Page 1

2013 | N O 05

Bairros PLANEJADOs

_Paysage apresenta uma nova proposta de urbanismo para Londrina e Palhoça _Lenta revolução: conheça o Slow Movement _Para viver melhor, durma bem


Um lar é mais que um lugar para morar. É um espaço para crescer e ver o melhor da vida brotar ao seu redor, com todo conforto, liberdade e tranquilidade que sua família merece. E é isso que a Paysage coloca ao alcance de seus clientes há 19 anos com projetos urbanísticos planejados em cada detalhe, respeitando o meio ambiente, preservando a cultura local e principalmente, valorizando a qualidade de vida. Porque mais do que desenvolver empreendimentos, o nosso negócio é fazer famílias felizes. 37 EMPREENDIMENTOS ENTREGUES - 8 EM CONSTRUÇÃO

PRESENÇA EM 16 CIDADES DO SUL DO BRASIL

41

MAIS DE 14 MILHÕES DE M² PARA FUTUROS LANÇAMENTOS

3091-5200

paysagecondominios.com.br

www.


Fotos: Patrícia Lion

EDITORIAL

M

ais do que oferecer um lugar para morar, a Paysage Condomínios Diferenciados está sempre em busca de novos conceitos de empreendimentos exclusivos e inovadores. Para isso, reúne os melhores profissionais de arquitetura, paisagismo, decoração, engenharia e meio ambiente capazes de transformar cada empreendimento em um grande sucesso. De empresa familiar, estamos passando para um novo patamar de atuação, vislumbrando novos mercados e possibilidades. São 37 empreendimentos lançados e entregues em Curitiba, e, em 2013, consolidamos nossa presença em 16 cidades nos estados do Paraná e de Santa Catarina. Com investimentos em condomínios horizontais fechados, loteamentos, apartamentos e shopping centers, a Paysage conta com mais de 12 milhões de metros quadrados para futuros lançamentos imobiliários. Em 2013, a novidade são os bairros planejados com projetos, inicialmente, em Londrina (PR) e Palhoça (SC). Esses empreendimentos imobiliários propõem uma nova organização do espaço urbano, prezando pela integração de residências, comércios, centros empresariais, serviços, educação e lazer em um mesmo local. São facilidades que estimulam a ocupação ordenada do solo de forma integrada e racional. Muito mais que produtos imobiliários, os bairros planejados são espaços democráticos para que famílias possam conviver com harmonia e sustentabilidade. Além de conviver lado a lado com a natureza, conforto e comodidade, quem vive em um empreendimento Paysage Condomínios tem a valorização de um investimento que gera muito mais do que retorno financeiro: gera satisfação e felicidade para toda família.

Valmir S. Maran sócio-diretor

4


SUMÁRIO

64

14

10

08 Vida 12 razões para morar em um Paysage

10 Perfil Sob um olhar modernista e contemporâneo

14 Estilo Arte em vitrais

16 Jardim Refúgio verde

18 Casa Lavabo: elegância e charme em um pequeno ambiente

20 Decoração O que não pode faltar em sua sala de estar?

22 Movimento Lenta revolução

28 Vida Para viver melhor, durma bem

32 Invasão Lar doce lar

40 Especial Bairro planejado

54 Educação Lição de casa

58 Comportamento Hora da leitura

60 Casa O que muda com a nova lei dos empregados domésticos?

64 Vida Viagens em família? Atenção com a segurança!

66 Bairros Vida ao ar livre

68 Motivos Quais motivos te levaram a morar em um Condomínio Paysage?

70 Entregas A diferença entre morar e viver

72 Institucional A profissionalização dos negócios em família

76 Vida Cascavel: ruas e avenidas largas e bairros bem distribuídos

6

Coordenação Geral Adriane Gertrudes Bugai Marketing / Paysage Condomínios Diferenciados Editoração: Editora Inventa EXPEDIENTE www.editorainventa.com.br Diagramação D-lab www.dlab.com.br Conteúdo IEME Comunicação www.iemecomunicacao.com.br Jornalista responsável Taís Mainardes DRT/PR 6380 tais@iemecomunicacao.com.br Redação Marília Bobato, Ana Amaral, Karen Gomes, Marcela Miró, Priscilla Scurupa,Taís Mainardes Foto da capa José Clovis /Aero’Star Fotos Aéreas S/C Ltda. Fotografia Geísa Borrelli Patrícia Lion Revisão ortográfica Adriana Brum Tiragem 15 mil exemplares Impressão e acabamento Gráfica Comunicare Esta é uma produção da Paysage Condomínios Diferenciados. Os artigos assinados não expressam, necessariamente, a opinião desta publicação.


fornecedor

7


CONDOMÍNIOS razões

12 razões para morar em um Paysage seja em condomínio ou imóvel diferenciado

8


1 Qualidade de vida

Mais espaço, mais segurança, maior infraestrutura de lazer e comodidade. A qualidade de vida das famílias que vivem em condomínios Paysage é reconhecida e atestada pelos próprios moradores.

7

Acompanhamento personalizado

8

Vizinhança

9

Diversidade na escolha

2 Valorização

Os imóveis que fazem parte de um condomínio horizontal da Paysage sempre valorizam. A localização privilegiada, a ótima infraestrutura, a segurança, os itens de lazer, tudo colabora para que sua casa seja sempre muito bem avaliada.

3 Bem-estar

Viver em um dos condomínios Paysage é como fazer parte de um mundo muito particular. Tudo é feito para que cada morador possa usufruir o que a vida tem de melhor.

4 Segurança

Controle de entrada e saída, guarita, circuito interno de TV. Nos condomínios fechados Paysage, o acesso é vigiado, restrito e seguro. Com isso, as crianças têm mais liberdade para brincar.

5

Área verde

Os condomínios Paysage possuem organização e estruturas de lazer, como salão de festas, espaço fitness, quadras poliesportivas, piscina, salão de jogos e playground. Conforto inigualável e espaços de convívio que promovem a integração social.

O perfil semelhante dos moradores de condomínios horizontais facilita a convivência e promove o contato entre os vizinhos.

A Paysage tem diversas opções de condomínios em Curitiba e Região Metropolitana, nos bairros mais valorizados, de diferentes tamanhos (lotes de 200 m² a 7 mil m²) o que garante um amplo leque de escolha para seus clientes. Atualmente, também está em Santa Catarina, oferecendo a mesma qualidade, seriedade e comprometimento com seus clientes.

10 Compromisso na entrega

A Paysage assume o compromisso com o prazo de entrega da sua obra. No dia do lançamento é realizado um evento de integração entre os novos moradores e são explicadas todas as particularidades do condomínio. É um comprometimento da Paysage com a sua satisfação.

Mesmo nos principais centros urbanos, os condomínios horizontais contam com imensas áreas verdes, o que garante lazer e integração com a natureza.

6 Lazer

A Paysage conta com uma equipe exclusiva de corretores que trabalha com a venda dedicada, ou seja, o corretor acompanha o cliente desde o primeiro contato até a entrega do empreendimento, encontrando, dentre as opções da Paysage, o lote mais adequado ao sonho do cliente. Mas o atendimento não para na compra. Caso você resolva mudar para uma casa maior ou menor, negociamos a venda da sua casa antiga para a compra da nova.

11

Infraestrutura

Os condomínios Paysage se caracterizam por oferecer infraestrutura completa, projetada e pensada para tornar seu sonho uma realidade.

12 Exclusividade em cada condomínio

Para a Paysage cada empreendimento é único. O diferencial de cada um está ligado à qualidade de vida e contato com a natureza, filosofias que a Paysage compromete-se a passar para cada um de seus clientes.

9


PERFIL

Sob um olhar modernista e

contemporâneo Mobiliário brasileiro autoral ganha espaço próprio em Curitiba com curadoria do arquiteto Marcos Bertoldi

10

U

ma curadoria de arte contínua. Este é o mais novo desafio que o arquiteto Marcos Bertoldi aceitou para inserir Curitiba no cenário do design brasileiro. É ele o responsável em selecionar os produtos da É Mobiliário Brasileiro, loja de nicho dedicada exclusivamente ao mobiliário brasileiro autoral - modernista e contemporâneo - que inaugurou com uma soft opening em abril de 2013. Os proprietários, Ari e Silvana Coelho, começaram a organizar esse projeto em março de 2012, que ganhou viabilidade um ano depois, com o surgimento de uma nova geração de criadores contemporâneos, que fizeram com que o design nacional desse um grande salto qualitativo na última década.


Apesar da capital paranaense ainda não possuir uma produção tão intensa quando o assunto é design, a proposta da loja é oferecer produtos selecionados que vão das décadas de 20/30 até a atualidade. Trata-se de uma coleção única de mobiliário, tecidos, tapetes e objetos criteriosamente selecionados. Além de novos designers contemporâneos, como Luciana Martins e Gerson de Oliveira, estão presentes os clássicos modernistas brasileiros Lina Bo Bardi, Flávio de Carvalho, Zanine Caldas, John Graz, Geraldo de Barros, Bernardo Figueiredo, Paulo Mendes da Rocha, entre outros. Nos moldes de espaços similares existentes em São Paulo, Rio de Janeiro, Nova York e outros grandes centros, a loja apresenta produtos com um século de diferença, mas que interagem de certa forma. Com uma proposta personalizada e individualizada, a É Mobiliário Urbano ajuda o cliente na definição da linguagem e da viabilidade dos produtos que se encaixam ao seu estilo de vida. “Temos de nos cercar de uma arquitetura que reflita o nosso tempo, nossa cultura, cuidando com cenários artificiais. Nossa proposta é indicar uma compra consciente e adequada, agregando valor à escolha do móvel”, explica Bertoldi, que tem o design e arte como atividades paralelas ao seu trabalho.

Made in Brazil O design vem ganhando espaço e status nos últimos anos no Brasil. Indústrias tradicionais perceberam a importância dos designers para agregar em suas coleções e vêm trabalhando nesse novo conceito com móveis assinados. Designers com uma veia mais empreendedora optam em contratar uma pequena indústria para fazer a sua produção, enquanto outros têm a sua própria oficina de produção. De uma forma ou de outra, fato é que o design brasileiro está contaminando todas as formas de produções.

Fotos: Geísa Borrelli

De acordo com ele, a loja veio para ser uma formadora de opinião, que educa os clientes e oferece vantagens que vão muito além de uma simples compra. “Nossa ideia não é trabalhar com o modelo de coleções ou queima de estoques, queremos ter neste espaço peças estáveis que caracterizam o design brasileiro. A ideia é que o cliente adquira um móvel que possa acompanhá-lo ao longo da vida e, como antigamente, até passá-lo para outras gerações. Afinal, quem não gostaria de herdar um móvel original?”, questiona o arquiteto. “Por meio de critérios diferenciados, a pessoa pode criar uma relação com o móvel escolhido, e aqui ela cria laços com a própria escolha”, completa.

Uma das provas disso é o iF Design Awards, uma das mais conceituadas premiações de design do mercado internacional, que teve 26 projetos brasileiros premiados na edição 2013. Os projetos nacionais foram enviados para a avaliação de um júri internacional, composto por 44 profissionais do mundo todo. Entre as peças premiadas encontram-se móveis, luminárias, objetos de decoração, embalagens, projetos gráficos, entre outros. De acordo com a representante do iF no país, Juliana Buso, além do prestígio de ganhar um grande prêmio internacional, o iF Design Awards traz mais visibilidade ao design brasileiro. “Os profissionais têm suas criações vistas e avaliadas por pessoas importantes do ramo do design e, assim, ganham projeção internacional”, afirma Juliana.

11


PERFIL Design assinado Produtos selecionados que vão das décadas de 20/30 até a atualidade compõem a É Mobiliário Brasileiro. Conheça a história de algumas peças que, apesar da ‘idade’, são muito atuais:

1950 poltrona FDC1 de Flávio de Carvalho Flávio de Carvalho é considerado um dos precursores da arquitetura moderna brasileira. Para mobiliar sua residência, a Fazenda Capuava, um dos seus principais projetos arquitetônicos (1939), ele desenhou a maioria dos móveis, entre eles a poltrona FDC1. Com traços minimalistas e atemporais, a peça impressiona ainda hoje pelos seus aspectos gráficos e esculturais contendo ares de máscara tribal ou até objeto sado-masoquista.

1961 sofá Conversadeira de BernardoFigueiredo Um dos poucos profissionais de sua geração que pode se orgulhar em ser reconhecido tanto como designer quanto arquiteto, o carioca Bernardo Figueiredo começou a desenhar móveis quando ainda era estudante da Faculdade Nacional de Arquitetura (atual Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da UFRJ). O período de auge do seu trabalho aconteceu nos anos 60, quando ele se dedicou ao desenho de móveis modernos para casas e escritórios e também para o Palácio do Itamaraty, em Brasília. Em 2011, nove das 75 peças de sua autoria retornaram ao mercado por intermédio da fábrica gaúcha Schuster. Em sua trajetória, Bernardo também desenhou casas e instalações comerciais, foi consultor da loja Oca, de Sergio Rodrigues, abriu o próprio estúdio de design, o Desenho Brasileiro, e assinou projetos arquitetônicos em feiras expositivas internacionais, edifícios residenciais, comerciais e de 30 Shopping Centers. O designer faleceu em maio de 2012.

1988 cadeira de balanço Gaivota de Reno Bonzon Francês de origem, Reno Bonzon formou-se em marcenaria na prestigiosa École Boulle (Paris). Em 1986, instalou-se no litoral sul de São Paulo. Montou sua própria marcenaria para desenvolver móveis e objetos de madeira, de ferro e de alumínio. Suas criações receberam o reconhecimento de profissionais e do público com numerosos prêmios em concursos nacionais e internacionais. A peça mais emblemática de seu trabalho é, com certeza, a cadeira de balanço Gaivota que combina estética, conforto e ergonomia. O júri do prêmio do Museu da Casa Brasileira destacou o princípio da fabricação que “dá ao produto a sua grande leveza” bem como “as qualidades estéticas combinadas ao fator ergonômico”.

2009 sofá Less de Flavio Borsato e Mauricio Lamosa Colegas desde a faculdade de Arquitetura e Urbanismo, os designers Flavio Borsato e Mauricio Lamosa fundaram o Estudiobola - nome que surgiu de uma brincadeira com a união dos dois sobrenomes. Quando a dupla desenha uma linha de produtos, começa uma longa pesquisa de matéria-prima e tecnologia, além de períodos de internação nas fábricas acompanhando o processo de produção. Buscam sempre aprimorar e viabilizar a ousadia de seus projetos, pois a vontade de “ousar” é a grande mola propulsora que torna o Estudiobola uma marca respeitável.

2012 sofá Pedras de Luciana Martins e Gerson de Oliveira A paulista Luciana Martins forma dupla com o carioca Gerson de Oliveira. Juntos, criam móveis, objetos e projetos no campo de arte desde 1991. Suas mesas, cadeiras, estantes e luminárias reúnem qualidade formal, usabilidade e uma dose de humor. Com frequência, embutem uma espécie de comentário sobre a casa e o morar. A linha Pedras soma sofás, poltronas e pufes em módulos.

