__MAIN_TEXT__

Page 1


Palavra do Pároco

Sejamos testemunhas do Redentor que vem!

D

iletos paroquianos e amigos, saudações e esperançosas alegrias natalinas! Chegamos ao final de mais um ano e nossa alegria é imensa pois, por mais este período, caminhamos juntos e com as bênçãos de Nossa Senhora da Glória e a intercessão dos Santos, Beatos e Mártires Redentoristas! É dezembro! É Natal! É celebração do nascimento do Menino Deus! Santo Afonso, fundador da Congregação Redentorista, ao rezar, contemplar o Menino Jesus que vem a nós, é tomado de um profundo e verdadeiro amor e convida-nos a amarmos também “Aquele que de ‘grande se fez pequeno’. Aquele que escondeu a natureza divina para não nos oprimir com a majestade, mas para incutir-nos confiança, e tornar-se acessível a todos.” Agora como sabemos, nos aproximamos de um novo tempo e somos agraciados com a dádiva de um novo ano. Desejo que tudo de bom aconteça em sua vida e mais: desejo que você, dileto paroquiano, colaborador e amigo, faça a diferença em novos tempos, sendo expressão de um rico caminho de Testemunha do Redentor! A cada um de vocês, muitas bênçãos, saúde e paz! Feliz Natal, audacioso Ano novo e permaneçamos com os olhos fixos em Cristo Jesus, Aquele que, com certeza, olha por cada um de nós com muito amor! Portanto, amemo-nos uns aos outros e amemo-Lo!

Pe. Edson Alves da Costa, C.Ss.R.

Celebrando o Natal em comunidade

E

xiste um motivo que nos faz celebrar o Natal. “O povo que andava nas trevas viu uma grande luz” (Isaías 9,1). Esse fato narrado pela Palavra de Deus aconteceu há mais de dois mil anos, no entanto, atualiza-se todos os dias. É Ele o motivo que nos faz comemorar o Natal, essa luz que brilhou nas trevas! Lembremo-nos de que nosso coração é o lugar que Deus escolheu para nascer, pois somos únicos diante d’Ele. Celebremos esse amor de Deus em comunidade!

* Dia 09/12, 19h30 - CONFRATERNIZAÇÃO das

pastorais, no Salão Paroquial.

* Dia 15/12, após a Missa das 19h30 – CONCERTO DE NATAL DO PRÓ-MÚSICA, na Igreja da Glória.

* Dia 22/12, após a Missa das 19h30 - CONCERTO DE NATAL DA ORQUESTRA JUIZ DE FORA, na Igreja da Glória.

* Dia 24/12, MISSAS na Igreja da Glória às 7h, 15h e 20h (Missa da Vigília de Natal), e na Capela São Roque às 19h.

* Dia 25/12, MISSAS na Igreja da Glória às 7h, 10h e 19h, e às 9h na Capela São Roque.

* Dia 31/12, MISSAS na Igreja da Glória às 7h, 15h e 19h.

* Dia 1º de janeiro, MISSAS na Igreja da Glória às

10h e 19h.


Assembleia Paroquial avalia trabalho pastoral e aponta caminhos para 2020

N

o dia 3 de dezembro, agentes de pastorais e movimentos da Paróquia da Glória se reuniram em assembleia para avaliar o trabalho desenvolvido ao longo deste ano e apontar caminhos para 2020. O encontro, conduzido pelo Pároco, Pe. Edson, fechou um ciclo de avaliações, que começou nos grupos pastorais, apontando os pontos positivos e falhos de 2019 e o que precisaria ser melhorado no próximo ano, passando pelas dimensões Oração, Missão e Acolhida. Neste sentido, os participantes da assembleia decidiram manter como prioridade dos trabalhos pastorais o acolhimento, trabalhando no âmbito interno dos grupos, a partir da conversão pessoal, conhecimento e Paróquia e à Pastoral de Conjunto, cultivando relações testemunho, reforçando assim o sentido de pertença à harmônicas interpessoais e interpastorais.

D

Portas da Igreja da Glória são restauradas

ando continuidade aos trabalhos de limpeza e reforma nas instalações da Paróquia, estão sendo restauradas as portas da Igreja da Glória, da Secretaria e do Salão Paroquial. O serviço consiste na retirada das camadas de verniz, desgastadas pelo tempo, das imperfeições e nova pintura. Também foi instalada uma nova câmera no pátio, para maior segurança dos motoristas.

