S. João Ver: Pedro Justo; Ryan, Cardoso, Martini, Maia, Renato Maia, Duarte, Rena, Júnior (Manu, 67’), Yorn (Osório, 63’), Henrique (Hugo, 55’) Treinador: Adolfo Teixeira

Milheiroense: Rui Moreira; Sandro, André, Bruno Soares, Churra, Serginho (Cerqueira, 30’), Ricardo Martins, Maia, Marcelo, Zé António, João Luís (Gui, 50’), Telmo (Pedro Nuno, 65’) Treinador: Hélder Pinho

P. Brandão: Pedro Moreira; Manu, Carvalho, Mota, Cardoso, Carlitos, Nélson (Joel, 70’), Ramin (Nandinho, int.), Justo, Candeias (Dani, 75’), Samú Treinador: António Tomé

Águeda: João Figueiredo; Sammer, David, Nuno Cruz, Rodrigo, Letz, Daniel Fontes (João Paulo, 85’), Ricardo Catchana (Pedro Almeida, 65’), Diogo André, Zé Bastos, Fábio Diogo (Óscar Lopes, 51’) Treinador: Augusto Semedo

Acção Disciplinar: Cartão amarelo a Diogo André (22’), Henrique (38’), Cardoso (47’)

S. Roque: Daniel; Rui Miguel, Carlos Xavier, Fábio Dinis, Zé Pedro (Ivo, 75’), André, João Miguel, Artur (André Moreira, 60’), João Carlos, Tiago (Vítor Hugo, 81’), António Carlos Treinador: Tiago Ferreira Acção Disciplinar: Cartão Amarelo a Sandro, Churra, Ricardo Martins (2x); Rui Miguel, Carlos Xavier, Fábio Dinis, Zé Pedro, João Carlos (2x). Cartão vermelho, por acumulação de amarelos, a Ricardo Martins e João Carlos. Cartão vermelho directo a Zé António.

Golos: Zé Bastos (55’), Óscar Lopes (80’)

Golos: Zé António, Marcelo (g.p.), Maia; Rui Miguel

O Águeda continuou, em S. João de Ver, a sua caminhada triunfante no Campeonato Pecol, chegando, com naturalidade, à quinta vitória em cinco jogos. Zé Bastos (55’) e Óscar Lopes (80’) materializaram em golos a supremacia forasteira, estabelecendo o 2-0 final. O avançado Zé Bastos esteve mesmo em destaque. Depois de apontar de cabeça o golo inaugural, tirou com conta, peso e medida o cruzamento para o segundo golo da partida. O conjunto de Águeda partilha a liderança da competição com o Oliveira do Bairro. Já o S. João de Ver averbou a terceira derrota consecutiva.

O Milheiroense alcançou a primeira vitória no Campeonato Pecol na recepção ao S. Roque (3-1), num encontro em que dois jogadores do Milheirós foram expulsos (Ricardo Martins e Zé António). O Milheiroense entrou bem, muito pressionante, colocando em grandes dificuldades a equipa visitante. Zé António colocou os da casa a ganhar, mas Rui Miguel, perto do intervalo, empatou. Marcelo, de grande penalidade, e Maia recolocaram o Milheirós em vantagem, Depois, em inferioridade numérica, o conjunto orientado por Hélder Pinho soube defender e garantir os três pontos.

24

12.OUT.2015

Cucujães: Marcelo; João Couto, Tiago Lopes, Mauro, Brinca (Álvaro, 81’), Paivinha, Rogerinho, Muge, Casalinho (Diogo, 62’), Pedrinho, Juninho (Litos, 72’) Treinador: Hugo Gonçalves

Acção Disciplinar: Cartão amarelo a Samú (84’), Cardoso (85’), Muge (86’) e Marcelo (92’) Golo: Diogo (90’)

Se durante a semana o nome que mais se falou em Cucujães foi o de André Carrillo (jogador do Sporting associado pelo presidente leonino Bruno de Carvalho, ironicamente, ao clube distrital), é o nome de Diogo que os seus adeptos mais devem entoar, depois do golo apontado ontem, ao minuto 90, que garantiu o triunfo em Paços de Brandão, o segundo dos visitantes no campeonato. Já os brandoenses voltaram a perder e não vencem desde a goleada imposta, em casa, ao Milheiroense, da jornada inaugural, mantendose com apenas quatro pontos conquistados.

C.

F. U. L.

com o Oliveira do Bairro) Recreio d e Á g u e d a e p e r d e u d e fo r m a clara (0-2). Finalmente, também o Paços de Brandão perdeu em casa, desta feita com o Cucujães (0-1), e não vence desde a jornada inaugural.

Valonguense

1

Sp. Paivense

0

U. Lamas

2

Fiães

4

Estádio Bastos Xavier

Estádio Municipal da Boavista

Árbitro: António Gomes

Árbitro: André Castro

Valonguense: Melo; Carrero, Ricardo Dias, Ricardo Silva, Gonçalo, Nené, Fábio Dias, Mira (Telmo, 62’), Figo, Augusto, Zamorano (Kaká, 75’) Treinador: Paulo Silva

Sp. Paivense: David; Luís Miguel, Fábio, Renato, Pedro, Rui Jorge (Artur Miguel, 76’), Castro (Gilberto, 19’), João, António, Eduardo, Vítor Manuel (Flávio, 68’) Treinador: António Correia

U. Lamas: Hélio; Marcelo, Xavier, Joel, Américo Rocha, Edu, Luís, Américo (Quim Pedro, 72’), Fábio Raul (Pena, 62’), Maia, Pirata Treinador: António Remelgado

Fiães: Nuno (Zé Carlos I, int.); Sousa (Charneca, 70’), Jaiminho (Tiaguinho, 85’), Nélson Diogo, Ginho, Cabel, Dani, Tiago, Vasco, Zé Carlos II, Bino Treinador: Miguel Oliveira

Acção Disciplinar: Cartão amarelo a Gonçalo, Mira, Figo, Zamorano; Hélio, Edu, Fábio Raulo, Pena (2x). Cartão vermelho, por acumulação de amarelos, a Pena (78’)

Acção Disciplinar: Cartão Amarelo a Jaiminho e Tiago. Cartão vermelho directo a David (18’)

Golos: Joel (23’), Zamorano (45’), Maia (80’)

Golos: Sousa (20’ g.p., 23’), Charneca (80’), Tiaguinho (90’)

Entrou melhor o União de Lamas e marcou cedo por Joel (23’), golo que galvanizou, ainda mais, os lamacenses, estando perto, por duas vezes, de ampliar a vantagem. No entanto, em cima do minuto 45, Zemorano, num remate inesperado restabeleceu a igualdade. O União de Lamas manteve a supremacia no 2.º tempo e foi já reduzido a dez unidades, por expulsão de Pena (78’), que Maia estabeleceu o resultado final. Vitória sofrida, mas justa do União de Lamas num relvado sintético, do Estádio Bastos Xavier, em muito mau estado.

Ficou bem cedo decidida a partida para o Fiães. Aos 18 minutos o guarda-redes paivense David faz falta na área. O árbitro do encontro aponta para a marca da grande penalidade e mostra cartolina vermelha ao guardião. Sousa converteu com sucesso e três minutos depois ampliou a vantagem, praticamente sentenciando o vencedor do encontro. Com mais uma unidade em campo e com uma vantagem de dois golos, os fianenses foram gerindo o encontro. No entanto, já perto do final do encontro o Fiães marcou por mais duas vezes, estabelecendo o resultado final.

www.correiodafeira.pt

OPINIÃO Está de parabéns a Seleção Nacional pelo apuramento para o Europeu de França. Fê-lo de forma a não andar de calculadora na mão nem a disputar play-offs, há sete anos que não o fazia de forma tão categórica e meritória. Depois de um Mundial no Brasil, com prestações paupérrimas e de um início do apuramento para este Europeu cheio de sobressaltos, conseguiu estabilizar e realizar exibições consentâneas com o seu real valor. Ganhou consistência nos seus processos de jogo, deixou para trás pequenas grandes birras, ganhou maior estabilidade emocional e partiu para uma série de vitórias que lhe permitiram entrar na elite europeia. Fernando Santos, o grande obreiro, sem qualquer tipo de menosprezo para todos os jogadores que deram o seu contributo, mas foi ele o grande responsável pela excelente campanha que a seleção realizou. Idealizou um conceito de jogo, utilizou diferentes estruturas, jogou no 4X4X2 losangular, no 4X4X2 clássico e no último jogo efetuado utilizou o 4X3X3. Parece-me que a estrutura tática utilizada com a Dinamarca não é a ideal para a nossa seleção, pois com Ronaldo a jogar no eixo do ataque temos mais a perder do que a ganhar. Isto, porque, tivemos um grande volume de ações ofensivas desenvolvidas pelo jogo exterior, com posteriores cruzamentos para a área adversária, onde houve um défice de finalização. Em suma, muita produção ofensiva para poucos momentos de finalização. Tivemos Tiago e Moutinho que procuraram entrar variadíssimas vezes em zona de finalização, mas sem grande sucesso. No entanto, lá apareceu o golo marcado por Moutinho, num lance de insistência ofensiva. Golo merecido que veio coroar uma exibição individual a roçar a excelência. Também temos que equacionar a ausência de um verdadeiro ponta-de-lança no futebol português. Deixam saudades Pauleta e Nuno Gomes, que jeito davam a Fernando Santos. Sendo assim, penso que o 4X4X2 será a estrutura tática mais adequada, com Cristiano Ronaldo e outro na frente de ataque. Dentro desta estrutura, com certeza, iriamos ter um CR7 o jogar como ele mais gosta, a poder aparecer em momentos de transição, a ter um raio de ação ao nível da ocupação do espaço para preparação de ações ofensivas. Mas como se diz na gíria popular, “ Quem não têm cão, caça com gato”. Texto escrito com o novo acordo ortográfico.


FUTEBOL POPULAR PRETENDE CHEGAR ÀS DUAS LIGAS

SOUTENSE É O NOVO LÍDER ISOLADO O Soutense venceu o Argoncilhe (1-2) e aproveitou da melhor forma o empate entre o Canedo e o Arrifanense (0-0) para se isolar na liderança da II Distrital. II DISTRITAL Há novo líder no campeonato, após uma jornada em que apenas três equipas venceram (registaram-se cinco empates) e onde houve quatro dérbis feirenses. O Soutense venceu o Argoncilhe e aproveitou o nulo registado entre os dois anteriores líderes, Canedo e Arrifanense. Nos outros dois dérbis, recepção do Romariz ao Rio Meão e do Sanguedo ao Caldas S. Jorge, o resultado foi e mesmo, empate a uma bola. Mas o grande destaque da jornada vai mesmo para o Soutense. Ao intervalo a formação de Souto até estava a perder, mas os golos de Rui Silva e André garantiram a cambalhota no marcador, o triunfo e a liderança isolada da II Distrital, Série A.

II DIVISÃO DISTRITAL - Série A

1. 2. 3. 4. 5. 6. 7. 8. 9. 10. 11. 12. 13. 14. 15. 16. 17.

Resultados - 4.ª Jornada Real Nogueirense 1 0 Mansores Romariz 1 1 Rio Meão Sanguedo 1 1 Caldas São Jorge ACRD Mosteirô 1 2 Cesarense Canedo 0 0 Arrifanense Lobão 1 1 Alvarenga Mosteirô F. C. 1 1 São Martinho Argoncilhe 1 2 Soutense Folgou Macieirense Classificação P J V E D GM - GS Soutense 9 4 3 0 1 6 - 3 Canedo 8 4 2 2 0 4 - 1 Arrifanense 8 4 2 2 0 4 - 2 Cesarense 7 4 2 1 1 6 - 4 Lobão 7 4 2 1 1 4 - 3 Rio Meão 7 4 2 1 1 7 - 8 Mansores 6 3 2 0 1 9 - 4 Alvarenga 5 4 1 2 1 4 - 3 Romariz 5 4 1 2 1 6 - 5 Real Nogueirense5 4 1 2 1 3 - 3 São Martinho 4 4 1 1 2 5- 7 Sanguedo 4 4 1 1 2 4 - 6 ACRD Mosteirô 3 4 1 0 3 4 - 7 Macieirense 3 3 1 0 2 3 - 6 F.C. Mosteirô 2 3 0 2 1 4 - 5 C. São Jorge 2 4 0 2 2 2 - 6 Argoncilhe 1 3 0 1 2 3 - 5 Próxima Jornada - 17 e 18 de Outubro Macieirense - Real Nogueirense Mansores - Romariz F. C. Rio Meão - Sanguedo Caldas de São Jorge - ACRD Mosteirô- 17/10 Cesarense - Canedo Arrifanense - Lobão Alvarenga - Mosteirô F. C. São Martinho -Argoncilhe Folga Soutense

Canedo

0

Romariz

1

Arrifanense

0

Rio Meão

1

Campo das Valadas

Campo dos Valos

Árbitro: Nuno Camarinha

Árbitro: Hugo Pinto

Canedo: Rui; Kiko, João, João Paulo, Porto, Canedo, Badolas (Russo, 75’), Dennis, Álvaro, Fabri (Zé Luís, 60’), Vilar (Diogo, 82’) Treinador: João Paulo

Romariz: Cristiano; Leitinho, Tiago Sousa (Xavi, 60’), Teno, Tiago, Vítor, Huguito, Julinho (Ricardo, 65’), Dani Alves, Festinha (Dacosta, 65’), Bruno Treinador: José Borges

Arrifanense: Higuita; Beto, Stephane, João Bastos, André, Estaca, Fruta (Pinta, 68’), Rúben (João Neves, 65’), Leite (Chiquinho, 80’), Luís, Amorim Treinador: Pedro Santos

Acção Disciplinar: Cartão amarelo a Estaca (48’), Dennis (62’), Stephan (84’), Kiko (86’)

O dérbi da quarta jornada entre Canedo e Arrifanense acabou com um empate, sem golos. Um resultado que se manteve inalterável até ao fim da partida, apesar das tentativas de ambos os conjuntos. Na primeira parte o jogo foi equilibrado, com a equipa de Canedo a ter uma oportunidade de golo aos 25 minutos por Álvaro, mas o remate foi à barra. Já na segunda parte da partida, a toada de equilíbrio manteve-se. O Canedo entrou bem, mas foi o Arrifanense a estar melhor. O Canedo só voltou a criar perigo perto do final, aos 86 minutos, com Vilar sozinho em frente à baliza a falhar o remate. O resultado acabou por corresponder ao equilíbrio patenteado, num jogo com muita luta no meiocampo entre as duas equipas do Concelho, anteriores líderes da prova.

