Page 1

O EDIÇÃAL DIGIT

PCGUIA.PT facebook.com/revistaPCGuia

N.º 281

Leia a PCguia no seu tablet ou smartphone

Reduza já a sua conta de electricidade e aprenda a ter baterias saudáveis em todos os dispositivos.

PVP (Cont.)

€3,8O

PVP (Cont.)

PRIVACIDADE

LEGION Y740

O ÚNICO SMARTPHONE COM UMA CÂMARA QUE RODA 180 GRAUS

FIQUE EM FORMA PARA O VERÃO COM A AJUDA DO TELEMÓVEL

APRENDA A ENCRIPTAR FICHEIROS PARA OS MANTER SEGUROS

O NOVO PORTÁTIL DA LENOVO PARA JOGAR EM QUALQUER LADO

n

APPS DE FITNESS

Junho 2O19

ASUS ZENFONE 6

Mensal

n

Ano 23

€3,8O

PVP (Cont.)

€3,8O


01

ÍNDICE

PEDRO TRÓIA / Director

THANKS FOR NOTHING, MR. TRUMP Até agora, a guerra comercial entre os Estados Unidos e a China era uma coisa que passava pela vida dos portugueses em peças de três minutos num qualquer telejornal. Mas, no final de Maio, tudo mudou. O presidente do EUA colocou várias empresas chinesas, incluindo a Huawei, numa lista negra que impede empresas americanas de terem relações comerciais com elas. Depois, a Google confirmava que iria deixar de licenciar o Android à Huawei. Esta decisão foi seguida por outras semelhantes de empresas de hardware como a Intel e Qualcomm. Milhares de pessoas em Portugal entraram em pânico porque pensavam que, de repente, os seus smartphones da marca chinesa se tinham transformado em pisa-papéis mais caros que o habitual… e que muitas vezes ainda estão a pagar às prestações. Os meios de comunicação generalistas também não ajudaram nada e os canais de TV fizeram o favor de amplificar os receios porque, em muitos casos, se limitaram a repetir notícias que vêm de fora, muitas delas erradas ou com imprecisões. Por exemplo: desde quando é que o Gmail vai deixar de funcionar nos smartphones Huawei? Acha que o ditador da Coreia do Norte não pode utilizar Gmail? E se há país cheio de limitações ao comércio com os EUA é a República Popular Democrática da Coreia. Não me canso de dizer: se tiver um smartphone Huawei, ele vai continuar a funcionar como sempre. A única coisa a que não vai ter acesso será às próximas versões do Android e a serviços futuros. E isto se esta situação se mantiver, coisa em que francamente, não acredito. Mas, se acontecer mesmo, não antevejo um grande futuro para a Huawei, principalmente enquanto estiver dependente de terceiros para o que tem sido o seu ponto fraco até agora: o software. Porque, em termos de hardware, no cômputo geral, a dependência é tão marginal que não impede que a empresa continue a fabricar equipamentos. Compreendo que o presidente americano queira proteger o seu país, como é o seu dever. Mas o resto do mundo não tem nada que ver com isso, muito menos as pessoas que estão a pagar smartphones às prestações.

10

TEMA DE CAPA

Aprenda a reduzir os gastos energéticos dos seus equipamentos electrónicos com novos hábitos de rotina, seja para poupar na conta da luz ou para ajudar o ambiente.

02

ON

04 / Notícias de tecnologia, coluna, Made in Portugal, Hashtags, Green e a nossa entrevista: Queremos Respostas.

03

HIGH-TECH GIRL

18 / Fique a conhecer Margaret Hamilton, a programadora que criou o termo ‘engenharia de software’.

04

INFOGRAFIA

20 / Saiba quais vão ser os maiores benefícios da rede 5G.

05

START UP

22 / A Unbabel é uma startup portuguesa que oferece uma plataforma que combina tradução automática e humana.

