Page 1

ANO XXII- N.º 66 * JORNAL DO COLÉGIO DE NOSSA SENHORA DE FÁTIMA - LEIRIA

DEZEMBRO DE 2017


Natal a Força do crescimento Numa época plena de crise: regiões incendiadas, mortes, violações, perseguição aos cristãos, será ainda possível falar de alegria, de esperança, de mudança para dias melhores? De celebração do Natal? Foi em tempos conturbados da existência humana que os profetas do Antigo Testamento acenderem uma luz de esperança com a promessa de um Messias Salvador que viria renovar a Humanidade, tornando possível o reino de Deus na terra., reino de verdade, de paz, de justiça, de amor, já presente e atuante no mundo mas sempre a nascer no tempo, a construir eternidade… Para aqueles que andavam nas trevas, uma grande luz começou a brilhar. Por mais sombrio e incerto que se apresente o futuro, nós cristãos, temos de saber a razão da esperança, que nos anima. Os momentos de crise são também momentos de crescimento: vemos a solidariedade gerada à volta das situações mais gritantes…são momentos de estímulo, num crescimento para o bem e para a verdade. Ao criar o homem Deus dá-lhe uma sublime tarefa: " Crescei e multiplicai-vos, enchei a terra e dominai-a, ontem como hoje todo o homem é chamado a crescer, a construir e a embelezar a sua catedral interior, a conservar, a fazer crescer a criação… Conecta-te a Deus, foi o tema da nossa primeira oração do ano letivo. Todos procurámos interiorizar e sintonizar com o Deus da nossa vida que nos dá a força de querer ser sempre mais, de nos darmos mais, de nos amarmos mais. É com ele que querermos comprometer-nos crescer num intercâmbio de amor, deixando-nos banhar no seu sol, reavivando e valorizando todas as potencialidades que nos ofereceu. Durante o mês de outubro, dedicado a Maria, todos os nossos alunos passaram pela capela do colégio num momento de oração comunitária, viva e comprometida, que tinham preparado nas catequeses anteriores, como no período do Jubileu do centenário da Aparições. Os mais pequenos deram aos pais um lindo testemunho, criando um belíssimo rosário de pérolas brancas, exposto na receção. Este foi mais um momento de envolvimento no sol de Deus projetado por Maria. Conectar com Deus, consigo mesmo e com os outros em permanente diálogo exige testemunho de vida, exige atenção e observação. Deus mudou a sua condição e sentou-se à direita do homem: Jesus veio nascer no tempo e nós passámos para os dias da eternidade. Desejamos a todos vós um santo

2

Irmã Maria Manuel

Ficha Técnica Jornal do Colégio de Nª Sª de Fátima Ano XXII - nº 66 dezembro de 2017

Colaboradores Alunos do Clube de Jornalismo Inês Carvalho - 6º A Filipa Pedrosa - 6º A Carlota Bregieira - 6º B Mariana Monteiro - 7º B Aurélio Bento - 8º B Clara Chambino - 8º B M.ª Carolina Pereira - 8º B Salomé Fonseca - 8º B Vasco Guarda - 8º B

Coordenação Ir. Maria Manuel Fonseca Prof. Paulo Rosa

Capa e arranjos gráficos Prof. Paulo Rosa

Este exemplar foi totalmente composto, paginado e impresso no Clube de Jornalismo do Colégio Nª Sª de Fátima Leiria


Autobiografia de um homem renascido Nasci a 6 de março de 1944, na pequena aldeia de Cerqueira, no distrito de Aveiro. A minha infância foi passada nesta aldeia a ir à escola (influenciada pela ditadura Salazarista) e a criar gado. Esta era a típica vida da aldeia. Nunca fiz grandes estudos, pois, aos 22 anos, fui chamado para o Ultramar para combater nas colónias e naveguei para Moçambique no famoso "Santa Maria". A guerra nunca é boa, porém, devido ao medo que nós sentíamos, acabámos por nos unir e o convívio era sempre positivo para todos. Recém casado com Gracinda de Jesus, sempre necessitei de falar e contactar com a minha esposa (escrevia-lhe todos os dias). A guerra não tinha acabado, mas passados 2 anos, voltei para Portugal. Aqui, a minha vida também não melhorou devido à necessidade de adquirir uma casa. Então, com o pouco dinheiro que tinha, comprei aos meus irmãos a casa que antes pertencera a meu pai. Como não tinha dinheiro suficiente para lhes

pagar, passei a fronteira e viajei até França. Nessa altura tinha já dois filhos, que ficaram com a minha esposa em Portugal. Arranjei trabalho por dois meses em Paris, mas, após esse tempo, viajei até Hamburgo, pois a Alemanha estava a precisar de trabalhadores. Quando já tinha um trabalho estável, levei a minha esposa e os meus filhos, que passaram ali a sua infância. A minha esposa encontrou trabalho e lá ficámos. Aos 65 anos, aquando da reforma, vim para Portugal, para a casa que tinha comprado, e paguei as dívidas aos meus irmãos. Hoje, com 72 anos, vivo na minha terra Natal com um conforto muito grande relativamente ao que tive na infância. Sou feliz e alcancei tudo o que tenho devido à minha coragem e determinação. André Alves nº3 7ºB

Renascer: uma forma de sustentabilidade social Renascer remete simultaneamente à polaridade negativa e positiva, pois se por um lado radica de algo menos bom, augura por outro, por algo bem valioso, dar novo sentido à vida, e assim, voltar a nascer. É nesta filosofia que cada um de nós se pode enquadrar, assumindo que diante de frustrações e obstáculos, possamos descobrir uma força interior maior que nos impele à ação, à mudança e ao enfrentamento. O renascer sustenta-se na resiliência de cada um de nós. Há por isso que alimentar esta capacidade de olhar para cada um de nós com estima, consideração, gratidão e nesse cumprimento compassivo encontrar a energia que alavanca novas oportunidades e conquistas. Só partindo de mim, e do reconhecimento daquilo que sou capaz, consigo ganhar ânimo e oferecer-me ao outro, ao mundo que me rodeia, constituindo diferença, ajudando e sendo uma mais-valia. Será esta a filosofia do momento?! Renascer em nós mesmos, para que com outros olhos vejamos o mundo, sintamos a mudança e assumamos uma nova atitude, renovada e impregnada de verdadeira sustentabilidade, ambiental e social. A mudança coletiva parte sempre da força individual de cada um de nós. Votos de uma viva esperança com muita perseverança! A psicóloga Elsa Rodrigues

3


Gabrielle Chanel foi a fundadora da casa Chanel. No Institut Notre-Dame de Moulins, mantido por religiosas católicas, aperfeiçou a sua técnica como costureira e reencontou a sua tia Adrienne. Tinham quase a mesma idade e ambas pretendiam sair da condição de pobreza. Consideradas aptas na costura, as duas foram encaminhadas a um ateliê especializado na confeção de roupas e jóias de noiva. Chanel faz as suas primeiras aparições no La Rotonde, um caféconcerto frequentado por oficiais do exército. Lá, ela apresenta-se como cantora, sonhando com o Music Hall. A sua alcunha, Coco, surgiu nessa época, e foi dada pelos oficiais, possivelmente a partir de uma canção, "Qui qu'a vu Coco dans l'Trocadéro", que ela interpretava. Por volta de 1909, ela conhece o milionário inglês Arthur Capel, que seria o grande amor da sua vida. Capel ajudou-a a abrir a sua primeira loja de chapéus, que faria Chanel tornar-se um sucesso e logo apareceria nas revistas de moda mais famosas de Paris. A sua história de amor terminou tragicamente, quando ele morreu num desastre de carro. Com este desgosto, Chanel abriu a primeira casa de costura, comercializando também chapéus. Nessa mesma casa, começou a vender roupas desportivas, para ir à praia e montar a cavalo. Pioneira, também inventou as primeiras calças femininas. No início dos anos 20, Chanel conheceu muitos artistas importantes, tais como Pablo Picasso, Luchino

