Issuu on Google+

Ano 1 - Nº 06

PARÓQUIA NOSSA SENHORA DO PERPÉTUO SOCORRO

AGOSTO MÊS DAS VOCAÇÕES

Agosto - 2011

"Não fostes vós que me escolhestes; fui eu que vos escolhi’’ (Jo 15,16)

Entrevista ao Futuro Diácono Permanente Antônio Sebastião

Por - Sergio Souza nehmiah@hotmail.com

“Eles vão fazer parte do presbitério e, através do diaconato, vão poder colaborar mais concretamente nas paróquias, assumindo comunidades, poderão pregar oficialmente, batizar as pessoas, abençoar matrimônios, de modo que vão poder fazer muita coisa pela pastoral e ajudar concretamente com a caminhada da Igreja” Dom Fernando Saburido - Arcebispo Metropolitano de Olinda e Recife

N

a solenidade de Corpus Christi, em 26/06/2011, a Arquidiocese de Olinda e Recife na pessoa de seu Arcebispo, Dom Fernando Saburido, presidente da celebração eucarística no qual foram recebidos nos Ministérios Sagrados do Leitorado e Acolitado, mais 11 canditados para o diáconato permanente que, com a permissão de suas respectivas esposas, almejam participar oficialmente no auxílio do Culto Divino. Entre esses candidatos está Antônio Sebastião que desde 2009 desenvolve trabalhos pastorais na Paróquia de Socorro. Em uma entrevista para o Jornal Anunciai, o futuro Diácono Permanente fala sobre sua alegria, suas expectativas, planos e projetos relacionados a esse novo trabalho ministerial. 1- Para que o leitor o conheça melhor, quem é Antonio Sebastião, futuro Diácono Permanente da Arquidiocese Sou Antonio Sebastião de Oliveira, natural de Vitória de Santo Antão- PE. Tenho 40 anos. Sou casado com Maria Hermínia Martins. Tenho um casal de filhos: Luísa Amanda, 17 anos de idade e Gabriel, de 9 anos de idade. Moro no bairro de Estância, Recife/PE. Sou licenciado em História pela Universidade Católica de Pernambuco. Leciono a disciplina de Ensino Religioso no Colégio São Luís – Marista. Trabalho ainda com dependentes químicos no Centro de Apoio Psicossocial ao Usuário de Álcool, Fumo e outras Drogas - CAPs- ad ( Secretaria Municipal de Saúde Recife-PE), que se situa no bairro da Imbiribeira. 2- Como e quando o senhor sentiu sua vocação? Desde criança fui apaixonado pelas coisas da Igreja. Sentia-me atraído pela Santa Missa. Um ano depois do meu nascimento os meus pais se mudaram para o bairro de Dois Carneiros. Os meus avós maternos já moravam lá. Eles tinham uma vida profundamente religiosa e dedicada a igreja. Eles rezavam o terço em casa frente ao oratório (que aos poucos foi dando lugar a televisão), coisa que minha mãe também fazia. Todos os dias rezávamos o terço em família. Foi marcado por esse ambiente que fui crescendo em mim um forte desejo de servir a Deus e a sua Igreja. Pensei até no sacerdócio, porém vi que Deus me chamava para outras responsabilidades. Então, casei, dou graças a Deus por isso. Depois, nos anos 90, descobri o Diaconato Permanente, que em nossa Igreja pode ser exercido por homens casados. Aos poucos fui participando dos encontros regionais e depois dos encontros diocesanos. 3- O senhor continuará auxiliando pastoralmente a nossa Paróquia ou a Arquidiocese tem outros planos para o senhor? No final do ano de 2009 de fui convidado pelo padre Edmilson para um trabalho na Paróquia de Socorro (Comunidade de Jardim Quitandinha), que com muita alegria aceitei, mas sabemos que todo ordenado fica a disposição do seu bispo para ser enviado a qualquer missão. 4- O que aprendeu e que realizações apontaria, como principais na sua passagem na Paróquia de Nossa Senhora do Perpétuo Na verdade não deixo nenhuma realização, mas creio que alguma contribuição. Na verdade cheguei em Socorro no início do ano passado, e cheguei como um aprendiz, como um observador , isso por respeito a história da paróquia, por respeito ao padre e a todas as pessoas. Um discípulo/ missionário não pode impor nada, mas pode propor a partir do que ele observou à Luz do Evangelho de Jesus Cristo e da Doutrina da Santa Igreja e ainda, em plena comunhão com o seu padre. Em Quitandinha a comunidade deu passos importantes no sentido de começar a olhar e de refletir sua caminhada interna. 5- Que boas recordações levará da Paróquia de Socorro e do trabalho missionário? As recordações são muitas. Primeiro o acolhimento do padre e das pessoas, a confiança, a organização da Sagrada Liturgia, a organização da PASCOM da paróquia, o zelo do Padre Edmilson pela catequese, o trabalho assistencial dos vicentinos e sem dúvidas as procissões animadas e a religiosidade das pessoas. 6- Que desafios o senhor vislumbra na sua missão em Socorro ou na Arquidiocese?" Sempre conversei com o padre Edmilson sobre alguns desafios, isso com muito respeito e por lealdade. Creio que o maior desafio da paróquia de Socorro é o de articular as comunidades num sentido delas terem vidas próprias, ou seja, terem maior “autonomia”, dinamismo, mais movimentação com relação à comunidade central (igreja matriz). Pois é na comunidade que a vida acontece. Outro desafio, que não é exclusivo de Socorro, mas de toda a Igreja, é de ser uma Igreja mais Missionária. 7- Quando e como será a ordenação diaconal? Seremos onze ordenados, e a nossa ordenação será o dia 20 de agosto (Solenidade da Assunção da Mãe do Senhor - sábado) do corrente ano, às 16h00 no Santuário Nossa Senhora de Fátima – Colégio Nóbrega. A Nesse dia também celebraremos onze anos de Episcopado de Dom Fernando Saburido e dois anos que ele está a frente de nossa Arquidiocese. No domingo 21 de agosto estarei servindo ao altar do Senhor pela primeira vez como diácono nas três missas da igreja matriz. Todos vocês são nosso (a)s convidado (a)s. 8- Que mensagem o senhor deixa aos Paroquianos de Socorro? A minha mensagem é de louvor ao Deus Uno e Trino, o Deus Comunhão. É de gratidão por tudo o quanto Ele fez por mim. Pela mina vida, pela minha vocação, pela minha família e pela nossa Igreja. Quero me colocar a disposição de todos vocês como aquele que serve, a exemplo do Cristo que veio para servir e não para ser servido. «LOUVADO SEJA NOSSO SENHOR JESUS CRISTO E A MÃE DE DEUS MARIA SANTÍSSIMA»


