Page 1

Ano XXVII - nº 346 Setembro de 2013 Distribuição gratuita Infomativo da Paróquia Nossa Senhora de Loreto Fundada em 6.3.1661 www.loreto.org.br

A palavra

de Deus

Círculos Bíblicos Página 12

O significado da Benção Página 19


Direção Espiritual

Pe Sebastião Coordenação

Hélia Fraga Equipe de Trabalho

Ana Clébia, Bira, Helinho, Badá, Corredeira, Thiago Santos Diagramação

Lionel Mota Impressão

Gráfica Stamppa

MARCOS SANTOS/USP IMAGENS

Índice Expediente

Editorial............................................................................................. 3 Temas Bíblicos................................................................................. 4 Escritos de Santo Antônio Maria Zaccaria ������������������������������ 5 Os mistérios da vida pública de Jesus........................................ 6 Espaço Litúrgico ............................................................................. 7 A oração no Mês da Bíblia............................................................. 8

8

Aprofundamento EPVM............................................................... 9 Bíblia, a revelação de Deus para a humanidade ������������������10 Círculos Bíblicos............................................................................12 Falando Francamente..................................................................16 70 anos da Irmã Elci.....................................................................17 Nascimento de Jacarepaguá........................................................18 O Significado da Bênção.............................................................19 Fé e Política.....................................................................................20 Agenda.............................................................................................21 Loretinho.........................................................................................22

Expediente Paroquial MATRIZ PARÓQUIA NOSSA SENHORA DE LORETO End.: Ladeira da Freguesia, 375 - Freguesia Jacarepaguá - RJ - CEP 22760-090 Tel.: 3392-4402 e 2425-0900 Emails: adm@loreto.org.br (Administração) secretaria@loreto.org.br (Secretaria) Site: www.loreto.org.br HORÁRIO DA SECRETARIA Segunda a Domingo: das 8h às 19h HORÁRIO DAS MISSAS Segunda a sexta: 7h e 19h30. Sábado: 7h e 18h30. Dom.: 7h; 8h30 (crianças); 10h30 e 19h. CONFISSÕES 3ª a 6ª de 9 às 11h e de 15às 17h

Sábado de 9 às 11h na secretaria. EUCARISTIA para doentes Atendimento domiciliar e hospitalar. Marcar por telefone com a Secretaria. BATISMO - atendimento na Sacristia. Inscrições: 5ª e Sábado - 9h às 11 CAPELAS Endereços das Capelas e os Horários das Missas NOSSA SENHORA DA PENNA: Missas: Dom. 11h NOSSA SENHORA DO AMPARO Estrada de Jacarepaguá, 6883 ANIL CEP 22753-045 Tel: 2447-6802 Missas: 4ª 18h, Sáb. 16h (cateq.) e Dom. 7h30 NOSSA SENHORA DE BELÉM

Rua Edgard Werneck, 217 - FREGUESIA CEP 22763-011 Tel: 2445-2146 Missas: Terças e Quintas: 17h30 e Dom. 16h30 SÃO JOSÉ (CARMELO) Rua Timboaçu, 421 FREGUESIA CEP 22745-170 Tel: 3392-0408 Missas: Seg. a Sábado 7h30 e Domingo 9h15 SANTO ANTONIO Rua Edgard Werneck 431 FREGUESIA CEP 22763-011 -Tel: 3094-4139 Missas: 2º a 6º 6h15 (durante as aulas), Sáb. 17h e Dom. 8h INSP Estr do Pau Ferro. 945 FREGUESIA CEP 22743-051 Tel:3392-2521 Missas: Dom. 8h


A volta da Pastoral Familiar

A falta de preparação para o matrimônio deve ser reconhecida como a maior causa dos casamentos desfeitos.

Editorial Pe. Sebastião Noronha Cintra*

Querido paroquiano, prezado leitor. A nossa paróquia quis marcar este mês vocacional que encerramos com a reimplantação da Pastoral Familiar. Era uma necessidade sentida muito amplamente e uma exigência em termos de atividades pastorais. Percebem-se dois grandes desafios para a Pastoral Familiar (Guia de implantação): 1. Ser uma equipe de reflexão, estudo e planejamento sobre a Família no âmbito da Paróquia e 2. Integrar os Movimentos e Serviços Familiares da Paróquia para que possam ajudar às famílias em todos os setores. A Pastoral Familiar se constitui em 3 setores: o setor Pré-Matrimonial, o setor Pós-Matrimonial e o setor Casos Especiais. A falta de preparação para o matrimônio deve ser reconhecida como a maior causa dos casamentos desfeitos. Agir pensando na constituição das futuras famílias com uma preparação remota, depois uma preparação próxima e finalmente a preparação imediata para o Matrimônio. Será preciso abordar primeiro as famílias (crianças, adolescentes e jovens) e só depois pensar na preparação dos noivos. A ação depois do matrimônio é a formação continuada dos casais com atenção para recém casados, pais de crianças pequenas, de adolescentes, casais em crise, idosos, doentes, viúvos. Quanto trabalho deverá ser feito... Por fim, as atividades junto às famílias que devem ser acolhidas como casos Especiais conforme pediu o Beato João Paulo II, na Familiaris Consortio (77-85). Enfim, é preciso lembrar que a Pastoral Familiar não vai tomar o lugar de nenhum movimento ou serviço já existente na paróquia. Vamos juntos refletir e encontrar o lugar e a missão de cada um, de cada uma. Mês da Bíblia. O nosso Plano de Pastoral de Conjunto, o 11º, lembra que a Palavra de Deus é o lugar privilegiado para o encontro com Jesus Cristo e que todos nós temos que ter um vínculo muito forte com a Sagrada Escritura usando para isso todos os recursos. A Iniciação Cristã deverá promover fortemente este contato. E especialmente os Círculos Bíblicos que devem se espalhar por toda a paróquia, vão alimentando essa prática. “Não se trata de estudo da bíblia para aumento do conhecimento, mas de trazer a Bíblia para o coração, a mente, a vida. (11ºPPC, 61) Seguindo a orientação do Doc. de Aparecida, precisamos recuperar a Leitura Orante como um rico caminho para o contato com a Sagrada Escritura. (DA, 249). Uma das propostas é investir na metodologia da Leitura Orante com a formação de animadores ou monitores. (PPC, 65.2) Maria, que trouxe a Palavra Encarnada e a apresentou ao mundo, nos incentive e abençoe. Setembro 2013

O Mensageiro

3


Temas bíblicos Padre Fernando Capra

Evangelho de João (27) Jo 15,18-16,33 (iii) O Espírito (15,26-16,15)