FUTEBOL POPULAR A Liga de Futebol Popular do Município de Ovar, fundada por José Rodrigues, presidente do Stop Futebol Clube e por António Rocha, presidente do Futebol Clube JotaEme, em Setembro de 2013, tem como finalidade o campeonato da LFPMO, a Taça da Cidade de Esmoriz e a Supertaça, as três etapas da Liga. A primeira época ocorreu em 2013/2014 e contou com dez equipas inscritas, já a segunda época foi em 2014/2015 e contou com a presença de mais seis equipas inscritas do que na anterior. A terceira época decorrerá entre 2015 e 2016 e conta com 17 equipas inscritas, contando com mais uma equipa inscrita do que na época anterior, a equipa da Mata, de Santa Maria da Feira. Contudo, a intenção passa por continuar a aumentar o número de participantes inscritos. “Ter um maior número de equipas inscritas para chegar às duas ligas, alcançando a primeira e segunda divisão é o objectivo principal da Liga” – refere José Rodrigues, Presidente do Futebol Popular de Ovar. De acordo com José Rodrigues todas as equipas têm qualidades para alcançar o primeiro lugar, demonstrando todas uma excelente preparação. O Laborim, a equipa vencedora da época passada, é uma das principais favoritas, “tendo equipa para isso” – adianta José Rodrigues.

Rio Meão: Ricardo; Filipe, Saxe, Fábio, Litos, Káká, Nelson, Márcio Balona (Jonhy, 83’), Nani, Assunção (Zé, 91’), Talhas (Pedro Ribeiro, 68’) Treinador: Miguel Rapinha

Acção Disciplinar: Cartão amarelo a Tiago Sousa (50’), Festinha (60’) Nélson (63’ e 72’), Káká (70’) Cartão Vermelho, por acumulação de amarelos, a Nélson (72’) Golos: Talhas (18’), Huguito (22’)

O embate concelhio entre o Romariz e o Rio Meão, referente à 4.ª jornada da II Distrital, terminou empatado a uma bola. A equipa de Rio Meão conseguiu entrar melhor, assumindo o encontro no início, mas, aos poucos, a equipa da casa foi colocando o seu jogo em prática e equilibrou. Ainda assim, marcou primeiro o Rio Meão, por Talhas (18’), só que quatro minutos depois Huguito restabeleceu o empate, num lance de bola parada. Na 2.ª parte volta a ser o Rio Meão a entrar melhor, contudo, aos 72 minutos, ficou reduzida a dez unidades por expulsão de Nélson, passando o Romariz a ter o controlo de jogo, mas sem resultados práticos não havendo mais alterações no marcador. Destaque ainda para a contestação do Rio Meão à arbitragem de Hugo Pinto. www.correiodafeira.pt

F.C. Cadinha alcança a liderança FUTEBOL POPULAR Na segunda jornada da Liga de Futebol Popular do Município de Ovar a equipa do F.C. Padrão, LIGA DE FUTEBOL POPULAR num dérbi feirense, faDO MUNICÍPIO DE OVAR cilitou o caminho para Resultados - 2.ª Jornada Laborim BFC 3 2 Canários BFC a liderança do F.C CaSanguedo CVPT 1 0 U. C. Cruzeiro dinha, ao perder por F. C. Cadinha 2 0 F. C. Padrão STOP FC 3 3 Ases FC 0-2. Outra equipa que F. C. JotaEme adiado Aguiar de Sousa também se mostrou GD Fajões 1 4 Real C. Recarei União da Mata 2 2 M. Móveis com pouca sorte foi a GDJ Pedroso 2 1 ADR Quintas Folgou Cabomonte de U.C. Cruzeiro que Classificação perdeu (0-1) contra a P J V E D GM - GS C. Recarei 6 2 2 0 0 5 - 1 equipa de Sanguedo 1.2. Real F. C. Cadinha 6 2 2 0 0 3 - 0 CVPT. Ainda no con- 3. GDJ Pedroso 6 2 2 0 0 4 - 2 4. STOP F.C. celho da Feira, equipa 5. União da Mata 44 22 11 11 00 74 -- 52 União da Mata, tam- 6. Ases FC 4 2 1 1 0 6 - 5 Quintas 3 2 1 0 1 4 - 3 bém não teve muita 7.8. ADR Cabomonte 3 1 1 0 0 2 - 1 sorte e empatou por 9. Laborim BFC 3 2 1 0 1 4 - 4 Sanguedo CVPT 3 2 1 0 1 3 - 3 2-2, contra a equipa M. 10. 11. M. Móveis 1 2 0 1 1 3 - 4 Móveis. O Cabomonte, 12. F. C. JotaEme 0 1 0 0 1 0 - 1 13. F. C. Padrão outra equipa do Con- 14. Canários BFC 00 12 00 00 12 02 -- 24 celho, folgou nesta 15. Aguiar de Sousa 0 1 0 0 1 0 - 2 16. U. C. Cruzeiro 0 2 0 0 2 2 - 5 ronda. 17. GD Fajões 0 2 0 0 2 2 - 7 Próxima Jornada - 18 de Outubro A liderança da equipa M. Móveis -F. C. JotaEme, 10h F.C. Cadinha é partiU. C. Cruzeiro - Ases F. C., 10h Cabomonte - Sanguedo CVP Team, 10h lhada, tendo alcançado ADR Quintas -F. C. Cadinha, 10h os seis pontos, juntaAguiar de Sousa.com - STOP F. C. Real C. Recarei -União da Mata, 10h mente com as equipas F. C. Padrão - GD Fajões, 10h GDJ Pedroso e Real C Canários BFC - GDJ Pedroso Folga Laborim BFC Recarei. 12.OUT.2015

25


Feirense

2

Tondela

0

Complexo Desportivo CD Feirense Árbitro: Pedro Graça Feirense: Ima; Relvas, Leandro Almeida, Antunes (Ken, 70’), Mango, João Tavares (Tavares, 80’), Leandro Ribeiro (Henrique, 60’), Diga, Micolli, Léo, Lane Treinador: Nuno Manta

NACIONAL DE JUNIORES I Divisão - Zona Norte

1. 2. 3. 4. 5. 6. 7. 8. 9. 10. 11. 12.

Resultados - 9.ª Jornada Moreirense 2 4 Sp. Braga Feirense 2 0 Tondela V. Guimarães 2 1 Gil Vicente Leixões 3 0 Boavista F. C. Porto 1 1 Rio Ave Paços de Ferreira 2 1 Vizela Classificação P J V E D GM V. Guimarães 23 9 7 2 0 20 Rio Ave 20 9 62 1 15 F. C. Porto 18 9 5 3 1 16 Paços Ferreira 17 9 5 2 2 17 Gil Vicente 14 9 4 2 3 14 Leixões 12 9 4 0 5 15 Vizela 11 9 2 5 2 14 Sp. Braga 11 9 3 2 4 12 Boavista 10 9 2 4 3 12 Feirense 7 9 2 1 6 14 Tondela 4 9 1 1 7 8 Moreirense 2 9 0 2 7 12 Próxima Jornada - 17 de Outubro Paços de Ferreira - Sp. Braga Tondela - Moreirense Gil Vicente - Feirense, 15h Boavista - Vitória de Guimarães Rio Ave - Leixões Vizela - F. C. Porto

Tondela: Nando; Manecas, Abdul, Charrua, Ézio, Mohammed, Marado (Rui Patrício, int.), Tomás Jorge, Hugo Rafael (Chico, 88’), Lapa, Valter (Josemar, 70’) Treinador: Migueli GS 8 9 7 10 16 16 15 13 14 17 16 28

NACIONAL DE JUNIORES II Divisão - Série B

1. 2. 3. 4. 5. 6. 7. 8. 9. 10.

Resultados - 6.ª Jornada Oliveirense 3 0 Canidelo Lusitânia Lourosa 4 2 Sousense Torre Moncorvo 0 4 Padroense Penafiel 2 0 Arouca AD Sanjoanense 1 2 Paredes Classificação P J V E D GM Penafiel 16 6 5 1 0 13 Oliveirense 15 6 5 0 1 10 Paredes 13 6 4 1 1 12 Sousense 10 6 3 1 2 9 Padroense 9 6 3 0 3 11 Lusit. Lourosa 9 6 3 0 3 11 AD Sanjoanense 7 6 2 1 3 15 Arouca 6 6 2 0 4 14 Canidelo 3 6 1 0 5 6 Torre Moncorvo 0 6 0 0 6 7 Próxima Jornada - 17 de Outubro Oliveirense - Lusitânia de Lourosa, 15h Sousense - Torre Moncorvo Padroense - Penafiel Arouca - AD Sanjoanense Canidelo - Paredes

GS 5 5 7 6 6 10 8 10 17 34

NACIONAL DE JUVENIS Série B

1. 2. 3. 4. 5. 6. 7. 8. 9. 10.

Resultados - 5.ª Jornada Boavista 1 2 Feirense Leixões 1 0 Gondomar Oliveirense 1 1 Padroense AD Sanjoanense 0 2 F. C. Porto Sp. Mêda 0 1 Paços de Ferreira Classificação P J V E D GM - GS F. C. Porto 15 5 5 0 0 19 - 0 Feirense 10 5 3 1 1 10 - 8 Oliveirense 9 5 2 3 0 10 - 4 Leixões 8 5 2 2 1 8 - 4 Padroense 7 5 2 1 2 7 - 7 AD Sanjoanense 7 5 2 1 2 6 - 7 Paços Ferreira 7 5 2 1 2 6 - 8 Boavista 6 5 1 3 1 8 - 4 Gondomar 0 5 0 0 5 2 - 13 Sp. Mêda 0 5 0 0 5 0 - 21 Próxima Jornada - 18 de Outubro Feirense - Sp. Mêda, 11h Gondomar - Boavista Padroense - Leixões F. C. Porto - Oliveirense Paços de Ferreira - AD Sanjoanense

NACIONAL DE INICIADOS Série C

1. 2. 3. 4. 5. 6. 7. 8. 9. 10.