PARÓQUIA NOSSA SENHORA DO PERPETUO DO SOCORRO - FLORIANO - JABOATÃO DOS GUARARAPES - PE Se queres ser perfeito... Vem e segue-me!" (Mt 19,21)

Editorial Por Wemérson Omena

Eis que venho fazer, Deus... A Tua vontade

Honrar ao Filho de Maria! Em primeiro lugar quero saudar com bastante fraternidade a todos os leitores, que com disposição e atenção estão sempre lendo e refletindo o conteúdo deste jornal. Quero também acolher com carinho a todos que pela primeira vez, estão recebendo em suas mãos esta edição do Jornal Anunciai- Agosto/2011. Amados, o que verdadeiramente nos chama, a darmos a atenção a este texto? Partimos de uma palavra que se faz presente na própria estrutura da pergunta, “CHAMAR, CHAMADO, CONVIDADO”. Ora meus irmãos, todos nós nos sentimos atraídos para vivermos uma realidade ou um projeto de uma realidade vindoura (Cf Lc 6,12-19; Mc 3, 13-19; Mt 10, 1-4; At 1, 15-26). Ora meus irmãos, todos nós nos sentimos atraídos para vivermos uma realidade ou um projeto de uma realidade vindoura (Cf Lc 6,12-19; Mc 3, 13-19; Mt 10, 1-4; At 1, 15-26). Fique claro, que a nossa reposta pode ser positiva (Lc 1,46) ou negativa (Jn 1,3). Afinal o próprio Deus nos dá este direito de escolha, e seja ainda feita as devidas reflexões sobre a veracidade do convite. Para que não vistamos uma roupa que não nos cabe (falsas vocações, falsos profetas – At 19,13; Rm 12,1-2; ICor 1, 10-16). E que essa reflexão seja feita de maneira particular, e intimamente particular. Partindo em totalidade para o aspecto cristão, vemos o quanto seria bom que toda a vocação não só como essência, mas também com a vivência tivesse todo o seu sentido voltado para Cristo. Esta vocação que vem do próprio Cristo, que também nos convoca e nos envia em missão (Mt 28,19; Mc 16, 15-20). É importante que nos lembremos de que existe uma grande diversidades de vocações e de dons (Rm 12, 3-8). Uns são chamados a vida matrimonial, outros a vida religiosa, a vida consagrada e etc. Onde é de suma importância destacar que somos aptos a qualquer de uma dessas vocações, porém a escolha de uma delas interfere de maneira óbvia na outra. “Ninguém pode realizar simultaneamente todas as vocações”, no ensina Dom José Cardoso Sobrinho (Arcebispo Emérito de Olinda e Recife). Escolher a Cristo é renunciar nosso homem velho e revestirmos do homem novo criado a imagem de Deus (Ef 4, 22-24). Por fim lembramos que o mês de agosto é voltado para as vocações leigas e especificamente as vocações religiosas e sacerdotais. E que todos nós somos como igreja, convocados a orarmos juntos pelos vocacionados, seminaristas, religiosas e sacerdotes. Assim como as primeiras comunidades cristã (At 4,32), também devemos ser adeptos a oração pelos pastores da Santa Igreja. Visando o futuro da mesma! Toda a glória ao Pai se oferte. Toda a glória ao Filho seja dada. Toda a glória ao Paracleto cante sempre toda a Santa Igreja!

J H S

Liturgia - A música na Santa Missa A música na Santa Missa - Por que cantar o Ano Litúrgico? (Parte 5) 5. Canto de Aclamação ao Evangelho Algumas partes da Missa contém fórmulas, ou seja, regras nas quais não podemos abrir mão. Deste modo a aclamação constitui um rito ou um ato com valor por si próprio. É um canto de preparação ao Evangelho, e deve criar um clima de expectativa, de prontidão, pois o Senhor vai nos falar. É um canto vibrante e alegre, pelo qual a assembléia dos fiéis acolhe e saúda o Senhor, que lhe vai falar no Evangelho, e professa a sua fé por meio do canto. Este canto é uma aclamação pascal ao Verbo de Deus, um viva. Neste canto nunca deve faltar o Aleluia, exceto no tempo da Quaresma. Aleluia em hebraico significa: “Louvai ao Senhor”, “Deus seja louvado”. É cantado por todos, de pé, iniciado pelo cantor, e pode-se repetir, se for conveniente, mas a estrofe é cantada pelo solista. Os versículos tomam-se do Lecionário ou do Gradual. O canto poderá ser repetido após a proclamação do Evangelho. Ao contrário do salmo este canto permite uma participação mais vibrante dos instrumentos. Alguns erros comuns são cantos utilizados no momento da aclamação onde na verdade não seriam apropriados: Palmas pra Jesus; Como são belos; Escuta Israel. E um detalhe: não basta conter a palavra “Aleluia” e achar que está tudo certo. Afinal, há muitas músicas que contém esta palavra e não têm nada a ver com liturgia. Precisamos pensar no todo, no contexto. Cantos demasiadamente longos também não são indicados. O ideal é que o canto termine assim que notarmos que o sacerdote já está pronto para iniciar a leitura. 6. Canto da Apresentação dos Dons É também chamado de Canto das Oferendas. Uma forma errada é chamá-lo de canto de ofertório. Por quê? Não se deve chamá-lo assim porque o ofertório não acontece neste momento. Ele irá acontecer depois da consagração, na Oração Eucarística. Nesta parte da missa são apenas preparadas as oferendas. A função deste canto é de acompanhar a procissão dos dons, dar maior significado à coleta e acompanhar o rito da preparação das oferendas. Ele é facultativo. Ele deve criar um ambiente de alegria, partilha, louvor, generosidade e gratuidade. Deve-se ter atenção na escolha da música das oferendas, pois não é momento para se cantar o que quiser. Pede-se, portanto, que o canto seja mais para bendizer do que para ofertar. Assim como em todas as outras partes da missa deve-se manter firme e em sintonia com a liturgia. Deve ser um canto suave, moderado. Os instrumentos podem acompanhá-lo, mas sem muita extravagância. Este canto pode ser entoado até o fim da preparação dos dons, quando começa o “Orai, irmãos...”. Continua na próxima edição) Texto elaborado com informações de artigos colhidos dos sites: www.oficinadamusicacatolica.com e www.pastoralis.com.br


