Page 1

UNIÃO EUROPEIA Fundo Social Europeu

ISNN 2182-0481

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE INFIAS

Junho 2014 . Número 11

Entrevistas . Mérito e Excelência . Notícias das Escolas do Agrupamento . Unidades de Intervenção Especializada . Desporto Escolar e muito mais...


junho 2014

2

Editorial Inicio esta edição do Pau de Giz com uma palavra de estímulo, agradecimento e apreço para todos aqueles que o tornaram possível. No final de mais um ano letivo damos-vos conta, na medida do possível, das atividades em que alunos, professores e associações de Pais e Encarregados de Educação do nosso agrupamento se envolveram. Congratulo-me com o facto de todos estes protagonistas terem agarrado com motivação, empenho e responsabilidade projetos e iniciativas que as páginas do nosso jornal explicitam. Estou certa que, com toda esta criatividade e dinâmica, os nossos alunos formaram-se para a vida. Da mesma forma, estou certa de que ainda muito ficou por divulgar. Há tantas iniciativas, desenvolvidas pela comunidade educativa, que não estão aqui retratadas. Porque não divulgá-las? Porque não partilhá-las? Compete-nos, a nós, enquanto educadores fomentar a escrita como um ato de cidadania, visando informar e formar leitores atentos, interessados, despertos para os factos que ocorrem na escola e na comunidade. Por isso apelo a mais contributos, só assim retrataremos de forma fiel todo o trabalho que se faz internamente e contribuímos para a projeção do Agrupamento para o resto da nossa comunidade. Um estudo nacional desenvolvido pela Universidade do Minho revela que ”os professores sentem que a indisciplina na sala está a aumentar, existindo situações em que perdem metade da aula a resolver estes problemas. Mais de oito em cada dez professores inquiridos (84%) consideram que a indisciplina aumentou nos últimos cinco anos. Apenas 2,5% entende que a situação dentro da sala de aula está melhor e 11% acha que a situação se mantem inalterada. Os problemas apontados “não são os mais graves”, sublinha o investigador da UM, dando como exemplos a utilização de aparelhos eletrónicos durante a aula, falar com o colega do lado, sair do lugar e comer dentro da sala, ou ter uma atitude passiva e estar desatento”. (in LUSA 03/04/2014). Pois bem, contribuindo para a aquisição de ferramentas para lidarmos com esta problemática,

expresso o meu apreço pela excelência, qualidade e pelo enriquecimento que proporcionaram as Is Jornadas Pedagógicas: Problemas de Convivência na Escola do Século XXI promovidas pela professora bibliotecária e formadora, Emília Monteiro e pela Direção do Agrupamento. Pelo sonho é que vamos,
 comovidos e mudos. Chegamos? Não chegamos? Haja ou não haja frutos, pelo sonho é que vamos. Basta a fé no que temos. Basta a esperança naquilo que talvez não teremos. Basta que a alma demos, com a mesma alegria,
 ao que desconhecemos e ao que é do dia a dia. Chegamos? Não chegamos?
 - Partimos. Vamos. Somos. Sebastião Artur Cardoso da Gama (1924 — 1952) Queridos alunos encarem o próximo ano com garra para que só os sucessos aconteçam. Bons Exames. Em setembro, cá nos veremos de novo! Até lá! Boas Férias. Professora Rosa Maria Almeida de Freitas Carvalho (Diretora do Agrupamento de Escolas de Infias - Vizela)

Associação de Pais da Escola Básica de Infias - Vizela promove jornada de sensibilização sobre convivência A Associação de Pais e Encarregados de Educação da Escola Básica e Secundária de Infias-Vizela constitui um meio privilegiado para fazer ouvir a voz dos pais e encarregados de educação na Escola e construir pontes de colaboração entre Direção, Professores, Alunos e Assistentes Técnicos e Operacionais, bem como encontrar apoio na comunidade para melhorar o ambiente escolar. Para a concretização dos seus objetivos realizou, no dia 21 de maio, o seminário “PROBLEMAS DE

CONVIVENCIA NA ESCOLA DO SECULO XXI” proferida pelos palestrantes, Dr. Albino Almeida, ex-presidente da CONFAP e Agente Cláudia Magalhães, da GNR – Escola Segura. Com esta iniciativa, pretendeu informar e esclarecer pais e Encarregados de Educação e torná-los mais aptos e capacitados para lidar com situações problemáticas protegendo assim os seus filhos e educandos. Constituindo-nos como a voz dos pais, a Associação de Pais e

Encarregados de Educação agradece a participação da Câmara Municipal de Vizela; da Direção do Agrupamento; dos professores e pais nesta iniciativa, a qual resultou em êxito. A educação dos nossos filhos é um direito e sobretudo um dever que nos assiste!

A Presidente da Associação Maria Arminda

FICHA TÉCNICA Coordenação: Manuel Abreu. Colaboradores: Professores, Alunos, Associações de Pais e Encarregados de Educação, Associação de Estudantes e Assistentes Técnicos e Operacionais. Revisão de textos: Agostinho Castro, Ana Soares, Valéria Pereira, Maria José e Emília Monteiro. Composição gráfica: Manuel Abreu, Carlos Gomes, Filipe Gonçalves. Propriedade: Agrupamento Vertical de Escolas de Infías - Vizela. Telefone: 253480320 Email: paudegiz@aeinfias.com. Depósito legal: 303775/09. ISNN: 2182-0481 Tiragem: 1000 exemplares Edição digital: http://issuu.com/pau_de_giz

Associação de Pais da Escola Básica de S. Miguel participal nas I Jornadas Pedagógicas A Associação de Pais do Centro Escolar de Vizela foi uma das entidades convidadas a participar num encontro que debateu algumas problemáticas relacionadas com a violência na escola, no âmbito das I Jornadas Pedagógicas. A participação da Associação pautou-se pela partilha da experiência da Associação no que diz respeito à relação com a comunidade e com os Encarregados de Educação, tendo sido exibidos alguns exemplos de boas práticas. A realização de palestras envolvendo forças locais, como a GNR ou os Bombeiros Voluntários; a promoção de atividades lúdicas na área das artes foram alguns dos exemplos dados pela representante da Associação, como sendo importantes para o reforço das relações entre os responsáveis da escola e comunidade escolar. P´lo Presidente Isabel Santos


junho 2014

3

“Sustentabilidade – Viver Vizela”

ProjetoS Empreendedorismo nas Escolas Prémios reconhecem mérito e excelência dos alunos e professores do Agrupamento

Escola Básica de Secundária de Infias – Vizela foi seleccionada no Concurso de Ideias que a Fundação Ilídio Pinho, em parceria com os Ministérios da Educação e Ciência e Ministério da Economia está a promover com a 11.ª edição do Prémio Fundação Ilídio Pinho “Ciência na Escola”. O projeto “ViVela Produção de Velas Ecológicas”, do 8.ºC, deu resposta ao desafio de “Sensibilização para o Empreendedorismo nas Escolas”recebeu um Prémio de Participação no valor máximo de 500 euros. Parabéns aos professores Carlos Mendonça e Eva Ribeiro e aos alunos.

A turma do 9º E do Ensino Articulado desenvolveu um projecto no âmbito das Escolas Empreendedoras da Rede IN.AVE. A ideia de negócio proposta pelos alunos foi materializada no projecto IN.VIZELA cujo produto oferece um cabaz de produtos da terra e de promoção turística do município de Vizela. O projeto ganhou o 2º prémio na final realizada a Feira Intermunicipal Expo Empresas Júnior realizada, no dia 24 de maio, na Escola Camilo Castelo Branco e Vila Nova de Famalicão. Parabéns aos alunos inovadores e à professora Filomena Jarmelo.

Escola Básica de S. Miguel (Centro Escolar) aceitou o desafio do Fundo IKEA Colabora III e participou no Projeto Pequenas Mudanças Sabichonas. O projecto “Cittaslow Kids Viver Vizela - Happy School” a concurso ,de melhoria do espaço escolar, foi premiado com um cartão-presente IKEA no valor de 1.000€. Foi com muita alegria que o agrupamento recebeu este prémio! Parabéns aos alunos e às professoras Valeria Pereira e Maria José envolvidos no projeto. O futuro começa hoje e depende de cada um de nós.

“Um conto que contas” no 2.º lugar no concurso nacional

Continuação de bom trabalho!

O nosso agrupamento conquistou o 2.º lugar no concurso nacional “Um conto que contas – 2013/14”, promovido pela Sociedade Portuguesa de Matemática em parceria com as Universidades de Évora e dos Açores. A Matemática, a Língua Portuguesa e os problemas do Planeta Terra 2013 de mãos dadas no conto “Distúrbios em Ecomat” que nos faz pensar sobre a preservação dos recursos naturais. O Eduardo Freitas e Sara Veiga do 9.º E aceitaram o desafio da professora de Matemática e arregaçaram as mangas conquistando um honroso 2º lugar numa corrida que contou com mais de uma centena de projetos. Parabéns aos nossos pequenos grandes escritores. CONCURSO INOVA 2014 “PROJETO CITTASLOW KIDS – Viver Vizela” O projeto do Agrupamento de Escolas de Infias, “CITTASLOW KIDS – Viver Vizela” ficou apurado para a defesa presencial do Inova 2013 2014 da região Norte. O evento que foi alargado pela primeira vez este ano ao 1.º ciclo do ensino básico é um concurso de ideias, que visa estimular o empreendedorismo e a cultura empreendedora nas escolas nacionais. A equipe formada pelas professoras coordenadoras do projeto e duas alunas da Escola Básica de S. Miguel fizeram a apresentação pública nas instalações da Direção de Serviços da Região Norte no Porto.


junho 2014

4

“Sustentabilidade – Viver Vizela”

ProjetoS Empreendedorismo nas Escolas ViVela - Produção de Velas Ecológicas O projeto ViVela - Produção de Velas Ecológicas está a ser desenvolvido pela turma 8.ºC da Escola B/S de Infias, Vizela, dando resposta ao desafio de “Sensibilização para o Empreendedorismo nas Escolas”. Foi criado no âmbito do Projeto de Empreendedorismo nas Escolas, porém, teve como impulsionador o projeto Eco-Escolas. Em formação no âmbito do Eco-Escolas, a docente Sílvia Lemos informoutodososelementosdaequipa Eco-Escolas da existência de várias iniciativas, de entre elas a Vela por Óleo. Assim, a equipa decidiu participar e dar seguimento a este projeto. Surgiu a oportunidade de dar um caráter diferente a este projeto através do Projeto de Empreendedorismo nas Escolas. Com a formação de dois professores da turma, Carlos Mendonça e Eva Ribeiro, tem sido possível desenvolver com os alunos uma consciência empreendedora e inovadora, colocando à disposição dos alunos ferramentas úteis para a sua formação enquanto discentes e enquanto pessoas. Desta forma, foi lançada a ideia, através de um brainstorming com os alunos, de criar uma empresa económicaeambientalmentesustentável, que produzisse velas aromáticas ecológicas com a reutilizaçãodeóleosalimentaresusados. Esta ideia surgiu da necessidade

de tratamento dos resíduos alimentares e do conhecimento que os alunos já tinham do programa Eco-Escolas, nomeadamente da campanha, Vela Por Óleo. Assim, foi necessário encetar várias diligências para colocar o projeto em funcionamento: • contactar a Vela por Óleo para aquisição dos kits de essências e das máquinas; • solicitar apoio financeiro à escola para a aquisição desses kits (que, como sempre, desde logo apoiouincondicionalmenteoprojeto); • chegar ao nome da empresa, criar um slogan e um logotipo; • distribuir os alunos da turma por departamentos empresariais; • elaborar um blog do projeto: http://vivelavizela.blogspot.pt/ ; • proceder à recolha dos óleos alimentares usados, bem como de suportes para as velas (capsulas de café, tampas de iogurtes, latas…); entre outras. Para realizar essas atividades foram necessárias várias sessões de trabalho: • workshop com a Drª Sandra Tavares para os alunos aprenderem a utilizar as máquinas e as essências; • sobre a temática do empreendedorismo com o formador externo Tiago Rodrigues, da GesEntrepreneur; • brainstorming sobre a criação

do nome da empresa, do slogan, do logotipo; •dedesenvolvimentododesigndo exterior das velas, com o auxílio da professora de Educação Visual, Anabela Marques; entre outras. Com todas estas iniciativas, a equipa de professores, tendo sempre em mente a Expo Empresas Júnior, candidatou o projeto “ViVela” ao Prémio da Fundação Ilídio Pinho - Ciência na Escola, cujo tema do corrente ano é “Ciência e tecnologia para a rentabilização dos recursos naturais”. O nosso projeto foi selecionado para a fase seguinte do concurso, tendo, por isso, recebido um prémio destinado desenvolvimento da ViVela. Assim, no momento, o projeto ViVela encontra-se numa fase de desenvolvimento, tendo já feito a produção e venda de velas no dia 04 de abril, na “Feira de Todos” uma atividade dinamizada na escola, para a comunidade. Teve como ponto mais alto a sua apresentação intermunicipal, no dia 24 de maio, na Expo Empresas Júnior, em Vila Nova de Famalicão. Alunos do 8º C profºs Carlos Mendonça e Eva Ribeiro

“M2CE – Mais e melhores Industrias”, promovida pelo MIT Portugal - Ciência Viva 12º A e 11ºA ganham 2º e 3º prémio na competição Alunos do 12º A e 11ºA ganham 2º e 3º prémio na competição, “M2CE – Mais e melhores Industrias”, promovida pelo MIT Portugal - Ciência Viva. Projeto apresentado – Conceção de um carro propulsionado por 2 balões de ar. Local de competição – Escola Secundária D. Dinis em Chelas, Lisboa.

Ferramentas adquiridas – Construção de um carro usando prototipagem rápida, estimular o espírito criativo e empreendedor, e de mostrar o seu impacto futuro na indústria. Projeto interdisciplinar – Físico-Química, TIC e Educação Tecnológica.


junho 2014

5

“Sustentabilidade – Viver Vizela”

ProjetoS Empreendedorismo nas Escolas

Projeto InVizela Os alunos da Turma E do 9.º ano da Escola Básica e Secundária de Infias – Vizela, executaram e finalizaram um projeto empreendedor a que se propuseram no decorrer do presente ano letivo. O projeto ganhou vida quando a diretora de turma, Filomena Jarmelo, iniciou uma formação no âmbito da sua valorização profissional, relacionada com o desenvolvimentodeprojetosempreendedores porparte de alunos do 3.º ciclo. Após muitas decisões e indecisões, os alunos foram unânimes em abraçar o projeto InVizela com garra e concretizá-lo de forma a conseguirem reunir uma simpatia especial em torno do mesmo. Concretamente, o projeto consistiu em promover o nosso município, mostrando o que de melhor se faz por cá e o tipo de serviços a que qualquer habitante e visitante tem acesso. Assim, decidiu-se a construção de um “pack/kit” turístico, no qual são incluídos produtos com um cariz

local, nomeadamente o Bolinhol, o vinho verde, um produto têxtil, uma estatueta da Vizela Romana (elaborada por um artesão vizelense), uma amostra de água termal, um sabonete das termas de Vizela, um recipiente com mel e flyers turísticos. Estes produtos foram reunidos numa embalagem manufaturada por um tece-

“Abril - Mês de prevenção contra os Maus Tratos” Numa iniciativa da CPCJ – Vizela, em colaboração com a Direção do Agrupamento, alunos e professores participaram, no dia 2 de abril, na abertura oficial do Mês de Prevenção contra os Maus Tratos. Do programa constaram as seguintes iniciativas: descerrar do “Laço Azul” com uma pequena atuação musical dos alunos do 6º C e 6º D, orientados pela professora Cármen Oliveira, a distribuição de laços azuis (símbolo da campanha) e a uma visita guiada à exposição “Mural dos Afetos”. P.G

lão vizelense. Este projeto foi amplamente divulgado via facebook (facebook. com/InVizela), nos canais próprios do Agrupamento de Escolas de Infias, pela Câmara Municipal de Vizela, pela rádio e pelo jornal local. Para que a concretização fosse uma realidade foi essencial

a vontade, empenho e espírito empreendedor revelados por todos os alunos e a recetividade demonstrada por todos aqueles que nos honraram com a sua parceria. Assim, a nossa palavra de agradecimento aos nossos parceiros: Câmara Municipal de Vizela, Lasa, Adega Avelino, Academia de Música de Vizela,

Pastelaria Fina, Prescript, Xavier de Freitas, Artelima, Gold Star Snack Bar, Pizzaria Belsarini, Maguidu, Riler. Carece ainda de uma palavra de agradecimento a tia do aluno Renato Carvalho pela gentiliza em nos ter feito os acabamentos nas embalagens. O nosso projeto esteve a concurso no dia 24 de maio, em Vila Nova de Famalicão, no âmbito da Expo Empresas Júnior. Independentemente do resultado, o Invizela concretizou o seu principal objetivo que consistiu no desenvolvimento de competências empreendedoras nos jovens de hoje a fim de que se tornem os empreendedores do futuro! Mas para nos orgulharmos ainda mais pela forma dedicada com que sempre nos envolvemos neste projeto vimos o trabalho reconhecido com a atribuição de um honrado segundo lugar.