Visconti e Greta Garbo. As suas roupas passaram a vestir as grandes atrizes de Hollywood, e o seu estilo ditava a moda em todo o mundo. Os seus tailleurs são referência até hoje. Além de vestuário, também desenvolveu perfumes com a sua marca. Em 1921, criou o perfume que iria convertê-la numa grande celebridade, o Chanel Nº 5. O nome deve-se ao facto de ter sido a quinta fragrância a ser-lhe apresentada , para que escolhesse, e porque o 5 era o seu número da sorte. Depois desse perfume, veio o nº17, mas não teve o mesmo êxito. Curiosidades Quem ficou a dirigir a marca após a morte de Chanel? Depois da sua morte foi o seu amigo Karl Lagerfield que tomou conta da marca. A Chanel será uma marca ecológica? O estilista Karl Lagerfield que trabalha atualmente na Chanel-rendeu-se ao que era ecologicamente correto. Ele criou para a Chanel, no seu desfile de inverno de 2010, peças com pele falsa. A partir dessa coleção, a marca apostou na sustentabilidade, sem nunca deixar de ser uma marca de luxo, mas com preocupações ambientais. Alice Mota, 5.º B/ Clube de Jornalismo

Ser empático… sempre. Com origem no termo em grego empatheia, que significava "paixão", a empatia consiste numa comunicação afetiva com outra pessoa, sendo uma das bases da identificação e compreensão psicológica de alguém. A empatia, considerada a mais importante das habilidades, é a característica psicológica de sentir o que sentiria a outra pessoa, caso estivesse numa determinada situação vivenciada por ela, ou seja, a empatia consiste em colocar-se no lugar de outro indivíduo e tentar compreender os sentimentos e emoções que ele está a sentir naquele momento. Ser empático é a melhor maneira de ajudar alguém psicologicamente. Ser-se empático traz várias vantagens, tanto 4 para o próprio, como para a outra pessoa:

" Entendemos melhor as necessidades das pessoas ao nosso redor; " Percebemos melhor o impacto que as nossas palavras e ações criam nos outros; " Te m o s m e n o s c o n f l i t o s interpessoais; " Conseguimos antecipar com maior precisão as reações de quem interage connosco; - Aprendemos a motivar determinada pessoa; - Lidamos melhor com a negatividade do outro; - Por fim, somos melhores chefes, líderes e, mais importante, um melhor amigo. Miguel Gomes - 7.º B


Viver na aldeia Olá, eu sou o Ricardo e gostaria de vos contar um pouco sobre a minha vida e sobre o contacto que tenho com a natureza, vivo numa aldeia situada na Serra de Aire e Candeeiros, em plena natureza. O meu pai sempre aqui viveu e a minha mãe veio para esta aldeia quando se casou, nasci em Leiria e vim viver para aqui juntamente com os meus pais, aqui fiz a escola primária e agora no quinto ano decidimos que o melhor seria ir estudar para Leiria. A vida na aldeia tem muitas vantagens, podemos sair à rua e brincar livremente comos vizinhos, atravessar um terreno agrícola e bater à porta do nosso vizinho para brincar com ele ou apenas para pedir um pouco de salsa à vizinha do outro lado do jardim. Aqui no campo podemos fazer imensas coisas divertidas, como subir um monte de pedras ou descer um vale, fazer caminhadas, brincar com os amigos no meio das pedras ou marcar um encontro no campo de futebol, ver os coelhos bravos da janela do nosso quarto ou os ninhos nas árvores do jardim, ver as estrelas ou apenas

olhar a paisagem do moinho da Cabeça do Sol… Mas o melhor é que aqui como não vive muita gente, todos nos conhecemos, podemos ir ao pão quente e comprar um pão caseiro feito na hora ou dizermos ao José Paulo para nos deixar à porta de casa o pão, pedirmos à dona Céu uns ovos ou uma alface à São do Amaral. Aqui não temos nem o barulho ou confusão da cidade, há menos poluição, tudo é mais calmo e é mais fácil encontrar os nossos amigos para brincar na rua ou em casa de qualquer um de nós. Na minha aldeia, eu adoro brincar com os meus amigos, às vezes ficamos tardes inteiras a conversar, brincar, falar, contar piadas. A brincadeira por vezes prolonga-se tanto tempo que os nossos pais acabam por também eles se divertirem com os pais dos nossos amigos e de uma brincadeira de crianças passa a um jantar de amigos e umas noites bem divertidas. Se eu podia viver na cidade? Sim podia, mas não era a mesma coisa. Ricardo Rosa, 5.º A n.º 22

Projeto "Move up" integra alunos do 5º ano Todas as semanas, no intervalo após o almoço, os alunos do 9º ano fazem atividades lúdicas com os alunos do 5º ano nos diferentes espaços da escola. O projeto "Move up" consiste em dinamizar diferentes atividades uma vez por semana. Os alunos do 9º ano dividem-se em grupos, responsabilizando-se cada um pelo seu grupo, composto por 9/10 alunos. Depois de decidirem, em conjunto, quais as atividades para aquele dia, todo os alunos se divertem fazendo pinturas, jogo da bandeira, atividades desportivas, caça ao tesouro, jogo de perguntas, entre outros. Este projeto tem como objetivo acolher os alunos do 5º ano, ajudando-os a integrarem-se num novo ciclo, fortalecendo os laços entre eles. 5º Ano

5


O vegetarianismo Nos nossos dias, ouve-se falar de fast food e de obesidade, mas, cada vez mais, existem pessoas que alteram o seu estilo de vida com o desejo de se tornarem mais saudáveis. A dieta vegetariana passou, assim, a fazer parte dos hábitos alimentares de muitos portugueses, que procuram renascer para um estilo de vida diferente. O que é ser vegetariano? Ser vegetariano é optar por não comer produtos de origem animal (carne, peixe, ovos, leite…) e apenas ingerir produtos de origem vegetal (vegetais e frutas). Existem quatro tipos: o ovolactovegetarianismo (que não consome carne e peixe, mas consome ovos e laticínios), o lactovegetarianismo (não inclui ovos, carne e peixe, mas contempla laticínios), o vegetarianismo específico (que não permite qualquer alimento de origem animal) e o veganismo (que não contempla alimentos, vestuário, produtos e serviços de origem animal). Como é que os vegetarianos conseguem obter determinados nutrientes sem ingerir produtos de origem animal? Para obter proteínas (que se encontram na carne e no peixe), os vegetarianos optam por consumir leguminosas (ervilhas, feijão, favas…), tofu e seitan. Para substituir os laticínios, consomem leite de arroz, de soja ou de amêndoa. Como posso tornar-me vegetariano? Ser vegetariano implica mudar radicalmente a nossa rotina alimentar, por isso, o desejo de ser vegetariano tem de ser muito bem planeado. Deve-se sempre consultar um médico para termos a certeza se temos condições de saúde para deixar de comer carne, peixe, ovos e leite. Fica aqui a sugestão de um prato vegetariano cheio de sabor! Ovos com abóbora, curgete e queijo feta Ingredientes: 300 g de abóbora, 1 curgete, azeite q.b., sal e pimenta q.b., 8 ovos, 1 cebola roxa, 1 embalagem de rúcula, 200 g de queijo feta Preparação Corte a abóbora e a curgete em cubos e coloque-os num tabuleiro. Regue-os com azeite e tempere-os com sal e pimenta. Leve ao forno pré-aquecido a 190ºC por 10 minutos. Numa taça, bata os ovos e tempere-os com sal e pimenta. Adicione a cebola laminada e a rúcula e envolva. Retire o tabuleiro do forno, pincele com azeite as laterais e verta a mistura de ovos sobre os legumes. Espalhe por cima o queijo feta aos cubos e leve novamente ao forno até prender.?