PARÓQUIA NOSSA SENHORA DO PERPETUO DO SOCORRO - FLORIANO - JABOATÃO DOS GUARARAPES - PE

Seguindo os Caminhos para o Sacerdócio... Faça-se em mim, segundo a Tua vontade Meu nome é Cassiano Barbosa Rodrigues, sou frade carmelita. E atualmente moro em Aracaju- SE, na Paróquia Nossa Senhora do Carmo com 12 frades carmelitas contando comigo. Sou estudante de Filosofia da Universidade Federal de Sergipe, não esquecendo que também será de grande importância o estudo de Teologia na minha caminhada para o sacerdócio. Nesta etapa de formação é importante para o frade que ele tenha sua vida comunitária, voltada a Oração, Fraternidade e Contemplação dentro da Espiritualidade do Carmelo. A Ordem Carmelita é uma das Ordens Religiosas mais antigas da Igreja do século XII. No âmbito da minha Província, eu estou responsável pela parte de Espiritualidade Carmelitana. E pela vontade de Deus estou estudando e escrevendo um livro sobre um Beato Carmelita ''Tito Brandsma''. Ele foi mártir na Holanda no tempo da II Guerra Mundial, ele foi jornalista e fez várias críticas ao sistema. No campo de concentração sofreu muito e escreveu o livro “Minha Cela”. Atingiu o alto do calvário no campo de concentração de Dachau, onde foi morto com uma injeção de ácido fênico, em 26 de julho de 1942. A 3 de novembro de 1985, Frei Tito Brandsma foi elevado às honras dos altares pelo Beato Papa João Paulo II. Vou tentar ser breve, e comentar um pouco sobre como é o meu dia a dia. Às 05h30 rezamos às Laudes e às 06h30 participamos da Santa Missa e ao término tomamos o café da manhã. Logo depois temos o compromisso de limpeza da casa. Ao final temos o tempo para o estudo que vai ate 11h45. Então o banho e às 12h00 e participamos da hora média e em seguida o almoço. A tarde os estudos continuam até ás 17h00. Logo depois temos o momento de meditação e as Vésperas e a noite o jantar. Os compromissos continuam com os estudos na Universidade Federal de Aracaju e ao término das aulas, acabo chegando em casa às 23h30. Na paróquia de Nossa Senhora do Carmo, sou responsável pela Pastoral da Crisma e também atuo como Assessor do Apostolado da Oração e Cerimoniário do Convento. E quando é preciso sirvo encomendando os fiéis que venha a falecer na Paróquia. Por fim estou muito feliz em saber que nossa Comunidade Paroquial de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, está interessada nas vocações religiosas. Desejo muita paz e um abraço a oportunidade que me foi dada pela Pascom. E espero que possa ter contribuído neste tempo vocacional. “Sou feliz por ser Carmelita”. E espero que outros jovens possam ser tocados pela Graça e o Chamado do Senhor Jesus. Na minha caminhada vocacional devo muito a Irmã Clarice FC, grande Santa na minha vida e á amo muito. Louvo ao Senhor pelos meus pais e minha família, e o Padre Edmilson do qual o tenho um profundo carinho e respeito. E a todos da Paróquia de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro que acreditam na minha vocação peço a Virgem do Carmelo que derrame Infinitas Graças em, suas famílias.Meu muito obrigado e rezo por vocês sempre nas minhas orações! (Frei Cassiano B. Rodrigues, Ocarm)

F

alar de mim é falar de Dom Bosco e da Congregação Salesiana, a qual me acolheu aos 15 anos de idade no aspirantado salesiano em Carpina- PE. A esta tenho grande AMOR e GRATIDÃO, por isso dedicarei algumas linhas a Pia Sociedade de São Francisco de Sales. Nós, salesianos de Dom Bosco (SDB), formamos uma comunidade de batizados que, dóceis à voz do Espírito, intentam realizar numa forma específica de vida religiosa o projeto apostólico do fundador: Ser na igreja sinais e portadores do amor de Deus aos jovens, especialmente aos mais pobres. No cumprimento desta missão; encontramos o caminho da nossa santificação. Valho-me ainda desta oportunidade para expressar meu amor e gratidão à minha família, que por meio do seu amor e carinho me proporcionaram ser quem sou. Se hoje sou um “simples servo da vinha do senhor” é graças à educação, amor e carinho recebidos do Sr. Josivaldo, da Sra. Niedja, do meu irmão Junior e de todos os meus familiares que acompanham nesse processo. Sublinho pessoas importantes na minha caminhada vocacional como o; Padre. Edmilson, Ir. Clarisse e D. Djanira que têm sido verdadeiros sinais de Deus no meu processo de busca. Atualmente, resido na Comunidade Salesiana de Barbacena- MG, onde dou continuidade ao meu processo de Formação na etapa do Noviciado. Junto com os meus irmãos formamos uma bela comunidade, esforçamo-nos por fazer dela um lugar de perdão e santidade, testemunhando assim o Amor de Deus aos jovens. A comunidade é formada por 5 padres, 2 irmãos consagrados e 14 noviços. Atuamos no oratório nos finais de semana (à tarde), pela (manhã) catequese e a noite no grupo jovem. A nossa vida de religiosos é bastante intensa de segunda à sexta na parte da manhã temos aulas, no período da tarde 2 dias trabalhamos na roça, 2 dias praticamos esporte e 2 dias fazemos limpeza na casa. O noviciado é uma etapa de suma importância, de intensa vida de oração, disciplina e recolhimento. Que esse mês vocacional, seja, sobretudo de um despertar vocacional, e peço que rezem por mim e pela minha caminhada. Rezo pelo nosso Padre Edmilson, pelas Filhas da Caridade presente na paróquia, por todos os vocacionados, por Cassiano, por André e por outras vocações que o Senhor Jesus escolhe. Meu contato e-mail: jeffersonorodrigues@yahoo.com.br. No Cristo Ressuscitado - Jefferson Rodrigues OSB

A

mados da Pascom gostei muito dessa iniciativa de alimentar com confiança a nossa vocação, visando surgir novas vocações a partir de nosso exemplo. Sou André Lira, e hoje estou atualmente morando em Fortaleza na Casa do Aspirantado Salesiano para os que já terminaram o ensino médio. Tenho uma vida bem corrida acordo às 05h15m da manhã rezamos a Liturgia das horas (Laudes) juntos, a partir dai nos dividimos em dois grupos de 3 aspirantes e seguimos para os Colégios, eu trabalho no Colégio Salesiano Dom Lustosa (segunda/quarta/sexta), no SOR- Sistema de Orientação Religiosa. É um trabalho muito simples onde preparamos Encontros de Formação para os funcionários e orientamos no ensino religioso os alunos que lá estudam. Voltamos às 12h00m almoçamos e seguimos para a sala de estudo onde ficamos estudando até as 17h30m. Temos a recita do Santo Terço e logo após jantamos e vamos novamente para oração comunitária n oração das Vésperas. Depois voltamos para sala de estudo onde procede aos estudos e às 22h00m, é à hora de repousar. Nas terças e quintas temos aulas pela manhã também de 7h30m as 11h30m. Acho que resumi um pouco do meu cotidiano, estou muito satisfeito com a minha formação, estou feliz na minha escolha vocacional. E tenho um imenso prazer de ser Salesiano. A minha escolha vocacional não e obra minha, mas Obra Daquele que nos criou. Estou vivendo a etapa do aspirantado onde estou Aspirando à vida Salesiana estou apaixonado a cada dia pelos caminhos ensinados por Dom Bosco. Louvado seja nosso Senhor Jesus Cristo!

