Page 1

Ecobag


FATEB – Faculdade de Ciências e Tecnologia de Birigui Desenho Industrial

Desenvolvimento de projeto do produto III Orientador: prof. Me. José Eduardo Zago

Paulo Roberto Stábile Valdir Marcelino de Souza

Transporte do Lixo Verde

Birigui – SP Dezembro de 2013


FATEB – Faculdade de Ciências e Tecnologia de Birigui Desenho Industrial

Desenvolvimento de projeto do produto III

Paulo Roberto Stábile Valdir Marcelino de Souza

Monografia apresentada ao Curso de Desenho Industrial – Projeto do Produto III, como requisito à obtenção do título de Bacharel em Desenho Industrial, sob a orientação da Prof. Ms. José Eduardo Zago


Folha de Aprovação

Banca examinadora:

Profº Me. José Eduardo Zago

Assinatura:

Instituição: FATEB - Faculdade de Ciências e Tecnologia de Birigui

Profº Me. Marco Aurelio Franco Furtado

Assinatura:

Instituição: FATEB - Faculdade de Ciências e Tecnologia de Birigui

Profº Francis Martins de Souza Instituição: FATEB - Faculdade de Ciências e Tecnologia de Birigui

Assinatura:


Dedicat贸ria

A minha fam铆lia, aos amigos, parentes, aos professores e a todos que ajudaram.


Resumo

Desenvolvimento de projeto para o transporte do lixo verde. Paulo Roberto Stabile, Valdir Marcelino de Souza. Faculdade de Ciências e tecnologia de Birigui – FATEB / SP. Este artigo se trata do descarte indevido do lixo verde, em beiras de estradas, terrenos baldios ,lixões a queima indiscriminada e os meios de transportes existentes. O trabalho teve como objetivo analisar onde o material é descartado e como é descartado, sua utilização , quais os meios de transportes usados para tal atividade e desenvolver uma maneira adequada para transporta-lo.


Abstract

Development project for transporting green waste. Paulo Roberto Stabile, Valdir Marcelino de Souza. Faculty of Science and Technology Birig端i - FATEB / SP. This article deals with the improper disposal of green waste at roadsides, vacant lots, garbage dumps and the indiscriminate burning of existing means of transport. The study aimed to analyze where the material is discarded and disposed of as it is, its use, which means of transport used for such activity and develop an appropriate way for him to carry.


Lista de Figuras Figura 01 - Desenvolvimento sustentável.................................................................. 17 Figura 02 - Problemas do lixo verde.......................................................................... 19 Figura 03 - Destinação do lixo verde......................................................................... 19 Figura 04 - Poda de avenida...................................................................................... 19 Figura 05 - Podas de arvores.....................................................................................19 Figura 06 - Natureza.................................................................................................. 20 Figura 07 - Uso da matéria como combustível.......................................................... 20 Figura 08 - Material composto................................................................................... 20 Figura 09 - Composto usado em hortas.................................................................... 20 Figura 10 - Maquina a vapor no transporte rodoviário............................................... 23 Figura 11 - Embarcação a vapor................................................................................ 23 Figura 12 - Fabrica de automóvel.............................................................................. 23 Figura 13 - Transporte aéreo .................................................................................... 23 Figura 14 - Carroça de tração animal........................................................................ 24 Figura 15 - Carroça de tração animal........................................................................ 24 Figura 16 - Riquixa..................................................................................................... 25 Figura 17 - Carroça de tração humana...................................................................... 25 Figura 18 - 14 Bis de Santos Dumont........................................................................ 26 Figura 19 - Avião de carga......................................................................................... 26 Figura 20 - Transporte rodoviários............................................................................. 28


Figura 21 - Navio cargueiro........................................................................................ 29 Figura 22 - Transporte ferroviários............................................................................. 30 Figura 23 - Formigas.................................................................................................. 31 Figura 24 - Formigas.................................................................................................. 31 Figura 25 - Formigas.................................................................................................. 31 Figura 26 - Canguru com filhote................................................................................. 32 Figura 27 - Cangurus................................................................................................. 32 Figura 28 - Canguru................................................................................................... 32 Figura 29 - Balde de aluminio.................................................................................... 33 Figura 30 - Lona PE Rafía......................................................................................... 33 Figura 31 - Levantamento de peso postura correta................................................... 34 Figura 32 - Transporte de carga................................................................................. 34


Sumario Resumo...................................................................................................................... 04 Abstract...................................................................................................................... 05 Lista de figuras........................................................................................................... 06 1. Introdução............................................................................................................. 12 2. Sustentabilidade................................................................................................... 14 2.1. Desenvolvimento sustentável.............................................................................. 16 2.2. Sociedade sustentável........................................................................................ 17 3. Lixo verde............................................................................................................. 18 3.1. Problemas do lixo verde...................................................................................... 19 3.2. Destinação do lixo verde..................................................................................... 19 3.3. Impactos ambientais do lixo verde...................................................................... 19 3.4. Reaproveitamento do lixo verde.......................................................................... 20 3.4.1. Utilização como combustível............................................................................ 20 3.4.2. Compostagem ................................................................................................. 20 4. Objetivos............................................................................................................... 21 5. Meios de Transporte............................................................................................ 22 5.1. Historia................................................................................................................ 22 5.2. A revolução Industrial.......................................................................................... 23 5.3. Veiculo de tração animal..................................................................................... 24 5.4. Veículos de tração humana................................................................................ 25


