Issuu on Google+

notícias Informativo da Companhia Paraibana de Gás

13ª edição / Janeiro de 2014

C ampina Grande sai na frente O dia 22 de janeiro foi uma data importante para a PBGÁS e para a cidade de Campina Grande. Numa solenidade bastante prestigiada, com a presença do governador Ricardo Coutinho, aconteceu na Associação Comercial daquela cidade a autorização do início das obras para a expansão da rede de distribuição de gás natural residencial e comercial na Rainha da Borborema. A ordem de serviços foi assinada pelo governador Ricardo Coutinho e pelo presidente da PBGÁS, Franklin de Araújo Neto. Com a realização dessa obra, Campina Grande entra para a história como a primeira cidade do interior nordestino a receber o gás natural para residências e, em escala, para os estabelecimentos comerciais. Denominado de “Projeto Borborema”, a obra prevê investimentos de quase R$ 4,5 milhões em sua primeira etapa, incluindo o total de execução e aquisição de material. O governador Ricardo Coutinho afirmou que a ampliação do gás natural, em Campina Grande, faz parte dos projetos para o desenvolvimento do Estado e da cidade, focados na criação de uma infraestrutura de abastecimento. “A Paraíba passa por uma transição importante na sua industrialização e fazemos isso porque, quando negociamos com investido-

res, mostramos que temos infraestrutura necessária de rodovias, água, esgotamento, energia, gás natural e um ambiente econômico favorável”, disse o governador, ressaltando as boas condições e a organização da PBGÁS para essa expansão do sistema em Campina Grande. A primeira etapa, realizada entre os bairros do Catolé e do Mirante, vai gerar 60 empregos diretos. “Esses dois bairros representam uma área com forte crescimento imobiliário, o que significa uma importante demanda para o uso do gás natural. São fatores que contribuem para a viabilização do projeto e que englobam, também, importantes estabelecimentos comerciais a serem beneficiados com esse combustível – como hotéis, dois shoppings e vários outros estabelecimentos localizados na área”, ressaltou o presidente da Companhia, Franklin de Araújo Neto. O evento em Campina Grande contou com um grande público e várias autoridades do Estado. Estiveram presentes diretores da Companhia, Germano Sampaio de Lucena (Técnico Comercial) e David dos Santos Mouta (Administração e Finanças), além do vicegovernador Rômulo Gouveia e o presidente do Conselho Administrativo da PBGÁS, secretário Efraim Morais. (Continua na Página 4.)

DESTAQUE

CLIENTE

Iniciado programa de Excelência de Gestão pela PBGÁS pág.03

Projeto Gás em Cena faz sucesso nas escolas pág.04


PBGÁS

EDITORIAL Com o início das obras do Projeto Borborema, em Campina Grande, a PBGÁS pretende captar, já no exercício de 2014, cerca de 1.000 clientes dos segmentos residenciais e do comércio daquela cidade, de um potencial de 2.500 já préidentificados. O atendimento a esses dois segmentos de mercado vai alterar, de forma substancial, a estrutura organizacional da empresa, pois ela passa a atender um número grande de consumidores. Para tanto, será necessária a implantação de uma estrutura maior para o pronto atendimento aos usuários, de forma a trazer tranquilidade aos consumidores e manter o seu padrão de qualidade, uma marca da qual a empresa não se distancia. Nesse sentido, a empresa já se prepara para, em 2015, aumentar a presença física do seu escritório de representação na cidade, construindo uma sede moderna e funcional para abrigar os setores de manutenção, operação e supervisão do sistema, bem como toda uma estrutura para o atendimento comercial com um sistema de atendimento ao cliente e plantão para as urgências e emergências, operando 24 horas. Em função da qualidade dos serviços prestados, aliada às vantagens proporcionadas pelo Gás Natural, a Companhia tem a convicção de que haverá de contar com uma adesão forte dos cidadãos campinenses, pois a comunidade só terá a ganhar com a chegada desse combustível em várias residências e estabelecimentos comerciais.