Peddy-Paper 2014 Realizou-se no dia 6 de Junho de 2014 mais uma edição do Peddy-Paper ao São Bento das Peras no nosso Agrupamento . Foram muitos os grupos que caminharam, cumprindo as orientações e desafios propostos pela organização, circulando por entre “cientistas em ação”, alunos empreendedores do “Vela por Óleo”, passando por postos de desafios matemáticos, postos de dança e música, de bio-investigação, até à ação de sensiblização da utilização da bicicleta como meio de transporte sustentavél. Para finalizar a caminhada saborearam juntos um pic-nic num convívio muito agradável.

Alunos do 9º E profª Filomena Jarmelo


junho 2014

6

Agrupamento de Escolas de Infias-Vizela assina protocolo no âmbito do Projeto CIEE - Clube de

Inteligência Emocional na Escola O Clube de Inteligência Emocional na Escola continua a crescer e a tornar-se cada vez mais presente no quotidiano dos nossos alunos. No passado dia 24 de janeiro, em Oliveira de Azeméis, teve lugar a cerimónia oficial de assinatura dos protocolos de colaboração entre a mentora do Projeto CIEE - Clube de Inteligência Emocional na Escola - Aprender a Ser Feliz© e as escolas/entidades aderentes, assim como a cerimónia de tomada de posse da comissão técnico -pedagógica da direção do Projeto CIEE - Aprender a Ser Feliz® para o ano letivo de 2013/2014. Em representação do Agrupamento de Escolas de Infias estiveram presentes o diretor adjunto,

Manuel Abreu; a professora coordenadora, Belmira Paiva; a psicóloga Sofia Ribeiro, bem como a representante da associação de pais e encarregados de educação da Escola Básica e Secundária de Infias – Vizela, Arminda Alves. O Agrupamento deu, assim, mais um passo na construção e consolidaçãodoseuplanodeação tutorial, que conta também com o Serviço de Psicologia e Orientação, o Gabinete de Mediação e Convivência, o Projeto de Tutoria entre Iguais – “Ter um Padrinho é Fixe”, a Sala de Apoio ao Estudo, bem como um conjunto alargado de professores tutores. Belmira Paiva

Banco de Livros

O nosso Agrupamento, através do Banco de Livros, associou-se à Biblioteca Municipal Jorge Antunes na campanha de recolha de livros usados. A recolha decorreu entre os meses de janeiro e março e destinou-se a reunir livros usados em bom estado de conservação a fim de serem oferecidos às crianças carenciadas do concelho. Esta entrega simbólica teve lugar no agradecimentoespecialporterem dia 23 de abril, data em que se provado que partilhar é possível! assinala o Dia Mundial do Livro. A coordenadora A todos os que colaboraram, um Belmira Paiva

Visita às grutas de Sto. António e à Vista Alegre, uma experiência enriquecedora! Visita às grutas de Sto. António e à Vista Alegre, uma experiência enriquecedora! A visita de estudo às grutas de Sto. António e à fábrica de vidro da Vista Alegre realizou-se no âmbito das disciplinas de Biologia e Geologia e de Física e Química. A visita às grutas foi muito elucidativa tal como a visita à fábrica de vidro da Vista Alegre. A visita às grutas serviu como objeto de estudo para os alunos do 11º A, que durante o ano estudam os processos de formação de rochas sedimentares. Quanto ao 10º A foi uma forma de entrar em contacto com a matéria do ano seguinte. Na fábrica de vidro da “Vista Alegre”, os alunos tiveram aoportunidadedeobservartodoo

processo de fabrico de uma peça de vidro. Esta visita terminou no museu da Vista Alegre onde foi oferecida a todos os alunos uma peça produzida nesta empresa. Os alunos estiveram todos empenhados durante a visita e mostraramse bastante interessados, colocando bastantes questões, quer nas grutas, quer na “Vista Alegre”. 10 º e 11º A

“Estilo Social”

Uma Medida de Todos para Todos! O Agrupamento de Escolas de Infias inaugura, no próximo dia 13, pelas 11.30 horas, a Loja “Estilo Social ”. Este projeto nasce da vontade de ir mais além na interação com a comunidade e no fortalecimento dos laços que a unem à escola. Nesta loja, decorada pelos alunos da turma C, do 11º ano, na disciplina de Desenho A, pode adquirir roupa, calçado, roupa de cama / atoalhados, acessórios e bijuteria de forma simbólica. O seu funcionamento é assegu-

rado pelo contributo voluntário de professores, funcionários e alunos, entre eles os finalistas do curso de Animação Sociocultural e os da Unidade de Intervenção Especializada (Unidade de Apoio Especializado à Multideficiência), envolvidos na recolha, triagem, arrumação e venda dos artigos. A “Estilo Social” está aberta a toda a comunidade, não só para consumo, mas também para os que desejarem contribuir com a entrega do que já não necessitam. De referir que o Agrupamento

estabeleceu uma parceria com as empresas Ultriplo e Sarah’s Trading, no sentido de usufruir dos seus serviços no âmbito da recolha de vestuário. Esta parceria visa fomentar hábitos de reciclagem entre os alunos, através da seleção e triagem de artigos, uma das áreas de atuação destas empresas. O Agrupamento convida todos a estarem presentes neste evento, em mais um dia de portas abertas à comunidade! B.P.


junho 2014

7

Palestra “Violência no namoro”

Eu sou jovem e sou contra a Violência no namoro… Foi este o mote para um dia intenso e marcante na nossa escola! Interação foi a palavra de ordem ao longo das várias sessões realizadas pela SOPRO Feminino, numa parceria com o Departamento de Ciências Sociais e Humanas, o Serviço de Psicologia e Orientação, o Clube de Inteligência Emocional, o Gabinete de Apoio à Família e ao Aluno e a Comissão de Proteção de Crianças e Jovens em Risco (CPCJ). As apresentações iniciaram com uma breve caracterização do âmbito de ação da SOPRO – Solidariedade e Promoção, dando lugar a uma pequena abordagem aos Objetivos do Desenvolvimento do Milénio (ODM), introduzindo o projeto SOPRO Feminino como um contributo para os ODM. A dinâmica das sessões desenrolou-se em torno de questões geradoras e situações reais, bem como do debate de conceitos, ideias e reflexões acerca dos diversos ti-

pos de violência, extremamente pertinentes para os nossos jovens. A atividade foi também assinalada com um painel de mensagens elaboradas pelos nossos alunos na área disciplinar de Educação Moral e Religiosa, assim como com um momento performativo de dança pelo clube de danças dinamizado pela docente de Educação Física. No final, a tradicional foto de conjunto: “Eu sou jovem e sou contra a violência no namoro”, encerrou o dia com o nosso imenso agradecimento! Belmira Paiva

Várias são as investigações que revelam níveis perturbadores de violência nas relações na intimidade juvenil. No caso de a relação se prolongar no tempo, também a violência tende a aumentar, no que respeita à frequência e à gravidade, facto que conduz, por norma, à violência conjugal. No namoro, em particular, a violência compreende maioritariamente atos menos severos, como, por exemplo, insultar, difamar, gritar, ameaçar, esbofetear, empurrar… Talvez, por essa razão, seja comum os jovens entenderem como legítimos comportamentos abusivos com as namoradas ou os namorados. Entre estes poder-se-á destacar o facto de muitos rapazes e muitas raparigas considerarem normal proibir a/o namorada/o de vestir certas roupas e de sair com determinados/as amigos/as. É alta a probabilidade dos jovens serem ou se tornarem agressores/as ou vítimas de violência no namoro. Trata-se de um problema social relevante, ao qual não se tem dado suficiente atenção. É importante romper o muro de invisibilidade e silêncio que se ergue em torno deste problema. Com o objetivo de quebrar este

silêncio, a equipa da biblioteca e a CPCJ promoveram a palestra “Violência no namoro” para turmas do 3º ciclo e do ensino secundário. A motivação para a reflexão sobre esta questão ficou à responsabilidade da psicóloga Marta Araújo que alertou, em jeito simples e incisivo, para o habitual modo de comunicação entre os jovens que, despercebidamente, leva a pessoa ao isolamento, à humilhação, à culpa, ao rebaixamento, etc. Não são estas formas de vida, formas de amar nem de promover a felicidade e o bem-estar da pessoa.

E no decurso destas considerações, os participantes tiveram oportunidade de colocar à discussão as suas perceções sobre as relações de namoro, muito em especial, no que toca ao ciúme, à necessidade de desenvolverem relações equilibradas e harmoniosas, baseadas no respeito, na confiança, na responsabilização, na liberdade. Foi um espaço de discussão muito bem aproveitado pelas turmas presentes! Parabéns a todos pela participaçãoepelapartilhadeinquietações! a PB Emília Monteiro

INCLUSÃO, EMPREENDORISMO E SUSTENTABILIDADE…NA EDUCAÇÃO ESPECIAL Projeto: “Literacia, uma oportunidade para aprender”

O Departamento de educação especial promoveu diversos projetos, com a máxima que é na diferença de cada um que nasce a relação, a partilha, a igualdade e o respeito. É no reconhecimento da diferença componente fonológico da linguaque sabemos e sentimos fazer parte de um todo. Sabemos que há mil caminhos que ainda ninguém os gem. Surgem de forma inesperada, percorreu e mil ilhas escondidas na vida, contudo estamos cá para promover, para incluir, para inovar… tendo em conta o nível de outras capacidades cognitivas e a exisO projeto, “Literacia, uma oportência de uma pedagogia ajustada. tunidade para aprender”, surgiu Podem incluir-se também probleno presente ano letivo com o prinmas na compreensão da leitura cipal objetivo de desenvolver uma (relacionados com a diminuída intervenção específica e especialiexperiência de leitura) o que pode zada para colmatar as dificuldades dificultar o crescimento do vocabude alunos. Estes não integram as lário e do conhecimento geral. respostas educativas previstas no Compete à escola, mais especifiDecreto-Lei n.º 3/ 2008 de 7 de jacamente aos professores, detetar neiro. os casos de dificuldades específiNum sentido lato, literacia, entencas de aprendizagem, reconhecer de-se como a capacidade de cada os sinais e adequar a intervenção indivíduo para compreender e usar às características dos alunos. A a informação escrita em diferentes intervenção passa inquestionasuportes impressos, de modo a develmente por encontrar diferentes senvolver os seus próprios conheestratégias para um ensino difeassociadas à leitura, à escrita, à perturbação específica da aprendi- renciado. As atividades propostas cimentos. Atualmente há muitas crianças aquisição da linguagem, no sentido zagemcomorigemneurobiológica. em ambientes formais e informais com Dificuldades de Aprendiza- de se proceder a uma intervenção/ Carateriza-se por dificuldades no (escola/casa) devem desenvolverreconhecimento correto de pala- se num ambiente de compreensão, gem (DA). Estas comprometem estimulação adequadas. No âmbito das DA, a dislexia survras escritas, dificuldades ortográ- no sentido de promover a autoconnão só desempenho e rendimento ge como uma dificuldade específicas e dificuldades na descodifica- fiança da criança com dislexia. escolares, mas também o sucesso fica ao nível da leitura e da escrita. ção. Estas dificuldades resultam, Assim, torna-se urgente fomentar como cidadãos. Assim, é importanA dislexia é entendida como uma frequentemente, de um défice no hábitos de leitura. E esta deverá te perceber e despistar dificuldades

acontecer como um processo natural no desenvolvimento holístico do indivíduo. O meio envolvente, família, escola, professores, pares, deverão ser capazes de despertar curiosidade e interesse pela mesma. Não só por lazer e não só para “informação”. Através da leitura o indivíduo será capaz de se tornar um cidadão crítico e capaz de se compreender como Homem e capaz de compreender o que o rodeia. CURIOSIDADE Muitas personalidades, geniais, reconhecidas nas mais diversas áreas, das artes à ciência, são ou foram disléxicas. Albert Einstein (cientista) Bill Gates (empresário) Franklin D. Roosevelt (político)

John Lennon (cantor/compositor) Leonardo da Vinci (pintor) Pablo Picasso (pintor) Tom Cruise (ator) Educação Especial


junho 2014

8

O Teatro veio à Escola Mais uma vez a Companhia Profissional de Teatro Educa deslocou-se à Escola Básica e Secundária de Infias. No dia 7 de maio, no auditório A1 da Escola Básica e Secundária de Infias, as turmas do sexto e do nono ano assistiram à peça “25 de abril- História de uma Revolução”, no âmbito da comemoração dos 40 anos da Revolução de Abril, atividade promovida pela área disciplinar de História e Geografia de Portugal e História. De uma forma divertida e adequada, os alunos puderam relembrar e conhecer a História de uma Revolução, que derrubou, sem derramamento de sangue e sem grande resistência das forças do governo, o regime ditatorial herdado de António de Oliveira Salazar. O regime que vigorava em Portugal desde 1933 cedia, de um dia para o outro, à revolta das forças armadas lideradas por jovens oficiais. Nesta peça, os alunos ainda viram abordados os temas do Marcelismo até à Constituição de 1976. A peça trouxe momentos hilariantes aos espetadores que aplaudiram entusiasticamente os atores, quando a mesma chegou ao fim. Paula Pinto, prof.ª de História

Agrupamento de Escolas de Infias na Televisão! Foi no dia 29 de maio que o Clube de Inteligência Emocional - Projeto Aprender a Ser Feliz© do Agrupamento de Escolas de Infias esteve presente no programa Sociedade Civil, do canal 2 da RTP. Em estúdio esteve a professora Belmira Paiva, coordenadora do projeto no Agrupamento, que deu a conhecer o trabalho feito pelo Clube ao longo dos dois últimos anos letivos. A docente fez saber que o número de alunos a frequentar o Clube de Inteligência Emocional aumentou consideravelmente neste segundo ano de funcionamento (de 20 para 100), sendo que são vários os testemunhos de melhorias comprovadas no percurso pessoal e escolar dos alunos envolvidos. A professora explicou também os benefícios das atividades do Clube para o desempenho dos alunos, uma vez que o trabalho realizado concorre para a melhoria da atenção e da concentração, bem como para a perceção, compreensão, expressão e regulação das emoções, facilitando, em muito, o processo de ensino / aprendizagem. Além dos aspetos relativos à implementação e ao funcionamento deste projeto, o programa exibiu, também, uma entrevista à mentora do Projeto, a Dr.ª Manuela Queirós, bem como uma reportagem feita no Centro Escolar de S. Miguel. Esta reportagem mostrou como se trabalham emoções, atenção / concentração, riso, relaxamento e gratidão. Sobre a forma como todas estas atividades se interligam e concorrem para a harmonia e o equilíbrio dos nossos alunos, falaram as psicólogas Gisela Pereira e Sofia Ribeiro, as nossas especialistas em inteligência emocional! Poderão aceder a este momento tão importante em http://www.rtp.pt/play/p1490/e155692/ sociedade-civil-2014.