O

Espírito é, para a Igreja, o Defensor. Assistidos pelo Espírito Santo, e em virtude de seus dos de sabedoria, entendimento, conselho, fortaleza, ciência, piedade e temor de Deus, os fiéis chegam a toda verdade. A sabedoria, enquanto encabeça a lista, resume em si todos os outros dons e constitui-se em vida divina em nós, à semelhança de Jesus. Os dons do Espírito acompanham a humanidade de Jesus desde a sua concepção, promovidos pelo mesmo Espírito que está sempre com ele. Nós os recebemos participados, por ter Jesus possibilitadoa ação do Espírito em nós em virtude da purificação dos pecados obtida com a sua Morte. Configurados a Cristo Jesus, sacerdote, profeta e rei pelos dons da fé, da caridade e da esperança, somos chamados a desenvolver a vida divina firmando-nos sempre mais na vitória sobre o mundo, juntando à fé a virtude, o autodomínio, a perseverança, a piedade, o amor fraterno (2P 1,5s). Esse processo ascético nos permite andar como Jesus andou porque nos ajuda na observância dos mandamentos de Jesus. A respeito disso, São Paulo é explícito quando nos exorta a promovermos a fé porque é por ela que se revela a justiça (Rm 1,17). A compreensão das verdades divinas promove o dom do conselho que, com o dom da fé promove em nós a fortaleza e a ciência. A piedade terá então as condições de nos relacionar mais profundamente com Deus, nos tornando homens cheios de temor diante dele, sábios, portanto. O Espírito é o precioso dom que desce sobre nós do Pai das luzes e que nos

conduz à posse do Verdadeiro enquanto repete em nós o processo que realizou na humanidade de Jesus até torná-la capaz, levada à perfeição, de participar da Glória da Vida Trinitária. Esse processo se realizou nos Apóstolos de forma carismática, devido à sua vocação para serem testemunhas de Cristo e arautos da sua mensagem. Logo compreenderam a condição de Jesus como Cristo de Deus e, consequentemente o sentido da sua Morte. De imediato, e o vemos particularmente em Pedro, se tornaram capazes de dar testemunho do seu Mestre. Realizava-se neles a profecia de Jesus que anunciava que somente mais tarde estariam em condição de segui-lo. Vemos, então, que, quanto à doutrina, eles entendem o pecado cometido pelos adversários de Jesus e que Deus o glorificou. Entendem, em terceiro lugar, qual é o verdadeiro Reino que ele estabeleceu. Trata-se do Reino do Filho no qual o Pai nos transportou, arrancando-nos do poder das trevas (Cl 1,13). Entendem, enfim, “qual é a riqueza da herança destinada aos santos” (Ef 1,18) que Cristo Jesus dará quando vier pela segunda vez.

O Espírito é o precioso dom que desce sobre nós do Pai das luzes e que nos conduz à posse do Verdadeiro

O Mensageiro

Setembro 2013

4

Perguntas para reflexão: 1ª)De que forma os dons do Espírito se relacionam às virtudes lembradas por 2Pd 1,5s? 2ª)Por que o cultivo da fé tem que ser o primeiro dos nossos compromissos cristãos? 3ª) De que forma o Espírito tornou os Apóstolos aptos para a sua missão?


Escritos de Santo Antônio Maria Zaccaria Sermão 7

Animando os Companheiros II frentar os sofrimentos! Quanta força ele teve para vencer a si mesmo e ao mundo! Quanta firmeza, tolerando as ofensas! Quanta disposição para suportar qualquer sofrimento, até os mais duros, por amor de Cristo! Ele aceita todos os deboches como se fossem pedras preciosas enviadas do céu; as ofensas lhe agradavam mais do que os elogios! Desejava mais sofrer por causa do Cristo, do que ter alegrias por causa das felicidades do mundo! E agora, ele ocupa um lugar mais alto e mais glorioso no céu, porque foi mais humilde e rebaixado aos seus próprios olhos dos olhos dos outros aqui na terra. Irmãos caríssimos, imitemos este santo e não seja peso para nós segui-lo na nossa vida e nos nossos costumes; não o honremos só com nossas celebrações e louvores!

Em Francisco, reflete-se um grande exemplo de piedade cristã e de intensa caridade

20712 E, do mesmo modo que a Igreja Católica, embora perturbada no passado por perseguições ferozes, não desanimou, mas cresceu a cada dia a nossa Congregação, também, não será destruída pelas ofensas; mas, se soubermos resistir, ela aumentará e se tornará mais forte, mesmo que muitos males venham a cair sobre ela. 20713 Os mártires e todos os santos de Deus - homens e mulheres - passaram por este caminho, passaram por fogos e águas (SI. 71, 12) e chegaram ao céu. "E todos que quiserem viver unidos a Jesus Cristo serão perseguidos" (2Tm.3,12). 20714 Para não falar de outros, vamos considerar somente São Francisco, cuja festa hoje celebramos: "não nos pese imitar o que queremos celebrar". Em Francisco, reflete-se um grande exemplo de piedade cristã, de profunda humildade e, acima de tudo, de intensa caridade. Como ele estava pronto para en-


Os mistérios da vida pública de Jesus Jane do Térsio

O batismo O

de Jesus (II)

Batismo de Jesus é a prefiguração do nosso batismo: com Jesus descemos à água e com Ele subimos novamente, renascendo da água e do Espírito para vivermos em uma vida nova, nos tornarmos, no Filho, filhos bem amados do Pai. Aqui é interessante uma explicação: Jesus é filho do Pai por geração, foi gerado

pelo poder do Espírito Santo no seio de Maria. Nós somos criaturas, então somos filhos de Deus por adoção. A tentação de Jesus Após o Batismo, Jesus é levado pelo Espírito ao deserto onde permaneceu por quarenta dias e depois desse período Satanás o tenta três vezes questionando sua atitude filial para com Deus. Jesus não se deixa levar pela conversa e promessas de Satanás. Isto nos faz recapitular as tentações de Adão no Paraiso e as de Israel no deserto. Jesus é o novo Adão e fazendo um paralelo entre os dois, vemos que Adão não resiste à tentação e desobedece. Já Cristo se revela como o Servo de Deus, totalmente obediente à vontade divina. Vemos também que a tentação de Jesus é uma das maneiras que o Filho de Deus tem de ser o Messias. Um Messias humilde que triunfa sobre Satanás por sua total adesão ao desígnio de salvação querido pelo Pai. Ele vence o Tentador por nós. São duas vitórias que podemos observar: a primeira no deserto e a segunda na Paixão. A liturgia da Igreja no Tempo da Quaresma, durante 40 dias, nos une ao mistério de Jesus no deserto.