A importância do Projeto Borborema A PBGÁS começou o ano de 2014 cumprindo uma importante meta. O início das obras do Projeto Borborema, em Campina Grande, era não apenas um compromisso, mas um importante objetivo que estava inserido na estratégia da Companhia e que agora começa a virar realidade. Podemos dizer que esse projeto é uma continuidade das ações iniciadas em 2005, quando foi implantado o gasoduto ligando João Pessoa à Campina Grande. A história do projeto Borborema, portanto, começa naquele momento. Desde a inauguração desse gasoduto, que permitiu o atendimento às indústrias e postos de combustível na cidade, foi plantada a semente para a extensão de uma rede urbana para a chegada do gás natural às residências e estabelecimentos comerciais da cidade. A semente já está brotando e, na medida em que a obra for se expandindo, estaremos ligando os primeiros clientes residenciais e comerciais, o que, em breve, irá conferir à Campina Grande o honroso título de ser a primeira grande cidade do interior nordestino a receber o Gás Natural para o comércio e milhares de residências. Dada a largada, podemos dizer, com satisfação, que se trata de um programa sem data para terminar. Na medida em que a rede avança, e que vão sendo construídos novos prédios e unidades comerciais, o gás natural estará chegando como uma solução energética viável, prática, econômica, segura e altamente sintonizada com o meio ambiente. Para nós que fazemos a PBGÁS, esse programa é a consolidação de uma iniciativa que foi bastante planejada ao longo dos últimos anos, e que vem ao encontro de uma visão estratégica que pretende, até 2020, colocar a empresa numa posição relevante, reconhecida pela sua responsabilidade socioambiental e pela promoção da eficiência energética. Germano Sampaio de Lucena Diretor Técnico Comercial

NOTAS a Companhia utiliza os computadores portáteis totalmente robustecidos em suas operações e já comprova as vantagens proporcionadas pelo uso desses equipamentos. Por consequência, esses equipamentos tornamse indispensáveis aos profissionais da distribuidora em atividades de campo, tais como uso em áreas com maior probabilidade de vazamentos de gás, mesmo que remotas; atividades de troca e de configuração de equipamentos interligados à rede de distribuição e aquisição de dados.

Companhia se destaca em publicação da Panasonic A PBGÁS é destaque no site da PANASONIC, de publicação nacional, em virtude da aquisição de uma linha especial de computadores resistentes a quedas, variações bruscas de temperatura, derramamento de líquidos e totalmente aderente ao uso em ambientes sujeitos à probabilidade de formação de uma atmosfera explosiva. Desde 2011,

EXPEDIENTE

Apoio a evento de energias renováveis Recentemente, foi realizado na Universidade Federal da Paraíba um seminário científico sobre os 40 anos do Laboratório de Energia Solar da UFPB, que é um espaço institucional voltado à pesquisa em energia solar no Brasil. A PBGÁS foi uma das parceiras do evento que foi bastante prestigiado por estu-

PBGÁS Notícias é uma publicação da Companhia Paraibana de Gás - PBGÁS.

dantes, professores, engenheiros e arquitetos, além de profissionais e estudiosos sobre a potencialidade da energia solar no panorama

energético mundial e, especificamente, no Nordeste do Brasil. O diretor do Centro de Energias Alternativas e Renováveis da UFPB, professor Zaqueu Ernesto, destacou o papel da distribuidora como empresa que atua com uma atividade energética que se insere no contexto de todas as discussões. “É importante a presença e o apoio da PBGÁS nesse evento, porque mostra o interesse da empresa para incentivar o uso de energias viáveis e renováveis, além de colaborar para a preparação profissional dos nossos alunos”, disse ele. www.pbgas.com.br / 0800 281 0197

Diretor Presidente : Franklin de Araújo Neto / Diretor Administrativo eFinanceiro: David dos Santos Mouta / Diretor Técnico Comercial: Germano Sampaio de Lucena / Gerente de Comunicação Institucional: Tarcísio Pereira (textos) / Diagramação: Eudes Lopes / Impressão: Gráfica JB / Tiragem: 2000 exemplares / Distribuição dirigida e gratuita.

