Issuu on Google+

2009 / JULHO a t s i v e r

www.cidadestem.com.br


www.cidadestem.com.br

e

v

i

s

t

a

Esta veiculação é uma cortesia da Revista Cidades tem

r

JULHO

/

2009


2009 / JULHO a t s i v e r

www.cidadestem.com.br


Caros leitores, Diretor Executivo Marcio Mrotzeck marcio@mwcom.com.br

Com grande satisfação e orgulho comunicamos uma mudança, Parnaíba tem cresceu de tal forma que nos obrigou a remodelar o seu projeto gráfico e mudar até de nome, apresentamos agora Cidades tem.. Uma revista de maior abrangência que vai dar continuidade ao projeto original e dentro dela você irá encontrar Parnaíba tem, Barueri tem, Osasco tem, Jundiaí tem, Cajamar tem, Cotia tem, entre outras, seguindo a mesma linha editorial, sem perder a qualidade, o brilho, a seriedade e a credibilidade já adquirida. Esta é uma nova etapa em que contaremos muito com a participação de você leitor, que sempre nos escreve, nos dá dicas, nos critica e nos elogia. Nesta edição, excepcionalmente apenas em formato “digital”, já contamos um pouco mais de nossas cidades vizinhas, acompanhe as próximas e satisfaça a sua necessidade de informação, pois contéudo não nos irá faltar!

Neste momento só temos a agradecer, as manifestações de apoio e incentivo são constantes, e com isso o trabalho tende a ser cada vez melhor. Continuem a enviar dicas e sugestões de assuntos para abordarmos nas próximas edições. Ajude-nos a fazer Cidades tem. A revista de maior abrangência na região Oeste da Grande São Paulo, pois será distribuida em mais 11 cidades.

JULHO

/

2009

Que de agora em diante, possamos agregar muito mais valor a nossa revista, lhes porporcionando cada vez mais momentos de cultura, lazer e entretenimento em nossas páginas.

Um grande abraço e boa leitura!

04

Marcio Mrotzeck Publicitário

Diretora Administrativa Lilian Mrotzeck lilian@mwcom.com.br

Jornalista Responsável Renato Silvestre MTB 50968

Fotografia Marcio Mrotzeck Colaboradores Izes Bastianon / Heliton Costa / Júlio Barros / Roseli Gimenes / Liliana Mendonça / Leandro Daher / Jotta Santos Revisão Lilian Mrotzeck Asses. Jurídica Dra. Jeniffer M. Urakawa Projeto e Produção Gráfica MW.com - Design www.mwcom.com.br

Distribuição Santana de Parnaíba, Barueri, Osasco, São Paulo, Pirapora, Cajamar, Jundiaí, Jandira, Itapevi, Carapicuíba, Embu e Cotia

Publicidade anuncie@cidadestem.com.br Tiragem Edição excepcionalmente DIGITAL Periodicidade Mensal Nota da redação A revista CIDADES tem não se responsabiliza por opiniões e artigos assinados, todos os dados apresentados nas matérias são de responsabilidade de seus autores, os quais não mantém nenhum vínculo empregatício com a mesma e todos os anúncios foram veiculados mediante prévia autorização das empresas. Fica vedada a utilização, sem prévia consulta, de textos e fotos em outro veículo de comunicação. Os preços de produtos e serviços divulgados nessa edição, foram fornecidos por seus fabricantes ou distribuidores, e podem sofrer alterações sem prévio aviso.

t

a

A revista CIDADES tem é uma publicação da MW Comunicação e Design Ltda., sob CNPJ 05.630.153/0001-36

e

v

i

s

Marca e projeto gráfico CIDADES tem em processo de registro junto ao INPI.

r

Tel 11 9604.1266 / 9577.1227 redacao@cidadestem.com.br Todas as edições estão disponíveis na Versão Digital, acesse nosso site!

www.cidadestem.com.br www.mwcom.com.br

As principais notícias de sua cidade você encontra em nossa revista, que além da versão impressa estará sempre disponível no portal www.cidadestem.com.br, lá além da revista no formato digial você encontrará muita informação das principais cidades da região oeste da grande São Paulo.

www.cidadestem.com.br


www.cidadestem.com.br

10 EDUCAÇÃO 08 HISTÓRIA 18 ESPECIAL 06 PATRIMÔNIO 16

ALERTA H1N1

Osasco conta com ajuda do exército

Reforma ortográfica, saiba mais

Festas Parnaibanas

mais capa

Foto Marcio Mrotzeck

/

CORPUS CHRISTY

05

v

i

s

t

a

A história de como surgiram as comemorações é contada nesta edição, contamos também como eram as festas de Corpus Christy nas decádas passadas... Confira também o trabalho de um artista que em meio a serragem e a multidão faz o seu trabalho com primor e muita técnica rica em detalhes, embelezando e dando vida a já tradicional decoração dos tapetes.

e

Todos os anos dezenas de pessoas acordam bem cedo para montar o Tapete de Serragem de Santana de Parnaíba, é um trabalho voluntário com total apoio da Prefeitura do Município, que atrai milhares de visitantes para a tradicional Procissão de Corpus Christy. São mais de 800 m de extensão de tapete preparados para receber os votos de Fé de todos os visitantes. Barueri, alcança lugar de destaque mais uam vez no cenário nacional, sendo uma das principais cidades para se desenvolver a carreira profissional, este número é crescente devido ao infinito parque industrial e comercial que a cidade comporta. H1N1 parece que escolheu Osasco para aterrissar, o governo da cidade já conta com a ajuda do exercito no atendimento dos cidadãos com suspeita de contaminação pela gripe suína. Vamos nos prevenir, o Ministério da Saúde informa mais detalhes dos cuidados a serem tomados nas páginas desta edição.

r

Tradição!

JULHO

Como fazer IV e Meio Ambiente

2009

Fotos Divulgação

Barueri proporciona qualidade na carreira

Página 20

NEGÓCIOS, planejamento financeiro MARKETING, mídia revista GASTRONOMIA, cozinha italiana HOMENAGEM, moção para imprensa TERCEIRA IDADE, festa junina ROMÁRIA DO SURU, show JOGOS REGIONAIS, parnaíba em 3º ANTIGOMOBILISMO, carros e festa SÃO JOÃO, show pirotécnico barueri DICA DE DVD, marley e eu POESIA, toque de amor www.cidadestem.com.br

17 20 20 26 26 27 27 28 29 38 38


especial

Desenvolvimento

uma das melhores para se desenvolver a carreira profissional

r

e

v

i

s

t

a

JULHO

/

2009

SXC.hu

Barueri,

A cidade barueriense ĂŠ a quarta melhor do Brasil

www.cidadestem.com.br


“Dá para dizer que Barueri tem hoje prosperidade e modernidade que não se veem nem na capital paulista, e isso se reflete na geração de postos de trabalho”, diz o especialista em desenvolvimento regional e professor do Ibmec-Rio, Marco Aurélio Cabral Pinto.

Este foi o primeiro evento de uma série que deve percorrer diversos condomínios empresariais de Barueri. Interessados em receber a palestra podem entrar em contato com a Secretaria de Indústria, Comércio e Trabalho, pelos telefones 4198-8177 e 4198-8188.

www.cidadestem.com.br

Fotos Divulgação

2009 / JULHO a t

Outro fator positivo é que este tipo de ação pode possibilitar novas parcerias com a Prefeitura em eventos empresariais ou em apoio a programas municipais. “Muitos empresários querem participar mais do dia-a-dia das ações sociais da Prefeitura, mas não sabem nem por onde começar. Portanto, estas palestras de apresentação podem até abrir caminho para novas parcerias entre Prefeitura e iniciativa privada”, destaca Valdir.

s

Segundo ainda a avaliação da revista, Barueri saltou da 16ª colocação em 2008, para a 1ª no índice de vigor econômico deste ano, deixando para trás a capital paulista, na 18ª posição. A publicação lembra ainda que a cidade barueriense possui o terceiro maior PIB (Produto Interno Bruto) no estado e o nono no País.

A ideia de organizar uma palestra do gênero surgiu da necessidade que as próprias empresas apresentaram no dia-a-dia de relacionamentos com a Secretaria de Indústria, C o m é r c i o e Tr a b a l h o d e Barueri. “Percebemos que muitos representantes destas empresas conheciam os serviços que atendem suas demandas mais cotidianas, mas que desconheciam as outras ações da Prefeitura de Barueri”, explica o diretor de relações com empresas da Secretaria, Valdir Batista. “E eles mesmos queriam saber a respeito da estrutura de atendimentos e dos programas que Barueri mantém para a população, até para

Ele acredita que a palestra pode servir também para que os próprios empresários possam vender melhor a imagem de suas respectivas empresas. “Essas informações podem auxiliar o marketing de negócios junto a clientes, na medida em que estas empresas vão poder falar mais sobre a cidade em que estão instaladas, sua estrutura e seus diversos serviços prestados à população”.

i

A cidade barueriense é a quarta melhor do Brasil no que diz respeito à construção de uma carreira profissional. De acordo com a pesquisa, cidades como Barueri têm mais possibilidades de carreira e salários cada vez mais atraentes do que os encontrados nos grandes centros.

Representantes de seis empresas do condomínio empresarial WT, no Jardim Belval, conheceram mais a fundo os serviços oferecidos pela Prefeitura de Barueri, em palestra organizada pela Secretaria de Indústria, Comércio e Trabalho. O evento, que aconteceu na manhã de terça-feira, 14, apresentou não apenas os serviços municipais relacionados às necessidades empresariais, como também os programas, cursos e atendimentos nas áreas de saúde, cultura e esportes, entre outras.

poder indicar a funcionários e demais contatos da empresa”, completa

v

A pesquisa

Prefeitura divulga a empresários serviços oferecidos em Barueri

e

De acordo com o prefeito de Barueri, Rubens Furlan, este resultado extraordinário é consequência de uma política de investimentos nos mais diversos setores, ao longo de mais de trinta anos. “Agora nossa meta é investir pesado na formação de jovens e adolescentes. Nossas escolas de período integral e técnicas – certamente – formarão os profissionais de Barueri que ocuparão importantes vagas a disposição em nosso mercado de trabalho”, disse o prefeito.

Segundo a Você S/A, a cidade de Barueri abriga grandes multinacionais, mas o crescimento da cidade se dá sobre empresas de tamanho médio em fase de expansão. A empresa HP, que está instalada em Barueri e atua na área de tecnologia, aumentou em 70% o número de funcionários no ano passado. “Mais da metade vieram de Barueri”, diz Ana Lúcia Caltabiano, diretora de RH da empresa.

r

Mais uma vez Barueri é destaque nacional por conta de seu desenvolvimento. A última edição da r e v i s t a Vo c ê / S A t r a z u m a pesquisa sobre as melhores cidades do Brasil, e a cidade se destaca como uma das melhores do País para se construir uma carreira profissional.


