Page 1

Prólogo. Ano 580. Dia cinco de algum mês de um calendário desconhecido por muitos. Talvez vários mundos existam por ai, mas só dois tem uma história sem nome contada aqui. Um mundo onde a magia existe e poucos podem usá-la, um mundo sem nome tomado por água, onde apenas uma ilha reina. Um mundo onde o sol e a lua têm seus efeitos refletidos pelo mar. O mar denominado Plata, possui as cores esverdeadas, seu brilho era encantador, seu brilho se tornava mais intenso quando o sol era refletido por elas, redemoinhos enormes eram formados com a força do sol, pareciam batalhar entre si, tornando-nos ameaçadores, ondas gigantes selvagens e perigosas chicoteavam a beira da ilha. Quando a lua dominava o céu, tudo se apaziguava, aquele mar se tornava a paisagem mais bonita que alguém poderia ver, seu tom de verde desaparecia, a água parecia sugar a luz da lua, fazendo-no ganhar um tom prata. Por esse motivo a ilha ficou conhecida pelo nome Plata. A primeira pessoa que viveu na ilha era conhecida como Karnos, um mago que graças a um objeto a encontrou e se denominou “dono” daquele lugar, daquele mundo. Karnos viveu na ilha e lhe deu o nome de Fuscous, a ilha não tinha uma forma definida, seu estranho formato mudava todas as noites. Karnos era um grande homem, que ao encontrar um novo mundo onde a magia existia se tornou um mago extraordinário que dominou quatro dos cinco elementos: ar, água, terra e fogo. Chegara à ilha ao lado de sua esposa Moe que estava grávida de quatro filhos. Moe era uma humana sem potencial algum para magia; ela possuía olhos claros e cabelos negros, que combinava com sua pele branca. Moe deu a luz a quadrigêmeos; Barton, Menfins, Ravel e Locky. O tempo na ilha era diferente, Moe morreu velha e com problemas respiratórios, mas antes de morrer dizia que já tinha vivido o suficiente, quando partiu seus filhos já tinham se tornado os adultos que ela sempre quis ver. Karnos já estava velho há muito tempo, decidiu presentear seus quatros filhos com a ilha, assim a dividiu para cada filho, dando nomes para cada pedaço. Barton, o mais novo, não era capaz de usar magia, assim como sua mãe, ficou com Untirade; Menfins, a segunda filha, herdou a capacidade de usar magia, como o pai, capaz de usar o elemento água, ela ficou com Hidenn; Ravel, era o terceiro filho, tinha uma capacidade peculiar para a magia, dominava o elemento do ar com perfeição, com muito esforço conseguiu dominar o elemento luz, que nem seu pai conseguira, mas ainda assim era péssimo com esse elemento, por isso era rara às vezes que se via o usando, ele ficou com Crifinnya; Locky, o filho mais velho, era capaz de usar o elemento fogo, ele ficou com Darmmax. Seus filhos não entenderam o porquê de seu pai dar esses nomes para cada parte da ilha, ou, até mesmo em separar cada parte da ilha para eles. Um tempo depois de presenteá-los, seu pai havia desaparecido, sem deixar nenhum vestígio, como se nunca tivesse existido, a única coisa de seu pai que encontraram fora um livro, um livro diferente. Aprenderam como usá-lo, com isso decidiram que sair da ilha e viver suas vidas longe dali seria o certo, cada um viveu a sua vida um longe do outro, e construíram uma família. Talvez seja um dom de família saber quando sua vida está perto de chegar ao fim, pois os quatros irmãos decidiram voltar à ilha com suas famílias e aproveitar o tempo que lhe restavam. Seus dias chegaram ao fim, seus filhos tiveram filhos, gerações e gerações, nada na ilha havia mudado, a não ser pelo fato que estava mais habitada, cada geração em sua parte da ilha, como assim era pra ser.


Impetus  
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you