Oração pelas Vocações Sacerdotais Ó Jesus, Divino Pastor das almas, que chamastes os Apóstolos para fazer deles Pescadores de Homens. Atraí a Vós jovens ardentes e generosos, para torná-los Vossos seguidores e Vossos Ministros. Fazei que eles participem de Vossa sede de redenção universal, pela qual renovais sobre os altares o Vosso sacrifício. Vós, ó Senhor, " sempre vivo a interceder por nós"( Hb 7,25), abri para eles os horizontes do mundo inteiro, onde a silenciosa súplica de tantos irmãos pede luz de verdade e calor de amor, a fim de que, respondendo ao Vosso chamamento, continuem aqui na terra a Vossa missão, edifiquem o Vosso Corpo Místico que é a Igreja e sejam " sal da terra" e " luz do mundo". Amém!


PARÓQUIA NOSSA SENHORA DO PERPETUO DO SOCORRO - FLORIANO - JABOATÃO DOS GUARARAPES - PE

Formação - Ministros Extraordinários da Palavra e Comunhão

Fonte: www.arautos.org.br

O

usando buscar uma maior espiritualidade na Eucaristia, publicaremos em partes trechos de três belos Documentos do Santo Padre. Que estimulam com especial o empenho dos fiéis a haurir na Eucaristia e na Oração o fervor que nos transforma em Discípulos Santos de

1- A Missa dominical, Centro da Vida Cristã

Agrada-me que neste ano dedicado à Eucaristia tenhais querido refletir sobre as diversas iniciativas para "Redescobrir e viver plenamente o domingo como dia do Senhor e dia da Igreja" (Carta Apostólica Mane Nobiscum Domine, 3). Participar da Missa dominical não é só uma obrigação, como afirma claramente o Catecismo da Igreja Católica (cf. 1389), mas, antes de tudo, UMA PROFUNDA EXIGÊNCIA DE CADA FIEL. Não se pode viver a fé sem participar habitualmente da Missa dominical, sacrifício de redenção, banquete comum da Palavra de Deus e do Pão Eucarístico, coração da vida cristã. A importância do tema exige de nós, Pastores da Igreja, um renovado empenho em fazer descobrir a centralidade do domingo na vida eclesial e social dos homens e mulheres de hoje. Para todos os Bispos e sacerdotes É UM DESAFIO CONVOCAR OS FIÉIS PARA UMA CONSTANTE PARTICIPAÇÃO NA EUCARISTIA DOMINICAL, ENCONTRO COM CRISTO VIVO. Por isso é necessário concentrar esforços em uma melhor e mais cuidadosa instrução e catequese dos fiéis sobre a Eucaristia, de modo que inspire verdadeiro respeito e autêntica piedade ante a grandeza do Mistério Eucarístico. Convido-vos, pois, a que - em união com os sacerdotes, religiosos e fiéis - ponhais o maior empenho em refletir e aprofundar esta dimensão essencial da vida sacramental da Igreja, e trabalheis para despertar um amor cada vez maior ao Mistério Eucarístico nas dioceses. Não é tarefa fácil, e por isso necessita-se da colaboração de todos: presbíteros e diáconos, pessoas consagradas e os fiéis que atuam nas paróquias ou pertencem a associações ou movimentos eclesiais. Aceitai a colaboração de todos, uni (Discurso aos Participantes da 2ª Reunião da Pontifícia Comissão para a América Latina, 21/1/2005)

Jovens em Renovação - JOVEM, VENCESTE O MUNDO!

(Continua na próxima edição)

