__MAIN_TEXT__

Page 1

O EDIÇÃAL DIGIT PRÉMIOS LEITOR PCGUIA: TODOS OS VENCEDORES DA EDIÇÃO DE 2020

ESTÁ FARTO DE ECRÃS PEQUENOS

APRENDA A LIGAR O SMARTPHONE À TV PARA VER FILMES E MUITO MAIS

SUPERTESTE

RYZEN 5000

OS MELHORES PC DE GAMING NACIONAIS Nove computadores para jogar com tudo no máximo

ATÉ €200 0

TESTÁMOS A MAIS RECENTE FAMÍLIA DE PROCESSADORES AMD

GEFORCE RTX 3070

SERÁ QUE É MESMO UMA RTX 2080 Ti A METADE DO PREÇO? PVP (Cont.)

€33 ,8 8O

PVP (Cont.)

€33 ,9 9O

Dezembro 2O2O

n

Mensal

n

(Cont.) n N.º 299 Ano 24 PVP


01

ÍNDICE 11

48 / Com 2020 quase despedir-se, decidimos recuperar uma das mais antigas tradições da PCGuia: o superteste a computadores para jogar, até dois mil euros, colocando frente-a-frente configurações feitas por várias lojas, marcas e distribuidores nacionais. E o grande vencedor é…

PEDRO TRÓIA / Director

SOBRE A QUESTÃO DOS ISP Parece ser mesmo verdade que certos ISP em Portugal começaram a impor limites de tráfego nas ligações fixas à Internet, em alguns pacotes de acesso que incluem TV e telefone fixo. Num país onde se enche a boca com termos caros como ‘transformação digital’ ou ‘digitalização da economia’ é um retrocesso que devia ser alvo de uma investigação por quem de direito. Não uma investigação a fingir, que no final não dá em nada, como é costume, mas algo que realmente acabasse por fazer doer a quem, na prática, está a abusar de uma posição dominante num mercado com apenas quatro operadores que vendem serviços directamente ao público. Outra questão relacionada com tudo isto é a minha perplexidade pelo facto de os serviços oferecidos pelos operadores nacionais não serem tão flexíveis como acontece noutros países. Por exemplo, tenho um serviço com TV, Internet e telefone fixo. As únicas pessoas que me ligam para o fixo são as querem vender serviços e fazer inquéritos. Pergunto a mim mesmo: para que é que preciso de um telefone fixo? É quase como comprar um automóvel, mas ser obrigado a ter uma carroça na garagem, porque a marca assim o obriga, só para cumprir quotas. Até mesmo o serviço de TV devia ser opcional. Há muitas pessoas que não estão interessadas nas telenovelas ou nas séries requentadas que passam com meses de atraso (salvo raras e honrosas excepções) nos canais, e só usam streaming ou nem vêem TV de todo. Mesmo estando interessadas, podem ver o que quiserem e quando quiserem nas apps dos canais. Nesta altura, em que se virtualiza quase tudo, as boxes de TV deviam ser apps, que podiam ser instaladas em todos os tipos de dispositivos. Basta olhar para a Netflix, que deve grande parte do seu sucesso ao facto de estar presente em tudo o que pode ser ligado a um ecrã ou já o tem.

TEMA DE CAPA

02

ON

PRÉMIOS LEITOR PCGUIA 2020

04 / Notícias de tecnologia, coluna Made in Portugal, Hashtags e Green.

03

HIGH-TECH GIRL

16 / A pandemia elevou a tecnologia a um novo patamar na vida das pessoas.

04

INFOGRAFIA

14 / Conheça o mercado dos serviços de streaming de vídeo em Portugal.

05

START UP

20 / A Growappy é uma plataforma que ajuda os pais a encontrar a escola ideal para os filhos.

22 / Saiba quem são os vencedores da edição de 2020 dos Prémios Leitor PC Guia.

08

42 / Aprenda a usar virtualização com ferramentas de código aberto.

09

BOOT

26 / DEFEITOS ESPECIAIS O Ricardo Durand fala de como as salas de cinema podem estar em apuros, não só pela pandemia, mas também pelo crescente uso dos serviços de streaming. GUIAS 28 / Sincronizar ficheiros com uma pen USB

32 / Transferir ficheiros entre telemóveis e o Windows 34 / Aceder às passwords em diversos computadores, de forma segura 36 / Melhore e dê mais uso à barra de tarefas 38 / Como ligar todos os dispositivos móveis à TV

MACGUIA

44 / Apple M1: o processador que vai aproximar macOS e iOS.

10

DESCOMPLICÓMETRO

46 / Nesta edição, explicamos-lhe como funciona a tecnologia NFC.

12 07

LINUX

APPS

62 / Uma selecção de aplicações de realidade aumentada.