12


S E T

N

A

ES T N E G I L TE N I S E Õ Ç ESEJA D U Ê R C T O S V CON QUE ALIDADE U COM A Q

gurança e s a e e d a qualida ou comercial. e t n a r a eal g is ncial A Casa Id ra, seja reside sionais com ma ob profis e d da sua e p i u ma eq Temos u de experiência. os de 10 an

tel . (41) 3013.0004 / www.cas aideal .com.br

IS

E 13 D

PO


ESTILO arte

Arte em

vitrais Mostra permanente de arte contempor창nea com vitrais em Curitiba

14


Apesar de ser uma arte fortemente praticade desde a Idade Média, principalmente na Europa, unir pedaços de vidros coloridos com chumbo para formar vitrais ainda é uma prática pouco difundida no Brasil. Produzidos para enfeitar igrejas e catedrais e contar, por meio das imagens, as passagens bíblicas, os vitrais têm, além da beleza, uma importância histórica. Para a artista plástica Loire Nissen, que vive em Curitiba e tem mais de 20 anos de experiência na arte com vidros, “a tendência é que, com o incentivo de artistas plásticos e apreciadores de arte em geral, seja possível construir junto às pessoas a percepção dos vitrais como arte contemporânea”. Loire faz parte de um projeto com vitrais que tem aproximado essa arte das pessoas na Igreja Comunidade em Ascensão, no bairro Pilarzinho,

em Curitiba. Construído com o esforço e com a dedicação da comunidade, com o apoio das empresas Berneck, Mili, Servopa, Celepar, da revista O Vidraceiro, da empresária Marlene Maran, da Vittrine Artes e Decorações, e principalmente por meio da Lei de Incentivo à Cultura do Ministério da Cultura, mais conhecida como Lei Roaunet, foi possível capitalizar recursos para a construção de vitrais, que estão expostos como uma mostra permanente de arte contemporânea aberta para visitação gratuita do público. Os 12 vitrais de 46 cores diferentes já instalados não só representam as passagens bíblicas de João como também conferem ao ambiente espiritualidade e paz. Mais do que sua ligação com a religião, é preciso valorizar o vitral como patrimônio cultural. O pastor da Igreja, Dari Jair Appelt, ainda acrescenta que a pretensão é tornar o local um ponto de encontro, não só para cultos religiosos, mas também para atividades culturais, como apresentações de corais, de música e de cultura.

Serviço: Mostra permanente de vitrais

Fotos: Patrícia Lion

A

Catedral de Notre Dame é um dos pontos turísticos mais visitados de Paris, na França. Independente de religião, o destaque fica por conta da sua imponente construção e dos coloridos vitrais em seu interior. A rosácea com 13 metros de diâmetro e um forte azul como cor dominante simboliza o Universo, a Terra e os sete planetas. Mesmo sem saber o real significado dos desenhos presentes nos vitrais, sua beleza ainda ganha mais visibilidade com a luz do sol e chama a atenção dos 13 milhões de visitantes que passam por lá ao ano.

Igreja Comunidade em Ascensão. Rua Moisés Saif, 75 – Pilarzinho Curitiba – Paraná Entrada Gratuita

15


CASA jardim

Refúgio

verde C

ultivar um jardim com diferentes tipos de plantas pode parecer uma tarefa difícil para muitas pessoas, mas engana-se quem pensa, por exemplo, que ter plantas exóticas em casa exige mais cuidados. Apesar de não fazerem parte da flora nativa, espécies como Palmeira Imperial, Azaléia, Dracenas, Jasmim dos Poetas, Orquídea Bambu, Hibiscos, Arecas, Camélias, entre outras são utilizadas com frequência nos jardins brasileiros. De acordo com o paisagista e arquiteto Marcelo Calixto, essas plantas já estão adaptadas ao nosso ambiente, então não precisam de cuidados diferentes dos usuais. “Para conseguirmos um jardim bonito e saudável, são necessários alguns cuidados com a insolação, que é o tempo de exposição ao sol, o clima e o tipo de solo”, orienta o profissional.

16

Apesar de não fazerem parte da flora nativa, as plantas exóticas podem ser usadas com frequência nos jardins brasileiros

Outro fator muito importante é a rega das plantas, que deve ser feita de acordo com a necessidade de cada uma. “A regra geral é analisar se o solo está seco ou úmido, mas temos algumas plantas, como os cactos e a suculentas nolinas e yucas, que necessitam de muita pouca água”, diz Marcelo. A melhor época do ano para fazer o plantio de um jardim é no final do inverno e no começo da primavera. Nesses períodos, as plantas recebem mais luz, o que faz com que se desenvolvam mais rapidamente. A adubação e o horário da rega também garantem um jardim sadio. Segundo o especialista, o melhor horário para que as plantas sejam regadas é de manhã bem cedo ou no final da

tarde, nunca com o sol a pino. Já a adubação dever ser feita pelo menos uma vez ao ano nas plantas que ficam no exterior da casa. Para completar, Marcelo indica que é válido considerar o aspecto estético e estilo arquitetônico da casa para compor o paisagismo e sempre pensar na manutenção do jardim, limpeza e adubação, para mantê-lo bonito e com aspecto saudável. “Além de encantar os olhos e a alma, o jardim é uma ótima terapia. Seja um vaso ou uma floreira, plantar nos faz perceber que a vida se renova a cada estação do ano.”


17


CASA prĂĄtica

Lavabo Elegância e charme em um pequeno ambiente

18


Fotos: Patrícia Lion

Mesmo com pouco espaço, a arquiteta Louise Gubert mostra como é possível criar um projeto sofisticado e acolhedor

I

deais para suprir as necessidades da família e dos amigos durante uma visita, os lavabos possuem a função de dar continuidade ao espaço social e de lazer das residências. Eles tornam fácil o acesso ao banheiro para quem se encontra nas áreas de uso comum da casa, deixando os chuveiros e banheiras para os ambientes mais íntimos. Os lavabos garantem não só comodidade e conforto, mas principalmente praticidade quando a casa possui mais de um pavimento. Ocupando uma área cada vez mais restrita nos projetos, a solução para que a sensação do tamanho do ambiente seja ampliada é utilizar revestimentos e técnicas específicas, sem deixar de lado a elegância e o charme que esse pequeno cômodo merece. Foi o que fez a arquiteta Louise Gubert, que projetou o ambiente Toilette Social no setor de Gastronomia e Eventos da 20ª edição da Casa Cor Paraná em 2013. Com cores sóbrias, como tons de branco, cinza e marrom, e a utilização de materiais nobres, o sofisticado espaço de apenas 4 m² abrigou três ambientes: o toilette masculino, feminino e um hall de entrada com lavatório compartilhado. O projeto foi um desafio para Louise, que trabalhou com um espaço limitado e um pé direito baixo. Com criatividade, a arquiteta acredita que alguns detalhes neste projeto fizeram toda a diferença para o usuário se sentir confortável. “O piso e rodapé de mármore branco pighes ampliam a sensação de dimensão do ambiente, além de conferir elegância. Sua cor clara também ajuda a dissipar a iluminação, colaborando para essa sensação de expansão”, explica Louise. O traço contemporâneo, uma das principais características da arquiteta, marca sua criação nas portas de cada toilette. “Seguindo a linha do projeto, reta e clean, as portas não apresentam caixilhos, deixando o aspecto leve e sem saliências. Elas estão alinhadas com a alvenaria e o rodapé, todos num só plano”, acrescenta. A arquiteta utilizou o revestimento de papel de parede nos tons de branco com textura e brilho, que ajuda a reforçar a sensação de amplitude, além de trazer movimento e quebrar as linhas retas do projeto como um todo. “Os espelhos do hall compartilhado também aumentam a sensação de amplitude e, neste caso, geram a sensação de aumento da profundidade do hall”.

Amplie seu conforto Pode parecer clichê, mas algumas técnicas realmente funcionam e podem ajudar a dar a sensação de amplitude em lavabos e outros cômodos da casa, confira a seguir: Utilize espelhos nas paredes próximas da janela, pois o reflexo da luz natural causa a ilusão de profundidade, provocando a falsa sensação de um ambiente mais amplo. Pintar as paredes ou utilizar revestimentos como papel de parede de cores claras ajuda a ampliar a sensação de estar em um espaço maior e mais confortável. Escolha móveis multifuncionais feitos sob medida que se adaptem ao espaço disponível. Móveis grandes não vão caber no espaço reduzido e acabam atrapalhando a circulação das pessoas. Aproveitar a iluminação também pode ser uma boa saída. Instalar luzes indiretas, como também acoplar luzes embutidas nos móveis, rende um bom resultado.

19


CASA decoração

O que não pode faltar em sua sala de estar? A sala de estar é um espaço fundamental em todas as residências. Considerado o centro da casa, o espaço deve ser bem aproveitado para servir tanto para utilização privativa da família e das suas diferentes necessidades como também para receber os amigos nos fins de semana. Para deixar o ambiente ainda mais confortável, a revista Paysage convidou alguns arquitetos que indicam quais objetos não podem faltar na sua sala de estar.

“Acredito que o sofá é a peça-chave de qualquer living. É onde família e amigos se reúnem para desfrutar de bons momentos. Itens que aliem qualidade, beleza e proporção com o espaço são garantia de sucesso no resultado final do projeto. É o caso do sofá Domo da Ton Sur Ton, que além de ser extremamente elegante e apresentar uma proposta bastante jovem e contemporânea, segue a forte tendência de permitir versatilidade na composição de tamanhos, formas e tecidos, personalizando os mais diversos ambientes.” www.tonsurton.com.br

MARIA CELESTE PIMENTEL

20


“Uma estante bacana é fundamental para uma sala de estar. Para organizar livros e deixá-los à mão, expor objetos de design ou trazidos de viagens, acolher os porta-retratos de pessoas queridas. Escolhemos a estante Adriana da Riva por seu visual clean e por sua flexibilidade, já que é composta por módulos de dois tamanhos e pode se adequar ao espaço disponível no estar. Oferece ainda a opção de escada para acessar os módulos superiores.” www.artesian.com.br

Ana Carolina Mazzarotto e Rafael Dal-Ri AMR Arquitetura

“Considero essencial no ambiente de estar a mesa de centro. Além de servir de apoio, ela proporciona aconchego ao espaço e atua como suporte para objetos de adorno, revistas ou arranjos de plantas. A visibilidade dessa peça com os acessórios complementa a ambientação com harmonia, beleza e funcionalidade. Escolhi a mesa de centro Olinda, dos designers Graça Kazam e Luiz Mário Moura da MBrasil, com base em “X” e revestida em lâmina de madeira, acompanha duas bandejas quadradas e duas retangulares.” www.tonsurton.com.br

Yvone Miyamura

“Para uma sala de estar recomendamos uma poltrona com linguagem contemporânea, na qual foram utilizadas recursos de costura e tramas artesanais. Pés e bases em madeira tornam o produto sofisticado e leve. O produto foi desenvolvido pela designer Izabel Bradasch.” www.zaika.com.br

Douglas Gakk, Bere Wiest e Luciane Braga Belles Arquitetura e Design

21


CASA decoração

“A sala de estar necessita de uma iluminação que deve ser aconchegante, funcional e versátil para que possa ser adaptada ao momento, criando cenas e efeitos desejados. Com a diversidade de lâmpadas e luminárias que existem no mercado, podemos, em um mesmo ambiente, de forma discreta, criar efeitos como o indireto e o direcionado, proporcionando o conforto visual e destacando objetos ou quadros. E ainda a iluminação direta que, além da funcionalidade, pode ser utilizada como elemento decorativo trazendo charme e identidade ao ambiente. Escolhemos este modelo de teto da Bella Iluminação, que tem como características lâmpadas econômicas em LED difusos, acabamento em acrílico antiofuscante e possibilidade de controle remoto.” www.lunaluce.com.br

Carla Tortelli e Karla Hartmann Hartmann Arquitetura

“Indico para a sala de estar a poltrona Charles Eames, que é um clássico do design. Nada melhor para a sala que uma boa poltrona com encostos que apoiem adequadamente a cabeça, se possível reclinável, ou com um puff para garantir conforto no apoio de todo o corpo, inclusive dos pés. O modelo Charles é garantia de conforto.” www.tonsurton.com.br

Laudicéia Comelli Studio Laudicéia Comelli Interior Design

22


VIDA movimento

Lenta

revolução Conheça o Slow Movement, movimento global que está mudando a vida de muita gente

H

oje, somos viciados em velocidade, tentamos extrair o máximo de cada minuto. Cada hora do dia parece uma corrida contra o relógio, a busca por uma linha de chegada que parece não existir. E isso está se voltando contra nós de diversas maneiras. A cultura do ‘mais rápido’ custa caro à nossa saúde, alimentação, vida profissional, relações pessoais e até mesmo ao meio ambiente”. As palavras são do jornalista e escritor escocês Carl Honoré, criador do Slow Movement (Movimento Devagar), filosofia que está mudando a vida de muitas pessoas ao redor do mundo e prega que façamos tudo em um ritmo certo, reduzido, para aproveitarmos a vida de maneira mais qualitativa. Pai de dois filhos, Carl percebeu a gravidade do culto à velocidade quando, em uma de suas viagens, se deparou com um livro que oferecia aos pais versões curtas de histórias infantis, que poderiam ser contadas às crianças em apenas um minuto.

Isso o levou a refletir sobre como aquele desejo de poupar tempo com seus próprios filhos estava lhe tirando preciosos momentos. “Eu tentava fazer mais e mais coisas em menos tempo. Era sempre uma questão de velocidade e quantidade. Eu tinha pressa o tempo todo”, conta. Depois de reparar nos danos que toda essa velocidade lhe causava, começou a fazer mudanças concretas em sua vida. O primeiro passo foi eliminar de sua agenda tudo o que estava sobrando, abrindo assim mais espaços para o descanso e coisas que realmente lhe eram importantes. Parou de jogar tênis, atividade física que julgou menos importante entre as outras quatro que pratica (hockey, futebol, squash e corrida) e reduziu o tempo em frente à TV para algumas horas semanais, ao invés de algumas horas diárias às quais estava acostumado. “Também me livrei do relógio de pulso, o que me tornou menos neurótico em relação ao tempo. E criei o hábito de desligar computadores e celulares sempre que possível para evitar estar sempre conectado”, relata. No convívio social e no trabalho, aprendeu a dizer não. Hoje, aceita apenas os trabalhos e encontros que considera realmente importantes com o intuito de manter uma vida com qualidade. “Isso provocou uma grande mudança na maneira como me

23


VIDA movimento

sinto em relação ao tempo: não sou mais um escravo dele. Sinto que tenho tempo suficiente para coisas e não tenho tanta pressa, apesar de levar uma vida bastante agitada e atarefada. E isso não é um paradoxo. É encontrar o equilíbrio ideal e não ser obsessivo ou neurótico quanto ao tempo”, explica. Ao mesmo tempo em que mudava seus hábitos corriqueiros, Carl usou seu tino jornalístico para pesquisar, ao redor do mundo, outros movimentos que pregassem a cultura do devagar em atividades diárias como comer, trabalhar e até fazer sexo. Toda sua experiência pessoal e pesquisa foram posteriormente reunidas no livro “Devagar - Como um movimento mundial está desafiando a cultura da velocidade” (Editora Record), de sua autoria, e hoje um bestseller mundial. “Quando pensei em chamar as mudanças culturais que observava ao nosso redor de ‘slow movement’, digitei a expressão no Google e não encontrei nenhuma página sobre o assunto. Hoje, você encontra mais de 1,5 milhões de resultados. O mais empolgante é que cada vez mais pessoas estão aderindo ao movimento e aplicando seus mandamentos no dia a dia, nas mais diversas tarefas. Agora existem movimentos como Slow Travel [viagens], Slow Parenting [pais e filhos], Slow Education [educação], Slow Houses [arquitetura/moradia], Slow Parks [passeios ao ar livre], e a lista segue”, diz, orgulhoso.

