Page 1

Ano 1 - Nº 07

PARÓQUIA NOSSA SENHORA DO PERPÉTUO SOCORRO

“Tua Palavra é lâmpada para os meus pés e luz para o meu caminho!” (Livro dos Salmos 119,105)

Setembro - 2011

SETEMBRO MÊS DA BÍBLIA

São Jerônimo e o Dia da Bíblia

Fonte: www.cnbb.org.br

E

stamos no mês da Bíblia que foi estabelecido este mês justamente por causa de São Jerônimo que, com seus estudos, traduções, interpretações, comentários e escritos nos facilitou o acesso a esse grande manancial de sabedoria transmitida pelos livros sagrados. A Bíblia, segundo o Magistério da Igreja, contem a revelação daquilo que Deus quis manifestar e comunicar a toda a humanidade, fazendo com que todos possam participar dos bens divinos. O Concílio Vaticano II nos diz que “pela revelação divina quis Deus manifestar e comunicar a sua pessoa e os decretos eternos da sua vontade a respeito da salvação dos homens, “para os fazer participar dos bens divinos, que superam absolutamente a capacidade da inteligência humana.” ( Conf. “Dei verbum”. Capítulo I, item 6.). Com efeito, a Bíblia significa coleção de livros, embora costuma-se referir-se a ela como um livro único, na verdade, ela é uma coletânea de livros do Antigo Testamento e do Novo Testamento, em geral escritos em hebraico para o Antigo Testamento e grego para o Novo Testamento. O hebraico era um idioma falado pelas famílias semíticas e tudo o que contém nas Sagradas Escrituras nessa língua deve-se aos chamados escribas, fruto do laborioso e lento ofício a favor do povo escolhido. Já o grego era a língua dominante na época em houve a divulgação da doutrina e vida de Jesus Cristo; por esse fato, o Novo Testamento foi escrito em grego. Em decorrência dessas línguas, contudo, a Bíblia era inacessível aos Romanos, que falavam o latim. Então, Jerônimo, educado em Roma, conhecedor do latim e grego, após uma longa doença, sentiu o chamamento de Deus para a vida religiosa e se tornou padre da Igreja Católica. Por volta do ano 374, ele foi para a Palestina, onde estudou hebraico e a interpretação da Bíblia. Inspirado por Deus, traduziu todos os livros da Bíblia para o latim, cuja tradução denominou-se “Vulgata”, pois o latim era a língua falada na época universalmente. O trabalho executado por São Jerônimo foi imenso, pois copilou, com fidelidade e dedicação, uma infinidade de documentos no decorrer das suas longas viagens pelo Oriente, do que resultou a edição adotada oficialmente pela Igreja Católica. A “Vulgata” foi grandemente divulgada, inicialmente através de manuscritos feitos pelos monges nos mosteiros e, com o advento da imprensa por Gutemberg, no século XV, teve ampla divulgação. Hoje, é o livro mais vendido do mundo. Estima-se que foram vendidos 12 milhões de exemplares na versão integral, 13 milhões de Novos Testamentos e ainda 450 milhões de brochuras com extratos dos textos originais. Um fato histórico, trouxe um trauma enorme para os seguidores de Cristo, a assim chamada Reforma, dividindo protestantes e católicos. Os protestantes elegeram a Bíblia, excluídos alguns livros, como única maneira de inspiração divina. Os católicos, por sua vez, admitiu-os juntamente com a tradição da Igreja, como formas de Deus falar aos homens, sempre com a interpretação do Magistério da Igreja. Ainda aqui nos recorda o Concílio Vaticano II: “A Sagrada Tradição, portanto, e a Sagrada Escritura relacionam-se e comunicam estritamente entre si. Com efeito, ambas derivando da mesma fonte divina, fazem como que uma coisa só e tendem ao mesmo fim. A Sagrada Escritura é a palavra de Deus enquanto foi escrita por inspiração do Espírito Santo; a Sagrada Tradição, por sua vez, transmite integralmente aos sucessores dos apóstolos a palavra de Deus confiada por Cristo Senhor e pelo Espírito Santo aos apóstolos, para que, com a luz do Espírito de verdade, a conservem, a exponham e a difundam fielmente na sua pregação; donde acontece que a Igreja não tira a sua certeza a respeito de todas as coisas reveladas só da Sagrada Escritura. Por isso, ambas devem ser recebidas e veneradas com igual afeto e piedade.” (Conf. (Dei verbum' – Cap.II, item 9) A Igreja sempre teve nos Livros Sagrados uma das fontes de inspiração e vida. Uma coisa, porém, é certa: após a invenção da imprensa, e agora com a versão da Bíblia nas línguas faladas em todo mundo, ela é, na verdade, o livro mais divulgado e, hoje, fonte de inspiração para toda a humanidade. E todo a manancial que se constitui as Escrituras Sagradas, portanto, devemos ao trabalho dedicado e persistente do grande exegeta, escritor e santo, São Jerônimo, o qual a Igreja o festeja no dia 30 de Setembro, mês da Bíblia. Ao concluir esta reflexão, faço-o com os versículos 103 a 105 do Salmo 119: “Como são doces ao meu paladar tuas promessas; mais que o mel para minha boca. Dos teus preceitos recebo inteligência, por isso odeio todo caminho falso. Lâmpada para meus passos é tua palavra e luz no meu caminho.” + Orani João Tempesta, O.Cist. Arcebispo de São Sebastião do Rio de Janeiro, RJ

Nesta Edição...

Pág 02 Pág 04

EDITORIAL “Aos Pés da Palavra”

Pág 06 Leitura Espiritual

Fábula da Convivência - Saber aceitar as pessoas

Pág 07 Perguntas dos Internautas

JOVENS EM RENOVAÇÃO

O que poder ser adorado? E o que não pode ser adorado pelos católicos?

