Page 1

ANO XXII- N.º 67 * JORNAL DO COLÉGIO DE NOSSA SENHORA DE FÁTIMA

LEIRIA

JUNHO DE 2018 2017


A PAZ

Ficha Técnica

Os astros da noite rodopiavam numa ordem imperceptível e silenciosa, lançando um bafo de tranquilidade… a floresta serena e sorridente dançava ao som da música duma natureza que respirava tranquilidade… a frescura da brisa agitava carinhosamente, os ramos esguios e divergentes… um coração de carne, apertava a família num único amor Um dia, a paz que percorria o espaço, é sacudida por um grito imenso de horror… A guerra… o monstro da guerra. As bombas cruzam-se, como flechas mortíferas lançando um terror louco nas vidas vestidas de branco, lançando cinzas sobre os escombros da cidade. Homens contra homens, irmãos contra irmãos, empurrados por um egoísmo sem fronteiras. E tudo, tudo o que resta da esperança calcinada, na corrida louca da vida, são as cinzas, o ódio, a vingança… o vazio… "Caim, onde está o teu irmão? - Sou eu porventura o guarda do meu irmão?" A guerra… a amizade de irmãos em cinzas negras por um egoísmo cerrado. O amor de um homem e de uma mulher rasgados pelo orgulho do coração… a luta pelo teatro da grandeza, dum povo que se ergue, tentando esmagar outro povo… a guerra do homem contra si mesmo por não querer ser o que é… por não querer que o outro seja ele mesmo. Guerra na sociedade, nos países, na família, no coração de cada homem… O Papa Paulo VI, o grande promotor da paz define a paz como a grande tranquilidade da ordem. Trata-se de uma ordem nova e renovada em cada dia, feita de justiça e fraternidade; procurou ele difundir uma pedagogia de paz instiuindo O Dia Mundial da Paz com palavras de ordem: " A Paz é possível" e gritou na ONU." Nunca mais guerra!! Ao longo do ano que passou, sob o tema Conectate, vivemos momentos de tranquilidade maravilhosos como: o musical: Conecta-te; a campanha a favor do Centro de Acolhimento; as festas variadas do 1º ciclo e Pré escolar; a sessão cultural das Escolas " Pela Arte até Maria, A festa de entrega dos quadros de louvor e mérito, etc. etc Lutemos pela paz! Vivamos uma esperança de sol nascente. Acreditemos que um dia voltarão as pombas serenas esvoaçando no ar, as rosas brancas cimentando jardins eternos… A vida de uma harmonia paradisíaca chegará um dia. Amanhã, o homem voltará a ser homem, largando a capa de lobo, humanizando o coração de pedra. Nesse dia, apertará as mãos do irmão branco, vermelho ou amarelo… O abraço da manhã inicial repetir-se-á hoje, amanhã sempre… os homens voltarão a ser irmãos… A alvura da paz será a luz dos corações se tu quiseres, se os homens quiserem…

2

Manuel

Felizes férias

Irmã Maria

Jornal do Colégio de Nª Sª de Fátima Ano XXII - nº 67 junho de 2018

Colaboradores Alunos do Clube de Jornalismo Alice Mota - 5º B Maria Oliveira - 5º B Vasco Ferrão - 5º B Mariana Angélico - 7º B Mariana Monteiro - 8º B Marisol Gomez - 8º B

Coordenação Ir. Maria Manuel Fonseca Prof.ª Susete Rasteiro Prof. Paulo Rosa

Capa e arranjos gráficos Prof. Paulo Rosa

Este exemplar foi totalmente composto, paginado e impresso no Clube de Jornalismo do Colégio Nª Sª de Fátima Leiria


Visita de estudo a Lisboa No dia 12 de abril, os alunos do 8º ano efetuaram uma visita de estudo ao Palácio Convento de Mafra e à Companhia de Te a t r o " O Sonho" em Lisboa. Esta realizou-se no âmbito das disciplinas de Português e História, tendo como principais objetivos: compreender as manifestações do Poder Absoluto em Portugal no século XVIII; caracterizar a arquitetura barroca em Portugal; contactar com a dinâmica da representação teatral e preparar os alunos para o estudo do texto dramático. Os professores acompanhantes foram Joel Valente, Elisete Brás e Susete Rasteiro. Os alunos partiram das piscinas Municipais de Leiria num autocarro contratado para o efeito por volta das 7h45 e chegaram a Mafra às 9h30. A visita guiada ao Palácio de Mafra teve início às 10h e incluiu a sala do trono, a habitação real (com as suas luxuosas salas de estar, quartos e "casa de banho"), a sala de caça, na qual se armazenavam os animais proveniente das caçadas (realizadas junto à tapada de Mafra). Todas as salas (num total de 800) encontram-se distribuídas por duas torres: Norte e Sul. Para além das salas mencionadas, visitaram a emblemática biblioteca, com cerca de 3000 livros dos mais diversos temas. Esta biblioteca é conhecida pela

existência de morcegos, que ajudam na preservação dos livros, uma vez que se alimentam das traças. Puderam ainda ver a esplêndida Basílica de Mafra, na qual D. João V assistia à Eucaristia, ainda que num lugar mais elevado em relação aos outros crentes. Finalizada a visita, os alunos passaram pela loja do Palácio e observaram aves de rapina num dos muitos pátios do Convento. Por volta das 12h30, deu-se a pausa para o almoço, onde todos puderam confraternizar. Seguidamente, dirigiram-se até ao auditório da Companhia de Teatro "O Sonho", situado em Lisboa, onde tiveram a oportunidade de assistir à peça "Aquilo que os olhos veem ou o Adamastor", que teve a duração de 1h. O visionamento desta peça teve como objetivo motivar os alunos para o estudo da obra com o mesmo nome, na disciplina de Português. A viagem de regresso a Leiria decorreu num ambiente de grande animação, tendo tido uma paragem numa área de serviço para lanchar. Os alunos chegaram ao Colégio por volta das18h40, muito alegres pelo excelente dia que l h e s f o i p r o p o r c i o n a d o. A meu ver, esta visita foi muito proveitosa, pois os temas escolhidos foram ao encontro do que seria lecionado no 3.ºperíodo, levando a uma melhor compreensão dos conteúdos e motivando-nos ao seu estudo. João Costa - 8º A

Visita de estudo No dia 5 de fevereiro de 2018, as turmas do 5º ano foram até Lisboa para se divertirem numa visita de estudo espetacular. Primeiro, visitaram o BOUNCE, o local com os melhores trampolins de Portugal. De seguida, foram almoçar a uma praça onde estavam gaivotas e pombos esfomeados. Depois do almoço, dirigiram-se ao museu do Carmo. Com as monitoras imaginaram ser detetives e partiram à descoberta de novos mistérios da História e da Arte. Ao fim do dia, regressaram a Leiria, com a mente cheia de bons momentos! Ana Marta, Leonor Domingues e Patrícia Teló - 5º B

3


Début mai, le collège Nossa Senhora de Fátima, à Leiria, a reçu de nouveau le DELF Scolaire. Cette année, 54 élèves venus de plusieurs écoles du département de Leiria ont réalisé cet examen. L'épreuve a été divisée sur deux jours. Le 2 mai, l'oral - épreuve individuelle. Composée par trois parties: une présentation personnelle, un monologue suivi et une interaction avec l'examinateur sur un sujet tiré au sort. Le 4 mai, l'épreuve collective où les candidats ont dû comprendre un oral répondant aux questions sur le même, répondre aux questions de compréhension écrite sur un texte et faire, également, deux productions écrites. L'évaluation aboutit sur un diplôme officiel du Ministère de L'Éducation Nationale Française qui certifie les connaissances des étrangers en langue française. Ceci représente pour le candidat certains avantages. D'un point de vue personnel, savoir son niveau, d'un point de vue professionnel l'encadrer d'une manière objective et d'un point de vue universitaire une évaluation fiable des capacités linguistiques pour l'admission en université. Eva Vieira e Inês Vieira - 9º A

Interescolas de EMRC No dia 18 de abril os alunos do 5º e 6º anos participaram no IX Encontro Interescolas de EMRC para os alunos do 2º ciclo da diocese de Leiria-Fátima. Foi um dia em grande, cheio de música, animação e atividades pela cidade de Leiria. Os alunos puderam divertir-se, participar num peddy paper pelo castelo e pelos jardins de Leiria e partilhar a boa disposição com colegas de outras escolas. Com o tema "Caminhos da Sé" e tendo em conta a comemoração do centenário da restauração da diocese, o encontro terminou na catedral da cidade com uma oração de envio onde cada escola participante recebeu uma vela comemorativa e uma peça de um puzzle que representa toda a unidade da Igreja. Prof.ª Sara Cruz

Dia da Criança No dia 1 de junho, no âmbito do Dia da Criança, a turma do 6ºA do Colégio Nossa Senhora de Fátima foi à Biblioteca Municipal Afonso Lopes Vieira realizar uma atividade lúdicopedagógica. Os alunos fizeram um dominó com diferentes "Provérbios" que guardaram numa caixa de papel criada para o efeito. Esta atividade foi muito apreciada, pois permitiu trabalhar o vocabulário e conhecer diferentes expressões de sabedoria colhidas pelo povo através da sua experiência.