Concurso " Centenário das Aparições de Fátima" O Concurso as Aparições de Fátima, promovido, em Abril, pela Santa Casa da Misericórdia de Lisboa destinavase a crianças da catequese, alunos de Educação Moral e religiosa católica em Escolas da rede Pública e matriculados nesta Disciplina. Os alunos do nosso Colégio inseriram-se no Concurso Escolar das Aparições de Fátima. Foram apresentados 39 belíssimos trabalhos, que irão ser devidamente premiados e que irão receber, em breve, os prémios respetivos. Parabéns a todos. Destacamos aqui, em especial, a Alice Reis Mota do 1º ciclo, Matilde Almeida do 3º ciclo, Leonor Nunes, Constança Ferreira e Beatriz Lourenço - também do 3º ciclo. Todos com o 1º prémio. Os 30 trabalhos melhor classificados irão ser expostos pela DCML em local a designar. 6


Tira as tuas sandálias Evoquemos aquela página da Bíblia que apresenta Moisés guardando os seus rebanhos nas altas planícies do Horeb. De repente, ei-lo que se detém, admirado, ante um arbusto que arde sem se consumir. Um terror sagrado o invade. Ele aproxima-se para contemplar aquele prodígio mas surge das chamas uma voz que o detém: "Tira as tuas sandálias, porque a terra que pisas é uma terra Santa". A oração é um lugar sagrado, a terra santa em que Deus habita. É aí que Ele espera o homem, é aí que lhe falará e, talvez, o abrasará no seu amor terno e poderoso. Sendo uma atividade mais de Deus que do homem, a oração escapa de certo modo às investigações da razão: ela é um mistério. Mas nem por isso é proibido desejar compreendê-la melhor: isto é aliás um dos mais altos objetos oferecidos à pesquisa do espírito humano. Mas para o conseguir, é preciso renunciar à pretensão de lhe arrancar todos os véus de mistério, é mister colocar-se sob a condução do Espírito Santo e prosseguir humildemente, de pés descalços, para conectar com o divino. (Caffarel - "Cartas sobre a Oração")

Quão amigo do ambiente és tu? Entre os dias 15 e 22 de novembro, realizou-se um inquérito aos alunos do 2.º e 3.º ciclos com o objetivo de se aferir se os alunos do colégio, no seu dia a dia, levam a cabo ações que beneficiam o ambiente. Os resultados que, a seguir, se apresentam têm por base entrevistas realizadas a 50 alunos, 10 por cada ano letivo. Pergunta 1: Em casa, tens por hábito fazer a separação do lixo?

Pergunta 2: Costumas ter a preocupação de fechar a torneira enquanto lavas os dentes?

Pergunta 3: É frequente tomares banhos muito demorados?

Pergunta 4: Quando sais de casa, costumas deixar os aparelhos eléctricos ligados?

Analisando os resultados do inquéritos, conclui-se que os alunos do colégio demonstram preocupação na preservação do ambiente e dos seus recursos naturais. No entanto, impõe-se uma reflexão comum, no sentido de percebermos que temos todos de mudar, ainda mais, as nossas rotinas, para que possamos usufruir deste nosso planeta na sua plenitude. Num período de seca, como o que se vive neste momento em Portugal, devemos, por exemplo, fazer um uso moderado e racional da água, um recurso indispensável à vida! Clube de Jornalismo

7


O Diário de Anne Frank foi um dos livros mais emblemáticos do século XX. A obra foi escrita de 1942 a 1 de agosto de 1944 e fala sobre o período difícil que foi a Segunda Guerra Mundial. Conta-nos sobre Anne Frank que, com apenas 13 anos, sofreu uma enorme reviravolta na sua vida, pois, devido à guerra, teve de mudar de casa e ir morar para um anexo secreto no prédio do gabinete onde trabalhava o seu pai, com outros judeus. Então, Anne passa a viver também com a família Van Daan - Miss Van Dan, Mister Van Dan e Peter, o filho, que se torna o seu melhor amigo e por quem ela se apaixona. Nas páginas do seu diário, relata a enorme pressão e preocupação que existe no esconderijo devido à guerra entre Nazis e Judeus. De facto, a ideia inicial de Anne, mais do que desabafar com palavras, era escrever um diário, para que, posteriormente, fosse publicado para mostrar às pessoas como foi verdadeiramente o HOLOCAUSTO. Mas esta ideia nasceu após uma transmissão radiofónica que incentivava as pessoas a documentar os eventos ligados à guerra, pois este material teria, futuramente, um grande significado. Ela descreve, assim, tudo o que se passa no quotidiano da sua família e da família Van Daan, inclusivamente a sua excelente relação com o pai, que considerava amoroso e nobre, ao contrário da que estabelecia com a mãe, com quem entrava frequentemente em desacordo. Anne Frank destaca intensamente, e já no final do diário, os dois lados da sua pessoa, o lado que faz com que ela seja amável e doce e o lado que faz com que ela seja rude, mas, ao mesmo tempo, esteja confusa. Mafalda Matias - 7.º B

Se na Natureza encontramos flores de tantas cores, por que razão a cor da pele é tão importante? Se foi Deus que criou todas as coisas, tal como todas as cores, porque sentimos nós o direito de questionar a importância das diferentes cores da nossa pele? A toda a hora, meninos e meninas são discriminados pela raça ou pela cor da pele, pois há pessoas que ainda não perceberam que tendo a pele mais escura ou tendo a pele mais clara somos todos iguais à luz de Deus. O tema do Racismo é transversal a todas as raças, porque desencadeia sentimentos de raiva e ódio que provocam atos de violência e terrorismo. Parece que a cor da pele não está sozinha no racismo porque as diferenças culturais, de religião ou de fé, também provocam sentimentos de intolerância. O mais difícil é explicar que, se Deus está em toda a parte e criou todas as coisas, por que razão os adultos pensam que as diferenças podem ser questionadas? Deus é paz e não guerra!

8

Beatriz Silva - 5ºB


O Renascer das Cinzas Recentemente, Portugal foi fustigado por uma série de fogos trágicos que queimaram e destruíram uma grande parte do país. O terror foi-se espalhando, pessoas e animais foram morrendo, casas ficaram parcial ou totalmente destruídas e muitas pessoas viram o trabalho da sua vida inteira a ser cruelmente queimado pelas chamas. Como se nada tivesse valor. Como se tudo tivesse sido em vão. A falta de esperança, o desespero, o pânico, a sensação de impotência, o facto de não conseguir parar com esta avassaladora destruição predominava nas pessoas. Tudo ficou irreconhecível. Os pinhais passaram de um verde alegre, cheio de vida, para um cinzento deprimente, sem vida e, de certa forma, desnecessário,

porque se todos nos preocupássemos em limpar e cuidar das matas, os fogos não teriam tanta incidência como têm agora, imensas desgraças seriam evitadas e vidas poupadas. As pessoas focam-se, agora, no que perderam, em vez no que devem fazer para recuperar desta catástrofe. Claramente que temos de ser nós, portugueses, a tomar a iniciativa: temos de ser nós a limpar as matas, a plantar árvores, a aprender a viver com a terrível realidade que aconteceu. Temos de ser nós a ter força de vontade, a reconstruirmo-nos, a reerguermo-nos, a encarar a realidade e a renascer das cinzas. Inês Brito - 9º A

O Verde Pinhal de Leiria, Que há muito foi plantado, Encontramo-lo, hoje em dia, Praticamente queimado. Plantado por El Rei, Evitou tempestades e ventos, A sua madeira nos ajudou, Na construção das Naus dos Descobrimentos. Grande história Se associa a ti, ó Pinhal, Espero voltar a ver-te Como sempre te conheci.

O Pinhal de Leiria, conhecido, também, por Mata Nacional de Leiria, Pinhal do Rei ou Ana Luísa Marques, 6ºA Pinhal da Marinha, tem cerca de 700 anos. Pensa-se que este foi mandado plantar pelo rei D. Dinis, no século XIII, mas há historiadores que afirmam ter sido nos reinados de D. Sancho II ou de D. Afonso III. O principal objetivo da sua plantação foi impedir o avanço das dunas, causadas pelo vento. E, deste modo, também impedir que estas prejudicassem os terrenos de cultivo. Mais tarde, na época dos Descobrimentos, passou a ser utilizada a madeira das suas árvores para a construção das embarcações. Infelizmente, acerca de um mês, arderam perto de 16 mil hectares deste Pinhal, restando assim apenas 20% do mesmo. Esperamos ansiosos por novas árvores e por um novo Pinhal. Mar 6º B

9


Viver

Nós e os Outros!