JORNADA MUNDIAL DA JUVENTUDE 2011 «Enraizados e edificados em Cristo»

São Francisco Sales - Rogai por nós!!! Padroeiro dos Comunicadores Católicos


PARÓQUIA NOSSA SENHORA DO PERPETUO DO SOCORRO - FLORIANO - JABOATÃO DOS GUARARAPES - PE

Editorial

Por Kleyverson Bernardo e Deise Melo

Aos pés da Palavra de Deus...

“Desconhecer as Sagradas Escrituras é desconhecer a Cristo. (São Jerônimo)

T

odo cristão que não busca o conhecimento de Deus, sendo indiferente a sua palavra, está sendo indiferente com o próprio Cristo. E ninguém se engane, pois ninguém ama o que não conhece. O cristão é aquele que tem sede de Deus e esta sede o faz um “devorador da Palavra”, e as Sagradas Escrituras são o alimento diário e contínuo para a sua alma. Ninguém dá o que não tem! Ninguém pode ser missionário sem antes ter sido discípulo. O verdadeiro cristão, antes de tudo, se faz um discípulo atento aos ensinamentos de seu mestre. O profeta Isaías diz: “A cada manhã ele (o Senhor) desperta meus ouvidos para que escute como discípulo; (o Senhor Deus abriu-me o ouvido), o Senhor Deus deu-me a língua de um discípulo para que eu saiba reconfortar pela palavra o que está abatido.” (Is 50,4 e 5). Pedro diz: “Senhor, a quem iríamos nós? Tu tens as palavras da vida eterna.” (Jo 6, 68). Estando Jesus na casa de Marta e Maria, esta senta-se aos pés do Senhor para ouvi-lo falar. Questionado por Marta, Jesus responde: “Marta, Marta, andas muito inquieta e te preocupas com muitas coisas; no entanto, uma só coisa é necessária; Maria escolheu a boa parte, que lhe não será tirada.” (Lc 10, 38-42). Portanto é muito contraditório um discípulo que desconhece o seu mestre, um cristão que desconhece o Cristo! Todo discípulo sabe de onde vem o seu conhecimento e tem a Sagrada Escritura como sustentáculo de sua fé, como diz Paulo a Timóteo: “Tu, porém, permanece firme naquilo que aprendeste e creste. Sabes de quem aprendeste.” (II Tm 3, 14). Amados, somos discípulos de Jesus e Ele nos envia: “Ide por todo mundo e pregai o Evangelho a toda criatura.” (Mc 16,15). E como anunciaremos a Boa Nova a todos os povos se desconhecermos o verdadeiro Evangelho de Cristo, revelado em plenitude pelas Escrituras Sagradas? Não ler a Bíblia é negligenciar a Deus; é construir uma fé sem estruturas, sem fundamento, sem razão. Jesus, o Mestre dos Mestres: impossível conhecê-lo e não amá-lo; amá-lo e não segui-lo. Citações bíblias: Bíblia on-line Ave Maria

"QUANDO REZAMOS, FALAMOS COM DEUS. QUANDO LEMOS A SAGRADA ESCRITURA, DEUS FALA CONOSCO" (Santo Isidoro de Sevilha - Bispo e Doutor da Igreja)

Liturgia - A música na Santa Missa A música na Santa Missa - Por que cantar o Ano Litúrgico? (parte 6)

Texto elaborado com informações de artigos dos sites: www.oficinadamusicacatolica.com www.pastoralis.com.br

7. O Santo É um canto vibrante por sua natureza. Nele, toda a assembléia unida ao coro dos anjos e dos santos, proclama as maravilhas de Deus. Repetindo “Santo” três vezes, os fiéis reconhecem a existência de Deus nas pessoas do Pai, do Filho e do Espírito Santo. É o primeiro por ordem de importância e a grande aclamação da missa. Ele constitui um dos pontos altos da Oração Eucarística, concluindo o Prefácio. Os instrumentos têm fundamental participação neste canto para solenizar esta grande aclamação. O santo aparece na liturgia por fins do século II. O texto é muito antigo e inspira-se em Isaías 6,3, Salmo 117 e Mateus 21,9. Por este motivo nunca se deve substituir o texto original. A música deve ser forte, vibrante e alegre. Recomenda-se que o canto se atenha à própria aclamação, sem se introduzir alterações no texto, mediante paráfrases. Devemos evitar usar como o "Sanctus" músicas como: "Eu celebrarei"; "O Senhor é Santo"; "Santo dos Anjos"; "Santo é o Senhor Javé". Estas músicas podem ser usadas em outros momentos da Santa Missa, mas não como o "Sanctus". 8. Doxologia (o grande Amém) A Oração Eucarística encerra com esta aclamação alegre e vibrante, o grande amém! Por meio dela, os fiéis concordam com toda a prece eucarística e assumem-na. Deverá ser um amém muito solene e pode ser repetido várias vezes. Por ser o Amém mais importante da missa, ele deve ser entoado de forma jubilosa. 9. Canto da Paz O momento do abraço da paz tem sido motivo de dispersão, tumulto e até de discórdia em nossas comunidades. Infelizmente caiu no ridículo da superficialidade. Muitas vezes cumprimentamos este e não aquele. No mais, resumiu a um simples toque nas pontas dos dedos. Este canto é facultativo. Aconselha-se a não abusarmos deste canto, podendo ser reservado para ocasiões especiais (Estudo da CNBB nº 79). O Cordeiro tem sempre a preferência. Porém, seja um canto breve, visto que a Introdução Geral ao Missal Romano prescreve que seja um momento sóbrio. Assim diz: “Convém, no entanto, que cada qual expresse a paz de maneira sóbria apenas aos que lhe estão mais próximo” (cf. IGMR, 82). Convém que, logo que o celebrante voltar para o altar o canto se encerre 10. Cordeiro de Deus - O Papa Sérgio (687-701) introduziu ao rito da fração do pão esse canto para que a assembléia acompanhasse, inspirado nas palavras de São João Batista (Jo 1,29.36). Este canto faz parte integrante do rito, nunca deve faltar. Como foi dito acima, este canto acompanha todo o rito da fração do pão. Quanto ao modo de execução e o ritmo, deve ter um caráter invocativo, de súplica, próprio deste canto. Convém que toda a assembléia cante ou recite o Cordeiro. (Continua na próxima edição)

