Catálogo Paulo Mendes Faria 2011

Page 1


“ Considero, pois , construtivos os artistas que fundam novas relações estruturais, na pintura ( cor ) e na escultura, e abrem novos sentidos de espaço e tempo. São os construtores, construtores da estrutura, da cor, do espaço e do tempo, os que acrescentam novas visões e modificam a maneira de ver e sentir, portanto os que abrem novos rumos na sensibilidade contemporânea, os que aspiram a uma hierarquia espiritual da construtividade da arte . A arte aqui não é sintoma de crise, ou da época, mas funda o próprio sentido da época, constrói os seus alicerces espirituais baseando-se nos elementos primordiais ligados ao mundo físico, psíquico e espiritual, a tríade da qual se compõe a própria arte.” Hélio Oiticica Atelier em Petrópolis. Colunas de arte. Etileno Vinil Acetato e materiais diversos.


03

Esculpinturas De.Cor.Ativa. Madeira, borracha e materiais diversos.


04

Colunas de arte. 10 colunas de 100x20cm. Madeira emborrachada Etileno Vinil Acetato e materiais diversos.


Observa-se que o artista sutilmente nos coloca uma reflexão diante de uma realidade que por vezes nos deparamos e pouco nos atentamos: no mundo contemporâneo vivemos um processo de massificação, as pessoas tendem a perder sua identidade, pois quase tudo que tocamos ou encontramos está reduzido a uma identificação com números e códigos. O artista com a sua obra fazem com que o espectador pense, analise e questione o rumo que a humanidade tem se encaminhado, porém, com uma habilidosa subjetividade nos sugere que ainda assim temos uma opção: um desvio - ou melhor - uma saída alternativa que é o colorido. Sua cor é o diferencial do “código de barras“ que nos deparamos no cotidiano, pois cabe a cada espectador colocar esse colorido em seu código de barras e torná-lo mais humano. O artista alcançou seu objetivo como conceitual e contemporâneo provocando estranhamento, mexendo com sentimentos, dogmas, preconceitos, etc. fazendo o espectador questionar, analisar e assim se tornar um cidadão crítico, sendo esse o papel mais preponderante da arte. Maria Luiza Silva de Campos Código de Barras - Col. Dóris Canoillas.


06

Parte de painel 100x180cm madeira emborrachada Etileno Vinil Acetato e materiais diversos.


07

Da série Ex-Piões, da coleção Dóris Canoillas.

Torre de Babel, dimensões variadas.


Vazio De.Cor.Ativa


As crianรงas nรฃo brincam de brincar,

brincam de verdade. Mario Quintana


10

ontinuo buscando, no processo de evolução da imagem, conciliar com adequação e C senso de medida meu espírito construtivo com elementos lúdicos, passando por problemas como a utilização de novas mídias e suportes não convencionais, a precariedade do objeto, sua perecibilidade, o choque entre o refinamento da linguagem geométrica e o material pobre, o todo e o fragmento, o separar e juntar, a repetição, etc.


Aprecie e Consuma sem moderação

O que busco, sempre com muita vontade de achar, é o modelo invisível existente no interior das coisas vivas, uma espécie de modelo psicológico que orienta e determina a forma que a energia assumirá. As diversas fases são fruto de reflexões encadeadas, são experimentações e desdobramentos de idéias plásticas que se aprofundaram. Venho construindo ao longo dos anos uma carreira em “linha seqüencial”, mas sempre com horizontes amplificados. O trabalho atual surgiu quando emergi numa nova dimensão onde as relações habituais com o meio circundante ficaram alteradas, é o resultado natural de muitos outros já realizados. Cores que eram planas ou bidimensionais ganharam volume e vibrando entre si deram origem a essa reflexão dos códigos ... surge a Esculpintura De.Cor.Ativa ... que no final nada mais é do que uma brincadeira séria com a linguagem da pintura e da escultura. Paulo Mendes Faria - 2011


12

Narciso. PVC revestido de tela de nylon. Arte Garagem, Casa da Ipiranga - Petr贸polis - 2010.


prefiroserestametamorfoseambulantedoqueteraquelavelhaopini찾oformadasobretudo 13

Gifts, Bicho Pintura, Esculpintura. Dimens천es variadas.


