Page 1


Revista de Imprensa 05-11-2014

1. (PT) - ADN - Agência de Notícias Online, 30/09/2014, Presidente do PAN de Almada candidata a liderar o partido

1

2. (PT) - Público Online, 30/09/2014, CDS/PP propõe redução de 50% nas subvenções aos partidos na Madeira - PÚBLICO

7

3. (PT) - Setúbal na Rede - O Portal do Distrito Online, 30/09/2014, [Setúbal na Rede] - PAN de Almada apresenta queixa contra Câmara da Moita

9

4. (PT) - Expresso, 27/09/2014, Sistema eleitoral

10

5. (PT) - Destak, 26/09/2014, Queixa contra CM da Moita por touradas

11

6. (PT) - Notícias ao Minuto Online, 25/09/2014, TouradaPAN apresenta queixa contra Câmara da Moita por "homicídio negligente"

12

7. (PT) - Diário Digital Online, 21/09/2014, Lisboa: Mais de 100 pessoas protestam contra aquecimento global

12

8. (PT) - Jornal de Notícias Online, 21/09/2014, Marcha global pelo clima juntou centenas de pessoas em Lisboa

15

9. (PT) - Notícias ao Minuto Online, 21/09/2014, ProtestoMais de uma centena de pessoas contra aquecimento global

17

10. (PT) - Observador Online, 21/09/2014, Mais de uma centena de pessoas concentrou-se em Lisboa contra aquecimento global

18

11. (PT) - Expresso, 20/09/2014, Os pequenos que podem baralhar o jogo

22

12. (PT) - Portugal News, 20/09/2014, Head of national Nature Party quits over profound differences

24

13. (PT) - i, 19/09/2014, Rui Tavares nega ter questionado PAN sobre coligações

25

14. (PT) - RTP Madeira - Telejornal Madeira, 19/09/2014, PAN quer que a Europa proíba a comercialização de produtos com organismos geneticamente modificados

26

15. (PT) - CM TV - Notícias CM, 19/09/2014, Vigília pelos direitos dos animais em frente à CM da Maia

27

16. (PT) - Porto Canal Online, 18/09/2014, PAN promove vigílias na Maia contra abate de animais saudáveis no canil municipal

28

17. (PT) - i, 17/09/2014, "Rui Tavares perguntou-nos se viabilizaríamos um governo PS" - Entrevista a Paulo Borges

29

18. (PT) - Jornal de Notícias, 17/09/2014, Parlamento abre discussão sobre perda de 50 deputados

30

19. (PT) - PT Jornal Online, 16/09/2014, PAN perde fundador e dirigentes históricos, nova direção eleita em breve

32

20. (PT) - RTP Informação - Manhã Informativa, 16/09/2014, Direção do Partido pelos Animais e pela Natureza demitiu-se

33

21. (PT) - TSF Online, 16/09/2014, Demite-se em bloco quase toda a direção do PAN

34


22. (PT) - i Online, 15/09/2014, Presidente do PAN e membros da direcção nacional demitem-se dos cargos

35


A1

Pรกgina 1


Pรกgina 2


Pรกgina 3


Pรกgina 4


Pรกgina 5


Pรกgina 6


A7

CDS/PP propõe redução de 50% nas subvenções aos partidos na Madeira - PÚBLICO

Tipo Meio:

Internet

Meio:

Público Online

URL:

http://www.pt.cision.com/s/?l=e469728a

Data Publicação:

30/09/2014

/

30/09/2014 - 10:15 CDS/PP propõe redução de 50% nas subvenções aos partidos na Madeira Por Tolentino de Nóbrega 30/09/2014 - 10:15 A Assembleia da Madeira concede 5,34 milhões de euros para apoio à actividade parlamentar. Seis vezes mais do que os parlamentos nacional e açoriano gastam por ano PÚBLICO/Arquivo Novo salário mínimo dá ainda mais dinheiro aos partidos na Madeira MP pede a condenação de 11 deputados e administradores da Assembleia da Madeira Jardim deu ordem ao PSD na Madeira para chumbar cortes no financiamento dos partidos Constitucional anula "perdão" de 33 milhões concedido aos partidos na Madeira Madeira questiona competência do Tribunal de Contas para julgar desvio das subvenções Madeira pagou ilegalmente 538 mil euros em subvenções vitalícias e reformas a ex-deputados O CDS/PP vai apresentar uma proposta na Assembleia Legislativa da Madeira para impedir o aumento "escandaloso" da subvenção dos partidos, actualizado com base no salário mínimo nacional. E vai defender a redução do valor para metade. A nova iniciativa legislativa do CDS/PP foi anunciada esta segunda-feira à noite, após a reunião da comissão política regional deste partido que decidiu mandatar o seu grupo parlamentar "para usar todos os meios ao seu alcance a fim de travar o aumento da subvenção aos partidos", declarou José Manuel Rodrigues. O líder centrista madeirense adiantou que os seus deputados "vão marcar com carácter obrigatório e de urgência uma proposta de redução em 50% da subvenção dos partidos e grupos parlamentares, o que representa uma poupança aos contribuintes na ordem dos 2,7 milhões de euros". Na anterior sessão legislativa tinha defendido uma diminuição de 30%, mas a proposta foi rejeitada pela maioria PSD. Rodrigues apelou aos outros partidos para que viabilizem um acordo para "travar a subida da subvenção parlamentar e aceitar uma redução para níveis aceitáveis". E desafiou os cinco candidatos à liderança do PSD/M para que "convençam o seu partido e os deputados a aprovarem uma redução do jackpot parlamentar". A subida do montante total das subvenções de 5,34 para os 5,56 milhões de euros, na próxima sessão legislativa que tem início na quinta-feira, foi noticiada pelo PÚBLICO no passado domingo . O aumento resulta da actualização do salário mínimo nacional (SMN), em função do qual são calculadas as verbas concedidas para o apoio aos grupos parlamentares e as subvenções aos partidos. "Agora o escândalo é maior, uma vez que estando a subvenção parlamentar indexada ao salário mínimo, a subida justa desta remuneração implica, se não houver alterações, o aumento da subvenção no valor de 220 mil euros", afirmou José Manuel Rodrigues. É uma situação "claramente inaceitável", acrescentou. Com 25 deputados, o PSD, que actualmente recebe 2,8 milhões de euros, será o partido mais beneficiado pela actualização do SMN que faz aumentar aquela subvenção em mais 117 mil euros, aproximando-se dos três milhões. O CDS/PP, com nove eleitos, arrecada um milhão de euros. O PS (seis deputados) recebe 680 mil euros, o Partido Trabalhista (três) cerca de 340 mil e cada um dos restantes partidos (PCP, PND, PAN e MPT), com um único representante, cerca de 114 mil euros por ano. Usufruirão de um aumento médio de 5%. O apoio por deputado custa 113 mil euros por ano na Madeira, 15 mil nos Açores e quatro mil euros no Parlamento nacional. A Assembleia da República, com um total de 230 deputados, inscreveu no seu orçamento de 2014 um total de 880 mil euros para subvenções parlamentares. Exactamente o mesmo Página 7


valor concede a Assembleia Legislativa dos Açores, com 57 deputados e uma descontinuidade territorial de nove ilhas. A Assembleia da Madeira, com 47 eleitos, atribui 5,34 milhões de euros, ou seja, seis vezes mais que os parlamentos nacional e açoriano. Trata-se de uma "verba desproporcionalmente elevada em relação às necessidades da actividade parlamentar" dos deputados eleitos, censurou recentemente o Tribunal de Contas numa auditoria às subvenções madeirenses . "Se não for estancada esta já longa sangria de dinheiro dos contribuintes para fins político-partidários, alheio ao trabalho parlamentar, além de beneficiar do verdadeiro financiamento partidário geral e nacional, os partidos com assento no hemiciclo continuarão a gozar de um muito significativo e injustificado financiamento extra, a coberto das subvenções parlamentares", conclui o tribunal que tem vindo a exigir, em sede de julgamento, a devolução das verbas indevida e ilegalmente utilizadas.