Espaço litúrgico

A liturgia

A

s Equipes de Liturgia são, pois, um fruto feliz da renovação litúrgica do Concílio Vaticano II. De fato, a reforma teve o mérito de enfatizar a participação dos fiéis na liturgia, como direito e como dever, dada a sua condição de batizados, inseridos que foram no mistério de Cristo, quando, sacramentalmente, renasceram para uma vida nova, também ela essencialmente missionária, a serviço e a caminho do Reino. Em nossa paróquia temos a nossa Pastoral da Liturgia, a participação plena de cada um, mas também devemos estar voltados para o serviço do louvor de Deus e santificação dos homens, dimensão essencial da Liturgia, o que supõe ação não só atitude

A Liturgia é uma ação sagrada, através da qual se exerce e prolonga a obra sacerdotal de Cristo

orante, mas também preparação e disposição e, mais ainda, o testemunho existencial e cúltico, manifestado por uma fé não só rezada, mas também plenamente vivida e praticada, buscando em estudos parao crescimento espiritual de todos, fundamental para caminhar. “A Liturgia é uma ação sagrada, através da qual, com os ritos, na Igreja e pela Igreja, se exerce e prolonga a obra sacerdotal de Cristo, que tem por objetivos a santificação dos homens e a glorificação de Deus”. Paz de Cristo. Joel Pastoral da Liturgia


A Oração no

N

Mês da Bíblia

este mês somos convidados, pela Igreja, a refletir sobre a Palavra de Deus de uma maneira especial: Setembro é o mês da Bíblia. É através do texto bíblico que podemos ver a história de um povo que foi escolhido por Deus para ser o Seu Povo. Através da história deste povo podemos ver nossa história, podemos perceber como Deus vai instruindo Seu povo a cada vez mais estar diante Dele, na Sua presença. Você que está lendo este texto pode estar se perguntando: "Porque estamos falando sobre Bíblia na seção de espiritualidade?". Quando falamos espiritualidade, subentende-se a palavra Espírito, na Bíblia, "Ruah" que é vento, sopro de Deus, é Ele quem dá a vida ao ser humano (cf. Gn 2,7). Este sopro de Deus, é presença de Deus, é na brisa leve que Elias reconhece a presença do Senhor. Sendo assim, podemos encontrar na Bíblia grandes momentos de oração, tanto no Antigo como no Novo Testamento, pessoas que fizeram a experiência com o Deus Vivo. Nos evangelhos podemos ver Jesus ensinando Seus discípulos a rezar, a falar com o "Pai que está nos céus". Estar diante da Bíblia é fazer memória dos fatos acontecidos e experimentá-los em nosso dia-a-dia, atualizando-os, revivendo-os. Pelo texto bíblico podemos perceber

que desde o início a oração caminha junto com o ser humano, com a Igreja. Podemos agora nos perguntar: a Bíblia nos fala de oração, mostra as pessoas orando, mas como podemos rezar com ela? A escola de Santo Inácio nos ensina que a atuação do Espírito em nós só é percebida quando nos dispomos a ouvir atentamente, "com obediência e perseverança", a Palavra de Deus. Muito ajuda seguirmos alguns passos ao orarmos um texto bíblico. Depois de escolher o texto, busco um lugar tranquilo que me ajude a silenciar interiormente. Devo tomar consciência de que estou na pre¬sença de Deus e direcionar meus desejos, pensamentos e vontades para o seu serviço. O texto deve ser lido calmamente, saboreando as palavras que mais me chamam atenção, imaginando a cena que está sendo lida, as pessoas, o lugar. Converso com Deus como falo com um amigo, deixando-me guiar pelos sentimentos experimentados durante a oração. Por fim, recordo a minha oração e anoto tudo o que foi significativo para mim. Reler minhas anotações é perceber Deus escrevendo na minha história hoje. Prof. Alexandre Britto Professor do Curso Teologia para Leigos do Centro Loyola


Aprofundamento EPVM A equipe dos Encontros de Preparação para a Vida Matrimonial participou, no dia 18 de agosto, de mais um aprofundamento. Coordenado pelo casal José e Walnice, o evento foi conduzido pelo Padre Luiz Antônio e teve como tema a Espiritualidade Zaccariana – Luz para os nossos tempos. Alguns tópicos que marcaram o evento, a partir dos ensinamentos de Santo Antônio Maria Zaccaria: O perfil de quem se prepara para a missão: . Discreto: capaz de observar tudo com profundidade.

. Coração grande e ânimo generoso: capaz de enfrentar todos os obstáculos. . Perseverante nos empreendimentos: capaz de chegar ao fim do que foi começado. . Profundamente humilde: capaz de reconhecer limitações e potencialidades, suas e dos outros. . Muito amor pela oração e meditação: capaz de enxergar tudo e todos com os olhos de Deus. . Grande e reta intenção: capaz de manifestar boa vontade, fogo e luz. . Avançar cada vez mais e em coisas cada vez mais perfeitas: capaz de crescer sempre e de se tornar aquilo o que ainda não é.

. Confiança na ajuda de Deus: ter intimidade com Deus, não se julgando auto-suficiente. A Missão: . O sucesso da missão depende da fé em Deus. . A missão não tem limites. (Até onde Cristo puser os limites) .Os frutos da missão aparecem aos poucos – nas coisas de Deus existe profundidade, mas se procede degrau por degrau. . Missão e liberdade: não se obriga ninguém. . O sustento da missão é o Cristo Crucificado – a nossa missão é a mesma de Jesus Cristo. . A essência da missão é atender o próximo – damos ao próximo o que gostaríamos de dar a Deus. É o próximo que precisa de nossos bens. . Missão é trabalho em equipe, co-responsabilidade, descentralização, divisão de tarefas. Padre Luiz Antônio enfatizou a necessidade de conhecermos os nossos defeitos, que atrapalham o nosso progresso espiritual. Assim aconselha Santo Antônio Maria Zaccaria em sua Carta 3, Parágrafo 13: “... na meditação, na oração, nos pensamentos, esforce-se para conhecer os seus principais defeitos e, acima de todos, aquele defeito que, como comandante geral, chefia os outros que existem em você. Querendo acabar com ele, esforce-se também para acabar com os outros que aparecerem, do mesmo jeito que faz quem deseja matar o comandante do exército inimigo, que fica protegido no meio de suas tropas: tendo os olhos sempre voltados para o que é mais importante, abra caminho até ele, matando todos os que estiverem a sua frente. É assim que você deve fazer no combate aos seus defeitos.” E, no Parágrafo 16: “Observando tudo isso, você chegará à intimidade com o Cristo Crucificado. Mas, comportando-se de modo diferente, você ficará bem longe: e é isso que eu não quero ver em você, porque o considero muito como irmão em Cristo. Amém”.