5.5. Transporte aéreo................................................................................................. 27 5.6. Transporte rodoviário.......................................................................................... 28 5.7. Transporte aquatico............................................................................................ 29 5.8. Transporte ferroviário.......................................................................................... 30 6. Semantica de inspiração..................................................................................... 31 6.1. Formigas cortadeiras.......................................................................................... 31 6.2. Canguru.............................................................................................................. 32 7. Materiais................................................................................................................ 33 7.1. Aluminio.............................................................................................................. 33 7.2. Lona.................................................................................................................... 33 8. Ergonomia............................................................................................................. 34 8.1. Levantamento de cargas..................................................................................... 34 8.2. Transporte de cargas.......................................................................................... 34 9. Desenvolvimento................................................................................................. 35 9.1. Lista de requisitos............................................................................................... 34 9.2. Painel visual........................................................................................................ 38 9.3. Expressão do produto......................................................................................... 39 9.4. Tema visual......................................................................................................... 40 9.5. Geração de ideias.............................................................................................. 41 9.5.1. Evolução geral dos esboços............................................................................ 42 9.6. Proposta final...................................................................................................... 50


9.7. Conceito Final..................................................................................................... 52 9.8. Desenho tecnico................................................................................................. 53 9.9. Considerações finais........................................................................................... 54 10. Referências......................................................................................................... 55


1. Introdução 1.1

INTRODUÇÃO

O crescimento da população mundial trás consigo o aumento na quantidade de resíduos sólidos e líquidos. Tendo em vista que o lixo torna-se uma ameaça ambiental quando descartado indevidamente poluindo o solo, a água, liberando gases poluentes e a proliferação de insetos que transmitem doenças. Dentre os resíduos encontrase o lixo verde que é proveniente de podas de arvores e jardins. O descarte indevido desse lixo em locais abertos como lixões, aterros, beiras de estradas podem provocar uma serie de problemas, quando misturados com outros resíduos pré-existentes como materiais biodegradáveis e substancias perigosas, que acabam causando impactos sobre a qualidade do ar, do solo e da água. A falta de transportes adequados, coletas e locais apropriados para o descarte do material proveniente de podas (lixo verde) e de resíduos sólidos em geral, é um problema enfrentado constantemente. Com meios de transportes, coletas e locais apropriados para descarte o lixo verde terá um melhor aproveitamento, contribuindo com a limpeza das áreas e dos locais onde seu descarte era feito de forma irregular e evitando,dentre outros problemas,a queima,que muitas vezes ocasionam incêndios de grandes proporções.Não basta apenas ter transporte,coleta e locais apropriados para seu descarte,se não houver empenho do poder público em gerenciar o manuseio e a transformação desse material em composto orgânico.

12


13


2. Sustentabilidade Conceito

Sustentabilidade é “a persistência, em um futuro aparentemente politico e de seu meio ambiente natural.” (ELIZA e BRISA; 2002).

14


Com o avanço tecnológico e com a melhoria de vida da sociedade, começa a fase do consumismo de produtos e mercadorias, que exige para sua produção grandes volumes de recursos naturais e energéticos, trazendo com isso um grande impacto sobre os ecossistemas, não somente no espaço em que ocupam, mas de onde esses recursos são retirados e de como os dejetos são descartados.

A atividade humana trás diversos danos ao sistema natural, ressaltando o movimento de materiais, pessoas, a geração de lixo, poluição; locais onde há geração e armazenamento de energia, mas que podem ser amenizados a partir de atividades organizadas e reintegradas aos processos naturais com o intuito de amenizar o impacto do homem sobre a natureza, reduzindo a poluição e aumentando a eficiência no uso dos recursos naturais consumidos.

15


2.1. Desenvolvimento Sustentável

‘’Esse novo

pensamento precisa ser acompanhado por uma mudança de valores, passando da expansão para a conservação, da quantidade para a qualidade, da dominação para a pareceria’’ ( RUI BERNARDES, TACHIZAWA; BARRETOS; 2002; pg. 11)

16

Desenvolvimento sustentável pode ser definido como um planejamento e reconhecimento de que os recursos naturais são finitos, mostrando para a sociedade atual que suas necessidades não podem suprir todos os recursos naturais, mas sim, fazendo uso razoável do mesmo para que as gerações futuras também possam usufruir em um nível satisfatório, social e econômico preservando espécies e habitats naturais. O desenvolvimento sustentável esta ganhando espaço no mundo, com novas legislações e normas que estão sendo introduzidas e que possam garantir que as empresas respondam sobre seus impactos ao meio ambiente e para a sociedade. Segundo Antonio e Giachini (2009; pg. 19) “ desenvolvimento sustentável, que discute a busca do equilíbrio entre crescimento econômico, equidade social e preservação ambiental”.