Slow FooD: retomada dos prazeres à mesa Em seu livro, Carl conta que o Slow Movement começou na Itália, em 1986. Na época, grandes redes de lanchonetes fast food começavam a se instalar no país, provocando uma mudança de hábitos na alimentação dos italianos. “Observei que estávamos perdendo o contato com a terra, as tradições, as próprias receitas tradicionais. Em poucas palavras, as raízes e a identidade de cada um de nós”, relata o chef de cozinha Carlo Petrini, idealizador da filosofia Slow Food. O objetivo do movimento é retomar os prazeres à mesa por meio de uma maior apreciação da comida e de refeições de mais qualidade, e promover uma produção que valorize o produto artesanal, seus produtores e o meio ambiente. Os três pilares do Slow Food são: comida boa, limpa e justa. “A comida tem que ser boa, gostosa, e o gosto deve ser respeitado de acordo com a diversidade de cada região. A comida também deve ser justa, ou seja, tem que pagar quem trabalha para produzi-la, o camponês ou o cozinheiro, para que eles vivam com dignidade. E ser limpa: sua produção não deve destruir o ecossistema, não pode usar produtos químicos ou acabar com a fertilidade do solo”, explica Petrini. Hoje, o Slow Food conta com mais de 100 mil sócios em 130 países. No Brasil, existem cerca de 600 associados que promovem a alimentação saudável e um consumo responsável e consciente.

Cittaslow : a cultura do devagar nas cidades O Slow Food influenciou também a criação do movimento Cittaslow (Cidades Lentas), que propõe a melhora da qualidade de vida dos cidadãos a partir de propostas vinculadas ao território, ao meio ambiente, ao respeito cultural e ao uso inteligente de novas tecnologias por meio do senso comunitário. Esses centros urbanos buscam se libertar do ritmo frenético imposto pela vida moderna e pela economia globalizada. Para isso, aderem a uma série de diretrizes para torná-las mais agradáveis, como fechar o centro da cidade ao trânsito um dia por semana ou adotar políticas estruturais para conservar características históricas. Preservam também o patrimônio gastronômico, criando espaços e ocasiões para o contato direto entre consumidores e produtores de qualidade. Além de dar incentivos fiscais para a construção de casas inteligentes - com energia solar e reaproveitamento de água.

24


Para se tornar uma cittaslow, as cidades candidatas devem comprovar que aderiram a todas as práticas exigidas e ter até 50 mil habitantes. Poluição sonora ou visual, antenas de celulares próximas a residências, produção de alimentos transgênicos, emissão de ondas eletromagnéticas acima do limite recomendado pela Organização Mundial de Saúde (OMS): tudo é proibido em uma cittaslow. A vida dos cidadãos também deve ser facilitada com redução de horas de trabalho, educação voltada à conscientização socioambiental e menos burocracia em órgãos municipais. No Brasil, viver em uma cidade lenta já é possível. A pequena Antônio Prado, no Rio Grande do Sul, conquistou recentemente a certificação cittaslow. A 180 Km de Porto Alegre e com 13 mil habitantes, a cidade é um dos primeiros núcleos de colonização italiana do país e um exemplo de respeito às tradições: mantém intactas as 47 casas de madeira que abrigaram seus primeiros imigrantes e preza pela gastronomia local. “Aqui, as famílias cultivam o costume de se reunir na casa do ‘nono e nona’ aos domingos; no final da tarde é tradição vir à Praça Garibaldi tomar um chimarrão e encontrar os amigos; também não se perdeu o espírito de comunidade, grupos se unem para realizar festas comunitárias em capelas, ajudar nos eventos do município e no que mais se fizer necessário”, conta a Secretária de Comércio e Turismo da cidade, Dirce Brambatti Guzzo.

Devagar, venceremos Apesar de ser uma filosofia poderosa capaz de mudar o mundo, o Slow Movement encontra dificuldades para se firmar como uma cultura dominante. Na opinião de Carl, as principais barreiras que impedem que todos nos tornemos adeptos de uma vida mais devagar são nosso sistema econômico, baseado em crescimento rápido, consumo rápido e lucros rápidos; e a cultura predominante, que criou um tabu contra a lentidão. “A velocidade se tornou um bem inquestionável. Desse modo, glorificá-la está denegrindo seu oposto, que é o ‘devagar’ e mudar esse comportamento enraizado em todos nós é uma tarefa difícil”, explica. Segundo ele, mesmo quando temos a profunda necessidade de desacelerar, resistimos, pois sentimos vergonha em ir contra essa corrente cultural. “Todos temos uma voz interior que nos diz: ‘Vá mais rápido! Não desacelere!’. Então quando as pessoas realmente diminuem o ritmo, se sentem culpadas”, diz. Ainda assim, o Slow Movement é uma visão de mundo possível de ser alcançada. O pontapé inicial já foi dado: percebemos a necessidade de mudança e algumas pessoas já se mostram dispostas a colocá-la em prática. “Não mudaremos o mundo e reduziremos seu ritmo no ano que vem. Isso ainda vai demorar. A revolução ‘Devagar’ será lenta... Mas acredito que ocorrerá”, afirma, otimista, Carl.

25


VIDA movimento Não é fácil, mas é possível. Aqui algumas dicas de Carl Honoré, criador do Slow Movement, sobre como começar a mudança de hábitos e adotar um estilo de vida mais lento:

1. 2.

Questione seu desejo íntimo por velocidade. Da próxima vez que você perceber que está acelerando algo – como o banho matinal, a ceia de Natal, encontros com os amigos – pare e se pergunte se realmente precisa ser tudo tão corrido. Se a resposta for não, respire fundo e desacelere. Você perceberá que está aproveitando melhor a vida e sentirá serenidade.

3. 4.

Redescubra os prazeres à mesa. Uma refeição com amigos e familiares pode ser divertida, saudável e relaxante. Tente fazer refeições sempre à mesa, ao invés de comer em frente à TV ou ao computador.

Férias lentas. Visite lugares que prezam pela lentidão. Cidades Slow oferecem mais espaço para pedestres, ciclistas, e incentivam o mercado agricultor. Passeie pelas ruas sem trânsito, aprecie queijos e vinhos artesanais, aproveite bons restaurantes com sua família ou amigos.

7. 26

Adote um hobby mais tranquilo. Atividades como jardinagem, yoga, tricô, leitura e pintura nos ensinam o hábito da lentidão. Não é a coisa mais fácil a se fazer em nosso mundo apressado, mas é o primeiro passo para escapar das armadilhas da velocidade.

Pare de olhar o relógio. Tente pensar no tempo não como um tirano a ser derrotado, mas como um elemento essencial em nossas vidas. Tire o relógio de pulso durante as férias. Assim, você se sente menos em dívida com ele. Além disso, lembre-se sempre que a melhor maneira de enriquecer seu tempo não é apressando as coisas. Ponha qualidade acima de quantidade.

5. 6.

Reduza seu calendário. Nada faz você se apressar mais do que uma agenda a ponto de explodir. Não ceda à tentação de fazer sempre mais, tente fazer menos. Durante as férias, assista menos TV, faça menos compras e se dedique às pessoas que realmente importam para você.

Desligue. Durante as férias, reserve algumas horinhas para ficar longe do computador, celular, telefone fixo ou televisão. Ofereça a si mesmo a liberdade da desconexão.


finger.ind.br

//Um ambiente de cinema. em todos os sentidos.

ÁGUA VERDE 41 3244.9570 PRAÇA RUI BARBOSA 41 3027.6600 JUVEVÊ 41 3019.2457


VIDA qualidade

Para viver melhor Tudo o que você (ainda) não sabia sobre o sono durma bem M

esmo sem compreender exatamente os benefícios do sono, sabemos que ficar sem dormir por muito tempo gera cansaço e mau humor e que uma boa noite de sono nos faz sentir mais alertas, com mais energia, mais dispostos e até mais felizes. O sono é também a oportunidade para o corpo recuperar e até mesmo rejuvenescer a si mesmo. Muitas funções restauradoras do corpo, como crescimento muscular, reparação de tecidos, síntese de proteínas e liberação do hormônio de crescimento ocorrem, principalmente, enquanto dormimos.

28

Hoje, a falta de sono afeta tanta gente que já vem sendo chamada de epidemia. Só nos EUA, a privação de descanso afeta o trabalho de 160 milhões de pessoas, vítimas da pressão cultural para reduzirem o tempo que passam na cama. Nos últimos 100 anos, o homem moderno perdeu, em média, 90 minutos de sono por noite, roubados pela difusão da luz elétrica, pela industrialização, pelo uso das novas tecnologias e pelas longas jornadas de trabalho. Em São Paulo, por exemplo, o tempo médio de sono é de 6h30, uma hora a menos que há 40 anos.

O que poucas pessoas percebem, no entanto, é que a falta de sono está associada a consequências a longo prazo para a saúde, incluindo obesidade e doenças crônicas, como diabetes, pressão alta e doenças cardíacas, e que estas condições reduzem a expectativa de vida. O sono em excesso é igualmente prejudicial. Dormir mais de nove horas por dia também pode causar problemas à saúde, dependendo da faixa etária de cada indivíduo.


O sono e suas funções

Os distúrbios do sono

Uma noite mal dormida ou maus hábitos do sono podem afetar diretamente processos essenciais ao desenvolvimento humano: a capacidade de aprendizagem, a consolidação da memória, e o fortalecimento das defesas imunológicas.

Muitas pessoas até gostariam de dormir mais e melhor, mas são vítimas dos chamados distúrbios do sono. Se você passa boa parte da noite se revirando na cama, já acorda sentindo cansaço ou apresenta sonolência excessiva durante o dia, pode estar sofrendo de um desses males. A seguir, confira quatro principais distúrbios do sono dentre os 84 catalogados até agora e, caso identifique na sua rotina esses sintomas, procure um médico especialista.

“O sono é divido em duas fases: sono não REM (NREM) e sono REM (sigla de Rapid Eye Movement – Movimento Rápido dos Olhos). O sono NREM ainda pode ser dividido em três estágios (N1, N2 e N3, este último conhecido por sono de ondas lentas). Exceto pelo estágio do sono N1, todas as outras fases do sono parecem ter importância na consolidação da memória”, esclarece a especialista em Medicina do Sono Cintia Felicio Adriano Rosa. No sono REM, o cérebro reorganiza as informações colhidas ao longo do dia, transforma-as em memória química e ocorre, assim, a consolidação da memória. A quantidade de informações que recebemos em apenas um dia é bastante grande, sejam elas visuais, táteis, auditivas ou de qualquer outro gênero. Uma das funções do sono é reorganizar no cérebro esse armazenamento de informações. É cada vez mais evidente também que o sono REM desempenha um papel fundamental no desenvolvimento cerebral de bebês e crianças pequenas. Isso porque, estes passam em torno de 13 a 14 horas por dia dormindo, e cerca de metade desse tempo é gasto no sono REM. Uma hipótese é que isto ocorre porque o cérebro está em um processo de amadurecimento e crescimento muito mais rápido que o de um adulto. A maior quantidade de sono REM, portanto, serviria para organizar todos esses novos conhecimentos sobre o mundo. A importância do sono para o bom funcionamento do sistema imunológico também foi comprovada por pesquisadores do Instituto do Sono. Por quatro noites seguidas, eles submeteram voluntários à privação total do sono por 48 horas. Para avaliar a alteração no perfil imunológico dos participantes, realizaram leucograma – exame que mede a quantidade de leucócitos no sangue – antes e depois do experimento. O resultado demonstrou que todos sofreram uma elevação no número de leucócitos, especificamente de neutrófilos, tipo celular que responde à maioria das infecções. Ou seja, a privação total de sono desencadeou um sinal de alerta no organismo, que entendeu o processo como uma invasão patogênica e respondeu a um fantasma. Esse crescimento, afirmam os pesquisadores, é indício de inflamação sistêmica e poderia explicar por quê a privação de sono está relacionada a uma maior suscetibilidade a doenças como gripes e resfriados. Todos os processos que ocorrem durante o sono são, portanto, vitais à nossa existência e essenciais à nossa formação neurológica. Sem suficientes horas dormidas, nosso cérebro ficaria sobrecarregado e entraria em colapso. Por isso é importante manter os bons hábitos que influenciam positivamente o momento de descanso.

Insônia Caracteriza-se pela dificuldade em pegar no sono, em permanecer dormindo a noite toda ou por despertares noturnos constantes que impedem o sono completo e reparador. Como consequências em longo prazo, traz cansaço diurno, estresse, irritação, dificuldade de concentração ou memorização de informações, sintomas de depressão, entre outras. A prescrição de medicamentos que ajudam a dormir e não provocam dependência química, associada a medidas comportamentais e cognitivas, são as formas de tratamento mais indicadas.

Ronco e apneia obstrutiva do sono O ronco, de forma isolada – ou seja, apenas o efeito sonoro da passagem de ar por uma via aérea estreita –, não interfere na estrutura e na qualidade do sono de um indivíduo. No entanto, torna-se um problema maior quando vem acompanhado por episódios de apneias e/ou hipopneias, que são paradas respiratórias que duram mais de 10 segundos, e podem levar à queda do oxigênio no sangue, despertares recorrentes, fadiga diurna, impotência sexual e envelhecimento precoce. Entre fatores que provocam o ronco e a apneia, estão alterações anatômicas na faringe, mandíbula ou língua, obesidade, refluxo gastroesofágico, e outros. O tratamento varia de acordo com a causa e a gravidade da doença. As medidas terapêuticas podem ser clínicas, cirúrgicas ou até mesmo associadas, dependendo de cada caso.

Bruxismo Ranger ou apertar involuntário dos dentes durante o período do sono. O bruxismo provoca força excessiva sobre a musculatura mastigatória e os dentes, produzindo sintomas musculares e dentais, tais como: dor facial, desconforto muscular principalmente ao morder, dores de cabeça, desgaste dos dentes e danos à gengiva. O tratamento mais recomendado é o aparelho intraoral, confeccionado com resina acrílica, chamado placa miorrelaxante.

Síndrome das penas inquietas Irresistível necessidade de movimentar as pernas, que alivia uma sensação extremamente desagradável nos membros inferiores. Tais sintomas ocorrem à noite, antes de dormir, o que muitas vezes impede o início do sono, levando à insônia. O tratamento é realizado com medicamentos. Fonte: Instituto do Sono e Eliza Mendes, otorrinolaringologista do Hospital Nossa Senhora das Graças.

29


casa dicas

O sono ideal “É muito importante criarmos uma rotina de sono. Podemos reservar 30 minutos para alguma atividade especial (não estimulante como correr) antes de dormir, e não deixar que esse momento seja substituído por uso de computadores e programas de televisão. As alterações de luminosidade e o barulho desses aparelhos acabam por não permitir o sono profundo, necessário para o descanso completo”, aconselha a especialista em Medicina do Sono do Instituto Paranaense de Otorrinolaringologia, Cintia Felicio Adriano Rosa. O tempo que precisamos dormir por dia varia de acordo com faixas etárias, segundo a Dra. Cintia. “Isso depende da maturação neurológica do indivíduo”, diz. Outros fatores, como a consolidação do ritmo circadiano (mecanismo biológico que controla nossos horários de dormir, acordar, comer, dentre outras atividades) e a entrada na adolescência também influenciam nessa variação de medidas entre indivíduos. A quantidade que precisamos dormir é aquela considerada ótima para nos mantermos alertas e exercendo nossas funções adequadamente durante o dia. Existe uma variação individual, mas a média fica entre 7 a 8 horas de necessidade de sono para o adulto.

30

Quantidade média de sono por faixa etária Recém-nascidos Bebês

(de 6 meses a 2 anos)

Crianças (de 3 a 5 anos)

Crianças e pré-adolescentes

entre 18 e 20 horas/dia entre 16 e 18 horas/dia

entre 10 e 12 horas/dia

entre 8 e 10 horas/dia

(de 6 a 15 anos)

Adultos

entre 7 e 8 horas/dia

Idosos

entre 5 e 7 horas/dia

Fonte: Cintia Felicio Adriano Rosa, especialista em Medicina do Sono do Instituto Paranaense de Otorrinolaringologia (IPO).


Diferente de tudo o que você já viu. Inclusive no pagamento.

Parcelamento próprio. Desde o projeto até a entrega das chaves, a Baggio permite que você construa uma casa única. Para isso conta com um diferencial exclusivo no mercado: o parcelamento próprio. Sem burocracia e com condições que vão até 90x. Quem oferece solidez, tradição e confiança em cada obra, oferece um negócio como esse.