Alex Silva - Pastoral da Juventude Textos adaptado - Fonte: www.rccjovem.com

Dez conselhos do Papa Bento XVI aos Jovens 1) CONVERSAR COM DEUS "Algum de vós poderia talvez identificar-se com a descrição que Edith Stein fez da sua própria adolescência, ela, que viveu depois no Carmelo de Colônia: tinha perdido o costume de rezar". Durante estes dias podereis recuperar a experiência vibrante da oração como diálogo com Deus, porque sabemos que nos ama e, a quem, por sua vez, queremos amar”. 2) CONTAR-LHES AS PENAS E ALEGRIAS “Abri o vosso coração a Deus. Deixai-vos surpreender por Cristo. Dai-lhe o "direito de vos falar". Apresentai as vossas alegrias e as 7) DEMOSNTRAR QUE DEUS NÃO É TRISTE vossas penas a Cristo, deixando que ele ilumine com a sua luz a Quem descobriu Cristo deve levar os outros para ele. Uma grande alegria não se pode guardar para si mesmo. É necessário transmiti-la. vossa mente e toque com a sua graça o vosso coração." Em numerosas partes do mundo existe hoje um estranho 3) NÃO DESCONFIAR DE CRISTO esquecimento de Deus. “Queridos jovens, a felicidade que buscais, a felicidade que tendes o direito de saborear, tem um nome, um rosto: o de Jesus 8) DEUS: TEMA DE CONVERSA COM OS AMIGOS de Nazaré, oculto na Eucaristia. Só ele dá plenitude de vida à “São tantos os nossos companheiros que ainda não conhecem o amor humanidade. Dizei, com Maria, o vosso "sim" ao Deus que quer de Deus, ou procuram encher o coração com sucedâneos entregar-se a vós. Estai plenamente convencidos: Cristo não tira insignificantes. Portanto, é urgente ser testemunhos do amor que se nada do que há de formoso e grande em vós, mas leva tudo à contempla em Cristo. Queridos jovens, a Igreja necessita autênticos perfeição para a glória de Deus, a felicidade dos homens e a testemunhos para a nova evangelização: homens e mulheres cuja vida tenha sido transformada pelo encontro com Jesus; homens e mulheres salvação do mundo." capazes de comunicar esta experiência aos outros”. 4) ESTAR ALEGRES: QUERER SER SANTOS "Quando encontramos Jesus e acolhemos o seu Evangelho, a 9) AJUDAR: SER ÚTIL vida muda e somos impelidos a comunicar aos outros a Eu sei que vós, como jovens, aspirais a coisas grandes, que quereis experiência própria (...). A Igreja necessita de santos. Todos comprometer-vos com um mundo melhor. Demonstrai-o aos homens, estamos chamados à santidade, e só os santos podem renovar a demonstrai-o ao mundo, que espera exatamente este testemunho dos humanidade. . O encontro com Jesus Cristo vos permitirá apreciar discípulos de Jesus Cristo. Um mundo que, sobretudo mediante o interiormente a alegria da sua presença viva e vivificante, para vosso amor, poderá descobrir a estrela que seguimos como crentes. testemunhá-la depois no vosso ambiente”. 10) LER A BÍBLIA 5) CONHECER A FÉ Queridos jovens, exorto-vos a adquirir intimidade com a Bíblia, a tê-la à Ajudai os homens a descobrir a verdadeira estrela que nos indica mão, para que seja para vós como uma bússola que indica o caminho a o caminho: Jesus Cristo. Tratemos, nós mesmos, de conhecê-lo seguir. Lendo-a, aprendereis a conhecer Cristo. São Jerônimo observa cada vez melhor para poder conduzir também os outros, de modo a este respeito: "O desconhecimento das Escrituras é o convincente, a ele. desconhecimento de Cristo". 6) NO DOMINGO IR À MISSA “ É urgente que surja uma NOVA GERAÇÃO de apóstolos "Não vos deixeis dissuadir de participar na Eucaristia dominical e enraizados na palavra de Cristo, capazes de responder aos ajudai também os outros a descobri-la. "Descubramos a íntima desafios do nosso tempo e dispostos a difundir o Evangelho por riqueza da liturgia da Igreja e a sua verdadeira grandeza: não toda a parte. Isto é o que o Senhor vos pede, a isto vos convida a somos os que fazemos uma festa para nós, mas, pelo contrário, é Igreja, isto é o que o mundo – ainda que não saiba – espera de vós! o próprio Deus vivo que prepara uma festa para nós. Com o amor à E se Jesus vos chama, não tenhais medo de responder-lhe com Eucaristia redescobrireis também o sacramento da Reconciliação, generosidade, especialmente quando vos propõe segui-lo na vida no qual a bondade misericordiosa de Deus permite sempre que a consagrada ou na vida sacerdotal. NÃO TENHAIS MEDO; confiai n'Ele e não ficareis decepcionados.” (PAPA BENTO XVI) nossa vida comece novamente."


PARÓQUIA NOSSA SENHORA DO PERPETUO DO SOCORRO - FLORIANO - JABOATÃO DOS GUARARAPES - PE

Catequese Paroquial

L

eonor Ferreira de Almeida, mais conhecida como Dona Nanô, foi catequista durante 20 anos, trabalhando na preparação de pequenos jovens para a 1ª Eucaristia. A Missionária Camila Santana (Pastoral da Juventude) foi até a residência de Dona Nanô para uma conversa 1- Camila: - Quando começou seu trabalho como catequista? Na Cidade do Cabo de Santo Agostinho com idade entre 14 à 15 anos. 2- Camila: - Que outros grupos da Igreja a senhora trabalhou? Participei da Escola de cantos, Associação dos Anjos e do Congresso Pia União das Filhas de Maria 3- Camila: - Nesses anos de catequese, qual foi a sua maior alegria? Minha maior alegria foi ter a certeza que cumpri a minha missão como catequista (só deixei mesmo, por causa de sua idade) 4- Camila: - A senhora tem alguma história ou fato curioso nesses anos de catequese? O padre da paróquia onde eu trabalhava, arrumou um jeito de atrair crianças que já havia feito sua 1ª Eucaristia. Durante os domingos todas as crianças que participassem da missa tinham direito de pegar um cartão. O padre juntamente com as catequistas entregavam pessoalmente esses cartões, e quem tivesse um excelente número de cartões, tinham o direito de escolher um prêmio que o próprio padre comprava. Assim, a missa ficava cheia de crianças da catequese todos os domingos. 5- Camila: - A senhora tem idéia de quantas crianças passaram por sua catequese? Não faço nem idéia. Foram muitos, graças a Deus. 6- Camila: - Quem foi a sua catequista? Maria Virgínia de Jesus ( Conhecida pelos seus catequizando de PINTA ) 7- Camila: - O que é preciso para ser um bom catequista? Aceitar a missão que o Senhor enviou, ter sempre amor e paciência sempre com as crianças. 8- Camila: - Como a senhora vê a catequese atualmente? Muito diferente, mas com o mesmo sentido de Servir a Deus. 9- Camila: - Qual mensagem gostaria para os atuais catequistas de nossa paróquia? Que eles aceitem a sua missão, que tenham sempre amor, paciência e que façam as crianças a sempre amar e servir ao Nosso Senhor Jesus Cristo.

Sobre Leonor Ferreira de Almeida (D. Nanô)

2º ENCONTRÃO DA CRISMA

A

s fortes chuvas do domingo de 31 de julho de 2011, não intimidaram os jovens crismandos da Turma Profetas das Nações, a comparecerem ao II Encontrão da Crisma. Que foi realizado na Colônia Salesiana São Sebastião – Lote 92/Jaboatão dos Guararapes, e teve como o tema principal Ou Santos ou Nada, inspirado na passagem bíblica de Mt 5,48. O encontro teve início com a participação na Santa Missa às 06h30 na matriz, logo após o término com bastante alegria todos se deslocaram para o local do encontro. Ainda nesse mesmo espírito de alegria e perseverança, ao chegar ao local foram feitas as orações iniciais. E em seguida teve início o louvor conduzido pelo Ministério Harpa Divina, que fez todos os participantes glorificarem e bendizerem o nosso Deus Amado. Dando prosseguimento ao Encontrão os crismandos foram convidados a assistirem o vídeo de um testemunho do jovem Anderson (Comunidade Escravos de Maria-SP). Onde através deste testemunho podemos perceber a “Grande Obra de Regeneração”, que Deus é capaz de realizar na vida daqueles que se abrem A Sua Graça. Ao final do testemunho, os crismandos divididos em pequenos grupos, partilharam sobre qual a realidade da juventude nos dias atuais. Antes do almoço tivemos a felicidade de termos em nosso meio pregando para os crismandos o Pe Gimersson Eduardo SCJ (Assessor da Juventude Arquidiocesana), que com bastante veemência nos ensinou que «A vocação a santidade nos convida a procurar ser amigo de Jesus. Este é o projeto original de Deus, corresponder ao AMOR gratuito recebido de Deus, de maneira única. Todos são chamados a ser santos. Deus nos amou primeiro deste toda a eternidade. Fomos contemplados por Deus conforme o inicio em Gêneses. O LIVRE ARBITRIO NOS DIZ QUE TUDO É PERMITIDO, MAS NEM TUDO ME CONVEM como diz o Apóstolo São Paulo.» A parte da tarde, foi contemplada com bastante louvor e contou com a presença do Jurailton da Comunidade Resgate de Vitória de Santo Antão. Que através de testemunho pessoal de sua caminhada quando catequista, levou os crismandos a refletirem sobre a importância conhecer profundamente a Doutrina e ser fiel a Santa Igreja Católica, e ter a convicção do Sacramento que irão receber das mãos de nosso Arcebispo. Por fim, um dos MOMENTOS MAIS SUBLIME de todo o II Encontrão foi a ADORAÇÃO AO SANTÍSSIMO SACRAMENTO. Onde nosso querido Padre Edmilson pode está presente para adorar nosso Deus Amado juntos aos crismandos. Intercedendo por esta caminhada em busca do Sacramento da Crisma.

