Page 1

“Filtro Natural” Revista Galileu publicada 24 de Maio de 2011 Luccas Lossano Name e Rodrigo Salgado Henrique Stella 3°A O que você faz com suas cascas de banana Recentemente foi publicada na revista “Galileu” uma nova maneira de salvar a nossa mãe natureza que vem sendo castigada já há muitos anos. A pesquisadora do IPEN (instituto de Pesquisas Energéticas e Nucleares), Milena Rodrigues Boniolo, descobriu um método de descontaminar água poluída com metais pesados (como Chumbo, Urânio e Cádmio entre outros). Porém qual é o material utilizado? Como este é feito? Como o processo ocorre? E o que esta invenção tem a ver com temas como a sustentabilidade? Antes de iniciar a explicação é importante dizer que o Brasil é um grande produtor de bananas e mais importante, 30% desta produção

são

desperdiçados, jogados fora sem aproveitamento nenhum com o simples e único fim de ocupar espaço. A nova técnica de descontaminação de águas é feita a partir do pó da casca das bananas. A pesquisadora ensina que para produzir o pó é necessário pegar as cascas, colocá-las numa assadeira, e em seguida deixálas em um lugar onde haja grande incidência de luz solar, em um telhado de casa, por exemplo. É importante dizer que se deve ter cuidado ao desidratálas, seguindo exatamente estes passos e não desidratá-la em fornos, por exemplo, já que deste modo, a casca da banana pode perder as propriedades necessárias para o processo (seguindo resultados de experiências feitas no Colégio CONSA, com a professora Patrícia Proti). A seguir, quando estas já estiverem secas, é necessário que sejam trituradas e mais tarde, se possível, levadas a um laboratório e passadas por peneiras granulométricas onde o pó ficaria uniforme.


O processo é relativamente simples, acontece que a casca da banana tem várias substâncias (celulose, por exemplo) ricas em grupos −OH (hidroxila) que atrai os cátions do metal poluidor, no caso do trabalho da pesquisadora o cátion UO22 + , e estabelece uma interação intermolecular chamada íon-dipolo, em que o íon positivo se vê atraído pelo pólo negativo de determinada molécula. Quanto mais poroso for o material rico nos grupos atraentes de cátions, maior será a superfície de contato e maior a eficiência do processo. Como visto, o pó da casca da banana pode ser a resposta para o problema da água poluída em vários países já que antes era usado outro processo, muito caro, em que eram utilizadas nanopartículas magnéticas. É importante dizer que este é um projeto que foi pensado a partir do tema da sustentabilidade já que as pessoas iram reciclar um material (a casca da banana), despoluir a água e economizar energia e dinheiro. Para cada 100 ml de água despoluída é necessário utilizar 5mg do pó, a seguir é necessário bater a mistura (em um liquidificador, por exemplo). A cada vez que o processo é feito há uma porcentagem de descontaminação de 65% a 90%. O metal pode ser retirado do pó da casca de banana, através do processo de dessorção, porém este ainda é muito caro e com isso inviável, no momento, sendo necessária a otimização deste processo, contudo certamente podemos sonhar com um futuro em que viveremos em um planeta sustentável em que o ser humano vai respeitar a natureza e utilizará ideias inovadoras e criativas como esta. Referência Bibliográfica: HEIDRICH, Gustavo. “Filtro Natural” in Galileu, edição 238, editora globo.

resumocritico-luccaserodrigo-vfinal  

ciencia, midia

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you