3025-6111

41 Rua Nestor Victor . 839 Água Verde . Curitiba . PR

construtorabaggio.com.br

www.


CASA Invasão

lar doce lar

A família Ignácio optou em viver em uma ampla casa e aproveitar todo o conforto do Paysage Excellence

32


familiares. Já o piso superior foi pensado exclusivamente para os moradores, com suítes bem equipadas e sacadas individuais. Os ambientes são amplos e privilegiam a iluminação natural. Dividida em três andares, a casa é puro conforto. A decoração é mérito da proprietária, que pensou em cada detalhe, apesar de dizer que ainda há muito o que fazer. As obras no último andar ainda não estão finalizadas, mas lá de cima, a bela vista para a cidade dispensa qualquer decoração.

Fachada externa A escolha dos moradores foi por cores pastéis para a casa que tem um estilo contemporâneo. A varanda vista na fachada se repete em todas as suítes, tornando os ambientes confortáveis e amplos.

Fotos: Patrícia Lion

H

á três anos, o casal Hamilton e Nadir Ignácio vive em uma espaçosa casa com os três filhos no condomínio Paysage Excellence, localizado no bairro Portão, em Curitiba. “Queríamos uma casa que tivesse a identidade de nossa família, por isso o motivo de construir, pois assim pudemos pensar em cada peça e no resultado final como um todo”, conta Nadir. Com espaços integrados no piso inferior, a casa ficou confortável não apenas para a família, mas também para receber amigos e

33


CASA invasão › Pi s o

I N F ER I OR

Sala de estar / SALA DE JANTAR Amplo e iluminado, este cômodo mescla as cores cinza e preto nos objetos maiores. Os detalhes são na cor vermelha, como nas almofadas e mantas, além da madeira que dá o toque de conforto ao ambiente.

lavabo O adesivo de parede deixou o ambiente moderno e alegre.

34


Home theater Com sofás, poltronas e tapete é com certeza um dos ambientes mais aconchegantes da casa. Pode ficar interligado à cozinha e à sala de estar ou, por meio das portas de correr em madeira, o local fica mais íntimo para quem quer ver um bom filme.

Integração dos ambientes Cozinha, sala de TV e estar intimamente ligados com opção de portas de correr que deixam os espaços independentes para os momentos que pedem privacidade.

35


CASA invasão

COZINHA GOURMET Espaço cativo da casa, muito utilizado, já que praticamente toda a família gosta de colocar a mão na massa para receber amigos e confraternizar. Eles optaram em não ter um salão de festas e, sim um lugar mais prático para realizar as festas a qualquer momento.

ESCADA É toda iluminada por um lustre que pode ser considerado parte da decoração da casa. O vão ocupado pelo lustre foi projetado para ganhar um elevador, caso se faça necessário futuramente.

36


› Pi s o

S U P ER I OR

Suíte do casal O casal optou em separar bem os ambientes da suíte, dando espaço a um pequeno escritório e um closet mais reservados. No banheiro, uma faixa de pastilhas coloridas dá uma quebra ao branco do ambiente. Esse detalhe se repete nos demais banheiros das suítes dos filhos.

Suíte dA JOVEM Nada de sobriedade. A filha do casal, Suzana, que tem 17 anos, ocupa um quarto cheio de detalhes próprios da idade. Duas poltronas amarelas e os quadros coloridos nas paredes dão vida ao ambiente.


CASA invasão

Suíte do JOVEM Como nas demais suítes, a cama de casal ocupa boa parte deste cômodo, que tem os móveis em madeira. O detalhe em verde nas pastilhas do banheiro revela a cor do time de um dos filhos, o Palmeiras.

38


Inovação é não se preocupar com o orçamento da sua casa, exceto com o da festa de inauguração.

Método aprovado utilizado nos nos EUA EUA ee Europa Europa

Construção4até 4 Construção vezes vezes mais rápida mais rápida

Profissionais qualificados

Conforto térmico e acústico

Projetos de construção sustentáveis

A Tecverde tem o objetivo de oferecer a melhor experiência para quem quer construir. O seu processo possui orçamento estrutural preciso e controlado para livrar sua obra dos problemas tradicionais. Conheça a Tecverde e a inovação para construir sua casa da melhor maneira.

Rua Inácio Lustosa 761 - Curitiba, Paraná CEP 80510-000 Tel: 41 3209-2431 vendas@tecverde.com.br - tecverde.com.br

Co nstr uindo co m suste ntabilidade.

39


CAPA

Bairros

Planejados Localização, planejamento, conforto, qualidade de vida. São muitos os fatores que precisam ser levados em conta no momento da escolha de um lar. Desde 1994, a Paysage Condomínios Diferenciados atua transformando em realidade o desejo das famílias que prezam por espaço e bem-estar. Sempre em busca de novos conceitos de empreendimentos exclusivos e inovadores, em 2013 a Paysage lança dois projetos de bairros planejados inspirados em modelos de sucesso ao redor do mundo.

40


uma nova proposta de urbanismo Integração de residências, comércio, serviços e lazer em um mesmo local

C

omo alternativa sustentável e para combater o esgotamento dos centros urbanos, tem ganhado força no Brasil e no mundo o conceito de comunidades planejadas, ou bairros planejados. “Esses empreendimentos imobiliários propõem uma nova organização do espaço urbano, prezando pela integração de residências, comércios, centros empresariais, serviços, educação e lazer em um mesmo local, com objetivo de encurtar distâncias e reduzir tempo de deslocamento de seus habitantes”, explica o diretor da Paysage Condomínios Diferenciados, Juliano Maran. Com uma série de benefícios, esses espaços cuidadosamente planejados estimulam o uso de transporte público e de meios alternativos de transporte, como bicicletas; priorizam o pedestre em detrimento dos carros, construindo vias estreitas e calçadas largas; são acessíveis a diversos grupos socioeconômicos, propiciando a diversidade também em termos de idade, sexo e raça; prezam pelo senso comunitário, criando espaços de convivência social como lojas de rua, restaurantes, cafés, parques e praças; e buscam estimular o sentimento de pertencimento e o sentido de vizinhança, convocando todos os habitantes a propor em soluções coletivas para o desenvolvimento da comunidade onde vivem.

41


CAPA

A ideia dos bairros planejados é baseada em um movimento interdisciplinar conhecido como Novo Urbanismo, que surgiu no início dos anos 1980, nos Estados Unidos, em resposta ao crescimento incontido dos subúrbios norte-americanos e o intenso uso de automóveis nessas regiões. Em pouco tempo, o movimento ganhou o apoio de muitos profissionais que atuam com empreendimentos imobiliários, de empreendedores, da mídia em geral, de professores em diversas escolas de arquitetura e de planejamento urbano e regional. “Esse movimento buscava tornar a cidade mais eficiente, compacta e diversificada, ao contrário do modelo de cidade ‘espalhada’, indutora de grande consumo energético e, na sua maioria, desagregadora da vida social”, explica o arquiteto, urbanista e coordenador de Projetos Urbanos do escritório Desenho Alternativo, André Schmitt. Formado por arquitetos, urbanistas, geógrafos, engenheiros e outros especialistas, o grupo dos Novos Urbanistas baseia-se em um documento básico intitulado

42

Carta do Novo Urbanismo, assinada em 1996 por 266 participantes do IV Congresso do Novo Urbanismo. A Carta é inspirada no modelo da cidade europeia medieval: compacta, multi-social e estreitamente ligada à natureza e ao campo. E é estruturada por 27 princípios que se referem ao equilíbrio necessário entre as construções para atender as necessidades humanas e o ambiente natural, para preservação do patrimônio histórico e para participação da comunidade na gestão sobre os espaços dos bairros. “Este planejamento prevê que uma grande cidade tenha ‘pequenas cidades’ ou várias centralidades autônomas em seu tecido urbano, possibilitando assim a percepção de bairro ou distrito, que é um lugar onde todos ou quase todos se conhecem, se ajudam e zelam pelo bem-estar coletivo”, explica o sócio e diretor da Imobisul, empresa representante no sul do Brasil da DPZ de Miami, ícone mundial do Novo Urbanismo, Ricardo Valls.


BA I RRO P L A N E JA D O

“São comunidades muito mais vibrantes e identificadas com seus moradores, que passam a desenvolver um sentimento de pertencer àquele lugar, mobilizando-se em associações para mantê-lo seguro, limpo, trazendo também orgulho e cidadania para os que ali vivem. Rapidamente, tornam-se o desejo de moradia da região”, complementa o diretor do escritório Núcleo Urbano, especializado na Gestão Imobiliária e de Projetos de Comunidades Planejadas e Loteamentos Convencionais, José Rocha Filho. As comunidades planejadas podem tanto ser implantadas em novas áreas quanto revitalizar espaços já ocupados. Para Schmitt, integrar esses espaços é uma tendência do urbanismo contemporâneo em cidades densas e já consolidadas. “Qualificar a cidade implica tanto em desenhar seus espaços vazios com esses novos conceitos (Bairros Novos) quanto em ‘revisar’ os parâmetros de seu crescimento nos seus setores ocupados (Bairros Existentes), para que se alcance uma ‘mistura’ de atividades, formas e funções”. Segundo Rocha Filho, em novas áreas, as comunidades planejadas são até mesmo mais eficientes que os loteamentos tradicionais. “São projetos mais compactos, demandando menos áreas rurais para uma mesma população, menor custo operacional para o transporte coletivo, coleta de lixo, menores custos de implantação e manutenção de vias, parques, redes de saneamento, energia elétrica, telefonia.”

O desenvolvimento complexo do modelo exige, principalmente, que sua implantação seja realizada estrategicamente e em etapas, essas coordenadas por profissionais de diversas áreas, como arquitetos, engenheiros, ambientalistas, paisagistas, agentes imobiliários, especialistas em marketing, entre outros. “Entre o tempo de sua concepção, implantação (construção) e ocupação pelos seus moradores, um projeto com as características de bairros planejados pode levar de 20 a 30 anos para sua consolidação e amadurecimento. O que não significa que a partir de um período muito curto (5 a 6 anos) já possam receber moradores permanentes”, diz Schmitt. Para os especialistas consultados, as comunidades planejadas ainda estão em processo de consolidação no Brasil, porém têm tudo para ser um modelo de sucesso no país. “Fala-se no assunto muito mais do que se falava há cinco ou mais anos atrás, o que é ótimo. Quanto mais o empreendedor perceber que seus projetos serão valorizados pelo bom urbanismo, com apreciação significativa do m² construído em áreas bem planejadas, mais rapidamente veremos a consolidação desse modelo de planejamento”, afirma Valls.

43


CAPA

Bairros Planejados e suas diretrizes A diversidade é um dos pontos chave do conceito de bairros ou comunidades planejadas que seguem os preceitos do Novo Urbanismo. Esses empreendimentos têm por base:

Um loteamento aberto e integrado à malha viária existente ou projetada no entorno da Gleba (terreno);

Ter uma ou mais centralidades urbanas, cuidadosamente planejadas para a escala humana, privilegiando sempre o pedestre com calçadas generosas e seguras, além das ciclovias, em detrimento dos veículos que, apesar de coexistirem, deixam de ser os protagonistas do desenho urbano;

Dar especial atenção aos posicionamentos e volumes de seus edifícios, criando cenários urbanos para serem observados a pé e que devem abrigar usos mistos como lojas de rua, serviços, escritórios, residências, equipamentos de lazer e institucionais públicos;

Entre as centralidades e os limites da Gleba (terreno) não se deve ter distâncias maiores que uma caminhada de 5 minutos;

Em bairros planejados com esses conceitos, acomodam-se com muita qualidade moradias, comércio, locais de trabalho, ensino e espaços de lazer e convívio social, integrados a áreas verdes para de cerca de 30.000 habitantes em aproximadamente 8.500 domicílios, em uma área de 1 milhão de metros quadrados (1 Km²), ou uma densidade de 300 hab/ha.

Fonte: José Rocha Filho, diretor do escritório Núcleo Urbano, especializado na Gestão Imobiliária e de Projetos de Comunidades Planejadas e Loteamentos Convencionais, e André Schmitt, arquiteto, urbanista e Coordenador de Projetos Urbanos do escritório Desenho Alternativo.

44


BAI RRO P L A N E JA D O Londrina

Planejado para a sua felicidade

Conheça o projeto que a Paysage desenvolveu para Londrina

O

desenho urbano de Londrina, no norte do Paraná, está ganhando novos contornos, principalmente na zona leste da cidade. Em função da Universidade Tecnológica do Paraná (UTFPR) e do recém-instalado Shopping Boulevard, a região está em franca expansão. Ao identificar esses vetores de crescimento, a Paysage Condomínios Diferenciados fez, em 2010, a aquisição de um terreno para a construção de um empreendimento imobiliário baseado em um novo conceito de qualidade de vida: o bairro planejado Parque Tauá. Para dar viabilidade ao projeto, a Paysage contou com a assessoria do escritório Ideia Urbana, que definiu um plano urbanístico preliminar da área. “Coube a nós realizar uma análise da legislação, das condicionantes físicas do terreno, do produto definido através de um estudo de mercado e realizar a negociação das diretrizes urbanas junto aos órgãos competentes da cidade”, explica a arquiteta e urbanista Rosangela Biaobock. Essa fase do projeto demonstrou os números do empreendimento, como área líquida vendável, número de lotes e áreas públicas e, assim, foi possível lançar um novo núcleo urbano em Londrina.

45


CAPA

O Parque Tauá terá ocupação ordenada do solo de forma integrada e racional. Uma parte dele será verticalizado para gerar o adensamento necessário para manter o fluxo do comércio. Na área institucional, há um espaço destinado à instalação de equipamentos públicos, visando atender não somente a população futura, mas também a atual. Outro espaço contempla a criação de um parque linear para a proteção do fundo de vale do Córrego Cafezal. Além disso, haverá lotes residenciais e comerciais abertos, além de residenciais fechados e áreas de lazer diversas. “Não se trata apenas de um produto imobiliário, é um bairro planejado de forma democrática para que pessoas de diferentes classes sociais possam conviver em harmonia e de maneira sustentável”, comenta Maran. De acordo com ele, tanto moradores como empreendedores têm vantagens ao adquirir um terreno localizado dentro de um bairro planejado, pois a valorização chega a ser 20 a 30% maior comparado a outros terrenos, devido a infraestrutura existente no entorno. “Isso sem contar com a qualidade de vida que se ganha com a possibilidade de menores deslocamentos e maior identificação com o local.”

46

LONDRINA (PR) Localização Norte do Paraná, a 369 km de Curitiba, capital do estado.

População Mais de 510 mil habitantes. É a 2ª cidade mais populosa do Estado e 4ª da região Sul.

Crescimento do PIB R$ 7.992.507.000,00, em 2007. Número que coloca Londrina no 44º lugar no ranking das 100 maiores cidades brasileiras e em 4º lugar na comparação com as demais cidades paranaenses, usando como referência este índice econômico.

IDH – Índice de Desenvolvimento Humano 10º lugar entre os municípios do Paraná, com um valor médio de 0,824. Fontes consultadas: IBGE, Prefeitura Municipal de Londrina.


BAI RRO P L A N E JA D O Londrina

Parque Tauá faça sua história aqui Na região que mais se valoriza em Londrina, nasce o primeiro bairro planejado da cidade

S

e localização é pré-requisito na hora de se comprar um imóvel, o Parque Tauá é perfeito. Localizado na zona leste, a região que mais se valoriza em Londrina, o Parque Tauá está a menos de 5 minutos do Marco Zero, perto de conveniências e tem fácil acesso por conhecidas ruas da cidade. Chegar ao Parque Tauá é tão fácil quanto se encantar por ele. Com urbanismo planejado para atender as necessidades das pessoas de hoje e também do amanhã, o novo bairro planejado de Londrina tem toda estrutura projetada para o crescimento da região, com a devida comodidade, conforto e qualidade de vida que seus moradores merecem. O projeto é completo, com praças e paisagismo para o lazer, áreas destinadas para o comércio local, ciclovia e pista de caminhada em um parque linear. Para morar ou empreender, as opções são de terrenos de frente para a rua ou em residencial fechado. No dia 22 de julho de 2013 aconteceu o lançamento da 1ª fase do projeto, com 100% dos lotes vendidos, e a 2ª fase foi lançada logo em seguida, surpreendendo com a velocidade das vendas.