Bíblia,

a revelação de Deus

para a humanidade

Q

ueridos irmãos, ela é a bússola que orienta a vida do homem. Antiga e sempre atual, a Bíblia, o livro mais vendido no mundo, está ao alcance de todo aquele que deseja conhecer a Deus e fazer Sua vontade. Com tantas traduções, especulações, ataques e até mesmo descrédito, a Bíblia está sempre viva e firme na contramão de ciências humanas e pessoas que insistem em menosprezá-la. E, apesar de tudo isso, a Bíblia apresenta uma unidade que só seria possível se um único escritor fosse responsável por todo o seu conteúdo. O autor da Bíblia é Deus, que revelou Sua mensagem à humanidade, através de homens inspirados pelo Espírito Santo. Sem a Bíblia, podemos crer na existência de Deus, mas não saberíamos quem Ele é, como é, se deseja ou espera algo de nós ou como podemos conhecê-Lo. Dúvidas sobre os fatos descritos na Bíblia surgem de toda parte, mas muitas pessoas para quem a Palavra é um livro de mitologias ou está cheia de contradições e erros nunca a leram nem estudaram as questões sobre as quais discutem. Será que temos noção do quanto é importante para nossa vida meditar nas Escrituras? Do quanto podemos aprender e evoluir na vida cristã e pessoal? Para sermos

O autor da Bíblia é Deus, que revelou Sua mensagem à humanidade, através de homens inspirados pelo Espírito Santo

O Mensageiro

10

Setembro 2013

melhores, precisamos meditar e encher o coração com a Palavra de Deus, pois Ele mesmo disse que "o homem não vive só de pão, mas de tudo o que sai da boca do Senhor" (Dt 8, 3), confirmada por Jesus, em Mt 4, 4: "Não só de pão vive o homem, mas de toda Palavra que procede da boca de Deus". É um princípio básico: para fazermos a vontade de Deus temos que conhecer e estar sustentados em Sua Palavra. Falando em sustento, temos o hábito de fazer três refeições básicas por dia, mas não podemos nos esquecer de que nosso espírito deve ser alimentado com a mesma constância e não apenas quando vamos à igreja (Pv 4, 20-23). Além de utilizarmos a Bíblia como nossa regra de fé e prática, temos que semeá-la em nosso coração. Na parábola do Semeador, aprendemos que se semearmos no Seu espírito, colheremos bom fruto. Para colher um bom fruto, temos que limpar o solo e arrancar as ervas daninhas, ou seja, tirar do coração a incerteza, a mágoa, a preguiça e tudo o mais que nos impeça de ler e crescer na graça e no conhecimento. Quando meditamos na Bíblia, começamos a pensar como Deus pensa e logo a seguir agiremos como Ele agiria se estivesse no nosso lugar. Certamente a Bíblia é um livro transformador. "Estudá-la é fundamental para a vida de todo o que crê no Senhor Jesus. Além dos benefícios de conhecer a Deus, por meio dela temos uma resposta ao nosso chamado e uma preparação como batizados para cumprir o "Ide"


MARCOS SANTOS/USP IMAGENS

de Jesus. Irmãos, a leitura da Palavra é um dever de todos os cristãos, ela nos orienta contra o pecado (Sl 118, 10-11) e quem ouve e guarda a Palavra de Deus é uma pessoa feliz (Lc 11, 28). Não nos preocupemos com o tempo necessário, o nosso crescimento espiritual não é algo automático, de uma hora para a outra, mas requer empenho e comprometimento no estudo da Bíblia. É um processo contínuo para toda a vida, até que atinjamos a maturidade cristã. Assumamos um compromisso com Deus de ler Sua Palavra,e daremos um grande passo para não desistirmos de ler a Bíblia. Com a leitura sistemática da Palavra, com meditação, permitiremos

que o Senhor nos fale ao coração e experimentaremos a Sua doce presença em tudo. Finalmente, leiamos com atenção e guardemos no coração o que nos diz Davi: "Vossa Palavra é um facho que ilumina meus passos. E uma luz em meu caminho." (Sl 118, 105) e João, em Ap 1,3: "Feliz o leitor e os ouvintes se observarem as coisas nela escritas, porque o tempo está próximo". Deus abençoe a todos e nesse mês da Bíblia nos faça mais íntimos de suas revelações. Abraços fraternos! Ricardo da Liturgia das 10:30h ricardomoyses@globo.com

Setembro 2013

O Mensageiro

11


Palavra de Deus: Lugar privilegiado para o

encontro com Jesus Cristo

“P

alavra não foi feita para semear a dúvida, a tristeza, o mal-estar, destino da palavra é a construção, de um mundo mais feliz e mais irmão.” (trecho da música A Palavra é a ponte, a ponte é a palavra). Não há construção melhor, de um mundo mais feliz e mais irmão, do que a realizada por nós, alicerçada no nosso Senhor Jesus Cristo, através de todo o ensinamento que ele deixou. Nesse mês da Bíblia, trazemos para vocês alguns exemplos de construção de um mundo mais fraterno através da partilha da Palavra – os chamados Círculos Bíblicos. Os círculos são realidades em muitas comunidades no Rio de Janeiro e no Brasil e como nos solicita o 11º Plano Pastoral de Conjunto, essa deve ser uma iniciativa fomentada em nossas comunidades, em nosso cerne. É através dos círculos bíblicos, que podemos chegar à animação bíblica para todas as pastorais, ultrapassando o limite pastoral em busca de um aprendizado cada vez maior e mais intenso de Deus. “A Bíblia se torna então, companheira de ca-

12

O Mensageiro

Setembro 2013

minhada, livro de vida, luz para os passos...” (11º PPC). Importante é buscarmos a Cristo também na sagrada escritura, nesse momento em que iniciamos ou reiniciamos a nossa caminhada com Deus. A busca diária de Cristo Palavra nas escrituras faz com que não percamos o contato e a intimidade, nem com Cristo e nem com seus ensinamentos, pois essa busca deve ser a busca de inserir a palavra em nossos corações, em nossas mentes e em nossas vidas. Por isso, alguns pontos precisam ser considerados quando falamos dos círculos bíblicos, e, entre eles, devemos voltar nossa atenção para o que diz que os círculos ajudam na descentralização e na formação das redes de comunidades. E, baseado nesse último ponto, é que gostaríamos de convidar vocês – comunidade, a ultrapassar os muros e barreiras físicas impostas pelo mundo e levar essa experiência de aprendizado e partilha também aos novos moradores de nossa região, iniciando novos círculos, nos novos condomínios, com nossos novos vizinhos recém- chegados a nossa região.