Capela São Roque

Ainda estão sendo realizados trabalhos na sacristia da Capela São Roque, que ganhou novos armários de madeira e toda uma reestruturação, para melhor atender às necessidades celebrativas. Todo este serviço só é possível graças à fidelidade dos nossos dizimistas ao longo deste ano. O sentimento é de gratidão pela dedicação e carinho. Que, em 2020, continuemos este trabalho de cuidado com a Casa da Mãe, ano em que começamos a celebrar o centenário de construção da Igreja da Glória.


Vida pautada no amor redentor de Cristo

D

Dom Vicente Ferreira, C.Ss.R.

urante meus nove anos servindo à Província do Rio, Minas e Espírito Santo, como Provincial, e morando na comunidade da Glória, em Juiz de Fora, convivi bem de perto com o Pe. Freitas. Era ele meu orientador espiritual. Foram muitas partilhas do pão e da fé. Conversas longas, amigáveis. Mostrava-se sempre antenado em relação aos assuntos da Igreja e da sociedade. Tinha suas particularidades, suas reservas pessoais, mas era um redentorista muito acolhedor. Surpreendeu-me, inclusive, com orientações avançadas sobre assuntos complexos. Pautava sua vida na misericórdia, no amor redentor de Cristo. Destaco alguns detalhes de seu cotidiano missionário. Levantava-se bem cedo e fazia seus exercícios físicos e espirituais. Rezava o terço. Celebrava a Eucaristia todos os dias. A Capela era o lugar da casa mais frequentado por ele. Sempre

muito solicitado, não media esforços para atender as pessoas. Seu dia de plantão para confissões era sempre muito procurado. Além das pastorais instituídas, que ele assumia, visitava muitos doentes e tinha grande presença junto às comunidades de vida religiosa consagrada. Também era bem solicitado para missas em outras comunidades, em ocasiões extraordinárias. Como diz nosso povo, era um guardião do convento. Não gostava muito de participar de nossas confraternizações, mas sempre estava presente no lazer oficial da comunidade. Grande leitor, atualizava-se em diversos assuntos, principalmente na espiritualidade cristã e redentorista. Por isso, tinha uma fecunda vida interior. Enfim, o amor a Deus que cultivava numa intensa vida de oração, irradiava sinais de esperança às tantas pessoas e grupos ajudados por ele. Nos

últimos dias de sua vida, notei que se incomodava com os limites da doença. Fiz umas duas visitas a ele, com grande alegria. No dia de sua morte e sepultamento, não estive presente. Pe. Freitas, para mim, é desse tipo de gente que não morre, vira semente.

Um estudioso da mística do Reino

N

o dia 27 de novembro, a Província do RJ-MG-ES ficou mais triste com a morte do Pe. Jesu Ferreira de Assis, C.Ss.R. Aos 88 anos, 68 anos deles vividos na Congregação Redentorista, ele faleceu em Curvelo (MG), vítima de uma parada cardíaca, após passar por uma cirurgia. Atualmente, Pe. Assis residia na Comunidade da Basílica de São Geraldo, onde aconteceu a Missa de Exéquias, seguida do sepultamento. De família católica, Pe. Jesu Ferreira de Assis, C.Ss.R. nasceu no dia 16 de janeiro de 1931, em Caranaíba (MG). Entrou para o Juvenato Redentorista em Congonhas (MG) no dia 29 de janeiro de 1943. Iniciou o Noviciado em 24 de janeiro de 1950, em Juiz de Fora (MG), cidade onde professou os votos de obediência, castidade e pobreza, em 25 de janeiro

de 1951. Foi ordenado sacerdote em 5 de fevereiro de 1956. Era um religioso muito estudioso, humilde e responsável. Foi um grande atuante nas Santas Missões; trabalhou em várias delas sempre com muito entusiasmo e dedicação. Como professor, no Juvenato de Congonhas e formador das Comunidades Vocacionais São Clemente e Dom Muniz, aprofundou-se na Espiritualidade Redentorista e orientou muitos jovens em seu caminho vocacional. Residiu em Juiz de Fora entre os anos de 1987 e 1991 (formador da Comunidade Vocacional São Clemente), 2003-2005 e 2009-2011, estes dois últimos períodos como Reitor da Comunidade Redentorista da Glória. Em setembro deste ano, lançou o livro “A mística do Reino”, uma coletânea de artigos do sacerdote publicados em várias edições do Informativo mensal “A Caminho com São Geraldo”, da Basílica de São Geraldo. Fonte: www.provinciadorio.org.br

