Page 1

Ano XXVII - nº 351 Fevereiro de 2014 Distribuição gratuita Informativo da Paróquia Nossa Senhora de Loreto Fundada em 6.3.1661 www.loreto.org.br

Epidemias dos tempos modernos Página 12

Dízimo, a partilha do amor Página 18

Amor e

humildade


Índice Expediente Direção Espiritual

Pe Sebastião Coordenação

Hélia Fraga Equipe de Trabalho

Ana Clébia, Bira, Pascom Loreto, Badá, Corredeira, Thiago Santos foto da Contra-capa: Jorge Luiz Corredeira/2008. Diagramação

Lionel Mota Impressão

Gráfica Stamppa

17

Editorial................................................................................................................... 3 Temas Bíblicos....................................................................................................... 4 Escritos de Santo Antônio Maria Zaccaria ���������������������������������������������������� 5 Os mistérios da vida pública de Jesus ������������������������������������������������������������� 6 Pastoral da Liturgia ............................................................................................. 7 Papa Francisco e o Dia Mundial do Doente ���������������������������������������� 8 Nossa Senhora de Lourdes................................................................................10 Estou Doente........................................................................................................11 As epidemias dos tempos modernos �������������������������������������������������������������12 Aniversário do Padre Sebastião �����������������������������������������������������������������������14 Exemplo de humildade......................................................................................15 Falando Francamente........................................................................................16 Dom Orani é ordenado Cardeal ���������������������������������������������������������������������17 Dízimo, a partilha do amor..............................................................................18 Fé e Política...........................................................................................................20 Anote em sua Agenda.........................................................................................21 Loretinho...............................................................................................................22

Expediente Paroquial MATRIZ PARÓQUIA NOSSA SENHORA DE LORETO End.: Ladeira da Freguesia, 375 - Freguesia Jacarepaguá - RJ - CEP 22760-090 Tel.: 3392-4402 e 2425-0900 Emails: adm@loreto.org.br (Administração) secretaria@loreto.org.br (Secretaria) Site: www.loreto.org.br

NOSSA SENHORA DA PENNA: Dom.............................................................11h NOSSA SENHORA DO AMPARO Est. de Jacarepaguá, 6883 Anil - Tel: 2447-6802

4ª..................................................................18h Sáb..........................................16h (catequese) Dom.......................................................... 7h30

HORÁRIO DA SECRETARIA Segunda a Domingo..............das 8h às 19h HORÁRIO DAS MISSAS Segunda a sexta.......................... 7h e 19h30. Sábado.......................................... 7h e 18h30. Dom...... 7h; 8h30 (crianças); 10h30 e 19h.

CONFISSÕES 3ª a 6ª.................de 9 às 11h e de 15às 17h 3ª a 6ª...................................... de 20h às 22h Sábado................. de 9 às 11h na secretaria EUCARISTIA para doentes Atendimento domiciliar e hospitalar. Marcar por telefone com a Secretaria. BATISMO Atendimento na Sacristia Inscrições - 5ª e Sábado................. 9h às 11

CAPELAS Endereços das Capelas e os Horários das Missas NOSSA SENHORA DE BELÉM

SANTO ANTONIO

Rua Edgard Werneck, 217 - Freguesia Tel: 2445-2146

Rua Edgard Werneck 431 Freguesia Tel: 3094-4139

Terças e Quintas..................................17h30 Dom........................................................16h30 SÃO JOSÉ (CARMELO) Rua Timboaçu, 421 Freguesia - Tel: 3392-0408

Seg. a Sábado.......................................... 7h30 Domingo................................................. 9h15

2º a 6º...................6h15 (durante as aulas), Sáb................................................................17h Dom.............................................................. 8h INSP Estr do Pau Ferro. 945 Freguesia - Tel:3392-2521

Dom...............................................................8h


Parabéns a D. Orani

O papa está revolucionando a geografia: o terceiro mundo passou a ser o primeiro. Aquele que, com efeito, é habitualmente designado “Terceiro Mundo” é o primeiro nas suas atenções

Editorial Pe. Sebastião Noronha Cintra*

Querido paroquiano, prezado leitor. Muito nos alegra a escolha de D. Orani para ser Cardeal. Indicação há muito esperada e que vem confirmar o carinho do Papa para com nosso Arcebispo, manifestada na Jornada Mundial da Juventude. O zelo pastoral de D. Orani que conhecemos muito bem pelas visitas nas paróquias, pelos encontros com os padres, pelas mensagens e homilias, foi motivo mais que suficiente para esta escolha. Agora esse potencial do nosso Pastor poderá servir a toda a Igreja na missão de colaborador mais próximo do Papa. Abrir o olhar pastoral para o mundo todo é uma das tarefas dos cardeais. E isso é muito bom. Mas uma outra coisa transparece no agir do papa Francisco. Uma análise publicada em um jornal da Itália mostra que o papa está revolucionando a geografia: o terceiro mundo passou a ser o primeiro. Aquele que, com efeito, é habitualmente designado “Terceiro Mundo” é o primeiro nas suas atenções. E aquilo que para os outros é “periferia”, encontra-se na realidade no centro do seu interesse pastoral, político e humano. Só assim se compreende a escolha de bispos de dioceses que nem em seus países do Terceiro Mundo (como Haiti e Filipinas) são consideradas as mais importantes. O que Francisco leva mais a peito é que em toda a parte, graças à cultura do encontro, regresse a paz. Paz não só como ausência de guerra, mas como autêntica fraternidade no interior da grande família humana. É extremamente urgente começarmos a prestar atenção ao Tráfico Humano, tema da Campanha da Fraternidade deste ano. Tráfico para fins de exploração sexual de crianças e adolescentes, tráfico para fins de trabalho escravo: o tráfico humano tem a característica da invisibilidade. Prestar atenção para ver e prevenir, sentir com os que sofrem, comprometer-se para superar esse mal. Assim rezaremos na oração da CF2014. Dia Mundial do Enfermo, o dia 11 de fevereiro, festa de Nossa Senhora de Lourdes, vem chamar a nossa atenção para o Ano da Caridade Social e para os diversos modos de atenção para com o doente. Prevenção é cuidado mais que nunca necessário para com as pessoas sob o prisma da saúde. Veja o artigo “As epidemias dos tempos modernos” à página 12 e a mensagem do papa Francisco à página 8. Maria, a Mãe de Jesus, “mãe de todos os sofrimentos”, nos abençoe e ensine a crescer em ternura, numa caridade respeitosa e sensível conforme o modelo do seu amor. Feveeiro 2014