06

BOOT

24 / DEFEITOS ESPECIAIS O Ricardo Durand explica porque é que as dobragens dos jogos em português não funcionam. GUIAS 26 / Encriptar documentos num disco externo

30 / Actualize os drivers do PC para evitar problemas com o Windows 10 34 / Sincronize os favoritos em todos os browsers 36 / Use o mesmo teclado e rato em diversos computadores

07

LINUX

38 / Conheça melhor o KDE Neon.

08

MACGUIA

40 / Aprenda a criar um toque para o iPhone a partir de qualquer música.

09

DESCOMPLICÓMETRO

42 / Nesta edição, explicámos-lhe como funcionam os sistemas de carregamento wireless.

11

APPS

60 / Este mês, temos uma selecção das melhores aplicações para o ajudar a ficar em forma.

12

MOTOR MAIS

64 / ENSAIOS Audi A6 Avant Honda Jazz Hyundai Santa Fé

13

PLUG

16

PLAY

90 / JOGOS Days Gone Mortal Kombat 11

96 / JOGOS MOBILE Golf Blitz Rumble Stars Soccer The Videokid Flappy Fighter

17

TECHPORN

68 / Desmontámos o Samsung Galaxy Fold

15

74 / TESTES Lenovo Legion Y740 Asus ZenFone 6 Huawei P30 Lite vs. Samsung Galaxy A50 Samsung Galaxy S10e Crosscall Trekker-X4 Sony Bravia XG95 Asus ROG XG49 Asus ROG Strix GeForce GTX 1650 OC HP Spectre Folio 13 QNAP TS-251B Seagate Ironwolf NAS 4TB

94 / HARDWARE Steelseries Rival 650 Wireless Corsair Ironclaw Wireless

66 / Um guia para a utilização de tubos hardline em modding.

14

72 / GADGETS Hama Surround Kit RS100 iRobot Braava Jet Marantz AVS Samsung Galaxy Watch Active TBee 2.0

LAB

SLEEP

98 / Em Junho, assinalamos o lançamento do Tetris, do iPhone e a chegada aos cinemas do filme Jogos de Guerra.

70 / TECNOLOGIA EM MOVIMENTO O Gustavo Dias fala sobre as implicações da sanção dos EUA à Huawei.

CLASSIFICAÇÕES A PCGuia usa um método de avaliação de produtos que tenta conciliar as medições de desempenho com os aspectos mais empíricos como a experiência de utilização. O valor final da nota será obtida através de uma média aritmética que dará um valor de 1 a 10. Os produtos com nota 9 ou superior recebem o Prémio de Excelência PCGuia. Mais informação em pcguia.pt/como-testamos.

MEDIÇÕES

EXPERIÊNCIA DE UTILIZAÇÃO

PREÇO QUALIDADE

8

10

6

9 Distribuidor: PCGuia Site: pcguia.pt Preço: €42 Facto positivo Facto negativo

3


04

INFOGRAFIA MAFALDA FREIRE

5G: POTENCIAL PARA MUDAR O MUNDO O 5G vai chegar em 2020 e promete maior velocidade e fiabilidade aliada a uma menor latência. Mas o que é que isto significa, realmente?