Resultados - 7.ª Jornada Avanca 0 3 Gafanha Gondomar 1 1 AD Sanjoanense Oliveirense 3 0 Fiães Taboeira 0 3 Anadia Tondela 1 1 Feirense Classificação P J V E D GM - GS Tondela 16 7 5 1 1 18 - 8 Gafanha 14 7 4 2 1 10 - 4 Anadia 13 7 4 1 2 8 - 3 Feirense 13 7 3 4 0 8 - 4 Gondomar 12 7 3 3 1 12 - 8 Oliveirense 8 7 2 2 3 8 - 9 AD Sanjoanense 6 7 1 3 3 7 - 8 Avanca 6 7 2 0 5 3 - 11 Taboeira 4 7 1 1 5 4 - 12 Fiães 4 7 1 1 5 5 - 16 Próxima Jornada - 18 de Outubro Tondela - Gafanha AD Sanjoanense - Avanca Fiães - Gondomar, 11h Anadia - Oliveirense Feirense - Taboeira, 11h

Acção Disciplinar: Cartão amarelo a Mango (75’), Lane (76’), João Tavares (80’) Golos: Lane (44’), Henrique (89’)

12.OUT.2015

4

Sousense

2

Estádio do Lusitânia FC Lourosa Árbitro: Fábio Pereira Lusitânia Lourosa: Afonso; André Cassiano, Vasco Airosa, Rochinha, Zé Lino, Gil (Carlos Marques, 80’), Hugo (João Gomes, 60’), André Cabeça, Chico Marques, João Marcelo (Cerqueira, 90’+2), Edu Treinador: José Carlos Monteiro Sousense: André; Edgar, Zé Pedro, Alex, Francisco, Marco, Lascasas (Lima, 64’), Ventura, Jota (Tote, 64’), Rui Soares, Pedro (João, 58’)

Golos: Edu (15’), Rui Soares (31’), Gil (45’), João Marcelo (50’), Ventura (53’), Chico Marques (90’+3)

SEGUNDA VITÓRIA NO CAMPEONATO PARA O FEIRENSE JUNIORES Sete jogos depois o Feirense regressou às vitórias na 1.ª Divisão Nacional, Zona Norte. Em jogo referente à 9.ª jornada, disputado no Complexo Desportivo do Feirense, os fogaceiros venceram o Tondela, por 2-0. Lane (44’) e Henrique (89’) foram os autores dos golos. A equipa orientada por Nuno Manta alcançou a sua segunda vitória na prova e não vencia desde a 2.ª jornada. O Feirense entrou melhor, a circular bem a bola e a tentar dar profundidade nos corredores laterais, criando situações de golo que iam sendo desperdiçadas. No entanto, perto do intervalo, na

sequência de um pontapé de canto, bem executado por Leandro Vieira, Lane desvia de cabeça para o fundo da baliza, abrindo o marcador. Na 2.ª parte o Tondela foi à procura do golo, pressionou o Feirense no seu último reduto, mas o Feirense, muito compacto, não deu veleidades ao adversário e lançava, ainda, ataques rápidos, através de Lane, Henrique e Leandro Vieira, que poderiam, por diversas vezes, ter resultado em golo. Numa dessas situações, bem perto do final do encontro e após erro do guarda-redes adversário, Henrique encostou para o 2-0 final. Vitória difícil, mas justa do Feirense que se mantém na 10.ª posição da

Feirense sobe ao segundo lugar

Após um mês de paragem no campeonato, o Feirense deslocou-se ao tereno do Boavista e venceu por 2-1, em jogo da 5.ª jornada do Nacional de Juvenis, Série B.

Boavista

1

Feirense

2

Campo de Treinos do Estádio do Bessa XXI Árbitro: João Almeida Boavista: Tavares; Gui, Lorga, Rui Bruno, Tomás (Mourão, 53’), Costa, Santos (Sardinha, 60’), Afonso, Kenny, Maia (Rafael, 41’), Rocha Treinador: Tavares Feirense: Sérgio; Vitinha, Jorge, Rafa, Gustavo, João Santos, Nuno Soares (Vasco, 67’), Magalhães, Batistuta; João Bernardo (Dylan, 75’), Zé Leite (Kiko, 78’) Treinador: André Teixeira Acção Disciplinar: Cartão amarelo a Gustavo (42’ e 80’+4), Rui Bruno (50’) Costa (70’), João Santos (79’). Cartão Vermelho, por acumulação de amarelos, a Gustavo (80’+4) Golos: Rafa (20’), Batistuta (62’), Rui Bruno (70’)

26

Lourosa

JUVENIS Início de jogo com ambas as equipas a estudaremse. Com o passar do tempo a equipa da casa ia controlando o jogo, mas sem conseguir chegar com perigo a baliza da equipa visitante. O Feirense a espaços ia tentando impor o seu futebol. O Boavista aplicava um futebol muito directo, esperando sempre pelo erro do adversário. Num lance de bola parada o Feirense ia chegar a vantagem, através de um cabeceamento de Rafa (20’). Perto do final da primeira parte Batistuta, através de um grande remate, quase fazia o segundo golo. Na segunda parte o Boavista ia tentado chegar a baliza do Feirense, mas sempre sem qualquer perigo, já os fogaceiros lançavam perigosos contra ataques e chegaram mesmo a enviar duas bolas aos ferros. Esperavase então a qualquer altura o golo do Feirense e numa excelente jogada colectiva Batistuta faz o segundo golo (62’), resultado até então merecido. O Boavista foi atrás do prejuízo e começou a carregar, mas só conseguiu reduzir e foi com alguma felicidade que conseguiu marcar. Vitória inteiramente justa da equipa do Feirense que demonstrou grande atitude competitiva. www.correiodafeira.pt

tabela classificativa.

Lourosa imparável em casa

O Lusitânia de Lourosa recebeu e venceu o Sousense (4-2), em jogo referente à 6.ª jornada da 2.ª Divisão Nacional, Série C. A formação orientada por José Carlos Macedo alcançou a terceira vitória, em outros tantos jogos realizados na condição de visitado, para o campeonato. Edu (15’), Gil (45’), João Marcelo (50’) e Chico Marques (90’+3) marcaram para os lusitanistas que estiveram quase sempre melhor e em vantagem no marcador.

Diogo saltou do banco para garantir o empate INICIADOS O Feirense foi a casa do líder Tondela arrancar um empate (1-1), com um golo apontado pelo “suplente” Diogo a três minutos do final do encontro. Já o Fiães regressou às derrotas na deslocação ao terreno da Oliveirense (3-0), em partidas a contra para a 7.ª jornada do Nacional de Iniciados, Série C. Apesar do empate no terreno do líder, o Feirense perdeu a vice-liderança da prova, descendo ao 4.º lugar. O Fiães continua na penúltima posição, com os mesmos pontos do “lanterna-vermelha” Taboeira. A 1.ª parte foi totalmente dominada pelo Tondela, que marcou bem cedo, numa grande penalidade apontada por Pedro. Mesmo em vantagem, os jovens de Tondela mostraram porque lideram a prova e dispuseram de mais duas ou três oportunidades para aumentar a vantagem. A 2.ª parte foi totalmente diferente, o Feirense esteve melhor, mas só empatou perto do fim num erro defensivo da equipa da casa. Em Oliveira de Azeméis assistiu-se a uma partida de pouca qualidade à semelhança do tempo cinzento que se fazia sentir, com muita batalha a meio-campo e futebol directo. O Oliveirense chegou ao terceiro no início da 2.ª parte e resolveu o encontro. Tondela

1

Feirense

1

Estádio João Cardoso - Campo n.º 2 Árbitro: Célia Santos Tondela: João; Artur, Rafael, Tomás, Tiago (Hélder, 34’), David (Rodrigo, int.), Francisco (Joel, int.), Pedro, Marco, Diogo, André Treinador: Igor Vieira

Feirense: Tiago; Rodrigues (Alex, 65’), Barbosa, Nuno, André (Príncipe, 12’), Manu, Filipe (David, 50’), Brandão, Joel (Diogo, int.), Ricardo, João (Fernando, int.) Treinador: José Carlos Acção Disciplinar: Cartão amarelo a João (7’), Brandão (65’), Artur (71’) Golos: Pedro (2’), Diogo (67’)

Oliveirense

3

Fiães

0

Centro de Formação Ápio Assunção Árbitro: Hélder Marques

Fiães: Marco (Carlos Rúben, int.); Joel, João, Wilson, André (Rafa, 55’), Luís, Paguinho, Luís Carlos, Miguel Alves (Fausto, int.), Valente (Rúben, 55’), Rui Treinador: Saulo Santos

Acção Disciplinar: Nada a assinalar.


futsal

KEKÉ E CARLITOS BISAM NO TRIUNFO DO LAMAS FUTSAL O Lamas Futsal alcançou a terceira vitória na II Nacional, em três jogos, na recepção ao ACR (5-2) e partilha a liderança da Série C com o Domus Nostra. II DIVISÃO NACIONAL - Série C

1. 2. 3. 4. 5. 6. 7. 8. 9. 10.

Resultados - 3.ª Jornada CFCP Mêda 2 4 JACA FC ABC Nelas 2 3 Domus Nostra Lameirinhas 4 8 Ossela Futsal Azeméis 4 5 Viseu 2001 Lamas Futsal 5 2 ACR Vale Cambra Classificação P J V E D GM - GS Lamas Futsal 9 3 3 0 0 9 - 3 Domus Nostra 9 3 3 0 0 12 - 7 Futsal Azeméis 6 3 2 0 1 21 - 11 ABC Nelas 6 3 2 0 1 15 - 7 Ossela 4 3 1 1 1 16 - 14 Viseu 2001 4 3 1 1 1 11 - 11 ACR V. Cambra 3 3 1 0 2 9 - 14 JACA 3 3 1 0 2 6 - 11 Lameirinhas 0 3 0 0 3 10 - 18 CFCP Mêda 0 3 0 0 3 4 - 17 Próxima Jornada - 17 e 18 de Outubro Domus Nostra -Lamas Futsal - 17/10, 19h JACA - Futsal Azeméis Viseu 2001 - GDR Lameirinhas Ossela - ABC de Nelas ACR Vale de Cambra - Casa F. C. Porto Mêda

II NACIONAL Keké e Carlitos, com dois golos cada, contribuíram de forma decisiva para o triunfo do Lamas Futsal sobre o ACR Vale de Cambra (5-2), em jogo disputado no Pavilhão Comendador Henrique Amorim, Santa Maria de Lamas, a contar para a 3.ª jornada da II Nacional, Série C. Hugo foi o autor do outro golo lamacense, na altura a inaugurar o marcador. Desde cedo que o Lamas Futsal assumiu as rédeas ofensivas do encontro, frente a um ACR a que se limitava a defender, revelando debilidades na criação de jogo ofensivo. As oportunidades de golo desperdiçadas para o Lamas sucediam-se, até que Hugo encontrou o caminho da baliza (15’), inaugurando

o marcador, resultado que se manteve até ao intervalo. Na 2.ª parte o Lamas Futsal mostrou-se mais certeiro com Keké a fazer dois golos no espaço de um minuto. Pouco depois Carlitos ampliava para 4-0. O ACR ainda respondeu, por Gui, mas no minuto seguinte, Carlitos volta a ampliara a vantagem para uma diferença de quatro golos. Já perto do apito final, e numa altura em que o Lamas Futsal tinha tirado o “pé do acelerador” a formação de Vale de Cambra reduziu a desvantagem, por Tiago (38’), estabelecendo o 5-2 final. Resultado justo da melhor equipa. Ao cabo de três jornadas, o Lamas lidera a prova juntamente com o Domus Nostra.

1. 2. 3. 4. 5. 6. 7. 8. 9. 10. 11. 12. 13. 14. 15. 16.

Feirense

2

AC Luso

3

Pavilhão da Lavandeira Árbitros: José Neves e Williams Chilro Feirense: Rúben Duarte; Michael, Sandro, Diogo, Yann, Suplente: Dani; Tiago, Ramalho, Cenoura, Miguel Armando, Rúben, Tiago Miguel Treinador: Paulo Lima AC Luso: João Coelho; Paulo Fontes, Iúri, João Oliveira, Carlos Ferraz Suplentes: Fábio Costa, Bruno Rei, Rafael, João Pedro, Rafa, Tiago Golos: CDani, Tiago; Iúri, Bruno Rei, Rafael

A Juventude de Fiães foi mais forte que o Arrifanense e venceu o dérbi (7-5), referente à 2.ª jornada da I Divisão Distrital.