13

PLUG

66 / O Luís Alves mostra-lhe quase tudo sobre os sistemas AIO de refrigeração líquida.

14

Vasco Translator M3 DJI Osmo Mobile 4 Meater+ 76 / TESTES Asus ROG Strix G15 Electro Punk Edition Microsoft Surface Laptop Go AMD Ryzen 5000 Apple iPhone 12 e iPhone 12 Pro Philips Momentum 558M1RY Asus GeForce RTX 3070 TUF Gaming OC Huawei P Smart 2021 Samsung Galaxy S20 FE 5G CAT S62 Pro Oppo Reno4 Pro 5G Devolo WiFi Repeater+ AC Canon PowerShot Zoom Synology DS1621+

15

PLAY

90 / JOGOS PlayStation 5 Spider-Man: Miles Morales 93 / HARDWARE Corsair Glaive RGB Pro Arctis 9 Wireless 96 / JOGOS MOBILE Fruit Ninja 2 Funko Pop! Blitz Rabbids Coding Unmemory

LAB

72 / TECNOLOGIA EM MOVIMENTO O Gustavo Dias explica como o excesso de plataformas de streaming pode dar (ainda) mais força à pirataria.

16

74 / GADGETS EnergySistem Style 3 True Wireless Logitech MX Anywhere 3

SLEEP

98 / Em Dezembro, assinalamos os 25 anos da PCGuia, o lançamento do Google Chrome e o primeiro voo dos irmãos Wright.

CLASSIFICAÇÕES A PCGuia usa um método de avaliação de produtos que tenta conciliar as medições de desempenho com os aspectos mais empíricos como a experiência de utilização. O valor final da nota será obtida através de uma média aritmética que dará um valor de 1 a 10. Os produtos com nota 9 ou superior recebem o Prémio de Excelência PCGuia. Mais informação em pcguia.pt/como-testamos.

MEDIÇÕES

EXPERIÊNCIA DE UTILIZAÇÃO

PREÇO QUALIDADE

8

10

6

9 Distribuidor: PCGuia Site: pcguia.pt Preço: €42 Facto positivo Facto negativo

3


04

INFOGRAFIA MAFALDA FREIRE

Texto.

O MUNDO DO STREAMING DE VÍDEO EM PORTUGAL

As principais plataformas de serviços de streaming de vídeo revelam apenas dados globais ou, como é o caso da Netflix, também por região. É aqui que entram outros tipos de serviços, como a JustWatch, que medem o interesse, as pesquisas e fazem estudos sobres estas plataformas. Conheça os mais recentes dados relativos a Portugal.

UTILIZADORES PAGOS GLOBAIS EM 2020*

190 150 60,5 50 36

35

*MILHÕES

A HBO opera com vários nomes em diferentes geografias e o valor pode não representar exactamente à realidade.

30

EVOLUÇÃO DO STREAMING EM PORTUGAL (2020) 25

20

35

33%

32%

15

31%

28%

10

30

25%

25%

5

25

0

20

15%

15 10 5

10% 8%

5%

30

20% 19%

18%

15% 10%

35

24%

6%

17%

15%

11% 6%

6%

6%

9% 5%

25 20

0

JANEIRO

15

ABRIL

JULHO

SETEMBRO

10

Outros

5 0

35

QUOTA DE MERCADO (3º TRIMESTRE 2020)

30 25

TOP 5 FILMES (3º TRIMESTRE 2020)

11%

20 15

5%

10

33%

5

5%

0

6%

A Velha Guarda (Netflix) Black Panther (Disney +) Harry Potter e a Pedra Filosofal (Netflix, HBO) Homem-Aranha: Regresso a Casa (HBO) Missão Greyhound (Apple TV +)

TOP 5 SÉRIES (3º TRIMESTRE 2020) 18% 22% Outros

Cobra Kai (Netflix) Lucifer (Netflix) The 100 (Netflix) The Boys (Prime Video) The Americans (Prime Video) JustWatch.com, Statista

18


07

BOOT

RICARDO DURAND

SINCRONIZAR FICHEIROS COM UMA PEN USB Usar uma pen USB para sincronizar ficheiros entre computadores é uma alternativa à utilização de plataformas de cloud como o Dropbox ou o Google Drive. Vamos usar este recurso offline com a ajuda do software FreeFileSync. A forma mais fácil de ter ficheiros sincronizados entre dois PC (que também serve para fazer o mesmo com telemóveis e tablets) é usar um serviço de armazenamento online: Dropbox, Google Drive e OneDrive são as principais opções. Contudo, em alguns casos, pode haver ficheiros de que não goste (ou não quer) guardar online. A solução é usar métodos offline para sincronizar ficheiros: vamos explorar a possibilidade de o fazer com recurso a pens USB, com um software para facilitar o processo: o FreeFileSync. Comece por ligar a pen USB que quer usar para guardar e sincronizar ficheiros; depois, abra o Explorador de Ficheiros do Windows e copie todos os documentos que tiver na pen para uma pasta do PC. Ainda no Explorador de Ficheiro clique na pen (à esquerda) com o botão do lado direito do rato e escolha ‘Mudar o nome’: nós chamámos-lhe ‘Sync Pen’. Faça agora o download do FreeFileSync em freefilesync.org: carregue no botão verde ‘Donwload FreeFileSync 11.3’.

