Page 1

2009 / MAIO www.parnaibatem.com.br


2009 / MAIO

www.parnaibatem.com.br


2009 / MAIO www.parnaibatem.com.br


Caros leitores,

Em especial nessa Edição, caras mamães leitoras...

Diretor Executivo Marcio Mrotzeck

Que aliás, são especiais todos os dia né? Eu sinceramente não sei o que seria de mim sem minha mãe, a Dona Neusa! É verdade! Ela lendo isso já deve estar chorando... Eu sei, mãe é assim mesmo, chora por tudo, chora por todos... Ela chora até quando o meu Corinthians ganha, porque sabe que eu estou feliz, imagina o resto então... rsrs

Então, vamos ser mais filhos, para que nossas mães sejam mais mães, quero dizer, para que sejam mais mães e mais felizes, pois o SÓ O AMOR CONSTRÓI, então seja filho de verdade, agradeça todos os dias por ter tido uma mãe tão preocupada com você, pois certamente seus caminhos hoje estão em linha reta, graças a ela. Tem muito mais nessa edição, mas o editorial ficou para as mamães, mesmo! Agradeço a todos por continuarem a enviar dicas e sugestões de assuntos para abordarmos nas próximas edições. Ajude-nos a fazer PARNAÍBA tem. O canal de mídia do parnaibano.

Um grande abraço! Marcio Mrotzeck

Publicitário e Designer Gráfico Todas as edições estão disponíveis na Versão Digital, acesse nosso site!

lilian@mwcom.com.br

Jornalista Responsável Renato Silvestre MTB 50968

Fotografia Marcio Mrotzeck / Secom Colaboradores Izes Bastianon / Eliana Costa / Heliton Costa / Júlio Barros / Antonia Nakayama / Adriana Buglia / Liliana Mendonça / Leandro Daher / Núria C. V. Almança / Jotta Santos

Revisão Lilian Mrotzeck Asses. Jurídica Dra. Jeniffer M. Urakawa Projeto e Produção Gráfica MW.com - Design www.mwcom.com.br

Distribuição Santana de Parnaíba - Bairros e Centro Histórico

Publicidade anuncie@parnaibatem.com.br Tiragem 7.000 exemplares (distribuição gratuita) Periodicidade Mensal Nota da redação A revista PARNAÍBA tem não se responsabiliza por opiniões e artigos assinados, todos os dados apresentados nas matérias são de responsabilidade de seus autores, os quais não mantém nenhum vínculo empregatício com a mesma e todos os anúncios foram veiculados mediante prévia autorização das empresas. Fica vedada a utilização, sem prévia consulta, de textos e fotos em outro veículo de comunicação. Os preços de produtos e serviços divulgados nessa edição, foram fornecidos por seus fabricantes ou distribuidores, e podem sofrer alterações sem prévio aviso. A revista PARNAÍBA tem é uma publicação da MW Comunicação e Design Ltda., sob CNPJ 05.630.153/0001-36

Tel 11 4154.2470 / 9604.1266 redacao@parnaibatem.com.br

www.parnaibatem.com.br www.mwcom.com.br

Pesquisa: Profª Izes Bastianon C. O.

www.parnaibatem.com.br

rotzec

Durante o mês de maio, considerado o Mês de Maria na Igreja católica (anos 40/50), todas as noites havia reza na Matriz N. S. Sant’Anna e as crianças levavam flores para Nossa Senhora. No final do mês havia a celebração da Coroação de Maria. Dentre as meninas que se preparavam para a 1ª Comunhão, uma delas era escolhida para coroar nossa Divina Mãe, no altar-mor, durante a cerimônia que se realizava na Igreja. Outras meninas ficavam nos degraus das laterais com seus longos e belos vestidos. Essa cerimônia era esperada por todos. Era emocionante. Entrevistado: Benedicto Antonio Pedroso - Benê - (in memoriam)

k

Aqui vai uma pequena história sobre o mês de maio que se realizava-se na Igreja Matriz há muitos anos atrás

arcio M

04

Ser mãe é isso, é amor incondicional, é devoção, é doação, é não dormir, é não viver... Opa! não viver? É, é sim, mãe não vive por causa dos filhos, quase que não respira, uma coisa que eu acho errada, claro não sou mãe né, minha esposa diz isso, já ouvi isso da minha mãe também, mas “quando” corta o cordão umbilical, já devemos começar a pensar em andar com as próprias pernas... Os valores estão totalmente invertidos, não deveria ser assim! Os filhos de hoje não são tão filhos como deveriam ser, parem e pensem...Você já disse que ama sua mãe hoje? Não... eu sei, as vezes nos esquecemos! Tá esperando o quê? Liga, manda um email, um sinal de fumaça, ou mesmo em pensamento, mas venere sua mãe, ouça mais sua mãe. Se precisar pedir desculpas de algo, peça! Mãe só tem uma!

Diretora Administrativa Lilian Mrotzeck

Foto M

MAIO

/

2009

Minha mãe é meu Chão, é meu Tudo! Minha mãe é Coruja. Minha mãe é Linda. Minha mãe é Maravilhosa. Minha mãe é Charmosa. Minha mãe é Guerreira. Minha mãe não mede esforços. Minha mãe não se cansa. Minha mãe é Verdadeira! Minha mãe é minha Parceira. Minha mãe deve estar chorando muito mais agora.. srsr.. Desculpa mãe, mas EU TE AMO, e te agradeço todos os dias, pode ter certeza, se hoje eu cresci, sou um homem, pai de família e segui meu caminho é graças a você mamãe, é porque te ouvi, pois sempre, sempre me orientou!

marcio@mwcom.com.br


www.parnaibatem.com.br

08 NEGÓCIOS 16 HISTÓRIA 10 ESPECIAL 06 GASTRONOMIA 18 PATRIMÔNIO

Como fazer - Parte III

Impostos? Tarda, mas eles vem...

Nossos doutores, Nossas Saudades

DIA DAS MÃES

Foto Marcio Mrotzeck

mais capa

Todo dia é dia!

MAIO

/

Foundue de Chocolates com Frutas

2009

Fotos Divulgação

Renovação da Escola - a Missão

Baixa ou alta, magra ou não, branca, negra, amarela, rosa... Dona de casa, ou dona da casa. Paciente ou impaciente. Tranquila ou agitada. Séria ou descontraída. Charmosa ou atrapalhada. Quem falou que elas são todas iguais? É. Mãe só existe uma! Aquela que nos “mima” por nove meses - às vezes por menos - e, depois, quando nos entrega ao mundo, passa o resto da vida como se estivéssemos alí dentro delas. É porque estamos:dentro do coração. Um agradecimento em especial nessa edição a Mamãe Eliana Costa, pois a linda barriga que vemos na capa é dela, e estava frio para fazer essa foto heim, mas ela estava lá, firme e forte, como todas as mamães, valentes e corajosas! As fotos publicadas nessa edição foram solicitadas em nosso último editorial, por email marketing também, mas como quase ninguém lê o editorial... srsr... Sua mamãe não está ali, sinceramente queriamos nessa edição, páginas e páginas como fotos de mamães, mas fica para a proxima. Essa edição de PARNAÍBA tem, foi feita com carinho para vocês mamães. A todas um Feliz Dia das Mães!

05

Não tem como descerever nessa edição todo o valor de uma mãe, em algumas palavras, conseguimos passar um pouco dessa primoroza “missão”, Parabéns Mamães! Página 12

MAMÃES “PARABÉNS” Uma justa homenagem a todas as mamães, vovós, futuras mamães, pois todas elas já sabem de fato o que é ser mãe... Para vocês mamães, uma linda história... Página 15

VAREJO, dicas para o bom vendedor

17

MÚSICA, na praça - programação

20

BAILE ANOS 80, fundo social

20

HINO PARNAÍBA, curiosidade - letra

20

MUNDO COUNTRY, rodeio cajamar

21

CURURUQUARA, festa 13 de maio

22

ATIVIDADES, sufrutoverdeus

23

HABITAÇÃO, minha casa, minha vida 24 DICA DE DVD, filme nacional

26

POESIA, toque de amor

26

www.parnaibatem.com.br


A renovação da escola por Antonia Maria Nakayama

SXC.hu

especial

anmana@uol.com.br

06

A instituição escolar infelizmente ainda conserva muito da cultura que, tradicionalmente, a acompanha desde sua fundação e, neste artigo, realizamos a escolha de três de seus aspectos: sua função social, seu currículo e as relações interpessoais, os quais passamos a analisar sob a ótica da Educação Inclusiva. A função social da expansão da escola republicana, no início do século XX de socializar as crianças para formar os trabalhadores necessários à industrialização do país, ainda está presente na cultura escolar. Naquela época houve um salto na equalização de oportunidades, pois as meninas e os meninos negros, indígenas e mestiços puderam entrar na escola, numa demanda crescente ao longo de todo o século XX, chegando ao século XXI com a universalização do acesso pelo menos do Ensino Fundamental. O crescente atendimento da demanda não foi, porém, acompanhado das medidas organizacionais e curriculares necessárias à oferta de ensino de boa qualidade que os fizesse permanecer e aprender na escola. O resultado de baixo desempenho das crianças e jovens em exames nacionais e internacionais publicados nos jornais de grande circulação do país surpreende a todos com a classificação do país nos últimos lugares do rol dos países participantes acentua um problema antigo ainda sem solução. O gradativo aumento da matrícula das crianças com deficiência na sala de aula comum na escola regular, que chegou a 640%, considerando o período de 1998 (43 mil) até 2006 (325 mil), trouxe para a escola, mais uma vez, o impacto da diferença e deixou clara a falta de boas condições para o atendimento de qualidade de toda a população escolar, bem como a falta das adequações curriculares necessárias www.parnaibatem.com.br

para a real inclusão das crianças com deficiência, Transtorno Geral de Desenvolvimento ou Altas Habilidades. Podemos apontar, nesse aspecto, que cresce entre os educadores o ideal de tornar inclusiva a escola, organizando-se para promover a inserção das crianças e oferecendo-lhes boas condições de participação em inúmeras atividades adequadas às suas necessidades e suas formas de aprender, para que obtenham sucesso em seu desenvolvimento

que vivem. O sentido dessa aprendizagem logo se apresenta aos alunos, mostrando a cada momento novos aspectos do real, antes não localizados ou compreendidos, bem como a si mesmos como pessoas que conseguem investigar e compreender o mundo. Há ainda um terceiro aspecto da escola a ser examinado: as relações interpessoais, ainda impregnadas do modelo tradicional de relações de poder. De um lado há o autoritarismo por parte

afetivo, cognitivo e moral. O segundo aspecto apontado, que também reproduz o passado, é o currículo tradicional, que deixou marcas no conteúdo escolar e ainda se mantém fragmentado, desvinculado da realidade e sem sentido para os educandos. Há iniciativas no sentido de tornar interdisciplinar ou transdisciplinar o currículo escolar, de tal maneira que o conteúdo deixe de ser considerado um fim e se transforme no meio de responder às questões elaboradas pelos alunos, intrigados em conhecer a realidade em

da direção, dos funcionários e dos professores, de outro lado a omissão e obediência. Os professores, algumas vezes, sentem-se perdidos no ambiente de desrespeito dos alunos, e, ao invés de exercer sua autoridade, buscam impor ordem por comandos autoritários ou mesmo omitem-se, deixando à deriva os alunos e seu aprendizado. Por outro lado, o que é ainda mais grave, há a pressão dos alunos em fazer o que bem entendem na sala de aula. Há relatos de professores e estagiários

