Page 1

TAXA PAGA

4520 Santa Maria da Feira

PUBLICAÇÕES PERIÓDICAS

Desde 11 de Abril de 1897

Mérito Municipal 1972 1997 Ano CXVI

Semanário

Direcção: Sandra Moreno

10 Fevereiro 2014

Nº 5851

€0,60 (iva inc.)

// Fiães

Única ONG do Concelho já carregou 27 contentores para a Guiné P. 12 e 13

Entrevista

P. 04 e 05

“A nossa preocupação é ser sensivel às populações, às associações, ao parque escolar”,

Arrifana vai mesmo para eleições pág. 8 O PSD renunciou em bloco provocando novas eleições. Delfim Silva, presidente eleito ainda não se decidiu sobre uma eventual recandidatura.

Fernando Leão, presidente da Junta da União de Freguesias da Feira, Sanfins, Espargo e Travanca

(Re)descobrir

pág. 03

As Matinés Dançantes são um sucesso. Todas as semanas, os seniores fazem o gosto ao pé. Desta vez, foi em Lobão


02

Correio da Feira 10.FEV.2014

Não baixar os braços

Desporto para todos ….ou mais e melhor desporto

Esta frase, tem sido a paixão de todos os governos nos últimos 20 anos. Os méritos do desporto a nível do bem-estar e saúde das pessoas são indiscutíveis. Compete ao Estado e Autarquias promover políticas desportivas criando condições físicas para a sua realização. Cabe aos cidadãos usufruir as condições criadas para a prática desporto de atividades desportivas. Porém, nenhum programa pode ser eficaz se não estabelecer medidas prioritárias e fundamentais. Passo a citar: 1ª Carta desportiva é uma ferramenta de divulgação da rede de oferta desportiva. Além disso a

sua existência é fundamental no planeamento rigoroso na localização de novos equipamentos desportivos. Era em 1996 a prioridade das prioridades do então Secretário de Estado. Passaramse 18 anos e podemos dizer que ainda não saiu da gaveta, pois a único avanço havido, foi a recente assinatura de um protocolo da Secretaria de Estado do Desporto e Juventude com o Instituto do Território para a sua elaboração. Quando estiver concluída deixa de ter qualquer importância, pois a rede de equipamentos desportivos já estará concluída. Resta-lhe unicamente uma função informativa das infraestruturas desportivas do nosso país.. As consequências da inexistência desta ferramenta de planeamento são enormes. O elevado número de equipamentos desportivos mal localizados, parados, fechados porque não têm rentabilidade, é uma triste constatação, porque não houve um planeamento rigoroso. Não se

escolheram os melhores locais. Consequência desta irracionalidade é sermos confrontados com estádios, piscinas e pavilhões sem utentes. Por outro lado, temos locais onde as populações não têm equipamentos desportivos. O nosso concelho também é vítima destas erradas políticas. Exemplificando, a falta da carta desportiva no nosso concelho, levou-nos à situação de termos piscinas municipais subutilizadas, porque foram mal localizadas. Geograficamente, temos uma faixa contínua de 5 freguesias, cada uma com a sua piscina. Por outro lado, temos mais de duas dezenas de freguesias, cujos cidadãos não têm o direito a terem próximo de si uma piscina municipal coberta e aquecida. Isto aconteceu e continuará a acontecer se os equipamentos públicos não forem localizados e dimensionados com um bom planeamento técnico e não político. Todos pagamos os elevados prejuízos com a subu-

tilização desses equipamentos localizados assimetricamente. 2ª-Programa de apoio financeiro ao associativismo desportivo. Em tempos de contenção financeira parece estranho que se proponha a atribuição apoios financeiros na construção de equipamentos desportivos. Porém, se for bem aplicada, será uma medida racional geradora de investimentos e consequente crescimento económico. No passado foram atribuídos apoios financeiros a associações desportivas/clubes, juntas de freguesias para a execução de infraestruturas desportivas. Foram um sucesso. Presentemente são desconhecidas medidas desta natureza. A experiência do passado deu para constatar resultados economicamente muito interessantes. Exemplificando, se o governo atribuir a cada candidatura um apoio médio de 20%, consegue através do recebimento do IVA, recuperar um valor líquido de 3%.

É com alegria que saúdo o Sr. Victor Pais, como vencedor na categoria de melhor dirigente do ano.”Cultura”. Lamento que, a instituição pelo qual foi nomeado para essa categoria, não tenha posto à disposição qualquer informação sobre o evento, e, tendo o nomeado sido Presidente durante muitos anos, tendo feito um grande trabalho, daí o reconhecimento para a nomeação, tenho pena que a nova Direção nada tenha feito na sua pagina do facebook apelando ao voto.

Que má figura, fez a banda de musica de Souto, que nem orgulho teve no seu presidente. Qual, o meu espanto, ao tomar conhecimento do programa da gala, deparo-me com algo insólito, a banda de música de Souto foi convidada a atuar nessa gala, e a nova direção recusou o convite. Nos dias de hoje todas as intituições que se presem, lutam por todo o espaço que possam alcançar, para ter visibilidade e mostrar o seu trabalho. O patamar que, o sr Victor Pais,

Com esta medida, conseguia-se dinamizar o tecido económico, conseguia-se melhorar a oferta de equipamentos para o dito programa de desporto para todos. Quantificando numericamente o Governo ao disponibilizar anualmente 1 milhão de euros para este tipo de apoio financeiro iria lançar na economia 5 milhões, acabando por recuperar para os cofres do Estado buscar um ganho líquido de 150 000 euros… Os responsáveis pela Secretaria de Estado do Desporto devem acordar para esta realidade e terem firmeza para convencer os seus colegas das Finanças deste exercício tão simples de incentivar as microeconomias tão importantes no crescimento económico. Todos ficaríamos a ganhar com “mais e melhor desporto” ou se quiserem, “desporto para todos”…. António Cardoso, Deputado do PS na Assembleia da República

Gala de mérito da R.C.F. No passado dia 31 de Janeiro de 2014, no auditório da biblioteca municipal, realizou-se mais uma gala de mérito, da R.C.F. onde estavam nomeadas três instituições da UF Souto Mosteirô, Clube do ano o Soutense, eventos Ajisce, Diretor do ano da banda musical de Souto. Foi uma oportunidade para os ouvintes da R.C.F. expressarem a sua preferência e o seu apoio a todos os movimentos associativos, premiando as suas atividades do ano 2013.

Grande momento de exaltação e vitalidade para o nosso concelho de Santa Maria da Feira. Pois num ano tão difícil, como foi 2013, o nosso movimento associativo conseguiu encontrar formas, para levar a cabo as suas melhores iniciativas e com isso, elevando o nome do nosso concelho tão longe. Nas diversas categorias, foram premiadas a qualidade, o empenho e dedicação de diversas individualidades, na área da cultura, desporto e do associativismo.

alcançou para a banda de Souto subir, foi tão elevado que os ouvintes da RCF o elegeram como melhor dirigente do ano. Dou os parabéns à banda de Lobão que abrilhantou muito bem a gala. Os parabéns a R.C.F. pelo excelente trabalho e na divulgação de tudo o que se faz no meio associativo do Concelho de Santa Maria da Feira. Ângelo Santos, Souto

Publicidade

VENDO MORADIA EM BANDA EM CONDOMINIO FECHADO (Rua Vila Boa- Feira) Amplos espaços comuns, cobertos, jardins e campo de ténis T3 com suite, 3 casas de banho, cozinha equipada, sala de jantar e sala de estar, aquecimento central, garagem, varandas e quintal. EXCELENTE PREÇO (PARTICULAR) 913 939 114

FICHA TÉCNICA

NUMA BANCA PERTO DE SI Directora Sandra Moreno sandra.moreno@correiodafeira.pt

Administração Jorge de Andrade administracao@correiodafeira.pt

Redacção André Costa andre.costa@correiodafeira.pt

Daniela Soares daniela.soares@correiodafeira.pt

Colaboradores: Alberto Soares, Luís Higino, Roberto Carlos, Serafim Lopes Desporto: Paulo Ferreira, André Pereira, Américo Azevedo, Ângelo Resende, Ângelo Pedrosa, Preço Assinaturas: Artur Sá, Carlos Melo, Jorge Costa, Manuel Silva, Armandino Silva, José Carlos Macedo, António Santos, Bruno Godinho, Dinis Silva, Filipe Freixo, Jorge Silva, Nacional - € 25 Paulo Sérgio Guimarães, Orlando Soares, Orlando Bernadino Silva, Paulo Neto, Pedro Castro, Maria Celeste Rato Europa - € 50

Propriedade: Trazer Noticias, Lda. Registo na C.R.C.de S. M. Feira, n.º 507619269 Contribuinte n.º 507 619 269 Capital Social 5.000 Euros Detentores de mais de 10% do Capital Social Trazer Noticias, Lda.

Registo de Empresa n.º 200537 Registo no N. R. O. C. S., N.º 100538 Depósito Legal n.º 154511/00 Tiragem: 5.000 exemplares (Tirágem média) Impressão: Coraze - Oliveira de Azeméis Preço Avulso: 0,60€

SEDE: Rua 1º de Maio, nº 221 A, Espargo - Santa Maria da Feira 4520 - 115 Espargo Telef. 256 36 22 86 - Fax 256 37 28 89 E-mail: geral@correiodafeira.pt

Cobrador: Cobrador@correiodafeira.pt

Dep. Comercial: Cíntia Aleluia comercial@correiodafeira.pt

Design e Paginação:

Albino Santos albino.santos@correiodafeira.pt

Resto do Mundo - € 65

(Os artigos assinados são da inteira responsabilidade dos seus autores, não vinculando necessariamente a opinião da direcção)

Pedro Almeida pedro.almeida@correiodafeira.pt


Correio da Feira 10.FEV.2014

03

Lobão // Cerca de 300 pessoas no salão do Centro Cultural

Ponha aqui o seu pezinho, devagar, devagarinho As Matinés Dançantes, incluídas no programa Movimento e Bem-Estar, da Câmara Municipal, já existem há vários anos, mas o seu sucesso não pára de crescer. Os seniores vêem-nas como uma “excelente distracção” e já não imaginam a sua terça-feira sem dar um ou dois passinhos de dança. Daniela Castro Soares daniela.soares@correiodafeira.pt

As Matinés Dançantes fazem parte do programa Movimento e Bem-Estar, promovido pela Câmara Municipal, com o objectivo de melhorar a qualidade de vida da população sénior do Concelho. Existente desde 2000, o movimento inclui diversas actividades, como ginástica, caminhadas, hidroginástica, e realiza eventos como os Jogos de Natal, Jogos da Páscoa e Olimpíadas Seniores. “Organizamos jogos tradicionais, como a malha e os dardos, e jogos de mesa, como o dominó, a sueca e as damas. E tentamos fazer com que estas actividades sejam intergeracionais, ou seja, com que os seniores participem nelas com os netos” – afirma o responsável pelo Movimento e Bem-Estar, Francisco Rocha. De maneira a poder concretizar estas actividades nas diferentes freguesias, o movimento trabalha em conjunto com 48 entidades, entre elas associações desportivas e culturais, juntas de freguesia e IPSS. “Tentamos ir de encontro às motivações dos seniores e às indicações da Organização Mundial da Saúde (OMS)” – diz Francisco Rocha, que todos os anos ajuda a desenhar um “plano estratégico de actividades para a população sénior”. “Segundo a OMS, as pessoas devem desenvolver pelo menos 150 minutos de actividade física por semana, o que dá 30 minutos por dia. Nós tentamos alcançar esse objectivo com as diversas actividades” – explica. O plano é assim delineado para toda a semana, distribuindo as iniciativas pelos diferentes dias. “Há, por exemplo, ginástica à segunda, matiné à terça, hidroginástica à quarta, caminhadas à quinta e ginástica à sexta. Assim conseguimos cumprir e diversificar as actividades” – salienta.

Matinés têm tido “grande adesão” As Matinés Dançantes, que se realizam todas as terças-feiras, arrancaram em 2004/2005 e desde então têm feito furor entre os seus participantes. “A dança é sempre uma actividade para a qual se sentem muito motivados” – diz Francisco Rocha. Nesta época 2013/2014, estão programadas 30 matinés, que vão percorrer todas as freguesias (sendo que Santa Maria da Feira

e Sanfins realizam em conjunto), mas de futuro as actividades seguirão o novo reajustamento administrativo do território. Apesar de predominar a música popular, a professora, Marlene Valente, tenta introduzir alguns passos de dança de salão. “Para que as pessoas possam aprender os passos base de algumas danças, como o merengue, cha cha cha, salsa, jive, valsa” – enumera Francisco Rocha. A adesão tem sido grande, com uma média de 350 a 400 participantes por matiné, e, por norma, as pessoas ficam até ao fim, não arredando pé das 14h00 às 17h00. Foi o que aconteceu na semana passada em Lobão. Apesar do frio, chuva e vento forte que se faziam sentir, mais de 300 seniores não faltaram à Matiné Dançante no Centro Cultural, enchendo o salão de baile. A alegria era bem visível no rosto dos pares, que davam ao pé na pista, mas também no daqueles que faziam a festa sozinhos, ao som de músicas como “O Bicho”, “Coisinha Sexy” ou “A Moda do Pisca-Pisca”. “Foi a melhor coisa que me apareceu na vida. Não largo isto por nada” – diz uma popular, Celeste Maia, que veio de Paços de Brandão para o seu “entretenimento preferido”. “Dá para distrair a cabeça, aliviar o stress, mexer o corpo. Gosto imenso” – afirma outra brandoense, Dolores Gonçalves. Os seniores vêm pela dança, mas também pelo convívio e pelas pessoas que conhecem nestes eventos. “Fazemos amizades, o que é muito bom. Adoro conviver, rir e fazer rir” – refere Maria Bolena Silva, de Lourosa.

Dança traz muitos benefícios para a saúde “As matinés são uma mais-valia, em termos de convívio, para os idosos se manterem activos o máximo de anos possível. Acabam por ser um ponto de encontro entre pessoas que, apesar de serem da mesma comunidade, já não se vêem há algum tempo” – salienta a directora técnica da valência dos idosos do Centro Social de Lobão, Anabela Almeida. Francisco Rocha concorda. “Estimula a parte cognitiva pois permite que as pessoas que estão em isolamento (em situações de depressão, desemprego, ou outras) possam sair desse panorama e conviver, fazer novas

amizades, criar laços afectivos” – sublinha. Mas não só. O responsável pelo movimento exalta ainda os benefícios da dança como exercício físico. “Permite melhorar a saúde e a qualidade de vida das pessoas, quer a nível cardiorespiratório, quer a nível de doenças como, por exemplo, a diabetes” – informa. Talvez por isso sejam cada vez mais os médicos a encaminhar as pessoas para as actividades do movimento. “O número de participantes tem aumentado, muito devido à ajuda dos médicos de família e do Hospital S. Sebastião” – afirma Francisco Rocha, acrescentando que o movimento tem desenvolvido estudos, em conjunto com faculdades de desporto do país, que concluem que este programa de actividades “tem tido efeitos muito benéficos na população sénior”. A comprová-lo estão várias pessoas que hoje agradecem ao Movimento e Bem-Estar, e às matinés, por terem mudado a sua vida. “Descobri que tinha fibromialgia e o médico encaminhoume para o movimento. Fez um ano em Agosto que cá ando e já deixei de tomar a medicação. Quanto mais actividades fizer, melhor me sinto” – conta Cármen Soares, de Lourosa, para quem “a terça-feira parece sempre domingo”. “Quem puder vir, faz muito bem à saúde. A minha irmã tomava medicação para o colesterol e agora já não toma, graças a isto” – revela a lourosense. Também Maria Bolena Silva elogia o movimento. “Fiquei

desempregada e andava completamente despassarada, sempre em casa, sozinha, a pensar nas coisas, estava a ficar maluca. Com isto, ressuscitei. Voltei a ser a pessoa que era, a cantar, a dançar, a fazer rir. Foi uma maravilha” – declara, acrescentando: “É uma fisioterapia para a minha cabeça”. Para Lusanira Baptista, natural de Lobão, as matinés são “a melhor coisa do mundo” pois lembram-na dos bailaricos anti-

gos. “Os pais não nos deixavam ir aos bailes com os namorados, então nós fugíamos. Muita gente dançava no nosso tempo de mocidade. Lembro-me das músicas dos anos 70 e dos slows” – conta a popular, revelando que as matinés lhe fazem “reviver as coisas passadas” e por isso não perde uma terça-feira, “só se estiver doente”. “Se isto acaba, nós até morremos mais depressa” – remata Lusanira Baptista.


04

Correio da Feira 10.FEV.2014

União de Freguesias da Feira, Espargo, Sanfins e Travanca // Fernando Leão, presidente da Junta

“Estamos a fazer um trabalho de planeamento para que, daqui a quatro anos as pessoas sintam que fazem parte de um todo, de uma cidade” Tem a seu cargo a gestão de um território que abarca as freguesias de Santa Maria da Feira, Espargo, Travanca e Sanfins e considera estar perante o desafio da sua vida. Fernando Leão, presidente da Junta da União de Freguesias, acredita que o sucesso na governação de um território tão vasto assenta nas relações com as diferentes populações que, assegura, estar a conhecer mais profundamente. Todos os dias visita as quatro freguesias que compõem a sua Junta e está decidido a, em quatro anos, traçar o planeamento do território para que os vindouros venham a ter um grande cidade, mais unida. Texto: Sandra Moreno Fotos: Albino Santos Já tem experiência em lides autárquicas, mas é a primeira vez que assume a gestão de um território tão vasto. Como está a correr? É aliciante, é um desafio pessoal. O facto de ter alguma experiência autárquica, de facto, deu-me algumas ferramentas que me ajudam a ultrapassar algumas situações mais complicadas, mas o mais importante é que sinto que este trabalho é aliciante, sobretudo em termos humanos. Já conhece bem o território que tem sob a sua alçada? Em termos pessoais, posso dizer que tenho uma noção muito concreta do território do concelho de Santa Maria da Feira. Conheço todas as freguesias. Se me pergunta se conheço ao pormenor, naturalmente que não, pelo que, desde há um tempo a esta data, preocupo-me em conhecer este território da União de Freguesias de Santa Maria da Feira, Espargo, Travanca e Sanfins ao pormenor. Já tem uma noção dos problemas que mais afectam este território? Já conhece as expectativas que as pessoas têm, até em relação ao seu trabalho? Esta é uma situação nova para toda a gente, quer para os habitantes quer para os autarcas. O importante é saber como podemos interagir com as diversas populações que compõem este território, porque acredito que muitas pensem que possam ficar órfãs porque perderam a sua freguesia. Esta é uma das nossas grandes preocupações. Agir no campo humano, para que as pessoas se sintam à vontade para questionar sobre o que entenderem.

A nossa preocupação é ser sensível às populações, às associações, ao parque escolar.

Na gestão de um território como este, a palavra equipa ganha outro sentido? É a palavra-chave. Aliás, nada se resolveria se não fosse a equipa, até mesmo se estivéssemos a falar de um universo que se resumisse apenas à cidade da Feira. A equipa é fundamental para o desenvolvimento de uma estrutura como a União de Freguesias. Foi sempre crítico em relação a esta reforma administrativa do território. Agora que tem nas suas mãos a governação de um território que nasceu dessa reforma acha que é possível fazer-se uma boa gestão dele? Em termos individuais, eu, Fernando Leão, nunca contribuí para esta união, mas estando agora perante uma situação de facto, penso que a melhor maneira de ultrapassá-la é interagir com as pessoas, porque, na verdade, o que está verdadeiramente em causa, são as pessoas. Nós temos o know-how decorrente da gestão da freguesia de Santa Maria da Feira e vamos colocálo ao dispor de todas as outras freguesias, assim como os recursos. Por exemplo, a freguesia de Espargo não tinha qualquer funcionário, pelo que se queria um trolha, tinha que contratar, se queria um jardineiro, tinha de contratar… Agora não precisa, porque são os funcionários da própria União de Freguesias que andam a fazer limpeza das ruas. Portanto, há uma racionalização de custos. Neste momento, estão seis ou sete funcionários a trabalhar em Sanfins, a limpar desde as valetas até ao cemitério. Sanfins era o território menos bem ordenado? Sim. Fizemos um a intervenção de fundo, que é visível e que a população sentiu. Daqui a quatro anos, o que podemos esperar deste território? Quais são os seus planos? Os primeiros tempos são difíceis. As pessoas estão receosas, não sabem como a Junta vai reagir aos seus pedidos, aos seus problemas. A nossa preocupação é ser sensível às populações, às associações, ao parque escolar.

Acredita que daqui a quatro anos vai poder dizer que o território mudou? Acho que sim. Isto para nós também é uma aprendizagem, mas objectivamente acredito que daqui a quatro anos as pessoas vão sentir a diferença. Tem projectos concretos? Tenho. Cada freguesia fazia a sua festa, os seus passeios de idosos. Agora tenho que pensar num universo, não posso fazer

um passeio com mil idosos, mas certamente que ninguém vai ficar de fora, assim como, não posso dar um subsídio a um rancho de Espargo e dar outro, de valor diferente, ao rancho da cidade. Não é nesta diversidade que está a grande dificuldade de gestão, já que se falam de acções que mexem directamente com a identidade de cada freguesia, aquela identidade que se temia perder-se com a reforma administrativa?

Estão garantidas as particularidades de cada freguesia e para salvaguardar essa identidade é preciso respeitar os diferentes territórios e dar continuidade aos eventos marcantes, como as festas ou as romarias, por exemplo. Hoje, quando acorda sente que o peso de ser autarca aumentou? Naturalmente que sim. Não há curso para autarcas. Devia haver e os partidos têm culpa nisso. Por exemplo, foi, recentemente, publi-


Correio da Feira 10.FEV.2014

cada em Diário da República a Lei de Delegação de Competências para esta União de Freguesias. Ora, se o presidente não souber interpretar, ou não tiver alguém na sua equipa que o faça, olhar para aquilo é o mesmo que ir à Nasa e ver o que lá se faz.

Penso que sim. Mais numas freguesias do que noutras. Quando as pessoas sabem respeitar - e respeitar não é só não dizer asneiras, é ser sensível aos outros - isso já é meio caminho andado para abrir horizontes à nossa acção e ao sucesso.

Depreende-se, pelo que diz, que o futuro da União de Freguesias passará por uma gestão cada vez mais profissionalizada? O que me move é uma questão de solidariedade institucional. Gosto do que faço. Há outras pessoas que assumem estes cargos por uma questão de ego e de estatuto ou até mesmo por razões financeiras. Ora, se alguém está a desempenhar uma função de que não gosta, nunca será um bom colaborador. As pessoas têm, sobretudo, de gostar daquilo que fazem. Eu gosto daquilo que faço e todos os dias levanto-me com ânimo e com vontade de fazer mais qualquer coisa. Hoje, antes de falar convosco, já percorri todas as freguesias da União.

As obras físicas deixaram de ser uma prioridade para a maioria das juntas de freguesia. Como vai ser na União de Freguesias de Santa Maria da Feira, Espargo, Travanca e Sanfins? Estou muito consciente de que as obras megalómanas são para esquecer. E, hoje, vêem-se, por aí fora, obras que custaram milhares e que estão às moscas. Hoje é preciso racionalizar. Os autarcas têm que ter consciência de que, com pequenas obras, vão ao encontro das aspirações das populações. Planeamos, por exemplo, para Santa Maria da Feira, a conclusão do passeio pedonal, desde o centro histórico da cidade até ao Balteiro, em Travanca. Trata-se de uma obra que se traduz numa aspiração natural de qualquer santamariano e de quem nos visita. Se temos um rio, temos de aproveitá-lo.

Faz isso todos os dias? Várias vezes ao dia. As pessoas já o conhecem?

05

Em Sanfins, vamos concluir a capela mortuária. Em Travanca, vamos também investir na casa mortuária. Em Espargo, estamos a negociar com os proprietários para alargar o cemitério. Há também uma promessa que tenho de cumprir, em Santa Maria da Feira, que é o arranjo dos passeios. Como vai ser a mobilidade na União de Freguesias? O Transfeira vai circular por todo o território? Já coloquei a questão à Câmara Municipal, responsável pela gestão do Transfeira. Acha que seria uma medida importante, até para as populações sentirem que fazem parte de um mesmo território? Sem dúvida. Já tenho dito, os meus colegas e eu, somos a buldózer que está a rasgar a estrada. Naturalmente que, daqui a quatro anos, quem vier para este lugar poderá embelezá-la. Portanto, estamos a fazer um trabalho de planeamento para que, daqui a quatro anos, as pessoas sintam que fazem parte de um todo, de uma cidade. O seu projecto é de quatro ou mais anos? É de quatro anos. Nem me passa pela cabeça outra coisa. Vamos lá ver, com toda a franqueza, há ano e meio, nem me passava pela cabeça voltar a sentar-me nesta cadeira, porque terminaria o meu terceiro mandato. Entretanto, a situação alterou-se e fui um bocado encostado… Não sou profissional da política, e com todo o respeito pelas outras, era incapaz de assumir a gestão de outra freguesia, nem que me pedissem, porque isto é uma questão de estado de alma, de sentimento. Houve esta unificação, e no campo pessoal é um desafio. Faço algo que gosto, tenho algum à vontade em interagir com as pessoas e tratar dos assuntos com alguma ligeireza. É então um projecto para quatro anos? Sim. E com a tónica assente no planeamento do território, em pensar sobre o que queremos para esta área, que mobilidade desejamos. Esse vai ser o meu grande desafio e espero que o próximo presidente da Junta herde toda essa documentação.

Acho que sim. Isto para nós também é uma aprendizagem, mas objectivamente acredito que daqui a quatro anos as pessoas vão sentir a diferença.

Parabéns Diogo Resende Ferreira Santa Maria da Feira Comemora hoje, dia 10 de Fevereiro as suas 14 Primaveras,pelo que seus pais Marine e Quim e seu irmão Raul felicitam e que esta data se prolongue durante muitos anos.

PROCURA-SE SANTA MARIA DA FEIRA CALDAS DE S. JORGE EMPREGADA MESA Cont: 962639704

TRESPASSE Ginásio Feminino e Clínica de Estética em S.João da Madeira. Com apenas 1 ano. Boa facturação. Elevado nº de clientes. Valor: 58.000€ Tlm: 919510154

Vidente do Amor Trago seu amor em 24 horas Resolvo com o poder da alta magia Amor, Vícios, depressões, angustias, liberta das pertubacoes e maldições espirituais Família, negócios. Etc... 925 769 398 Porto

Nao cobro trabalhos.