Na sala de partos, chora uma criança Eis que o milagre acontece, E com ele a esperança Nos é dada por Quem não nos esquece. Vivendo em harmonia, Com o Homem e com o Mundo, Faz da vida uma bela sinfonia, Com o coração como pano de fundo. Sentindo o passar dos anos, Na pele cada ruga foi tecida, Conseguiu concretizar os seus planos E compreender o milagre da vida. Patrícia Teló - 5º B Solidariedade Ajuda os pobres! Ajuda-os a viverem em alegria, Com amor, felicidade e amigos, E num reino de magia. De manhã , ao acordarem, meu Deus! Faz com que tenham à mesa um pão, E a nós que nada nos falta, Abramos o nosso coração. Há alguns que não têm pais nem família. Temos que os ajudar a sorrir, Para que um futuro Consigam construir. Passam sempre o Natal sozinhos, É o momento para pensar Se os podemos acolher em Família, É isso que lhes vamos dar. Um sorriso, um obrigada sentido, É o que nos basta receber. Pela ajuda e carinho partilhado, Esta é também uma forma aprender! Matilde do Canto Araújo - 5ª - B

Conecta-te à Natureza Cuida da Natureza não poluas o ar, é muito importante que continues a respirar. Camila Ochoa - 5.º B

10

Olho à minha volta, Não há tablets nem internet. Apenas adultos a conversar, E crianças a brincar! Crescer Está em todo o lado, a magia da natureza É a obra de arte de Deus A nossa Natureza. Tem em si uma magia Que ninguém consegue explicar Mas só isso é suficiente Para em Deus acreditar! Viver com Deus na Natureza É viver com alegria, É sentir pura beleza, Repleta de harmonia! No meio da Natureza Nunca estamos sós. Há uma força que nos abraça E que chama por nós! Todos juntos na Terra Temos uma verdadeira missão Defender a Natureza Com amor no coração! João Diogo Silva - 5.º B

Conecta-te à Natureza Entra numa floresta e começa a desfrutar descansa, calmamente, até sentires um cheirinho no ar. Sente esse aroma o aroma da Natureza. Na floresta é tudo calmo, não há tristeza. Os animais caçam, para se alimentar. É o ciclo da Natureza, não os devemos perturbar. Tiago Manso 5º B

Os pobres não têm dinheiro, Os ricos devem ajudar, contentes ficaram os pobres, com os verdadeiros amigos a ajudar. Olho para dentro das casas, Vejo a mesa posta para o jantar. E à volta dela, Pais e filhos a comer e a conversar! As casas não têm muros, Ali encontramos amigos para brincar, Ouvem-se os sons da Natureza, Pessoas e crianças a falar. Acordei e vi que nada era verdade, Foi tudo um sonho. Mas porque não, será esta a nossa realidade? Anita Ferreira Venda - 5º B

Conecta-te à Natureza Conecta-te à natureza, junta-te a mim, vem, precisa de uma grande limpeza, precisa de ti também. Nós precisamos dela, faz nos falta a natureza. Se a ajudarmos, voltará a ser linda, com certeza. Miguel Cardo 5º B

Ama a Natureza Para usufruir da Natureza É preciso cuidares dela. Pois é fonte de alimento E todos vivemos nela. Não te esqueças: A Natureza está a morrer, Deus não está a gostar. Por isso, não a poluas, E vem nos ajudar. Tomás 5º A


Outubro, mês do Rosário Todos os dias são especiais porque são uma nova oportunidade para festejar e agradecer tantas alegrias e bênçãos na nossa vida, mas o mês de outubro é -nos par ticular mente quer ido porque lembramos que foi a nós, membros da Ordem Dominicana, que Nossa Senhora confiou a devoção do Rosário. No Colégio, tivemos ao longo de todo o mês um conjunto de atividades que nos ajudaram a viver e a celebrar esta ocasião tão especial. Ficam aqui 3 testemunhos de professores dos diferentes ciclos sobre esta atividade que abrangeu todas crianças do nosso Colégio: desde a Préprimária, que se preparou dedicando à construção da linda cruzinha do nosso Rosário; ao 1º Ciclo com a realização das preces e das florzinhas que correspondiam ao "Pai- Nosso" do Nosso Rosário e ao 2º e 3º Ciclos que

construíram as 200 florzinhas brancas que correspondiam às "Avé Marias". O resultado final desta atividade é um maior amor ao Rosário e a valorização desta preciosa oração de que somos todos herdeiros como membros desta comunidade dominicana que é o Colégio Nossa Senhora de Fátima. O empenho e a dedicação de todas as nossas crianças, bem como dos respetivos professores e membros da Equipa da Pastoral envolvidos nesta atividade (Prof. Olinda Mota, Prof.º João Paulo e Prof. Sara Cruz), são bem visíveis no lindo rosário que hoje se encontra exposto na entrada do nosso querido Colégio.

No mês de outubro tivemos uma missão muito importante: construir a cruz do Rosário do nosso Colégio. No início ficamos um pouco preocupados pois queríamos muito fazer algo muito bonito para o nosso amigo mais especial, Jesus! Tivemos várias ideias e foi muito difícil escolher, mas, em conjunto, decidimos encher a cruz com muitos pompons! Arregaçamos as mangas e com a ajuda de um garfo fizemos tantos, mas tantos que nem os dedos das nossas mãos eram suficientes para os contar! Fizemos um belo trabalho de equipa! Estivemos sempre muito empenhados e depositamos todo o nosso carinho em cada pompom que foi surgindo de um emaranhado de lãs! Cada pompom representa um bocadinho de nós! Eles são fofinhos, tal como nós, muito coloridos como a alegria que nos caracteriza e em cada um deles vai um pedacinho do nosso coração! Quando fomos entregar a nossa Cruz, tivemos a oportunidade de ser calorosamente recebidos pela Irmã Liliana que nos acolheu numa bonita oração! Aprendemos uma linda canção sobre a nossa mãezinha do Céu e sentimo-nos muito mais próximos de Jesus na linda Capela do Colégio onde queremos regressar! Como alguns de nós dizem, fazer a Cruz "fez-nos sentir amor porque fizemos com carinho para o Jesus que é muito nosso amigo" e "também sentimos alegria porque pudemos dar uma prenda a Jesus e Ele ficou feliz!".

Ir. Liliana Santos, op

"Ó Senhora minha, ó minha Mãe, eu me entrego toda a Vós…" Outubro, mês do rosário e mês de Maria… Foi com este pano de fundo que se viveu mais um mês temático no nosso Colégio. Um tema interessante que não passou, de todo, despercebido a cada um dos nossos alunos. As histórias que foram contadas, as orações meditadas em turma, as flores criadas com t a n t o entusiasmo e e m p e n h o, a s preces redigidas individualmente, a dezena rezada com as pessoas que nos são queridas e a partilha de tudo isto com a comunidade educativa… Foi o conjunto destes momentos que levou a que todos, nas mais variadas formas, nos conectássemos a Deus por intermédio de S. Domingos de Gusmão e da nossa mãe, Maria. O resultado ficou bem à vista de todos: um Rosário lindo e com um pedacinho de cada um dos nossos meninos! Prof.ª Sara Cruz

Sala do Pré-Escolar

11


Sessão de Boas Vindas Após umas muito merecidas e bem desfrutadas férias, chegou aquele momento delicioso, de nos voltarmos a encontrar para recomeçar mais um ano letivo. Temos de concordar, que a melhor forma de o fazer, é começar com uma simples e acolhedora oração, entregando a Deus todos os nossos propósitos e esperanças para este novo ano. Foi nesta certeza, que a Equipa da Pastoral do Colégio, preparou diversos momentos de oração para acolher os membros da nossa Comunidade Educativa: Professores, Funcionárias e alunos dos diversos ciclos. Seguem-se alguns testemunhos sobre estes momentos de oração e convívio. Ir. Liliana Santos, op

Oração "Senhor, tua Palavra é lâmpada para os meus pés e Luz para os meus caminhos …" Salmo 119 Foi este o mote para iniciar mais um novo ano letivo. Cada professor foi, logo no início de setembro, incumbido de ser luz na vida dos alunos. Recordadas as palavras e ensinamentos de Teresa de Saldanha foi feito um compromisso pessoal para pôr em prática no decorrer deste ano. Foram também 'fornecidos', a cada professor, os materiais necessários para ajudar cada um a continuar o bom trabalho que tem vindo a ser feito: sementes para semearmos o que há de melhor em nós, recortes coloridos para florescer o que de melhor há em nós, tinta para dar cor aos nossos dias cinzentos, chocolate para adoçar os nossos momentos de amargura, um leme para quando parece que estamos a perder o rumo, uma corda para lançarmos oportunidades. Prof.ª Sara Cruz