Educação

por Roseli Gimenes

redacao@cidadestem.com.br

consolidação de uma posição” da lusofonia. O Brasil é um país emergente e Portugal tem um grande papel no equilíbrio Europeu. Hoje o português é a quinta língua mais falada no mundo e passa a ter uma ortografia 99% idêntica tanto na América, como na África e na Ásia”. (Cícero Sandroni)

a m r o f a e c R i f á r g o t r O

r

e

v

i

s

t

a

JULHO

/

2009

9 0 20

O Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa de 2009 foi elaborado para uniformizar a grafia das palavras dos países lusófonos, ou seja, os que têm o português como língua oficial. Ele entrou em vigor em janeiro de 2009. Os brasileiros terão quatro anos para se adequar às novas regras. Durante esse tempo, tanto a grafia hoje vigente como a nova serão aceitas oficialmente. A partir de 1 de janeiro de 2013, a grafia correta da língua portuguesa será a prevista no Novo Acordo Ortográfico. A quinta edição do Volp (Vocabulário Ortográfico da Língua Portuguesa), já atualizado com as novas regras do acordo ortográfico, encontrase nas livrarias de todo o país. O volume traz 349.737 palavras com suas respectivas classificações gramaticais, mas sem as definições típicas de dicionários. O presidente da ABL (Academia Brasileira de Letras), Cícero Sandroni, já entregou os primeiros exemplares para o presidente Luiz Inácio Lula da Silva e alguns ministros. Evanildo Bechara, coordenador da Comissão de Lexicografia e Lexicologia da ABL e principal responsável pelo Volp, explicou que foram adotadas 15 medidas para dirimir dúvidas ou ambiguidades no texto do acordo. Ele disse que os critérios da comissão foram: respeitar a letra do acordo, estabelecer uma linha de coerência quando www.cidadestem.com.br

surgiam princípios aparentemente contraditórios, acompanhar o espírito simplificador da reforma e, nos pontos não discutidos no texto, preservar a tradição ortográfica decorrente das reformas anteriores. “O Volp é a contribuição brasileira para a construção de um vocabulário ortográfico comum, previsto no acordo”, afirma Godofredo de Oliveira Neto, presidente do Instituto Internacional da Língua Portuguesa, entidade responsável pela articulação da reforma. Ele afirma que o Brasil proporá uma reunião, a ser realizada em abril, dos oito países signatários do acordo. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo. 10/03/2009. O volume, de 976 páginas, impresso pela Editora Global, contém mais de 370 mil verbetes apresentados sob a forma de lista por ordem alfabética, além de cerca de 1.500 estrangeirismos. O Vocabulário Ortográfico da Língua Portuguesa também reúne o texto integral do acordo ortográfico de 1990, com todos os anexos, relatórios e justificativas, assinado pelos representantes dos países lusófonos, além dos decretos presidenciais sobre a adoção e a implantação do acordo no Brasil e a legislação anterior, como o formulário ortográfico de 1943 e o decreto de 1971. O presidente da Academia Brasileira de Letras, Cícero Sandroni, afirmou que a reforma ortográfica que pretende unificar a forma de escrita do português é “fundamental para a

O acadêmico considerou o lançamento do Vocabulário Ortográfico da Língua Portuguesa um ato histórico entre o Brasil e Portugal que “só tem a ganhar”, principalmente no campo da literatura, “porque abre mercados no Brasil, em Portugal e na África”.

Vocabulário A primeira edição do Vocabulário Ortográfico no Brasil foi em 1938. Sandroni explicou que a quinta coincidiu com o decreto do acordo ortográfico. “Foi um desafio importante vencido pelos nossos lexicólogos”, ressaltou. A elaboração dessa 5ª edição de 100 mil exemplares levou cerca de seis meses e reuniu uma equipe de lexicógrafos e lexicólogos. Para o acadêmico Evanildo Bechara, coordenador da comissão que elaborou o Vocabulário Ortográfico da Língua Portuguesa e adaptou à nova ortografia, a equipe de acadêmicos da Academia Brasileira de Letras “prestou atenção ao espírito do acordo, que era a simplificação”. “O novo sistema ortográfico veio realmente para simplificar e não para complicar a vida dos que escrevem, dos utentes da língua portuguesa”, destacou o filólogo. No Brasil, o acordo foi regulamentado pelos decretos assinados pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva, em 29 de setembro de 2008. O Brasil cedeu em seis pontos principais: o fim do hífen, do trema, do acento circunflexo nos verbos no plural, a mudança do acento em ditongos abertos e a inserção de letras k, y, w no analfabeto. Em Portugal, as mudanças deverão modificar 1,42% do dicionário português. Os brasileiros terão de alterar apenas 0,43%. O ministro da Educação, Fernando Haddad, afirmou que o MEC vai distribuir exemplares do novo Vocabulário Ortográfico da Língua Portuguesa (VOLP) a todas as escolas públicas brasileiras. “O trabalho de disseminação do Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa nas salas de aula começa agora com o lançamento do VOLP, ou haveria insegurança quanto à aplicação de várias palavras”, explicou o ministro. O anúncio foi feito durante a entrega simbólica dos primeiros exemplares do novo vocabulário, pelo presidente da Academia Brasileira de Letras (ABL), Cícero Sandroni, aos ministros Fernando Haddad, Luiz Dulci (da Secretaria-Geral da Presidência da República) e


Sem HÍFEN:

Regra da Acentuação - Hiatos terminados em “oo” e “ee” não são mais acentuados. Exemplo: leem e voo. - Ditongos abertos em paroxítonas não são mais acentuados. Exemplo: ideia e jiboia. - Ditongos com “u” e “i” tônicos não são mais acentuados. Exemplo: feiura.

Dia a dia: em qualquer contexto. Fim de semana: em qualquer contexto, como fim de século. À toa: seja advérbio ou adjetivo. Pé de galinha: ruga ou pata, como pé de moleque, calcanhar de aquiles. Bico de papagaio: coluna ou nariz adunco.

- O acento continua em ditongos abertos em monossílabas, oxítonas e terminados em “eu“. Exemplo: chapéu.

Não e quase: complementando outras palavras, como pacto de não agressão e cometeu um quase delito.

- O acento em palavras homógrafas foi eliminado, com exceção ao verbo “poder” (no passado) e “pôr”. Exemplo: pelo, para, pôde.

Com HÍFEN:

- Não se acentua mais o “u” em formas verbais rizotônicas precedido de “g” ou “q” antes de “e” ou “i“. Exemplo: apaziguar e averiguar.

Regra das Grafias Duplas Para palavras em que a fonética é ambígua, como é o caso de Roraima, pode-se usar acentos da melhor forma . Exemplo: Rorâima e/ou Roráima.

Regra das Consoantes Mudas Todas consoantes que não são pronunciadas, tais como exacto e óptimo, não serão mais usadas. O Brasil já adota essa regra há várias décadas. Exemplo: ótimo, objetivo.

Regra do Hífen - Não se utiliza mais hífens em palavras compostas cujos prefixos terminam em

Bico-de-papagaio: planta, como água-de-coco e azeite-de-dendê . Onomatopeias e palavras expressivas com elementos repetidos: blá-blá-blá, reco-reco, zum-zum, zigue-zague, pingue-pongue, xiquexique, lenga-lenga, tintim-por-tintim.

Críticas de Especialistas De maneira geral, a primeira das críticas feitas é exatamente à edição do VOLP Vocabulário Ortográfico da L. Portuguesa pelo Brasil. Muitos consideram que o Vocabulário deveria ser único, como afirma o professor adjunto do Instituto de Letras da UERJ, José Carlos Azeredo:” Não faz sentido o Brasil elaborar, em iniciativa independente, um Volp, como o providenciado pela Academia Brasileira de Letras. O acordo é explícito no artigo 2.: os países devem elaborar um vocabulário ortográfico comum. Foi ainda a instrução dos ministros dos países lusófonos, em reunião em Lisboa, em novembro.” (apud Josué

Ainda há divergências em muitas palavras no Acordo. O próprio filólogo, Evanildo Bechara, da ABL, confirma o fato: “a equipe cometeu um engano num assunto em que os dicionários e vocabulários representam terra de ninguém: as onomatopeias. Se “tique-taque” é com hífen, “tiquetaquear” deveria sê-lo também, mas prevaleceu o costume de se aglutinarem os derivados.” (apud Luiz Fernando Vianna, Folha de São Paulo: 18 de março de 2009) Crítica maior ao Acordo vem de muitos usuários da língua a respeito da suspensão do acento diferencial entre: “pára” e “para”. Assim, só o contexto poderia decifrar o sentido de, por exemplo: “Gasolina para o Brasil”. De fato, o tema é polêmico como bem o afirma Aldo Bizzocchi: “Ortografia é assunto que sempre causa frisson. Provavelmente porque muitos vêem na grafia das palavras um patrimônio nacional, comparável ao hino e à bandeira.” (2007:40) MACHADO, Josué. Contagem regressiva para a unificação. In: Língua Portuguesa. São Paulo. Segmento. Ano II.Número 21.2007, p.40. ____________.Até a Academia se atrapalhou. In: Língua Portuguesa. São Paulo. Segmento. Ano 3. n.43. Maio de 2009, p.16. ___________.José Carlos Azeredo.A gramática como meio. In: Língua Portuguesa. São Paulo. Segmento. Ano 3. n.41. Março de 2009, p.10. PEREIRA JR.,Luiz Costa.Os buracos do acordo. In: Língua Portuguesa. São Paulo. Segmento. Ano 3. N.41. Março de 2009, p.30. SANDRONI, Cícero. Vocabulário Ortográfico da Língua Portuguesa. Global. 5ª edição 2009. VIANNA,Luiz Fernando.Governo recebe hoje novo vocabulário Oficial.São Paulo. Folha de São Paulo. Caderno Cotidiano. 18 de março de 2009. C7. Utente: usuário da língua

Roseli Gimenes é coordenadora do curso de Letras da UNIP Universidade Paulista - Unidade Alphaville www.cidadestem.com.br

2009

Tremas foram abolidos da língua portuguesa.. Exemplo: tranquilo e cinquenta.

/

Decisões da ABL para as omissões da nova lei ortográfica:

JULHO

Tremas

“O acordo manda ignorar o hífen em expressões compostas por mais de uma palavra, quando não há noção de composição. Mas não há pesquisas precisas sobre perda da noção de composição na maioria dos casos, pondera Bechara.” (apud Luiz Costa Pereira Jr, 2009: 30)

09

a

Complementos ao acordo

t

- Não se utiliza mais hífens em palavras compostas por substantivos, adjetivos, verbos, pronomes etc. Exemplo: sala de jantar.

Muitos especialistas também discutem os chamados “buracos” do Acordo que foram preenchidos pela ABL como forma de diminuir as lacunas e as contradições da lei ortográfica. É o c a s o de, como apontamos acima em “Complementos ao acordo”, “fim de semana”.

s

AA língua portuguesa passa a reconhecer o “K“, “W” e o “Y” como letras do nosso alfabeto, aumentando o número para 26 letras. Essa regra servirá para regularizar o uso dessas letras no nosso idioma. Exemplo: km e watt.

- O hífen mantém-se em palavras que não possuem ligação em comum. A mesma regra aplica-se para prefixos “vice“, “ex“, “pré“, “pró” e “pós“. Exemplo: beija-flor.

Machado, 2009: 13)

i

Alfabeto da língua portuguesa

- Utiliza-se hífen quando a palavra começa com a mesma vogal com que o prefixo termina, com exceção do prefixo “co“. Exemplo: antíinflamatório.

v

Mudanças

- Mantém-se o hífen para prefixos terminados em “r” em que a outra palavra também começa com “r“. Exemplo: super-racional.

e

O ministro Fernando Haddad lembrou também que as regras do acordo ortográfico já foram claramente divulgadas com promulgação dos decretos, em setembro do ano passado, 2008. Desde então, o Ministério da Educação já planejava produzir materiais de apoio para ajudar os professores, mas, sem a segurança de um documento como o VOLP, “estaríamos arriscados a jogar dinheiro público fora, caso precisássemos refazer o material. Agora, temos a segurança de um material elaborado pelos guardiões da língua portuguesa – os imortais da ABL”, disse Haddad.

vogal seguida de palavras iniciadas com “r” ou “s“. A mesma regra serve para prefixos que terminam em vogal e palavras que começam com vogal. Exemplo: contrassenha e autorretrato.

r

Juca Ferreira (da Cultura), no Palácio do Planalto.