06

Correio da Feira 10.FEV.2014

São Valentim Padroeiro dos namorados

A história do atual Dia dos Namorados, tal como a conhecemos hoje entre nós, tem origem incerta e é vivida mais intensamente a partir da segunda metade do século XX. Trata-se duma data especial e comemorativa em que se celebra a união amorosa entre casais, tendo por padroeiro, (o Santo escolhido como especial intercessor junto de Deus) – São Valentim, mártir considerado pela Igreja Católica. O qual terá sido Bispo e terá sido casado secretamente, contra a proibição dos casamentos pelo imperador Cláudio II. Foi escolhida a data de 14 de

Fevereiro, para ser o Dia dos Namorados, por ser a data em que foi martirizado o Valentim, de que se trata. Foi martirizado por não ter respeitado as ordens do imperador, que havia proibido os casamentos durante a guerra, estando convencido de que os solteiros eram combatentes mais robustos, do que os casados. Consta que a história do amor romântico é associada a um obscuro dia de jejum, tido em homenagem a São Valentim, que aparece depois do final da Idade Média. Porque terá sido casado, o São Valentim, e o casamento em segredo, contra as ordens do imperador, foi descoberto, preso e condenado à morte. Consta que, enquanto estava preso recebia flores e bilhetes de muitos jovens amorosos, dizendo que ainda acreditavam no casamento. E terá sido na prisão, enquanto aguardava a sentença, que se apaixonou pela filha do carcereiro, que era cega, e, que milagrosamente recuperou a visão;

à qual escreveu uma mensagem de adeus, antes da execução, na qual assinava como – “Seu namorado” ou “Do seu Valentim”. Terá sido pelas razões expostas, que o dia 14 de Fevereiro aparece no calendário como o dia dedicado aos namorados. Na Idade Média este dia era considerado o primeiro dia de acasalamento dos pássaros. E por isso, naquela época, parece que os namorados nesse dia deixavam mensagens de amor na soleira da porta do namorado ou da namorada. Consta que, até a algumas décadas atrás, a festa em honra de São Valentim era comemorada principalmente em países anglo-saxões; sendo estendida a muitos outros países apenas no século XX. No Brasil, no entanto, o Dia dos Namorados é celebrado no dia 12 de Junho, por ser a véspera do dia 13, dia de Santo António de Lisboa, o Santo casamenteiro, considerado popularmente entre nós. Teria lógica que os portugueses seguissem

esta teoria de padroado, o que não acontece. Muito se tem escrito nos últimos tempos sobre o Dia dos Namorados. Muitas histórias bonitas, histórias de amores e desamores, amores vingados e amores falhados! … E a maior parte dos amores atuais são falhados, porque o São Valentim é padroeiro, mas não lhe é solicitado o seu padroado. Há um pensamento que diz: “Nada é pequeno no amor. Aqueles que esperam por grandes ocasiões para demonstrar a sua ternura, não sabem amar.” Lá diz o adágio: - “O amor é como a lua, quando não cresce, mingua.” E é verdade: - o amor deve crescer todos os dias e ser consistente; só assim o amor é eterno. Eu sei que, falar assim do amor corrente, que se vive na sociedade atual … até pode parecer anedótico para muitos. E o São Valentim … é só a fingir! Só mais um adágio e quase para eu terminar esta crónica: - “Amar e

reinar, nunca dói a par”. “Quem ama verdadeiramente não escreve cartas que parecem requerimentos de advogado. O amor não estuda tanto as coisas, nem trata os outros como réus que é preciso “entalar” – (Fernando Pessoa – em “Cartas de amor”. Se eu lhes falasse do meu amor de há quase cinquenta e seis anos… com certeza muitos diriam assim: - “Ah! … isso era noutros tempos! … “ E então, como é o amor destes tempos? Pois, pelo que se constata, infelizmente, o dito “amor” destes tempos é de usar e deitar fora. Poder-se-á dizer: -“Nem tudo está perdido. Aproveita-se a parte comercial que enriquece o “amor” da economia!” E, por este caminho, para que tipo de sociedade estamos a caminhar? …

premente que temos de investimento externo para recuperar a economia, de criar mais e mais e melhor emprego, aliada ainda à extrema necessidade que existe de colmatar os maus efeitos desta crise, é absolutamente necessário dar uma boa imagem de Portugal lá fora. E a que é que assistimos efetivamente? Assistimos a um Partido Socialista, partido do arco da governação, que à muito deveria ter feito um ato de contrição, colocando a mão na consciência, e pedindo desculpa aos Portugueses por tão mau desempenho do seu último Governo, e neste contexto auxiliar quem governa a atingir a meta pretendida, ou seja, tornar o nosso país economicamente soberano a partir de Maio de 2014. Mas o que se vê mais uma vez é um Partido Socialista, sedento de governar, adotando más políticas, criando entraves ao sucesso de um governo, que tudo tem feito para salvar a sua pele. Importante para o Partido Socialista, são as eleições… Sedento do poder, do poder político, lá vai encomendando sondagens… Esquece-se o Partido Socialista, que o povo Português não anda de olhos tapados, e na hora de decidir vão saber escolher entre o passa-

do, o PS, ou o futuro, a coligação PSD/CDS-PP. Os portugueses não vão querer mais voltar ao passado em Maio de 2014, e em 2015, vão expressar isso mesmo na mesa de voto. Todos sabemos, a nossa história é testemunha, que não podemos confiar nos Governos Socialistas. Tudo o que fizeram nas sucessivas governações, foi sempre, deixar o país à beira da banca rota, este último conseguiu mesmo deixá-lo… Tenho muita esperança, que em 2015, vocês não ganhem! Mário Soares, que deu o peito às balas e defendeu Portugal nos anos 70, merecendo por isso respeito, desdobra-se em ataques à atual governação. Como todos se recordam, até sugeriu que fossem corridos à catanada, ou algo do género. Mas os Portugueses sabem porquê, porque o povo Português sabe ler nas entrelinhas do ridículo… Todos sabemos, e o Dr. Mário Soares também sabe, que se Portugal em Maio deste ano, resgatar a sua soberania económica, dizendo adeus à Troika, isso será uma catástrofe para o PS. Ninguém dos dinossauros do PS, irá perdoar uma derrota nas próximas eleições. O Dr. Mário Soares sabe que se em Maio este governo conseguir recuperar para Portugal e para o

povo Português a sua soberania económica, o PS cairá definitivamente na desgraça e tão cedo não se levantará. Ficará sempre associado ao partido que colocou o país na banca rota, colocou a vida dos Portugueses em sobressalto, o partido que governou com maioria e desrespeitou a nossa história, o partido que tudo fez enquanto oposição, para que este governo de coligação não conseguisse devolver aos Portugueses a soberania do seu território. A tolerância e o humanismo são os mais elevados estados de inteligência. Quem assim governa, tudo alcança. Quem disso faz mote de vida, merece admiração. Os senhores do Partido Socialista ainda não perceberam, ou então fazem de conta não perceber, que devem com o governo trabalhar para o bem comum, porque afinal vivemos uma fase atípica e inglória! Na Irlanda foi assim… Não deveriam tomar esta como exemplo? E é impossível voltarmos ao que era: PORQUE O QUE ERA DEU NISTO! Vocês até sabem disso! Sabem que isto é verdade! Mas ganham mais estando no poder, ou não será?

Alberto Gilde, Santa Maria da Feira

Meus amigos Socialistas Todos falamos e concordamos que vivemos uma fase terrível na história portuguesa. É necessário transpor esta fase o mais depressa possível, para que possamos recuperar a nossa soberania com sustentabilidade. E assim ver o nosso velho, lindo e maravilhoso país, recuperar desta “falência”, crescer e ganhar o maior poderio económico que for possível. Todos sabemos! Houve erros que importa recordar e não repetir. Nos casos concretos, e em especial os Socialistas sabem que das três vezes que, no pós 25 de Abril, o FMI cá entrou, todas foram em governos socialistas. Isto tem de ter uma explicação! Os Portugueses têm de saber isto, têm de perceber que olhando para o passado, todos os governos Socialistas, apenas e só trouxeram prejuízo aos Portugueses. Margaret Tatcher dizia-o e com razão. O socialismo é bom quando há dinheiro! O problema que se nos coloca, é que de facto, estarmos numa encruzilhada da história, onde é necessário cuidar e tomar atenção em todas as atitudes, posturas e decisões, para tornar possível a recuperação do país. Todos sonhamos com algumas políticas sociais que só poderão existir quando formos uma nação

dita “normal”, ou seja uma nação estável, onde a despesa não seja maior que a receita ou onde a oferta seja maior que a procura. Todos sabemos e não temos dificuldade em perceber que existem medidas complicadas, quase cáusticas, que têm que ser tomadas porque não há dinheiro. Vivemos de ajuda externa...perdemos a soberania! Quando o anterior governo, do Partido Socialista decidiu, após os PAC’S falhados pedir o resgate financeiro, porque poucos dias depois não haveria dinheiro para pagar salários aos funcionários públicos, pensões, subsídios, etc., sabia também de antemão as dificuldades que se iriam deparar para o próximo governo. Mesmo assim, decidiu negociar o resgate, sendo que, nas contingências da altura, praticamente teve de se “ajoelhar” perante a Troika. Todos sabemos, que é muito difícil governar neste contexto. Todos sabemos, que as políticas adotadas pelas pessoas que o fazem neste momento, não são aquelas que à partida concordariam. Concerteza, com falhas, é normal e compreensível, porque situações destas são uma catástrofe para um país, e que todos esperam nunca mais possam existir. No entanto, dada a necessidade

Ana Isabel Sampaio , Espargo


Correio da Feira 10.FEV.2014

07


08

Correio da Feira 10.FEV.2014

Arrifana // Novo sufrágio pode coincidir com eleições do Parlamento Europeu

PSD renuncia em bloco e Delfim Silva ainda não se decidiu sobre recandidatura

Na última reunião da Assembleia de Freguesia de Arrifana, da passada quarta-feira, a equipa liderada por Delfim Silva, presidente eleito pelo PSD, renunciou em bloco ao mandato e aguardam-se, agora, novas eleições. Entretanto, e até as eleições se realizarem, o Ministério da Administração Interna nomeará uma comissão administrativa que governará os destinos da freguesia até que o Ministério Adjunto do Desenvolvimento apresente data para novo sufrágio.

Questionado sobre se voltará a candidatar-se, Delfim Silva é taxativo: “Para já é uma coisa a pensar e a conversar com todos os meus colegas. Se entrámos todos juntos e saímos todos juntos, não é agora que se vão tomar decisões individuais” – responde. O presidente, no entanto, não esconde que há vontade da Comissão Concelhia “laranja” para que se volte a candidatar, mas reforça que “está dependente da decisão da equipa”.

Nova data preocupa Delfim Silva

Em relação à data das novas eleições, o presidente eleito espera que não coincidam com as do Parlamento Europeu. “Dada a situação actual do país, fazer eleições juntamente com as do Parlamento Europeu vai provocar uma abstenção em massa. Tivemos 51 por cento de abstenção nas autárquicas e o número vai aumentar muitíssimo” – sustenta.

Em Arrifana e na União de Freguesias de Lobão, Gião, Louredo e Guizande

PS acusa PSD de querer “governar sem estorvos” A Comissão Política Concelhia do PS vem a terreiro criticar a posição dos autarcas do PSD nos casos que envolvem a freguesia de Arrifana e a União de Freguesias de Lobão, Gião, Louredo e Guizande. O PSD foi o partido mais votado, não obtendo, no entanto, maioria absoluta. “Significam estes resultados que o povo soberano, nos casos citados, deu claras e inequívocas indicações de que não queria o PSD a governar sozinho. O PSD ficou, pois, com a obrigação, incumbência e responsabilidade políticas de negociar e assegurar uma solução para os respectivos executivos. Sucede, porém, que, em ambos os casos, contrariamente a outros,o PSD não foi até agora capaz de negociar democraticamente uma solução recebendo um rotundo não de todas as formações políticas consultadas, incluindo o PS que, desde o princípio, recusou ocupar qualquer lugar exercendo o seu direito democrático de se constituir como oposição, o que é perfeitamente legítimo e compreensível” – escrevem os socialistas,

em comunicado. “Bem pode o PSD destas duas localidades esbracejar contra tudo e contra todos e armar-se em virgem ofendida. Este partido tem mostrado, ao longo de todo este processo, uma notável incompetência, à mistura com a prepotência de quem bem gostaria de governar sem estorvos” – acusa o PS, salientando que “cabe ao PSD, e exclusivamente a este partido, encontrar as soluções adequadas e possíveis para ambas as situações anómalas que ele próprio criou e que até agora não soube resolver. Para além disso, ao advogar a criação de uma comissão «Ad hoc», no caso de Arrifana, comissão, aliás, de eficácia e legitimidade muito contestáveis, e ao acenar com a pretensa dificuldade de, em caso de insucesso das negociações, eventuais novas eleições, só poderiam ser efectuadas seis meses após as primeiras, o PSD de Arrifana mostra desconhecer que nos termos da alínea d) do nº 1 do Artigo nº 3 da Lei 75/2013 de 12 de Setembro não há limite temporal para a realização de eleições

intercalares decorrentes desta situação. Porém, segundo a lei, novas eleições implicam a demissão do presidente eleito, coisa que o PSD não quer aceitar de todo, no caso de Arrifana. Afinal quer ou não resolver a situação?” O PS prossegue, referindo que “tudo isto é do conhecimento do presidente eleito da Junta de Arrifana e não pode este enganar o povo com dificuldades artificiais por si congeminadas, agarrado como está ao poder. Acresce que, em ambos os casos aqui referidos, são graves as consequências da não eleição da Junta de Freguesia, pois isso paralisa praticamente todo o trabalho das respectivas autarquias incluindo coisas tão simples como os pagamentos de salários aos funcionários”. A Comissão Política Concelhia do Partido Socialista de Santa Maria da Feira considera que as situações criadas nos dois casos aqui referidos “são gravíssimas e responsabilizam única e exclusivamente um partido: o PSD, a quem é exigida uma urgente resolução do problema”.

O diálogo da psicologia ou psicologia do leitor

As expetativas desconstruídas após o nascimento dum filho

O processo gestacional é normalmente um período onde se fazem muitas construções imagéticas e onde se promovem um conjunto de alterações significativas na vida do casal. Aprendem a pensar em conjunto no que à gravidez diz respeito, partilham um conjunto de tarefas que outrora não eram divididas, bem como, em muitas situações observamos um conjunto de cuidados por parte do elemento masculino que não eram tão visíveis ou que especialmente não eram tão amadurecidas no cuidado com o outro. Esta capacidade elástica de nos ajustarmos a uma nova condição é promotora dum crescimento afetivoemocional no casal, que servirá como fator de proteção nos receios inerentes a todo o desenvolvimento gestacional. Por conseguinte, verificamos que o casal modifica a sua ação, modifica a forma como partilha os afetos um com o outro, bem como, tem noção da alteração da comunicação que outrora fora desenvolvendo. Assiste-se, em muitos casos, à transferência comunicacional para a mulher e onde o atenção no ato de cuidar envolve significativamente todo o processo comunicacional. As ações executadas pelo casal funcionam na construção sólida e psicoemocional do casal e também numa capacidade construtiva de proteção na partilha da informação com os elementos externos a este sistema conjugal. Tudo isto faz parte da construção do casal, que vai construindo expetativas sobre o seu filho, que em muitas situações impedem um total ajustamento quando o filho nasce com alterações psicomotoras não idealizadas, nem diagnosticadas atempadamente. Quando isto acontece, todas as expetativas são desconstruídas e, tudo aquilo que tinha sido planeado terá de reconstruído no sentido duma maior aceitação da diferença

e num maior ajustamento a uma nova condição relacional entre o casal e o filho com alterações psicomotoras. Em muitas situações existe dificuldade duma readaptação a algo não idealizado como se algo tivesse sido perdido ou eliminado da construção afetivo-relacional do casal. Serão notórias dificuldades iniciais de negação e revolta perante o sucedido e posteriormente é possível a ocorrência de depressão num dos membros do casal. Quase sempre um dos elementos do casal consegue nesta fase inicial ser o suporte que mantém um funcionamento normativo desta tríade. Assim sendo, importa que sublinhemos que a negação, a revolta e a depressão são processos funcionais da alteração ocorrida, ou seja, é a forma de adaptação a algo que não foi de acordo com as expetativas delineadas e construídas pelo casal. Após este período mais difícil é notório o processo de aceitação da diferença e evidencia-se um investimento afetivo-relacional extremamente forte no sentido da partilha de afetos e emoções para com a criança e em muitas situações pode haver desinvestimento no casal. Embora nem sempre visível e percetível ao casal verifica-se, que o desinvestimento é real e deverá ser atenuado ao longo do tempo para que não se percam as construções afetivas entre o casal. Assim o casal deverá ter noção que o seu espaço deverá manter-se intacto para que não haja desconstrução da relação entre o casal. Isto acontece porque na maioria das situações o casal sofre um enorme impacto psicossocial que motiva a criação dum paradoxo de emoções na medida em que aceitam a criança na família mas não aceitam o impacto que esta provoca na mesma. Surgindo assim níveis mais elevados de stress emocional e parental, que poderão ser impedimento ao ajustamento do casal. Importa que consigamos enquanto casal assumir que as expetativas não terão que ser desconstruídas por algo que não foi pensado pelo casal, mas sim redirecionadas no sentido duma adaptação a um a alteração não idealizada atempadamente! Nuno Barata, psicólogo clínico

O Grupo de Teatro Juv-Setas, da Juventude de Sanguedo, comemorou, no último sábado, o seu 25.º aniversário. A efeméride foi assinalada com o lançamento de um livro dedicado ao trabalho do grupo.


Correio da Feira 10.FEV.2014

Sanguedo // Primeira acção é a realização de um abaixo-assinado

Criada comissão de utentes para defender manutenção do posto médico O possível encerramento do posto médico de Sanguedo levou à constituição de uma Comissão de Utentes, presidida por Filipe Ramos, membro da Assembleia de Freguesia, na qualidade de líder da Oposição, Valdemar Silva, presidente da Junta de Freguesia, e Luís Santos, presidente da Assembleia de Freguesia. A decisão de constituir uma comissão foi tomada, por unanimidade, numa reunião extraordinária da Assembleia de Freguesia. Entretanto, foram já tomadas algumas medidas, como por exemplo, a realização de uma abaixo-assinado a favor da manutenção da unidade de saúde na freguesia. A comissão reuniu, pela primeira vez, na última quintafeira, e definiu como missão única garantir a continuidade do posto médico nas actuais instalações, com as valências clínicas médicas e de enfermagem, necessárias à satisfação da população. Os seus elementos fizeram

ainda destacar o carácter independente da comissão, pelo que os três memros reforçaram a necessidade de afastar da sua actuação qualquer interesse individual ou político-partidário. Ficou ainda decidido elaborar, desde já, um abaixoassinado em defesa do posto de saúde, lembrando que “funciona em excelentes instalações físicas, cedidas gratuitamente pela Junta de Freguesia, com adequadas condições aos mais diversos níveis, como acessibilidades (idosos e pessoas com mobilidade condicio-

BE preocupado com possível fecho O BE, entretanto, diz-se preocupado com o futuro da Unidade de Cuidados de Saúde Personalizados Sanguedo (CS Santa Maria da Feira), que dá resposta a cerca de 2700 utentes. A população teme o seu encerramento e transferência dos serviços para Argoncilhe, pelo que o Bloco de Esquerda considera ser essencial clarificar estas situações e, “resolvendo a actual carência de clínicos, acabar com as especulações sobre o possível encerramento da Unidade de Cuidados de Saúde Personalizados Sanguedo”.

nada); dimensão e localização central”. A comissão de utentes salienta que “ainda recentemente o posto médico funcionava com duas médicas fixas, sendo que cada uma tinha uma lista de utentes superior ao que lhes é exigido por lei, e ainda tinham lista de espera que não conseguiam aceitar”. A juntar a isto, a comissão dá nota de que são centenas os utentes que, obrigados a sair, querem voltar para o posto médico de Sanguedo que, desta forma, estima-se que atingirá os quatro mil utentes. “As alternativas apresentadas não são uma solução para uma população com idade avançada e com poucos recursos financeiros, como é o caso da de Sanguedo” – registam ainda os membros da comissão, continuando: “não existem transportes colectivos gratuitos ou a pagar que garantam a deslocação das pessoas para fora da freguesia, principalmente os idosos”.

Arrifana // BE estranha a situação, mas directora do agrupamento defende que “não há razão para tanto alarmismo”

Sala de aula da escola EB 2,3 cedeu perante o mau tempo que se fez sentir no Concelho A escola EB 2,3 de Arrifana sofreu com o mau tempo que se fez sentir em todo o concelho de Santa Maria da Feira nas últimas semanas e uma das salas de aula foi directamente afectada, tendo mesmo chovido lá dentro. Numa nota enviada às redacções, o Bloco de Esquerda mostra-se “preocupado” e classificou a situação de “estranha” alegando que “a sala continuou a ser utilizada mesmo com

a água a cair”. A directora do agrupamento de escolas de Arrifana, Guiomar Silva, diz que “tanto alarmismo não tem razão de ser, uma vez que a caleira já foi limpa”. “A semana passada chegámos à escola e o chão da sala estava molhado” – admite, prosseguindo: “Tirámos a placa de gesso e, quando parou de chover, o funcionário foi lá acima e fez toda a limpeza necessária, resolvendo o

problema” – esclarece. Recorde-se que a escola EB 2,3 de Arrifana sofreu uma intervenção na cobertura o ano passado e, desde então, foi já substituído cerca de um quarto do telhado. “Desde que começou a ser feita a intervenção, não houve mais problemas, excepção feita a esta situação que é meramente pontual e isolada” – refere a directora do agrupamento, Guiomar Silva.

09

Santa Maria da Feira // Longa-metragem conta com a participação da actriz Catarina Gouveia

“A História de Cassandra” é o mais recente filme do jovem cineasta Simão Silva Depois de “A Revolta do Traficante”, Simão Silva, de Santa Maria da Feira, já tem outro filme pronto a estrear no auditório da biblioteca municipal. “A História de Cassandra” é a mais recente longa-metragem do jovem realizador, de apenas 16 anos, baseada numa história verídica da pequena Cassandra, uma menina de Cucujães que sofre de uma doença rara que a impede de ter uma vida normal. “O filme retrata o dia-a-dia da Cassandra, mostrando as dificuldades que tem em comer, descansar ou deslocar-se” – diz Simão Silva. “Para toda esta história tive sempre muita força de von-

tade e muito apoio de toda a gente” – prossegue. Simão Silva vai doar todos os lucros do filme à família da “protagonista” de forma a ajudar a comprar a carrinha especializada para que consigam transportar Cassandra com maior facilidade. “O meu objectivo era começar 2014 da melhor forma, ajudando quem precisa, neste caso a Cassandra. Isto tudo teve início através do pai da menina que viu um dos vídeos, e contactou-me para que pudesse falar com ele acerca de um vídeo para ela. As ideias surgiram e daí veio o filme” – conta o jovem realizador. Quanto ao futuro, Simão

mostra-se esperançado e confiante nas suas capacidades. “Acho que posso vir a mostrar a Portugal que o cinema não é sempre igual e que vamos pensar em histórias que não fiquem atrás dos filmes de Hollywood. É preciso é força de vontade e nunca deixarmos de acreditar” – aponta. Este novo filme vai contar com a participação de Catarina Gouveia, a actriz feirense que já participou em várias produções televisivas, Katy Cardoso, DJ e manequim, e os próprios pais da menina. O filme tem apresentação marcada para dia 1 de Março.

Santa Maria da Feira // Até 9 de Março

“Mais Imaginarius” abre candidaturas Até 9 de Março, o Imaginarius – Festival Internacional de Teatro de Rua volta a desafiar a comunidade artística, nacional e internacional, para apresentar projectos de intervenção no espaço público de Santa Maria da Feira. A sexta edição do Mais Imaginarius vai considerar propostas em onze áreas artísticas, divididas em duas grandes temáticas: Artes Visuais (Novos Media, Arte Digital, Instalação e Graffiti) e Artes Performativas (Teatro, Dança, Música, Circo, Performance, Intervenção e Multidisciplinar). Esta componente do festival Imaginarius tem vindo a ganhar notoriedade nos últimos anos, desafiando e abrindo o espaço a pro-

postas arrojadas de jovens artistas com vontade de intervir artisticamente em Santa Maria da Feira. Em 2014, o ‘Mais Imaginarius’ vai privilegiar os projectos que promovam o pensamento independente, o correr e assumir riscos da criação experimental e a criação de uma praxis artística informada e sustentada, bem como propostas que confrontem a cultura e a comunidade local com linguagens artísticas contemporâneas, valorizando conceitos que encontrem uma implementação específica no espaço público de Santa Maria da Feira. As candidaturas, abertas a artistas, em nome individual ou em grupo, de qualquer nacionalidade, terão de ser

submetidas on-line, em formulário próprio, disponível em www.imaginarius.pt. As propostas apresentadas até 9 de Março serão avaliadas por um Júri, constituído por elementos da organização e docentes universitários, ligados às áreas em apreciação. A lista dos projectos seleccionados será apresentada durante o mês de Março. A organização do evento vai ainda atribuir um prémio a três artistas, que consiste em proporcionar condições para a realização de uma residência, em Santa Maria da Feira, que estreará na programação oficial do Festival Imaginarius 2015. O Festival Imaginarius decorre nos dias 23 e 24 de Maio de 2014. Publicidade


10

Correio da Feira 10.FEV.2014

S. João de Ver // Cerca de 100 trabalhadores correm o risco de perder o emprego

Santa Maria da Feira // Diz BE, a propósito do Centro Hospitalar do Entre Douro e Vouga

Corticeira Juvenal Ferreira da Silva, S.A. em risco de encerramento

Escassez de enfermeiros pode colocar qualidade dos serviços em risco

Cerca de 100 trabalhadores da empresa corticeira Juvenal Ferreira da Silva, S.A., com sede em S. João de Ver, estão em risco de perderem os seus postos de trabalho. O BE, em comunicado enviado às redacções, diz que a empresa atravessa momentos complicados em termos financeiros. Apesar das tentativas do Correio da Feira, os responsáveis pela empresa não se mostraram disponíveis para prestar declarações. O BE diz ainda que “a empresa encontra-se a levar a cabo um processo especial de revitalização, tendo seis actos de insolvência”. Desta forma, os bloquistas temem pelo futuro da corticeira, classificando-o como “preocupante e apreensivo”. O desemprego de mais 100 trabalhadores poderá tornar-se

numa realidade, aumentando os problemas sociais do Concelho, como a “pobreza, a destruturação das famílias, a fome e a exclusão social”.