O Escritor Vizelense Francisco Correia postou no seu facebook: Este é o bonito marcador que comprei aos nossos Kids CittaSlow, que no sábado estiveram a abrilhantar a Expo empresas Júnior, em Famalicão. Aqui, em competição, Vizela esteve DISTINTAMENTE representada por 2 projetos, ambos do Agrupamento de Escolas de Infias. O reconhecimento foi espetacular com o projeto “InVizela” a ganhar o 2ºLugar!


junho 2014

9

“Aprender a Ser: Eu com os Outros” Um projeto integrado no plano de ação da CPCJ de Vizela com o envolvimento dos Estabelecimentos de Ensino. Os Estabelecimentos de Educação e Ensino ocupam uma posição privilegiada na proteção e prevenção de crianças e jovens em risco, na medida em que a totalidade das crianças e jovens os frequentam durante muitas horas. Os profissionais da educação são pessoas de referência para os alunos, excelentes elementos observadores das várias etapas de desenvolvimento das crianças e parte fundamental na deteção de eventuais comportamentos ou atitudes que possam indiciar situações de risco ou perigo. É neste campo de ação que a CPCJ de Vizela em parceria com a Câmara Municipal de Vizela e em articulação com outras entidades com competência em matéria de infância e juventude, nomeadamente com os Estabelecimentos de Ensino Educação e Formação(EEEF) do concelho, promoveu um conjunto de ações de prevenção que contribuíssem para potenciar fatores de proteção, identificar e intervir atempadamente em situações de risco, evitando que essas situações se agravem e se tornem de perigo. Neste sentido, entre outras iniciativas, foi mais uma vez levado a cabo o programa de prevenção de comportamentos de risco:“Quem Manda Aqui” o objetivo primordial foi a reflexão sobre a problemática das drogas, o alerta para as consequências legais e sociais do fenómeno, a promoção nos alunos de competências de gestão de

comportamento e assertividade, bemcomoescolhaseprocedimentos responsáveis e saudáveis. Para a efetivação do programa contouse com a colaboração do representante do Ministério da Educação e Ciência, Conceição Ribeiro, com o elemento cooptado, psicóloga Marta Araújo e com a equipa de programas especiais da GNR, a Escola Segura. Porque sabemos que é desejável e fundamental desenhar programas de prevenção dirigidos ao conjunto da comunidade educativa, o Agrupamento de Escolas de Infias, à semelhança dos outros Estabelecimentos de Ensino do concelho, abraçou mais um desafio da CPCJ envolvendo-se na campanha “Laço Azul”, contra os Maus Tratos Infantis, durante o mês de abril. Esta campanha visou responder ao apelo nacional e internacional de erradicação dos abusos infantis, tendo este ano, como ponto de partida, a ação “Mala dos Afetos”, que iniciou a sua viagem a 20 de novembro (dia em que se comemora a convenção dos direitos da criança). A dinamização da atividade esteve a cargo da responsável do MEC na CPCJ de Vizela, com a colaboração das coordenadoras das Bibliotecas Escolares do pré escolar e 1ºciclo eoenvolvimentodos(as)professores e educadores(as) destes Estabelecimentos de Ensino. A “Mala dos Afetos” percorreu até ao mês de abril as escolas do pré escolar e 1º ciclo dos agrupamentos de escolas do concelho, levando consigo a exploração de histórias que conduziram à produção de poe-

“Portugal é Mar” No âmbito da Proposta de Limite da Plataforma Continental apresentada nas Nações Unidas em 2009, no quadro da Convenção das Nações Unidas sobre o Direito do Mar, foi criado um mapa com o objetivo de divulgar a nova dimensão do território português ao público escolar. De acordo com diretrizes emanadas do Ministério da Agricultura e do Mar e do Ministério da Educação e Ciência, foi realizada uma cerimónia nas Escolas Básicas e na Escola Básica e Secundária do

Agrupamento, pelas 10h30min do dia 2 de abril a qual assinalou a apresentação do mapa e respetivos recursos educativos. Assim, em todas as salas de aula, foi afixado o mapa “Portugal é Mar” e procedeu-se a uma pequena abordagem à consciencialização da dimensão de Portugal e do seu território (Portugal tem 40 vezes mais mar do que terra - 97% do território é mar), realçando a importância que o mar tem para o país e para os portugueses. P.G

mas e desenhos, culminando com a exposição ”Mural dos Afetos”. Na sequência desta atividade, durante o mês de abril, foram confecionados laços e distribuídos calendários com dicas para cada dia do mês, com o objetivo de promover o fortalecimento das famílias no sentido de uma parentalidade positiva e uma valorização dos afetos no ato de educar. Foram ainda exemplo de outras iniciativas realizadas em parceria com a CPCJ, o colóquio “Violência no Namoro”, colocado em prática através do trabalho em equipa com a coordenadora da biblioteca da escola sede do Agrupamento de Infias. Esta ação envolveu alunos do 3º ciclo e secundário e teve como principal objetivo sensibilizar a comunidade escolar para a problemática da violência nas relações interpessoais, promovendo o respeito, igualdade e não violência, especificamente nas de intimidade e namoro. Pelo impacto e aceitação positiva que as ações desenvolvidas têm vindo a manifestar junto dos alunos, professores e pais, será uma forma de atuar que se pretende manter, desejando lançar“sementes” na promoção de uma cultura de prevenção em parceria com os EEEF, de modo a que a articulação das escolas com a CPCJ seja cada vez mais próxima e produtiva. Desejamos, acima de tudo, desenvolver um verdadeiro trabalho efetivo de colaboração entre as entidades, cujo o principal foco é a proteção das crianças e jovens do concelho. Assim, a todos aqueles que se envolveram direta ou indiretamente

na implementação destas ou outras compromisso e envolvimento de ações inseridas em programas de todos.” A representante do MEC na CPCJ atuação preventiva, deixo a mensade Vizela gem: ”É possível fazer melhor pelas Conceição Ribeiro crianças e jovens, através da prevenção,cooperação,conhecimento,


junho 2014

10

Educação Moral e Religiosa Católica

Pena Aventura Park

Nos dias 8 e 9 de maio, realizou-se, como já vem sendo hábito em anos letivos anteriores, mais uma visita de estudo dos alunos do 3º Ciclo do Ensino Básico, da Escola Básica e Secundária de Infias-Vizela, inscritos na disciplina de Educação Moral e Religiosa Católica. Este ano letivo, a visita foi ao Pena Aventura Park, em Ribeira de Pena. Cerca de sete dezenas de alunos, acompanhados por seis professores, tiveram oportunidade de participar nas seguintes atividades: fantasticable, salto negativo, percurso aventura, diversão noturna.

Alguns momentos captados pelos repórteres

Visita à No dia 23 de maio realizou-se a visita dos alunos do 2º Ciclo do Ensino Básico da Escola Básica e Secundária de Infias (Vizela) inscritos na disciplina de Educação Moral e Religiosa Católica. A visita foi ao Magikland, em Penafiel, tendo contado comaparticipaçãodemaisdeumacentenadealunos.


junho 2014

11

“Sustentabilidade – Viver Vizela” Escola Básica e Secundária de Infias celebra “Dia Eco-Escolas” O hastear da bandeira Eco-Escolas marcou o início das atividades A Escola Básica e Secundária de Infias-Vizela marcou o início oficial das atividades do programa Eco-Escola, pelas dez horas da manhã, do dia 21 de março, com o hastear da bandeira, na presença da comunidade escolar e dos parceiros da programa. O programa Eco-Escolas, ao qual a Escola Básica e Secundária de Infias aderiu

em 2009, é um Programa Internacional que pretende encorajar ações e reconhecer o trabalho de qualidade desenvolvido pelas escolas, no âmbito da Educação Ambiental. O início oficial dos trabalhos desenvolvidos no âmbito do projeto foi, simbolicamente, marcado com o hastear da Bandeira Eco-Escolas, perante a comunidade escolar e par-

ceiros, tendo sido seguido de uma série de outras iniciativas, que discriminamos: 1. Em parceria com a AVE (Associação Vimaranense para a Ecologia) foi inaugurada a exposição “Aves que nos observam”, uma mostra de trabalhos fotográficos de Manuela Marques e Rui Osório, captados na região do vale do Ave e montanha

Concurso: SIM, criar uma árvore DÁ FRUTOS O nosso agrupameno participou no desafio colocados Eco Escolas: construir uma árvore feita de embalagens da Tetra Pak e Frutos feitos com embalagens da Compal Para tal acontecer, a escola teve a colaboração de alunos e das famílias na tarefa de juntar embalagens Tetra Pak e depositá-las no Ecoponto colocado no hall da escola. Até 4 de abril, foi criada uma árvore com estas embalagens com a qual se concorreu ao concurso “SIM, criar uma árvore DÁ FRUTOS”. A iniciativa visou ajudar a proteger o futuro das florestas e o da sociedade em que vivemos, ajudando ainda a tornar o nosso agrupamento mais amigo do ambiente.

da Penha. Esta exposição esteve aberta ao público em geral até ao dia quatro de abril. 2. Procedeu-se ao descerrar do “Eco-código”, um trabalho de comunicação desenvolvido pelos alunos do curso de Artes da Escola durante o ano de 2013. 3. As “Brigadas Verdes” deram início à criação do “Bosque Autóctone”, com a plantação de carvalhos, azevinhos e outras espécies. 4. Durante toda a manhã foi projetado na Biblioteca da Escola um trabalho síntese, com fotografias e filmes, de todas as ações desenvolvidas no programa Eco-Escolas durante o ano de 2013. 5. Esteve presente na escola um “Muro de Ações” em que os professores, alunos e funcionários foram convidados a escrever os seus compromissos para com o ambiente, numa busca de soluções mais sustentáveis através da participação ativa na comunidade. Outras atividades, inseridas no programa Eco-escolas, forma desenvolvidas ao longo do ano, desde já com destaque para o “peddy-paper” e a manutenção, pelos alunos, de uma horta pedagógica no interior da Escola. Clube Eco-Escolas


junho 2014

12

Cientistas em Ação

Grupo de Ciências Físico-Químicas

No dia 3 de maio os alunos João Pedro Vila (9ºA), Tiago Lemos (9ºA) e Maria Pacheco (9ºB) representaram a nossa escola na etapa regional das Olimpíadas de Física (escalão A para alunos do 9º ano) que teve lugar no Departamento de Física da Faculdade de Ciências da Universidade do Porto, dinamizadas pela Sociedade Portuguesa de Física. Durante a manhã, os três alunos semifinalistas que constituíam a equipa da nossa escola realizam as provas teóricas e práticas. Durante a tarde, assistiram a uma motivadora palestra intitulada “Mais rápido do que a própria luz” pelo Professor Doutor Ariel Guerreiro. A prestação dos alunos, apesar de ter sido uma vez mais exemplar não foi suficiente para garantir o apuramento para a fase nacional que terá lugar em Lisboa. Mas sem dúvida que a experiencia de terem participado ficará para sempre na memória deste alunos, assim como o gosto pela Ciência que será para toda a vida!

NÓS ESTIVEMOS LÁ… No dia 5 de abril, decorreu, na Faculdade de Ciências da Universidade do Porto, a etapa regional das Olimpíadas de Química Júnior organizadas pela Sociedade Portuguesa de Química, nas quais participaram os alunos João Pedro Vila (9ºA), Tiago Lemos (9ºA) e Ana Inês Azevedo (9ºB) em representação da nossa escola. Os alunos realizam, durante a manhã, provas em equipa. Na primeira prova que realizaram, foram acompanhados por um guia (um aluno da Licenciatura em Química) que os levou a visitar várias experiências que se encontravam montadas nos vários Laboratórios do Departamento de Química, acerca das quais tinham de responder a várias questões. Depois, foram encaminhados para o auditório onde realizaram a prova teórica. Durante a tarde os alunos assistiram a uma palestra, dada pelo Professor Doutor João Paiva e se intitulava “Porque pirilampiscam os pirilampos”, a qual foi muito interessante e clarificadora sobre vários aspetos da Química no dia-a-dia. Foi um dia bem passado e os alunos regressaram a casa muito satisfeitos com a sua prestação, apesar de não terem sido qualificados para a etapa nacional das Olimpíadas de Química Júnior.


junho 2014

Cientistas em Ação

13

Grupo de Ciências Físico-Químicas

A Oficina Cientistas em Ação composta pelos alunos da turma A do 10º ano, orientados mais diretamente pelas professoras Elisabete Granja, Gorete Afonso e Elisa Saraiva, mas contando com o apoio do grupo disciplinar de Física e Química do nosso agrupamento, foi muito solicitada para participar em inúmeras atividades durante estes 2º e 3º períodos. Desde visitas aos meninos do Jardim de Infância de Infias e da Santa Casa da Misericórdia de Vizela, passando pela empenhadíssima participação no “Dia de Orientação Vocacional e Profissional”, ações de divulgação junto dos pais e encarregados de educação dos alunos do 1º ciclo e o fantástico dia 11 de maio passado no “Vizela em Festa”. Houve ainda tempo para comemorar o Dia Internacional da Mulher, oferecendo a cada uma um exemplar daquele

do nosso produto científico de maior sucesso: bonitos e cheirosos sabonetes feitos pelos nossos cientistas, com toda a arte, sabedoria e carinho! Foi sem dúvida uma fase muito intensa e produtiva em termos de ações de divulgação da Ciência que se faz na nossa escola, junto da comunidade. Parabéns a todos pelo envolvimento! os Cientistas em Ação Os alunos do clube tiveram a possibilidade de desenvolver técnicas de execução de atividades experimentais, aplicando os conhecimentos adquiridos ao nível da manipulação de materiais e equipamentos. A sua capacidade de comunicação e interação com os alunos mais novos, do 3º e 4º anos da Escola Básica de S. Paio, foi uma realidade na divertida “Manhã com Ciência”. Os alunos puderam usufruir de um espaço mágico de aprendizagem visualizando e experimentando atividades laboratoriais interativas adequadas ao seu nível etário.

MAGIA DA QUÍMICA! Em abril, os alunos do 11ºA e 12ºA deslocaram-se, juntamente com as Elisabete Granja e Gorete Afonso, ao departamento de Polímeros da Universidade do Minho em Guimarães no âmbito de uma visita de estudo sobre polímeros. Foram observadas, in loco, numa das sessões demonstrativas, reações de polimerização que ocorreram entre monómeros como policloreto de vinilo e poliestireno (espécies químicas de baixa massa molecular) e das quais resultaram macromoléculas desigandas por polímeros sintéticos. Estas moléculas gigantes são indispensáveis à nossa vida e estão presentes em diversas aplicações como caixilharias, cavilhas elétricas, fibras texteis, biberões, CDs, caixas

“VIAGEM” PELO UNIVERSO EM INFIAS

tipo Tupperware, garrafas de água, filme para embalagens, interiores de automóveis, vidros anti-vandalismo,… e o divertido e famoso “ pega-monstro” que apresenta um aspeto viscoso e que pode saltitar , quando em forma de bola, um polimero sintético produzido por engano em 1941 quando se pretendia produzir borracha sintética. 12ºA, G.A.

Nos dias 16 e 17 de janeiro, o Agrupamento de Escolas Infias – Vizela recebeu a visita de um planetário móvel!

Foi possível assistir, através de um conjunto de equipamentos tecnológicos, a projeções do Universo numa cúpula insuflável. Desta forma, os alunos tiveram a possibilidade de ”viajar” pelo Universo com o objetivo de: • observar e reconhecer os vários planetas do sistema solar ; • observar o movimento aparente do Sol; • observar e reconhecer alguns astros do Universo; • observar as fases da Lua; • inferir as dimensões dos planetas do Sistema Solar; • inferir as dimensões de alguns astros do Universo. Quando os primeiros alunos entraram na cúpula insuflável ainda

era dia. Apesar da luminosidade, verificaram o movimento aparente do Sol, a sua altura e a sua inclinação ao longo do ano. Para além disso, o monitor, José Carlos Codeço teve a bondade de lhes explicar as sucessões do dia e da noite e as estações do ano no hemisfério Norte e hemisfério Sul. De seguida, foi projetado um céu noturno com as respetivas constelações. Os alunos localizaram e identificaram as diversas constelações relativas aos hemisférios Norte e Sul. Similarmente, tiveram a possibilidade de distinguir as coordenadas celestes. Ao longo das várias sessões efetuadas, as apresentações projetadas foram orientadas e analisadas

pelo monitor, numa interação informal com os discentes no sentidodeconsolidarasaprendizagens dos mesmos sobre os conteúdos programáticos referentes à Astronomia. Assim, verificou-se uma consolidação e aplicação consistente das aprendizagens referentes aos conteúdos da temática da Astronomia (Universo, Sistema Solar, Constelações Celestes e Fases da Lua). Em suma, as matérias em estudo, em contexto da sala de aula, foram aplicadas e assimiladas de forma lúdica e interativa, o que aumentou o grau de participação dos alunos. P´lo Grupo de CFQ, F.O.


junho 2014

14

“O meu Padrinho é Fixe!” Os alunos do 5.ºB e seus “Padrinhos” deram continuidade ao seu projeto “O meu Padrinho é Fixe!”. Depois da visita dos Padrinhos à sala de aula, em 10 de dezembro de 2013, chegou a vez de terem as aulas de Ciências Naturais acompanhados dos seus Padrinhos na disciplina de Biologia, no Parque das Termas. Esta atividade decorreu no passado dia 17 de março, e permitiu-lhes observar a deslumbrante vegetação onde várias espécies de flora estão catalogadas

através de um código de barras bidimensional, denominado de “QR-Codes” e o herbário. Aliar a tecnologia aos recursos naturais foi o objetivo basilar do projeto do Rotaract Club de Vizela – BaiCiência e que já dá frutos …, pois possibilitou a aprendizagem interativa entre alunos de diferentes idades. Alunos do 5º B sob orientação da Profª Assunção Pacheco