1

28


O FreeFileSync é uma ferramenta muito útil e eficaz, mas se configurar mal o processo de sincronização, pode acabar por perder alguns de seus ficheiros. A nossa recomendação é que a experimente em algumas pastas de teste antes de a usar com os seus ficheiros pessoais, para evitar dissabores. Para isso, crie uma pasta na Ambiente de Trabalho chamada ‘Teste’ e copie para aí alguns documentos sem importância. No FreeFileSync escolha o botão ‘Procurar’ do painel da esquerda e navegue até à pasta que acabou de criar; carregue em ‘Selecionar pasta’ para a definir como pasta de origem da sincronização. Se tiver outras pastas lá dentro, o programa sincroniza-as de forma automática.

2

Agora, será preciso definir a pen USB como destino deste processo de sincronização. Clique no botão ‘Procurar’ que está no painel à direita e escolha a pen que criou no passo 1. Carregue na pequena seta para baixo que está no campo à esquerda de ‘Procurar’ e seleccione o nome da pen, no nosso caso [SYNC PEN]. Clique, depois, no botão ‘Comparar’ para ver uma lista de todos os documentos que estão na pasta de origem à esquerda; à direita estará a pen USB, ainda vazia.

3

Para configurar ainda mais o processo de sincronização, carregue na tecla ‘F8’. Se quiser que a pen USB seja uma cópia exacta da pasta que está no PC, seleccione ‘Espelhar’. Escolher esta opção significa que todos os arquivos da pen USB, excepto os que estão na pasta do PC, serão apagados quando iniciar a sincronização. A nossa recomendação é que escolha apenas ‘Actualizar’, para que o FreeFileSync só transfira ficheiros novos ou actualizados para a pen, deixando inalterados todos os outros que aí estão. Clique em ‘Ok’ para confirmar.

4

Com o processo de sincronização configurado, pode testá-lo clicando em ‘Sincronizar’ e, depois, em ‘Início’. Espere uns segundos para que fique concluído e para que possa ver os seus ficheiros de teste na pen. Este método é bom para usar numa sincronização, mas o mais indicado é escolher que este processo decorra em segundo plano. Para isso, clique em ‘Ficheiro’ e depois em ‘Guardar como batch’ - por defeito fica na pasta ‘Documentos’. Cada vez que o processo de sincronização terminar, aparece uma janela que mostra o que foi transferido; se preferir não receber qualquer notificação, carregue em ‘Correr minimizado’ e em ‘Fechar quando feito’. Finalmente, clique em ‘Guardar como...’ e dê um nome ao ficheiro de batch que criou.

5

29


09

MACGUIA

RICARDO DURAND / PEDRO TRÓIA

APPLE M1: O PROCESSADOR QUE VAI APROXIMAR O MACOS DO iOS É um cenário que a Apple mostra querer há algum tempo e, com o novo chip M1 de produção própria, torna-se cada vez mais real. O ‘adeus’ à Intel traz novos horizontes à marca da maçã. Não é segredo para ninguém que a Apple é daquelas empresas que gostam de controlar todos os aspectos de produção, desde o hardware ao software. Se uma marca tiver mão nos equipamentos e no sistema operativo consegue dar ao utilizador um produto mais agradável de usar, coisa que não acontece com o Android, por exemplo, excepto nos smartphones da Google, os Pixel.

ADEUS, INTEL Novembro de 2020 é um dos meses mais importantes na história recente da Apple. A empresa anunciou o seu primeiro CPU de produção própria, o M1, baseado em ARM, e que põe um ponto final na relação com

44

a Intel, que tinha começado em 2006, depois de doze anos de PowerPC nos Mac. Segundo a Apple, a grande vantagem desta mudança passa por dar aos computadores um aumento no desempenho e na autonomia - a marca diz mesmo que o M1 tem o melhor desempenho por Watt, do mercado a «mesma performance que um CPU de um portátil Windows, mas com ¼ do consumo de energia». Com o M1 vem uma GPU integrada de oito núcleos (que a Apple também diz ser a melhor do género) e um processador neural (igual ao do iPhone, por exemplo) de dezasseis núcleos; contudo, há um contra: o limite de memória são 16 GB, já que a mesma está integrada no processador.

