{' '} {' '}
Limited time offer
SAVE % on your upgrade.

Page 1


MÚLTIPLA DANÇA Direção geral: Marta Cesar. Curadoria: Jussara Xavier e Marta Cesar. Produção: Jean-Laurent Baudet, Luiz Moukarzel e Marta Cesar. Projeto gráfico, assessoria de imprensa e site: Paula Albuquerque. Ilustração (bailarinas): Fábio Dudas. Edição de textos: Jussara Xavier. Apoio Aliança Francesa: Adriana Bohnenberger, Cátia Bernardo, Fabiana Dutra e Maria Carolina Iaczinski. Apoio SESC-SC: Cristina Gadotti, Luiz Henrique “Cudo” e Michel Marques. Agradecimentos: Frédéric Besnard, Lena Peixer, Leonel Brum, Luciana Fiamoncini, Luciane Pinheiro Pedro, Mary Garcia e Sandra Meyer.


Disseminar conhecimento em dança. Construir relacionamentos. Gerar diálogos e pensamento crítico. Múltipla dança é um espaço aberto para. Uma das grandes dificuldades do mercado da dança é garantir a continuidade de seus projetos, freqüentemente ameaçados de extinção por motivos que vão da carência de apoio financeiro até a falta de motivação de seus participantes. A não-permanência de grupos, cursos, escolas, atividades e mostras ao longo do tempo denota a fragilidade do ambiente onde se instala a dança brasileira. Viabilizar o Múltipla Dança pelo terceiro ano consecutivo é sinal de vitória. Não se trata apenas de contabilizar um número a mais na lista de nossas realizações, mas de gerar condições de existência à própria dança. Isto é sempre um desafio. Arriscando acertar ou não, elegemos a ação como estratégia para impulsionar mudanças no meio. Ampliar as possibilidades e falas da dança. Acrescentar qualidade e parcerias internacionais ao Múltipla Dança é uma meta que queremos manter. Continuamos com a proposta de organizar um programa variado de aulas, mostras e conversas, apostando nos encontros interpessoais e na variedade de pontos de vista como motor do desenvolvimento da dança. Esta terceira edição envolve novas instituições como a Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC), a Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) e a Fundação Cultural Badesc. Ao ocupar novos espaços oferecemos outras vias de acesso à informação e à expressão do pensamento da dança contemporânea. A tarefa de viabilizar este seminário evoca uma série de questões. Como compartilhar é o grande mote do evento, escancaramos aqui nossas interrogações: Qual o significado do Múltipla Dança para o seu ambiente? Como seu formato fertiliza a dança da região? Que mudanças produz? Como integrar importantes circuitos de dança? Como contribuir com a sustentabilidade deste mercado artístico? Participem quando, onde e como puderem! Sejam bem-vindos ao Múltipla Dança 2008! Jussara Xavier e Marta Cesar

3


12 de agosto – 20h – TAC Tudo que se espera... – Cia. Clébio Oliveira (Rio de Janeiro/RJ) Tudo que se espera... Livremente inspirado no romance Vidas Secas, de Graciliano Ramos, o espetáculo procura recriar a atmosfera que mistura angústia, miséria e uma incompreensível esperança. A coreografia apresenta estrutura fragmentada e interdependente, possibilitando o diálogo com a forma episódica do romance, e tem como base as características psicológicas de cada personagem. A partir da disseminação dos traços marcantes dos personagens, os sentimentos se pluralizam em esperança e desilusão, amor e solidão, violência e ternura, construindo uma polifonia narrativa que traz à tona todas as vozes do sertão. O trabalho tenta captar aquilo que as palavras têm guardado em si e busca nas entrelinhas os gestos, as atitudes, a dificuldade de comunicação que leva ao isolamento e à solidão. Coreografia: Clébio Oliveira Intérpretes: Alessandra Salamonde, Aline Arakaki, Carolina Maria e Michelle Ribeiro Músico: Antônio Fidélis Assistente de direção: Alessandra Salamonde Figurinos: Cássio Brasil Design de luz: Bruno M. Barreto Direção de produção: Sonja Gradel Duração: 56 minutos