Seja um Benfeitor Divulgue no Jornal Anunciai

(81) 9141-3741 Claro (81) 8725-1143 Oi (81) 8214-2750 Vivo pascomperpetuosocorro@gmail.com


PARÓQUIA NOSSA SENHORA DO PERPETUO DO SOCORRO - FLORIANO - JABOATÃO DOS GUARARAPES - PE

A África Oriental, especialmente a Somália, precisa de sua ajuda. Colabore: Deposite qualquer quantia nas contas bancárias: Para DOC e TED o CNPJ é: 33.654.419/0001-16 Banco do Brasil Caixa Econômica Federal Banco Bradesco AG. 3475-4 AG. 1041 / OP. 003 AG. 0606-8 C/C 26.116-5 C/C 1751-6 C/C 187587-6

«Estava com fome e destes de comer; estava com sede e me deste de beber!» (Mt 25,35) Objetivo é arrecadar fundos que serão destinados para a compra, principalmente, de alimentos e água potável para milhões de africanos que sofrem com a pior seca dos últimos 60 anos A crise de fome, seca, conflitos e alta dos preços dos alimentos continuam a castigar o Chifre da África (região Nordeste do continente que compreende países como Somália, Uganda, Etiópia, Quênia, Djibuti e Eritréia). A crise na Somália, por exemplo, já matou 30 mil crianças de fome e já é considerada a pior dos últimos 60 anos. A Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) lança uma campanha emergencial no país, sob coordenação da Cáritas Brasileira, para convidar a sociedade brasileira a participar de uma coleta nacional, cujos recursos serão enviados para a Cáritas Internationalis, para o socorro imediato dos atingidos. As doações, em qualquer valor, podem ser feitas nas seguintes contas: Banco do Brasil: AG. 3475-4, C/C 26.116-5 Caixa Econômica Federal: AG. 1041, OP. 003, C/C 1751-6 Banco Bradesco: AG. 0606-8, C/C 187587-6 *para DOC e TED o CNPJ é: 33.654.419/0001-16 Aproximadamente 400 mil crianças somalis podem vir a morrer de fome em breve se nenhuma medida urgente for tomada. As informações são da agência de notícias Associated Press. A falta de ajuda alimentar deixa 3,6 milhões de pessoas sob o risco da fome no sul da Somália. No total, mais de 12 milhões de pessoas estão sentindo os efeitos da estiagem. Os dados são da Organização das Nações Unidas para a Agricultura e Alimentação (FAO) e da Agência da ONU para Refugiados (ACNUR). Além da Cáritas da Somália, da Etiópia e o do Quênia, a Cáritas da Suíça e Luxembrugo prestam ajuda humanitária na região. Muitas Cáritas em diferentes países lançaram campanhas emergenciais. A Cáritas Internationalis em Genebra e em de Nova York estão monitorando de perto a situação e fornecendo informações atualizadas para as agências envolvidas das Nações Unidas (ACNUR, FAO, Fonte: www.caritas.org.br PAM, UNICEF, entre outras).

Formação - Ministros Extraordinários da Palavra e Comunhão 2º Parte - Crescer no fervor eucarístico Nesta edição, damos prosseguimento aos ensinamentos de trechos de documentos do Santo Papa Bento XVI, que estimulam com especial empenho os fiéis a haurir na Eucaristia e na oração o fervor que nos transforma em discípulos santos de Cristo.

A Eucaristia é o segredo do fervor espiritual O segredo desse fervor espiritual é a Eucaristia. Durante este ano, dedicado de modo especial a ela, desejo exortar todos os religiosos e religiosas a instaurar com Cristo uma comunhão cada vez mais íntima mediante a participação diária no Sacramento que O faz presente, no sacrifício que atualiza sua entrega de amor no Gólgota, no banquete que alimenta e sustenta o povo Fonte: www.arautos.org.br de Deus peregrino. A Eucaristia é o manancial inesgotável da fidelidade ao Evangelho, porque nesse Sacramento, coração da vida eclesial, se rea lizam plenamente a íntima identificação e a total configuração com Cristo, às quais são chamados os consagrados e as consagradas. "Aqui se concentram todas as formas de oração, se proclama e acolhe a palavra de Deus, aqui somos interpelados sobre nossa relação com Deus, com os irmãos e com todos os homens: é o Sacramento da filiação, da fraternidade e da missão. A Eucaristia, Sacramento de unidade com Cristo, é ao mesmo tempo Sacramento da unidade eclesial e da unidade da comunidade dos consagrados. É, enfim, a fonte de espiritualidade de cada um e do instituto" (Caminhar a partir de Cristo, 26). Que Maria, Mulher eucarística, ajude a quantos estão chamados a uma intimidade especial com Cristo a participar assiduamente da Santa Missa e lhes obtenha o dom de uma obediência pronta, de uma pobreza fiel e de uma virgindade fecunda; que os converta em discípulos santos de Cristo eucarístico. (Continua na próxima edição) (Mensagem à IX Jornada Mundial da Vida Consagrada, 2/2/2005)