M1 À LUPA A estreia de um chip de produção própria nos Mac é mais uma prova de que a Apple quer ser auto-suficiente e, como dissemos, controlar tudo e garantir uma experiência integrada. Não será por acaso que o ‘adeus’ à Intel chega na mesma altura em que a marca decide lançar a sua maior actualização ao macOS em vinte anos (passa, finalmente do 10 para o 11), que mudará, segundo a Apple, a forma como interagimos com o sistema operativo (na próxima edição vamos focar-nos no o Big Sur). Então, se olharmos com mais atenção para este processador, o que temos? O M1 é aquilo a que se chama System on a ChipoC), Chip fabricado com um processo de


Os novos MacBook Air com M1 já estão à venda em Portugal: os preços começam nos 1159 euros.

5 nm (tal como o A14 Bionic do iPhone 12), com oito núcleos e a tal GPU integrada, que também tem oito núcleos. Os núcleos do processador principal estão divididos em quatro de alto de desempenho e quatro mais lentos, mas que também consomem menos energia. Para dar uma ideia das diferenças, o chip usado no iPhone, tem um processador com seis núcleos que tem apenas dois núcleos de alto desempenho. Em termos de ligações, o M1 é compatível com Thunderbolt 4, PCI Express Gen4 e sistemas de armazenamento NVMe. Outras características incluem uma arquitectura de memória universal, sistemas dedicados para codificar e descodificar multimédia e um enclave

seguro para utilização com o sistema de autenticação do computador, entre outras.

COMPATIBILIDADE COM APLICAÇÕES iOS A lista de vantagens do M1 é, para a Apple, extensa, mas uma das que mais nos chama a atenção é, sem dúvida, a possibilidade de instalar apps de iPhone ou iPad nos novos Mac (ver caixa) que vão chegar com este processador, uma coisa tornada possível devido às semelhanças com o chip que está nestes dispositivos móveis. Isto abre a porta para a aproximação de que falamos entre macOS e iOS e começar a fazer o caminho para uma integração cada vez maior entre os dois sistemas operativos. No futuro é muito

provável que haja apenas um SO para todos os equipamentos Apple, com as mesmas referências visuais - aliá, isto é uma coisa que já se nota no Big Sur, que já traz “marcas” de uma aproximação ao iOS, como por exemplo a Central de Controlo e os widgets; estes últimos nem são uma novidade, uma vez que as versões felinas da Apple (como o Lion ou o Leopard) tinham o Dashboard, onde estavam vários widgets.

DISPONIBILIDADE DO M1 Esta nova “vida” da Apple não vai chegar a todos os computadores, para já. A marca anunciou três novos modelos com o M1: um Mac Mini, um MacBook Air e um MacBook Pro - os iMac ficam, para já, de fora. Estes computadores já estão disponíveis em Portugal com preços que começam nos 819, 1159 e 1479 euros. Finalmente, a Apple diz que a transição completa só vai ficar concluída em dois anos, pelo que até 2022 ainda será possível comprar um Mac com chips da Intel. Estas são as principais características dos novos Mac com M1 e o novo sistema operativo Big Sur.

45


11

TEMA DE CAPA

SUPERTESTE

A COMPUTADORES DE GAMING NACIONAIS

Com 2020 quase despedir-se, decidimos recuperar uma das mais antigas tradições da PCGuia:: o superteste a computadores de gaming, até dois mil euros, colocando frente-a-frente PCGuia configurações feitas por várias lojas, marcas e distribuidores nacionais. G U S T A V O D I A S

A

SE TEM PRESSA…

gora que já experimentámos as consolas de nova geração que chegaram a Portugal, podemos dizer que o computador continua a ser a melhor plataforma para quem gosta jogar. Tendo em conta esta finalidade, decidimos contactar as principais lojas, marcas e distribuidores nacionais para participarem numa das nossas mais antigas tradições: o superteste de Natal a computadores. Tal como na PCGuia 239 (Dezembro de 2015), e para evitar grandes disparidades entre os equipamentos, optámos por atribuir um limite de preço de dois mil euros, valor esse que foi, na maioria, cumprido, embora tenham existido equipamentos bastante mais acessíveis e que, ainda assim, revelaram

48

um desempenho excepcional. Infelizmente, devido ao facto de estarmos numa época complicada em termos de logística (o que tem gerado problemas de disponibilidade dos novos processadores AMD Ryzen de última geração, bem como das novas placas gráficas GeForce RTX 30), não foi possível contarmos com a participação de todas as marcas e lojas convidadas. Ainda assim, conseguimos ter uma excelente representação daquilo que melhor se faz em Portugal, em termos de computadores pessoais.