4

DIVULGAÇÃO

ESPETÁCULOS


FÁBIO BRAZIL

13 de agosto – 20h – Teatro do SESC Prainha Coreológicas V – Caleidos Cia. de Dança (São Paulo/SP) Coreológicas V Há 12 anos, Caleidos Cia. de Dança desenvolve o Projeto Coreológicas, espetáculos de dança contemporânea que convidam o público a apreciar dança, dançar e a conhecer a dança. Coreológicas aborda diferentes temas de movimento sugeridos por Rudolf Laban de forma artística, lúdica e prazerosa para público com diversas idades e culturas corporais. Durante o espetáculo, o público é convidado a assistir e também a participar corporalmente em dois momentos distintos: o de ver (apreciar) e o de dançar (interagir), integrando a atividade estética à educacional. Um convite à dança para todos os corpos. Direção e concepção: Isabel Marques Assistente de direção: Fábio Brazil Assistente de coreografia: Luciana Nunes Intérpretes criadoras: Luciana Nunes, Sheila Alvarenga, Samanta Roque, Renata Baima Trilha sonora original: Rogério Rochlitz Figurino: Mariana Piccolli Cenário e identidade visual: Fábio Brazil Vídeo: Marco Bernardes Produção: Caleidos Arte e Ensino Foto: Fábio Brazil Duração: 60 minutos

5


alexei leão

14 de agosto – 20h – TAC Perception of the other - Siedler Cia. de Dança e Stormental (Florianópolis/SC) Perception of the other Espetáculo concebido a partir de uma inédita parceria entre dança contemporânea e heavy metal, em que a percepção humana é o fio condutor. O trabalho tem como motivação o processo de aquisição, interpretação, seleção e organização das informações obtidas pelos sentidos. O elenco busca respostas na interação entre indivíduos e na sua convivência com o resto do mundo. Vida, morte, poluição, a forma como nos relacionamos e como reagimos ao sermos afetados por um ser ou objeto. A percepção do outro. Direção artística: Alexei Leão e Elke Siedler Concepção coreográfica: Elke Siedler Composição musical: Stormental Bailarinos: Elke Siedler, Thiago Schmitz, Lincon Soares Participação especial: Monica Siedler Músicos: Alexei Leão (vocal), Andrei Leão (baixo), Marcos Feminella (bateria) e Henrique d´Ávila (guitarra). Direção de vídeo-clipe: Antônio Rossa Elenco do vídeo-clipe: Anna Paula Feminella, Monica Siedler, Renato “Mahgoo” Mussi, Tatiane Beduschi, Vinícius “Vina” Neves Zimermann Manager: Diogo Andrei Benvenutti Foto: Alexei Leão Duração: 40 minutos 6


Antje Lenz

15 de agosto – 20h – TAC Vi-vidas – Sônia Mota (Brasil/Alemanha) Vi-vidas Fala da mulher na sociedade moderna através de três arquétipos femininos: o da mulher muçulmana (coberta, escondida, não pública), o da mulher européia (designed, construída) e o da mulher brasileira (aberta, nua, pública). Um quarto arquétipo, o de uma simples mulher, se apresenta apenas por um instante... Idéia: Sônia Mota e Irineu Marcovecchio Concepção, coreografia e dança: Sônia Mota Criação e realização das imagens em video: Tessa de Oliveira Pinto Dramaturgia: Koni Hanft Assistência coreográfica: Koni Hanft, Irineu Marcovecchio Supervisão artística: Irineu Marcovecchio Trilha sonora - criação e efeitos: Koni Hanft Trilha Sonora - montagem: Martin Rascher Desenho de luz: Wolfgang Putz Figurino: Steffi Bold, Sônia Mota Redação e tradução: Gernot Beissmann Produção Executiva: Sônia Mota Foto: Antje Lenz Duração: 60 minutos 7


DIVULGAÇÃO

Mostra de bolso

1A (UMA) - Monica Siedler e Roberto Freitas

14 de agosto – 16h – Teatro do SESC Prainha Mostra de bolso com artistas catarinenses 1A (UMA) - Monica Siedler e Roberto Freitas Investiga a multiplicação de personagens estereotipados por meio de um jogo entre a presença “ao vivo” da atriz com sua imagem projetada em tela. Quantas identidades assumimos durante a nossa vida? Qual é a verdadeira? Consegue um retrato captar e registrar as sutilezas de nossa “interioridade”? Revela uma foto apenas uma mímica, gerando uma estranha (e assustadora) sensação de afastamento entre imagem e ser? Criação: Monica Siedler e Roberto Freitas Intérprete: Monica Siedler Direção de imagens, concepção sonora: Roberto Freitas Em Solo - Érika Rosendo O solo, criado no ano de 2006, é fruto da participação da intérprete-criadora no Núcleo Coreográfico da cidade de Natal (RN), cujo projeto buscou incentivar bailarinos a criarem suas próprias coreografias. Neste trabalho, Érika Rosendo tomou as articulações do corpo como foco de investigação e brincou com a imagem, as formas e as regras de uma bailarina de caixinha de música. Criação e interpretação: Érika Rosendo 8


