Page 64

Um Dom Especial Taming The Duke Jackie Manning — Sem dúvida, minha beleza, você tem motivos de sentir orgulho. — Correu as mãos pelo lombo acetinado do puro-sangue. Ao abrir o portão, viu que Penn espremia o rosto entre as frestas, espiando. — Rapazinho, o que foi que eu lhe falei? — Alicia colocou as mãos na cintura, com evidente irritação. — É isso mesmo, seus olhos não mentiram. Bashshar deixou que eu o montasse. — Meu pai disse que o patrão vai se casar com a senhorita. É por ter curado o cavalo dele? Pensar no casamento com Dalton fez o estômago de Alicia se comprimir. — Não, Penn. Em primeiro lugar, Bashshar não está totalmente curado. Só deixou que eu me aproximasse dele. Agora, posso começar o tratamento efetivo. E, no que diz respeito ao casamento com seu patrão, bem... vou me casar com ele porque... — Estudou o semblante sério do rapaz a sua frente. Penn devia ter uns quinze anos. Alicia não tinha certeza se entenderia como um matrimónio podia ser complicado. — Nosso enlace é um acordo de negócios. O sorriso de Penn iluminou-lhe a face. — Então eu estava certo. A senhorita vai ficar. Meu irmão me deve a aposta. Ah deve! Ela arqueou uma das sobrancelhas, surpresa. — Seu irmão? Não me recordo de Ulger me ter dito que tinha outro filho trabalhando nos estábulos. — Neville é meu irmão mais velho. Ele ajuda o couteiro a consertar as cercas. Não gosta de cavalos, como eu. — Você precisa trazê-lo até aqui, alguma hora. Gostaria de conhecê-lo. — Nem pense nisso. Meu irmão e meu pai não se dão bem. — Oh! Não posso imaginar que alguém não goste de seus pais. Alicia percebeu que havia se afeiçoado a Penn e ao chefe dos estábulos e sua esposa. Dalton empregava gente decente, leal e trabalhadora. Penn cutucou o chão com a ponta do sapato. — Falei a meu irmão que a senhorita ficaria aqui connosco e com Bashshar depois do casamento. Neville afirmou que milady iria embora assim que o animal estivesse curado. — Penn ergueu os olhos para ela, cheio de esperança. — Eu tinha razão, não é? Essa questão também vinha atormentando Alicia. Assim que a lua-de-mel terminasse, Dalton se cansaria dela? Se quisesse, poderia mandá-la embora. — Não sei, Penn. Tenho outro puro-sangue em Marston Heath que precisa de minha atenção. Deixei de treiná-lo para estar com Bashshar. Penn enrugou os lábios, num trejeito de desapontamento. Alicia observou-o e, então, teve uma ideia. — Sabe, Penn, eu poderia usar um rapaz esperto que tivesse habilidade com cavalos... Penn endireitou-se e fitou-a, ansioso. — Milady, nunca irá se arrepender. Trabalharei duro. — Acredito, mas eu não poderia contar com um jovem que não sabe ler. — Eu... sei ler alguma coisa... — E somar, dividir e escrever com uma bonita caligrafia. Penn chutou uma pedra, mortificado. — Meu pai disse que não tenho tempo para isso. — Não está pondo a culpa em Ulger, está?

Um dom especial  
Um dom especial  
Advertisement