4

6º A


Teatro Teatro " O Príncipe Nabo" e "Ali Babá e os Quarenta Ladrões" Pela companhia AtrapalhArte No dia 9-03-2018 os alunos do 5º e 6º anos, do Colégio de Nossa Senhora de Fátima, assistiram às peças de teatro "O Príncipe Nabo" e "Ali Babá e os Quarenta Ladrões".

Foi uma forma muito interessante de conhecer as obras e de rever a obra recolhida do livro "As Mil e uma Noites" e mais recentemente reescrita e adaptada por Luc Lefort num livro de leitura obrigatória para o 6º ano. Também foi interessante perceber como 4 atores conseguiam trocar de roupa e cenários com tanta desenvoltura e rapidez para parecer, no caso do "Ali Babá e os Quarenta Ladrões", que eram no mínimo 9 personagens mais alguns ladrões. Os alunos riram-se imenso e também se divertiram muito com o sentido de humor dos atores que, numa parte de improvisação, aproveitaram para dar largas à imaginação. Para quem não leu a obra "Ali Babá e os Quarenta Ladrões", a história fala de um pobre e bondoso lenhador que descobre uma gruta com os tesouros de quarenta ladrões. Os ladrões acabam por descobrir que Ali sabia da

existência da gruta e o livro narra as peripécias dos ladrões para tentar "eliminar" Ali Babá. Ali é sempre salvo pela fiel serva, a Morgana que, no fim da história, acaba por se casar com Nuredine (filho de Ali Babá). E para quem não conhece a obra "O Príncipe Nabo", a história desenrola-se na corte do rei do Castelo da Abundância. Beatriz, sua filha, recusa, pela sexta vez, todos os pretendentes que lhe são apresentados e, para a castigar, o pai oferece a sua mão ao primeiro pretendente que aparece - um músico. A princesa casa com o músico humilde e aprende a trabalhar e a respeitar os que estão à sua volta. No final, descobre que o músico era afinal o Príncipe Austero que, quando percebe que a princesa deixou de ser arrogante e vaidosa, prepara uma festa de casamento no seu palácio e surpreende a rapariga. No fim, tanto os professores como os alunos saíram do teatro muito satisfeitos e a achar que, com atividades como esta, quase se arrisca a dizer que estudar é divertido! Alice Rosa - 6º B

Sonho Sonho é… 1. … algo que nos abre a alma pelo desejo de o concretizar, de lhe chegar mais perto. 2. … aquilo que ansiamos ter ou ser, é um grande desejo para a vida. 3. … uma ambição, um paraíso onde andamos e refletimos as nossas ações e esperanças. 4. … o que nos faz ter imaginação. 5. … uma viagem. 6. … a fé e esperança em alguma coisa. 7. … um objetivo mencionado, o exponente da perfeição, uma coisa boa. 5 8. … algo que se concretiza se nos esforçarmos.


Fashion and body image Fashion and body image are two sensitive themes. Nowadays, people are becoming fashion victims and they care too much about their body image. Fashion is a combination of clothes and accessories which make your look trendier. But fashion (which is normally set by famous people) is always changing and those who have their own style and aren't fashion victims are bullied and called outdated. It's also true that fashion victims spend lots of money on new clothes and sometimes they don't suit them. In our opinion, people should have their own style that makes them feel comfortable, suits their budget and shows who they really are. Body image is basically the way your body is seen by others and by yourself. Sometimes, people are happy with their body but those who try to be perfect like super models and other famous people use strategies like bulimia and anorexia which, in our opinion, are completely harmful and bad for people's health. We think that people should be happy with their body image, as what matters is the inside and not the outside. In conclusion, you should define fashion and fashion shouldn't define you. In addition, you mustn't care about what others say about style and body image because you should always be happy with yourself! 8º A In my opinion, "good life" is all about having friends and family who we can count on, be free, be healthy and live peacefully. For a good life it's also important to follow your dreams and to spend time with your loved ones. Núria - 8.º A

From: katy@umail.uk To: Bella, Jenny, Nancy and Emma Hi all! I want to tell you about our hang out! It´s really cool and fun. The hang out takes place in May Fair. It lasts for three days in May. At night you are going to sleep at my home. We are going to many amusement places. In May Fair we are very funny. Hope you can come, Katy

Eating habits I like to eat sweet food because in some restaurants they have a diversity of good desserts. I love salty food, too because it remembers me of my birthday parties with lots of food. Constança likes to eat sweet food like candies with her best friends. She likes sour drinks, too, like lemonade because it reminds her of the summer. Érica likes sweet and salty food because sweet food remembers her, her holidays, and salty food remembers her of the cinema. For us, the worst eating habit we can have is skipping breakfast because it's the main meal of the day and if you skip it you can get serious healthy problems. Catarina, Érica e Maria Constança - 8º A

In our opinion, a good life is a life with friends and family that love the way we are and support us in the most difficult times, no matter what. It's also to enjoy the best moments of life. Catarina, Francisca, Mª Constança - 8º A

Meo Sudoeste Festival. The Meo Sudoeste is a summer festival held on Portuguese soil. It takes place in the Herdade da Casa Branca in São Teotónio (Odemira) in Alentejo and it's organized by Música no Coração. Over the years, it has been visited by more than one million people. It is one of the most important summer festivals in Portugal, since it concentrates a wide range of renowned artist of various musical styles ranging from Reggae to Rock, to electronic music, or even Fado. The festival began in 1997 with three days of festival. This first edition only sinned due to lack of organization and there were several technical problems during the shows. Over the years the organization has improved a lot, being now a reference regarding the summer festivals in Portugal.

6

Carolina Marques and Teresa Oliveira - 6º B


Animais de estimação Como devem ser as relações entre as pessoas e os seus animais de estimação? Na minha opinião, os animais devem ser tratados com o máximo de amor e carinho possíveis, pois quem somos nós para maltratar seres vivos?! Se um Ser Humano opta por ter um animal de estimação, compromete-se a dar, para receber, todo o amor possível. Por exemplo, devem os animais viver dentro de casa com os donos? Na minha forma de ver, sim! O Humano passa parte do seu tempo em casa e, de forma a criar laços com o animal, têm de se habituar um ao outro, criar rotina juntos.

Mas não deve ser só por isto. Os animais, em especial os cães, têm um instinto natural de proteger e cuidar do seu dono e há cães que já salvaram vidas apenas com o simples ato de ladrar para chamar por alguém. Garanto que qualquer animal pode ser o melhor amigo do Homem, mas, para isso, é preciso dar, para se querer receber! Inês Rosa - 7º A

Animais - Melhores amigos do ser humano? Os animais de estimação são dos melhores companheiros do ser humano. Mas como devem estes seres ser tratados por nós? Todos os animais devem ser tratados de acordo com a sua maneira de ser e consoante o tipo de animal. Por exemplo, um cão que seja mais agressivo e que adore andar de um lado para o outro, deve ser posto fora de casa, dentro de uma casota (acho que ninguém gosta de ter a sua casa virada do avesso devido à confusão que os animais trazem, certo?). Mas, um cão mais manso ou um gato podem ser deixados dentro de casa, se assim o dono o desejar. Mas, independentemente do meio onde o animal vive, este deve ser tratado com o máximo de respeito e atenção porque é por isso que temos esse ser connosco. Se apenas

o adotássemos por diversão, e depois o deixássemos de parte, nada faria sentido. A adoção de um animal, quer seja um cão, um gato, um pássaro, uma tartaruga ou qualquer outra espécie, deve ser feita de forma responsável e consciente. Nunca só porque "nos apetece". Por isso, se estás a pensar em adotar um animal, pensa mais do que uma vez se tens responsabilidade para o fazer. Para o teres, precisas de tempo, dedicação, carinho e esforço. Vais ver que, com isso, o teu animal poderá tornarse no teu melhor amigo. O esforço recompensa-te sempre! Mariana Angélico - 7º B

7


Reinventar Alice Vieira: Violeta, rapariga em crescimento Há longos, longos tempos, ainda quando nem havia transportes, ainda quando as pessoas trabalhavam para proveito próprio e se deslocavam a pé para qualquer lugar das redondezas, aconteceu, veridicamente, uma história, na província das Astúrias, que ainda hoje é contada para transmitir ensinamentos… Violeta, filha rica do poderoso e viúvo Sandro, homem de posses, era considerada a menina mais respeitável e bondosa do reino. No entanto, o seu pai não lhe dava o merecido valor ou atenção porque apenas se importava com os negócios. A infância passou e Violeta foi crescendo, até chegar a hora de ser ela mesma a orientar a sua vida. No entanto, ainda era a "menina do papá "e não se sentia preparada para ser independente, tinha bastantes dificuldades no dia a dia. Apesar de ser sua filha, bondosa e amável, Sandro não pensava o mesmo: queria ver Violeta a desenvolver-se e a criar a sua própria vida, tal como ele o fez. Depois de diversas conversas sobre o assunto, Violeta acabou por ser expulsa de casa pelo próprio progenitor e aqui estava o problema. Como iria ela sobreviver por sua conta?