Frederico Biehl

Cumprimento Fiel - Kaiowas Grupo de Dança

Cumprimento Fiel - Kaiowas Grupo de Dança Desenvolve-se sob uma marca estética referenciada no teatro de arena quanto à sua forma circular, conceito desenvolvido para significar a unidade e o divino, como num cumprimento fiel da criação que se presencia em sua possibilidade de acontecimento. As luzes identificam as fontes sensíveis de comunicação com o outro, jamais perdendo a idéia da circunferenciação, que estabelece uma área de contato comum com essas unidades sensíveis e comunica um intento que a antecede: a vontade fundamentada na fé do indivíduo. Produção artística: Kaiowas Grupo de Dança Direção e coreografia: Karina Barbi Elenco: Adele Speck, Bianca Barbi, Karina Barbi e Simone Cherem Trilha sonora: Luciano Oliveira Iluminação: Rogers Barbi Produção e técnico de som: Kiko Ribeiro Projeto gráfico: Dalner Barbi Figurino: Cida Sede de preparação técnica: I Can Gym Assessoria de imprensa: Larissa Bonotto Apoio técnico: Instituto Movimento Pró-Projetos Foto: Frederico Biehl

9


OFICINAS 13 a 15 de agosto – das 9h30 às 11h30 Sala de dança CDS/UFSC Arte da presença – Técnica de dança contemporânea – Sônia Mota (Brasil/Alemanha) Técnica de dança formada por Sônia Mota, Arte da Presença enfoca: a consciência da força da gravidade; a eliminação do eixo central em favor dos eixos laterais; o diálogo dinâmico entre as polaridades internas e externas do movimento; a concentração nas articulações ósseas; o uso da fantasia na apresentação e execução dos movimentos; a eliminação do compromisso de acerto; a prática da não ação, da receptividade e a ênfase na energia de absorção e redução. A combinação destes tópicos estimula a auto iniciativa, desperta o entendimento da harmonia e prazer, e acentua o jeito individual de dançar do bailarino. 13 a 15 de agosto – das 9h às 12h Auditório do Bloco Amarelo CEART/UDESC Mostra e reflexões sobre as relações entre dança e vídeo - Armando Menicacci (Paris/França) Gravar um vídeo de um espetáculo no palco, fazer uma vídeodança para a tela, criar uma obra de vídeo para que público e intérprete manipulem as imagens. Tais objetivos representam problemas diferentes para o artista e, ao mesmo tempo, requerem um olhar diversificado do público. A oficina propõe a visualização de vídeos variados e evidencia as diferentes estratégias de criação de imagens. Os participantes terão acesso a diversas ferramentas para analisar, de modo pessoal e crítico, os produtos gerados nos encontros entre dança e imagem. 15 de agosto – 14h Sala 46 do CIC Técnica de dança contemporânea - Alessandra Salamonde (Rio de Janeiro/RJ) A aula propiciará aos participantes a oportunidade de experimentar a técnica e movimentação particular do coreógrafo Clébio Oliveira, destacando seqüências do espetáculo Tudo que se espera... 10

MOSTRA DE VÍDEODANÇA 13 de agosto – 14h Fundação Cultural Badesc Seleção: Dança em Foco Drive (15’, Direção e coreografia: Jane Osborne, Canadá, 2006) Traces of emotion (4’, Direção: Barbara Glazar e Ryan James, Coreografia: Barbara Glazar e Ryan James, Canadá, 2006) Sections 4+12 of journey, the best of all worlds (10’, Direção e coreografia: Anonymous Smith, Canadá, 2006) Mechanism/Organism* ( 7’, Direção: Eduardo Menz, Coreografia: Lucy May, Canadá, 2005) 3 Marys, RGB (3’, Direção e coreografia: Anonymous Smith, Canadá, 2003) Butte (6’, Direção: Marlene Millar e Philip Szporer, Coreografia: Byron Chief-Moon, Canadá, 2006) L’éducation physique (17’, Direção: Manon Oligny e Frédéric Moffet, Coreografia: Manon Oligny, Canadá, 2005) Flying days (6’, Direção e coreografia: Pablo Diconca, Canadá, 2006) *Classificação Etária: 14 anos