14

Da sĂŠrie Arqueologia Canibal, colagem a partir de pinturas, sobre madeira.


15

Meu olhar Virgo/Tauros/Scorpio destrói e constrói tudo que está a seu alcance... Daí todo trabalho que ainda está no atelier corre o risco de ser transformado em outra coisa... é uma verdadeira metamorfose... podem crescer, diminuir, se multiplicar ou até mesmo desaparecer. Da série de ARQUEOLOGIA CANIBAL - 2009/2010.


16

"... foi graças a diversos salões, ao longo dos últimos três anos que conheci o trabalho de Paulo Mendes Faria e pude acompanhar e inteligir sua proposta. Ela concilia, com extrema adequação e senso de medida, uma vontade construtiva com um elemento meio lúdico, passando por problemas como a utilização dos suportes não convencionais, a precariedade do objeto, sua perecibilidade, o choque entre o material pobre e o refinamento da linguagem geométrica , etc . ... Mendes Faria vem de um passado de desenhista e pintor que ele mesmo descreve como "convencional". "... Contando , em sua trajetória com a experiência bidimensional da gráfica, num plano metafórico Mendes Faria estaria fundindo, hoje, seu passado em seu presente. Mas, no plano mais concreto o que ele funde, na verdade, é sua vontade de forma racional - concentrada em torno de triangulos, circulos, cilíndros e esferas - com a provocação "nonchalante" do material perecível e desprezável. E é justamente essa fusão de opostos que constitui seu achado e possibilita a ignição de sua poética . ".... as pequenas irregularidades de corte, a indisciplina das aparas, a organicidade das supercífies texturadas, a consciência de que essa obra - tão bem estruturada - não vai durar, lhe conferem encanto e interesse. Nosso interesse nasce do inesperado, do contraditório, do jogo ambíguo contido dentro de limites tão precisos. " "No fundo, ele se reaproxima e se nutre do componente mais essencial da arte, que é: impor, ao caos, o cosmos. E disso surge, sempre, um tipo de beleza: a beleza das formas "estáveis, permanentes e necessárias", das quais fala um poema de Drumond". Olívio Tavares de Araujo - FUNARTE - SP, 89.

Desenhos, técnica mista com borracha

Etileno Vinil Acetato 33x45cm.


17

Desenhos, tĂŠcnica mista com borracha Etileno Vinil Acetato 33x22cm.


18

– “...Mendes Faria rompeu com o estilo acadêmico da pintura, ao qual se dedicou por bons anos adquiridos segundo ele na “deformação profissional” da Escola de Belas Artes nos anos 60/70 e partiu para a repetição da forma, passando a preocupar-se ainda com o espaço e a perspectiva. A antiga fase, ironicamente a que lhe rendeu lucros - vendia tudo que fazia - o artista não gosta de lembrar, considerando-a falsa vanguarda. Além da originalidade do material empregado nas esculturas, igualmente criativos são os títulos, como “Leitura Dinâmica”, “Espirolo”, “Diário de Artista” e “Coluna de Arte”.... Com toda a experiência, ele considera a que irá montar na Galeria Cândido Mendes - Ipanema - a mais importante de todas, por investir no desconhecido e desafiando o gosto popular ....” “Acho que cheguei a um ponto de definição como artista plástico. A arte tem muitos caminhos e a vida é curta. Perdi muito tempo com alguns deles.” disse ele referindo-se às sua fases anteriores ...” Artur Xéxeo - 1988

“O espírito oscilando perplexo, entre a dúvida e o desejo, a alma tentando tocar o interior e o exterior das coisas, numa citação de Ghandi, e nesta confissão ideológica o grande sonho de paz , pela qual o próprio Ghandi se imolou. Uma coisa manteve-se intacta na evolução de Mendes Faria, e foi exatamente a exigência técnica, pela qual sem dúvida o espírito do artista almejou a perspectiva da perfeição .” “Confessadamente, a liberdade é sua meta - conceituação que se enraíza nas experiências de fases anteriores, onde houve sempre o princípio de um jogo comandado por forças mais altas .” “Assim cresce este jovem artista, de mão segura e consciência apaziguada, tentando tocar uma dimensão rara e simbólica da realidade, uma realidade interior cujo destino será corrigir os desacertos do mundo exterior.” Valmir Ayala - 1982


Detalhe de trabalho feito com Etileno Vinil Acetato.