O Mensageiro

3


Temas bíblicos Padre Fernando Capra

É

surpreendente ver como os discípulos de Jesus chegam à experiência do fato mais importante do homem Cristo Jesus, que se declarou para eles Caminho Verdade e Vida, da forma mais comum, em relação a um amigo recém-sepultado. As piedosas mulheres se apressam em ir ao sepulcro quando ainda está escuro, na manhã do primeiro dia da semana, após o repouso sabático. Resignadas diante da morte do seu Mestre, estão prontas a continuar a viver a sua rotina de crentes hebreus, dentro das suas tradições. Jesus seria lembrado como um entre os profetas de Israel. As coisas não mudam nem quando Maria Madalena descobre que o sepulcro foi violado. Reage como o previsto. Corre para avisar Pedro que, por sua vez, corre para constatar o que a mulher lhe relatou. É o discípulo amado que capta a novidade do ocorrido, amadurecido pelo fiel seguimento do seu Mestre. Aos pés da cruz, depois das palavras de Jesus que o levou a receber em sua casa a sua Mãe, na condição de filho, tinha sido agraciado com a intuição de estar diante do Templo do Filho do Homem, do qual fala Ez 47,1, ao ver sair do lado direito do peito trespassado pela lança, a Água, fruto do derramamento do sangue do Cordeiro imolado. Isto já o tinha levado a reconhecer, juntamente com Maria, o Servo de Iahweh que acabava de oferecer a sua vida em sacrifício e que por isso veria prolongados os seus dias, seria abençoado por uma descendência e faria deslanchar o Plano de Deus (Is 53,10). A tumba vazia, com “os panos de linho por terra” (20,6) e o sudário colocado num lugar a parte, eram um claro sinal daquilo que as Escrituras tinham anunciado do Justo sofredor. A esse respeito, Pedro assim se expressará, no dia de Pentecostes, movido por sua vez pelo Espírito: “O Santo, que Davi chama no salmo de Senhor, não podia conhecer a corrupção” (At 2,24-28). Ele tinha realmente ressuscitado da forma que predissera: “O Filho do Homem devia sofrer e ser posto a morte, mas ao terceiro dia ressuscitaria”. A verdade à qual João chega pelas Escrituras, é conhecida, por Maria Madalena, por uma aparição que Jesus lhe concede. Vemos, contudo, que Jesus a adverte que ela deve viver a realidade da sua ressurreição somente contemplando-o como aquele que está sentado “à direita da Majestade”, “o Sumo Sacerdote que en4

O Mensageiro

Fevereiro 2014

Evangelho deJoão Jo 20

trou no céu passando pelo véu do seu corpo” (Jo 20,17; Hb 1,3;10,20). Quando Jesus aparece aos discípulos reunidos no Cenáculo, ali nos revela os valores da nossa religião. O Caminho para uma vida gloriosa é aquele que é ditado pelas chagas que ele mostra. É uma alegria constatar que é realmente aquele que esteve morto e que, agora está vivo. Mas é sobretudo uma garantia que não o seguiremos em vão se carregarmos, na perseverança, a cruz de cada dia. A celebração, portanto, da sua Morte, acompanhada pelo propósito de segui-lo, é o serviço litúrgico pelo qual o Espírito nos será concedido por aquele que foi “elevado na Cruz”. Por ele viveremos a nossa purificação e a nossa adoração dos mistérios de Deus que se revelam na Pessoa do Senhor Jesus Cristo. Não podemos esperar por um outro Tomé. Se chegarmos a crer sem ter visto, teremos a certeza de estar no caminho que João nos indicou pela sua fidelidade no seguimento do Filho do Homem, de quem falam a Lei e os Profetas. O João do Apocalipse, por sua vez vive e, consequentemente, nos ilustra a experiência do Apóstolo João que, após Pedro, entrou no sepulcro e que soube “ver claramente”, porque relacionou o sinal da tumba vazia às Escrituras. A compreensão que o João do Apocalipse tem de Jesus acontece no “dia do Senhor” quando, movido pelo Espírito, ouve, atrás de si uma voz forte como de trombeta. Ao voltar-se cumprem-se, aos seus ouvidos, “as palavras da Escritura” (Lc 4,21). Por meio daquele que vê e que lhe fala, está em condições de escrever, isto é, nos dizer, “as coisas que vê, as que são e as que devem acontecer em breve” (Ap 1,19).

Perguntas para reflexão: 1ª) Por que João e não Pedro, nem Maria Madalena, chega a compreensão do que realmente aconteceu, diante do túmulo vazio? 2ª) Qual é o ensinamento de Jesus que aparece mostrando as suas chagas gloriosas e comunicando o seu Espírito para o entendimento das Escrituras? 3ª) De que forma o Apocalipse nos ensina a tomar conhecimento do que “o Espírito diz às Igrejas”?


Escritos de Santo Antônio Maria Zaccaria Constituições – Capítulo 10

“E mais: Querem ser ouvidos? Conformem-se aos seus pedidos (cf. cap. 13) Como seria isso? Vocês desejam a compunção? Não se deixem levar pela distração. Querem a humildade? Abracem, de boa vontade, os insultos: saboreiem as zombarias e até se deleitem nelas; alegrem-se com as coisas ruins. Querem a paciência? Desejem tribulação e penas, porque não há pa-

ciência sem tribulação e pena. Vocês dirão: Em que se pode expandir a mente com a oração? Eu respondo: na admirável grandeza das criaturas na sua beleza de muitas e variadas formas na grande providência de Deus na doce paixão de Cristo em inúmeras coisas que existem e que não faltam às mentes que querem exercitar-se.” (Continua no próximo numero)


Os mistérios da vida pública de Jesus Jane do Térsio

Jesus e a Lei

N

o Sermão da Montanha, Ele deixa bem claro que não veio abolir a Lei, dada por Deus a Moisés, mas deu-lhe cumprimento ao lhe dar a interpretação definitiva. E diz mais: “quem desobedecer a um só destes mandamentos, por menor que seja, e assim ensinar os outros, será considerado menor no Reino dos Céus. Porém, quem os praticar e ensinar será considerado grande no Reino dos Céus. (Mt 5,17-19). Jesus, o Messias de Israel, é o único que conseguiu cumprir com perfeição a Lei até seus mínimos preceitos, coisa que os judeus não conseguiram (Jo 7,19) e então pediam perdão a Deus na festa anual da Expiação. Jesus vai com a sua morte resgatar as transgressões da Lei. A Lei recebida por Moisés fora gravada em tábuas de pedra, em Jesus ela vai estar “no fundo do coração” (Jr 31.33). Jesus cumpriu a Lei até o ponto de tomar sobre si “a maldição da Lei” (Gl 3,13) e a sua morte expiadora resgata as transgressões da primeira Aliança (Hb 9,15). Jesus apareceu para os judeus como um “rabi” (Jo 3,2), como um