Página 8


A9

[Setúbal na Rede] - PAN de Almada apresenta queixa contra Câmara da Moita

Tipo Meio:

Internet

Data Publicação:

30/09/2014

Setúbal na Rede - O Portal do Meio: Distrito Online URL:

http://www.pt.cision.com/s/?l=1d4f4ca5

/

O Partido pelos Animais e pela Natureza (PAN) apresentou uma queixa, no Ministério Público do Tribunal de Comarca e de Família e Menores de Almada, contra a Câmara Municipal da Moita e os organizadores das festas da cidade pela morte de duas pessoas durante as largadas de touros. As mortes aconteceram durante as Festas em Honra de Nossa Senhora da Boa Viagem, na vila da Moita, que decorreram 12 e 21 de setembro. O PAN lembra que no público se encontravam pessoas de todas as faixas etárias e "menores de 12 anos", a quem as touradas e as largadas "são vedadas por lei desde de Fevereiro de 2014". O partido sublinha que nesta festa se "desconhece a celebração de seguros que reparem os danos" e acrescenta que mesmo sem "condições de segurança" a comissão organizadora do certame continuou com as largadas "colocando os patrocínios acima do interesse público" e "responsabilizando quem participa e assiste a estes eventos". O Partido pelos Animais e pela Natureza considera que este tipo de situações "se enquadram no campo da responsabilidade pelo risco", porque havia da parte da autarquia e da organização das festas " a consciência de que destes incidentes podem resultar mortes" e "nada se fez para evitá-las". A Câmara Municipal da Moita recusou-se a fazer qualquer comentário sobre o caso.

Página 9


A10

ID: 55902543

27-09-2014

Tiragem: 97700

Pág: 42-43

País: Portugal

Cores: Cor

Period.: Semanal

Área: 16,73 x 17,28 cm²

Âmbito: Informação Geral

Corte: 1 de 1

Página 10


A11

ID: 55884827

26-09-2014

Tiragem: 135000

Pág: 4

País: Portugal

Cores: Cor

Period.: Diária

Área: 5,46 x 6,87 cm²

Âmbito: Informação Geral

Corte: 1 de 1

Queixa contra CM da Moita por touradas O Partido pelos Animais e pela Natureza (PAN) apresentou queixa contra a Câmara da Moita e os organizadores das Festas dacidade pelamorte deduaspessoasduranteaslargadasde touros. Emcausaestá, dizem, um«homicídioatítulodolosoounegligentepor omissãoedenegaçãodejustiça»,jáque «a autarquia tinha consciência de que os atos que praticava constituem formas de se negar ‘a aplicar o direito’».

Página 11


A12

TouradaPAN apresenta queixa contra Câmara da Moita por "homicídio negligente"

Tipo Meio:

Internet

Meio:

Notícias ao Minuto Online

URL:

http://www.pt.cision.com/s/?l=c3ea9176

Data Publicação:

25/09/2014

/

O Partido pelos Animais e pela Natureza (PAN) apresentou quarta-feira uma queixa contra a Câmara Municipal da Moita e os organizadores das Festas da cidade pela morte de duas pessoas durante as largadas de touros, revelou o partido. 06:16 - 25 de Setembro de 2014 | Por Em comunicado, o conselho local de Almada do PAN dá conta de uma queixa que apresentou no Ministério Público do Tribunal de Comarca e de Família e Menores de Almada com vista à abertura de um inquérito contra o Executivo da Câmara Municipal da Moita e contra a Comissão Coordenadora das Festas da Moita. Em causa está um "homicídio a título doloso ou negligente por omissão e denegação de justiça", uma vez que "a autarquia tinha consciência de que os atos que praticava constituem formas de se negar 'a aplicar o direito'". Ou seja, o PAN Almada considera que a Câmara da Moita "se recusou a aplicar os princípios de prossecução do interesse público ao realizar espetáculos de violência gratuita contra animais". Esta queixa surge na sequência das Festas em Honra de Nossa Senhora da Boa Viagem (Festas da Moita 2014) na vila da Moita, que decorreram 12 e 21 de setembro, as quais incluíram nove largadas de touros, das quais resultou a morte de pelo menos duas pessoas e um número indeterminado de, num evento do qual "se desconhece a celebração de seguros que reparem danos". Entre as vítimas encontravam-se pessoas que participaram nas largadas, mas também outras que estavam apenas a assistir, afirma. "Recordamos que o público deste evento incluía pessoas de todas as idades e menores de 12 anos, aos quais touradas e largadas são vedadas por lei desde fevereiro de 2014", lembra o PAN Almada. O partido sublinha ainda que "não obstante a ausência de condições de segurança, o município insistiu na continuação das largadas colocando patrocínios acima do interesse público e responsabilizando quem participa e assiste a estes eventos". O PAN considera que "estes acontecimentos se enquadram no campo da responsabilidade pelo risco", porque havia da parte da autarquia e da organização das festas "consciência de que destes incidentes podem resultar mortes de pessoas, mas nada se fez para evitá-las".

Página 12


Pรกgina 13


Pรกgina 14


A15

Marcha global pelo clima juntou centenas de pessoas em Lisboa

Tipo Meio:

Internet

Meio:

Jornal de Notícias Online

URL:

http://www.pt.cision.com/s/?l=110705a9

Data Publicação:

21/09/2014

/

Mais de uma centena de pessoas concentraram-se, este domingo, no Rossio, em Lisboa, para exigir medidas contra o aquecimento global, numa iniciativa que decorreu, em simultâneo, em mais de duas mil cidades de todo o mundo. A marcha global pelo clima, iniciativa que partiu dos Estados Unidos, realizou-se dois dias antes da cimeira de chefes de Estado e do Governo das Nações Unidas, em Nova Iorque, sobre as alterações climáticas. A concentração de Lisboa, com réplicas nas cidades do Porto e Faro, foi o espelho da grande manifestação que hoje se realizou em Nova Iorque, que contou com a presença da associação portuguesa Quercus, e teve como objetivo lembrar os chefes de Estado e de Governo de mais de 120 países que as mudanças climáticas são um problema global. "Esta será a maior ação que tivemos até hoje em termos de clima e de ambiente. Este é o maior problema da história da humanidade. Nunca a humanidade na sua história pôs em causa a possibilidade das futuras gerações poderem deixar de existir", disse Paulo Magalhães, da associação ambientalista Quercus. Paulo Magalhães adiantou que o mundo está "refém de meia dúzia de empresas que manda nos políticos" e que "hoje o político é um boneco das grandes empresas de petróleo". Cartazes e balões verdes (cor usada mundialmente em todas as marchas) preenchiam a praça do Rossio, que tinha também um planeta insuflável gigante e um painel para os participantes deixarem as suas mensagens. "O clima já mudou e nós porque esperamos", "Queremos viver" e "Stop poluição" eram alguns dos cartazes exibidos na concentração do Rossio, que acolheu também momentos musicais e cerca de 20 ciclistas que desfilaram desde a Praça Marquês de Pombal. Paulo Magalhães disse ainda que esta deverá ser a maior mobilização em Portugal. "Hoje abrimos a porta de casa e não sabemos qual a estação do ano e durante o mesmo dia podemos ter várias estações. Isto está a tocar todas as pessoas, é uma evidência factual o que torna mais sensível as pessoas", sustentou. O Partido pelos Animais e pela Natureza (PAN) também marcou presença na concentração. "O tremendo impacto que este modelo de civilização está a ter sob o ambiente é lesivo para os animais e para os humanos e para todo o planeta. Todas as denúncias da atual situação e chamadas de atenção da opinião pública e sociedade civil aos governos é fundamental, neste momento, para que possa haver uma governação consciência do grave risco que as alterações climáticas constituem para toda a humanidade", disse à Lusa o presidente do PAN, Paulo Borges. Alguns atores, como Rogério Samora e Heitor Lourenço, também marcaram presença e leram um manifesto em que pediram medidas uregentes contra o aquecimento global. "As alterações climáticas são a maior ameaça que a humanidade hoje enfrenta", disse Rogério Samora, sublinhando que "é preciso criar condições para que as pessoas andam mais de transportes Página 15