2.2 Sociedade Sustentável “ Sociedade sustentável, medida em que possibilita a cada uma delas definir seus padrões de produção e consumo, bem como o de bem estar a partir de sua cultura, de seu desenvolvimento histórico e de seu ambiente natural” (ELIZA e BRISA; 2002), satisfazendo as suas necessidades sem diminuir as possibilidades das gerações futuras de satisfazer a delas. Não existe um modelo de sociedade sustentável, mas vários conceitos para o futuro, onde a energia será gerada a partir da luz solar, a sociedade terá a população estável, as residências serão próximas do trabalho, assim diminuindo o numero de carros nas ruas, as empresas estarão mais preocupadas com o seu impacto na natureza assim reciclando seu lixo. O design de produto se preocupara em desenvolver produtos com mais durabilidade e não com a vida curta e descartável.

Figura 01: Desenvolvimento sustentável Fonte: ecoviagem.uol.com.br

17


3. Lixo verde Lixo verde é todo material proveniente de podas em áreas publicas, privadas e jardins. Consiste em mato em geral, podas de arbustos e arvores, folhas secas e grama. Na maioria das vezes esse material é descartado em locais não apropriados, como beiras de estradas, aterros e lixões; comumente esse material é descartado junto com outros tipos de materiais, como restos de material do setor de construção civil, lixo doméstico ,lixo hospitalar ,móveis velhos, pneus e muitos outros que não deveriam ser misturados.

18


3.2. Destinação do lixo verde Existem diferentes formas de destinação desses resíduos como: disposição direta no solo, disposição em lixões, aterros sanitários, queima, compostagem e a reutilização como combustível de caldeiras, para fornos de padaria, pizzarias (troncos e galhos menores).

Figura 02: Problemas do Lixo Verde Fonte: pt.wikipedia.org

Um dos principais problemas do lixo verde e a falta de locais apropriados e o alto custo das suas técnicas de tratamento.A disposição do lixo verde em locais abertos como aterros e lixões podem ocasionar uma serie de danos ao meio ambiente.

Figura 03: Destinação do lixo verde Fonte: ranzi.com.br

3.1. Problemas do lixo verde

Figura 05: Poda de arvores Fonte: kmambiente

Considera-se impacto ambiental qualquer alteração nas propriedades físicas, químicas e biológicas do meio ambiente, causada por qualquer forma de matéria ou energia resultante das atividades humanas que, direta ou indiretamente afetam a saúde, a segurança e o bem estar da população, as atividades sociais e econômicas e a biota, as condições estéticas e sanitárias do meio ambiente;a qualidade dos recursos ambientais. Segundo a resolução da Conama ( Conselho Nacional de Meio Ambiente) nº 001 de 23 de janeiro de 1986.

Figura 04: Poda de avenidas Fonte: g1.globo.com

3.3. Impactos ambientais do lixo verde

19


3.4.1. Utilização como combustível O lixo verde é utilizado como combustível em caldeiras para a geração de vapor, sendo misturado com outros resíduos de madeiras por contem um teor de umidade alto e para melhorar a qualidade do combustível, aumentando o poder colorífico.

Figura 07: Uso da materia como combustivel Fonte: akatu.org.br

O reaproveitamento do lixo verde trás diversos beneficios para a naturza e para o ser humano, por diminuir o impacto sobre a meio ambiente dando soluções e revertendo os processos de insustentabilidade do modelo desenvolvido em vigor.

Figura 06: Naturza Fonte: cargopark.com.br

3.4. Reaproveitamento do lixo verde.

20

Figura 09- composto usado em hortas Fonte: sites.google

A Compostagem pode ser considerada a melhor opção para a disposição do lixo verde, por transformar a matéria orgânica num material semelhante ao solo, chamado composto que é utilizado como adubo e para a correção do solo. No composto orgânico estão todos os nutrientes necessários que a planta precisa para o seu desenvolvimento.

Figura 08- Material Composto Fonte: Agrooceanica

3.4.2. Compostagem


4 - Objetivos

Objetivos gerais - Criar um meio de transporte, que sege sustentável e que ajude a evitar o descarte inadequado do lixo verde.

Objetivos especificos - Meio de transporte para o lixo verde - fácil manuseio - sege leve para transportar - seguro e ergonômico 21


5. Meios de transportes 5.1. Historia

A caminhada e a natação foram os primeiros meios de transportes do ser humano. Com o passar do tempo a domesticação dos animais introduziu uma nova forma de tirar o peso do transporte do homem e passar para criaturas mais fortes que suportavam mais peso, permitindo o transporte com maior duração de jornadas e velocidade.