O Círculo Bíblico Água Viva existe há quase 13 anos e quem nos contou sua história foi Rachel Tirre, uma das integrantes, que nos fala sobre o Círculo com a alegria e entusiasmo de uma iniciante, o que nos chamou muito a atenção. Diferente do que possam pensar alguns, o Círculo Bíblico é também lugar de se construir amizades sinceras, lugar de alegria e solidariedade. Vamos conhecer um pouco dessa história: “Nosso Círculo Bíblico, começou a partir de uma novena no ano de 2000, disse Raquel. Foi no nosso condomínio. Éramos três moradoras e nos encontrávamos na casa de cada uma, uma vez por semana, para partilharmos uma passagem da Bíblia. Eu havia feito o 1º Fé e Dons, estava muito animada, mas não sabia como dar um rosto para esses encontros. Mantivemos este formato, convidamos outras pessoas conhecidas e de repente amadurecemos a ideia de pedirmos à Mãezinha (Madre Maria Helena Cavalcanti) uma orientação espiritual e ela nos encaminhou à Irmã Ângela, que convive conosco até hoje. No meio do caminho os maridos de algumas começaram a participar, mas não deram sequência, por questões de horário, disponibilidade etc. Isso não nos desmobilizou. Continuamos a nos encontrar! Já fizemos uma viagem à Porto das Caixas, para um retiro fora e vários retiros por aqui, sempre com a presença da Irmã Ângela, que nos estimula sendo responsável em grande parte, pela manutenção do nosso grupo. Temos um gesto concreto de doação mensal de uma cesta básica, ou o dinheiro que arrecadamos no mês, para alguém ou alguma instituição. Temos muitos con-

O Círculo Bíblico é também lugar de se construir amizades sinceras, lugar de alegria e solidariedade

tatos com o Sodalício da Sacra Família, tendo realizado em 2011 mensalmente, um encontro com as senhoras deste lar, ação que gostaríamos de manter. Temos um carinho imenso pelo Círculo. Quando fizemos 10 anos, realizamos uma Missa e uma grande festa. Cada uma que compõe este grupo trabalha na Igreja das mais variadas formas, além de estarmos sempre fazendo cursos de aprofundamento como Oficinas de Oração, Curso da Palavra, entre outros. Penso que a longevidade também ocorre pelo respeito e admiração que mantemos entre nós, além do fato de nos divertirmos muito juntas e darmos verdadeiro testemunho da profunda alegria que é ser um autêntico cristão. Se cada uma pudesse escrever este texto comigo, a palavra que caracterizaria nosso Círculo tenho certeza, seria “agradecimento” a Deus pela existência de um grupo que se encontra toda semana, há quase treze anos para rezar o terço, partilhar a Palavra, acolher o próximo através de orações e ações e dividir suas dificuldades e alegrias como uma verdadeira família em Cristo.”

Orientação Espiritual para os Círculos Bíblicos - Orientação Espiritual para os Círculos Bíblicos - Apoio necessário para o fortalecimento do grupo e referência nas horas das dificuldades individuais e comuns. Os Círculos Bíblicos começam sempre com muito entusiasmo dos membros, que querem partilhar a Palavra, aumentar seu aprendizado, amadurecer na fé. Porém no decorrer dos meses, dos anos, as dificuldades começam a surgir: Nos dias de hoje, a falta de tempo é a principal barreira a ser superada. Os Círculos precisam ter dia e hora marcados e não se assume nenhum outro compromisso para essas datas, pois seria como marcar um encontro com o Cristo e deixá-lo esperando, não comparecer! Para ajudar nos primeiros passos de um Círculo e para acompanhá-lo em toda Setembro 2013

O Mensageiro

13


sua trajetória, surgiu a figura do orientador espiritual. O orientador espiritual não é o animador de círculo. O animador é aquele que organiza quem prepara o ambiente, prevê o material a ser usado (de preferência o jornal diocesano, próprio para CB), quem combina a casa etc. Já o Orientador, como o nome diz, é o que orienta quem esclarece quem aprofunda os estudos e se empenha em manter viva a Palavra, com o cuidado para que os encontros não se transformem aulas nem em acontecimentos sociais. Conversamos com a Irmã Evangelina, uma das irmãs de Belém, que realiza o serviço de orientação espiritual. Ela nos falou sobre o tema: “O orientador serve como uma ponte. Ele é o transmissor do conhecimento e está a serviço da Palavra de Deus de uma maneira mais aprofundada. Por isso, ele precisa ser fiel a essa palavra e transmiti-la com fidelidade, amor e acima de tudo, exemplo”. 14

O Mensageiro

Setembro 2013

Madre Maria Helena Cavalcanti nos diz: “Como testemunhar a não ser por uma vida santa?” Então, continuou Irmã Evangelina, quando nós vamos transmitir os ensinamentos de Cristo nos círculos bíblicos, Ele espera da nossa parte um testemunho e vida coerente com o Evangelho. “O circulo é, além de tudo, um momento de partilha em que todos contribuem de alguma maneira, para que nosso conteúdo seja enriquecido através das experiências de cada um e à luz da Palavra de Deus.” Concluiu. A experiência do David e Ana Lucia, também nos mostra a história de uma verdadeira família, construída nas bases sólidas da Palavra de Deus, através do Círculo Bíblico: “Fizemos parte de um círculo bíblico por mais de 20 anos. Nesse tempo, os laços de amizade se estreitaram de tal forma, que a maioria dos participantes são padrinhos e madrinhas dos filhos que


do povo. Deve existir nos locais onde a Palavra é mais necessária, onde o acesso é mais difícil, onde a Igreja deve estar presente. Este local é geográfico: onde as pessoas moram: as ruas, as comunidades, os condomínios... Mas é também simbólico: o coração do homem, que deve ser invadido pela Palavra de Deus e ter todo o seu espaço preenchido por seu amor. É assim que cada discípulo deve nortear sua caminhada, com o firme propósito de atender ao chamado do Cristo, pela Igreja, para levar a Boa Nova a todas as nações. Se alguém acha que este apelo é utópico, lembre-se que foi assim que os primeiros cristãos se organizaram para aprender, transmitir, partilhar e ensinar a Palavra de Deus, que chegou até nós. Que continue sendo assim, através dos Círculos Bíblicos.