47


TAUÁ significa “terra vermelha” em Tupi-Guarani. Em 1925, o Lord Lovat com outros companheiros criaram a Companhia de Terras Norte do Paraná. Essa companhia foi um tipo de loteadora que, após comprar terras, derrubou parte da floresta, abriu estradas e organizou a divisão desse espaço em lotes urbanos e rurais, que foram vendidos. A propaganda foi muito usada para atrair compradores, e nela chamava-se a atenção para a “terra roxa”. O nome “terra roxa” é dado a esse tipo de solo devido aos imigrantes italianos que trabalhavam nas fazendas de café. Esses imigrantes referiam-se ao solo pelo nome terra rossa, já que rosso, em italiano, significa vermelho. Os brasileiros aportuguesaram o termo italiano, então, para terra roxa.

Tauá em números Dimensão total do terreno 40 alqueires, o equivalente a aproximadamente 1 milhão de metros quadrados Terrenos de rua ou em residencial fechado a partir de 250 m²

Endereço Av. dos Pioneiros, Km 6, Londrina - PR PL 0005 13 Paineis acrílico 80x50.indd 1

Realização e Incorporação Paysage Imóveis Diferenciados

48


BAI RRO P L A N E JA D O Londrina

:

:

Imagem IlustratIva da vIsta aérea da Área Comum do CondomínIo FeC Descubra a diferença entre viver e morar

Um bairro 100% projetado para você ser feliz

S

eguindo o conceito Paysage da diferença entre viver e morar, o Parque Tauá vai contar também com residenciais fechados. Com toda a infraestrutura planejada que uma família deseja, os residenciais fechados oferecem conforto, tranquilidade e estrutura com portaria automatizada, muros altos que oferecem segurança e privacidade e um clube de lazer completo. Serão entregues com espaço gourmet, salão de festas, fitness center, piscina, quadra poliesportiva, brinquedoteca, playground e salão de jogos.

49


Motivos para morar e empreender Infraestrutura Ruas pavimentadas com redes de luz, água, esgoto e telefone.

Mobilidade Ruas com dimensões adequadas para o fluxo de veículos e coletivos; ciclovias; calçadas com áreas de acessibilidade; pista de caminhada.

Padrão construtivo Normas para edificações residenciais e comerciais, garantindo mais qualidade e constante valorização.

Conveniências Áreas estrategicamente definidas para instalação de conveniências como supermercados, escolas, posto de combustível.

Lazer Praças entregues equipadas, com paisagismo e grande espaço ao ar livre.

Sustentabilidade Preservação e melhoria das áreas verdes com paisagismo de árvores nativas e criação de um parque linear.

50


BAI RRO P L A N E JA D O Palhoça

Na rota do planejamento

Palhoça, na Grande Florianópolis, é a próxima cidade a receber um bairro planejado pela Paysage

D

as casas construídas de pau-a-pique com cobertura de palha, denominada palhoça, que deram origem ao nome do município localizado na Grande Florianópolis, sobraram apenas as lembranças dos pescadores da época. A cidade é hoje rota de grandes investimentos imobiliários, instalação de novas indústrias e até de um polo náutico. Palhoça deixou de ser cidade dormitório até por uma questão geográfica. As indústrias, não podendo mais se instalar ou se expandir dentro da Ilha, na capital, fizeram com que o município se tornasse a alternativa mais próxima no Continente. Assim, viu sua população aumentar em 30% na última década, e seu Produto Interno Bruto (PIB) aumentar 247% entre 2002 e 2009. Além da proximidade com a capital do estado e do boom econômico pelo qual passa, Palhoça tem também suas belezas naturais. Conta com parques ecológicos, belas praias e um dos maiores mangues de toda a América do Sul. Com infraestrutura hoteleira, turística, gastronômica e de serviços, o município é reconhecido pelo Instituto Brasileiro de Turismo (Embratur) como polo turístico. Entre as 10 cidades catarinenses com a maior arrecadação no estado, Palhoça foi escolhida pela Paysage Imóveis Diferenciados como a primeira a receber um bairro planejado. O Parque Vale Verde, que tem lançamento previsto para outubro de 2013, será construído em parceria com a Klok Planejamento Urbano.

Parque Vale Verde Um projeto inovador inspirado no conceito do Novo Urbanismo

Segurança Sistema de coleta seletiva Rede elétrica combinada (área de ligação subterrânea) Ciclovia, playground e academia ao ar livre Supermercado, restaurante, padaria, posto de combustível e escola

Vale Verde em números Lançamento Outubro de 2013 571 lotes serão comercializados na 1ª fase do projeto (comerciais e residenciais)

Endereço José João Barcelos, 375, Bela Vista, Palhoça - SC

Incorporação Paysage Imóveis Diferenciados e Klok Planejamento Urbano

51


PALHOÇA (SC) Localização Palhoça fica na Grande Florianópolis e faz divisa com as cidades São José, São Pedro de Alcântara, Santo Amaro da Imperatriz e Paulo Lopes.

População Mais de 142 mil habitantes. A cidade aumentou sua população em 30% na última década. É o 10º município mais populoso do estado.

Número de empresas registradas 14 mil em 2012. Em 2004 eram 6.500.

Orçamento municipal em 2012 R$ 400 milhões. Em 2004 era R$ 46 milhões.

Novos imóveis em 2012 7,7 mil. Em 2004 existiam 3,5 mil.

Crescimento do PIB 247% entre 2002 e 2009.

Potencial de consumo anual R$ 1.091.682.750,00. É a 8ª cidade em crescimento de consumo no Brasil. 84,1% da população pertence às classes B e C. Fontes consultadas: IBGE, Prefeitura Municipal de Palhoça e revista Exame ed. 1022

52


Construindo seu sonho com qualidade

CONSTRUTORA E INCORPORADORA

A ROTTAS constrói casas de alto padrão com excelente acabamento e com o compromisso de entrega no prazo. Valorizamos a realização e satisfação de nosso cliente.

FAÇA SEU ORÇAMENTO! r o t t a s c o n s t r u t o r a . c o m . b r Rua Emiliano Perneta, 174 – 12 andar – Centro – Curitiba - 41 3045-3808

53


FAMÍLIA educação

Lição de Casa

Colégio Dom Bosco

Como escolher a escola ideal para seus filhos? Confira dicas de especialistas em Educação e três propostas de escolas em Curitiba

C

ada família tem seus valores e cada criança, suas características individuais. Não existe a escola perfeita, que sirva para todos, mas existe aquela que mais se ajusta às expectativas e necessidades de cada família. Para encontrar a melhor escola para seu filho, pesquise, informe-se com outros pais, compare, faça visitas e analise bem os prós e contras. O resultado dessa tarefa valerá a pena. Afinal, uma boa escolha garantirá anos de tranquilidade para toda a família.

Como pesquisar A localização e o valor da mensalidade são fatores que devem ser levados em conta, mas escolher a escola ideal para seu filho vai além. O que, então, considerar em conta? “O bem-estar da criança e sua formação devem ser os principais focos dos pais”, afirma a conselheira do Sindicato das Escolas Particulares do Paraná (Sinepe/PR), Raquel Momm de

54

Camargo. “Não adianta procurar uma escola que tem seu foco no lúdico e na brincadeira e depois ficar tentando comparar o desempenho acadêmico do seu filho com o filho do vizinho que estuda em uma escola que prioriza resultado. Vale refletir também o contrário: matricular a criança em uma escola que tem foco no desempenho e na aprendizagem do aluno - e não admitir que o filho vai precisar mesmo é de tempo e espaço para realizar suas lições de casa - pode ser bem frustrante.” A educadora afirma ainda que os valores dos pais e da escola também devem ser comparados: “Muitas vezes, a família faz uma boa escolha ao procurar uma escola que não é um reflexo da forma de pensar da família, mas como um complemento.” Visitar as instituições é um caminho muito importante para esta escolha. Existem algumas escolas que agendam horários para visitas, enquanto outras permitem que os pais possam

visitar sem agendamento. “Uma escola que só atende com hora marcada e onde você é atendido por alguém que irá lhe ‘vender’ uma ideia pode deixar uma ótima primeira impressão, mas ela pode ser distante da expectativa que você faz. Mas uma escola que recebe você a qualquer momento, provavelmente terá o chão com farelos se você chegar na hora do lanchinho da Educação Infantil”, diz Raquel. “Bom senso das duas partes é importante. Se você tiver disponibilidade, por exemplo, o horário de aula propriamente dito é mais interessante de ser observado que horários de entrada ou saída, no que se refere ao funcionamento pedagógico. Mas se o seu foco é saber como as crianças são entregues, vale a pena observar como acontece um horário de saída”, completa.


Fotos: Divulgação escolas Escola Trilhas

Propostas pedagógicas Escolher uma instituição religiosa, bilíngue, integral, que leva em conta a vida em comunidade ou que prioriza a formação para a vida profissional? As propostas são muitas e, apesar de terem muitos fatores em comuns, existem muitas diferenças. A Escola Trilhas, por exemplo, valoriza a intensa participação das famílias no dia a dia de seus filhos dentro da instituição. Mostra de artes, feira do livro, feira da troca, festa junina, reuniões, palestras e simpósios fazem com que a escola acolha, além dos alunos, os pais, avós, amigos e comunidade. “Nossa estrutura é formada por um conjunto de salas – de aulas, de artes, de música, de descanso, de leitura, de culinária, auditório – que margeiam um amplo quintal onde a criança encontra e aprende a reconhecer e respeitar árvores nativas e plantas diversas, além de areia, terra, grama, balanço de pneus, brinquedos de madeira e quadras esportivas”, diz a diretora de Educação Infantil da Trilhas, Maria Inês W. Galvão. “O respeito ao aluno, em cada estágio de seu desenvolvimento, e a valorização da cidadania, incluindo a educação para o consumo, para o trânsito, a educação ambiental e a responsabilidade de cada cidadão na construção de um mundo mais sustentável são linhas básicas que permeiam todas as atividades da escola”, completa.

Já o Colégio Internacional Everest tem quatro pilares educacionais que visam a formação Humana, Espiritual, Intelectual e Apostólica e oferece, como diferencial, cálculo mental, missões (caridade apostólica), entre outros, atividades que visam desenvolver competências e habilidades dos alunos. “A formação apostólica busca dar ao aluno uma personalidade solidária com as necessidades dos demais e um coração de apóstolo zeloso e consciente do sentido da sua missão, que viva e atue como um ‘enviado de Cristo’ a propagar o seu Reino em seu meio ambiente e comunidade eclesial, através do testemunho, da oração e de ações corretas”, explica a psicopedagoga do Everest, Rosi Efigênia Almeida Mendes.

sociedade e, na ausência de outro homem, ele não se constrói. Oferecendo ensino bilíngue e integral como opções, sua linha pedagógica visa desenvolver o senso crítico, a curiosidade, a criatividade, a solidariedade, o respeito, a responsabilidade e a expressão de ideias, respeitando, evidentemente, cada faixa etária. “Em parceria com as famílias, nossas práticas pedagógicas cotidianas buscam a formação integral do ser humano, desenvolvendo nos alunos o respeito à diversidade étnica, física, de gênero, de orientação sexual, de credo, de ideologia e de condição socioeconômica”, conta a diretora do Colégio Dom Bosco, sede Batel, Célia Bitencourt.

Outra modelo de proposta é do Colégio Dom Bosco que se apresenta como sociointeracionista, ou seja, que compreende o homem como um ser que se forma em contato com a

Alunos da Educação Infantil - Escola Trilhas

55


FAMÍLIA educação

QUESTIONE A assessora pedagógica do Sinepe/PR, Fátima Chueire Hollanda, destaca alguns pontos que devem ser cuidadosamente observados pelos pais que realizam a primeira visita a escola, confira:

Conheça toda a infraestrutura da escola. Os laboratórios de ciências, biblioteca, espaço coberto para atividades em dia de chuva, sala específica para as aulas de arte, quadra poliesportiva, entre outros.

Colégio Internacional Everest - Ensino Infantil

Fique atento com a linha pedagógica da escola e seu regimento interno. Se é tradicional, se valoriza a criatividade, se dá espaço para o crescimento do aluno, se possui atividades que valorizam o meio ambiente, os Direitos Humanos, e que contemplam as diferenças religiosas e étnicas.

Trabalho contínuo Depois da escolha da escola, o trabalho dos pais não para por aí. A conselheira do Sinepe/ PR destaca a importância de manter o foco na criança durante toda sua vida escolar. “Você precisa conhecer o máximo do que diz respeito ao seu filho. Faça questão de ser apresentado e conhecer cada professor de seu filho!”, diz Raquel. “Veja todos os dias a agenda dele, acompanhe os trabalhinhos, reorganize a mochila. Construa com a escola um canal de comunicação e não de críticas. Se tiver algo que desagrade, procure sempre saber como pode ser solucionado e não encontrar culpados. Transfira para sua agenda pessoal todas as datas planejadas no calendário da escola para interação dos pais com filhos ou professores, tais como reuniões, comemorações, entrega de avaliações, gincanas, eventos, e até mesmo quando houver dias liberados para buscar seu filho na porta da sala”, ensina.

56

Observe o número de alunos por turma, perceba como são as salas de aula, como funcionam as refeições e os lanches. Pergunte quem organiza e como é o cardápio, quais alimentos são vendidos na cantina e a autorização para funcionar.

Certique-se que a escola mantenha visível os atos que autorizam o funcionamento da mesma, como seu Alvará, Laudo da Vigilância Sanitária, Laudo do Corpo de Bombeiros e Resolução da Secretaria de Educação Municipal ou Estadual.

E não esqueça de perguntar quais são os serviços oferecidos pela escola, como aulas especiais, orientação educacional, supervisão de ensino, psicopedagogo, reforço escolar, entre outros.


CASA comportamento

HORA DA

leitura

Um bom livro é sempre um bom companheiro a qualquer hora do dia, seja para inspirar, distrair, relaxar ou divertir. Sabendo disso, a Revista Paysage selecionou alguns lançamentos especiais para você e sua família

Para as crianças Dinossauros podem ser adestrados? Henning Wiesner Os porcos são mesmo porcos? Animais precisam escovar os dentes? Vaga-lumes queimam o fusível ao se molhar? São essas e outras 49 perguntas curiosas sobre o mundo animal que Henning Wiesner, ex-diretor do zoológico de Munique (Alemanha), responde no livro Dinossauros podem ser adestrados?, da editora Cosac Naify.

Para OS ADULTOS Para sempre, a história que inspirou o filme Kim Carpenter Dois meses após o casamento, a vida do autor e sua esposa Krickitt Carpenter mudou completamente. O carro deles foi atingido por uma caminhonete em alta velocidade e, devido a um sério ferimento na cabeça, Krickitt ficou em coma por várias semanas. Quando despertou, parte de sua memória estava comprometida e ela não conseguia se lembrar do seu marido. Kim precisou, então, reconquistar sua esposa – desafio que divide neste romance envolvente publicado no Brasil pela Editora Nova Conceito.

Classificação*: 5 a 8 anos

Palavras, muitas palavras... Ruth Rocha Mostrar às crianças que aprender a ler pode ser uma gostosa diversão. No melhor estilo de Ruth Rocha e com imagens brincalhonas de Raul Fernandes, esta é a proposta do livro Palavras, muitas palavras..., da Editora Salamandra. Classificação* : 3 a 5 anos *Classificações encontradas no site da Livraria Saraiva, no mês de julho de 2013.