10X

superior ao 4G

VELOCIDADE

Mais de 1 Gbps Download de 20 GB num segundo

10X

superior ao 4G

DENSIDADE DE LIGAÇÕES

Mais de 100 mil milhões de ligações em simultâneo

10X

MAIS TEMPO PARA OS UTILIZADORES 5G*

Utilizador vai poupar em média 23 horas por mês em downloads e nas redes sociais

superior ao 4G

LATÊNCIAS

1 milisegundo

100X

superior ao 4G

EFICIÊNCIA

Consumos de energia mais baixos

MÚSICA

poupança de 3 horas para fazer o download da biblioteca completa do Spotify

FILMES

poupança de 7 minutos no download de um filme em HD

REDES SOCIAIS

poupança de 2:20 minutos por dia

*em relação a uma ligação 4G

APLICAÇÕES E SECTORES QUE MAIS PODERÃO BENEFICIAR DO 5G

Indústria, IoT e robótica

Agricultura

Transportes e carros autónomos

Smart cities

Novas experiências de utilizador: realidade virtual e realidade aumentada

Saúde (eHealth): cirurgias remotas, telemedicina

Entretenimento e media: vídeos 8K, streaming ultra-rápido

Telecomunicações: banda larga em todo o lado

Energia: infraestruturas inteligentes

Fonte: Cradlepoint, IEEE, HIS Markit, Comissão Europeia, HighSpeedInternet.com e Ericsson Ilustrações: Freepik

20


06

BOOT

MAFALDA FREIRE

ENCRIPTAR DOCUMENTOS NUM DISCO EXTERNO Os dados que armazena no PC estão vulneráveis a ataques de hackers. É por isso que a Microsoft disponibiliza, nas versões Pro e de educação do Windows 10, uma ferramenta de encriptação, chamada BitLocker, que vamos usar para proteger os dados e documentos num disco externo. 1

1

26

PREPARAR O DISCO

O BitLocker consegue proteger tudo, desde um disco ao computador inteiro, mas não aconselhamos que o faça porque cada vez que usar o PC, o Windows vai ter de desencriptar os programas e isso pode demorar algum tempo. Assim, vamos usar o programa da Microsoft num disco externo. Ligue o disco ao computador e o mesmo deverá surgir no ‘Explorador de Ficheiros’. Se tal acontecer salte para o passo 3. Caso não apareça vai ter de formatar o disco. Para isso, clique na pesquisa (ícone da lupa), escreva partições e escolha ‘Criar e formatar partições do disco rígido’. Vai ver pelo menos dois discos – podem ser mais dependendo de quantos discos rígidos tiver no seu computador, um será o seu disco rígido principal e o outro o disco externo 1 . O disco externo está dividido em várias partes mas uma das partições não poderá ser mexida já que é de indexação. Se tiver uma área de espaço usado e não usado, clique com o botão direito do rato na parte do disco usado e escolha ‘Eliminar volume…’ e depois em ‘Sim’, isto para indicar que sabe que vai perder a informação que estiver nessa parte do disco.


A Microsoft tem apostado na segurança e disponibiliza o BitLocker em versões profissionais e educacionais do Windows desde o Vista.

2

FORMATAR O DISCO

Depois do processo que fez do passo anterior deverá ver apenas um bloco de espaço ‘Não atribuído’. Clique com o botão direito do rato no bloco e escolha a opção ‘Novo Volume Simples…’ e depois clique em ‘Seguinte’. Siga as instruções do Windows e, no ‘Sistema de ficheiros’, faça scroll até à opção ‘NTFS’ e certifique-se de que a opção ‘efetuar uma formatação rápida’ está seleccionada. Carregue em ‘Concluir’ para terminar a formatação.

3

1

ACTIVAR O BITLOCKER

No ‘Explorador de Ficheiros’, clique com o botão direito do rato em cima do disco que acabou de formatar e escolha ‘Ativar o Bitlocker’ no menu de contexto 1 . A encriptação vai iniciar e, depois, vai ver uma opção que lhe pergunta como quer desbloquear a unidade. Seleccione ‘Utilizar uma palavra-passe para desbloquear a unidade’ e escreva uma password. Tenha em atenção que deve ser algo que se recorde facilmente para que possa desencriptar o disco rapidamente sempre que precisar.

4

FAZER BACKUP DA CHAVE DE RECUPERAÇÃO

Nem tudo está perdido caso se esqueça da palavra-passe, já que a Microsoft permite-lhe fazer uma chave de recuperação e uma cópia de segurança da mesma de três formas. A mais simples é ‘Imprimir a chave de recuperação’ mas pode não ser a mais segura, já que não é boa ideia ter um disco encriptado e uma folha ao lado com a chave de acesso. O mesmo se passa com a opção ‘Guardar num ficheiro’ que possibilita guarda a chave de recuperação numa pen USB. Assim, a opção que recomendamos é ‘Guardar na conta Microsoft’ 1 . Clique aqui e em ‘Seguinte’.