Foto Divulgação

MAIO

/

2009

O desafio da escola inclusiva


SXC.hu

para renunciar às idéias, que eram boas, não é fácil. Para construir algo novo, na realidade, não é preciso abandonar o que se fez, nem gostar muito do que foi feito. É preciso tomá-lo como alguma coisa que se pode reconstruir” (Gruber, apud Bringuier, 1978: 98). Nesse sentido, é importante passar de uma visão segregacionista e discriminadora para uma visão mais ampla da função

social da escola, de sua organização e relacionamento com a comunidade em que se insere. É necessário, principalmente, que os educadores revejam suas ações e atitudes pelo viés da diversidade, de modo que possam não apenas aceitar a multiplicidade de maneiras do ser humano se apresentar, mas também trabalhar o currículo a partir dessas diferenças.

www.parnaibatem.com.br

/

A necessidade de renovação da escola para acolher e ensinar com eficácia todas as crianças e jovens tem sido a preocupação dos educadores que, a partir dos preceitos da legislação de Educação Inclusiva, desejam olhar de frente a cultura predominante na escola, propondo ações de aperfeiçoamento do seu sistema organizacional, procedimental e curricular. O Fórum Permanente de Educação Inclusiva - Região Oeste (FOEI), foi criado em 2006 na UNIP-Alphaville, para descentralizar as ações do Fórum Permanente que tem suas reuniões na Faculdade de Educação da USP, com a finalidade de abrir um espaço de estudo, pesquisa e reflexão sobre a legislação específica da Educação Inclusiva, bem como acolher depoimentos e responder às questões dos educadores da região. Os alunos de Licenciatura da Universidade, preocupados com a situação das escolas onde atuam como professores ou estagiários, têm no FOEI uma produtiva interlocução com os educadores dos municípios vizinhos a respeito da situação das escolas nas questões que envolvem o acesso das crianças e jovens e a oportunização de seu aprendizado a partir das suas características peculiares. A renovação da escola se faz necessária principalmente porque ela não tem conseguido dar conta de sua principal função social - ensinar a todos os alunos e alunas. Tem sido prática comum retirar da sala, para alguma atividade de apoio, os alunos e alunas, considerados com Dificuldades de Aprendizagem, porém, esses alunos e alunas podem ser “fonte de compreensão sobre a forma como o sistema pode ser melhorado, tendo em vista o benefício de todos” (Ainscow, 2002, p. 7). A abertura desse espaço, FOEI, de discussão e debate, sem outro fim que não seja o esclarecimento e a expansão da idéia do atendimento de boa qualidade a todos os alunos na escola regular, particular ou pública, se constitui em mais uma ação que efetiva a participação da comunidade na vida acadêmica, com os professores e alunos da instituição, em uma parceria voltada à formação inicial e continuada. Nos três anos de atuação, nossos objetivos de sensibilizar os participantes acerca da diversidade foi atendido, como revelam os relatos dos participantes: “Nós precisamos aceitar e conviver com as diferenças do próximo”. “Estou me sentindo incluída num Fórum que tem pessoas capacitadas, interessadas e dispostas a ensinar e aprender”. “Gostei da reflexão sobre o preconceito que existe em relação a muitas diferenças e que temos, sem percebermos, por motivos culturais ou mesmo educação”. “Foi importante saber que não basta respeitar, é preciso honrar, abraçar a questão e levar adiante”. “Percebemos que todos nós somos diferentes, temos medo do desconhecido e podemos fazer muita coisa para melhorar o ensino” (participantes das reuniões). Os educadores, pais e especialistas das escolas públicas e particulares da região oeste de São Paulo, têm livre acesso às nossas atividades, bastando comparecer ao Teatro UNIP-Alphaville em nossa próxima atividade, que acontecerá no dia 23 de maio (sábado) no horário das 9h00 às 13h00, quando teremos uma palestra com o professor da Universidade de Havana - Dr. Guilhermo Arias Beatón, que contribuirá com sua experiência à frente da educação especial de Cuba, para enriquecer nossas reflexões com o tema: BASES TEÓRICAS, METODOLÓGICAS E PRÁTICAS DA EDUCAÇÃO ESPECIAL EM CUBA.

2009

A atuação do Fórum Permanente de Educação Inclusiva - Região Oeste - FOEI

MAIO

que mostram os alunos brincando em sala de aula, namorando, atendendo celular, organizando pequenos grupos de jogos e divertimentos, fazendo gozações ou depreciações dos colegas ou até mesmo praticando atos de violência. Todos esses comportamentos mostram o descaso para os professores, representantes da regra em sala de aula, que se sentem destituídos de seu lugar social e não sabem como agir. Observa-se, porém, iniciativas louváveis de escolas organizadas com regras claras, atualizadas e negociadas com os alunos. Há professores dedicados, com atitude de escuta às questões, idéias e problemáticas dos alunos. São professores que compreendem seu importante papel social, que elogiam as conquistas dos alunos, fazendo-os perceber sua capacidade de aprender e ficar com “gostinho de quero mais”. Essas escolas promovem assembléias de classes, como momentos preciosos de exercício da cidadania, com interlocução coletiva das questões cotidianas e dos conflitos, para planejar soluções adequadas. Há escolas em que a direção incentiva a busca de ótimas atividades para o envolvimento e a aprendizagem das crianças e dos jovens, que buscam na participação de cada um dos funcionários a solução apropriada para o planejamento de espaços diferenciados de aprendizagem, que incluam atividades de apoio, grupos de estudo, grupos de projetos, com momentos de complementação, suplementação e enriquecimento do estudo, atendendo tanto o aluno com dificuldade quanto aquele que tem alta habilidade, desenvolvendo os talentos de cada uma das crianças, que evoluem como pessoas e aprendizes. O conteúdo escolar prevê o trabalho com eixos temáticos, que mobilizam as investigações dos alunos e sua reflexão sobre a realidade que vivenciam. O trabalho de elaboração da história de vida dos alunos, de suas famílias e da própria escola, evidencia a preocupação de trabalhar com sua singularidade, a partir de suas características de origem, situação familiar, local de moradia, desvendando situações importantes do passado e valorizando seus antecedentes. Sabemos como é difícil modificar as ações educacionais presentes na cultura escolar marcada pelo jeito tradicional de se fazer educação. Porém, a implantação de um modelo educacional inclusivo requer a reorientação curricular que tornem o sistema escolar adequado ao atendimento de todas as crianças e jovens. Howard Gruber evidencia a importância de se refletir no processo pelo qual se renuncia ao que se tem feito, pois “recuperar o que se tem feito,

07


juliovbarros@hotmail.com

por Profº Júlio Barros

Patrimônio 2009 / MAIO

08

Como fazer III Dando seqüência aos nossos textos, quero agradecer a todos os e-mail’s que recebi, e principalmente a visita do Senhor José, morador da Rua Suzana Dias que veio falar comigo da matéria anterior, fico agradecido com este escambo de conhecimento. A “ PA R N A Í B A t e m ” r e c e b e u também muitos elogios de gente de fora, gente da Cultura, como o Secretário de Cultura do Iguape - Sr. Carlos Junior, do Gerente de Cultura do Estado do Espírito Santo - Maurício Silva, do Prof. Raimundo Rodrigues, que exsuperintendente do IPHAN/MG, nos qualifica ainda mais, quando, como arquiteto e pesquisador, é sem sombra de dúvidas um dos maiores especialistas da “Arquitetura da Terra”, portanto um estudioso, e profundo conhecedor de Santana de Parnaíba e suas técnicas construtivas. Todos estes e-mails e muitos outros, estão em posse da direção de nossa revista, para registro. Aproveitando, quero agradecer muitíssimo aos que compreenderam a importância das provocações c o n t i d a s n o t e x t o a n t e r i o r. Como professor, quero seduzir nosso leitor a construir a própria conclusão, para formularmos juntos um conhecimento profundo, de base crítica e fundamentação do entendimento transdisciplinar, necessário à matéria; e com isso, darmos juntos nossa contribuição para Educação Patrimonial. Quanto aos questionamentos, da informação de que o Tombamento é Servidão Administrativa, agradeço ainda mais, e para elucidação da www.parnaibatem.com.br