“Mendes Faria - A arte como um exercício de evolução, numa pesquisa de cores, formas e superfícies. Com novas imagens que denotam a preocupação de ir além dos limites o artista desenvolveu suas novas pinturas abstratas, explorando o gesto de pintar resultado de um período onde parou de pintar e se dedicou ao estudo e a reflexão sobre o trabalho artístico... “procurando me localizar em sintonia com o meu tempo”. Paulo Cezar Mendes Faria é de Juiz de Fora, mora em Petrópolis, e vem realizando inúmeras exposições individuais e coletivas, no Rio, São Paulo, Brasília e Minas Gerais. O artista um operário da sensibilidade. Para Mendes Faria o “verdadeiro artista” é o que realiza a arte de criar a si mesmo, a arte de se superar, a arte do conhecimento e a arte de criar uma nova individualidade.” Walter Sebastião - 1985


20

Cor & Construção “No início dos anos 80, quando Mendes Faria questiona sua produção como desenhista e pintor, o emprego de materiais pouco ortodoxos e precários surge como uma intensa alternativa, direcionando um estilo formal e conceitual que irá marcar toda sua trajetória artística. Jornais amassados, cortados, enrolados, empilhados; palitos enfileirados ou justapostos; papelões, pregos, botões e diversas sucatas industriais passaram a constituir um repertório poético, no qual se debate o esforço do artista em conciliar liberdade estrutural ao rigor construtivo. Neste embate, o gosto pela manipulação da matéria alimentou uma produção feita de mutação alquímica, ao longo de quase três décadas dedicadas à pesquisa artística. Em seu projeto atual, Mendes Faria revigora um percurso de trabalho já reconhecido, não apenas por sua participação em importantes salões de arte, museus e galerias, mas, sobretudo, por seu comprometimento, seriedade e engajamento no pensar da arte como processo consciente e responsável, sendo o resultado natural de um extenso percurso de investigação.


21

A obra de Mendes Faria sintetiza o desejo da efetiva produção de idéias visíveis pelo viés de um código próprio, sem indicações intermediárias e sem quaisquer transcrições literárias ou analógicas. Em busca da essência de sua linguagem sua obra se mostra como objeto substantivo, como espaço que condensa a experiência perceptiva e o fazer artístico como caminho particular definido pelo artista como “constante exercício de evolução mental, sensível e espiritual”. Na série “Metamorfose”, o artista transforma retalhos coloridos de borracha em atividade estrutural organizada em seqüências experimentais. Como decorrência deste processo surge um léxico visual que explora as qualidades latentes do material com especial atenção para a conjugação estreita entre a espacialidade das formas e a vibração das cores. Por meio de tiras, colunas, espirais e círculos cada obra se apresenta como um segmento de convergência da essência construtiva do artista, denunciando seu ritmo de vida e trabalho transposto em sua poesia e em seu extremo senso de medida e equilíbrio.” Ricardo Cristófaro - 2005


22

Da sĂŠrie Grande Impostura, Etileno Vinil Acetato sobre madeira, tamanho variados.


23

Bienal B, Fundação ECARTA, Porto Alegre, 2007

O Ignorado, MAC Campinas - SP

Coluna de Arte Jornal

Petrópolis Urgente, 1987

“Vi os primeiros trabalhos de Mendes Faria há mais de dezessete anos, e tenho seguido a sua trajetória, ainda que com longos intervalos. Mendes Faria sempre foi independente e persistente. Persistente em sua ânsia de conseguir, de vencer as dificuldades técnicas e outras. Independente, também, no sentido de não seguir as tendências da moda, de querer encontrar soluções pessoais e uma linguagem própria. Mendes Faria é um artista ainda jovem que certamente merece ser visto e observado . A sua produção atual interessa , e o interesse vai aumentando com o passar do tempo”. Marc Berkowitz - 1987

Barra de Códigos, JF - MG, 2005

INSTALAÇÕES

Galeria do Poste, Niterói - RJ, 2009


DESENHOS

24

Da sĂŠrie Mesas, 1983, nankin sobre papel jornal.


