__MAIN_TEXT__

Page 1

EDIÇ DIGIT ÃO AL

TRUQUES E DICAS PARA COMEÇAR A USAR O PC MAIS DEPRESSA

€33 ,9 9O

€33 ,9 9O

Ano 25 nPVP N .(Cont.) º 3OO n

Mensal

UMA VIAGEM A UM MUNDO RICO MAS IMPERFEITO

ARRANQUE LENTO?

n

O TESTE ÀS PRIMEIRAS PLACAS GRÁFICAS RDNA 2

CYBERPUNK 2077

Janeiro 2O21

AMD RADEON 6800 XT

PVP (Cont.)

€33 ,8 8O

PVP (Cont.)

Tudo o que é preciso para se divertir com os clássicos dos anos 80 e 90 no seu computador do século XXI


01

ÍNDICE

PEDRO TRÓIA / Director

PARA QUE SERVE A TAXA DA CÓPIA PRIVADA? Nesta edição 300 da PCGuia volto, infelizmente, a falar de uma das negociatas mais infelizes da história recente do nosso regime: a taxa da cópia privada. Para quem não sabe, foi criada em 1998 e estabelece o pagamento de uma taxa por cada dispositivo que tenha memória vendido, como por exemplo, smartphones, impressoras, ou discos. Segundo a lei que a suporta, esta taxa serve para ressarcir os detentores dos direitos de autor pelo prejuízo que têem que se copia uma obra. No papel, isto funciona. Mas na prática, não, e por várias razões. A primeira, tem que ver com a evolução tecnológica. Hoje a venda de suportes físicos com conteúdos já não tem a força que tinha no final do século XX, porque os consumidores preferem serviços streaming, como se comprova pelo sucesso que têm em Portugal. Só isto faz com que a premissa em que se baseia tudo isto seja inválida hoje, porque a utilização destes serviços leva sempre a um declínio acentuado da cópia de conteúdos. Basta olhar para o caso da pirataria de CD, que se tornou irrelevante por causa de serviços como o Spotify. A segunda é antiga e prende-se com o facto de tudo se basear em projecções. Como é que se consegue depreender que uma maior venda de dispositivos electrónicos, leva sempre a um aumento das cópias? E como se calculam as perdas? A olho? Há estatísticas credíveis? Isto leva a uma cobrança excessiva da taxa e em que todos, mesmo os que nunca copiaram nada, têm de participar. Existem muitas publicações e estudos que provam que tudo isto está errado e que, mesmo na maioria dos casos, ocorre o inverso. A terceira tem que ver com uma certa falta de transparência. Segundo um artigo publicado recentemente pela associação de Defesa dos Direitos Digitais (pode ver o artigo em bit.ly/34oMDBw), a entidade que gere a taxa recebeu cerca de 23 milhões de euros em 2019. Uma alteração à lei feita em 2015 obriga a que esta entidade possa apenas ficar com o valor da taxa até 15 milhões de euros - o remanescente devia ir para o Fundo de Fomento Cultural, dinheiro que tanta falta faz agora nesta altura, em que a cultura está parada por causa do vírus. No entanto, o fundo nunca recebeu um cêntimo durante todo este tempo, porque se deu sempre a volta ao texto para manter o dinheiro na entidade que o recebe. Não estaria na altura de rever isto tudo?

09

TEMA DE CAPA

40 / Tem saudades das casas de jogos, da Atari, da NES, da Mega Drive, da primeira PlayStation ou dos primórdios dos PC? Este mês mostramos-lhe como pode voltar a jogar títulos históricos no seu computador actual.

02

ON

4 / Notícias de tecnologia, coluna Made in Portugal, Hashtags e Green.

03

INFOGRAFIA

18 / O comportamento dos gamers em análise.

04

START UP

20 / A Undersee quer facilitar a monitorização da qualidade da água e ajudar a uma maior sustentabilidade do planeta.

05

BOOT

22 / DEFEITOS ESPECIAIS O Ricardo Durand explica porque finalmente voltou a usar relógio: o novo serviço de pagamentos da Swatch. GUIAS 24 / Truques e dicas para acelerar o arranque do PC

26 / Faça uma cópia de segurança automática das suas fotos 28 / TDomine as novas ferramentas do Chrome e do Edge 30 / Aproveite ao máximo a bateria do seu portátil

06

LINUX

32 / Aprenda a guardar a informação em sua casa, recorrendo a um NAS criado a partir de um Raspberry Pi 4.

07

MACGUIA

36 / Big Sur: as sete principais novidades do mais recente sistema operativo da Apple que é o pontapé de saída para uma aproximação ao iOS/iPadOS.

08

DESCOMPLICÓMETRO

38 / Nesta edição, explicamos-lhe como funciona a encriptação dos dados.

10

APPS

52 / Uma selecção das melhores aplicações de fitness para fazer exercício em casa.

11

PLUG

56 / As principais tendências de modding para 2021.

12

LAB

58 / TECNOLOGIA EM MOVIMENTO O Gustavo dias fala sobre algumas pressões que as marcas exerceram sobre jornalistas, em 2020. 60 / GADGETS SwatchPAY! TP-Link Tapo L530E SPC Zion Air Pro True Wireless EnergySistem Tower 5 g2 Ivory Noblechairs Epic Mercedes-AMG

Huawei Mate 40 Pro Intel NUC 8 Pro Kit Trust Ody Sony Alpha A7C AMD Radeon RX 6800 XT Asus ROG Strix Radeon RX 6800 OC Mobile Pixels Trio Max 14” TeamGroup T-Create Classic 1 TB Oppo Reno4 Z 5G NZXT N7 Z490 XPG Levante 240 EK AIO 240 D-RGB Motorola Moto G 5G Plus Lian Li Uni Fan SL120 RGB XPG Battlecruiser Lian Li O11D Mini LG OLED GX 4K Samsung Q950T

13

PLAY

77 / JOGOS Google Stadia Cyberpunk 2077 80 / HARDWARE SteelSeries Arctis 7P Corsair K60 81 / JOGOS MOBILE Genshin Impact Among Us Castlevania: Symphony of the Night Plague Inc: The Cure

14

SLEEP

82 / Em Janeiro, assinalamos o lançamento do iPhone, do Windows Vista e saída de Bill Gates de CEO da Microsoft.

