Page 7

experiência e contribuindo, em muito para a causa ambiental. O desafio neste projeto é estender essas atividades para o meio rural e para os outros municípios do projeto. 7.Realizar palestras na Valéria, em Parintins, e em Terra Santa sobre Educação Patrimonial/Valorização das origens: A região da Valéria e do Piraruacá são ricas em fragmentos arqueológicos. Estes estão sendo destruídos no preparo de roçados e casas e sendo retirados do local por simples doações ou pelo comércio para turistas. Na tentativa de resgatar, as origens históricas de cada comunidade, entender como grandes populações indígenas, conseguiram viver em harmonia com o ambiente e manter seus recursos naturais e, sobretudo, valorizar as origens das populações destas comunidades, o projeto, em parceria com o Instituto do Patrimônio Histórico Nacional e o Museu do Homem Amazônico, iniciaram em julho de 2003, um planejamento para conscientizar as comunidades dessas áreas a conservarem também sua história, através de palestras sobre educação patrimonial e história da região, realizadas junto com as equipes do projeto nos meses de agosto a outubro. 8. Elaboração de cartilhas sobre o projeto em cada município com a participação da rede de ensino e artistas locais (oficinas de arte, concursos,etc.) 9. Gincanas Ecológico-culturais envolvendo comunitários da áreas rurais e urbanas. Esta atividade é realizada entre os dias 12 e 20 de outubro de cada ano e tem por finalidade, encerrar as atividades do projeto junto as escolas e, envolver alunos e comunidades, em um processo de conscientização ambiental extra-escolar. Com essas atividades, além das disputas de conhecimento pelas equipes da escolas, pretende-se estimular nos alunos, o espírito de organização e trabalho em equipe para a conservação do meio ambiente. Realizada inicialmente, apenas em Terra Santa, a partir de 2002, esta atividade atingiu comunidades de Parintins, Barreirinha e Juruti. Com o projeto, pretendemos realizá-la em todos os municípios. 10. Elaboração de relatórios técnicos sobre Educação Ambiental OBJETIVO ESPECÍFICO -Divulgar e incentivar a criação de quelônios em cativeiro Atividades 1.Cursos sobre criação de animais silvestres nos municípios do projeto: Esta atividade já foi realizada em alguns municípios do projeto como Parintins e Terra Santa. Os cursos foram ministrados no primeiro semestre de cada ano, tendo uma carga horária de 20 horas teórica e 20 horas de aula prática. 2. Implantação de Unidades Demonstrativas de criação de quelônios, como alternativa de emprego e renda: Esta etapa envolve desde a elaboração do projeto comunitário para aprovação no IBAMA, até a implantação do mesmo. Foram construídas 20 unidades de criação em tanques rede de 9 m 3, confeccionados pelos próprios comunitários com orientação dos técnicos do projeto e material da comunidade ou adquirido. A idéia é montar uma estrutura que eles tenham condições de reproduzir sem grande necessidade de insumos externos. Cada unidade recebeu 300 filhotes para o início da criação. As vinte unidades foram implantadas obedecendo os seguintes critérios : a) Áreas mais antigas do projeto: Em função do nível de informação e treinamento que já receberam e da experiência que acumularam com o manejo de quelônios, as unidades foram implantadas nos municípios que já estão no projeto a mais de três anos :

SISTEMATIZAÇÃO DA METODOLOGIA DE PESQUISA-AÇÃO ADOTADA PELO PROJETO PÉ-DE-PINCHA (Manejo sustentáve  

O Projeto Manejo Sustentável de Quelônios por Comunidades do Médio Amazonas – “Pé-de-pincha” surgiu em 1999, como uma iniciativa de comuni...

SISTEMATIZAÇÃO DA METODOLOGIA DE PESQUISA-AÇÃO ADOTADA PELO PROJETO PÉ-DE-PINCHA (Manejo sustentáve  

O Projeto Manejo Sustentável de Quelônios por Comunidades do Médio Amazonas – “Pé-de-pincha” surgiu em 1999, como uma iniciativa de comuni...