Saúde

por Sec. Saúde Osasco imprensa@osasco.sp.gov.br

O principal alvo da H1N1 na região

JULHO

/

2009

Osasco 10

Cidade adota medidas especiais de combate à gripe A

A Prefeitura de Osasco está adotando todos os esforços e medidas necessários para combate e prevenção da doença. Os profissionais da rede municipal de saúde vêm sendo constatemente atualizados sobre o protocolo do Ministério da Saúde para atendimento dos casos e três barracas, cedidas pelo Exército, estão funcionando diariamente, das 7 às 19 horas, no Hospital Municipal Central Antônio Giglio e nos ProntoSocorros do Jardim Santo Antônio e Helena Maria – as três unidades de maior movimento na rede municipal – para triagem dos casos. Nessas tendas acontece o atendimento exclusivo de pessoas com sintomas da gripe, evitando seu contato com pessoas que procuram as unidades por outros motivos. www.cidadestem.com.br

Fotos Divulgação

r

e

v

i

s

t

a

A cidade registra 28 casos confirmados da doença (incluindo 5 óbitos) e 34 casos em monitoramento.


Também como forma de prevenção, a volta às aulas na rede municipal de educação, que aconteceria no dia 27 de julho, foi adiada para a próxima segunda-feira, dia 3 de agosto. E profissionais da Educação foram treinados sobre as formas de prevenção e como identificar crianças com sintomas na rede. Foi colocado ainda à disposição da população o telefone 08007744644, com ligação gratuita, para esclarecimentos de dúvidas sobre a doença.

A prefeitura também pediu apoio do Exército para montar tendas e ampliar o atendimento nas 3 unidades de saúde com maior volume de atendimentos na cidade: o Hospital Central e os pronto socorros do Santo Antônio e Helena Maria. “Serão tendas com equipamentos e médicos para fazer uma triagem inicial dos

“Além disso, já colocamos um serviço telefônico gratuito em funcionamento, para esclarecer as dúvidas da população, e vamos disparar ligações telefônicas, aos 170 mil domicílios de Osasco, com mensagens gravadas trazendo orientações sobre a gripe A”, completou. Foi criado ainda um comitê com representantes das redes pública e particular de saúde para unificação de ações no setor. “O importante é ressaltar que precisamos de ações conjuntas entre a cidade, o Estado, o governo federal e a rede particular de saúde para termos sucesso em nossas ações”, explicou Emidio. O prefeito também ressaltou que a doença está sob controle na cidade

Já a médica infectologista da Secretaria da Saúde e do Hospital Emilio Ribas, Marília Vieira, afirmou que a população também pode fazer sua parte nessa luta, adotando medidas para prevenção da doença. “Devemos seguir o que chamamos de etiqueta da gripe, ou seja, usar sempre um lenço quando tossir ou espirar e lavar constantemente as mãos. Também é importante evitar aglomerações”, disse. Também participaram da entrevista coletiva o vice-prefeito Faisal Cury, o secretário municipal de Saúde, Gelso Lima, e a diretora de saúde pública da Secretaria, Mirtes Fernandes.

www.cidadestem.com.br

/ JULHO a t s

De acordo com o médico Ewandro Ruck, diretor de atendimento secundário da rede, Osasco registra 18 casos confirmados da doença, 79 suspeitos e 32 em monitoramento. Já a coordenadora de Vigilância Epidemiológica da Secretaria, Carmecy Lopes de Almeida, explicou a diferença entre os casos. “Suspeitos são aqueles que apresentam sintomas da doença. Já as monitoradas são aquelas pessoas que tiveram contato com pacientes que tiveram casos confirmados”.

i

As demais ações são voltadas à prevenção. No caso específico dos profissionais de saúde, está sendo reforçada a distribuição de máscaras àqueles que atendem diretamente esse tipo de caso. Os professores da rede municipal de ensino e também das escolas particulares serão orientados a identificar, na volta às aulas, os casos suspeitos, para encaminhamentos à rede de saúde.

Durante a coletiva, profissionais da rede municipal de saúde e do hospital particular onde a vítima fatal foi internada também prestaram informações.

v

Dentre elas, está a reserva de 12 leitos, no Hospital Municipal Central Antônio Giglio, para atendimento exclusivo de casos da doença. “Para isso, estamos adiando algumas cirurgias eletivas, que não têm tanta urgência. Com isso, queremos reforçar o atendimento que é prestado pelo Hospital Emilio Ribas, na Capital, que tem 20 leitos reservados para atendimentos de todo o Estado”, disse.

e que não há motivo de alarde entre a população.

e

“A situação de Osasco não é diferente da registrada em todo o País. O que estamos fazendo é investigar muito os casos e agir com total transparência, não escondendo nenhuma informação. Além disso, estamos adotando uma série de medidas para combater a doença e tranqüilizar a população”, afirmou, acrescentando que todas as ações foram discutidas com a Secretaria Estadual da Saúde e com o Ministério da Saúde e seguem todos os protocolos para atendimento da gripe A.

pacientes”, explicou. Desde que foi confirmada a primeira morte em decorrência da gripe na cidade, no dia 10 de julho, o número de atendimentos na rede cresceu 30%, a maioria envolvendo dúvidas sobre a doença.

r

No último dia 16, o prefeito de Osasco, Emidio de Souza, concedeu uma entrevista coletiva na qual anunciou uma série de medidas que estão sendo adotadas pela administração municipal para combater à doença.

2009

As ações da Prefeitura


2009 / JULHO a t s i v e r

www.cidadestem.com.br


2009 / JULHO a t s i v e r

www.cidadestem.com.br


Negócios

por Heliton Costa

hcconsultoria@terra.com.br

Planejamento de Finanças

O bom uso do Tão importante como ganhar o dinheiro, também é como saber gastá-lo. É comum vermos pessoas que tem uma renda considerável afirmarem que estão sem dinheiro. Em nossas cabeças pensamos, como isso é possível?

2009

Isso é possível graças ao mau uso do dinheiro, que pode ser visto em todas as esferas sociais e organizacionais como o governo, usando um bom exemplo.

JULHO

/

Saber como gastar o dinheiro não é uma missão fácil, mas é uma tarefa perfeitamente tangível, e vamos abordar aqui alguns pontos fundamentais para alcançar esse objetivo.

14

r

e

v

i

s

t

a

Não Gastar mais do que se Ganha - parece óbvio, mas não é; com o mercado oferecendo cada vez mais financiamentos a longo prazo, muitos cartões de créditos, crediários de lojas de magazine, o consumidor pode facilmente se enganar e achar que mantém essa balança equilibrada e não tem. E isso não é só privilégio do consumidor não, acontece também com as empresas, que por falta de planejamento de custos e impostos acaba não tendo lucratividade. A dica é colocar tudo na ponta do lápis não esquecendo de nada, imaginando inclusive a entrada de recebimentos nos próximos meses ou anos, imaginando a possibilidade de uma demissão, por exemplo.

SXC.hu

Definir Prioridades - Não ter critério para gastar o dinheiro, também faz com que o dinheiro não seja o bastante, e por mais que possamos ganhar sempre nos faltam coisas. É aquela televisão, um aparelho de ar condicionado, plano de saúde, fazer parte daquele clube. Neste caso a dica é manter a calma, isso evita www.cidadestem.com.br

a compra compulsiva. Devemos nos lembrar que por trás dos anúncios de tv, promoções e até nas gôndolas dos supermercados tem gente habilidosa, louca pra que você não resista à tentação e caia no truque da compra compulsiva. Em primeiro lugar as necessidades básicas, logo em seguida vem a parte do seguro (ninguém sequer se preocupa com essa), que vem a ser fazer uma reserva para eventuais emergências, é muito importante guardar uma parte do orçamento para isso, se possível, nesse item também entra a poupança para a compra de imóveis e coisas sólidas. Só depois disso podemos partir para o lazer, luxo e investimentos não convencionais, não são menos importante o luxo ou o lazer, se for possível tê-los, ainda mais nos dias estressantes em que vivemos, porém não é prioritário, pode ser uma prioridade mas nunca prioritário. Avaliar os Riscos - Apesar de não ser uma prática comum muitas vezes as famílias ou até as empresas arriscarem tudo em uma única empreitada, mudarem de estado, às vezes de país, investir tudo num negócio. Não quer dizer que não devamos dar guinadas na vida ou nos negócios, e sim que devemos sempre ter um “plano B”, não é prudente arriscar tudo em uma única tacada sem ter um porto seguro caso dê algo errado, ponderar isso é a avaliação dos riscos. Traçar Metas - O objetivo de um indivíduo pode ser o de ficar milionário, consumir algo, ou viajar pelo mundo, ou até o de montar um grande patrimônio para a família, o de uma empresa ter filiais


Marketing por Marcio Mrotzeck marcio@mwcom.com.br

1 BANCARROTA foi um termo muito usado no século passado para expressar a Falência, principalmente de instituições financeiras bancárias, a própria palavra vem do termo banca - banco.

www.cidadestem.com.br

2009 / JULHO a t s i v

Planejar finanças é a aplicação dessas regras, o sucesso financeiro da sua vida, da sua família ou da sua empresa depende da perspicácia em aplicar bem essas regras. A observação delas vai te levar ao sucesso financeiro, ter uma vida planejada, confortável e longe de surpresas desagradáveis, assim como não conhecê-las ou aplicálas inadequadamente certamente vai levar o desavisado a inevitável “BANCARROTA”1.

Os consumidores, com o acesso ilimitado à informação, tornaram-se muito mais poderosos diante da proliferação de escolhas de compra, determinada pela imensa massa e ofertas disponíveis por onde quer que ele esteja. Hoje em dia os recursos escassos não são os produtos, são os consumidores. Como, então, conquistar o consumidor, este ser cada vez mais raro? É importante procurar este consumidor desejado em ambiente em que ele se sinta à vontade porque lhe é familiar e prazeroso e com a sua própria linguagem, que ele se identifique e pense “este anúncio está falando comigo”. Selecionar segmentos é fundamental devido à impossibilidade de um produto satisfazer igualmente às necessidades de todos os consumidores. As pessoas são diferentes entre si e variam igualmente no que consideram serem necessidades. Nenhuma outra mídia é tão segmentada quanto a revista. Variáveis demográficas, geográficas, psicográficas, benefícios procurados, situação, comportamento ou utilização, são critérios seguros para decidir pela segmentação e escolher a mídia para atingir estes grupos de consumidores. E a revista tem essa função, de entrar nas residências e levar o seu anúncio. Outro fator determinante é o custo... Você já fez a conta simples de quanto vai lhe custar para que cada potencial cliente/consumidor veja o seu anúncio? É bem simples, por exemplo uma revista com tiragem de 10.000 exemplares, cada exemplar dessa revista será folheada ou lida por pelo menos 4 pessoas, ai você chega ao número 40.000 - TOTAL de leitores de determinada Edição - então um anúncio que lhe custa R$ 400,00, você pega esse valor e divide pelo número 40.000 - está aí o resultado... Para prospectar cada possível cliente de seu produto e/ou serviço você vai investir nada mais do que R$ 0,01. Sem contar que a mídia revista tem a vida muito longa, uma revista dura anos e anos em posse de seu dono, e a mesma passando de mão em mão, certamente seu anúncio, sua publicidade, sua mensagem será levada ao seu leitor. Anunciar em revista com circulação e distribuição séria, é investimento garantido!