OU SANTOS OU NADA

Nasceu no Dia 10 de julho de 1918, na cidade do Cabo de Santo Agostinho Idade: 93 anos / Deixou sua catequese aos : 89 anos / Sua última turma foi em : 16-12-2007


PARÓQUIA NOSSA SENHORA DO PERPETUO DO SOCORRO - FLORIANO - JABOATÃO DOS GUARARAPES - PE

São João Maria Vianney - Presbítero e Confessor O objetivo é? Nunca desanimar... João Maria Batista Vianney, nasceu em 8 de maio de 1786, no povoado de Dardilly, ao norte de Lyon, França. Desde a infância gostava de ir a igreja e dizia que desejava ser padre a todo custo, mas esbarrou em dois obstáculos: pobreza e sobretudo a escassa inteligência. Ele só foi para a escola na adolescência, quando abriram uma na sua aldeia, e que freqüentou por 2 anos apenas, pois tinha de trabalhar no campo. Foi quando se alfabetizou e aprendeu a ler. Para seguir a vida religiosa, teve de enfrentar muita oposição de seu pai. Mas com a ajuda do pároco, aos 20 anos de idade ele foi para o Seminário de Écully. Foram poucos os que vislumbraram a sua capacidade de raciocínio. Para os professores e superiores, era considerado um rude camponês, que não tinha inteligência suficiente para acompanhar os companheiros nos estudos de Filosofia e Teologia. Entretanto era um verdadeiro exemplo de obediência, caridade, piedade e perseverança na fé em Cristo. Em 1815, Vianney foi ordenado sacerdote, mas impedido de ser confessor, por ser considerado incapaz de guiar consciências. Porém transformou-se num dos mais famosos e competentes confessores que a Igreja já teve. No Seminário de Écully, o bispo Balley havia percebido que ele era um homem especial e assim, 3 anos depois, conseguiu a liberação para que pudesse ser confessor. Foi então designado vigário da aldeia de Ars-surFormans, pois nenhum padre aceitava aquela paróquia, que possuía apenas 300 habitantes, todos não-praticantes e afamados pela violência. Ars era pequena no tamanho, mas enorme quanto aos problemas: muitas casas de jogatina, prostíbulos e tabernas. Por isso a igreja ficava vazia. Ele chegou em fevereiro de 1818, e 13 anos depois, com seu exemplo e postura caridosa, mas também severa, conseguiu mudar aquela triste realidade, invertendo a situação. O povo não ia mais para as tabernas, em vez disso lotava a igreja. Todos agora queriam confessar-se, para obter a reconciliação e os conselhos daquele homem que eles consideravam um santo. Sempre em oração, comia muito pouco e dormia no máximo 3 horas por dia. Levava uma vida de extrema pobreza. Dos pobres da paróquia, Vianney era o mais pobre. Possuía uma só batina e esta cheia de remendos. A fama de seus dons e de sua santidade correu entre os fiéis de todas as partes da Europa. Muitos acorriam para Ars com o objetivo de vê-lo e, acima de tudo, confessar-se, mesmo que para isto tivessem de esperar horas ou dias inteiros. As peregrinações a Ars começaram em 1826. No confessionário viveu intensamente seu apostolado, todo entregue às almas, devorado pela missão, integralmente fiel à vocação. O Cura de Ars, como era chamado, nunca pôde parar para descansar. Aos 73 anos de idade, às 2 horas do dia 04 de agosto de 1859, morreu serenamente, consumido pela fadiga. Foi beatificado pelo Papa São Pio X em 1905, canonizado pelo papa Pio XI em 1925 e pelo mesmo foi declarado padroeiro dos párocos do mundo, em 1929 e o dia de sua festa, 4 de agosto, escolhido para celebrar o Dia do Padre. O seu corpo, incorrupto, encontra-se na Igreja de Ars. SÃO JOÃO MARIA VIANNEY, ROGAI POR NÓS.

U

Extraída da Revista: PAZ E BEM

m fazendeiro, que lutava com muitas dificuldades, possuía alguns cavalos para ajudar nos trabalhos de sua fazenda. Um dia, seu capataz veio trazer notícias de que um de seu cavalo havia caído num velho poço abandonado. O poço era muito profundo e seria extremamente difícil tirar o cavalo de lá. O fazendeiro foi rapidamente até o local do acidente, que avaliou a situação, certificando-se de que não valia a pena investir na operação de resgate. Tomou, então uma difícil decisão: determinou ao capataz que sacrificasse o animal, jogando terra no poço até enterra-lo. E assim foi feito: os empregados, comandados pelo capataz, começaram a lançar terra para dentro do buraco de forma a cobrir o cavalo... Mas, à medida que a terra caía em seu dorso, o animal a sacudia e ela ia se acumulando no fundo, possibilitando ao cavalo ir subindo... Logo os homens perceberam que o cavalo não se deixava enterrar, mas ao contrário estava subindo a medida que a terra enchia o poço até que, finalmente, conseguiu sair. Sabendo do caso, o fazendeiro ficou muito satisfeito e o cavalo viveu ainda muitos anos de vida, servindo o seu dono na fazenda.

