Page 1

21/01/2014, 2º dia, Ribeirão das Neves-MG

PJ mapeia mais de

9 mil grupos de jovens Olhar para a realidade dos regionais e dioceses foi a tarefa dos delegados da ANPJ durante a tarde desta terça-feira, dia 21 de janeiro. A partir de trabalho em grupo, e apresentação de resultados de sondagem realizada no ano passado, os participantes da Ampliada finalizaram o bloco VER. Divididos em seus regionais, jovens e assessores tiveram a tarefa de apontar, em um mapa, a atual situa-

em 158 dioceses do Brasil

ção da realidade da PJ em sua localidade. Destacaram, por dioceses, a existência ou não de grupos de PJ, coordenação diocesana, assessoria diocesana ou dioceses onde não se tem contato. Após um olhar coletivo para o mapa dos regionais, Padre Toninho, assessor da Comissão Episcopal Pastoral para a Juventude, apresentou seu olhar sobre a realidade a partir de visita aos regionais. No momento seguinte foi apresentado aos delegados um recorte do resultado da sondagem realizada aos regionais e dioceses em preparação à Ampliada. No segundo semestre de 2013 foram aplicados dois instrumentos para se fazer um diagnóstico da realidade da PJ e contribuir com as discussões da ANPJ. Segundo Joaquim Alberto, membro da Comissão Nacional de Assessores, todos os 18 regionais da CNBB responderam à sondagem. Ele lembrou que apenas o regional Oeste 1, por estar em processo de articulação, respondeu parcialmente. Quanto às dioceses, das 262 existentes 158 responderam à sondagem. Como resultado da pesquisa, foram mapeados 9183 grupos de jovens de PJ, em 2675 paróquias. A sondagem também identificou que dessas paróquias, 1765 têm coordenação de PJ, mas 1641 não tem assessoria e acompanhamento.


Mapeamento aponta realidade da PJ nos

Regionais e Dioceses Para além do número de grupos, a sondagem, também identificou os desafios e avanços dos Regionais e Dioceses. Entre os dados coletados, foi identificada a existência de coordenação (arqui) diocesana em 145 e a ausência em outras 18, das 158 que responderam os questionários.

• Continuidade dos processos nos Regionais e Dioceses • Diálogo com padres responsáveis pela juventude nas dioceses • Falta de reuniões sistemáticas da coordenação ampliada do Regional

Desafios das dioceses: • Sustentabilidade financeira • Visitas às dioceses do Regional • Efetivação dos Projetos Nacionais • Clareza dos papéis de coordenadores e assessores • Manter a formação das dioceses • Diálogo com o Setor Juventude • Apoio das dioceses

Avanços das dioceses: • Criação de novos grupos de base • Fortalecimento da identidade: Somos Igreja Jovem • Formação de lideranças jovens e assessores • Rede de assessores • Inserção e participação sociopolítica dos jovens • Projeto financeiro • Presença nos Conselhos Municipais e Estaduais de Juventude

Desafios dos regionais: • Assessoria e acompanhamento às dioceses – extensão territorial, acesso e quantidade de dioceses • Sustentabilidade – conseguir projetos financeiros • Formação de lideranças • Fazer com que os jovens conheçam e assumam a identidade da PJ • Clareza dos papéis e comprometimento da Coordenação e da Assessoria Regionais • Ausência de assessores regionais

Avanços dos regionais: • Articulação das dioceses e províncias • Unidade entre dioceses • Visita da Coordenação e Assessoria Regionais na maioria das dioceses • Conhecimento da realidade das dioceses • Envolvimento das dioceses na construção da ARPJ • Harmonia na CRPJ • Acompanhamento e atividades de formação nas dioceses e prelazias

Não podemos nos calar sobre o que

vimos e ouvimos na “Vi muita provocação, algo que faz a gente se movimentar, não acomodar. Vi muita beleza na caminhada e possibilidade de ampliar a pastoral.”

Luciano Magalhães Noroeste

“Vi olhos lacrimejando e lágrimas carregadas de memória da caminhada dos 40 anos da PJ. Recordação de memórias não apenas enquanto pastoral, mas de sociedade mostrando que não somos alheios ao chão que pisamos.”

Carlos André Basílio Sul 4

ANPJ

“Vi que os nossos grupos de base, de fato, são nossa base e estão presentes no Brasil mais do que podemos imaginar. E que ao longo da nossa história Jesus se faz base e é por isso que a gente existe.” Arleth de Jesus Norte 2


“O que a memória amou

fica eterno”

2º dia da ANPJ é marcado por resgate histórico

R

esgate da história, partilha de vida e olhar para a realidade são marcas do segundo dia da Ampliada Nacional da Pastoral da Juventude. Realizada em Ribeirão das Neves/MG até o próximo domingo, a reunião dos jovens e assessores da PJ é um espaço de avaliação e deliberação das ações e caminhada da pastoral. No contexto da celebração dos 40 anos da Pastoral da Juventude e de avaliação do caminho feito, o momento da manhã de terça-feira na ANPJ foi espaço para ver os passos dados na evangelização da juventude. Entre histórias, sorrisos e lágrimas, as quatro décadas da Pastoral da Juventude foram contadas por Hilário Dick, padre jesuíta, Ângela Falqueto, religiosa Salesiana – ambos ex-assessores do Setor Juventude da CNBB, 1981-1983 e 2003-2006, respectivamente - e Lourival Rodrigues, assessor do Cajueiro - Centro de Formação, Assessoria e Pesquisa em Juventude. “A história não são datas. Entra na história. Eu estou nessa história”, afirmou Dick emocionado. Em sua partilha, Hilário disse que um dos desafios da PJ não é a auto-referência, mas a autonomia e o protagonismo negados a ela. O Padre Jesuíta, que há mais de 40 anos acompanha e assessora grupos de jovens, é considerado história viva da Pastoral e muito estimado pelos jovens. “Hilário nós amamos você” – falou Janaína Sales, Coordenadora Nacional da PJ pelo Regional Nordeste 2, ao final da fala do Padre. Ângela Falqueto fez memória de sua caminhada pastoral e vocacional para falar da história da Pastoral da Juventude. “Eu sou uma mulher abençoada, sou da época de Puebla. Sou dos grupos ainda antes de Puebla”, lembrou Ângela. A religiosa que hoje atua como missionária no Amazonas, afirmou que foi a partir da sua experiência de grupo de jovens que nasceu sua vocação religiosa e que é por causa da PJ que decidiu dedicar sua vida à evangelização da juventude. “Foi no grupo de jovens

que decidi seguir Jesus Cristo. Eu assumi o trabalho com a juventude porque fiz uma opção e coloquei no meu projeto de vida”, enfatizou Ângela. Resgatando a metodologia de trabalho da Pastoral da Juventude, Lourival Rodrigues afirmou em sua partilha que o modelo VER-JULGAR-AGIR, herdado pela PJ, é uma maneira que a pastoral encontrou para intervir no mundo. “É o seguimento a Jesus que nos impulsiona a intervir e mudar a realidade. Não podemos ficar alheios”, disse o assessor que entre lembranças, cartazes e canções passeou pela história.

ANPJ - Informativo 02 - 21 de janeiro.  

As principais noticias dos dias de Ampliada Nacional da Pastoral da Juventude em Belo Horizonte.

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you