e

em todo estado, em todo o país. Para se chegar onde se quer a única maneira é traçar metas, com essa técnica você vai poder saber o quanto pode gastar, deve investir, poupar e até mesmo redimensionar os ganhos para que determinado objetivo seja alcançado, a vida e o dinheiro não são um jogo de banco imobiliário, logo não podemos nos dar ao luxo de cometer erros, pois na vida a chance é única e não temos outra vida para tentar novamente.

r

dinheiro

Porquê anunciar em Mídia Revista?


juliovbarros@hotmail.com

por Profº Júlio Barros

Patrimônio

Como fazer

IV

r

e

v

i

s

t

a

JULHO

/

2009

Educação Ambiental Meio Ambiente Cultural Na edição anterior, terminamos com algumas perguntas, questionamentos estes, que são feitos em nosso cotidiano laboral e acadêmico. Em função destas perguntas, devemos iniciar este texto explicando o Decreto Lei 25, que cria o atual IPHAN, órgão federal de proteção do Ambiente Cultural, ou seja do Patrimônio Histórico. “Coube a Gustavo Capanema, Ministro da Educação de 1934 a 1945, tomar a iniciativa dos estudos para o novo projeto de Lei Federal referente à matéria”, vamos ao seu depoimento: “Nos princípios de 1936, sendo Ministro da Educação, e às voltas que então já andava com os nossos múltiplos assuntos culturais, lembrou-se de mandar fazer o levantamento das obras de pinturas antigas e modernas, de valores excepcionais, existentes (...) Estava a ponto de contratar competente pintor brasileiro para essa tarefa. Mas, viu que isto só não bastaria, sendo, embora coisa relevante, não teria o sentido (...) Urgente e necessário era preservar os monumentos e outras obras de arte de todas as espécies, e não apenas as obras de pintura, (...) A idéia inicial, de modo, se transformava num programa maior que seria organizar um serviço nacional, de defesa de nosso extenso e valioso patrimônio artístico, então em perigo (...) Telefonei a Mário de Andrade, então Diretor do Departamento de Cultura da Prefeitura de São Paulo. www.cidadestem.com.br

Expus-lhe o problema e lhe pedi que me organizasse o projeto (...) com aquela sua alegria adorável, aquele seu fervor pelas grandes coisas, (...) queria apenas duas semanas para o trabalho. Decorrido o prazo, eis que surge Mario de Andrade no Rio de Janeiro, trazendo o projeto” E no dia 10 de novembro de 1937, num golpe de estado, Getúlio Vargas dissolve o Congresso Nacional, e finalmente dia 30 de novembro do mesmo ano, foi promulgado o DecretoLei n° 25/37, organizando a Proteção do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional. Quanta história, quanto antagonismo. Como um projeto de um modernista da envergadura de Mario de Andrade, músico e poeta, autor do projeto de tombamento de Ouro Preto, nas Minas Gerais em 1933, vinha a ser aprovado em plena ditadura de Vargas? Precisava esta ditadura, de amenizar a opinião pública da época, e os modernistas eram um caminho? Neste mesmo tempo, 15.000 brasileiros encarcerados pela polícia do Estado Novo, orientada por torturadores da polícia política Inglesa, passavam dias de agonia nos porões deste Estado sem Direitos. Eis que surge o que hoje chamamos de IPHAN (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional). Quem é esta instituição encarregada da proteção de nosso patrimônio cultural? Como ela viu e vê nossa Santana de Parnaíba, com seus 428 anos de história de construção do Brasil? Porque nossos contos das “Forjas e Ouro” estão tão pouco sublinhados?

Não seria pela visão monumentalista e elitista deste e outros órgãos de proteção? Porque os fazeres artísticos e arquitetônicos estão nas mentes e corpos brasileiros como as maiores referências culturais, praticamente os quase únicos instrumentos devidamente lembrados? Não seria pelo estado limitado de ver dos nossos “Doutos Protetores da Cultura”? Qual a distância destes (doutos) das manifestações culturais, que estes mesmos, nunca ou quase nunca ajudaram a criar? Qual a distância deles, “autorizados”, para o próprio povo e seus encantos como criadores de toda a Cultura Nacional, e, portanto seus legítimos donos/detentores e protetores, que devidamente instruídos e oportunizados darão sustentabilidade a todo nosso Ambiente Cultural e suas manifestações imateriais? Quantas pessoas conhecem a “Casa 80” com todos seus registros de técnicas construtivas alentejanas, no lago São Bento, que tem sua “Padaria Aurora”, com suas memoráveis histórias dos resquícios do “arremedo de Mosteiro Beneditino”, hoje, preste a nos dar mais um belo restaurante, “Villa Mônaco”, a entregar nosso bem tratado “Corredor Cultural”? Corredor Cultural, este que já, nos idos do século XVII, pertencia ao Frei Agostinho de Jesus, homem santo, escultor, santeiro da “terra cota”, e autor da imagem de Nossa Senhora da Conceição de Aparecida, a “Padroeira do Brasil”, por tantos venerada e talvez, o maior símbolo de culto de nossa vasta “Terra Brasiles”, portanto nossa mais famosa obra de caráter


Imagens Divulgação

Terminamos, solicitando a todos os leitores desta Revista que continuem nos enviado suas sugestões e críticas, nos orientando cada vez mais a escrever aquilo que devemos.

JULHO

/

2009

“Meio Ambiente Cultural. Como já foi ressaltado, o meio ambiente possui, pelo seu próprio conceito desenvolvido na lei n° 6938/81, integrado ao art. 225 da constituição federal, uma conotação multifacetária, portanto o objeto de proteção verifica-se em pelo menos quatro aspectos distintos (meio ambiente natural, artificial, cultural e do trabalho), os quais preenchem a sadia qualidade de vida.” (FIORILLO, 2006, pág. 220)

e

v

i

s

t

a

17

r

e a partir delas ainda temos muito para ensinar ao resto do país. E encerro parabenizando esta revista, “CIDADES tem”, como o maior e melhor veículo de Educação Ambiental/ Cultural de nossa cidade. Parabenizo, não como autor, mas como professor que dedicou toda sua vida a Educação Ambiental, ou seja Educação do Meio Ambiental Cultural.

Foto Divulgação

tridimensional (Escultura). Muitas vezes me pergunto, ela não teria sido esculpida por aqui? No largo São Bento, onde este “santo homem” de um ofício tão nobre, santeiro, esculpiu/ modelou a maior parte de suas obras. Quem deve nos reconhecer como Monumento Nacional, o IPHAN/MINC ou nosso povo brasileiro, que através de nosso testemunho vai conhecendo sua própria história? Porque devemos preservar Santana de Parnaíba? Por que Santana de Parnaíba é sem sombra de dúvidas um dos registros mais importantes para educação Ambiental/Ambiente Cultural de nosso país? Qual seria o tamanho do Brasil sem o Anhangüera, Domingos Jorge Velho, Suzana Dias, o Cacique Tibiriçá e tantos outros Homens das “Bandeiras de Guerra” que daqui saíram, e/ou outros tantos que foram financiados pelo Nosso Padre Guilherme, do Voturuna, da Casa 80, o “Banqueiro das Bandeiras”. Temos muito para pensar e aprender, conversando com seu Manoel da Pousada, com a Profª. Izes Bastianon e seu Irmão Vagner, Miguel Villar, Madalena, Gerção da Gloriosa Bar, Sr. Detó, o Geléia, o Cinco, Biriba, Guina, Zezinho Escarpa, Fabrício, dignos, que como tantos outros, são os detentores do “Saber Parnaíba”, e, portanto de um trecho indispensável da história brasileira. A partir daí, temos muito que ensinar, mas para isto temos que nos conhecer melhor, e é a Educação Ambiental - Educação Patrimonial, sublinhada na Constituição Federal de 1988, no Artigo 225, § VI, “Promover a educação ambiental em todos os níveis de ensino e a conscientização pública para a preservação do meio ambiente”, que deve ser nosso despertar. Nossa história não está pontuada nas histórias do Brasil, nós, Santana de Parnaíba, construímos a história deste país, talvez em seu período mais épico, nós a forjamos com ferro, fogo, ouro, arte e sangue. Conclamo a todos, amemos nossas tradições, dela podemos nos orgulhar,

www.cidadestem.com.br


História

por Izes Bastianon

izesbastianon@hotmail.com

Famosas Festas

r

e

v

i

s

t

a

18

Junho era um mês repleto de festas esperadas pelo povo parnaibano, com suas tradições: o dia de Corpus Christi, a Romaria do Suru, em louvor a Santo Antonio, a festa no Sitio do João Chaves, no dia de São João e a do Clube Atlético Sant´Anna (C.A.S.A.), comemorando o seu aniversário no dia 27 e a festa de São Pedro (dia 29).

Corpus Christi Esta festa sempre foi realizada com a participação da Igreja e da comunidade. Nas décadas de 1930 até os anos de 1950, os fiéis enfeitavam a rua com flores que eram colhidos dos seus quintais, para a passagem da procissão. As janelas era enfeitadas com belas toalhas sobre os seus batentes, com vasos de flores, velas e quadros religiosos. A partir de 1967, os tapetes eram confeccionados com serragem tingida pelos próprios moradores da nossa cidade. Cada família com seus amigos eram responsáveis por certos trechos das ruas do Centro Histórico, como as de: seu João do Jaguari, Sebastião Chaves, Ediméia Aparecida da Silva, Ireninha e Irene Elias, Haroldo Gesué Bastianon, Julieta Scarpa, Ceminha Teixeira Braga, Júlio Roberto Machado, Maria Assumpção, Callegari, Miguel Luiz Villar, Professores da Escola Colaço e Funcionários do Banespa. Eram também usados os matériais complementares para os motivos religiosos como, pipoca, pó de café usado e seco, cal, tampinhas de bebidas forradas com papel laminado, flores naturais e de papel, tapetes de panos, casca inteiras de ovos e farinha de trigo que formavam quadros, intercalados nos tapetes de formas geométricas. www.cidadestem.com.br

Fotos acervo pessoal Izes Bastianon

JULHO

/

2009

Parnaibanas Os trabalhos iniciavam-se às vinte e duas horas da véspera do dia, seguia pela fria madrugada, encerrando-se no dia seguinte, após às doze horas. Durante a madrugada, o Prefeito distribuía a famosa “temperada”, quentão e lanches. Alguns grupos faziam “vaquinha” para seus lanches e almoço. Os tapetes apresentavam grande potencial artístico. A partir de 1990 a Igreja implantou um novo sistema na confecção dos tapetes, apresentando o tema a ser desenvolvido aos grupos da comunidade parnaibana. Informações dos participantes.