Os Círculos Bíblicos representam a presença viva da Igreja de Cristo no meio do povo

Setembro 2013

foram nascendo, pois quando começou, o círculo era composto de casais novos e sem filhos. Infelizmente, de algum tempo para cá, houve um decréscimo muito grande no número de reuniões, ficando restritas a encontros na época da Páscoa e Natal, perdendo, assim, a característica principal do círculo bíblico. Mas todos esses anos de partilha foram fundamentais para nosso crescimento espiritual e amadurecimento da fé. Somos 9 famílias, 36 pessoas ao todo, e embora não haja mais reuniões, o grupo procura participar das reflexões da Campanha da Fraternidade, celebração da Páscoa e da Novena de Natal, tudo em conjunto. Como quase todos são compadres entre si estamos sempre nos encontrando nas ocasiões festivas. Quase todos os adultos estão engajados em trabalhos pastorais - EPVM, ECC, MESC, EAC. Nossas crianças - agora jovens - também têm seus próprios grupos na Paróquia - EAC, EJC, MAC, Coroinhas. E a história continua... com a graça de Deus”. Os Círculos Bíblicos representam a presença viva da Igreja de Cristo no meio

O Mensageiro

15


Falando Francamente Zamoura

Lar, família etc... E stimados irmãos leitores, aqueles que se acostumaram a ler meus artigos sabem que a criatividade sempre se evidenciou nos temas que costumo abordar, os quais dizem respeito à nossa fé, dedicação e fidelidade à nossa Igreja e a tudo que a ela se relaciona inclusive comentários, sugestões e crônicas. Fugindo um pouco aos meus costumes e revendo meus arquivos, encontrei um texto que nos foi entregue durante uma palestra proferida muito provavelmente durante algum ECC, pois é datado de 7 de outubro de 2000. São tópicos alusivos a cada tema referente ao LAR, FAMÍLIA, etc., com citações bíblicas. Vejam que interessante: AMBIENTE DE AMOR PAZ (Jo 14, 27) Ame-se, confie em si mesmo, em sua família e ajude a criar um ambiente de amor e paz ao seu redor. EM FAMÍLIA – Brincar e se divertir (Fl 4, 4-7) Reserve momentos para brincar e se divertir com sua família, pois a criança aprende brincando, e a diversão aproxima as pessoas. EDUCAÇÃO – Diálogo, carinho, limites (Ef 4, 29) Eduque seu filho por meio da conversa, do carinho, do apoio e tome cuidado:

16

O Mensageiro

Quem bate para ensinar está ensinando a bater.

FAMÍLIA NA COMUNIDADE – Amigos e brincadeiras (At 2, 42) Participe com sua família da vida da comunidade, evite as más companhias e diversões que incentivam a violência.

PROBLEMAS – Mansidão e sabedoria (Jo 16, 33) Procure resolver os problemas com calma e aprenda com as situações difíceis; busque em tudo o lado positivo. FAMÍLIA – Sinceridade, fidelidade – partilhar: Falar e ouvir (1Cor 13,4) Partilhe seus sentimentos com sinceridade, dizendo o que você pensa e ouvindo o que os outros tem a dizer. RESPEITO _ Somos diferentes (1Cor 12,7) Respeite as pessoas que pensam diferente de você, pois as diferenças são uma verdadeira riqueza para cada um e para o grupo. TESTEMUNHO – A melhor palavra (Lc 6, 47-48) - -Dê bons exemplos, pois a melhor palavra é o nosso jeito de ser. PERDÃO – (Mt 18, 21-22) Peça desculpas quando ofender alguém e perdoe de coração quando

Setembro 2013

se sentir ofendido, pois o perdão é o maior gesto de amor que podemos demonstrar ´´ Realmente este texto evidencia perfeitamente a importância do LAR, FAMÍLIA ETC... vale a pena analisar cada item, refletir e promover mudanças nos comportamentos, rotinas, hábitos e maus costumes. Na verdade, a vida moderna de conformidade com o avanço tecnológico, trouxe uma infinidade de coisas ruins e nefastas para as famílias. É impressionante como perdem tempo, navegando na Internet. Muitas vezes em busca de coisas, que só prejudicam nossa formação cultural, religiosa e familiar. Lamentavelmente as atuais novelas apresentam invariavelmente personagens gays; e o lesbianismo é incentivado com a maior naturalidade, contagiando e incentivando nossos jovens a adotarem o mesmo comportamento, deixando de lado a moral cristã e a obediência às leis de Deus. Hoje, o sacramento do matrimônio encontra-se em decadência, pois a liberdade e a prática sexual é considerada normal e muitas incentivada pelos próprios pais. Filhos são gerados de forma irresponsável e rotulados como PRODUÇÃO INDEPENDENTE. Louvores e Glórias a Deus!

Zamoura (Da Diva) 15º E.C. C zamouraediva@oi.com.br


A fé que se transforma em obras 70 anos de vida em Graça 50 anos de Consagração Religiosa 13 anos a frente da Casa de Betânia

A Vocação, mistério de Deus, chama todas as pessoas a um comprometimento com o próximo. O Senhor que nos chama deseja para cada um de nós uma vida em abundância (Jo 10,10). Ir. Elci foi chamada a humanizar o outro, o pobre, o viciado, o abandonado que vive na rua, levando-o a adquirir a consciência de que existe uma outra realidade, onde ele pode se transformar para servir primeiramente a Deus e à comunidade, transformando a realidade que nos circunda e confiando sempre no amor do Pai,

que nos chama e nos dá a graça para responder e viver o seu chamado (Rm 8, 38-39). Parabéns àquela que dedica sua vida como serva de Jesus na continuidade do seu Reino. Incansável na Caridade que é o Amor ao próximo, Irmã Elci é o exemplo que liga a terra ao Céu, através de atos concretos com os pobres e excluídos. Ela Bota Fé, Ela Bota Amor, Ela Bota Esperança. Amigos de Betânia www.betaniasab.org.br

28 de agosto- Aniversário de Ir. Mário. Senhor, obrigado pela vida de Ir. Mário, este seu servo tão fiel e prestativo para toda Comunidade. Deus o abençoe e lhe dê muita saúde. Parabéns!"