13 de agosto – 16h Fundação Cultural Badesc Amelia (59’, Direção e coreografia: Edouard Lock, Canadá, 2003)


DIÁLOGOS 14 de agosto – 14h Teatro do SESC Prainha Difusão da dança Conversa entre curadores e programadores para (re)pensar alternativas de acesso à dança, o fluxo das informações no setor e a descentralização dos circuitos de dança. Participantes: Nayse Lopes (Panorama de Dança), Sacha Witkowski (Festival Diagnóstico da Dança) e Simone Avancini (SESC/SP). Mediação: Marta Cesar 15 de agosto – 14h Aliança Francesa Visibilidade à dança Como fortalecer o mercado da dança? Qual o papel da educação, da política e das mídias? Quais as responsabilidades dos profissionais da área para superar a invisibilidade social? Participantes: Armando Menicacci, Sandra Meyer e Sonja Gradel. Mediação: Jussara Xavier

PALESTRAs 14 de agosto – 17h30 Auditório do Centro de Desportos UFSC Unwelt, de Maguy Marin – Vera Torres (Florianópolis/SC) Unwelt, uma caminhada incessante que conjuga aparições e desaparições - pode ser considerado como uma metáfora do cotidiano e das relações entre os indivíduos e seu meio. Unwelt, obra da coreógrafa Maguy Marin, provocou reações fortes por parte do público desde a sua criação (2004). Tais reações motivaram a análise do dispositivo cênico - “radical” - idealizado pela coreógrafa e seu impacto junto ao público. A palestra aborda também detalhes sobre o processo de criação.

15 de agosto – 16h Museu da Escola de Santa Catarina Tecendo redes entre a Dança, a Educação e a Sociedade – Isabel Marques (São Paulo/SP) Aborda as relações e as articulações possíveis e desejáveis entre dança, educação e sociedade sob uma perspectiva contemporânea crítica. Trata, sobretudo, de triangular e problematizar o ensino de dança na sociedade atual.

LANÇAMENTOs 15 de agosto – 17h30 Fundação Cultural BADESC Lançamento dos livros: Ruth Rachou - Biografia. Autoria de Bernadette Figueiredo e Izaías Almada (Caros Amigos Editora, 2008). Seminários de Dança – Histórias em movimento. Biografias e registros em dança. Organizado por Roberto Pereira, Sandra Meyer e Sigrid Nora (Lorigraf, 2008). Pesquisas em dança - Coleção Dança Cênica Volume 1. Organizado por Jussara Xavier, Sandra Meyer e Vera Torres (Letradágua, 2008). Lançamento do site www.idanca.net. Edição: Nayse López; produção editorial: Gabriela Baptista; redatora: Isabella Motta; programação e desenvolvimento Synapsis DI; conselho editorial: Alejandro Ahmed, Sônia Sobral e Roberta Ramos.

11


Antje Lenz

Vi-vidas - Sônia Mota

CONVIDADOS Alessandra Salamonde (Rio de Janeiro/RJ) Professora de dança clássica e contemporânea, bailarina e assistente de direção da Cia. Clébio Oliveira. Formada profissionalmente pela escola do Stuttgart Ballet, onde integrou espetáculos da companhia e participou de turnês pela Europa e Ásia. Integrou a Companhia DeAnima, de Richard Cragun. Estudou na Academia de Ballet Eugenia Feodorova e no Ballet Dalal Achcar. Armando Menicacci (Paris/França) Doutor em Dança e Novas Tecnologias pela Universidade Paris 8. É diretor do Laboratório Mediadanse (Anomos), ensina nos departamentos de Dança da Universidade Paris 8. Ministra regularmente conferências e oficinas, participa de colóquios sobre as relações entre dança e tecnologias digitais em instituições de diversos países. Colaborador de coreógrafos como Rachid Ouramdane, Alain Buffard, Vincent Dupont e Helder Vasconcelos. Publicou artigos e livros sobre música, dança e tecnologias digitais. Com Christian Delecluse fundou o grupo D-flesh, que desenvolve pesquisas de projetos coreográficos e obras plásticas. Caleidos Cia. de Dança (São Paulo/SP) Fundada em 1996 por Isabel Marques como grupo de pesquisa na Unicamp. Em 1998, passa a funcionar como companhia independente de dança. 12