25

PINTURAS

Folia Klimtiana, 200 x 300cm, pintura sobre tela. Acervo Gilberto Chateaubriand, MAM-RJ.

Pinturas sobre tela, dimens천es variadas.


Noturna, Sampa-Rio fotografias


CRONOLOGIA

FORMAÇÃO: 1969 - ENBA UFRJ. 1982 - NEART Petrópolis. 1984 - Parque Lage

1981 -

Individual Centro de Cultura de Petrópolis

1981- Galeria Eucatexpo 1982 -

- RJ

Copacabana - RJ

Individual Galeria Delfin

- Copacabana - RJ

1982 - Coletiva de Desenho NEART - Galeria Denart - Petrópolis - RJ 1983 - Exposição Casamento com amor e arte no mesmo papel, Palácio de Cristal - Petrópolis 1983 - Artistas Contemporâneos no Palácio Itaboraí 1985 1985 -

Individual Pró-Música

- Petrópolis - RJ

- Juiz de Fora - MG

12 Salão de Arte Contemporânea

Campinas - SP

1986 - Arte&Cosmos - MACC, artista convidado Campinas - SP 1986 - 10 Salão Carioca do Metrô

- RJ

1986 - IV Salão Paulista de Arte Contemporânea Pavilhão Bienal

- SP

1986 - V Salão Arte Pará - Belém 1986 - 43 Salão Paranaense - Curitiba - PR 1987 -

“PETRÓPOLIS URGENTE”

35 artistas no 1º Encontro de Arte

Contemporânea de Petrópolis - Centro de Cultura de Petrópolis - RJ

1987 - 11 Salão Carioca do Metro - RJ 1987 - Individual Galeria Contemporânea 1987 -

Leblon - RJ

Individual Simultânea - Centro Cultural São Paulo/Paralelo a Bienal

1987 - Salão Nacional de Arte

Belo Horizonte - MG

1988 - Individual Galeria - CANDIDO MENDES 1988 - VI Salão Paulista

Ipanema - RJ

de Arte Contemporânea - SP

1988 - SerraAbaixo Galeria CANDIDO MENDES - Centro- RJ

27


28

1988 - XIII Salão de Ribeirão Preto - MARP - SP 1989 - MAM São Paulo - Premio CANSON - SP 1989 -

Galeria FUNARTE

São Paulo

1990 - Museu do INGÁ - 5 artistas, Niterói - RJ 1990 - MAM Brasília - Armadilhas Selvagens - DF 1990 -

Museu Nacional de Belas Artes

1990 - Salão Paranaense MAC 1991 -

Século XX - RJ

Curitiba - PR

III BIENAL de Santos - SP

1991 “ Oi Americana “

Museu de Arte Contemporânea de Americana - SP

1991 - MAM-RJ, mostra da Coleção Candido Mendes

1992

a 2003

o artista, Dedicou-se a Arte Oriental de BONSAI

1992-1995 - Série “Minas – Brasil”. Além dessa uma outra série que denominou “Klimtiana“ 1995 - Individual Escritório de Arte DaviJorge - Petrópolis - RJ 2003 - Universidarte XI Faculdade Estácio de Sá - RJ 2003 - Individual Parque de Exposições de ITAIPAVA - RJ 2004 - “Visões Convergentes” - Concurso CNN Espanol - Atlanta - USA - Premiado 2004 - Individual “ Metamorfose “ SESC - Petrópolis - RJ 2004 - Individual Centro Cultural Pró-música – Juiz de Fora - MG 2004 - Forma, Cor, Espaço e Movimento - Espaço CREA - Petrópolis - RJ 2004 -

Museu Imperial / FUNARTE

“ Serra/Cerrado ” - Petrópolis - RJ

Fase da “Esculpintura De.Cor.Ativa” 2005 - Universidarte XIII – Faculdade Estácio de Sá – RJ 2005 - 33O Salão de Arte Contemporânea de Sto. André - SP - Prêmio de Aquisição 2005 - “Quero ser amigo da Lisette” - Casa da Xiclet - São Paulo - SP

