Page 1

Boletim Informativo da Paróquia São José do Ipiranga - nº 45 - março de 2013

Q

APRESENTANDO O BOLETIM

ueridos devotos de São José, paroquianos e leitores,

Neste mês de Março seremos agraciados por Deus de uma forma muito especial. Celebraremos no dia 19 a grande festa do nosso padroeiro e patrono da Igreja, ‘São José’. São José é um dos santos mais populares da Igreja Católica, muito querido na fé do povo. Segundo os Evangelhos, José era descendente do rei Davi, carpinteiro, esposo de Maria, da qual nasceu Jesus. De 24 à 31 celebraremos a ‘Semana Santa’, acontecimento fundamental da nossa fé - Paixão, Morte e Ressurreição de Nosso Senhor Jesus Cristo. Continuaremos o nosso estudo sobre o Concílio Vaticano II. No dia 08, prestaremos uma especial homenagem e o nosso carinho a vocês queridas mulheres. O Tempo da Quaresma é uma oportunidade de estar mais próximo de Deus. A Igreja nos convida a procurar o sacramento da ‘Reconciliação’ ao menos uma vez por ano. Aproveito para convidar a todos para o Mutirão de confissões, no dia 22 (sexta-feira) às 20h. Estarão vários padres à disposição para ouvir as confissões. Venha participar! E por fim, apresentamos as informações, convites e atividades de nossa paróquia. São José, rogai por nós! Pe. Ramires Henrique de Andrade,nds

Domingo de Ramos (duas missas): 9h30m - Início da Missa na Creche Santa Catarina Labouré, com a bênção dos ramos, 24 de março saindo em procissão para a Paróquia. 19 horas - Missa com a bênção dos ramos na Paróquia. 25 de março Missas às 7h e 19h 26 de março Missas às 7h e 19h 27 de março Missas às 7h - 15h (Unção dos Enfermos) e 19h Quinta-feira Santa - 20h -Missa do Lavapés - Instituição da 28 de março Eucaristia - Início do Tríduo Pascal - Vigília e adoração ao Santíssimo após a missa até a meia-noite. Sexta-feira Santa: 7h = continuação da vigília; 10h = Via Sacra; 29 de março 15h = Celebração da Paixão seguida do beijo da cruz e exposição do Senhor morto; 19h30m = Pregação das Sete Palavras e Procissão com o Senhor morto nas ruas do bairro. (trazer velas). 30 de março

Sábado de Aleluia - missa às 20h - Celebração da Vigília Pascal (trazer velas).

31 de março

Domingo de Páscoa - missas às 8h - 9h30m - 11h - 16h30m e 19 horas.


G lo ri o s o Sã o J o s é “São José foi escolhido pelo Pai para ser o guarda fiel e providente dos seus dois maiores tesouros: O Filho de Deus e a Virgem Maria. E ele cumpriu com a máxima fidelidade sua missão. Eis porque o Senhor lhe disse: ‘Servo Bom e Fiel!’ Vem participar da alegria do teu sonho”. (Mt 25,21) (Sermão de São Bernardino de Sena).

Quem foi São José?