“Tudo são graças. Sou feliz porque tenho tudo para agradecer e pouco a pedir, a essa altura da vida. E esse pouco é tudo: perseverar. Faço-o numa prece à mãe vigilante, que sempre esteve comigo nas vitórias”. (Pe. Assis)


XIX Retiro Paroquial Um mergulho na espiritualidade de Santo Afonso

A

conteceu entre os dias 29, 30 de novembro e 1º de dezembro, no Seminário da Floresta, em Juiz de Fora, o XIX Retiro Paroquial, com o tema “O fundamento da vida cristã na ‘Prática de amor a Jesus Cristo’”. O Pároco, Pe. Edson, foi o pregador do encontro, que reuniu cerca de 60 agentes de pastorais e movimentos da Paróquia da Glória. A partir dos 3 pilares da espiritualidade de Santo Afonso: a Encarnação, a Paixão e a Eucaristia, o sacerdote levou os participantes a percorrerem a história da salvação, culminando com o texto de Paulo no capítulo 13 da Primeira Carta a Coríntios, inspiração para o livro “A prática do amor a Jesus Cristo”, de autoria do fundador da Congregação Redentorista. O Retiro foi aberto com a Adoração ao Santíssimo Sacramento, em que os representantes das pastorais acenderam velas colocadas aos pés do Cristo Eucarístico, entregando o trabalho desenvolvido pelos grupos. No sábado, reflexões ao longo do dia, a partir do método de oração mental de Santo Afonso, culminando com a Celebração Eucarística, em que, usando a criatividade, os participantes criaram a cruz, a manjedoura e ofertaram presentes ao Cristo que vem. No domingo, o encerramento, também com a Missa, abrindo o Ano Litúrgico, com a celebração do 1º Domingo do Advento. Com certeza foram dias de mergulho na profundidade do amor de Deus por nós, com a missão de levar este amor para todo o trabalho pastoral desenvolvido.


conhecendo o prÓprio coraÇÃo cristÃo

v

em aí o novo ano de nossa Fé celebrada, a fim de bem vivermos a vida de cada dia. É o novo ciclo Litúrgico de celebrações. Começamos com o Advento: a espera renovada pelo inesperado que é Deus, o Altíssimo Senhor, assumir nossa condição humana, em Jesus, nascido de Maria. INICIAMOS pois o novo ano com um olhar de Fé sobre a bondade radical de a gente SER, conviver, sendo-com e sendo-para os outros. Quanta alegria, pois será Natal, este excesso do Amor de Deus que busca quem O ame. Então, não seja o excesso da pressa nem o excesso de expectativas ou até mesmo o consumismo, desesperadamente a nos mover, o que só acontece a quem perde o senso da espera e desalojou a Esperança realista de seu coração cristão. O ADVENTO nos prepara para renovar em nós a generosidade, a gratuidade, o gosto de conviver, fraternizando e amorizados. Ah, temos precisão deste Advento para que o novo tempo nos consolide na suave certeza de que somos amados. E quanto! A começar por Deus-conosco. Valemos muito! O ADVENTO inscreve em nós a harmonização que o Pai criador inscreveu em todo o Universo. E que nossas tantas seguidas intervenções desrespeitam e agridem, ge-