Informações: Haroldo Gesué Bastianon - in Memoriam Cláudio Bastianon (Cardé) - in Memoriam

Trechos parciais do livro “Registros, Memórias e Encantos da Minha Terra - Santana de Parnaíba”, de autoria da Profª Izes Bastianon Chaves Oliveira www.cidadestem.com.br

2009 / JULHO a

19

t

Informações: João Chaves de Oliveira Neto Leônidas Chaves de Oliveira (Negrinho) – in Memoriam Sebastião Salvador Chaves (Tião) Francisco Pinto da Silva (Futi)

s

Fotos acervo pessoal Izes de Oliveira

Informação: Benedicto Antonio Pedroso (Benê) - In Memoriam

O C.A.S.A. foi fundado em 1927 e sua sede era na rua Suzana Dias, nº 280 (antes moradia do Coronel Raymundo), local onde se reuniam a Diretoria e seus freqüentadores. Os bailes aconteciam, ao mesmo tempo, nas duas salas da frente.Quando a festa era de maior teor, o terreno vazio ao lado era coberto com uma lona e era feito um tablado para os músicos, mas a pista continuava de terra. Todos compareciam com seus trajes típicos, enquanto outros, não sabemos “o porquê”, com suas roupas e sapatos brancos. Do lado de fora, a fogueira era acessa onde muitos assavam batata doce. Ao público eram oferecidos os pinhões, quentão e pipoca. A quadrilha era marcada pelo animado Sr. João Basílio. Em abril de 1948, o Vereador Pedro Sant´Anna (pai de Moraci Sant´Anna), solicita a doação do restante do terreno à Câmara Municipal. A construção do novo prédio iniciou - se com a participação, em dinheiro, dos jogadores do time de futebol: Pedro Miguel, Nelson Moraes, Paulo Piccinni, Haroldo G. Bastianon, Antonio da Silva (Madalena), Luiz Chaves de Oliveira Filho, Roque de Oliveira, Luiz de Oliveira, Pedro Sant´Anna, João Salles (Joca), Gabriel Margarida da Silva, Albércio Daher e outros. O mestre de obras era Lourenço Almança. Todas atividades passaram a ser realizadas na nova sede, com grandes bailes e festas por muitos anos. O campo de futebol ficava no terreno do Negrinho Chaves (atual casa). Tinha que seguir a trilha que se iniciava na biquinha, ao pé do Morro do Major ou Morro do Cruzeiro, hoje rua Padre Luiz de Siqueira Castro. O C.A.S.A. teve grandes dias de apogeu e foi muito freqüentado por pessoas dos municípios vizinhos.

i

Esta festa teve início no final de 1800, com Quirino Chaves de Oliveira, em seu sítio “Outra Banda”, na Estrada Lula Chaves. Era uma festa familiar e de amigos, no terreiro da sua casa, com sanfoneiros, violeiros e quitutes oferecidos pelos donos. Não faltava a famosa “temperada” que era servida a todos os presentes. O café e os licores eram servidos às mulheres. A festa começava entre ás dezenove e vinte horas, com o baile e a fogueira acesa a noite inteira. Ao início da madrugada havia a reza com a imagem de São João, do qual Quirino era devoto. Levantavam o mastro com a bandeira de São João, perto da fogueira e em seguida todos se dirigiam rezando em direção ao ribeirão abaixo da casa para a lavagem do Santo. Dentre um dos refrões cantados na procissão era: “São João Batista vai indo para o rio. São João Batista vem vindo tremendo de frio” (Lembranças de Joãozinho Chaves Neto). A imagem de São João voltava para o altar até o final da festa que alcançava seis ou oito horas da manhã seguinte. Com o passar dos anos, Quirino já idoso, deixou de fazer a festa. Em 1928, seu filho João reinicia a festa no seu sítio Santa Cruz seguindo a mesma tradição de seu pai. Entre 1984/1985 a festa deixou de existir.

v

Esta romaria é tradição desde o início de 1900, em devoção a Santo Antonio, com saída da Matriz e chegada à Capela do Suru. Todos iam a pé. Apenas os mais idosos iam de algum tipo de condução. A banda Santa Cecília anunciava a alvorada com os rojões do fogueteiro Odorico, que morava no final da rua Meatinga. Na capela havia a reza e depois a quermesse. Algumas famílias levavam o seu famoso “virado de frango” para saborear junto com os familiares em algum cantinho. A festa ia até o final da tarde.

Festa no Clube Atlético Sant’Anna (C.A.S.A.)

e

Festa do João Chaves

r

Romaria do Suru


Capa

por Marcio Mrotzeck marcio@mwcom.com.br

Origem de

JULHO

/

2009

Corpus Christi História da Solenidade e sua Celebração no

r

e

A confecção de tapetes de rua é uma magnífica manifestação de arte popular que tem como origem a comemoração do Corpus Christi. Utilizando diversos tipos de materiais, como serragem colorida, borra de café, farinha, areia e alguns pequenos acessórios, como tampinhas de garrafas, flores e folhas, as pessoas montam, com grande arte, um tapete pelas ruas, com dizeres e figuras relativas ao assunto. Por este tapete passa a procissão, seguida pelas pessoas que participam com fervor. A celebração de Corpus Christi (Corpo de Cristo) surgiu na Idade Média e consta de uma missa, procissão e adoração ao Santíssimo Sacramento. Quarenta dias depois do Domingo de Páscoa é a quinta-feira da Ascensão do Senhor. Dez dias depois temos o Domingo de Pentecostes. O domingo seguinte é o da Santíssima Trindade, e na quinta-feira é a celebração do Corpus Christi. É uma das mais tradicionais festas do Brasil e é comemorado no país desde a chegada dos portugueses. A tradição de fazer o tapete com folhas e flores vem dos imigrantes açorianos. Essa tradição praticamente desapareceu em Portugal continental, onde teve origem, mas foi mantida nos Açores e nos lugares onde chegaram seus imigrantes, como por www.cidadestem.com.br

Fotos Divulgação

v

i

s

t

a

Vaticano e no Brasil


/ JULHO

21

A festa foi trazida para o Brasil pelos portugueses. No Brasil, numa carta de 9 de agosto de 1549, o Padre Manuel da Nóbrega, da Bahia, informava: “Outra procissão se fez dia de Corpus Christi, mui solene, em que jogou toda a artilharia, que estava na cerca, as ruas muito enramadas, houve danças e invenções à maneira de Portugal”. (Cartas do Brasil, 86, Rio de Janeiro, 1931). As procissões portuguesas eram esplendorosas: tropas, fidalgos, cavaleiros, andores, danças e cantos. A imagem de São Jorge, padroeiro de Portugal, seguia a procissão montada em um cavalo, rodeada de oficiais de gala. A tradição de enfeitar as ruas surgiu em Ouro Preto, cidade histórica do interior de Minas Gerais. www.cidadestem.com.br

s i

História da festa de "Corpus Christi" no Brasil

t

a

Em Roma começou-se, desde o século XV, com o Papa Nicolau XV (1447-1455) a celebrar a festa de "Corpus Christi", com a procissão de São João de Latrão até Santa Maria Maior. A atual Via Merulana, no entanto, só pôde ser percorrida a partir de 1575, quando foram terminadas as obras para construir o retilíneo, sob o pontificado de Gregório XIII. Durante três séculos, manteve-se o costume de fazer a procissão eucarística guiada pelos Papas. Depois, a partir de 1870, ano da "tomada de Roma", o costume caiu em desuso, sendo retomado pelo Papa João Paulo II, em 1979.

2009

A celebração da festa de "Corpus Christi" no Vaticano

v

No final do século XIII surgiu em Lieja, Bélgica, um Movimento Eucarístico cujo centro foi a Abadia de Cornillon fundada em 1124 pelo Bispo Albero de Lieja. Este movimento deu origem a vários costumes eucarísticos, como por exemplo a Exposição e Bênção do Santíssimo Sacramento, o uso dos sinos durante a elevação na Missa e a festa do Corpus Christi. Santa Juliana de Mont Cornillon, naquela época priora da Abadia, foi a enviada de Deus para propiciar esta Festa. A santa nasceu em Retines perto de Liège, Bélgica em 1193. Ficou órfã muito pequena e foi educada pelas freiras Agostinas em Mont Cornillon. Quando cresceu, fez sua profissão religiosa e mais tarde foi superiora de sua comunidade. Morreu em 5 de abril de 1258, na casa das monjas Cistercienses em Fosses e foi enterrada em Villiers. Desde jovem, Santa Juliana teve uma grande veneração ao Santíssimo Sacramento. E sempre esperava que se tivesse uma festa especial em sua honra. Este desejo se diz ter intensificado por uma visão que teve da Igreja sob a aparência de lua cheia com uma mancha negra, que significada a ausência dessa solenidade. Juliana comunicou estas aparições a Dom Roberto de Thorete, o então bispo de Lieja, também ao douto Dominico Hugh, mais tarde cardeal legado dos Países Baixos e Jacques Pantaleón, nessa época arquidiácolo de Lieja, mais tarde o Papa Urbano IV. O bispo Roberto focou impressionado e, como nesse tempo os bispos tinham o direito de ordenar festas para suas dioceses, invocou um sínodo em 1246 e ordenou que a celebração fosse feita no ano seguinte, ao mesmo tempo o Papa ordenou, que um monge de nome João escrevesse o ofício para essa

no domingo depois do domingo da Santíssima Trindade. Na Igreja grega a festa de Corpus Christi é conhecida nos calendários dos sírios, armênios, coptos, melquitas e os rutínios da Galícia, Calábria e Sicília. Finalmente, o Concílio de Trento declara que muito piedosa e religiosamente foi introduzida na Igreja de Deus o costume, que todos os anos, determinado dia festivo, seja celebrado este excelso e venerável sacramento com singular veneração e solenidade; e reverente e honorificamente seja levado em procissão pelas ruas e lugares públicos. Nisto os cristãos expressam sua gratidão e memória por tão inefável e verdadeiramente divino benefício, pelo qual se faz novamente presente a vitória e triunfo sobre a morte e ressurreição de Nosso Senhor Jesus Cristo.

e

A Solenidade de Corpus Christi

ocasião. O decreto está preservado em Binterim (Denkwürdigkeiten, V.I. 276), junto com algumas partes do ofício. Dom Roberto não viveu para ser a realização de sua ordem, já que morreu em 16 de outubro de 1246, mas a festa foi celebrada pela primeira vez no ano seguinte a quinta-feira posterior à festa da Santíssima Trindade. Mais tarde um bispo alemão conheceu os costume e a o estendeu por toda a atual Alemanha. O Papa Urbano IV, naquela época, tinha a corte em Orvieto, um pouco ao norte de Roma. Muito perto desta localidade está Bolsena, onde em 1263 ou 1264 aconteceu o Milagre de Bolsena: um sacerdote que celebrava a Santa Missa teve dúvidas de que a Consagração fosse algo real. No momento de partir a Sagrada Forma, viu sair dela sangue do qual foi se empapando em seguida o corporal. A venerada relíquia foi levada em procissão a Orvieto em 19 junho de 1264. Hoje se conservam os corporais - onde se apóia o cálice e a patena durante a Missa- em Orvieto, e também se pode ver a pedra do altar em Bolsena, manchada de sangue. O Santo Padre movido pelo prodígio, e a petição de vários bispos, faz com que se estenda a festa do Corpus Christi a toda a Igreja por meio da bula "Transiturus" de 8 setembro do mesmo ano, fixando-a para a quinta-feira depois da oitava de Pentecostes e outorgando muitas indulgências a todos que assistirem a Santa Missa e o ofício. Em seguida, segundo alguns biógrafos, o Papa Urbano IV encarregou um ofício - a liturgia das horas- a São Boaventura e a Santo Tomás de Aquino; quando o Pontífice começou a ler em voz alta o ofício feito por Santo Tomás, São Boa-ventura foi rasgando o seu em pedaços. A morte do Papa Urbano IV (em 2 de outubro de 1264), um pouco depois da publicação do decreto, prejudicou a difusão da festa. Mas o Papa Clemente V tomou o assunto em suas mãos e, no concílio geral de Viena (1311), ordenou mais uma vez a adoção desta festa. Em 1317 é promulgada uma recopilação de leis -por João XXII- e assim a festa é estendida a toda a Igreja. Nenhum dos decretos fala da procissão com o Santíssimo como um aspecto da celebração. Porém estas procissões foram dotadas de indulgências pelos Papas Martinho V e Eugênio IV, e se fizeram bastante comuns a partir do século XIV. A festa foi aceita em Cologne em 1306; em Worms a adoptaram em 1315; em Strasburg em 1316. Na Inglaterra foi introduzida da Bélgica entre 1320 e 1325. Nos Estados Unidos e nos outros países a solenidade era celebrada

r

exemplo Florianópolis. O barroco enriqueceu esta festa com todas as suas características de pompa. Em todo o Brasil esta festa adquiriu contornos do barroco português. Corpus Christi é celebrado desde a época colonial com uma profusão de cores, música expressões de grandeza. No Brasil, a tradição de se fazer os tapetes de ruas acontece em inúmeras cidades, geralmente com voluntários que começam os preparativos dias antes da solenidade e varam a noite trabalhando. Veja a seguir algumas cidades onde é possível encontrar esse tipo de arte popular.