2005 - MARP 2005 - Casa da Cultura - Ribeirão Preto - SP 2005 - Individual Centro Cultural Bernardo Mascarenhas - Juiz de Fora - MG

2006 - Individual Galeria Anita Malfatti -

Universidade Estácio de Sá - RJ


CRONOLOGIA

2006 2006 2006 2006 2006 2006

-

VISÃO 6.0 - Centro Cultural Mario Quintana - Porto Alegre - RGS Impression2006 MailArt&DigitalArtExpo - Grafish Centrum - Roterdam Galeria Arte em Dobro - Coletiva de Natal - RJ London Biennale 2006 - draw_drawing_2 - Galeria 32 - Londres - Inglaterra Circuitos paralelos - Fred Forest - Paço das Artes - SP Universidade Federal Fluminense - Outras Abstrações - Niterói - RJ

2007 - Salão Contemporâneo de S. Bernardo do Campo 2007 - Galeria Fivars - Alicante - Espanha 2007 -

SP - Premio Aquisição

Seleções da Arte Contemporânea - Itinerante - RJ - Porto Alegre - Curitiba - SP - Brasília

2007 - 6 Salão Nacional de Arte - Jataí - GO e Anonymous Drawings 5 - Berlim - Alemanha 2008 -

SantaFeArt - Santa Fé - USA e 17º Encontro de Artes de Atibaia - SP

2008 - 59º Salão de Abril

Fortaleza - CE - Premiado

2008 - XI Salão de Arte Contemporânea de Itajaí - SC 2009 -

Salão de Arte de Mato Grosso do Sul - Campo Grande - MS - Premiado

2009 - Carnaval do Brasil é Arte Coletiva 101 anos da Cruz Vermelha - Copacabana - RJ 2009 - Individual

Centro de Cultura de Petrópolis - RJ

2009 - HAPPY ART – Coletiva Atelier Hugo França - SP 2009/08/07/06 -

Chapel ArtShow artista convidado - São Paulo - SP

2009 - Temporada de Projetos - Paço das Artes - SP 2010 - SOFA - Studio Sciacco - Feira em Nova York 2010 - Coletiva Galeria Itaipava 2010 - Individual

OITO em MAIO - RJ

SESC Friburgo - RJ

2010 - MAM-RJ Novas Aquisições - Coleção Gilberto Chateaubriand

2010 - Arte Garagem

Casa da Ipiranga - Petrópolis - RJ

2010 - Individual Galeria Djanira

Petrópolis - RJ

2011 - Paroxismo da Cor / Arte por Toda Partes - Itaipava e Rio de Janeiro Veja currículo completo em www.paulomendesfaria.blogspot.com

29


30

TORNO TORNEIO TORNEADO CON TORNO EX TORNO EM TORNO TRANS TORNO TORNEIRO TORNADO TORNO TORNEIO TORNEADO TORNO Projetos, 2008


2007 a 2011

Da Série Máquinas Econômicas. Economizam sempre Não consomen nada Não sujam Não poluem Não te levam a lugar algum... Ainda não estão no mercado Não produzem nada!

Eu sempre quiz ser tudo na vida e acho que agora consegui... sou artista!

PROJETOS

31


www.paulomendesfaria.artelista.com

www.issuu.com/paulomendesfaria/docs/paulomendesfaria

www.fineartamerica.com/profiles/paulo-mendes-faria.html

www.arteseanp.blogspot.com/2011/01/ conversando-sobre-arte-entrevistado_12.html

www.facebook.com/paulomendesfaria

www.youtube.com/user/paulomendesfaria

Design gr谩fico: Claudio Partes Fotos: Paulo Mendes / Cris Geraldelli

Iza Mendes Faria Denise Campinho D贸ris Canoillas Marjorie Arias Marcio de Oliveira Fonseca Arnaldo Brenha Henrique J. Firmino da Silva

www.paulomendesfaria.blogspot.com www.mendesfaria.blogspot.com

AGRADECIMENTOS

www.paulomendesfaria.blogspot.com APOIO


Millions discover their favorite reads on issuu every month.

Give your content the digital home it deserves. Get it to any device in seconds.