1

27


10

TEMA DE CAPA

COMO POUPAR ENERGIA Seja por uma questão ambiental, de princípios ou de poupança na factura mensal, vai poder, com uma mudança de hábitos, reduzir a conta da electricidade e ter mais bateria no smartphone e no computador portátil. G U S TAVO D I A S E R I C A R D O D U R A N D

44


S

egundo estatísticas recentes sobre o consumo energético global, as energias renováveis estão a crescer de forma significativa, embora ainda não consigam fazer frente ao domínio das fontes de energia fóssil (carvão, petróleo e gás natural), que continuam a ser responsáveis por mais de 65% de toda a energia eléctrica consumida. Isto é ainda mais assustador quando observamos os dados de regiões menos desenvolvidas como a Ásia, África e o Médio Oriente, estando no outro lado da balança a Europa a dar o exemplo, com o maior empenho na adopção de produção de energia proveniente de fontes renováveis. Se a esta situação adicionarmos o pormenor de, nos últimos trinta anos, termos duplicado o consumo de energia eléctrica, então está na altura de mudarmos a nossa maneira de estar e tentar evitar que a situação piore, seja por uma questão dos recursos do planeta, da poluição gerada pela produção de energia, seja pelo constante aumento do custo da electricidade.

MUDANÇA DE HÁBITOS A forma que envolve menos mudanças físicas, e talvez a que terá maior impacto, será a adopção de novos hábitos na sua rotina. Evite gastar energia eléctrica em dispositivos que não estão a ser usados, desligando-os da tomada eléctrica ou usando os botões físicos para corte de corrente, já que muitos desses,

só pelo simples facto de estarem ligados à corrente, poderão estar a consumir quase 25% do que habitualmente consumiriam caso estivessem ligados. Basicamente, todos os equipamentos que deveriam estar desligados, mas mantêm uma luz acesa, significa que os mesmos não estão realmente desligados, mas sim em modo stand-by, ou seja, a consumir energia. Uma boa solução para evitar este tipo de situação será utilizar uma régua eléctrica com diversas tomadas e um botão principal que permite facilmente cortar a corrente a todas as tomadas da mesma.

ANALISAR CONSUMOS Existem ainda as chamadas ‘tomadas inteligentes’, que utilizam uma das saídas como principal, ligando ou desligando as restantes, dependendo do estado do primeiro dispositivo. Um exemplo disso será atribuir à saída principal o televisor e as restantes podem a uma box de TV, consola de jogos ou sistema de som surround - assim, estas serão activadas de forma automática quando o televisor for ligado. Outra dica será para fazer no período de aquisição de qualquer equipamento eléctrico: verificar qual o nível de eficiência e o consumo energético do mesmo. Aqui, tem mesmo de ler as letrinhas pequenas e comparar com outros equipamentos equivalentes para determinar qual o modelo mais eficiente.

Basicamente, todos os equipamentos que deveriam estar desligados, mas mantêm uma luz acesa, significa que os mesmos não estão realmente desligados, mas sim em modo stand-by, ou seja, a consumir energia.

45


07

LINUX ANDRÉ PAULA

KDE NEON Este mês vamos dar a conhecer o KDE Neon, que oferece uma das melhores experiências com o ambiente gráfico KDE Plasma. Vão ficar a saber porquê.

