Page 1

“A messe é grande, mas os operários são poucos” Mat 9,37 Ano 01 - Nº06 - Outubro e Novembro de 2012


02

Editorial

“Ide por todo mundo e anunciai o evangelho a toda criatura” Mc 16:15 por Marcella Lube / Pastoral da Comunicação Outubro na Igreja é mais conhecido como “Mês das Missões” ou “Mês Missionário”, somos convidados a refletir se temos correspondido à vontade de Deus para a nossa vida. Ser “missionário” não implica exatamente em sair em missão para evangelizar em outra cidade ou até mesmo outro país, podemos ser missionários em nossa comunidade. A missão de evangelizar nos é dada no batismo. Santa Teresinha do Menino Jesus e São Francisco Xavier são os padroeiros das Missões. Francisco levou o Evangelho a diversos cantos do mundo e Teresa, mesmo vivendo no silêncio da clausura não deixou de evangelizar os que fora dali se encontravam. O objetivo da missão da Igreja é iluminar com a luz do Evangelho todos os povos em seu caminhar na história rumo a Deus, pois Nele encontramos a sua plena realização. Devemos sentir o anseio e a paixão de iluminar todos os povos, com a luz de Cristo, que resplandece no rosto da Igreja, para que todos se reúnam na única família humana, sob a amável paternidade de Deus. Já em preparação para a Jornada Mundial da Juventude 2013, que será realizada no Rio de Janeiro, teremos a Semana Missionária, onde a Diocese receberá aproximadamente 3.000 jovens peregrinos estrangeiros. A proposta na semana missionária para os jovens peregrinos estrangeiros

é que, chegando ao Brasil, vivam intensamente a realidade local, em união com toda a Igreja do Brasil. Que Nossa Senhora Aparecida, padroeira do Brasil interceda juntamente com os outros Santos Patronos da JMJ 2013 e os Santos Padroeiros das Missões pelo bom êxito de toda preparação da nossa juventude para esta Jornada Missionária. De outubro de 2012 a novembro de 2013, o Papa Bento XVI propõe para toda a Igreja o ‘Ano da Fé’. Para a Igreja, povo de Deus, formado por todos os batizados, o Ano da Fé, será a oportunidade de buscar, com empenho e dedicação, a conversão necessária para a vivência da Fé adulta e madura que atraia à comunidade eclesial os que não conhecem a Cristo. Para cada um de nós, Cristãos, é uma oportunidade de comunicar às gerações futuras a experiência da Fé e da caridade atraindo para Cristo as pessoas que estão em busca da Fé. Este mês também comemoramos o primeiro ano da Pastoral da Comunicação – PASCOM. A missão de levar o Evangelho não é fácil, mas aceitamos este chamado, e através dos meios de comunicação tentamos evangelizar.

Missão e o Documento de Aparecida Que mês de outubro é o mês missionário não é novidade. A novidade é que a partir da conferência episcopal da América latina, em Aparecida, o espírito missionário tornou-se mais real, urgente e comprometedor para toda igreja. É preciso que todos evangelizem e sejam evangelizados. Sejam discípulos missionários. A palavra chave no documento de aparecida é a missão. Já o lema da conferência diz: “discípulos e missionários de Jesus Cristo para que nele nossos povos tenham vida.” O documento está cheio de interpretações e chamamentos que mexem, sacodem e provocam um grande “Vendaval do espírito”, como aconteceu na primeira comunidade cristã de Jerusalém, no dia de Pentecostes “Atos 2, 1-13”. Aparecida convida toda a igreja a orientar-se, com decisão e urgência, para a missão. Seus bens, estruturas, recursos, pessoas e pastorais devem estar voltadas para a missão. É uma tarefa gigantesca e apaixonante. Todo povo de Deus é chamado a ser discípulo missionário de Jesus Cristo, cada um no serviço específico que escolheu ou que lhe foi confiado (leigos, padres,