No dia 20 de março, os alunos do 5.ºB apresentaram a obra “O Rapaz de Bronze”, de Sophia de Mello Breyner, aos colegas do 5.ºA, 5.ºC e 6.ºC, no âmbito das atividades da Semana da Leitura promovidas pela Biblioteca Escolar. A atividade decorreu com sucesso e foi agradável observar o empenho e o interesse por parte de todos os presentes. Alunos do 5º B sob orientação da Profª Assunção

Os alunos André Mendes, Tiago Ferreira e Fábio Salgado gravaram, no dia 27 de março, na Rádio Vizela a história “O Rapaz de Bronze”, de Sophia de Mello Breyner, que foi para o ar no programa “Histórias no Ar” da Rádio Vizela em parceria com a Biblioteca Municipal Fundação Jorge Antunes, emitido às terças-feiras, pelas 18:45 horas. Alunos do 5º B sob orientação da Profª Assunção Pacheco

Uma aula de Matemática diferente A nossa escola (EB2,3 e Sec. de Infias) teve a honra de receber, no dia 16 de Janeiro, no auditório 1, a Companhia profissional “Teatro Educa” que, com um elenco jovem e muito animado, nos apresentou a peça de teatro “Matemáticomania”. Existem muitas formas de aprender matemática e foi nesta perspetiva que os professores de Matemática desta escola convidaram esta Companhia que mostra, de uma forma cómica e divertida, as origens da Matemática, a sua importância e aplicabilidade no dia a dia. A história falava de dois rapazes que tinham de resolver três problemas para trabalhos de casa, sem nenhum erro, para conseguirem passar de ano e não sabiam como os resolver. Os dois amigos,

Luís e Mário, tentam então arranjar alguém que os ajude. Acabam por recorrer ao Mestre Ceia, um mágico que os faz viajar no tempo até às civilizações Egípcia e Babilónica, onde surgiram as primeiras representações matemáticas e de onde são conhecidos alguns papiros importantes. Viajaram, também, até à civilização Chinesa, de onde se atribui a origem do primeiro instrumento mecânico de cálculo, o Ábaco. Na última viagem o mágico levou -os até à Grécia Antiga do conhecido matemático e filósofo Pitágoras, onde estavam também os seus netos. Entre cada viagem, e situações muito cómicas, o mestre Ceia utiliza a sua magia para ensinar e/ ou recordar problemas de áreas,

médias, moda e o Teorema de Pitágoras. No final destas viagens os dois alunos, mais bem informados sobre a Matemática, conseguem resolver os seus problemas dos trabalhos de casa. Os efeitos visuais e os sons empolgantes chamavam a atenção da assistência. A interação com o público fez com que o teatro se tornasse ainda mais interessante. Foi uma manhã muito proveitosa porque nos divertimos e também nos apercebemos que, por vezes, lidamos com a Matemática no nosso quotidiano e não damos por isso. Esperemos que esta experiência fantástica se volte a repetir. Alunos do 7ºD, sob a orientação da profª Margarida Nunes


junho 2014

15

V Jornada da “Orientação Vocacional e Profissional” com elevada adesão da comunidade No âmbito do Projeto de Orientação Escolar Vocacional realizou-se, no dia 18 de março, a V Jornada da “Orientação Vocacional e Profissional” na Escola Básica e Secundária de Infias-Vizela. O evento integrou-se nas metas PROJETO EDUCATIVO do agrupamento e teve como objetivo a promoção do sucesso escolar dos alunos. Tratou-se de um acontecimento realizado num momento crucial ao nível de decisão que os alunos têm de tomar perante as escolhas que lhes são colocadas e exigidas, quer ao nível do ensino secundário, quer ao nível do ensino superior. Esta iniciativa visou ajudar os

alunos a esclarecer dúvidas e preocupações quanto à área a escolher (10º ano) e no ensino superior, ao nível da licenciatura/faculdade. Nesta jornada estiveram presentes as escolas do concelho e cerca de quatro dezenas de instituições ao nível das Escolas Profissionais, Institutos Superiores e Universidades. Foram, ainda, divulgadas metodologiaseofertasformativas diversificadas disponibilizadas pelo nosso agrupamento desde o ensino pré-escolar até ao ensino secundário. A iniciativa foi acompanhada de um seminário onde se integraram as comunicações “Ensino Superior: Cursos e Bol-

sas Académicas” proferida pela Pró-Reitora da Universidade do V Jornada do Minho e pela Professora Doutora "Dia da Orientação Vocacional e Profissional” Felisbela Lopes; “Ensino SupePara uma tomada de decisão consciente! rior: oportunidades e profissões” pelos responsáveis do Instituto Cursos, Profissões: “Escolhas, Decisões - Oportunidades e Futuro” Politécnico de Bragança e da Entrada Livre - Comunidade Escolar, Pais e Encarregados de Educação Universidade Lusíada de Vila Nova de Famalicão e “Saídas profissionais” proferidas pelo Exército e pela Força Aérea. Da parte da tarde foi realizado, pelas Psicólogas do agrupamento e pelos responsáveis pelo setor da educação da Câmara Municipal de Vizela, o Workshop “Empreender para o Futuro” cujos destinatários foram os alunos do Ensino Secundário. Ao nível da formação profissional pretendemos, com a realização da V Jornada, dar a conhecer e perde o mitir aos alunos que tomassem ç r contacto com algumas profissões ma e d técnicas com elevada procura no 4 18 mercado de trabalho. 01 2 Oferta formativa do Por último, damos nota de que com esta iniciativa promovemos ensino pré-escolar ao a aproximação entre os alunos ensino superior desta escola e o mundo do en- Escola Básica e Secundária de Infias – Vizela sino superior e do mercado de 10:30 horas - Seminário: “Ensino Superior - Cursos e Bolsas Académicas” - Pró-Reitora da Universidade do Minho Professora Doutora Felisbela Lopes “Ensino Superior oportunidades e profissões” - Instituto Politécnico de Bragança e Universidade Lusíada de Vila Nova de Famalicão trabalho; ampliámos os horizonSaídas profissionais: Exército — Centro de Recrutamento de Braga e GNR—Comando Territorial de Braga Destinatários: alunos do Ensino Secundário tes e perspetivas dos mesmos, Local: Auditório 1 dando ênfase ao empreendedo- 15:00 horas - Workshop: “Empreender para o Futuro”, Destinatários: alunos do Ensino Secundário rismo (ao nível de estágios e elaOrganização: Local: Auditório 1 Direção do Agrupamento Ao longo do dia boração de projetos). SPO – Serviço de Psicologia e Orientação Feira de Divulgação de Cursos e Saídas Profissionais. Colaboração da Câmara Municipal de Vizela Como vem sendo hábito, a jorna(Presenças: Universidades, Institutos e Escolas Superiores, Escolas Profissionais e Forças Armadas) da teve uma elevada adesão da comunidade em geral. Direção e SPO

Abade de Tagilde Todos conhecem a Avenida no centro da cidade deVizela com este nome! Em Guimarães, embora central, já passa mais desapercebida…masquemfoiequeimportância teve este sacerdote falecido em abril de 1912? O menino João Gomes de Oliveira Guimarães nasceu em 1856 em Mascotelos, à entrada de Guimarães e, depois dos estudos secundários em Braga, resolveu entrar para o Seminário de São Pedro para estudar Teologia e se tornar sacerdote. Este seminário, já desaparecido, situava-se no Campo da Vinha, lado sul, e foi o primeiro a ser criado no Mundo em 1561, pelo Arcebispo frei Bartolomeu dos Mártires, após o Concílio de Trento… Conseguiu juntar-se a um grupo de rapazes de Guimarães que

se tornaram depois célebres: arqueólogo Martins Sarmento, Dr. Alberto Sampaio, Domingos Leite Castro; Avelino da Silva Guimarães, Avelino Germano da Costa Freitas, José da Cunha Sampaio e outros. Em 20 de novembro de 1881, criaram a Sociedade Martins Sarmento em homenagem a Francisco Martins Sarmento, recentemente falecido, para promover a instrução primária, secundária e profissional (mas as senhoras não faziam parte!). A formação destes tinha ficado a cargo dos promotores da Exposição Industrial e Comercial de Guimarães, no Palácio Vila Flor, em 1884, para coincidir com a chegada do comboio a vapor a esta cidade. O padre João Gomes estava a pároco da freguesia rural de Tagil-

de, na margem do rio Vizela, local onde tinha sido assinado a Tratado de Aliança com a Inglaterra em 1372, entre o rei D. Fernando e o Duque de Lencastre. Começa a pesquisar a documentação do início da sua freguesia e de todas as outras de Guimarães e publica os “Vimarams Monumenta Historica”, dois volumes enormes de textos em latim desde o século IX. Sendo uma autoridade em tantas matérias, quis afirmar-se na POLÍTICA, nos anos oitenta do século XIX e concorreu às eleições para Deputado às CORTES, pelo círculo eleitoral de Guimarães. Duas vezes foi derrotado pelo Dr. João Franco que, embora Arcebispo de Braga, foi Presidente da Câmara de Guimarães e empenhou-se em abastecerdeáguapotávelosvários

bairros e combateu as epidemias que devastavam os bairros operários. Mas a sua obra principal de historiador e de sacerdote foi a que dedicou à sua paróquia de TAGILDE, cujo nome ele considerava derivar do nobre visigodo ATANAGILDO! Escreveu sobre ela uma MONOGRAFIA exemplar, descrevendo até a flora local, as famílias e suas profissões, rendimentos e impostos, descrição pormenorizada de todos o locais, romarias, capelas, desde tempos anteriores à existência de Portugal. Tinha, quando faleceu em 1912 aos 56 anos de idade, para publicação um “Dicionário de todas as cidades,vilase freguesiasde Portugal (e de grande número de aldeias) em doze volumes”, a que desejava pôr o título de “Portugal antigo e mo-

derno”. A sua obra resulta, porém, do trabalhodetodososseusamigos que se organizaram na “Sociedade Martins Sarmento” a que chegou a presidir. Vida cheia a do Abade João de “Bogalhos” Gomes de Oliveira Guimarães, símbolo da amizade Vizela / Guimarães. Prof. Egídio Guimarães


junho 2014

16

“Sustentabilidade – Viver Vizela”

Feira de Todos No dia 3 de abril a Escola Básica e Secundária de Infias - Vizela foi palco de uma feira franca, denominada Feira de Todos. A iniciativa, que se pretendeu aberta a todas as turmas e inclusive à participação da comunidade educativa, teve origem nos professores de história e visou disponibilizar um espaço e um momento de troca de objetos usados, atendendo assim a premências atuais associadas à revalorização da reutilização; abrir uma oportunidade de contacto com objetos

antigos e eventualmente arredados do quotidiano das novas gerações; promover nos alunos o espírito de empreendedorismo, evocado no novo enquadramento legal da gestão escolar; e constituir uma caixa económica de turma. A atividade decorreu sem percalços, se descontarmos o problema da inconstância do tempo, que obrigou a optar por um espaço coberto para instalação da feira, e granjeou o empenho da maior parte das turmas, tendo a genera-

lidade dos alunos experienciado o espírito de feira. Os alunos constituíram uma caixa económica para ser usada consoante decisão da turma, e não faltaram propostas de decisão, sendo digno de nota o facto de uma turma decidir aplicar o valor obtido no apoio aos custos de participação numa outra atividade. A Escola e os professores dos grupos de História e História e Geografia de Portugal agradecem a colaboração de todos.

A Rota do Sangue Visita ao Centro Regional de Sangue do Porto Nos dias 23, 29 e 31 de janeiro, as turmas A, B, C, D e E do 9º ano de escolaridade e as turmas A e D do 7º ano efetuaram uma visita ao Centro Regional de Sangue do Porto. Esta iniciativa teve como objetivo primordial sensibilizar os alunos para a importância da dádiva de sangue, uma vez que é, simultaneamente, um ato heroico e bastante simples já que salva vidas. Inicialmente, os alunos foram simpaticamente recebidos e encaminhados para uma sala onde foi possível conhecerem e reavivarem conhecimentos sobre o sangue. Foi-lhes explicada a constituição do sangue que, com as suas funções tão específicas, o tornam um líquido de uma grandiosa riqueza. Posteriormente, assistiram a uma demonstração da separação dos

componentes e, através de um processo interativo responderam às questões que lhes eram colocadas, expressando dúvidas e receios. De seguida, assistiram ao visionamento de um filme sobre todo o processo de recolha do sangue, sendo-lhes salientado o facto de todas as colheitas

passarem por um rigoroso processo de análise, o que determina o controlo e a qualidade para garantir a segurança de todos os componentes e, consequentemente, de quem recebe esta fantástica dádiva. Por último, as turmas puderam conhecer in loco o processo de recolha de sangue e

dialogaram com os dadores que lá se encontravam. Esta iniciativa foi muito relevante, uma vez que contribuiu para sensibilizar os adolescentes para a necessidade de, no futuro, serem dadores, permitindo-lhes serem heróis de carne e osso. A sua vertente pedagógica

também foi assaz pertinente, já que pretendeu levá-los a refletir sobre ações que, muitas vezes, originam acidentes e, se as evitarem estarão a contribuir para um menor gasto das reservas de sangue. Dar sangue é dar vida! Professora, Ana Paula Soares


junho 2014

17

“Sustentabilidade – Viver Vizela”

Projeto “Ciência do Sabor” “Sanduíche Saborável” - 5º B

“A NUTRIMEGASANDES” - 6º E

INGREDIENTES: • 2 fatias de pão branco(1). • 2 folhas de alface. • 2 folhas de cebolinho. • 1 cenoura. • 2 colheres sopa de milho cozido. • 2 colheres sopa de nozes. • 2 colheres sopa de avelãs. • 1 colher chã de pinhões. • 1 colher chã de coentros. • 1 colher chã de azeite • 1 limão (raspa). (1) Caseiro de baixo teor de sal. RECEITA do PÃO: 300ml água; 7g fermento de padeiro; 1 C sopa azeite; 450g farinha trigo; 1C café de sal. Máquina do Pão no programa Pão Branco (3:30 horas).

INGREDIENTES: Pão Integral de Cereais (150g) 6 Folhas de Alface 2 Tomates (em rodelas) 2 Pepinos (em rodelas) 75g de Cogumelos 75g de Delícias do mar 200g de Peito de frango cozido (desfiado) 4 Fatias Queijo Light sem Gordura Frutos Secos (duas colheres de sopa de nozes, avelãs, amêndoas e sementes de girassol).

Concurso: A melhor sanduíche do Mundo!

COMO FAZER? Cortar a alface e o cebolinho, regar com o azeite e colocar na fatia de pão. Distribuir a cenoura, previamente raspada; o milho; as nozes; as avelãs; os pinhões; os coentros e a raspa de limão. Cobrir com a fatia de pão e enfeitar a gosto. Sugestão: um SOL de cenoura.

Preparação: Distribuir sobre uma parte do pão integral de cereais a alface (3 folhas), o tomate (um) e o pepino (um) em rodelas. Colocar por cima duas fatias de queijo light (sem gordura). Seguidamente colocar o frango cozido, as delícias e os cogumelos (tudo partido aos pedacinhos), e uma parte dos frutos secos. Posteriormente, cobrir com a restante alface, o tomate e o pepino e as duas fatias de queijo light sem gordura. Adicionar (por cima) o que sobrou dos frutos secos e colocar a outra parte do pão integral de cereais. Bom Apetite!

Bom Apetite! FICHA TÉCNICA:

FICHA TÉCNICA:

NOME DA SANDUÍCHE: Saborável ALUNOS: Turma B do 5.º ano de escolaridade. PROFESSORA: Maria da Assunção Pacheco. DISCIPLINAS: Ciências Naturais, Matemática e Educação para a Cidadania.

NOME DA SANDUÍCHE: A Nutrimegasandes ALUNOS: Turma E do 6.º ano de escolaridade PROFESSORA: Emília Araújo DISCIPLINAS: Ciências Naturais, Matemática e Educação para a Cidadania.

COMER BEM ESTÁ NA MODA O Setor de Educação em parceria com o Sector da Juventude da Câmara Municipal de Vizela pretendem desenvolver uma campanha que visa a promoção de hábitos alimentares saudáveis, enquadrada na temática da moda, intitulada “Comer bem está na moda”. Nesta campanha serão os jovens os promotores, fazendo chegar a mensagem aos outros jovens e a toda a comunidade, através de fotografias editoriais protagonizadas pelos mesmos e alusivas a uma alimentação saudável.