O transporte se tornou mais eficiente com invenções como a roda e o treno, criando veículos de tração animal. O transporte aquático, como embarcações a remo e a vela foram o meio de transporte mais eficiente para o transporte de grandes quantidades e de grandes distância. A importância da água levou a maioria das cidades a se desenvolverem ás margens dos rios e próxima dos mares, e se destacavam pelo comércio muitas vezes na intersecção de dois corpos de água. 22

As primeiras formas de transporte rodoviárias foram cavalos, bois ou mesmo seres humanos transportando mercadorias em estradas de terra, muitas vezes seguindo trilhas e picadas no meio das matas. Até a Revolução Industrial, o transporte permaneceu lento e caro, e a produção e o consumo mantinham-se o mais próximo quanto fosse possível.


5.2. A Revolução Industrial A Revolução Industrial, do século XIX, trouxe um grande número de invenções que modificaram radicalmente o transporte. Com o telégrafo, a comunicação se tornou instantânea e independente do transporte. A invenção da máquina a vapor, seguida de perto por sua aplicação no transporte ferroviário, tornou o transporte terrestre independente da força humana ou da tração animal. A velocidade e capacidade cresceram rapidamente, permitindo a especialização, e a produção passou a poder ser realizada independente da localização dos recursos naturais. No século XIX surgiu o barco a vapor, que acelerou o transporte global. Com o desenvolvimento do motor a combustão e do automóvel na virada do século XX, o transporte rodoviário tornou-se mais viável, o que permitiu a introdução do transporte mecânico particular. Após a Segunda Guerra Mundial, o automóvel e o avião ganharam mais participação no transporte, limitando o transporte ferroviário e hidroviário ao transporte de carga e de curta distância para passageiros. Na década de 1950, a introdução dos contêineres trouxe enormes ganhos de eficiência ao transporte de mercadorias, permitindo que chamamos hoje de globalização.

Figura 13: Transporte aéreo Fonte: portogente.com.br

Figura 10: Maquina a vapor no transporte ferroviario. Fonte: forjadomekanico.blogspot.com

Figura 11: Embarcação a vapor Fonte: Ciênciahoje.uol.com.br

Figura 12: Fabrica de automóvel Fonte: revoluçaoind.blogspot.com

23


Figura 14: Carroça de tração animal Fonte: cartunistasolda.com.br

5.3. Veículo de tração animal (carroça) A carroça é um meio de transporte de tração animal que antecede ao advento dos veículos à combustão e os movidos à vapor. Movida também por tração humana , a carroça era o meio de transporte mais utilizado pelos seres humanos para os deslocamentos de carga de um lugar a outro. Hoje em dia, é pouco comum o uso de carroças no transito de grandes centros devido entre outras razões, as leis de transito. Também comumente são até chamadas de "charretes". As carroças são utilizadas mais freqüentemente no meio rural, onde sua utilização esta diretamente ligada à produção de alimentos na lida do gado, no abastecimento de alimentação para os rebanhos, escoamento de pequenas produções ,no transporte em geral.

24

Figura 15: Carroça de tração animal Fonte: flickr.com

Na zona rural os principais animais utilizados como tração são cavalos,bois e jumentos. Hoje em dia, as carroças para transporte de pessoas, vulgarmente chamadas charretes, são utilizadas para a realização de passeios, designadamente em zonas turísticas. O aumento do número desse veículo em cidades para transporte de carga e remoção de entulho (inclusive em São Paulo), principalmente em algumas cidades do interior ;


Figura 16: Riquixá Fonte: wikipedia.org

5.4.

Veículos de tração humana

Carroças de tração humana são encontradas em diversas cidades e em grandes centros, sendo utilizadas como meio de transporte de material reciclável ou para venda. Em certas cidades do brasil, existem normas para este tipo de transporte.

Figura 17: Carroça de tração humana Fonte: trilhos urbanos.com

Outro exemplo de transporte de tração humana é o riquixa ou riquexó, onde uma carroça de duas rodas, que acomoda de uma a duas pessoas e puxada por uma pessoa.

O riquixa tem origem Asiática onde eram amplamente utilizados como meio de transporte para a elite. Atualmente os riquexas foram proibidos em muitos países asiáticos por conta dos numerosos acidentes. Os ciclos riquixás estão substituindo os comuns, principalmente na Ásia. Eles também são comuns em cidades ocidentais como Nova Iorque.

25


Figura 18: 14 Bis de Santos de Dumont Fonte: pousada14bis.com.br

Figura 19: Avi達o de carga Fonte: defesabr.com

26


5.5. O transporte aéreo O Transporte aéreo é o movimento de pessoas e mercadorias pelo ar com a utilização de aviões ou helicópteros. O transporte aéreo é usado preferencialmente para movimentar passageiros ou mercadorias urgentes ou de alto valor. A partir da Segunda Guerra Mundial a aviação comercial assistiu a um grande desenvolvimento, transformando o avião em um dos principais meios de transporte de passageiros e mercadorias no contexto mundial. O transporte aéreo foi o que mais contribuiu para a redução da distância-tempo, ao percorrer rapidamente longas distâncias. Rápido, cômodo e seguro o avião suplantou outros meios de transporte de passageiros a médias a longas distâncias. Este meio de transporte implica construção de estruturas muito especiais. Os aeroportos requerem enormes espaços e complicadas instalações de saída e entrada dos vôos. Por outro lado, os custos e a manutenção de cada avião são bastante elevados. Tudo isto contribui para encarecer este meio de transporte. Alem do avião temos também o balão, para -quedas, foguete, dirigível.