por Pe. Gildarte Abílio Costa / Pároco bispos, religiosos e religiosas, operários, lavradores e empresários). O perigo é fazer missão de qualquer jeito sem clareza de objetivos. Por isso, o documento lembra que a motivação principal da missão está na comunhão trinitária: “a igreja é missionária por sua natureza, porque tem sua origem na missão do filho do Espírito Santo, segundo designo do Pai” (DA 347) Essa comunhão deixou de existir uma vez que as relações de fraternidade entre as pessoas e com a natureza foram destruídas. O testemunho cristão está perdendo forças e a igreja se sente despreparada para enfrentar os desafios da modernidade. Os cristãos não mais são capazes de “dar razões da sua fé” em meio a sociedade secularizada onde os valores se tornam relativos e o destaque fica por conta do prazer momentâneo. Por essas tantas e outras razões percebemos que a missão não é uma tarefa opcional, mais parte integrante da identidade Cristã. Ela é uma necessidade e uma urgência permanente: “ai de mim se eu não anunciar o evangelho” (1COR, 9-16). O grande objetivo das missões é ajudar os cristãos a serem discípulos missionários de Jesus Cristo proclamando a boa nova da dignidade humana, da vida, da família, do trabalho, da ciência e da solidariedade com a criação. Os sujeitos da missão são todos os batizados, uma vez que discipulado em missão são como duas faces da mesma moeda. Os destinatários são todos os povos, desde as pessoas que moram perto até os que vivem nos países mais distantes. Que todos sejam discípulos missionários de nosso senhor Jesus Cristo para que Nele todos os povos tenham vida e vida em abundância (João 10-10). Que as nossas comunidades, pastorais e movimentos se tornem verdadeiros instrumentos da missão em vista da propagação do reino de Deus. Em nossa Paróquia São João Batista e para toda a Diocese de Guarulhos.


Mês Missionário

03

Jesus nos chama e nos envia, para sermos felizes por Sem. Hechilly de Brito Timoteo / 3º ano de Teologia Estamos no mês missionário, o qual somos chamado a refletir a missionariedade em nossas paróquias, nas suas diversas pastorais, movimentos e organismos eclesiais. A missão não deve ser lembrada somente no mês de outubro, mas, durante toda a nossa vida. Falar de missão é falar de Jesus Cristo e de seu Reino, pois quando esquecemos a missão, podemos dizer que nos esquecemos de anunciar aquele encontro que tivemos com o Mestre. Neste mês somos convidados a rezar pelos missionários(as) que estão por todo o mundo, homens e mulheres que se entregam diariamente ao Mestre através dos irmãos e irmãs necessitados. Falando em rezar pelos missionário(as) é preciso conhecer e saber onde estão os missionários de nosso país, que países eles trabalham. Isso pode-se encontrar nas revistas missionárias: “Mundo e Missão” e “Missões”, como também nos sites missionários, os quais nos fornecem os endereços para conversarmos com estes irmãos que estão em diversos países. Durante este mês vamos pedir ao Espírito Santo que nos anime e nos dê a cada dia o desejo pela missão, a qual não deve acontecer somente fora de nossas paróquias e dioceses, mas que nos chama a ultrapassar as paredes de nossas paróquias e irmos ao encontro de tantos filhos e filhas de Deus que ainda não tiveram um encontro com Cristo. Mas para que isso aconteça se faz necessário que nós agentes engajados possamos ser missionários alegres, homens e mulheres que refletem a graça de Cristo em nossas vidas. Precisamos levar a todos a alegria de sermos discípulos e missionários, pelo contrario não vamos conseguir nem permanecer na nossa Igreja. O missionário não deve mostrar uma Igreja pesada para se carregar, mas deve viver e mostrar que somos leves como penas, as quais são conduzidas pelo Espírito Santo. Somente assim mostraremos ao mundo que vale apena seguir a Jesus Cristo. Falando em seguir a Jesus Cristo, o documento de Aparecida nos mostra que isso só é possível através do encontro com o Mestre. “No encontro com Cristo, queremos expressar a alegria de sermos discípulos missionários do Senhor e de termos sido enviados com o tesouro do Evangelho. Ser cristão não é uma carga, mas um dom: Deus Pai nos abençoou em Jesus Cristo seu Filho, Salvador do mundo”. (DAp 28). Algo muito necessário hoje é mostrar a todos que é bom ser cristão católico,

mostrar que somos pessoas realizadas e felizes no seguimento do Mestre. Mais uma vez Aparecida nos diz: “Desejamos que a alegria que recebemos no encontro com Jesus Cristo, a quem reconhecemos como o Filho de Deus encarnado e redentor, chegue a todos os homens e mulheres feridos pelas adversidades; desejamos que a alegria da Boa Nova do Reino de Deus, de Jesus Cristo vencedor do pecado e da morte, chegue a todos quantos jazem à beira do caminho, pedindo esmola e compaixão”. (DAp 29). Que este mês de outubro possamos refletir em nossas pastorais, encontros de catequese, grupos de rua etc. qual o verdadeiro seguimento a Jesus Cristo; que é levar as pessoas ao conhecimento Dele. Peçamos isso ao Espírito Santo o protagonista da missão, pois é ele quem prepara o terreno da missão. Assim ao termino de nossas reflexões possamos ter a certeza de que: “Conhecer a Jesus é o melhor presente que qualquer pessoa pode receber; tê-lo encontrado foi o melhor que ocorreu em nossas vidas, e fazê-lo conhecido com a nossa palavra e obras é nossa alegria” (DAp 29). Santa Terezinha Rogai por nós.