6

O Mensageiro

Mestre (Mt23,23-24;Jo 11,38) e “ensinava como alguém que tem autoridade, e não como os escribas” (Mt 7,28-29). Ele não vai abolir a Lei, Ele a cumpre dando-lhe nova interpretação: “aprendestes o que foi dito aos antigos...eu, porém, vos digo” (Mt 5,33-34). Mas alguns doutores não aceitaram essa nova interpretação que Jesus dava, mesmo com a garantia dos sinais divinos que a acompanhavam. Jesus e o Templo Vários momentos da vida de Jesus foram relacionados com o Templo: apresentado por seus pais com 40 dias de nascido; aos 12 anos dedica-se as coisas do Pai (Lc 2,49) quando foi encontrado discutindo com os doutores; a cada ano subia ao Templo por ocasião da Páscoa e das outras festividades. O Templo para Jesus é a “casa do seu Pai” (Jo 2,16), uma casa de oração e por considerá-lo assim fica indignado ao ver o seu átrio externo transformado em um local de comércio. Os apóstolos mantiveram depois da ressurreição um respeito religioso pelo Templo (At 2,46; 3,1; 5,20.21). Jesus anuncia a ruina do Templo,

Fevereiro 2014

chegando mesmo a dizer “que não restará pedra sobre pedra” (Mt 24,12).Testemunhas falsas deformam esta profecia e diante dos sacerdotes a consideram como uma injuria. Mas Jesus fez a relação da destruição do Templo com a sua própria morte corporal. O Templo prefigura seu próprio mistério, com isto começando uma nova era da História da Salvação, na qual seu Corpo será o Templo definitivo, daí dizer que o reconstruirá em 3 dias. Ele se apresenta como a casa definitiva de Deus entre os homens. Um dos modos de Jesus mostrar que não era hostil ao Templo é, além de ministrar muitos ensinamentos, fazer questão de pagar o imposto do Templo, fazendo-o através de Pedro (Mt17,24-27). (Continua no próximo número)


Pastoral da Liturgia

Dogma, luzes no caminho da fé

D

ogma é uma verdade revelada por Deus, e, como tal, diretamente proposta pela Igreja à nossa fé. O termo DOGMA está ligado também às ideologias, ou conjunto de princípios que servem de base a um sistema religioso, político, filosófico, científico, entre outros. São verdades absolutas que não permitem discussão. É um conjunto lógico, sistemático de representações (idéias e valores) e de normas ou regras, que indicam ou prescrevem aos membros da sociedade o que devem pensar e com devem pensar, o que devem valorizar e como devem valorizar o que devem sentir e fazer. Na Igreja Católica a Revelação e Autoridade da Igreja são as fontes dos dogmas, pois dá a conhecer o ensinamento divino em seu próprio conceito: tal é a primazia de Pedro e de seus discípulos e, como consequencia, a infalibilidade pontifícia. Com isto o DOGMA é imutável e definitivo (não pode ser revogado). Para que um ensinamento da Igreja seja considerado um DOGMA é necessário o sentido de estar suficientemente manifestado, deve ser definido pela Igreja como verdade revelada. Podemos aperfeiçoar o entendimento da verdade revelada, mas nunca destruí-la ou negá-la. O Dogma pode estar contido na Bíblia ou na Tradição apostólica que não foi escrita, mas que tem para Igreja o mesmo valor da revelação da Bíblia, por exemplo, o Credo como é rezado não está na Bíblia, mas veio da tradição. Os Dogmas não são grades que impedem o caminhar dos teólogos, ao contrário, são luzes no caminho da nossa fé que o iluminam e tornam seguro. Eles são para o povo de Deus como os trilhos são para um trem, são

meios que dão ao veículo segurança e possibilidade de ir muito longe. O que seria do trem se saísse dos trilhos? Os Dogmas sobre Deus garantem que ele existe que é único, mas são Três Pessoas divinas formando um só Deus (Pai e Filho e Espírito Santo), com igual poder e majestade, que ele é eterno, onipotente, onipresente, onisciente, amor e misericórdia, Criador de todas as coisas visíveis e invisíveis e tudo o que existe foi criado por Deus Os Dogmas sobre os Sacramentos, afirmam que Cristo instituiu sete Sacramentos: Batismo, Crisma, Confissão, Eucaristia, Ordem, Matrimônio e Unção dos Enfermos. A Igreja recebeu de Cristo o poder de perdoar os pecados cometidos após o Batismo pelo Sacramento da Confissão. Cristo está presente na Eucaristia pela transubstanciação de toda substância do pão e do vinho. Os Dogmas sobre os últimos acontecimentos afirmam que existe a vida eterna, o Céu, o Inferno e o Purgatório, o fim deste mundo e a segunda vida de Cristo, a ressurreição dos mortos no último dia e o Juízo Universal. Sendo verdade da fé inquestionável onde cremos plenamente que Cristo subiu em corpo e alma aos céus e está sentado à direita de Deu Pai - Jesus Cristo é verdadeiro Deus e Filho de Deus por essência - Jesus Cristo, ainda que homem é Filho Deus - Cristo nos resgatou e reconciliou com Deus por meio do sacrifício de sua morte na cruz. TUDO O QUE EXISTE FOI CRIADO POR DEUS A PARTIR DO NADA. Que nosso Deus Pai nos abençoe. Joel Pastoral da Liturgia


Mensagem do Papa Francisco para o Dia Mundial do Doente Dia 11 de fevereiro Maria é exemplo de ternura e caridade para com os doentes

8

O Mensageiro

nalar o sofrimento humano como um momento em que “se iluminou a escuridão”, um “mistério do amor de Deus”, que ao ser lembrado dá esperança, “porque no plano amoroso de Deus, mesmo na noite a dor pode dar lugar à luz da Páscoa”, e coragem “para enfrentar cada adversidade na companhia de Deus, unidos a Ele”.