TOMAR O PEQUENO-ALMOÇO ESTÁ NA MODA…e dá saúde O pequeno-almoço é uma das principais refeições, se não a mais importante. Vários estudos já demonstraram os benefícios de tomar o pequeno-almoço diariamente, e está provado que as crianças e adolescentes, que omitem esta refeição com frequência, têm menor rendimento durante o dia. Sob o ponto de vista nutricional, a combinação de um produto que contem cereais (pão ou cereais de pequeno almoço, por exemplo), um produto lácteo (leite ou iogurte) e uma peça de fruta parece preencher todos os requisitos para um início de dia ótimo. Para manteres a tua energia… NADA MELHOR QUE COM O PEQUENO-ALMOÇO COMEÇARES O DIA!:)


Projeto “CITTASLOW Expo Empresas Júnior IN.AVE No passado dia 24 de maio, a Rede de Empreendedorismo do Ave (IN.AVE) realizou, em Vila Nova de Famalicão, a Expo Empresas Júnior, um concurso de ideias empreendedoras. Conhecidos pelas suas ideias e ações empreendedoras, os Cittaslow Kids também marcaram presença no evento. Apesar de não poderem participar no concurso, que não abrangia os alunos do 1º ciclo, os “Cidadãos do Futuro” foram convidados a dar a conhecer a sua iniciativa e apresentaram alguns produtos artesanais que fabricaram para financiar o desenvolvimento do seu projeto e a edição do Livro Infantil “Destino do Caracol”.

III Feira Rural

“Citta-slow Kids - Viver Vizela” Inserida no projeto “Cittaslow Kids – Viver Vizela”, em parceria com o Grupo Cittaslow e o Setor da Educação da Câmara Municipal de Vizela, comemoramos a III feira Rural na Praça da República. Todos os alunos das Escolas do Agrupamento de Escolas de Infias, saíram do ambiente

habitual de sala de aula para participarem com a venda de alguns produtos da terra cultivados nas hortas biológicas das escolas bem como a venda de produtos fornecidos pelos pais e familiares dos alunos, promovendo deste modo o sentido de ligação entre produtores e consumi-

dores locais. Esta atividade constituiu uma divertida e peculiar experiência para as crianças. Os alunos vestiram-se com trajes típicos da nossa região e representaram na perfeição a profissão de vendedores.

PALESTRA CITTASLOW - TURISMO SLOW” E APRESENTAÇÃO DO “PROJETO CITTASLOW KIDS – VIVER VIZELA” A convite do Dr. Eduardo Gonçalves e do Dr. Daniel Pérez, do Instituto Universitário da Maia (ISMAI) – Centro de Estudos de Desenvolvimento Turístico – CEDTUR/CETRAD, o arquiteto Abel Cardoso, Coordenador da Cittaslow da Câmara Municipal de Vizela, deu uma palestra acerca da temática “Cittaslow Turismo Slow” e apresentação do “Projeto Cittaslow kids – Viver Vizela”. Em conversa com as coordenadoras do Projeto, Maria José Oliveira e Valéria Pereira, ficou decidido que os alunos universitários do ISMAI - Centro de Estudos de Desenvolvimento Turístico farão, em setembro próximo, um mergulho no território nesta cidade Cittaslow com orientação dos alunos do 1º ciclo do Agrupamento de Escolas de Infias. Os pequenitos serão os guias turísticos que orientarão os alunos de turismo com o roteiro “Cittaslow Kids” na visita à cidade de Vizela.

CONCURSO INOVA 2014 “PROJETO CITTASLOW KIDS – Viver Vizela” O projeto “CITTASLOW KIDS – Viver Vizela” ficou apurado para a defesa presencial do Inova 2013 - 2014 da região Norte. O evento que foi alargado pela primeira vez este ano ao 1.º ciclo do ensino básico é um concurso de ideias, que visa estimular o empreendedorismo e a cultura empreendedora nas escolas nacionais. A equipe formada pelas professoras coordenadoras do projeto e duas alunas da Escola Básica de S. Miguel fizeram a apresentação pública nas instalações da Direção de Serviços da Região Norte no Porto.


KIDS – Viver Vizela” PROJETO “CITTASLOW KIDS”

Feira do Livro “CITTASLOW KIDS”

VOANDO ALTO

No âmbito deste Projeto, proporcionamos às crianças do ensino especial experiências únicas e estimulantes que os levaram a vivenciar momentos que contribuíram para o bem-estar e felicidade. Os alunos Voaram Alto, e ultrapassando todas as barreiras, fizeram uma viagem inesquecível de avião até Faro para visitarem o Parque temático Zoomarine. Contamos ainda com a preciosa colaboração da Câmara Municipal de Vizela com o apoio da Câmara Municipal de S. Brás de Alportel que, tal como Vizela, é uma cidade Cittaslow.

Para além dos eventos criados ao longo do ano, as escolas, desenvolveram entre portas a Feira do Livro com a presença de escritores de literatura infantil. Assim à Escola Básica de Infias, Tagilde e S. Paio marcou presença a conceituada escritora Isabel Alçada. A Escola Básica de S. Miguel acolheu a maravilhosa escritora Manuela Mota Ribeiro. É importante referir que as escolas desenvolveram momentos de dança, peças de teatro, atuações de música, exposições e uma vasta oferta de atividades culturais, que resultam do trabalho desenvolvido ao longo do ano nas escolas. Também a Câmara Municipal de Vizela organizou a 11ª Feira do Livro de Vizela. Este certame que não se restringiu à “compra e venda” de livros foi uma manifestação cultural dos nossos alunos que desta forma deram visibilidade ao Projeto Cittaslow Kids.

Feira Rural de S. Martinho

As escolas, no âmbito do princípio orientador Valorização da produção autóctone do nosso projeto, desenvolveram nas escolas as Feiras de S. Martinho promovendo o sentido de ligação entre produtores e consumidores locais.

Cittaslow Kids - Visita de Estudo ao Museu Ferroviário de Lousado As turmas 1ºA e 2ºE da Escola Básica de S. Miguel, saíram do ambiente habitual de sala de aula para realizarem uma visita de estudo ao Museu Ferroviário de Lousado. O transporte foi feito de comboio (como não poderia deixar de ser), com partida da estação de Vizela, o que, desde logo, constituiu uma nova e peculiar experiência para as crianças.

Happy Farm

Mergulho no território de Guimarães Com o objetivo de sensibilizar os alunos para a importância do nosso passado relacionando o meio local com o país e o mundo, levamos os alunos do 4º ano a conhecer o património histórico de Guimarães, Berço da Nação.


junho 2014

20

Semana das Línguas: Alguns momentos na biblioteca Os avanços da sociedade, impulsionados pela globalização, exigem o conhecimento de várias línguas e até o seu aperfeiçoamento constante. O acesso a línguas estrangeiras permite compreender e ser compreendido em qualquer canto do mundo. Dominar várias línguas traz inúmeros benefícios que vão para além da habilidade de comunicar. Do lado profissional, acarreta um potencial de empregabilidade maior; e do pessoal, facilita o conhecimento de outras culturas, a valorização da própria cultura, um maior proveito em viagens ao exterior por conhecer a língua; o enriquecimento cultural por meios diversos (filmes, literaturas, Televisão, rádio online, entre outros). E, ao nível académico, faculta o acesso a textos originais na língua estrangeira; a comuni-

cação com pesquisadores de outros países; a realização de cursos ou participação em congressos no exterior; uma maior flexibilidade cognitiva; o acesso a redes de informação mundiais; e o desenvolvimento do pensamento crítico e de consciência linguística mais apurados. Foi, tendo em conta todos estes aspetos, que a biblioteca se associou ao Departamento de Línguas e deu o seu contributo na valorização das línguas com uma exposição com as bandeiras de um grande número de países do mundo, com referências às línguas oficiais e à respetivas capitais. Para complementar, criou um espaço de apresentação de livros e dicionários de outras línguas que os alunos puderam manusear e tomar contacto com algumas curiosidades.

A língua materna teve especial destaque com oficinas de poesia para alunos do 2º e 3º ciclos. Foram trabalhadas, em particular, a dicção, a leitura em diferentes ritmos e a interpretação de pequenos textos poéticos, para além de algumas brincadeiras com trava -línguas que fizeram as delícias dos alunos, tal o divertimento que abrangeu estes momentos. Valeu a pena o trabalho conjunto! Valeu a pena lembrar que a(s) língua(s) é(são) parte das nossas vidas! Dominá-las é dominar a nossa comunicação! É chegar onde quisermos! Uma semana bem preenchida, bem colorida, bem animada! a PB Emília Monteiro

“A língua de um povo é a sua a alma” Partindo do lema “A língua de um povo é a sua alma”, de Johann Fichte, o Departamento de Línguas da Escola Básica e Secundária de Infias-Vizela comemorou a “Semana das Línguas” entre os dias dez e treze de fevereiro. A iniciativa teve como principais objetivos não só sensibilizar os alunos para a relevância da aprendizagem das quatro línguas estudadas - português, espanhol, francês e inglês, como também contribuir para o enriquecimento cultural dos mesmos, permitindo que as línguas lhes abram novos caminhos. Assim, o dia dez foi dedicado ao idioma francês, contemplando diversas atividades: realização de uma exposição, patente durante toda a semana; decoração da cantina e ementa adaptada à gastronomia francesa; exposição de um mural decorado pelos alunos do 7º ano de escolaridade subordinado ao tema “Poisson d’Avril” e visionamento dos filmes “Titeuf” e “La Cage Dorée”, que rapidamente contribuíram para uma alegria contagiante. Durante o período da tarde, para finalizar o dia de uma forma doce, fazendo recordar a famosa Praça dos Pintores, em Paris, foram confecionados crepes para comemorar a “Chandeleur”.

Ao longo do dia onze, dedicado ao espanhol, os alunos expuseram cartazes alusivos aos países cuja língua oficial é o espanhol, às 09h00 várias turmas foram convidadas a assistir ao visionamento do filme “El Labirinto del Fauno” e, a partir das 14h30, realizou-se uma feirinha gastronómica com o intuito de dar a

conhecer os famosos nachos e tortillas que, juntamente com as melodias em língua espanhola, contribuíram para transportar os alunos para uma cultura simultaneamente distinta e próxima da portuguesa. O dia treze, dedicado à língua portuguesa, celebrou-se com um leque diversificado de ativi-

dades. Desta forma, ao longo da semana, esteve patente uma exposição organizada pela professora bibliotecária intitulada “As Línguas no Mundo”. Durante o período da manhã, os alunos do ensino secundário foram convidados a assistir ao visionamento do filme “A Balada da Praia dos Cães” e os do 9º ano de escolaridade assistiram ao filme “Aristides Sousa Mendes - O Cônsul de Bordéus”, permitindo este visionamento a articulação entre o filme e os conhecimentos adquiridos na disciplina de história. Às 10h30, os alunos das turmas 12º A e 9º C presentearam os colegas do segundo ciclo com a representação da obra “Auto da Barca do Inferno, de Gil Vicente, contado aos mais novos”, cumprindo, assim, a máxima latina ridendo castigat mores, quer pela mensagem veiculada pelo texto quer pela interação criada, uma vez que alguns dos elementos que assistiram também foram questionados pelo Anjo e pelo Diabo acerca das suas atitudes dentro e fora das salas de aula, sendo depois conduzidos para a barca mais apropriada. Às 09h30 e às 12h30, na biblioteca, realizaram-se dois “Ateliês de Poesia” destinados aos alunos mais novos, nos quais puderam, de uma

forma lúdica e atrativa, trabalhar a entoação, o ritmo, a dicção e a compreensão da pluralidade de leituras. À tarde, os alunos do segundo ciclo e 7º ano de escolaridade mergulharam na atmosfera do filme “Aniki Bóbó”. Ao longo da semana, o colorido do “Estendal de Poesia” preencheu o corredor principal do bloco A, brindando com luz e emoções os dias cinzentos que insistem em acompanhar-nos semana após semana, chamando, desta forma, a atenção para a importância da poesia nas nossas vidas. O grupo disciplinar de inglês, ao longo da semana, foi construindo um mural com mensagens inseridas na comemoração do dia de S. Valentim. Como balanço final, o Departamento de Línguas considerou que esta “Semana das Línguas” cumpriu plenamente os objetivos e deverá ser realizada todos os anos letivos. Também agradece a todos aqueles que se empenharam nas atividades e àqueles que colaboraram com as suas turmas na participação das mesmas. Mais do que um meio de comunicação, a aprendizagem das línguas alarga o horizonte cultural, contribuindo para a construção da própria identidade do ser humano. Ana Paula Soares (Coord. do Dep. de Línguas)


junho 2014

21

Semana das Línguas: “Árvore Metafórica” No dia 22 de maio, foram dinamizadas na biblioteca da escola Básica e Secundária de Infias-Vizela três sessões com o objetivo de proporcionar aos alunos das turmas B, do 5º e C e D do 6º anos de escolaridade uma abordagem diferente da usual no que concerne ao ensino/compreensão das metáforas. As metáforas, devido à sua complexidade interpretativa, fazem com que os alunos, muitas vezes, se afastem dos textos poéticos afirmando que a linguagem destes é complexa, de difícil compreensão. Este recurso expressivo está associado à ideia de que a arte traduz o pensamento em imagens e a poesia, em particular, revela uma maneira muito própria de pensar, pois um pensamento em imagens está aliado a uma economia das forças mentais, sendo o sentimento estético um espelho dessa economia. Potebnia e muitos dos seus discípulos encaravam a poesia como uma forma particular do pensamento que, com a ajuda das imagens, “permitia agrupar objetos e ações heterogéneas e explicar o desconhecido pelo conhecido”. Ao lermos um poema, não podemos ficar indiferentes às metáforas, pelo contrário, elas atuam sobre os núcleos sémicos do discurso e

sobre o seu valor lógico. Nesta linha de pensamento, uma análise empenhada em explorar os diversos recursos retóricos dos textos literários não pode limitar-se exclusivamente à simples classificação das figuras encontradas. Aquilo que é fulcral e que, muitas vezes, não se consegue ensinar, é a explicação convincente que presidiu à elaboração retórica dessas figuras, tentando enraizá-las numa visão pessoal do mundo ou em revelações de facetas ocultas do real. Para se ensinar poesia é necessário gostar de poesia e o professor precisa de encontrar as estratégias adequadas para levar os seus alunos a conseguirem uma relação afetiva com o poema. Assim, e porque a compreensão da dimensão metafórica dos textos necessita de muito treino, foi planificada a sessão intitulada “Árvore Metafórica”. Com a ajuda da professora Adelina Almeida, criou-se uma árvore que foi colocada no centro da biblioteca. Inicialmente, cada turma foi informada acerca da temática da atividade proposta e, posteriormente, através de um powerpoint e de um vídeo que continha uma animação sobre a “Metáfora dos relacionamentos humanos”, os alunos foram convidados a mergulharem no fas-

Se eu fosse ...

Se eu fosse uma flor Seria bonita e encantadora Seria a flor mais bela Seria linda e cheirosa, Como uma bela rosa. Cátia, Francisca, Paulo e Tiago, 5.ºB

Comemoração do Dia ternacional da Mulher Direito à vida;

Direito à liberdade e à segurança pesssoal; Direito à igualdade;

Se eu fosse o Sol Seria quente, amarelo e redondo Brilhava de dia, dormia de noite De dia iluminava a torre e de noite a Lua. Abria as flores e perfumava o dia, Seria bem forte, amarelão Ficaria muito quente. Beatriz, Raquel, Fábio, Jacira, Inês, Miguel e Ricardo, 5.ºB

cinante mundo das metáforas, sem nunca se efetuar qualquer alusão ao conceito. Ao longo das sessões, foram enriquecendo as metáforas apresentadas com as suas interpretações e perceberam que a linguagem metafórica não é exclusiva dos textos literários, mas que também está patente nos discursos do quotidiano. De seguida, retiraram de dois cestos duas palavras da classe dos nomes, ligaram-nas através do verbo “ser” e expandiram as frases. Cada metáfora produzida, depois de lida, foi colocada na “Árvore Metafórica”. À medida que as frases eram lidas, os alunos recebiam um reforço positivo, pois estiveram atentos, foram assaz participativos e sentiram-se na pele de um verdadeiro poeta. As três sessões revestiram-se de uma grande pertinência, pois proporcionaram, através de atividades lúdicas, uma forma distinta de aprendizagem, já que as metáforas só ganham vida se as interpretarmos de acordo com as nossas experiências, a nossa forma de ver o mundo e as nossas leituras. O mundo e o ser humano são metáforas ávidas de uma leitura por parte de cada um de nós. Professora, Ana Paula Soares

Direito a estar livre de todas as formas de discriminação; Direito à liberdade de pensamento; Direito à informação e à educação; Direito a privacidade.