questão, recorro ao livro, “Tutela do Patrimônio Cultural Brasileiro”, de Dr. Marcos Paulo de Souza Miranda - Promotor de Justiça/MG, Coordenador das Promotorias de Defesa do Patrimônio Histórico, Cultural e Artístico do Estado, que aborda o tema da seguinte forma: “Servidão administrativa - Defendem esta tese: Celso Antônio Bandeira de Mello, Rui Cirne Lima, Adilson Abreu Dallari, e Lúcia Valle Figueiredo, para quem o tombamento é ônus real de uso imposto especialmente pela Administração a determinados bens. Pelo tombamento o poder público absorveria uma qualidade ou um valor existente no bem para desfrute da coletividade. Contudo, apesar do tombamento se assemelhar à servidão por individualizar o bem protegido, dela se difere porque não há a coisa dominante, indispensável para caracterizar o instituto da servidão. Limitação ao Direito de propriedade - Segundo Maria Sylvia Zanella Di Pietro, Diógenes Gasparini, José Cretella Júnior e Themístocles Brandão Cavalcante o tombamento é restrição geral e gratuita imposta indeterminadamente pelo poder público às propriedades. Entretanto, apesar do tombamento se assemelhar à limitação administrativa, em razão de ser imposto em benefício do interesse público, dela se difere uma vez que individualiza o bem.” (2006, pág. 110). Agora, a partir do exposto, pode-se concluir ao gosto do leitor, e diante do interesse do social e coletivo,a perda da fruição do direito de propriedade, e um entendimento

do sui generis de seu gozo a este bem, herdado ou adquirido. Com suporte do mesmo autor supracitado, faço lembrar que “a legislação sobre o patrimônio cultural brasileiro é vasta, pouco difundida e encontra-se fragmentada e dispersa em diplomas normativos de várias épocas”, dificultando ainda mais as populações detentoras destes bens, na compreensão ideal das limitações e direitos impostos. N e s t e c a m i n h a r, t a m b é m s e reconhece que, “a partir da Constituição Federal de 1988 qualquer discussão que envolva o patrimônio cultural deve envolver a participação popular, porque o patrimônio não é mais restrito aos bens alusivos ao estado, às elites, à história dos vencedores, mas também envolve a história dos menos favorecidos, dos homens comuns”. (Carta de Ouro Preto - MG - IV Encontro Nacional do Ministério Público na Defesa do Patrimônio Cultural) Portanto, venho nos situar, como detentores da historicidade de nossa Santana de Parnaíba, para o deleite do Brasil e do Mundo, na lembrança de que nosso Ouro, Madeira e outras tantas riquezas que abasteceram a Europa, construindo e reconstruindo impérios sob os pés dos bandeirantes, rudes, como era o homem de sua época, forte como é o paulista, e, também assim, como seus herdeiros, empreendedores, que já nos anos de 1640, seguindo a Oeste, ”a cidade mais próxima de Santana de Parnaíba, naquela direção, vinha a ser Assunção, no Paraguai. O caminho até lá era conhecido de sobra por europeus desde o


/

2009

de ferramentas de ferro. Ao fim, pergunto-me, acerca do tombamento da capela de Nossa Senhora da Conceição do Voturuna, com seu riquíssimo altar, “recriação dos modelos acadêmicos portugueses, com uma composição final que pode ser considerada como das mais antigas e autênticas expressões da arte brasileira” (parte da Descrição do processo n° 222-T, insc. N° 154, Livro História, fls. 26, e insc. n° 295, Livro de Belas-Artes, fls. 51. Data. 19.02.1941 - Andrade, Mário de anotações em ficha datilog., Arquivo da SPHAN). Tendo sido lá, a principal forja de ferro, extração e beneficiamento de ouro da cidade, nada disso foi lembrado pelos então autores do processo de tombamento? Será que o fazer arquitetônico e artístico sobrepujou os outros ofícios? Era um gosto do segundo quartel do século 20, quando ocorreu o tombamento? O jeito de fazer já era matéria proposta no Decreto-Lei 25 de 1937? Estes serão assuntos para a próxima matéria.

MAIO

necessidade das tribos, regulava toda a sua existência, “tanto que a vida religiosa e cultural dos povos da floresta girava em torno dela. (...) A escolha da época do ataque não se relacionava apenas com a posse de recursos naturais. O exercício de uma atividade comum em geral reunia um n° considerável de inimigos numa pequena área. Isso, do ponto de vista estratégico, era altamente vantajoso; assim a excursão dos tupinambás contra os tupiniquins, descrita por Staden, tinha este objetivo: surpreender o inimigo em atividade.” (CALDEIRA, 2006, pág. 98) Obviamente estas possibilidades aumentavam ainda mais o valor do ferro que, além de menos tempo de trabalho, significava mais poder na luta pelo domínio de terras. Ainda com suporte no mesmo a u t o r, r e l a t o a t r a n s a ç ã o d o pagamento de uma dívida de 3.200 réis, “dinheiro suficiente para na época comprar um sítio com uma casa, ou algo em torno de vinte quilos de ferro trabalhado”, que o credor deveria escolher entre o sito e a boa casa, ou os vinte quilos

09

Fotos Marcio Mrotzeck

início da colonização. Por ele iam e vinham moradores e incursões, quando se desejava algum contato com ar de oficialidade. Quando a idéia era discrição a parada em Assunção podia ser ignorada; neste caso, a cidade seguinte era Santa Cruz de la Sierra, já em pleno território do então chamado Peru. Esta era a escala obrigatória para quem pensava em negócios na terceira cidade do caminho, Potosí, onde 160 mil mineradores arrancavam toneladas de prata de um cerro gelado nos Andes, alimentando sonhos de riquezas da metade do planeta. Sempre houve quem preferisse a rota por Santa Cruz de la Sierra até Potosí, especialmente quando se tratava de evitar eventuais perguntas embaraçosas de autoridades espanholas sobre os objetivos da viagem.” (CALDEIRA, 2006, pág. 82) Meça bem a expressão, “Santana de Parnaíba Boca do Sertão”, contextualize, veja no parágrafo anterior a importância destas rotas e caminhadas que daqui saiam as “Bandeiras de Guerra”. Organizemos-nos na compreensão de que, os portugueses ao chegarem aqui encontraram uma terra na “idade da pedra”, onde o ferro, sua fundição e forja representava uma tecnologia capaz de enriquecer famílias, modificar radicalmente a vida, produzir poder e sofrimento infinito. Com suporte em Jorge Caldeira, decorro sobre o assunto doravante. Veja, qual utilidade teria o ferro para o índio? Evidentemente, a mais importante nas cunhas e machados. Pois, antes dos machados de ferro, abrir uma roça na floresta tropical, usando um machado de pedra, levava 4 horas de trabalho para se jogar ao chão uma única árvore de trinta centímetros de diâmetro, e esperar um ano para, decomposto o material, atear fogo e só depois fazer o plantio. Com a nova tecnologia, esta mesma árvore poderia ser jogada ao chão em uma hora, o terreno limpo e no mesmo ano feito o plantio. Com o tempo que lhe sobrava, assim como a fartura de alimentos, este mesmo índio poderia fazer o que mais lhe conviesse, como por exemplo, “massacrar seus inimigos”. A guerra era uma

www.parnaibatem.com.br


História

por Izes Bastianon

izesbastianon@hotmail.com

Nossos Doutores, Nossas Saudades

MAIO

/

2009

10

A Sociedade Benemérita Recreativa Dramática Particular Parnahybense e sua Diretoria (1891) tinha entre os seus objetivos beneficentes,ajudar o hospital que funcionava na casa de D. Inacinha, irmã do Coronel Raymundo, através de um grupo dramático (teatro). Em 1908, o novo hospital - Santa Casa de Misericórdia - começava a ser construído pelo Coronel, que era Diretor de Obras Públicas, em terreno doado pela sua irmã no final da rua André Fernandes (atual rua Coronel Raymundo). Neste mesmo ano, com a dissolução da Sociedade Benemérita, em assembléia geral, todos os bens foram doados para o novo hospital. A Santa Casa começou a funcionar com sua nova diretoria em 1909. Chegaram os médicos, Dr. Ernesto Moreira, Dr. Rafael Wuitaker, Dr. Emygdio Moraes, Dr. João Procópio, Dr. Francisco San’Anna, entre outros. A Santa Casa atendia a população parnaibana com internações, quando necessárias. Em 1954, as obras de represamento das águas do rio Tietê pela Light and Power exigiram o sacrifício do prédio em estilo neoclássicoe sua capela, devido a sua desapropriação. Em contra proposta, a Light construiu a nova Santa Casa em local que foi criticado na época, por ser isolado, para continuação dos seus serviços (atual rua Fernão Dias Falcão, nº100). Nos anos seguintes, a área da Saúde começou a se estender. Foi instalado o Posto de Puericultura pelo Governo do Estado, que fazia o atendimento às mulheres desde a gestação até a puberdade dos seus filhos. Funcionava na rua Pedro Procópio. O Posto de Saúde, também Estadual (atual UBS “Dr. Álvaro Ribeiro”), que sempre esteve instalado na rua Coronel Raymundo. Atualmente, temos um quadro respeitoso de doutores em nosso Município, mas ao resgatar a nossa história na área da Saúde, não podemos esquecer dos nossos “Saudosos Doutores”, considerados humanitários e amigos pelos parnaibanos. www.parnaibatem.com.br

Fotos acervo pessoal Izes Bastianon

Conheça um pouco mais sobre os mestres na Medicina, que hoje dão nomes as nossas ruas, escolas...

Dr. João Procópio

Dr. Miguel Alonso Gonzalez Júnior

Nasceu em 15 de junho de 1894, em Santana de Parnaíba. Era filho de Pedro Carlos da Pureza Procópio e Claudina Procópio. Era tio de José Procópio (Toco). Formou-se professor aos 18 anos e foi nomeado para administrar uma escola em São Paulo. Aos 24 anos, formou-se médico. Seu pai farmacêutico, com muito sacrifício conseguiu ajudar nos estudos para a diplomação na Escola de Medicina de São Paulo. Ainda estudante, veio prestar auxílio na epidemia da gripe em nosso município. Depois de formado foi o primeiro médico parnaibano que atuou em nossa Santa Casa, através do governo estadual. Todos conheciam seus atos de nobreza.Visitava constantemente os doentes com carinhosa solicitude, dispensando todos recursos financeiros.Anos depois já casado, foi clinicar em São José dos Campos (SP) para cuidar das pessoas contaminadas pela tuberculose. Contraindo a doença, afastou-se para tratamento. Veio a falecer em 28 de abril de 1924 (30 anos), nessa cidade, junto aos familiares. Pela sessão da Câmara Municipal dos Vereadores, a rua “B” do Bairro Vila Nova recebeu o nome de “Dr. João Procópio”, em 20 de novembro de 1961.