38

Uma dificuldade comum no mundo Linux é a escolha da distribuição - com tanta variedade, pode ser confuso. Como expliquei na PCGuia 271 (Agosto de 2018), a ideal é aquela que funciona melhor com o hardware do seu computador e que preencha as suas necessidades. Para facilitar a escolha e reduzir a opções, existem quatro bases comuns que me têm orientado: estabilidade, suporte, inovação e simplicidade. Com estas premissas em mente, o Ubuntu, tem sido um candidato a altura. A realidade é que muitos desenvolvem primeiro pacotes DEB ou outros repositórios criados para Ubuntu, o que facilita depois todo o processo que pode existir de instalação e suporte. Depois da base escolhida, optei pelo DE (Desktop Environment) que mais gosto, o KDE Plasma, e procurei projectos que tivessem base

Ubuntu e KDE Plasma. Um deles, destacou-se: o KDE Neon.

O QUE É O KDE NEON O KDE Neon não é uma distribuição Linux, mas sim um conjunto de repositórios de software, com as versões mais actualizadas do software QT e KDE, disponibilizadas rapidamente. A base do sistema operativo escolhido é Ubuntu 18.04 LTS, que têm o seu ciclo de actualizações próprio. Para procurar as actualizações do KDE, basta usar o gestor de pacotes Discover ou então abrir o terminal e escrever pkcon refresh && pkcon update. Portanto, o KDE Neon é um Ubuntu que usa as actualizações mais recentes do KDE Plasma 5 no desenvolvimento do KDE e nas suas aplicações, o que dá aos utilizadores as novidades e correcções mais recentes.


INSTALAÇÃO DO QOWNNOTES EM UBUNTU OU DEBIAN Existem várias formas de instalação, mas em todas elas vai ser utilizado o terminal:

1

PRIMEIRA MANEIRA DE INSTALAR: PPA

2

SEGUNDA MANEIRA DE INSTALAR: PACOTE SNAP

# sudo add-apt-repository ppa:pbek/qownnotes # sudo apt-get update # sudo apt-get install qownnotes

# sudo snap install qownnotes

3

TERCEIRA MANEIRA DE INSTALAR: PACOTE APPIMAGE 1 - Fazer o download do pacote aqui: http://bit.ly/2LFH0bk 2 - Depois, no diretório onde está o ficheiro, dar permissões de execução # chmod a+x QOwnNotes-*.AppImage

O QUE VÊM INSTALADO A instalação é simples, muito devido à escolha do instalador gráfico (Calamares), que trouxe vantagens acrescidas ao anterior Ubiquity, porque facilita a instalação do sistema a novos utilizadores. Este sistema também não inclui muitos programas por omissão na imagem padrão de instalação; os escolhidos são básicos e maioritariamente desenvolvidos pela comunidade KDE, contrariamente à maioria das distribuições que vêm com muitos programas instalados, mas que depois muitos deles acabam por nunca serem usados. As aplicações instaladas abrangem a maioria das necessidade mais comuns de qualquer utilizador: temos um player de video (VLC),

um visualizador de imagens (Qwenview), um leitor de PDF (Okular), um navegador Web (Firefox), um gestor de ficheiros (Dolphin), um gestor de pacotes gráfico (Discover), um terminal (Konsole), um analisador do sistema (Ksysguard), um gestor de passwords (Kwalletmanager), um editor de texto (Kwrite), um programa para ler/criar/extrair ficheiros (Ark) e uma ferramenta para screenshots (Spectacle).

VANTAGENS E DESVANTAGENS Apesar de ter uma base estável e dar liberdade ao utilizador na escolha de aplicações a instalar, esta opção peca pela falta de documentação (que é importante, em especial para novos utilizadores), como pelo tempo que é necessário para configurar o sistema, porque vem apenas com o básico instalado. Para facilitar este último processo, usem o Discover (o gestor de pacotes

gráfico, por omissão), para instalação da maioria dos programas de que precisam e como gestor de pacotes alternativo, o Muon, que simplifica não só a instalação de pacotes, como a gestão de PPA caso sejam usados. Para ajudar à memória, é importante documentar essa informação: no guia deste mês, darei uma sugestão de uma ferramenta para notas que uso para este fim: o Qownnotes. Este programa open source (que tem versões para Windows e macOS) grava as notas em formato de texto simples e é compatível com markdown. O Qownnotes também nos ajuda na gestão de tarefas e na criação de notas encriptadas. Também é possível adicionar imagens, escolher vários layouts e a possibilidade de sincronização em dispositivos móveis ou edição das notas e das tarefas via web, usando o Owncloud, Nextcloud, ou então a vossa página no Git. LINUXTECH.PT