Tudo começou no "salão velho". Janelas fechadas e luzes apagadas. Lá se iam sentando, as funcionárias, cheias de curiosidade e alguém murmurou: "tão escuro, estamos a poupar luz?" Cada uma acendeu a sua velinha no Círio Pascal. Fez-se luz. Todas se sentiram mais perto de Deus e foram caminhando para a capela. A última a sair foi a Irmã Francisca, com o Círio. Já na capela, depois de alguns cânticos e orações, cada uma recebeu um saquinho com pequenos símbolos que foram explicados um a um. Confesso que, inicialmente, me distraí das palavras da Irmã Liliana. Fiquei presa na expressão de cada cara e no brilho de cada olhar… estavam completamente envolvidas. Depois, dizia a Irmã, tal como um girassol se vira para o sol, também nós estamos sempre virados para Deus… sorrindo para todos, dizendo uma palavra simpática, semeando alegria à nossa volta. A oração terminou e recomeçou a rotina de cada uma. Fui perguntando se tinham gostado da oração e as respostas foram idênticas: "adorei", "senti que é importante trazer aquelas ideias para a nossa vida", "nada de má disposição", "vamos sorrir para toda a gente", "aquela do girassol faz-nos pensar". Se me pedissem para representar esta oração numa tela, colocaria os rostos de todas no centro de um grande girassol sobre o altar. Prof.ª Olinda Mota

Festa da Bíblia 20 de Novembro de 2017 - 4º Ano Testemunhos das Crianças que realizaram a Festa da Bíblia

"O tei ais gos m u e e ção foi qu celebra a d nos n li nesta e Fábio ara a r d a P p oo bíblia, odo quand eijar a b m a r m a u p pediu tratarmos de cânticos s e o lermos ecial. Todos ito am mu es p muito elebração for várias desta c s e contavam sus." bonito da vida de Je s história

12

Maria

"Quando recebi a Bíblia senti paz, amor… Agora quero andar sempre com ela. Adorei a Festa." Maria Miguel

Festa " N a da Bí gos blia e u receb t e i q e levan mos a Bí u a n d o b t Receb amos no a lia porque r, foi e emos a n um b eijo. J a Bíblia e graçado. d á emos posso dent -l ro." ver a Bíblia he por R a fa e l


Pré-Escolar e 1ºCiclo

No primeiro dia de aulas, 11 de setembro de 2017, pelas dez horas e trinta minutos, os alunos do Pré-Escolar e Primeiro Ciclo foram acolhidos no ginásio do Colégio pela Comunidade Educativa. "Cantámos uma canção muito bonita para Jesus." Os professores dinamizaram a parábola do Semeador a fim de ser explorada pela Irmã Liliana e pelo Prof. João Paulo. "Ouvimos a história de um senhor que plantava mas as sementes não cresciam porque não tinha terra boa." As crianças interagiram e perceberam a mensagem da necessidade de um terreno fértil, para que a sementinha germine. "Só se pode plantar em terra boa porque na dura e nas pedras não nasce." a atividade, todas as turmas ordeiramente subiram ao palco e colaram um coração com a atitude a ter ao longo do ano letivo - Ser um terreno fértil para me conectar comigo e com os outros. "Colámos os corações numa árvore; Os corações somos nós e a árvore é Jesus." criança teve uma sementinha que levou para a sala de aula onde tomou conta dela e ajudando-a a germinar. "Senti que já estou mais crescida." dos corações e lembrar-se de nós." Na Portaria do Colégio ficou exposto todo o trabalho realizado nesta atividade de receção e boas vindas a todos. Profª. Lídia e Profª. Maria Jesus

tivo ntro colherás ovo ano le is marcava o reenco n te Semeia e s e d l augura bilo, po um A oração in nte de festa e de jú ito tempo. iciparam n u rt ie m a b p á m , h s a s ã m to m vam jun mado sores e Ir decorreu e um foi cha já não esta eus profes a e s d u s a q lo C s e r. o p o ig s d o a or de a m ompanhad la do Seme er semead c s o a b a , s rá m a lo é P ic b a c n m terceiro , mas ta baseado il e dá fruto de reflexão rt fé to n a e rr m te o m i em : cada nte que ca do Colégio ar l ra to s a ser seme Deus. a P té germin de Equipa da r cuidada a ado pela da Palavra e ç s n e v la e i d l fo a qu amente, O desafio . Simbolic semente a s a to m u u fr u ê e d b eta. rece que nosso Plan o adolescente rá ser plantada para é e u q ante, ta Casa eve cuidar des o é gratific e depois d a lh a o b -l a á tr v le o i , va árduo Colégio este gesto vo, embora os alunos do nosso ti le o n a te em e s Nes os rodeia, n e as aluna e u u q q r e o u d q n u e ntes ao m o mundo visto que s am indifere devem conectar-se a ç e n a rm e não p isso, ximo, para ao seu pró e a Deus. sete Brás P r o f. ª E li

2º e 3º Ciclos

13


Conhece estes destinos de férias? Para muitas pessoas, viajar é o concretizar de um sonho. Existem destinos que são muito vulgares, mas também existem aqueles que são menos conhecidos, tais como:

Bergen É uma cidade situada no noroeste da Noruega e é a segunda maior cidade do país. A cidade está rodeada por sete montanhas o que lhe confere uma bela paisagem, tendo também um cenário medieval. Bergen é um centro de cultura, comércio e estudos universitários na costa oeste da Noruega. Visite a zona do cais, o mercado do peixe e ande no Floibanen Funicular, para ter uma vista panorâmica sobre a cidade. Obrigatório é também fazer uma excursão aos fiordes. Entre a gastronomia típica da região está o salmão defumado, lutefisk (prato à base de peixe branco seco e soda cáustica), hakkasteik (prato de carne picada de diversos animais), fårikål (cozido de borrego e repolho), kransekake (bolo típico norueguês), etc. Otranto Otranto, localizada no sudeste da Itália, é uma cidade que mistura história, cultura, arte e natureza. É uma zona rica nas melhores praias da Puglia, para além de ser uma zona repleta de vestígios históricos gregos e romanos. Explore as ruas do centro histórico e visite o castelo e a catedral. Passeie também pela costa Adriática e Jónica. Porto Cesareo, Gallipolli, Porto Badisco, Torre San Giovanni e Santa Maria del Leuca são outros locais que poderá conhecer em Otranto. Poderá optar também por um passeio 14 de barco, passando pelas grutas Zinzuluza e Grande Del Cielo.

Relativamente à gastronomia, destacam-se as massas orecchiette e tagliatelle com tomate e basílico com ricota ou pecorino, e o peixe e a pizza com muitos vegetais. Lugano É uma comuna localizada no sul da Suíça, à beira do Lago de Lugano que apresenta uma natureza resplandecente. Passeie nas margens do Lago e visite o Parco Cívico, um magnífico parque botânico onde pode relaxar caminhando por entre árvores centenárias. Nos arredores, vá a Gandria, uma aldeia de pescadores, ao Monte San Giorgio e visite SwissMiniatur, em Melide, um parque temático onde fica a conhecer todo o país, em ponto pequeno. Quanto à gastronomia, prove minestrone (sopa), polenta (creme de milho), peixes de água doce, coelho e torta de pão. Ceský Krumlov ?eský Krumlov é uma cidade no sul na República Checa que fica a cerca de 180km de Praga, capital do país, e foi registada na lista da UNESCO como Património da Humanidade. Mais parece uma cidade dos contos de fadas, pois apresenta casas com arquitetura medieval gótica, renascentista, e barroca, entre as quais se destaca o teatro barroco do castelo, totalmente conservado até aos dias de hoje sem nenhum tipo de reconstrução. Segundo uma lenda, o nome Krumlov é derivado da palavra alemã" Krumme", que significa "curvado sobre um prado", referindo-se à "forma" da cidade, curvada sobre o Rio Moldava. O adjetivo "?eský" significa checo. Marisol - 8.º B - Clube de Jornalismo


