Page 1

“Uma Bala 30 anos Depois”, Pe. Jorge Vilaça O Papa João Paulo II resiste ainda na memória de várias gerações, admirado em diversos ângulos: desportista, ator, comunicador, pastor, Papa, ministro de Deus, líder e animador de massas e de fiéis. No entanto, talvez tenha ficado marginal a sua faceta mais fecunda: a de sofredor. Três anos após ter sofrido um atentado na praça de S. Pedro em Roma, experimentando por conta própria o limite da vida, publicou a 11 de fevereiro de 1984 a carta encíclica sobre o sentido cristão do sofrimento (Salvifici Doloris). Uma bala entrou-lhe no corpo e saiu-lhe em forma de testemunho. Nela define o ser humano como mistério e o sofrimento como apelo “à transcendência do homem”; sofrimento que suscita compaixão, respeito e intimidação. Por outro lado, apresenta a Sagrada Escritura como um grande “livro sobre o sofrimento”. Trinta anos depois, falta cumprir-se a leitura deste documento. A bala que originou este testemunho reclama ainda a fecundidade da reflexão antropológica e de agir pastoral: a compaixão nos encontros, o respeito pela centralidade dos que sofrem, a timidez respeitosa da linguagem, por exemplo, nas celebrações litúrgicas exequiais. Subsiste ainda demasiada ligeireza de pensamento, demasiada distância na visitação e, sobretudo, demasiada banalidade nos encontros.

Palavra

Vi d a

Mensagem Interparoquial de Outeiro, Painzela e Refojos de Basto - Cabeceiras de Basto

Escutar DOMINGO V DO TEMPO COMUM L1-Is 58, 7-10 L2- 1 Cor 2, 1-5 Ev - Mt 5, 13-16

É inesquecível a última aparição pública do Papa João Paulo II: no limiar das forças físicas, foi conduzido à janela do “angelus”, tentando sofregamente dizer algumas palavras à multidão que estava na Praça de S. Pedro e não o conseguindo fazer. Tentando repetidamente fazê-lo, ouve-se um tímido esgar de palavras imperceptíveis. Naturalmente todas as leituras deste gesto são possíveis mas é de todo sintomático que o sofrimento de um homem global, de um Papa e de um chefe de estado tenha sido assim visualmente exposto. Um Senhor exposto. Talvez nos tenha querido explicar-nos, olhos nos olhos, o que tinha escrito: “um outro grande capítulo deste Evangelho do sofrimento se vai desenrolando ao longo da história. Escrevem-no todos aqueles que sofrem com Cristo, unindo os próprios sofrimentos humanos ao seu [de Cristo] sofrimento salvífico”. De facto, o evangelho do sofrimento continua a ser escrito em silêncio em muitas casas, lares, hospitais.... E se o paradigma dominante apela ao “tudo jovem, tudo belo, tudo saudável, tudo com sucesso” a reflexão antropológica eclesial e o acompanhamento pastoral deve distanciar-se claramente deste equívoco. O acompanhamento pastoral tem a marca da compaixão, centro e natureza da autoridade, capaz de evitar a distância da piedade bem como a exclusividade da simpatia. A compaixão cristã exige, em primeiro lugar, a familiaridade com a nossa vida interior e a experiência pessoal da vulnerabilidade, expor-se a ferir e a ser ferido, lutando contra a tendência de ignorar ou negar as próprias feridas. Deste modo evita-se a ansiedade dos encontros emotivamente fortes, abre-se espaço para uma relação amadurecida, e dá-se lugar ao (já afirmado anteriormente por João Paulo II) “doente como sujeito de evangelização”. O doente não é um outro mas um pré-eu. A ferida do outro deixa de ser purulenta para mim para ser o lugar que me revela a identidade e a missão. Numa expressão: pode haver fecundidade e sentido no sofrimento. (continua) Horário para o atendimento paroquial no Mosteiro: Para qualquer assunto relacionado com documentação e marcações referentes às 3 Paróquias: 3ª, 5ª feiras e Sábados das 16h às 17h30; 2ª, 4ª e 6ª feiras das 09h às 13h. Contactos: paroquiascbc@hotmail.com Pároco [Pe Baptista]: 969419605|Cartório Paroquial [Eduarda Catarina]:969419606