Deus jamais nos daria uma Cruz...

1

6

4

... que fossemos incapazes de carregar.

3 2

5


04

Nossa Senhora Aparecida Maria: “Nossa Mãe Aparecida“ por Sem. Ismael Almeida / 3º Ano de Filosofia

A devoção a Maria é fonte de vida cristã profunda, é fonte de compromisso com Deus e com os irmãos. Permanecei na escola de Maria, escutai sua voz, segui os seus exemplos. Como ouvimos no Evangelho de São João 2,5, ela a Virgem Maria nos orienta para Jesus: “Fazei o que Ele vos disser”. Mãe da igreja, a Virgem Santíssima tem uma presença singular na vida e na ação desta mesma Igreja. Por isso mesmo, a Igreja tem os olhos sempre voltados para aquela que, permanecendo Virgem, gerou, por obra do Espírito Santo, o Verbo feito carne. Qual é a missão da Igreja senão a de fazer nascer o Cristo no coração dos fieis, pela ação do mesmo Espírito Santo, através da evangelização? Assim, a “Estrela da Evangelização”, aponta e ilumina os caminhos do anuncio do Evangelho. Este anúncio de Cristo Redentor, de sua mensagem de Salvação, não pode ser reduzido a um mero projeto humano de bem-estar e

felicidade temporal. Tem certamente incidências na história humana coletiva e individual, mas é fundamentalmente um anuncio de libertação do pecado para a comunhão com Deus, em Jesus Cristo. Por tudo isto, nós todos, filhos e filhas da Virgem Maria, formamos hoje a geração dos discípulos de Cristo seguindo os passos da simples e bela Mãe de Deus, na qual celebramos com grande jubilo Nossa Patrona Nossa Senhora da Conceição Aparecida. Discípulos de Jesus neste momento crucial da história humana, em plena adesão à Tradição e ao sentimento constante da Igreja impelido por um intimo imperativo de Fé, Esperança e Caridade. Nós desejamos unir-nos a Maria. E queremos fazê-lo através das expressões da piedade mariana da Igreja de todos os tempos. Rezemos com Maria e por Maria: ela é sempre a “Mãe de Deus nossa”

Ano da Fé A redescoberta dos valores da fé católica por Marcella Lube / Pastoral da Comunicação

De outubro de 2012 a novembro de 2013 o Papa Bento XVI propõe para toda a Igreja o “Ano da Fé” em comemoração aos 50 anos do início do Concílio Vaticano II e aos 20 anos de publicação do Catecismo da Igreja Católica. A Carta Apostólica “Portta Fidei” – Porta da Fé – que proclama o Ano da Fé, nos mostra a Fé cada cristão a beleza e a alegria de sermos filhos de Deus. O Cristo Ressuscitado deseja que sejamos luz, sal e fermento para o mundo com o nosso testemunho. Vamos abrir o coração à Cristo Ressuscitado para que, neste Ano de Fé vivamos uma autêntica e renovada conversão ao Senhor. Para a Igreja, povo de Deus, formado por batizados, o Ano da Fé será a oportunidade de buscar com empenho e dedicação a conversão necessária para a vivência da Fé adulta e madura. Uma Fé madura e consciente acontece quando se vive um encontro especial com Cristo. Este encontro pessoal e verdadeiro nos dá garantia e esperança de nos aproximarmos sempre mais da verdade. Uma Fé madura exige tomada de decisões. Pelo batismo fomos inseridos na comunidade eclesial. Passando agora pela Porta de Fé, assumiremos essa graça batismal e nos desafiaremos a continuar o projeto de evangelização como discípulos e missionários do Reino.