Se eu fosse o mar Seria cheiro de ondas Queria levar garrafas a naufragar E também queria nadar Os peixes poderiam voar E gostaria de amar a nuvem que há no ar. André Cláudia, João, Mariana, Rui e Tânia, 5.ºB

Mulher

Mulher linda e viçosa Avó, mãe, companheira Princesa de todas as flores Muitas vezes aventureira És a rainha das rosas Transformas-te em guerreira Neste jardim do AMOR. Na busca constante do AMOR És a fonte que dá vida Que partilhas muitas vezes Na magia do teu ser Num sorriso, escondido pela dor És o anjo da guarda Mulher, só tu sabes o significado Dos teus filhos a crescer Da palavra AMOR. Gaspar Oliveira Gaspar Oliveira

Direito a cowwnstruir relacionamento conjugal e a planear a sua familia; Direito a não ser submetida a torturas e maus tratos; Direito a liberdade de reunião e a participação política; Direito aos benefícios de progresso científico; Direito a decidir ter ou não ter filhos; Direito à saude e à proteção desta.


22

junho 2014

Semana das Línguas: El rincón del Español

Lengua Española

Paella Valenciana

• El español es el idioma materno de aproximadamente 350 millones de personas y es ampliamente hablado en otros 21 países donde no es la lengua oficial.

La paella, plato típico de la región de Valencia, ha pasado a ser quizás la receta más típica de la cocina española.

• El español es el segundo idioma más utilizado en las comunicaciones internacionales, y es idioma oficial en la O.N.U y sus organizaciones. Todos sabemos que hay muchos países en el mundo cuya lengua principal es el español. Conocer como hablarlo te convertirá en una persona no solamente más educada sino también con muy buenos conocimientos culturales. Pero entonces, a parte de todas estas razones, ¿porqué debería uno aprender el español? Si todavía estás confundido o no estás totalmente seguro de que deberías aprender español, te enumeramos algu-

Gastronomía española

Tortilla de Patatas nas razones importantes. Quizás no te hayas dado cuenta al principio, pero hay varias ventajas que deberías obtener del aprendizaje del español que te convertirían en un persona con más cultura.

La tortilla de patatas o tortilla española es una de las recetas más fáciles de preparar y de las más sabrosas.

Em jeito de balanço… Projeto “ Leitura e literacia mediática: uma atitude educacional na sociedade de informação do século XXI” apoiado pela Fundação C. Gulbenkian Nestes últimos meses, os alunos dos cursos profissionais tiveram a oportunidade de desenvolver, tendo em conta um conjunto de atividades, competências de literacia mediática que lhes permitirão usar de modo mais informado, crítico e responsável os media. O trabalho realizado revelou-se uma motivação maior destes alunos para a Escola, foi criando aberturas para a presença da leitura no seu dia-a-dia bem como da escrita não conseguindo formá-los “mais e melhores leitores”, mas são já “renovados” leitores. Ao longo destes meses, foram realizadas várias ações contempladas no projeto apresentado como, por exemplo, “Conversas com … Pedro Seromenho”; “Criação e dinamização do blogue do projeto”; “Elaboração de uma crónica a propósito do livro “Boa educação – crónicas”, de Mª Teresa Maia Gonzalez para o RvJonal e para o “Pau de Giz”; Sessão formativa: “Construção de formulários no Google docs”, com o docente formador: Dr. Carlos Mendonça; Sessão formativa: “Pesquisar, selecionar, avaliar informação na internet”, com a formadora Drª Márcia Castro (coord. FJA); “Consulta e debate sistemáticos sobre temáticas publicadas no blogue http://comedu.blogspot.pt/, do Centro de Estudos de Comunicação e Sociedade, da UM; “Oficina de escrita: Leitura/comentário de imagem

(desafio em http://comedu.blogspot.pt/) – sentidos da imagem: diversos ângulos de abordagem, diferentes análises quanto à forma e ao conteúdo, várias mensagens veiculadas, etc.; Formação “PORDATA – Base de dados Portugal Contemporâneo”, com a formadora da PORDATA: Drª Teresa Cardoso; “Conversa com … o ilustrador Sebastião Peixoto”; “Dia da internet segura – sessão formativa para os alunos do 2º ciclo”; Palestra sobre “Leitura, publicidade e marketing”– ler publicidade e estratégias de marketing, em parte associadas à divulgação e circulação do livro; “Um dia sem telemóvel”; “Apresentação pública do projeto à comunidade vizelense, no âmbito do Seminário “Literacias, leitura e digital: os desafios da escola atual”, visto como uma

boa prática da biblioteca escolar; Palestra sobre “Literacia mediática: o impacto da TV na sociedade”, com o jornalista pivot da RTP, Hélder Silva, num âmbito alargado de articulação entre bibliotecas escolares das escolas sede dos agrupamentos de Vizela – onde foi também possível conhecer a entidade do provedor do cidadão e de comentar programas televisivos; Palestra sobre “Os media locais: uma questão de inclusão e de cidadania”, com jornalistas da Rádio Vizela, também em articulação entre bibliotecas escolares das escolas sede dos agrupamentos de Vizela, entre outras. Destas atividades foram registadas as impressões dos alunos, no blogue do projeto. Neste exercício de escrita e reflexão, foi notória uma evolução por parte dos discentes

relativamenteaoconteúdodostextospublicados, facto que manifesta a assunção da responsabilidade dautilizaçãode ferramentas da web 2.0. De notar que o sucesso conseguido deveuse muito em particular ao trabalho de articulaçãodesenvolvidoemconselhodeturma e à disponibilidade dos professores das turmas. Ressalve-se as práticas de pesquisa na internet e noutros media, promotoras, junto dos alunos, de habilidades de leitura e de interpretação de textos, úteis na expansão do universo textual destes, e que os colocou diante de diferentes formas de linguagem – figuras, gráficos, ilustrações… De assinalar o trabalho desenvolvido o que toca a questões de ética e cidadania relativas à propriedade intelectual. De resto, a continuidade deste projeto está acautela, embora com outros públicos. Importa agora dar os parabéns aos alunos e aos docentes envolvidos, pelo seu empenho, e prepararmo-nos para o futuro. Não esquecer que os media estão presentes em todos os momentos das nossas vidas e é fundamental saber utilizá-los com responsabilidade! a PB Emília Monteiro


junho 2014

Escritor Helder Magalhães partilha conto “O Quintal do Senhor Juvenal” com alunos de 5º e 6º ano No dia 26 de maio, a convite da professora Elisabete Granja, o escritor Vizelense, Hélder Magalhães visitou novamente a Escola Básica e Secundária de Infias – Vizela, para nos presentear com uma fabulosa leitura do seu mais recente conto, “O Quintal do Senhor Juvenal”, ainda não publicado. O autor, alguns dos nossos alunos de 5º e 6º ano

e professores responsáveis reuniram-se na biblioteca num momento de partilha. O autor ficou assim a conhecer os projectos das “Brigadas Verdes” inserido no projecto EcoEscolas e de seguida contactou com a horta biológica da escola. Ficarão assim lançadas sementes e criadas raízes, a fim de serem fruto.

Semana da Leítura: “Elogio à língua portuguesa” Entre 17 e 21 de março de 2014, realizou-se a 8ª edição da Semana da Leitura, centrada no tema Língua Portuguesa, a qual celebrou os 800 anos do conhecimento dos seus textos mais antigos. Esta reflexão sobre a nossa língua obriga, no fundo, a ligar uma identidade aberta e uma ligação de caminhos independentes e complementares, daí falar-se, em termos mais amplos, da lusofonia - teia complexa de diferenças. Falar da identidade e da língua é invocar a responsabilidade da cidadania. A cultura vive do envolvimento dos cidadãos, daí a importância da mobilização de todos em torno do seu estudo, do seu conhecimento, da sua prática. E como celebrámos nós a língua portuguesa? Os nossos alunos deram o seu contributo lendo poemas de poetas portugueses e daqui resultou o filme “Pode filmar-se a poesia”, que foi visualizado na BE durante toda a semana. Também, em filme, a equipa da BE, registou alguns “Apanhados a ler”, em situações diversas… Foram “apanhados” alunos da escola sede do agrupamento e todos os do pré-escolar da EB de Infias. Uma alegria! Uma festa!

Os alunos do 9º C trouxeram à BE a apresentação do livro “A lua de Joana” para várias turmas do 2º e 3º ciclos. E por falar em obras, o 5º B partilhou, com entusiasmo, a sua leitura de “O rapaz de bronze”com outras turmas do 2º ciclo. E não ficou atrás o 5º º C que veio dramatizar um conjunto de fábulas para as outras turmas do mesmo ano. Uma animação! Esta semana foi ainda o espaço da poesia, com oficinas de leitura e de escrita de textos poéticos: “Definições”, “Um poema, um sopro do coração”, “Pedra filosofal” (em articulação com a professora bibliotecária, Alice Abreu) e “poesia animada – atchim!” (com os alunos do pré-escolar da EB Infias). Um entusiasmo! E para lembrar a lusofonia, em

23

articulação com o agrupamento das Caldas de Vizela, uma sessão de leitura - “A Língua Portuguesa em várias expressões” - com textos de autores africanos de expressão portuguesa – Viriato Cruz, Mia Couto e Ondjaki. Uma novidade! Para terminar, durante toda a semana, na BE, esteve patente uma exposição – “O ADN das palavras”, que trouxe a origem e a evolução de um conjunto de termos no âmbito do PESPSE aos nossos alunos. Uma brincadeira interessante! Parabéns a todos! Voltaremos, no próximo ano, a celebrar a leitura! a PB Emília Monteiro

Alunos do 5º ano promovem encontro na escola sede do agrupamento para os colegas do 4º ano O ingresso dos alunos num novo ciclo corresponde a um momento de decisão crucial para os Pais e Encarregados de Educação. Conscientes de que essa decisão está muito ligada a um Projeto Educativo que garanta o sucesso escolar, os alunos do 5.º ano da Escola Básica e Secundária de Infias, reuniram com os colegas de 4.º ano das escolas do agrupamento e seus Encarregados de Educação, nos dias 22 e 26 de maio, e partilharam com estes como veem e o que sentem sobre a sua Escola. Foi com expressões de alegria que explicaram aos presentes que na escola se desenvolvem muitos projetos, se fazem várias parcerias e se realizam exposições, concursos, palestras e visitas de estudo, para alunos, professores, funcionários, pais e outras pessoas da comunidade. Referiram que “a nossa escola tem uma preocupação

constante com o nosso bem-estar, segurança e saúde: na cantina, as refeições são saborosas, equilibradas e saudáveis; no bar, podemos beber leite gratuitamente e todos cá dentro zelam pela nossa segurança, seja dentro do edifício, seja no recinto exterior. Esta escola é espetacular! Tudo isto se deve aos nossos professores e funcionários que estão connosco diariamente, à Direção da escola que está sempre presente e disponível, à Associação de Pais que se empenha para que nada nos falte e, ainda, aos nossos representantes – a Associação de Estudantes. Aqui, temos aprendido não só as matérias das disciplinas mas, sobretudo, as matérias da vida. Aqui somos felizes! A opção feita pelos nossos pais (e nossa!!) foi acertada!” P´Equipa de articulação Profª Assunção Pacheco


24

Semana das Línguas:

junho 2014

Sugestões de leitura Águas de verão Alice Vieira

A grande fábrica de palavras 1 km de cada vez

“Águas de verão têm pouca duração”, costumava dizer a velha Rosalina, quando a chuva aparecia no princípio das férias. Era um tempo em que as férias duravam muito, e o dia chegava para tudo. Num tempo em que os meninos se vestiam como adultos, punham brilhantina no cabelo, faziam risco ao lado e passavam as férias nas termas, onde, segundo se dizia, as águas tudo curavam – exceto o aborrecimento das crianças, transformadas em adultos à força. Mas um dia aparece o sr. Gualberto, com o seu saxofone – e nada voltou a ser o que era. (texto da contracapa)

Existe um país onde as pessoas quase não falam. Neste estranho país, é preciso comprar e engolir as palavras para aspronuncir. O pequeno Filipe precisa das palavras certas para abrir o seu coração à bela Sara. Mas como fazer? O que ele lhe quer dizer custa uma fortuna… (texto da contracapa)

Agnès de Lestrade

Gonçalo Cadilhe

OS ENCONTROS, AS LEITURAS, OS LUGARES MAIS RECENTES DE UM VIAJANTE SINGULAR – “Não sei como estará a madrugada dentro de umas horas em Poon Hill. Deve estar completamente encoberta. A muralha exuberante das montanhas mais altas do planeta permanecerá ocultada por uma cortina de nuvens. Para muitos caminhantes que chegaram de todo o mundo, será uma experiência frustrante. Para mim, uma revelação: volta sempre ao lugar onde foste feliz, Gonçalo. Mas à procura de outros tipos de felicidade que aconteçam a outras horas do dia.” (texto contracapa)


junho 2014

25

I Jornadas Pedagógicas: problemas de convivência na escola do século XXI A expressão “problemas de convivência na escola” orienta para um conjunto de interrogações que num primeiro olhar põe em causa aquilo que tradicionalmente é a escola, já que é nela que as crianças e os jovens recebem instrução, formação, educação… Deve ser, portanto, a escola um espaço desprovido de conflitos. Discutir sobre ela assuntos relacionados com a conflitualidade, o bullying, a indisciplina e a violência afigura-se um pouco estranho, não

fossem alguns estudos/investigações apontarem para o facto de, efetivamente, a instituição escolar ser por natureza uma organização conflituosa. Isto explica-se porque a escola, tal como afirma Jares , conserva, entre outros aspetos, uma diversidade de objetivos, de agentes e grupos de interesses, também eles divergentes, que a tornam propensa a certos antagonismos. A bem da verdade, ganha cada vez mais espaço a transferência da resolução dos

conflitos da comunidade para a escola o que vem significar que esses conflitos são afinal parte integrante da vida social. A isto acresce duas situações: a crise da instituição escolar, na sua dimensão de socialização; e a crise dos modelos de regulação de conflitos por ela aplicados. Com plena consciência destas problemáticas, e enfrentado o dia a dia por forma a construir um ambiente escolar cada vez mais harmonioso, numa ação inovadora, a direção deste agrupamento, a par com a professora bibliotecária, criaram um espaço de reflexão sobre estas questões, proporcionando a realização de formação acreditada (15h) ao seu corpo docente. O programa destas I Jornadas Pedagógicas, de acordo com alguns intervenientes, destacouse pela qualidade dos oradores e respetivas comunicações; pela assunção explícita da necessidade de construção da disciplina em contexto escolar; e pelo dinamismo demonstrado dos responsáveis. Apesar de conhecida a dinâmica destas tardes de trabalho, deixa-se registo da va-

riedade de temáticas abordadas. Não foi possível o respeito pelos timings estipulados dado o alto nível das intervenções e a riqueza dos debates em todas as sessões. O interesse e a motivação para o estudo desta temática ficaram expressos nas preocupações dos docentes que sustentaram diálogo construído entre palestrantes e formandos. Depois disto, interessa acreditar que não será de resistir ao conflito… Valerá a pena abrir nas práticas diárias um espaço

para o trabalhar e dele tirar partido naquilo em que ele nos propõe para aprendizagem. Enfim, importa questionar a razão pela qual ao fim de vários anos os problemas de convivência persistem nas escolas. Onde falha a instituição? Onde falha a família? Que se conhece da história de vida dos agentes desses problemas de convivência? Sentir-se-ão eles verdadeiramente responsáveis pelo que acontece na escola? A prof. Bibliotecária Emília Monteiro

I Jornadas Pedagógicas - Problemas de convivência na escola do século XXI Programa: 23.04.2014

30.04.2014

07.05.2014

VIOLÊNCIA E INDISCIPLINA NA ESCOLA

A MEDIAÇÃO EM AÇÃO

ESCOLA, FAMÍLIA, COMUNIDADE E JUS- A COMUNICAÇÃO NÃO VIOLENTA E AS RELAÇÕES INTERPESSOAIS TIÇA

14:00h - Receção – entrega de documentação 14:30h - Sessão de abertura: - Câmara Municipal de Vizela - Centro de Formação Martins Sarmento - Diretora do Agrupamento de Escolas de Infias, Vizela 15:00h - Mestre Maria do Céu Ribeiro (Instituto Politécnico de Bragança) O primeiro dia de aulas como palco de relação pedagógica e seu papel na prevenção da indisciplina 16:00h - Intervalo 16:30h - Mestre Mónica Soares (colaboradora do IMULP ) (In) Disciplinas: respostas para uma realidade cada vez mais comum 17:30h - Debate Moderadora - Mestre Emilia Monteiro (Agrupamento de Escolas de Infias-Vizela)