Nascimento de Jacarepaguá, berço do Loreto (2)

L

ogo após a vitória sobre os franceses e índios, Mem de Sá retirou-se, abrindo campo livre aos sobreviventes foragidos refugiados nas matas da região. Assim, voltaram os poucos franceses e seus aliados a ocupar a orla da Baía da Guanabara, onde construíram duas novas fortificações: uma, na região da Carioca (casa de branco), no Flamengo de hoje, chamada de Uruçu-Mirim e outra batizada de Paranapuam, na ilha do Gato, hoje denominada ilha do Governador. Com essa investida de franceses e tupinambás, o governo português decidiu pela construção imediata de uma cidade assim que novamente expulsasse os invasores. Para esta dupla tarefa, o Rei de Portugal enviou uma esquadra de Lisboa sob o comando do jovem Estácio de Sá que, se bem sucedido, se converteria no primeiro governador da capitania a ser construída . Estácio de Sá entra na barra do Rio de Janeiro em 1º de março de 1565 e após os acertos necessários, suas tropas desembarcam nas terras da Guanabara , fundando, então, a cidade de São Sebastião do Rio de Janeiro. O local do desembarque e fundação da cidade foi uma decisão estratégica. A área escolhida está situada entre o morro Cara de Cão, atualmente São João e o Pão de Açúcar, local hoje denominado Urca . Nasce então a cidade do Rio de Janeiro. Durante quase dois anos essa povoação inicial teve que se defender de inúmeros e freqüentes ataques de franceses e índios . Mais tarde essa região ficaria conhecida como Cidade Velha. Em janeiro de 1567 uma força tarefa arregimentada em S.Vicente, Espírito Santo e Bahia chega ao Rio para combater os franceses e índios. Em 20 de janeiro, os portugueses investem definitivamente contra os franceses que são derrotados em Urucu-Mirim (atual Praia do Flamengo) e Paranapuam (atual ilha do Governador) 18

O Mensageiro

Setembro 2013

Mapa da Baía da Guanabara de 1574, autor Luiz Teixeira – conservado na Biblioteca da Ajuda, Lisboa Estácio de Sá seria alvejado por uma flecha envenenada e viria a falecer um mês depois. A vida na Cidade Velha foi dura . O perigo de ataques dos índios era constante. Mem de Sá , que substituiu Estácio de Sá , seu sobrinho, no governo da cidade após sua morte decidiu mudar a cidade para um lugar mais apropriado: o Morro do Castelo, ainda em 1567. A partir de então, a cidade começa a se desenvolver e a crescer a partir do Morro do Castelo.


O Significado da Bênção Quando alguém te diz: “Que Deus te abençoe” não está desejando só o melhor para você, mas também atuando a seu favor. Pois quando bendizes a alguém, também está atraindo a proteção de Deus para você. O efeito de abençoar é multiplicador, já que é dado por Deus a seus filhos. A bênção começa com as relações entre pais e filhos. Os filhos que recebem as bênçãos de seus pais têm um bom começo espiritual e emocional na vida. Recebem um firme propósito de amor e aceitação. Este princípio também se aplica na íntima relação entre os casais. As amizades se aprofundam e se fortalecem, trazendo companheirismo, saúde e esperança a todos que nunca receberam sequer uma palavra abençoada. O poder da vida e da morte está na Palavra. Ao abençoares não só está outorgando a vida àquele que a recebe, mas também àquele que a dá. Por isso, hoje eu peço que Deus te abençoe, porque ao bendizê-lo de todo coração, estou bendizendo a mim mesmo. Distribua bênçãos por aonde vás, não só palavras, mas ações. Elas retornarão a ti quando menos esperares. Geralmente a pessoa vive na presença de Deus, amando-O e obedecendo-O, tem o privilégio de sua Divina bênção sempre. A Bíblia está repleta de textos belíssimos que falam de bênção. Na tradição bíblica, ela é um dom precioso. Jacó fingiu ser seu irmão, Esaú, para receber a bênção de seu pai, Isaac. Jesus abençoava as crianças, em especial, e as pessoas, em geral, desejando-lhes paz. A bênção está intimamente ligada à vida. Sim, porque todos nós somos portadores e transmissores da bênção de Deus. Pelo Batismo, pela graça sempre atualizada em nossa vida, em nosso coração, podemos e devemos abençoar tudo e todos à nossa volta, como gesto e desejo de paz e bem, de em tudo amar e servir.

Assim, quero deixar com vocês hoje, uma bênção especial. Está num dos textos mais conhecidos, do livro dos Números. São Francisco de Assis a usava com frequência, tanto que ficou conhecida como a Bênção de São Francisco. Ela transmite um olhar que percorre o cotidiano. É uma bênção que serve para todos e para qualquer ocasião, mas tem um significado mais que especial quando sai de um coração de pai, de mãe, para a vida dos filhos. Diz assim: Que o Senhor te abençoe e te guarde. Que Ele te mostre o brilho de sua face, tenha cuidado e carinho contigo. Que o Senhor te revele o seu rosto e te dê a paz. Que Ele esteja à tua frente para te guiar. Que ele esteja atrás de ti para te proteger. Que Ele esteja sobre ti para te ilu¬minar. Que ele esteja dentro de ti para te fortalecer. E que, em cada dia do ano que se inicia, Ele esteja a teu lado, amigo e companheiro de caminhada. Assim, nunca estarás sozinho, ca¬minharás com Deus, que é Pai, Filho e Espírito Santo. Amém! Texto organizado por Hélia Fraga


Fé e Política Robson Leite

D

“Dignidade do trabalho para todos os professores do Rio de Janeiro”

esde o ano passado que os professores das escolas públicas e privadas do estado do Rio passaram a ter o direito a tirar férias em janeiro. Trata-se da lei de minha autoria, que estabelece o calendário unificado, definindo janeiro como o mês de férias escolares simultâneas em todo o sistema de ensino, público e privado. Inclusive neste ano de 2013, o nosso mandato criou um novo projeto de lei que concede pelo menos duas semanas de férias para os professores também no mês de julho. Este projeto deverá ser votado ainda neste semestre pela Assembleia Legislativa e será importante, por exemplo, para a rede municipal pública da capital, que sempre concedeu a seus professores apenas uma semana de férias em julho. A unificação das férias também atende a uma reivindicação histórica do Sindicato dos Professores do Rio, o Sinpro/Rio. Para o sindicato, a lei vai melhorar a qualidade de vida dos educadores. Isso porque, a maioria dos professores, para receber um salário melhor, tem que trabalhar em mais de uma escola, e com a diversidade de calendários, os mestres não conseguiam tirar férias integrais, o que prejudicava a saúde desses profissionais. Com a lei, isso mudou. Já que todas as escolas agora são obrigadas a ter férias para os professores no mês único de janeiro, unificando, dessa forma, o calendário de todas as instituições de ensino. Os pais e responsáveis pelos alunos que possuem filhos estudando em escolas diferentes também terão a garantia de um período no ano onde podem tirar férias em família, sem se preocupar com o calendário elaborado por cada escola. As férias unificadas também serão importantes para a cidade do Rio, que passará por grandes eventos internacionais até 2016. A lei já está em vigor, mas a sua aplicação depende muito da fiscalização de toda a comunidade escolar, professores, alunos, pais e responsáveis; comunidade esta que pode denunciar o descumprimento da lei das férias em janeiro, entrando em contato com o meu