Natal "Deus é tão grande que se pode fazer pequeno. Deus é tão poderoso que se pode fazer fraqueza e vir ter connosco como menino indefeso, para que O possamos amar. No estábulo de Belém apareceu a grande luz que o mundo espera. Naquele Menino, deitado na manjedoura, Deus mostra a Sua glória - a glória do amor, em que Ele mesmo se entrega em dom, se despoja de toda a grandeza para nos conduzir pelos caminhos do amor. A luz de Belém nunca mais se apagou. Ao longo de todos os séculos envolveu homens e mulheres, "cercouos de luz". Onde despontou a fé naquele Menino, aí desabrochou também a caridade - a bondade para com todos, a carinhosa atenção pelos débeis e os doentes, a graça do perdão. A partir de Belém, um rasto de luz, de amor, de verdade atravessa os séculos. Olhemos os pastores. Que espécie de homens são eles? No seu ambiente, os pastores eram desprezados;

eram considerados pouco sérios e, em tribunal, não eram admitidos como testemunhas. Mas, quem eram na realidade? Certamente não eram grandes santos. Eram almas simples. Eram pessoas vigilantes. De noite vigiavam, perto das suas ovelhas. Mas no sentido mais profundo eram pessoas que estavam disponíveis à Palavra de Deus. A sua vida não estava fechada em si mesma; o seu coração estava aberto. De certo modo, no mais profundo de si mesmos estavam à espera dele. A sua vigilância era disponibilidade para ouvirem, disponibilidade para se porem a caminho. Estavam à espera da luz que lhes indicasse o caminho. E isto é o que interessa a Deus. Deus procura pessoas que levem e comuniquem a Sua paz. Aos pastores foi dito que iriam encontrar o Menino numa manjedoura para animais, que eram os habitantes do estábulo. Temos nós tempo para Deus? Pode Ele entrar na nossa vida? Encontra em nós espaço ou temos todos os espaço só para nós?" A luz e a mensagem de Natal convida-nos a pormo-nos a caminho, a sairmos da mesquinhes dos nossos desejos e interesses e a partirmos ao encontro do Senhor par O adorar. Extrato de mensagem Bento XVI

Advento Este advento inicia com mais um gesto diferente dum Papa que não é indiferente aos que sofrem. Num encontro com um grupo de refugiados da etnia rohingya, atualmente perseguida no Mianmar, o Papa Francisco lembrou que "a presença de Deus hoje também se chama rohingya". Porque Deus manifesta-se sempre nos mais fracos. "Em nome de todos, os que vos perseguem, dos que vos fizeram mal, sobretudo pela indiferença do mundo, peço-vos perdão", disse ainda Francisco, que criticou o "egoísmo do mundo". Transpondo a interpelação do Santo Padre para as nossas vidas tomemos consciência de que a presença de Deus hoje também se chama rohingya, sem abrigo,

marginalizado, pobre, desanimado, excluído. Sigamos o apelo do Papa e "Não fechemos o nosso coração, não desviemos o olhar para o outro lado". Sejamos manifestação de Deus na vida de quem sofre. Destruamos a apatia arrogante que nos torna insensíveis ao sofrimento alheio. Porque só encontramos Deus nos outros e através dos outros. Se assim for, encarnaremos o Jesus Menino que quer nascer na vida dos oprimidos. Sérgio Fonseca - Pai da Salomé do 9º Ano - extrato do artigo "A santa indiferença e a maldita indiferença".

15


Mail de Natal Os alunos do 2ºA, na aula de Informática e utilizando o programa Paint, fizeram um desenho a agradecer o papel dos Bombeiros no combate aos incêndios que assolaram a nossa região. Posteriormente, fizeram um mail coletivo, que enviaram para os Bombeiros Sapadores de Leiria e para os Voluntários da Marinha Grande e de Leiria. Foi com muita alegria que, dias depois, recebemos o agradecimento por parte dos Comandantes dos Bombeiros Voluntários de Leiria e da Marinha Grande e do Chefe de Divisão de Proteção Civil e Bombeiros da Câmara de Leiria, o TenenteCoronel Artur Figueiredo. "Em nome de todos os Bombeiros desta Corporação quero agradecer os vossos desenhos e mensagens. É por vocês que nós todos os dias vestimos a nossa farda, para que continuem a acreditar que o nosso mundo vale a pena. Vocês são a nossa motivação, alegria e energia. Obrigado! Espero um dia a ter a vossa visita ao nosso quartel. ??" Luís Lopes, Comandante dos Bombeiros Voluntários de Leiria

Torneio Teresa de Saldanha Neste início de ano, como é habitual, realizámos o Torneio Teresa de Saldanha em voleibol, onde contámos com a participação de dezoito equipas. Os alunos dos sexto e sétimo anos jogaram em duplas e os dos oitavos e nonos ano em quadras. Este ano, mais uma vez, o torneio foi um sucesso, tendo sido uma motivação para a participação das nossas equipas de voleibol em torneios futuros. Na semana seguinte à realização do torneio, começaram os treinos de voleibol, quer dos rapazes, quer das raparigas. Os rapazes treinam às quartas- feiras e sextas-feiras e as raparigas às terças e quintas-feiras. Os treinos do Projeto Giravolei, onde o ano passado tivemos duplas campeãs regionais e duas campeãs nacionais, realizam-se todas as segundas-feiras. Nestes treinos, participam regularmente alunos do quinto ao nono ano. Todos os alunos que pretendam aderir ainda o poderão fazer, tendo apenas de aparecer no ginásio e trazer equipamento. No dia treze de dezembro, a partir das catorze e trinta, iremos realizar no percurso do Pólis, junto à NERLEI, o tradicional corta-mato de Natal de Desporto Escolar, onde participarão todos os alunos dos segundo e terceiro ciclos.

16

Luís Brandão, Prof. de Ed. Física

Muito obrigado pela vossa carta e pelos ficheiros enviados. É muito gratificante sabermos que somos reconhecidos pela sociedade, em especial pelas crianças, que olham para nós como um exemplo e uma referência positiva na sociedade. Um grande abraço meu e de todos os Bombeiros da Marinha Grande. Vítor Manuel Nery da Graça, Comandante dos Bombeiros Voluntários da Marinha Grande Os desenhos enviados para os Bombeiros Municipais de Leiria, foram publicados na página do Facebook desta instituição.


Relatório da visita de estudo No dia vinte e um de novembro, fomos em visita de estudo a Lisboa ver a representação da peça Auto da Barca do Inferno, pela companhia "O Sonho", no auditório BES. D u r a n t e a representação, reparámos que havia alguns aspetos diferentes em relação à ordem das cenas que tínhamos estudado em aula. A meu ver, esta troca deveu-se ao facto dos atores terem de representar várias personagens ao longo da peça, e precisarem de fazer alterações de modo a terem tempo de se prepararem antes de entrarem em cena. Pessoalmente, considero que esta alteração não modificou o objetivo da obra, uma vez que a mensagem foi bem transmitida aos espectadores, que perceberam as diversas críticas sociais feitas à sociedade vicentina.