PCP acusa governo PSD/CDS

Preocupado com o possível encerramento da corticeira de S. João de Ver está também o PCP, lembrando que, recentemente, a empresa já havia procedido ao despedimento de colectivo 30 trabalhadores. “Apesar de ter uma considerável carteira de encomendas, moderna maquinaria e os próprios salários em dia, a verdade é que a “Juvenal Ferreira da Silva” se encontra sem matéria-prima e portanto sob a ameaça de cessar a curto prazo a laboração e mesmo de vir a

encerrar” – diz o PCP em nota de imprensa. Os comunistas não têm dúvidas em apontar responsabilidades ao actual governo pelo facto de “cada vez mais pequenas e mesmo médias empresas corticeiras sentirem as mesmas dificuldades para sobreviver”, acusando o PSD e o CDS de apoiarem unicamente os grandes grupos do sector, destacando o Grupo Amorim que, segundo a nota de imprensa, “à pala de toda uma série de benefícios fiscais e de outros processos nebulosos, concentra e controla a esmagadora maioria da produção e distribuição da cortiça, apresentando por essa via, de ano para ano, lucros obscenos à custa também da maior exploração e discriminação salarial”.

Caldas de S. Jorge // Mais de 200 pessoas em formação

Caldas 2027 vai inaugurar em breve com coworking Daniela Castro Soares daniela.soares@correiodafeira.pt

A inauguração do “Espaço Caldas 2027”, nas Caldas de S. Jorge, estava prevista para Setembro mas, devido ao mau tempo, que causou inundações e consequente atraso das obras, teve de ser adiada. “Estamos a ultimar detalhes e a preparar a sala do coworking” – adianta uma das coordenadoras do Caldas 2027, Sónia Ribeiro. Apesar de ainda não haver uma data definida para a inauguração, a responsável pelo projecto garante que está para breve e que o objectivo é inaugurar o espaço já com as candidaturas para empresas abertas e com o

coworking a funcionar. “Queremos dar oportunidade aos novos profissionais, aos recém-licenciados que estão a entrar no mercado de trabalho” – diz Sónia Ribeiro, avançando ainda que, aquando da inauguração, haverá novidades sobre os percursos pedestres em construção na freguesia. A funcionar no “Espaço Caldas 2027”, há cerca de um ano, está o centro de formação. São mais de 200 as pessoas que vêm de S. João de Ver, Feira, Milheirós de Poiares, Escariz, Canedo, Louredo, Argoncilhe, Vila Maior, Nogueira da Regedoura, à procura destes cursos. À sua escolha têm um leque vasto de áreas

como Arte Floral, Preocupações do Mundo Actual ou Cultura das Organizações, sendo que as mais procuradas têm sido Mecânica e Artes Decorativas. A formação é dada em parceria com a Junta de Freguesia e os cursos vão abrindo consoante as necessidades expressadas pelos formandos. A funcionar nas antigas instalações da Brisa, a equipa de jovens criadores do Caldas 2027 tinha como intuito usufruir de um sítio que estava abandonado há muito tempo “para dinamizar o turismo”. Este projecto visa, sobretudo, aproveitar as competências das pessoas para a aposta em iniciativas em prol da freguesia.

A “escassez de profissionais de enfermagem no Centro Hospitalar de Entre o Douro e Vouga e o excesso de horas de trabalho a que são obrigados, coloca em risco a qualidade e segurança dos cuidados prestados”. A denúncia é feita, segundo o Bloco de Esquerda, pela Ordem dos Enfermeiros, durante uma visita à unidade de Santa Maria da Feira. De acordo com o BE, a Ordem dos Enfermeiros salienta que esta situação decorre de um “recurso sistemático a horas extraordinárias (…) utilizado para colmatar as necessidades dos serviços em cuidados de enfermagem”, afirmando que “a exaustão das equipas de enfermagem é notória”. A OE teme que “este estado de exaustão terá a curto prazo reflexos na qualidade e segurança dos cuidados de enfermagem prestados”. A denúncia decorreu de uma visita do bastonário da OE à unidade de Santa Maria da Feira daquele

Centro Hospitalar, onde terá sido informado que têm sido “gastos mensalmente oito mil horas de trabalho extraordinário com enfermeiros”. “Para além do número exagerado de horas extraordinárias, existirá ainda um elevado número de horas em débito a estes profissionais” – escreve o BE, em comunicado. “Segundo a OE, o Conselho de Administração “já solicitou a contratação de enfermeiros para responder às necessidades identificadas, estando o processo neste momento dependente de autorização da tutela”. Assim, “são 48 os profissionais de enfermagem em falta. Aliás, terão considerado os responsáveis hospitalares que as necessidades permanentes não devem ser colmatadas com trabalho extraordinário. É indicado ainda que o motivo para o atraso se prende com o facto do Ministério das Finanças não ter desbloqueado a contratação destes profissionais”.

Espargo // Na quarta-feira

Orçamento do Estado para 2014 e novos desafios fiscais analisados em seminário O Município de Santa Maria da Feira vai promover, na próxima quarta-feira, pelas 14h00, o seminário “Orçamento do Estado para 2014, seu Enquadramento e Reflexos nas Empresas” nas instalações do Feirapark - Parque de Ciência e Tecnologia de Santa Maria da Feira, instalado em Espargo. As inscrições – gratuitas, mas obrigatórias (ficha de inscrição disponível em www.cm-feira. pt) – devem ser efectuadas até amanhã, terça-feira. O seminário contará com a participação de várias personalidades ligadas às áreas da política, economia e gestão empresarial que, nas suas apresentações, vão dar a conhecer o Orçamento Geral do Estado para 2014, bem como fazer uma análise detalhada sobre o pacote orçamental anunciado pelo Governo, de forma a sensibilizar e esclarecer sobre as matérias introduzidas no mesmo, em especial as que dizem respeito à gestão económico-financeira das empresas. Dirigido a agentes económicos e público em geral, o debate, cujo início está agendado para as 14h00, começa com os depoimentos de Branca Macedo, gestora do Feirapark, e de Helena Portela, vereadora do pelouro das finanças do Município de Santa Maria da Feira, que vão

discursar sobre o tema “O Orçamento do Estado para 2014 como ferramenta de gestão”. A temática “Enquadramento e Reflexos do Orçamento do Estado na Econom ia e nas Empresas” é, logo depois, apresentada por Pedro Capucho, da Confederação Empresarial de Portugal. Membros da Direcção de Finanças de Aveiro vão dissertar sobre os impostos nas suas múltiplas actuações. Gisélia Maria Sá Monteiro vai pronunciar-se sobre o IRC - Imposto Sobre o Rendimento das Pessoas Colectivas, Luís Miguel Sucena Neves sobre o IVA - Imposto Sobre o Valor Acrescentado e Alfredo Manuel Silva Abrantes sobre o IRS - Imposto Sobre o Rendimento das Pessoas Singulares. Emídio Sousa, presidente da Câmara Municipal de Santa Maria da Feira, vai encerrar o seminário “Orçamento do Estado para 2014, seu Enquadramento e Reflexos nas Empresas”, dinamizado pelo GDEE - Gabinete Desenvolvimento Económico Empresarial da autarquia feirense. Para mais informações, os interessados devem contactar o GDEE, através do endereço eletrónico gdee@cm-feira.pt ou telefone 256 37 08 91.


Correio da Feira 10.FEV.2014

11

Feira // Flávio Couto foi o melhor aluno do Concelho

Melhores alunos premiados numa cerimónia repleta de discursos evocativos da importância do trabalho e do mérito Daniela Castro Soares daniela.soares@correiodafeira.pt

“É preciso estudar muito e ter força de vontade” – diz a jovem Sofia Peixoto, de Fiães, que não estava “nada à espera” desta distinção. “Fiquei muito feliz e os meus pais também – afirma, prometendo que vai continuar a estudar afincadamente para voltar a ganhar. Também Mariana Silva, de Milheirós de Poiares, ficou “admirada” com o prémio. “Saber que somos reconhecidos pelo nosso esforço e trabalho é gratificante” – salienta a jovem, que “estuda diariamente”. “Muitas vezes é preciso abdicar daquilo que mais gostamos, como ir passear com os amigos ou estar nas redes sociais, para nos dedicarmos ao estudo” – refere a aluna, acrescentando que “se aproveitarmos tudo o que nos é dado e tivermos boas notas, depois temos um caminho mais facilitado no futuro”. No passado sábado, os melhores alunos das EB 2,3, Secundárias, Ensino Superior (premiado pela primeira vez) e Profissional do Concelho foram distinguidos com o “Prémio Rotary”, numa cerimónia que teve lugar na biblioteca municipal, em Santa Maria da Feira. Esta iniciativa, organizada pelo Rotary Clube da Feira em parceria com a Câmara Municipal, visa reconhecer publicamente o mérito, empenho e dedicação dos alunos que obtiveram, durante o ano lectivo 2013/2014, a melhor classificação. “Queremos promover o que é bem feito, reconhecendo o mérito e elevando todo o nível geral do ensino. Reconhecemos os alunos, mas também os professores e a família” – diz o responsável pela organização do evento, Filipe Sousa. Esta iniciativa, que se realiza há mais de uma década, atribui aos alunos um troféu e um diploma. “O troféu volta a ser entregue este ano depois de um interregno devido à morte do seu escultor” – adianta Filipe Sousa. O melhor aluno do 12.º ano do Concelho obtém ainda um prémio monetário no valor de 250 euros.

Auditório da biblioteca encheu Pouco passava das 17h00 e o auditório da biblioteca já estava cheio. Foi o presidente da Câmara que iniciou os discursos. “A aposta na educação é estratégica porque os alunos são o futuro do Concelho. Ser distinguido por mérito significa muito trabalho.

Mantenham esse ritmo, continuem a ser os melhores, espero que sejam admirados e que seja seguido o vosso exemplo” – disse Emídio Sousa, lançando um “desafio” aos directores dos agrupamentos para embarcarem numa viagem a Manchester, Inglaterra, para “verem o que de melhor se faz no mundo ao nível do ensino profissional”. O próximo a falar foi o presidente do Rotary Clube da Feira. “Este é o reconhecimento do brilhante trabalho desenvolvido pelas escolas em que pretendemos incentivar a qualidade do ensino. Nesta época de depressão económica, e até de valores, é necessário um redobrado empenho da comunidade escolar” – afirmou Henrique Sousa, lembrando que o Rotary comemora 30 anos “a prestar serviços humanitários”. O presidente da Associação de Pais da Feira, Luís Barbosa, também tomou o palanque. “Para obtenção de resultados de excelência é necessário esforço, gosto, motivação, alento e muito acompanhamento. Com o apoio dos pais, os alunos venceram esta etapa” – afirmou. Já o presidente do conselho de administração da Fundação Rotary Portugal estava mais “saudosista”. “É com muita honra e nostalgia que participo nestes eventos. Há cerca de 50 anos era eu que estava sentado nesses lugares. Também fui um dos premiados, com orgulho” – recordou. Diamantino Gomes sublinhou que “distinguir o mérito estimula futuros profissionais” e

falou sobre o trabalho do Rotary “para beneficiar a comunidade local”, não esquecendo a “coroa de glória” da associação. “A nossa missão é erradicar a poliomielite (paralisia infantil) através da vacinação. Já conseguimos vacinar mais de cinco biliões de crianças” – adiantou. Também presente na cerimónia, esteve o secretário de Estado da Educação, João Granjo. “Esta é uma iniciativa muito importante pois reconhece o caminho que os alunos decidiram impor a si próprios, numa atitude de rigor, esforço e excelência para ter sucesso” – disse. João Granjo referiu as melhorias a fazer no sistema educativo português, a nível de oferta formativa e

qualificação dos professores, apelando a uma maior aposta no ensino profissional. “Queremos que o percurso dos jovens faça sentido para eles e para o país” – concluiu.

Alunos premiados Terminados os discursos, os alunos foram subindo ao palco para receberem os prémios, em conjunto com os directores dos agrupamentos e alguns professores. Os premiados foram: Beatriz Henriques (9.º ano, Argoncilhe); Mariana Silva (9.º ano, Arrifana); Eduarda Pinto (9.º ano, Canedo); Jorge Azevedo (9.º ano, Lobão); Marta Lima (9.º ano, Paços de Brandão); Maria Oliveira (9.º ano, Agrupamento

de Escolas António Alves Amorim); Carolina Morgado (9.º ano, Escola Dr. Ferreira de Almeida); Sofia Pais (9.º ano), Ana da Luz (12.º ano) e Tânia Oliveira (12.º ano - profissional) do Agrupamento de Escolas da Feira; Sofia Peixoto (9.º ano), Cátia Oliveira (12.º ano) e Samuel Fernandes (12.º ano - profissional) do Agrupamento de Escolas Coelho e Castro; João Carvalho (9.º ano) e Ana do Novo (12.º ano) do Colégio Terras de Santa Maria; Daniel Rocha (12.º ano, Escola Profissional de Paços de Brandão); Vera Alves (Ispab); Vera Miranda (Isvouga); Carolina Moreira (9.º ano), Daniela Alves (Ensino Profissional) e Flávio Couto (12.º ano) do Colégio de Lamas. O melhor aluno do Concelho foi Flávio Couto que obteve 194 pontos. “O Flávio é nosso aluno desde o 5.º ano e todos os anos o seu nome constou no quadro de honra. É um aluno brilhante a quem destaco a resiliência, a determinação e o perfeccionismo. É um jovem muito bem formado, sensível às dificuldades dos colegas, com uma maturidade acima da média. Desejo-lhe o maior sucesso, que sei que vai ter, no curso que ingressou de Engenharia Informática da Universidade do Porto” – elogiou a directora pedagógica do Colégio de Lamas, Filipa Vieira. Flávio Couto, visivelmente emocionado, foi breve na sua intervenção, agradecendo à Câmara Municipal e ao Rotary pelo prémio, aos pais, “que sempre o apoiaram”, e aos professores, “que sempre se esforçaram para que desse o seu melhor”. “Sem eles não era possível” – rematou. A cerimónia terminou com a habitual foto de grupo e um Porto de Honra para os presentes. “Estou convencido que este prémio é um incentivo para os alunos. O ar feliz, deles e das famílias, a maneira como se agarram ao prémio, penso que é significativo” – afirma Filipe Sousa, acrescentando que “ao longo do tempo já aconteceu alunos receberem o prémio no 9.º e voltarem a receber no 12.º ano”. “Gostaria de contactar os primeiros vencedores, que já estarão na vida profissional, para perceber se o prémio foi importante para eles” – revela, garantindo que a cerimónia “será certamente para continuar, nestes ou noutros moldes”. “O essencial é reconhecer o mérito e promover as boas práticas” – sublinha.


12

Correio da Feira 10.FEV.2014

Fiães // Viver 100 Fronteiras actua nas áreas da educação, saúde e apoio social

“O que para nós não é nada, na Guiné é tudo” A Viver 100 Fronteiras é a única organização não-governamental do Concelho, com sede em Fiães, que direcciona o seu trabalho humanitário para a Guiné-Bissau. A sua presidente, Natália Oliveira, já conseguiu, desde que fundou a organização há cinco anos, enviar para o país 27 contentores carregados de materiais. O trabalho, no entanto, não pára e os pedidos para diferentes projectos continuam a surgir.

Daniela Castro Soares daniela.soares@correiodafeira. pt

Natália Oliveira sempre teve o bichinho das missões humanitárias dentro de si, mas o trabalho e os filhos pequenos impediamna de concretizar esta paixão. Em 2008, surge uma oportunidade que não consegue recusar. “Tudo começou com um convite para um projecto de apadrinhamento de crianças na GuinéBissau. Aceitei imediatamente e parti, com mais duas voluntárias, para o interior do país” – conta Natália Oliveira. Assim que esse projecto acabou, a voluntária regressou a Portugal determinada a fundar uma associação. Surge então a Viver 100 Fronteiras, sediada em Fiães, onde Natália Oliveira reside. “Escolhi este nome porque estou preparada para viver em qualquer parte do mundo” – afirma. A associação foi crescendo e rapidamente se tornou na única organização não-governamental (ONG) do Concelho. “Foi uma associação que atingiu o estatuto de ONG, através do Ministério dos Negócios Estrangeiros, dada a grandiosidade do trabalho que realiza” – refere Natália

Oliveira. Ainda hoje a presidente da Viver 100 Fronteiras não acredita que deixou tudo para trás para fazer este trabalho. “Foi um desafio porque, apesar de sempre ter sonhado com isto, nunca pensei que deixaria uma vida profissional pelo trabalho de missão que, neste momento, é a minha vida profissional a 100 por cento” – salienta. Dado que o convite inicial tinha sido para a GuinéBissau, Natália Oliveira acabou por concentrar lá os seus esforços. Mas outras razões também pesaram. “Acedemos a este país por diversos motivos: por Portugal ter lá raízes; por a Guiné ser um país que está a apenas quatro horas de distância de avião; por podermos fazer a ligação Portugal-Guiné por estrada, que é uma experiência única e que já me pediram para relatar em livro. Mas, acima de tudo, pelas relações que existem entre Portugal e a Guiné e porque seria uma inconsciência termos iniciados lá os projectos e agora deixarmo-los morrer” – afirma Natália Oliveira, admitindo, contudo, que os pedidos não param de chegar. “Querem que vá para S. Tomé e Príncipe,

Senegal, Moçambique, mas neste momento, até que a Viver 100 Fronteiras possa, os nossos projectos na Guiné vão continuar vivos” - declara.

Educação, saúde e apoio social Na Guiné-Bissau, a Viver 100 Fronteiras actua nas áreas da educação, saúde e desenvolvimento e apoio social. Nas escolas, dá apoio de material e formação. “Preocupamo-nos que a escola comece, todos os anos, com o mínimo de materiais para as crianças” – diz Natália Oliveira. Mas a maior parte do trabalho da ONG concentra-se nos centros de saúde do país africano. Graças ao apoio dos hospitais portugueses, a organização já conseguiu grandes doações, que fizeram toda a diferença na Guiné, como o recheio de hospitais que fecharam, nomeadamente o Hospital Pediátrico de Coimbra e o Hospital Maria Pia. “Foi uma missão de destaque na Guiné porque o país nunca tinha recebido uma doação de tanto material hospitalar [do Hospital Pediátrico de Coimbra]. Nunca mais me esqueço que levamos 660 camas de pediatria. Hoje as lágrimas ainda me caem quando chego a determinados hospitais e vejo que a pediatria está toda montada com o nosso material” – salienta. De momento, Natália Oliveira está concentrada, sobretudo, na cidade de Geba. “Estamos a trabalhar, há cerca de nove meses, num projecto que se chama “Humanos em Geba”. Geba fica no fim da Guiné, é de difícil acesso e está completamente destruída desde o tempo colonial. Nunca ninguém tentou reconstruí-la, tirando nós, que fomos a primeira ONG a chegar lá” – afirma Natália Oliveira, que tem como prioridades reconstruir a escola e centro de saúde da cidade. “Conseguimos, através de um espectáculo solidário que fizemos no Fórum da Maia, em Outubro, com músicos guineenses, angariar algum dinheiro. Vamos reconstruir a escola, que está activa mas precisa de obras profundas, e o centro de saúde, que vai ser a nossa dor de cabeça, porque está completamente desfeito a nível do telhado” – conta a presidente da Viver 100 Fronteiras, que pretende também iniciar a escolaridade nocturna para adultos. “É um

esforço redobrado que vamos fazer, porque temos de assumir o pagamento de um professor para essas aulas, que é 1,5 euros por dia” – refere. Mas os projectos não param de surgir. Em Dezembro, pelo Natal, Natália Oliveira reuniu cabazes solidários. “Passei noites a fazer sacos de prendas para podermos realizar as festas de Natal nos hospitais do país. Fizemos uma festa, no palácio presidencial, para 80 mães deficientes e 226 crianças, filhos dessas mães, que foi um marco histórico da Viver 100 Fronteiras. No final, a primeiradama da Guiné agradeceu-me porque, se não fosse essa doação, ela nada podia fazer, dada a conjuntura de carência do país” – afirma Natália Oliveira. Os miúdos receberam material escolar, roupas, brinquedos e algumas guloseimas; e as mães um cabaz de mimos com roupas, toalhas, maquilhagem, acessórios e doces. A pedido da primeira-dama, a presidente da Viver 100 Fronteiras ajudou também um centro de cegos, onde deixou alguns materiais e organizou uma farmácia de primeiros socorros, “porque os miúdos nem sequer betadine tinham”. “Estamos agora a angariar material de Braille e óculos para levar para lá” – acrescenta Natália Oliveira. A voluntária assumiu ainda, nesta última viagem à Guiné, um projecto que luta contra o tráfico de crianças, apoiando a aldeia SOS Talibe, um centro que acolhe aquelas que são resgatadas das redes de tráfico pelas ONG. “É difícil, mas eu também não me sacio com coisas simples, gosto de desafios” – diz Natália Oliveira.

ONG arca com grande parte dos custos Entre particulares e empresas, a Viver 100 Fronteiras conta com mais de 1000 parceiros pelo país, sendo que apenas uma mão cheia deles é de Santa Maria da Feira. “Muitos prefe-

“Estou preparada para viver em qualquer parte do mundo”


Correio da Feira 10.FEV.2014

rem o anonimato” – refere. Os parceiros ajudam-na a angariar o material que precisa, mas grande parte dos custos fica a cargo da ONG, sem qualquer

apoio. “As viagens, a estadia, a alimentação, a deslocação na Guiné, são ao cargo da Viver 100 Fronteiras” – diz Natália Oliveira. Sendo uma organização sem fins lucrativos, a presidente já teve de investir muito do próprio bolso. “Às vezes ponho-me a fazer as contas do quanto já consegui angariar, em cinco anos, para ter na Guiné 27 contentores de ajuda humanitária, avaliados em 38 milhões de euros. Toda essa logística obrigou a muito dinheiro gasto no seio da minha família” – admite Natália Oliveira, acrescentando que mesmos os voluntários da organização não recebem nada pelo seu contributo. “Quem vem trabalhar connosco não tem qualquer vencimento ou ajuda” – diz. Mas as críticas de Natália Oli-

“Foi uma associação que atingiu o estatuto de ONG dada a grandiosidade do trabalho que realiza” veira vão sobretudo para o concelho da Feira, nomeadamente para a Câmara Municipal. “Entristece-me que santos da casa não façam milagres. Por várias vezes, tentei que a Câmara da Feira me ajudasse, no envio do que pudessem: carros de mão, vassouras, enxadas. Ainda mais porque Catió, onde também trabalhamos, é germinado com Santa Maria da Feira. Mas não posso dizer que a Câmara foi minha parceira e por isso fica aqui a minha mágoa” – revela Natália Oliveira, que não vai fazer mais pedidos. “Todos os que já fiz foram suficientes, inclusive o da campanha das lonas das autárquicas, que teria sido um bom princípio a Câmara ter partilhado” – lembra Natália Oliveira, referindo-se à iniciativa que a ONG lançou, aquando das eleições autárquicas, em que pedia aos candidatos políticos que, no final, cedessem as suas lonas para serem enviadas para a Guiné e transformadas em sacos, coberturas, mochilas ou tendas. “Conseguimos oito candidatos pelo país, que nos cederam perto de cinco toneladas de lonas, que vamos levar agora para a Guiné, no fim de Fevereiro. Mas, na Feira, não

“Muita gente devia sentir o que é África para dar valor ao que tem”

houve nenhuma lona, nem nenhum contacto, de forma a fazer chegar essa ajuda que seria preciosa” – lamenta. Natália Oliveira sublinha que qualquer material é valioso naquele país africano. “O que para nós não é nada, na Guiné é tudo. Um garfo com um dente torto, um pente que partiu alguns dentes, uma caixa de cartão… Desde que as coisas nos sejam doadas higienicamente, com carinho, nós aceitamos” – afirma a presidente da Viver 100 Fronteiras, salientando, contudo, o enorme trabalho envolvido para fazer chegar estes materiais ao seu destino. “Não ter horas para comer, ter de pegar em uma, duas carrinhas e ir buscar material, ter de carregar contentores ao fim-de-semana, é uma logística que sai da família” – conta. Natália Oliveira ainda se lembra da “dura missão” de levantar todo o material do Hospital Pediátrico de Coimbra. “Foram cinco contentores dos grandes, de 40 pés. Os meus braços e pernas estavam pretos de tantas nódoas por causa dos ferros” – recorda, acrescentando que este é um trabalho em que está operacional a 100 por cento. “Nunca mando nenhum contentor para a Guiné sem a minha supervisão, o que faz com que os contentores não sejam desviados nem roubados. Carrego em Portugal, acompanho a sua chegada à Guiné e abro-os lá em armazém fechado” – garante.

Um trabalho de enriquecimento pessoal “Um trabalho de missão não é para qualquer pessoa. Obriga-nos a uma gestão de vida completamente diferente da que estamos habituados” – diz Natália Oliveira, que hoje faz a sua vida entre Portugal e a Guiné. “Aprendemos a viver com uma gota, comparado com o que temos em Portugal. Temos de saber estar meses inteiros sem luz, dias sem água, saber gerir um dia com apenas quatro euros. Por ter adquirido essa capacidade de adaptação a uma África, a um meio de sobrevivência diferente, considero-me hoje enriquecida” – afirma Natália Oliveira, que já não consegue viver sem o voluntariado. “Se deixasse o meu trabalho de missão, não me sentiria realizada como ser humano. Muitas vezes penso “não tens necessidade disto, de te sujeitar a doenças, ninguém te agradece o que andas a fazer e se precisares de um prato de arroz, ninguém to dá”. É verdade, mas, mesmo assim, tenho de continuar a fazer isto” – salienta. No entanto, ao fim de cinco anos na Guiné, Natália Oliveira foi finalmente agraciada, no mês passado, com uma distinção. “Fui condecorada com um diploma de mérito pela primeira-

dama. Foi a primeira pessoa que reconheceu o meu trabalho” – realça, adiantando que a Viver 100 Fronteiras é a única ONG a fazer um trabalho contínuo na Guiné-Bissau. “Sou das únicas mulheres que conhece a Guiné de uma ponta a outra, tanto por terra como por ar, porque cheguei a alugar avionetas para fazer o reconhecimento do país” – conta Natália Oliveira, que quis

13

mostrar este país africano, que lhe diz muito, à família. “O que nos faz superar a saudade é levarmos a nossa família ao destino onde estamos, e eu consegui fazê-lo. Já foi a minha mãe, o meu irmão, e recentemente o meu filho mais novo esteve em missão comigo. Foi fantástico” – revela, acrescentando: “Muita gente devia sentir o que é África para dar valor ao que tem”.