COMO TESTÁMOS Como o objectivo era testar computadores de gaming, demos prioridade aos resultados obtidos nas medições dos testes de jogos,

O MELHOR DESEMPENHO DE SISTEMA

O MELHOR DESEMPENHO EM JOGOS

Novo Atalho TUF Edition 80 Powered by Asus

Tsunami Magma V4Z PCGuia 2020 Edition

como em FarCry 5, que utiliza uma versão avançada do motor gráfico Dunia Engine 2.0, (reconhecido pelos complexos cenários de mundo aberto) e The Shadow of the Tomb Raider, que continua a ser um dos mais exigentes testes à capacidade de processamento de um PC. Como é habitual no LAB, fizemos os testes Time Spy e FireStrike do 3DMark e do PCMark 10, ambas excelentes soluções para termos uma comparação directa do desempenho geral de cada sistema. De referir que, por uma questão de orçamento, nenhum computador inclui sistema operativo. Contudo, para os nossos testes, instalámos o Windows 10 Pro com todas as actualizações e os controladores mais recentes.

O MAIS CARO

O MAIS ACESSÍVEL

PC Componentes Platinum Evolv Intel Core i7

Assismática Asis R6 Viper i5 Gen10


ASSISMÁTICA

ASSIS R6 VIPER I5 GEN10 A Assismática teve a audácia de enviar um computador que custa apenas metade do limite máximo do orçamento proposto, mas que, curiosamente, não ficou no último lugar dos testes, o que demonstra o cuidado tido na escolha dos componentes. Começando pela caixa, a EuroTech Slayer RX23 Pro RGB apresenta um desenho elegante e tem um painel lateral em vidro temperado; contudo, os acabamentos dos plásticos utilizados mostraram-se algo frágeis. Gostámos do painel frontal, em rede, que permite ver as três ventoinhas de 120 mm com iluminação RGB, existindo ainda uma de extracção de ar no painel traseiro, também ela de 120 mm, com iluminação RGB. Para arrefecimento do CPU temos um dissipador em cobre da Azza, com uma ventoinha de 120 mm, também ela com iluminação RGB, estando os efeitos de luz sincronizados com as restantes ventoinhas da caixa.

COMPONENTES USADOS Este computador da Assismática tem uma configuração muito simples: uma motherboard Asus TUF B460-Plus Gaming, um processador Intel Core i5-10400F de seis núcleos e dois módulos de 8 GB de memória DDR4 a 2666 MHz. Apesar de este processador Intel ser o único do teste a usar um sistema de arrefecimento a ar, nunca superou os sessenta graus durante os nossos testes. De resto, temos uma unidade SSD NVMe de 512 GB da Innovation IT Performance e uma GeForce RTX 2070 Super da Zotac, com 8 GB de memória dedicada. Tudo isto é alimentado por uma Azza de 650 W, com certificação 80 Plus Bronze que, embora não seja modular, não prejudicou na excelente arrumação de toda a cablagem. MEDIÇÕES

EXPERIÊNCIA DE UTILIZAÇÃO

PREÇO QUALIDADE

7

9

10

9 Distribuidor: Assismática Site: assismatica.pt Preço: €999 FICHA TÉCNICA n Processador: Intel Core i5-10400F a 2,9 GHz (até 4,3 GHz) n Dissipador do CPU: Azza Hurricane II RGB n Memória: 2 x 8 GB DDR4 2666 MHz n Armazenamento: 512 GB SSD NVMe n Placa Gráfica: Zotac GeForce RTX 2070 Super 8 GB n Fonte de Alimentação: Azza 650 W n Caixa: Eurotech Slayer RX23 Pro RGB

49


14

LAB

ASUS ROG STRIX G15 ELECTRO PUNK

Com o jogo CyberPunk 2077 prestes a chegar, a Asus decidiu criar uma versão especial do seu portátil de gaming ROG Strix G15, devidamente personalizado e dedicado ao título futurista da CD Projekt Red. Visualmente, este ROG Strix G15 baseia-se noutros modelos da Asus: tem um sistema robusto de dobradiças de ecrã, com um efeito de recorte irregular na base do monitor. Contudo, não é esse o elemento que mais se destaca, mas sim toda a personalização inspirada em Cyberpunk 2077, como a faixa colorida em torno da tampa do monitor, juntamente com o logo ROG, e a retroiluminação com as teclas ‘WASD’ em contraste. Temos ainda o lettering colocado na base do portátil, à direita do touchpad, e a faixa de luz LED em torno de toda a base do portátil.

ACESSÓRIOS À MEDIDA Além do visual personalizado, esta Electro Punk Edition destaca-se por vir equipada com um vasto conjunto de acessórios, como uma mochila de transporte (ROG Ranger BP 1503 Electro Punk), um enorme tapete de rato (ROG Sheath Electro Punk), um rato de gaming com sensor óptico de 6200 dpi (ROG Strix Impact II Electro Punk) e auscultadores de Gaming (ROG Strix Go Core Electro Punk).