Após várias noites de frio e sem dormir, nasceu em Violeta a sua esperança. Um rico proprietário do reino onde se encontravam viu-a naquele estado e, depois de um momento de compaixão, ofereceu-lhe uma casa, emprego e comida. Violeta iria conseguir, assim, desenvolver a sua personalidade, como o pai queria. Chegara, então, um dia, ao reino, a notícia de que Sandro se encontrava doente, tendo sido obrigado a deixar a empresa. Certas pessoas apoderaram-se das riquezas deste homem, deixando-o na miséria. Ao saber do acontecido, Violeta, após muita reflexão, concluiu que tudo aquilo acontecera para seu bem e, num momento de compaixão, a bondosa rapariga correu em direção ao pai, que se encontrava num estado diminuído e, cheia de pena e tristeza, mas também amor, levou-o para sua casa, onde cuidou dele. Sandro, após perceber que a sua "pequena" filha cuidou dele, sentiu-se orgulhoso, pois conseguiu fazer o que desejava: tornar Violeta responsável. Gonçalo Galvão, Guilherme Afonso, Miguel Gomes e Rodrigo Prazeres - 7º B

Texto de opinião da obra de Luís Sepúlveda Esta obra, um clássico de Luís Sepúlveda, conta-nos uma fábula de gatos e gaivotas. Sempre com uma finalidade de deixar uma lágrima no canto do olho, Sepúlveda escreve uma história em que Zorbas , um gato grande, preto e gordo, e os seus amigos enfrentam os problemas de uma jovem gaivota. A história é-nos transmitida através de palavras exóticas, próprias do autor, de forma a deixar a leitura mais interessante. Também são muitas as partes deste conto que nos faz querer saltar para o final para saber como é que tudo acaba, e acaba bem, e isso faz com que a leitura do livro não nos deixe a dormir, e o autor está de parabéns por isso, afinal não são todos que têm a criatividade de Sepúlveda. Mas, nem sempre se fala do que é bom, se não, onde estaria a melhoria? O livro retrata-nos diversas partes de uma aventura, e, mesmo sendo um livro indicado para os jovens, elas são "ilegíveis", pois é de tal forma avançado o desenlace e o vocabulário da fábula, que se torna difícil de compreender todo o conto. Com altos e baixos, falamos de um conto muito educativo com uma moralidade: "quem espera alcança". Mais uma excelente obra de Luís Sepúlveda.

8

Gonçalo Galvão - 7º B


Dia da Espiga O dia da espiga era também o "dia da hora" e considerado "o dia mais santo do ano", um dia em que não se devia trabalhar. Era chamado o dia da hora, porque havia uma hora, o meio-dia, em que tudo parava: "as águas dos ribeiros não correm, o leite não coalha, o pão não leveda e as folhas se cruzam". Era nessa hora que se colhiam as plantas para fazer o ramo da espiga e também se colhiam as ervas medicinais. Em dias de trovoadas,

Esta celebração teve origem em Jerusalém e tem lugar na 5.ª feira da Ascensão, o dia em que se festeja a ascensão de Jesus ao céu. Atualmente, o Dia da Espiga ou Quinta-feira da Espiga é uma celebração que se inicia com um passeio matinal, em que se colhem espigas de vários cereais, flores campestres e raminhos de oliveira para formar um ramo, a que se chama de espiga. Segundo a tradição, o ramo deve ser colocado por detrás da porta de entrada e só deve ser substituído por um novo no dia da espiga do ano seguinte.

Colégio recupera tradição Alunos e famílias celebram o Dia da Espiga No passado dia 10 de maio, cerca de 300 alunos e respetivas famílias comemoraram o Dia da Espiga, participando num peddy paper pelas ruas da cidade. As equipas tinham como percurso obrigatório a paragem em seis postos, nos quais realizavam um pequeno desafio e recolhiam uma parte do ramo, tradicionalmente composto por espiga, alecrim, videira, oliveira, malmequeres e papoilas. No final, todos puderam deliciar-se com umas farturas, num espaço também ele de tradição na cidade: A Feira de Maio. Desta forma, não só foi possível recuperar este importante costume, como também proporcionar um

queimava-se um pouco da espiga no fogo da lareira para afastar os raios. Cada constituinte do ramo da espiga tem um significado especial, que funciona como um símbolo de abundância: " Espiga - pão " Malmequer - fortuna " Papoila - amor " Oliveira - paz " Alecrim - saúde " Videira - alegria Este dia é particularmente celebrado pelos habitantes da Marinha Grande, que, aproveitando o seu feriado municipal, usufruem de um piquenique em família num espaço propício ao convívio e ao contacto com a natureza: o Pinhal. Alice Mota e Maria Oliveira, Clube de Jornalismo

momento de salutar confraternização entre toda a comunidade educativa. Clube de Jornalismo

9


Fair-play na escola Daúto Faquirá esclarece o conceito No passado dia 25 de maio, Daúto Faquirá veio ao nosso colégio para conversar um pouco com os alunos dos 2º e 3º ciclos sobre o que é o Fair-Play e o desportivismo em geral. Este atual professor de Educação Física começou por apresentar-nos um pouco da sua história, não só como educador, mas também como treinador de vários clubes de futebol, tais como: Sintrense (1994-1999), Estoril (2005-2006), Estrela da Amadora (2006-2008), Vitória de Setúbal (2008-2009) e mais recentemente, em 2010 e 2011, o clube Olhanense. Este comentador ocasional de programas desportivos explicou-nos o seu ponto de vista sobre o que é o Fair-Play. Iniciou por dizer que, para ele, o FairPlay era algo a que dava muita importância, não apenas enquanto desportista, mas também como pessoa. Para Daúto Faquirá o Fair-Play é algo essencial para a concretização de um jogo justo, tendo sempre em consideração o respeito e o companheirismo pelos elementos da equipa, adversários, árbitros e até mesmo adeptos. Faquirá contou-nos que para ser um bom atleta é necessário saber perder e ganhar devidamente. Acrescentou ainda que quando uma equipa ou somente

um elemento perde uma prova ou um jogo, deve erguer a cabeça para recuperar o seu êxito, pois quando caímos devemos levantarmo-nos para voltarmos mais fortes e darmos o nosso melhor. A s u a experiência de vida fez com que Daúto nos aconselhasse a lutar por aquilo que queremos ou acreditamos. Por fim deu-nos também exemplos de situações de jogadores de vários desportos que não cumpriram com as regras do desportivismo, magoando a equipa rival, os treinadores,… e assim mostrou-nos que ser um bom desportista não é fazer tudo para vencer (batota), mas saber ganhar justamente. Para concluir, podemos afirmar que gostámos imenso da sua performance e que ficamos a conhecer um pouco mais sobre este tema. Mafalda Matias e Madalena Mateus - 7º B

Em grande no Gira-volei No dia 18 de abril assumimo-nos como o núcleo de Gira-volei mais forte dos distritos de Leiria e Santarém, pois no encontro que decorreu no Estádio Municipal de Leiria apurámos 7 duplas (3 delas campeãs regionais) para os nacionais que decorreram nos dias 2 e 3 de junho em Castelo de Vide. Nesta vila alentejana, num fim-de-semana cheio de voleibol, tivemos a nossa melhor prestação de sempre nesta competição. Voltámos para casa com dois títulos de campeões (A Mariana Santos com a Carolina Marques que assim se sagram campeãs pelo segundo ano consecutivo e o Afonso Reis com o Lourenço Borges), e dois de vice-campeões (A Briana Bento com a Matilde Parreira e a Inês Marques com a Maria Francisco). Parabéns aos nossos campeões, parabéns a toda a nossa comitiva que nos representou tão bem e parabéns a todos os alunos do colégio que participaram nesta atividade!