58

Genesis Sebastião Salgado Durante oito anos, o fotógrafo Sebastião Salgado viajou por mais de 30 regiões registrando paraísos de difícil (ou impossível) acesso e agrupamentos humanos que pouco pertencem ao mundo capitalista e de consumo. O resultado deste sensível trabalho foi apresentado, de abril a setembro de 2013, em uma exposição individual no National History Museum, de Londres, e pode ser conferido no livro Genesis, lançado este ano pela editora Taschen.


A ELETRICIDADE É A NOSSA ENERGIA PARA CONSTRUIR O FUTURO. COM 30 ANOS DE EXPERIÊNCIA EM OBRAS, A CONTREL OFERECE PROJETOS DIFERENCIADOS EM REDES DE DISTRIBUIÇÃO DE ENERGIA PARA LOTEAMENTOS E CONDOMÍNIOS. DEDICAMOS A NOSSA ENERGIA PARA A SUA OBRA. Áreas de Atuação: . Redes aéreas . Instalações Industriais . Telefonia e Fibra Óptica . Iluminação Especial . Linhas de Transmissão . Sistema de Gestão Integrada de Iluminação Pública . Redes Subterrâneas com Soluções Diferenciadas para Condomínios

www.contrel.com.br | 41 3367-4646 | contrel@contrel.com.br

59


CASA legislação

O que muda com a

nova lei dos empregados domésticos?

60


Novas regras sobre horário de trabalho, direitos e deveres dos empregados domésticos trazem mudanças para as famílias brasileiras

D

esde a entrada em vigor da nova lei dos empregados domésticos, não há quem não tenha ficado com dúvidas sobre as mudanças, que afetam grande parte das famílias brasileiras. O que mudou? Como proceder? Em primeiro lugar, é importante lembrar que empregados domésticos não são apenas os funcionários que cuidam da limpeza e alimentação nas residências. São todos aqueles que prestam serviços sem fins lucrativos, como babás, jardineiros, motoristas, caseiros e cuidadores de idosos, devendo adequar todos eles às novas normas. A partir da entrada em vigor da chamada PEC dos Domésticos, a principal mudança é o número de horas a serem trabalhadas por semana. Se antes não havia um controle rigoroso do horário, a partir de agora, a jornada de trabalho terá até 44 horas semanais, sendo 8 horas de segunda a sexta e 4 horas aos sábados. Caso o funcionário não trabalhe aos sábados, a lei permite a compensação, ou seja, ele poderá trabalhar alguns minutos a mais durante a semana para não trabalhar aos sábados. Entretanto, a recomendação dos especialistas é que isso seja sempre registrado, para evitar problemas futuros. “Recomendo que a compensação seja feita por escrito”, comenta o advogado especializado em Direito do Trabalho Fabiano Garcia, do escritório Casillo Advogados. Com esta restrição, um dos pontos mais controversos é como controlar a jornada trabalhada pelo funcionário. Em relação a isso, o advogado e professor de Direito André Luiz Tesser é claro: “Na medida do possível, registre os horários de entrada e saída”, sugerindo a instituição de um livro-ponto, a ser assinado diariamente, de forma a prevenir eventuais alegações de horas extras, que, a partir de agora, devem ser pagas.

E quanto aos funcionários que dormem na residência do empregador, como controlar as horas trabalhadas? A saída é acertar com o funcionário um horário que será considerado como sua jornada de trabalho, respeitando os limites da lei e evitar solicitar algo a ele fora deste horário pré-determinado, pois no entender dos especialistas, se o empregado estiver na residência do empregador, mas não estiver realizando nenhum trabalho, não será considerada hora extra. Entretanto, caso fique à disposição do empregador, tem que ser pago um adicional, outra inovação que a lei trouxe às residências. Dentro desse contexto, as babás e cuidadores de idosos incidiriam em inúmeras horas extras ao dia, que, pela legislação, são limitadas a partir de agora a 2 horas diárias. Assim, para regularizar situações como essas, novas propostas de lei vêm sendo apresentadas pelos parlamentares, mas ainda não há nada definitivo. Na opinião de Fabiano Garcia, a aprovação de uma lei que regulamente esta questão “é não apenas pertinente como necessária”, pois são situações que não estão sendo abrangidas pela nova norma. Importante citar também a obrigatoriedade do pagamento ao funcionário do FGTS, que representa mais uma grande oneração ao bolso do empregador. Antes, a contribuição era facultativa para empregados domésticos, mas, com a nova lei, passou a ser obrigatória. Contudo, como a legislação não regulamentou ainda como este pagamento deverá ser feito. A obrigatoriedade só passará a valer após a edição de uma nova norma, que regule a questão.

61


CASA legislação

Confira um resumo das principais mudanças na nova lei: FGTS Incidirá sobre o salário do empregado, mas ainda depende de regulamentação.

Jornada de trabalho 44 horas semanais, sendo 8 durante a semana e 4 aos sábados. Pode haver compensação, mas deve ser feita por escrito. Horas trabalhadas a mais devem ser pagas como horas extras, limitando-se a 2 horas diárias.

Cuidadores de idosos e babás Ainda não há regulamentação específica para eles, mas há projetos que flexibilizam a jornada.

intervalo durante a jornada de trabalho Para quem trabalha 8 horas, o intervalo deve ser de 1 a 2 horas e para quem trabalha 6 horas, de 15 minutos.

Demissão sem justa causa O empregador passa a arcar com uma multa de 40% sobre o valor depositado do FGTS, como já acontecia com os trabalhadores não-domésticos.

62

Funcionária mensalista X diarista Com todas essas novas regras, será que não vale a pena demitir a funcionária mensalista e contratar uma diarista? Esta decisão cabe a cada família, mas os advogados consultados advertem para tomar cuidado com a periodicidade: a grande maioria das decisões da Justiça do Trabalho determinam que o trabalhador que presta serviços por três vezes na semana ou mais para o mesmo empregador possui vínculo empregatício e deve ser registrado, com todos os benefícios garantidos pela lei. Assim, para quem deseja fazer essa troca, é importante saber: o trabalho da diarista não deve exceder duas vezes na semana. Embora existam decisões determinando vínculo empregatício mesmo com essa periodicidade menor, o conselho é que não sejam ultrapassados os dois dias.


No seu próximo lançamento escolha uma agência que une comunicação integrada à inteligência de mercado como nenhuma outra. Curitiba | Londrina | São Paulo www.trademkt.com.br | 41.3352-9678

63


VIDA segurança

Viagens em família?

Atenção com a segurança!

Aprenda quais são as normas de segurança adequadas para viagens de carro em família

A família de Pedro Bom é enfática com os filhos: “em qualquer saída de casa, usamos as cadeirinhas no carro. Eles estão acostumados desde pequenos a usá-las e hoje sabem que, para sairmos, só irão desta forma”, comenta a mãe, Camila.

64


D

urante todo o ano, nada é mais esperado pelas crianças do que as férias escolares, principalmente quando envolvem viagens em família. Passeios para a praia, interior ou, ainda, para lugares novos ao lado de pais e irmãos são momentos que ficam na memória para toda a vida.

Assim, para famílias com crianças, a medida mais adequada é a instalação de cadeirinhas e assentos de segurança. Esses dispositivos, que devem ser adquiridos com certificação pelo Inmetro, e instalados sempre conforme indicação do manual, diminuindo o risco de morte em até 71%, segundo dados do site da ONG Criança Segura.

Entretanto, para que nada estrague esses momentos tão marcantes, é essencial que a família não se esqueça do mais importante: a segurança. Uma das principais causas de morte e hospitalização no país, os acidentes de trânsito poderiam ser evitados em muitos casos mediante a observação de medidas simples de proteção.

Um grande erro dos pais é não utilizar a cadeirinha quando o deslocamento será muito curto, levando o filho no colo ou mesmo sentado no banco do carro. Entretanto, Lia

Gonsales, coordenadora de mobilização da ONG Criança Segura, ressalta que “o uso da cadeirinha é o único modo de proteger a criança e, independente do caminho ou da velocidade, seu uso é essencial, pois muitos acidentes acontecem justamente em trajetos curtos, próximos de casa, quando estamos mais distraídos”. Além disso, segundo a especialista, há pesquisas que comprovam que, mesmo andando a 30 km/h, os danos a uma criança em um acidente podem ser gravíssimos.

Fotos: Patrícia Lion

A primeira precaução diz respeito ao transporte de crianças. Até completarem sete anos e meio, os pequenos devem estar, obrigatoriamente, no banco de trás e acomodados em dispositivos adequados à sua idade, segundo norma do Conselho Nacional de Trânsito – Contran. Essa providência é relacionada, principalmente, à proteção oferecida pelo cinto de segurança: o equipamento foi projetado para funcionar com pessoas que tenham, no mínimo, 1,45 m de altura, não protegendo, portanto, crianças menores.

A n i m a i s de est i m a ç ã o e o u t r os a p a r a tos a bo r do Outras medidas de segurança também devem ser observadas pela família. O cãozinho vai viajar junto? Então nada de levá-lo no colo ou, pior, com a cabeça para fora da janela. Animais soltos dentro do veículo podem se agitar com um imprevisto, como latidos de outro cachorro na rua, distraindo a atenção do motorista e aumentando muito o risco de um acidente. Além disso, em casos de uma freada brusca ou de uma batida, o animal e os outros ocupantes do veículo podem se ferir gravemente, podendo até mesmo causar a morte de uma pessoa que esteja à sua frente se o cão for de grande porte. Quanto à janela aberta, apesar de muitos animais gostarem do vento batendo no focinho, há o risco de pularem do carro em movimento ou de caírem da janela em uma manobra inesperada ou em uma curva, alerta o veterinário Alison M. Festa. O profissional

ainda dá outra recomendação: “no verão, nunca deixe seu cachorro no carro com as janelas fechadas. Animais têm mais dificuldade para trocar calor do corpo do que humanos e mesmo que o período seja curto, pode causar até mesmo a morte do cão”. Dessa maneira, para evitar riscos e multas de trânsito – tendo em vista que o Código de Trânsito proíbe que o condutor trafegue com animal entre si e a porta e entre seus braços e pernas, vedando ainda transportar animais na parte externa do veículo – a família deve prender seu bichinho de estimação em um cinto de segurança especial para pets ou transportá-lo dentro de caixas, sempre no banco traseiro do veículo. As bicicletas da família, também serão levadas na viagem? Então fique atento para as normas do Contran: a Resolução 349/2010 determina que o objeto deverá ser transportado atrás

do carro ou no teto, sempre fixado em um suporte, a ser instalado conforme as normas do fabricante. E se a bagagem não couber no porta-malas e a família tiver de levar um bagageiro adicional? A mesma resolução adverte que o equipamento não pode ultrapassar 50 centímetros de altura e suas dimensões não podem ser maiores que o tamanho do veículo. Em ambos os casos, a norma é clara: tanto a bicicleta quanto o bagageiro devem ser instalados de forma que não atrapalhem a visibilidade do condutor, não comprometam a estabilidade do carro, não provoquem ruído ou poeira e não ocultem as luzes do veículo, não excedendo, em nenhum dos casos, o comprimento e a largura da parte superior do carro. Caso a placa traseira fique encoberta, é obrigatório o uso de uma segunda placa de identificação no veículo.

65


DICA bairros

Vida ao ar livre

Conheça opções de lazer junto à natureza na Zona Norte de Curitiba

D

izem que para ser perfeita, só faltou existir praia em Curitiba. Sem mar nem areia, um dos programas preferidos do curitibano e de quem habita a capital paranaense é visitar parques e bosques. Para tanto, opções não faltam! Curitiba é a cidade brasileira onde a Mata Atlântica é melhor preservada. São 26 parques e cerca de 81 milhões de m² de área verde. Conhecida nacionalmente como Capital Ecológica, termo bastante usado durante os anos 90, tem o equivalente a 55m² de área verde por habitante, número três vezes superior ao índice recomendado pela Organização Mundial de Saúde (OMS), de 16m². Com tanto verde, a cidade apresenta opções para todos os gostos, em todos os lados. Na Zona Norte, por exemplo, existem muitos espaços interessantes ao ar livre para praticar esportes com os amigos, caminhar com a família, ler um bom livro ou apenas relaxar próximo à natureza. Inaugurado na década de 80, o Parque General Iberê de Mattos, mais conhecido como Parque Bacacheri, conta com pista de cooper e ciclovia, que ficam em volta de um lago com 22 mil m², canchas de areia, equipamentos de ginástica, playground e até uma lanchonete no local. Bem próximo ao Aeroporto do Bacacheri, localizado no bairro homônimo, o Parque recebe centenas de visitantes e curiosos que desejam conferir as acrobacias das aeronaves que transformam o céu de Curitiba em um show à parte durante os dias de apresentação da Esquadria da Fumaça.

66

No bairro Boa Vista, sentir a mata nativa é possível com uma visita ao Bosque Dr. Martim Lutero, popularmente chamado de Bosque Boa Vista. São 11.682 m², sendo 7 mil m² de mata de araucárias remanescente da região. Churrasqueiras, canchas poliesportivas e um parque infantil fazem do bosque uma extensão da casa dos moradores da região e visitantes. Outra dica de lazer na Zona Norte é o Bosque João Carlos Hartley Gutierrez, no bairro Vista Alegre. Inaugurado em 1989, situa-se numa das regiões mais elevadas da cidade e conta com dois pequenos e charmosos lagos. Com uma área total de 36 mil m², que foi preservada por João Carlos Gutierrez, o local tem uma trilha ecológica e abriga o memorial ao líder seringueiro Chico Mendes, morto em Xapuri, no Acre. Inclusive, uma cópia da carta de Chico Mendes enviada ao juiz de Xapuri foi gravada em pedra, junto a uma fonte de água mineral, que jorra no Bosque. Mais conhecidos e bastante visitados, os parques Tanguá e Tingui completam as opções para quem busca espaço e liberdade.

Inaugurado em 1996, entre os municípios de Curitiba e Almirante Tamandaré, em uma antiga pedreira às margens do Rio Barigui, o Parque Tanguá abriga uma bela cascata e o Jardim Poty Lazzarotto, que homenageia o artista plástico curitibano (1924-1998) cuja obra está espalhada pelas áreas públicas da cidade. Também às margens do Rio Barigui está o Parque Tingui, nome de uma tribo indígena que habitava a região de Curitiba na época da sua fundação. Segundo a lenda, o cacique tingui Tindiquera (cuja estátua ornamenta a entrada do parque, na Av. Fredolin Wolf) indicou aos fundadores o local onde deveria ser construída a cidade. Parte do terreno do Parque Tingui foi doado pela Paysage Condomínios Diferenciados e pela empresa Novo Parque. Para os amantes da região, em breve a Paysage deve lançar novos condomínios horizontais na Zona Norte de Curitiba.


Vaca Cherry ou Rio Pequeno?

Fotos: Cesar Brustolin

Uma das lendas curitibanas da Zona Norte envolve o nome do bairro Bacacheri. A região era povoada por imigrantes de diversas nacionalidades, que lá criavam seus animais e cultivavam o campo. Um certo dia, um colono de nacionalidade francesa perdeu sua vaca mais querida, a Cherry, e saiu a sua procura perguntando: “Alguém viu minha vaca Cherry?”. O sotaque do camponês fez com que as pessoas entendessem que ele procurava a ‘baca cherry’, e, assim, o bairro ganhou este curioso nome. Outra vertente para a origem do nome é do historiador Ermelino de Leão, que diz que a palavra é da língua tupi e significa “rio pequeno”, em referência ao Rio Bacacheri que passa pelo bairro.

Respire ar puro! Bosque Boa Vista Rua Holanda, esquina com Rua Vicente Ciccarino.

Bosque Gutierrez Rua Albino Raschendorfer, bairro Vista Alegre.