e

Ano IV Nº 163

09 de fevereiro de 2014

«Vós sois o Sal da Terra. Vós Sois a Luz do Mundo.» Reflectir A Palavra de Deus deste 5º Domingo convida-nos a reflectir sobre o compromisso cristão. Aqueles que foram interpelados pelo desafio do “Reino” não podem remeter-se a uma vida cómoda e instalada, nem refugiar-se numa religião ritual e feita de gestos vazios; mas têm de viver de tal forma comprometidos com a transformação do mundo que se tornem uma luz que brilha na noite do mundo e que aponta no sentido desse mundo de plenitude que Deus prometeu aos homens – o mundo do “Reino”. No Evangelho, Jesus exorta os seus discípulos a não se instalarem na mediocridade, no comodismo, no “deixa andar”; e pede-lhes que sejam o sal que dá sabor ao mundo e que testemunha a perenidade e a eternidade do projecto salvador de Deus; também os exorta a serem uma luz que aponta no sentido das realidades eternas, que vence a escuridão do sofrimento, do egoísmo, do medo e que conduz ao encontro de um “Reino” de liberdade e de esperança. A primeira leitura apresenta as condições necessárias para “ser luz”: é uma “luz” que ilumina o mundo, não quem cumpre ritos religiosos estéreis e vazios, mas quem se compromete verdadeiramente com a justiça, com a paz, com a partilha, com a fraternidade. A verdadeira religião não se fundamenta numa relação “platónica” com Deus, mas num compromisso concreto que leva o homem a ser um sinal vivo do amor de Deus no meio dos seus irmãos. A segunda leitura avisa que ser “luz” não é colocar a sua esperança de salvação em esquemas humanos de sabedoria, mas é identificar-se com Cristo e interiorizar a “loucura da cruz” que é dom da vida. Pode-se esperar uma revelação da salvação no escândalo de um Deus que morre na cruz? Sim. É na fragilidade e na debilidade que Deus Se manifesta: o exemplo de Paulo – um homem frágil e pouco brilhante – demonstra-o.


A Vida Pastoral nas Paróquias de Santa Maria Maior de Outeiro | Santo André de Painzela | São Miguel de Refojos de Basto Quarta, 12/02 Outeiro|18h

Celebrar

Maria Augusta Martins Magalhães m.c. Marido Mª Alice Rebelo Nogueira m.c. Marido Pais, Sogros e Tia de Joaquim Carvalho Gonçalves Intenções de Joaquim Teixeira Carvalho e Esposa Deolinda de Oliveira m.c. Filhos Maria das Dores Teixeira m.c. Filha Deolinda Manuel Leite Nogueira m.c. Esposa Ao Santíssimo Sacramento m.c. Graça Barroso Pais e Sogros de Mª Dores Nogueira Mateus Amélia Mota Gonçalves m.c. Filha Paula Jorge Manuel Teixeira Marques m.c. Pais Intenções de Alfredo Teixeira e Esposa Manuel Teixeira Leite m.c. Filha Luísa Amélia Jesus Teixeira m.c. Nela e São Manuel Castro Teixeira m.c. Filho Paulo

Sexta, 14/02

Painzela|17h

Almas do Purgatório m.c. Emília Oliveira Castro Pais e Sogro de Glória Coelho António Sousa e João Camarinho m.c. Elisa Silva Castro Augusta Gomes de Araújo e Isabel Cristina Martins Gomes m.c. Maria Deolinda

Sábado, 15/02 Painzela|17h

Cândida Oliveira e Manuel Oliveira Castro m.c. Esposa Pais de Fátima Coelho

Sábado, 15/02 Capela de Fojos|19h

Intenções marcadas no local.

Domingo,16/02

Refojos| 8h

Domingo, 16/02 Outeiro|9h DOMINGO VI TEMPO COMUM L1 - Susana L2 - Eugénia Or.Uv.- Dores

Deolinda de Oliveira m.c. Filhos Intenções de José Vasconcelos Pires e Esposa Abílio Gonçalves m.c. Esposa Paulino Marques Mateus m.c. Esposa Tios e tias de Maria do Carmo José de Lemos m.c. Família Avós de Natalina, Susana e Helena Manuel Castro Teixeira m.c. Esposa Mª Dores Nogueira Mateus

Manuel Teixeira Leite m.c. Emília Gonçalves Leite António Barros m.c. Esposa Rosa Costa Marido, Filho e Pais de Maria Oliveira Gomes Pai e Sogro de Francisco Maria Magalhães Leite Pai e Sogro de José Augusto Costa Mateus Avós de Carla Mateus Maria Alice Rebelo Nogueira m.c. Filho Dino Maria das Dores Sousa Oliveira m.c. Filhos

Domingo, 16/02 Painzela|10h DOMINGO VI TEMPO COMUM L1 - Fernando L2 - Cristiana Or.Uv.- Sónia T.

Domingo, 16/02

Deolinda Silva Costa m.c. Filha Intenções de António Costa Oliveira Joaquim Vieira m.c. Filho Fernando e Esposa Avós e Tios de Sónia Teixeira Augusto Fernandes da Silva m.c. Esposa Alice da Silva Morais m.c. Maria da Silva Morais

Refojos| 11h

Anunciar Tela de S. Miguel Recuperada No próximo dia 15 de fevereiro, sábado, pelas 15h, no Mosteiro de S. Miguel de Refojos, vai-se realizar a apresentação pública de uma tela de S. Miguel que se julgava perdida e que entretanto a paróquia restarou. Este momento de alegria para toda a comunidade que contará com a presença do Sr. Arcebispo Primaz de Braga, D. Jorge Ortiga. Dia Arciprestal da Liturgia Realiza-se no próximo dia 15 de fevereiro, entre as 9h30 e as 12h, no Centro Pastoral de Refojos, e tem como destinatários todos os ministros extraordinários da comunhão, leitores, acólitos, directores de coro, organistas, zeladoras e sacristães do arciprestado de Cabeceiras de Basto. Missiononários Combonianos No próximo dia 16 de fevereiro, domingo, pelas 14h30, estarão em Refojos os missionários combonianos num encontro de oração.