No ano de 2001 estabelece-se em sede própria na cidade de São Paulo e passa a desenvolver projetos cênicos em duas linhas principais: 1) Coreológicas, projeto voltado para as interfaces entre a dança e a educação. 2) Poema Cênico, projeto de cunho artístico performático, que busca as interfaces entre a linguagem poética e a linguagem da dança visando às possíveis relações estruturais entre essas duas formas de arte. A companhia foi contemplada com a Lei de Fomento à Dança do Município de São Paul/2ª.edição. Cia. Clébio Oliveira (Rio de Janeiro/RJ) A companhia nasceu com a montagem do espetáculo Tudo que se espera..., concebido por Clébio Oliveira e eleito o Melhor da Dança em 2006 pelos leitores do Caderno B do Jornal do Brasil. Após temporada no Rio de Janeiro, o trabalho foi apresentado em várias cidades do Brasil, integrando encontros como Mostra Contemporânea de Campina Grande, Mostra de Dança Contemporânea do Festival de Joinville, Mostra de Dança Corumbá, Festival de Dança do Maranhão, entre outros. Ao final de 2007, Clébio Oliveira deixou o elenco da Cia. de Dança Deborah Colker para se dedicar com exclusividade ao desenvolvimento de seu trabalho coreográfico. Atualmente fixa residência na Alemanha, de onde dá continuidade às criações para sua companhia.


Érika Rosendo (Joinville/SC) Formação em Dança Contemporânea pela Escola do Teatro Bolshoi no Brasil (Joinville, 2007), em coreografia pelo Projeto Arte Ação (Natal, 2006) e em Balé Clássico pela Escola de Dança do Teatro Alberto Maranhão (Natal, 2000). Prêmio de Melhor Bailarina e 1º lugar na categoria Dança Contemporânea solo feminino avançado no Festival de Dança de Joinville 2008. É professora de dança contemporânea do Grupo Fernando Lima (Joinville).

culares Nacionais e colaboradora da UNESCO na elaboração de documento de Arte para América Latina. É autora dos livros Ensino de Dança Hoje e Dançando na Escola, ambos pela Cortez. Fundou e dirige o Caleidos Cia. de Dança há 12 anos, em São Paulo. Desde 2001, juntamente com Fábio Brazil, dirige o Caleidos Arte e Ensino, hoje Instituto Caleidos, ministrando cursos, prestando assessorias e desenvolvendo projetos de pesquisa e criação nas áreas de Dança e Educação.

Kaiowas Grupo de Dança (Florianópolis/SC) Criado em 1993, pela bailarina e coreógrafa Karina Barbi, traz em seu repertório espetáculos como Cumprimento Fiel (2006), Pausa (2003) e Oito Trigramas (1998). O grupo participou de encontros como Panorama Rio Arte de Dança Contemporânea (2002), Dança Brasil (2004), Mostra Contemporânea do Festival de Dança de Joinville (2004), Fora do Eixo–SESC/SP (2006) e Centro em Movimento de Fortaleza (2006).

Monica Siedler e Roberto Freitas (Florianópolis/SC) Monica é atriz, professora de teatro e mestre em Poéticas Teatrais (UDESC). Roberto é artista plástico, mestre em Teoria, Crítica e História da Arte (UDESC) e coordena a Arco (espaço não institucional de arte contemporânea). A parceria iniciou em 2004, quando montaram a esquete cênica Dollop. 1A (uma) é resultado de uma bolsa de criação (2006) concedida pelo projeto Série Mergulho no Palco. Nayse López (Rio de Janeiro/RJ) É jornalista, crítica de dança, editora do site www.idanca.net e curadora do Panorama Festival no Rio de Janeiro.