públicos e de bicicleta". Os participantes na concentração, vestindo alguns deles camisolas verdes, assinaram uma petição mundial para ser entregue na ONU. Milhares de pessoas participaram em manifestações idênticas em Londres e Paris. publicado a 2014-09-21 às 19:15 Para mais detalhes consulte: http://www.jn.pt/paginainicial/pais/concelho.aspx?Distrito=Lisboa&Concelho=Lisboa&Option=Interior &content_id=4137379 GRUPO CONTROLINVESTE Copyright © - Todos os direitos reservados

Página 16


A17

ProtestoMais de uma centena de pessoas contra aquecimento global

Tipo Meio:

Internet

Meio:

Notícias ao Minuto Online

URL:

http://www.pt.cision.com/s/?l=2c4bdd0

Data Publicação:

21/09/2014

/

Mais de uma centena de pessoas concentraram-se hoje à tarde no Rossio, em Lisboa, para exigir medidas contra o aquecimento global, numa iniciativa que decorreu, em simultâneo, em mais de duas mil cidades de todo o mundo. 18:58 - 21 de Setembro de 2014 | Por A marcha global pelo clima, iniciativa que partiu dos Estados Unidos, realizou-se dois dias antes da cimeira de chefes de Estado e do Governo das Nações Unidas, em Nova Iorque, sobre as alterações climáticas. A concentração de Lisboa, com réplicas nas cidades do Porto e Faro, foi o espelho da grande manifestação que hoje se realizou em Nova Iorque, que contou com a presença da associação portuguesa Quercus, e teve como objetivo lembrar os chefes de Estado e de Governo de mais de 120 países que as mudanças climáticas são um problema global. "Esta será a maior ação que tivemos até hoje em termos de clima e de ambiente. Este é o maior problema da história da humanidade. Nunca a humanidade na sua história pôs em causa a possibilidade das futuras gerações poderem deixar de existir", disse à agência Lusa Paulo Magalhães, da associação ambientalista Quercus. Paulo Magalhães adiantou que o mundo está "refém de meia dúzia de empresas que manda nos políticos" e que "hoje o político é um boneco das grandes empresas de petróleo". Cartazes e balões verdes (cor usada mundialmente em todas as marchas) preenchiam a praça do Rossio, que tinha também um planeta insuflável gigante e um painel para os participantes deixarem as suas mensagens. "O clima já mudou e nós porque esperamos", "Queremos viver" e "Stop poluição" eram alguns dos cartazes exibidos na concentração do Rossio, que acolheu também momentos musicais e cerca de 20 ciclistas que desfilaram desde a Praça Marquês de Pombal. Paulo Magalhães disse ainda que esta deverá ser a maior mobilização em Portugal. "Hoje abrimos a porta de casa e não sabemos qual a estação do ano e durante o mesmo dia podemos ter várias estações. Isto está a tocar todas as pessoas, é uma evidência factual o que torna mais sensível as pessoas", sustentou. O Partido pelos Animais e pela Natureza (PAN) também marcou presença na concentração. "O tremendo impacto que este modelo de civilização está a ter sob o ambiente é lesivo para os animais e para os humanos e para todo o planeta. Todas as denúncias da atual situação e chamadas de atenção da opinião pública e sociedade civil aos governos é fundamental, neste momento, para que possa haver uma governação consciência do grave risco que as alterações climáticas constituem para toda a humanidade", disse à Lusa o presidente do PAN, Paulo Borges. Alguns atores, como Rogério Samora e Heitor Lourenço, também marcaram presença e leram um manifesto em que pediram medidas uregentes contra o aquecimento global. Página 17


A18

"As alterações climáticas são a maior ameaça que a humanidade hoje enfrenta", disse Rogério Samora, sublinhando que "é preciso criar condições para que as pessoas andam mais de transportes públicos e de bicicleta". Os participantes na concentração, vestindo alguns deles camisolas verdes, assinaram uma petição mundial para ser entregue na ONU. Milhares de pessoas participaram em manifestações idênticas em Londres e Paris.