O teste da verdadeira fé em Cristo está no dom de espalhar o amor ao próximo, especialmente para com aqueles que sofrem

Cidade do Vaticano, 07 dez 2013 (Ecclesia) – O Papa Francisco dá o exemplo de Maria, mãe de Jesus, como “um modelo cristão de ternura e caridade respeitosa” para com o sofrimento dos doentes, na mensagem para o Dia Mundial do Doente. Na mensagem intitulada “Fé e Caridade: Nós também devemos dar a nossa vida pelos irmãos”, dada a conhecer hoje pela Santa Sé, Francisco refere-se a Maria como “a mãe de todos os sofrimentos”, confiando à sua intercessão este dia mundial, que se celebra a 11 de Fevereiro de 2014. “Para crescer em ternura, numa caridade respeitosa e sensível, temos um modelo cristão (…) Ela é a Mãe de Jesus e a nossa Mãe, sempre atenta à voz de Deus e às necessidades e dificuldades dos seus filhos” pode ler-se na mensagem do Papa Francisco para o Dia Mundial do Doente.   “Dirijo-me especialmente aos doentes e a todos os profissionais que prestam cuidados e tratamentos  de saúde.  A Igreja vê-vos, queridos doentes, como a presença especial de Cristo sofredor”, começa por escrever Francisco. O Papa dá o exemplo do sofrimento de Jesus na Cruz para assi-

“Jesus é o caminho, e com o Seu Espírito, podemos segui-Lo, assim como o Pai deu o Filho por amor”, por isso os cristãos também “podem amar os outros como Deus os amou, dando a vida pelos seus irmãos”, defende o Papa na mensagem conhecida este sábado para assinalar o Dia Mundial do Doente. Francisco diz que “quando nos aproximamos com ternura daqueles que necessitam de cuidado, damos lugar à esperança e ao sorriso de Deus, algo tão importante num

Fevereiro 2014

mundo cheio de contradições”. O Papa defende ainda nesta mensagem para o Dia Mundial do Doente, que quando “a dedicação e generosidade para com os outros se torna o estilo das nossas ações, estamos a abrir espaço para o Coração de Cristo”, algo que reconforta e contribui para “o advento do Reino de Deus”. “O teste da verdadeira fé em Cristo está no dom de espalhar o amor ao próximo, especialmente para com aqueles que sofrem, para com aqueles que são marginalizados”, reforça Francisco. “A todos os pacientes, profissionais de saúde e voluntários, concedo cordialmente a minha Bênção Apostólica”, termina Francisco a mensagem para o Dia Mundial do Doente, que se assinala a 11 de fevereiro de 2014. O Dia Mundial do Doente  é celebrado anualmente a  11 de fevereiro, data que foi instituída em 1992, pelo Papa João Paulo II. Na carta de instituição do Dia Mundial do Doente, o Papa João Paulo II lembrou que a data representa “um momento forte de oração, de partilha, de oferta do sofrimento pelo bem da Igreja e de apelo dirigido a todos para reconhecerem na face do irmão enfermo a Santa Face de Cristo que, sofrendo, morrendo e ressuscitando, operou a salvação da humanidade”. 


Tânia Rêgo/ABr

Feveeiro 2014

O Mensageiro

9


Nossa Senhora de Lourdes A s aparições de Nossa Senhora de Lourdes começaram no dia 11 de fevereiro de 1858, quando Bernadette Soubirous, camponesa com 14 anos, foi questionada por sua mãe, pois afirmava ter visto uma “senhora” na gruta de Massabielle, na França, cerca de uma milha da cidade de Lourdes, enquanto ela estava recolhendo lenha com a irmã 10

O Mensageiro

e uma amiga. A “dama” também apareceu em outras ocasiões para Bernadette até os dezessete anos. Bernadette Soubirous foi canonizada como santa, por sua santidade em vida e por suas visões da Virgem Maria. A primeira aparição da “Senhora”, relatada por Bernadette foi em 11 de fevereiro. O Papa Pio IX autorizou o bispo

Fevereiro 2014

local para permitir a veneração da Virgem Maria em Lourdes, em 1862. A primeira pessoa com um milagre certificado foi uma mulher cuja mão direita tinha sido deformada em conseqüência de um acidente. A Igreja, diante de perguntas de nível nacional, decidiu instituir uma comissão de inquérito, em 17 de Novembro de 1858. Em 18 de Janeiro de 1860, o bispo local declarou que: “A Virgem Maria aparecera de fato à Bernadette Soubirous”. Estes eventos estabeleceram o culto mariano de Lourdes, que, juntamente com Fátima, é um dos santuários marianos mais frequentados no mundo, ao qual viajam anualmente entre 4 e 6 milhões de peregrinos.


ESTOU DOENTE SENHOR, aqui estou em meu quarto de enfermo. Tudo me parece hostil. Sinto-me perdido. Será que vai correr tudo bem? Será que vou recuperar a saúde? Em breve começam os exames médicos. Logo saberei de que estou sofrendo, o porquê das minhas dores. Vacilo entre a esperança e o desespero. Quero que os médicos descubram minha doença e assim terminem minhas dores que tanto me atormentam. Tenho medo que seja algo de grave. Estarei correndo risco de vida? Eu não quero morrer. MEU DEUS, fica comigo, eu preciso de TI. Sê minha proteção e amparo. Em TI confio. Em TI espero.

Rm 8,18: “Tenho para mim que os sofrimentos da vida presente não têm comparação alguma com a glória futura que se manifestará em nós.”

Feveeiro 2014

O Mensageiro

11


As epidemias dos

tempos modernos

12

O Mensageiro

e conscientes de que são apenas aliados do Pai, do Criador de todas as coisas, tal qual Maria, em Lourdes. Aproveitando então este tema fascinante, sobre a cura dos doentes (observe que não falamos a cura das doenças como é comum e sim dos doentes, mas este é um tema que ainda vamos abordar) resolvemos conversar com Ana Lucia Fontenele, profissional da área de saúde, no Hospital Pediátrico Jesus e no Laboratório de Saúde Pública do Estado do Rio de Janeiro. Nossa conversa foi sobre As Epidemias dos Tempos Modernos. Ficamos estarrecidos ao constatar que da mesma forma como

“Sim, Deus opera milagres extraordinários manifestando a sua glória, mas opera também pequenos milagres todos os dias”

O

dia 11 de Fevereiro é dedicado a Nossa Senhora de Lourdes, data da sua primeira aparição em Lourdes, na França. Nossa Senhora de Lourdes, a Imaculada Conceição, é chamada popularmente como a Protetora dos Enfermos, já que banhados nas águas que brotam na gruta, local de suas aparições, muitos doentes conseguiram a cura e inúmeros milagres foram constatados desde 1858, até os dias atuais. Nossa Senhora apareceu à Bernadete, na época com 14 anos, 18 vezes! E por mais que ela tentasse convencer as pessoas e inclusive o clero, sobre as aparições e as mensagens enviadas por Maria, foi motivo de muita chacota e incredulidade. Assim foi e assim é. Até hoje muitas pessoas colocam em dúvida os favores que recebemos de Deus nas mais variadas formas de manifestação do seu poder. Poucos são os que entendem que todo o nosso saber, todo o nosso entendimento e realizações são dádivas de Deus. É Ele que nos permite conhecer as causas das doenças e as formas de curas. É Ele nos dá sabedoria para a descoberta das vacinas, dos remédios e das diversas formas de tratamento. Sim, Deus opera milagres extraordinários manifestando a sua glória, mas opera também pequenos milagres todos os dias usando como instrumentos os cientistas, médicos e profissionais de saúde, dedicados

Bernadete sofreu a incredulidade do povo, hoje muitos médicos e cientistas sofrem as mais variadas formas de incredulidade, mas em particular uma especialmente grave: A INCREDULIDADE DA PREVENÇÃO. Por mais que haja campanhas de esclarecimento, por mais que haja debates e exposições, muitas pessoas não acreditam que podem contrair doenças graves pelo simples fato de não se prevenirem.