Corpus Christi

Santana de Parnaíba

r

e

v

i

s

t

a

JULHO

/

2009

e a Festa de Corpus Christi O frio e a chuva não foram capazes de desanimar os milhares de fiéis que prestigiaram a Festa de Corpus Christi, realizada em Santana de Parnaíba, na última quinta-feira (11/06). Organizada anualmente pela Paróquia de Santa Ana juntamente com a Prefeitura local, a festa atraiu ao Centro Histórico da cidade, ao longo do dia, cerca de 50 mil pessoas, entre visitantes e moradores da cidade. Considerada uma das maiores manifestações de fé e religiosidade do Estado de São Paulo, a Festa de Corpus Christi trouxe, este ano, o tema “Eucaristia: Geradora de Discípulos Fraternos - Promotores da Paz”. O evento, que mantém a tradição católica de enfeitar suas ruas usando serragem colorida, lembra o mistério da Eucaristia, que significa o sacramento do Corpo e do sangue de Cristo. Durante as festividades, foram realizadas três missas na Igreja Matriz, sendo que a última delas, celebrada às 15h30, foi seguida de procissão sobre o tapete artesanal de mais de 800 metros de extensão. Montado nas principais ruas do Centro Histórico - Largo da Matriz, Rua Suzana Dias,

www.cidadestem.com.br

Largo São Bento, Rua Santa Cruz, Rua Bartolomeu Bueno, Praça 14 de Novembro, Praça da Bandeira e Rua Padre Miguel Mauro - o tapete teve um total de 59 quadros, elaborados por cerca de 600 membros da comunidade.

e conhecer as Feiras de Artesanato e de Alimentação montadas nas Praças 14 de Novembro e da Bandeira, nas Ruas Conde de Monsanto, André Fernandes e Pedro Procópio e no Largo São Bento.

Na confecção do ornamento, foram utilizados 72 m3 de serragem, tingida em 11 cores diferentes por funcionários da Oficina Cultural, da Secretaria Municipal de Cultura e Turismo. Como é de costume, os moradores locais e da região participaram ativamente da montagem do tapete, que teve início às 8 horas.

Histórico

O tapete artesanal teve mais de 800 metros de extensão, com um total de 59 quadros, que estará montado nas principais ruas do Centro Histórico: - Largo da Matriz - Rua Suzana Dias - Largo São Bento - Rua Santa Cruz - Rua Bartolomeu Bueno - Praça 14 de Novembro - Praça da Bandeira - Rua Padre Miguel Mauro Os moradores e turistas ainda puderam aproveitar o dia para visitar

A celebração da festa de Corpus Christi, nome que vem do latim e significa Corpo de Cristo, teve origem em 1243, em Liége, na Bélgica, quando a freira Juliana de Mont Cornion teve visões de Cristo, manifestando o desejo de que a ocasião fosse lembrada com destaque. Em 1264, a festa foi estendida para toda a Igreja Católica, por determinação do Papa Urbano IV. Não há registro histórico sobre quando as ruas de Santana de Parnaíba teriam começado a ser enfeitadas no dia de Corpus Christi. Sabe-se que até 1968 – ano em que a serragem passou a integrar o painel de cores – as ruas e janelas de Santana de Parnaíba eram ornamentadas com flores vermelhas de São João, muito comuns nos meses de junho e julho.


Quem sabe faz ao vivo

Artista faz obra que representa a via crucis

2009

Murilo Sá Toledo, 42 anos, morador da cidade e escultor já conhecido pelo belíssimo trabalho no Monumento aos Bandeirantes na entrada da cidade, neste Corpus Christi, ao invés do bronze, trabalhou com argila, e esculpiu ali mesmo na rua, um dos capitulos da Via Crucis.

JULHO

/

O tema abordado era o sofrimento de Jesus Cristo, e Murilo retratou de forma realista rodeados por olhares admirados e centenas de cliques, a coroação de Jesus. Dentre os 59 quadros compostos por serragem colorida, fina e grossa, cal, tampinhas, pó de café... o quadro ilustrado se destacava. Usando apenas os dedos e a criatividade, o escultor transformou um pedaço bruto de barro em duas figuras humanas: um forte e carrancudo soldado romano e Cristo com um semblante de tremendo sofrimento.

15

Murilo afirma que participa da confecção de tapetes de serragem desde os 22 anos. A ideia de colocar imagens de barro no tapete surgiu há 15 anos.

Fotos Marcio Mrotzeck

r

e

v

i

s

t

a

Nestes anos, antes de a procissão passar por cima do tapete, moradores da cidade correm para retirar a escultura (ou pedaços dela) e levá-la para casa. “É lembrança da festa para o povo”, completou o artista.

www.cidadestem.com.br


Gastronomia

por Patrizio Brescacin patpb@ig.com.br

Antiga Culinária do

Veneto

Foto Divulgação

r

e

v

i

s

t

a

24

Risi e Bisi - Arroz e Ervilhas

Nesta edição apresentamos uma receita bem antiga e simples de ser executada. RISI & BISI é uma receita de Veneza, e muito antiga, a história conta que era um prato que se servia, no dia de S. Marco 25 abril, dia da comemoração do patrono de Veneza, e esse prato se servia ao o DOGE (governador da republica da Sereníssima, que era VENEZA). No ano de 1.800, o povo costumava gritar “Risi, Bisi e Fragole” que significava as cores da bandeira Italiana, que queria dizer Viva VERDI e o povo gritava isso nas ruas contra os ocupadores austríacos na época do império Áustria-Hungria. Os principais alimentos durante esse período eram farinha de milho branco e amarelo - arroz -trigo e pequenos legumes que o povo se cultivava no fundo do quintal. Uma receita do Enogastronomo Patrizio Brescacin, especializado em resgatar hábitos e costumes da antiga culinária do Veneto Oriental, que se localiza na provincia de Trevisio e Belluno e entre as cidades de Treviso - Asolo Castelfranco - Montebelluna - Feltre Belluno - Valdobbiadene - Follina-Miane - Cison di Valmarino - Pieve di Soligo - Vittorio Veneto - Conegliano - Oderzo e outras pequenas cidades. Um dos destaques de Brescacin é a facilidade em harmonizar as receitas com os vinhos produzidos nas respectivas regiões. www.cidadestem.com.br

(rendimento 4 pessoas)

Ingredientes: - 400g de ervilhas frescas - 300g de arroz vialone nano ou arbório (arroz para risoto) - 1,5 lt de caldo de legumes - 50g de manteiga - ½ copo de vinho branco seco - 1 colher de sopa de azeite de oliva extra virgem - 50 g de pancetta (bacon) - ½ cebola - cheiro verde (salsinha) um punhado - um punhado de queijo parmesão ralado - sal e pimenta do reino a gosto

Fotos Divulgação

JULHO

/

2009

Oriental

Modo de Preparo: Pegue uma panela com 1,8 l de água (fervendo vai sobrar 1,5 l para você usar) e coloque-a para ferver com o caldo de legumes, tenha o cuidado de ter sempre ela fervendo no minímo do fogão. Em outra panela de inox, (30 cm de diâmetro) coloque metade manteiga e o azeite de oliva, coloque a cebola que você picou finamente, e coloque o ½ copo de vinho, deixe a cebola


Dica do Editor

refogar mas sem deixar ela dorar, coloque logo depois o bacon que você picou bem fininho, e deixe refogar também.

por Marcio Mrotzeck marcio@mwcom.com.br

Você conhece o Villa Monaco?

Agora pegue as ervilhas que você preparou tirando elas da casca e lavou, deixe as ervilhas refogar por mais 8 minutos.

Outono quase inverno, noite de sexta-feira muito fria, um Dia dos Namorados entre o feriado de Corpus Christi e o final de semana, um 12 de Junho diferente e inesquecível, pra onde ir?

Logo depois pega o arroz e coloque na panela tendo o cuidado de misturar sempre ele, nunca deixe ele grudar no fundo da panela, e na medida em que o caldo evapora vai acrescentando o caldo de legumes que você deixou ferver numa outra panela fervendo, e vai mexendo assim ate o arroz estar pronto, depende depois do próprio gosto se gostar durinho ou molinho (se aconselha durinho).

Até a Capital, atrás de um bom prato? Stress para estacionar o carro, e esperar horas por uma boa mesa? Não, não precisamos mais disso! Nossa cidade é muito privilegiada, pois além das cozinhas brasileira, portuguesa e árabe, foi presenteada recentemente com uma das melhores cozinhas Italianas do Estado de São Paulo, o Villa Monaco.

Lembre-se que o Risoto não pode demorar ser servido e degustado porque você perderá o máximo, do saborear um verdadeiro risoto Italiano.

Foi uma excelente escolha, não percorremos mais do que 2 Km após sair de casa e nem tivemos problemas com estacionamento, momentos marcantes em mais um jantar romântico “a luz de velas”, no Dia dos Namorados, as boas recomendações já eram previsíveis, mas confirmamos tudo bem de perto, o lugar escolhido por Vicci Domini (exgerente do grupo Fasano - Fasano Haddock Lobo, Parigi, Gero Café, Nono Ruggero e Hotel Fasano), consultor de restaurantes (Café de La Musique, Pandoro, 3 x 4 Dinning Club, etc) para sediar um restaurante de comida mediterrânea, com toda a rusticidade que hoje buscamos em novas denominações como Slow Food ou mesmo Confort Food, era realmente fantástico.

Para esse prato pode ser servido um vinho tinto Merlot, vinho jovem máximo 2 anos, ou um bom vinho novello (isso so em Nov. dez se e importando) ou em maio/junho se for nacional. Esse prato pode também ser harmonizado com um vinho branco seco, como Pinot Griggio, ou Pinot Bianco - ou também um Prosseco não frizzante.

Inaugurado na 2ª quinzena de maio, a proposta de Vicci, é uma viagem ao passado, em ambiente acolhedor, que lembra uma Villa na Toscana; romântico a luz de velas, servindo uma culinária saudável, com ingredientes frescos do dia a dia, bem à moda italiana de viver.

/

Sirva imediatamente em prato que você préaqueceu no forno.

JULHO

Assim que o arroz tiver ao ponto coloque o restante da manteiga e o queijo parmesão junto e assim vai mexendo até o arroz fizer uma espécie de creme.

2009

Imagine uma casa do século XVII, que abrigou um convento de monges beneditinos e um jardim tendo 14 palmeiras imperiais emoldurando um pátio com tijolos coloniais. Agora vislumbre um suculento e bem servido Filé Mignón ao molho cremoso de espinafre com Fettuccine na manteiga, uma deliciosa Polenta Italiana ao molho de rabada e chips de bacon como entrada, tudo isso harmonizados com um fabuloso vinho e uma especialissíma companhia para completar o cenário, o frio ficou lá fora, pois o aquecedor deixava o ambiente já hospitaleiro ainda mais harmonioso e agradável.

25

O restante do cardápio é fantástico, vale cada centavo conferir e degustar dos prazeres da Boa Mesa - Largo São Bento, Nº 50 - Tel 4154-4702.

