Issuu on Google+

CMYK

2 • Trabalho • Brasília, domingo, 25 de agosto de 2013 • CORREIO BRAZILIENSE

Notas

Ideias para o mundo Jovens empresários de Brasília começam a fazer história no empreendedorismo tecnológico dentro e fora do país Antonio Cunha/Esp. CB/D.A Press

mercado brasileiro não precisa ser o limite para o seu negócio. Por que não olhar para o mundo e enxergá-lo como uma grande oportunidade de mercado? Por falta de informações, muitos empreendedores perdem oportunidades para a empresa expandir para fora do país.“Esse é um dos principais motivos pelo qual empresários brasileiros não sonham com o mercado internacional”, ressalta Carlos Arruda, coordenador do Núcleo de Inovação e Empreendedorismo da Fundação Dom Cabral. Um modelo de empresa que vem atraindo muitos investimentos no Brasil é o startup. Muitas delas começam sem capital e chegam a ganhar milhões em pouco tempo. “O retorno de mutiplicação é muito rápido, por terem custo de entrada baixo. Mas o número de empresas que fracassa é muito grande”, alerta Carlos Arruda. Vimeo, Dropox, SoundClound e Rapidshare são exemplos que começaram como startup e se deram bem. Há mais de 200 startups em Brasília, segundo a Associação de Startups e Empreendedores Digitais. O número mostra que o mercado é promissor para quem quer inovar na área de tecnologia da informação. Hoje, existem programas de aceleração, tanto de iniciativa privada quanto pública. Foi o caso da Poup. A empresa brasiliense, criada pelo empresário Gustavo Gorenstein, foi selecionada pela Startup Brasil, programa de fomento de startups do Ministério da Ciência e Tecnologia. Vão receber R$ 100 mil de uma empresa aceleradora para investirem em marketing, R$ 200 mil do governo federal para aumentarem a estrutura da empresa. Em troca, os investidores ganham 5% da Poup. Além do

O

» RUMO AO MUNDO CINCO DICAS PARA SE TORNAR UM EMPREENDEDOR INTERNACIONAL

O MAIOR CUIDADO QUE UMA STARTUP TEM QUE TER É A CERTEZA DE QUE O MERCADO QUER E PODE PAGAR PELO SERVIÇO OU PRODUTO”

1) Investir em capacitação. Conhecimento do negócio é essencial e indispensável. O mercado internacional não é para amadores; 2) Definir e transformar a ideia em uma necessidade. Não precisa ser genial ou inédita, porém tem que trazer uma solução para um problema; 3) Conhecer o mercado brasileiro e aquele em que se quer entrar. O que importa é o cliente. Sem comprador, não há empresa;

PARCERIA COM CAMBRIDGE A Fundação Dom Cabral, escola de negócios, firmou parceria com a Universidade de Cambridge, por meio da Cambridge Judge Business School. O objetivo do programa é mostrar uma visão mais ampla e global da gestão empresarial aos participantes da especialização. O foco são as áreas de empreendedorismo e inovação, definidas pelos próprios executivos como prioritárias para o desenvolvimento de suas carreiras. Durante os cinco dias de programa, os alunos terão contato com um contexto diferenciado de empreendedorismo, com empreendedores de startups de diversos segmentos, gestores e investidores do Reino Unido. A primeira turma irá em setembro.

Gustavo Gorenstein, dono da Poup

4) Encontrar um parceiro que queira ganhar coma empresa. Há aceladoras, fundos de investimento e anjosinvestidores que buscam investir em startups; e 5) Buscar um modelo de negócio que seja aplicável em qualquer mercado.

» Startup É uma empresa nascente com alto poder de crescimento. Geralmente, de base tecnológica e informacional, com poder de escalonar rapidamente.

financiamento, recebem orientação para o desenvolvimento dos projetos. A Poup é uma empresa virtual que encaminha o cliente para sites de compra. A comissão que ela recebe pela indicação é dividida com o consumidor. A ideia do cash back, no Brasil mais conhecido como compre e ganhe, não é nova. Gustavo conheceu essa prática enquanto fazia mestrado em empreendedorismo em tecnologia na Inglaterra e quis trazer para cá. Com menos de um ano em funcionamento, a Poup já fez parcerias com 80% do e-commerce brasileiro e com cinco empresas de fora do país.

A meta para o segundo semestre é crescer 50% a mais do que no primeiro. “Para começar a testar o negócio e ver se existe mercado, não precisa de dinheiro na startup, só de coragem para dar o primeiro passo”, afirma o idealizador do Poup. Em um mercado altamente competitivo, a ideia tem que vir acompanhada de um atrativo. O diferencial da Poup são as parcerias com as melhores lojas e o tratamento que mantém com todos os clientes. E o professor Carlos arruda afirma: “Inovação é fundamental. Se não tiver uma oferta diferenciada, as condições de competição são desfavoráveis.”

INSPIRAÇÃO Duas empreendedoras irlandesas, Vala Halldorsdottir e Sesselja Vilhjalmsdottir, fizeram um documentário para contar a história de jovens empreendedores, como a dos responsáveis pelo Vimeo, Dropbox, SoundCloud, entre outras empresas digitais já famosas ou que estão crescendo rapidamente. The Startup Kids traz casos de sucesso de pessoas que abriram empresas ainda muito jovens, alguns pré-adolescentes. Para assistir ao documentário é necessário pedi-lo no site http://thestartupkids.com/request-ascreening/. O filme é mais um sinal do movimento de pessoas que buscam realizar seus sonhos. Inspire-se!

www.ead.sebrae.com.br

Como inovar?

fornecedores?

Concorrência?

Calma.

Acesse o portal de educação A distância do sebrae.

E o melhor de tudo:

é grátis.

O portal de educação a distância do Sebrae inovou. Agora com cursos durante o ano inteiro, vagas ilimitadas e início imediato. E ainda oferece tutores para esclarecer suas dúvidas. Tudo prático, interativo e o melhor: gratuito. Clique, aprenda e empreenda.

Especialistas em pequenos negócios / 0800 570 0800 / sebrae.com.br

CMYK


Ideias para o mundo