Page 132

Um Dom Especial Taming The Duke Jackie Manning — Como sabe disso? — Não importa. Sei das quantias e das datas. A duquesa nada respondeu. Apenas deixou escapar um suspiro, apoiando-se na bengala. — Também sei que teve uma discussão com ele. Em público. — Por um instante, Dalton ficara satisfeito ao ver a angústia de Mildred. Agora, porém, doía-lhe vê-la sofrendo. — Sei que nunca mostrou a menor emoção em público, como se sua vida dependesse disso. Sou muito parecido com você, em alguns aspectos. — Sempre soube que éramos parecidos, Dalton, mas nunca pensei que o ouviria admitir isso. — Mildred retorceu os lábios e seu olhar baixou para as mãos. Depois de alguns instantes, fitou-o. — Posso confiar que tudo o que eu lhe disser permanecerá em segredo? — Se eu puder... — Preciso que me prometa, filho. — Não posso assegurar, mas você sabe que sou discreto. Afinal, nunca revelei seu outro segredo... exceto para Alicia. E sabe que está bem guardado com ela. — Alicia? A angústia cruzou o semblante da duquesa, e Dalton desejou não ter falado. Ela baixou os cílios, olhando para o enorme diamante do anel em seu dedo. Torceu o aro, fazendo a pedra faiscar. — Templestone vem me chantageando há vários anos. Descobriu que seu tio George e eu fomos amantes. Paguei-lhe as quantias que me pediu, mas, quanto mais recebia, mais queria. Por fim, ordenou que me casasse com ele. Recusei-me. Então disse-me que, se eu não aceitasse, iria... — Suas pupilas brilharam com aquilo que Dalton julgou que fossem lágrimas. E ele sentiu um nó na garganta, de compaixão. — Templestone faria o quê, mãe? — Mataria você. Dalton ficou estupefato, incapaz de falar. — Quando eu soube que alguém havia atirado em você e Bashshar, disse a mim mesma que fora um acidente. Um caçador descuidado. Um ladrão roubando um veado. Mas Templestone saboreou cada palavra ao me dizer que o próximo tiro não erraria o alvo. Falei que não acreditava nele. Ameacei chamar a polícia, porém, sabia que, como você mesmo afirmou, minha infidelidade viria a público. E não suportaria tal coisa. Assim, concordei com o casamento. Dalton respirou fundo. — Mamãe, por que não me procurou? As palavras escaparam antes que o remorso e a vergonha o compungissem. Mas como podia a duquesa apoiar-se num filho que sempre fora tão frio e distante? A cabeça orgulhosa abaixou-se, e a duquesa deixou cair os ombros, em desespero. — Ninguém podia me ajudar. Dalton fechou os olhos, sentindo-se egoísta e infantil pelo longo ressentimento que nutrira contra a mãe. — Sinto muito que não tenha podido confiar em mim, mamãe... Se tivesse me contado que Templestone havia descoberto sobre você e tio George... Mildred deixou escapar um longo suspiro. — Há muito mais do que isso. Dalton encarou-a, confuso. — Como?

Um dom especial  
Um dom especial  
Advertisement