Pela fé, Maria acolheu a palavra do Anjo e acreditou no anúncio de que seria Mãe de Deus na obediência da sua dedicação; pela fé, os Apóstolos deixaram tudo para seguir o Mestre; pela fé, os discípulos formaram a primeira comunidade reunida à volta do ensino dos Apóstolos, na oração, na celebração da Eucaristia, pondo em comum aquilo que possuíam para acudir às necessidades dos irmãos; pela fé, os mártires deram a sua vida para testemunhar a verdade do Evangelho que os transformara, tornando-os capazes de chegar até ao dom maior do amor com o perdão dos seus próprios perseguidores; pela fé, homens e mulheres consagraram a sua vida a Cristo, deixando tudo para viver em simplicidade evangélica a obediência, a pobreza e a castidade, sinais concretos de quem aguarda o Senhor, que não tarda a vir; pela fé, muitos cristãos se fizeram promotores de uma ação em prol da justiça, para tornar palpável a palavra do Senhor, que veio anunciar a libertação da opressão e um ano de graça para todos; pela fé, vivemos também nós, reconhecendo o Senhor Jesus vivo e presente na nossa vida e na história. É desejo do Papa Bento XVI que o Ano da Fé seja boa notícia e tempo de graça para todos. A Fé cristã é o encontro com Cristo que dá a vida humana um novo horizonte e um rumo decisivo.


1 Ano de Pascom

05

Um ano de existência na Paróquia evangelizando pelos meios de comunicação por Juliana da Cunha Viana / Pastoral da Comunicação

O tempo passou rápido, e no mês de outubro a Pastoral da Comunicação completa um ano de criação. Pastoral que evangeliza através dos meios de comunicação. Comunicar hoje é um grande desafio principalmente quando se fala de anunciar o Evangelho de Cristo e a Pascom da Paróquia São João Batista assumiu este desafio de anunciar o Cristo. Meu sim para Pascom foi desde o primeiro momento entusiasmado e verdadeiro. Amo esta pastoral! É uma grande responsabilidade evangelizar através dos meios de comunicação, mas com a graça de Deus vamos conseguir. Marcella Lube Neste processo de criação da Pascom, iniciamos com quatro jovens (Lucas da Capela São Camilo, Raphael da Capela Nossa Senhora das Graças, Allas e Juliana São João Batista), incentivados pelo Seminarista Cássio. A Pascom é uma pastoral recente em nossa paróquia, e se tornou uma grande ferramenta de evangelização. Ela me proporcionou neste tempo um grande aprendizado que levarei sempre em meu coração. Allas Pereira A princípio nossa atividade era fotografar as missas festivas e montar DVD’s para venda tendo com meta maior a criação do “Jornal Paroquial”. Para que o jornal tivesse realmente a cara da comunidade decidimos que o nome iria ser escolhido pelos próprios paroquianos, iniciamos então a votação para a escolha do nome do nosso jornal. Com o nome escolhido (A Voz que Anuncia) demos início a criação da primeira edição do jornal. Foi difícil decidir sobre o que escrever e como montar um jornal, mas ajuda

Alguns membros da Pascom na apresentação da 1ª Edição da Voz que Anuncia em 24 de Dezembro de 2011

e apoio do seminarista Cássio e de todos os membros da Pastoral conseguimos enfim concluir a primeira edição do jornal. No dia 24 de Dezembro entregamos em primeira mão, nas mãos do Padre Gildarte nossa primeira edição. Em todas as edições pedimos para que paroquiamos escrevessem, dando assim uma contribuição para o crescimento de nosso Jornal. A cada edição tentamos melhorar para que o nosso jornal realmente tenha a cara da comunidade e acima de tudo leve o Evangelho a todos. Através da Pastoral da Comunicação descobri o trabalho pastoral e a vivência em comunidade. Essa atividade além de me completar e realizar como pessoa me alegra, pois colaboramos com a evangelização na nossa Paróquia Juliana Viana Além do Jornal criamos uma conta no Facebook, para que possamos levar os acontecimentos de nossa Paróquia e Evangelizar através da rede social. Estas são as atividades e trabalhos que realizamos neste um ano.


06

História da Comunidade Comunidade Nossa Senhora das Graças

por Raphael Fuzaite / Pastoral da Comunicação Colaboradores / José Heleno, Maria de Fátima, Valério Pereira e Dilza Santos

Em 1974 algumas pessoas foram de encontro ao Padre Raimundo, pedir que fossem instruídos ministros da palavra. O padre então disponibilizou alguns documentos para as celebrações, livros de cânticos, enfim, um material básico para que aquele pequeno número de cristãos pudessem exercer a sua fé. Assim humildemente, através de um Grupo de Catecismo, a Comunidade Nossa Senhora das Graças começava a sua caminhada. No início a comunidade não se chamava Nossa Senhora das Graças e sim, São João Batista e pertencia à paróquia de Santa Cruz e Nossa Senhora Do Carmo - Taboão. Mantinha endereço em um cômodo pequeno e apertado nos fundos da casa da Dona Raimunda, uma das fiéis mais influentes na fundação da comunidade. Ali naquele pequeno cômodo coberto com telha Brasilit, 4 bancos e 1 lousa, os fiéis foram alimentando sua fé e aprendendo a viver em sociedade e comunhão com Cristo e seus irmãos.