Na representação feita por esta companhia houve vários aspetos que me agradaram, nomeadamente o vestuário das personagens. Todas elas estavam vestidas a rigor, e as suas aparências eram idênticas àquilo que tinha imaginado em aula durante a análise que fizemos ao texto. Ta m b é m a p r e c i e i a expressividade dos atores ao representarem as suas personagens, pois foi isso que deu ânimo à representação, tal como a interação feita com o público. Todo o espetáculo em si foi bem-sucedido e penso que todos nós saímos satisfeitos do auditório, no fim da representação. Para concluir, reforço que esta visita de estudo foi um ótimo complemento para a total compreensão da obra de Gil Vicente. Diana Pereira - 9ºB

CNSF colabora com o Banco Alimentar As campanhas do Banco Alimentar, que ocorrem duas vezes por ano, uma em junho e outra em dezembro, são sobejamente conhecidas e o CNSF não podia deixar de participar nesta grande iniciativa. No passado dia 3 de dezembro, alguns membros da comunidade escolar (alunos, professores, funcionários e encarregados de educação) colaboraram com o Banco Alimentar em mais uma campanha de angariação de bens alimentares. Durante a tarde, estiveram presentes em três estabelecimentos comerciais da nossa cidade e, com o seu empenho e simpatia, ajudaram a recolher bens que irão ser distribuídos entre as várias famílias carenciadas da nossa região. Foi uma experiência interessante e bastante enriquecedora. A todos quanto colaboraram, o nosso muito obrigado! Prof. Ana Cristina

17


8 curiosidades sobre a 2.ª Guerra Mundial Durante a Segunda Guerra Mundial ocorreu o Holocausto e, consequentemente, criaramse campos de concentração, nos quais morreram milhares de pessoas. Aqui ficam algumas curiosidades sobre este tema. - 7 mil nazistas fizeram parte dos campos de concentração, mas apenas 750 é que foram condenados pelos crimes cometidos. - 700 milhões de dólares foi o montante conseguido por meio de mão escrava no principal campo de concentração, durante o Holocausto. - Joseph Mengele, considerado uma das piores figuras nazistas, era médico num campo de concentração e foi responsável por imensas experiências bizarras com pessoas vivas e mortas. - Durante os quase 5 anos em que este campo funcionou, Auschwitz recebeu cerca de 1,3 milhões de pessoas. Desse todo, 1 milhão e 100 mil pessoas morreu, incluindo homens, mulheres e crianças. - Estima-se que, ao todo, morreram mais pessoas nos campos de concentração do que os combatentes britânicos e americanos juntos, durante toda a segunda guerra mundial.

- A maior parte da informação que hoje temos sobre o Holocausto deve-se a Witold Pilecki, um soldado polaco que se voluntariou a ser preso para recolher informação, e que, após conseguir escapar, divulgou toda a sua experiência. - Os campos de concentração encontravamse, maioritariamente, na Polónia pois era, nessa época, o país europeu que possuía a maior população judaica. - As câmaras de gás foram construídas para as execuções serem mais eficientes, mais rápidas e para os soldados que executavam este tipo de operação não ficarem tão traumatizados. Apesar do tempo não ter conseguido dissipar memórias como as do Holocausto, que mancham a dignidade da Humanidade, a verdade é que todos reconhecemos no ser humano uma capacidade extraordinária de renascer dos piores cenários. Mariana Monteiro - 8ºB Clube de Jornalismo

A Liga Portuguesa Contra o Cancro A Liga Portuguesa Contra o Cancro (LPCC), uma entidade não governamental, tem como principal objetivo prevenir o aparecimento de tumores malignos, contribuindo para o apoio social e a humanização da assistência ao doente oncológico, em todas as fases da doença. Além disso, a LPCC tem vindo a desenvolver estruturas para o tratamento e a reabilitação, isoladamente ou em colaboração com outras entidades. Por outro lado, esta entidade dedica- se também ao apoio da investigação em oncologia, no nosso país e ao desenvolvimento de ações de educação para a saúde. Junto dos mais jovens, a LPCC destaca os principais fatores de risco do aparecimento de tumores malignos, como o consumo de tabaco, álcool ou 18 a exposição à radiação ultravioleta. Em adição,

uma dieta pobre, um estilo de vida sedentário e o stresse são alguns dos comportamentos que devem ser evitados e que dependem, apenas das decisões de cada pessoa. Assim uma alimentação equilibrada baseada no consumo de vegetais e frutas e a prática de atividade física regular são dois dos principais pilares que sustentam um estilo de vida saudável. Os representantes da Liga Portuguesa Contra o Cancro, aceitaram o convite de vir ao nosso colégio, no próximo dia 12 de dezembro, terça feira, com o objetivo de promover os hábitos de vida saudáveis, informar e alertar os alunos do 9ºano para esta doença que continua a afetar milhões de pessoas no mundo. Obrigada por mais um ano LPCC!


Dinossauros: um fantástico mundo por descobrir… Há cerca de 225 milhões de anos, quando os dinossauros surgiram, mais ou menos 90 por cento das espécies animais extinguiram-se. Eles foram os grandes sobreviventes da história do mundo animal. Muitos dos répteis que conhecemos hoje já existiam quando os dinossauros desapareceram. É o caso dos lagartos, cobras, tartarugas e crocodilos. A palavra "dinossauro" foi inventada em 1842 pelo professor Richard Owen, estudioso de fósseis de Inglaterra. Ele descobriu que alguns dos maiores fósseis pertenciam a um grupo especial de animais sem nome. Então, batizou-os de dinossauros, que significa "lagartos terríveis". Vamos conhecer melhor esta espécie incrível OVOS DE DINOSSAURO Os ovos de dinossauros possuíam uma casca muito dura, que protegia o filhote. O seu interior era um viveiro que permitia ao bebé dinossauro crescer em segurança. É quase impossível definir exatamente com que idade os dinossauros morriam. Alguns cientistas estão a tentar achar o índice de crescimento dos ossos de algumas espécies para vir a definir a sua idade. Acreditam que o Massospondylus, um pequeno dinossauro, viveu entre 30 e 70 anos, o que é quase a vida de um ser humano.

O MAIS ANTIGO Cientistas da Argentina afirmam ter encontrado o mais antigo dinossauro. Chamado Herrerasaurus, teria 230 milhões de anos. OS DINOSSAUROS HIBERNAVAM? Pensa-se que os dinossauros não hibernavam, mas não se tem a certeza. Muitos dos animais que hibernam ou que hibernavam, faziam-no por causa da temperatura e por causa da escassez de alimento que necessitavam para sobreviverem, o que não era o caso dos dinossauros. DINOSSAUROS VELOZES Pegadas de dinossauros deixadas na lama indicam a velocidade com que se moviam. Medindo a distância entre as pegadas, peritos calcularam que alguns desses animais chegavam a velocidades de até 40 km/h PATAS QUEBRADAS Os dinossauros também sofriam acidentes, tanto que foram encontrados ossos com sinais de fratura. QUE QUANTIDADE DE CARNE O T REX COMIA NUM DIA? Até certo ponto, isso dependia da fome dele! Contudo, supondo que estivesse faminto e considerandose o tamanho da sua cabeça e da sua barriga, conclui-se que ele podia consumir até 120 kg de carne numa refeição. Porém, para o Tyrannosaurus rex, uma única refeição podia ser suficiente para mantê-lo por vários dias, até encontrar outra oportunidade de conseguir mais alimentos. Os dinossauros foram, de facto, animais extraordinários, que continuam hoje a ser estudados por especialistas, na tentativa de se conhecer melhor as suas características de sobrevivência e o contexto em que viviam. Maria Leonor - 5.º B, Clube de jornalismo

19


A Grande Aventura la, despertando-me. Abro os olhos e sei, de imediato, que este está prestes a ser mais um dos melhores dias da minha vida. Preparo-me rapidamente e dirijo-me à porta. Assim que a abro, sinto-me submergida por uma imensidão de verde e dos cheiros puros da Natureza. Sinto a pele quente do sol que me ilumina e os meus pés frescos sobre a terra e a relva ainda húmidos do orvalho matinal. Sinto coisas que nunca antes sentira e outras que nem sabia existirem, mas sinto, acima de tudo, uma enorme felicidade. A alegria da liberdade. É o meu terceiro dia sozinha na floresta e tenho, ainda, mais quatro pela frente. Ainda não me habituei a este tão grande sentimento de solidão, o género de solidão que não nos deixa tristes, mas que nos dá gozo e certezas de que nos ajudará a crescer. Sou assaltada pelas memórias do dia anterior e lembro-me de que tenho de parar de perder trinta minutos, todos os dias, ao deslumbrar-me com a quantidade de beleza e de vivacidade que me rodeia e fazer aquilo que realmente vim fazer: estudar e observar a vida dos animais no seu habitat natural. Como se conseguisse ler o meu pensamento, um dos muitos macacos, que por aqui andam, passa a poucos

metros da minha cabeça trazendo consigo mais dois da mesma espécie e fazendo um barulho ensurdecedor. Tento tomar notas da sua reação quanto à minha presença, mas, tão inesperadamente como surgiram, já tinham saltado para outros galhos. Vi serpentes, tão diferentes das que conhecia, aranhas como nunca vira e pássaros, dos mais exóticos e das mais variadas cores. Plantas raras, flores belíssimas e árvores que pareciam tocar o céu. Apanhei frutas para quando tivesse fome e não resisti a comer uma daquelas que era a fruta mais deliciosa e sumarenta que alguma vez provara. O sol começava a pôr-se no horizonte e foi com o magnífico pôr-dosol que dei o meu dia por concluído. Entrei na cabaninha de madeira, sentindo-a estalar debaixo dos meus pés descalços e, daí a umas horas, estava já a adormecer e a ser levada para a Terra dos Sonhos, onde passava o resto da vida naquele lugar puro e vivo. Amanhã é mais um dia. Inês Marques Vieira - 9.º A