Seja um Benfeitor

Seja um Benfeitor

Divulgue no Jornal Anunciai

Divulgue no Jornal Anunciai

(81) 9141-3741 Claro (81) 8725-1143 Oi (81) 8214-2750 Vivo

(81) 9141-3741 Claro (81) 8725-1143 Oi (81) 8214-2750 Vivo

pascomperpetuosocorro@gmail.com

pascomperpetuosocorro@gmail.com


PARÓQUIA NOSSA SENHORA DO PERPETUO DO SOCORRO - FLORIANO - JABOATÃO DOS GUARARAPES - PE

Jovens em Renovação - JOVEM, VENCESTE O MUNDO! Por Alex Silva - Pastoral da Juventude

JORNADA MUNDIAL DA JUVENTUDE 2011 «Enraizados e edificados em Cristo»

O que é a Jornada Mundial da juventude? A Jornada Mundial da Juventude é a semana de eventos da Igreja Católica para os jovens e com os jovens. Ela reúne milhares de jovens do mundo todo para celebrar e aprender sobre a fé católica e para construir pontes de amizade e esperança entre continentes, povos e culturas. Inspirado por grandes encontros de jovens do mundo em eventos especiais ocorridos no Domingo de Ramos em Roma em 1983 e 1984, o Papa João Paulo II estabeleceu a Jornada Mundial da Juventude como um evento anual e um meio para alcançar a nova geração de católicos e propagar os ensinamentos da Igreja. Neste ano ocorreu, de 16 a 21 de Agosto de 2011 em Madrid, Espanha.

O que acontece durante o encontro? Durante as JMJ acontecem eventos como Catequeses, Adorações, Confissões, Missas, Momentos de Oração, Palestras, Partilhas e Shows. Tudo isso em diversas línguas. Mas todas as atividades com o mesmo objetivo: O ENCONTRO PESSOAL COM DEUS. Em sua última edição, na Alemanha, reuniu cerca de 1 milhão de jovens. Já em 2011, em Madrid reuniu-se cerca 2 milhoes de pessoas. Apesar de ser proposta pela Igreja Católica, é um convite a todos os jovens do mundo. O Beato João Paulo II ensinava que: “A esperança de um mundo melhor está numa juventude sadia, com valores, responsável e, acima de tudo, voltada para Deus e para o próximo."

A voz de Cristo é a única que não passa, reforça Bento XVI Muito feliz, o Santo Padre saudou os jovens em diversos idiomas. Em português, Bento XVI convidou os jovens a “subir até à fonte eterna da vossa juventude e conhecer o protagonista absoluto desta Jornada Mundial e da vossa vida: Cristo Senhor”. O Papa aconselhou os jovens a ouvir a Palavra de Deus e fazê-la ressoar, deixando que esta Palavra penetre e crie raízes nos corações. “Firmes na fé, sereis um elo na grande cadeia dos fiéis. Não se pode crer sem ser amparado pela fé dos outros, e pela minha fé contribuo também para amparar os outros na fé. A Igreja precisa de vós, e vós precisais da Igreja”, enfatizou o Papa aos jovens de língua portuguesa. O ÚNICO CAMINHO - “Queridos jovens, escutai verdadeiramente as palavras do Senhor, para que sejam em vós “espírito e vida” (Jo 6, 63), raízes que alimentam o vosso ser, linhas de conduta que nos assemelham à pessoa de Cristo, sendo pobres de espírito, famintos de justiça, misericordiosos, puros de coração, amantes da paz. Escutai-as freqüentemente cada dia, como se faz com o único Amigo que não engana e com o qual queremos partilhar o caminho da vida”, reforçou o Papa. “Fazei-a crescer com a graça divina, generosamente e sem mediocridade, propondovos seriamente a meta da santidade. E, perante as nossas fraquezas, que às vezes nos oprimem contamos também com a misericórdia do Senhor, sempre disposto a dar-nos de novo a mão e que nos oferece o perdão no sacramento da Penitência”, disse o Papa.

JMJ RIO 2013 Ao concluir a Missa de envio no aeródromo de Quatro Ventos em Madrid (Espanha), o Papa Bento XVI anunciou que a seguinte Jornada Mundial da Juventude será na cidade do Rio de Janeiro no Brasil. O tema da “Ide e façais discípulos em todas as nações!”, uma referência ao Evangelho de Mateus (28,19). Já para a Jornada diocesana do próximo ano, o Pontífice deu como tema uma passagem da Carta aos Filipenses: “Alegrai-vos sempre no Senhor!” (4,4) O anúncio fez saltar de alegria todos os brasileiros presentes assim como muitos dos latino-americanos reunidos para esta JMJ Madrid 2011. Ao fazer o esperado anúncio, o Santo Padre disse: "Agradame anunciar agora que a sede da próxima Jornada Mundial da Juventude, em 2013, será o Rio do Janeiro", logo depois do qual teve que fazer uma pausa pela euforia vivida após estas palavras. Em declarações ao grupo ACI em Quatro Ventos, o jovem brasileiro Felipe Vilvert do Paraná, comentou que "estamos muito felizes porque o Papa anunciou isto. Isto é mais importante que a Copa doMundo, o Rock'n Rio ou as Olimpíadas. Assim que os brasileiros estão todos muito, muito felizes hoje".

QUAIS SÃO SEUS ALICERCES? Ao edificar-se sobre a rocha firme, a vida será não só segura e estável, o que se refletirá por toda a humanidade. O Santo Padre destacou que muitas pessoas vêem suas vidas desmoronarem porque se baseavam em alicerces inconsistentes, pessoas que se contentam em seguir correntes da moda, se refugiando no interesse imediato, esquecendo a justiça verdadeira, ou se refugiam em opiniões pessoais em vez de procurar a verdade sem adjetivos. Bento XVI reforça que é importante não sucumbir a elas, porque na realidade conduzem a algo tão fútil como uma existência sem horizontes, uma liberdade sem Deus.

Bento XVI animou logo os presentes a pedirem ao Senhor "desde este instante que assista com sua força a quantos deverão pô-la em marcha e aplaine o caminho para os jovens de todo o mundo para que possam reunir-se novamente com o Papa nessa bela cidade brasileira".