CONCLUSÃO Escolher um sistema Linux, para usar em casa, envolve muitas vezes alguma resiliência. Nem todas as distribuições têm o mesmo comportamento com o mesmo hardware e, para quem não tem muita experiência, descobrir esses problemas não é fácil. Por isso, escolham uma base estável como o Ubuntu e, se gostam do KDE Plasma 5, pode ser que fiquem satisfeitos com o funcionamento do KDE Neon.

39


15

LAB

HUAWEI P30 LITE vs. SAMSUNG GALAXY A50 Com a chegada destes dois importantes smartphones da Samsung e Huawei, fomos descobrir qual deles será o melhor e, possivelmente, o campeão de vendas no segmento médio do mercado nacional. Embora sejam os modelos topo de gama aqueles que mais nos fascinam, o seu preço proibitivo tem permitido tornar os modelos de segmento médio, com características similares, nos verdadeiros campeões de vendas. Por alguma razão a Huawei, por exemplo, manteve durante três gerações o seu P8 Lite, que chegou a ser o seu modelo mais vendido durante largos meses, tal como aconteceu com o P Smart, que também teve várias versões. Como tal, lançar no mercado um smartphone com design inspirado nos modelos de topo, parte das funcionalidades e do desempenho dos mesmos, por um preço que ronde entre os 200 a 400 euros parece ser a solução certa para um sucesso de vendas. Mas o caminho não está propriamente livre, visto existirem inúmeras alternativas no mercado, provenientes de novos fabricantes como a Xiaomi, Honor e outros, mas são os modelos da Samsung e da Huawei os mais desejados pelos utilizadores portugueses. Felizmente, este mês, ambas as marcas lançaram dois terminais que têm tudo para ser os smartphones do ano em Portugal, em termos de vendas. Conheça os novos Huawei P30 Lite e Samsung Galaxy A50, que aqui colocamos frente a frente, para o ajudar a determinar qual o melhor modelo para si.

HUAWEI P30 LITE Inspirando-se no design do Huawei P30, este modelo tem um ecrã com praticamente

a mesma dimensão que o P30: 6,1 polegadas e resolução FHD+ (2312 x 1080). Este ecrã, de tecnologia LCD IPS, conta com um sensor frontal aplicado no mesmo através de um entalhe em formato gota de água. Atrás, o design é igualmente similar, inclusive no acabamento em vidro e esquema de cores disponíveis (preto, branco e azul) embora exista um preciso sensor de impressões digitais de formato tradicional e um módulo de câmaras traseiras mais pronunciado que o módulo aplicado no P30 e P30 Pro, tornando o dispositivo instável e desnivelado quando colocado sobre uma superfície. De resto temos uma moldura em plástico cromado, com um altifalante, ficha jack e ligação USB-C compatível com carregamento rápido. O carregador de 18 W é fornecido, bem como os auscultadores de formato tradicional.