27


Figura 20: Transporte rodoviário Fonte: sindicatodoscaminhoneiros.ce. blog spot.com.br

5.6. Transporte rodoviário

Não se sabe precisar um exato momento na história que se possa convencionar como o início desta grande invenção. Com efeito, os primeiros automóveis que surgiram foram fruto de sucessivas aproximações e adaptações tecnológicas que, gradualmente, se foram desenvolvendo em torno de um objetivo comum: viajar rápido, com comodidade e, sobretudo, com um mínimo de esforço para os ocupantes e um máximo de segurança.

28

A auto-locomoção de veículos já havia sido demonstrada em1769 por Nicolas Cugnut na França, ao utilizar um motor a vapor para movimentar um automóvel. No entanto, só com a introdução do motor de combustão interna a quatro tempos a gasolina em 1885, inventado por Karl Benz, na Alemanha, é que

se começou a considerar a viabilidade de um veículo auto-propulsionado que oferecesse as condições já mencionadas. A patente desta invenção data de 29 de janeiro de em Mannheim. Contudo, apesar de Benz ser creditado pela invenção do automóvel moderno, muitos outros engenheiros, também alemães, pesquisavam simultaneamente sobre a construção de automóveis. Décadas mais tarde, Henry Ford passaria a fabricar automóveis em série, destacando-se o Ford , fabricado de 1908 a 1927, cujas vendas ultrapassaram os 16 milhões de unidades.


Figura 21: Navio cargueiro Fonte: Projetomemoria.org

5.7. O transporte aquático

O transporte aquático , aquaviário ou hidroviário consiste no transporte de mercadorias e de passageiros por barcos ,navios ou balsas através de um corpo de água, tais como oceanos,mares,lagos,rios ou canais. O transporte aquático engloba tanto o transporte marítimo, utilizando como via de comunicação os mares abertos, como transporte fluvial, usando os lagos e rios. Como o transporte marítimo representa a grande maioria do transporte aquático, muitas vezes é usada esta denominação como sinônimo.

Este modo de transporte cobre o essencial das matérias primas (petróleo e derivados, carvão, minério de ferro, cereais, bauxita, alumínio e fosfatos, entre outros). Paralelamente a estes transportes a granel, o transporte aquático também cobre o transporte de produtos previamente acondicionados em sacas, caixotes ou outro tipo de embalagens, conhecidos como carga geral.

29


Figura 22: Transporte ferroviario Fonte: agenciat .com .br

5.8.

Transporte Ferroviário

O surgimento do transporte ferroviário esteve estritamente ligado à Revolução Industrial (século XVIII e XIX), sendo este um dos principais inventos daquela época, juntamente com a máquina de tear movida a vapor. O meio de transporte emergiu na Europa, mais precisamente, na Inglaterra, no século XIX. As locomotivas eram movidas a vapor, que era gerado através de um sistema de caldeiras, que por sua vez era alimentada pela queima de madeira e /ou carvão. Após o surgimento deste inovador meio de transporte, rapidamente sua tecnologia se espalhou para outros lugares do mundo . 30

Atualmente o transporte ferroviário é encontrado em todos os continentes do globo. Com o avanço das tecnologias do mundo atual,o transporte ferroviário também sofreu mudanças importantes para o progresso da humanidade . Apesar de o mundo estar atravessando a Revolução Técnico-Científica-Informacional, as ferrovias continuam sendo de grande valia no sistema de transportes, em decorrência da capacidade de transportar uma quantidade muito grande de carga de uma vez só, algo que não ocorre, por exemplo, no transporte rodoviário.


6. Semântica de Inspiração

Figura 23: Formigas Fonte: ftmontenegro.blogspot.com.br

Figura 24: Formigas Fonte: oultimolampejodocrepusculo.blogspot

Figuras 25: Formigas Fonte: quint.sbq.org.br

6.1. Formigas cortadeiras

As formigas vivem em colônias, onde cada indivíduo tem uma função especifica, sendo divididas em castas organizadas em torno de uma rainha, que se encarrega de colocar ovos que darão origem aos seus súditos. A casta mais numerosa, é formada pelas formigas operarias, que são encarregadas de cuidarem dos alimentos darainha e de protegerem a colônia. As formigas não se alimentam das folhas que carregam, as folhas trituradas servem de matéria prima para a proliferação de fungos, que é o principal alimento das formigas. Todas as formigas são capazes de levantar muito peso, um exemplo e a formiga salva que levanta 14 vezes seu peso e é capaz de andar 1 Km por dia, isso é possível, porque a massa do corpo torna-se desprezível perto da força muscular. Seu corpo e adaptado para carregar peso, seu esqueleto é extremamente leve e o peso pode ser distribuídos sobre as patas.