Página 18


Pรกgina 19


Pรกgina 20


Pรกgina 21


A22

ID: 55796313

20-09-2014

Tiragem: 107900

Pág: 4

País: Portugal

Cores: Cor

Period.: Semanal

Área: 30,00 x 46,00 cm²

Âmbito: Informação Geral

Corte: 1 de 2

Página 22


ID: 55796313

20-09-2014

Tiragem: 107900

Pág: 5

País: Portugal

Cores: Cor

Period.: Semanal

Área: 30,00 x 44,35 cm²

Âmbito: Informação Geral

Corte: 2 de 2

Página 23


A24

ID: 55816817

20-09-2014

Tiragem: 18000

Pág: 5

País: Portugal

Cores: Cor

Period.: Semanal

Área: 19,54 x 18,38 cm²

Âmbito: Informação Geral

Corte: 1 de 1

Head of national Nature Party quits over ‘profound differences’

The head of Portugal’s Party for Nature and Animals, Paulo Borges, during an interview with Lusa News Agency in May 2011. (Photo: Lusa/Mario Cruz)

Paulo Borges, the President of the National Party for Animals and Nature (PAN), quit his position during a meeting of the National Policy Committee over “profound differences” regarding the direction that “some Commissioners” want the party to take. PAN announced Borge’s decision on Monday, saying it came as a result of the meeting which took place this past weekend, on Saturday, in Lisbon. With the exception of one member, the rest of the party’s governors also quit their roles, along with two other Commissioners. Borges is a professor who was once at the head

of the Portuguese Buddhist Union. He was a cofounder of PAN and its president since 2011. The party made history during the Legislatives that year when it obtained almost 58,000 votes in just five months after being legalised by the Constitutional Court. With the same team in place it grew in popularity in the 2013 local elections as

well as in the European elections this year. The party will be kept running until a new governing body is elected though no date has as yet been set for elections to take place. The head of PAN’s Almada branch, Célia Feijão, has already announced her availability to take over the party’s presidency.

Página 24


A25

ID: 55779400

19-09-2014

Tiragem: 16000

Pág: 4

País: Portugal

Cores: Cor

Period.: Diária

Área: 4,61 x 10,73 cm²

Âmbito: Informação Geral

Corte: 1 de 1

Página 25


A26

RTP Madeira ID: 55819476

19/09/2014

Meio: RTP Madeira - Telejornal Madeira Duração: 00:01:38 Hora de emissão: 21:32:00

PAN quer que a Europa proíba a comercialização de produtos com organismos geneticamente modificados http://www.pt.cision.com/s/?l=5cccdae6 /

O Partido pelos Animais e pela Natureza quer que a Europa proíba a comercialização de produtos com organismos geneticamente modificados. O PAN mandou analisar alguns produtos e conclui que uma farinha que está no mercado não está a cumprir a legislação. Declarações de Rui Almeida, deputado PAN.

/

Repetições: RTP Madeira - Telejornal Madeira , 2014-09-19 23:36

Página 26


A27

CM TV ID: 55788437

19/09/2014

Meio: CM TV - Notícias CM Duração: 00:02:06 Hora de emissão: 06:55:00

Vigília pelos direitos dos animais em frente à CM da Maia http://www.pt.cision.com/s/?l=bbaa7be4 /

Está marcado para hoje o início de uma vigília pelos direitos dos animais em frente à CM da Maia. Este protesto promovido pelo Partido pelos Animais e pela Natureza.