62 / TESTES King Mod Gamer Vermeer R7 Dynabook Tecra A40-G HP x360 1040 G7

CLASSIFICAÇÕES A PCGuia usa um método de avaliação de produtos que tenta conciliar as medições de desempenho com os aspectos mais empíricos como a experiência de utilização. O valor final da nota será obtida através de uma média aritmética que dará um valor de 1 a 10. Os produtos com nota 9 ou superior recebem o Prémio de Excelência PCGuia. Mais informação em pcguia.pt/como-testamos.

MEDIÇÕES

EXPERIÊNCIA DE UTILIZAÇÃO

PREÇO QUALIDADE

8

10

6

9 Distribuidor: PCGuia Site: pcguia.pt Preço: €42 Facto positivo Facto negativo

3


03

INFOGRAFIA MAFALDA FREIRE

O MUNDO DOS GAMERS

O gaming é um dos sectores que mais cresceu em 2020, fruto do confinamento originado pela pandemia. Fique a conhecer os principais resultados do estudo Generation Game da Kaspersky com dados sobre a comunidade de gamers a nível mundial. GAMING EM NÚMEROS

131,2 2,7 VALOR DE MERCADO

HORAS DE JOGO POR SEMANA

mil milhões de euros (+10% que 2019)

48%

dos jogadores dizem que passam mais tempo a ver jogos no YouTube que a jogar

27%

dos jogadores escondem dos pais o tempo real que jogam

JOGADORES

PORQUE JOGAM? Alívio do stress/ansiedade Emoção e excitação Amizades Sentimento de realização Escape / imaginário Camaradagem

Stress e ansiedade Burlas Intimidação Perda ou roubo de valores no jogo Roubo de identidade

18

JOGADORES INTENSIVOS

7

mil milhões (+10% do que 2019)

A PARTE MÁ DE JOGAR Batota

JOGADORES CASUAIS

62% 62% 46% 40% 32% 22%

50

RAZÕES QUE LEVAM OS GAMERS A ESCONDER O QUANTO JOGAM Faz mal à saúde Prejudica o cérebro É muito violento Existe muito bullying Outro

61% 42% 27% 18% 7%

A PARTE BOA DE JOGAR

33% 31% 21% 19% 18% 12%

Mais criatividade Desenvolvimento de competências sociais Aprender uma nova língua Capacidade de resolução de problemas

43% 34% 32% 31%

Fonte: Kaspersky, Savanta, Newzoo


05

BOOT

MAFALDA FREIRE

DOMINE AS NOVAS FERRAMENTAS DO CHROME E DO EDGE Há novidades na forma como se trabalha com os separadores dos browsers da Microsoft e da Google. Neste guia vamos ensinar-lhe tudo para navegar de forma mais fácil na Web. Nos primórdios da Internet, poucos browsers tinham separadores e quem quisesse consultar mais que uma página, tinha de ter várias janelas abertas, o que não era muito prático. Tudo isso mudou quando o Opera e o Firefox introduziram os separadores que permitiam alternar de forma rápida e fácil entre várias páginas, tendo apenas uma janela do browser aberta. No entanto, há desvantagens em ter demasiados separadores abertos: isto pode tornar difícil encontrar a página que se quer, naquele momento, e aumentar o consumo de recursos do PC, o que fará com que fique mais lento. Mas, com as novidades do Edge e do Chrome é mais fácil gerir eficientemente os separadores

1

ORGANIZAR SEPARADORES EM GRUPOS

2

28

Se tiver frequentemente vários separadores abertos, tanto o Edge como o Chrome têm uma nova funcionalidade que o ajuda a geri-los: os grupos de separadores. Para criar um grupo, clique com o botão direito do rato no separador, seleccione ‘Adicionar separador a novo grupo’ e dê-lhe um nome na área ‘Dar um nome a este grupo’ 1 . Quando quiser adicionar outro separador ao mesmo grupo, clique com o botão direito, escolha ‘Adicionar separador a grupo’ e seleccione o grupo da lista. Clique no círculo colorido de um grupo para ver mais opções, incluindo mover o grupo para uma nova janela 2 ou fechá-lo. O Chrome tem um truque-extra: permite colapsar grupos, para que ocupem menos espaço. Para tal, basta clicar no círculo de um grupo para diminuir ou expandi-lo. No Edge, tem de activar esta opção, já que ainda está em fase beta. Escreva edge://flags na barra de endereços, faça scroll até encontrar ‘Tab Groups’ e seleccione ‘Enabled’ no menu dropdown. Em seguida, carregue em ‘Reiniciar’, para que as alterações fiquem activas. Os separadores em grupo funcionam de forma similar ao Chrome.


PRÉ-VIZUALIZAR OS SEPARADORES Quanto mais separadores tem abertos, mais estreitos são e os títulos aparecem cortados. Isto dificulta a leitura e torna difícil saber a que página correspondem. A pré-visualização do separador no Chrome e no Edge resolve o problema: mostra miniaturas de cada aba quando coloca o cursor sobre o seu título. Contudo, esta funcionalidade é ainda experimental nos navegadores, o que significa que é necessário activá-la. Escreva chrome://flags na barra de endereços do browser da Google e edge://flags no da Microsoft; depois, carregue em ‘Enter’. Nessa área, independentemente do navegador, faça scroll até encontrar as opções ‘Tab Hover Cards’ e ‘Tab Hover Card Images’, depois seleccione ‘Enabled’ no menu dropdown. Em seguida carregue em ‘Relaunch’ (Chrome) ou ‘Reiniciar’ (Edge) para que as alterações fiquem activas.

USE ‘ALT+TAB’ PARA VER OS SEPARADORES ABERTOS Se já instalou a Atualização de Outubro de 2020 do Windows 10 pode ver a nova funcionalidade do Edge que permite utilizar a combinação de teclas ‘Alt+Tab’ para saltar entre separadores abertos. Para configurar esta funcionalidade, clique em ‘Iniciar’ > ‘Definições’ > ‘Sistema’ > ‘Multitarefas’ e seleccione o que quer ver na opção ‘Premir Alt+Tab’. Pode optar por ver todos os separadores do Windows, todos os separadores do Edge, abrir o Windows e os separadores recentes do Edge ou apenas abrir o Windows.