PRUDÊNCIA E SABEDORIA - Ser prudente e sábio, edificando a vida sobre o alicerce firme que é Cristo: este é o grande conselho do Papa. Somente esta sabedoria e prudência assegurará a força para seguir a diante sem medo que forma a reinar a paz. O Santo Padre confiou os frutos desta Jornada Mundial da Juventude à Virgem Maria e disse que sempre tem os jovens em suas orações. "Sempre vos tenho muito presente e rezo por vós. Deus concedeu-me a graça de vos poder ver e vos ouvir mais de perto, e de nos colocarmos juntos à escuta da sua Palavra”, salientou Bento XVI.

Antes de saudar em outros idiomas, o Papa disse: "Antes de nos despedirmos e depois que os jovens da Espanha entreguem aos do Brasil a Cruz das Jornadas Mundiais da Juventude, como Sucessor de Pedro confio todos os aqui presentes esta grande tarefa: levem o conhecimento e o amor de Cristo por todo mundo". "Ele quer que sejam apóstolos no século XXI e mensageiros de sua alegria. Não o decepcionem!", exortou.

Fonte: Canção Nova Notícias

Fonte: ACI Digital Notícias


PARÓQUIA NOSSA SENHORA DO PERPETUO DO SOCORRO - FLORIANO - JABOATÃO DOS GUARARAPES - PE

A oração e a Catequese

Catequese Paroquial

Por Alberto Meneguzzi* (Jornalista e relações públicas formado pela Univ. de Caxias do Sul (UCS), radialista e catequista de crisma em Caxias do Sul/RS

A oração é um momento especial na catequese, mas precisa antes de tudo, ser um instante de reflexão, encontro pessoal e de seriedade. O catequista tem a função de ser um mediador nesta descoberta. Explico: um mediador porque se supõem que na família de cada um, a oração esteja sendo praticada e exercitada. Mas, como na prática nem sempre isso acontece de “mediador” muitos catequistas passam a ser “iniciadores” da oração para muitos jovens e crianças. Por esta razão, para uma tarefa tão importante, é preciso achar a fórmula ideal, a técnica adequada para convencer. E não é tão complexo assim fazer com que crianças e jovens orem, não somente na catequese, mas coloquem a oração como parte de suas vidas. O catequista tem a função de esclarecer aos seus catequizandos e aos pais deles, que ao rezar, não estarão cumprindo apenas uma tarefa exigida pelo catequista ou pela Igreja, mas sim, para as suas vidas. Neste contexto, a oração inicia bem antes e ela já fica demonstrada na maneira como os jovens e as crianças são acolhidas ao chegarem ao encontro. Um sorriso, um aperto de mão, um abraço, um “seja bemvindo” já são trechos de uma linda oração. Acolher também é orar. Quando o catequista acolhe, olha nos olhos, conversa informalmente, dá a mão, abraça com carinho, a oração já está em pleno andamento. A catequese precisa resgatar estes pequenos, mas importantes valores. Em muitas turmas de catequese, a oração sempre ocorre numa sala fechada, no início do encontro, de forma solene e automática. Em muitos casos, o catequista é quem manda e reza. Os demais apenas obedecem. A oração, nestes moldes, não se torna algo compartilhada, dividida e espontânea. Assim, um momento que poderia ser rico em reflexões, passa a ser dividido com “risadinhas” fora de hora e com brincadeiras que tiram o seu verdadeiro objetivo. Rezar apenas para dizer que rezou, não tem validade e se torna apenas uma tarefa executada sem atingir o coração. Oração na catequese não é tarefa que precisamos pedir como tema de casa. Oração na catequese não é algo imposto pelo catequista na base do autoritarismo. Oração na catequese não tem uma hora exata para acontecer. O encontro de catequese em si, já é uma oração e deve acontecer de forma natural, gradual e sistemática, sem atropelos e imposições. Apresento abaixo, alguns passos importantes que podem servir para fazermos da oração um momento especial na catequese: Apresento abaixo, alguns passos importantes que podem servir para fazermos da oração um momento especial na catequese 1) A leitura bíblica é um momento de oração. Faça deste instante, de contato com a Palavra de Deus, algo permanente nos seus encontros. A leitura orante é um momento enriquecedor; 2) Tire seus catequizandos da sala onde se realizam os encontros semanais, pelo menos por breves instantes. Vá até a igreja com eles e circule pelo templo; 3) Leve-os até o sacrário e explique como é importante aquele lugar; 4) Destaque a necessidade que todos têm de oração. Aproveite a ida a Igreja e esclareça o porquê de alguns gestos e ritos, como o sinal da cruz e a genuflexão; 5) Ensine-os a rezar. Diga a eles que devem pedir, mas também agradecer. 6) Deixe que eles se espalhem pela igreja e rezem, de forma individual. Reze também você com eles. A oração feita assim torna este momento mais solene, cheio de vida. 7) Faça com que seus catequizandos, se cumprimentem ao chegar e se despeçam ao sair. Instrua-os a praticarem os pequenos gestos. Um aperto de mão, um abraço, demonstra o carinho e a educação que devem ter no trato uns com os outros. 8) Não fuja do contato com os pais. Procure-os e ao conversar com eles, coloque a eles a importância de também rezarem em casa. 9) Não são só os outros que precisam rezar. O catequista também precisa, e muito, encontrar momentos para a oração. Isso significa o fortalecimento da sua fé e do seu entusiasmo pela missão que lhe foi confiada. Sem oração, a catequese se torna incompleta, sem rumo e sem objetivo concreto. LOUVADO SEJA NOSSO DEUS AMADO! Fonte: Blog da Comissão Episcopal Pastoral para Animação Bíblico Catequética da CNBB.