DIVULGAÇÃO

Isabel Marques (São Paulo/SP) Pedagoga, Mestre em Dança pelo Laban Centre for Movement and Dance, Londres, e Doutora em Educação pela USP. Foi professora da FE-Unicamp e professora convidada da ECA-USP. Foi assessora do MEC na elaboração dos Parâmetros Curri-

Tudo que se espera... – Cia. Clébio Oliveira

13


Sacha Witkowski (Goiânia/GO) É diretor do Festival Diagnóstico da Dança na cidade de Goiânia, onde também coordena o Fórum de Dança da cidade e o evento Terça Performática. Teve como professores de dança Denise Stutz, Thomas Lehmem, Giovanni Aguiar, entre outros. Coreógrafo dos espetáculos: Lenha (2002), Comum (2005), Lembra Daquele Rio? (2007), Dançadeira (2008) e A Morte do Cisne (2008). Sandra Meyer (Florianópolis/SC) Doutora pelo Programa de Estudos em Comunicação e Semiótica (PUC/SP). Coordenadora da Especialização em Dança Cênica e professora do curso de Artes Cênicas da Universidade do Estado de Santa Catarina. Coordenadora e Curadora do Tubo de Ensaio – Corpo: Cena e Debate. Co-organizadora dos livros Tubo de Ensaio – Experiências em dança e arte contemporânea (2006) e Pesquisas em Dança – Coleção Dança Cênica Volume 1. Publicou A dança cênica em Florianópolis (1994). Siedler Cia. de Dança e Stormental (Florianópolis/SC) Nascida em 2003, a Siedler Cia de Dança apresenta uma pesquisa estética inspirada na cultura underground, utilizando movimentos que partem do centro do corpo para permitir a fragmentação das articulações dos bailarinos. O grupo foi agraciado com o prêmio Klauss Vianna de Dança, da FUNARTE, em 2006 e 2007. A banda Stormental foi formada em 2006, ano de lançamento de seu primeiro CD homônimo. Em 2007 grava o EP Unleashing the Madness e filma o DVD Mental Live Storm. Suas composições mesclam o peso do heavy metal, a parte intrincada do rock progressivo e a velocidade do power metal, configurando um novo estilo chamado de raw prog-metal. Simone Avancini (São Paulo/SP) Coordenadora da área de dança do SESC SP, especializada em Semiótica Psicanálitica pela PUC SP e formada em Educação Física. Idealizadora do projeto Fora do Eixo, que recebeu prêmio APCA em 2004.

14

Sônia Mota (Brasil/Alemanha) Foi bailarina solista na Sociedade Ballet de São Paulo, no Royal Ballet Flanders-Antuerpia e no Balé da Cidade de São Paulo. Criou um método próprio de ensino da dança denominado Arte da Presença, trabalhando como professora de dança em várias companhias e escolas internacionais. Escreve o livro Dança – Arte da Ausência, com publicação prevista para 2010. Seu espetáculo solo Vi-vidas foi nomeado pela fundação SK Stiftung Kultur como um dos cincos melhores de dança de 2005 da cidade de Colônia, Alemanha. No Brasil, foi considerado um dos três melhores do ano na avaliação do Guia da Folha de S.Paulo. Sonja Gradel (Rio de Janeiro/RJ) Produtora executiva da Cia. Clébio Oliveira. Realizou a produção de vários trabalhos coreográficos e espetáculos, entre eles Vela à pilha, de Henrique Rodovalho; Eles assistem e eu danço..., de João Saldanha; Corpo de papel, de Alexandre Franco; Na mão dos pés, de Andréa Bergallo; E no mais..., de Marcela Donato; Acídia, de Luiz Fernando Bongiovanni e 7 propostas monocromáticas, de Patricia Nidermeier e Marcelle Sampaio. Participou da produção do evento Danças de Isadora. Trabalhou na Missão da Unesco no Brasil e foi relações públicas da Reitoria da Universidade de Brasília. Vera Torres (Florianópolis/SC) Doutoranda em Arts du Spectacle (Théâtre et Danse): École d’Esthétique, Science et Technologie des Arts - Universidade Paris 8, França; Master d’Arts: Danse, Universidade Paris 8; Mestrado em Comunicação e Semiótica - PUC/SP. Professora Universitária - CDS/UFSC. Coordenadora e Curadora do Tubo de Ensaio - Corpo: Cena e Debate. Co-organizadora do livro e DVD Tubo de Ensaio – experiências em dança e arte contemporânea (2006) e da Coleção Dança Cênica 1 (2008).