Todos estes acessórios, por serem da linha Electro Punk, têm o mesmo esquema de cores que o portátil. A Asus criou ainda mais alguns acessórios desta linha, como o teclado mecânico ROG Strix Scope TKL Electro Punk com teclas Cherry MX, os auscultadores sem fios ROG Strix Go 2.4 Electro Punk e t-shirts.

CONFIGURAÇÃO E DESEMPENHO Isto é tudo muito giro, mas não nos podemos esquecer de que este é um computador portátil que tem como obrigação correr CyberPunk 2077. Como tal, não é de estranhar estarmos perante um rápido ecrã IPS de 15,6 polegadas, de resolução FullHD (1920 x 1080) com uma taxa de actualização de 144 Hz, associado a um processador Intel Core i7-10750H de seis núcleos a 2,6 GHz (até 5 GHz em modo Max Turbo), 16 GB de memória DDR4 a 2933 MHz e uma unidade SSD NVMe de 1 TB, que pode ser acompanhada de outro módulo e tirar partido da tecnologia RAID 0.

Esta Electro Punk Edition inclui, além do computador portátil, uma mochila, tapete de rato, auscultadores e um rato de gaming, tudo devidamente personalizado com a imagem de CyberPunk 2077.

Onde a Asus nos desiludiu foi na escolha da placa gráfica dedicada, uma Nvidia GeForce GTX 1650 Ti com 4 GB de memória dedicada. Esta placa parece-nos insuficiente para garantir uma experiência de jogo satisfatória em CyberPunk 2077, isto tendo em conta os resultados obtidos nos nossos testes: apenas 51 fps em The Shadow of the Tomb Raider. É pena, pois nos restantes testes, o ROG Strix G15 Electro Punk comportou-se de forma exemplar. G U S T A V O D I A S

MEDIÇÕES

EXPERIÊNCIA DE UTILIZAÇÃO

PREÇO QUALIDADE

7.5 6

9

7,5

Distribuidor: Asus Site: asus.com/pt Preço: €1399 s Visual único s Acessórios devidamente personalizados t Placa gráfica escolhida

FICHA TÉCNICA n Processador: Intel Core i7-19750H a 2,6 GHz n Memória: 16 GB DDR4 2933 MHz n Armazenamento: 1 TB SSD NVMe n Placa Gráfica: Nvidia GeForce GTX 1650 Ti 4GB n Ecrã: 15,6” IPS 144 Hz (1920 x 1080) n Ligações: 3 x USB 3.2 Gen1, USB-C 3.2 Gen2, HDMI 2.0b, Gigabit Ethernet, jack 3,5 mm n Dimensões: 360 x 275 x 25,8 mm n Peso: 2,4 kg BENCHMARKS n PCMark 10: 5378 n PCMark 10 Productivity: 7897 n 3D Mark FireStrike: 9799 n 3D Mark Sky Diver: 29 020 n FarCry 5 1080p Ultra: 63 fps n Shadow of Tomb Raider 1080p DX12 Highest: 51 fps PONTO FINAL O Asus ROG Strix G15 Electro Punk tinha tudo para ser a prenda perfeita para qualquer adepto de videojogos, mas falhou num elemento fulcral: a placa gráfica escolhida tem um desempenho limitado.

74


MICROSOFT SURFACE LAPTOP GO Vale a pena comprar o novo portátil entrada de gama da Microsoft?

Esta é versão de entrada de gama dos portáteis Surface Book da Microsoft, mas não é por isso que tem menos qualidade que os seus “primos”. O chassis é todo em alumínio e o teclado é muito semelhante ao que a Microsoft oferece com o Surface Studio, só que num formato reduzido. O toque das teclas é simplesmente perfeito e o trackpad tem dimensões suficientes e é mesmo um botão e não tem um sistema de feedback háptico. O ecrã tem 12,4 polegadas, é sensível ao toque, e oferece uma resolução máxima de 1536 x 1024 com uma densidade 148 dpi de densidade. A resolução não é das mais altas, mas a grande densidade compensa, para se obter uma imagem nítida e saturada.