Nasceu em Buenos Aires (Argentina) em 08 de maio de 1917. A partir dos 8 anos de idade veio morar em Santos. Seu pai era agricultor que se dedicava à bananicultura na região do Guarujá, enquanto ele ainda jovem, extraía lenha no sítio em Bertioga, ainda não naturalizado brasileiro. Formou-se médico na Faculdade Federal Praia Vermelha, prestou concurso público e começou a trabalhar no Posto de Saúde de Santos. Na época da Guerra Mundial, já recém-casado com a professora Mariêne Bueno dos Reis Alonso, morou em Bertioga, Araraquara e Pedro de Toledo.Desta última cidade foi removido por questões políticas, pelo governo de Jânio Quadros para o nordeste do país. Dr. Miguel apoiava Adhemar de Barros. Conseguiu mudar sua remoção para Santana de Parnaíba ,chegando aqui em fevereiro de 1956 com sua esposa, que daria aulas na Escola Colaço, de 1ª a 4ª série e seus quatro filhos, ainda crianças: Miguel (atualmente é médico), Arthur (médico), Consuelo (professora de Educação Física) e Márcio (químico). Dr. Miguel iniciou seus trabalhos de Clínico Geral e Pediatra em nossa cidade, no Posto de Puericultura, atendendo as gestantes e crianças até a puberdade e clinicando na Fábrica Matarazzo, no Vau Novo. No Posto trabalhavam as funcionárias Benedita Marques da Silva, Luiza Abreu Bastianon e Selma Teixeira Braga. Foi um médico que se dedicou muito ao combate da mortalidade infantil.

Informações: José Procópio (sobrinho) Prof.ª Maria Zendron Cardoso (in memorian) - texto de sua autoria no livro Polyanthéa - 1925


Informações: Prof.ª Consuelo Bueno Alonso Salles (filha) - Dr. Arthur Alonso Gonzalez (filho)

Informações: Ercília Lepri Ribeiro - Álvaro Lepri Ribeiro - Thereza Christina Lepri Ribeiro Gasparini

Mesmo com o passar dos anos, os queridos Doutores estão em nossas lembranças e ficaram... as nossas saudades. Texto e pesquisa elaborados por: Prof.ª Izes Bastianon Chaves Oliveira www.parnaibatem.com.br

2009

Nasceu em Cajuru (S.P.) em 4 de março de 1919. Era o nono filho, oriundo de uma família de vinte irmãos. Estudou no Grupo Escolar Jardinópolis e no Ginásio Progresso, em Ribeirão Preto. Aos 16 anos ocupou a função de Viscerotomista (coleta de material e diagnóstico) no serviço de profilaxia da Febre Amarela,em 1935. Em seguida ingressou na Faculdade Fluminense de Medicina, no Rio de Janeiro. Enquanto acadêmico,trabalhou no Instituto Neurosífilis (antigo Pinel, já desativado). No período da Faculdade foi convocado pelo Exército Brasileiro para ser preparado para lutar na 2ª Guerra Mundial e partir para a Europa mas, a guerra chegou ao seu fim. Transferiu-se para São Paulo para concluir seus estudos na Escola Paulista de Medicina. Começou a trabalhar no Hospital das Damas de Caridade (Osasco) como Radiologista e Laboratorista Clínico. Mudou-se para o Estado do Paraná, já diplomado como Clínico, com especialização em Cirurgia Geral. Instalou seu consultório em Cambé,cidade onde conheceu e casou-se com Ercília Lepri Ribeiro, deixando aqui reconhecido o seu trabalho médico como “o pioneiro da Medicina”. Em 1955, volta para Osasco com seu filho Álvaro e sua esposa grávida do segundo filho João Evangelista,para fundar o Hospital e Maternidade São Germano (atual Hospital e Pronto Socorro Celso Giglio), tendo como sócios os seus irmãos Adauto e Ophélia. Foi Diretor Clínico desse Hospital em 1955 a 1965, período em que deixou registrado na memória

/

Dr.Álvaro Ribeiro

osasquense, o seu trabalho em prol da dignidade humana, paralelo às suas atividades em seu consultório particular e no Posto de Saúde de Santana de Parnaíba. Ao desligar-se do Hospital (1965), mudou-se para esta cidade com sua esposa e seus seis filhos: Álvaro, João Evangelista, Thereza Christina, Thomaz, Antonio Guerino e Ana Rita. Em 1974, trabalhou no Posto de Saúde de Pirapora do Bom Jesus e passou a atender os menos favorecidos, gratuitamente, na Santa Casa de Misericórdia de Santana de Parnaíba.Trabalhava também,no Posto de Saúde de Cajamar. Incansável na busca de se manter atualizado, em 1975 concluiu sua pós graduação em Medicina do Trabalho. Dr.Álvaro teve uma vida dedicada em ajudar o próximo. Possuía um consultório em sua residência Chácara Ana Rita- atendendo a todos com seus préstimos, presenteando a população, sua família e seus amigos com a sua generosidade. Tornou-se um ícone de referência de solidariedade . Em 12 de maio de 1978, a notícia do falecimento do Dr. Álvaro Ribeiro, (59 a.), Vice-Prefeito em exercício, deixou triste a nossa Parnaíba. Em sua homenagem, o seu nome é relembrado em vários pontos da cidade: Avenida Dr. Álvaro Ribeiro (Jardim Deghi); Posto de Saúde “Dr. Álvaro Ribeiro” (atual UBS) na rua Coronel Raymundo; Colégio “Dr. Álvaro Ribeiro” (Jardim Isaura); Sala de Sessões “Dr. Álvaro Ribeiro”, no prédio da Câmara Municipal. Atualmente, sua família está constituída pela Senhora viúva, seus seis filhos, noras, genros e treze netos. Dr. Álvaro não era natural de Santana de Parnaíba, mas escolheu aqui para viver com sua família e dedicar-se como médico, nesta terra que tanto amava. Fazia questão de dizer: SOU PARNAIBANO DE CORAÇÃO.

MAIO

Implantou a Campanha do leite, que era enviado do Estado e era distribuído às mães. Suas funcionárias cuidavam da higiene das crianças carentes que passavam em consulta, dando-lhes até banhos e orientando sobre noções ao combate da escabiose e pediculose. Tinha o seu ambulatório particular nos fundos da sua farmácia, no Largo São Bento. Muitas vezes deixava de cobrar seus honorários e sempre estava pronto ao atendimento a qualquer hora da noite. Sempre residiu na cidade desde que aqui chegou. Primeiramente morou no imóvel nº 209 e depois no de nº 391, ambos na rua Suzana Dias. Muitos anos passaram-se até construir sua própria residência na rua Pedro Procópio, nº 35. Apesar de rígido quanto à educação dos filhos era atencioso, prestativo e humilde. Tornou-se amigo dos parnaibanos, participava da vida social, em geral, ia aos teatros em São Paulo com sua esposa, freqüentava os bailes do C.A.S.A., oferecia churrascos e festas em sua casa, nadava no rio Tietê com os filhos e os jovens estudantes do Ginásio e com seus amigos. Nesta época o rio não era poluído. Apreciava a música de boa qualidade. Sua Hi-Fi sempre estava ligada em sua sala, durante o almoço e o jantar. Pintava óleo sobre tela,esculpia em argila, colecionava selos, jogava xadrez, gostava de fotografar com sua máquina e era jogador de futebol do time do C.A.S.A. Dr. Miguel muitas vezes abria as portas da sua casa para que os jovens, filhos dos amigos,pudessem passar o sábado no “bailinho” dentro da sua grande sala. Ele somente determinava o horário do início e do término. Não se importava com o som, com o vozerio e o vai e vem dos jovens. Entrou para a vida política , elegendose vereador em 1960, 1961 e 1962. Neste último, foi eleito para ser o Presidente da Câmara. Ao aposentar-se em 1970, mudouse para a cidade de São Paulo. Em 15 de março de 1990, faleceu vítima de ataque cardíaco (73 a.) deixando viúva, a professora Mariêne, já aposentada e seus quatro filhos já casados. Dr. Miguel dedicou-se aos mais necessitados. Foi muito querido e respeitado por todos que o conheceram e que ainda é lembrado como “o nosso médico de família”.

11


Capa “Especial Mães”

por Marcio Mrotzeck marcio@mwcom.com.br

Não te metas na minha vida! Quando um filho diz aos pais que já pode...

Este texto fantástico, que aliás era uma apresentação em PowerPoint circula nos emails a algum tempo, mas certamente muita gente ainda não leu, serve para pais, serve para mães, e principalmente serve para os "filhos", publicamos ele na forma original que é distribuida na rede mundial...

Analisado por um sacerdote... Hoje que estou aprofundando os meus estudos teológicos na Família; seus valores, seus princípios, suas riquezas, seus conflitos, recordo-me de uma ocasião em que escutei um jovem gritar aos seus Pais:

12

Esta frase tocou-me profundamente, tanto, que freqüentemente a recordo e comento nas minhas conferências com Pais e filhos. Se em vez de sacerdote, tivesse optado por ser pai de família, que responderia a essa pergunta inquisitiva de meu filho?

Esta poderia ser a minha resposta: FILHO, UM MOMENTO, NÃO SOU EU QUE ME METO NA TUA VIDA, TU É QUE TE METESTE NA MINHA!!! Faz muitos anos, graças a Deus, e pelo amor que a mámá e eu sentimos, chegaste às nossas vidas, ocupaste todo nosso tempo, ainda antes de nascer, a mãmã sentia-se mal, não conseguia comer, tudo o que comia, vomitava, e tinha que ficar de repouso. Eu tive que dividir-me entre as tarefas do meu trabalho e as da casa para

NÃO TE METAS NA MINHA VIDA???!!! Chegou o dia em que nasceste: há que comprar algo para dar de recordação aos que te vieram conhecer, (DISSE A MÃMÃ), há que adaptar um quarto para o bébé. Desde a primeira noite não dormimos. A cada três horas como se fosses um alarme de relógio, despertavas para que te darmos de comer, outras porque te sentias mal e choravas e choravas, sem que nós soubessemos o que fazer, pois não sabiamos o que te tinhas e até choravamos contigo...