JUVENTUDE FIÃES MAIS FORTE NO DÉRBI I DISTRITAL A recepção da Juventude de Fiães ao Arifanense, além de colocar frente-a-frente duas equipas do Concelho, tinha a particularidade de opor dois conjuntos que perderam na ronda inaugural. Os fianenses foram melhores e venceram, conquistando os primeiros três pontos na prova. O Arrifanense continua sem pontuar. Ao intervalo o resultado estava em 5-4 para os fianenses. Na 2.ª parte a Juv. Fiães aumentou a vantagem e o resultado acabou em 7-5 para a equipa da casa. Também o Feirense voltou a não ganhar no primeiro jogo em casa da presente época, registando uma derrota no confronto com o A. C. Luso (3-2). Uma 1.ª parte em que não se assistiu a um grande espectáculo de futsal, com nenhuma das equipas a conseguir ser muito superior ao adversário, o Feirense a tentar ter

5

Vale de Cambra

2

Pavilhão Comendador Henrique Amorim Árbitros: Alfredo Andrade e Leandro Costa Lamas Futsal: Nuno Couto; Vítor Amorim, Diogo Amorim, Ricardo, Keké Suplentes: João Paulo; Hugo, Rafa, Teixeira, Fonseca, carlitos Treinador: Luís Alves ACR Vale de Cambra: Pião; Canica, Ricardo, Pipokah, Ivo Suplentes: Fábio; Gui, André Silva, Tiago Treinador: Manuel Almeida Golos: Hugo (15’), Keké (24’, 25’), Carlitos (27’, 32’), Gui (31’), Tiago (38’)

E O LOUROSA… GOLEOU

I DIVISÃO DISTRITAL

Resultados - 2.ª Jornada Saavedra Guedes 6 1 GD Beira Ria ARCA 4 4 Sp. Silvalde Covão do Lobo 9 2 CRECUS Juventude de Fiães 7 5 CD Arrifanense Atómicos 3 6 ADC Bairros D. Sanjoanense 2 3 ACD Azagães CD Feirense 2 3 Atlético do Luso ADREP 2 5 Juventude Canedo Classificação P J V E D GM - GS Covão do Lobo 6 2 2 0 0 17 - 5 Saavedra Gued. 6 2 2 0 0 8 - 1 ADC Bairros 6 2 2 0 0 10 - 6 Atlético do Luso 6 2 2 0 0 7 - 4 Juvent. Canedo 4 2 1 1 0 9 - 6 ARCA 4 2 1 1 0 7 - 5 ACD Azagães 4 2 1 1 0 5 - 4 Juvent. Fiães 3 2 1 0 1 10 - 9 ADREP 3 2 1 0 1 5 - 7 Sp. Silvalde 1 2 0 1 1 4 - 6 CD Feirense 1 2 0 1 1 6 - 7 Atómicos 1 2 0 1 1 5 - 8 D. Sanjoanense 0 2 0 0 2 4 - 7 GD Beira Ria 0 2 0 0 2 3 - 9 CD Arrifanense 0 2 0 0 2 8 - 15 CRECUS 0 2 0 0 2 3 - 12 Próxima Jornada - 17 e 18 de Outubro Saavedra Guedes - ARCA - 18/10 Sp. Silvalde - Covão do Lobo CRECUS -Juventude de Fiães - 18/10, 18h CD Arrifanense - Atómicos, 17h30 ADC Bairros - Dinamo Sanjoanense ACD Azagães - CD Feirense, 18h Atlético do Luso - ADREP GD Beira Ria -Juventude de Canedo, 18h

Lamas Futsal

mais iniciativa e o Luso a tentar ripostar em perigosos contraataques. Ao intervalo a vantagem mínima sorria aos forasteiros. A 2.ª parte começou na mesma toada. O Feirense não conseguia criar muito perigo e o Luso acabaria por chegar ao 2-0. A partir daqui assistiu-se a uma reacção mais enérgica do Feirense, que dispôs de várias oportunidades de golo, no entanto, encontrou um inspirado guardaredes pela frente. Ainda assim, o golo surgiu por intermédio de Dani. O Feirense continua a pressionar e viria a chegar ao empate. Os últimos minutos foram intensos. O Feirense dispôs de um livre directo a um minuto do fim, que não conseguiu concretizar, e a cerca de 30 segundos do fim viria a sofrer o golo que ia sentenciar a partida e colocar alguma injustiça no marcador. www.correiodafeira.pt

Juv. Fiães

7

Arrifanense

5

FEMININO Mais uma goleada do Lusitânia Lourosa. Desta vez a vítima foi o Castelões e em sua própria casa (6-0). Assim, a equipa orientada por Zé Paulo Almeida chega à quarta vitória em quatro jogos e é líder isolada do Campeonato Distrital Feminino, com mais três pontos que o 2.º classificado, Always Young. Relativamenteaojogo,maisuma vez foi de sentido único, com as lusitanistas a revelarem desde cedo argumentos demasiado fortes para as adversárias. O resultado final acaba por espelhar essa superioridade. Entretanto, já se conhece o adversáriodoLusitâniaLourosana 1.ª eliminatória da Taça de PortugaldeFutsal,queéoÁguiaF.C.A partida joga-se a 24 de Outubro no Pavilhão de Lourosa. FEMININO FUTSAL

Pavilhão Escola EB 2/3 da Corga Árbitros: Nélson Pinho e Diogo Assunção Juv. Fiães: João Cadete, Fábio Preda; Luís Valente, Miguel Santos, Bubu, Maric, Artur, Moisés, Jorge Ribeiro, Paulo Russo, Ricardo, Fábio Martins Treinador: Joel Santos. Arrifanense: Patrick, Marco Leite; Flávio Silva, Valter Melo, João Oliveira, Tripeiro, Tiago Pinho, China, Luís Silva, Rui Rodrigues, Quirino, Nando Costa Treinador: Jorge Pereira Golos: Maric (2), Artur (2), Ricardo (2), Moisés; China (2), Quirino, João Oliveira, Luís Silva

1. 2. 3. 4. 5. 6. 7. 8. 9. 10. 11.

Resultados - 4.ª Jornada AMUPB Futsal 2 4 CCR Maceda 6 Lusitânia Lourosa S. Pedro Castelões 0 1 GD Gafanha CD Branca 1 Fundo de Vila 1 6 Novasemente C. Benfica Aveiro 0 3 Always Young Folgou PARC Classificação P J V E D GM - GS Lusit. Lourosa 12 4 4 0 0 28 - 3 CB Aveiro 9 4 3 0 1 17 - 5 Always Young 9 4 3 0 1 18 - 6 CCR Maceda 6 4 2 0 2 6 - 17 Novasemente 6 2 2 0 0 12 - 2 GD Gafanha 5 4 1 2 1 10 - 7 PARC 3 2 1 0 1 6 - 4 S. P. Castelões 1 2 0 1 1 2 - 8 CD Branca 1 3 0 1 2 3 - 14 AMUPB Futsal 0 3 0 0 3 2 - 18 Fundo de Vila 0 4 0 0 4 2 - 22 Próxima Jornada - 17 e 18 de Outubro AMUPB Futsal - São Pedro Castelões Lusitânia de Lourosa - CD Branca, 18h30 GD Gafanha - PARC Novasemente - Casa Benfica em Aveiro - 18/10 CCR Maceda - Always Young Folga Fundo de Vila

12.OUT.2015

27


modalidades

“Gostaríamos de atinGir entre 700 a 800 participantes na 16.ª corrida do castelo”

A 16.ª Corrida do Castelo realiza-se a 25 de Outubro. A organização da prova estará a cargo da Fullsport, empresa organizadora de eventos desportivos de S. João de Ver. ATLETISMO Aproxima-se mais uma edição da já mítica Corrida do Castelo. A 16.ª edição, que continua a contar com a colaboração do Correio da Feira, tem como uma das principais novidades a organização de uma empresa do Concelho, concretamente a FullSport (empresa de gestão de eventos desportivos e aluguer de equipamentos desportivos), de S. João de Ver, que já definiu o número de participantes desejados. “Objectivamente gostaríamos de atingir um número entre os 700 e os 800 participantes. Era para nós muito importante que isso pudesse acontecer” – garante Hugo Silva, gestor de eventos da Fullsport. O percurso da prova terá a distância de 10 km. Simultaneamente decorre a 2.ª caminhada Professor Baltazar, com uma distância de 5 km. Hugo Silva explica as razões da aposta nesta prova, uma das primeiras realizadas pela empresa no Concelho. “Uma das razões pela qual a Fullsports se interessou

pela Corrida do Castelo é porque tínhamos exactamente esse handicap (não realizar eventos na Feira). Depois é uma corrida que tem uma componente diferente, tem escalões de formação associados, para além da caminhada que também é importante, que é um elemento de diferenciação, quando comparados com outras corridas que existem no perímetro urbano da Feira. Finalmente é uma corrida que já tem uma larga tradição, achamos que era importante assumirmos o seu controlo”. Outra novidade para a edição 16.ª é o próprio traçado da prova. “O traçado da prova em si comporta praticamente toda a parte urbana da cidade. Escolhemos este ano a partida e a chegada junto ao estádio do Feirense, exactamente porque reúne mais condições em termos de funzone, na zona envolvente, e porque de certa forma adquire a centralidade da cidade” – explica o gestor da Fullsport. Relativamente ao percurso, Hugo Silva

académicoda Feira derrotado no entroncamento HÓQUEI PATINS O Académico da Feira foi derrotado por 7-4 pelo U.F. Entroncamento, em jogo a contar para a 3.ª Jornada do Campeonato Nacional da 3.ª Divisão, Zona Centro, de hóquei em patins, realizado no Pavilhão Albano Mateus, no Entroncamento. Ao intervalo a equipa da casa vencia já por 3-2. O Académico da Feira, treinado por Alexandre Fernandes, alinhou e marcou com: Sérgio Costa, Artur Couto, Pedro Silva (2 golos), David Silva (2 golos) e Avelino Amorim – cinco inicial - Marco Dias, João Moreira, Gabriel Teixeira, Bruno Sousa e Sérgio Barbosa. A próxima jornada, entre o Académico da Feira e Alcobacense, ocorrerá no próximo domingo, pelas 18h30, no Pavilhão da Lavandeira, em Santa Maria da Feira. Resultados da Camadas Jovens Regional de Juniores 1.ª Jornada: Pesseg. Vouga - Académico da Feira 4-8. Regional de Juvenis 3.ª Jornada: HC Mealhada – Académico da Feira 4-1. Regional de Iniciados 3.ª Jornada: Cenap Cacia – Aca Adémico da Feira 2-2.

28

12.OUT.2015

III DIVISÃO NACIONAL Zona Centro

1. 2. 3. 4. 5. 6. 7. 8. 9. 10. 11. 12. 13. 14. 15.

Resultados - 3.ª Jornada A. Alcobacense CD 4 0 FC Alverca 4 Académico da Feira UF Entroncamento 7 ARC Pesseg. Vouga 6 2 AD Carregado AF Arazede 7 8 FC Oliv. Hospital Juvent. Ouriense 6 6 SC Marinhense AE Fisica D "B" 13-Out UD Vilafranquense HC Lourinhã 1 3 GFEC Caixeiros Folgou HC Mealhada Classificação P J V E D GM - GS SC Marinhense 7 3 2 1 0 21 - 11 Juvent. Ouriense 7 3 2 1 0 24 - 15 UF Entroncamento 7 3 2 1 0 14 - 8 A. Alcobacense CD 7 3 2 1 0 13 - 7 UD Vilafranquense 4 2 1 1 0 13 - 7 Académico Feira 4 3 1 1 1 16 - 14 ACR Pess. Vouga 4 3 1 1 1 16 - 14 AE Fisica D "B" 3 2 1 0 1 12 - 12 AD Carregado 3 3 1 0 2 14 - 17 GFEC Caixeiros 3 2 1 0 1 7 - 11 FC Alverca 3 3 1 0 2 9 - 14 FC. Oliv. Hospital 3 3 1 0 2 17 - 24 HC Mealhada 1 2 0 1 1 5- 9 HC Lourinhã 0 2 0 0 2 6 - 10 AF Arazede 0 3 0 0 3 10 - 24 Próxima Jornada - 18 de Outubro FC Alverca - HC Lourinhã Académico da Feira - A. Alcobacense CD, 18h30 AD Carregado - UF Entroncamento FC Oliveira Hospital - ACR Pessegueiro Vouga SC Marinhense - AF Arazede Juventude Ouriense - UD Vilafranquense GFCE Caixeiros - HC Mealhada Folga AE Física D "B"

Regional de Infantis 3.ª Jornada: Cenap Cacia – Académico da Feira 2-4.

Amadeu Pinto reeleito presidente do Académico da Feira

Amadeu Pinto foi reeleito presidente do Clube Académico da Feira em Assembleia-Geral realizada na passada sexta-feira, na Junta de Freguesia de Santa Maria da Feira. Amadeu Pinto, presidente da direcção desde 2006, vai presidir o clube por mais um ano. www.correiodafeira.pt

garante que será do agrado dos amantes do atletismo e do público em geral. “Escolhemos um traçado linear, rolante, precisamente porque as pessoas que vêm procurar a corrida também gostam de superar as suas marcas. Para além de termos uma construção de um percurso em circuito, ou seja, eles vão passar duas vezes na linha de meta, para criarmos uma maior atractividade em relação ao público” – acredita. Quanto à 2.ª caminhada Professor Baltazar terá novamente “uma verba da taxa de inscrição que reverte directamente em prol dos Bombeiros Voluntários da Feira, o que é também uma mais-valia” – diz Hugo Silva. A Fullsport está já a preparar outros eventos para Santa Maria da Feira, concretamente “a S. Silvestre da Feira, uma organização conjunta com a Câmara, e o Ataque ao Castelo, no dia 24 de Outubro” – finaliza.

m.co racing team em destaque no motorshow do porto AUTOMOBILISMO Foi um fim-de-semana notável para a M.CO Racing Team no Motorshow do Porto, uma competição que atraiu milhares de adeptos aos pavilhões da Exponor. Num evento de festa para o desporto motorizado nacional, Joaquim Alves foi o 2º classificado com o Skoda Fabia S2000 e Vítor Pascoal levou o Mitsubishi Lancer Evo VIII ao 3º lugar. Joaquim Alves foi mesmo o grande protagonista da competição depois de ter ganho todas as sessões até à Super Final, onde só perdeu a vitória por 2,3s. Por outro lado, Vítor Pascoal, vencedor da edição do ano passado, também voltou a estar em excelente plano e completou o pódio absoluto, na frente do tetracampeão mundial de ralis Juha Kankkunen, a estrela internacional do Motorshow 2015. Além disso, a M.CO Racing Team também assistiu o Volkswagen Golf GTi de Joaquim Bernardes e o Citroën Saxo de Marta Neves, que também contribuíram para o espectáculo na Exponor. A equipa de Santa Maria da Feira acabou por conseguir colocar duas viaturas nos três primeiros lugares. “Foi um excelente fim-de-semana para a equipa e o Joaquim Alves esteve mesmo muito próximo da vitória. Máquinas e pilotos estiveram à altura do grande evento que é o Motorshow e espero que este bom momento da equipa se mantenha para o Rali de Viana do Castelo” - afirmou o director da M.CO Racing Team, Miguel Costa. Agendado para os dias 16 e 17 de Outubro, o Rali de Viana do Castelo – pontuável para o Campeonato FPAK Norte – será o próximo compromisso da M.CO Racing Team.