mandato na Assembleia Legislativa. Aliás, desde o ano passado que venho visitando as escolas, mostrando aos empresários que a lei das férias veio para ficar; e denunciamos ao Ministério Público os diversos colégios que não cumpriram as férias escolares este ano. Certamente que a melhoria do ensino em nosso país passa por salários mais dignos e boas condições de trabalho para os professores. Claro que ainda estamos muito longe do patamar de valorização que a educação merece. Mas a aprovação de leis como esta das férias é um passo fundamental para melhorar o ensino em nosso país. A lei das férias unificadas para os professores segue os ensinamentos de uma das mais importantes campanhas da Fraternidade, a de 1991, que teve o lema: Solidários na dignidade do trabalho. Nesse ano, a Igreja discutiu a realidade do mundo do trabalho, como um lugar para a construção do Reino de Paz, Justiça e Amor. O ano de 1991 também foi importante pelo lançamento da encíclica CENTESIMUS ANNUM, do papa beato João Paulo II, que relembrou, por sua vez, o centenário da RERUM NOVARUM, do papa Leão XIII. Eis um trecho muito importante da encíclica de João Paulo II: “O amor ao homem — e em primeiro lugar ao pobre, no qual a Igreja vê Cristo — concretiza-se na promoção da justiça. Esta nunca se poderá realizar plenamente, se os homens não deixarem de ver no necessitado, que pede ajuda para a sua vida, um importuno ou um fardo, para reconhecerem nele a ocasião de um bem em si, a possibilidade de uma riqueza maior”. Um grande abraço e Paz e Bem a todos e todas.

Todas as escolas agora são obrigadas a ter férias para os professores no mês único de janeiro

O Mensageiro

Setembro 2013

20

Robson Leite é deputado estadual, professor e escritor. É paroquiano da Igreja da Nossa Senhora do Loreto há mais de 30 anos , tendo sido fundador e coordenador do Grupo de Fé e Política. Foi coordenador da Pastoral de Crisma e da Pastoral da Juventude. Atualmente integra o Encontro de Casais com Cristo (ECC) e participa da coordenação dos Círculos Bíblicos do Vicariato de Jacarepaguá. www.robsonleite.com.br www.facebook.com.br/robsonleitept


Este espaço pode ser seu! Anote em sua agenda Conselho Pastoral – Dia 03 – 20h30min no SCJ Adoração Vocacional - Dia 19 às 20h30min – Santuário Dia 17 - Celebração dos 43 anos de Ordenação Sacerdotal de Pe. Sebastião Missas nos Hospitais e Casa de Repouso: Dia 06 – Hospital Cardoso Fontes – às 10h Dia 13 – C.A.T.I. – às 16h Dia 20 – Estância São José – às 16h Dia 27 - Hospital Rios D’OR – às 15h Missa no Conjunto Independência – dia 11 às 19h30min Batismo: Celebrações: Dias: 01/08/15/22 às 10h30min Palestra para pais e padrinhos: Dias: 01/08/15/22 às 16h e dias: 05/12/19/26 às 20h Pastoral Familiar EPVM Curso de Noivos nº 211 – Dias: 07 e n° 2012 – Dias: 14,21,28 – às 18h30min – no SCJ Encontro de Recém-casados – dia 15 – Cepar – das 07 às 16h Catequese: Feira Bíblica – Dia 29 – das 09 às 12h – Pátio das Mangueiras e Salas SAMZ Festivas: Festa da Primavera da 3ª Idade – dia 14 – às 15h – salão Zaccaria Festiva do ECC – dia 20 FEST SHOW – Dia 28 – salão Zaccaria Palestras: Dia 10 – Ano da Fé – Terça de Estudos – 20h30min- Plenário Ação Social: Entrega de Bolsas aos Assistidos: Dia 22 - no Salão Zaccaria Santificação do Matrimonio: Dia 27 – após a Missa das 19h30min Grupos de Oração da RCC: JESUS RESSURGIU: toda segunda-feira às 14h30min – Santuário NOSSA SENHORA DE LORETO: toda segunda-feira às 20h30min – Santuário TERÇO DOS HOMENS: toda terça-feira às 20h30min – Santuário Terço da Misericórdia – toda quarta-feira – às 15h Santuário CORAL DO LORETO - Ensaios: Toda segunda-feira – às 17h e as sexta-feira - às 20h, no Salão Zaccaria.

3392-4402 / 2425-0900 7801-5092 Acesse nosso site e saiba de tudo que acontece no Loreto www.loreto.org.br

ENCONTRO DO EAC – DIAS 28 E 29 DE SETEMBRO – TODO CEPAR

Setembro 2013

O Mensageiro

21


loretinho

Elaborado pelas Irmãs de Belém

Setembro – Mês da BÍBLIA

Você sabia que, graças a São Jerônimo, o mundo todo pode ler a Bíblia? Ele recebeu formação romana e era muito culto. Escrevia em latim, grego e hebraico! A pedido do Papa São Damaso, traduziu a Bíblia para uma única língua: o latim. Esta tradução da Bíblia para o latim chama-se “vulgata”, pois, o latim era uma língua muito falada naquela época.

A partir dessa tradução a Bíblia foi sendo traduzida para outras línguas. É o livro mais vendido até os dias de hoje. A Igreja Católica celebra a festa de São Jerônimo no dia 30 de Setembro. Em homenagem a ele, este mês é dedicado á Bíblia. A revelação do Evangelho é a revelação da bondade ” ( Madre Maria Helena Cavalcanti )

Mateus 28, 19 a e descobrir qual é a nossa missão: mandato de Cristo e legado da JMJ Rio 2013! A revelação divina permeia a História como um rio de água viva a caminho da eternidade.” (Madre Maria Helena Cavalcanti)

Caça Palavras:

Procure no caça palavras ao lado, o que nosso querido Papa Francisco nos ensinou em sua homilia em Copacabana no dia 28/07:

í VemraaBíblica ei F a s s o n 22

O Mensageiro

Setembro 2013

Dia 29/09/2013 às 9:00 em nossa Paróquia. Participe você também com sua família!


24

O Mensageiro

Setembro 2013

O mensageiro set2013  
Advertisement