FIXAR PRÉ-VISUALIZAÇÃO DOS SEPARADORES NA BARRA DE TAREFAS A Atualização de Outubro de 2020 do Windows trouxe outra melhoria relacionada com o Edge: pré-visualizar os separadores desse browser que fixar na barra de tarefas. Anteriormente, isto só era possível clicando no botão do menu (três pontos), ir até ‘Mais ferramentas’ e à opção ‘Afixar à barra de tarefas’. Agora, com esta actualização, além do atalho terá também uma linha abaixo com a pré-visualização do thumbnail da página, para que possa aceder rapidamente ao separador que pretende.

PARTILHAR SEPARADORES COM OUTROS DISPOSITIVOS 1

1

A nova ferramenta de partilha de separadores do Chrome permite enviar uma página Web de um dispositivo para outro, por exemplo para continuar a ler algo no seu telemóvel Android que tinha começado a ver no PC. Primeiro, certifique-se de que tem o login feito no computador e no smartphone com a mesma conta do Google. Em seguida, abra o separador no seu PC e clique no URL - com isto, aparece um pequeno ícone de um portátil à direita 1 . Carregue no mesmo para que apareça a opção ‘Envie para os seus dispositivos’ e seleccione o equipamento com o qual quer partilhar a janela. Para partilhar um separador do Chrome no Android, toque no menu (três pontos), seleccione ‘Partilhar’ > ‘Envie para os seus dispositivos’ e escolha o equipamento.

USAR SEPARADORES VERTICAIS Se tiver um monitor grande poderá ser mais fácil ver os separadores de forma vertical. Para isso, terá de usar a versão Canary ou Dev do Edge, cujo download é feito em bit.ly/3qGuwAC (isto não impede que continue a usar o browser normal, que tem já instalado). Recomendamos usar a versão Dev: é a mais estável e serve para testar as funcionalidades, antes de serem lançadas na versão final do Edge. Depois de instalado, abra o Edge Dev e escreva edge://flags na barra de endereços; faça scroll até encontrar ‘Enable Fullscreen Dropdown’ e escolha ‘Enable’. Reinicie o browser e seleccione o ícone que tem uma janela com dois painéis 1 no topo esquerdo da página. Os separadores devem agora aparecer de forma vertical, do lado esquerdo da página. 29


07

MACGUIA RICARDO DURAND

BIG SUR: AS SETE PRINCIPAIS NOVIDADES DO NOVO SISTEMA OPERATIVO D A APPLE O macOS abandonou em definitivo a versão 10. O Big Sur faz com o sistema operativo passe, finalmente, para o “nível” 11: é o pontapé de saída para uma aproximação ao iOS/ iPadOS que se deve começar a acentuar ao longo dos próximos anos. Como já escrevemos algumas vezes nesta secção, é evidente que a Apple quer aproximar o macOS aos seus sistemas operativos móveis: iOS e iPadOS. O novo Big Sur mostra isso mesmo: design das janelas, dos menus e dos ícones, cores mais suaves, efeitos de transparência e linhas minimalistas. Depois, há outros traços que põem as cartas todas em cima da mesa, como o novo centro de controlo do macOS, decalcado do que existe no iPhone e iPad, e os Widgets, que são mais um regresso ao passado. Aqui ficam os nossos sete destaques do macOS 11 Big Sur.

2

36

1

WIDGETS

Os Widgets não fazem a sua estreia no Big Sur: quem usa Mac há mais tempo, deve lembrar-se do Dashboard, uma funcionalidade introduzida no Mac OS X Tiger (2005), em que podíamos adicionar uma calculadora, um pequeno calendário ou um relógio ao desktop. O Dashboard deixou de estar presente no macOS, mas agora a Apple dá-lhe uma nova vida e chama-lhe Widgets, que se estrearam no iOS 14. Para ver os Widgets disponíveis, clique na indicação de data e hora na Barra de Menus (onde também estarão agrupadas as notificações que recebe do Mail ou das Mensagens). Se quiser ver mais, carregue na indicação ‘Editar Widgets’; também pode personalizar o tamanho, se clicar com o botão do lado direito do rato em cima de cada um deles. Só não pode arrastá-las para o desktop, como acontecia antigamente, com as do Dashboard.

CENTRAL DE CONTROLO

A Central de Controlo apareceu, pela primeira vez, no iOS 7 (2013). No iPhone e no iPad, é onde podemos desligar e ligar de forma rápida as ligações sem fios, ajustar o brilho do ecrã e o som, aceder à lanterna, assim como aos atalhos rápidos: projecção de ecrã, modo não incomodar, máquina fotográfica e calculadora. Em 2020, este recurso chega ao macOS: o ícone está na Barra de Menus, mesmo ao lado da indicação da data e hora. Aqui, pode ligar e desligar a conectividade sem fios, regular o brilho do ecrã e o som; se clicar em cima de um destes controlos, fica com acesso a mais opções relativas a cada um deles. Pode ainda arrastá-los para a Barra de Menus. Se quiser personalizar a Central de Controlo, entre nas ‘Preferências de Sistema’ e clioque em ‘Dock e Barra de Menus’.


3

SAFARI

A Apple garante que tornou o browser Safari mais rápido (50% mais que o Chrome) e mais seguro, além de ter dado a capacidade de ver vídeos 4K HDR no YouTube. Agora há também uma nova secção da loja de apps para Mac apenas dedicada a extensões: pode vê-la se clicar em ‘Safari’ na Barra de Menus e depois em ‘Extensões do Safari’. Em relação à segurança, temos um relatório de privacidade para cada página que pode ser visto se carregar no ícone do escudo que fica à esquerda do campo do URL; a informação completa está no menu ‘Safari’ > ‘Relatório de Privacidade’. Nas novidades mais cosméticas, há a possibilidade de usar um wallpaper na página de início: clique com o botão do lado direito e seleccione ‘Escolher fundo’.

