Issuu on Google+

Escola _______________________________________________ Nome: ____________________________ N.º ___ Turma _____ Ano: ____

O Livro

- Eu sou o livro – diz o livro que é de poucas falas, porque gosta mais de dizer as coisas por escrito. - E eu sou o leitor, ou melhor, talvez seja o leitor – dizemos nós. Folhear um livro é espreitar para dentro de uma caixinha sem chave, uma caixinha ao alcance das mãos e dos olhos. Não há segredos. - Que tens guardado para me dar? – perguntamos nós ao livro. Aí o livro conta, não pára de contar o que dentro dele tem para nós. Se, entretanto, nos sentamos numa cadeira, de preferência de braços, por ser mais cómoda, e poisamos o nosso livro sobre os joelhos, esta conversa, que começou por ser hesitante e prudente, vai, quase de certeza, demorar que tempos, tempo de lermos o livro do princípio ao fim ou de fio a pavio, como também se costuma dizer. - Valho muito mais do que o peso – diz o livro, sem ser por vaidade. - Tenho tanta coisa, tanta surpresa, meus amigos, que só lendo-me se acredita. Vamos então descobrir por nós o que ele tem para nos dar. Vamos ler!

© Elsa Gouveia -

2007/2008

António Torrado, O Menequim e o Rouxinol (texto com supressões)


A importância do livro