2

PBGÁS NOTÍCIAS


DESTAQUES

Iniciado programa de Excelência de Gestão pela PBGÁS Uma parceria com o Programa Paraibano da Qualidade (PPQ), A Companhia Paraibana de Gás deu início a uma parceria com o Programa Paraibano da Qualidade (PPQ), com o objetivo de avaliar as suas melhores práticas e atingir, até 2015, a sua excelência de gestão empresarial. Trata-se de um projeto que envolve várias etapas, incluindo a sensibilização interna, coleta e processamento de informações, apresentação do diagnóstico e planos de ação para melhorias. Empresa que é sócia-mantenedora do PPQ, a PBGÁS pretende, com esse projeto, inicialmente identificar o estágio em que se encontra a sua gestão com base no Modelo da Excelência de Gestão da FNQ (Fundação Nacional da Qualidade). Como a última avaliação aconteceu em 2009, a Companhia entende que, nos últimos quatro anos, já foram implementadas e aperfeiçoadas várias novas práticas no seu ciclo de melhorias. Com o projeto agora iniciado, a empresa

está identificando as melhores práticas e atualizando as informações para se colocar no lugar que ela realmente merece em seu modelo de excelência. Na opinião do Coordenador Executivo do PPQ, Rafael Brito Mitzcun, a PBGÁS é uma empresa “que já se encontra com um modelo de gestão acima da média nacional”, disse ele, lembrando que a Companhia possui práticas avançadas como Gestão Estratégica, Sistema Integrado de Gestão, SMS e Governança Corporativa, “o que já aponta para um bom posicionamento em futuro próximo”. Outro ponto observado pelo PPQ, segundo ele, vem sendo a acolhida de toda a diretoria e sua presença no evento de sensibilização, o que aconteceu no último mês de dezembro como etapa inicial do programa. “Esse é um passo muito importante, já é um diferencial em relação à maioria das organizações que

assumem esse projeto.”, disse Rafael. Franklin de Araújo Neto, diretorpresidente da Companhia, disse na ocasião que a PBGÁS é uma empresa que já avançou bastante em suas práticas de excelência nos últimos anos. “Não tenho dúvidas que estamos acima da média de muitas organizações no Estado, pois a Companhia desenvolve ações diferenciadas e outras que estão sintonizadas com o conceito de empresa moderna, contribuindo para o desenvolvimento econômico e social da Paraíba com um modelo de gestão que vem se aprimorando ano após ano”. Em síntese, esse programa com o PPQ pretende, a médio prazo, atingir o que está estabelecido na Visão empresarial até final de dezembro de 2015, que é atingir sua Excelência Empresarial.

Companhia incentiva práticas esportivas Projeto Aquáticos com Muito Orgulho cotas de patrocínio, num investimento que será deduzido do seu Imposto de Renda e dentro do limite de até 01 por cento de todo o seu recolhimento anual.

Numa parceria com a Federação de Esportes Aquáticos da Paraíba (FEAP), a Companhia Paraibana de Gás vem sendo uma das empresas parceiras com o projeto intitulado “Aquáticos com Muito Orgulho – Parte II”, uma iniciativa destinada a incentivar atletas paraibanos e sua participação nas competições nacionais e regionais. A Companhia celebrou sua parceria através da Lei de Incentivo ao Esporte, sancionada em dezembro de 2006, que permite a oferta de patrocínios e doações destinados à realização de projetos desportivos, bem como os paradesportivos, através de dedução no seu recolhimento do Imposto de Renda. Ao apoiar as práticas de esportes aquáticos, contribuindo para o rendimento dos atletas e sua participação em competições fora do

Estado, a PBGÁS se candidata, junto ao Ministério dos Esportes, como “Empresa Amiga do Esporte”. O diretor-presidente da Companhia, Franklin de Araújo Neto, informou que a participação da Companhia, no projeto “Aquáticos com Muito Orgulho”, se deu através de uma Carta de Intenção encaminhada ao Ministério dos Esportes demonstrando o seu interesse em contribuir com essa modalidade esportiva que vem ganhando notoriedade no Estado. “Acolhemos a proposta que nos foi apresentada pela Federação e, ao emitir nossa carta de intenção, fomos também um importante parceiro para que o projeto fosse aprovado em Brasília”, disse Franklin, com a explicação de que esses projetos, para serem aprovados pelo Ministério dos Esportes, necessitam das cartas de intenção que são encaminhadas pelas empresas interessadas em participar das