Equipas de Voleibol de Desporto Escolar do Colégio tiveram sortes diferentes O voleibol festejou vinte e três anos na nossa escola este ano com sortes diferentes, a equipa de iniciados masculinos apurou-se vencendo a fase CLDE de Leiria para o Campeonato Regional a disputar em Castelo Branco entre os dias oito e dez de junho. Já a equipa de iniciados femininos também em competição na CLDE Leiria classificou-se em segundo lugar atrás do Agrupamento de Escolas Pinhal do Rei, da Marinha Grande. Este Agrupamento de Escolas conta na sua equipa de Desporto Escolar com jogadoras que competem a nível federado, o que é uma mais valia para o Agrupamento.

10


Atletismo Colégio funda Clube de Atletismo e... obtém bons resultados

Atletas do colégio vencem e convencem no Atletismo

Os nossos aletas Matilde do Canto e Lourenço Gomes participaram no V Quilómetro do Gau/Bajouca/ Quilómetro Distrital que se realizou no Estádio Municipal de Leiria no dia 29 de abril. Esta foi a sua primeira em competições oficias de Atletismo. A Matilde concluiu a distância de 600m em 2`:02":67 em primeiro lugar, dominando desde o inicio. Já o Lourenço foi quarto classificado na distância de 1000metros, com o bom tempo de 3`:20":87. No passado sábado, 26 de maio, realizouse na pista do Estádio Municipal da Marinha Grande o Torneio de Atletismo atleta Completo Distrital, onde o nosso Clube de Atletismo participou com a atleta Matilde do Canto do 5º ano, que se sagrou Campeã Distrital. Este torneio era composto por três provas: velocidade (40m), salto em comprimento e arremesso de bola, tendo a nossa Matilde vencido todas estas provas que constituíram este triatlo. Com estes dois alunos iniciámos a prática de atletismo federado, esperando que no próximo ano mais alunos nos queiram representar a nível federado. Parabéns ao Lourenço e à Matilde, que certamente no próximo ano continuarão a dar alegrias ao nosso clube de atletismo.

No corta-mato fase CLDE de Leiria que se realizou no inicio do segundo período no Parque da Cerca na Marinha Grande, a nossa atleta Matilde do quinto B venceu facilmente, tendo-se a sua equipa de infantis a femininos classificado em terceiro lugar. No escalão de infantis B masculinos, o Lourenço Gomes do sexto B foi segundo, apurando-se para o Campeonato Nacional de Corta-Mato que teve lugar na Aldeia das Açoteias no Algarve, onde o Lourenço foi trigésimo quinto. No Projeto Mega também de Atletismo, a Matilde brilhou vencendo a prova de meio fundo de 1000 metros em Leiria e foi oitava classificada na fase nacional deste campeonato. O nosso atleta Lourenço Gomes foi vice-campeão de Leiria também em 1000 metros, não tendo sido apurado para o nacional porque só era apurado o primeiro classificado. As nossas atletas Vera e Matilde do sétimo B no escalão de infantis B ficaram em terceiro respetivamente no salto em comprimento e no lançamento do peso.

Prof. Luís Brandão

Maria Adelaide Ferreira

As nossa campeãs… Vera Goucha do sétimo ano A Vera sagou-se Vice-campeã “Atleta Completo Distrital, em representação do Clube desportivo, Juventude Vidigalense. A competição realizou-se no Estádio Municipal da Marinha Grande nos dias 6 e 7 de maio de 2018. Em representação da As s o c i a ç ã o D i s t r i t a l d e Atletismo de Leiria (ADAL), a Vera Goucha, participou no Meeting Jovem Cantanhede em 31 de maio do corrente ano em diversas disciplinas, tendo obtido as classificações seguintes: 1.º lugar na prova de Lançamento do Dardo, com um novo recorde pessoal, de 22,34m. A estafeta feminina, composta por Vera Goucha, Carolina Marques, Catarina Silva e Catarina Soares alcançou a 2o posição. As primeiras três atletas desta equipa também estudam no Colégio.

Colectivamente, os atletas ajudaram a seleção da Associação Distrital de Atletismo de Leiria a subir ao pódio no 2o lugar! De destacar que os resultados obtidos têm sido alcançados por mérito próprio, com uma forte vontade de superação pessoal. Relativamente à dieta alimentar, o principal responsável tem sido o i r m ã o, e x - a l u n o d o Colégio e finalista do Curso de Licenciatura de Dietética e Nutrição, como seu orientador tem-na incentivado a não experimentar e consumir “FAST-FOOD”, pois até à presente data nunca comeu os habituais MENUS de cadeias de Hamburguer- Fast Food. Prof. Luís Brandão

11


A Paz é a alegria, a liberdade e a felicidade. Tudo num só dia, É sorrir de verdade.

Uma criança em paz É uma criança que cora, Uma criança em guerra É uma criança que chora.

A Paz não se está a fazer, Mas se nos ajudarmos Uns aos outros, Creio que vai acontecer!

A Paz não é o mundo das pessoas más. É algo tão profundo, que, com sorte, sentirás.

Umas têm lar E irmãos para brincar, Outras aprendem a lutar Para a guerra que não tarda a chegar.

Temos uma missão A Paz ir buscar, Ao nosso coração, Por isso, toca a andar!

A Paz é minha, é tua. É de todos nós. É passear na rua É fazer ouvir a nossa voz.

Para sermos todos iguais Vamos fazer a diferença, Fazer obras especiais, E deixar a marca da nossa presença.

Quando virmos alguém a chorar, Vamos lá para consolar. Basta um sorriso, É isso que é preciso!

Vamos sentir no coração Todas as coisas boas. Vamos dar a mão a todas as pessoas.

Vamos fazer com que a paz vença a guerra E com que o amor vença o ódio. Vamos salvar a Terra O planeta n.º 1 do pódio!

Há tantos doentes nos hospitais A quem ninguém liga Não era nada demais Dar-lhes uma palavra amiga.

A Paz não é a guerra É abraçar o mundo inteiro.

Patrícia Seixas Teló - 5º B

Beatriz Quinteiro - 5º B

De pequenas ações És tu, sou eu capaz. Um Mundo de emoções Seria um Mundo de Paz! Anita Pegada - 5º B

Tive um sonho, um sonho lindo Foi um sonho encantador Sonhei que todos conviviam E só falavam em amor. Sonhei que os homens da Terra Transformavam armas em flores E que os países em guerra Eram vales cheios de cores. Sonhei que as crianças do mundo Viviam com os pais em harmonia E que dentro das suas casas Só existiam risos e alegria. Sonhei que nos países mais pobres A fome e a doença acabavam E que os governantes do mundo Todos os povos ajudavam. Sonhei com o racismo Que neste sonho desapareceu Todos se aceitavam E a paz finalmente apareceu. Acordei do meu sonho Fiquei triste com a realidade Mas se todos tentarem a PAZ Um dia poderá vir a ser verdade! João Diogo - 5º B

12

Vou contar uma história e para a conseguirem compreender é preciso ter boa memória. Foi há muitos anos, quando o homem vivia em paz, mas entrou em conflito e já não foi capaz. Com a guerra, tudo mudou, e já ninguém se amou. Temos de estar em paz saber amar, respeitar, mas também, confiar. A paz conseguiremos alcançar, mas sobretudo acreditar. Maria Bavar - 5º A

A Paz é ver o céu cheio de estrelas, Poder observar como são belas. A Paz é amor, saúde e alegria, Que nos dá força todo o dia. As flores podem murchar, Os rios podem secar, Mas a Paz vai sempre continuar. Somos todos deste lugar. O nosso objetivo é observar, crescer e amar. A Paz é amor. A Paz é ajudar o próximo. Ângela - 5º A


A Paz é um direito fácil de conquistar, e fiquem sabendo, que com ela só têm a ganhar. De guerra não precisamos, para alegria ter e, enquanto houver a Paz, é bom a valer. A Paz é a liberdade que todos devemos ter, sem ela não somos felizes e de nada nos serve viver. Camila Ochoa - 5º B

Se fores capaz De dar as mãos Aos que não são teus irmãos Verás que a Paz Irá surgir E aos poucos florir. Olha à tua volta, E partilha o teu amor Com quem apenas tem dor E verás que um sorriso se solta Daquele que ajudaste E amaste. Amar é um dever de todos, Ser amado é um privilégio para poucos. Para todos ajudar Todos devemos amar Neste Mundo de preconceito Em que não há respeito. Beatriz Agostinho - 6º B

Para quê a guerra? Para quê a dor? E se na Terra só houvesse amor? Queremos um mundo melhor Queremos um mundo de respeito Não queremos um mundo pior Não queremos o mundo desfeito. Gil Jorge - 6º A

Com a paz se constrói o amor, A paz dá alegria, O sorriso de uma criança , num mundo de harmonia. Sem ela, tudo é dor, tristeza, Sem ela, não há cor Assim, ninguém se entende. Vamos construir a paz para todos sermos felizes e conseguirmos um mundo melhor! Rita Ramalho - 5º A

Para haver paz no planeta Terra tem de se acabar com a guerra. Temos de aprender a amar, a dar, a cuidar e a respeitar. Levar aos outros o amor e deixar de parte a dor. Não nos importarmos com a cor, pois por dentro somos todos iguais.