Pe. Dalton Barros de Almeida, C.Ss.R rando desacordos. Precisados estamos de harmonia em família, harmonia como Igreja de Jesus Redentor, harmonia com o planeta Terra. Há desarmonias demais na medida em que desconsideramos a gramática da vida interdependente e comunicativa em redes, tecendo amorosidade. Somos presença e relação com toda a realidade. ADVENTO: empenho para reencontrar a autenticidade do festejar o Deus que ama a vida e ama os seres humanos em seu poder criador. Assim nos criou: criadores, sujeitos. Ninguém submetido. Todos cooperadores e operantes, juntos por mais vida. Este reencontro só acontecerá sem a insensata e frenética corrida atrás de coisas a adquirir para brilhar. Coisa certa: laços de fita em presentes não substituem os laços do apreço compartilhado. Podem, sim, ampliá-lo. Com o Advento aprendemos a redizer o Deus que se faz Criança, como todos nós o fomos. Um recordar de coração aberto e simples e agradecido pelo acontecimento que muda a História desta nossa presença no Planeta Terra. Assim dizemos: antes e depois de Cristo Jesus. Jesus é o nome da Criança na manjedoura. Preparamo-nos para acolhê-la. O Advento 2019 abre o ano de 2020: que seja um horizonte de renovação espiritual, religiosa, cultural e social. Tudo considerado, o Natal é muito mais que uma alegria popular, parte de um calendário social de festas e comércio. Quem vive o Advento faz do Natal um grito para viver intensamente o agora e suas circunstâncias, mediante a redescoberta do empenho solidário para desatar nós de relações, colaborar para diminuir desigualdades e revisar caminhos. A Criança que festejaremos é Deus libertador, verdade e beleza do existir. Quem de nós não tem fome de verdade e beleza? Ele, o Pão da Vida: ágape e koinonia. (Consulte os termos!). Será que cuidamos devidamente da criança em nós, dado aquela dimensão que ainda não evoluiu devidamente? No agora, o Tempo e a Eternidade se encontram. E em nós também. Carecemos de mais atenção: eis a que o Advento nos chama. ADVENTO é mesmo para delinear em nós a Esperança para os dias que ainda virão. Delineamento que pressupõe revisar inquietações, dúvidas, recusas. Faz-se boa ocasião para ante o Presépio encantado retomarmos aquela inquietante pergunta que ressoa há dois mil anos: - E vós quem dizeis que eu sou? Um Advento bem vivido nos permitirá segredar ao Menino, Divina Criança, nossa resposta. Qual é mesmo esta resposta? Depende de você conhecer o próprio coração. E cantar: linda criança tu não me sais da lembrança. ADVENTO: coração pronto para neste Natal celebrar a humanidade de Jesus, o rosto humano de Deus. Aprendamos com Ele a ser humanos. Eis o ponto de partida de um viver a espiritualidade cristã. Profundamente humanizadora à luz da humanidade de Jesus. Seja Natal!


Admirável sinal

A

dmirabile Signum (“Admirável Sinal”) é o título da Carta Apostólica que o Papa Francisco dedica ao presépio para ressaltar o seu significado e valor, lançada na cidade de Greccio, Itália, no dia 1º de dezembro deste ano. O texto é dirigido a todo o povo de Deus, sobretudo às famílias, como forma de valorizar a transmissão da fé entre avós, pais, filhos e netos. “Com esta Carta, quero apoiar a tradição bonita das nossas famílias prepararem o Presépio nos dias que antecedem o Natal e também o costume de o armarem nos lugares de trabalho, nas escolas, nos hospitais, nos estabelecimentos prisionais, nas praças…”

Assim nasce a tradição

Dividido em 10 pontos, o texto recorda a origem do presépio com São Francisco de Assis, a sua obra de evangelização e as figuras e o simbolismo que o compõem. A palavra presépio vem do latim praesepium, que significa “manjedoura”. As Fontes Franciscanas narram de forma detalhada o que aconteceu na cidade de Greccio, que fica no Vale de Rieti, a menos de 100 km de Roma. Quinze dias antes do Natal, Francisco chamou João, um homem daquela terra, para lhe pedir que o ajudasse a concretizar um desejo: “Quero

representar o Menino nascido em Belém, para de algum modo ver com os olhos do corpo os incômodos que Ele padeceu”. E assim foi: no dia 25 de dezembro de 1223, chegaram a Greccio muitos frades, e também homens e mulheres das casas da região, trazendo flores e tochas para iluminar aquela noite santa num lugar designado. Francisco, ao chegar, encontrou a manjedoura com palha, o boi e o burro. “Assim nasce a nossa tradição: todos à volta da gruta e repletos de alegria, sem qualquer distância entre o acontecimento que se realiza e as pessoas que participam no mistério”, escreve o Papa. Segundo o Pontífice, armar o Presépio em nossas casas ajuda a reviver a história que aconteceu em Belém. Imaginando as cenas, estimulam-se os afetos e nos sentimos envolvidos na história da salvação.