5

UM MAC MAIS COLORIDO

No Big Sur pode mudar as cores dos ícones que “pintam” os ícones do Finder e de outras apps, como o Mail. Para personalizar estes detalhes do sistema operativo, entre nas ‘Preferências do Sistema’ e depois em ‘Geral’. A cor pode ser mudada, em ‘Cor de realce’, para uma de oito à escolha, entre azul, amarelo, rosa e verde. Se escolher a primeira opção (que mostra um círculo com um gradiente) dá a liberdade ao macOS de apresentar a cor que os programadores escolheram por defeito para cada app.

6

AIRPODS LIGAM-DE SE FORMA INSTANTÂNEA

Era uma funcionalidade que já existia no iOS e que, tal como outras, passa para o Big Sur. Se tiver os AirPods emparelhados com o Mac e começar a ouvir música, o sistema operativo reconhece-os como dispositivo de áudio e passa automaticamente a usá-los para reproduzir o que está a ouvir.

7

4

WALLPAPERS DINÂMICOS

O Big Sur traz mais wallpapers dinâmicos que vão mudando de tom consoante avança o dia: de manhã são claros e à noite ficam escuros. Pode escolher entre sete novos, incluindo quatro com um design de ilustração por vectores. Para ficarem alinhados com o esquema de cor que seleccionar para o Big Sur (modo claro ou escuro), há ainda mais seis wallpapers.

Aparece apenas um banner a pedir a sua permissão para que isto possa ser possível.

USAR APPS iOS NO MAC

Esta novidade interessa apenas a quem tem um novo Mac com chip M1 - já tínhamos falado dela na edição anterior da PCGuia. No Big Sur passa a ser possível usar apps feitas originalmente para iPhone e iPad no Mac. Na Mac App Store há agora uma nova opção que permite procurar as apps compatíveis, que para já podem não ser muitas: isto deve-se ao facto de os programadores terem de optimizar as apps para os dois sistemas operativos. 37


09

TEMA DE CAPA

JOGOS RETRO REGRESSO AO PASSADO

Tem saudades das casas de jogos, da Atari, da NES, da Mega Drive, da primeira PlayStation ou dos primórdios dos PC? Este mês mostramos-lhe como pode voltar a jogar títulos históricos no seu computador actual. G U S T A V O D I A S , P E D R O T R Ó I A

N

ão se pode dizer que os videojogos antigos são melhores que os actuais. Como a maior parte daquilo que a Humanidade cria, foram fruto de uma época, neste caso em que as capacidades técnicas eram muito mais limitadas, tanto ao nível do hardware, como do software. No entanto, foram tempos em que se desbravaram muitos novos caminhos e em que foram lançadas ideias e conceitos que ainda hoje são usados para a criação de

40

jogos para consolas e computadores. O hardware antigo tem um prazo de validade mais ou menos longo e são cada vez menos as pessoas que têm um computador (ou consola) dos anos oitenta ou noventa que estejam 100% funcionais. Assim, a forma mais prática que há, actualmente, para usar software mais antigo é através da emulação directa ou da utilização de uma máquina virtual no computador que consiga “convencer” os jogos clássicos de que estão a ser usados

numa consola original. Nas próximas páginas vamos dizer-lhe como o pode fazer, quer através de uma máquina virtual, através da instalação de uma versão actual do MS-DOS ou, para quem gosta de máquinas de arcade (ou consolas antigas), com um emulador que é capaz de imitar dezenas de plataformas. Neste número 300 da PCGuia, mostramos-lhe como hoje se consegue jogar títulos como o Doom original, Pac-Man ou Defender. Venha daí.


CRIE UMA MÁQUINA VIRTUAL PARA JOGOS COM O WINDOWS 95 Saudades de rever velhos clássicos? Saiba como criar uma máquina virtual e instalar uma versão antiga do Windows para poder correr esses jogos.

E

stá cansado de más notícias, como a pandemia, ou a incerteza que paira sobre a nossa economia? Esqueça tudo isso por uns tempos e mate algumas saudades de quando era tudo era mais simples, mesmo não sendo propriamente fácil - o tempo dos computadores há vinte ou mais anos. Não queremos com isto dizer que deverá ir buscar o seu velho computador à arrecadação, até porque precisaria bem mais que ver todo o pó limpo, a pasta térmica do dissipador do processador mudada e substituída a pilha que guarda das definições da BIOS. O mais certo é este ter o hardware já em muito mau estado, especialmente a nível de condensadores, que são como pequenas pilhas com ácido, que mesmo não sendo usadas, acabam por rebentar com o passar do tempo. Não se preocupe com o hardware, até porque hoje em dia temos uma ferramenta perfeita para reviver esses tempos, a virtualização. Tal como o nome indica, a virtualização permite simular a máquina que desejarmos, para podermos instalar o sistema operativo e software que quisermos. Isto será fundamental para instalar versões antigas do DOS (MS-DOS ou PC-DOS), bem como do Windows (1.0, 2.0, 3.1, 95, etc), para correr os seus jogos clássicos preferidos.

ONDE ENCONTRAR? Hoje em dia, para instalar o Windows 10, apenas precisa de descarregar uma aplicação da Microsoft (Windows Media Creation Tool) e criar uma pen USB de instalação com a imagem da versão mais indicada para o seu PC. No passado, só conseguia instalar o Windows quem tivesse as disquetes originais, mas corria-se sempre o risco de terem sectores danificados, o que acabaria por impedir a instalação. Estas imagens dos sistemas operativos são facilmente encontradas na Internet, em páginas que servem de repositórios de software antigo, como o WinWorldpc e o Windowstan, mas tenha em conta que a Microsoft ainda detém os direitos do código fonte de todo o seu software, pelo que deverá ter uma licença válida do sistema operativo que deseja instalar, seja ele MS-DOS ou Windows.