Neste mundo de amizade Neste mundo de amor Neste mundo de solidariedade Também existe a dor. Aqui somos todos irmãos E eu acho que sou capaz Vamos todos dar as mãos E instaurar a Paz.

Levar aos outros a nossa amizade e aprender o dom da bondade. Temos de dar todos as mãos e aprendermos a sermos irmãos. Temos de levar a paz aos quatro cantos do mundo E mostrarmos, uns aos outros, O verdadeiro amor profundo Que pode girar em torno do mundo.

Para conseguir Paz É preciso ter valores E ver o mundo de todas as cores Nem toda a gente o faz, Mas sabe que é capaz. Era tão bom Que todos tivéssemos o dom De acabar com a guerra No planeta Terra! Que fosse possível Dar as mãos E sermos todos irmãos.

Afonso Almeida - 6º A Que todos dessem amor Para que não houvesse mais dor. Que por todos houvesse respeito Mas nem todos têm amizade E solidariedade, Nem levam a Paz a peito. Ana Francisca - 6º A

Mar Guiote - 6º B

13


Promover a Paz Para mim existe paz quando há tranquilidade e progresso social. Mas o mundo está muito perturbado, porque há muitos países em guerra. Não é preciso haver guerra, para não existir paz. Quando há fome, roubos, sem abrigos, conflitos nos estádios de futebol e pobreza, não existe paz. Devemos lutar para que haja igualdade, isto é, não haja muitos pobres nem muito ricos. É fundamental a justiça. Todos queremos a paz. Muitas vezes, não percebemos que pequenas atitudes podem contribuir para a paz. O Papa Francisco apela, frequentemente, para a necessidade de se promover a paz, abrindo caminho para ela. Mas não basta falar sobre a paz, é preciso sentir e agir. Por exemplo, ao oferecermos alimentos, vestuário, abrigo, estamos a contribuir para a paz. Esta deve começar no nosso ambiente familiar se houver amor e respeito. A paz caracteriza-se pelo relacionamento saudável e harmonioso entre as pessoas. Para i s s o, é p r e c i s o garantir que todos se respeitem.

Existem vários significados de paz. Um deles é a ausência de guerra ou conflitos. Quando nós fazemos a guerra ou entramos em conflito é porque queremos algo, só que, quando o fazemos, não pensamos naqueles que não têm nada. Outro significado é a harmonia. O que é a harmonia? A harmonia é o entendimento entre pessoas. Para haver o entendimento entre as pessoas, tem de haver respeito. Por exemplo, na escola, temos de respeitar os colegas, caso contrário, ficamos sem amigos. Todos no mundo devem fazer a paz, porque toda a gente merece ser respeitada igualmente. N inguém merece ser excluído da sociedade, porque todos somos i g u a l m e n t e importantes!

Pedro Rodrigues 5º A

Rodrigo Pereira 5º A

A importância da Paz Escrever sobre a paz é refletir no que todos podemos fazer para que possamos viver num mundo melhor e mais harmonioso. Parte de casa, de cada família, começar por criar um bom ambiente para todos os elementos, através de diálogo diário, do respeito pela maneia de ser de cada um, pelo convívio saudável e alegre e mediante uma forte união, entre pais e filhos como um elo inquebrável. Na escola, convivemos com muitas pessoas diferentes, como, por exemplo, seres humanos de outra nacionalidade, variadas culturas, religiões até outras raças e capacidades. Por 14 diferentes, isso, a tolerância deve ser praticada, para que

possamos sentir paz nos nossos corações, uma vez que somos todos iguais mesmo na diferença. Ao pensar na nossa sociedade, o Homem podia viver de forma mais tranquila, se deixasse de provocar guerras pelo seu desejo de conquista e ganância exagerada. Só assim, todos os povos passarão a viver com equilíbrio e serenamente. Concluindo, a paz é essencial para a continuidade da espécie humana na terra. Afonso - 5º B


Voleibol Familias O Colégio está de parabéns por mais esta iniciativa que promoveu no passado dia 30 de maio, a interação entre pais e alunos, num contexto informal e descontraído. Foi com profundo agrado que voltei a reviver os meus tempos passados enquanto antiga aluna do colégio. Por momentos, senti-me como se dali nunca tivesse saído. Aquele torneio era mais um, entre tantos jogos e atividades que fiz naquele campo... mas desta vez, foi deveras especial, porque fiz equipa com o meu filho, que agora cresce na "casa" que um dia também foi minha. Para o Rodrigo também foi uma experiência única, porque partilhou o campo e recreios do Colégio com a mãe, em momentos de divertimento e descontração. Bem hajam por esta iniciativa! Para o próximo ano letivo esperamos que se volte a repetir! Sílvia e filho Rodrigo Pereira - 5º A

As nossa campeãs…. Ana Carvalho, Campeã Distrital Nos dias 19 e 20 de maio, foi realizado o Campeonato Distrital de Iniciados no Estádio Municipal da Marinha Grande. Em representação do Clube desportivo de atletismo, Juventude Vidigalense, Ana Carvalho, sendo do escalão Infantil B, subiu assim ao pódio de Iniciados ficando em 3º lugar. Sendo que as outras duas atletas , Joana Gameiro (1º lugar) e Ashley Nhunga (2ºlugar), representando também a Juventude Vidigalense, são do escalão de Iniciadas, Ana Carvalho é então Campeã Distrital de Infantis de Salto em Comprimento. Foi no seu último salto que lhe deu a classificação de 3ºlugar onde obteu o seu novo recorde pessoal de 4,60 metros, ficando assim também à frente de muitas iniciadas. De salientar o espírito de equipa dos atletas, dentro e fora da pista. Agradece aos seus colegas de equipa mas principalmente ao seu treinador por todo o apoio. Ana Carvalho - 7º B

Direitos e deveres dos filhos Como os pais dizem "os filhos são a melhor coisa que lhes aconteceu na vida", mas todos dizem isso,exceto aqueles que os abandonam e, quando ficam com eles, sofrem de violência doméstica. Por isso, nós temos muita sorte em ter os pais que temos. Mas os filhos também têm de cumprir as suas obrigações, tais como, estudar, ajudar em casa, não aborrecer os pais ... Mas, o mais importante é compreendermos que, ao tirarmos boas notas e não desiludirmos os pais, estamos a tor nar mo -nos p e s s o a s melhores. Nós queixamo-nos muitas vezes por os pais nos ralharem e não nos comprarem tudo aquilo que

queremos mas, se repararmos bem, nós recebemos prendas ao longo do ano, e os pais só recebem uma ou duas vezes por ano. Os pais não são máquinas, mas sim pessoas como nós que têm direito a descansar. Eles dão-nos alimentação, escola, roupa...e muito mais do que aquilo que eles tiveram. Os nossos pais não merecem o que muitas vezes lhes dizemos e fazemos. Se pensarmos com o coração, nós somos uns pr ivilegiados, pois recebemos muito carinho e isso faz de nós pessoas melhores, mais responsáveis e, acima de tudo, mais felizes. Eduarda - 5º A

15


Desafio Nos dias três e quatro de maio, os alunos do 6º ano realizaram a atividade "Desafio" com o tema: "Conectate com a Natureza", na praia do Pedrogão. Às 14h 15m dirigiram-se para a praia do Pedrogão, casa da Cáritas, onde os professores anunciaram o tema. Formaram equipas e iniciaram a atividade na vila no âmbito do tema "Conecta-te com a vila" - tour pela vila com a ajuda de um mapa de pontos marcados e onde cada grupo tinha que fazer algumas tarefas nesses lugares específicos. ÀS 18h, muito cansados, dirigiram-se para os quartos e prepararam-se para o jantar. Pelas 21h , cada grupo fez a apresentação dos seus trabalhos. Depois da ceia, deslocaram-se à capela para fazer a oração da noite. No dia seguinte, formaram os grupos e partiram para a maior aventura das suas vidas, uma longa caminhada pelo Pinhal de Leiria, ou seja, Mata do Urso, seguindo um trajeto de 5Km, marcado por folhas de papel higiénico. Quando chegaram ao posto de vigia, fizeram rapel. De seguida, almoçaram e prosseguiram a sua caminhada. Nos vários postos, tinham uma atividade para resolver. Na reta final, seguiram em direção à praia e, por fim, à casa da Cáritas. Finalmente, encontraram-se com os pais que estiveram presentes na celebração da Eucaristia com o padre Fábio, onde agradeceram aos diretores de turma, aos professores e a Deus estes maravilhosos dias. Houve ainda um lanche partilhado, no qual pais e filhos/alunos e professores puderam conviver em harmonia. Esta atividade foi muito divertida e importante, pois reforçaram-se as relações de amizade, as relações com o outro e o meio envolvente, assim como se percebeu a importância de trabalhar em equipa. Profs e DT, Ana Ogando e Paulo Rosa

16


A Semente

O Caminho

Imagina o mundo sem paz… Por um segundo deixa-te levar Tenta, vais ser capaz! De um dia tudo mudar… A tua palavra é um manifesto! Concretiza o teu gesto!