Festa da Solidariedade Uma festa divertida e cheia de surpresas Alunos do Colégio em grande folia. No passado dia 28 de outubro, os alunos do oitavo ano organizaram uma festa no Colégio. Poderíamos chamar lhe a festa da Solidariedade, pois o produto da mesma foi já entregue ao Centro de Acolhimento de Leiria, que fornece as refeições e proporciona higiene aos mais desfavorecidos da cidade. A festa foi do agrado de todos e contou com a presença de alunos e professores que para conviver. Segundo a Psicóloga 20 aproveitaram Elsa Rodrigues, a festa foi "um máximo e estava

bem organizada". Começou no final das aulas e acabou por volta das 19h, com muita alegria e diversão pelo meio. Os alunos gostaram imenso, mas uma festa destas dá bastante trabalho a organizar. "Foi um bocado difícil, porque, como foi a primeira vez, ainda n ã o e s t áva m o s muito habituados", dizia uma das organizadoras deste evento. Contudo, foi unânime a conclusão de que a festa foi bastante agradável e uma das organizadoras confessou " que no geral até correu bem". Clube de jornalismo Mariana Monteiro-7ºB.


Sempre ligado a Deus Deus criou o mundo entre ele a Natureza que é uma fonte de beleza, com tantas plantas e animais diferentes , com tantas cores e formas surpreendentes. As plantas são diversas, a água existe na natureza em forma de neve, granizo ou em estado líquido e, também, corre nas cascatas pelas paisagens; a neve cai em forma de flocos branca e fria, mas, neste momento, não estamos a cuidar da Natureza. Com o fumo que sai dos carros, das motas, das fábricas etc. , a Natureza está a começar a destruir-se pela ação do Homem. Temos de evitar os incêndios e evitar as atitudes que destroem o meio ambiente. Deus criou o Mundo com todas as condições necessárias para nós podermos viver bem e felizes. Nós não estamos a tratar bem a Natureza. Temos de mudar as nossas atitudes e fazê-lo à semelhança de Deus. Temos de nos conectar com Deus, estar ligado a Ele, pela oração e pelos nossas valores, pois, só assim, conseguiremos construir um mundo mais saudável e amigo da Natureza. Marta Monteiro 5º A

Conecta-te ao próxim o! João, um homem norm al, estava a passear e en

controu este panfleto:

Conecta-te ao próxim o! Olá, e obrigada por leres isto! s, as pessoas com a cabeça enfiad a nos seus aparelhos eletrónicos, até na missa, imaginem só! Portanto, para melhorar este am biente, agradecia que seguissem estas regras:

Eu fico triste por ver, todos os dia

Dizer sempre "Olá", "Bom di

Abraçar e sorrir à tua família, nom

eadamente, aos teus pais, que tra

Socializa ( sem telemóvel!!! )! As pessoa Se pedires ou receberes algo, diz

a \tarde \noite"; balham muito para te fazer feliz;

s gostam que perguntem como

foi o seu dia; "Por favor" ou "Obrigada/o", isso tornará melhor o dia das pessoa s;

Alice Mota - 5.º B

Os Incêndios No passado dia 15 e 16 de outubro de 2017, ocorreu um grande incêndio no pinhal de Leiria. O primeiro foco de incêndio começou às 14h, na Praia da Légua, e o segundo, às 14h30, na Burinhosa, no concelho de Alcobaça. Em poucas horas, o fogo evoluiu pelo pinhal dentro, atingindo os concelhos de Marinha Grande, Leiria e Alcobaça. O fogo terá ganho velocidade perto da Praia da Vieira, onde atingiu o Parque de Campismo e algumas habitações e anexos. O velho Pinhal do Rei já não existe. Uma imensa mancha negra assenta sobre as cinzas. O inferno desceu sobre a mata e carbonizou em poucas horas o pulmão de Portugal. Tudo aconteceu, no dia em que, junto à costa, as temperaturas máximas rondaram os 35 graus na região e a humidade relativa no ar era praticamente inexistente. Miguel Reis, 5º B

21


Protege a Natureza

22


Um mundo descuidado Deus criou o céu e a terra, encheu-a de plantas e animais e viu que era bom. Depois, fez o ser humano à sua imagem e semelhança, para cuidar da sua criação. "Deus, vendo toda a sua obra, considerou-a muito boa". Ficou descansado ao ver que tinha criado o mundo e que tinha alguém para cuidar dele. Infelizmente, ao longo dos anos, temos vindo a assistir a fenómenos que nos deixam sérias dúvidas quanto à capacidade do ser humano de cuidar deste mundo maravilhoso que é a sua casa. O Homem guiado pela ideia de criar riqueza desde cedo começou a agredir o mundo sem nunca se preocupar com as consequências. A poluição do mundo é certamente uma das agressões mais visíveis. Um dos grandes problemas atuais que o Homem enfrenta é a alteração do clima. Duas alterações sentidas em Portugal são o aumento das temperaturas e a falta de chuva. Estes dois fatores trouxeram consequências nefastas para o nosso

país este ano: as barragens e as albufeiras atingiram níveis muito baixos e o país atingiu o estado de seca extrema. Esta falta de água nota-se em quase todo o país e já levou o governo a sensibilizar a população para o uso responsável da mesma. A água que é essencial para a vida está a tornar-se um bem escasso e a sua falta obrigou os portugueses a tomarem medidas, tais como: abastecer com ajuda de camiões cisternas, encerrar piscinas públicas… O ser humano não pode esquecer a missão que lhe foi confiada. Já não pode esperar mais para se conectar a Deus e com a natureza. Temos um sinal de esperança, pois a geração atual está cada vez mais sensibilizada e atenta a esta situação. Esperemos que o mesmo aconteça com as gerações futuras. Como disse um chefe índio, "não herdámos a Terra dos nossos antepassados, antes a pedimos emprestada aos nossos netos." Leonor Domingues - 5º B

Os Incêndios Este ano, Portugal foi devastado com fogos florestais. Um pouco por todo o país, viveram-se momentos de verdadeiro terror. As chamas atingiram também o pinhal de Leiria, destruindo 80% da sua área. Vamos todos ajudar a renascer as zonas afetadas pelos incêndios e tomar medidas para que o país não volte a arder. Aqui ficam algumas ideias para prevenir os riscos de incêndios florestais:

Não deixar lixo nas florestas (principalmente vidros, porque são bons criadores de fogo). Limpar sempre as florestas de excessos de folhas e ramos que espalhem o fogo. Abrir caminhos que facilitem o acesso dos bombeiros ao centro da floresta. Não fazer fogueiras na floresta. Evitar as queimadas. Não atirar pontas de cigarros para a floresta. Vigiar as florestas, sobretudo no Verão. Se todos nós fizermos a nossa parte, vamos conseguir que Portugal renasça das cinzas e que situações como as deste ano não voltem a acontecer.

23

João Afonso e Vasco Ferrão, 5.º B/ Clube de Jornalismo


NATAL Lá, em terras da Palestina Deus se aproxima Frágil Pequenino Mas sempre divino, Jesus Menino! Natal Cá em terras de Portugal Uma menina, Teresa de Saldanha Pequenina Mas óh!, tão ladina! Brincava, corria, caía Corpo ainda pequenino, já coração de gigante Com "ambições maiores Do que tudo o que se pode chamar GRANDE!" Como? Porquê? HU!HU!... Porque um imenso amor habitava todo o seu ser: "Deus acima de tudo!" Irmã Maria Manuela dos Anjos

Ciclone dez 2017  

Jornal do Colégio de Nossa Senhora de Fátima

Ciclone dez 2017  

Jornal do Colégio de Nossa Senhora de Fátima

Advertisement