20h

17h30

16h

14h

9h30

9h

Horário

Espetáculo: Tudo que se espera... Cia Clébio Oliveira (RJ) Local: TAC Ingressos: R$10 e R$5 (meia)

• Aliança Francesa: affloripa@affloripa.com.br Tel.: 3222-8925 multipladanca.webnode.com

Informações e inscrições:

• Teatro Álvaro de Carvalho (TAC): R. Marechal Guilherme, 26 - Centro - Tel.: 3028-8070

• SESC Prainha: Trav. Siryaco Atherino, 100 - Prainha - Tel.: 3229-2200

• Museu da Escola Catarinense: R. Saldanha Marinho, 196 Centro - Tel.: 3212-5308

• Fundação Cultural Badesc: R. Visconde de Ouro Preto, 216 Centro – Tel.: 3224-8846

• Centro Integrado de Cultura (CIC): Av. Governador Irineu Bornhausen, 5.600 - Agronômica

• CEART/UDESC: Av. Madre Benvenuta, 1907 - Itacorubi

• CDS/UFSC: Campus Universitário - Trindade

• Aliança Francesa: R. Visconde de Ouro Preto, 282 Centro - Tel: 3222-8925

Endereços:

Terça (12/08)

Espetáculo: Coreológicas V Caleidos Cia de Dança (SP) Local: SESC Prainha ngressos: R$10 e R$5 (meia)

Mostra de Vídeodança Canadense Seleção Dança em Foco Local: Fundação Cultural Badesc Entrada franca

Mostra de Vídeodança Canadense Seleção Dança em Foco Local: Fundação Cultural Badesc Entrada franca

Oficina: Arte da Presença Técnica de dança contemporânea Sonia Mota (Brasil/Alemanha) Local: Sala de Dança CDS/UFSC R$20,00

Oficina: Mostra e reflexões sobre as relações entre dança e vídeo Armando Menicacci (França) Local: Auditório do Bloco Amarelo CEART/UDESC Entrada franca

Quarta (13/08)

Espetáculo: Perception of the other Siedler Cia de Dança e Stormental (SC) Local: TAC ngressos: R$10 e R$5 (meia)

Palestra: Unwelt, de Maguy Marin Vera Torres (SC) Local: Auditório do CDS/ UFSC Enrada franca

Mostra de bolso - artistas de SC: Monica Siedler & Roberto Freitas, Érika Rosendo e Kaiowas Grupo de Dança Local: SESC Prainha Entrada franca

Diálogo: Difusão da dança Local: SESC Prainha Entrada franca

Oficina: Arte da Presença Técnica de dança contemporânea Sonia Mota (Brasil/Alemanha) Local: Sala de Dança CDS/UFSC R$20,00

Oficina: Mostra e reflexões sobre as relações entre dança e vídeo Armando Menicacci (França) Local: Auditório do Bloco Amarelo CEART/UDESC Entrada franca

Quinta (14/08)

Espetáculo: Vi-vidas Sonia Mota (Brasil/Alemanha) ngressos: R$10 e R$5 (meia)

Lançamento do site idança.net Local: Fundação Cultural Badesc Entrada franca

Lançamento dos livros: *Ruth Rachou - Biografia *Pesquisas em dança - Coleção Dança Cênica *Seminários de Dança – Histórias em movimento. Biografias e registros em dança

Palestra: Tecendo redes entre a Dança, a Educação e a Sociedade Isabel Marques (SP) Local: Museu da Escola de Santa Catarina Entrada franca

Oficina: Técnica de dança contemporânea Alessandra Salamonde (RJ) Local: Sala 46 - CIC Entrada franca

Diálogo: Visibilidade à dança Local: SESC Prainha Entrada franca

Oficina: Arte da Presença Técnica de dança contemporânea Sonia Mota (Brasil/Alemanha) Local: Sala de Dança CDS/UFSC R$20,00

Oficina: Mostra e reflexões sobre as relações entre dança e vídeo Armando Menicacci (França) Local: Auditório do Bloco Amarelo CEART/UDESC Entrada franca

Sexta (15/08)


16

Profile for Paula Albuquerque

Multipla Danca 2008  

Revista-programa do Festival Internacional Multipla Danca 2008. Florianopolis-SC-Brasil

Multipla Danca 2008  

Revista-programa do Festival Internacional Multipla Danca 2008. Florianopolis-SC-Brasil

Advertisement