/

Repetições: CM TV - CM Jornal - 13h , 2014-09-19 12:53

Página 27


A28

PAN promove vigílias na Maia contra abate de animais saudáveis no canil municipal

Tipo Meio:

Internet

Meio:

Porto Canal Online

URL:

http://www.pt.cision.com/s/?l=381ab82a

Data Publicação:

18/09/2014

/

Maia, 18 set (Lusa) -- O Partido pelos Animais e pela Natureza (PAN) vai realizar, na sexta-feira e no sábado, frente à Câmara da Maia, vigílias contra o abate de animais saudáveis no canil municipal, anunciou hoje a vice-presidente do Conselho Regional do Porto. Bebiana Cunha afirmou à agência Lusa que o objetivo das vigílias, entre as 18:00 e 22:00, é alertar o executivo camarário para a "urgência" de alterar as políticas existentes no canil, nomeadamente quanto ao abate de animais. "Não são vigílias contra nada, nem ninguém. Servem apenas para sensibilizar a população para o que se passa no canil da Maia", referiu. A dirigente do PAN considerou que o abate de animais deve apenas ser feito em situações de sofrimento prolongado, defendendo a adoção de uma política de esterilização por parte do canil municipal. Além disso, Bebiana Cunha salientou a "importância" de alterar o tratamento e adoção dos animais. "É ainda necessário uma maior abertura à comunidade para permitir o voluntariado e visitas ao espaço", disse. Segundo a vice-presidente do Conselho Regional do Porto do PAN, a Câmara da Maia já manifestou "vontade" para introduzir mudanças no funcionamento do canil, mas isso não se tem traduzido em "atitudes práticas". "Todo o tipo de iniciativas que levam à diminuição das taxas de abandono e fomentem a adoção de animais é bemvinda", disse à Lusa fonte do Gabinete de Comunicação da Câmara da Maia, relativamente à realização das vigílias. Segundo a fonte, nos últimos anos, tem havido um aumento "substancial" do número de animais abandonados devido à crise financeira. Dados da autarquia revelam que cerca de 60% dos animais abandonados no canil da Maia têm chips e são provenientes de concelhos vizinhos. Dado o canil estar "lotado", a autarquia vai investir, até ao final do ano, 100 mil euros na melhoria e ampliação das instalações, realizando obras na sala de cirurgia e boxes. Para travar o abandono de animais, a câmara está a desenvolver campanhas de sensibilização, programas de esterilização e a oferecer chips e vacinas a quem adotar. SYF // JGJ Lusa/Fim

Página 28


A29

ID: 55743450

17-09-2014

Tiragem: 16000

Pág: 4

País: Portugal

Cores: Cor

Period.: Diária

Área: 4,88 x 29,27 cm²

Âmbito: Informação Geral

Corte: 1 de 1

Página 29


A30

ID: 55743761

17-09-2014

Tiragem: 87629

Pág: 28

País: Portugal

Cores: Cor

Period.: Diária

Área: 27,13 x 32,50 cm²

Âmbito: Informação Geral

Corte: 1 de 2

Página 30


ID: 55743761

17-09-2014

Tiragem: 87629

Pág: 29

País: Portugal

Cores: Cor

Period.: Diária

Área: 9,18 x 31,85 cm²

Âmbito: Informação Geral

Corte: 2 de 2

Página 31


A32

PAN perde fundador e dirigentes históricos, nova direção eleita em breve

Tipo Meio:

Internet

Meio:

PT Jornal Online

Autores:

António Henriques

URL:

http://www.pt.cision.com/s/?l=64d39802

Data Publicação:

16/09/2014

/

A direção nacional do Partido pelos Animais e pela Natureza (PAN) apresentou a demissão em bloco. Numa nota divulgada no site do partido, são apresentadas "divergências profundas" no seio do PAN. A direção continua em gestão até à eleição de novo órgão diretivo, em data por designar. Está aberta uma cisão no Partido pelos Animais e pela Natureza (PAN), que resultou na demissão em bloco da atual direção, com exceção de um membro. A revelação é feita no site do partido. "O presidente do PAN, Paulo Borges, acompanhado por toda a atual Direção Nacional (à exceção de um membro) demitiu-se durante uma reunião da Comissão Política Nacional que decorreu no sábado, em Lisboa, devido a divergências profundas quanto ao rumo que alguns comissários pretendem dar ao PAN. Na sequência disso dois outros comissários também se demitiram", pode ler-se. Paulo Borges é um dos fundadores do partido, ao qual preside desde 2011. Também os membros agora demissionários estiveram na fundação do PAN. O partido que tem como base a causa dos animais e da natureza conseguiu um resultado histórico nas Legislativas de 2011, com mais de 58 mil votos. Muito acima das expectativas dos dirigentes, até porque aquele ato eleitoral ocorreu apenas cinco meses depois da legalização do PAN, por parte do Tribunal Constitucional. Eleições após eleições, o PAN foi crescendo no número de votos, nas Autárquicas de 2013 e nas Europeias de 2014, com o candidato Orlando Figueiredo, também demissionário. O partido preparava-se para as eleições Legislativas de 2015 com o desafio de eleger deputados para a Assembleia da República. Essa ambição não se perde com esta demissão, mas as divergências podem provocar danos. Entretanto, na mesma nota, refere-se que a direção nacional continua em gestão até à eleição de novo órgão diretivo. Em breve, será conhecida a data dessa formalidade. Terça-feira, 16 Setembro 2014 10:40 | António Henriques

Página 32


A33

RTP Informação ID: 55731181

16/09/2014

Meio: RTP Informação - Manhã Informativa Duração: 00:01:15 Hora de emissão: 10:13:00

Direção do Partido pelos Animais e pela Natureza demitiu-se http://www.pt.cision.com/s/?l=f9ab0de1 /

Demitiu-se a direção do Partido pelos Animais e pela Natureza. Uma decisão tomada durante uma reunião da comissão política nacional no passado sábado. Comentários de Paulo Borges, Partido PAN.

/

Repetições: RTP Informação - Manhã Informativa , 2014-09-16 11:21

Página 33


A34

Demite-se em bloco quase toda a direção do PAN

Tipo Meio:

Internet

Meio:

TSF Online

URL:

http://www.pt.cision.com/s/?l=d8739cd5

Data Publicação:

16/09/2014

/

Está de saída praticamente toda a direção do Partido pelos Animais e pela Natureza. A justificar a decisão estão as divergências profundas quanto ao rumo que alguns comissários pretendem dar ao PAN . Em comunicado a direção demissionária afirma que O Presidente do PAN - Paulo Borges acompanhado por toda a actual Direcção Nacional (à exceção de um membro) demitiu-se durante uma reunião da Comissão Política Nacional que decorreu no passado sábado em Lisboa . Paulo Borges e os outros demissionários alegam divergências profundas quanto ao rumo que alguns comissários pretendem dar ao PAN . Na sequência da demissão em bloco, outros dois comissários do partido também se demitiram.

Página 34


A35

Presidente do PAN e membros da direcção nacional demitem-se dos cargos

Tipo Meio:

Internet

Meio:

i Online

URL:

http://www.pt.cision.com/s/?l=c783d4a2

Data Publicação:

15/09/2014

/

Paulo Borges é um dos fundadores do partido e seu presidente desde 2011 O presidente do Partido pelo Animais e pela Natureza (PAN), Paulo Borges, acompanhado por membros da direção nacional, demitiu-se durante uma reunião da comissão política nacional sábado, em Lisboa, divulgou hoje o partido em comunicado. De acordo com a nota, Paulo Borges e a atual direção nacional do partido (à exceção de um membro) demitiram-se devido a "divergências profundas quanto ao rumo que alguns comissários pretendem dar ao PAN". "Na sequência disso, dois outros comissários também se demitiram", indicou ainda o comunicado. Segundo a nota, a direção nacional mantém-se em gestão até à eleição de novo órgão diretivo, em data ainda por confirmar. Paulo Borges é um dos fundadores do partido e seu presidente desde 2011. *Este artigo foi escrito ao abrigo do novo acordo ortográfico aplicado pela agência Lusa Agência Lusa

Página 35

Press Book - Setembro 2014  
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you