Parque do Bacacheri Rua Paulo Nadolny.

Parque Tanguá Rua Oswaldo Maciel, s/ n° – Taboão.

Parque Tingui

Mais informações sobre os parques e bosques de Curitiba com Secretaria Municipal do Meio Ambiente: (41) 3335 2112 ou parquesepracas@smma.curitiba.pr.gov.br

Av. Fredolin Wolf, s/ n° Cascatinha/Pilarzinho/São João.

67


MOTIVOS

Quais motivos te levaram a morar em um

condomínio Paysage?

Rodrigo Cordeiro dos Santos e a esposa, Ledyvânia Franzotte Condomínio Paysage Álamos “Eu e minha esposa morávamos em um apartamento e sonhávamos em morar em uma casa. Porém, fatores como segurança e localização sempre vinham à tona quando conversávamos sobre esse assunto. Por indicação de amigos e diversas pesquisas, encontramos, ainda em pré-lançamento, o condomínio Paysage Álamos. A localização

68

desse condomínio, muito próximo do centro da cidade, as diversas estruturas de lazer (parques, shoppings, restaurantes) e ao nosso local de trabalho superava nossas expectativas. A área comum do condomínio, com amplo espaço, piscina, quadra esportiva, academia e espaço gourmet, mostrava a preocupação da construtora em oferecer

uma estrutura semelhante a encontrada no conceito de condomínio-clube. Além desses fatores, a área verde que rodeia o condomínio, a segurança de um condomínio fechado e o custo de construção, comparado ao custo de um apartamento, preencheram os requisitos para que comprássemos um lote neste empreendimento.”


Vital Cassol da Rocha Condomínio Paysage LAS PALMAS

“Eu e minha família, esposa e dois filhos, já morávamos em uma casa em condomínio fechado, mas acabamos nos mudando para um apartamento e não nos acostumamos. Mesmo sendo mais trabalhoso morar em uma casa, nos sentimos mais livres e menos limitados. Morar em um condomínio fechado oferece mais liberdade para passear ao ar livre e possibilita um maior contato com a vizinhança. Como somos do interior, a vida em condomínio oferece uma maior interação com os vizinhos para conversar e conviver. A estrutura de lazer, como piscina e área verde, e a segurança também contribuíram para nossa escolha. Um dos fatores decisivos para escolher morar no Paysage Las Palmas foi a proximidade do centro da cidade e da Linha Verde, além de ser perto do meu trabalho e da faculdade dos meus filhos.”

Fotos: Patrícia Lion

“Sempre tive o sonho de morar em uma casa e tinha a preferência por morar em um condomínio fechado, pois traz mais segurança para mim e para minha família. Além, é claro, da vantagem que é comprar o terreno e construir a casa à sua maneira. Há algum tempo procurava um bom condomínio para fazer este investimento e o Paysage Privilege uniu tudo o que eu procurava. O condomínio possui uma boa infraestrutura de lazer com piscina, área verde, quadra de esportes e academia. Sua localização, próxima de tudo, e o padrão das casas já construídas também foram importantes para minha escolha. Estou finalizando o projeto da casa e pretendo em, no máximo um ano, morar no Privilege.”

Milton Gomes Condomínio Paysage Privilege

“Depois de morar em vários tipos de residência, como apartamento, casa e hotel, tive a oportunidade de morar em um condomínio fechado e não pensei duas vezes. Primeiramente pela oportunidade de construir minha casa do meu jeito, depois pela segurança que um condomínio proporciona, o silêncio para dormir, a liberdade de sair de casa sem me preocupar se esqueci ou não a porta fechada ou aberta, pois acredito que pessoas que moram em condomínios não possuem esse tipo de preocupação com os vizinhos. Além do clube que você tem disponível sem sair casa, como academia, piscina, espaço gourmet e a churrasqueira para fazer eventos. Tudo isso, eu nunca tive nos lugares onde morei, portanto não tinha como dizer não a essa oportunidade.”

Ribamar José e Marcia Regina Denis Condomínio Paysage Privilege

69


ENTREGAS

A diferença entre

morar e viver Confira como foi a entrega dos últimos condomínios da Paysage, em Curitiba. Os futuros moradores foram recebidos em clima de festa e puderam conferir toda a infraestrutura que está a disposição das famílias que optaram em viver em um Paysage Condomínios Diferenciados.

Entrega 10 de agosto de 2013

70


Entrega 15 de SETEMBRO de 2012

Entrega 25 de AGOSTO de 2012

71


INSTITUCIONAL

A profissionalização

dos negócios em família 72

Conheça as empresas que fazem parte do Grupo Paysage


D

uas principais áreas de atuação, serviços e empresarial, formam o Grupo Paysage. Os empreendedores irmãos Valmir e Jacó Moacir Maran deram início aos negócios que hoje contam com uma infinidade de funcionários, colaboradores e sócios em diferentes empresas. Eles começaram a trilhar suas carreiras em 1976, com a Consult – Consultoria Contábil e Tributária, um simples escritório que se transformou numa das empresas de consultoria contábil e tributária mais conceituadas no competitivo e globalizado mercado existente. Com sede em Curitiba, a Consult expandiu sua atuação com a abertura de um escritório em Cascavel, que atende clientes de toda a região Oeste do Brasil, desde o Rio Grande do Sul até o Acre. No início das atividades, Valmir dedicou-se ao ramo tributário do Direito, fazendo suas defesas fiscais de forma individual. Em 1991, foi criada a sociedade de advogados Maran, Gehlen & Advogados Associados que, além de atender as demandas tributárias, trabalha com as áreas do Direito Cível, Comercial, Administrativo, Ambiental, Societário, Trabalhista e Previdenciário com escritórios em Curitiba, Cascavel e Guarapuava. Em 1996, a importante Associação Internacional de Consultoria e Auditoria Russell Bedford Internacional, com sede em Londres (Inglaterra), foi procurada pela Consult que tinha como objetivo fazer parte dessa instituição, tendo em vista a prestação de serviços às indústrias multinacionais que estavam se instalando na Cidade Industrial de Curitiba. Diante da expansão dos serviços e da possibilidade de participar da prestação de serviços para órgãos estatais, atendendo às exigências das diversas organizações classistas e a legislação vigente, houve a necessidade de desmembramento da Consult em outras sociedades. Assim, passaram a existir as empresas de Consultoria, de Auditoria e de Advocacia. Com essas alterações nominais, a Consult Auditoria passou a chamar Russell Bedford Brasil. Identificando as novas demandas e tendências de mercado, em meados do ano 2000 foi constituído o departamento de Consultoria em Gestão dentro da Consult. Os responsáveis por esse novo departamento tinham como missão desenvolver a área de Gestão no Sul do país, com uma metodologia de trabalho capaz de agregar valor aos clientes. A partir de 2009, por questões estratégicas e também de mercado, a Gestão passou a atuar em conjunto com a área de Tecnologia de Informação, a fim de explorar as crescentes demandas geradas pela necessidade de complementação dos serviços prestados por ambas as áreas. Atualmente, a Consult soma cerca de 140 funcionários e clientes de abrangência nacional. É uma sociedade de profissionais competentes e preparados para suceder seus sócio-fundadores.

73


INSTITUCIONAL

Expansão dos negócios Ramo empresarial e imobiliário Com os resultados obtidos nas atividades profissionais citadas, os irmãos Maran resolveram diversificar os negócios investindo na compra de terrenos. Foi assim que, em 1991, adquiriram o local onde hoje está localizado o Shopping Jardim das Américas, em Curitiba. Fundado em 1997, em sociedade com parceiros de outros negócios, o shopping está em constante ampliação. De 120 lojas, passou a contar com 155 em 2012, além de mais uma loja âncora, um mega salão de beleza e mais duas salas de cinema. Para 2013, um edifício de garagens será construído ao lado do shopping, interligado por uma passarela, aumentando, assim, a capacidade de vagas de estacionamento. O Jardim das Américas tem um fluxo médio de 450 mil pessoas por mês. Com a expertise adquirida na administração de shoppings, o Grupo Paysage também compõe o grupo que empreende o que promete ser o maior centro comercial do Paraná, o Jockey Plaza Shopping Center, com inauguração prevista para o final de 2015, em Curitiba. “O crescimento das cidades leva, consequentemente, à expansão do mercado de shopping centers. Como já temos investimentos e experiência nessa área, passamos a desenvolver com nossos parceiros novos projetos, com o objetivo de aumentar a linha de participação do Grupo Paysage no segmento”, afirma o consultor da divisão Shopping Center da Paysage, Luiz Antonio Müller Lameira. Dados da Associação Brasileira de Shopping Centers (Abrasce) confirmam o excelente desempenho desses empreendimentos no país. De acordo com a instituição, em 2013 haverá um recorde de inaugurações, com novos centros em 41 cidades e, em 2014, serão mais 32. Relatório recente da consultoria A.T. Kearney, que desde 2002 mede a preferência de investidores de grandes empresas em relação às economias mundiais, revela ainda que o Brasil foi eleito pelo terceiro ano consecutivo como o país mais atraente para investimentos no mercado de varejo. O investimento em compras de terrenos não parou nos shoppings. Assim, nasceu a empresa Paysage Condomínios Diferenciados, em 1994. Preocupada em oferecer mais do que um lugar para morar, a Paysage está sempre em busca de novos conceitos para empreendimentos exclusivos

74

e inovadores. Para isso, reúne os melhores profissionais de arquitetura, paisagismo, decoração, engenharia e meio ambiente, capazes de transformar cada empreendimento em um grande sucesso. Com investimentos em condomínios fechados, loteamentos, apartamentos e shopping centers, a Paysage conta com mais de de 14 milhões de m² para futuros lançamentos imobiliários. Consolidada na capital paranaense com 37 empreendimentos entregues e cerca de 60 funcionários, tem sua sede principal em Curitiba e um escritório em Balneário Camboriú (SC). Em 2013, está presente em 16 cidades nos dois estados. Além de condomínios horizontais de alta qualidade, a nova proposta da Paysage são os bairros planejados com projetos, inicialmente, em Londrina (PR) e Palhoça (SC). “De uma empresa familiar, a Paysage vislumbrou novos mercados de atuação para alcançar um novo patamar de profissionalismo. Para estruturar essas novas oportunidades, estamos criando novas frentes de atuação e também contratando novos executivos”, explica o diretor da Paysage Condomínios Diferenciados, Juliano Maran. Segundo ele, a Paysage lança uma média de 2 a 3 condomínios horizontais fechados em Curitiba por ano e tem um land bank (estoque de terras) para manter este número de lançamentos nos próximos 10 anos. “A valorização dos terrenos continua acentuada, principalmente em condomínios que contam com boa localização e infraestrutura. Hoje, em Curitiba, um apartamento em bairro nobre com 200 m² custa mais de R$ 1 milhão. Nosso cliente, ao adquirir um terreno, tem a opção de construir a casa nos moldes que deseja, no mesmo tamanho citado e vai gastar em torno de R$ 640 mil”, exemplifica. No ramo imobiliário, o Grupo Paysage também tem participação nas empresas Pine Ville e Ambiance, com foco em loteamentos para classe B e C e centros comerciais multiuso. Os municípios da região metropolitana de Curitiba, Colombo e São José dos Pinhais são áreas em estudo para esses novos negócios.


Mercado imobiliário

SOCIEDADES PROFISSIONAIS

ShoppingS

NEGÓCIOS em TI

SERVIÇO Consult Consultoria Empresarial (41) 3350-6017 Jockey Plaza Shopping Center (41) 3091-5226 Maran & Gehlen (41) 3350-6011 Paysage Condomínios Diferenciados (41) 3091-5200 Santa Catarina (47) 3363-7900 Russell Bedford Brasil (41) 3350-6000 Shopping Jardim das Américas (41) 3366-5885 ConsultCorp (41) 3350-6151 (11) 5096-3047 Cathedra (41) 3350-6116

75


VIDA

Cascavel

Ruas e avenidas largas e bairros bem distribuídos Cidade conhecida como capital do Oeste paranaense tem topografia privilegiada e, em breve, vai receber um Condomínio Paysage

C

ascavel é conhecida como a capital do Oeste paranaense por ser o polo econômico da região e um dos maiores municípios do estado. Uma cidade jovem e promissora com cerca de 300 mil habitantes. Destaca-se como polo universitário, com mais de 21 mil estudantes em sete instituições de ensino superior. É também referência na medicina e na prestação de serviços. Seu comércio e grande infraestrutura industrial e de serviços demonstram toda a grandiosidade tecnológica da cidade. As forças que tornaram Cascavel um polo regional também estão ligadas ao agronegócio, desde a presença de culturas agroindustriais como o soja e o milho, passando pela comercialização, até o desenvolvimento da oferta de serviços cada vez mais especializados. Somente no setor de avicultura, um dos mais expressivos da região, mais de 2 milhões de aves são abatidas diariamente. A topografia privilegiada da região facilitou seu desenvolvimento e permitiu a construção de ruas e avenidas largas e bairros bem distribuídos. É nesta cidade que a Paysage Condomínios Diferenciados deve estar presente em breve com o Condomínio Felicitá. O projeto é uma parceria com a empresa Rodobens, de São Paulo, e deve ser lançado ainda em 2013. São 277 lotes, de 200 m² cada um, destinados para construção de casas de alto padrão. Entre os lotes existem corredores de ventilação e iluminação que foram projetados pensando no bem-estar e na privacidade dos moradores. “Nas áreas comuns do condomínio, prezamos por um projeto voltado para atender os moradores de uma cidade com clima quente como Cascavel. Com espaços livres e abertos, os futuros moradores poderão desfrutar de um salão de festas multiuso, piscina externa, quadras poliesportivas, inclusive para prática de tênis, além de uma miniquadra de futebol de grama”, conta o responsável pelo projeto urbanístico do Felicitá, o arquiteto Noguemar Nogueira Júnior. O plantão de vendas do Condomínio Felicitá será na Av. das Torres, 200 - Santa Cruz/FAG, em Cascavel.

76


Linha do tempo Confira como se deu o povoamento da área do atual município de Cascavel:

Final da década de 1910 Auge do ciclo da erva-mate com o povoamento de colonos caboclos e descendentes de imigrantes eslavos.

1928 A vila começou a tomar formas com novas terras localizadas no entroncamento de várias trilhas abertas por ervateiros, tropeiros e militares que proporcionaram a chegada de novas pessoas e investimentos.

Década de 1930 Início do ciclo da madeira, que atraiu grande número de famílias de Santa Catarina e Rio Grande do Sul e colonos poloneses, alemães e italianos, que juntos formaram a base populacional da cidade.

1934

Escolha do nome O termo “cascavel” origina-se de uma variação do latim clássico “caccabus”, cujo significado é “borbulhar d’água fervendo”. Segundo a lenda, o nome surgiu de um grupo de colonos que, pernoitando nos arredores de um rio, descobriram um grande ninho de cobras cascavéis, denominando então o local como “Cascavel”. A sonoridade do guizo originou o nome da serpente: do latim “tintinnabulum”, literalmente “o badalar do chocalho”. Símbolo de poder e sabedoria, a serpente era cultuada na antiguidade.

Foi criado o distrito policial de Cascavel. Posteriormente, instalou-se o distrito judiciário e administrativo, todos integrantes do município de Foz do Iguaçu.