31


6.2. Canguru Figura 26: Canguru com filhote Fonte: meioambientedrd.blogspot.com.br

Figuras 27: Cangurus Fonte: vemaybayaz.com

32

Figura 28: Canguru Fonte: flickr.com

O canguru é originário da Austrália e da Nova guiné, seu habitat natural situa-se em planícies. Eles são marsupiais, e pertencem também a família dos macropodídeos, por possuírem a pata traseira maior que a dianteira. O canguru da a luz apenas um filhote de cada vez, eles nascem imaturos e se desenvolvem no interior da bolsa na barriga da sua mãe, onde ele se alimenta e protege-se até que tenham mais que um ano de idade. Na Austrália os cangurus são cuidadosamente monitorados , por existir um equilíbrio entre a necessidade de conservar a espécie e as demandas dos proprietários de terra.


7. Materiais 7.1. Aluminio

7.2. Lona

O alumínio é obtido a partir da bauxita que passa por etapas de refinaria e redução. Para a produção do alumínio a bauxita deve apresentar no mínimo 30% de oxido de alumínio aproveitável. As reservas de bauxita do brasil além de possuírem ótima qualidade estão entre as maiores reservas do mundo. O alumínio possui vantagens importantes pelo fato de ser uma material fácil de ser transformado, pode ser laminado em qualquer espessura e extrudado numa infinidade de perfis. A combinação de propriedades transformam o alumínio num dos materiais mais versáteis utilizados na indústria em geral. Suas características permite que ele tenha uma diversa gama de aplicação, sendo um dos materiais mais utilizados no mundo. O alumínio possui o ponto de fusão relativamente baixo, é leve, resistente a corrosão, condutibilidade térmica e elétrica e uma das mais importantes é um material reciclável, sem perdas de suas propriedades físicas e químicas.

A lona PE Rafia, é um material novo no mercado, ela e composta por um substrato feito de polietileno 100% reciclável. Além e durável é um produto menos agressivo ao meio ambiente, não é toxico, seu preço é compatível, oferece excelente qualidade de impressão. No processo de produção de 1 m² de lona PE Refia, utiliza menos da metade de energia consumida para a produção de 1 m² de lona PVC. A lona PE Rafia é extremamente forte, e leve, seu peso por m² corresponde a 25% do peso do m² da lona de PVC, sendo assim seu manuseio fica mais fácil e rápido.

Figura 30: Lona PE Rafía Fonte: fespabrasil.com.br

Figura 29: Balde de aluminio Fonte: mercadolivre.com.br

33


8. Ergonomia A ergonomia pode ser definida como a ciência da configuração de trabalho adaptada ao homem (Grandjean, 1998). A ergonomia da interface homem-maquina, ou ergonomia ocupacional atua no estagio mais amplo em atuação da ergonomia do mundo e no brasil por preocupar-se em trabalhar na problemática da ciência e da tecnologia e na pratica de percepção aplicáveis a produtos, equipamentos e postos de trabalho.

8.1. Levantamento de cargas Levantamento de peso e o significativo aumento da pressão intra-abdominal, que é provocado pela contração da musculatura abdominal e das costas, estabilizando a coluna vertebral durante o erguimento do peso. Para o levantamento de peso alguns valores limites e recomendações devem ser uma medida eficaz para diminuir os riscos de complicações das costas nas manipulações. Segundo estudos realizados pelo Instituto Nacional Safety and Health (NIOSH) a pressão máxima permitida para o levantamento de peso atinge 6400 N (640 kp) e um chamado limite de ação com valor de 3400 N (341 kp). O limite de ação abrange cargas de 40 a 50 kg, conforme a distancia das mãos para o corpo.

Figura 31: Levantamento de peso postura correta Fonte: eps.ufsc.br

8.2. Transporte de Cargas A forma correta do transporte de cargas e transporta-la em uma linha vertical próximo do centro de gravidade do corpo. Com isso o trabalho de balanceamento é reduzido, diminuindo as exigências musculares de natureza estática. Segundo estudos realizados um trabalhador pode percorrer uma distancia de 3,9 Km de distancia com uma carga de 20 Kg em uma mochila. Figura 32: Transporte de carga Fonte: eps.ufsc.br

34


9. Desenvolvimento

35


9.1. Lista de Requisitos

Reaproveitamento de materiais

Contenha material reciclavel

‘’ Destinação correta dos residuos

Duravel

Fácil manuseio e limpeza 36


Fácil utilização

Não poluente

Leve

Sege integrado

Seguro 37


9.2. Painel visual

‘’

38


9.3. Expressão do produto

‘’

39


9.4. Tema Visual

‘’