Ministério de Música da antiga capela. (1999)

Com o tempo o pequeno espaço passou a ficar realmente pequeno para os seus fiéis, onde, logo a solução seria encontrar um novo local para manter a igreja. O atual terreno onde se encontra a comunidade pertencia à prefeitura na época e o Senhor Valério, um dos coordenadores da comunidade, conhecia um funcionário da prefeitura que poderia intervir no caso para que o terreno fosse disponibilizado à comunidade. Esse funcionário, não por coincidência, mas por providência, era um católico fervoroso que ajudou no processo burocrático de disponibilização do terreno para a comunidade. Em uma reunião organizada pelo Padre Cido na casa de Seu José Heleno e Dona Maria de Fátima decidiram então que a comunidade passaria a pertencer a Paróquia São João Batista e teria que mudar de nome, passou-se então a se chamar Nossa Senhora das Graças. A comunidade ainda sim era muito pequena e se mantinha com as doações feitas pelos seus próprios fiéis. Com a renda obtida através de quermesses, venda de bolo, cachorro quente, entre outras coisas, a comunidade buscava realizar um sonho maior, a reforma completa do pequeno galpão em uma igreja maior e mais segura para abrigar seus fiéis. Porém, os altos impostos cobrados pela prefeitura para uma nova construção e a ausência de um projeto legalizado tornava esse sonho distante. Até que, por ameaça de desabar, as atividades da comunidade Nossa Senhora das Graças foram totalmente transferidas para a capela São João Batista. E o sonho de uma igreja reformada enfim se tornou realidade com a ajuda do pároco da época, Padre Romualdo.

A comunidade recebeu seus últimos acabamentos e melhorias recentemente com o auxílio do Padre Gildarte. Hoje a comunidade possui 2 celebrações por semana (sendo uma missa todas às quintas e outra missa intercalada com uma celebração aos domingos), uma vigília

Confraternização da catequese na antiga capela

no 2º sábado do mês, turmas de catequese, grupo de jovens, Legião de Maria, grupos de reflexão, entre outros meios de os fiéis exercerem sua fé em Deus. A comunidade Nossa Senhora das Graças tem como característica a manifestação da juventude cristã. Desde o início os Grupos de Jovens produziram muitos frutos para a comunidade, dos frutos cultivados pelos braços de Nossa Senhora um desses vos escreveu esta matéria em um gesto simples de dizer obrigado a Deus pela comunidade Nossa Senhora das Graças e todos os seus fiéis que perseveraram até aqui e os outros que passaram e deixaram sua marca na história dessa comunidade.


Jornada Mundial da Juventude

07

JMJ: Um sonho no coração de Deus por Adeliane Correia e Joyce Sobral / Setor Juventude

de Nossa Senhora. Estas foram as palavras do Santo Padre naquela ocasião. “Hoje eu confio a vocês... o ícone de Maria. De agora em diante, ele vai acompanhar as Jornadas Mundiais da Juventude, junto com a cruz. Contemplem a sua Mãe! Ele será um sinal da presença materna de Maria próxima aos jovens que são chamados, como o apóstolo João, a acolhê-la em suas vidas” (Roma, 18ª Jornada Mundial da Juventude, 2003).

Bote Fé Paroquial

Tudo começou com um encontro promovido pelo Papa João Paulo II em 1984. Foi um encontro de amor, sonhado por Deus e abraçado pelos jovens. Vozes que precisavam ser ouvidas e um coração pronto para acolhê-las. A Jornada Mundial da Juventude (JMJ), como foi denominada a partir de 1985, continua a mostrar ao mundo o testemunho de uma fé viva, transformadora e a mostrar o rosto de Cristo em cada jovem. Somos nós, os jovens, os grandes protagonistas deste evento. A JMJ tem como objetivo principal dar a conhecer a todos os jovens do mundo a mensagem de Cristo, mas é verdade também que, através deles, o ‘rosto’ jovem de Cristo se mostra ao mundo.