A Vida Pastoral nas Paróquias de Santa Maria Maior de Outeiro | Santo André de Painzela | São Miguel de Refojos de Basto Celebrar

Terça, 11/02 Refojos|18h Rosa do Nascimento m.c. Filha Maria José Deolinda de Oliveira m.c. Filhos Mª Conceição Nogueira m.c. Filha Fernanda Rosalina Fernandes Ramalho m.c. Filhos João Martins m.c. Filha Lídia António Campos, Esposa e Filhos m.c. Filhos Joaquina, Marido, Genros, Nora e Netos m.c. Filhas Pais do Professor Tomás José Carvalho e Filhos m.c. Esposa Guilhermina Aniv. Manuel Antunes Martins m.c. Esposa e Filho Pais e Sogros de José Lima Guimarães José Guilherme de Andrade m.c. Filha Cândida Pelas Almas do Purgatório m.c. Maria Teresa Oliveira

Quinta, 13/02 Refojos|18h Deolinda de Oliveira m.c. Filhos Mª Josefina Marques Freitas m.c. filha Conceição José Serra,Rosa Serra e Benedito G. Serra m.c. Sobrinho e Filho Francisco José de Carvalho m.c. Esposa Armando Tavares (pai Prof. Manuela) m.c. Filha Deolinda de Jesus Barros e Marido m.c. Filhos António Campos, Esposa e Filhos m.c. Filhos Aniv. Carlos Alberto Marques m.c. Família António da Mota Oliveira m.c. Esposa e Filhos Manuel Mir. Teixeira, Pais, José Vasco e Clotilde Jesus m.c. Amélia Vasques Aniv. Pais e Sogros de Luísa Gomes Pereira Ramos Joaquim Pereira e Esposa m.c. Filha Emília Ana de Carvalho, José de Magalhães m.c. Filha Álvaro Francisco Rodrigues Monteiro m.c. Esposa e Filhos Sábado, 15/02 Refojos|18h José Maria Costa Oliveira m.c. Mãe Jorge Barroso Gomes m.c. Netos José de Magalhães e Esposa m.c. Filho Bernardino José Teixeira de Andrade m.c. Esposa Serafim Carvalho Teixeira m.c. Família

Artur de Sousa Barroso m.c. Esposa e Filha Maria de Fátima Novais e Pais m.c. Marido e Filhos António Martins Pacheco e Esposa m.c. Filhas Pelas Almas do Purgatório m.c. Celeste Vilela António Pereira m.c. Filha Margarida Francisco Araújo Graça m.c. Esposa Aniv. Rui Manuel Nunes Pereira m.c. Esposa José Gonçalves, Esposa e Filho m.c. Família Manuel Joaquim Martins e Esposa m.c. Filho Francisco Pelas Almas do Purgatório m.c. Glória Costa Vincent dos Santos Ferreira m.c. Mãe Domingo, 16/02 Refojos | 08h Manuel Teixeira Leite m.c. Filho António DOMINGO VI Manuel Teixeira Mendes e Pais m.c. Esposa DO António Sousa Cruz e Henrique Martins m.c. Esposa TEMPO COMUM Mª José Carvalho Teixeira e Marido m.c. Filhos Joaquina da Costa e Marido m.c. Filha Deolinda Refojos|11h

Pelo Povo

Tela de S. Miguel Recuperada No próximo dia 15 de fevereiro, sábado, pelas 15h, vai realizarse a apresentação pública da tela de S. Miguel que se julgava perdida e que entretanto a paróquia restarou. Convida-se todos os paroquianos a estarem presentes num momento de alegria para toda a comunidade que conta com a presença do Sr. Arcebispo Primaz de Braga, D. Jorge Ortiga. Dia Arciprestal da Liturgia Realiza-se no próximo dia 15 de fevereiro, entre as 9h30 e as 12h, no Centro Pastoral de Refojos, e tem como destinatários todos os ministros extraordinários da comunhão, leitores, acólitos, directores de coro, organistas, zeladoras e sacristães do arciprestado de Cabeceiras de Basto. Missiononários Combonianos No próximo dia 16 de fevereiro, domingo, pelas 14h30, estarão em Refojos os missionários combonianos num encontro de oração.

Jornal 163 09 de fevereiro de 2014