Fevereiro 2014

Quem não conhece alguma mulher que não se preocupa se o alicate de cutícula usado no salão de beleza é esterilizado da forma correta? Ou tantos que comem carne crua, bebem água de fonte duvidosa, não lavam as verduras e frutas o suficiente? O quanto ainda teremos que ouvir dizer que água parada é criadouro do mosquito da dengue? E por fim, a mais polêmica de todas as incredulidades: aqueles que fazem do sexo uma grande diversão, vivendo em promiscuidade, não se preocupando se vão contrair doenças fatais ou até mesmo serem agentes transmissores dessas doenças. Somos ou não somos os incrédulos dos tempos atuais? O Mensageiro: Ana, o que mudou no comportamento das pessoas, após da descoberta do HIV? Ana Lucia: Com o advento da Síndrome da Imunodeficiência Humana (AIDS) na década de 80 e a descoberta do agente transmissor, o HIV, que é um vírus, podemos dizer que todo mundo precisou rever alguns conceitos. A medicina se viu diante de uma doença cruel, pois o vírus atua justamente nas células de defesa do organismo, incapacitando o indivíduo a se defender naturalmente, a sociedade precisou e precisa pensar e discutir o seu comportamento sexual, já que esta é uma doença sexualmente transmissível – DST. Sim, porque a AIDS é uma DST assim como inúmeras outras (algumas conhecidas


há milhares de anos - como a sífilis, o HPV, entre outras). Mas falando da AIDS, devido ao fato do HIV “agir” nos linfócitos – a fábrica dos anticorpos - nos vemos diante de uma infinidade de doenças infecciosas oportunistas que, se em pessoas imunocompetentes (ou seja, com capacidade de produzir anticorpos) são menos importantes já que facilmente debeladas, num indivíduo imunodeficiente, podem causar a morte. O Mensageiro: Além da AIDS, existem outras DST que trazem maior risco à vida humana? Ana Lucia: Todas se não forem tratadas de forma eficiente trazem risco à vida, a maior ou menor prazo. Por isso insistimos que o esclarecimento da população e a prevenção são as maiores armas contra essas doenças. A hepatite B, por exemplo, é tão ou mais cruel que a AIDS e também é considerada uma DST com o agravante de ser 40% mais incidente. O HVB-vírus da hepatite B age nas células do fígado - que é a máquina de produzir e transformar substâncias no nosso corpo - causando danos muitas vezes irreparáveis. A sífilis, se não tratada precocemente causa danos neurológicos graves e nas gestantes é uma das maiores causas de aborto (20%) ou natimortos. Outras DST (cancro, gonorreia, herpes, HPV etc.) causam diversos danos, não somente na região genital, assim como esterilidade e conseqüências gravíssimas ao feto nas mulheres grávidas. O Mensageiro: Mas temos noticias de bons avanços no Brasil, pelo menos no tratamento da AIDS... Ana Lucia: Sim, a AIDS tende a se tornar uma doença crônica, pois

com o arsenal terapêutico disponível gratuitamente, bem como a precocidade do diagnóstico, uma pessoa soropositiva (que significa ter o vírus, mas não desenvolver a doença) pode viver muitos anos e com uma qualidade de vida significativa. Outras doenças como a tuberculose, antes desprezadas por afetarem princi-

palmente os mais pobres, passaram a ser vistas com mais atenção e hoje o número das chamadas “doenças negligenciadas” diminuiu bastante. O Mensageiro: Bom saber que existe o tratamento, mas seria melhor não existir o doente, não é verdade? Ana Lucia: Sem dúvida! As DST podem ser evitadas! A população precisa ser cada vez mais esclarecida e adotar um comportamento responsável e seguro. Nesse início de século é urgente pensar sobre nosso comportamento. As pessoas foram criadas por Deus, seres sexuados e “pensantes”. Precisamos acabar com os tabus que levam ano a ano, milhões de pessoas à morte, pela dificuldade de acesso e

ignorância quanto à prevenção das doenças. Não podemos esquecer que, se todos somos iguais diante de Deus, precisamos cuidar uns dos outros, precisamos ser solidários. [ ] Essa conversa iria longe, não fosse o espaço disponível para a matéria. Mas o importante é ter claro que o tratamento de doenças, seja de qual for o tipo, requer medicamentos e terapias. Já o tratamento de doentes precisa do amor, da solidariedade, da partilha dos que estão à volta e, sobretudo, da misericórdia de Deus. O ser humano precisa ser curado. O ser humano adoeceu de si mesmo... Cuida do corpo em academias e descuida da alma. Também precisamos conhecer as diretrizes que a Igreja nos dá a cerca de diversos temas do nosso cotidiano. Muitos não sabem, mas temos no Brasil a Pastoral DST/ AIDS, que atua em diversas capitais. No triênio 2011-2013, as ações da Pastoral de DST/AIDS beneficiaram mais de 3,8 milhões de pessoas. Entre as atividades realizadas estão o trabalho de acompanhamento de mais de 20 mil soropositivos e a reinserção social dessas pessoas. Outra ação de destaque da Pastoral é a divulgação da necessidade de que todos realizem o teste do HIV. O diagnóstico precoce facilita o tratamento e reduz o custo elevado para o sistema de saúde, além de ser uma prioridade para tentar conter a expressiva taxa de óbitos em decorrência da confirmação tardia. (fonte: www.cnbb.org.br). O site nacional da Pastoral é: www.pastoralaids.org.br

Feveeiro 2014

Entrevista, texto e edição: Ana Clébia - Pascom O Mensageiro

13


Aniversário do

Padre Sebastião O

s termômetros marcaram 38˚ no dia 21 de Janeiro. Dia quente! Bom para quem estava na praia e difícil para quem não estava de ferias e precisou andar na rua, cumprir com as tarefas de um dia normal. No entanto, nada disso foi impedimento para algumas pessoas se reunirem, em um ambiente tranquilo, de fraternidade e muita alegria, para comemorarem o aniversário do Pe. Sebastião. A iniciativa em convidá-lo para jantar no Tio Frank foi da Odete, da Liturgia, mas em segredo, as pastorais foram sendo avisadas, para que todos tivessem a oportunidade de abraça-lo. Acabou sendo um descontraído bate-papo entre amigos e nosso Pároco demonstrava sua felicidade, cada vez que chegava mais um paroquiano. Pedimos a Deus que conserve nosso querido Pe. Sebastião com muita saúde e disposição para continuar no comando da nossa comunidade por muitos e muitos anos. Parabéns Padre. Nós te amamos! 14

O Mensageiro

Fevereiro 2014


Reprodução

O Papa Francisco dá um grande exemplo de humildade E tu, irias sentar-te naquela cadeira de trás?