Q

ue o Messias havia de nascer da linhagem de Davi era uma afirmação tão claramente expressa nos profetas que não havia qualquer hesitação a esse respeito. Quando o anjo do Senhor aparece em sonhos a José, antes do nascimento de Jesus, dirigi-se a ele dando-lhe o título de nobreza: José, filho de Davi... (Mt 1,20). A genealogia de José é enfatizada tanto na narrativa de Mateus como na de Lucas. Em Mateus lemos que Jacó gerou José, esposo de Maria, da qual nasceu Jesus Cristo. São José era, conforme os Apócrifos, um Faber Ignarius – Operário de Madeira ou carpinteiro. São José foi o patriarca da transição do Antigo para o Novo Testamento. O Guardião Providente da Sagrada Família. José –“Aquele que acrescenta”. José, O Justo, conforme as escrituras foi escolhido por Deus para ser esposo da Virgem Maria e o Pai adotivo do Messias. Deus propõe a José a maior de todas as dádivas, a mais importante missão confiada a um homem, a maior glória no céu e também provações. José entende, de coração atende a Deus, e com toda a sua humildade e pobreza, acolhe Maria, A Virgem de Nazaré. Casase com ela e com o suor de seu rosto provê o sustento Daquele que ao mundo sustenta. Seguem para Belém, e lá na terra do Rei Davi, o filho de Deus nasce e seus primeiros adoradores são Maria e José. Em sonho José é avisado a fugir para o Egito. Fogem de madrugada para salvar a esperança de um povo. Retornam a Nazaré, seguem o curso comum da história de pessoas aparentemente comuns. São José ensinou Jesus a conhecer as letras e a manusear as ferramentas e as madeiras. São José era a ternura de Deus-Pai, humanado. É invocado como o patrono da Boa Morte, pois teve a mais privilegiada da humanidade. Tendo de um lado Jesus e de outro Maria, provavelmente recomendou a Jesus que cuidasse bem de sua Mãe! A devoção a São José é antiquíssima. O Papa Clemente XI compôs o ofício com os hinos para o dia 19 de Março. Santa Tereza de Jesus dizia: “Tomei a São José por meu advogado e protetor e não me lembro de ter-lhe pedido algo que não me atendesse... quisera persuadir o mundo inteiro a ser devoto deste glorioso Santo”. São José rogai por nós! Disponível em <http://marcioreiser.blogspot.com.br/2010/02/sao-jose.html > Acesso 12 fev 2013


CONCÍLIO VATICANO II

D

e que se fala no Concílio Vaticano II?

Os textos que resultaram do Concílio Vaticano II abordam os temas mais diversos como as fontes da fé, a liturgia ou ainda a liberdade religiosa e as relações com as outras religiões. Em geral, podemos agrupar os temas tratados em três categorias: o que é a Igreja, o que a Igreja faz e as relações da Igreja com o mundo. Durante o Concílio, algumas matérias foram discutidas de forma especial. Na primeira sessão, o esquema sobre a Revelação foi muito criticado e João XXIII foi forçado a intervir no sentido de adiar o estudo do texto. Na segunda sessão, Paulo VI se envolve diretamente na questão da colegialidade. Finalmente, a elaboração de textos sobre o ecumenismo, a liberdade religiosa e os judeus deram lugar a acalorados debates na aula conciliar. Como votam os padres conciliares? Uma vez corrigidos, os esquemas iniciais são submetidos à votação. Dessa maneira, foram realizadas 538 votações durante as congregações gerais das quatro sessões. Com uma média de 2.200 cédulas, foram, no total, mais de um milhão de cédulas distribuídas. Enquanto um esquema não era aprovado por uma maioria de dois terços, ele era novamente modificado pelas respectivas comissões. Quando o texto era aprovado, ele podia ser promulgado pelo Papa sob a forma de Constituição, decreto ou declaração. Ao longo das quatro sessões do Concílio, foram promulgadas quatro Constituições, nove decretos e três declarações. Disponível em <http://www.ihu.unisinos.br/noticias/506998-vaticano-ii-um-concilio-ecumenico> Acesso em 12 fev 2013

continua na próxima edição...

INSPIRE-SE NAS GRANDES MULHERES DA BÍBLIA

S

ARA, A ESPOSA PERFEITA

E

STER, A CORAJOSA

“Um coração obediente”

Foi a rainha mais importante que Israel já teve. Judia e órfã, ela foi criada por um parente. Quando se casou com o rei Assuero, Ester fez de tudo pelo povo judeu. Tem um livro da Bíblia só dela. - Principais virtudes: Ester descobriu que havia um plano para exterminar todos os judeus. Ela se preparou espiritualmente com um jejum de três dias e orações. Ao final do período, Ester revelou ao rei que era judia e conseguiu salvar o povo. - Características: Sábia diante de uma situação difícil ela não se desesperava: buscava soluções em Deus para tomar decisões. Destemida, não ficou com medo de agir para salvar os judeus. Era ousada e inteligente, e tinha uma fé admirável. Humilde, em vez de se mostrar a dona da razão, ela procurava respeitar a opinião dos outros. - Seja como Ester: Não aja por impulso, procure sempre orar antes de tomar as suas decisões. Ester também era muito atenciosa.