Conhecendo a nossa Paróquia

A

Sociedade de São Vicente de Paulo (Vicentinos)

Sociedade de São Vicente de Paulo (SSVP) conhecida como Vicentinos, é um movimento católico e internacional, fundado em Paris em 1833 pelo Beato Antônio Frederico Ozanam e seus companheiros. Esta sociedade se inspira no pensamento de São Vicente que prega a justiça e a caridade. É aberta a quem desejar viver fé, no amor e no serviço a seus irmãos mais carentes. A SSVP ajuda a comunidade de várias formas que é por contato pessoal, no sentido de aliviar o sofrimento e promover a dignidade e a integridade do homem. A sociedade não se limita a aliviar a miséria, mas também descobrir e remediar as situações que a geram. A ajuda chega a quem necessite, independentemente de raça, cor, nacionalidade, credo político ou religioso e posição social. Os vicentinos, são unidos entre si pelo Espírito de Pobreza e de Partilha. Formam, no mundo inteiro, com aqueles a quem prestam auxílio, uma só família, buscando contato com todos os demais movimentos e organizações inspiradas em São Vicente de Paulo. Os vicentinos procuram, pela oração, pela meditação da Sagrada Escritura e pela fidelidade aos ensinamentos da Igreja, ser Testemunhas do Amor a Cristo, em suas relações com os mais desprovidos, bem como, nos diversos aspectos da vida. É por meio das reuniões semanais dos grupos (chamados de São Vicente servindo aos Pobres conferências) que os voluntários planejam o atendimento as famílias necessitadas e dividem a equipe para a realização de visitas aos assistidos. Uma forma de estar mais próximo dos pobres, e propor novas soluções para amenizar as desigualdades sociais. Atualmente a SSVP está presente em 135 países, com um número aproximado de 500 mil membros. O Brasil é o maior país vicentino do mundo com 20 mil conferências e 250 mil membros. A Conferência São José, no Rio de Janeiro foi a primeira no Brasil, fundada no ano de 1872. Em nossa paróquia, a Conferência Santo Inácio de Loyola, fundada em 03/09/1950, conta com 10 membros e atende 05 famílias assistidas, além de socorrer várias famílias tanto materialmente como espiritualmente. Se houver interesse de algum paroquiano em participar das reuniões, você poderá procurar qualquer vicentino e freqüentar com os demais a uma visita os assistidos da conferência, ou pode ajudar sendo um Benfeitor que é outra forma de estar ajudando o Próprio Cristo na pessoa dos nossos irmãos carentes. Daí então descobrirá O QUE SEDUZ centenas de milhares de cristãos no Brasil e no mundo que participam da Sociedade de São Vicente de Paulo. Faça-nos uma visita ficaremos felizes em recebê-los. Reuniões todo sábado às 19h30h na Igreja Matriz. LOUVADO SEJA NOSSO SENHOR JESUS CRISTO!


PARÓQUIA NOSSA SENHORA DO PERPETUO DO SOCORRO - FLORIANO - JABOATÃO DOS GUARARAPES - PE

São Vicente de Paulo - Presbítero e Confessor "Não sei quem mais carente: Se o pobre que pede pão ou o rico que pede amor" (São Vicente de Paulo)

V

icente de Paulo foi, realmente, uma figura extraordinária para a humanidade. Pertencia a uma família pobre, de cristãos dignos e fervorosos. Nasceu em Pouy, sul da França, no dia 24 de abril de 1581. Na infância, foi um simples guardador de porcos, o que não o impediu de ter uma brilhante ascensão na alta Corte da sociedade de sua época. Desde cedo destacou-se pela notável inteligência e devoção. Aos 19 anos, foi ordenado padre e, antes de ser capelão da rainha Margarida de Valois, ficou preso como escravo durante 2 anos nas mãos dos muçulmanos. O mais curioso é que acabou sendo libertado pelo seu próprio "dono", que, ao longo desse período, Vicente conseguiu converter ao Catolicismo. Todos o admiravam e respeitavam: do Cardeal Richelieu à rainha Ana da Áustria, além do próprio rei Luís XIII, que fez questão absoluta de que Vicente de Paulo estivesse presente no seu leito de morte. Mas quem mais era merecedor da piedade e atenção de Vicente de Paulo eram mesmo os pobres, os menos favorecidos, que sofriam as agruras da miséria. Vicente de Paulo organizou, em São Lázaro, uma mesa popular para servir, diariamente, refeições a 2 mil pessoas famintas. Apesar de ter sempre pouco tempo para os livros, tinha-o muito quando era para tratar e dar alívio espiritual. Quando convenceu o regente francês de que o povo sofria por falta de solidariedade e de pessoas caridosas para estenderemlhe as mãos, o rei, imediatamente, nomeou-o para ser o ministro da Caridade. Com isso, organizou um trabalho de assistência aos pobres em escala nacional. Fundou e organizou 4 instituições voltadas para a caridade: a "Confraria das Damas da Caridade", os "Servos dos Pobres", a "Congregação dos Padres da Missão ou Lazaristas" em 1625, e, principalmente, a “Companhia das Filhas da Caridade", em 1633. Este homem prático, firme, dotado de senso de humor, esperto como um camponês, e sobretudo realista, que dizia aos sacerdotes de São Lazaro: "Amemos Deus, irmãos meus, mas o amemos às nossas custas, com a fadiga dos nossos braços, com o suor do nosso rosto". São Vicente alcançou a idade de 85 anos. Embora bastante enfraquecido e alquebrado, levantava-se às 4 horas, celebrava a Missa e dedicava 3 horas à oração. Morreu em Paris no dia 27 de setembro de 1660. Foi canonizado em 1737 pelo Papa Clemente XII e em 1885 foi declarado, pelo Papa Leão XIII, patrono de todas as obras de caridade da Igreja Católica. São Vicente de Paulo é festejado no dia de sua morte, pelos seus filhos e suas filhas espalhados pelo mundo. E por toda a sociedade leiga cristã engajada em cuidar para que seu carisma permaneça, pela ação de suas fundações, que florescem, ainda, nos nossos dias, sempre a serviço dos mais necessitados, doentes e marginalizados.