14

Correio da Feira 10.FEV.2014

Espargo // Empresa presta serviços a mais de quatro mil pessoas por ano

Zona Verde soma prémios e marca presença no Concelho A Zona Verde oferece serviços de formação e consultoria a empresas e particulares. A receber prémios desde que iniciou a actividade, foi recentemente distinguida como uma das 100 melhores empresas para trabalhar, tendo arrecadado o 21.º lugar. O segredo está na antiguidade dos colaboradores e no seu envolvimento em todas as acções da empresa. Daniela Castro Soares daniela.soares@correiodafeira.pt

Criada em 1996, a Zona Verde sempre teve como missão prestar serviços de formação e consultoria a empresas e particulares. Inicialmente focou-se sobretudo no sector primário e nas agroindústrias. “É daí que vem o nome” – diz o director geral, Jorge Pereira. No entanto, a partir de 2005, abriram horizontes. “Diversificamos e, actualmente, trabalhamos com várias empresas da região: metalomecânica, serviços, empresas públicas, IPSS. E também já fizemos trabalhos para câmaras municipais” – enumera Jorge Pereira. As áreas à disposição dos clientes são muito vastas, sendo que a empresa procura sempre “identificar as necessidades do mercado”. Sediada na Zona Industrial do Roligo, em Espargo, a Zona Verde beneficia da sua “boa localização”. “Passamos 10 anos no centro da Feira, mas depois não tínhamos condições para crescer. Achamos que esta era uma zona interessante, pelas acessibilidades, já que temos clientes desde Viana do Castelo ao Algarve. É fácil explicar a qualquer pessoa, de qualquer parte do país, como se chega aqui” – afirma o director geral da Zona Verde. O público-alvo da empresa são pessoas “com algum grau de qualificação ou com competências profissionais e que exerçam uma actividade”. A Zona Verde presta serviços, por ano, a mais de quatro mil particulares e 800 empresas, contando sempre com cerca de 50 clientes regulares que “todos os anos compram um pacote de consultoria ou formação”. Para atrair clientes, apostam na comunicação do seu trabalho, nomeadamente através do site, de newsletters e das redes sociais. “Temos um grande número de fãs da região nas redes sociais” – revela o responsável pela empresa, acrescentando que fazem ainda, todas as semanas, um webinar (webconferência) gratuito com a intenção de abordar “os cursos que estão a promover ou temas da actualidade”. Recentemente a empresa incluiu na sua oferta as opções de E-learning (ensino electrónico) e B-learning (ensino electrónico e presencial), que permitem à Zona Verde

“diversificar-se geograficamente”. “Temos pessoas de várias zonas do país, e até de fora, a frequentar formação em Elearning” – afirma Jorge Pereira, que acredita que a empresa já marcou presença no Concelho. “Grande parte das pessoas licenciadas, aqui do Concelho, deve conhecer a Zona Verde. Acho que a mensagem e o trabalho da empresa vão passando” – sublinha.

Formação financiada Mais procurados, por particulares, são o curso de formação pedagógica de formadores (que confere o Certificado de Aptidão Pedagógica – CAP) e o curso técnico superior de higiene e segurança. “São cursos muito fortes, de referência” – afirma Jorge Pereira. As empresas tendem a procurar formação consoante a sua necessidade, mas há cursos que são obrigatórios por lei, como o de higiene e segurança. “Mesmo que não tenham isso no diagnóstico de necessidades, é-lhes imposto” – adianta o director geral, acrescentando que o mesmo se passa com empregos que precisam de formação específica como, por exemplo, quem conduz empilhadoras. “Se apresentarmos esses cursos, as pessoas reconhecem neles uma necessidade e procuramnos” - refere. Mas nem todos os cursos são pagos. Há aqueles que são oferecidos ao abrigo de sistemas de incentivo, como o QREN (Quadro de Referência Estratégica Nacional) ou o POPH (Programa Operacional Potencial Humano). “Em momentos em que existem programas disponíveis, temos formação financiada, que tentamos dirigir a um público específico: os licenciados desempregados. Muitos aproveitam estas oportunidades para reforçarem as suas competências” – salienta Jorge Pereira. As áreas são diversas, incluindo cursos de segurança alimentar, ambiente, auditorias aos sistemas de qualidade, área comercial, vendas e negociação. Mas o director geral destaca os cursos de línguas, que têm “uma procura e oferta interessante”, com opções como o inglês, o alemão, o francês, o espanhol e até o mandarim. “No ano passado estabelecemos também uma parceria com uma entidade que nos permite

dar agora resposta aos activos empregados. Tínhamos pouca oferta formativa gratuita para quem tiver formação superior e estiver a trabalhar e, com esse programa, demos três mil horas de formação a muitas empresas e colaboradores” – adianta a gestora de recursos humanos da Zona Verde, Susana Brandão.

Uma das 100 melhores empresas para trabalhar Desde que iniciou a sua actividade, a Zona Verde tem somado prémios. Em 2000, 2001, 2002 e 2004, recebeu o “Prémio Empresa de Sucesso” e os seus dois gestores de topo foram agraciados com o “Prémio Jovem Empresário de Sucesso”. Por oito anos seguidos (2006-2013) foi distinguida como empresa “Cliente Aplauso”, pela Escola de Gestão do Porto e Millennium BCP. Em 2008, 2010 e 2011, conseguiu o título “PME Líder”, dado pelo IAPMEI - Agência para a Competitividade e Inovação. Mas não só as entidades externas elogiam o bom desempenho da empresa. Em 2011 e 2012, a Zona Verde já tinha sido classificada, pela Heidrick & Struggles, em parceria com o Diário Económico e ISCTE Business School, “como uma das dez melhores pequenas empresas nacionais onde os colaboradores mais gostam de trabalhar”, arrecadando o 7.º e o 4.º lugar, respectivamente. Este ano voltou a conseguir essa proeza. A Revista Exame e a Accenture distinguiram-na como uma das melhores empresas para trabalhar em Portugal, dando-lhe o 21.º lugar numa escala de 100 empresas. “Ficamos contentes, é bom saber que aquilo que fazemos é reconhecido internamente pelos colaboradores” – afirma Jorge Pereira. Alguns dos pontos mais valorizados pelos funcionários foram “o ambiente de trabalho e a facilidade de comunicação”. “Em todos os aspectos ficamos muito acima da média, mas esses foram os mais fortes” – diz o director geral. O segredo, garante, está no “nível de antiguidade das pessoas”. “A actividade média anda à volta dos oito anos, o que é distintivo da nossa empresa em relação a muitas outras. As pessoas que

estão cá são bons profissionais, geram um bom clima, e é uma cultura que vai passando de ano para ano” – afirma o responsável da empresa. Mas há mais. “O envolvimento das pessoas em momentos de trabalho e de lazer resulta na motivação da nossa equipa” – salienta Susana Brandão. “As pessoas contribuem activamente, dão sugestões de melhorias, e nós levamos isso a sério. Essa participação faz com que sintam que são parte de tudo” – acrescenta Jorge Pereira. São 21 colaboradores a trabalhar a tempo inteiro, mas

a equipa da Zona Verde é maior, se contarmos os colaboradores externos (entre 100 a 150) que são contratados pontualmente. Apesar do bom trabalho que estão a fazer, ainda falta dar mais um passo: a internacionalização. “Para que a sustentabilidade seja uma realidade, temos de internacionalizar. É o que faz falta, até porque este mercado é muito pequeno. A internacionalização é uma situação interessante em termos de crescimento” – diz Jorge Pereira, adiantando que mais um prémio para a empresa pode estar a caminho.


Correio da Feira 10.FEV.2014

15

Académico da Feira é campeão regional

Paulo Neto é campeão nacional de heptatlo

Feirense começa segunda fase a golear

Gião fica-se pelas meias na “final-four”

“Fogaceiros” batem Rio de Moinhos por 7-3

Os juniores do Feirense bateram o Angrense por 5-0 com Vasco a ser responsável por um “hat-trick”.

O Gião foi eliminado nas meiasfinais da “final-four” da taça distrital feminina às mãos do Ossela.

O Feirense despachou o Rio de Moinhos por 7-3 com uma exibição de grande nível de Russo.

Os juniores do Ac. da Feira são campeões regionais depois de já terem ganho o torneio de abertura.

O jovem atleta da ACRD de Escapães sagrou-se campeão nacional de heptatlo em juniores.

Futebol

Futsal

Futsal

Hóquei Patins

Atletismo

pág. 16

pág. 17

2.ª Liga // “Fogaceiros” foram muito perdulários

Feirense empata no reduto do Sp. Covilhã O Feirense voltou a pontuar fora de portas, desta feita no terreno do Sp. Covilhã, orientado pelo bem conhecido dos azuis, Francisco Chaló. Começaram melhor os comandados de Pedro Miguel, criando três boas oportunidades no primeiro quarto de hora, enviando, inclusive, uma bola à barra por Tonel na sequência de um pontapé de canto. Os “fogaceiros” controlaram por completo todo o primeiro tempo, impedindo os da casa de chegar com perigo junto da baliza de Márcio Paiva. Na segunda parte o Covilhã equilibrou a partida e até acabou por chegar primeiro ao golo, com Kizito a aproveitar uma falha defensiva do Feirense para inaugurar o marcador, resultado que não Complexo Desportivo da Covilhã

vs 1

1

Árbitro: Luís Ferreira Sp. Covilhã: Haghighi, Massaia, Rocha, Forbes, Inters, Alex, Edgar, T. Martins (Adriano, 89), Gilberto, Kizito (Bata, 80), Janicio (Carlos Manuel, 70) T: Francisco Chaló Feirense: Paiva, Ícaro, Sténio (Tiago Jogo, 61), Tonel, Diogo, Cris, Jorge Gonçalves, Fábio (Carvalho, 89), Barge, Valente (Valdinho, 79), Porcellis T: Pedro Miguel

Amarelos: Edgar (62), Diogo (68 e 86), Paiva (90+1) Vermelho: Diogo (86) Golos: Kizito (56) e Jorge Gonçalves (63)

pág. 18

pág. 19

Jogo da Jornada // Lamacenses com muitas queixas à arbitragem no final

Mosteirô vence dérbi intenso frente ao União de Lamas

espelhava o que tinha sido o jogo até então. Reagiu bem a turma azul e pouco depois, numa grande penalidade por mão na bola, o capitão Jorge Gonçalves não vacilou e restabeleceu a igualdade. Até final foram desperdiçadas boas ocasiões por ambas as equipas, sendo que o lateral esquerdo Diogo acabou expulso aos 86 minutos com segundo amarelo.

Parque de Jogos de São Miguel (Souto)

Moreirense 1 1 Benfica B Académico Viseu 1 0 União da Madeira Classificação J V E D F - C P Penafiel 29 13 12 4 29 - 16 51 F. C. Porto B 29 15 6 8 35 - 25 51 Moreirense 29 13 12 4 44 - 20 51 Benfica B 29 15 4 10 43 - 35 49 Portimonense 29 13 9 7 58 - 38 48 Desp. Aves 28 14 4 10 41 - 35 46 Sporting B 28 13 6 9 26 - 22 45 Tondela 28 12 7 9 32 - 27 43 Sp. Covilhã 29 12 6 11 30 - 31 42 União Madeira 29 11 6 12 29 - 24 39 Farense 29 11 5 13 39 - 33 38 Chaves 28 10 8 10 30 - 27 38 Acad. Viseu 29 10 7 12 32 - 34 37 Marítimo B 28 10 7 11 32 - 42 37 Leixões 29 10 6 13 22 - 30 36 Sp. Braga B 29 10 6 13 32 - 36 36 Feirense 29 7 14 8 28 - 32 35 Beira-Mar 28 10 5 13 32 - 40 35 Santa Clara 29 8 6 15 25 - 34 30 Oliveirense 29 7 8 14 40 - 55 29 Trofense 29 5 11 13 23 - 46 26 Atlético CP 29 5 9 15 20 - 40 24 Próxima Jornada - 15 e 16 de Fevereiro Penafiel - Portimonense Beira-Mar - Santa Clara F. C. Porto B - Leixões Feirense - Académico de Viseu, 15h Sporting B - Tondela Benfica B - Sp. Braga B - 15/02 Trofense - Desportivo das Aves Atlético CP - Moreirense Chaves - União da Madeira Farense - Marítimo B Oliveirense - Sp. Covilhã

C.

F. U. L.

vs 1

0

Árbitro: Nuno Cardoso Mosteirô FC: Diogo, Machadinho, Leitinho, Fábio Ferreira, Brandão, Guima, Marcelo, Pedro Barros (Xavi, 77), Neca, Rama (Diogo Santos, 74), Alemão T: José Julião

LIGA 2 CABOVISÃO

Resultados - 29.ª Jornada Penafiel 0 0 Atlético CP Tondela 12-Fev Chaves Sp. Braga B 10-Fev Farense Marítimo B 2 3 Oliveirense Sp. Covilhã 1 1 Feirense Portimonense 2 0 Trofense Santa Clara 1 1 F. C. Porto B Desportivo Aves 10-Fev Sporting B Leixões 0 1 Beira-Mar

pág. 20

Mosteirô e União de Lamas proporcionaram um dérbi à moda antiga no parque de jogos de São Miguel, em Souto, com vantagem para a equipa de José Julião. Apontado como favorito, o líder União de Lamas entrou na partida a tentar jogar o seu futebol, de pé para pé, com um estilo de jogo apoiado. No entanto, o Mosteirô não facilitou a tarefa aos visitantes e pertenceu à turma da casa a melhor ocasião no primeiro tempo, com Neca a surgir na cara do guardião Muller, mas na tentativa de fazer a finta deixou a bola escapar pela linha de fundo. Desse lance ficaram muitos protestos da equipa lamacense,

pedindo fora de jogo. Até ao intervalo assistiu-se a uma partida muito condicionada pelas condições climatéricas com a bola muito pelo ar e quase sempre no meio-campo. A segunda parte começou praticamente com o golo do Mosteirô. O capitão Fábio Ferreira, na sequência de um pontapé de canto saltou mais alto e bateu o guarda-redes contrário, fazendo o primeiro e único golo da partida. Depois do golo, o encontro ficou manchado pelo enorme temporal que se fez sentir e pelas picardias entre os jogadores. O União de Lamas ficou a reclamar duas grandes penalidades não assina-

União de Lamas: Muller, Toninho, Américo, Tiago Fernandes (Samu, 60), Rochinha (Resende, 78), Ministro, Maia, Ruizinho (Leandro, 45), Kaká, Edu, João Marques T: Jorge Lima Amarelos: Machadinho, Neca, Alemão, Toninho, Maia Vermelhos: Maia e Matias

Golos: Fábio Ferreira (53)

ladas a seu favor, e na sequência dos protestos, Maia e Matias acabaram expulsos. Até final o empate esbarrou por duas vezes nas mãos de Diogo que teve duas intervenções de elevado nível, segurando a vitória da sua equipa.

CNS // São João de Ver e Lourosa já conhecem calendário São João de Ver e Lourosa já conhecem o calendário para a fase da subida e manutenção, respectivamente. A turma orientada por Francisco Batista começa a luta pela promoção com a visita ao reduto do Limianos no próximo dia 16 de Fevereiro, recebendo na semana seguinte o Vitória de Guimarães B. A recepção ao histórico Boavista

acontece na 5.ª jornada, sendo que a última partida será diante do Freamunde, fora de portas. Já o Lusitânia de Lourosa, agora com Joaquim Martins ao leme, inicia a campanha pela permanência no campeonato nacional de seniores com a recepção ao Estarreja, equipa que começa esta fase na última posição da As inscrições ç estão abertas até ao dia 23 de Março de 2014, se tens voz digna de um anjo, este concurso é para ti ! 1.º Classificado: 350 vozes. 2.º Classificado: 200 vozes. 3.º Classificado: 100 vozes. 4.º Classificado: 50 vozes. 5.º Classificado: 25 vozes.

Dia de S. Valentim Um jantar romântico, num ambiente agradá agradável. Dia 14 de Fevereiro de 2014, pelas 20h30, no Paraí Paraíso. 25€ 25€ por pessoa, com tudo incluí incluído. Faz já já a tua reserva em, 914 540 321.

série D. Recorde-se que todas as formações vão começar a fase da manutenção com metade dos pontos com que terminaram a primeira fase da prova. Os lusitanistas arrancam no quarto lugar com 12 pontos, mais quatro que o seu primeiro adversário. O Lourosa termina o campeonato em casa diante do Grijó.

Sapateiro Coutinho Bons Preços - Super Rápido REPARAÇÕES DE CALÇADO PINTURA EM VESTUÁRIO EM COURO PEQUENAS REPARAÕES, FECHOS, FORROS, BOTÕES E MOLAS S. M.ª DA FEIRA POR TRÁS DA PADARIA RAINHA (AV. DR. FRANCISCO SÁ CARNEIRO)


16

Correio da Feira 10.FEV.2014

Distritais // P. Brandão e Lourosa B vencem e aproximam-se do líder U. Lamas

Milheiroense vence Famalicão e aproveita empate do Soutense para fugir na classificação O Milheiroense recebeu e bateu o Famaicão por 1-0, graças a um golo de Oliveira, aproveitando da melhor forma o empate sem golos do Soutense em Alba para descolar da turma de Borges na tabela classificativa. O Fiães empatou a uma bola no reduto do Cucujães com um golo de Frodo. Já o Canedo saiu derrotado da visita ao Mourisquense por 1-0. Com os resultados verificados este fim de semana fica tudo na mesma na parte superior da tabela e o Soutense afunda-se nos últimos lugares no que à primeira divisão distrital diz respeito. No que à segunda divisão concer-

ne, Paços de Brandão e Lourosa B venceram e aproveitaram a derrota do União de Lamas para se aproximarem do primeiro lugar. Os pacenses golearam em casa o Macieirense por 4-0, com golos de Neto, Batista e um bis de Feiteira. Quanto ao Lourosa B bateu em casa o São Vicente Pereira por 2-1, com Pedro Alonso e Fabiano a marcarem para os lourosenses. Num dos dérbis do fim de semana, Rio Meão e Sanguedo anularamse, empatando a um golo. O empate não serve a nenhuma das formações, mas deixa o Sanguedo em pior situação na classificação,

uma vez que tenta fugir aos lugares de baixo da tabela. No outro dérbi do concelho, o Argoncilhe foi a Romariz bater os locais por 2-0, deixando os seus rivais em situação preocupante no fundo da tabela classificativa. Quem não teve uma jornada para recordar foi também o Caldas São Jorge que saiu derrotado na visitao ao Mansores por 1-0, mantendo-se tranquilo a meio da tabela. O Lobão teve a mesma sorte na recepção ao Mosteirô de Arouca. Os lobonenses perderam por 1-0 e viram os seus adversários aproximarem-se em termos pontuais na classificação.

Juniores A // Golo de antologia de Yorn numa excelente exibição colectiva

“Hat-trick” de Vasco na goleada do Feirense

Complexo Desportivo Feirense

5 0

ANGRENSE Árbitro: João Pinheiro (Braga)

Feirense: Nuno, Mica, Pedro Santos, Joca, Renato, Duarte (Magolo, 75), Vasco, Vieirinha, Pedro Valente, Yorn (Sandro, 70), Ratinho (Manú, 70) T: Nuno Santos

passe de Valente para ampliar o marcador, fechando o resultado ao intervalo. Na segunda metade, foi Yorn quem protagonizou o momento alto da partida ao efectuar um remate potente do meio da rua com o pé esquerdo, fazendo a bola entrar no ângulo superior esquerdo da baliza do Angrense. Mas quem não abrandou o ritmo foi Vasco, e pouco depois, com um chapéu de grande classe acabou mesmo por fazer o 4-0 e completar o seu “hat-trick”. A fechar o placar, o recém entrando Manú aproveitou um ressalto na área adversária para fazer o 5-0 final com que terminou o encontro. Este triunfo folgado permite à turma do Feirense liderar a prova em igualdade pontual com o Gil Vicente e o Boavista. Na próxima jornada os “fogaceiros” visitam o terrenos do Freamunde que perdeu na visita ao Bessa por 1-0 na jornada inaugural.

Angrense: João Barcelos, José Carlos (Ornelas, 45), André Campos, André Araújo, Pedro Ferreira, Josué, Dário, Délcio, Wilson (Honório, 82), Jordan, Pedro Rocha (Avelino, 45) T: João Aguiar Amarelos: Joca (28), Pedro Rocha (37), André Campos (44), Pedro Santos (77) Golos: Vasco (13, 27 e 64), Yorn (55), Manú (85)

NACIONAL DE JUNIORES

NACIONAL DE JUVENIS

2.ª Fase Manut./Desc. - Série B

II DIVISÃO-2ª Fase Subida - Zona

Resultados - 1.ª Jornada Norte Gil Vicente 2 0 Tondela Feirense 5 0 Angrense Boavista 1 0 Freamunde Classificação J V E D F - C Feirense 1 1 0 0 5 - 0 Gil Vicente 1 1 0 0 2 - 0 Boavista 1 1 0 0 1 - 0 Freamunde 1 0 0 1 0 - 1 Tondela 1 0 0 1 0 - 2 Angrense 1 0 0 1 0 - 5 Próxima Jornada - 15 de Fevereiro Tondela - Boavista Angrense - Gil Vicente Freamunde -Feirense, 15h

O Feirense voltou a desperdiçar uma vantagem de dois golos já nos instantes finais do encontro, desta feita no reduto do Gondomar. Depois dos dois empates nas duas jornadas anteriores, a turma de Tiago Oliveira partia para o encontro frente ao Gondomar ainda à procura do primeiro triunfo. Ao intervalo resgistava-se um nulo, sem que nenhuma das equipas se tiversse superiorizado à outra em termos práticos. A segunda parte começa logo com o golo do Feirense por intermédio de Manuel, ainda no primeiro minuto do reatamento. O golo deu alento à equipa que continuou na busca do segundo golo que viria a surgir aos 55 minutos, desta

P 3 3 3 0 0 0

Resultados - 3.ª Jornada Leixões 1 2 Penafiel Boavista 1 0 Varzim AD Sanjoanense 1 1 Padroense Gondomar 2 2 Feirense Classificação J V E D F - C P Feirense 3 0 3 0 8 - 8 36 Penafiel 3 3 0 0 5 - 2 28 Boavista 3 1 0 2 3 - 4 27 Padroense 3 0 3 0 6 - 6 25 Leixões 3 2 0 1 5 - 4 24 Varzim 3 0 2 1 3 - 4 22 Sanjoanense 3 0 2 1 3 - 4 20 Gondomar 3 0 2 1 3 - 4 17 Próxima Jornada - 16 de Fevereiro Penafiel - Gondomar Varzim - Leixões Padroense - Boavista Feirense - AD Sanjoanense, 11h

Astrólogo Africano

Avenida do Brasil, Loja nº472 | 3700-068 S. João da Madeira Telm: 910 426 948 | 964 753 988

Resultados - 18.ª Jornada Mosteirô F. C. 1 0 União de Lamas Lusit. Lourosa B 2 1 São Vic. Pereira Rio Meão 1 1 Sanguedo Alvarenga 2 0 Real Nogueirense Mansores 1 0 Caldas S. Jorge Romariz F. C. 0 2 Argoncilhe Paços Brandão 4 0 Macieirense ADC Lobão 0 1 ACRD Mosteirô Classificação J V E D F - C P União Lamas 18 15 1 2 49 - 6 46 P. Brandão 18 12 5 1 44 - 13 41 Lourosa B 18 13 2 3 36 - 15 41 Mansores 18 12 2 4 46 - 23 38 Macieirense 18 9 5 4 23 - 20 32 Mosteirô FC 18 9 4 5 35 - 26 31 Alvarenga 18 8 5 5 19 - 17 29 Rio Meão 18 7 5 6 30 - 32 26 ADC Lobão 18 6 4 8 18 - 26 22 C. S. Jorge 18 6 4 8 20 - 30 22 Argoncilhe 18 5 3 10 18 - 31 18 ACRD Mosteirô 18 5 3 10 16 - 33 18 Sanguedo 18 4 5 9 16 - 26 17 Romariz FC 18 3 1 14 14 - 36 10 S. V. Pereira 18 2 3 13 24 - 44 9 Real Nogueir. 18 0 2 16 12 - 48 2 Próxima Jornada - 15 e 16 de Fevereiro ACRD Mosteirô -Mosteirô F. C. União de Lamas - Lusitânia Lourosa B São Vicente Pereira - Rio Meão Sanguedo - Alvarenga Real Nogueirense - Mansores- 15/02 Caldas São Jorge - Romariz F. C. - 15/02 Argoncilhe - Paços de Brandão Macieirense - ADC Lobão

“Fogaceiros” voltam a desperdiçar vantagem

Prof. Yakhoub

FUNERAIS * TRANSLADAÇÕES CREMAÇÕES * ARTIGOS RELIGIOSOS

II DIVISÃO DISTRITAL - Série A

Juniores B // Feirense esteve a vencer por 2-0

FEIRENSE

O Feirense começou da melhor forma a campanha da fase de subida à primeira divisão nacional, goleando os açoreanos do Angrense por 5-0. Num relvado em muito mau estado, a turma de Nuno Santos soube-se adaptar e aproveitou a velocidade e a qualidade técnica de Vasco para criar perigo junto da baliza contrária. Em tarde endiabrada, o número sete do Feirense fez um “hat-trick” e foi o grande motor do ataque “fogaceiro”. No primeiro golo o extremo disferiu um remate rasteiro à entrada da área e no segundo aproveitou da melhor maneira um

I DIVISÃO DISTRITAL

Resultados - 19.ª Jornada Águeda 5 2 Valonguense Paivense 1 0 Oliveira do Bairro Carregosense 2 2 AD Sanjoanense Mealhada 2 3 Avanca Alba 0 0 Soutense 1 0 AC Famalicão Milheiroense Cucujães 1 1 Fiães Mourisquense 1 0 Canedo Gafanha 2 0 Esmoriz Classificação J V E D F - C P Sanjoanense 19 13 4 2 36 - 13 43 Oliv. Bairro 19 12 5 2 44 - 21 41 Gafanha 19 12 5 2 35 - 16 41 Alba 19 10 5 4 25 - 15 35 Águeda 19 10 4 5 35 - 22 34 Avanca 19 10 3 6 39 - 28 33 Esmoriz 19 10 1 8 21 - 25 31 Fiães 19 6 9 4 32 - 23 27 Carregosense 19 7 6 6 20 - 20 27 Canedo 19 7 6 6 24 - 35 27 Paivense 19 5 7 7 28 - 29 22 Mealhada 19 4 7 8 20 - 26 19 Mourisquense 19 5 2 12 22 - 31 17 Milheiroense 19 3 8 8 16 - 27 17 Cucujães 19 4 5 10 19 - 35 17 Soutense 19 3 6 10 17 - 28 15 AC Famalicão 19 2 6 11 15 - 29 12 Valonguense 19 2 3 14 15 - 44 9 Próxima Jornada - 16 de Fevereiro Oliveira do Bairro - Valonguense AD Sanjoanense - Paivense Avanca - Carregosense Soutense - Mealhada AC Famalicão - Alba Fiães - Milheiroense Canedo - Cucujães Esmoriz - Mourisquense Gafanha - Águeda

Especialista em todos os trabalhos ocultos. O Prof. é um astrólogo experiente e aconselha rapidamente sobre todos os problemas de amor, negócios, inveja, família, amarrações, magia negra, impotências sexuais etc…resultados na mesma semana. T/ dias das 9h – 20 h Santa Maria da Feira (Centro) 969 586 195 e 915 879 058

vez por João Bernardo que tinha entrado ao intervalo. No entanto, e pelo terceiro jogo consecutivo, os “azuis” não foram capazes de segurar a vantagem e nos últimos seis minutos da partida sofreram dois golos. Primeiro por Raul aos 72 e depois por Diogo aos 74. Apesar de novo empate, o Feirense segue tranquilo no primeiro lugar da tabela.