A paz é um avião de papel… É uma canção de embalar! Tal como o pintor com o seu pincel De cores enche o nosso olhar! A nossa voz vamos utilizar, Para a balança equilibrar.

A paz começa contigo… Rega a semente da união! Dá a mão ao teu inimigo… Aqui tens a solução! A tua palavra é um manifesto! Concretiza o teu gesto!

Escuridão e claridade… Medo e segurança. Assim se faz a humanidade. Abraçada à esperança Juntos, ao caminhar, Um lenço branco iremos levantar!

8º A

8º B

Receita para a tranquilidade Natureza a meu redor Me faz sentir tão bem Por entre as folhas verdejantes, o sol Ao ritmo do vento, que só a relva tem. O florescer da primavera Traz aromas refrescantes A flores, a húmida terra, A calor e a relva. Ao de leve sinto A suave brisa primaveril O sol pela nossa pele, faminto, Que tanto brilha neste final de abril. Pelo chilrear dos pássaros embalada, Com a relva sob os pés, E, do nada, Pela tranquilidade sou assaltada. Inês Vieira, Eva Vieira, Ana Fonseca, Catarina Oliveira - 9º A

Para uma poção natural fazer Basta alguns ingredientes ter Dois raminhos de flores Para reviver alguns amores. Nos passadiços ouvimos Pássaros a cantar, Com o verde das plantas Que nos faz pensar Com as lágrimas dos rejeitados Acaba a poção, Que é a solução Para a rejeição. Mariana Matias, Estela Prazeres, Aurélio Bento - 9º B

17


Escher No passado dia 10 de abril, os alunos do 6ºano do Colégio Nossa Senhora de Fátima, de Leiria, tiveram aulas diferentes, partindo para Lisboa numa visita de estudo. E m Lisboa, os a l u n o s visitaram a exposição dos Mundos Impossíveis, de Escher, um arquiteto holandês muito famoso. Visitaram o Museu Nacional de Arqueologia, acompanhados de um guia, onde viram escrituras, desenhos e múmias reais egípcias. Mostraram muito interesse pelo que viram. Assistiram, também, à peça de teatro da companhia Foco Lunar "As Naus de Verde Pinho", escrita por Manuel Alegre. Os alunos aprenderam muito com esta visita, pois a exposição de Escher incentivou o gosto e a curiosidade deles pela Matemática, o Museu de Arqueologia despertou o interesse pela disciplina de História e o teatro promoveu o gosto dos alunos pelo texto dramático e pela disciplina de Português. Santiago Lopes - 6º A

Ferraria de S. João No passado dia 15 de março, os alunos do 6º Ano, do Colégio de Nossa Senhora de Fátima, foram visitar a aldeia Ferraria de São João, o Museu de Arte Popular, o Museu Marquês de Pombal e o Castelo de Pombal, no âmbito das disciplinas de HGP, CN e EC. Os alunos partiram do Colégio, de manhã, em direção à Ferraria de S. João, uma aldeia fustigada pelos incêndios. Lá, com a ajuda dos professores e habitantes da aldeia, plantaram medronheiros (árvores que não ardem com o fo g o ) c o m o objetivo de reflorestar a floresta da aldeia. De seguida, foram até Pombal. Almoçaram e visitaram o museu de Marquês de Pombal, onde aprofundaram os seus conhecimentos sobre a matéria já estudada, o museu de Arte Popular, onde viram vários objetos feitos há muito tempo atrás e o Castelo de Pombal, onde visionaram dois pequenos filmes relacionados com a história do Castelo e fizeram uma visita guiada. Por fim, os professores acharam que o comportamento dos alunos foi exemplar e que aprenderam muito sobre a História de Pombal, tal como preservar o meio ambiente. João Fernandes 6º B

Energia No passado dia 21 de março, os alunos do 8ºano foram em visita de estudo, à Central Termoelétrica do Pego e à Barragem de Castelo de Bode. De manhã, visitaram a Central Termoelétrica que queima carvão para produzir energia elétrica e gás. O carvão é proveniente da África do Sul e é transportado de barco até ao Porto de Sines, onde é descarregado para depois ser levado até a Central, de comboio. É um carvão betuminoso, com elevado teor de carbono e baixo teor de enxofre, para assim controlar as emissões de gases poluentes para a atmosfera. dia chegam 2 ou 3 comboios com 22 a 25 vagões cada um. Cada vagão carrega cerca de 60 toneladas de carvão, ou seja, cerca de 1500 toneladas de carvão chegam à Central por dia, em cada comboio. Quando entram na Central são descarregados automaticamente, em 5 segundos, para as tremolhas. A Central, que dá dá emprego a 115 trabalhadores, produz 315 MW de eletricidade e 410 MW de gás. Os alunos visitaram algumas das instalações da Central e subiram vários metros, sendo a explicação bastante clara e pormenorizada, embora não conseguissem compreender alguns termos mais técnicos. Assim, ficaram a saber mais sobre o processo de produção de energia e o do complexo. 18 funcionamento Depois do almoço, os alunos foram muito bem-

recebidos na Barragem de Castelo de Bode onde se produz energia elétrica a partir de água do rio Zêzere, sendo este um processo mais sustentável. A sua construção iniciou-se em 1946 e foi dada por terminada em 1951. Esta tem 115 metros de altura e uma construção antissísmica em betão com 402 metros de comprimento. Passam cerca de 60 litros por segundo em cada conduta no interior da barragem. Naquele dia, a barragem encontrava-se cheia até ao limite máximo (119,5 m, com 2 cm de margem). Aqui os alunos também puderam visitar as instalações e compreender como a barragem funcionava com instrumentos e técnicas antigas. Por último, viram as turbinas a girarem para produzir a eletricidade, a partir de geradores. Segundo os alunos, a visita foi bastante interessante pois puderam aprender o processo de produção de energia e a importância do conhecimento científico-tecnológico, não só para a satisfação das necessidades atuais mas também para encontrar soluções sustentáveis que assegurem o futuro das próximas gerações. Estas soluções passam também por cada cidadão reinventar as suas rotinas, de modo a reduzir o consumo de energia. Marisol Santos e Mariana Monteiro - 8º B


Paz: um objetivo da humanidade Esta palavra encontra a sua origem no latim, com a palavra pax. A paz faz-se de união, concordância e amizade entre as pessoas. Num sentido mais pessoal, paz significa tranquilidade e quietude; num sentido mais lato, significa ausência de guerra ou de violência. Hoje em dia, a sociedade tende a estar dividida em dois polos distintos: por um lado, uma parte não olha a meios para conseguir o que quer; por outro lado, também há pessoas que fazem de tudo para contribuir para a felicidade e tranquilidade dos outros, contribuindo, assim, para a paz. Muito recentemente, o mundo assistiu a um momento histórico de reconciliação entre dois países, a Coreia do Norte e a Coreia do Sul, há muito separados por conflitos e guerras. Os presidentes destes dois países reuniram-se num gesto de paz, mostrando ao mundo que é através do diálogo e do respeito que se deve basear o relacionamento entre os povos. No entanto, a paz a nível global só faz sentido quando também existe nos nossos pequenos mundos: na nossa casa, na nossa escola, no nosso grupo de amigos… Cabe a cada um de nós fazer com que a paz esteja presente no nosso dia a dia, com pequenos gestos e palavras de apreço pelo outro. Muito já foi dito e escrito sobre a paz, são incentivos para que nos inspiremos a cultivar a paz na nossa vida. A paz é a única forma de nos sentirmos realmente humanos. Albert Enstein

Nunca poderemos obter paz no mundo exterior até que consigamos estar em paz com nós próprios. Dalai Lama A paz engloba a justiça social. Francisco Sá Carneiro

São precisos dois para fazer a paz. John Kennedy A paz é a maior arma para o desenvolvimento que qualquer povo pode ter. Nelson Mandela Maria Oliveira, Vasco Ferrão e Mariana Monteiro, Clube de Jornalismo