14:00h - Mestre Elisabete Pinto da Costa (Universidade Lusófona - Porto) Resolver, prevenir e educar no conflito: uma proposta integral da mediação de conflitos 15:00h - Mestre Susana Castela (Direção Geral de Reinserção Social ) Punir ou restaurar? Excluir ou incluir? Duas questões, uma resposta: a Justiça Restaurativa em contexto escolar 16:00h - Intervalo 16:30h - O gabinete de mediação: um exemplo – Escola Secundária Rocha Peixoto. (parceira do IMULP) 17:00h - Drª Clara Luís/Drª Margarida Carrington “A aula de convivência: um dispositivo de mediação socioeducativa” – agrupamento de escolas de Soure. (parceiro do IMULP) 17:30h - Debate Moderador - Dr. Firmino (diretor Agrupamento de Escolas de Abação)

14:00h - Doutor Pedro Cunha (Universidade Fernando Pessoa) Gestão de conflitos na escola: um espaço para a paz 15:00h - Dr Jorge Ascenção (Presidente da CONFAP) Confiança, compromisso e responsabilidade— variáveis de uma mesma E(Q)DUCAÇÃO 16:00h - Intervalo 16:30h - Drª Isabel Santos Associação de pais do Centro Escolar de S. Miguel : Boas práticas (agrupamento de escolas de Infias-Vizela) 17:00h - Mestre Conceição Ribeiro (Representante da Educação na CPCJ – Vizela) - Intervenção dos estabelecimentos de ensino na proteção de crianças e jovens em risco 17:30h - Debate Moderadora - Mestre Emilia Monteiro (Agrupamento de Escolas de Infias-Vizela)

14.05.2014

14:00h - Doutora Fátima Antunes (Universidade do Minho) Conflito e convivência na escola: perceção e intervenção 14:45h - Doutora Cristina Palmeirão (Universidade Católica do Porto) Nós humanos: valores comuns na escola para todos 15:30h - Doutora Sara Pereira (Universidade do Minho) Comunicação e informação na era digital: o papel da escola 16:15h - Intervalo 16:30h - Drª Sofia Ribeiro / Dª Belmira Paiva O Clube de Inteligência Emocional na Escola – Boa Prática (Agrupamento de Infias – Vizela) 17:00h - Debate Moderador - Mestre Manuel Abreu (diretor adjunto Agrupamento Infias-Vizela)


junho 2014

26

“Sustentabilidade – Viver Vizela” Unidades de Intervenção Especializada - Atividades de Inclusão

Alunos das UAEM fazem batismo de voo ... Um sonho realizado No passado dia 14 de maio as UAEM de Infias e Centro escolar de S. Miguel, realizaram uma visita de estudo a Faro. Os objetivos principais para a realização da mesma foram, possibilitar o acesso a alguns dos alunos à sua primeira viagem de avião, conhecer um aeroporto e viajar de avião. Também se pretendeu desenvolver habilidades cognitivas nos alunos participantes através da discussão informal de assuntos relacionados com a viagem, mostrando que a educação é um fenomeno muito maior que extrapola os muros escolares bem como promover a inserção e atuação dos docentes dos respetivos alunos envolvidos nesta viagem, no desenvolvimento de atividades culturais que não se restringem à viagem apenas, ou seja, contactar com os golfinhos no Zoomarine. É sabido que a interação com golfinhos oferece ao aluno um estímulo excecional que outras formas de terapias não podem oferecer. Vários estudos demonstram que a capacidade de concentração e o grau de atenção gerado com o contacto com estes animais produzem grandes estímulos ao nível sensorial: visão, audição, tato, paladar, olfato. Estes estímulos são muito importantes no desenvolvimento da aprendizagem, modificação dos comportamentos, comunicação e linguagem, coordenação motora, desenvolvimento cognitivo, etc... O uso dessas capacidades é transferido para o dia-a-dia. Coordenadora de Educação especial Glória Coelho

Projeto “Horta Inclusiva” Este projeto enquadra-se, no âmbito do “Eco Escolas” como subprojeto e é da responsabilidadedoDepartamentodeEducação Especial e AIREV, tendo a duração de um ano letivo (2013/2014). Considerando os tempos de mudança que vivemos, verificámos ser necessário preparar os alunos para a criação dos seus próprios meios de subsistência, fomentando desta forma a “preparação da transição do jovem para a vida ativa com(…) atividades que promovam a capacitação e a aquisição de competências sociais necessárias à inserção familiar e comunitária”. Assim entendemos, que saber cultivar alguns produtosbasedaalimentaçãoéfundamental. Este é um processo que contribui para uma melhor gestão da vida e do orçamento familiar. Esta área, face ao desemprego existente, nesta zona será, com certeza uma vertente a explorar. É especialmente relevante pela pos-

sibilidade de integração dos alunos na comunidade, como indivíduos úteis. Será utilizado o espaço de horta, pequenos talhões, existentes na escola sede do Agrupamento de Escolas de Vizela – Ínfias e a AIREV colaborará com a cedência de ferramentas agrícolas. Os produtos obtidos da exploração das hortas serão utilizados na aula de culinária, poderão contribuir para o equilíbrio do orçamento de algumas famílias dos alunos e será trabalhado na componente da matemática funcional que explorará: rendimentos e despesas, orçamentos e organização de consumos, excessos, aproveitamentos, etc. As docentes da UIE de Infias


junho 2014

27

“Sustentabilidade – Viver Vizela” Unidades de Intervenção Especializada - Atividades de Inclusão

O que fazemos com os alunos de curriculo especifico individual… O que fazemos com os alunos de curriculo especifico individual….. O nosso agrupamento como escola inclusiva, oferece aos alunos com limitações significativas a possibilidade de frequentarem um currículo especifico individual ao abrigo do decreto lei 3/2008. Trata-se de um currículo que afastando –se do comum, proporciona aos alunos disciplinas de caráter funcional que vão de encontro às suas capacidades. Este tipo de currículo possibilita a inclusão educativa e social, assim como a promoção da igualdade de oportunidades. Tem como objetivo a preparação dos jovens para uma vida futura autónoma e quando possível, uma transição para a vida profissional. Professores do Ensino Especial

Disciplinas do currículo:

Organização do Mundo Laboral (Preparar para a vida) Comunicação •Promover maior autonomia na transição • Português Funcional para a vida ativa • TIC Desporto e Saúde Matemática para a vida • Psicomotricidade • Matemática funcional • Motricidade fina Cidadania • Educação Física • Participação cívica • Desenvolvimento Pessoal, Social e Laboral • Educação para a saúde • Culinária “Nunca sabemos até onde podemos ir... mas se não movermos os • Higiene e limpeza pés não chegaremos a lugar algum.” • Horticultura Welk Alves

O Projeto “Vamos Partilhar” O Projeto “Vamos Partilhar” pretende oferecer aos alunos de Necessidades Educativas Especiais com Currículo Específico Individual um maior número de atividades enriquecedoras para o seu desenvolvimento pessoal, social e de cidadania. Foram desenvolvidas estratégias

relacionadas com as relações interpessoais, de cooperação, de hábitos positivos que favoreçam a maturidade sócio-afetiva e regras de convivência social de forma promover hábitos de vida saudável em sociedade; Foram efetuadas visitas ao exterior como idas

ao café, ida ao mercado municipal, ida à feira municipal, andar a pé pela localidade com o intuito experienciar diversos contextos do dia-a-dia, nomeadamente conhecer e saber utilizar os serviços públicos, sociais e respeitando as regras; Foram abordados conteúdos da área do saber com base em situações de caráter real onde foi privilegiada a aprendizagem baseada no concreto, o que permitiu aos alunos um maior grau de autonomia no seu quotidiano e consequentemente, uma melhoria na sua qualidade de vida; Foram trabalhadas, também as novas tecnologias, com o intuito de ar a conhecer o mundo através de outros meios; Trabalhou-se também as expressões, com a sua beleza que é a música, o som, a estimulação sensorial e táctil de vários e diversos materiais. Com este projeto pretende-se que os alunos adquiram conhecimentos que lhes permitam melhorar a sua qualidade de vida, proporcionando-lhes experiências reais que promovam a aprendizagem de aspetos relaciona-

dos com o conhecimento de si próprios, dos outros e do mundo. Pretende-se dinamizar a descoberta e entusiasmo por diferentes atividades lúdicas e pedagógicas e proporcionar meios de forma a desenvolver os seus conhecimentos e as suas capacidades. A alegria dos alunos é bem patente, no qual estão sempre motivados para uma nova aventura. Professores do Ensino Especial


junho 2014

28

“Sustentabilidade – Viver Vizela” mote para entrevistas Entrevista à coordenadora do Projeto Eco–Escolas / Viver Vizela

Belmira Paiva - Em que consiste o Programa Eco-Escolas? Sílvia Lemos - O Programa Eco -Escolas está vocacionado para a educação ambiental, a sustentabilidade e a cidadania. É um desafio aos estudantes a tomarem consciência do ambiente e a participarem na construção de um mundo mais ecológico. B.P - Que aspetos salientaria na sua implementação?

SL - Na implementação deste projeto salientam-se a Equipa Eco-Escolas e o Conselho Eco-Escolas, com 26 representantes (alunos, professores,educaçãoespecial,assistentes operacionais, autarquia e comunicação social), os parceiros AVE, AIREV, Associação de Estudantes e Rádio Vizela. Este Conselho tem, entre outros objetivos assegurar a participação ativa dos alunos e da comunidade escolar. Também a Auditoria Am-

biental constitui uma ferramenta na implementação do programa pois permite fazer um diagnóstico que carateriza a situação existente paraidentificaçãodoquenecessita de ser corrigido e/ou melhorado. Funciona como um “alerta à nossa consciência”, uma vez que nos permite perceber que práticas necessitam ser alteradas. Para além do diagnósticopermiteumaavaliação evidenciando-se assim os progressos efetivo. Esta avaliação servirá simultaneamentedepontodepartida para o Programa a desenvolver no próximo ano. B.P - De que forma contribui este programa para um estilo de vida saudável nos nossos alunos / membros da comunidade escolar e educativa? SL - O programa visa chegar à comunidade de forma mais abrangente, de “dentro para fora”, através do seu Plano de Ação. Há pequenas ações individuais que resultam da aplicação do plano. Por exemplo, quando um aluno

se apercebe que a escola tem uma política ambiental de raiz, em que professores, funcionários e outros alunos participam na horta biológica, fazem velas a partir de óleo alimentar, separam resíduos… quer envolver-se, fazer parte, causar impacto. B.P - Até que ponto a mensagem do programa Eco-Escolas tem eco / impacto na comunidade escolar? E na comunidade educativa? SL - Como estava a dizer, os alunos movem-se a partir das boas práticas que observam, mas depois são eles, também, os atores: as Brigadas Verdes, a horta, a exposição das aves, o mural dos compromissos, são disso exemplos. B.P - Que atividades foram desenvolvidas durante este ano letivo? SL - Em termos de atividades realizadas, gostava de referir o Postal de Boas Festas de Eco Natal da Resinorte; o projeto “Roupas Usadas não estão Acabadas; o projeto “Velas por Óleo”; as máscaras de cortiça, no Carnaval; a recolha

de embalagens Tetra pack para o concurso “Plantar Uma Árvore dá Frutos”, que originou uma quantidade impressionante de quilos de embalagens posteriormente recicladas; o aumento do número de mini-ecopontos no espaço escola; a recolha de tampinhas para a Educação Especial; o Dia EcoEscolas, com o mural dos compromissos, o hastear da Bandeira EcoEscolas, o plantar de árvores e o descerrar do Eco Código; a horta biológica, com canteiros para as turmas e outros grupos de alunos; a colocação de fechos automáticos nas portas e a programação de computadores para desligarem no período noturno. Prevê-se ainda a realização de um peddy-paper,emcolaboraçãocom o grupo de Matemática e a colocação de ninhos. B.P - Muito obrigada. Belmira Paiva

Entrevista às coordenadoras do Projeto Cittaslow Kids – “Viver Vizela” de. Conhecem cada árvore, cada casa. Vivem no território do município, um espaço que deve ser seu e que deve ser fonte de harmonia e prosperidade. É este ambiente que tem de ser respeitado e valorizado. As cidades Cittaslow querem valorizar o território, querem “viver bem “a cidade e não apenas ocupá-la.

Belmira Paiva - Onde nasceu o projeto Cittaslow? Valeria Pereira - A revolução urbana que respeita a alma do Movimento Cittaslow, a mais revolucionária proposta de desenvolvimento urbano sustentável, nasceu numa mesa de bar. Mais especificamente, surgiu em 1999, na mesa de um restaurante de Greve in Chianti, pequena comunidade no coração da Toscana, Itália, na qual o então prefeito Paolo Saturnini almoçava com amigos. como uma solução simples para um problema que todas as comunidades enfrentam

– conciliar desenvolvimento com qualidade de vida. A criação desta organização foi inspirada pela organização Slow Food (Comida Típica da região), com quem forma o movimento internacional conhecido como movimento Cittaslow. B.P - O que é uma cidade Cittaslow? Maria José - “Cittaslow” significa”cidade lenta”. A cidade Cittaslow pretende melhorar a qualidade de vida dos cidadãos. Em pequenas cidades as pessoas estão vinculadas ao território: nascem, crescem, moram e vivem a cida-

B.P - Porquê Cittaslow Kids? V.P - A Aventura “Cittaslow Kids – Viver Vizela” promove os valores do território junto dos mais novos. Este projeto,surge como oferta complementar do 1º Ciclo do ensino básico. Vizela é a primeira cidade Cittaslow do norte de Portugal e serviu de inspiração e diretriz ao nosso projeto. B.P - O que simboliza o Caracol? Maria José - O caracol simboliza a lentidão. Lento positivo, “Viver bem”. A escolha do caracol para o logótipo do movimento teve a ver com esta ideia de “lento” e ao mesmotempoalguémquevaipara todo o lado com a sua casa. O nosso Caracol tem a mesma filosofia mas dentro tem um conjunto de casinhas, numeradas

onde podemos trabalhar o nosso projecto, trabalho para uma vida Cittaslow, através de um jogo. B.P - Como definiriam um Cittaslow Kid? M.J - Um Cittaslow Kid é alguém que sabe Projetar, sabe sonhar… Nada existe de melhor que planear e pôr em prática, na sala de aula, atividadesdeacordocomosgostos e interesses de todos. Mas não basta sonhar sozinho... Trabalhar com projetos deve ser uma criação coletiva da articulação entre a cidade, o país e o mundo… Um Cittaslow Kid sabe, sem dúvida, viver a cidadania, viver a cidade, viver o país e, no futuro, sabe viver o mundo e empreender. B.P - Que iniciativas destacam neste projeto? Que Perspetivas Futuras? V.P - Destacamos as atividades que estão em ação nas diferentes escolas do Agrupamento de Escolas de Infias: Criação de um espaço Cittaslow, nas escolas, com exposições de trabalhos realizados ao longo do projeto; elaboração de uma história infantil “O Destino do Caracol” que conta a história da criação do

Projeto Cittaslow e os seus objetivos; elaboração pelos alunos de um livro redondo com as lendas, tradições e monumentos… que vai circular pelas cidades Cittaslow; visitas de Estudo a outras cidades Cittaslow; livro Infantil “O destino do Caracol”, interativo, disponível no Posto de Turismo da Câmara Municipal de Vizela; realização de um passeio turístico, “Mergulho no Território”, para conhecer os locais mais importantes da cidade; realização de um corso carnavalesco, Carnaval Cittaslow, utilizando materiais reciclados, programação do projeto “Cantina Saúde”, slow food; dinamização do jogo “ Viagem do Caracol -Empreender para o Futuro”; plataforma Web Internacional do Projeto Cittaslow Kids. B.P - Em nome do Pau de Giz, agradeçoavossaamabilidadeemterem informado, de forma tão amável os nossos leitores. Belmira Paiva


junho 2014

29

EB1 / JI de São Paio

Notícias da Escola “Sustentabilidade – Viver Vizela”