NÃO TE METAS NA MINHA VIDA???!!! Começaste a andar, eu não sei quando foi que eu tive que andar mais atrás de “ti”, se quando começaste a andar ou quando pensaste que já sabias. Já não podia sentar-me tranquilo a ler o jornal ou a ver um filme ou o jogo da minha equipe favorita, porque quando acordavas, te perdias da minha vista e tinha que sair atrás de ti para evitar que te machucasses...

NÃO TE METAS NA MINHA VIDA???!!!

Ainda me lembro do primeiro dia de aulas, quando tive que telefonar para o serviço e dizer que não podia ir, já que tu, na porta do colégio, não querias soltar-me a mão e entrar, choravas e pedias-me que não fosse embora, tive que entrar contigo na escola, e pedir à professora que me deixasse estar ao teu lado, algum tempo, nesse dia na sala para que te fosses acostumando. Depois de algumas semanas não só já não me pedias que não me fosse embora, como até te esquecias de te despedir quando saías do carro correndo para te encontrares com os teus amiguinhos...

NÃO TE METAS NA MINHA VIDA???!!! Foste crescendo, já não querias que te levassemos às festas em casa de teus amiguinhos, pedias-nos que parassemos numa rua antes de te deixarmos e que te fossemos buscar numa rua depois, porque já eras “cool”, top, não querias chegar cedo a casa, incomodava-te se te imposessemos regras, não podiamos fazer comentários sobre os teus amigos, sem que te voltasses contra nós, como se os conhecesses a eles toda a tua vida e nós fossemos uns perfeitos “desconhecidos” para ti...

NÃO TE METAS NA MINHA VIDA???!!! Cada vez sei menos de ti por ti mesma, sei mais pelo que ouço dos demais, já quase não queres falar comigo, dizes que apenas te sei ralhar, e tudo o que eu faço está mal, ou é razão para que te rias de mim, pergunto: com esses defeitos pude dar-te o que até agora tens tido. A Mámá passa a noite em claro e consequentemente não me deixa dormir dizendo-me: que ainda não chegaste e que já é madrugada, que o teu celular está desligado, que já são 3:00 e não chegas. Até que por fim podemos dormir quando acabas de chegar...

NÃO TE METAS NA MINHA VIDA???!!!

www.parnaibatem.com.br

SXC.hu

MAIO

/

2009

- NÃO TE METAS NA MINHA VIDA!

ajudá-la. Nos últimos meses, antes de que chegasses a casa, a mãmã não dormia e não me deixava dormir. Os gastos aumentam incrivelmente, tanto que grande parte do que ganhava era gasto contigo, em pagar um bom médico que atendesse a mámá e a ajudasse a ter uma gravidez saudável, em medicamentos, na maternidade, em comprar-te todo um guardaroupa, a mãmã não podia ver nada de bébé, que não o quisesse para ti, um vestido, um fatinho, tudo o que podiamos, contando que tu estivesses bem tivesses o melhor possível...

Já quase não falamos, não me contas as tuas coisas, aborrece-te falar com velhos que não entendem o mundo de


hoje. Agora só me procuras quando tens que pagar algo ou necessitas de dinheiro para a universidade, ou para sair; ou pior ainda, procuro-te eu, quando tenho que chamar-te a atenção...

NÃO TE METAS NA MINHA VIDA???!!! Mas estou seguro que diante de estas palavras... “NÃO TE METAS NA MINHA VIDA”, podemos responder juntos: FILHO, EU NÃO ME METO NA TUA VIDA, TU METESTE-TE NA MINHA, EU TE ASSEGURO, QUE DESDE O PRIMEIRO DIA, ATÉ AO DIA DE HOJE, NÃO ME ARREPENDO QUE TE TENHAS METIDO NELA E A TENHAS TRANSFORMADO PARA SEMPRE!!

MAIO

/

2009

ENQUANTO FOR VIVO, VOU METERME NA TUA VIDA, ASSIM COMO TU TE METESTE NA MINHA, PARA AJUDAR-TE, PARA FORMAR-TE, PARA AMAR-TE E PARA FAZER DE TI UM HOMEM OU UMA MULHER DE BEM!!! SÓ OS PAIS QUE SABEM METERSE NA VIDA DE SEUS FILHOS CONSEGUEM FAZER DESTES, HOMENS E MULHERES QUE TRIUNFEM NA VIDA E SEJAM CAPAZES DE AMAR!! PÁPÁS: MUITO OBRIGADO!!! Por meterem-se na vida dos vossos filhos, ahhh melhor ainda --corrijo- por terem deixado que os vossos filhos se metam nas vossas vidas!!! E para vocês filhos: VALORIZEM OS VOSSOS PAIS NÃO SÃO PERFEITOS, MAS AMAM-VOS E TUDO O QUE DESEJAM É QUE VOCÊS SEJAM CAPAZES DE ENFRENTAR A VIDA E TRIUNFAR COMO HOMENS DE BEM......!!!!! A vida dá muitas voltas, e em menos do que vocês imaginam alguém lhes dirá...

NÃO TE METAS NA MINHA VIDA!!! A paternidade não é um capricho ou um acidente, é um dom de Deus, que nasce do Amor!! Deus vos abençoe!!! A TODOS... Autor Desconhecido

www.parnaibatem.com.br


2009 / MAIO

www.parnaibatem.com.br


Homenagem

por Adriana Buglia ambuglia@bol.com.br

Três letras e um significado infinito "MÃE" Existe amor maior do que o amor de mãe?

Sua sensibilidade ficou extremamente acentuada, o que quer dizer que chorava à toa... (à toa para os outros, é lógico)... Antes de ser mãe, Leona dormia o quanto queria e nunca se preocupou com horários e muito menos em ir ao banheiro inúmeras vezes durante a noite sem precisar abrir os olhos... Ela sempre teve o controle sobre a sua mente, seus pensamentos, seu corpo e seus sentimentos... Ela dormia a noite toda e jamais havia levantado a cada 5 minutos para certificar-se de que tudo estava bem. Também nunca fantasiou que uma coisinha tão pequenina pudesse mudar tanto a sua vida... Mas mudou!! Com a chegada da Eliza, ainda que imperceptível, Leona buscou alguns cuidados estéticos, porém, muitos sem sucessos.

Mas não pensem vocês que a chegada dessa menina linda, foi só magia, encantamento e amadurecimento no sistema familiar... Não foi não!!!

É sorrir quando se tem vontade de chorar...

Os hábitos do papai e mamãe da Eliza se modificaram. Então, surgiram às noites mal dormidas, que geraram maus-humores, as inseguranças, as preocupações, por vezes excessivas, as trocas de fraldas, às tão temíveis cólicas, o sono interrompido, as inquietações com resfriados e sem contar os gastos inesperados e esperados com pediatras, farmácias, etc... A mamãe da linda menina Eliza, depois de ter enfrentado todos os medos e imperícias, Leona diz que não tem receita para dosar os sentimentos, ser mãe é ser ÚNICA, é uma MISSÃO. Então, “missão” de mãe é fazer cafuné, é dar colo, é apaixonar-se pela mesma pessoinha milhões de vezes ao dia... É chegar do trabalho e ganhar um beijo melado e um abraço estupendo... É aceitar com frieza a ingratidão da natureza... Você incha, perde todas as suas curvas, ganha de presente estrias e celulites... e o seu bebê??...Ah!! o seu bebê nasce com a cara do pai...

É dizer “Eu te amo” toda hora e achar que não foi o bastante...

É acompanhar os pequenos ao mundo desconhecido... (ESCOLA). É chorar, mas ter uma mãozinha acariciando o seu rosto, seus cabelos... É dar amor, carinho, atenção, abraços, beijinhos, broncas e declarações de amor... É deixar de comprar uma bolsa nova pra comprar uma boneca... É contar milhões de vezes a mesma história e ouvir outras milhões de vezes as mesmas musiquinhas... ...MISSÃO DE MÃE É ISSO, NÃO É FÁCIL... MAS SER MÃE É MARAVILHOSO...

15

Em especial a você mulher, que é sinônimo de puro amor, que faz da sua existência uma doação de amor gratuito e eterno...

Um Feliz Dia das Mães!

É estar no cabeleireiro e parar tudo por uma mamadeira...

As transformações no corpo, na pele, nos cabelos e na mente, foram acontecendo aos poucos. Nos últimos meses de gestação, por vezes até antes, vieram os inchaços nos pés e nas pernas, mas Leona estava consciente das mudanças agressivas durante a gravidez, por essa razão, procurava www.parnaibatem.com.br

2009

Estar grávida para ela, foi contar com todos os privilégios, todos se preocupavam com seu conforto, seus desejos... o mundo de repente parecia estar mais generoso e afetivo com aquela mulher...

É deixar louça suja na pia e ir assistir o DVD da Xuxa bem tranqüila na sala...

/

Medo, alegria, ansiedade, medo de novo... E Leona foi tendo a sensação que metade do país também estava a espera de um bebê, como se por um milagre as ruas da cidade ficassem povoadas de barrigas de todos os formatos e tamanhos, despertando curiosidade, cumplicidade, simpatia e solidariedade....

ficar segura para viver essa fase na maior tranqüilidade, mesmo sendo uma fase recheada de ansiedades e expectativas...

MAIO

Depois de alguns meses de tentativas... E, finalmente, GRÁVIDA!!! Palavra esquisita para denominar uma realidade tão fantástica e incomparável.


Negócios

por Heliton Costa

hcconsultoria@terra.com.br

A morte e os

Imposto$

Se tiver uma coisa que não temos o menor prazer de fazer, e se é que existe alguém que goste, deve ser uma rara exceção, apesar de na verdade não ser ruim, como veremos, é pagar impostos.