Estádio de São Miguel

GONDOMAR FEIRENSE

2 2

Árbitro: Leonardo Azevedo (Aveiro) Gondomar: Mesquita, Capela, Oliveira, Rocha (Rodrigo, 65), Sima, Gonçalo, Filipe (Diogo, 45), Rochinha (Zé Pedro, 60), Crouch, Raul, João T: Ricardo Galeiras Feirense: Léo, Dani, Sousa, Antunes, Nuno, Tavares (João Bernardo, 40), Eduardo (Reis, 60), Diga, Manuel, Luís, Igor (Mendes, 60) T: Tiago Oliveira Amarelos: Nada a assinalar.

Golos: Manuel (41), João Bernardo (55), Raul (72), Diogo (74)


Correio da Feira 10.FEV.2014

17

Juniores C // Feirense desperdiçou várias ocasiões

Taça Distrital Feminina // “Final-four” teve triunfo do Ossela em Alquerubim

Golo ao cair do pano evita primeira derrota “azul”

Gião cai perante o Ossela nas meias-finais da prova

O Feirense cedeu uma igualdade na recepção ao Sp. de Braga na segunda jornada da segunda fase. A jogar em casa, os pupilos de Pedro Alves desde logo mostraram vontade em chegar ao golo. Foi sempre aos “fogaceiros” que pertenceu o comando do encontro, apesar das difíceis condições climatéricas que condicionaram a partida e o relvado. O nulo com que se chegou ao intervalo acabava por satisfazer mais os visitantes, uma vez que as únicas oportunidades de golo surgiram perto da baliza de Miranda, que foi chamado a intervir por três ocasiões, mostrando grande concentração e qualidade. No reatamento o Braga acabou por ser mais feliz e fez o golo logo aos 43 minutos, num típico lance de contra-ataque com o ponta de lança Léo a servir de bandeja

NACIONAL DE INICIADOS

2.ª Fase Ap. Campeão - Sér. Norte

Resultados - 3.ª Jornada Feirense 1 1 Sp. Braga Leixões 0 3 F. C. Porto U. Micaelense 0 1 V. Guimarães Classificação J V E D F - C P F. C. Porto 3 3 0 0 11 - 0 9 V. Guimarães 3 2 0 1 3 - 4 6 Feirense 3 1 2 0 7 - 4 5 Sp. Braga 3 1 1 1 4 - 4 4 Leixões 3 0 1 2 4 - 9 1 U. Micaelense 3 0 0 3 0 - 8 0 Próxima Jornada - 16 de Fevereiro U. Micaelense - Sp. Braga F. C. Porto -Feirense, 11h Vitória de Guimarães - Leixões

o recém entrado Miguel para o primeiro golo do encontro. A perder por 1-0 o técnico Pedro Alves arriscou e colocou mais gente na frente, conseguindo levar perigo à área bracarense. Por duas ocasiões de reclamou grande penalidade a favor do Feirense por alegada mão na bola de jogadores do Sp. de Braga. Os “fogaceiros” nunca baixaram os braços e foram recompensados com o tento do empate em cima do último minuto, com o capitão Leandro Santos a bater o guardião contrário e a fazer o resultado final. Este empate deixa o Feirense no terceiro lugar a quatro ponto do líder FC Porto.

Complexo Desportivo Feirense

FEIRENSE SP. BRAGA

1 1

Pavilhão Polidesportivo de Alquerubim

Sp. Braga: Miranda, Filipe, Sócrates, Rego, Tiago (João Pedro, 35), Diogo Rodrigues, Trincão (Miguel, 35), Rodrigo (Armando, 50), Leo, Reko (Nuno, 45), João Rodrigues T: José Araújo Amarelos: Reko (28), João Pedro (56), Miranda (65)

2.ª Divisão Distrital // Juventude Canedo empate no Luso em festival de golos

Feirense: Leandro, Vítor Alves, Rafa (Batistuta, 65), Joel (Padinha, 35), Jorge, Leandro Santos, Francisco, Daniel Almeida (Bruno, 60), Rúben, Afonso (Magalhães, 35), Nuno Rocha T: Pedro Alves

Golos: Miguel (43), Leandro Santos (70)

Taça Fundação Inatel

Grupos da segunda fase já são conhecidos Já são conhecidos os grupos para a segunda fase do campeonato da INATEL de Aveiro. O sorteio realizado no passado dia 6 na unidade hoteleira da INATEL de Santa Maria da Feira ditou que no grupo A da série1 da fase de apuramento do campeão vão ficar o Lavandeira, o Rêgo, o Pousadela e o Milheirós de Poiares. O grupo B será composto pelos Hyppyes, a ADRAV, o Pigeirense e o RC Travanca. No que respeita à série 2, conhecida como Taça de Reconhecimento, o CCD Nadais, a ACR Oliveirense FC, o CCD Salreu e o ADCF Santo André vão ficar no grupo C, sendo que o grupo D conta com o Real Sociedade da

Na partida do passado sábado, Carina ainda conseguiu empatar para o Gião depois das suas adversárias se terem colocado na frente do placar, mas depois a turma de Oliveira de Azeméis foi mais forte, acabando por vencer por 3-1 e garantindo lugar na final que acabariam por vencer no domingo. Do lado gianense ficaram muitas críticas à equipa de arbitragem que dirigiu o encontro da meiafinal, bem como à organização desta “final-four”.

O Gião foi o representante do concelho na “final-four” da taça distrital feminina realizada em Alquerubim no passado fim de semana, que juntou, para além da turma feirense, o Ossela, o PARC e o Always Young. A turma orientada pelo jovem técnico Francisco Moreira ficouse pelas meias-finais, tendo sido derrotada pelo Ossela por 3-1. Recorde-se que as duas formações se defrontaram na passada semana para o campeonato com triunfo do Ossela por 3-2.

Árbitro: José Dias (Porto)

Praça, o CCD Perrães, o União da Mata FC e o FC Mozelos. Do grupo E fazem parte Os Leões do Monte, o Nariz, o Talhadas e o Pessegueiro. O grupo F vai contar com Os Arrifanenses, o Vila Verde, o Carqueijo e o Vale. Por fim, o grupo G conta com o Manhôce, o Real, o Paraíso e o Beira Ria. Hoje fica-se a conhecer a data oficial para o início da segunda fase do campeonato, dependendo de será necessário garantir policiamento para os jogos ou não. Caso não seja necessário, o arranque será no próximo fim de semana de 15 e 16 de Fevereiro e, caso contrário, o início ficará marcado para o fim de semana de 22 e 23.

ACD GIÃO OSSELA

1 3

ACD Gião: Ana, Marisa, Corina, Kaka, Carina (1), Patrícia, Marlene, Jeniffer, Rita, Bruna, Sónia T: Francisco Moreira Ossela: Ângela, Ana, Bárbara (1), Marta, Filipa, Andrea, Liliana (1), Mara, Diana (1)

Arrifanense vence e aproxima-se dos dois primeiros lugares da tabela O Arrifanense foi ao reduto do CRECUS lograr um importante triunfo por 5-2, aproveitando o empate entre o Lourizela e o Ossela para se colar aos dois primeiros classificados. No encontro com o CRECUS, a turma feirense chegou ao intervalo com um nulo no marcador. Na segunda parte a equipa adiantou-se no placar, mas só a partir do 2-1 conseguiu descolar e confirmar o importante triunfo. Recorde-se que Pavilhão do CRECUS

CRECUS ARRIFANENSE

2 5

CRECUS: João Paulo, Fábio, Mário, Valter, Manuel, Fábio Samuel, Miguel, Paulo (1), Telmo, Daniel, Filipe, Diogo (1) T: Márcio José Arrifanense: Chow, Valente, Valter Melo, Quirino (3), Francês, Marco, Flávio, Ricardo, A. Castro (1), Fábio, Ramirez (1), Paulinho T: Jorge Pereira

a equipa de Jorge Pereira tem menos um jogo que o Lourizela, actual segundo classificado com mais um ponto que o Arrifanense. Quanto à Juventude de Canedo, não foi além de uma igualdade a seis golos na visita ao Luso, um dos adversários directos na luta pelo quarto lugar. André com quatro golos acabou por ser o grande destaque da partida do lado do Canedo, enquanto que Nuno, ao apontar um “hat-trick” esteve em Pavilhão Gimnodesportivo do Luso

ATL. LUSO JUV. CANEDO

6 6

Atlético Luso: Hélder, Iuri, Rui Sérgio (1), Paulo, Rui Jorge, Luis, Nuno (3), Noé (1), Filipe (1), Carlos, João, Fábio Juv. Canedo: Pedro, Márcio, Nuno, Berna, André (4), Quim Pereira (C), Tiago Quelhas, Tiago Sampaio (1), Roger (1), Sílvio T: Celso Henriques

evidência do lado dos da casa. Na próxima ronda a Juv. Canedo vai ao terreno do Barcouço e o Arrifanense vai folgar. II DIVISÃO DISTRITAL

Resultados - 13.ª Jornada CRECUS 2 5 CD Arrifanense FC Barcouço 6 1 GD Beira Ria Atlético do Luso 6 6 Juvent. Canedo ADC Lourizela 4 4 Ossela AD Travassô 3 0 Branca Activa GD Carmo 1 3 CAP Açquerubim Folga GD Gafanha Classificação J V E D F - C P Ossela 11 10 1 0 58 - 22 31 Lourizela 12 8 2 2 46 - 31 26 Arrifanense 11 8 1 2 47 - 25 25 Gafanha 12 7 1 4 49 - 34 22 Juv. Canedo 12 6 2 4 60 - 38 20 Atlético Luso 12 5 4 3 45 - 35 19 Travassô 11 5 1 5 36 - 36 16 CRECUS 12 4 3 5 24 - 25 15 GD Carmo 12 3 3 6 32 - 40 12 Barcouço 11 3 1 7 33 - 50 10 CAP Alquerub. 12 2 3 7 20 - 44 9 Branca Activa 12 2 2 8 26 - 42 8 Beira Ria 12 1 0 11 16 - 70 3 Próxima Jornada - 15 e 16 de Fevereiro GD Carmo - Gafanha AD Travassô - CAP Alquerubim ADC Lourizela - Branca Activa AC Luso - Ossela FC Barcouço - Juventude de Canedo, 21h - 16/02 CRECUS - GD Beira Ria Folga CD Arrifanense


18

Correio da Feira 10.FEV.2014

3.ª Divisão Nacional // Lamas Futsal venceu fora de portas o Ac. de Leça e mantém-se no segundo lugar

Magia de Russo no triunfo do Feirense diante do Rio de Moinhos O Feirense voltou a dar uma parte de avanço ao seu adversário e ao intervalo perdia por 3-2. No entanto, uma segunda parte bem diferente da primeira valeu a reviravolta e um triunfo com números que represenatam as diferenças entre as duas equipas. A reviravolta dos “fogaceiros” teve em Russo o grande responsável. Com dois golos e outras tantas assistências de grande qualidade e requinte técnico, colocou o Feirense na frente do marcador e partindo para uma exibição mais segura e convincente. Quem não se sentou no banco foi o treinador Joaquim Augusto, a cumprir castigo. Recorde-se que o técnico foi castigado com um mês de suspensão e cerca de 2 mil euros de multa na sequência dos acontecimentos da partida em Nelas. Sobre esse episódio, a direcção do Feirense já emitiu um comunicado a dizer que “não se revê nessa atitude”, entendendo que “que foi um acto isolado e que nada tem a ver com a postura e forma de estar desta secção e do seu próprio treinador”. Esta vitória permite ao Feirense continuar com uma confortável vantagem de quatro pontos sobre o seus mais directos perseguidores. O Lamas Futsal também não cedeu e foi a Leça da Palmeira

O que têm em comum Bruno Santos e Tiago Dias?

III DIVISÃO NACIONAL - Série B

bater a equipa local por 6-4. A turma de Luís Alves nunca passou por grandes dificuldades ao longo da partida, chegando ao intervalo

a vencer por 3-1. No segundo tempo a toada manteve-se e os lamacenses terminaram a partida com um triunfo por 6-4.

Pavilhão da Lavandeira

Pavilhão Municipal de Leça da Palmeira

FEIRENSE RIO DE MOINHOS

7 3

Feirense: Dani, Faísca, Fuka, Banana (1), Mino, Nuno Couto, Cenoura, Calão (1), Claudinei (1), Russo (2), Teixeira (1), Ivo (1) T: Joaquim Augusto Rio de Moinhos: Rui, Marco, Bruno (1), Alexandre, Serginho (1), Vitor (1), Macaco, Rodrigo

AC. DE LEÇA LAMAS FUTSAL

4 6

Ac. de Leça: Vítor, Diogo (2), Paulinho (1), Pinlha, Vasco, Saul (1), Teixeira, Sá, João Daniel, Rui Miguel, Daniel, Bernardes T: Óscar Pereira Lamas Futsal: Telmo (1), Diogo, Vítor Amorim, Miguel Ângelo (1), Feliciano, Ribas (1), Wilson (1), Pedro Sousa, João Maio (1), Hélio (1), Junior T: Luís Alves

Resultados - 15.ª Jornada CD Feirense 7 3 Rio de Moinhos ACD Azagães 6 2 União Santana Sp. Moncorvo 1 4 Leões Valboenses SC Sabugal 5 6 Gondomar Futsal Sangemil 5 0 SPG Lamego Académica Leça 4 6 Lamas Futsal Prodeco 0 6 ABC Nelas Classificação J V E D F - C P CD Feirense 15 11 4 0 90 - 57 37 Lamas Futsal 15 11 0 4 72 - 43 33 ABC Nelas 15 10 2 3 75 - 41 32 Leões Valboen. 15 9 3 3 68 - 48 30 Gondomar Futsal 15 8 1 6 67 - 59 25 Sangemil 15 6 6 3 64 - 42 24 ACD Azagães 15 7 2 6 77 - 69 23 Sp. Moncorvo 15 6 2 7 53 - 61 20 SPG Lamego 15 6 1 8 68 - 78 19 Académ. Leça 15 4 2 960 - 72 14 Rio de Moinhos 15 4 1 10 52 - 85 13 União Santana 15 3 3 949 - 71 12 Prodeco 15 3 1 11 49 - 76 10 SC Sabugal 15 3 0 12 52 - 94 9 Próxima Jornada - 15 e 16 de Fevereiro União Santana - Rio de Moinhos Leões Valboenses - ACD Azagães Gondomar Futsal - Sp. Moncorvo- 16/02 SPG Lamego - SC Sabugal Lamas Futsal - Sangemil -16/02, 17h ABC Nelas - Académica de Leça Prodeco - CD Feirense, 17h

1.ª Divisão Distrital // ISPAB continua a atravessar um bom momento e voltou a bater o Bairros numa semana

Juv. Fiães não consegue aproximar-se do segundo lugar ao perder em casa com o S. Guedes O Juv. Fiães não aproveitou a derrota do Futsal Azeméis com o Beira-Mar para se aproximar do segundo posto. A turma de António Teixeira foi derrotada em casa pelo Saavedra Guedes por 2-1. Os fianenses perdiam ao intervalo por 1-0, mas conseguiram chegar a igualdade no reatamento. As muitas oportunidades desperdiçadas e a boa exibição do guardião Oliveira impediram que a equipa da casa conseguisse um resultado positivo. Ao Juv. Fiães juntaram-se dois novos reforços: Axel, ex- Lázio de Roma e Fábio, ex-Casal. Já o ISPAB continua na senda das vitórias e a operar a recuperação na tabela. Na recepção ao Bairros, equipa que defrontou no passado fim de semana para a taça distrital, a equipa de Flávio Fontes venceu por 7-4 numa boa exibição colectiva. No entanto, ao intervalo os pacenses perdiam por 2-1, muito por culpa da grande eficácia finalizadora do seu adversário. A reaccção da formação da casa foi muito forte e facilmente operou a reviravolta no marcador.

Opinião

Pavilhão Escola EB 2,3 de Lourosa

JUV. FIÃES S. GUEDES

Pavilhão da EB 2+3 de Paços de Brandão

1 2

Juv. Fiães: Fábio, P. Russo, Maritx, Bruninho, Bubu, Ruben, Moisés, Miguel Santos, Artur (1), Fábio Santos, Neto, Mix T: António Teixeira Saavedra Guedes: Oliveira, Valente, Soares, João Matos (1), Daniel Garrido, Nuno, Seco, Carlos Silva, Ventura, P. Silva, Bruno, Dário (1) T: José Buchão

ISPAB

BAIRROS

7 4

ISPAB: Ruben, Cancela, Fábio, Tiago (1), Ramalho, Barbosa (2), Igor (3), Mesquita, Ivan, Pika, Nélson (1), Lucho T: Flávio Fontes

Bairros: Ricardo, Bruno (2), Tiago, Nuno, Filipe, Pichelim, Cuca, Raça (2), Paulinho, Henrique T: Cláudio

I DIVISÃO DISTRITAL

Resultados - 16.ª Jornada Sp. Silvalde 4 2 AD Casal ARCA 5 3 D. Sanjoanense Juventude Fiães 1 2 Saavedra Guedes CP Esgueira 4 2 Atómicos AJ Angeja 5 2 Clube Albergaria Futsal Azeméis 0 3 Beira-Mar AAA ISPAB 7 4 ACD Bairros ACD Urrô 7 3 ADREP Classificação J V E D F - C P Beira-Mar 16 14 1 1 84 - 29 43 Fut. Azeméis 16 12 2 2 72 - 36 38 Saavedra G. 16 10 5 1 68 - 43 35 Juvent. Fiães 16 10 3 3 63 - 39 33 Bairros 16 9 3 4 77 - 53 30 ACD Urrô 16 7 4 5 57 - 55 25 AAA ISPAB 16 7 2 7 57 - 62 23 Sp. Silvalde 15 7 1 7 47 - 43 22 D. Sanjoanen. 16 6 3 7 53 - 52 21 ADREP 16 6 3 7 40 - 42 21 Esgueira 16 5 3 8 50 - 52 18 ARCA 16 5 3 8 50 - 54 18 AD Casal 16 5 0 11 60 - 105 15 C. Albergaria 16 3 2 11 46 - 62 11 Angeja 16 3 0 13 37 - 78 9 Atómicos 15 0 1 14 25 - 81 1 Próxima Jornada - 15 e 16 de Fevereiro ADREP - Sp. Silvalde AD Casal - ARCA Din. Sanjoanense -Juventude Fiães, 17h Saavedra Guedes - CP Esgueira- 16/02 Atómicos - AJ Angeja - 16/02 Clube Albergaria - Futsal Azeméis Beira-Mar - AAA ISPAB, 18,50h ACD Bairros - ACD Urrô

Rufino Ferreira O primeiro estágio da Selecção Nacional sub-18 de futsal arranca a 10 de Fevereiro, contando com 20 atletas. Durante quatro dias, a equipa técnica nacional, composta por Jorge Bráz, José Luís Mendes e Pedro Palas, vai trabalhar com 20 jovens promessas do futsal português, num estágio cujos treinos decorrerão no pavilhão dos Leões de Porto Salvo. Nos eleitos do Seleccionador Jorge Bráz, destaco as chamadas de Tiago Dias (Juventude de Fiães) e Bruno Santos (CRECOR de Cortegaça). Dois jovens com imenso valor, que deram os seus primeiros passos na modalidade no CD Escapães, um clube que tem formado talento como poucos. Atendendo a que o clube da vila de Escapães apenas possui formação até ao escalão de Juvenis, ambos os atletas tiveram, no final da época transacta, de procurar novo clube para continuarem as suas carreiras. A escolha de Tiago Dias recaiu na Juventude de Fiães, campeão distrital aveirense em título, no escalão de Juniores. Escolha a meu ver natural, atendendo a que Juventude de Fiães e CD Escapães possuem um acordo de cooperação vigente há já alguns anos. Bruno Santos, por sua vez, rumou a Cortegaça para representar a CRECOR, onde é treinado por um jovem de elevado valor, o fianense José Paulo Almeida, que tem a missão de lapidar o talento imenso deste jovem futsalista, o que diga-se, tem feito com mestria. Considero igualmente, que aquando da sua passagem para as equipas seniores, caso se mantenham nos respectivos clubes, irão em ambos os casos, encontrar técnicos com elevado valor humano e técnico, sendo certo que Luís Almeida (CRECOR) e António Teixeira (Juventude de Fiães), não têm receio de apostar em jovens, tendo ambos provas dadas, de saberem potenciar e lapidar talento em formação. Aos atletas, desejo as maiores felicidades para as suas carreiras, que acredito venham a ser motivo de orgulho, para todos os amantes desta modalidade. Por fim, estranho somente, a falta de visibilidade dada a esta chamada à selecção nacional, por parte da Associação de Futebol de Aveiro e da comunicação social aveirense, ao não colocarem nenhum tipo de notícia referente a este feito inédito.


Correio da Feira 10.FEV.2014

Hóquei em Patins // União e qualidade do colectivo foram factores determinantes

Juniores do Ac. da Feira são campeões regionais Os juniores do Académico da Feira sagraram-se campeões regionais no passado fim de semana. A equipa orientada pelo técnico Rui Tavaresl, que também orienta a equipa sénior, surpreendeu toda a gente e deixou a concorrência para trás. “Não esperava isto porque a equipa ainda se estava a formar. É uma equipa nova, mas desde início que o grande objectivo passava por ganhar todos os jogos” - diz o técnico Rui Tavares. Quanto ao objectivo para a fase seguinte, o teinador ainda não definiu metas. “Ainda não falei com a direcção nem com os jogadores em relação ao objectivo do nacional, mas vamos encarar todos os jogos para vencer” - confessa, realçando a “união do grupo” como uma das grandes razões para o sucesso. O capitão de equipa Xavier Lopes, de 18 anos, é natural de São João da Madeira e não tem dúvidas em apontar o jogo depois da derrota na Mealhada como o momento decisivo desta conquista. “O jogo que marcou mais foi depois da derrota na Mealhada por 9-1. Vencemos o jogo seguinte com o Vigor e o Mealhada perdeu e voltamos a passar para a frente” - refere o

jovem atleta que começou a dar os primeiros passos no hóquei patins em Cucujães. Quanto ao restante da temporada, Xavier Silva é ambicioso mas ciente das dificuldades que a equipa vai encontrar. “Sonhamos em ir à final-four do Nacional, mas é muito difícil” - aponta. Avelino Silva, melhor marcador da equipa com 22 golos, é do Olival e tem 19 anos. Encontrou no Académico um grupo muito unido onde foi bem recebido. “Fui bem recebido e a adaptação não foi complicada. Integrei-me bem na equipa” - reve-

la. O goleador considera a união do grupo um facto determinante, mas não esquece a vitória do torneio de abertura. “No torneio de abertura metemos na cabeça ganhar o regional” - partilha o jogador que apenas ficou em branco na derrota na Mealhada, tendo feito cinco golos em duas partidas: com o Pessegueiro e com o Vigor. Do plantel faz parte, também, David Silva, que se viu forçado a afastar-se um pouco do hóquei devido à boa participação no programa televisivo Factor X.

Atletismo // Vereadores do Desporto e das Obras Públicas apoiam iniciativa

Autarcas agradados com projecto dos clubes de atletismo do Concelho O complexo desportivo de Sanfins recebeu na passada sexta-feira novo encontro entre todos os clubes de atletismo do concelho de Santa Maria da Feira com vista à criação de uma estrutura única que albergue as 11 colectividades. Quem também marcou presença foram os vereadores da Câmara Municipal, Vítor Marques, do pelouro Obras Públicas, e Cristina Tenreiro, do pelouro do Desporto, bem como Mário Cordeiro, director técnico da Associação de Atletismo de Aveiro que apresentou um projecto modelo para mostrar à autarquia feirense. “A associação está interessada em objectivos deste género e o Norte do nosso distrito não tem nada. Queremos melhores condições porque os melhores atletas são do Norte” – diz Mário Cordeiro. Quanto a esta iniciativa dos clubes de Santa Maria da Feira, o director técnico é taxativo: “Queremos agarrar nesta força toda e seguir com este projecto em frente”. Uma das grandes preocupações desta comissão é que a estrutura que está a ser projectada seja devidamente homologada de modo a poder acolher qualquer tipo de prova a nível nacional. A questão

da dimensão da pista é um desses pontos principais. “A associação vai dar todo o tipo de apoio técnico à Câmara na construção da nova estrutura” – esclarece Mário Cordeiro, referindo que só para o piso serão necessários entre 120 a 150 mil euros, já com o devido equipamento incluído. O vereador Vítor Marques, apoie este projecto, prefere ser mais cauteloso. “Vou fazer tudo para que isto vá para a frente, mas temos que ir com calma. Vamos lançar um concurso público e esperar e devemos envolver, desde logo, a federação e a associação”

– aponta. Muito satisfeita com esta iniciativa dos clubes está a vereadora do Desporto, Cristina Tenreiro. “Fiquei muito orgulhosa e já dei os parabéns por esta forte união de todos os clubes. Temos noção da situação actual, que não é fácil, mas unidos podemos chegar mais longe” – diz. “Para agora o que se vai fazer é dar as melhores condições possíveis para que os jovens continuem a treinar aqui” – acrescenta. Recorde-se que na reunião anterior ficou esclarecido que a obra, a realizar-se, só terá início no próximo ano.

19

Hóquei Patins

Académico da Feira afastado da Taça de Portugal em Penafiel Luís FIlipe Higino O Académico da Feira foi afastado da Taça de Portugal pela A.D. Penafiel nas grandes penalidades por 2-0, depois de um empate 3-3 no final do tempo regulamentar e após prolongamento. O jogo contou para a 2ª Eliminatória da Taça de Portugal de hóquei em patins e realizou-se no Pavilhão da A.D. Penafiel. Ao intervalo o Académico da Feira vencia por 1-0. Na segunda parte a equipa da casa virou o resultado para 3-1, mas o Académico da Feira reagiu e conseguiu chegar ao empate a três golos, resultado que se manteve após prolongamento. Nas grandes penalidades a A.D. Penafiel foi mais eficaz. O Académico da Feira alinhou e marcou com Sérgio Costa, Marco Dias, Tiago Pinto, Marcelo Dias (1 golo) e David Sá (2 golos) – cinco inicial – Pedro Silva, Artur Couto, João Moreira, Hugo Gonçalves e Ricardo Fernandes. Treinador: Rui Tavares. Árbitro: António Teixeira da A.P. Minho.