Foto: CD Fiães

Fiães apresentou-se com ambições

Carlos Fontes

VOLEIBOL Nem mesmo a derrota (1-3) frente ao FAC- Famalicense Atlético Clube – retira aos responsáveis pelo Clube Desportivo de Fiães as esperanças numa temporada de muitos êxitos. No passado sábado, com o pavilhão municipal a registar a presença de muitos entusiastas do voleibol, com destaque para os familiares dos atletas, foram apresentadas as equipas que vão envergar as cores do clube na temporada que agora se inicia – Lobitos, Infantis femininas, Iniciadas femininas, Infantis masculinos, Juvenis masculinos, Seniores masculinos B e Seniores masculino A. A festa teve dois momentos de particular interesse. Primeiro, foi o jogo que opôs as Iniciadas da casa às do Sporting de Espinho. As fianenses venceram por 2-1,

mostrando que podem, não só repetir a excelente prestação protagonizada na temporada passada, como até suplantá-la. “Creio que poderemos fazer uma boa época. As miúdas estão mais confiantes e, por isso, estou optimista” - afirmou Mário Silva, treinador da equipa. O técnico, «made in Fiães», tem a seu cargo, também a equipa de Seniores B, que vai disputar o Nacional da 3.ª Divisão. “A equipa foi amputada de cinco jogadores que foram reforçar o Clube Volei de Espinho, mas a subida de alguns juniores vai suprir essa falta. O nosso objectivo é formar jogadores que possam subir à equipa A, que no Nacional da 2ª Divisão vai lutar pela subida ao escalão maior do voleibol nacional” - afirma o técnico.

Se é certo que Jorge Magalhães, presidente da direcção do clube, aponta como meta para a equipa principal a 1.ª Divisão, pelo que no sábado se viu a tarefa não parece fácil. Frente ao Famalicense, formação que integra a Zona Norte da 2.ª Divisão, a equipa de Nuno Neves não esteve muito bem. A temporada ainda vai no início e, por isso, será extemporâneo avaliar a sua prestação. Na 5.ª feira passada tinha dado muito boa conta de si ao derrotar (3-1) a Académica de Espinho, equipa que no sábado, na 1.ª jornada do Nacional da 1ª Divisão, foi às Caldas da Rainha vencer o Sporting local por 3-1. No próximo sábado o Desportivo de Fiães retribui a visita do Famalicense deslocando-se a Vila Nova de Famalicão para mais um jogo

1.ª Fase - Zona Norte

1. 2. 3. 4. 5. 6. 7. 8. 9. 10. 11. 12. 13. 14.

III DIVISÃO NACIONAL Resultados - 1.ª Jornada

1. 2. 3. 4. 5. 6. 7. 8.

Alavarium AC 28 29 SC Espinho CD Feirense 30 28 Ac. Viseu SC Beira-Mar 24 30 ACD Monte Folgaram Ac. Coimbra e ADEF - C. Carregal Sal Classificação P J V E D GM - GS ACD Monte 3 1 1 0 0 30 - 24 CD Feirense 3 1 1 0 0 30 - 28 SC Espinho 3 1 1 0 0 29 - 28 Alavarium AC 1 1 0 0 1 28 - 29 Ac. Viseu FC 1 1 0 0 1 28 - 30 SC Beira-Mar 1 1 0 0 1 24 - 30 Ac. Coimbra 0 0 0 0 0 0 - 0 ADEF- C. Carreg. 0 0 0 0 0 0 - 0 Próxima Jornada - 17 de Outubro ADEF- C. Carregal Sal - SC Beira-Mar ACD Monte - Ac. Coimbra Académico Viseu FC - Alavarium AC FolgamCD Feirense e SC Espinho

Plantel do C.D. Fiães

SENIORES A: Bártolo Pereira, Marco Gomes, Tiago Carneiro, Rui Mota, Lino Miranda, Rui Pedro, Nuno Silva (transitam da época passada), Luís Gomes (ex-Esmoriz), Bernardo Ferreira e Rui Carvalheira (ambos ex-Académica de Coimbra). Treinador: Nuno Neves; Treinador/Adjunto: João Gomes. Director responsável: Nuno Cardoso Deverá regressar à equipa o exinternacional, Luís Sousa, e são esperados dois reforços oriundos de Cabo Verde.

arsenal vence na visita a s. paio de oleiros

II DIVISÃO NACIONAL Resultados - 3.ª Jornada Boavista FC 24 28 Estarreja AC CCR Fermentões 31 37 CD São Bernardo CS Marítimo 31-Out FC Gaia AA São Mamede 25 23 CD Xico Andebol GC Santo Tirso 35 28 AD Sanjoanense CDC S. P. Oleiros 20 24 Arsenal F. C. Porto B 29 22 AD Modicus Classificação P J V E D GM - GS GC Santo Tirso 9 3 3 0 0 99 - 82 Arsenal 9 3 3 0 0 83 - 67 AA São Mamede 7 3 2 0 1 75 - 71 CD São Bernardo 6 2 2 0 0 77 - 65 Estarreja AC 6 2 2 0 0 60 - 55 FC Gaia 6 2 2 0 0 52 - 48 Boavista FC 5 3 1 0 2 78 - 86 CCR Fermentões 5 3 1 0 2 93 - 95 CD S. P. Oleiros 5 3 1 0 2 70 - 73 F. C. Porto B 5 3 1 0 2 88 - 89 CD Xico Andebol 3 3 0 0 3 71 - 85 AD Modicus 3 3 0 0 3 74 - 88 AD Sanjoanense 3 3 0 0 3 73 - 89 CS Marítimo 0 0 0 0 0 0 - 0 Próxima Jornada - 16 e 17 de Outubro Estarreja AC - CDC São Paio de Oleiros, 18h CD São Bernardo - Boavista FC FC Gaia - CCR Fermentões CD Xico Andebol - F. C. Porto "B"- 16/10 AD Sanjoanense - AA São Mamede Arsenal - GC Santo Tirso AD Modicus - CS Marítimo

de preparação para o campeonato que se inicia do dia 24, com os fianenses a visitarem a Nave Desportiva de Espinho para defrontar o Clube Volei local.

Feirense entra a ganhar ANDEBOL De regresso à competição de seniores, na 1.ª jornada da 3.ª Divisão do Campeonato Nacional, a jovem formação do Feirense derrotou a experiente equipa do AC Viseu (30-28), uma entrada em grande da equipa fogaceira. A formação do Académico de Viseu, certamente fruto da sua maior experiência, entrou no jogo mais tranquila e foi liderando o marcador durante quase toda a primeira parte. Já a jovem formação azul, que iniciou o jogo com três juvenis, umjúnior e três atletas com idade de sénior, só perto do intervalo conseguiu conquistar a liderança, terminando o primeiro tempo com uma justa vantagem de três golos (16-13). Na segunda parte

a formação visitante voltou a entrar bem e rapidamente reduziu a desvantagem, durante o resto do tempo o muito público presente no pavilhão assistiu a um encontro bastante emotivo, em que qualquer uma das equipas lutou até limite pela vitória no primeiro encontro do campeonato. Vitória suada e boas indicações para o regresso do Feirense. Pelo C.D. Feirense alinharam: Rui Leite, Tiago Leite, João Cardoso, Nuno Reis, Fábio Cardoso, César Macedo, Miguel Borges, António Oliveira, Carlos Madureira, Pedro Machado, Diogo Tavares, Mário Barbosa, Miguel Barbosa, Pedro Pires, Orlando Oliveira e Pedro Ribeiro. Treinador: Manuel Gregório www.correiodafeira.pt

ANDEBOL Na 2.ª jornada do Campeonato Nacional Seniores Masculinos da II Divisão o S. Paio de Oleiros foi derrotado pela equipa visitante, o Arsenal (20-24). Com uma defesa dura e intensa que mantinha os atletas do S. Paio de Oleiros longe da linha de seis metros, o Arsenal bastante assertivo quando partia para o ataque rapidamente chegou à diferença de seis golos no marcador. Desconto de tempo pedido e o Arsenal pareceu baixar o ritmo de jogo e isso foi aproveitado pelos atletas de S. Paio de Oleiros para se aproximarem no marcador, a cada minuto que passava ficavam mais soltos e atrevidos. A dois minutos do fim do primeiro tempo quando podiam reduzir para a diferença mínima não conseguiram ser eficazes e o Arsenal através de um ataque rápido aumentou a diferença. No ataque seguinte nova falha e para complementar o momento menos bom da equipa da casa comete um livre de sete metros nos últimos segundos que o guarda-redes defendeu, mas com o efeito que a bola adquiriu ao bater no chão prosseguiu para a baliza deserta. Na 2.ª parte os atletas do Arsenal voltaram à intensidade com que iniciaram o jogo e rapidamente chegaram aos 10-18. Os atletas da casa arregaçaram as mangas e decididos a darem luta aumentaram os seus níveis de jogo para um patamar elevado, muito perto do óptimo numa reacção que só pecou por ser tardia. O Arsenal apesar de ter mantido os seus níveis de jogo não tinha soluções para os problemas que estavam a ser criados pelos atletas do S. Paio de Oleiros tanto na defesa como no ataque. Se a reacção tivesse iniciado mais cedo poderia ter havido a surpresa que pensavam os técnicos da casa ser possível de acontecer.

Resultados dos escalões de formação

Juvenis | AD Sanjoanense, 29 - CDC S. Paio Oleiros, 25 Iniciados |CDC S.Paio Oleiros, 27 - CD Feirense, 21 12.OUT.2015

29


CLASSIFICAÇÕES DISTRITAL DE JUNIORES I Divisão

1. 2. 3. 4. 5. 6. 7. 8. 9. 10. 11. 12. 13. 14. 15. 16. 17. 18.

Resultados - 4.ª Jornada Sp. Espinho 1 2 Cucujães Alba 0 1 Avanca Soutelo 2 2 Cesarense Estarreja 1 2 União de Lamas Oliveira do Bairro 0 2 Feirense Estrela Azul 2 0 Paivense Fiães 4 2 Águeda São João de Ver 1 1 Arrifanense Paços Brandão 1 2 Gafanha Classificação P J V E D GM - GS Feirense 10 4 3 1 0 14 - 2 Arrifanense 10 4 3 1 0 10 - 3 Cucujães 9 4 3 0 1 13 - 5 Gafanha 9 4 3 0 1 9 - 7 Cesarense 8 4 2 2 0 16 - 6 Avanca 7 4 2 1 1 5 - 4 União de Lamas 7 4 2 1 1 8 - 7 Águeda 6 4 2 0 2 12 - 7 Oliveira do Bairro 6 4 2 0 2 7 - 6 Sp. Espinho 6 4 2 0 2 7 - 8 S. J. de Ver 5 4 1 2 1 9 - 8 Soutelo 5 4 1 2 1 5 - 5 Fiães 3 3 1 0 2 6 - 8 Estarreja 3 4 1 0 3 4 - 11 Estrela Azul 3 4 1 0 3 3 - 14 Paços Brandão 1 3 0 1 2 3 - 10 Alba 1 4 0 1 3 4 - 17 Paivense 0 4 0 0 4 3 - 10 Próxima Jornada - 17 de Outubro Sp. Espinho - Alba Avanca - Soutelo Cesarense - Estarreja União de Lamas - Oliveira do Bairro Feirense - Estrela Azul Paivense - Fiães Águeda - São João de Ver Arrifanense - Paços de Brandão Cucujães - Gafanha

DISTRITAL DE JUNIORES II Divisão - Série A

1. 2. 3. 4. 5. 6. 7. 8. 9. 10. 11. 12. 13. 14. 15. 16. 17.