Marte, o extraterrestre O seu nome era Marte, tinha 12 anos e vivia no planeta Vénus coma sua família e amigos. O seu irmão Mercúrio era também o seu melhor amigo e, juntos, percorriam o planeta em busca de ação. Marte tinha uma figura engraçada. De baixa estatura e barriga rechonchuda, adorava donuts espaciais recheados com chocolate castanho estrelar. A sua face, redonda como o sol de verão, tinha dois olhos muito vivos, esverdeados como azeitonas, um nariz comprido e arrebitado e uma grande boca rasgada. Da cabeça, apoiada num longo pescoço fino e compacto como um pilar, saía uma antena em espiral com uma pirâmide no topo através da qual acedia à Internet intergaláctica. Apesar de distraído, era aplicado nas suas tarefas, muito cuidadoso e nunca abandonava o seu irmão e amigos. Gostava de se divertir e conhecia todos os parques das redondezas, onde fazia baloiçar os pequenos extraterrestres que precisavam da sua ajuda. Era sensível e delicado para com os mais frágeis e o líder dos mais fortes orientando-os no caminho do bem. Na minha opinião, o jovem extraterrestre Marte era muito talentoso e fazia bom uso dos seus talentos: ajudava o seu semelhante e contribuía para fazer de Vénus, um dos planetas mais felizes de todo o Universo. Patrícia Teló - 5º B

19


Parlamento dos Jovens "Igualdade de Género, um debate para tod@s!" Esta jornada começou no 1.º período, quando o professor Joel Valente, nos desafiou a participar no projeto "Parlamento dos Jovens". Ele explicou-nos que era um projeto que se realiza todos os anos e que tem como objetivo colocar os jovens a debater sobre um determinado tema tal como fazem os deputados. Os deputados eleitos, no colégio, foram Matilde Almeida, Constança Mota e eu. Após a sessão escolar, deu-se a Sessão Distrital de Leiria que se realizou no na Marinha Grande, onde apoós várias intervenções e um longo período de debate, foi construído o projeto de recomendação do Círculo Eleitoral de Leiria que se baseou em 4 medidas: " Aplicar a legislação para que as empresas paguem salários iguais a homens e mulheres na mesma função, através da criação de uma comissão de fiscalização da aplicação das normas consignadas na Constituição no que à igualdade de género diz respeito", "O Ministério da Educação deve legislar no sentido de implementar nas escolas uma área disciplinar que promova a igualdade de género e combata os estereótipos.", " Assumir na documentação oficial, as pessoas que se identificam com um género não listado (não binário), permitindolhes uma identificação correta de género. Além disso, propõe-se o reconhecimento legal do terceiro género" e, por fim, " Ações de formação para a população ativa em ambiente de trabalho e para os estudantes no final de cada ciclo." Seguidamente, deu-se a votação das escolas que iriam participar na Sessão Nacional, em Lisboa, a representar Leiria, foram eleitos 8 deputados efetivos. Finalmente, chegou o esperado dia, 16 de abril. Chegámos a Lisboa por volta das 13 horas e fomos, imediatamente, almoçar.

Aqui foram apresentados e discutidos os projetos de recomendação, que cada comissão tinha a intenção de apresentar ao Plenário. Enquanto decorriam os trabalhos, os jornalistas receberam uma visita guiada pela Assembleia da República. Para terminar o dia de trabalhos, professores e alunos foram levados até à Sala do Senado onde nos foi apresentado uma incrível performance musical que incluiu músicas como "Diamonds" ,"Bohemian Rhapsody", "Valerie",entre outras... No dia seguinte, foi a vez da mesa, sendo que a mesma foi constituída pela Presidente, Jacinta Simões, pela Vice-Presidente, Alexandra Lima e pelas Secretárias, Maria Silva e Magda Sousa. Além disso, estavam presentes o VicePresidente da Assembleia da República, Jorge Lacão, a Secretária de Estado para a Cidadania e Igualdade, Rosa Monteiro, e, finalmente, o Presidente da Comissão da Educação e Ciência, Alexandre Quintanilha. Deu-se, então, início à primeira fase do segundo e último dia de trabalhos, o momento em que cada Círculo Eleitoral teve a oportunidade de perguntar algo ao respetivo membro do Grupo Parlamentar. Com efeito, foram feitas 12 perguntas aos respetivos deputados: Duarte Marques (PSD), Susana Amador (PS), Isabel Pires (BE), Hélder Amaral (CDS-PP), Miguel Tiago (PCP) e José Luís Ferreira (PEV). As perguntas foram muito diversificadas, desde igualdade de género à desertificação no interior. a 1ªfase, os deputados foram almoçar enquanto os jornalistas 20 Após desfrutaram de uma pequena conferência de imprensa com Alexandre Quintanilha, Presidente da Comissão de Educação e Ciência.

Pessoalmente, este foi um dos momentos que eu mais apreciei de toda a experiência do Parlamento dos Jovens Finalmente, regressámos ao hemiciclo onde começou a 2ªfase do dia de trabalhos, ou seja, o debate entre os círculos eleitorais sobre as medidas apresentadas. O debate consistia num argumento a favor e noutro contra. Deste modo, e após muito tempo de debate, foi decidido o projeto de recomendação final do Básico do Parlamento dos Jovens. Este é constituído por 8 medidas: 1. Promover campanhas de âmbito nacional com a colaboração do Ministério da Educação, em parceria com a Entidade Reguladora para a Comunicação Social (ERC) e com personalidades públicas (desporto, música, televisão, cinema e teatro) com o objetivo de sensibilizar a população, tendo em atenção o combate ao estereótipo de género. 2. Fomentar a harmonização das responsabilidades das mulheres e dos homens no que respeita ao trabalho e à família através da revisão da estrutura curricular, de forma a incluir no projeto educativo, na disciplina de Formação Pessoal e Social, momentos de reflexão e de partilha que estimulem nas crianças e nos/nas jovens a responsabilidade cívica e moral dos deveres que cabem a todos, sempre com a premissa da igualdade entre géneros. 3. Aprovação e implementação de punições relativas à desigualdade salarial, bem como adoção de legislação específica que promova a igualdade salarial, de forma a esbater as diferenças/disparidades em todas as profissões, nomeadamente aumentando o valor das coimas aplicadas ou anulando os benefícios fiscais, conforme a situação financeira da empresa, acrescentando a admissão pública do erro cometido pela empresa. 2/2 4. Decretar, progressivamente, a igualdade salarial nas empresas privadas, criando uma lei que penalize as empresas que não a cumpram, realizando esta função através de um novo organismo credível. 5. Apoiar, sensibilizar e incentivar financeiramente a pesquisa e o tratamento do cancro da próstata, da mesma forma que o cancro da mama, bem como tornar gratuita a vacinação dos homens contra o HPV (Papiloma Vírus Humano). 6. Aumento das licenças de maternidade e paternidade para 9 meses, cabendo aos pais decidir como repartir o tempo. 7. Substituição da quota de género em todas as eleições democráticas por critérios de escolha baseados nas competências individuais. 8. Fim da diferença dos prazos internupciais para homens e mulheres em caso de viuvez ou divórcio. A reunião, assim como a experiência no Parlamento dos Jovens, terminou com os porta-vozes de cada Círculo Eleitoral a agradecer e receber os respetivos diplomas. Além disso, deputados, jornalistas e todos os presentes cantaram o hino nacional, momento sugerido pelo Círculo Eleitoral dos Açores. Na minha opinião, o Parlamento dos Jovens foi uma experiência incrível que eu e as minhas colegas nunca iremos esquecer. Este projeto, tal como o meu professor havia dito, deu-me a oportunidade de melhorar o meu poder argumentativo e de me fazer ouvir. Esta experiência fez-me perceber como é essencial que um cidadão faça parte da vida política, assim como, perceber que nós devemos sempre defender aquilo em que acreditamos mesmo que pareça ser impossível de se concretizar. Raquel Rodrigues - 8.º B


A Paz em tempo de Guerra Ghouta, 16 de fevereiro de 2018 Querido diário, Já não te escrevia há algum tempo. Os ataques continuam intensos e quase n ã o conseguimos sair do abrigo, de tantas bombas que c a e m demasiado perto de nós. O meu irmão Naim é o único que já não se assusta, o que me surpreende… Talvez por ter nascido no auge do conflito, ele aparenta sempre uma segurança e calma desmedidas no decorrer dos ataques. E ele só tem 7 anos! Eu, por outro lado, fico aterrorizada quando se dão os ataques. Tenho pavor da morte… Principalmente de deixar aqui o meu irmãozinho sozinho… Há uns dias, conheci o Kamal, um rapaz pouco mais velho do que eu. Apesar de toda a confusão que me rodeia, quando estou com ele sinto-me bem. Sinto-me segura. A guerra, o mundo e as preocupações desaparecem…tudo desaparece quando falo com ele. Estava com o Naim quando o vi pela primeira vez.