40


9.5. Geração de ideias

A partir da pesquisa realizada e da definição do problema concluído, começa outra etapa do projeto, o desenvolvimento de ideias, que foi realizada utilizando a ferramenta de criatividade brainstorming. Com a técnica do brainstorming é possível conseguir um grande numero de ideias em poucas horas. De acordo com Baxter (2000), as ideias iniciais geralmente são as mais obvias e aquelas melhores e mais criativas costumam aparecer na parte final da sessão. Outra ferramenta utilizada no projeto foi o ‘’ MESCRAI’’ ( Modifique, Elimine, Substitua, Combine, Rearranje, Adapte, Inverta ). Essa técnica funciona como uma lista de verificação para estimular modificações no produto. Essas listas de verificação são uteis para lembrar de outras alternativas que podem solucionar o problema do projeto.

caçamba para deposito de material

varal para puxar o carrinho

caçamba mais compacta

varal com freios para facilitar

41


9.5.1. Evolução geral dos esboços

alças lombar

correia cintura

42


Proteção contra raios solares inspirado nas pernas das formigas

Fundo inspirado no abdome da formiga 43


Suporte dos ombros inspirado nas cortadeiras da formiga 44

Bolsa inspirada no canguru

Armação suporte inspirado no formato da cabeça da formiga


Detalhamento do suporte das costas e do ombro.

Formato da cabeรงa da formiga.

Detalhamento frontal.

Detalhamento peรงa fundo. 45


Detalhamento do suporte para o ombro.

Detalhamento do suporte para as costas, peça unica.

Detalhe para a proteção do trabalhador 46


Suporte removível para sustentação do suporte da ‘’ecobag’’

Parafuso para fixação do suporte

47


Estrutura para a proteção.

Pinos para a fixação

Suporte de estrutura de aluminio

48


Fivelas para fixação da lona no suporte.

Tubo de aluminio

49


9.6. Proposta ďŹ nal

50


51


9.7. Conceito final

O produto foi desenvolvido com base em pesquisas de materiais e suas propriedades físico mecânicas, funcionalidade, ergonomia. Teve como fontes de inspiração a observação do reino animal e seu comportamento. Em primeiro plano se observou as formigas e como elas vivem, as formigas são animais formidáveis, presentes em todo o mundo com exceção dos polos. Seu modo de vida em sociedade e sua forma organizada de trabalhar, mantendo sua colônia em perfeita ordem. As formigas cortadeiras cortam folhas e transportam sobre sua cabeça, como visto na pesquisa a formiga e capaz de carregar um peso muito maior que, o seu por conta do seu corpo que e composto por mais músculos do que massa. Suas colônias são bem organizadas contendo galerias e depósitos de folhas. As formigas depositam as folhas em panelas, onde proliferam fungos que e base de sua alimentação. Tais características como força, organização, higiene e colaboração foram fonte de inspiração para o desenvolvimento do projeto.

52

Em segundo plano observou-se outro animal formidável e ao mesmo tempo estranho, o canguru. Esse animal é diferente de todos os outros animais quadrúpedes, possuindo pernas traseiras bem maiores que a dianteira, além da força que possuem. Sua forma de procriação é considerada pelos biólogos muito estranha, a fêmea tem um período de gestação de 30 a 40 dias, seu filhote nasce muito pequeno e fica na bolsa ate se desenvolver. Observando seu modo de vida, e sua anatomia, o projeto do produto teve como inspiração a bolsa onde eles se desenvolvem até o primeiro ano de vida. O produto desenvolvido vem para a praça para beneficiar e não solucionar definitivamente o problema do lixo verde. O objeto desse estudo é sim melhorar a forma de transporta-lo, dando ao trabalhador comodidade, agilidade e conforto. Com ele a pessoa pode carregar o material ate um local adequado para o descarte, onde ao invés de jogar em locais indevidos, como terrenos, estradas, a queima e o descarte em lixões e aterros. O produto e composto por materiais recicláveis como o alumínio, a lona, e um produto leve e ergonômico.


9.8. Desenho tĂŠcnico

Vista isomĂŠtrica

53


9.9. Considerações finais

O projeto apresentado traz em seu desenvolvimento um produto que não tem como finalidade resolver definitivamente o problema do descarte inadequado do lixo verde. O propósito é proporcionar ao trabalhador uma maneira mais eficiente de transporta-lo. Possibilidade de o trabalhador desenvolver suas atividades com mais conforto e agilidade, contribuindo para o desenvolvimento de boas praticas ambientais. O produto esta embasado no tripé da sustentabilidade: Ambiental: sua produção contem produtos sustentáveis; sua utilização faz com que o lixo verde seja destinado de maneira correta, e dessa forma contribuir para o meio ambiente. Social: sua proposta estimula o trabalho comunitário e o convívio social, proporcionando bem estar aos trabalhadores. Economia: O produto foi desenvolvido com materiais de baixo custo, reciclados e recicláveis proporcionando economia de água, energia e matéria prima no processo de produção. Com isso o projeto é potencialmente viável, pois traz sua concepção e preocupação com o meio ambiente, questões econômicas e sociais.