Fábula da Convivência Colaboração: Maria do Carmo Couto

D

urante uma era glacial remota, quando parte do globo terrestre se achava por densas camadas de gelo, muitos animais não resistiram ao frio intenso e morreram indefesos por não se adaptarem as condições do clima hostil. Foi então que uma grande manada de porcos-espinhos, numa tentativa de se proteger e sobreviver, começou a se unir, a juntarem-se mais a mais. Bem próximos uns dos outros, cada qual podia sentir o calor do corpo do outro. E assim bem juntos, bem unidos, agasalhavam-se mutuamente. Assim aquecidos, conseguiram enfrentar por mais tempo aquele inverno terrível. Vida ingrata, porém... Os espinhos de cada um começou a incomodar, a ferir os companheiros mais próximos, justamente aqueles que lhes forneciam mais calor, aquele calor vital, questão de vida ou morte. Feridos, magoados, sofridos e decepcionados, começaram a afastar-se. Por não suportarem mais os espinhos dos seus semelhantes, eles se dispersaram. Novo problema: afastados, separados, começaram a morrer congelados. Os que sobreviveram ao frio voltaram a se aproximar pouco a pouco. Unidos novamente, mas cada um conservando certa distancia do outro. Distancia mínima, mas suficiente para conviver sem magoar, sem causar danos recíprocos. Assim agindo, eles resistiram à longa era global. Apesar do frio e dos problemas conseguiram sobreviver. MORAL DA HISTÓRIA Todos temos defeitos, limitações. Você consegue conviver com seus defeitos e os defeitos do seu próximo mais próximo, em casa, em seu trabalho, em sua família, na sua igreja e principalmente em você meu irmão. LOUVADO SEJA NOSSO SENHOR JESUS CRISTO

Com o Padre

Reginaldo Manzotti De 2º a Sábado das 10 às 11h Na Rádio Recife FM - 97.5

SÃO VICENTE DE PAULO, ROGAI POR NÓS.

Seja um Benfeitor Divulgue no Jornal Anunciai

(81) 9141-3741 Claro (81) 8725-1143 Oi (81) 8214-2750 Vivo pascomperpetuosocorro@gmail.com

evangelizar é preciso


PARÓQUIA NOSSA SENHORA DO PERPETUO DO SOCORRO - FLORIANO - JABOATÃO DOS GUARARAPES - PE

Estudando a nossa Fé

Por que não sou espírita? Fonte: Escola Mater Ecclesiae

Chegamos a última parte de nosso “Por que não sou espírita?” E já que estamos no mês da Bíblia, pegue a sua, e leiamos ao artigo. 3. A BÍBLIA REJEITA Para quem é cristão, o texto bíblico tem valor de guia fundamental. Ora, a Bíblia condena eloqüentemente a evocação dos mortos:

a) Lv 19,31: “Não vos dirijais aos espíritas nem aos adivinhos: não os consulteis, para que não sejais contaminados por eles. Eu sou o Senhor, vosso Deus”. b) Lv 20,6: “Se alguém se dirigir aos espíritas ou aos adivinhos para fornicar com eles, voltarei meu rosto contra esse homem e o cortarei do meio de seu povo”. c) Lv 20,27: “Qualquer homem ou mulher que evocar os espíritos ou fizer adivinhações, será morto. Serão apedrejados, e levarão sua culpa”. d) Dt 18,10-14: “Não se ache no meio de ti quem faça passar pelo fogo seu filho ou sua filha, nem quem se dê à adivinhação, à astrologia, aos agouros, ao feiticismo, à magia, ao espiritismo, à adivinhação ou à invocação dos mortos, porque o Senhor, teu Deus, abomina aqueles que se dão a essas práticas, e é por causa dessas abominações que o Senhor, teu Deus, expulsa diante de ti essas nações. Serás inteiramente do Senhor, teu Deus. As nações que vais despojar ouvem os agoureiros e os adivinhos; a ti, porém, o Senhor, teu Deus, não o permite”. c) Ver ainda 2Rs 17,17; Is 8, 19s. A proibição se deve não à suposição de que os mortos sejam incomodados pelos vivos, mas ao fato de que não há receita que garanta a comunicação entre vivos e mortos. A necromancia é superstição. A oração que os cristãos dirigem aos Santos, não se baseia em fórmulas ou receitas mágicas, mas unicamente na convicção de que Deus quer conservar a comunhão entre os membros do Corpo Místico de Cristo; por isto Ele faz que os justos no céu tomem conhecimento das preces despretensiosas que lhes dirigimos na Terra e, em conseqüência, intercedam por nós. Quanto ao caso de Saul, que evocou Samuel mediante a pitonisa de Endor e foi atendido (cf. 1Sm 28,515), não é paradigma, pois diz a própria Bíblia que Saul foi condenado por causa disso (cf. 1Cr 10,3). Deus permitiu que Saul recebesse de Samuel, naquele momento, a advertência de que estava no fim sua vida terrestre e no dia seguinte ia morrer, foi por causa da importância solene daquela hora que Deus permitiu a resposta de Samuel; ela não foi provocada pela arte da adivinha; esta apenas forneceu a ocasião ou as circunstâncias da manifestação de Samuel. 4. CONCLUSÃO Eis por que não sou, nem posso ser, espírita. Religião não é apenas emoção e sentimento, mas é culto a Deus e serviço aos homens, sempre iluminado pelas luzes da razão e da fé na Palavra de Deus, O que muito atrai as pessoas ao Espiritismo, é a capacidade que este tem de suscitar afetos e emoções diversas, muitas vezes desligadas de senso lógico e espírito crítico. Ora, quem permite que os sentimentos preponderem sobre o raciocínio, arrisca-se a cometer graves erros doutrinários e prejudicar sua saúde psíquica… principalmente quando se trata de religião, que é um dos fatores mais aptos a impressionar o ser humano. SALVE MARIA! Envie suas perguntas para: Pe Edmilson... A sua benção! A pergunta é sobre Adoração. "O que pode e o que não pode ser adorado" ?