Franklin destacou, ainda, que a PBGÁS tem a sua política de Cidadania Corporativa com o propósito de desenvolver e participar de ações de responsabilidade social, cultural, esportiva e ambiental. “Ao se tornar um parceiro desse projeto esportivo, estamos exercendo um compromisso social com total aderência ao Plano Estratégico e Plano de Negócios da Companhia, na medida em que estamos colaborando para identificar e incentivar os valores do nosso Estado”. O projeto “Aquáticos com Muito orgulho – Parte II”, realizado pela Federação de Esportes Aquáticos da Paraíba, na primeira etapa envolve 14 competições e teve início no último mês de dezembro, devendo continuar até o final de 2014. Além de proporcionar o deslocamento de atletas paraibanos para competições regionais e nacionais, o programa se propõe a estimular essa atividade esportiva através do incentivo para os atletas de rendimento de esportes aquáticos, com critérios de seleção e baseados na frequência aos treinamentos, índices técnicos, pontos marcados em competições, desenvolvimento técnico e trabalho em equipe. PBGÁS NOTÍCIAS

3


RESPONSABILIDADE SOCIAL

Projeto Gás em Cena faz sucesso nas escolas Gás Natural através da arte car e informar sobre Gás Natural através da arte.

Grupo de teatro Bigorna Cerca de 2.500 estudantes, professores e funcionários de escolas públicas estaduais, tiveram a oportunidade de assistir às apresentações do projeto “Gás em Cena – Gasdutinho vai à Escola”, uma iniciativa realizada pela PBGÁS com a finalidade de edu-

O projeto foi apresentado entre os meses de novembro e dezembro de 2013 em dez escolas das cidades de João Pessoa e Campina Grande, o que resultou numa grande acolhida do público e aceitação da proposta. Os artistas responsáveis pela encenação, que é uma peça teatral musicada do início ao fim, pertencem ao Grupo de Teatro Bigorna, vencedor do edital que foi lançado pela empresa no mês de agosto do ano passado. O espetáculo do Grupo Bigorna, de acordo com a proposta apresentada ao

concurso lançado pela PBGÁS, foi realizado com cinco atores em cena que interpretaram, de forma divertida, os cinco gases que compõem o gás natural – tais como o Metano, Etano, Dióxido de Carbono, Propano e Nitrogênio. A apresentação teatral envolveu dança e canto, e através das músicas foi possível explicar sobre as qualidades do gás natural, sua importância e contribuição para o meio ambiente. Trata-se de mais um projeto da PBGÁS com foco na sua política de Responsabilidade Socioambiental, envolvendo cultura e educação junto ao público jovem e em plena fase de formação.

INVESTIMENTO

Discurso do presidente explica obra em Campina Grande Crescimento e perspectiva de futuro próximas ao açude velho”, disse ele. Explicou, ainda, como será a técnica de execução dos serviços de forma a não causar transtornos à população, mas também adiantou que, em algumas áreas, haverá a necessidade de abertura de valas na cidade:

Em seu discurso sobre a obra de expansão da rede de gás natural em Campina Grande, no dia 22 de janeiro, o diretor-presidente da PBGÁS, Franklin de Araújo Neto, explicou ao governador Ricardo Coutinho, e ao público presente, como será o investimento da Companhia nesse projeto e fez um balanço do crescimento da empresa nos últimos anos, além de fazer uma previsão sobre captação de novos clientes a partir desses investimentos. “Evidentemente, como se trata de uma

Governador da Paraíba e os diretores da PBGÁS, durante solenidade em Campina Grande: (Da esquerda para direita)

Germano Sampaio de Lucena, Franklin de Araújo Neto Governador Ricardo Coutinho e David dos Santos Mouta

4

PBGÁS NOTÍCIAS

obra de infraestrutura, precisamos iniciar pelas áreas de maior viabilidade e gradualmente ir expandindo de forma sustentável. As obras se iniciarão pelo Catolé em função de ser um bairro com grande densidade populacional com um processo de verticalização acentuado e com presença de uma grande quantidade de restaurantes e lanchonetes, além de dois Shoppings Center. Mas já adianto que, em seguida ao bairro do Catolé, avançaremos para o bairro do Mirante e áreas

“Na execução da obra, daremos preferência à tecnologia do furo direcional não destrutivo para a implantação dos dutos. Mas, Infelizmente, em algumas áreas será necessária a escavação de valas em função da presença de rochas. A PBGÁS, no entanto, assume desde já o compromisso em restabelecer, com melhor qualidade, o asfalto ou calçamento que vier a ser danificado em função da implantação dos dutos”, garantiu, com a informação de que a Companhia estará distribuindo uma cartilha explicativa, junto à população , de forma a esclarecer eventuais dúvidas e tornar o processo de adesão mais fácil.


PBGÁS Notícias - Edição 13