MAIO

/

2009

Ora, se fosse para dar prazer talvez fosse chamado de prazeroso, ou se fosse justo ou medido poderia ser chamado de digno.

Ele é certo como a morte, existe um ditado que diz que há duas certezas na vida, a morte e os impostos... você pode até mesmo duvidar da morte, mas não duvide dos impostos. A carga tributária pode até ser alta e injusta, e na maioria das vezes mal aplicada. Neste sentido o que podemos fazer é escolhermos dirigentes dignos que possam aplicar melhor o dinheiro dos impostos para que seja necessário se arrecadar menos, e é desnecessário frisar questões de corrupção, nem temos espaço para isso. Estamos caminhando para dias em que o controle do dinheiro está em tudo e todas as partes, a tecnologia da informação evoluiu a níveis inimagináveis nessas últimas duas décadas. Logo sonegar não é a idéia da vez, e sim planejar. Fazermos as coisas com o melhor conhecimento

possível e da forma correta, sendo esta a única via de se realmente ter lucro e não ser pego nas malhas finas da vida ou autuações e aplicações de multas do governo. Baseado nisso é que devemos, ao invés de tentar evitar os impostos, sonegar ou procurar formas de não paga-lo, fazer um planejamento tributário, que em resumo é procurar as alternativas dentro da atividade exercida respeitando a lei, tanto como pessoas naturais ou pessoas jurídicas. Praticamente em todas as nações, sociedades ou estados o parâmetro para pagamento de impostos é a geração de renda. E isso na verdade é uma das partes boas do imposto, se estivermos pagando é sinal que estamos gerando renda, que estamos rendendo, logo, quanto mais imposto se pagar melhor será. Nas empresas o planejamento tributário é importantíssimo, a maior dica é conseguir saber exatamente qual é a carga tributária existente naquela atividade ou produto, para que não se tenha uma falsa idéia de lucratividade onde não existe. Por isso é comum ouvirmos que não se tem o dinheiro dos impostos. Como é possível, se já se sabia que ele deveria ser pago? No nosso modelo os impostos são pagos pelo consumidor final de uma mercadoria ou serviço, então é questão de calcular e repassar o dinheiro.

SXC.hu

16

E por isso ele tem esse nome: Imposto, justamente porque não nos dá a opção de querer, ou ser questionado, ele nos é imposto. E não temos como deixar de pagar, ele é tão antigo como a existência do estado, desde que os homens começaram a se organizar em sociedade ele existe, já teve muitos nomes e formas, até mesmo diferentes meios de pagamento, porém sempre teve a mesma natureza, a obrigatoriedade e normalmente em nome ou em

prol de um regime, estado ou organização.

E se não for uma questão de repasse, agregar o preço que o imposto caiba; e assim pagar o que é cobrado, ponto final. “A César o que é de César”. www.parnaibatem.com.br


Varejo

texto adaptado de Moacyr Moura

MAIO

/

2009

Vender é ajudar o cliente a comprar: definição dada pelo Circulo dos Profissionais de Vendas. Vendedores desmotivados podem atrapalhar, em vez de facilitar a decisão do cliente. Para abordar o assunto com seriedade, precisamos reconhecer que vender não é um verbo que conjugamos facilmente. Salvo exceções, os produtos foram sempre mais comprados do que vendidos. Na hierarquia de dificuldades: a venda é o principal problema das melhores empresas brasileiras. Em pleno século XXI, ainda nos limitamos a atender a demanda espontânea dos consumidores. Achamos que induzir a demanda, oferecer e procurar vender é algo chato e desprezível. Praticamos o chamado marketing reverso: se o cliente quiser ele compra, não é necessário ficar oferecendo, tentando vender. Quando colocados frente a frente com o cliente, vendedores puxam o freio de mão e se limitam a prestar informações, sem tomar a iniciativa de vender. Sabedoria e simpatia no atendimento são importantes, mas o gerente de loja, o comerciante, precisa transformar sua equipe em profissionais cativantes: Vendedores que realmente fazem a diferença! Pense no seguinte risco profissional: será que os clientes que entram na loja não sabem mais comprar do que os vendedores vendem? Tudo mudou na relação de consumo. Qualidade não é mais diferencial competitivo, virou atributo natural. Custo não define mais preço.O preço será aquele que o mercado estiver disposto a pagar. Se você não souber qual é esse limite, leva chumbo grosso. Os clientes gostam de ouvir uma boa história contata de forma criativa e um leve toque de humor. Querem viver o novo, o inusitado, mas com segurança, uma narrativa emocionante na qual possam acreditar sem decepções. Sem credibilidade, não liberam suas emoções e também não gastam. Os clientes encantam-se por vendedores e empresas capazes de descobrir e realizar seus sonhos, iluminando suas vidas com graça e entretenimento. Vender é um filme de ação, não um documentário cheio de números.

17

www.parnaibatem.com.br


por Liliana Mendonça

Foto Divulgação

Gastronomia

liliana26msn@hotmail.com

Chegando o friozinho... Não espere o inverno para saborear o foundue de chocolate. Chame os amigos, escolha as frutas que mais gosta e esbalde-se!

Veja a seguir uma maravilhosa receita de Fondue de Chocolate.

Saborear uma boa receita é sempre muito bom, principalmente quando se trata de doce. O mercado está bem variado nesse quesito, mas nada melhor do que dedicar alguns momentos do seu dia para preparar um prato delicioso.

Founde de Chocolate

18

O inverno está chegando e com ele o fondue volta a ser o doce mais apreciado. A receita tem variações, porém todas resultam em um doce que vai aquecer o corpo e proporcionar prazer ao longo da estação mais fria do ano.

Ingredientes: - 400g de chocolate ao leite em barra - 100g de chocolate meio-amargo - 1 lata de creme de leite light - 1 cálice de licor de Amarula - frutas picadas (uva, morango, kiwi, banana) - marshmallow

3. Caso não dê, leve ao microondas por mais 30 segundos, vá repetindo o procedimento até que o chocolete derreta 4. Leve ao fogo médio (do fogão) o chocolate e misture o licor e o creme de leite 5. Mexa até ficar com uma consistência cremosa 6. O importante é mexer sempre para não empelotar

Modo de Preparo:

7. Quando estiver pronto é só levar para o richaud e servir-se, espetando as frutas, marshmallow e molhando na mistura

1. Derreta no microondas o chocolate, colocando num recepiente de vidro, próprio para microondas

Informações Adicionais: caso você não seja muito chegado em doce, pode inverter a quantidade de chocolate ao leite com meio-amargo.

Bom apetite!

SXC.hu

MAIO

/

2009

O Fondue foi criado na suíça, mas somente na década de 50 ele adotou o chocolate como o seu principal ingrediente.

(rendimento 6 pessoas)

2. Deixe em potência alta por 1 minuto, retire e veja se dá para mexer o chocolate até ficar bem derretido

www.parnaibatem.com.br


2009 / MAIO

19

www.parnaibatem.com.br


Parnaíba tem Projeto “Música na Praça” leva ao público programação variada no mês de maio

MAIO

/

2009

Foto Roberto Andrade

20

Os apreciadores de um bom programa musical já podem começar a montar o seu roteiro para o mês de maio. A Prefeitura de Santana de Parnaíba fechou a programação do mês de maio do Projeto “Música na Praça”, que irá atender os mais variados gostos musicais, desde MPB até Pop Rock (confira a programação completa no quadro abaixo). Realizado aos domingos, sempre às 15h, no Coreto Maestro Bilo – localizado na Praça 14 de Novembro, no Centro Histórico – o Projeto “Música na Praça” é organizado pela Secretaria Municipal de Cultura e Turismo e tem como objetivo levar lazer gratuito à população da cidade e turistas, por meio de apresentações de música de qualidade nas suas mais variadas vertentes. No mesmo horário das apresentações, acontece a tradicional Feira de Artes e Artesanato e a Praça de Alimentação, também na Praça 14 de Novembro. Mais informações podem ser obtidas no Departamento de Promoção e Divulgação de Eventos Musicais, pelo telefone 4154-5666.

Dia

Atração

Gênero

03/05

Murilo & Banda

MPB

10/05

Márcia Caldeira

MPB

17/05

Moreyra

MPB

24/05

The Club

Pop Rock

31/05

Alegria dos Koroas

Diversos

www.parnaibatem.com.br

Quem não conhece os grandes sucessos dos Anos 80? Para relembrar este animado período, o Fundo Social de Solidariedade de Santana de Parnaíba está organizando um Baile Beneficente que tem como foco esta época memorável. O evento irá acontecer no próximo dia 16 de maio, a partir das 21h30, no Savana Club localizado na Estrada Municipal Bela Vista, 3.000, em Alphaville. Durante a festa, além de se divertir muito com o baile, o participante poderá se deliciar com um belo jantar. E a animação vai ficar por conta da Banda Realce, que deve agitar o público na pista de dança ao som dos inesquecíveis hits dos Anos 80. Os convites individuais para o baile já estão à venda e custam R$ 50,00. É importante ressaltar que todo o dinheiro arrecadado será revertido para o Fundo Social da cidade, que irá

Divulgação

Fundo Social de Solidariedade de Santana de Parnaíba realiza Baile Beneficente com temática dos “Anos 80”

aplicá-lo em projetos desenvolvidos em prol das famílias carentes do município. Ao todo, serão vendidos 400 convites, que podem ser adquiridos no Fundo Social de Solidariedade de Santana de Parnaíba - situado na Avenida Botafogo, 238, Jardim Benoá. Mais informações podem ser obtidas pelo telefone 4622-7050.

Vamos aprender mais sobre... Hino de Santana de Parnaíba Letra e Música: Profª. Alba de Mello Bonilha Santana de Parnaíba Berço de heróis consagrados Cidade dos Bandeirantes Deste solo muito amado Com orgulho festejamos O dia dos Bandeirantes! SALVE! ANHAGUERA, BORBA GATO, FERNÃO e SUZANA DIAS BRAVOS HERÓIS DO PASSADO Daqui partiram as Bandeiras Por rincões ignorados Levando no peito a cruz De Santana de Parnaíba Essa terra alvissareira! VIVA! ESSES HOMENS DESTEMIDOS TODOS QUE ENGRANDEÇAM NOSSA TERRA BRASILEIRA!