VERSÕES DO WINDOWS Agora que sabe onde as encontrar, resta-lhe escolher a versão que deseja experimentar. Tenha em consideração que todas as versões anteriores ao Windows 95 exigiam que tivesse o MS-DOS instalado, funcionando este como um programa (ou agregador de programas) e não como um sistema operativo propriamente dito. Ou seja, se estiver a considerar instalar o Windows 2.0 ou 3.1, prepare-se, pois, mesmo utilizando uma máquina virtual, terá de instalar primeiro o MS-DOS e só depois o Windows. E qual a versão do Windows que gostaria de experimentar? O Windows 95 é o que tem um lugar muito especial no coração da equipa da PCGuia, pois foi o tema de capa da nossa primeira edição, lançada há trinta anos. Como tal, vamos explicar como instalar e configurar uma máquina virtual com o Windows 95 no seu PC.

funcionalidade plug-and-play, permitindo assim que os componentes pudessem ser instalados e configurados via sistema operativo, sem ser necessário configurar as portas e IRQ com que os mesmos comunicariam entre si. Foi ainda o primeiro Windows a permitir aceder, de forma relativamente simples, à Web, através do Internet Explorer. Diga-se o que disser, goste-se ou não, o Windows 95 foi a maior revolução que o PC doméstico teve, a nível de sistema operativo.

WINDOWS 95 O Windows 95 foi revolucionário, ao ter sido o primeiro a funcionar como um sistema operativo independente do MS-DOS. Este tinha como principais características o facto de ser compatível com aplicações de 32-bit, por utilizar um ambiente de trabalho mais limpo e atraente, e por organizar as aplicações instaladas no menu Iniciar (Start), e as aplicações abertas na barra de tarefas (taskbar). Foi também fundamental para uniformizar a forma como o software comunica com o hardware, através da

COMO ARRANJAR A solução ideal para instalar o Windows 95 numa máquina virtual será através do CD original. Se tivermos em conta que foram vendidas mais de cinquenta milhões de unidades, pode ser fácil encontrar um destes CD. Curiosamente, na altura ainda não era possível fazer arrancar o computador através de um CD-ROM: era preciso criar uma disquete de arranque do DOS, devidamente configurada para instalar e configurar o CD-ROM. Para a máquina virtual, o processo é exactamente o mesmo - encontramos a disquete de arranque na página de download do Windows 95, que será fundamental para a instalação do sistema. Recomendamos que utilize uma disquete específica para o Windows 95b (OSR2). 41


12

LAB

GLOBALDATA KING MOD GAMER VERMEER R7 A Globaldata é uma das primeiras lojas a lançar computadores com a nova geração de processadores AMD Ryzen. Chegou a vez de conhecermos a sua mais recente criação. À semelhança do que aconteceu na edição passada, no nosso superteste a computadores de gaming nacionais, voltamos a ter uma máquina da Globaldata, mais uma vez equipada com um dos novos processadores AMD Ryzen da nova geração. Trata-se de um Ryzen 7 5800X, um processador de oito núcleos e dezasseis threads a 3,8 GHz, em que os núcleos conseguem chegar aos 4,7 GHz, graças à tecnologia Turbo. Este processador tem a vantagem de estar a ser arrefecido por um eficaz sistema de watercooling: o Corsair Hydro H100i Pro RGB, com um radiador de 240 mm. Tudo isto estava instalado numa motherboard MSI MPG X570 Gaming Edge WiFi, que traz o chipset de topo da AMD e está preparada para as últimas tecnologias, como PCIe 4.0, tanto no armazenamento M.2, como nas ligações PCIe.

MONTAGEM A caixa escolhida pela Globaldata foi uma Corsair iCue 220T Airflow, equipada com um painel lateral em vidro temperado e um frontal em forma de grade de aço, que facilita o fluxo de ar das ventoinhas instaladas no sistema. De origem, esta caixa traz três ventoinhas RGB de 120 mm à frente, tendo estas sido recolocadas: uma atrás e duas no topo, todas elas ajustadas para extrair o ar do interior da caixa. À frente, ficaram duas ventoinhas de 120 mm, com iluminação RGB, do sistema de watercooling

da Corsair. A instalação de todos os componentes é exemplar, assim como a arrumação da cablagem, especialmente se tivermos em conta que a fonte de alimentação usada não era modular e que usava cabos de disposição plana. Isto tornou a arrumação mais difícil em ligações com muitos cabos, como a alimentação da placa gráfica.

DESEMPENHO Já que nos referimos à placa gráfica, a Globaldata usou uma Nvidia GeForce RTX 2070 Super com 8 GB de memória dedicada. Contudo, neste caso, tínhamos um modelo da Gigabyte que, por usar um dissipador branco, garantia um contraste interessante. De certa forma, foi pena ter sido esta a escolha, pois embora seja uma placa gráfica ainda capaz de um desempenho digno de registo, pelo custo da mesma daria perfeitamente para ser instalada uma GeForce RTX 3070 de última geração, o que por sua vez garantiria resultados muito superiores nos jogos. O resto da configuração tinha dois módulos de 8 GB de memória RAM DDR4 a 3200 MHz e uma unidade SSD NVMe de 512 GB. Como seria de prever, um computador com esta configuração só poderia gerar resultados extraordinários, especialmente graças ao excepcional processador AMD Ryzen 7 5800X. G U S T A V O D I A S MEDIÇÕES

O desempenho geral deste sistema é tão impressionante, que se a Globaldata tivesse participando com este PC no nosso Super Teste de Natal, teria ganho o comparativo.