U

ma das últimas cadeiras da igreja é ocupada pelo Papa. É o que se vê na foto. Ele está a celebrar uma Missa muito peculiar: os convidados são os jardineiros e o pessoal de limpeza do Vaticano. Num momento da celebração o Papa pede a todos que orern em silêncio, cada um pelo que o seu coração deseja. Nesse instante, ele levanta-se da sua cadeira presidencial que está na frente e vai sentar-se numa das últimas cadeiras para fazer a sua própria oração. Dá a impressão de que este chefe preferiu que todos se centrem em ver de frente a verdadeira razão da sua existência, esse Cristo crucificado que está ali presente e não em que o vejam a ele, o seu chefe, que não é mais que um homem que falhou e continuará a falhar, e a quem hoje todos chamamos o Papa Francisco. A famosa diferença entre chefe e líder é absoluta nesta foto. O chefe sempre se emproa, pondo-se à frente para que todos o vejam e lhe obedeçam, enquanto que o líder sabe quando se deve sentar atrás, não incomoda, acompanha, facilita o caminho para que os outros consigam os seus propósitos; o líder é capaz de desaparecer

no momento oportuno, para que os seus companheiros cresçam e se centrem no que é verdadeiramente importante. O líder não teme perder o seu lugar, porque sabe que, muito para além do “seu lugar”, trata-se de ajudar aqueles que se encontrem no seu caminho. Na foto, o admirável Francisco está de costas. Ele sabe que muitos o queriam ver de frente, mas neste instante tão íntimo, ele prefere ficar de costas para os fotógrafos e dar a cara a esse Deus de todos, Amor para o jardineiro e Amor para o Papa, esse Deus que não diferencia o abraço nem dá mais por um ou por outro, ambos são pecadores e ambos precisam d’Ele. Quantos chefes terão a capacidade de ir sentar-se naquela cadeira de trás? Quando é que mães e pais teremos que “celebrar” essa cerimónia chamada vida com os nossos filhos, e num momento oportuno sermos capazes de nos sentarmos atrás, para que eles fiquem de frente para a sua missão? Quantos poderemos voltar as costas aos aplausos, à barafunda dos “clicks”, aos elogios, para dar a cara, num momento íntimo, a essa oração profunda que torna o nosso coração despido de orgulho, a um Deus que deseja com fervor escutar-nos? O Papa ficou-me gravado nesta foto, e eu espero que hoje esta injeção ( ?) sirva para me situar no resto da minha vida. Feveeiro 2014

O Mensageiro

15


Falando Francamente Zamoura

Incentivo

Q

ueridos irmãos leitores, com a graça de Deus e quase sem percebermos, já estamos vivendo o ano  litúrgico de 2014, o que significa que começa tudo novamente. Novidades, surpresas e acontecimentos começam a surgir neste ano santo, que promete muita coisa boa, inclusive fora das atividades religiosas, como por exemplo, a   realização da  Copa  do Mundo. Como uma dádiva dos céus, no dia 11 de janeiro, nosso Papa Francisco, anunciou  os   nomes   dos   novos   Cardeais, entre   eles  o de   D. Orani João Tempesta, nosso Arcebispo; com isso, muitas manifestações de agrado, inundaram nossos corações com os sentimentos de  alegria, contentamento e satisfação pela feliz escolha. Por falar em cardeal, evidentemente não podemos esquecer o saudoso D. Eugênio de Araújo Sales, com quem tivemos a alegria e a satisfação de  conviver em memoráveis reuniões em nossa Arquidiocese. Simples e humilde, nosso novo Cardeal D. Orani, certamente dará continuidade ao seu

brilhante trabalho frente à nossa Arquidiocese, contando naturalmente com a colaboração de todos que o cercam, inclusive nós paroquianos seus admiradores. A escolha de D. Orani como novo cardeal, não deixa de ser mais um INCENTIVO ao povo de Deus católico, para que se junte a ele nos trabalhos de evangelização e desenvolvimento pastoral. Dom Orani desde que assumiu o cargo de Arcebispo da nossa cidade deu um exemplo de presença constante nas nossas paróquias e comunidades. Sempre participando das festas e solenidades, com uma simplicidade ímpar. Precisamos nos esforçar deixar o comodismo de lado e esquecer, de certa forma, a convivência com o avanço tecnológico.   Quero me referir aos internautas viciados e aos adeptos de jogos eletrônicos computadorizados, que invadiram de forma brutal até mesmo os telefones celulares, e com isso as famílias, em especial aos jovens que se distanciam cada vez mais da fraternidade social e do trabalho pastoral.

16 16 O O Mensageiro Mensageiro Fevereiro Fevereiro 2014 2014

Saibam prezados leitores, que aqui na nossa paróquia, percebemos certo esvaziamento pastoral, principalmente na Pastoral do Dízimo. Precisamos arregaçar as mangas e dizer: “Eis-me aqui Senhor, faça-se em mim segundo a sua vontade”, como fez Maria Santíssima, escolhida para ser a mãe de Jesus. Sem dúvida alguma, é importante a freqüência à Santa Missa, mas este não é o único caminho para a  salvação, apesar de   muitos  acharem que para ser católico basta freqüentar a Santa Missa. Com a certeza de que fizemos o possível para servir a Deus, em diversas pastorais e apesar dos meus 80 anos, continuo presente no trabalho pastoral, naturalmente com mais lentidão e dentro do possível. Oremos para que Jesus dê INCENTIVO a todos para que se dediquem com mais afinco ao trabalho pastoral, neste ano em que nossa Arquidiocese instituiu como ANO DA CARIDADE SOCIAL, evidenciado com muito brilho pelo nosso Pároco Pe. Sebastião, no editorial desta revista do mês de janeiro.  Louvores e Glórias a Deus   Zamoura (Da Diva) – 15º E.C.C