Esposa de Abraão, o primeiro dos patriarcas bíblicos. Deus prometeu a Abraão um filho que daria origem a todo o povo de Israel. Sara foi a mulher escolhida para dar à luz essa criança. Ela era chamada de mãe de multidões e vista como o modelo ideal de mulher casada. - Principais virtudes: Sara era estéril e mostrou ter muita fé quando não desistiu de ter o filho que o Senhor lhe prometeu. Ela perseverou na crença e, aos 90 anos, deu à luz Isaque, que era o herdeiro da promessa feita a Abraão. Por isso, ela é a única mulher mencionada entre os heróis da fé (Hebreus 11:11), pessoas que exercem influência até hoje, como Moisés e Davi. - Características: Dedicada, o filho e o marido podiam sempre contar com ela. Ela estava ao lado deles em qualquer situação. Acompanhava Abraão em todas as viagens. Fiel a Deus, Sara não desistia fácil das promessas de Deus e procurava fazer as vontades dele. Alegre, ela recebia as pessoas em casa com felicidade e as servia com prazer. - Seja como Sara: NÃO DESISTA NUNCA DOS SEUS SONHOS. Seja confiante em Deus e nas promessas dEle. Coloque sua família em primeiro lugar, seja companheira e procure ter os mesmos objetivos que o seu marido.

R

UTE, A COMPANHEIRA FIEL

Rute era casada com o hebreu Malom e se dava muito bem com a sogra, Noemi. Quando ficou viúva, se apegou muito à sogra, a ponto de acompanhá-la até Belém. Lá, se casou com Boaz e reconstruiu a própria vida. Jesus é um dos descendentes de Rute. - Principais virtudes: A amizade, a fidelidade, a dedicação e o desprendimento. Fez um dos mais lindos votos de amizade à sogra. “Onde quer que pousares, ali pousarei eu. O teu povo é o meu povo, o teu Deus é o meu Deus” (Rute 1:16). - Características: Amiga, tratava bem a todos e era muito carinhosa. Responsável, trabalhava em campos de cevada e nunca reclamava do trabalho, fazendo o melhor. Confiável, procurava ser honesta e íntegra nos afazeres diários. Tinha uma boa reputação e chamava a atenção dos chefes por isso. - Seja como Rute: Ela era uma mulher muito doce e competente. Para agir como Rute, seja íntegra em tudo que fizer: trabalho, casamento e família.

‘08 de março - Dia Internacional da Mulher’ - Feliz Dia da Mulher!