Um dia inesquecível

O dia dois de abril de 2014 foi especial para todos os alunos da EB1 e do Jardim de Infância de São Paio de Vizela. Durante a manhã, celebrou-se a Comunhão Pascal na igreja paroquial, todos os alunos, professores e auxiliares participaram nesta festa. Assistiram à eucaristia: pais, avós, tios e amigos. À tarde, recebemos uma visita muito especial, a famosa escritora dos livros “Uma aventura” – Isabel Alçada. A antiga ministra da educação mostrouse uma pessoa elegante, simpática e alegre, que brincou com as crianças, conversou sobre os seus fantásticos livros e fez uma sessão de autógrafos. Os alunos presentearam-na com uma bela canção, feita especialmente para essa ilustre senhora, que ficou muito emocionada. Foi um dia inesquecível para todos os alunos da freguesia de São Paio! Notícia redigida pelos alunos do 2ºB

Poema Vermelho, O vermelho das papoilas É quase encarnado É uma cor forte Que me mantém reservado. É a cor do sangue É a alegria de ler É um bebé a chorar É um bebé a nascer. O vermelho faz-me corajoso É o sangue dentro de mim É a capa do meu livro É uma alegria sem fim. É um menino aquecer No lume vermelhinho Que vai, enfim, adormecer Na sua cama de pelinho. É o morango e a cereja Com maçã e framboesa A povoar a cesta Que está em cima da mesa. Este é o vermelho Uma cor peculiar É aquela que nos inspira Para continuarmos a sonhar.

da EB Vizela S. Paio, para o concurso “Faça Lá Um Poema”.


junho 2014

30

“Sustentabilidade – Viver Vizela”

EB1 / JI de São Paio Notícias da Escola

Dia da mãe

No passado dia seis de maio, tivemos uma aula diferente e muito divertida. Fomos para o ar livre plantar sementinhas que depois de crescidas vão dar lindos lírios para as nossas mamãs. A nossa professora aproveitou e deu-nos uma aula sobre as plantas. Tivemos estudo do meio fora da sala, o que para nós foi espetacular. Relembrámos as partes constituintes da planta e do que ela necessita para sobreviver. 1º ano S. Paio

Era uma vez um menino que morava numa casa branca e que ia para as rochas brincar e um dia viu o polvo, o caranguejo, o peixe e a menina do mar…

As palavras São uma coisa essencial Um meio de comunicação Que não podemos evitar. São uma coisa sagrada Saída da mente uma coisa especial Para mim e para toda gente. As palavras têm cores Muitas cores e animadas Quando faço poesia Nenhumas saem estragadas. Quando penso nas palavras Imagino… tenho ideias, na cabeça a pensar, Não me saem coisas feias. As palavras são pra animar Os idosos sem família Que nos fazem chorar, Arrancam-me a harmonia. Uma casa cheia, De palavras para rimar Histórias de fadas Para nos encantar.

E o menino agarrou a menina do mar e ela disse “vaisme fritar”e o rapaz riu-se e disse que quem fritava tudo eram os pescadores e ele não era pescador…

Dedicatória da Professora Gracinda Cunha A todos os meus alunos Esta é a dedicatória final Ficarão para sempre comigo Somos história, é normal! A todos irei recordar Jamais serão esquecidos. Peguei na vossa mão Meus meninos, muito queridos. Muitos dias passámos juntos Dias de alegria e amizade, Agora me despeço, E já tenho saudade! A todos, só o melhor posso querer, Um bom futuro desejar, Para isso acontecer, Muito terão de trabalhar!

Há palavras na memória, Das mais belas canções, Aquelas que me cantavas Com elas, me embalavas, Eu com elas adormecia com meia dúzia palavras.

Que nunca desanimem perante as dificuldades só assim vencerão todas as contrariedades.

Fabrício Alexandre

Mil beijinhos, da vossa professora.

O menino trouxe três coisas da terra para a menina do mar ver: uma rosa, uma caixa de fósforos e um copo de vinho e a menina queria ir visitar a terra…

Semana da Leitura No âmbito da semana da leitura, uma das tarefas da nossa turminha foi elaborar um acróstico com a palavra LEITURA. No acróstico constaram as historinhas que ouvimos e exploramos com a nossa professora. Ouvimos também a história do” Kico o dentinho de leite” Em virtude do projecto SOBE, contada pela mãe da nossa coleguinha Marta. Elaboramos também um livro com algumas coisas que nós achamos que podem ser lidas. Foi uma semana muito atarefada e divertida. 1º ano S. Paio


junho 2014

31

“Sustentabilidade – Viver Vizela”

EB1 / JI Tagilde Notícias da Escola Parque de S. Gonçalo Com a motivação para o tema do Jornal Pau de Giz “Sustentabilidade – Viver Vizela” e no âmbito do Projeto “Cittaslow Kids – Viver Vizela”, a Turma 2 do Jardim de Infância da Escola Básica de Tagilde realizou entre outras, a Atividade sobre o Parque de Lazer de S. Gonçalo situado em Tagilde – Vizela. Cada criança foi contemplada com uma quadra e elaborou uma árvore feita com formas geométricas. Os trabalhos foram realizados pelas crianças através de recorte, pintura e colagem e também reciclou-se as caixas de cartão do Leite Escolar embelezadas com bolinhas de papel crepe imitando a relva, para colocar as árvores elaboradas. Para além de ser desenvolvido o Domínio da Expressão Plástica foi também desenvolvido o Domínio da Linguagem Oral e Abordagem à Escrita, Domínio da Matemática assim como a Área de Formação Pessoal e Social e também a Área do Conhecimento do Mundo. Este trabalho elaborado irá ser oferecido à Junta de Freguesia de Tagilde no final do Ano letivo.

O Parque de S. Gonçalo bem bonito vai ficar: com o verde das plantas e flores a despontar. Nós, crianças de Tagilde, amos ter muito cuidado: anter o parque limpinho ois ele está bem tratado. O Parque de S. Gonçalo é um local de lazer. Se estiver bem tratado dará gosto lá viver. E para bem terminar dizemos com esperança que o Parque é o ideal para o DIA DA CRIANÇA. Turma 2, Profª Ângela Oliveira

«LENDAS DE TAGILDE» Os Finalistas do Jardim de Infância de Tagilde da turma 1 pesquisaram nas TIC as informações sobre os factos históricos ligados com os acontecimentos, que recriaram depois através de pequenos textos, imagens, desenhos e de trabalhos manuais. Estas atividades culminaram com a elaboração de dois livros e oito marcadores de livros sobre a Lenda da Bengala de S. Gonçalo, a Lenda de S. Gonçalo e os Pássaros, a Lenda de S. Gonçalo e as Moças, a Lenda do Baptismo de S. Gonçalo, a Lenda de D. Fernando e D. Leonor Teles, e a Lenda da Prisão da Quinta da Torre. Os livros e os marcadores serão oferecidos no final do ano letivo á Junta de freguesia de Tagilde e á Biblioteca da Escola de Tagilde. Na execução desta atividade, o Jardim de In-

fância assumiu-se como um espaço privilegiado de educação para a cidadania, de partilha de saberes, onde se aprofundaram valores e experiências de aprendizagem diversificadas. Turma 1, Profª Benedita Rebelo

Feira Rural

De manhã, num lindo dia Lá fui eu toda contente Fui vender para uma feirinha Onde estava muita gente.

Vendemos de tudo um pouco Naquela feira tão bela. Só o meu pai e a minha mãe É que não foram a Vizela. 3º ano Tagilde Maria Conceição Alves


junho 2014

32

“Sustentabilidade – Viver Vizela”

Centro escolar de S. Miguel

Notícias da Escola O Inverno foi Bem-Vindo

Com a chegada do inverno, fizemos um boneco de neve com material reciclado. Pratos, colheres e tampas de plástico. Com o objetivo de trabalhar destreza manual fina e desenvolver o gosto pelo estético. Educadora Fátima Freitas, sala 1, JI.

MALA DOS AFETOS Foi com grande afeto que esta turma agarrou e expressou todas as emoções e sentimentos sobre esta temática. Partilharam vários trabalhos realizados desde modelagem, colagem, pintura, dobragem e finalmente com mensagens que revelaram os seus afetos predominantes.

Um elefante Cor-de-Rosa que envolveu pais e filhos No âmbito do estudo da obra recomendada para estudo no 2.º ano e intitulada “O Elefante Cor-de-Rosa”, as turmas do 2.º D e 2.º C, da Escola Básica de São Miguel, desenvolveram uma dinâmica caraterizada pela participação ativa de alunos, professores, professora bibliotecária e, muito particularmente, encarregados de educação. No âmbito deste trabalho foram criadas verdadeiras obras de arte (por pais e filhos) que, depois de expostas na biblioteca da escola, estiveram sujeitas ao sufrágio dos alunos. Na sequência de tal sufrágio, houve três trabalhos vencedores, tendo sido o primeiro lugar atribuído à Margarida Silva (2.º D), o 2.º lugar ao Tiago Oliveira (2.º D) e o terceiro lugar à Joana Raquel Alves. (2.º C). Parabéns a todos os participantes! Fernanda Araújo (2.º D) e Sandra Moreira (2.º C)


junho 2014

33

“Sustentabilidade – Viver Vizela” Jardim de Infância e EB1 de Infias

Notícias da Escola

Pais e alunos participam na Feira Rural No dia 6 de maio ocorreu mais uma Feira Rural em Vizela e os alunos de Infias também lá estiveram, divertidoseempenhadosnavendadosprodutos. Nada disto teria sido possível sem a, já habitual, colaboração total dos nossos fantásticos pais! Pois desde os mais pequenos do pré- escolar até aos mais velhos, todos trouxeram imensos produtos para a venda. Na feira, o empenho dos nossos pequenos vendedores foi total e por isso as bancas ficaram vazias! Sónia Rodrigues

Centro escolar de S. Miguel

Notícias da Escola

2.º ano anima “Vizela em Festa”

Foi com enorme satisfação que os alunos do 2.º ano da Escola Básica de São Miguel, integraram o programa de animação de domingo à tarde das festividades “Vizela em Festa”. Foi uma tarde repleta de alegria, entusiamo, grande fervor e satisfação por parte dos alunos que animaram os presentes, assim como dos seus familiares e docentes. Profª Fernanda Araújo


34

junho 2014

Desporto

Experiências de vida no mundo do futebol No dia 26 de março de 2014, na Escola Básica e Secundária de Vizela-Infias, realizou-se uma palestra intitulada: Experiências de vida no mundo do futebol. Foram convidados para esta atividade alguns jogadores séniores da equipa principal do Vitória Sport Clube, contudo apenas puderam estar presentes Douglas de Jesus (guarda-redes), Rafael Crivellaro (médio) e Neno (relações públicas do clube). Esta palestra foi dinamizada pela turma do Curso Profissional Técnico de Apoio à Gestão Desportiva, com a colaboração do Curso Profissional de Animação Sociocultural, no âmbito das disciplinas de Psicologia e Área de Integração. Estiveram presentes na atividade vários alunos divididos pelas seguintes turmas: 9º B; 10ºB; 11ºB; 11ºA; 12º B; 12ºC. Atendendo à dimensão desta atividade, compareceram vários jornalistas, destacando-se os do Jor-

nal A Bola e alguns da região de Guimarães para cobrir este evento. O objetivo principal da palestra era dar a conhecer aos alunos as experiências de vida de jogadores admirados por muitos jovens e, desta forma, ajudar a combater o insucesso e o abandono escolar, uma vez que este tipo de atividades motiva os alu-

nos, na medida em que lhes permite de uma forma lúdica e fora do contexto sala de aula adquirir outro tipo de conhecimentos e aprendizagens. Os convidados introduziram a temática com uma breve apresentação, em que deram a conhecer um pouco do início da sua carreira e os seus objetivos futuros. Os alunos

mostraram sempre muita curiosidade e interesse, colocando várias questões. Durante a palestra foram abordados temas como, por exemplo: a importância do bom ambiente dentro do balneário para o sucesso da equipa, comparando-o com as boas relações interpessoais entre os pares no contexto sala de aula; o nível de organização futebolística em Portugal e no Brasil; a contribuição da população vimaranense para a excelente integração e motivação destes jogadores. Por fim, os jogadores distribuíram autógrafos e disponibilizaram-se para tirar fotografias com os alunos. Como forma de agradecimento, a escola presenteou os convidados com o famoso bolinhol, doce típico vizelense. Ana Mendes, Joana Ferreira, André Silva (12º B)

Mega Sprinter

No passado dia 01 de março, a nossa escola participou no Mega Salto, Sprinter e Km. com uma participação que muito nos orgulhou. Destacamos o aluno André Natário, que obteve uma ótima classificação na prova do Mega Km. com um brilhante segundo lugar. Este aluno participou no Corta Mato Nacional, que se disputou na cidade de Portalegre nos dias 14 e 15 de Março. Aqui ficam algumas fotos a abrilhantar este feito. Desporto Escolar


junho 2014

35

Curso Vocacional de Pastelaria e Panificação

A participação dos alunos e professores do Curso Vocacional de Pastelaria e Panificação em diversas atividades do agrupamento tem sido uma constante ao longo deste ano letivo. Parabéns a todos pela qualidade do trabalho desenvolvido. Aqui ficam algumas fotografias da partici pação, entre outros eventos, nas I Jornadas Pedagógicas: Problemas de convivência na escola do século XXI, na Feira Rural e na II Edição do “Vizela em Festa”. P.G.

13 de junho de 2014 19 horas Escola Básica e Secundária de Infias

4.ºFESTIVALDESOPAS FESTAFINALISTASEBS.MIGUELEINFIAS ORGANIZAÇÃO: DIREÇÃO DO AGRUPAMENTO E ASSOCIAÇÕES DE PAIS COM O APOIO DA CÂMARA MUNICIPAL DE VIZELA

Oferta Formativa 2014/2015 3.º Ciclo

Cursos Vocacionais

Curso Vocacional de Desporto Duração – 2 Anos CONDIÇÕES DE ACESSO Habilitação: Permite a obtenção do 9º Ano Jovens que frequentem o 7º, 8º com ou sem aproveitamento e que queiram de terminar o 9º ano.

3.º Ciclo

Curso Vocacional de Serviço de Mesa Duração - 1 Ano CONDIÇÕES DE ACESSO Habilitação: Permite a obtenção do 9º Ano Jovens com o 8º concluído e que queiram de terminar o 9º ano.

Secundário Curso Vocacional de Hotelaria e Termalismo Duração – 2 Anos CONDIÇÕES DE ACESSO Para jovens com o 9º ano de escolaridade que completem 16 anos ou que frequentam o ensino secundário e pretendam reorientar o seu percurso escolar, no sentido de obterem uma formação orientada para o mundo do trabalho.


Oferta Formativa 2014/2015 CURSOS CIENTÍFICO-HUMANÍSTICOS Curso Línguas e Humanidades O curso de Línguas e Humanidades tem por objetivo dotar o aluno de um conjunto de saberes que lhe possibilitem o estabelecimento de relações entre passado e presente, a interpretação do mundo atual e a intervenção sobre a realidade e sobre o espaço em que ela se inscreve. Este curso permite aprender a formular hipóteses explicativas da evolução das sociedades no tempo e no espaço; desenvolver a perceção de fenómenos históricos e geográficos tendo em conta as transformações económicas, demográficas, sociais, políticas, culturais e ambientais; adquirir conhecimentos de realidades históricas e geográficas que possibilitem fundamentar opiniões e intervir na solução de problemas da comunidade.

Saídas Profissionais do Curso de Línguas e Humanidades Embora alguns alunos escolham o Curso de Línguas e Humanidades para “fugir” à Matemática, este Curso tem um leque muito alargado de saídas profissionais pelo que constitui uma boa opção no ensino secundário e uma aposta segura no futuro. Áreas de Ciências da Educação e Formação de Professores Áreas de Direito, Ciências Sociais e Serviços Educação Física, Desporto e Artes do Espetáculo Áreas de Humanidades, Secretariado e Tradução

Curso Ciências e Tecnologias O Curso de Ciências e Tecnologias pretende fornecer ao aluno um conjunto de saberes e competências que o tornam capaz de observar e organizar o espaço que o rodeia, assim como perceber a ciência e a tecnologia, e conseguir reconhecer e relacionar implicações que têm na nossa sociedade. Os alunos do curso de Ciências eTecnologias são alunos que pretendem prosseguir estudos no ensino superior, e portanto procuram uma formação de cariz mais científico que prático, para melhor os preparar para esta nova etapa

Saídas Profissionais do Curso de Ciências e Tecnologias Área das Tecnologia Área da Engenharia Área da saúde Área das Ciências Exames Nacionais: Português nas 2 disciplinas bienais; na disciplina trienal.

PAU DE GIZ, N.º 11  

Jornal do Agrupamento de Escolas de Infias

PAU DE GIZ, N.º 11  

Jornal do Agrupamento de Escolas de Infias

Advertisement