Page 184

inocente e que segue a maré como você. Eu não escolhi você, mas pode ter certeza de que não consigo me libertar de você. Você está na minha cabeça, como se fosse um demônio no meu coração desgraçado. – Vá se foder! – Eu o empurro, mas ele agarra meus pulsos para me parar e puxa meus braços acima da cabeça, fazendo meu corpo se arquear instintivamente e as pontas de meus mamilos roçarem contra seu peito duro. O raio instantâneo de excitação que sinto disparar minha raiva contra mim mesma. – Me usar e depois descartar – grito, retorcendo-me em suas mãos. – Era esse o plano, certo? Foda ela e depois foda a vida dela. Arrume uma loira que não pensa muito e não vai fazer muitas perguntas! Uma de quem você pode se livrar com facilidade! – Eu pareço alguém que está tentando se livrar de você? – diz ele entredentes, apertando meus pulsos em suas mãos, pressionando sua ereção contra mim. – Eu te quero do mesmo jeito que quero uma nova vida, Melanie. Tenho relatórios imensos sobre você e outros homens, e sei sobre a sua dívida. Eu sabia sobre a sua gêmea antes de você me contar, Melanie. Eu sufoco quando ele menciona Lauren. Meus olhos marejam enquanto ele prossegue, diminuindo o aperto em meus pulsos e lentamente, carinhosamente, arrastando sua mão sobre a pele delicada do interior de meus braços nus. – Eu sei que seus pais a perderam, e você se culpa por ter sobrevivido. Não é? Acho que a bola de fogo que estava em minha garganta está agora também nos olhos e no coração. – Por isso, toda a sua doce vida você tentou compensar pelo que sentia haver tirado de seus pais. Você tentou fazê-los felizes, tentou fazer todo mundo ao seu redor feliz porque talvez, lá no fundo, não queria que ninguém acreditasse que você não merecia a chance que sua irmã nunca teve. – Pare com isso – digo, baixinho, mas uma torrente de lágrimas escorre pelo meu rosto porque ninguém jamais enxergou tão claramente dentro de mim, e eu estou com medo, e magoada, e seus olhos amendoados simplesmente não me largam. Ele aperta meus ombros agora, o olhar ferozmente terno e ainda faminto por mim enquanto acrescenta: – Eu sei que você usou sexo para deixar de se sentir solitária por tempo demais, Melanie, e sei que você é a coisa mais adorável que eu já vi, sempre tentando tirar o melhor de tudo. Dando uma chance a todos os sapos, porque você recebeu aquela chance, certo? Então, por que negá-la a alguém? A qualquer um? Até mesmo a um cuzão como eu? Ele desliza a mão pelo meu rosto e acaricia minha bochecha, o tipo de carícia que só ele me dá. Do tipo que eu sinto sob minha pele, até os nervos, os ossos. – Eu sei que você trancou um semestre na faculdade para acompanhar sua melhor amiga quando ela se machucou – continua ele –, e nunca contou a ela que você trancou porque queria lhe fazer companhia. Eu sei que você é o tipo de garota que compraria um Mustang

4 devasso katy evans  
4 devasso katy evans  
Advertisement