A juventude da paróquia São João Batista já esta se movimentando para ir a Jornada Mundial da Juventude 2013, que acontecerá no Rio de Janeiro do dia 23 a 28 de julho, onde irão 50 jovens de nossa paróquia para participar deste grande sonho. E para arrecadar fundos para pagar as inscrições dos jovens realizamos o “Bote Fé Paroquial”, que aconteceu no dia 29 de Setembro. Dando início a preparação dos

A Cruz e o Ícone

A cruz foi dada aos jovens pelas mãos do Papa João Paulo II para que a levassem por todo o mundo, a todos os lugares e a todo tempo. Quem a recebeu, em nome de toda a juventude, foram os jovens do Centro Juvenil Internacional São Lourenço, em Roma. Estas foram às palavras do Papa naquela ocasião: “Meus queridos jovens, na conclusão do Ano Santo, eu confio a vocês o sinal deste Ano Jubilar: a Cruz de Cristo! Carreguem-na pelo mundo como um símbolo do amor de Cristo pela humanidade, e anunciem a todos que somente na morte e ressurreição de Cristo podemos encontrar a salvação e a redenção” (Sua Santidade João Paulo II, Roma, 22 de abril de 2004). Desde 1994, a peregrinação da cruz pelas dioceses do país sede de cada JMJ internacional se tornou uma tradição, como um meio de preparação espiritual para o grande evento. Em 2003, o Papa João Paulo II deu aos jovens um segundo símbolo de fé para ser levado pelo mundo, acompanhando a cruz da JMJ: o ícone

CDP durante o Jantar de Massas.

Pastoral Familiar, o Jantar de Massas no Centro Diocesano de Pastoral. O evento ofereceu uma noite de descontração para várias pessoas, com música, comida, sorteios de brindes e um ambiente bastante familiar. A equipe de coordenação do Setor Juventude ficou muito feliz pelo empenho dos jovens que trabalharam durante toda a organização antes, durante e depois do jantar. Os jovens também agradecem a todos os que apoiaram a juventude no desenvolvimento deste evento, desde o padre Gildarte e o seminarista Cássio até cada casal da Pastoral Familiar, em especial a Sueli e o Magela que deram início a tudo e pacientemente coordenaram a parte pesada da organização do Jantar de Massas.

Programação da Pré Jornada

A Pré Jornada consiste na imposição da espiritualidade da jornada aos jovens que farão parte do evento. Os encontros em preparação para a Jornada serão realizados em cada uma de nossas comunidades. Veja o cronograma de abaixo: Jovens carregando a cruz peregrina no Bote Fé Paroquial

jovens da paróquia para a Jornada.

Jantar de Massas

Movidos pelo espírito da Jornada Mundial os jovens seguem promovendo atividades para a sua preparação espiritual e também para a organização da viagem e estadia nesse evento histórico para os jovens cristãos. No dia 13 de Outubro de 2012 o Setor Juventude promoveu, com grande ajuda da

Data

Comunidade

17/11/2012 - 18h Nossa Senhora das Graças 26/01/2013 - 18h São Camilo de Lellis 23/02/2013 - 18h São Mateus 23/03/2013 - 18h São Paulo Apóstolo 27/04/2013 - 18h Santa Cecília 25/05/2013 - 18h São Francisco de Assis 29/06/2013 - 18h Paróquia São João Batista


08

Patrocinadores

A Pascom agradece aos colaboradores que nos ajudaram a desenvolver mais esta edição.

Jornal A voz que anuncia

“É necessário que ele cresça e eu diminua” Jo 3,30

Equipe Pascom Pe. Gildarte Seminarista Cássio Fernando Matérias: Allas Pereira, Bárbara Pereira, Juliana Viana, Lucas Bazzani, Fabio Barbosa, Mayara Sendas e Vanessa Viana. Correções: Marcella Lube. / Fotografias: Victor Repiso Diagramação: Raphael Fuzaite. E-mail : pascomsaojoao@hotmail.com Facebook : Pascom São João

6º Edição do Jornal “A Voz que Anuncia“ Gráfica: Microprint | www.microprint.ind.br Paróquia São João Batista Avenida Capitão Zineu Simionato, 73 Jd. Adriana - Guarulhos - SP

A Voz que Anuncia - 6ª Edição  

Missão História da Comunidade Nossa Senhora das Graças Jornada Mundial da Juventude Nossa Senhora Aparecida 1 Ano de Pastoral da Comunidação...

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you