Ele estava a olhar para mim e, quando percebi, ele desviou o olhar. Ele estava sozinho, por isso fui falar com ele. Cumprimentámo-nos com algum constrangimento, e ele até gaguejou. Apesar disso, em poucos minutos, senti uma ligação com ele. Ele estava sozinho, sem ninguém que o apoiasse, e eu já sabia que a maioria das pessoas que ali estavam tinham perdido as suas famílias e amigos, por isso não podia sentir pena senão ele sentir-seia pior. Eu própria já só tinha o meu irmão e tinha um medo horrível de o perder. Falámos durante um bocado e eu fiquei a conhecê-lo melhor, descobrindo que ele é uma pessoa fascinante e com uma personalidade muito própria. Não sei o que estou a sentir, mas sinceramente sei que é mais do que uma simples amizade. A partir desse dia, falamos muitas vezes. O Naim também está sempre connosco e ele adora o Kamal. Ao olhar para eles, anseio pelo fim desta guerra e por um futuro com paz e tranquilidade, que é exatamente o oposto daquilo que temos agora. Marisol Gomes e Mariana Angélico Clube de Jornalismo

A minha casa amarela A minha casa é amarela. É bonita e encantadora. O sol passa as nuvens e bate na janela do quarto do meu irmão Paulo. O quintal da minha casa é verde, perfumado, florido e extenso. As flores brilham como raios de sol, as abelhas retiram o delicioso pólen das margaridas, os esquilos trepam às árvores rugosas de casca castanha e os pica-paus picam os paus como serrotes que cortam a lenha para o inverno. Os caminhos de pedra cobrem o chão frio, os azulejos acabados de pintar secam ao sabor do vento. As nuvens sentem o frio e chamam a neve

que vem veloz como um foguete para tapar as telhas vermelhas e pesadas do telhado. A casa por dentro recorda, sozinha, os momentos vividos em família pela imensidão de fotografias, quadros e recordações. As janelas, embaciadas pelo frio, nevoeiro e chuva de dezembro, não saem de casa, mas a alegria de toda a família feliz, derrete os corações emocionados dos mesmos, que parecem ser a tristeza e a felicidade aconchegadas.

Patrícia Teló - 5º B

21


Um projeto de vida A cortiça e os seus feitos Na passada quarta-feira, dia 18 de abril, Mónica Gonçalves veio apresentar à escola, Colégio Nossa Senhora de Fátima, o seu projeto de vida. Mónica Gonçalves nasceu em Lisboa, em 1989. Desde pequenina que se interessava por trabalhos manuais, mas a Moda destacou-se. Embora a família tivesse manifestado algum receio pela sua decisão em estudar artes, o apoio dos seus 3 irmãos foi fundamental e decisivo para fazer o que mais gostava. Então, entre 2008 e 2012 frequentou o curso de Design de Moda do CIVEC, atual MODATEX, em Lisboa. Ganhou um concurso a nível europeu, Euroskills, em 2010 e aos 21 anos recebeu uma bolsa de estudo para Itália, onde estagiou na empresa Barena, que a convidou a

desenvolver uma coleção exclusiva para a marca Cork&Co. Neste estágio, Mónica, após várias tentativas, criou um fio juntando o algodão, a cortiça e a goma da batata, ficando este resistente e flexível. Ficou, assim, com a patente mundial do fio de cortiça. O grande projeto da artista foi transformar a cortiça num fio não quebradiço, que pudesse utilizar no design de roupa ou acessórios. A produção do rolo de cortiça demora cerca de 10 minutos, sendo considerado pela artista um processo rápido. Estas roupas de cortiça, para além de não se decomporem, podem ser lavadas na máquina e a qualquer temperatura. Com o grande objetivo de estudar e explorar materiais locais e naturais, criou sozinha, em 2013, a Grigi, empresa que pretende valorizar recursos e técnicas nacionais. No entanto, necessitou de ir ao programa televisivo Shark Tank e conseguiu arranjar 12 investidores. A casa Grigi já produz para o público desde julho do ano passado, tendo já algumas marcas mundialmente reconhecidas mostrado interesse nas suas criações com o fio de cortiça.

22

exportador de cortiça a nível mundial, resultado de uma exploração florestal com importância significativa na economia nacional. O sobreiro possui uma casca, a cortiça, única no mundo. Vive, em média, mais de 200 anos. É descortiçado, pela primeira vez, aos 25 anos de vida e, depois, de 9 em 9 anos, sem prejudicar o seu desenvolvimento. Cerca de 1,5 hectares de montado absorvem as emissões anuais de carbono de um automóvel médio. O sobreiro é considerado uma "árvore bombeira", pois resiste e trava os incêndios. A cortiça é um material sustentável, uma vez, que é biodegradável, reciclável e renovável. É também excelente isolador térmico e acústico, impermeável e leve. Atualmente, a cortiça também é usada para a produção de vestuário, mobiliário, decoração e muitas outras aplicações. Portugal é o maior produtor mundial de rolhas de cortiça.

Decidimos fazer esta notícia sobre Mónica Gonçalves, pois esta inspirou-nos com a sua história de vida e principalmente por ter lutado muito para concretizar os seus sonhos e alcançar os seus objetivos. Felicidades Mónica!

23Joana Manaia, Laura Lopes, Margarida Sismeiro - 8º B


Desafios Matemáticos 2018 Na terça-feira, dia 5 de junho, eu e o Manuel Mota fomos à ESECS receber um prémio por termos sido os vencedores, ao nível do 2º Ciclo, dos Desafios Matemáticos 2018. Quando chegámos à ESECS, fomos para um auditório onde vários professores daquela escola deram os parabéns a 21 alunos (três alunos vendedores dos Desafios Matemáticos ao nível do 1º Ciclo e três alunos do 2º Ciclo. Os restantes alunos tinham vencido o concurso MATMatrix). Depois dos cumprimentos e agradecimentos, passámos à entrega

dos prémios. Cada um de nós recebeu uma calculadora CASIO, um livro, um jogo chamado "Mancala", um relógio e um vale de 10euros para gastar na papelaria Americana. Depois de tirarmos algumas fotos, voltámos ao colégio, onde fomos acarinhados pelos nossos colegas. Nenhum de nós teria conseguido receber este prémio sem a ajuda do nosso professor de matemática, José Artur. Ele incentiva-nos muito a participar neste tipo de concursos. Gostei muito desta experiência, pois nunca tinha ganho um primeiro lugar num concurso matemático! Laura Moura - 6º A

Concurso "O Melhor Leitor da Biblioteca Escolar" Ao longo do ano letivo, os alunos do Colégio participaram no concurso " O M e l h o r Le i to r d a Biblioteca Escolar" no âmbito do Projeto Vamos Ler+. Este tem como objetivo incentivar e premiar o prazer de ler, de forma autónoma e lúdica, assim como consolidar h á b i to s d e l e i t u r a e estimular a frequência de leitores na biblioteca. A escolha dos livros foi feita livremente com incidência e aconselhamento à leitura dos livros recomendados pelo Plano Nacional de Leitura existentes na Biblioteca do Colégio.

Houve uma grande participação por parte dos alunos que aderiram com muito entusiasmo e motivação para a leitura. Os melhores leitores foram os seguintes: 1º Ciclo: Matilde Pinto (4º ano) 2º Ciclo: Joana Pedro (5º ano) 3º Ciclo: Marisol (8º ano) Às melhores leitoras distinguidas foi-lhes atribuído um prémio (livros) e um certificado de participação, no dia 6 de junho, entregue pela Sª Vereadora da Educação, Dra. Anabela Graça. Prof.ª Responsável pela Biblioteca: Ana Ogando

Um encontro com a escritora: Sílvia Brites No dia 20 de março de 2018, a escritora Sílvia Brites veio ao Colégio apresentar o seu recente trabalho "A vida do Senhor Tempo". Durante o encontro, a escritora falou-nos um pouco do seu passado e da sua inspiração para a escrita do livro "A vida do Senhor Tempo", com o prefácio do ator Ruy de Carvalho. A escritora descreveu o livro, pormenor a pormenor, e explicou que escolheu o Sr. Tempo, pois "tinha umas contas a ajustar com ele". Uma parte das receitas revertem para uma associação de idosos que estão doentes, "Palhaços d'Opital". Contounos também como interpretava a história. Houve ainda tempo para algumas questões, a que

a escritora respondeu com agrado embora não tenha conseguido, responder a todas, o tempo não chegou! Na minha opinião, o encontro com a escritora Sílvia Brites foi saudável e divertido, pois pudemos fugir um pouco à rotina. A seguir, tínhamos aula de Matemática, por isso, o horário não pôde "esticar". Mesmo assim, ainda percebemos que o tempo passa muito depressa na nossa vida e um tempo controlado, por vezes, vira a nossa vida de pantanas. Contudo, acho que a escritora gostou muito! Até eu!... Tomás Assoreira Caetano - 5º A

Ciclone junho 2018  

jornal do colegio de nossa senhora de fatima

Ciclone junho 2018  

jornal do colegio de nossa senhora de fatima

Advertisement