1938 A localidade foi alçada à condição de sede de distrito administrativo, nos termos da Lei n.° 7.573.

77


PAYSAGE condomínios

LANÇAMENTOS

MAIS INFORMAÇÕES: 41 3091-5200 | www.paysagecondominios.com.br

BAIRRO PLANEJADO: TERRENOS DE RUA OU EM RESIDENCIAL FECHADO A PARTIR DE 250 M² Av. dos Pioneiros, Km 6, Londrina/PR • Infraestrutura: asfalto, rede de esgoto, guia extrusada • Sustentabilidade: parque linear • Mobilidade: ciclovia

• Conveniências

• Piscina

• Quadra poliesportiva

• Espaço gourmet

• Brinquedoteca

• Salão de festas

• Playground

• Fitness Center

• Salão de jogos

O empreendimento foi registrado sob R8 da matrícula 35.979 do Cartório de Registro de Imóveis do 3º Ofício de Londrina - Paraná, em cumprimento ao estabelecido na Lei nº 6.766/79. Projeto aprovado sob nº de ordem nº 783, de 12 de novembro de 2012 pela Prefeitura Municipal de Londrina. O Loteamento foi aprovado e registrado com o nome Paysage Terra Nova e para fins de comercialização será chamado de Parque Tauá Paysage.

BAIRRO PLANEJADO: 571 LOTES SERÃO COMERCIALIZADOS NA 1ª FASE DO PROJETO (COMERCIAIS E RESIDENCIAIS) José João Barcelos, 375, Bela Vista, Palhoça/SC • Infraestrutura: asfalto, rede de esgoto, guia extrusada • Mobilidade: ciclovia, praças equipadas, fácil acesso ao Centro da cidade • Conveniências • Sustentabilidade

Creci F 18338 – Matrícula: 22.488 (RI de Palhoça)

78


CASAS COM 3 E 4 DORMS. OU TERRENOS A PARTIR DE 200m² Estrada das Olarias, 550, Atuba, CURITIBA/PR • Próximo ao Condor e Terminal Santa Cândida • Portaria, Fitness Center, Piscina • 2 Playgrounds, 2 Salões de Festas com Espaço Gourmet decorado e Sala de Jogos • Quadra Esportiva, Campo de futebol de grama • Espaço Jovem, Brinquedoteca Matrícula: 27.962 da 2º Circunscrição. Imagens ilustrativas, sujeitas a alteração de projeto.

evergreen CONDOMÍNIO ECOLÓGICO: TERRENOS DE 450 A 650M² Av. Fredolin Wolf, 3121, CURITIBA/PR • A 1 minuto do Parque Tingui • Portaria, Fitness center • Piscina coberta e aquecida • Playground, Quadra esportiva • Salão de Festas com Espaço Gourmet decorado • Bosque Nativo de 33.263 m²

CRECI 17888 PR – Matrícula: 78.690 da 9º Circunscrição. Imagens ilustrativas, sujeitas a alteração de projeto.

79


PAYSAGE condomínios

PRONTOS PARA CONSTRUIR

MAIS INFORMAÇÕES: 41 3091-5200 | www.paysagecondominios.com.br

TERRENOS DE 205 A 446M² Rua Alexandre Von Humboldt, 695, CURITIBA/PR • Próximo ao Jardim Schaffer e Parque Tanguá • Portaria, Fitness center • Piscinas adulto e infantil cobertas e aquecidas • Playground, Salão de Jogos e Quadra Esportiva • Salão de Festas com Espaço Gourmet decorado • Bosque nativo de 13.631 m2 CRECI 17888 PR - Matrícula: 27.962 da 2º Circunscrição. Imagens ilustrativas, sujeitas a alteração de projeto.

TERRENOS DE 2.366 A 5.980 m² DE ÁREA ÚTIL Rua Luiz Tramontin, 1333, Campo Comprido, CURITIBA/PR • Piscinas adulto e infantil, aquecidas e cobertas, Sauna • Quadra Poliesportiva, Fitness center equipado • Salão de Festas e Espaço Gourmet • Bosque preservado • Rede elétrica, telefônica e de gás subterrânea • Portaria 24h com cerca elétrica e monitoramento CRECI 17888 PR – Matrícula: 129.482 da 8° Circunscrição. Imagens ilustrativas, sujeitas a alteração de projeto.

80


TERRENOS DE 200 A 344m² DE ÁREA ÚTIL Rua Carlos Chagas, 537, São Braz, CURITIBA/PR • Próximo a Rua Toaldo Tulio e Rua Antonio Escorsin • Portaria, Fitness center • Piscina, Playground • Salão de Festas com Espaço Gourmet decorado • Quadra Esportiva, Bosque Nativo de 2.164 m² CRECI 17888 PR – Matrícula: 149.404 da 8º Circunscrição. Imagens ilustrativas, sujeitas a alteração de projeto.

TERRENOS DE 505 A 1.119 m² DE ÁREA ÚTIL RUA ARI JOSÉ VALLE, 1000, SANTA FELICIDADE, CURITIBA/PR • Piscinas adulto e infantil aquecidas, Quadra poliesportiva • Salão de Festas e Espaço Gourmet • Lago e cascata, Brinquedoteca • Trilha de caminhada, Bosque preservado • Churrasqueira, Pista de Skate e Pomar • Quiosques com churrasqueiras • Sauna e Quadra de padle • Rede elétrica, telefônica e de gás subterrânea • Portaria 24h com cerca elétrica e monitoramento

CRECI 17888 PR – Matrícula: 77.968 da 9° Circunscrição. Imagens ilustrativas, sujeitas a alteração de projeto.

81


PAYSAGE condomínios

MAIS INFORMAÇÕES: 41 3091-5200 | www.paysagecondominios.com.br LANÇAMENTO

PROJETO ÚNICO NA CIDADE DE JOINVILLE: TERRENOS A PARTIR DE 240m² Bairro Vila Nova, Joinville/SC • Portaria, Fitness center • Piscina, Espelho d’água • Playground, Brinquedoteca, Quadra esportiva • Sala de Cinema, Salão de Festas com Espaço Gourmet decorado

Creci F 18338 - Matrícula: 107.627 (1° RI de Joinville) / Imagens ilustrativas, sujeitas a alteração de projeto.

BREVE LANÇAMENTO

TERRENOS A PARTIR DE 300 M² DE ÁREA ÚTIL Em Balneário Camboriú • Portaria automatizada, cerca elétrica, muros altos • Piscina adulto e infantil, Bar molhado • Salão de Festas e Espaços Gourmet equipados • Sauna, Fitness • Bosque, Playground • Sala de Jogos, Campo de futebol • Ruas asfaltadas, rede de água e esgoto, rede elétrica subterrânea

82

Creci F 18338 - Matrícula: 41.966 (2° RI de Balneário Camboriú) / Imagens ilustrativas, sujeitas a alteração de projeto.


S A N TA C ATA R I N A

PRONTO PARA CONSTRUIR

TERRENOS DE 350 A 476 m² DE ÁREA ÚTIL COM FÁCIL ACESSO PELA BR 101, A 3 MINUTOS DA PREFEITURA DE CAMBORIÚ • Portaria automatizada e 24h • Cerca elétrica em todo o perímetro • Salão de festas decorado com Espaço Gourmet equipado • Salão de Jogos, Fitness Center • Campo de Futebol de grama • Playground, Piscina adulto e infantil

Creci F 18338 - Matrícula: 06590 (1° RI de Balneário Camboriú) Imagens ilustrativas, sujeitas a alteração de projeto.

BREVE LANÇAMENTO

Loteamento Terras Altas TERRENOS A PARTIR DE 300 M² EM CAMBORIÚ/SC, A 2 MINUTOS DO CENTRO • Região valorizada livre de inundações • Infraestrutura completa

Creci F 18338 - Matrícula 10.973, 10.974, 10.975 (RI de Camboriú)

83


BREVES LANÇAMENTOS

PAYSAGE condomínios

_Paraná

ABRANCHES TERRENOS A PARTIR DE 150m²

SANTA CÂNDIDA TERRENOS A PARTIR DE 140 m²

UMBARÁ TERRENOS A PARTIR DE 120m²

Santa Felicidade TERRENOS A PARTIR DE 300 m²

weekend

• Portaria 24 horas

• Salão de festas, Fitness Center

• Piscinas adulto e infantil

• Quadra esportiva

• Playground • Portaria 24 horas

• Salão de festas, Fitness Center

• Piscinas adulto e infantil

• Quadra esportiva

• Playground • Portaria 24 horas

• Salão de festas, Fitness Center

• Piscinas adulto e infantil

• Quadra esportiva

• Playground • Portaria 24 horas

• Salão de Festas Gourmet

• Piscinas adulto e infantil

• Fitness Center

• Playground, Brinquedoteca

• Quadra esportiva

• Portaria

• Garage band, Brinquedoteca

• Piscina adulto e infantil coberta e aquecida

• Salão de festas com Espaço gourmet

• Piscina externa

Terrenos a partir de 700 m²

COLOMBO Terrenos a partir de 200 m²

CASCAVEL / PONTA GROSSA

• Playground, Sala de jogos, Espaço cinema

• Fitness Center • Quadra poliesportiva, 2 quadras de tênis • Bosque nativo

• Portaria 24 horas

• Salão de festas, Fitness Center

• Piscinas adulto e infantil

• Quadra esportiva

• Playground • Portaria 24 horas

• Salão de festas, Fitness Center

• Piscinas adulto e infantil

• Quadra esportiva

• Playground

_SANTA CATARINA

BALNEÁRIO CAMBORIÚ TERRENOS A PARTIR DE 280 M²

CAMBORIÚ

• Portaria 24 horas

• Salão de festas

• Piscinas adulto e infantil

• Fitness Center

• Playground, Brinquedoteca

• Quadra esportiva

• Apartamentos a partir de 60 m² • Terrenos a partir de 300 m²

APARTAMENTOS E TERRENOS

Governador Celso Ramos TERRENOS A PARTIR DE 550 M² 84

• Portaria 24 horas

• Salão de festas

• Piscinas adulto e infantil

• Fitness Center

• Playground, Brinquedoteca

• Quadra esportiva


PAYSAGE serviços

Encontrou o que você procurava?

Entre em contato conosco! Paysage Condomínios_ Paraná Rua Mateus Leme, 1970, Centro Cívico – Curitiba (41) 3091-5200 / www.paysagecondominios.com.br

Paysage Condomínios_ Santa Catarina Edifício Alfa Business, Sala 03, na Terceira Avenida nº 1860, Centro - Balneário Camboriú (47) 3363-7900

_Paraná

Consultores Imobiliários

ANDRé DE LImA

DANIEL GuImARãEs

VANIA RIBEIRO

(41) 8866-4886 andre@paysagecondominios.com.br

(41) 8868-4800 daniel@paysagecondominios.com.br

(41) 8869-8086 vania.ribeiro@paysagecondominios.com.br

ÂNGELA mOTA

EmmANuEL NAssuR

WILsON sANTOs

(41) 8864-0878 angela@paysagecondominios.com.br

(41) 8868-1108 emmanuel@paysagecondominios.com.br

(41) 8868-8152 wilson.santos@paysagecondominios.com.br

ANA PAULA DA COSTA

RODRIGO fERNANDEs

(41) 8856-1922 ana.costa@paysagecondominios.com.br

(41) 8864-8025 rodrigo.fernandes@paysagecondominios.com.br

_santa catarina daiAna moro

LIDIANE TAUBER DE LIMA

(47) 8814-5587 (47) 8814-8381 daiana.costa@paysagecondominios.com.br lidiane@paysagecondominios.com.br

Conheça nossos futuros lançamentos: _PARANÁ Curitiba, Cascavel, Campo Largo, Colombo, Guarapuava, LONDRINA, Pinhais, PONTA GROSSA E SÃO JOSÉ DOS PINHAIS _Santa Catarina Balneário Camboriú, Blumenau, CAMBORIÚ, Governador Celso Ramos, Itajaí, Joinville e Palhoça 85


PAYSAGE serviços

Condomínios entregues e em construção

_Paraná West Side I Rua Luiz Tramontin, 1220, Campo Comprido, Curitiba/PR

Paysage Excellence Rua Aristides Pereira da Cruz, 20, Portão, Curitiba/PR

West Side II Rua Pe. José Kentenich, 106, Campo Comprido, Curitiba/PR

Paysage Curityba Rua Ari José Valle, 1200, Santa Felicidade, Curitiba/PR

**Artur Nisio Rua Carlos Gelinski, 70, São João, Curitiba/PR

Paysage Royale Rua José Benedito Cotolengo, 1161, Campo Comprido, Curitiba/PR

**Alfredo Andersen Rua Pedro Muraro, 55, São João, Curitiba/PR

Paysage Cypress Garden Rua Luiz Tramontin, 1333, Campo Comprido, Curitiba/PR

**João Turin Rua Carlos Gelinski, 71, São João, Curitiba/PR

Paysage Beau Rivage Rua Francisco Parise, 15, Santa Felicidade, Curitiba/PR

**Teodoro de Bona Rua Pedro Muraro, 55, São João, Curitiba/PR

*Pinevillage Av. Pineville, 801, Pinhais/PR

*Pineville Rua Jacob Macanhan, 1202, Pinhais/PR

Paysage Las Palmas Rua Octacir Reynaldo Mion, 532, Xaxim, Curitiba/PR

*Pinefields Av. Pineville, 470, Pinhais/PR

Paysage Hamm Garten Rua Peter Heinrichs, 02, Boqueirão, Curitiba/PR

Monte Pascoal Rua Batista Pecine, 654, Vista Alegre, Curitiba/PR

Paysage Hamm Wald Rua Peter Heinrichs, 01, Boqueirão, Curitiba/PR

****Alphaville GRACIOSA Quatro Barras/PR

Paysage Golden Hill Rua Carlos Chagas, 537, São Braz, Curitiba/PR

Long Fields Rua Eduardo Sprada, 3801, Campo Comprido, Curitiba/PR

Paysage Álamos Rua Des. José Carlos Ribeiro Ribas, 303, Tanguá, Curitiba/PR

*Pinewoods Av. Pineville, 450, Pinhais/PR

***San Lorenzo Home Club Rua Mateus Leme, 3945, Curitiba/PR

West Side III Rua Luiz Tramontin, 1820, Campo Comprido, Curitiba/PR

Paysage Sunrise Estrada das Olarias, 550, Santa Cândida, Curitiba/PR

Paysage Du Parc Rua Domingos Antonio Moro, 439, Pilarzinho, Curitiba/PR

Paysage Di Padova Rua Alexandre Von Humboldt, 695, Pilarzinho, Curitiba/PR

*Pineland Av. Pineville, 1436, Pinhais/PR

Paysage Evergreen Av. Fredolin Wolf, 3121, Tingui, Curitiba/PR

Vitta Bella Rua Ângelo Domingos Durigan, 1242, Cascatinha, Curitiba/PR

Paysage Weekend BR 277, 7291, Riviera, Curitiba/PR

Paysage Provence Rua Luiz Tramontin, 1345, Campo Comprido, Curitiba/PR

PARQUE TAUÁ Estrada dos Pioneiros, km 6, Londrina/PR

Paysage Privillege Rua Aristides Pereira da Cruz, 21, Portão, Curitiba/PR

PAYSAGE FELICITÁ Av. das Torres, 200 -Santa Cruz/FAG, Cascavel/PR

__santa catarina Paysage Mirante Camboriu Rua Joaquim Garcia, 1390, Centro, Camboriu/SC

PARQUE VALE VERDE Rua José João Barcelos, 375, Bela Vista, Palhoça/SC

QUINTE ESSENCE Rua Guilherme Zilmann, 186, Vila Nova, Joinville/SC *Como participante da Nova Pinhais Urbanismo Ltda. | **Como participante do Novo Parque Empreendimentos Imobiliários Ltda. ***Sociedade no empreendimento com a Brookfield Incorporações. | **** Parceiro do Alphaville S/A e Nova Pinhais Urbanismo Ltda.

86


Tecnologia premiada e portfolio completo • Proteção anti-malware para desktops, servidores, laptops, tablets e smartphones • Proteção anti-spam e anti-malware para correios eletrônicos • Segurança para navegação web

*

(41) 3350.6151 | (11) 5096.3047


Revista Paysage 5ª Edição 2013  

Paysage - Bairros Planejados

Revista Paysage 5ª Edição 2013  

Paysage - Bairros Planejados

Advertisement