Camadas Jovens Regional de Juniores:

O Académico da Feira sagrou-se Campeão Regional e aguarda o sorteio do Campeonato Nacional de Juniores, prova em que totaliza oito presenças. Regional de Juvenis: Última Jornada: Académico da Feira – Bom Sucesso 11-1. O HC Mealhada sagrou-se Campeão Regional. O Ac. Feira foi 4º classificado. Regional de Iniciados – Apuramento 7º/14º lugar: 13ª Jornada: Arazede – Académico da Feira 0-6. Próxima Jornada: Académico da Feira - Oliveirense, Domingo, dia 16, às 11 horas. O HC Mealhada sagrou-se Campeão Regional. Regional de Infantis – Apuramento Campeão: Última Jornada: Cenap – Académico da Feira 8-0. O Oliveira do Hospital sagrou-se Campeão Regional. O Ac. Feira foi 6º classificado. Encontros Convívios de Escolares: 9ª Jornada: HC Viseu - Académico da Feira 1-5. Encontros Convívios de Benjamins: 11ª Jornada: Académico da Feira – Cenap 14-0.

Ciclismo

António Ferreira vence segunda prova da Taça de Portugal em Sangalhos O juvenil António Ferreira, do Sport Ciclismo de S. João de Ver, venceu, com distinção, a corrida por pontos da segunda prova da Taça de Portugal, na pista do Velódromo Nacional de Sangalhos, este sábado. Ferreira conseguiu, ainda, nova presença do pódio, depois da 3.ª posição na Eliminação à dinamarquesa. Nova demonstração que, com trabalho, humildade e ambição, os resultados acabam sempre por aparecer, também nos escalões mais jovens.

Samuel Magalhães segundo em sub-23 Em Sub-23, destaque para o 2.º lugar de Samuel Magalhães, por pontos, ganha por Luís Gomes, Maia-Bicicletas Andrade, e para a prova de Renato Avelar, na Eliminação. Triunfou, mas acabaria derrotado por decisão de um comissário. O auditório da Biblioteca Municipal de Santa Maria da Feira recebe, no próximo dia 27, às 18 horas, a apresentação das equipas de formação Liberty Se-

guros-Santa Maria da Feira-KTM. Pelas 17 horas, Amigos na Roda, Escolas, Cadetes, Juniores e Sub 23, do S. João de Ver juntam-se para a fotografia. A Federação Portuguesa de Ciclismo decidiu alterar o local de realização da Prova de Abertura, destinada a profissionais e sub-23, para a região da Bairrada, com partida e chegada da prova na cidade da Anadia, no próximo domingo.

Prova de abertura regressa à Bairrada Ao transferir a prova para a zona norte/centro do país, a decisão de certa forma vem de encontro a uma economia de gastos acentuada, se tivermos em linha de conta que apenas duas equipas terão de efetuar uma deslocação que envolva alojamentos, caso das equipas algarvias. Ao fim de mais de vinte anos, a Abertura regressa à região da Bairrada, de onde é natural Samuel Magalhães, corredor, Sub 23, da Liberty SegurosFeira-KTM, campeão nacional de pista.


20

Correio da Feira 10.FEV.2014

Atletismo // Jovem atleta do ACRD Escapães ainda é juvenil de segundo ano

Paulo Neto sagra-se campeão nacional de heptatlo em juniores No passado fim de semana, dias 08 e 09 de fevereiro de 2014, disputou-se o Campeonato Nacional de Juniores de pista coberta em Pombal onde esteve presente o atleta da ACRD Escapães, Paulo Neto que ainda é atleta do escalão inferior. Paulo Neto é atleta juvenil de 2º ano e disputou a prova com atletas dois anos mais velhos, onde não invalidou a qualidade do atleta que se inscreveu com a melhor marca Nacional do ano para juniores com 4.602 pontos. Paulo Neto sagrou-se campeão nacional de juniores com 4.818 pontos, mais 216 pontos que a marca de inscrição e venceu com 16 pontos de vantagem do 2º classificado. No primeiro dia com 4 provas o atleta de Escapães bateu 3 recordes pessoais, nos 60m com 7.30s, no salto em comprimento com 6,63m e no lançamento de peso com 10,56m, no mesmo dia Paulo Neto saltou 1,96m no salto em altura que é melhor marca do ano para o atleta e assim terminou o 1º dia já em primeiro lugar. No segundo dia, Paulo Neto começou da melhor maneira vencendo os 60m barreiras com 8.31s, que

res do S. Bernardo para equilibrarem a partida nessa fase do jogo. Atingido o intervalo com 16-7 restava pouca esperança à equipa de S.Paio de Oleiros em dar a volta ao resultado. No final tiveram o consolo de terem vencido a segunda parte por 13-14 amenizando o resultado de um jogo que teve um início desastroso para a equipa de S.Paio de Oleiros.

Natação também é record pessoal, depois veio uma das piores provas para o atleta de Escapães, o salto á vara que foi feito mais um recorde pessoal com 3,20m, chegou a hora da última prova, os 1.000m, onde Paulo Neto ainda se encontrava em primeiro lugar com apenas 19 pontos de vantagem sobre o 2º classificado, ao concluir a prova com o tempo de 2.54.95s sagrouse campeão nacional de heptatlo de juniores.Mais uma vez é de salientar que Paulo Neto é atleta

juvenil de 2º ano e fez o tempo nos 60m barreiras que dava título Nacional na prova e também no salto em altura com 1,96 que foi a marca do campeão Nacional da prova. O atleta da ACRDE cocnluiu as sete provas do heptatlo (60m, Salto em comprimento, Lançamento de peso, Salto em altura, 60m barreiras, salto á vara e 1.000m) com excelente eficácia e aptidão que já lhe é reconhecido há algum tempo.

Feirense derrotado em São Paio de Oleiros por 26-24 e adia título distrital

locados que permitiram importantes defesas aos guarda-redes da casa. Desconcentrados em quase toda a partida, o Feirense perdeu pela segunda vez esta temporada.

Continuam na frente, precisando de vencer na última jornada o S.Bernardo na Lavandeira para se sagrarem campeões distritais em juvenis no seu campeonato.

Ténis de Mesa // Líder Juv. de Sanguedo termina 1.ª volta só com vitórias Em jogo a contar para a 7ª e última jornada da 1ª volta do campeonato nacional da 2ª divisão serie 3, a Juventude de Sanguedo deslocou-se a Válega, 3º classificado, e venceu a equipa local por 3-2. O jogo contra C.C.R. de Válega, foi o mais difícil

São Paio de Oleiros perde no reduto do São Bernardo por 29-21 Um S. Bernardo reforçado recebeu o S. Paio de Oleiros de uma forma agressiva tanto no ataque como na defesa, estabelecendo desde os primeiros segundos do jogo uma diferença de golos que foi paulativamente alargada até atingir os 8-1 aos 10 minutos de jogo. Nos restantes 20 minutos da primeira parte o S. Paio de Oleiros aproveitou um abrandamento do ritmo dos jogado-

Andebol // Turma de Manuel Gregório continua na frente do campeonato

A duas jornadas do final da fase de apuramento, os juvenis de Manuel Gregório foram a São Paio de Oleiros. Como sempre e perante público em número considerável, o dérbi foi muito disputado com os da casa a abrir o marcador. Os azuis deram a resposta e o mote foi um pouco esse. Todavia, ao intervalo os da casa venciam por 15-12 e na segunda metade foi preciso arregaçar as mangas para ganhar o marcador. Mas a noite era dos anfitriões. Mais aproveitadores, conseguiram colocar-se na frente e gerir até ao fim a vantagem. Ainda que só no último minuto tenham garantido a vitória. Os fogaceiros estiveram muito apagados, mal tecnicamente com muitas bolas e passes perdidos, para não falar nos remates mal co-

Andebol

que os sanguedenses tiveram nesta 1ª volta, tendo a equipa de ovar criado muitas dificuldades durante toda a partida. Alinharam neste encontro Par: Paulo Moreira/Tiago Fontes, singulares: Paulo Moreira, Gonçalo Amorim e Domingos Santos.

A Juventude de Sanguedo com este triunfo termina a 1ª volta só com vitórias, estando já invictos a mais de 5 meses.Já a equipa B da Juventude de Sanguedo garantiu a subida de divisão a duas jornadas do fim.

Feirense marcou presença no torneio de carnaval nas piscinas municipais da Mealhada Nos dias 1 e 2 Fevereiro, o Clube Desportivo Feirense esteve presente no torneio de Carnaval que se realizou nas Piscinas Municipais da Mealhada. O Feirense foi representado por 32 atletas, dos escalões de Infantis, Juvenis e Absolutos, sob orientação técnica de Antero Almeida e como delegados, José Coelho e Cristina Santos. Foram alcançados 53 novos recordes pessoais. De destacar o resultado de André Correia, 1º nos 200m bruços 2m37s16 e 3º nos 200m mariposa 2m39s56; Catarina Oliveira 1º nos 200m mariposa 3m08s84 e 2º nos 400m estilos 6m06s52; Ruben Paiva nos 200m Livre, 6º lugar com 2m51s03 e 3º lugar nos 400m livres 5m03s62; Job Silva 3º lugar nos 200m livres 2m03s68 e 4 lugar nos 400m livres 4m23s71 e novo recorde pessoal 100m costas 54s56; Domenic Ahrendt 200m livres 2m46s62; André Almeida 6º nos 200m mariposa 2m56s09; Rúben Almeida 3º nos 200m bruços 2m51s03; Filipe Baptista nos 200m livres 2m12s12; Sara Tavares 7º nos 200m mariposa com 3m10s23; Catarina Bastos 7º nos 200m bruços 3m21s34; Gabriel Pereira 200m bruços com 3m19s81; Inês Coelho nos 200m livres 2m29s39; Rodrigo Coelho em 5º nos 200m mariposa com 3m21s31; Sara Coelho nos 200m livres 3m01s93; Ana Rita Correia nos 200m bruços 3m32s19; Fábio Costa nos 200m costas 2m13s40; Daniel Dias nós 200m bruços 3m37s77; Tomás Domingues em 9º nos

200m costas 2m37s94; João Vitor em 6º nos 200m costas com 2m33s67; Frederico Lopes nos 200m livre 2m49s13; Patricia Oliveiro nos 200m Costas 3m12s65; José Patrão nos 200m livres 2m20s27; Sara Gabriela nos 200m livre 2m42s79; Inês Pinho nos 200m livre 2m4066; Manuel Pinho 3º lugar nos 200m mariposa com 3m02s08 e 9º nos 200m livres com 2m26s89; Mara Pinho em 7ºnos 200m mariposa com 3m24s71; Nair pinho nos 200m costas com 3m00s50; Ana Teresa Silva nos 200m bruços com 3m33s53; Hugo Gomes em 4º nos 400m livres com 5m34s87; Luana Silva nos 200m livres com 3m11s44.

Feirense apresenta caderneta de cromos

Na próxima terça-feira dia 11, o Clube Desportivo Feirense apresenta ao público a nova caderneta de cromos. O evento está marcado, às 18h00 na Sala António Lino, no Estádio Marcolino Castro e contará com a presença do Presidente do Clube Desportivo Feirense, Fernando Costa, bem como a presença do jogador, Fabinho, Cris e Tonel, que se vai fazer acompanhar do seu filho Igor também ele atleta do clube. A caderneta de cromos do Feirense engloba cromos individuais de todos os atletas, treinadores e dirigentes do futebol de formação e do Futsal bem como do Futebol Profissional do Clube Desportivo Feirense, e poderá ser adquirida na loja do Feirense e no Complexo Desportivo.


I DIVISÃO - Série dos Últimos Resultados - 2.ª Jornada Arouca 0 1 Beira-Mar

II DIVISÃO - Últimos - Série A

Resultados - 4.ª Jornada Vilamaiorense 4 1 Estarreja Canedo 2 1 Paços Brandão Paivense 1 0 Taboeira Fiães 2 4 Lobão Paços Brandão 4 0 São João Ver Arada 1 2 São Vic. Pereira Avanca 0 2 Oiã Soutense 0 0 Argoncilhe Classificação 10.FEV.2014 J V E D F - C P Classificação P. Brandão 2 2 0 0 9 0 6 J V E D F - C P Oiã 2 2 0 0 10 - 2 6 Lobão 4 4 0 0 14 - 5 12 DISTRITAL DE JUVENIS Beira-Mar 2 2 0 0 3 - 1 6 Voleibol // Enis alit nulla aciS. et lamcommy nulla corem ipit, si.Metue modolor sumsan ercilit eu feui blaor at praestrud modoluptat lum velit praesed dit utat V. Pereira 4 3 0 1 8 - 4 9 Arouca 2 1 0 1 3 - 1 3 II DIVISÃO - Últimos - Série A Fiães 4 2 0 2 8 - 9 6 Paivense 2 1 0 1 2 - 2 3 Resultados - 4.ª Jornada Soutense 4 1 2 1 7 - 8 5 Avanca 2 1 0 1 1 - 2 3 Argoncilhe 3 3 São Martinho P. Brandão 4 1 1 2 6 - 7 4 Vilamaioren. 2 1 0 1 6 - 9 3 Canedo 5 2 CRC Vale Argoncilhe 4 1 1 2 2 - 4 4 S. J. de Ver 2 0 0 2 0 - 5 0 Relâmpago Nog. 2 3 Sp. Espinho INFANTIS A DISTRITAL DISTRITAL DE JUVENIS DISTRITAL Estarreja 2 DE 0 0INICIADOS 2 1 - 7 0 Canedo 4 DE 1 1JUNIORES 2 3 - 6 4 Fiães 0 1 Paços Brandão Grupo 2 - Série Gold B Taboeira 2 0 0 2 0 6 0 Arada 4 0 1 3 5 10 1 I DIVISÃO Série dos Últimos II DIVISÃO Últimos Série A São João de Ver 1 1 Lusit. Lourosa II DIVISÃO - Últimos - Série A Resultados - 1.ª Jornada PróximaResultados Jornada - 15 e 16 de Fevereiro Resultados - 4.ª Jornada - 2.ª Jornada Próxima Jornada--4.ª 15 Jornada de Fevereiro Classificação Resultados DISTRITAL DE JUNIORES INFANTIS A - Grupo 1 - Série A Sp. Espinho 2 9 Anta Taboeira - 15/02 ArgoncilheJ V3 3E São 1 Beira-Mar Arouca -0Arouca D FMartinho - C P Argoncilhe 2 - 1Canedo Canedo Paços Brandão I DIVISÃO - Série dos Primeiros Milheiroense 5 1 Furadouro Resultados - 16.ª Jornada Beira-Mar Estarreja Canedo CRC Vale 5 2 Sp. Espinho 4 4 0 0 12 3 12 Vilamaiorense Estarreja 4 1 Paços de Brandão - Fiães Resultados - 2.ª Jornada Fiães 2 4 Lobão Arouca 5 2 Mosteirô F. C. Anta 6 0 Fiães São João de1Ver0 -Taboeira Paivense Relâmpago Espinho S. J. de VerNog. 4 32 13 Sp. 0 14 - 4 10 Paços Brandão 6 3 Pampilhosa Paivense Vilamaiorense 14 0 São João de Ver Fiães 2 2 Arada Lobão1 - Arada Arada 2 São Vic. Pereira Oiã Paços de Brandão Feirense 2 1 Fiães Canedo Fiães 4 30 01 Paços 1 11 Brandão - 5 9 Paivense 4 2 Paços Brandão Paços Brandão 4 0 São João Ver Folgou União de Lamas São Vicente Pereira -Argoncilhe Soutense Soutense 0 0 Vilamaiorense Avanca Lusit. Lourosa 2 0 Estarreja São João de Ver4 21 1 Lusit. Salesianos 4 3 Sp. Espinho Lourosa 1 15 Lourosa - 4 7 Classificação Avanca 0 2 Oiã Classificação Alba 1 0 São João Ver Lusit. Lourosa 0 1 Paramos J V E D F - C P Relâmp. NogClassificação 4 2 0 2 8 - 9 6 Classificação Taboeira 1 2 Cucujães J V E D F - C P DISTRITAL DE INICIADOS Anta 1 1 0 0 9 - 2 3 Classificação J V1 1E D2 9F - 7C 4P Fiães 4 J V E D F C P Classificação Lobão 4 4 0 0 14 - 5 12 J V E D F - C P Milheiroense 1 1 0 0 5 - 1 3 Sp. Espinho 3 12 CRC Vale 4 14 10 20 12 9 - 11 4 J V E D F - C P P.IIBrandão 2 0dos 0 Primeiros 9 - 0 6 DIVISÃO 2- Série Anta 16 15 1 0 ## - 11 46 S. V. Pereira 4 3 0 1 8 - 4 9 Arouca 1 1 0 0 5 - 2 3 S. Brandão J. de Ver 4 13 01 30 14 4 10 P. 2 10 3 Lourosa 2 2 0 0 6 - 0 6 Oiã 2 2 0 0 10 2 6 DISTRITAL DE JUVENIS Resultados 4.ª Jornada 39 P. Brandão 16 13 0 3 74 16 Fiães 1 0 1 0 2 - 2 1 Fiães 4 2 0 2 8 - 9 6 Feirense 2 2 0 0 5 - 2 6 Canedo 4 03 10 31 11 5 19 Argoncilhe 5 - 11 Beira-Mar 2 2 0 0 3 1 6 32 Paramos 16 10 2 4 42 24 Sp. Espinho 1 3 Oliveirense I DIVISÃO -4 Série Arada 1 0 1 0 2 - 2 1 S. J. de Ver 2 1 0 1 4 - 1 3 Soutense 1 2dos1 Primeiros 7 - 8 5 Lourosa 2 1 31 15 4 17 São Martinho 4 0 6 27 26 Sp. Espinho 16 8 2 6 82 48 Resultados - 2.ª Jornada AroucaVaguense2 01 0 União 1 3 de - Lamas 1 3 União Lamas 0 0 0 0 0 - 0 0 P. Brandão 2 1 0 1 7 - 5 3 P. Brandão 4 1 1 2 6 - 7 4 Relâmp. 4 2 - 016 de 2 Fevereiro 8 - 9 6 PróximaNog Jornada Lourosa 16 6 4 6 41 - 29 22 Oliveirense 2 0 Avanca Fiães 2 1 0 1 3 - 3 3 Mosteirô F.C. 1 0 0 1 2 - 5 0 Paivense 2 1 0 Alba 1 2 - 2 3 Oliveirinha Argoncilhe 4 1 1 2 2 4 4 Fiães 4 1 1 2 9 7 4 Paivense 16 7 0 9 36 - 45 21 Paivense 1 5 Sp. Espinho Alba 2 1 0 1 1 - 1 3 Paços de Brandão - Argoncilhe Furadouro 1 0 0 1 1 - 5 0 Avanca Fermedo 2 51 10 Oliveira 1 1 -Bairro 2 3 CRC ValeSão Martinho4 1 1 Canedo 2 9 - 11 4 Canedo Taboeira 4 21 01 Gafanha 2 3 - 6 4 Vilamaioren. 16 6 1 9 45 - 56 19 Estarreja 2 1 0 1 1 - 2 3 Sp. Espinho 1 0 0 1 2 - 9 0 Vilamaioren. 2 0 1 6 9 3 Mealhada Tarei 1 9 Arouca Fiães 3 1 Salesianos 16 5 1 10 37 - 70 16 P.CRC Brandão 4 1 0 Nogueirense 3 2 - 10 3 Cucujães 2 1 0 1 3 - 4 3 Arada 4 0 1 3 5 - 10 1 Vale - Relâmpago Próxima Jornada - 15 de Fevereiro S. J. de Ver Classificação 2 0 0 2 0 - 5 0 Carregosense 1 2 Feirense S. J. de Ver 16 2 1 13 19 - 142 7 Taboeira 2 0 0 2 1 - 6 0 Argoncilhe 4de Lourosa 0 1 3 -5Fiães - 11 1 Próxima Jornada 15 de Fevereiro Lusitânia Anta - Milheiroense Classificação Estarreja 2J V0 E0 D2 F1 - C7 P0 Pampilhosa 2 0 0 2 3 - 10 0 Fiães 16 1 2 13 17 - 68 5 São Martinho 4 0 1 3 6 27 1 Argoncilhe Sp. Espinho -São João de Ver Furadouro - Arouca J V - ECanedo D F - C P Próxima Jornada - 15 de Fevereiro Taboeira 2 0 0 2 0 6 0 União Lamas 4 2 2 0 8 2 8 Penúltima Jornada 15 de Fevereiro Próxima Jornada - 16 de Fevereiro Oliveirense 2 0 0- Fiães 5 - 1 6 Mosteirô F. C. - Fiães Paços de2 Brandão Estarreja - Paços de Brandão Lusitânia de Lourosa - Anta FermedoJornada 4 -215 2e 160 de9Fevereiro - 4 8 Próxima Feirense 2 2 0 0 4 - 1 6 Arada - União de Lamas Paços de Brandão - Argoncilhe Lobão - Arada Pampilhosa -Fiães Fiães - Vilamaiorense Tarei Taboeira 4 -2Arouca 1 1 - 15/02 12 - 3 7 Taboeira 2 1 1 0 3 - 1 4 DISTRITAL DECanedo JUVENIS Folga Sp. Espinho São MartinhoSão João de Ver - Lusitânia de São Vicente Pereira Soutense São João de Ver - Paivense Gafanha 2 1 0 1 4 - 2 3 Vaguense Beira-Mar 4 2 - Estarreja 1 1 6 - 3 7 Cucujães - Alba CRC Vale - Relâmpago Nogueirense II DIVISÃO - Últimos - Série B Paços de Brandão - Salesianos Sp. Espinho 2 1 0 1 6 - 4 3 INFANTIS B - Série Premium Oliveirense 6 - 4 7 Feirense - Taboeira São João4 de2 Ver1 - 1Paivense Lusitânia de Lourosa - Fiães Paramos - Sp. Espinho Resultados - 4.ª Jornada Fiães 2 1 0 1 4 - 3 3 Resultados - 1.ª Jornada Sp. Espinho 4 2 de0 Brandão 2 5 - 6 6 Ver Oiã - Paços Arouca 2 1 0 1 3 - 5 3 2 0João SãoSp. Vic.Espinho Pereira-São RiodeMeão Fermentelos 0 11 Feirense Oliveirinha 4 1 1 - Avanca 2 4 - 6 4 DISTRITAL DE JUNIORES Avanca 2 0 1 1 1 - 3 1 Vilamaiorense Macieira Cambra 1 1 São Roque INFANTIS A - Grupo 1 - Série B CB Estarreja 4 0 Mourisquense Carregosense 2 0 0 2 1 - 5 0 Oliv. Bairro 4 1 1 2 5 - 8 4 I DIVISÃO - Série dos Últimos Mosteirô F . C. 0 1 Cucujães São João de Ver 2 1 AD Sanjoanense Resultados - 16.ª Jornada Paivense 2 0 0 2 1 - 7 0 Alba 4 0 2 2 2 5 2 Resultados - 2.ª Jornada Sp. Espinho 5 5 Anadia Ovarense 2 1 Esmoriz Bustelo 6 1 Tarei Próxima Jornada - 15 e 16 de Fevereiro Furadouro 0 1 Ovarense Mealhada 4 0 1 3 3 - 19 1 Beira-Mar 1 2 Oliveira do Bairro Cesarense 5 0 Unidos Rossas Folgou Arada Gafanha - Oliveirense Sp. Espinho 1 2 Paivense Classificação Oliveirense 1 7 Feirense Próxima Jornada - 15 e 16 de Fevereiro Classificação Avanca - Sp. Espinho - 15/02 Oliveira do Bairro 1 2 Arouca J V E D F - C P AD Sanjoanense 16 0 Ovarense Fiães - Taboeira Oliveira do Bairro - Sp. Espinho J V E D F - C P Esmoriz 5 1 Milheiroense Feirense 1 1 0 0 11 - 0 3 Macieira Cambra 1 3 Arrifanense Feirense - Arouca Águeda 1 1 Arrifanense Cucujães 3 3 0 0 9 - 4 9 Oliveirense - Vaguense - 15/02 CB Estarreja 1 1 0 0 4 - 0 3 Classificação Paivense - Carregosense - 15/02 Classificação Ovarense 4 3 0 1 10 - 7 9 União de Lamas - Oliveirinha Oliv. Bairro 1 1 0 0 2 - 1 3 J V E D F - C P J V E D F - C P S. V. Pereira 4 2 2 0 8 - 5 8 S. J. de Ver 1 1 0 0 2 - 1 3 Tarei - Fermedo Feirense 16 15 0 1 166 - 9 45 DISTRITAL DE JUVENIS Paivense 2 2 0 0 9 - 1 6 Sanjoanense 16 14 0 2 138 - 16 42 Sp. Espinho 1 0 1 0 5 - 5 1 Arada 3 2 0 1 5 - 3 6 Alba - Mealhada Arouca 2 2 0 0 5 - 3 6 I DIVISÃO - Série dos Últimos Oliveirense 16 14 0 2 102 - 21 42 Anadia 1 0 1 0 5 - 5 1 Rio Meão 4 2 0 2 9 - 10 6 Ovarense 2 1 1 0 3 - 2 4 Resultados - 2.ª Jornada Arrifanense 16 10 0 6 67 - 36 30 Sanjoanense 1 0 0 1 1 - 2 0 Esmoriz 2 1 0 1 7- 4 3 São Roque 4 1 2 1 7 - 8 5 Alba 3 0 AD Sanjoanense DISTRITAL DE INICIADOS Ovarense 16 9 0 7 61 - 73 27 Beira-Mar 1 0 0 1 1 - 2 0 Sp. Espinho 2 1 0 1 3 - 2 3 Lusit. Lourosa 2 0 Anadia Mac. Cambra 3 0 2 1 2 - 4 2 Bustelo 16 8 0 8 72 - 59 24 Mourisquense 1 0 0 1 0 - 4 0 II DIVISÃO Últimos Série A Milheiroense 2 1 0 1 5 - 7 3 Milheiroense 0 7 Arrifanense Esmoriz 3 0 0 3 5 - 8 0 Mac. Cambra 16 5 0 11 26 - 90 15 Fermentelos 1 0 0 1 0 - 11 0 Oliv. Bairro 2 0 1 1 3 - 4 1 Resultados - 4.ª Jornada Paços Brandão 1 3 Mealhada Cesarense 16 3 0 13 27 - 57 9 Mosteirô FC 4 0 0 4 5 - 11 0 Águeda 2 0 1 1 3 - 5 1 Próxima Jornada - 15 de Fevereiro Estarreja 0 0 Beira-Mar Anta 3 0 Paivense Unid. Rossas 16 2 0 14 30 - 182 6 Arrifanense 2 0 1 1 1 - 3 1 Próxima Jornada - 15 e 16 de Fevereiro Classificação Feirense - Casa Benfica em Estarreja Argoncilhe Canedo 0 5 Tarei 16 0 0 16 6 152 0 Furadouro 2 0 0 2 0 - 8 0 J V E D F - C P Oliveira do Bairro - Fermentelos Cucujães - São Vicente Pereira Relâmpago Nog. 3 2 Fiães Penúltima Jornada - 15 de Fevereiro Mealhada 2 2 0 0 5 - 2 6 Próxima Jornada - 15 de Fevereiro Mourisquense - São João de Ver Rio Meão Macieira de Cambra - 15/02 Macieira de Cambra Bustelo Silvalde 1 0 Paços Brandão Lourosa 2 2 0 0 4 - 1 6 Arouca - Furadouro AD Sanjoanense - Sp. Espinho São Roque- Arada - 15/02 Tarei - Cesarense Arrifanense 2 1 0 1 9 - 3 3 Esmoriz 5 0 Lusit. Lourosa Ovarense - Paivense Anadia - Beira-Mar Unidos de Rossas Oliveirense Esmoriz - Mosteirô F . C. Alba 2 1 0 1 5 - 3 3 Milheiroense - Oliveira do Bairro Classificação Feirense AD Sanjoanense Anadia 2 1 0 1 3 - 4 3 Folga Ovarense Arrifanense - Esmoriz J V E D F - C P Arrifanense - Ovarense P. Brandão 2 1 0 1 4 - 5 3 Sp. Espinho - Águeda INFANTIS B - Série Gold A Anta 4 3 1 0 12 - 2 10 Sanjoanense 2 1 0 1 1 - 3 3 Resultados - 1.ª Jornada Relâmp. Nog. 4 3 0 1 16 - 8 9 INFANTIS A Estarreja 2 0 1 1 1 - 2 1 DISTRITAL DE JUNIORES Arrifanense 6 1 Anta Beira-Mar 2 0 1 1 1 - 2 1 Silvalde 4 3 0 1 7 - 6 9 Grupo 2 - Série Premium Lusit. Lourosa 2 0 Paços Brandão Milheiroense 2 0 0 2 0 - 8 0 II DIVISÃO - Série dos Primeiros Resultados - 1.ª Jornada Paivense 4 2 0 2 8 - 6 6 DISTRITAL DE INICIADOS Fiães 3 2 Carregosense Próxima Jornada - 15 e 16 de Fevereiro Caldas S. Jorge 2 2 União de Lamas Resultados - 4.ª Jornada Canedo 4 1 2 1 8 - 4 5 Oliveirense 6 2 Válega I DIVISÃO - Série dos Primeiros Soutelo 0 7 Milheiroense Arrifanense - Alba Sanguedo 6 1 Gafanha Esmoriz 4 1 2 1 7 - 4 5 Folgou Feirense LAAC 0 0 Vista Alegre Resultados - 2.ª Jornada AD Sanjoanense - Anadia - 15/02 São João de Ver 0 1 Cesarense Fiães 4 1 2 1 7 - 7 5 Classificação Rio Meão 1 2 Calvão Mealhada -Milheiroense Anta 2 2 AD Sanjoanense Estrela Azul 2 1 Águas Boas J V E D F - C P Lourosa 4 1 1 2 2 - 10 4 Fermedo 7 2 Bom-Sucesso Beira-Mar - Paços de Brandão - 15/02 Lusit. Lourosa 1 0 Gafanha União de Lamas 0 1 Avanca Arrifanense 1 1 0 0 6 - 1 3 Lusitânia de Lourosa - Estarreja Classificação Cesarense 3 1 Anadia P. Brandão 4 0 1 3 4 - 7 1 Mealhada 1 4 Soutelo J V E D F - C P Oliveirense 1 1 0 0 6 - 2 3 Oliveirense 1 2 Fiães Argoncilhe 4 0 1 3 2 - 19 1 Milheiroense 1 1 0 0 7 - 0 3 Lourosa 1 1 0 0 2 - 0 3 Classificação 0 0 Sp. Espinho Feirense DISTRITAL DE JUVENIS Próxima Jornada - 15 e 16 de Fevereiro Fermedo 1 1 0 0 7 - 2 3 Fiães 1 1 0 0 3 - 2 3 J V E D F - C P Classificação Calvão 1 1 0 0 2 1 3 Feirense 0 0 0 0 0 - 0 0 Paços de Brandão - Anta II DIVISÃO - Série dos Primeiros J V E D F - C P Cesarense 4 4 0 0 10 - 0 12 C. S. Jorge 1 0 1 0 2 2 1 Carregosense 1 0 0 1 2 - 3 0 Fiães 2 2 0 0 5 - 1 6 Resultados - 4.ª Jornada Paivense - Argoncilhe Avanca 4 3 0 1 10 - 3 9 União Lamas 1 0 1 0 2 - 2 1 P. Brandão 1 0 0 1 0 - 2 0 Cesarense 2 2 0 0 5 - 2 6 Anta 3 4 Cesarense Canedo - Relâmpago Nogueirense Gafanha 4 3 0 1 7 - 7 9 LAAC 1 0 1 0 0 - 0 1 Anta 2 1 1 0 7 - 2 4 Válega 1 0 0 1 2 - 6 0 Avanca 1 1 Vilamaiorense Vista Alegre 1 0 1 0 0 - 0 1 Lusitânia de Lourosa Silvalde Sanguedo 4 2 1 1 10 - 6 7 Lourosa 2 1 1 0 2 - 1 4 Anta 1 0 0 1 1 - 6 0 Rio Meão 1 0 0 1 1 - 2 0 Gafanha 3 0 Águeda Estrela Azul 4 2 0 2 5 - 5 6 15/02 Fiães Esmoriz Anadia 2 1 0 1 2 - 3 3