peedmilson@bol.com.br

Caríssimo Internauta! A palavra "adoração" é usada para indicar o culto a Deus, como "Senhor de todas as coisas, princípio e fim de todas as criaturas". Portanto, não se deve adorar as criaturas, porque elas não são a divindade. São, antes, obra de Deus! A Igreja Católica cultua pessoas e outras realidades santas pelo fato de refletirem, como um espelho, a santidade de Deus. A Igreja Católica usa a palavra "veneração" para designar o culto aos santos. É fácil fazer a distinção. Para certos protestantes, a palavra culto sempre indica adoração, quando, na verdade, indica homenagem. Lembre-se de que, por exemplo, no dia 21 de abril, homenageamos (cultuamos) Tiradentes como herói nacional (não como Deus!). Sendo assim, a palavra culto pode indicar adoração a Deus e pode indicar veneração aos santos - Depende de quem estamos homenageando. Não é pelo simples fato do cristão se prostrar ou se ajoelhar diante de algo que obrigatoriamente está realizando uma adoração! Em 1Rs 1,15-16 a rainha Betsabé se prostra diante do Rei Davi apenas como respeito à sua majestade, não como gesto de adoração! Em At 10,25 o Apóstolo Pedro recusou a prostração de Cornélio porque viu aí um ato de adoração, caso contrário teria aceito esta homenagem... O mesmo se diga de Ap 22,8-9: se o Apóstolo João tivesse se prostrado apenas para venerar o Anjo, não teria sido repreendido por ele. Em Is 46,6-7 Deus condena que leva estátuas num andor enquanto gesto de adoração, pois em Js 6,6-13 os sacerdotes israelitas transportaram, como num andor, a Arca da Aliança enfeitada com duas imagens de Anjos-querubins (durante o "Cerco de Jericó), mas não foram censurados porque não estavam fazendo isso como adoração! Como você pode ver, nossa fé e nossa prática são baseadas na Bíblia. É verdade que há católicos agindo errado, mas nossa atitude não devia ser a de condenar a Igreja Católica inteira, como tantos fazem, mas de fazer nossa parte corrigindo os erros e evangelizando. Fique à vontade para escrever. Deus te abençoe! Pe Edmilson Lopes

Seja um Benfeitor Divulgue no Jornal Anunciai

(81) 9141-3741 Claro (81) 8725-1143 Oi (81) 8214-2750 Vivo pascomperpetuosocorro@gmail.com


Aconteceu

TRÍDUO DE SANTA ROSA DE LIMA

Vai acontecer 15º Festa de Nsra do Perpétuo Socorro

Festa de São Benedito

Tríduo da Comunidade NSra das Dores A Virgem Maria é Aurora De 14 a 17 de Setembro Engenho Velho - Jaboatão

De 26 de Setembro a 04 de Outubro São Francisco orai por este povo e fazei-nos Missionários

De 01 a 05 de Outubro Santo Terço às 18h30 Celebrações às 19h00 Comunidade Deus Conosco

5º Encontro de Casais com Cristo

Dia 29/09/2011 Horário: às 18h30 Saída da Residência do Casal Amélia e Sr Ferreira Rua Sândalo 562 (Depois do Campo de Fagundes)

ro

de Casa is Cristo

Dias 28,29 e 30 de Outubro Local: Vila da Medalha Milagrosa Inscrições gratuitas PARTICIPEM

nt

m co

Procissão de São Miguel Arcanjo

ECC - En co

do Cristão Vitorioso 06 à 16 de Outubro

Festa de São Francisco de Assis

Passeio das Famílias Para a Ilha de Itamaracá

5 Anos do Grupo Tríduo em Honra Dia 02 de Outubro de 2011 Jovem Seguidores a São Vicente de Neste dia participaremos da Santa Missa na Paróquia de Nossa Senhora do Pilar. Ao final da Santa Missa teremos Paulo de Cristo um delicioso Café da Manhã De 25 a 27 de Setembro Santo Terço às 18h30 Celebração às 19h00 Horário: 13h00 às 17h00 No último dia Procissão Louvor, Pregação para a saindo da Casa de Honra e Glória de Deus Damiana (Moça) Encerramento com a em destino a Matriz Santa Missa na Matriz Paroquial

Dia 18/09/2011

Valor da Inscrição: R$ 10,00 Contato para as Inscrições: Vânia e Edinho: Jafete e Luciene: Léo e Dayse: Fone: Gomes e Maria José:

3252.4466 3254.0752 / 9249.1283 / 9184.4151 8765.2198 / 8606.4692 3254.4749

BOLETIM PAROQUIAL - Publicação da Paróquia Nossa Senhora do Perpétuo Socorro Diretor Administrativo

Imagens e Fotos

Impressão Gráfica

Diagramação e Digitação

Pe Edmilson de Lima Lopes

Parisio Bartolomeu

Rivaldo Serviços Gráficos

Patricia Freitas

Membros da PASCOM Fábio Couto, Givanildo Martins, Mª do Carmo, Tertuliano Couto, Sebastião Lopes, Patricia Freitas, Parisio Bartolomeu

Tiragem 1000 Exemplares

E-mail: pascomperpetuosocorro@gmail.com

Jornal Anunciai Setembro 2011  

Edição de Setembro