EXPERIÊNCIA DE UTILIZAÇÃO

PREÇO QUALIDADE

9.5 10

9,5

9

Distribuidor: Globaldata Site: novo.globaldata.pt Preço: €1699 s Elevadíssimo desempenho s Escolha dos componentes t Gráfica de anterior geração

FICHA TÉCNICA n Processador: AMD Ryzen 7 5800X a 3,8 GHz n Motherboard: MSI X570 n Memória: 2 x 8 GB DDR4 3600 RGB n Armazenamento: 512 GB SSD NVMe n Placa Gráfica: Nvidia GeForce RTX 2070 Super 8GB n Fonte de Alimentação: 750W 80Plus Gold n Ligações: PS/2, Wi-Fi, Bluetooth, HDMI, 2 x USB 2.0, 2 x USB 3.2 Gen1, 3 x USB 3.2 Gen2, USB-C 3.2 Gen2, Gigabit Ethernet, jack 3,5 mm (5.1), S/PDIF óptico (traseiro); 2 x USB 3.0, jack 3,5 mm (frontal) n Dimensões: 450 x 395 x 210 mm BENCHMARKS n PCMark 10: 8029 n PCMark 10 Productivity: 10 482 n 3D Mark FireStrike: 23 419 n 3D Mark Sky Diver: 58 662 n FarCry 5 1080p Ultra: 125 fps n Shadow of Tomb Raider 1080p DX12 Highest: 124 fps PONTO FINAL Esta combinação de componentes garante um desempenho de sonho a este King Mod Gamer da Globaldata. Só gostaríamos de ter tido uma placa gráfica de última geração, para podermos classificar este PC como um autêntico ‘Best of 2020’.

62


DYNABOOK TECRA A40-G Criado a pensar em profissionais que necessitem de um computador com elevada portabilidade, será o novoTecra A40 a escolha ideal? Revelado no início do ano, só agora conseguimos testar o novo Tecra A40-G, um computador portátil para utilizadores empresariais, que se destaca por garantir uma elevada portabilidade e segurança dos dados. Recorrendo a um chassis maioritariamente em plástico, com um design bastante conservador, este A40-G garante uma robustez acima da média, comprovada pela atribuição da certificação militar MIL-STD-810. A estrutura é bastante estreita e só não é mais devido à presença de uma entrada Gigabit Ethernet LAN; esta uma característica cada vez mais rara nos computadores portáteis. Este computador tem ainda duas ligações USB 3.1 Gen1, uma USB-C 3.1 Gen2, HDMI, leitor de cartões MicroSD, ligação jack combinada de 3,5 mm (para auscultadores com microfone integrado) e uma slot para cadeado da Kensington.

SEGURANÇA Por se tratar de um equipamento profissional, a Dynabook manteve algumas das características de segurança pelas quais é reconhecida, como a BIOS interna com protecção de acesso não autorizado, protecção de dados integrada através do módulo TPM 2.0 (Trusted

Platform Module). Como não poderia deixar de ser, temos ainda um leitor de impressões digitais e uma webcam com infravermelhos compatível com o sistema de autenticação Microsoft Windows Hello e Intel Authenticate.

DESEMPENHO Se em termos de segurança este Tecra convence, nas características técnicas temos algumas dúvidas. O ecrã de catorze polegadas com resolução Full HD garante uma boa qualidade de imagem, mas o som das colunas integradas não é o mais indicado para ouvir música - é, sim, para reuniões e videochamadas. O touchpad é bastante preciso e o teclado agradável de usar, mas não compreendemos o porquê de não ser retroiluminado. Em termos desempenho, este Tecra A40-G recorre a um processador Intel Core i5-10210U de quatro núcleos de 1,6 GHz (até 4,2 GHz em modo Max Turbo), 8 GB de memória RAM DDR4 a 2666 MHz e um SSD NVMe de 256 GB. Esperemos que este esteja instalado em formato de módulo M.2 e não soldado na motherboard, para garantir a sua substituição por um módulo de maior capacidade, num futuro próximo. Falta falarmos na bateria: com as suas quatro células, garantiu quase onze horas de

O processador Intel Core i5-10210U é mais que suficiente para o tipo de utilização deste equipamento, mas foi a bateria quem mais se destacou no campo do desempenho.

autonomia no teste PCMark 10. Esta tem ainda a particularidade de permitir carregamento rápido, ou seja, meia hora de carga garante quatro horas de utilização. G U S TAVO D I A S

MEDIÇÕES

EXPERIÊNCIA DE UTILIZAÇÃO

PREÇO QUALIDADE

7.5 6

8

8,5

Distribuidor: Dynabook Site: pt.dynabook.com Preço: €1086 s Características de segurança s Estrutura robusta t Teclado sem retroiluminação FICHA TÉCNICA n Processador: Intel Core i5-10210U 1,6 GHz n Memória: 8 GB DDR4 2666 MHz n Armazenamento: 256 GB SSD NVMe n Placa Gráfica: Intel UHD Graphics n Ecrã: 15,6” LED (1920 x 1080) n Ligações: 2 x USB 3.1 Gen1, USB-C 3.1 Gen2, HDMI, Gigabit Lan MicroSD, jack 3,5 mm n Dimensões: 329 x 229 x 19,9 mm n Peso: 1,47 kg BENCHMARKS n PCMark 10: 4044 n PCMark 10 Productivity: 6820 n PCMark 10 Battery: 645 minutos n 3D Mark Cloudgate: 7 816 PONTO FINAL Este Tecra A40-G é aquilo que já sabemos dos equipamentos da Dynabook: um equipamento portátil de bom desempenho, boa autonomia, robusto e seguro. Contudo, continua a ser visualmente pouco deslumbrante, ao contrário de alguns rivais, e a usar opções estranhas.

63


13

PLAY HARDWARE

K60 RGB PRO LOW PROFILE O teclado em que estou a escrever este texto é um Corsair K60 RGB Pro Low Profile e posso dizer que é um prazer de usar. Apesar de ser mecânico (usa interruptores Cherry MX Low Profile, que lhe dão o nome), o ruído que emite não é muito alto; o acabamento é perfeito e inclui tudo o que se espera de um teclado para jogos actual, incluindo os malfadados LED. As teclas de baixo perfil têm como objectivo fazer com que curso das teclas seja mais curto, logo mais rápido, dando assim uma pequena vantagem ao utilizador em situações em que a velocidade é crucial. A base é toda em alumínio preto com efeito escovado, que lhe dá um aspecto muito agressivo. A parte de baixo é em plástico e tem umas borrachas antiderrapantes para que, quando a acção é mais intensa, o teclado não saia disparado da mesa. A ligação é feita por USB Type-A e o K60 não oferece qualquer porta USB para que se possa ligar por exemplo um rato, ou outro dispositivo. Ao contrário de outros teclados da Corsair, o K60 RGB Pro não tem botões dedicados para os controlos multimédia, usando em vez delas as teclas de função da ‘F1’ à ‘F12’ - por exemplo a combinação ‘FN+F3’ diminui o brilho da iluminação das teclas. Já as teclas numéricas permitem alterar o esquema da iluminação quando se está numa situação em que o software iCue não está disponível, como por exemplo quando se liga o K60 a uma consola. Tal como praticamente todos os dispositivos vendidos pela Corsair também este K60 usa o software iCue para configurar várias funcionalidades, desde a iluminação às macros, que depois podem ser usadas em jogos para dar sequências de comandos de forma mais rápida. Como já escrevi em várias ocasiões, a Corsair tem de olhar para o iCue no que respeita à usabilidade e estabilidade, porque há muito por onde melhorar. P E D R O T R Ó I A