BUON APPETTITO!

Fotos Divulgação

r

e

v

i

s

t

a

e até a próxima

www.cidadestem.com.br


Circuito Cidades tem

JULHO

/

2009 r

e

v

i

s

t

a

26

Em sessão da Câmara municipal de Santana de Parnaíba, no iníciomês de junho, os vereadores receberam um numero maior de jornalistas, do que os que visitam costumeiramente aquela Casa de Leis. O responsável pela presença dos comunicadores regionais foi o vereador prof. Helio, que enfatizando a importância da imprensa para a projeção publica, submeteu a apreciação do Plenário a Moção de nº. 193/2009, vislumbrando congratulações ao dia 07 de junho, data em que se comemora o Dia da Liberdade de Imprensa. O vereador ocupando a tribuna pronunciou sobre os tempos da Monarquia, quando a impressão era proibida e falou da sua liberação mascarada ocorrida em 13 de maio de 1808, ano que surgiu o primeiro jornal brasileiro denominado A Gazeta do Rio de Janeiro que era sujeitado à censura previa, colocando a livre atividade de imprensa no cabresto. O vereador, também enfatizou que a imprensa surgiu com a chegada da família real acontecimento marcado em 1808 e depois disso realizou-se, então a primeira Assembléia Constituinte elaborando a nova Lei de Imprensa, dando liberdade à publicação, venda e compra de livros, porém com algumas exceções. “Pois, antes da Independência do Brasil, os livros entravam clandestinamente no país e possuir um livro era um crime. A primeira lei de imprensa na era republicana retirava do Código Penal o que se entendiam como graves infrações e instituiu-se, então, o direito de resposta, reformulando o processo de crimes relacionados à imprensa. Durante o regime militar, novamente foi instituída a chamada Lei de Imprensa estabelecendo grandes restrições à liberdade de expressão. Com a constituição de 1988 foram estabelecidos os fundamentos legais acerca do direito de informação. Hoje existem associações voltadas para a luta pela www.cidadestem.com.br

Arraial da Terceira Idade reúne três mil pessoas em Santana de Parnaíba

Fotos Divulgação

Foto Divulgação

Representantes da Imprensa são homenageados através de moção de congratulações apresentada pelo vereador parnaíbano Prof. Helio.

liberdade de expressão e de imprensa, como a Associação Nacional de Jornais (ANJ) e a Associação Brasileira de Imprensa (ABI) que, além de desenvolver ações para propor a liberdade de imprensa no país, denunciam ameaças ao direito de informação. Com esse programa, houve um aumento de controle sobre os crimes cometidos contra a imprensa e seus profissionais. Considerando os meios de comunicação social como um espaço público, temos as colunas de correção de erros, seções de cartas dos leitores e observatórios de imprensa. Essas participações do público têm aumentado nos últimos tempos. A liberdade de expressão é um bem da sociedade, antes mesmo de ser um direito de profissionais e de empresas ligadas a essa atividade e por sua própria natureza, exige mobilização constante, vigilância permanente e firme posicionamento diante de fatos que representam ameaça ou que efetivamente a atinjam. A defesa da liberdade de imprensa certamente contribui para o fortalecimento das instituições democráticas no país. Esse é um trabalho incessante em favor da sociedade, sobretudo, que por ter direito constitucional à informação deve defender a imprensa livre e combater a impunidade dos crimes praticados contra profissionais e veículos de comunicação no Brasil”. Concluiu o vereador Prof. Helio Líder do PCdoB, que após a sessão da Câmara ofereceu aos profissionais de comunicação um café no seu gabinete com a presença do presidente do legislativo parnaíbano vereador Régis Salles e o presidente do seu partido Sr. Paulo Caldeira. Os jornalistas que puderam participar da homenagem agradeceram a todos pela recepção, demonstrando muito apreço pela cidade e admiração ao governo municipal liderado pelo prefeito Silvinho Peccioli, que segundo o relato dos repórteres está conduzindo mais uma vez Santana de Parnaíba com excelência.

Ao som das tradicionais músicas de festas juninas, os moradores de Santana de Parnaíba conferiram o arraial do Centro de Convivência da Terceira Idade – órgão mantido pela Prefeitura do município. Nos dois dias em que foi realizada (05 e 06 de junho), a festa reuniu, aproximadamente, três mil pessoas na Rua Profº Eugênio Teani, endereço da sede do Centro de Convivência. Na festa, não faltou pipoca, pinhão, quentão, bolo, cachorro-quente e todas as comidas típicas para a ocasião, além das barracas com brincadeiras e prêmios. No total, foram montadas 20 barracas. Quem compareceu também aproveitou o show de Enimar e sua Banda, que animou o público com diferentes estilos de música. Além disso, os participantes assistiram à tradicional quadrilha da terceira idade, que se apresentou nos dois dias da festa. José Carlos Galinho, de 78 anos, é freqüentador do Centro de Convivência há mais de sete anos e um dos muitos que colaboraram para a realização da festa junina. “Participei ativamente na organização e, durante os dois dias, ajudei cuidando de umas das barracas. O Centro de Convivência é meu segundo lar”, contou. Para a coordenadora da casa Luci Attarian Cardoso, eventos deste porte reforçam ainda mais a integração do idoso com a sociedade. “Nosso objetivo é fortalecer a relação do idoso com a família, bem como mostrar à sociedade que o mesmo está apto a realizar ações, como a festa junina, além de valorizá-lo como cidadão”, explica Luci. Atualmente, o Centro de Convivência da Terceira Idade conta cerca de 300 associados. As principais atividades desenvolvidas são: ginástica, hidroginástica, natação, musculação, caminhadas, ginástica de conscientização corporal, jogos adaptados (recreação, vôlei e basquete), aulas de dança de salão, axé, condicionamento físico para maratona, coreografia, teatro, festas, bailes, viagens, entre outras. Os interessados em obter mais informações devem comparecer ao Centro de Convivência da Terceira Idade ou ligar para o telefone 4154-4687.


www.cidadestem.com.br

2009 / JULHO a

de Esportes da nossa cidade e hoje joga pelo Boavista (Portugal)”, disse o presidente Régis Salles (PMDB). E se o quadro de troféus é grande, o número de medalhas é ainda maior. Os atletas da cidade de Santana de Parnaíba ganharam 87 medalhas, sendo 29 de ouro, 24 de prata e 34 de bronze. A primeira alcançada foi na modalidade karatê com a jovem atleta Débora Macedo do Prado, de 18 anos, ao conquistar a medalha de prata na categoria Open. “Santana de Parnaíba já é muito conhecida na área do esporte pelos bons resultados nos campeonatos. No ano passado, ficamos em 4º lugar e este ano em 3º. Espero que a cada campeonato o resultado seja ainda melhor”, disse o secretário de Atividade Física, Esporte e Lazer de Santana de Parnaíba, Darlan Chiló Bastianon.

t

capoeira, feminino livre; vôlei, feminino livre; handebol, masculino livre; malha, masculino livre; damas, masculino livre e taekwondo, masculino livre. Houve ainda a entrega de mais um troféu para Santana de Parnaíba pelo 3º lugar na colocação geral ficando atrás apenas do município de Jundiaí, líder do campeonato, e de Sorocaba que ficou em segundo lugar. Todos os troféus e algumas medalhas ficarão expostos no salão nobre da Câmara Municipal de Santana de Parnaíba até o final de julho. “Todo o investimento realizado no esporte pelo prefeito Silvinho, incentiva os nossos jovens à prática esportiva. E acho que eles estão muito bem assistidos tanto que temos uma série de bons exemplos para citar. Um deles é o jogador de futebol Sidnei Sciola que começou a treinar nas Escolinhas

s

Na 53ª edição dos Jogos Regionais realizado na cidade de São Roque, interior de São Paulo, Santana de Parnaíba ficou em 3º lugar na colocação geral ficando atrás apenas do município de Jundiaí, líder do campeonato, e Sorocaba que ficou em segundo lugar. No ano passado, a cidade havia se classificado no campeonato em 4º lugar. “É um resultado fantástico. Um sinal que estamos em um bom caminho. A cada ano estamos conseguindo melhorar o ranking. A cidade que ficou em segundo lugar deve se cuidar porque na próxima vez vamos vir mais forte. O investimento na área do esporte tem sido feito com seriedade e o trabalho tem tido continuidade. Há 12 anos não tínhamos a grande quantidade de modalidades que temos hoje. Tanto os Jogos Regionais como os Jogos Abertos do Interior integram os jovens de todos os bairros da nossa cidade, além dos outros municípios participantes. É também uma grande oportunidade de revelar grandes atletas”, disse o prefeito de Santana de Parnaíba, Silvinho Peccioli (DEM). Os Jogos Regionais que foram disputados entre os dias 1º e 12 de julho contaram com a participação de 315 atletas da cidade. Ao todo foram conquistados cinco troféus pelo título de campeão e sete de vice-campeão. As modalidades campeãs foram: tênis, feminino até 21 anos; ginástica artística, feminino até 14 anos; vôlei, masculino livre; xadrez, masculino até 21 anos e taekwondo, feminino livre. Já os troféus do título de vice-campeão são: ginástica artística, masculino livre;

27

i

Santana de Parnaíba conquista o 3º lugar nos Jogos Regionais e participa de uma exposição na Câmara

v

da apresentação das duplas sertanejas “Mococa e Paraíso” e “Breno e Caio César”. Presente ao evento, o secretário municipal de Cultura e Turismo Luís Alexandre Chiló afirmou que a administração pública municipal faz questão de dar apoio aos eventos tradicionais do município. “Desde a primeira administração do prefeito Silvinho Peccioli, em 1997, o intuito era resgatar as tradições. Santana de Parnaíba é uma cidade muito próxima da capital, porém com características de cidade interiorana, além de toda sua bagagem de cidade histórica. Com isso, é fundamental a administração pública manter as raízes e a história da nossa cidade”, disse o secretário.

e

Para José Pinto de Oliveira Filho, mais conhecido como Mandioquinha, a Festa do Suru é o evento mais importante para o bairro. “A festa tem como objetivo unir os moradores e não deixar que as raízes do bairro se percam com o tempo. A confraternização dos moradores e os visitantes quem vêm prestigiar a festa é a garantia de que as tradições podem ser mantidas. Eu nasci aqui no Suru e o valor desta festa pra mim e para minha família é inestimável.”, conta o morador de 57 anos. A programação contou, ainda, com quermesse, regada com muitas comidas e bebidas típicas de festa junina, além de sorteios de bicicletas e celas, além

r

Devoção e louvor a Santo Antonio foram os requisitos que marcaram a tradicional Festa de Santo Antonio do Suru, realizado no último domingo (14/06), em Santana de Parnaíba. Festejada há 96 anos no município, a comemoração reuniu cerca de mil pessoas, vindas de diversas localidades, para participar das homenagens ao santo padroeiro do bairro. Organizado pela Prefeitura de Santana de Parnaíba, em parceria com a comunidade católica, o evento contou com a famosa romaria. Logo cedo, por volta das 08h30, muitos fiéis já participavam da celebração da missa na Capela de Santo Antônio do Suru, em louvor ao santo “casamenteiro”. Enquanto a missa era realizada, cerca de 300 pessoas se concentravam na Praça da Bandeira, no Centro Histórico da cidade, preparando seus cavalos, charretes e jipes para, em romaria, percorrerem cerca de cinco quilômetros em direção à Capela. Com 65 anos, José Antonio Barbosa participa das festividades a Santo Antônio há mais de 45 anos. Morador da cidade vizinha, Pirapora do Bom Jesus, José, que também carrega o nome do santo devoto, diz que é tradição de família participar da comemoração. “Todo ano eu venho prestigiar meu santo protetor. Desde jovem, participo da festa com a minha família.”, explica José que estava bem animado na romaria acompanhado dos netos.