S E R V I Ç O PA S T O R A L TRABALHOS ADMINISTRATIVOS E PASTORAIS

O SACRAMENTO DO PERDÃO E RECONCILIAÇÃO

O

perdão é a expressão máxima do amor, da bondade, da misericórdia de Deus. Como é bom! Como a gente se sente bem, no fundo do coração, quando se é perdoado e, ou quando se perdoa! O perdão é aquilo que mais nos aproxima de Deus. A Bíblia é realmente, do começo ao fim, a história do Pai que sempre perdoa seus filhos. Não é só a história do perdão, mas é também a da reconciliação. Mesmo quando o homem rompe com Deus, Ele não reage “fechando a porta por dentro”. Deus jamais rompe! Ele sempre perdoa quando há arrependimento sincero. Assim é Deus-Pai! Assim também Jesus nos Evangelhos, sempre acolhedor para o perdão: Zaqueu, a adúltera, Mateus, Madalena; na agonia da cruz perdoa os inimigos. Nas curas que realizava a condição era sempre crer no perdão: “Teus pecados te serão perdoados, vai em paz”. Mc 2,5; “Não te digo até sete, mas até setenta e sete vezes sete” Mt 18,22; “... pois isto é o meu sangue, o sangue da Aliança que é derramado por muitos para a remissão dos pecados...” Mt 26,28. Ora, esse perdão que encontramos no anúncio do Evangelho deveria continuar na Igreja como uma constante do procedimento de Jesus. Se para cada etapa, para cada circunstância da vida do cristão, Jesus deixou sinais – sacramentos, para a realidade do perdão, também deveria instituir um sinal visível, para que, pelo perdão sacramental visível pudéssemos nos encontrar com Ele durante toda a nossa vida. A Igreja é a continuação do Cristo Salvador. É a essa Igreja feita de homens, e divina porque conta com a presença do Espírito Santo que Jesus vai confiar a missão, e o poder para continuar fazendo o que Ele fazia: anunciar a Boa Nova revelando sempre o Plano de Deus, e através dos sinais-sacramentos, santificar os cristãos, possibilitando-lhes os encontros com Cristo por toda sua caminhada. Um desses encontros é certamente o perdão dos pecados através do sacramento do perdão e da reconciliação. Vemos nos Evangelhos a vontade e decisão explícita de Jesus de dar à Igreja todos os poderes necessários, inclusive o de perdoar os pecados em nome dEle. E, após a ressurreição, em uma de suas aparições aos Apóstolos dando-lhes as últimas recomendações a respeito da Igreja e sua missão diz claramente: “Recebam o Espírito Santo. Aqueles a quem vocês perdoarem os pecados ser-lhes-ão perdoados; aqueles a quem os retiverdes, ser-lhes-ão retidos”. É o mesmo Espírito Santo dos outros sacramentos que está presente, e atua na Confissão. A Confissão – sacramento do perdão é por excelência o sacramentosinal da misericórdia de Deus. A maior sensação que se pode ter de Deus é a sensação do perdão.

Preparação para Mutirão de Confissão Dia 22 de março, às 20 horas

CINCO PONTOS BÁSICOS PARA UMA BOA CONFISSÃO: 1- Exame de consciência, verificando os pecados cometidos, e o ato de contrição; 2- Arrependimento sincero pelas ofensas feitas contra Deus e os irmãos; 3- Firme propósito de não mais pecar, esforçando-se para vencer o pecado; 4- Confessar os pecados integralmente e sinceramente ao Sacerdote; 5- Cumprir a penitência imposta pelo Sacerdote ao término da confissão.

Pároco: Padre Ramires Henrique de Andrade, nds Vigário: Padre Antônio Glugoski, nds Vigário: Padre José Maria Leite, nds EXPEDIENTE PAROQUIAL Rua Agostinho Gomes 1941 Telefone: 2063-1818 / 2063-2523 Site: www.paroquiasjdoipiranga.com.br ATENDIMENTO DA SECRETARIA Segunda a sexta-feira: 8h às 17h Sábados: 8h às 12h e 13h30m às 17h Informações sobre Batismo, Catequese e Matrimônio

HORÁRIO DAS MISSAS Segunda a sexta-feira

19 horas

Sábado

15 horas – Missa de São José

Domingo

8h, 9h30m, 11h, 16h30m e 19h

Quarta-feira

12h10m

1ª quinta-feira do mês

Missa da Misericórdia -20 horas

Todo dia 19

Missa de São José – 16 horas

JUBILEU DE OURO DA ORDENAÇÃO SACERDOTAL Pe. Antônio Glugoski, nds Dia 31 de março de 2013 às19 horas.

35º ECC ENCONTRO DE CASAIS COM CRISTO Inscrições Limitadas!!! Dias 12/13/14 de Abril 2013 Informações : Nane – 99768-5758 Cesar – 94100-5678 e-mail : contatoecc@hotmail.com

‘VENHA PARTICIPAR CONOSCO’

Lojinha da Paróquia São José

Conheça os artigos religiosos de nossa Paróquia.

Boletim informativo de marco de 2013  

Boletim Informativo de Março de 2013.pdf

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you