POUCAS LIGAÇÕES No que respeita a entradas, a Microsoft não foi muito generosa. O Surface Laptop Go tem apenas uma entrada USB Type-C, uma Type-A, uma de 3,5 mm para auscultadores e a saída para a alimentação. Por isso, todas as outras ligações terão de ser feitas usando Bluetooth ou Wi-Fi. O processador é um Intel Core i5 de 10.ª geração com quatro núcleos

O computador funciona e é muito agradável de usar em coisas como processamento de texto, email, ver filmes em streaming ou folhas de cálculo.

acompanhado de 8 GB de memória RAM DDR4 (na versão que nos foi enviada). O armazenamento está a cargo de um SSD com 256 GB, mas também estão disponíveis versões com 64 e 128 GB. O processador gráfico é o que está incluído no processador. Obviamente, o sistema operativo é o Windows 10, mas na versão S, que apenas permite a instalação de aplicações vindas da loja oficial da Microsoft. No entanto, pode ser feita a conversão para o Windows 10 “normal” sem necessidade de se pagar um extra. O conjunto pesa cerca de um quilo, o que o torna um dos computadores mais leves no catálogo da Microsoft.

CONSTRUÇÃO DE PRIMEIRA CATEGORIA A qualidade de construção é impecável e, tal como já é tradição na Microsoft, o ecrã, principalmente nas cores, é excelente; o facto de ser sensível ao toque dá-lhe versatilidade. No entanto, mesmo na configuração mais alta, com os tais 8 GB de memória, o desempenho desta máquina é suficiente, nunca chegando a ser brilhante. O computador é muito agradável de usar em actividades como processamento de texto, usar email, ver filmes em streaming ou criar folhas de cálculo. Qualquer coisa além disso ultrapassa rapidamente os limites de desempenho do processador e, principalmente, do processador gráfico. O desempenho menos brilhante oferece a vantagem de a bateria durar muito mais que

em computadores com um pouco mais de músculo (este Surface consegue ultrapassar as nove horas de trabalho contínuo), o que para quem trabalha é uma vantagem real. PEDRO TRÓIA

MEDIÇÕES

EXPERIÊNCIA DE UTILIZAÇÃO

PREÇO QUALIDADE

7 5,5

8,5

8

Distribuidor: Microsoft Site: microsoft.com Preço: €1019 s Construção t Desempenho t Preço FICHA TÉCNICA n Ecrã: 12,4”, 1536 x 1024 (148 dpi) n Memória: 4 GB ou 8 GB de RAM LPDDR4x n Processador: Intel Core i5 de 10.ª Geração – 1035G1 n Placa gráfica: Intel UHD Graphics n Armazenamento: eMMC de 64 GB; SSD de 128 GB ou 256 GB n Ligações: USB-C, USB-A, jack de 3,5 mm, porta Surface, Bluetooth 5.0, Wi-Fi 6 n Software: Windows 10 Home em modo S n Peso: 1,1 Kg n Dimensões: 278,18 × 205,67 × 15,69 mm BENCHMARKS n PCMARK 10: 3350 n PCMARK 10 Produtividade: 4786 n PCMark 10 Bateria: 560 minutos n 3D Mark Cloudgate: 8269 PONTO FINAL Esta é, claramente, uma máquina de entrada de gama, muito bem construída, mas não deixa de ser algo limitada. O teclado, o ecrã e principalmente o tempo de vida da bateria são excelentes. Contudo, o preço da versão de topo equipada é alto demais para o que oferece.

75


15

PLAY JOGOS

Miles Morales sucede a Peter Parker como Homem-Aranha no primeiro título para a nova PlayStation 5. Spider-Man: Miles Morales para PS5 não é bem uma continuação do jogo de 2018 para PS4, é mais uma aventura separada e com um foco exclusivo em Miles Morales, o herdeiro/companheiro/ajudante de Peter Parker. Este novo jogo é um pouco mais curto e consegue-se completar em menos de dez horas (se fizer apenas a missão principal), mas existem muitas missões secundárias para o manter ocupado durante muito tempo.

ESTREAR UMA NOVA PLATAFORMA Miles Morales foi o primeiro jogo para PS5 que experimentei e, embora não seja o mais exigente em termos de processamento, principalmente no que toca aos gráficos, inclui algumas das novas funcionalidades que foram anunciadas para esta nova geração, como taxas de actualização altas, Ray-Tracing (limitado) e pausas para carregamento praticamente inexistentes, graças ao novo

SSD da consola. O jogo começa com Miles a treinar as técnicas de luta com Peter Parker para aprender a usar os poderes que recebeu depois de ter sido picado por uma aranha radioactiva. Depois, quase como uma revisão da matéria dada, Miles parte numa missão com Peter Parker. A acção propriamente dita, começa depois desta primeira missão no Harlem (Nova Iorque), onde uma empresa está a tentar construir um prédio gigante que vai afectar negativamente na vida do bairro. E, ainda por cima, Peter Parker decide ir de férias, por isso Miles Morales tem mesmo de resolver tudo sozinho na pele de Spider-man. No entanto, Miles não é só um Spider Man substituto, o fato é diferente e os golpes que usa também são. Um outro aspecto diferenciador que o novo fato introduz é o conceito de energia nos golpes. Em certas alturas os golpes e movimentos especiais incluem energia extra

que ajuda a derrotar os inimigos. Tal como no episódio anterior, está presente uma árvore de habilidades que terá de ser preenchida para ajudar Miles a derrotar os vilões da história.