Resultados - 3.ª Jornada Milheiroense 0 1 Rio Meão Cesarense 2 1 S. Vic. Pereira AD Sanjoanense 3 0 Esmoriz Relâmpago Nog. 2 0 Mosteirô F. C. Ovarense 3 1 Canedo São Roque 0 3 Lusitânia Lourosa Unidos de Rossas 5 1 São Martinho Carregosense 4 3 Fermedo Folgou Argoncilhe Classificação P J V E D GM - GS AD Sanjoanense 9 3 3 0 0 10 - 1 Cesarense 9 3 3 0 0 8 - 2 Lusit. Lourosa 7 3 2 1 0 12 - 1 Carregosense 7 3 2 1 0 6 - 4 Argoncilhe 6 2 2 0 0 8 - 2 Ovarense 6 2 2 0 0 7 - 1 Canedo 6 3 2 0 1 6 - 4 Relâmpago Nog. 4 3 1 1 1 4 - 3 Rio Meão 3 3 1 0 2 3 - 5 São Roque 3 3 1 0 2 4 - 7 S. Vic. Pereira 3 3 1 0 2 3 - 7 Unidos Rossas 3 3 1 0 2 5 - 11 Esmoriz 1 2 0 1 1 1 - 4 Fermedo 0 2 0 0 2 4 - 6 Milheiroense 0 2 0 0 2 0 - 5 Mosteirô F. C. 0 3 0 0 3 1 - 9 São Martinho 0 3 0 0 3 2 - 12 Próxima Jornada - 17 de Outubro São Vicente Pereira - Milheiroense Esmoriz - Cesarense Mosteirô F. C. - AD Sanjoanense Canedo - Relâmpago Nogueirense Lusitânia de Lourosa - Ovarense São Martinho - São Roque Fermedo - Unidos de Rossas Argoncilhe - Carregosense Folga Rio Meão

DISTRITAL DE JUVENIS I Divisão

1. 2. 3. 4. 5. 6. 7. 8. 9. 10. 11. 12. 13. 14. 15. 16. 17. 18.

Resultados - 4.ª Jornada Oliveirense 3 0 Carregosense Anadia 2 3 Avanca Águeda 2 2 Sp. Espinho São João de Ver 0 8 Taboeira Lusitânia Lourosa 2 0 União de Lamas Soutelo 1 4 Arouca Feirense 3 1 AD Sanjoanense Gafanha 0 2 Alba Oliveira do Bairro 1 3 Fiães Classificação P J V E D GM - GS Lusit. Lourosa 12 4 4 0 0 12 - 2 Fiães 10 4 3 1 0 16 - 3 Feirense 10 4 3 1 0 17 - 5 Taboeira 9 4 3 0 1 17 - 3 Avanca 9 4 3 0 1 11 - 3 Anadia 7 4 2 1 1 11 - 10 Águeda 7 4 2 1 1 6 - 6 AD Sanjoanense 6 4 2 0 2 16 - 8 Arouca 6 4 2 0 2 8 - 6 Alba 6 4 2 0 2 8 - 7 Oliveirense 6 4 2 0 2 5 - 8 Oliveira do Bairro 6 4 2 0 2 6 - 12 União Lamas 4 4 1 1 2 8 - 8 Sp. Espinho 4 4 1 1 2 6 - 7 Gafanha 3 4 1 0 3 3 - 4 Carregosense 0 4 0 0 4 2 - 15 S. João de Ver 0 4 0 0 4 1 - 18 Soutelo 0 4 0 0 4 1 - 29 Próxima Jornada - 17 e 18 de Outubro Oliveirense - Anadia Avanca - Águeda - 17/10 Sp. Espinho -São João de Ver Taboeira - Lusitânia de Lourosa - 17/10 União de Lamas - Soutelo Arouca - Feirense AD Sanjoanense - Gafanha Alba - Oliveira do Bairro - 17/10 Carregosense - Fiães

30

12.OUT.2015

DISTRITAL DE JUVENIS II Divisão - Série A

1. 2. 3. 4. 5. 6. 7. 8. 9. 10. 11. 12. 13. 14.

Resultados - 2.ª Jornada Rio Meão adiado Esmoriz Argoncilhe 0 5 Sp. Espinho Silvalde 0 2 Paivense Lusitânia Lourosa 2 1 Relâmpago Nog. Canedo 2 3 Fiães Sanguedo 5 1 Vilamaiorense Paços de Brandão 2 3 Anta Classificação P J V E D GM - GS Sp. Espinho 6 2 2 0 0 17 - 0 Anta 6 2 2 0 0 11 - 2 Paivense 6 2 2 0 0 7 - 0 Fiães 6 2 2 0 0 4 - 2 Canedo 3 2 1 0 1 7 - 3 Lusit. Lourosa 3 2 1 0 1 2 - 2 Silvalde 3 2 1 0 1 2 - 3 Sanguedo 3 2 1 0 1 5 - 9 Esmoriz 0 0 0 0 0 0 - 0 Paços Brandão 0 1 0 0 1 2 - 3 Relâmpago Nog. 0 2 0 0 2 2 - 4 Vilamaiorense 0 2 0 0 2 1 - 10 Argoncilhe 0 2 0 0 2 0 - 10 Rio Meão 0 1 0 0 1 0 - 12 Próxima Jornada - 18 de Outubro Rio Meão - Argoncilhe Sp. Espinho - Silvalde Paivense - Lusitânia de Lourosa Relâmpago Nogueirense - Canedo Fiães - Sanguedo Vilamaiorense - Paços de Brandão Esmoriz - Anta

DISTRITAL DE JUVENIS II Divisão - Série B

1. 2. 3. 4. 5. 6. 7. 8. 9. 10. 11. 12. 13. 14.

Resultados - 2.ª Jornada São Roque 2 0 Milheiroense São Vic. Pereira 1 5 Cesarense Válega 2 1 Ovarense Tarei 3 0 Bustelo Unidos de Rossas 5 1 Valecambrense Cucujães 0 2 Arrifanense Paços de Brandão 0 1 Anta Classificação P J V E D GM - GS Cesarense 6 2 2 0 0 15 - 1 Tarei 6 2 2 0 0 9 - 0 Anta 6 2 2 0 0 5 - 0 Arrifanense 6 2 2 0 0 4 - 0 Unidos Rossas 3 2 1 0 1 5 - 3 Paços Brandão 3 2 1 0 1 2 - 1 Válega 3 2 1 0 1 3 - 3 Bustelo 3 2 1 0 1 2 - 4 São Roque 3 2 1 0 1 2 - 10 Ovarense 1 2 0 1 1 4 - 5 S. Vic. Pereira 1 2 0 1 1 4 - 8 Milheiroense 0 2 0 0 2 0 - 4 Cucujães 0 2 0 0 2 0 - 6 Valecambrense 0 2 0 0 2 1 - 11 Próxima Jornada - 17 e 18 de Outubro São Roque - São Vicente Pereira Cesarense - Válega Ovarense - Tarei - 17/10 Bustelo - Unidos de Rossas Valecambrense - Cucujães Arrifanense - Paços de Brandão Milheiroense - Anta

DISTRITAL DE INICIADOS I Divisão

1. 2. 3. 4. 5. 6. 7. 8. 9. 10. 11. 12. 13. 14. 15. 16. 17. 18.

Resultados - 4.ª Jornada Beira-Mar 1 4 Anta Gafanha 4 0 Oliveirense Bustelo 2 1 Paços de Brandão AD Sanjoanense 0 1 Feirense Mealhada 2 0 Anadia Taboeira 1 2 União de Lamas Águeda 2 2 Oliveira do Bairro Sp. Espinho 1 0 Paramos Arouca 2 1 Paivense Classificação P J V E D GM - GS Sp. Espinho 12 4 4 0 0 14 - 1 União Lamas 12 4 4 0 0 7 - 1 Anadia 9 4 3 0 1 14 - 3 Anta 9 4 3 0 1 8 - 4 Oliveira Bairro 8 4 2 2 0 5 - 2 Paramos 7 4 2 1 1 9 - 5 Gafanha 7 4 2 1 1 8 - 8 Feirense 6 4 2 0 2 5 - 4 Arouca 6 4 2 0 2 10 - 11 Bustelo 6 4 2 0 2 5 - 8 Paços Brandão 5 4 1 2 1 7 - 6 Mealhada 5 4 1 2 1 5 - 5 Águeda 4 4 1 1 2 10 - 13 Paivense 3 4 1 0 3 5 - 13 Beira-Mar 2 4 0 2 2 3 - 8 Oliveirense 1 4 0 1 3 2 - 9 Taboeira 0 4 0 0 4 3 - 10 AD Sanjoanense 0 4 0 0 4 1 - 10 Próxima Jornada - 17 e 18 de Outubro Beira-Mar - Gafanha Oliveirense - Bustelo Paços de Brandão - AD Sanjoanense Feirense - Mealhada Anadia - Taboeira - 17/10 União de Lamas - Águeda Oliveira do Bairro - Sp. Espinho Paramos - Arouca Anta - Paivense - 17/10

DISTRITAL DE INICIADOS II Divisão - Série B

Resultados - 2.ª Jornada Arrifanense 0 2 Cesarense Arouca 1 5 AD Sanjoanense Milheiroense 1 1 Fermedo Cortegaça 0 1 Feirense Fiães 3 2 Vilamaiorense Mosteirô F. C. adiado Esmoriz Folgou Anta Classificação P J V E D GM - GS 1. AD Sanjoanense 6 2 2 0 0 11 - 1 2. Cesarense 6 2 2 0 0 7 - 1 3. Feirense 6 2 2 0 0 3 - 0 4. Fermedo 4 2 1 1 0 4 - 3 5. Cortegaça 3 2 1 0 1 5 - 2 6. Fiães 3 1 1 0 0 3 - 2 7. Milheiroense 1 2 0 1 1 1 - 3 8. Esmoriz 0 0 0 0 0 0 - 0 9. Mosteirô F. C. 0 0 0 0 0 0 - 0 10. Anta 0 1 0 0 1 1 - 5 11. Arouca 0 2 0 0 2 3- 8 12. Vilamaiorense 0 2 0 0 2 3 - 8 13. Arrifanense 0 2 0 0 2 0 - 8 Próxima Jornada - 17 e 18 de Outubro Anta - Arrifanense - 17/10 Cesarense - Arouca AD Sanjoanense - Milheiroense - 17/10 Fermedo - Cortegaça Feirense - Fiães - 17/10 Vilamaiorense - Mosteirô F. C. Folga Esmoriz

1. 2. 3. 4. 5. 6. 7. 8. 9. 10. 11. 12. 13.

1. 2. 3. 4. 5. 6. 7.

1. 2. 3. 4. 5. 6. 7.

Resultados - 1.ª Jornada Sp. Espinho 0 6 Anta Lusitânia Lourosa 0 0 Fiães Sanguedo 1 10 União de Lamas Paivense 3 4 São João de Ver Paços de Brandão 4 0 Vilamaiorense Classificação P J V E D GM - GS União de Lamas 3 1 1 0 0 10 - 1 Anta 3 1 1 0 0 6 - 0 Paços Brandão 3 1 1 0 0 4 - 0 São João de Ver 3 1 1 0 0 4 - 3 Lusit. Lourosa 1 1 0 1 0 0 - 0 Fiães 1 1 0 1 0 0 - 0 Paivense 0 1 0 0 1 3 - 4 Vilamaiorense 0 1 0 0 1 0 - 4 Sp. Espinho 0 1 0 0 1 0 - 6 Sanguedo 0 1 0 0 1 1 - 10 Próxima Jornada - 17 de Outubro Anta - Lusitânia de Lourosa Vilamaiorense - Sp. Espinho Fiães - Sanguedo União de Lamas - Paivense São João de Ver - Paços de Brandão

1. 2. 3. 4. 5. 6. 7. 8. 9. 10.

Resultados - 1.ª Jornada Sp. Espinho 2 2 Anta Cortegaça 2 4 União de Lamas São João de Ver 1 1 Fiães Esmoriz adiado Lusitânia Lourosa Paços de Brandão 1 0 Vilamaiorense Classificação P J V E D GM - GS União de Lamas 3 1 1 0 0 4 - 2 Paços Brandão 3 1 1 0 0 1 - 0 Sp. Espinho 1 1 0 1 0 2 - 2 Anta 1 1 0 1 0 2 - 2 São João de Ver 1 1 0 1 0 1 - 1 Fiães 1 1 0 1 0 1 - 1 Esmoriz 0 0 0 0 0 0 - 0 Lusit. Lourosa 0 0 0 0 0 0 - 0 Vilamaiorense 0 1 0 0 1 0 - 1 Cortegaça 0 1 0 0 1 2 - 4 Próxima Jornada - 17 de Outubro Anta - Cortegaça Vilamaiorense - Sp. Espinho União de Lamas - São João de Ver Fiães - Esmoriz Lusitânia de Lourosa - Paços de Brandão

INFANTIS B - Grupo 1 - Série B

1. 2. 3. 4. 5. 6. 7. 8. 9. 10.