Estadual de Santana de Parnaíba (G.E.S.P.). O curso ginasial (5ª à 8ª série) funcionava pela manhã no prédio do Grupo Escolar Tenente General G.G. Colaço. Era pessoa de estatura alta, forte, morena, cabelos curtos e com tintura acinzentada, quase prata forte maquiagem nos olhos e na boca, sempre usando conjunto de saia e casaquinho, colares e brinco. Utilizava o livro de sua autoria e levava seu violão, nas aulas. Criou o “Orfeão” (Coral) do Ginásio. Fazia apresentações dos seus alunos nas festas cívicas da cidade com muito orgulho perante a população. Era querida pelos alunos e respeitada por todos. Permaneceu no Ginásio por dezessete anos. Afastouse das aulas em licença de saúde até a aposentadoria, falecendo anos depois. (Trecho parcial do livro sobre nossa cidade de autoria da Profª Izes Bastianon Chaves Oliveira)

LEI Nº 1193/86,de 28 de novembro de 1986 LEI Nº 2400,de 25 de novembro de 2002.

Para você se lembrar ou conhecer alguns dados sobre a Professora Profª Alba compôs o Hino quando lecionava a disciplina de Canto Orfeônico no Ginásio

“Dispõe sobre a obrigatoriedade da afixação da letra do Hino Nacional Brasileiro e do Hino de Santana de Parnaíba, nas escolas municipais e particulares”.


Mundo Country por Marcio Mrotzeck

Bota, Chapéu, Fivelão, Cerveja e muita mulher Bonita!

Êêêêêêêêêêêêêêêêê trem bão!!!! Umas das principais festas do calendário oficial da nossa vizinha cidade de Cajamar confirma sua programação. Este ano, o rodeio acontecerá de 07 a de 17 de maio. A festa de Cajamar é diferenciada das demais, pois é uma das poucas a manter a tradição em realizar um evento somente com atrações do Mundo Sertanejo. O Boiódromo, local onde acontece a festa é conhecido como “Maracananzinho do Rodeio” e é o único estádio projetado exclusivamente para rodeios na América Latina. Sua construção foi totalmente adaptada para deficientes físicos e para poder acomodar da melhor forma possível o público. Além dos espetáculos e das montarias, as pessoas poderão se distrair em tendas de bailes country, stands e produtos do segmento e uma variada praça de alimentação. Para maiores informações acesse: www.boiodromo.com.br

Local: Boiódromo Rod. Anhaguera, Km 39

Não percam nenhum Dia de Festa, acompanhem a programação! 07/05 - Eduardo Costa 08/05 - Victor & Léo 09/05 - César Menotti & Fabiano 10/05 - Fernando & Sorocaba 14/05 - Matheus Minas & Leandro e João Bosco & Vinícius 15/05 - Edson & Hudson 16/05 - Jorge & Matheus 17/05 - Chitãozinho & Xororó e Maria Cecília & Rodolfo 2009

O Chão vai tremer, vem aí a 18ª Festa do Peão de Boiadeiro de Cajamar, Festa sensacional, e foi lá que firmei o laço na minha morena, e dele ela nunca mais saiu, hoje tá loira! Portanto se me virem por ai grudado numa loira, caaalma... é ela! srsr

roda de viola. O cenário é sempre em ambientes diferentes, que sintetizam a sonoridade e o estilos desse universo. O programa traz uma inovação de conceito com situações inusitadas como o Na Estrada, um quadro que mostra novos talentos da música sertaneja em um reality show que viaja por uma rota determinada pela produção. Durante todo o percurso os artistas terão tarefas a cumprir até que completem a viajem. Serão ações inesperadas causando curiosidade e emoção a todo o momento. Esse formato vai garantir o interesse do quadro, sempre que ele estiver no ar. Um espaço valioso, onde os artista

MAIO

A televisão ganhou um programa novo cheio de novidades, ousadia e emoção, onde a música sertaneja entra na rota do Brasil. É o programa “ROTA SERTANEJA” que traz de volta para a TV a riqueza da musica sertaneja, com a competência e descontração do cantor e apresentador Juliano Cézar e a direção do experiente e competente João Luiz Borges. “ROTA SERTANEJA” viaja por todas as regiões do Brasil, apresentando artistas consagrados e dando oportunidades a novos talentos da musica sertaneja. Junto com Juliano Cézar, em um bate papo informal, eles contam historias, falam de suas carreiras e ainda participam de uma descontraída

/

Um novo programa sertanejo ganha espaço em rede nacional. Rota Sertaneja com Juliano Cézar.

21

poderão contar de forma informal e descontraída a trajetória de cada um e mostrar os caminhos que levam a uma carreira de sucesso. Não perca, todo sábado, às 14h, na RedeTV!, o Programa “ROTA SERTANEJA”.

Para maiores informações acesse: www.rotasertaneja.com.br

www.parnaibatem.com.br


Tradição Parnaibana Santana de Parnaíba realiza 122ª Festa do Cururuquara no próximo dia 16 de maio

Foto Roberto Andrade MAIO

/

2009

O evento marca a comemoração da abolição da escravatura no Brasil, realizada no dia 13 de maio de 1888. Desde então, os descentes de escravos promovem a festa todos os anos, ininterruptamente

22

O município de Santana de Parnaíba, conhecido por suas tradicionais festas religiosas, comemora, pelo 122º ano consecutivo, a Festa do Cururuquara. O evento acontece no próximo dia 16 de maio, a partir das 17 horas, e celebra a Abolição da Escravatura no país (13/05/1888) e o dia de São Benedito, que é o santo protetor dos escravos. Na data, serão realizadas diversas atividades religiosas e culturais. As comemorações têm início às 17horas, com a realização das procissões de São Benedito e Nossa Senhora do Carmo. Uma delas parte da Capela maior de São Benedito, no Largo das Palmeiras, e a outra sai da Capela menor. Elas se encontram no caminho e seguem até a Capela maior, onde acontece, às 18 horas, a Reza Cabocla. Em seguida, às 18h30, será realizada uma missa no mesmo local. Ao término da celebração, os moradores do bairro - que são descendentes dos escravos - farão o levantamento do Mastro. (*)

Foto Jonathas Mrotzeck

Após a programação religiosa, às 20h, moradores e visitantes irão conferir a animadíssima apresentação dos Grupos de Samba de Bumbo. Este ano, marcarão presença o Samba do Cururuquara e o Grito da Noite - ambos de

A Secretaria de Cultura e Turismo da cidade também levará seus alunos do curso de teatro para participar das comemorações da Festa. Após o Encontro dos grupos de samba de bumbo, às 21 horas, eles apresentarão o Auto de São Benedito, que narra a vida do santo que era filho de escravos. Como nos anos anteriores, a montagem inclui elementos folclóricos da Congada e de Moçambique, ambos de origem africana. (*) E para encerrar as comemorações da Festa do Cururuquara, acontecerá às 22 horas, um show musical ao lado da Capela de São Benedito. Os presentes também podem conferir deliciosos quitutes na quermesse que acontece durante toda a festa. (*)

Histórico Tudo começou quando foi assinada a Lei Áurea, no dia 13 de maio de 1888. Felizes com o acontecimento, os escravos de Nhô Bueno foram até a Capela de São

Foto Divulgação

Santana de Parnaíba - e o grupo Vovô da Serra do Japi, da cidade de Pirapora do Bom Jesus. Eles se apresentarão em uma grande roda e todas as pessoas presentes poderão cantar e dançar com os integrantes.

Benedito, conhecida como Capela das Palmeiras, para agradecer a liberdade. Segundo a história, os negros permaneceram no local durante quatro dias, dançando, cantando e tocando samba de bumbo. Em louvor ao santo, eles plantaram quatro coqueiros em frente à capela. Desde então, os ex-escravos e seus descendentes passaram a se reunir no mesmo local, todos os anos, para lembrar a data. Antigamente, a imagem de São Benedito permanecia por um ano na casa de um dos moradores do bairro. E, sempre no dia 13 de maio, os fiéis iam até o local onde o santo estava hospedado e o levava até a Igreja. Depois da missa e das festividades, a imagem seguia em cortejo até a casa de outro morador. Anos depois, começaram a ser realizadas duas procissões, que se encontravam no meio do caminho e seguiam juntas até a igreja. Com a doação da imagem de Nossa Senhora do Carmo, no final da década de 60, uma das procissões começou a sair da Igreja de São Benedito, com a imagem da santa, e a outra da Capelinha, com a de São Benedito. Quando os cortejos se encontravam, acontecia uma queima de fogos e os seus integrantes retornavam juntos à Igreja, onde era realizada uma missa. Em seguida, era feito o levantamento do mastro, tradicionalmente socado pelos festeiros, por acreditarem que o ato traz bons fluídos. Essa tradição mantém-se até os dias de hoje e é repetida na Festa do Cururuquara todos os anos. Mais tarde, foram incluídos na festa os violeiros, assim como o leilão de prendas e a quermesse. Com o dinheiro arrecadado nas festas, foi construída a Igreja atrás da centenária Capela de São Benedito, no final da década de 60. (*) os horários da programação estão sujeitos a confirmação.

www.parnaibatem.com.br


Atividades e Cultura

Nossas oficinas,

venham

Dia

Juizo Final na Poesia

Horário

Rua Bartolomeu Bueno, N°78 Centro - Santana de Parnaíba sufrutoverdeus@hotmail.com Tel 11 8731.4906

Oficina

Terça 18h às 22h

Antropologia Cultural

Quarta

Teatro

19h às 21h

Quinta 19h às 21h

Samba de Bumbo

Sexta

19h às 21h

Capoeira

Sábado

19h às 21h

Hip-Hop

Domingo

15h às 17h

Meio Ambiente

Acervo riquíssimo

Teatro

Fotos Divulgação

Capoeira

Tapete Literário

www.parnaibatem.com.br

2009

responsável com seus recursos naturais e culturais, tendo em vista que a nossa cidade propicia uma diversidade particular nessas áreas. Tamanha foi a receptividade da comunidade parnaibana, que o Instituto em parceria com a Prefeitura Municipal, levou ao Cine Teatro Coronel Raymundo, a peça “O juízo final da poesia”, encenada no dia 19 de abril, sendo a peça de maior público desde a sua reinauguração.