Despojamento

“O Presépio é um convite a ‘sentir’, a ‘tocar’ a pobreza que escolheu, para Si mesmo, o Filho de Deus na sua encarnação, tornando-se assim, implicitamente, um apelo para O seguirmos pelo caminho da humildade, da pobreza, do despojamento.” Francisco comenta também o simbolismo presente nas várias partes que compõem o presépio: a escuridão da

noite, a paisagem e os personagens. As ruínas e os pobres ali representados recordam que eles são os privilegiados deste mistério. A mensagem que surge do presépio é clara: “não podemos deixar-nos iludir pela riqueza e por tantas propostas efêmeras de felicidade”. “Jesus nasceu pobre, levou uma vida simples, para nos ensinar a identificar e a viver do essencial.” Nascendo no presépio, escreve o Papa, Deus dá início à única verdadeira revolução: a revolução do amor e da ternura, através da “força meiga” de um menino.“Do Presépio, Jesus proclama o apelo à partilha com os últimos como estrada para um mundo mais humano e fraterno, onde ninguém seja excluído e marginalizado.” Deste modo, o presépio se torna para os fiéis um convite a se tornar discípulos de Cristo, a refletir sobre a responsabilidade de evangelizar e ser portador da Boa Nova com ações concretas de misericórdia. E Francisco conclui: “Queridos irmãos e irmãs, o Presépio faz parte do suave e exigente processo de transmissão da fé. (…) E educa para sentir que nisto está a felicidade. Abramos o coração a esta graça simples, deixemos que do encanto nasça uma prece humilde: o nosso ‘obrigado’ a Deus, que tudo quis partilhar conosco para nunca nos deixar sozinhos. ”


Para mim, ser dizimista na Paróquia da Glória significa...

R

etribuir ao Pai as graças, bênçãos e dons recebidos por Ele. Contribuir mensalmente é ter a consciência de que somos parte fundamental para a manutenção e cuidado com a Igreja- templo e a Igreja-comunidade a qual pertencemos, cumprindo a missão que Cristo nos deu no Batismo.

Natália Lott da Costa Fonseca

Aniversariantes Dizimistas - Dezembro 02/12

Igreja da Glória

Maria de Fátima Leite Carolina Rodrigues Netto da Silva

05/12

Marcus Vinícius Fernandes

06/12

Margarida Martins do Amaral

15/12

Maria Diva Fernandes Ferreira Mary Inês da Silva Fonseca Mario José Sampaio

16/12

Joaquim Luciano Fernandes

Franciano Alberto Moreira Junio César Rosa Neto

08/12

18/12

Alessandra Pereira da Silva e Musse José Luiz da Cruz

Ilcemeire Maria D Silva Ramos Nilva Alves Ferreira

09/12

19/12

Valdemar Evangelista dos Santos Maria Imaculada Neves Assis

Lavínia da Cunha Souza Clea Tury Guimarães

10/12

21/12

Maria da Aparecida Soares

13/12

Maria das Mercês R N da Silva Ana Paula da Silva Anacleto

14/12

Moacyr de Souza Leite Lucia Evangelista Nadia Cristina de Souza Oliveira

Renata Mourão Kelmer Castro Marli Ricardo da Silva

22/12

Antônio Guedes Tostes

23/12

Nocy Prado Villar Vicente de Paula Reis

24/12

31/12

25/12

Capela São Roque 03/12

Célia das Graças do Patrocínio Geraldo Nascimento Tavares Livia Cortes Gonçalves Maria Natalícia

26/12

Neyde Terezinha Novais de Oliveira Evani Maria Lourenço Ferreira

27/12

Sebastião Teodoro Ribeiro Natália Lott da Costa Fonseca Ana Júlia de Figueiredo Firmino

28/12

Maria Luíza de Castro Escobar Renata Ribeiro Nogueira da Silva Ilva Silva Romão Alfa Esteves dos Santos Martins Maria da Consolação D Munck