FUNCIONALIDADES

EXPERIÊNCIA DE UTILIZAÇÃO

PREÇO / QUALIDADE

9 9

9

8

Distribuidor: Corsair Contacto: corsair.com Preço: €149,99 s Construção s Teclas t Software iCue

FICHA TÉCNICA n Interruptores: Cherry MX Low Profile n Número de teclas: 105 n Ligação: USB 3.0 Type-A n Iluminação: RGB (tecla a tecla) PONTO FINAL Este K60 RGB Pro Low Profile é um prazer de usar e faz tudo o que diz na caixa; além disso, é sólido e muito rápido. Contudo, o software de programação iCue da Corsair podia ser melhor.

80

SteelSeries Arctis 7P Com o lançamento da PS5 começaram também a ser disponibilizados acessórios feitos de propósito para esta consola. Um dos primeiros a chegar às lojas foi o headset Arctis 7P da SteelSeries. Estes auscultadores têm a forma tradicional de todos os outros dispositivos deste tipo fabricados pela SteelSeries: o microfone retráctil está integrado no auscultador do lado esquerdo e o sistema de fixação/ ajuste do aro à cabeça utiliza o mesmo tipo de elástico, o que permite que se ajuste o melhor possível ao formato e tamanho do máximo possível de crânios. As únicas diferenças entre estes auscultadores e todos os outros da SteelSeries é o facto de serem brancos, azuis e pretos (para estarem em linha com das cores da consola) e o modo de ligação, que usa um pequeno dongle USB Type-C para fazer a ligação dos Arctis 7P à PS5, Nintendo Switch, PC e a um smartphone que tenha uma destas entradas. Apesar de a PS5 oferecer a possibilidade de usar Bluetooth para áudio, a SteelSeries optou por uma ligação que utiliza um protocolo próprio na gama de frequências de 2,4 GHz. Isto faz com que os Arctis 7P sejam muito versáteis, porque não estão apenas “agarrados” à consola da Sony. A SteelSeries anuncia que estes auscultadores têm uma bateria com 24 horas de autonomia contínua: usámo-los durante dez dias seguidos, uma ou duas horas por dia, e não tivemos de os carregar nenhuma vez, desde o carregamento original. A SteelSeries incluiu, ainda, três cabos na caixa: jack de 3,5 mm, microUSB para carregar a bateria e um USB Type-A para Type-C fêmea. Para que possa ligar o dongle à PS5 tem de usar este último cabo - se não, o dongle tapa a entrada USB Type-A na parte frontal da consola. Para quem não gosta de ter muitos cabos à solta, isto pode ser algo complicado. No que respeita à qualidade do som, os Arctis 7P oferecem essencialmente o mesmo que outros modelos semelhantes da SteelSeries: os graves são interessantes e os agudos pouco sibilantes. No geral, o som é bom, mas o volume podia ser um pouco mais poderoso. P E D R O T R Ó I A

FUNCIONALIDADES

EXPERIÊNCIA DE UTILIZAÇÃO

PREÇO / QUALIDADE

8 8

8

7

Distribuidor: FraggerZstuff?Site: fraggerzstuff.pt Preço: €179,99 s Versatilidade s Construção t Preço

FICHA TÉCNICA n Drivers: neodímio, de 40 mm n Resposta de frequência: 20 – 20 000 Hz n Resposta de frequência do microfone: 100 – 6500 Hz n Padrão do microfone: bidirecional n Alcance sem fios: 12 m n Autonomia: 24 horas PONTO FINAL Os Arctis 7P são bons auscultadores: oferecem a tradicional versatilidade e qualidade de montagem a que a SteelSeries nos habituou. O som é bom, mas podia ser um pouco mais alto. O principal ponto contra é mesmo o preço: 179,99 euros é algo puxado.


PLAY MOBILE Paulo Miranda

Edi to r do si te fo n ep lay.n et paulo.miranda@foneplay.net

GENSHIN IMPACT

9

Escolhido pela Google e pela Apple como o melhor jogo do ano, Genshin Impact é um RPG de acção com gráficos e banda sonora impressionantes. Num enorme mundo aberto chamado Teyvat, o jogador parte com a missão de encontrar Os Sete, deuses que ajudarão as personagens encontrar as respostas que procuram. Será preciso viajar por sete nações, encontrar companheiros com habilidades únicas e lutar contra diversos inimigos. O jogo tem um sistema de gacha, existindo assim a possibilidade de ganhar prémios, como armas, recursos e personagens adicionais.

EDITORA MIHOYO PARA ANDROID E iOS PREÇO GRÁTIS

AMONG US

9 EDITORA INNERSLOTH LLC PARA ANDROID E iOS PREÇO GRÁTIS

Among Us é um título de estratégia que pode ser jogado com entre quatro e dez jogadores. A premissa é simples: o jogador assume o papel de um elemento da tripulação d euma nave, cujo trabalho é completar várias tarefas. No entanto, há um impostor entre eles com o plano macabro de os assassinar a todos - para isso irá tentar confundir os outros, criando álibis e encobrindo as mortes. Se o jogador for um membro “inocente” da tripulação, precisa de concluir as tarefas, enquanto tenta descobrir quem é o impostor. Se jogar como impostor, o objetivo é matar todos, antes que o descubram.