Correio da Feira

21

RESULTADOS CAMADAS JOVENS

JUNIORES

INFANTIS

JUVENIS

INICIADOS

Soutelo 4 2 0 2 8 - 8 Águas Boas 4 1 1 2 5 - 4 União Lamas 4 1 0 3 2 - 4 S. J. de Ver 4 0 2 2 2 - 5 Mealhada 4 0 0 4 1 - 18 Próxima Jornada - 15 de Fevereiro Avanca - Sanguedo Gafanha - São João de Ver Cesarense - Estrela Azul Soutelo - União de Lamas Águas Boas - Mealhada

DISTRITAL DE JUNIORES II DIVISÃO - Últimos - Série A

6 4 3 2 0

Resultados - 4.ª Jornada Canedo 2 1 Paços Brandão Fiães 2 4 Lobão Arada 1 2 São Vic. Pereira Soutense 0 0 Argoncilhe Classificação J V E D F - C P Lobão 4 4 0 0 14 - 5 12 S. V. Pereira 4 3 0 1 8 - 4 9 Fiães 4 2 0 2 8 - 9 6 Soutense 4 1 2 1 7 - 8 5 P. Brandão 4 1 1 2 6 - 7 4 Argoncilhe 4 1 1 2 2 - 4 4 Canedo 4 1 1 2 3 - 6 4 Arada 4 0 1 3 5 - 10 1 Próxima Jornada - 15 de Fevereiro Argoncilhe - Canedo Paços de Brandão - Fiães Lobão - Arada

Oliveirense 2 3 União de Lamas Oliveira do Bairro 4 3 Soutelo Classificação J V E D F - C P Avanca 4 3 1 0 8 - 3 10 Gafanha 4 3 0 1 7 - 1 9 União Lamas 4 3 0 1 11 - 7 9 Cesarense 4 3 0 1 11 - 8 9 Oliv. Bairro 4 2 1 1 9 - 10 7 Soutelo 4 1 1 2 7 - 8 4 Oliveirense 4 1 0 3 3 - 7 3 Anta 4 1 0 3 7 - 11 3 Vilamaioren. 4 0 2 2 2 - 4 2 Águeda 4 0 1 3 3 - 9 1 Próxima Jornada - 15 e 16 de Fevereiro União de Lamas - Anta Cesarense - Avanca Vilamaiorense - Gafanha - 15/02 Soutelo - Oliveirense Águeda - Oliveira do Bairro

DISTRITAL DE JUVENIS II DIVISÃO - Últimos - Série A

Resultados - 4.ª Jornada Argoncilhe 3 3 São Martinho Canedo 5 2 CRC Vale Relâmpago Nog. 2 3 Sp. Espinho Fiães 0 1 Paços Brandão São João de Ver 1 1 Lusit. Lourosa Classificação J V E D F - C P Sp. Espinho 4 4 0 0 12 - 3 12 S. J. de Ver 4 3 1 0 14 - 4 10 Canedo 4 3 0 1 11 - 5 9

Feirense 2 0 2 0 1 - 1 2 Sanjoanense 2 0 1 1 3 - 4 1 Sp. Espinho 2 0 1 1 0 - 3 1 Oliveirense 2 0 0 2 1 - 3 0 Gafanha 2 0 0 2 0 - 6 0 Próxima Jornada - 15 e 16 de Fevereiro Anadia - Anta - 15/02 AD Sanjoanense - Gafanha Fiães - Cesarense Feirense - Oliveirense Lusitânia de Lourosa - Sp. Espinho

DISTRITAL DE INICIADOS I DIVISÃO - Série dos Últimos

Resultados - 2.ª Jornada Arouca 0 1 Beira-Mar Vilamaiorense 4 1 Estarreja Paivense 1 0 Taboeira Paços Brandão 4 0 São João Ver Avanca 0 2 Oiã Classificação J V E D F - C P P. Brandão 2 2 0 0 9 - 0 6 Oiã 2 2 0 0 10 - 2 6 Beira-Mar 2 2 0 0 3 - 1 6 Arouca 2 1 0 1 3 - 1 3 Paivense 2 1 0 1 2 - 2 3 Avanca 2 1 0 1 1 - 2 3 Vilamaioren. 2 1 0 1 6 - 9 3 S. J. de Ver 2 0 0 2 0 - 5 0 Estarreja 2 0 0 2 1 - 7 0 Taboeira 2 0 0 2 0 - 6 0 Próxima Jornada - 15 e 16 de Fevereiro Taboeira - Arouca - 15/02 Beira-Mar - Estarreja São João de Ver - Paivense Oiã - Paços de Brandão

DISTRITAL DE INICIADOS II DIVISÃO - Últimos - Série B

Resultados - 4.ª Jornada Cucujães 1 5 Unidos Rossas Milheiroense 4 2 Arouca Fiães 1 2 Macieira Cambra Arrifanense 2 4 Feirense Ovarense 0 3 Carregosense Classificação J V E D F - C P U. Rossas 4 3 1 0 8 - 2 10 Carregosen. 4 3 1 0 8 - 3 10 Feirense 4 3 0 1 17 - 4 9 Milheiroense 4 2 0 2 11 - 7 6 Arrifanense 4 2 0 2 9 - 6 6 Fiães 4 2 0 2 5 - 5 6 Mac. Cambra 4 2 0 2 6 - 7 6 Arouca 4 1 0 3 7 - 13 3 Ovarense 4 1 0 3 4 - 15 3 Cucujães 4 0 0 4 1 - 14 0 Próxima Jornada - 15 e 16 de Fevereiro Feirense - Cucujães - 15/02 Unidos de Rossas - Milheiroense Arouca - Fiães Carregosense - Arrifanense Macieira de Cambra - Ovarense

Bom-Sucesso 1 0 0 1 2 - 7 0 Soutelo 1 0 0 1 0 - 7 0 Próxima Jornada - 15 de Fevereiro União de Lamas - Soutelo Bom-Sucesso - Caldas de São Jorge Milheiroense - LAAC Vista Alegre - Rio Meão Calvão - Fermedo

INFANTIS A Grupo 2 - Série Gold A

Resultados - 1.ª Jornada Esmoriz 2 0 Argoncilhe Feirense 6 2 Taboeira Anadia 1 2 Vaguense Oliveirense 0 8 AD Sanjoanense Folgou Estarreja Classificação J V E D F - C P Sanjoanense 1 1 0 0 8 - 0 3 Feirense 1 1 0 0 6 - 2 3 Esmoriz 1 1 0 0 2 - 0 3 Vaguense 1 1 0 0 2 - 1 3 Estarreja 0 0 0 0 0 - 0 0 Anadia 1 0 0 1 1 - 2 0 Argoncilhe 1 0 0 1 0 - 2 0 Taboeira 1 0 0 1 2 - 6 0 Oliveirense 1 0 0 1 0 - 8 0 Próxima Jornada - 15 de Fevereiro Argoncilhe - Feirense Taboeira - Anadia Vaguense - Oliveirense AD Sanjoanense - Estarreja Folga Esmoriz

Próxima Jornada - 15 de Fevereiro Anta - Lusitânia de Lourosa Paços de Brandão - Fiães Carregosense - Oliveirense Válega - Feirense Folga Arrifanense

INFANTIS B - Série Gold B

Resultados - 1.ª Jornada Sanguedo 0 5 Milheiroense Cucujães 2 1 Oliveirense Severfintas 2 1 Salesianos Esmoriz 3 2 Cortegaça Folgou Canedo Classificação J V E D F - C Milheiroense 1 1 0 0 5 - 0 Cucujães 1 1 0 0 2 - 1 Severfintas 1 1 0 0 2 - 1 Esmoriz 1 1 0 0 3 - 2 Canedo 0 0 0 0 0 - 0 Oliveirense 1 0 0 1 1 - 2 Salesianos 1 0 0 1 1 - 2 Cortegaça 1 0 0 1 2 - 3 Sanguedo 1 0 0 1 0 - 5 Próxima Jornada - 15 de Fevereiro Milheiroense - Cucujães Oliveirense - Severfintas Salesianos - Esmoriz Cortegaça - Canedo Folga Sanguedo

P 3 3 3 3 0 0 0 0 0


BENJAMINS A - Série Gold C

Resultados - 2.ª Jornada Fermedo 0 3 Vilamaiorense Valecambrense 11 0 Sanguedo São João de Ver 1 0 Milheiroense Arouca 6 0 Canedo 10.FEV.2014 Classificação J V E D F - C P Valecambren. 2 2 0 0 17 - 3 6 2 2 0 0 nulla 9 - 1 corem 6 Voleibol // Enis alit nulla aciArouca et lamcommy ipit, si.Metue modolor sumsan ercilit eu feui blaor at S. J. de Ver 2 2 0 0 3 - 0 6 Vilamaioren. 2 1 0 1 3 - 2 3 Fermedo 2 1 0 1 4 - 5 3 Milheiroense 2 0 0 2 1 - 4 0 Canedo 2 0 0 2 3 - 12 0 INFANTIS B - Série Gold C Sanguedo 2 A 0 - 0Série 2 2Gold - 15C 0 BENJAMINS B - Série Gold B BENJAMINS TRAQUINAS A - Série Gold C Resultados - 1.ª Jornada Resultados - 2.ª Jornada Resultados - 2.ª Jornada Resultados Próxima Jornada--2.ª 15 Jornada de Fevereiro Paramos 2 2 Anta Paços Brandão 0 1 União de Lamas Paços Brandão 4 2 Ovarense Fermedo 0 3- Fermedo Vilamaiorense Vilamaiorense 11 0 Ovarense Milheiroense Arouca 3 2 AD Sanjoanense Oliveirense 18 0 AD Sanjoanense AD Sanjoanense 0 5 Fiães 11 -0Sanguedo Valecambrense Sanguedo Vilamaiorense Lusit. Lourosa 0 5 Macieira Cambra União de Lamas 7 0 Salesianos Mosteirô F. C. 3 2 São João de Ver 1 João 0 Milheiroense São João de Ver- São Milheiroense 1 7 Valecambrense Canedo de Ver Fiães 8 0 Sanguedo Folgou Tarei Classificação Arouca 6 0 - Canedo Valecambrense Arouca Classificação Classificação J V E D F - C P Classificação J V E D F - C P J V E D F - C P Mac. Cambra 2 2 0 0 8 - 0 6 J A V - ESérie D Gold F - CD P Vilamaioren. 1 1 0 0 11 - 0 3 Oliveirense 2 2 0 0 24 - 0 6 BENJAMINS Arouca 2 2 0 0 7 - 2 6 Fiães 1 1 0 0 5 - 0 3 Valecambren. 2 2- 2.ª 0 Jornada 0 17 - 3 6 P. Brandão 2 2 0 0 12 - 2 6 União Lamas 2 2 0 0 5 - 0 6 Resultados Mosteirô F.C. 1 1 0 0 3 - 2 3 Valecambren. 2 1 0 1 7 - 5 3 União Lamas 2 1 1 0 11 - 4 4 Arouca 2 2 0 0 9 - 1 6 13 2 CRC Vale Cucujães Paramos 1 0 1 0 2 - 2 1 Sanjoanense 2 1 0 1 6 - 5 3 Fiães 2 1 0 1 8 - 1 3 S. J. de Ver 2 2 0 0 3 - 0 6 Anta 1 0 1 0 2 - 2 1 Arada 6 2 Argoncilhe P. Brandão 2 0 0 2 2 - 5 0 Salesianos 2 1 0 1 1 - 7 3 Vilamaioren. 2 1 0 1 3 - 2 3 Tarei 0 0 0 0 0 - 0 0 Milheiroense 2 0 0 2 1 - 10 0 Rio Meão 1 1 Fiães Ovarense 2 0 1 1 6 - 8 1 S. J. de Ver 1 0 0 1 2 - 3 0 Fermedo 2 1 0 1 4 - 5 3 Lourosa 2 0 0 2 0 - 9 0 Folgou Lusitânia de Lourosa Sanguedo 2 0 0 2 0 - 14 0 Sanjoanense 1 0 0 1 0 - 5 0 Milheiroense 2 0 0 2 1 - 4 0 Próxima Jornada - 15 de Fevereiro Sanjoanense 2 0 0 2 0 - 26 0 Classificação Ovarense 1 0 0 1 0 - 11 0 Canedo 2 0 0 2 3 - 12 0 Macieira de Cambra -Paços de Brandão J V E D F - C P Próxima Jornada - 15 de Fevereiro Próxima Jornada - 15 de Fevereiro União de Lamas - AD Sanjoanense Sanguedo 2 0 0 2 2 - 15 0 Cucujães 2 2 0 0 17 - 3 6 Anta - Vilamaiorense Salesianos - Paços de Brandão Valecambrense - Lusitânia de Lourosa Próxima Jornada Ovarense - AD Sanjoanense Ovarense - AD Sanjoanense Arada 2 2 - 15 0 de 0 Fevereiro 9 - 3 6 Arouca - Milheiroense Fiães - Mosteirô F. C. Sanguedo - União de Lamas Rio MeãoMilheiroense 2 1 1- Fermedo 0 6 - 3 4 São João de Ver - Tarei TRAQUINAS B - Série A Oliveirense - Fiães Fiães Vilamaiorense 1 0 -1Sanguedo 0 1 - 1 1 Folga Paramos Resultados - 9.ª e Penúltima Jornada Canedo 1- São Lourosa 0 João 0 1de1Ver- 4 0 BENJAMINS B - Série Gold C Anta 2 0 Lusit. Lourosa Valecambrense Argoncilhe 2 0 0 - Arouca 2 4 - 11 0

22

Correio da Feira

CAMPEONATO DISTRITAL FEMININO - FUT /7 - SUB/18

Resultados - 12.ª Jornada Mocid. Eirolense 1 0 S. M. Murtoense Clube Albergaria 8 1 Fiães Argoncilhe 0 3 Cucujães Vaguense 4 4 Sanguedo Esmoriz 2 4 Cesarense Folga Ovarense Classificação J V E D F - C P C. Albergaria 11 10 1 0 71 - 10 31 Moc. Eirolense 11 10 0 1 56 - 8 30 S. M. Murtoense 11 8 1 2 44 - 12 25 Cesarense 11 7 0 4 29 - 24 21 Ovarense 10 6 1 3 23 - 26 19 Cucujães 11 5 2 4 22 - 19 17 Fiães 11 3 2 6 28 - 33 11 Sanguedo 11 3 1 7 26 - 59 10 Argoncilhe 11 2 1 8 7 - 36 7 CAMPEONATO Esmoriz 11 1 0DISTRITAL 10 14 - 57 3 Vaguense 11 - FUT 0 1 /710- SUB/18 13 - 49 1 FEMININO Próxima Jornada- -12.ª 22 de Fevereiro Resultados Jornada 1 0 -S. Mocid. Eirolense M. Murtoense São Marítimo Murtoense Clube Albergaria 8 1 Fiães Clube Albergaria 17h Fiães - Argoncilhe, 3 Cucujães Argoncilhe Cucujães0 - Vaguense 4 Sanguedo Vaguense 15h Sanguedo4- Esmoriz, 2 - Ovarense 4 Cesarense Esmoriz Cesarense Folga FolgouOvarense Esmoriz Classificação J V E D F - C P C. Albergaria 11 10 1 0 71 - 10 31 Moc. Eirolense 11 10 0 1 56 - 8 30 S. M. Murtoense 11FEMININO 8 1 2 FUTSAL 44 - 12 25 JUNIORES Cesarense 11 7- 15.ª 0 Jornada 4 29 - 24 21 Resultados Ovarense 10 6 1 15 Lusitânia 3 23 - Lourosa 26 19 Novasemente Cucujães 11 5 2 4 22 - 19 17 Rest. Avintenses 6 1 Leões Tardariz Fiães 11 3 2 6 28 - 33 11 Ossela 2 1 Barranha Sanguedo 11 3 1 7 26 - 59 10 Ases de Leça Argoncilhe 11 20 12 1 Escola 8 7 Gondomar - 36 7 PARC Esmoriz 11 10 02 SC 10 Canidelo 14 - 57 3 Classificação Vaguense 11 0 1 10 13 - 49 1 J V E D F - C P Próxima Jornada - 22 de Fevereiro Ossela 15 14 1 0 110 - 7 43 São Marítimo Murtoense - Clube Albergaria Rest. Avintenses14 12 0 2 78 - 18 36 Fiães - Argoncilhe, 17h Barranha Cucujães 15 11- Vaguense 3 1 74 - 16 36 Esc. Gondomar 15 6- Esmoriz, 4 5 53 15h - 26 22 Sanguedo Lusit. Lourosa 15 7 - Ovarense 1 7 42 - 33 22 Cesarense SC Canidelo Folgou 15 5 Esmoriz 4 6 29 - 34 19

praestrud modoluptat lum velit praesed dit utat

RESULTADOS CAMADAS JOVENS

BENJAMINS BENJAMINS A - Série Premium

Resultados - 2.ª Jornada Anta 4 2 Feirense Taboeira 5 6 Avanca Fiães 0 3 Vilamaiorense Vaguense 2 7 AD Sanjoanense Anadia 1 1 Gafanha Classificação J V E D F - C P Vilamaioren. 2 2 0 0 10 - 1 6 Anta 2 1 1 0 7 - 5 4 Avanca 2 1 1 0 9 - 8 4 Anadia 2 1 1 0 2 - 1 4 Sanjoanense 2 1 0 1 7 - 3 3 Taboeira 2 1 0 1 10 - 9 3 Feirense 2 1 0 1 3 - 4 3 Gafanha 2 0 1 1 4 - 6 1 Fiães 2 0 0 2 0 - 4 0 Vaguense 2 0 0 2 3- 14 0 Próxima Jornada - 15 e 16 de Fevereiro Vilamaiorense - Anta - 16/02 Feirense - Avanca AD Sanjoanense - Fiães Gafanha - Vaguense Taboeira - Anadia

BENJAMINS A - Série Gold A

Resultados - 2.ª Jornada Paços Brandão 6 5 Esmoriz União de Lamas 2 1 Sp. Espinho Feirense 1 0 Cesarense Paivense 0 1 Bustelo Classificação J V E D F - C União Lamas 2 2 0 0 7 - 2 P. Brandão 2 2 0 0 9 - 7 Feirense 2 1 1 0 4 - 3 Cesarense 2 1 0 1 6 - 3 Bustelo 2 1 0 1 2 - 5 Esmoriz 2 0 1 1 8 - 9 Sp. Espinho 2 0 0 2 3 - 5 Paivense 2 0 0 2 2 - 7 Próxima Jornada - 15 de Fevereiro Cesarense - Paços de Brandão Esmoriz - Sp. Espinho Bustelo - Feirense União de Lamas - Paivense

P 6 6 4 3 3 1 0 0

BENJAMINS A - Série Gold B

Resultados - 2.ª Jornada Anta 2 6 Macieira Cambra AD Sanjoanense 1 2 Arrifanense Cortegaça 1 3 Ovarense Folgou Lusitânia de Lourosa Classificação J V E D F - C P Mac. Cambra 2 2 0 0 10 - 5 6 Arrifanense 2 1 1 0 3 - 2 4 Lourosa 1 1 0 0 6 - 0 3 Ovarense 1 1 0 0 3 - 1 3 Cortegaça 2 0 1 1 2 - 41 Sanjoanense 2 0 0 2 4- 6 0 Anta 2 0 0 2 2 - 12 0 Próxima Jornada - 15 e 16 de Fevereiro Arrifanense - Anta Mac. Cambra -Lusitânia Lourosa - 16/02 Ovarense - AD Sanjoanense Folga Cortegaça

BENJAMINS A - Série Gold C

Resultados - 2.ª Jornada Fermedo 0 3 Vilamaiorense Valecambrense 11 0 Sanguedo São João de Ver 1 0 Milheiroense Arouca 6 0 Canedo Classificação J V E D F - C P Valecambren. 2 2 0 0 17 - 3 6 Arouca 2 2 0 0 9 - 1 6 S. J. de Ver 2 2 0 0 3 - 0 6 Vilamaioren. 2 1 0 1 3 - 2 3 Fermedo 2 1 0 1 4 - 5 3 Milheiroense 2 0 0 2 1 - 4 0 Canedo 2 0 0 2 3 - 12 0 Sanguedo 2 0 0 2 2 - 15 0 Próxima Jornada - 15 de Fevereiro Milheiroense - Fermedo Vilamaiorense - Sanguedo Canedo - São João de Ver Valecambrense - Arouca

CRC Vale 2 0 0 2 3 - 16 0 Próxima Jornada - 15 de Fevereiro Argoncilhe - Cucujães CRC Vale - Lusitânia de Lourosa Fiães - Arada Folga Rio Meão