/

Desde sua inauguração, o Instituto SufrutoverdeuS, vem promovendo em suas dependências várias oficinas que buscam promover a integração e o aprofundamento em questões de relevância para o indivíduo. As oficinas realizadas durante a semana procuram desenvolver um estudo sobre a cidade de Santana de Parnaíba. Sempre direcionado à pesquisa, o Instituto faz levantamentos de dados primários e secundários, levando ao público informação e conhecimento, de forma diferenciada, para que o mesmo junto ao grupo possa mover forças e construir uma sociedade mais coerente e

Juizo Final na Poesia

MAIO

Foto Marcio Mrotzeck

Foto Divulgação

conferir!

23


por Marcio Mrotzeck

Habitação Foto Sávio Barletta 2009 / MAIO

24

Minha Casa, Minha Vida Enquanto muitos países diminuem os investimentos por conta da crise financeira internacional, o Brasil gera novas oportunidades de desenvolvimento para que a roda da economia continue a girar impulsionando a economia, gerando empregos e trazendo reflexos positivos para toda a sociedade. Em 28/04, o Prefeito Silvinho Peccioli assinou o termo de adesão do município ao programa “Minha Casa, Minha Vida”, lançado no último mês de março pelo Governo Federal, cujo objetivo é construir 1 milhão de moradias, em todo o país, para beneficiar famílias que ganham até dez salários mínimos. O investimento total estimado para o programa é de R$ 60 bilhões. A assinatura do termo foi realizada no gabinete do prefeito e contou com a presença do gerente regional da Caixa Econômica Federal Antônio Ferolla Neto e do secretário municipal da Habitação Nequinho Desanti. No município, o foco principal serão as famílias com renda de zero a três salários mínimos (até R$ 1.395,00). Segundo informações da Caixa Econômica Federal – que www.parnaibatem.com.br

é parceira do Governo Federal no empreendimento – serão financiadas casas populares com prestações a partir de R$ 50,00, embora o valor do imóvel irá variar de acordo com o porte do município. Os mutuários serão pré-selecionados com base no cadastro realizado pela Prefeitura. Em um segundo momento, os nomes serão enviados à Caixa Econômica, que irá avaliar se a família se enquadra às exigências para a concessão do financiamento. As construtoras também têm que aderir ao programa e apresentarem seus projetos. Para o Prefeito Silvinho Peccioli, a adesão ao programa ainda pode estar muito distante de sua implementação, uma vez que o próprio estado impõe amarras para a aprovação dos terrenos para a construção das casas. “A Prefeitura sempre tem disposição para participar dos convênios com os governos federal e estadual que beneficiem os cidadãos. No entanto, as iniciativas municipais têm se mostrado mais eficazes e realistas”, disse o prefeito. É importante salientar que a Prefeitura Municipal não será responsável pela construção das

casas e nem pelos financiamentos de imóveis e terrenos previstos no programa. Ela terá o papel de oferecer subsídios, como redução de impostos, para construtoras interessadas em construir esses imóveis e, até mesmo, a cessão de terrenos.

Onde efetuar o cadastro Uma informação importante para os moradores interessados em participar do programa é que o critério de escolha não será feito pela ordem de chegada. As inscrições podem ser efetuadas em qualquer unidade da secretaria municipal de Assistência Social em Santana de Parnaíba. Mais informações podem ser obtidas pelo telefone 4622-7050.


2009 / MAIO

25

www.parnaibatem.com.br


Dica de Filme - DVD

MAIO

/

2009

Foto Divulgação

por Leandro Daher

26

Filme nacional, sempre teve aquele preconceito, principalmente aqui em casa, meu pai sempre disse, é nacional, então não presta. Podia até ser antes desse novo buuum do cinema nacional (não compartilho dessa opinião), temos muitos exemplos de bons filmes (Cidade de Deus, Linha de Passe, Tropa de Elite etc), mas esse me chamou a atenção em especial.

Estômago é um filme para ser visto e revisto, em uma sociedade que faz de você caça ou caçador, ele ensina que se pode sobreviver entre esses dois lados...como ?...No caso do filme COZINHANDO. Raimundo Nonato (João Miguel), migrante nordestino, chega a cidade grande sem ter o que comer e onde ficar...encontra no Centro Velho de São Paulo um bar...que na verdade vem ser sua salvação e sua condenação. Raimundo passa a trabalhar no bar em troca de comida e um lugar (imundo) para dormir, mão boa para cozinha, suas coxinhas, pastéis e petiscos passam a ser a grande atração do lugar. Esse talento todo, chama a atenção de Giovani (Carlo Briani) que o leva para ser assistente de cozinha do seu restaurante italiano, ali Raimundo conhece o verdadeiro mundo da gastronomia. “...Raimundo presta atenção, cozinhar é uma arte..e a cozinha é nosso ateliê..” diz Giovani. O filme se torna muito, mas muito interessante, por que de uma forma muito simples e leve é mostrada duas fases da vida de Raimundo, sua ascensão como cozinheiro e na cadeia. Isso mesmo, ele está preso, o filme é dividido entre a sobrevivência na cadeia e na sociedade, se levadas em conta todo o contexto, as dificuldade da sobrevivência e a própria violência, a sociedade e a cadeia se equivalem. Essa é a grande sacada do diretor Marco Jorge, essa sutileza em jogar com as duas fases do protagonista, aproveitando o tema,

isso torna o filme realmente apetitoso. Uma outra coisa bastante interessante é esse submundo social, que às vezes está debaixo dos nossos olhos mas ignoramos. Entra em cena Iria (Fabiula Nacimento) uma prostituta que “cede” aos apelos de João, em troca de comida. Essa relação obscura da sociedade, pouco mostrada na mídia é tratada de forma excepcional no filme. Sim...fazem sexo por dinheiro, mas por comida, isso torna tudo um pouco mais ácido. Outra coisa explorada no filme e muito bem mostrada, são as relações dentro da cadeia, onde a troca de favores mantém todos vivos ali e como em um filme , todos tem o seu papel. Sem esquecer a ótima atuação de Babu Santana, que interpreta Bijúi..chefe da cela...realmente imperdível. Misturando um humor bastante inteligente, e pitadas de um personagem carismático e inocente, esses detalhes fazem do filme algo para se ter na prateleira e aplaudir de pé o cinema nacional. Outras coisas bastante interessantes, que todos devem prestar atenção, são as explicações de Raimundo para os ingredientes... a explicação do gorgonzola é simplesmente SENSACIONAL. Para fechar : Assim como Raimundo, Marcos Jorge transforma elementos repugnantes, à primeira vista, num filme raro e único. E nos mostra que muitas vezes a diferença entre a caça e o caçador é saber exatamente qual sua posição no jogo, vantagem do rato que diante o gato sabe exatamente seu papel.

Porque você faz isso com você? Classificados Por Jotta Santos

Até quando você vai ser assim como você é... Como você pensa que é? Até quando você vai fugir assim, partir tão de repente, ficar a sós, sem mim... Sem você...? Porque você faz isso com você? Até quando? Até esquecer o passado presente, de mim... Esquecer de você? Por que você faz isso com você? Até quando você vai procurando nos outros a segurança e o apoio que estão em você? Dentro de você... O que você é? Até que você pire e só por birra se entregue a alguém, que não tem nada a ver com você,

Pensamento Só depende de nós...

“Hoje levantei cedo pensando no que tenho a fazer antes que o relógio marque meia noite. É minha função escolher que tipo de dia vou ter hoje. Posso reclamar porque está chovendo ou agradecer às águas por lavarem a poluição. www.parnaibatem.com.br

e vai fazer você sofrer? Por que você faz isso com você?

Um toque de amor...

Espaço exclusivo e gratuito para você leitor. Os anúncios poderão ter o máximo de até 3 linhas de texto, como nos exemplos abaixo. Mande um email para nossa redação.

VENDO FUSCA 1300 - Ano 83 Cor branco, excelente estado, doc. em ordem, Valor R$ 4 mil, Tel 9202.5136 VENDO TERRENO - Cajamar/Polvilho Terreno de 245 m² - Valor R$ 18 mil, aceitamos carro, Tel 4154.6084

Marlene para: Pedro Haroldo para: Tânia Maria Joana para: Cleber Adilson para: Luiz Kely para: Cledilson De alguém para: alguém

VENDO GOL GIII - Ano 2000 - 16V 1.0 Cor prata, 4 portas, tudo em ordem Valor R$ 15 mil, Tel 9178.0930

Posso ficar triste por não ter dinheiro ou me sentir encorajado para administrar minhas finanças, evitando o desperdício. Posso reclamar sobre minha saúde ou dar graças por estar vivo. Posso me queixar dos meus pais por não terem me dado tudo o que eu queria ou posso ser grato por ter nascido. Posso reclamar por ter que ir trabalhar ou agradecer por ter trabalho. Posso sentir tédio com o trabalho doméstico ou agradecer a Deus por ter um teto para morar.

Posso lamentar decepções com amigos ou me entusiasmar com a possibilidade de fazer novas amizades. Se as coisas não saíram como planejei posso ficar feliz por ter hoje para recomeçar. O dia está na minha frente esperando para ser o que eu quiser. E aqui estou eu, o escultor que pode dar forma.

TRANSPORTE - CARRETOS Ducato Cargo, transportes em geral, São Paulo, interior e região, Tel 7169.2099

Tudo depende só de mim.” (Charles Chaplin)


2009 / MAIO www.parnaibatem.com.br


2009 / MAIO

www.parnaibatem.com.br

Revista PARNAÍBA tem - Edição 4 - Maio 2009  

A nossa, aliás, a sua revista já está em sua 4ª edição, ficando cada vez melhor, cada vez com mais conteúdo, atendendo a um público cada vez...

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you