Resultados - 1.ª Jornada Cesarense 2 7 Avanca Salesianos 3 5 AD Sanjoanense Ovarense 0 5 Arrifanense Milheiroense 0 2 Cucujães Feirense 3 1 Oliveirense Classificação P J V E D GM - GS Avanca 3 1 1 0 0 7 - 2 Arrifanense 3 1 1 0 0 5 - 0 AD Sanjoanense 3 1 1 0 0 5 - 3 Cucujães 3 1 1 0 0 2 - 0 Feirense 3 1 1 0 0 3 - 1 Salesianos 0 1 0 0 1 3 - 5 Milheiroense 0 1 0 0 1 0 - 2 Oliveirense 0 1 0 0 1 1 - 3 Cesarense 0 1 0 0 1 2 - 7 Ovarense 0 1 0 0 1 0 - 5 Próxima Jornada - 17 e 18 de Outubro Avanca - Salesianos - 18/10 Oliveirense - Cesarense AD Sanjoanense - Ovarense Arrifanense - Milheiroense Cucujães - Feirense

JUNIORES FUTSAL - Zona Norte

INFANTIS A - Grupo 1 - Série B

1. 2. 3. 4. 5. 6. 7. 8. 9. 10.

Resultados - 1.ª Jornada Ovarense 0 3 Bustelo Tarei 3 1 AD Sanjoanense São Vicente Pereira 1 8 Oliveirense Folgou Cesarense Classificação P J V E D GM - GS Oliveirense 3 1 1 0 0 8 - 1 Bustelo 3 1 1 0 0 3 - 0 Tarei 3 1 1 0 0 3 - 1 Cesarense 0 0 0 0 0 0 - 0 AD Sanjoanense 0 1 0 0 1 1 - 3 Ovarense 0 1 0 0 1 0 - 3 S. Vic. Pereira 0 1 0 0 1 1 - 8 Próxima Jornada - 17 de Outubro Bustelo - Tarei AD Sanjoanense - São Vicente Pereira Oliveirense - Cesarense Folga Ovarense

INFANTIS B - Grupo 1 - Série A

INFANTIS A - Grupo 1 - Série A

Resultados - 1.ª Jornada Carregosense 0 14 Cesarense Esmoriz adiado Salesianos Cucujães 0 1 Arrifanense Milheiroense 1 12 Feirense AD Sanjoanense 6 0 Cortegaça Classificação P J V E D GM Cesarense 3 1 1 0 0 14 Feirense 3 1 1 0 0 12 AD Sanjoanense 3 1 1 0 0 6 Arrifanense 3 1 1 0 0 1 Esmoriz 0 0 0 0 0 0 Salesianos 0 0 0 0 0 0 Cucujães 0 1 0 0 1 0 Cortegaça 0 1 0 0 1 0 Milheiroense 0 1 0 0 1 1 Carregosense 0 1 0 0 1 0 Próxima Jornada - 17 de Outubro Cesarense - Esmoriz Cortegaça - Carregosense Salesianos - Cucujães Arrifanense - Milheiroense Feirense - AD Sanjoanense

Resultados - 1.ª Jornada Arada 2 0 Unidos de Rossas Cortegaça 2 2 Arrifanense Milheiroense 0 13 Feirense Folgou Escolinha Rui Dolores Classificação P J V E D GM - GS Feirense 3 1 1 0 0 13 - 0 Arada 3 1 1 0 0 2 - 0 Cortegaça 1 1 0 1 0 2 - 2 Arrifanense 1 1 0 1 0 2 - 2 Esc. Rui Dolores 0 0 0 0 0 0 - 0 Unidos Rossas 0 1 0 0 1 0 - 2 Milheiroense 0 1 0 0 1 0 - 13 Próxima Jornada - 17 de Outubro Unidos de Rossas - Cortegaça Arrifanense - Milheiroense Feirense - Escolinha Rui Dolores Folga Arada

INFANTIS A - Grupo 2 - Série C

Resultados - 2.ª Jornada São Vic. Pereira 2 2 Cucujães Arrifanense 0 10 Avanca Estarreja 8 0 Ovarense Válega 1 1 Soutelo Macieira Cambra 1 2 Oliveirense Loureiro 13 0 S. M. Murtoense Cesarense 3 0 Tarei Classificação P J V E D GM - GS 1. Estarreja 6 2 2 0 0 14 - 0 2. Oliveirense 6 2 2 0 0 5 - 2 3. Avanca 4 2 1 1 0 11 - 1 4. Cucujães 4 2 1 1 0 9 - 2 5. Loureiro 3 2 1 0 1 15 - 3 6. Macieira Cambra 3 2 1 0 1 6 - 3 7. Tarei 3 2 1 0 1 3 - 5 8. Cesarense 3 2 1 0 1 3 - 7 9. Arrifanense 3 2 1 0 1 1 - 10 10. S. Vic. Pereira 2 2 0 2 0 3 - 3 11. Válega 1 2 0 1 1 2 - 4 12. Soutelo 1 2 0 1 1 1 - 7 13. Ovarense 0 2 0 0 2 0 - 9 14. S. M. Murtoense 0 2 0 0 2 1 - 18 Próxima Jornada - 17 e 18 de Outubro São Vicente Pereira -Arrifanense Avanca - Estarreja Ovarense - Válega Soutelo - Macieira de Cambra Oliveirense - Loureiro - 17/10 São Marítimo Murtoense - Cesarense Cucujães - Tarei

1. 2. 3. 4. 5. 6. 7. 8. 9. 10.

GS 0 2 2 0 0 0 0 9

INFANTIS A - Grupo 2 - Série B

DISTRITAL DE INICIADOS II Divisão - Série C

DISTRITAL DE INICIADOS II Divisão - Série A

Resultados - 2.ª Jornada Fiães 7 0 Paços de Brandão Canedo 08-Dez Lusitânia Lourosa Argoncilhe 1 1 São João de Ver Sanguedo 1 6 Vilamaiorense União de Lamas 4 2 Paramos Sp. Espinho 9 1 CRC Vale Folgou Anta Classificação P J V E D GM - GS União de Lamas 6 2 2 0 0 5 - 2 S. João de Ver 4 2 1 1 0 10 - 1 Argoncilhe 4 2 1 1 0 4 - 3 Sp. Espinho 3 1 1 0 0 9 - 1 Anta 3 1 1 0 0 5 - 0 Fiães 3 2 1 0 1 7 - 2 Vilamaiorense 3 2 1 0 1 8 - 4 Lusit. Lourosa 3 1 1 0 0 2 - 0 Paramos 3 2 1 0 1 9 - 8 Sanguedo 0 2 0 0 2 5 - 13 CRC Vale 0 2 0 0 2 1 - 10 Canedo 0 1 0 0 1 0 - 9 Paços Brandão 0 2 0 0 2 0 - 12 Próxima Jornada - 17 e 18 de Outubro Anta - Fiães - 17/10 Paços de Brandão - Canedo Lusitânia de Lourosa - Argoncilhe São João de Ver - Sanguedo Vilamaiorense - União de Lamas Paramos - Sp. Espinho- 17/10 Folga CRC Vale

1. 2. 3. 4. 5. 6. 7. 8.

Resultados - 1.ª Jornada Sp. Espinho 2 2 Anta Vilamaiorense 0 0 Canedo União de Lamas 9 0 Argoncilhe Fiães 0 0 Rio Meão Classificação P J V E D GM União de Lamas 3 1 1 0 0 9 Sp. Espinho 1 1 0 1 0 2 Anta 1 1 0 1 0 2 Vilamaiorense 1 1 0 1 0 0 Canedo 1 1 0 1 0 0 Fiães 1 1 0 1 0 0 Rio Meão 1 1 0 1 0 0 Argoncilhe 0 1 0 0 1 0 Próxima Jornada - 17 de Outubro Anta - Vilamaiorense Rio Meão - Sp. Espinho Canedo - União de Lamas Argoncilhe - Fiães

GS 0 1 0 0 0 0 1 6 12 14

1. 2. 3. 4. 5. 6. 7. 8. 9. 10.

Resultados - 3.ª Jornada Din. Sanjoanense 2 2 Futsal Azeméis Lamas Futsal 7 6 Saavedra Guedes Ossela 19 1 CD Feirense CD Arrifanense 16 1 ACR Vale Cambra ACD Azagães 0 16 Juventude Fiães Classificação P J V E D GM - GS Din. Sanjoanense 7 3 2 1 0 34 - 6 Juvent. Fiães 7 3 2 1 0 31 - 6 Ossela 7 3 2 1 0 29 - 7 Futsal Azeméis 7 3 2 1 0 16 - 4 CD Arrifanense 6 3 2 0 1 28 - 11 Lamas Futsal 6 3 2 0 1 26 - 15 Saavedra Guedes 3 3 1 0 2 13 - 19 ACR V. Cambra 0 3 0 0 3 4 - 27 ACD Azagães 0 3 0 0 3 3 - 35 CD Feirense 0 3 0 0 3 7 - 61 Próxima Jornada - 17 e 18 de Outubro Futsal Azeméis - Ossela Saavedra Guedes - Dinamo Sanjoanense Lamas Futsal - ACD Azagães, 18h CD Feirense - CD Arrifanense - 17/10, 21h ACR Vale Cambra -Juventude de Fiães - 17/10,

www.correiodafeira.pt

CAMPEONATO VETERANOS

JUVENIS FUTSAL - Zona Norte

INFANTIS A - Grupo 2 - Série A

Resultados - 4.ª Jornada Juventude Fiães 2 2 ADC Bairros Din. Sanjoanense 10 0 Lusitânia Lourosa ACR Vale Cambra 1 2 GCD Sanfins CD Feirense 1 5 PARC CD Escapães 12 6 GDC Lordelo Lamas Futsal 1 4 Futsal Azeméis Classificação P J V E D GM - GS 1. D. Sanjoanense 9 3 3 0 0 25 - 3 2. CD Escapães 9 4 3 0 1 24 - 14 3. CD Feirense 9 4 3 0 1 18 - 11 4. PARC 9 4 3 0 1 13 - 10 5. ADC Bairros 7 4 2 1 1 16 - 7 6. Juvent. Fiães 7 4 2 1 1 14 - 8 7. Futsal Azeméis 6 4 2 0 2 12 - 11 8. GCD Sanfins 3 3 1 0 2 7- 9 9. ACR V. Cambra 3 4 1 0 3 7- 14 10. GDC Lordelo 3 4 1 0 3 19 - 29 11. Lusit. Lourosa 3 4 1 0 3 5 - 23 12. Lamas Futsal 0 4 0 0 4 4 - 25 Próxima Jornada - 17 de Outubro Juventude de Fiães - Dinamo Sanjoanense,15h Lusitânia de Lourosa - ACR Vale de Cambra, 15h GCD Sanfins - CD Feirense, 10h30 PARC -CD Escapães, 15h GDC Lordelo -Lamas Futsal, 18h ADC Bairros - Futsal Azeméis

INICIADOS FUTSAL - Zona Norte

Resultados - 4.ª Jornada Lusitânia Lourosa 0 6 Fundo de Vila CD Feirense 0 7 CCR Maceda Din. Sanjoanense 2 1 ACR Vale Cambra Ossela 3 2 CD Escapães PARC 0 0 Novasemente Classificação P J V E D GM - GS 1. Ossela 12 4 4 0 0 25 - 4 2. PARC 10 4 3 1 0 15 - 4 3. CD Escapães 6 4 2 0 2 11 - 12 4. CD Feirense 6 4 2 0 2 18 - 17 5. CCR Maceda 6 4 2 0 2 16 - 14 6. D. Sanjoanense 6 4 2 0 2 14 - 17 7. Novasemente 5 4 1 2 1 9 - 9 8. ACR V. Cambra 4 4 1 1 2 12 - 13 9. Fundo de Vila 3 4 1 0 3 8 - 14 10. Lusit. Lourosa 0 4 0 0 4 1 - 25 Próxima Jornada - 17 e 18 de Outubro CD Escapães - Lusitânia de Lourosa , 20h30 Fundo de Vila -CD Feirense , 15h CCR Maceda - Dinamo Sanjoanense- 18/10 Novasemente - Ossela ACR Vale de Cambra - PARC

INFANTIS FUTSAL - Zona Norte

Resultados - 3.ª Jornada Novasemente 0 5 CCR Maceda Dinamo Sanjoanense 5 2 GDC Lordelo Fundo de Vila 1 4 ACR Vale Cambra GCD Sanfins 8 2 Lusitânia Lourosa Folgou PARC Classificação P J V E D GM - GS 1. CCR Maceda 7 3 2 1 0 18 - 3 2. PARC 6 2 2 0 0 6 - 3 3. ACR V. Cambra 6 3 2 0 1 13 - 5 4. D. Sanjoanense 6 3 2 0 1 10 - 16 5. ACR V. Cambra 6 3 2 0 1 13 - 5 6. GCD Sanfins 3 2 1 0 1 10 - 6 7. Fundo de Vila 3 3 1 0 2 10 - 6 8. Novasemente 3 3 1 0 2 13 - 12 9. GCD Lordelo 1 2 0 1 1 4 - 7 10. Lusit. Lourosa 0 3 0 0 3 3 - 29 Próxima Jornada - 17 e 18 de Outubro CCR Maceda - Fundo de Vila GDC Lordelo - Novasemente ACR Vale de Cambra -GCD Sanfins - 17/10, 11h Lusitânia de Lourosa - PARC, 11h30 Folga Dinamo Sanjoanense

BENJAMINS FUTSAL

Resultados - 2.ª Jornada ADREP 3 5 CD Escapães CAP Alquerubim 4 6 GRC Telhadela AD Travassô 6 3 CC Barrô CRECUS 15 3 AJ Angeja PARC 8 1 Novasemente CCR Maceda 0 4 D. Sanjoanense Folgou ACR Vale de Cambra Classificação P J V E D GM - GS 1. AD Travassô 6 2 2 0 0 23 - 3 2. GRC Telhadela 6 2 2 0 0 16 - 5 3. D. Sanjoanense 6 2 2 0 0 12 - 2 4. CRECUS 3 1 1 0 0 15 - 3 5. ACR V. Cambra 3 1 1 0 0 7 - 2 6. CD Escapães 3 2 1 0 1 7 - 10 7. PARC 3 2 1 0 1 10 - 9 8. CAP Alquerubim 1 2 0 1 1 6 - 8 9. CC Barrô 1 2 0 1 1 5 - 8 10. CCR Maceda 0 1 0 0 1 0 - 4 11. Novasemente 0 1 0 0 1 1 - 8 12. ADREP 0 2 0 0 2 4 - 15 13. AJ Angeja 0 2 0 0 2 3 - 32 Próxima Jornada - 17 e 18 de Outubro ACR Vale de Cambra - ADREP CD Escapães - CAP Alquerubim, 11h15 GRC Telhadela - AD Travassô - 18/10 CC Barrô - CRECUS- 18/10 AJ Angeja - PARC Novasemente - CCR Maceda Folga Dinamo Sanjoanense

1. 2. 3. 4. 5. 6. 7. 8. 9. 10. 11. 12. 13. 14. 15. 16. 17.