SAMSUNG GALAXY A50 Já no caso do Samsung, a inspiração vem de modelos de gama média como o A7 e A9, daí a utilização de um corpo que, embora em plástico, tem um acabamento parecido ao de modelos em vidro, com a possibilidade de utilização de cores menos tradicionais. Contudo, em Portugal, estão apenas disponíveis as versões em preto, branco, rosa e azul. Neste painel encontramos o sistema de tripla câmara, sendo este módulo pouco pronunciado, ao contrário do modelo da Huawei, evitando o desnivelamento exagerado

quando pousado sobre uma superfície plana. A moldura é igualmente em plástico, com um esquema colorido idêntico ao do painel traseiro, estando a superfície inferior reservada para o altifalante, ficha jack e ligação USB-C com carregamento rápido, embora apenas a 15 W (transformador fornecido). O ecrã AMOLED de 6,4 polegadas, é FHD+ (2340 x 1080), com um entalhe em forma de gota de água para alojar o sensor frontal, daí a designação Infinity-U para este ecrã, o primeiro da Samsung deste género.

UTILIZAÇÃO QUOTIDIANA Ao usar os smartphones no dia a dia, inclinamo-nos para modelo da Samsung, muito por culpa da excelente qualidade de imagem do seu ecrã AMOLED com certificação HDR10+, embora a qualidade de imagem do ecrã IPS do P30 Lite não seja de menosprezar. O ecrã AMOLED do A50 tem ainda a particularidade de utilizar um sensor de impressões digitais de funcionamento semelhante ao utilizado nos Galaxy S10, ou seja, não é tão rápido quanto um sensor dedicado, como o utilizado pelo modelo da Huawei. Em termos de desempenho, o processador Kirin 710 revelou ser ligeiramente mais rápido que o Exynos 9610 utilizado pelo terminal da Samsung em alguns testes, embora essa diferença nunca seja sentida na utilização dos terminais, nem mesmo quando corremos jogos exigentes como Asphalt 9. Em termos de autonomia,

O modo nocturno da câmara do P30 Lite, habitualmente a grande mais-valia dos equipamentos Huawei face à concorrência, não está ao nível do que a marca nos habituou com os novos P30 e P30 Pro: falta-lhe o detalhe necessário para tornar as imagens tão impressionantes como em outros modelos da marca. 76


Samsung Galaxy A50

Huawei P30 Lite

Antutu

147 172

140 079

3DMark Ice Storm Unlimited

16 582

PCMark Work 2.0

5 867

7 034

PCMark Work 2.0 Bateria (minutos)

837

642

22 676

SAMSUNG GALAXY A50 MEDIÇÕES

EXPERIÊNCIA DE UTILIZAÇÃO

PREÇO QUALIDADE

8 6

9

9

Distribuidor: Samsung Site: samsung.com/pt Preço: €369 s Qualidade de imagem do ecrã s Excelente autonomia t Precisão do sensor de impressões digitais

a diferença significativa na capacidade das baterias permitiu que os 4000 mAh do Galaxy A50 tornem a utilização do mesmo mais confortável que a permitida pelos 3340 mAh da bateria do Huawei P30 Lite, embora este último tenha a vantagem de permitir um carregamento mais rápido, desde que se use o transformador fornecido. No que toca ao software, foi o modelo da Samsung que se destacou pela positiva, graças à implementação da One UI, que é actualmente a melhor interface personalizada do mercado. É a mais atraente e simples de usar, especialmente se quiser usar o smartphone só com uma mão, pecando apenas pelo sistema de gestos, demasiado básico face à solução oferecida pela interface EMUI do P30 Lite.

CÂMARAS Colocado de lado o design, desempenho e autonomia, resta perceber qual é o modelo que tem as melhores câmaras, uma vez que este é o mais impor tante argumento de vendas de um smartphone actual. No caso do Huawei P30 Lite, estamos perante um sistema de três sensores composto por um principal de 48 MP, acompanhado por um de 8 MP para a grande angular e um terceiro sensor de 2 MP para o efeito de profundidade de campo, nas fotografias de retrato. No caso do Galaxy A50 temos um sensor principal de 25 MP, um secundário de 8 MP para a grande angular e um terceiro sensor de 5 MP para o efeito de profundidade de campo. Embora, em termos de resolução, o sensor principal do P30 Lite pareça ser a solução mais cativante, a sua elevada resolução apenas é aproveitada