Santa Clara de Assis e a televisão Fonte: http://tv.cancaonova.com

omemoramos em 11 de agosto o dia de Santa Clara de Assis (1194-1253). Ela nasceu na cidade de Assis, Itália. De forma simples e humilde, conviveu com São Francisco de Assis, fundador de três Ordens Religiosas, incluindo a das Clarissas, a qual ela fez parte. E como a bondade é contagiante, abriu um caminho feminino franciscano de paz, fé e simplicidade. Em 1252, já no fim de sua vida, doente, Santa Clara não pôde participar da celebração da Missa de Natal. Para os franciscanos, essa festa é muito especial, tanto que foi São Francisco quem primeiro montou um presépio. Clara tanto desejou estar com suas irmãs que algo extraordinário aconteceu: de seu quarto, pôde assistir a toda a cerimônia. Quando elas voltaram da igreja, foi Santa Clara quem deu os detalhes da liturgia. Esse episódio, muitos séculos depois, levaria Santa Clara de Assis a ser declarada a padroeira da televisão em 1958, pelo Papa Pio XII. De forma milagrosa, ela foi a primeira a assistir à TV. E como Deus sempre faz bem feito, penso que já deve ter sido uma transmissão em HD, em alta definição. Ainda hoje muitos se servem da TV para participar de missas, terços, orações, seja por causa de uma doença, pela distância de um templo ou por tantos outros motivos ligados ao nosso corre-corre diário. É a isso que se propõem as emissoras de inspiração católica: disponibilizar uma cultura de paz, de valores e chamar a um exercício da cidadania, da solidariedade, na esperança de construção de uma sociedade diferente. Que Santa Clara ilumine quem faz acontecer a televisão brasileira, inspirando programas de maior qualidade e respeito ao ser humano, comprometidos com uma sociedade menos violenta".

C

Nota: De 08 a 11/08/2011, sempre às 19h, a Ordem Terceira Franciscana Secular promoverá, na Capela da Comunidade Santa Joana D'Arc, um Tríduo pelos 800 anos de vida religiosa de Santa Clara de Assis. Com o Tema: "Na busca da perfeição, Clara é o espelho de luz e perseverança na missão rumo a Deus!" Participem!


PARÓQUIA NOSSA SENHORA DO PERPETUO DO SOCORRO - FLORIANO - JABOATÃO DOS GUARARAPES - PE

Estudando a nossa Fé

Por que não sou espírita?

Por Sergio Souza

Fonte: Escola Mater Ecclesiae

Continuando o estudo “Por que não sou espírita?”, trataremos, nessa edição do Jornal Anunciai, da absurda tese da reencarnação.

nehmiah@hotmail.com

A reencarnação vem a ser tese arbitrária, para a qual não há fundamento objetivo. Aliás, é tão subjetiva que os espíritas mesmos não concordam entre si a respeito. Assim, por exemplo, enquanto os espíritas latinos admitem firmemente a reencarnação, os anglo-saxões o rejeitam. E por quê? – Porque os anglo-saxões, movidos por preconceitos racistas, não podem imaginar que voltarão à Terra num corpo de raça negra ou indígena. Mesmo entre os reencarnacionistas há divergências: alguns dizem que a reencarnação é lei geral, ao passo que outros a admitem apenas para os espíritos mais atrasados ou para os perfeitos, que tem de cumprir alguma missão na Terra. Uns sustentam que o ser humano se reencarna sempre no mesmo sexo, enquanto outros professam variação alternativa de sexo. Uns ensinam que a reencarnação se faz apenas na Terra, enquanto outros admitem que ocorra também em outros planetas. Uns pensam que a reencarnação se dá pouco depois da morte, outros afirmam um intervalo de mil e quinhentos anos precisamente. Uns julgam que a reencarnação é não só progressiva, mas também regressiva, de modo que o indivíduo pode voltar à Terra num corpo animal ou vegetal; outros, ao contrário, dizem que a reencarnação não pode ser regressiva, mas, na pior das hipóteses, é estacionária por algum tempo… Como se vê, esta variedade de sentenças manifesta bem que a doutrina da reencarnação carece de base objetiva; é, antes, um postulado fantasioso dos que a professam. Com efeito, vejamos os argumentos aduzidos pelos reencarnacionistas: a) Os testemunhos de vida pregressa obtidos em estado de transe hipnótico. – Um estudo apurado dos mesmos revela que nada mais são do que a combinação de impressões colhidas durante esta vida mesma e guardados no inconsciente do sujeito. Este, sugestionado pelo hipnotizador de que viveu uma encarnação anterior, projeta essas impressões em combinação livre, tecendo o enredo de uma “vida pregressa”! b) A desigualdade das sortes humanas só se explicará como conseqüência de atos bons ou maus praticados numa encarnação anterior. – Respondemos que Deus é livre para criar os homens como Ele os quer; a cada qual Deus dá graça para que se santifique e chegue à vida eterna; às vezes uma pessoa tida como pobre ou doente no plano material e passageiro pode ser extraordinariamente rica e sadia no plano dos valores definitivos. Ademais, segundo os princípios reencarnacionistas, quem atualmente é doente e pobre é um pecador que está expiando pecado da vida passada, ao passo que os ricos e sadio são pessoas virtuosas que estão recebendo o prêmio dos atos bons praticados em encarnação anterior. Ora, tais conclusões são absurdas. c) Os demais fenômenos tidos como provas da reencarnação (o “já visto”, os gênios, a memória extraordinária…) são facilmente explicados pela parapsicologia como expressões do psiquismo humano. d) O conceito de inferno… – Muitas vezes a má compreensão do que seja o inferno leva a rejeitá-lo em favor do reencarnacionismo. Na verdade, o inferno não é um tanque de enxofre fumegante atiçado por diabos munidos de tridentes, mas é um estado de alma, no qual o indivíduo se projeta por dizer Não a Deus: após a morte, a pessoa que morre consciente e voluntariamente avessa a Deus, é respeitada em sua opção definitiva, mas não pode deixar de reconhecer que Deus é o Sumo Bem… e o Sumo Bem que continua a amá-la irreversivelmente. É o fato de que Deus ama uma vez por todas, mas foi conscientemente preterido em favor de bagatelas, que causa o tormento do réprobo. Se Deus desviasse do réprobo o seu amor, ele não sofreria o inferno; mas Deus não pode deixar de amar, porque Ele não se pode contradizer. E precisamente nisto que está o princípio do inferno. Vê-se assim que o inferno, longe de contradizer ao amor de Deus, decorre, de certo modo, da grandeza divina desse amor. O reencarnacionismo atribui ao homem o poder de salvar a si mesmo mediante sucessivas existências na carne, durante as quais o indivíduo mesmo se aperfeiçoa por seus esforços. Ao contrário, O BOM SENSO E A FÉ MOSTRAM QUE O HOMEM É, POR SI SÓ, INCAPAZ DE SE LIBERTAR DO PECADO E NECESSITA DA GRAÇA DE DEUS PARA SE SALVAR. Na próxima edição, Setembro, mês da Bíblia, traremos o que diz a Sagrada Escritura sobre as práticas espíritas. SALVE MARIA!