UM CLÁSSICO RENOVADO Apesar de ser um jogo clássico de Spider-man, este novo episódio não vive só de pancadaria e de teias de aranha: existem muitos puzzles que têm de ser resolvidos para se conseguir progredir e também novas técnicas para aprender. Um outro aspecto novo é a forma curiosa como Spider-man recebe as missões secundárias, através de uma aplicação que permite aos habitantes de Nova Iorque chamarem o aranhiço quando estão em apuros. P E D R O T R Ó I A

JOGABILIDADE

LONGEVIDADE GRÁFICOS

SOM

9 9

8

9

9

Editora: Insomniac Games Distribuidora: Sony Plataforma: insomniac.games Site: PS4, PS5 Preço: €59,99

s História s Reprodução da cidade de Nova Iorque t Campanha mais curta PONTO FINAL Apesar de ser um jogo um pouco mais curto, as diferenças para o original compensam. As personagens estão bem construídas e têm profundidade, principalmente Miles Morales. A cidade está muito bem reproduzida e não só nos prédios, também na vida que tem. Este é um jogo essencial para quem quiser começar a criar uma biblioteca de títulos para PS5.

92


15

PLAY MOBILE Paulo Miranda

Edi to r do si te fo n ep lay.n et paulo.miranda@foneplay.net

FRUIT NINJA 2

9

Dez anos após o lançamento do jogo original, a sequela de Fruit Ninja chega finalmente aos smartphones. O jogo mantém a mesma temática, ou seja, cortar fruta de forma rápida e eficiente, embora uma série de novos recursos tenha sido introduzida. Será necessário afiar as lâminas para cortar toneladas de fruta no novo modo ‘jogador-contra-jogador’ e utilizar os novos power-ups, lâminas e arenas, entre outros. Encontramos ainda vários tipos de minijogos, com dificuldade variável, que irão testar a nossa capacidade de cortar frutas rapidamente, em vários cenários.

EDITORA HALFBRICK GAMES PARA ANDROID E iOS PREÇO GRÁTIS

FUNKO POP! BLITZ

7 EDITORA N3ETWORK INC. PARA ANDROID E iOS PREÇO GRÁTIS

As conhecidas figuras Funko Pop! ganham vida neste jogo quebra-cabeças onde temos como objectivo juntar três ou mais peças iguais para as fazer desaparecer. Como em todos os jogos deste tipo, existe um objectivo a atingir em cada nível, tendo, para o efeito, um número limitado de jogadas para o conseguir. Cada personagem Funko Pop! tem o seu próprio super-movimento exclusivo, que celebra momentos icónicos das franquias a que dizem respeito. Existem eventos semanais que adicionam novas personagens e efeitos alusivos a determinadas franquias.

RABBIDS CODING

8

Este jogo junta o lúdico ao didáctico: os tresloucados Rabbids vão ajudar o jogador a dar os primeiros passos pelo mundo da programação. O objectivo não é aprender uma determinada linguagem, mas sim diversos conceitos que são utilizados em ambientes de programação, como a repetição de comandos ou acções a realizar em função de determinadas condições. Tudo isto deve ser usado com o objectivo de expulsar os Rabbids da estação espacial, colocando blocos com determinados comandos na sequência correcta para concluir a tarefa proposta, cuja dificuldade vai aumentando gradualmente. Rabbids Coding é recomendado para os mais novos, mas é um jogo em que todos se vão divertir.

EDITORA UBISOFT PARA ANDROID E iOS PREÇO GRÁTIS

UNMEMORY

10 EDITORA PLUG IN DIGITAL PARA ANDROID E iOS PREÇO €6,99

Unmemory é um excelente e desafiante jogo onde assumimos o papel do protagonista e tentamos descobrir quem matou a nossa namorada. Para isso será preciso ler um livro (em português), mas, para dificultar a tarefa, esse livro “sofre” de uma forma rara de perda de memória, o que faz com que partes do texto não estejam completas. Será preciso seguir as pistas, ver imagens, ouvir músicas e gravações de voz para ir avançando na história e solucionar o mistério. Assim que as memórias vão regressando, é preciso voltar a ler tudo para encontrar novas pistas e prosseguir.


Profile for PCGuia

PCGuia 299 - Dezembro 2020  

SUPERTESTE Os melhores PC de gaming nacionais. Nove computadores para jogar com tudo no máximo

PCGuia 299 - Dezembro 2020  

SUPERTESTE Os melhores PC de gaming nacionais. Nove computadores para jogar com tudo no máximo

Profile for pcguia
Advertisement