quando aplicamos zoom na imagem, utilizando a resolução nativa do sistema, os 12 MP. Porém, é possível tirar fotografias com os 48 MP, à semelhança do que acontece com o A50, que usa uma resolução nativa de 12 MP, permitindo ampliar essa resolução para os 25 MP; no caso do P30 Lite, o assistente de inteligência artificial tenha que ser desligado quando pretende usar a resolução máxima. Em termos de qualidade de imagem, ambos os sensores revelaram resultados parecidos, tanto com a resolução nativa, como na resolução máxima, embora tenham surgido ocasiões em que o assistente de inteligência artificial do P30 Lite tenha exagerado ligeiramente os níveis de saturação da imagem, ideal para partilhas nas redes sociais, mas pouco credível quando precisar de trabalhar as imagens no computador. Só no modo de noite é que o sensor principal da Huawei revelou ser superior ao do Galaxy A50 (embora longe dos resultados mágicos do P30 e P30 Pro), já que em tudo o resto o modelo da Samsung dominou, inclusive na qualidade de imagem do sensor de grande angular, no efeito bokeh nos retratos e na velocidade de focagem. Em termos de vídeo, ambos estão limitados a uma resolução 1080p a 30 fps, tendo novamente o sensor do A50 revelado uma imagem superior, bem como uma melhor estabilização da imagem. Foi ainda possível usar a câmara de grande angular para filmar, embora não seja possível alternar entre os sensores durante a gravação. Já no P30 Lite foi possível aplicar zoom de 2x durante a gravação, mas com significativa perda de qualidade de imagem. G U S TAVO DI A S

FICHA TÉCNICA n Processador: Samsung Exynos 9610 (4 x 2,3 GHz A73 + 4 x 1,7 GHz A53) n Memória: 4 GB n Armazenamento: 128 GB n Câmaras: 25 MP f/1.7 + 8 MP f/2.2 + 5 MP f/2.2 (traseira), 25 MP f/2.0 (frontal) n Ecrã: 6,4” Super AMOLED (2340 x 1080), 403 ppi n Bateria: 4000 mAh n Dimensões: 158,5 x 74,7 x 7,7 mm n Peso: 166 gr

HUAWEI P30 LITE MEDIÇÕES

EXPERIÊNCIA DE UTILIZAÇÃO

PREÇO QUALIDADE

7.5 6

8

8,5

Distribuidor: Huawei Site: consumer.huawei.com/pt Preço: €379 s Desempenho s Qualidade de construção t Autonomia limitada FICHA TÉCNICA n Processador: HiSilicon Kirin 710 (4 x 2,2 GHz A73 + 4 x 1,7 GHz A53) n Memória: 4 GB n Armazenamento: 128 GB n Câmaras: 48 MP f/1.8 + 8 MP f/2.2 + 2 MP f/2.4 (traseira), 24 MP f/2.0 (frontal) n Ecrã: 6,15” Super AMOLED (2312 x 1080), 415 ppi n Bateria: 3340 mAh n Dimensões: 152,9 x 72,7 x 7,4 mm n Peso: 159 gr PONTO FINAL Ecrã maior e com qualidade superior, bateria de maior capacidade, desempenho equivalente e câmara ligeiramente superior são algumas das razões para considerarmos o novo Galaxy A50 o melhor smartphone nesta gama de preços. Nem o modo nocturno do P30 Lite conseguiu compensar os resultados, por não estar ao nível de outros modelos da Huawei.

77


Profile for PCGuia

PCGuia 281 Junho 2019 - Demonstração  

Como poupar energia Reduza já a sua conta de electricidade e aprenda a ter baterias saudáveis em todos os dispositivos.

PCGuia 281 Junho 2019 - Demonstração  

Como poupar energia Reduza já a sua conta de electricidade e aprenda a ter baterias saudáveis em todos os dispositivos.

Profile for pcguia
Advertisement