Dom Orani João Tempesta é nomeado Cardeal “O nome de Dom Orani foi aplaudido de forma vibrante no momento do anúncio do cardinalato”, afirmou, dos estúdios da Rádio Catedral FM 106,7, monsenhor Sérgio Costa Couto, capelão da Igreja do Outeiro da Glória, neste domingo, dia 12 de janeiro, sobre a notícia da criação do arcebispo do Rio como Cardeal. “Nosso arcebispo que já tem uma importância nacional, agora terá que se debruçar sobre a parte internacional, sobre a Igreja toda. O cardeal tem a função de acompanhar e, muitas vezes, de representar o legado pontifício”, disse monsenhor. Ele explicou que os cardeais também recebem funções em Roma, eles são membros da Con-

gregação para o Culto Divino, educação católica, formação dos bispos e do clero, diversos Dicastérios da Santa Sé. “Não são funções executivas, eles são conselheiros”, explicou monsenhor. A função de conselheiro se desenvolve em mais de uma maneira, nos consistórios ordinários e extraordinários”, afirmou. Na questão civil, nas listas de precedência do Itamaraty, seguidas em solenidades, o nome do cardeal fica imediatamente após o do vice-presidente da República. “Como afirmou Dom Orani, mas do que uma honra o cardinalato é uma grande responsabilidade”, disse. Do Site da Arquidiocese do Rio de Janeiro

Feveeiro 2014

O Mensageiro

17


Dízimo, a partilha do amor

O

Dízimo deve ser vivido com amor, alegria e mansidão. O homem que aprende a partilhar, se transforma para melhor, porque consegue ver e sentir o outro como irmão. O dízimo liberta o homem do egoísmo, conduzindo-o para uma realidade onde o próximo é amado, como membro da comunidade. O dízimo é o amor partilhado, a divisão justa. Infelizmente, o mundo ainda não aprendeu a partilhar e por isso presenciamos guerras, roubos, fome, miséria, muitas doenças que poderiam ser evitadas, enfim todo tipo de exclusão social. É a ganância, a ânsia do po-

18

O Mensageiro

Fevereiro 2014

der, falando mais alto. O Plano Econômico de Deus – o dízimo – exige a partilha. Entretanto, é uma exigência de Pai misericordioso que sabe esperar o amadurecimento de cada um, no seu devido tempo. Por isso, o dízimo deve ser ensinado com mansidão, alegria e amor. Precisamos estar atentos à Palavra de Deus, aos ensinamentos da Santa Mãe Igreja. Precisamos confiar em Deus. É grande a felicidade que se sente em poder partilhar, inclusive é pensamento bíblico: há mais felicidade em dar do que em receber! (At 20,35). É bênção, hoje, em tempos


O dízimista fiel e justo goza de muitas bênçãos específicas, que Deus dá apenas aos que se comprometem para sempre.

CURSO DA PALAVRA Você quer um melhor entendimento da Pessoa de Cristo e dos projetos do Reino de Deus?

Venha então fazer o CURSO DA PALAVRA. Para participar você precisa de: perseverança e boa vontade! Inscrições a partir de 01/02/2014 após as Missas ou na Secretaria.

Inicio: 13/03/2014 Grupos às 5ª feiras das 15:00 às 17:00 horas ou das 20:00 às 22:00 horas

tão difíceis, poder dar, partilhar. O dizimista precisa viver os ensinamentos de Jesus Cristo. Quando tentamos viver esses ensinamentos adquirimos sabedoria e passamos a enxergar o invisível. Sob a luz do Espírito Santo, conseguimos compreender as Lições Sagradas. Por isso, ser dizimista é estar aberto ao Infinito. Ao tentarmos ser dizimista consciente, abrimos o canal das graças de Deus e recebemos bênçãos, muito além do necessário, conforme está escrito em Malaquias 3,12. Pelo seu emprego, de valor eterno, o dízimo é jóia de inestimável valor. O dizimista deve se comportar como verdadeira luz

do Senhor. E o fruto da luz é bondade, justiça e verdade. O dizimista consciente e fiel deve procurar fazer o que é agradável ao Senhor. “Outrora, éreis trevas: agora, sois luz no Senhor. Vivei como filhos da luz” (Ef 5,8). O dízimista fiel e justo goza de muitas bênçãos específicas, que Deus dá apenas aos que se comprometem para sempre. O dízimo ensina-nos a partilhar por amor. Por isso, ele é altamente educativo.

Diácono Claudino Affonso – PASTORAL DO DÍZIMO Arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro


Fé e Política Robson Leite

“2014 será um ano pleno de glória”

Q

uero lembrar a vocês, meus irmãos e irmãs, as belas coisas que o ano de 2013 nos deu a todos nós, católicos. Com isso, quero também preparar os nossos corações para o que nos reserva 2014. Em primeiro lugar, relembremos a marcante vinda do Papa Francisco ao Brasil, para a realização da Jornada Mundial da Juventude. Centenas de milhares de pessoas vieram ao Rio ver o Papa e conhecer suas ideias. E o Santo Padre não se fez de rogado: ao vir ao Brasil, em sua primeira viagem internacional, o Sumo Pontífice falou sobre a importância do bem comum e a importância de os governantes e os católicos, em especial, se mobilizarem pelos mais pobres e desamparados. Em uma de suas falas na Jornada, o Papa Francisco resumiu sua visão, ao afirmar: “O futuro exige de nós uma visão humanista da economia e uma política que realize cada vez mais e melhor a participação das pessoas, evitando elitismos e erradicando a pobreza. Que ninguém fique privado do necessário, e que a todos sejam asseguradas dignidade, fraternidade e solidariedade”. O Papa pediu, também, que o exercício do diálogo nunca fosse esquecido – o diálogo entre as gerações, o diálogo entre religiões e o diálogo entre os governantes. E não podemos esquecer o belo papel da Arquidiocese do Rio na organização da Jornada – não tenho dúvida de afirmar que foi graças a essa organização que a JMJ foi um sucesso, com eventos grandiosos, em que verdadeiras multidões se reuniram para comungar a fé em Cristo e a certeza de que o Reino de Deus será construído aqui na terra, como nos fala o evangelho. Como consequência desse trabalho, o nosso querido arcebispo do Rio de Janeiro, Dom Orani, foi nomeado pelo Papa Francisco cardeal da Igreja, logo nos primeiros dias de 2014, em uma benção à Igreja no Brasil. Já no final do ano, dentro do espírito libertador da Jornada, o Papa Francisco divulgou ao mundo sua primeira Exortação Apostólica – a “Evangelii Gaudium” ou “A alegria do Evangelho”. Em sua exortação, o Papa Francisco ataca o lucro desvairado, que ele considera uma nova tirania, e pede que os líderes globais combatam a pobreza. Outro evento muito querido de nossa igreja realizado 20