29/12

Maria Aparecida Rodrigues Dutra

30/12

Maria Goreti Bessa Portes Joaquim Teixeira de Assis

Ludmila Abreu Borges Mariana Melo do Amaral Lucimeiry Lopes Lima

Victor Luiz Coutinho Campos

06/12

Cassia Regina Pinto Marinho Rita de Cássia Pinto Marinho

08/12

Nair Paulino de Queiroz

15/12

Bernadete Aparecida Gréggio Sasso

25/12

Marta Natalina Cantarino

29/12

Tania Marta Rosa Franco

30/12

Mercedes de Jesus Assis


A

Solidariedade e partilha

solidariedade é um dos atos mais nobres e huMuito obrigada a todos que nos permitiram propormanos no mundo em que vivemos e se resume cionar um Natal mais feliz para estas famílias! em ajudar o próximo! Que Deus os abençoe! É com muita alegria que queremos abraçar a todos Sandra Hansen, Coordenadora que responderam “sim” ao nosso apelo: assistir a cem famílias com uma cesta básica no mês de dezembro. A princípio, uma meta que parecia difícil de ser atingida! Hoje, um sentimento de gratidão e de alegria por sentir a mobilização da nossa comunidade unida nesse propósito. O nosso objetivo foi alcançado! Queremos agradecer a todos que contribuíram. Recebemos alimentos para a composição das cestas, roupas e brinquedos que serão doados às crianças. Recebemos também doações em valores que foram integralmente revertidos para a compra dos produtos básicos e até mesmo itens extras, como panetones. Percebemos como os gestos de amor e caridade são capazes de transformar as circunstâncias!

Feira de Natal

Doações de brinquedos e roupas infantis recebidas dos alunos do Maternal do Colégio Santa Catarina

Já está acontecendo e vai até o dia 13 de dezembro, das 8h às 11h e das 13h às 17h, na nossa sede, a Feira de Natal 2019!!! Artigos natalinos exclusivos produzidos pelas nossas oficinas para você adquirir e presentear! Prestigie e ajude a nossa Obra!

Doações de enxovais para bebês recebidas da Obra do Berço das ex-alunas do Colégio Santa Catarina: 12 gestantes assistidas

Lixo eletrônico

O descarte consciente do lixo eletrônico é um dever de todos. Mantemos no Ambulatório o Ecoponto (fixo) para coleta desse lixo . Vamos cuidar do nosso planeta!

Mercadinho da Caridade 14 e 15 de dezembro

Doações recebidas dos alunos Missa do Dia de Santa Catarina da Educação Infantil e do 5º ano do Doações recebidas do Ensino Fundamental do Colégio Santa Catarina: Colégio dos Jesuítas: 180 Kg 80 kg de feijão e 53 garrafas de óleo.


Tempo de louvar a Deus

C

omo já se tornou tradição, a tarde de 15 de novembro foi de muito louvor e adoração na Igreja da Glória, onde o Grupo de Oração Nossa Senhora da Glória celebrou 21 anos. A Tarde de Louvor começou com a Oração do Terço. Em seguida, o Superior Provincial dos Redentoristas de MG-RJ-ES, Pe. Nelson Antônio Linhares, C.Ss.R, conduziu a reflexão sobre o tema “Levanta-te e Anda” e também conduziu a Adoração ao Santíssimo Sacramento. Em seguida, presidiu a Missa de encerramento.

Crisma dos militares

O

Arcebispo de Juiz de Fora, Dom Gil Antônio Moreira, presidiu a Celebração do Sacramento da Crisma de 80 jovens e adultos, militares e alunos do Colégio Militar, no dia 7 de novembro, na Igreja da Glória. A Missa foi concelebrada pelo Capelão Militar, Pe. João Batista Ferreira Diniz, e também pelos Pes. Nelson, Renato e Carlos Arlindo.

Para acompanhar nossa vida paroquial, acesse: www.PAROQUIADAGLORIA.org.br facebook.com/paroquiadagloriajf instagram.com/paroquiadagloriajf twitter.com/paroquiagloria issuu.com/paroquiadagloria (Jornal Novo Tempo)


Tarde de alegria e festa para a criançada

A

tarde de 28 de novembro foi de festa para as crianças assistidas pela AMA (Amigos Mãos Abertas) de Juiz de Fora, com a visita de membros da Legião de Maria na instituição, que funciona no Bairro Carlos Chagas. Elas receberam presentes e se divertiram. Este trabalho é desenvolvido desde 2012 pela Legião de Maria, com visitas em datas celebrativas, como Páscoa, Dia das Crianças e Natal.