Resultados - 5.ª Jornada Canedo 1 2 Fiães Lobão 1 3 Cucujães Argoncilhe 4 0 São Roque Lusitânia Lourosa 1 0 Carregosa São João de Ver 3 2 Serzedo Canelas 6 3 Arrifanense Pigeiros 1 0 D. Sandinenses Guisande 1 1 União de Lamas Folgou Valecambrense Classificação P J V E D GM - GS Lusit. Lourosa 13 5 4 1 0 10 - 1 S. João de Ver 11 5 3 2 0 27 - 9 Cucujães 10 5 3 1 1 13 - 7 Pigeiros 10 5 3 1 1 10 - 6 Guisande 10 5 3 1 1 8 - 7 Canelas 9 4 3 0 1 9 - 7 Fiães 8 5 2 2 1 9 - 12 União de Lamas 7 3 2 1 0 6 - 1 Valecambrense 6 4 2 0 2 9 - 13 Argoncilhe 5 4 1 2 1 8 - 6 Serzedo 4 5 1 1 3 10 - 9 Carregosa 4 5 1 1 3 6 - 6 D. Sandinenses 3 4 1 0 3 7 - 9 Lobão 2 4 0 2 2 1 - 5 Canedo 1 3 0 1 2 1 - 5 Arrifanense 0 4 0 0 4 6 - 15 São Roque 0 4 0 0 4 1 - 23 Próxima Jornada - 17 de Outubro Cucujães - Canedo São Roque -Lobão Carregosa - Argoncilhe Serzedo - Lusitânia de Lourosa Arrifanense - São João de Ver D. Sandinenses - Canelas União de Lamas - Pigeiros Valecambrense - Guisande Folga Fiães

Postos de Venda Espinho Papelaria Atl‰ ntico Norte (Av. 24) Papelaria Atl‰ ntico Norte (Rua 19) Esmoriz Bombas Freitas Transportes S‹ o Paio de Oleiros Confeitaria da Quebrada Papelaria PAPELî PIA Pa•o s de Brand‹ o Papelaria Tulipa Papelaria Menezes Papelaria Monteiro Papelaria A. Santos Rio Me‹ o CafŽ ZŽ da Micas Quiosque Santo Ant— nio CafŽ Ponto de Encontro S‹ o Jo‹ o de Ver Bombas REPSOL Quiosque Suil Park Quiosque S‹ o Bento Casa Silva Tabacaria dos 17 Caldas de S‹ o Jorge CafŽ S‹ o Jorge Fi‹ es CafŽ Avenida Bombas GALP Casa Gama 2 Papelaria Coelho Lourosa Quiosque Pimok Quiosque da Igreja Papelaria Europa Tabacaria Piscinas de Lourosa Quiosque C+S Quiosque da Feira dos Dez Bombas CEPSA Padaria/Pastelaria Caracas II Santa Maria de Lamas CafŽ do Zinho Cork e Manias (INTERMARCHƒ ) CafŽ Ð Restaurante Parque Carmic— pias Papelaria Silva Bombas REPSOL Mozelos CafŽ do Murado


www.correiodafeira.pt

12.OUT.2015

31


ÚLTIMA

Centro MédiCo da Praça CoMeMora 30 anos

32

12.OUT.2015

O Centro Médico da Praça (CMP), um dos espaços de saúde de referência de São João da Madeira, faz 30 anos desde a sua fundação. O administrador, Fausto Sá, nunca pensou que o grupo chegasse onde chegou. “O verdadeiro sonhar de um projecto estruturado começou a sentir-se por volta de 2000 e 2001” – conta. O segredo do sucesso deve-se, segundo ele, ao trabalho árduo e à dedicação da família, que tem vindo a apostar tudo neste projecto. A celebração dos 30 anos desta casa de “sucesso” assinalou-se no passado sábado, pelas 14h30, na Torre da Oliva, com várias iniciativas que “puseram em prova toda a nossa dinâmica e iniciativa”. Uma tarde temática, com oradores e especialistas credenciados nas respectivas áreas, direccionada à saúde, fez com que o aniversário fosse um dos maiores marcos da história do grupo. O destaque do 30.º aniversário, para além do convívio da “Família Grupo CMP”, foi o lançamento de três tipos de cartões de Saúde: Cartão Ouro – para Empresas com mais de 20 anos de parcerias; Cartão Prata – para Empresas parceiras com mais de dez anos de fidelização; e Cartão “CMP – Saúde”, com descontos em todas as Especialidades do Grupo CMP, mediante uma pequena quotização mensal. Os cartões irão

o CiaC inForMa

Na sequência das notícias sobre a colocação no mercado de veículos automóveis a diesel fabricados pelo grupo Volkswagen com dispositivos que alteram os dados das emissões de alguns gases poluentes, o Ministério da Economia e o Ministério do Ambiente, Ordenamento do Território e Energia criaram um Grupo de Trabalho para coordenar a actuação das entidades públicas envolvidas e assegurar a monitorização das acções necessárias neste domínio. Integram este Grupo de Trabalho, a Autoridade de Segurança Alimentar e Económica, a Direcção-geral do Consumidor, o Instituto da Mobilidade e dos Transportes, o Instituto Português da Qualidade, o Instituto Português de Acreditação, a Aicep Portugal Global – Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal, a Agência Portuguesa do Ambiente e a Autoridade Tributária e Aduaneira. As referidas entidades estão a acompanhar de forma permanente o caso, a reunir e a trocar informação entre si e com as autoridades de outros EstadosMembros da União Europeia, de forma a garantir a resolução do problema que afecta interesses nacionais de vários países. - Os direitos dos consumidores portugueses Importa salientar que o problema detectado nos veículos automóveis em questão não compromete a sua utilização normal nem põe em causa a segurança do veículo. A Direcção-geral do Consumidor recorda que os consumidores gozam de um conjunto de direitos, entre os quais o direito à informação para o consumo, o direito à qualidade dos bens e serviços e o direito à protecção da saúde e da

trazer vantagens “muito significativas e economicamente muito mais favoráveis comparadas com organizações que oferecem cartões idênticos”, pelo que este tipo de cartão irá premiar a fidelização das empresas que tenham Medicina do Trabalho, Higiene e Segurança no Trabalho, e que sejam parceiras do centro, abrangendo também os seus colaboradores. Já os associados do cartão CMP Saúde terão uma redução em todas as Especialidades Médicas. “Vamos oferecer descontos que entidades congéneres não conseguem oferecer” – adianta Fausto Sá. Os cartões irão assim trazer benefícios que vão contribuir para atenuar alguns efeitos da crise, tanto para “o tradicional utente do CMP, que venha a ser sócio, como para todos os colaboradores das empresas nossas parceiras”. O Centro – que começou com análises clínicas, num projecto, em parceria com o Dr. Manuel Gandra, que “surgiu com a necessidade de criar em São João da Madeira uma estrutura de saúde com Laboratório de Análises Clínicas, vocacionado e especializado em Hematologia/Hemoterapia” – foi aos poucos introduzindo consultas de Especialidades Médicas e os Meios Complementares de Diagnóstico, o que o tornou no

segurança física. Para garantir o respeito pelo direito à informação para o consumo, o fornecedor de bens tem o dever de informar o consumidor antes da celebração do contrato, designadamente, sobre as características dos bens e sobre a existência de garantia de conformidade dos bens, com a indicação do respectivo prazo. De acordo com o regime jurídico das garantias dos bens de consumo: •O fornecedor tem o dever de entregar ao consumidor bens que sejam conformes com o contrato de compra e venda, devendo, no caso concreto, entregar ao consumidor/comprador o veículo automóvel conforme com o contrato, isto é, de acordo com a descrição que dele é efectuada, designadamente quanto à emissão de gases poluentes, na documentação e/ou publicidade referente ao veículo. •Caso contrário, o fornecedor responde por qualquer falta de conformidade que se manifeste no prazo de dois anos a contar da data de entrega do veículo. Tal significa que o consumidor tem o direito a que a conformidade seja reposta sem encargos, através dos seguintes meios: reparação; substituição; redução adequada do preço; ou resolução do contrato. A escolha pelo consumidor no meio de concretização destes direitos mencionados está condicionada pelo instituto do “abuso de direito”, considerando-se que será “ilegítimo o exercício de um direito, quando o titular exceda manifestamente os limites impostos pela boa-fé, pelos bons costumes ou pelo fim social ou económico desse direito”. O fabricante, no caso a Volkswagen, tem a obrigação de adoptar todas as medidas e acções que se revelarem www.correiodafeira.pt

único laboratório de Análises Clínicas que não se limitou apenas ao sector das análises, mas que alargou também a sua actividade. Para além das especialidades médicas, o Centro Médico da Praça também realiza exames para quase todas as patologias e especialidades médicas, exceptuando a TAC, “que brevemente será implementada, e a ressonância”. O segredo para o sucesso passou por várias estratégias, entre elas a da expansão em várias localidades, para uma crescente cobertura do Norte do Distrito de Aveiro, sendo que as suas 12 filiais implementadas em zonas devidamente estudadas e planeadas ajudaram no seu sucesso, o que levou o Centro “a ter a sua sustentabilidade nos alicerces e na estratégia de crescimento”. O Centro Médico da Praça, que agora tem uma conjuntura económica um pouco mais favorável, com condições de sustentabilidade, irá ter a possibilidade de construir uma estrutura que congregue todas as Especialidades Médicas e Meios Complementares de Diagnóstico “que dêem resposta, na nossa cidade, às muitas cirurgias que diariamente saem, das várias Clínicas, do Grupo CMP”, como clarifica Fausto Sá no que toca às suas projecções para o futuro.

adequadas para garantir que os veículos em causa respeitam as normas. Para este efeito, o fabricante pode desencadear acções de recolha dos produtos, no caso os veículos, de forma a repor a sua conformidade. O fabricante Volkswagen apresentou ontem ao Governo Alemão um plano para a realização da recolha dos veículos junto dos proprietários, devendo nos próximos dias dar conhecimento do mesmo às autoridades competentes de todos os Estados-membros, indicando os procedimentos a adoptar com vista a solucionar o problema de manipulação de emissões de alguns gases poluentes apresentado pelas viaturas em causa. A Direcção-geral do Consumidor considera que os consumidores/proprietários, que forem contactados pela marca para estes efeitos devem procurar respeitar as orientações que lhes forem transmitidas relativamente aos procedimentos para a recolha dos veículos. Neste contexto, a Direcção-geral do Consumidor adoptará todas as medidas que estiverem ao seu alcance para assegurar aos consumidores toda a informação e, em coordenação com as demais entidades que compõem o Grupo de Trabalho, serão adoptados, em linha com as autoridades homólogas dos Estados-Membros da União Europeia, os procedimentos necessários para melhor acompanhar a implementação do plano da Volkswagen com vista a garantir a protecção dos interesses dos consumidores portugueses. Para mais informações poderá contactar o CIAC – Centro de Informação Autárquico ao Consumidor através da linha verde 800203194 ou por e-mail ciac@cm-feira.pt.

Profile for Pedro Almeida

5931  

5931  

Profile for pedro_cf
Advertisement