O Mensageiro

Fevereiro 2014

em 2013 foi a 53ª edição da Feira da Providência. A edição do ano passado da Feira homenageou o Papa Francisco, que deixou em sua visita ao Brasil na Jornada, os legados da comunicação e da simplicidade. Vamos relembrar, também, a Campanha da Fraternidade 2013, que preparou nossas paróquias e a sociedade para receber a juventude na Jornada, com o lema: Eis-me aqui, envia-me! Depois de lembrar todos esses eventos marcantes que envolveram a nossa igreja em 2013, quero começar a falar sobre o que nos espera em 2014. E um dos eventos mais importantes para nós, católicos, será a Campanha da Fraternidade, que vai discutir e denunciar o Tráfico humano em nosso país, com o lema: É para a liberdade que Cristo nos libertou. De acordo com o material de formação distribuído pela CNBB, o tráfico humano é um crime que atenta contra a dignidade da pessoa humana, já que explora o filho e a filha de Deus, limita suas liberdades, despreza sua honra, agride seu amor próprio, ameaça e subtrai sua vida, quer seja da mulher, da criança, do adolescente, do trabalhador ou da trabalhadora. A Campanha, com isso, vai identificar as práticas de tráfico humano em suas várias formas e denunciá-lo como violação da dignidade e da liberdade humana, mobilizando cristãos e a sociedade brasileira para erradicar esse mal, com vista ao resgate da vida dos filhos e filhas de Deus. Assim, meus irmãos e irmãs, me despeço, desejando um próspero 2014 a todos vocês. E vamos rezar para que a Campanha da Fraternidade reforce a importância da luta contra as injustiças e para que cada pessoa ganhe, com dignidade, o seu pão de cada dia. Um grande abraço e Paz e Bem a todos e todas. Robson Leite é deputado estadual, professor e escritor. É paroquiano da Igreja da Nossa Senhora do Loreto há mais de 30 anos , tendo sido fundador e coordenador do Grupo de Fé e Política. Foi coordenador da Pastoral de Crisma e da Pastoral da Juventude. Atualmente integra o Encontro de Casais com Cristo (ECC) e participa da coordenação dos Círculos Bíblicos do Vicariato de Jacarepaguá. www.robsonleite.com.br www.facebook.com.br/robsonleiteprofessor


Anote em sua agenda Fevereiro

Conselho Pastoral

Dia 04 – às 20h30m – no SCJ

Adoração Vocacional

Dia 20 - após a Missa vespertina

Missas nos Hospitais e Casas de Saúde e outros CATI

Dia 14 às 16h

Estância São José

Dia 21 às 16h

Hospital Rios D’OR

Dia 28 às 15h

Catequese Início da Catequese

Dia 13/15 e 16 ( Eucaristia)

Inscrições para a Catequese

das 08 às 12h- Dias 08/09/15/16/22/23

Jornada Catequética da Iniciação dia 08 Cristã Vicarial Ação Social Almoço do Frema

Dia 09 – às 12h – no Pátio das Mangueiras

Entrega de bolsas aos assistidos

Dia 23

Festivas: Festiva do Fé e Dons – Salão Cepar

Dia 21

Festa do EJC – Salão Zaccaria

Dia 22

Grupo de Oração Jesus Ressurgiu:

Toda segunda-feira às 14h30m – Santuário

Grupo de Oração N. Sra. de Loreto:

Toda segunda-feira às 20h30m – Santuário

Terço dos Homens:

Toda terça-feira às 20h30m – Santuário

Terço da Misericórdia:

Toda quarta-feira às 15h Santuário

Coral do Loreto:

Ensaios toda segunda-feira às 17h e sexta-feira às 20h - Salão Zaccaria.


loretinho

Caros (as) amigos (as), Neste ano, a liturgia nos apresenta para meditação o Evangelho de São Mateus, o catequista, que apresenta de forma ordenada os ensinamentos do Mestre dos mestres, Jesus. Lendo o capítulo 5, aprendemos que devemos nos esforçar para colocar nossos dons a serviço

Elaborado pelas Irmãs de Belém

da comunidade com fé e alegria, porque foi para isso que Deus nos concedeu. E como ensina o Papa Francisco: “... os discípulos do Senhor são chamados a viver como comunidade que seja sal da terra e luz do mundo. São chamados a testemunhar, de forma sempre nova, uma pertença evangelizadora.” (Evangelli Gaudium)

LENDO A BÍBLIA Leia com atenção Mt5,13-16 e complete o que falta. “Vós sois o _____ da terra. Se o sal perde o ________, com que lhe será restituído o sabor? Para nada mais serve senão para ser lançado _______ e calcado pelos homens. Vós sois a luz do ______. Não se pode esconder uma __________ situada sobre uma montanha nem se acende uma ____ para colocá-la debaixo do alqueire, mas sim para colocá-la sobre o candeeiro, a fim de que brilhe a todos os que estão em _______. Assim, brilhe vossa luz diante dos homens, para que vejam as vossas _____ obras e glorifiquem vosso Pai que está nos céus.”

Nossa Senhora de Lourdes 11 DE FEVEREIRO

Anote sua Agenda...

Perto de sua casa, no seu condomínio, no seu trabalho tem alguém que ainda não recebeu os sacramentos da Iniciação Cristã? O que você está esperando? Convide para a catequese, traga esta pessoa, criança, jovem ou adulta. Inscrições em fevereiro 1, 2, 9, 15, 16, 22 e 23 de 9h ás 12h – no Pátio das Mangueiras do Loreto. SIM

ASSINALE COM X Um bom cristão deve esforçar-se para viver em paz com todos. Desobedecer aos pais e aos professores são atitudes cristãs. Quando ajudo as pessoas que precisam pratico a caridade.

Lourdes era uma pequena localidade na França, quando no dia 11 de fevereiro de 1858 se deu a 1ª aparição da Virgem Maria à Menina Bernadete. De 11 de fevereiro a 16 de julho do mesmo ano deram-se ao todo 18 aparições na gruta de Massabielle. Foi para Bernadete que Maria Santíssima se proclamou: “Eu sou a Imaculada Conceição”. Nossa Senhora de Lourdes, rogai por nós! 22

O Mensageiro

Fevereiro 2014

NÃO


24

O Mensageiro

Fevereiro 2014

Mensageiro fevereiro2014  
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you