Page 15

estabelecer um primeiro levantamento da situação, dos problemas prioritários e eventuais ações, nesta fase aparecem muitos problemas práticos que são relacionados com a constituição da equipe e com a cobertura institucional e financeira; 2) TEMA DO TRABALHO: É a designação do problema prático e da área de conhecimento a serem abordados; 3) COLOCAÇÃO DOS PROBLEMAS: Junto com a definição dos temas e objetivos precisa-se dar atenção à colocação dos principais problemas a partir dos quais a investigação será desencadeada;4) A TEORIA: deve-se levantar todos os dados teóricos a respeito da problemática; 5) SEMINÁRIO: A partir do momento que os pesquisadores/extencionistas e os interessados estão de acordo sobre os objetivos e os problemas, começa a constituição dos grupos que irão conduzir o processo, sendo a principal técnica utilizada o seminário; 6) CAMPO DE OBSERVAÇÃO, AMOSTRAGEM, REPRESENTAÇÃO QUALITATIVA E COLETA DE DADOS: O campo pode ser concentrado ou espalhado dependendo do problema abordado, a amostragem deve ser representativa dentro dos limites e do levantamento já anteriormente estabelecidos e a coleta é efetuada pelos grupos sob controle de uma coordenação central; 7) APRENDIZAGEM: A aprendizagem está associada ao processo investigativo-demonstrativo;8) SABER FORMAL/INFORMAL: O estudo da relação entre esses dois saberes visa estabelecer estruturas de comunicação entre os dois universos culturais empírico-prático e teórico-técnico-científico; 9) PLANO DE AÇÃO: para corresponder aos objetivos estabelecidos deve-se concretizar alguma forma de ação planejada, através da formulação de um plano de ação, que é uma exigência fundamental da qual a discussão com os membros participantes é sempre um passo necessário; 10) DIVULGAÇÃO EXTERNA (Thiollent, 1992;Barbier, 1985). As técnicas específicas para CONSERVAÇÃO DE QUELÔNIOS são apresentadas na cartilha do Projeto Pé-de-pincha – Iniciativas Promissoras 1 em anexo. A proposta de trabalhar a incorporação da EDUCAÇÃO AMBIENTAL nas atividades do projeto “Pé-de-pincha”, pressupõe um instrumento que possa contribuir para criar novas posturas comportamentais culturalmente adquiridas e proporcionar mudanças significativas na utilização dos recursos naturais, que cada dia vem diminuindo consideravelmente. Assim sendo, as ações educativas com ênfase nas questões do meio ambiente podem contribuir para uma nova postura e promover mudanças de valores para uma ordem que possa garantir a conservação e a melhoria do meio ambiente, promovendo a formação dos recursos humanos para uma gestão racional dos recursos naturais. A metodologia utilizada para a capacitação dos agentes ambientais, professores e comunitários, bem como no treinamento e palestras aos alunos se baseia no Método Participativo para Construção do Conhecimento preconizado por Minini & Santos (1999), que enfoca situações problema, núcleos de estudos e organizações de atividades. Utilizou-se o trabalho em equipe como instrumento essencial para a consecução dos objetivos afetivos e éticos. Para a avaliação foram considerados indicadores que demonstraram mudanças no comportamento, atitudes e valores dos participantes, como

SISTEMATIZAÇÃO DA METODOLOGIA DE PESQUISA-AÇÃO ADOTADA PELO PROJETO PÉ-DE-PINCHA (Manejo sustentáve  

O Projeto Manejo Sustentável de Quelônios por Comunidades do Médio Amazonas – “Pé-de-pincha” surgiu em 1999, como uma iniciativa de comuni...

SISTEMATIZAÇÃO DA METODOLOGIA DE PESQUISA-AÇÃO ADOTADA PELO PROJETO PÉ-DE-PINCHA (Manejo sustentáve  

O Projeto Manejo Sustentável de Quelônios por Comunidades do Médio Amazonas – “Pé-de-pincha” surgiu em 1999, como uma iniciativa de comuni...