54


9.10 Referências Abal (2011). Vantagens do aluminio Disponivel em : <http://www.abal.org.br/aluminio/vantagens-do-aluminio/> Acessado em: 23/11/2013 Agencia Brasilia (2013) Melhor destinação para o ‘’ Lixo verde’’ Disponivel em: http://www.df.gov.br/noticias/item/2136-parceria-entre-novacap-eembrapa-define-melhor-destina%C3%A7%C3%A3o-para-o-lixo-verde.html Acessado em: 02/11/2013 Água, Lixo e Meio Ambiente.2.ed.. São Paulo, CETESB, 1988.

ARAUJO, Tarso; Qual é o trem bala mais rapido que existe. Disponivel em: <http://mundoestranho.abril.com.br/materia/qual-e-o-trembala-maisrapido-que-existe> Acessado em: 16/11/2013 BAXTER, M. Projeto de Produto. 2º .ed. São Paulo: Editora Blucher, 2000. 260 pg. CAPRA, Fritjof; CALLENBACH, Enerst. (2008) O que é sociedade sustentavel? Disponível em:

<http://www.12.senado.gov.br/noticias/materiais/2012/03/09/brasil-produz-61-milhõesde-toneladas-de-lixo-por-ano> Acessado em: 01 de junho de 2013 Elisa, Maria Marcondes; Briza, Marcelo Bicudo. Cenario Mundial - Sociedades Sustentaveis. 1.ed.São Paulo: Scipione Estadão (2013). Trem-bala em teste no japão. Disponivel em: <http://economia.estadao.com.br/noticias/economia-geral,trem-balaem-testes-no-japao-podera-correr-ate-500-quilometros-por-hora,156118,0.htm > Acessado em: 15/11/2013 FespaBrasil (2013) Lona PE Rafiz Disponível em: <http://www.fespabrasil.com.br/pt/noticias/nova-lona-pe-rafia-dadigigraf-e-100-reciclavel> Acessado em: 23/11/2013 GRISOLI, Renata; GAVIOLI, Fabio (2008). Compostagem de residuos de poda urbana Disponivel em: http://cenbio.iee.usp.br/download/documentos/notatecnica_ix.pdf Acessado em: 27/10/2013 55


GRANDJEAN, Etienne. Manual de Ergonomia: adaptado ao trabalho do homem. 4º ed. Porto Alegre: Bookman, 1998. Granja Verde (2013) Ação do lixo verde Disponivel em: <http://www.granjaverdejardins.com.br/?page_id=32> Acessado em: 26/10/2013 MARCO, Antonio Fujihara; GIACHINI, Fernando Lopes. Sustentabilidade e Mudanças Climaticas. 1.ed. São Paulo: Senac,2009 NAIME, Roberto (2012). Resíduos de podas e limpeza urbana. Disponivel em: http://www.ecodebate.com.br/2012/05/17/residuos-de-podas-elimpeza-urbana-artigo-de-roberto-naime/ Acessado em: 26/10/2013 NASCIMENTO, Alicia. (2011) Lixo verde: Estudo busca soluções para residuos de arborização urbana Disponivel em: <http://www.portalviva.com.br/index.php?option=com_content&view=article&id=6297:li xo-verde-estudo-busca-solucoes-para-residuos-de-arborizacaourbana&catid=7:sustentabilidade&Itemid=130> Acessado em: 27/10/2013 OTAVIO, Rui; TACHIZAWA, Takeshy; BARRETOS, Ana: Gestão Ambiental - Enfoque Estratégico Aplicado ao Desenvolvimento Sustentável - 2º ed. São Paulo: Copyright, 2002. OLIVEIRA. Marcelo; Lixo Verde em seu bairro Disponivel em: <http://www.sejaniteroi.com.br/novo/materiasouniteroi.php?id=201269&idTema=24&su btema= > Acessado em: 30 de maio de 2013 Portal Brasil (2010). Gestão do lixo – Resíduos Sólidos Disponível em: <http://www.brasil.gov.br/sobre/meio-ambiente/gestao-do-lixo> Acessado em: 10 de junho de 2013 Portal Brasil (2011) Cidades Sustentaveis Disponíveis em: <http://revista.brasil.gov.br/especiais/rio20/desenvolvimentosustentavel/cidades-sustentaveis> Acessada em: 10 de junho de 2013

56


Presidência da Republica (2010) Lei nº 12.305, de 2 de agosto de 2010 Disponível em: http://www.mma.gov.br/port/conama/legiabre.cfm?codlegi=636 Acessado em: 02/11/2013 Resolução Conama. Nº 1 de 23 de janeiro de 1986. Disponivel em: http://www.mma.gov.br/port/conama/legiabre.cfm?codlegi=23 Acessado em: 02/11/2013 SILVA, Baroni.(2011) Historia da tração animal no Brasil. Disponivel em: <http://baronesilva.blogspot.com.br/2011/02/9364-historia-da-tracao-animal-no.html> Acessado em: 15/11/2013 UNESC em REVISTA. - nº11 - jan/jun. Cotalina: UNESC, 2002

57


fateb

TCC - Paulo Roberto e Valdir Marcelino  
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you