CASTLEVANIA: SYMPHONY OF THE NIGHT

9

Lançado originalmente em 1997 para PlayStation, este é, sem dúvida, o melhor jogo da franquia. O jogador assume o papel de Alucard, filho de Drácula, enquanto explora um castelo misterioso em busca de Richter, descobrindo novas habilidades e tornando-se mais poderoso, interagindo com uma variedade de inimigos e personagens ao longo do caminho. O jogo tem um enorme mapa, repleto de segredos, e muitos locais que apenas podem ser acedidos em situações especiais. O sistema de conquistas com batalhas épicas e lutas extremamente difíceis com bosses garantem a longevidade deste jogo.

EDITORA KONAMI PARA ANDROID E iOS PREÇO €3,49

PLAGUE INC: THE CURE

8 EDITORA NDEMIC CREATIONS PARA ANDROID E iOS PREÇO GRÁTIS

The Cure é uma expansão para o popular Plague Inc. que traz uma mudança radical ao objectivo do jogo, adequada à actual situação mundial. A missão dos jogadores é tentar salvar o mundo de uma pandemia global, decidindo e encontrando as melhores respostas para a controlar. Será preciso equilibrar factores sociais, económicos e de saúde para manter a doença sob controlo e, ao mesmo tempo, manter a confiança da população. Para isso, será preciso encontrar o paciente zero, rastrear a propagação do surto, aumentar a capacidade de teste e apoiar as respostas locais.


14

SLEEP

MAFALDA FREIRE

JANEIRO/2021

1

1 DE JANEIRO DE 1939

HEWLETT E PACKARD FAZEM PARCERIA

2

Bill Hewlett e Dave Packard formalizam a sua colaboração comercial e decidem juntar os apelidos para dar nome à empresa. A escolha da ordem dos nomes foi feita com moeda ao ar: ficou Hewlett-Packard.

3

8

7

5

6

DEPARTAMENTO DE ARTE l Director de Arte: Rui Lisboa Paginação, ilustração e arte de capa ((pinterest.pt/ruilisboa_art instagram.com/ruilisboa.art facebook.com/rui.lisboa)

4

9 DE JANEIRO DE 2007

DEPARTAMENTO DE PUBLICIDADE l Directora comercial: Cristina Magalhães cmagalhaes@pcguia.fidemo.pt

COMEÇA A ‘REVOLUÇÃO’ iPHONE

9

Estatuto editorial disponível em: pcguia.pt/estatuto-editorial/ l

Durante o MacWorld, Steve Jobs apresentava o primeiro smartphone da marca da maçã. O iPhone vendeu 1,4 milhões de unidades nesse ano e revolucionou o mundo dos telemóveis para sempre.

10 11

12

14

13

ASSINATURAS l Novas assinaturas e apoio ao assinante loja.pcguia.pt / apoio.cliente@fidemo.pt DISTRIBUIÇÃO l VASP, Soc. de Transportes e distribuição Lda. MLP, Media Logistics Park, Quinta do Grajal, Venda Seca, 2739-511 Agualva-Cacém. Telef: 214 337 000

15

13 DE JANEIRO DE 2000

BILL GATES DEIXA LUGAR DE CEO

16

O co-fundador da Microsoft deixa de ser CEO da tecnológica e promove Steve Ballmer. Bill Gates permaneceu como chief software architect até 2008 e foi presidente do conselho de administração até este ano, altura em que se desvinculou da empresa para se dedicar à Fundação Bill & Melinda Gates.

22

21

17 18

23

COMEÇAM OS VOOS COMERCIAIS DO CONCORDE

24

Londres-Bahrein e Paris-Rio de Janeiro foram as primeiras rotas comerciais do famoso jacto supersónico. O Concorde, que podia fazer Nova Iorque-Londres em cerca de 3,5 horas, voou durante 27 anos até ser descontinuado, em 2003.

26

27

30 DE JANEIRO DE 2007

WINDOWS VISTA: O MAIS ODIADO Depois do sucesso do Windows XP, a Microsoft dá um passo em falso com o novo sistema operativo Vista, que foi amplamente criticado pelos utilizadores: não era estável e tinha inúmeros problemas. O Windows Vista foi tão mal recebido que a empresa lançou o Windows 7 dois anos depois. 82

Tiragem média: 22 000 exemplares Periodicidade: Mensal l PVP(Cont.): €3,9O

28

l

Proprietário / Editora: Fidemo, Soc. de Media Lda. l

21 DE JANEIRO DE 1976

25

PRÉ-IMPRESSÃO E IMPRESSÃO l Lidergraf | Sustainable printing Lidergraf | Delegação Sul Edifício Diogo Cão, Doca de Alcântara Norte, 1350-352 Lisboa, Portugal l

19

20

REDACÇÃO l Director: Pedro Tróia ptroia@pcguia.fidemo.pt l Chefe de Redacção: Gustavo Dias gdias@pcguia.fidemo.pt l Editor: Ricardo Durand rdurand@pcguia.fidemo.pt l Redacção: Mafalda Freire l Cronistas: Alexandre Gamela, André Gonçalves, Pedro Aniceto, André Rosa, António Simplício

Director-Geral: Vasco Taveira vascotaveira@pcguia.fidemo.pt l

Administração/Gerência: Vasco Taveira, Pedro Tróia l

Sede, Redacção, Publicidade e Administração: Azinhaga da Torre do Fato 7 B - Escritório 1 1600 - 774 Lisboa / Telef: +351 214 193 988 l

l Detentores de 5% ou mais do Capital social: Vasco Taveira e Pedro Tróia

29

Capital Social: 15 000€ Cont: 509 808 859 l Depósito legal: 411536/16 l Registo na E.R.C.: nº 119 452 l Marca registada no INPI: 479 435 l l

30 31

Profile for PCGuia

PCGuia 300 - Janeiro 2021  

Jogos retro Tudo o que é preciso para se divertir com os clássicos dos anos 80 e 90 no seu computador do século XXI.

PCGuia 300 - Janeiro 2021  

Jogos retro Tudo o que é preciso para se divertir com os clássicos dos anos 80 e 90 no seu computador do século XXI.

Profile for pcguia
Advertisement