Aniversário

N

o dia 6 de dezembro, Pe. José Maurício de Araújo, C.Ss.R., formador da Comunidade Vocacional São Clemente, completou mais um ano de vida. A ele, nossos parabéns e as bênçãos de Deus!

As escadas que levam para a Glória

Q

uando aqui chegaram em 1893, os dois primeiros missionários holandeses, os padres Mathias Tulkens e Francisco Lohmeyer, sensibilizados pela necessidade de assistência espiritual dos colonos germânicos e animados pela perspectiva de fundação da primeira casa Redentorista do Brasil, - ocorrida em 1894 - encontraram a primitiva Igreja de Nossa Senhora da Glória, erguida no então Morro da Gratidão, entre os anos de 1878 e 1879, pelos habitantes da Colônia Dom Pedro II. Com a formação da primeira Comunidade Redentorista da Glória e o início de seu trabalho de evangelização, a primitiva igreja ficou pequena diante da multidão de fiéis que a ela acorriam. Em 1916 decidiu-se pela construção da atual Igreja da Glória, cujas dimensões são significativamente maiores. Tais planos, no entanto, foram adiados devido aos transtornos causados pela Primeira Guerra Mundial, que durou até 1918. Em janeiro de 1919, o Padre Francisco Zitiwing toma posse como reitor da comunidade redentorista e Cura da Glória, retomando o projeto de construção da nova igreja. A primeira providência tomada pelo Pe. Zitwing foi a melhoria do acesso à igreja. Entre os meses de setembro e novembro daquele mesmo ano foi construída, toda em pedra de cantaria, a atual escadaria de acesso à igreja, mais ampla e espaçosa, em substituição à primitiva, estreita e íngreme, permitindo que no ano seguinte fosse lançada a pedra fundamental do atual templo, iniciando sua construção.

Nathan Ramalho dos Reis continua na página 12


Igreja da Glória

Uma história que começou a ser escrita há cem anos

N

o dia 20 de junho de 1920, era lançada a pedra fundamental de nossa atual Igreja da Glória. A capela, que existia, já era pequena e, por isso, fez-se necessária a construção de um templo maior. O início desta história será contado no Calendário 2020 da Paróquia da Glória, que trará fotos e curiosidades da construção, reunindo informações do chamado Livro de Tombo, escrito pelos Párocos que passaram pela comunidade. A cada mês, você conferirá as festas religiosas e as datas comemorativas dos santos e beatos redentoristas. O calendário, que poderá ser adquirido a partir do dia 10 de dezembro por apenas R$ 5,00, é o primeiro passo de um caminho que se estenderá até 2024, quando serão celebrados os 100 anos de inauguração da nova igreja. Para 2020, ainda estão previstos um concurso fotográfico; o lançamento de um guia sobre

a Igreja da Glória, escrito pelo Padre Braz; uma coleção de postais e um jantar de ação de graças no final do ano. Tudo para celebrar a memória agradecida dos que por aqui já passaram e lembrar que todos nós somos responsáveis por este belo patrimônio.

Primeira Casa Redentorista do Brasil A

Primeira Comunidade Redentorista da Glória

construção da nova Igreja da Glória só foi possível graças aos Missionários Redentoristas, que chegaram ao Brasil em 1893 e, no ano seguinte, estabeleceram a primeira Casa da Congregação Redentorista no País em Juiz de Fora. A Igreja da Glória abrigou os primeiros sacerdotes vindos da Holanda: Mathias Tulkens e Francisco Lohmeyer. Estes 125 anos de caminhada também serão contados numa EXPOSIÇÃO que será aberta no dia 8 de dezembro, festa da Imaculada Conceição de Maria, padroeira dos Redentoristas. A partir de textos e fotos, além de objetos pertencentes aos Redentoristas, os visitantes poderão reviver uma parte desta história. A mostra ficará disponível até o Natal, na entrada da Igreja da Glória.

Profile for Paróquia Nossa Senhora da Glória

Jornal Novo Tempo/Dezembro 2019  

Informativo da Paróquia Nossa Senhora da Glória, Juiz de Fora (MG)

Jornal Novo Tempo/Dezembro 2019  

Informativo da Paróquia Nossa Senhora da Glória, Juiz de Fora (MG)

Advertisement