BENJAMINS A - Série Gold E

Resultados - 2.ª Jornada Tarei 10 0 Fajões Unidos de Rossas 5 4 Carregosense Avanca 10 1 Válega Macieira Cambra 1 0 Oliveirense Classificação J V E D F - C P Avanca 2 2 0 0 24 - 1 6 Mac. Cambra 2 2 0 0 12 - 3 6 Tarei 2 1 0 1 11 - 2 3 Oliveirense 2 1 0 1 2 - 2 3 Carregosense 2 1 0 1 6 - 6 3 Unidos Rossas 2 1 0 1 6 - 6 3 Válega 2 0 0 2 4 - 21 0 Fajões 2 0 0 2 0 - 24 0 Próxima Jornada - 15 de Fevereiro Válega - Tarei Fajões - Carregosense Oliveirense - Avanca Unidos de Rossas - Macieira de Cambra

BENJAMINS B - Série Premium

Resultados - 2.ª Jornada Anta 8 0 Furadouro AD Sanjoanense 5 1 Anadia Ribeira Azenha 2 2 Arrifanense Vilamaiorense 4 3 Gafanha Estarreja 0 2 Beira-Mar Classificação J V E D F - C Sanjoanense 2 2 0 0 8 - 2 Ribeira Azenha 2 1 1 0 4 - 3 Vilamaioren. 2 1 1 0 8 - 7 Anta 2 1 0 1 10 - 3 Gafanha 2 1 0 1 5 - 4 Beira-Mar 2 1 0 1 3 - 3 Anadia 2 1 0 1 4 - 7 Arrifanense 2 0 2 0 6 - 6 Estarreja 2 0 0 2 0 - 4 Furadouro 2 0 0 2 1 - 10 Próxima Jornada - 15 de Fevereiro Arrifanense - Anta Furadouro - Anadia Gafanha - Ribeira da Azenha Beira-Mar - Vilamaiorense AD Sanjoanense - Estarreja

BENJAMINS B - Série Gold A

P 6 4 4 3 3 3 3 2 0 0

Resultados - 2.ª Jornada Caldas S. Jorge 4 3 Milheiroense Feirense 4 1 São João de Ver Lusit. Lourosa 2 1 Cucujães Folgou Sp. Espinho Classificação J V E D F - C P Feirense 2 1 1 0 9 - 6 4 Sp. Espinho 1 1 0 0 5 - 3 3 S. J. de Ver 2 1 0 1 4 - 5 3 C. S. Jorge 2 1 0 1 7 - 8 3 Lourosa 2 1 0 1 3 - 4 3 Milheiroense 2 0 1 1 8 - 9 1 Cucujães 1 0 0 1 1 - 2 0 Próxima Jornada - 15 de Fevereiro São João de Ver - Caldas de São Milheiroense - Sp. Espinho Cucujães - Feirense Folga Lusitânia de Lourosa

Resultados - 2.ª Jornada Anta 4 0 Fiães Cesarense 6 0 Cortegaça CRC Vale 0 3 Vilamaiorense Folgou Esmoriz Classificação J V E D F - C P Cesarense 2 1 0 1 7 - 2 3 Vilamaioren. 1 1 0 0 3 - 0 3 Esmoriz 1 1 0 0 4 - 2 3 Anta 2 1 0 1 6 - 4 3 Fiães 2 1 0 1 2 - 5 3 Cortegaça 2 1 0 1 4 - 8 3 CRC Vale 2 0 0 2 2 - 7 0 Próxima Jornada - 15 de Fevereiro Cortegaça - Anta Fiães - Esmoriz Vilamaiorense - Cesarense Folga CRC Vale

TRAQUINAS TRAQUINAS A - Série Premium

Resultados - 2.ª Jornada Anta 7 1 Mealhada AD Sanjoanense 1 2 Oliveira do Bairro Anadia 3 1 Cesarense Estarreja 3 2 Cucujães Sp. Espinho 2 1 Feirense Classificação J V E D F - C P Anta 2 2 0 0 11 - 3 6 Anadia 2 2 0 0 6 - 2 6 Cesarense 2 1 0 1 6 - 4 3 Feirense 2 1 0 1 4 - 3 3 Cucujães 2 1 0 1 4 - 4 3 Sp. Espinho 2 1 0 1 3 - 3 3 Oliv. Bairro 2 1 0 1 4 - 5 3 Estarreja 2 1 0 1 4 - 7 3 Sanjoanense 2 0 0 2 2 - 5 0 Mealhada 2 0 0 2 2 - 10 0 Próxima Jornada - 15 de Fevereiro Cesarense - Anta Mealhada - Oliveira do Bairro Cucujães - Anadia Feirense - Estarreja AD Sanjoanense - Sp. Espinho

TRAQUINAS A - Série Gold A

Resultados - 2.ª Jornada Anta 0 4 Fiães Vilamaiorense 5 1 Oliveirense Paços Brandão 2 4 São João de Ver Ovarense 3 3 Lusit. Lourosa Classificação J V E D F - C P S. J. de Ver 2 2 0 0 12 - 2 6 Fiães 2 2 0 0 8 - 1 6 Vilamaioren. 2 1 1 0 7 - 3 4 Oliveirense 2 1 0 1 11 - 7 3 Lourosa 2 0 2 0 5 - 5 2 Ovarense 2 0 1 1 3 - 11 1 P. Brandão 2 0 0 2 3 - 8 0 Anta 2 0 0 2 2 - 14 0 Próxima Jornada - 15 de Fevereiro São João de Ver - Anta Fiães - Oliveirense Lusitânia Lourosa - Paços Brandão Vilamaiorense - Ovarense

TRAQUINAS A - Série Gold B

Resultados - 2.ª Jornada Cucujães 11-Fev Loureiro Cortegaça 5 4 Arada Fermedo 0 4 Arrifanense Esmoriz 6 0 Canedo Classificação J V E D F - C Arrifanense 2 2 0 0 6 - 1 Cortegaça 2 2 0 0 7 - 5 Esmoriz 2 1 0 1 7 - 2 Arada 2 1 0 1 9- 6 Loureiro 1 1 0 0 3 - 1 Cucujães 1 0 0 1 1 - 5 Fermedo 2 0 0 2 1 - 7 Canedo 2 0 0 2 1 - 8 Próxima Jornada - 15 de Fevereiro Arrifanense - Cucujães Loureiro - Arada Canedo - Fermedo Cortegaça - Esmoriz

P 6 6 3 3 3 0 0 0

Fiães 5 0 Sp. Espinho Sanguedo 1 5 Vilamaiorense Classificação J V E D F - C P Fiães 9 7 0 2 62 - 10 21 Lourosa 9 6 1 2 36 - 16 19 Anta 9 6 0 3 39 - 12 18 Sp. Espinho 9 4 1 4 50 - 18 13 Vilamaioren. 9 3 0 6 32 - 50 9 Sanguedo 9 0 0 9 1 - 114 0 Última Jornada - 15 e 16 de Fevereiro Lusitânia de Lourosa - Sanguedo Sp. Espinho - Anta Vilamaiorense - Fiães - 16/02

TRAQUINAS B - Série B

Resultados - 13.ª e Penúltima Jornada Feirense 4 3 Paços Brandão Arrifanense 1 2 Salesianos Anta adiad São João de Ver Folgou Milheiroense Classificação J V E D F - C P Feirense 11 10 1 0 72 - 18 31 P. Brandão 12 10 0 2 68 - 17 30 Salesianos 11 5 0 6 32 - 32 15 Anta 10 4 2 4 36 - 28 14 S. J. de Ver 10 4 0 6 45 - 33 12 Arrifanense 10 2 1 7 31 - 39 7 Milheiroense 10 0 0 10 5 - 122 0 Última Jornada - 15 de Fevereiro CAMPEONATO DE PROMOÇÃO Salesianos - Feirense DESão FUTEBOL FEMININO - Série B João de Ver - Arrifanense Milheiroense Anta Resultados - 13.ª Jornada Folga Paços de Brandão

FUTSAL

Leões Tardariz 15 5 2 8 47 - 52 Novasemente 15 3 1 11 25 - 61 PARC 15 3 0 12 6 - 80 Ases Leça 14 0 0 14 2 - 139 Próxima Jornada - 15 de Fevereiro Lusitânia de Lourosa - PARC, 15h Leões Tardariz - Novasemente Barranha - Restauradores Avintenses Escola de Gondomar - Ossela SC Canidelo - Ases de Leça

17 10 9 0

JUNIORES FUTSAL Série dos Últimos - Grupo C

Resultados - 2.ª Jornada Juventude Fiães 8 3 Lamas Futsal Folgou Lusitânia de Lourosa Classificação J V E D F - C P Juvent. Fiães 1 1 0 0 8 - 3 3 Lamas Futsal 2 1 0 1 13 - 13 3 Lusit. Lourosa 1 0 0 1 5 - 10 0 Próxima Jornada - 15 de Fevereiro Lusitânia Lourosa - Juventude Fiães, 17h Folga Lamas Futsal

JUNIORES FUTSAL Série dos Últimos - Grupo D

Resultados - 2.ª Jornada ARCA 5 6 Din. Sanjoanense ACR Vale Cambra 7 6 AJ Angeja Classificação J V E D F - C P D. Sanjoanen. 2 2 0 0 20 - 6 6 ARCA 2 1 0 1 14 - 10 3 ACR V. Cambra 2 1 0 1 8 - 20 3 AJ Angeja 2 0 0 2 10 - 16 0 Próxima Jornada - 16 de Fevereiro Dinamo Sanjoanense - AJ Angeja ACR Vale de Cambra - ARCA

JUVENIS FUTSAL

S. M. Murtoense 8 3 Esmoriz Mocid. Eirolense 1 1 Vila FC UD Sousense 5 0 Fiães 0 PROMOÇÃO Canelas 2010 Viseu 2001 7 DE CAMPEONATO DE FUTEBOL FEMININO Folgou Pasteleira - Série B Resultados - 13.ª Jornada Classificação S. M. Murtoense 8 3 Esmoriz J V E D F - C P Mocid. Eirolense 1 1 Vila FC Viseu UD 2001Sousense 12 12 0 96 - 2 36 5 00 Fiães Viseu 2001 Moc. Eirolense 12 78 02 Canelas 2 35 -2010 19 26 Pasteleira Folgou 11 6 Pasteleira 1 4 4 9 - 17 19 Classificação Vila FC 12J V5 3E 4D 25 F -- 20 C 18 P Viseu 2001 12 12 96 -- 17 2 17 36 S. M. Murtoense10 5 20 03 27 Moc. Eirolense 12 8 2 2 35 - 19 26 UD Sousense 12 5 2 5 22 - 28 17 Pasteleira 11 6 1 4 4 9 - 17 19 Fiães 11 7 Vila FC 12 25 13 48 12 25 -- 79 20 18 S. M. Murtoense10 Canelas 2010 11 50 23 83 27 4-- 17 37 17 3 UD Sousense 12 5 2 5 22 - 28 17 Esmoriz 11 20 12 89 12 8 -- 79 59 72 Fiães 11 Canelas 2010Jornada 11 0 - 16 3 de8 Fevereiro 4- 37 3 Próxima Esmoriz 11 0 2 9 8 - 59 2 Próxima Esmoriz Jornada--Pasteleira 16 de Fevereiro Vila FCEsmoriz - São Marítimo Murtoense - Pasteleira VilaFiães FC - -São Marítimo Murtoense Mocidade Eirolense Fiães - Mocidade Eirolense Canelas 2010 - UD Sousense Canelas 2010 - UD Sousense Folga Viseu Viseu 2001 2001 Folga

Resultados - 21.ª Jornada Ossela 11 0 CD Feirense Beira-Mar 3 1 Saavedra Guedes Atómicos 3 2 CD Escapães CP Esgueira 2 5 D. Sanjoanense Veiros 3 5 Juventude Fiães GRC Telhadela 5 2 ACR Vale Cambra Folgou CRECUS Classificação J V E D F - C P D. Sanjoanen. 20 18 1 1 136 - 26 55 Ossela 19 16 0 3 122 - 27 48 CD Escapães 20 15 2 3 93 - 41 47 Atómicos 19 14 0 5 86 - 40 42 CRECUS 19 8 5 6 51 - 48 29 Juvent. Fiães 20 7 3 10 54 - 91 24 Beira-Mar 19 7 2 10 37 - 73 23 ACR V. Cambra 20 6 3 11 38 - 77 21 Esgueira 19 5 5 9 69 - 73 20 Telhadela 20 5 3 12 52 - 76 18 Veiros 19 5 2 12 50 - 76 17 Saavedra Gued.19 5 2 12 32 - 79 17 CD Feirense 19 0 2 17 27 - 120 2 Próxima Jornada - 15 e 16 de Fevereiro Saavedra Guedes - CD Feirense , 21h CRECUS - Beira-Mar Dinamo Sanjoanense - Atómicos Juventude de Fiães - CP Esgueira,15h ACR Vale de Cambra - Veiros - 16/02 GRC Telhadela - Ossela- 16/02 Folga CD Escapães

CAMPEONATO DISTRITAL FEMININO - FUT /7 - SUB/18

INICIADOS FUTSAL Zona Norte

FEMININO

Resultados - 12.ª Jornada Mocid. Eirolense 1 0 S. M. Murtoense Clube Albergaria 8 1 Fiães Argoncilhe 0 3 Cucujães Vaguense 4 4 Sanguedo Esmoriz 2 4 Cesarense Folga Ovarense Classificação J V E D F - C P C. Albergaria 11 10 1 0 71 - 10 31 Moc. Eirolense 11 10 0 1 56 - 8 30 S. M. Murtoense11 8 1 2 44 - 12 25 Cesarense 11 7 0 4 29 - 24 21 Ovarense 10 6 1 3 23 - 26 19 Cucujães 11 5 2 4 22 - 19 17 Fiães 11 3 2 6 28 - 33 11 Sanguedo 11 3 1 7 26 - 59 10 Argoncilhe 11 2 1 8 7 - 36 7 Esmoriz 11 1 0 10 14 - 57 3 Vaguense 11 0 1 10 13 - 49 1 Próxima Jornada - 22 de Fevereiro São Marítimo Murtoense - Clube Albergaria Fiães - Argoncilhe, 17h Cucujães - Vaguense Sanguedo - Esmoriz, 15h

INICIADOS FUTSAL Zona Norte

Resultados - 21.ª e Penúltima Jornada Juventude Fiães 10 0 Lusitânia Lourosa Saavedra Guedes 0 9 Ossela ACR Vale Cambra 1 6 CRECOR GDC Lordelo 2 4 GDC Sanfins PARC 4 4 D. Sanjoanense CD Escapães 2 6 Fundo de Vila Classificação J V E D F - C P Ossela 21 20 0 1 208 - 52 60 Fundo de Vila 21 19 0 2 184 - 39 57 D. Sanjoanen. 21 15 1 5 145 - 59 46 CRECOR 21 13 0 8 88 - 48 39 Juvent. Fiães 21 12 1 8 94 - 55 37 PARC 21 12 1 8 99 - 85 37 GCD Sanfins 21 11 1 9 68 - 95 34 CD Escapães 21 6 2 13 48 - 75 20 Lordelo 21 6 0 15 70 - 101 18 ACR V. Cambra 21 4 0 17 29 - 125 12 INICIADOS Saavedra Gued.21 3 2FUTSAL 16 33 - 127 11 Lusit. Lourosa Zona 21 1 Norte 0 20 22 - 227 3 Resultados - 21.ª e-Penúltima Jornada Última Jornada 15 de Fevereiro 10 0 Lusitânia Juventude OsselaFiães - Juventude Fiães , 15hLourosa 0 9 Ossela Saavedra Guedes- Saavedra CRECOR Guedes 1 Vale 6 CRECOR ACR Cambra GDCVale Sanfins - ACR de Cambra, 15h 2 4 -GDC GDC Lordelo Dinamo Sanjoanense GDCSanfins Lordelo 4 - D. PARCde4 Vila Sanjoanense Fundo PARC CD Escapães Fundo de Vila 15h 2 6 Lusitânia de Lourosa - CD Escapães, Classificação J V E D F INFANTIS FUTSAL - C P Ossela 21 20 0 1 208 - 52 60 Resultados - 19.ª Jornada Fundo de Vila 21 19 0 2 184 - 39 57 2 14 Fundo Sanjoanense D.Din. Sanjoanen. 21 15 5 145de- Vila 59 46 2 00 ACR Vale CCR Maceda CRECOR 21 13 8 88 - Cambra 48 39 8 12 PARC CC Barrô Juvent. Fiães 21 12 8 94 - 55 37 Ossela 7 12 CP PARC 21 12 8 Esgueira 99 - 85 37 CRECUS 7 12 AD GCD Sanfins 21 11 9 Travassô 68 - 95 34 CDCAP Escapães 21 68 24 Novasemente 13 48 - 75 20 Alquerubim Lordelo 21 6 0 15 - 101 18 CD Escapães 3 3 GRC70Telhadela ACR V. CambraFolgou 21 4 ADREP 0 17 29 - 125 12 Saavedra Gued.21 3 2 16 33 127 11 Classificação Lusit. Lourosa 21 1 0E 20 C 3P J V D 22 F -- 227 Última Jornada - 153 de0Fevereiro Ossela 18 15 127 - 45 48 Ossela - Juventude CC Barrô 18 14 1 Fiães 3 87, 15h - 36 43 CRECOR CAP Alquerub. 18- Saavedra 13 1 4 Guedes 102 - 55 40 GDC Sanfins -18 ACR 15h 31 PARC 9 Vale 4 de 5 Cambra, 83 - 63 FundoDinamo de VilaSanjoanense 18 9 3 - 6GDC 71Lordelo - 56 30 Fundo de Vila - PARC CRECUS 18 9 3 6 64 - 50 30 Lusitânia de Lourosa - CD Escapães, 15h

Resultados - 21.ª e Penúltima Jornada Juventude Fiães 10 0 Lusitânia Lourosa Saavedra Guedes 0 9 Ossela ACR Vale Cambra 1 6 CRECOR GDC Lordelo 2 4 GDC Sanfins PARC 4 4 D. Sanjoanense CD Escapães 2 6 Fundo de Vila Classificação J V E D F - C P Ossela 21 20 0 1 208 - 52 60 Fundo de Vila 21 19 0 2 184 - 39 57 D. Sanjoanen. 21 15 1 5 145 - 59 46 CRECOR 21 13 0 8 88 - 48 39 Juvent. Fiães 21 12 1 8 94 - 55 37 PARC 21 12 1 8 99 - 85 37 GCD Sanfins 21 11 1 9 68 - 95 34 CD Escapães 21 6 2 13 48 - 75 20 Lordelo 21 6 0 15 70 - 101 18 ACR V. Cambra 21 4 0 17 29 - 125 12 Saavedra Gued.21 3 2 16 33 - 127 11 Lusit. Lourosa 21 1 0 20 22 - 227 3 Última Jornada - 15 de Fevereiro Ossela - Juventude Fiães , 15h CRECOR - Saavedra Guedes GDC Sanfins - ACR Vale de Cambra, 15h Dinamo Sanjoanense - GDC Lordelo

D. Sanjoanen. 17 9 1 7 88 - 65 28 Telhadela 17 8 3 6 76 - 65 27 CD Escapães 17 8 3 6 63 - 55 27 ADREP 17 8 2 7 78 - 43 26 Novasemente 18 6 2 10 62 - 62 20 ACR V. Cambra 18 5 2 11 44 - 76 17 AD Travassô 18 4 0 14 54 - 125 12 CCR Maceda 18 2 0 16 31 - 131 6 CP Esgueira 18 0 0 18 25 - 128 0 Próxima Jornada - 15 e 16 de Fevereiro ACR Vale de Cambra - Fundo de Vila- 16/02 PARC - CCR Maceda- 16/02 CP Esgueira - CC Barrô AD Travassô - Ossela Novasemente - CRECUS GRC Telhadela - ADREP- 16/02 CD Escapães - Dinamo Sanjoanense, 11,15h Folga CAP Alquerubim

BENJAMINS FUTSAL

Resultados - 19.ª Jornada GCD Sanfins 10 1 Saavedra Guedes CC Barrô 0 4 ADREP GRC Telhadela 8 0 CRECUS Novasemente 0 8 GDC Lordelo ACR Vale Cambra 11 0 CAP Alquerubim Din. Sanjoanense 6 3 PARC CCR Maceda 4 0 CD Feirense Folgou Belazaima Classificação J V E D F - C P ADREP 18 15 2 1 155 - 32 47 GDC Lordelo 17 14 2 1 184 - 22 44 CC Barrô 18 14 2 2 156 - 45 44 Telhadela 18 13 2 3 111 - 55 41 CCR Maceda 17 12 1 4 122 - 45 37 D. Sanjoanen. 18 11 2 5 126 - 70 35 Belazaima 17 8 5 4 105 - 53 29 PARC 17 7 2 8 84 - 93 23 Novasemente 18 7 1 10 65 - 103 22 ACR V. Cambra 18 6 1 11 92 - 86 19 GCD Sanfins 17 6 1 10 79 - 101 19 CD Feirense 17 5 1 11 42 - 82 16 CAP Alquerub. 18 2 0 16 23 - 215 6 Saavedra Gued.18 0 1 17 34 - 188 1 CRECUS 18 0 1 17 22 - 210 1 Próxima Jornada - 16 de Fevereiro Saavedra Guedes - Belazaima ADREP -GDC Sanfins, 16h CRECUS - CC Barrô GDC Lordelo - GRC Telhadela CAP Alquerubim - Novasemente PARC - ACR Vale de Cambra CD Feirense - Dinamo Sanjoanense,10h Folga CCR Maceda

CAMPEONATO DE VETERANOS

Resultados - 18.ª Jornada Canelas 1 2 Pigeiros União de Lamas 2 0 Sanfins Valecambrense 1 1 Carregosense São Roque 0 1 Argoncilhe Sandinense 1 2 Canedo Cucujães 5 1 Arrifanense Fiães 1 2 Guisande (jogo 1.ª jorn.) Serzedo 2 2 São João Ver Sanjoanense 1 1 Lusit. Lourosa Classificação J V E D F - C P União Lamas 18 13 2 3 52 - 22 41 S. J. de Ver 17 10 6 1 57 - 16 36 Pigeiros 17 10 5 2 35 - 20 35 Argoncilhe 18 9 7 2 38 - 30 34 Sanjoanense 18 9 5 4 33 - 19 32 Lourosa 18 8 6 4 32 - 27 30 Canelas 17 7 8 2 26 - 17 29 Valecambren. 18 7 6 5 37 - 35 27 Cucujães 18 6 75 39 - 31 25 Serzedo 16 7 4 5 22 - 16 25 Sandinense 16 6 4 6 28 - 34 22 Carregosense 18 4 4 10 31 - 44 16 Guisande 18 4 4 10 23 - 40 16 Canedo 17 3 6 8 23 - 38 15 Fiães 17 3 5 9 21 - 33 14 Arrifanense 18 3 4 11 25 - 50 13 São Roque 17 3 3 11 29 - 52 12 Sanfins 18 0 4 14 16 - 48 4 Próxima Jornada - 15 de Fevereiro Lusitânia de Lourosa - Canelas Pigeiros - União de Lamas Sanfins - Valecambrense Carregosense - São Roque Argoncilhe - Sandinenses Canedo - Cucujães Arrifanense - Fiães Guisande - Serzedo São João de Ver - Sanjoanense


Correio da Feira 10.FEV.2014

23


24

Correio da Feira 10.FEV.2014

Santa Maria da Feira // Candidaturas abertas até sexta-feira

Viagem Medieval procura “rostos” para o cartaz deste ano A Viagem Medieval em Terra de Santa Maria está à procura de quatro pessoas para interpretar as figuras de Rei Sancho II e D. Mécia Lopes, bem como um nobre e um bispo. A organização pretende que estas personagens – que ocupam um lugar de destaque na edição de 2014 – sejam os “rostos” do cartaz deste ano. As inscrições para o casting estão abertas até 14 de fevereiro. Através deste casting serão selecionadas quatro personagens, com características muito específicas. Para desempenhar o papel de Rei Sancho II, o candidato deverá ter entre 30 a 35 anos, 1,70 m de altura, ser moreno e possuir barba. Para interpretar a rainha D. Mécia Lopes, a pretendente deverá ter entre 20 a 25 anos de idade, 1,60m de altura e cabelos longos e ondulados. Relativamente ao nobre, este deverá ser bem constituído e idade compreendida entre os 25 e os 35 anos. O bispo não pode ter barba nem bigode, deve ter cabelo grisalho e aparentar cerca de 60 anos de idade. Os interessados em participar neste casting, e que reúnam os requisitos acima mencionados, devem enviar fotos de rosto e corpo inteiro para o endereço eletrónico casting@ viagemmedieval.com, indicando o

nome, morada, data de nascimento, contactos e se já participou nalguma iniciativa deste género até à próxima sexta-feira. Para mais informações, contactar 93 370 88 01. A XVIII Viagem Medieval em Terra de Santa Maria realiza-se de 31 de Julho a 10 de Agosto, no centro histórico de Santa Maria da Feira, e vai recriar episódios do reinado de D. Sancho II. Organizada pela Câmara Municipal

de Santa Maria da Feira, empresa municipal Feira Viva e Federação das Colectividades do Concelho, a Viagem Medieval é considerada a maior recriação histórica da Europa, que combina história, animação, gastronomia, produções de grande formato e áreas temáticas/actividades para todas as idades. O evento, que se diferencia pelo rigor histórico, dimensão espacial e temporal e envolvimento da co-

munidade, atrai anualmente cerca de 500 mil visitantes. Recorde-se que, no âmbito da Gala dos Eventos (que distingue anualmente os melhores projectos, espaços, eventos e serviços que têm lugar em Portugal), a Viagem Medieval foi, recentemente, distinguida com os prémios de “Melhor Evento Cultural 2012” e “Melhor Animação/Performance em Evento Cultural 2012”.

Lourosa // De sexta-feira a domingo

Zoo desafia com o Barómetro do Cupido

No Zoo de Lourosa festeja-se mais uma data que não pode passar despercebida – o Dia de S. Valentim. Ao todo, o parque Ornitológico vai dedicar três dias ao Amor, à Amizade e, claro, às Aves. Estes três A’s vão desafiar os visitantes a um “Avipapper do Amor” onde há curiosidades únicas sobre os habitantes do Zoo de Lourosa, sobre o Amor e verdadeiras questões de algibeira. Para conhecer entre sexta-feira a domingo. Para um passeio especial a dois, em família ou com amigos, o importante é que todos se divirtam muito e o preço, por isso, é especial, calculado com base na fórmula do Amor em que 1+1=1. A actividade é, então, gratuita, estando incluída no custo do bilhete de acesso, de acordo com o tarifário em vigor.

5851  
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you