Conhecendo a nossa Paróquia A Ordem Terceira Franciscana Secular (OFS) é constituída por fraternidades abertas a todos os cristãos seculares. Nelas há lugar para jovens, para casados, viúvos e celibatários no mundo; para clérigos e leigos; para todas as classes sociais, todas as profissões, para todas as raças; para homens e mulheres. Há lugar para todos porque se busca viver segundo o Santo Evangelho como irmão e irmãs da penitência. Os franciscanos seculares constituem uma verdadeira Ordem na Igreja. Não formam um mero movimento ou associação qualquer, mas uma ordem reconhecida como tal pela Igreja, que lhe apresenta uma forma de vida chamada Regra. Foi fundada por volta de 1221 para congregar os leigos que desejavam seguir São Francisco de Assis participando do movimento franciscano. Tem como padroeiros Santa Isabel, rainha da Hungria e São Luís IX, rei da França. O projeto de vida de todo cristão e especialmente de todo franciscano secular é o seguimento da vida de Nosso Senhor Jesus Cristo, conforme os ensinamentos que nos foram revelados através do Santo Evangelho. Por isso, a Regra e a vida dos franciscanos seculares é esta: observar o Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo, segundo o exemplo de São Francisco de Assis, que fez do Cristo o inspirador e o centro de sua vida com Deus e com os homens. A OFS compõe-se por fiéis que testemunham em sua vida quotidiana o carisma franciscano, ao pregarem a Paz e o Bem. Há um período de formação inicial, após o qual o irmão faz sua profissão solene, uma promessa de vida evangélica conforme os ensinamentos de São Francisco. Os requisitos para ingressar na OFS são os seguintes: viver em conformidade com a fé católica e os mandamentos da Santa Igreja; ser maior de 18 anos. No Brasil, as primeiras ordens terceiras franciscanas foram formadas durante o século 18, e estão historicamente ligadas aos Frades da Primeira Ordem e abrange todo o território nacional. Ela está organizada em 16 Regiões, com cerca de 582 fraternidades, e aproximadamente 18.000 franciscanos seculares em todo o país. No mundo a OFS está presente em 72 países com cerca de 430.000 franciscanos seculares professos e mais de 50.000 inscritos na Juventude Franciscana (JUFRA), presentes em mais de 100 países nos 5 continentes. O órgão oficial da Ordem Franciscana Secular do Brasil é a Revista Paz e Bem. Em nossa paróquia a Ordem Terceira Franciscana Secular está representada pela Fraternidade Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, fundada em 1987, e possui atualmente cerca de 18 membros ativos, que se reúnem todo 4º domingo do mês às 08h00min no salão anexo paroquial.


CAPELA DE SÃO FRANCISCO É INAUGURADA

Por - Kleyverson Bernardo

Aconteceu

pascomperpetuosocorro@gmail.com

N

o dia 05 de julho esteve em nossa paróquia o Vigário Episcopal, Pe. Sérgio Pereira da Silva, pároco de Tejipió. Ministrando uma palestra sobre as Santas Missões Populares. Compareceram cerca de 100 paroquianos que acolheram a mensagem do palestrante, que entusiasmado prometeu retornar mais vezes. Obrigado Pe. Sérgio pela visita.

O

dia 13 de julho vai ficar marcado na memória do Loteamento Nossa Senhora da Conceição, pois neste dia aconteceu a inauguração da Capela consagrada a São Francisco. Foi um TRÍDUO DE SANTA ANA momento marcante para todos os presentes que tendo como ponto mais alto desta grande festa a Santa Missa, celebrada pelo pároco COMUNIDADE DE Pe Edmilson de Lima Lopes. A inauguração contou com a STA JOANA DARC participação das comunidades, grupos, movimentos, pastorais e representantes de paróquias vizinhas. Louvado seja Deus por esta om bastante piedade a comunidade grande conquista. PAZ E BEM! paroquial participou, no dia 26/07/2011 do encerramento da ATIVIDADES NA CAPELA Festa de Santa Ana, co-padroeira da SÁBADO - 06h30 Ofício da Imaculada / 09h00 Catequese Comunidade Santa Joana D'Arc. 19h00 Celebração da Palavra SANTA ANA ROGAI POR NÓS! TERÇA-FEIRA - 19h00 Oração do Santo Terço QUARTA-FEIRA - 15h00 Grupo de Oração

C

FESTA DO OFICINA O CANTO NA SAGRADO CORAÇÃO DE JESUS LITURGIA De 03 a 06 de Agosto

(Com Reginaldo Veloso da CNBB)

a

Festa d

e San idad ta n u R m

e Lim ad os

aC o

Vai acontecer

De 20 a 23 de Agosto 2011 Local: Clube das Mães do Alto Santa Rosa Com Missas e Celebrações da Palavra às 19h00 Procissão de encerramento da Festa, partindo da Capela da Comunidade São Francisco de Assis

Dia 20/08/2011 (Sábado) Das 09h00 às 12h00 Na Livraria Paulinas Taxa: R$ 5,00 Informações e Inscrições: 81-3224-5812

CAPELA SAGRADO CORAÇÃO DE JESUS Alto do Vento - Santa Missa às 19h30 Procissão saindo às 18h30 da residência de Sra Antônia Belarmina da Silva Av. Cândido Rondon 572 (Próximo ao Educandário Doribel)

Seja um Benfeitor Divulgue no Jornal Anunciai

(81) 9141-3741 Claro (81) 8725-1143 Oi (81) 8214-2750 Vivo pascomperpetuosocorro@gmail.com

BOLETIM PAROQUIAL - Publicação da Paróquia Nossa Senhora do Perpétuo Socorro Diretor Administrativo

Imagens e Fotos

Impressão Gráfica

Diagramação e Digitação

Pe Edmilson de Lima Lopes

Parisio Bartolomeu

Rivaldo Serviços Gráficos

Patricia Freitas

Membros da PASCOM Fábio Couto, Givanildo Martins, Mª do Carmo, Tertuliano Couto, Sebastião Lopes, Patricia Freitas, Parisio Bartolomeu

Tiragem 1000 Exemplares

E-mail: pascomperpetuosocorro@gmail.com


Jornal Anunciai - Agosto 2011