Fotos Divulgação

Festa de Santo Antonio do Suru reúne tradição e religiosidade em Santana de Parnaíba


Circuito Cidades tem

r

e

v

i

s

t

a

28

www.cidadestem.com.br

de pulgas – venda de peças de carros antigos -, na Praça da Bandeira. E uma novidade este ano foi a exposição de fotos de veículos antigos da cidade, montada na Praça 14 de Novembro. Um dos visitantes que veio pela primeira vez ao Encontro de Antigomobilismo e gostou bastante do que conferiu foi o professor Elio Mosilani, da cidade de São Paulo. “Eu vim com toda a minha família para conhecer o encontro e o evento está muito bom. Espero poder expor o meu Landau 1973 aqui no ano que vem”, disse Elio.

Fotos Divulgação

A Prefeitura de Santana de Parnaíba, por meio da Secretaria Municipal de Cultura e Turismo, realizou, no último dia 28 de junho, a 8ª edição do Encontro de Antigomobilismo. O evento, que novamente contou com o apoio da Federação Brasileira de Carros Antigos, atraiu mais de 20 mil pessoas, que vieram conferir as diversas raridades automobilísticas, expostas ao longo do dia nas principais vias do Centro Histórico. O encontro reuniu um total de 400 veículos de diversos marcas e modelos, com mais de 30 anos de fabricação. Entre as raridades expostas, os apreciadores de carros antigos puderam conferir um Chevrolet 1938, do proprietário Reinaldo Rena, morador de Alphaville. “O encontro é muito bem organizado. Aqui, as pessoas têm a oportunidade de conhecer uma variedade muito grande de veículos em ótima conservação. Esta é a segunda vez que exponho e, com certeza, voltarei no ano que vem”, disse Reinaldo. Para Almir Garçoni, presidente do Pick-ups Club, o clube patrono do evento pelo quinto ano consecutivo, a qualidade dos veículos expostos na cidade é um dos fatores que atraem um público maior a cada nova edição do encontro. “O nível dos carros tem melhorado ano após ano. Além disso, o Centro Histórico da cidade dá um charme todo especial para o encontro. A administração da cidade está de parabéns pela organização do evento”, afirmou Almir. O secretário municipal de Cultura e Turismo Luís Alexandre Chiló garante que uma das preocupações da prefeitura é aprimorar o encontro a cada nova edição. “Buscamos sempre melhorar o evento e trazer novidades para agradar o público. Acredito que temos conseguido, pois as pessoas chegam aqui bem animadas. O encontro já está consolidado na nossa cidade, tanto que já estamos na oitava edição”, garantiu o secretário. Além da exposição, os visitantes puderam se divertir com a “Rádio Vitrola”, uma rádio conceitual com músicas e jingles antigos, com animação do locutor Ricardo Vasconcelos, ao longo de todo o dia. E, no período da tarde, foi a vez das bandas de Rockabilly e Classic Rock agitarem o público, em um palco montado na Praça 14 de Novembro. As pessoas puderam conferir as apresentações de Seedão HD e os Destruidores de Arquivo (Rockabilly), Alex Valenzi and The Hideway Cats (Rockabilly) e Rock’n Beer (Classic-Rock). O encontro também contou com um mercado

Foto Marcio Mrotzeck

JULHO

/

2009

Milhares de pessoas prestigiam o 8º Encontro de Antigomobilismo em Santana de Parnaíba


Tradicional show pirotécnico ilumina céu de Barueri na noite de São João municipal de ensino de Barueri. Evento Religioso- Na noite de 23, os fiéis da igreja central de Barueri, percorreram as ruas centrais em procissão carregando o andor com a imagem de São João Batista. Tradicionalmente a meia noite a imagem é lavada nas águas do monumento construído em homenagem ao santo padroeiro do distrito sede.

/

2009

E o show, um dos mais bonitos dos últimos tempos, tendo os fogos como grandes estrelas do espetáculo em louvor a São João Batista, padroeiro do distrito sede de Barueri. Sincronia perfeita entre música e os fogos que dançaram no céu da cidade formando figuras da natureza: árvores, buquê de flores e coqueiros, entre outras. Muitas pessoas assistiram ao show pirotécnico dos bairros próximos, já que as cores e o brilho dos fogos dava pra ser observado a longa distância. Quem estava na região central na hora do show aprovou. “Gostei muito, não imaginava que era esse espetáculo”, disse Carlos Marques, morador de Carapicuíba. “Incrível, Barueri consegue todos os anos se superar”, afirmou Ana Claudia Santos, do Jardim Maria Helena. “Fiquei impressionada com os fogos que saem do chão, e a chuva de prata surpreendente”, salientou Marisa Firmino, professora da rede

JULHO

Teatro Municipal de Barueri traz comédia gratuita em 05/08

29

r

e

v

i

s

t

a

No dia 5 de agosto, às 20 horas, o Teatro Municipal de Barueri receberá em seu palco a montagem “O Noviço”, comédia de Martins Pena, com entrada gratuita. Considerado um gênio da comédia, Pena foi um dos primeiros autores a pôr em cena personagens tipicamente brasileiros. A montagem atual é ágil e irreverente, tem música ao vivo e preservou o texto original do século XIX, tão bem escrito pelo dramaturgo, além de ter absorvido algumas contribuições dos atores que surgiram durante os ensaios e apresentações. O texto aborda vários temas tais como o engano, a traição, a ambição, o amor rejeitado, a inocência perdida e vocação profissional, tudo com muito humor. Através das peças de Martins Pena, é possível reconstituir a fisionomia moral de toda uma época, já que o autor faz um amplo retrato do Brasil da primeira metade do século XIX. Fotos Divulgação

Foto Marcio Mrotzeck

A noite especial de São João Batista, 24 de junho, foi comemorada em Barueri com um show pirotécnico incrível. O céu da cidade ficou iluminado por aproximadamente 40 minutos, e aproximadamente 60 mil pessoas acompanharam o espetáculo, de acordo com levantamentos das Policia Militar, Guarda Municipal e Prefeitura de Barueri. O show apresentado em Barueri gratuitamente reuniu o que há de mais moderno entre fogos de artifícios e explosivos. Para público as sensações foram diversas, desde emoção, alegria e contemplação - esta que é, de acordo com a empresa contratada para realizar o evento, a segunda maior queima de fogos do Brasil. Antes do início do show o público ouviu informações relacionadas aos serviços oferecidos pela Prefeitura, com o comunicador Ivo Morganti. Nos dez minutos antes da queima, emoção e o convite para o público na contagem regressiva.

www.cidadestem.com.br


2009 / JULHO r

e

v

i

s

t

a

30

www.cidadestem.com.br


2009 / JULHO r

e

v

i

s

t

a

31

www.cidadestem.com.br


2009 / JULHO r

e

v

i

s

t

a

32

www.cidadestem.com.br


2009 / JULHO r

e

v

i

s

t

a

33

www.cidadestem.com.br


2009 / JULHO r

e

v

i

s

t

a

34

www.cidadestem.com.br


2009 / JULHO r

e

v

i

s

t

a

35

www.cidadestem.com.br


2009 / JULHO r

e

v

i

s

t

a

36

www.cidadestem.com.br


2009 / JULHO r

e

v

i

s

t

a

37

www.cidadestem.com.br


Entretenimento Dica de Filme - DVD

JULHO

/

2009

Foto Divulgação

por Leandro Daher

Pensando sobre cinema, cheguei a uma conclusão interessante, acho eu. Existem filmes para todos os tipos de gente, exemplos que darei agora certificam isso. Por exemplo, filmes para mulheres (qualquer um do Richard Gere), para jovens enamorados (Um amor para recordar, ela dança eu danço), para crianças (Disney e afins), para homens etc, estou apenas “sugerindo”, claro que podemos “invadir um o campo do outro”. Mas falei tudo isso para dizer que existem filmes para quem é louco por cachorro, que é o meu caso também...por isso escrevo este mês sobre um lançamento canino. No começo tive medo de escrever esta critica, e a mesma tornar-se tendenciosa, mesmo porque tenho um animal deste em casa, sem dizer que vejo, leio e compro tudo que se diz respeito a cães. Marley e eu – o pior cão do mundo, nos coloca em dúvida, como um cãozinho tão bonitinho com laço vermelho no pescoço( imagem do pôster ) possa ser algo de pior que existe. O filme conta a história de um casal de jornalistas John e Jenny (interpretados por Owen Wilson e Jennifer Aniston), que recém-casados, resolvem ter um cachorro, como uma espécie de treinamento antes de pensarem em ter filhos. E

r

e

v

i

s

t

a

38

www.cidadestem.com.br

ao irem ao um canil se apaixonam por um filhote. Na volta para casa com John, o cão ganha o nome de Marley ( em homenagem ao Bob Marley). Mas o que veremos a seguir é a hiperatividade canina sendo mostrada em sua totalidade, e acreditem, experiência própria, é exatamente aquilo com suas devidas proporções. Mesmo com toda essa energia, com momentos que os donos querem mais que Marley desapareça, ele se mostra muito apegado à família. Marley mostra-se totalmente afinado com seus donos, ficando feliz quando todos estão felizes, e triste quando estão tristes. Com a chegada dos filhos, o cão além de um companheiro, torna-se a grande babá, ai vemos o valor do “melhor amigo do homem” mostrando o real significado da palavra amor. Com o passar do filme os problemas familiares são muito bem apresentados, discussões, descontentamento e tudo mais que acontece na “vida real”, mas sempre com a presença de Marley. Entendam somente uma coisa, o filme engloba toda a vida do cão, isso quer dizer que aquele ar leve e descompromissado, desaparece na meia hora final da história. E digo, chorei, impossível não chorar...e repito, não tem como assistir o filme e não comprovar a máxima que sempre soubemos “ o cão é o melhor amigo do homem”. Escrevo esta critica, acompanhado pelo “meu” labrador preto de nome IGOR, que juntamente com meu golden retriver, tornam-se imbatíveis no quesito compania. E de ante mão agradeço a minha irmã, que num ato de AMOR e da mais pura compaixão, deixou que o Igor ficasse morando comigo (minha afinidade com esse cachorro parece coisa de cinema). Um filme para ser assistido naquele domingão com a família, sobrinhos, filhos, netos etc. E soltar aquela famosa frase ao final...um dia ainda tenho um desses ou melhor ainda... PENSEI QUE SOMENTE O MEU ERA ASSIM.

Toque de amor Por Jotta Santos

Gostaria de me fazer entender com minhas palavras, pois é o único meio que eu tenho para chegar até você... O que tenho a dizer não é muito e nem pouco, é só um pouco do muito que te quero e que te desprezo... Quando penso que te amo, me odeio, quando te amo me amo... E quando te odeio me odeio, mas, por vezes, sei que te odeio e não sei viver sem você. E assim vou levando esta vida, por não querer mudar a situação,,, Não adianta pedir para você mudar... Para ser diferente, ser como eu quero. Você mudaria, mas porque eu pedir; pois quando está sozinha, é que demonstra tudo que você é... E depois erra e pede desculpas, e diz que tudo que faz é por fazer, sem intenção e que agora é diferente, mas no fundo é tudo igual ! Desculpe-me se estou sendo grosso, ou se estou sendo arrogante, querendo mudar alguém. Não é isso! Eu só queria alguém mudado, que agisse espontaneamente e não obrigado, e tudo que fizesse fosse do meu agrado. Alguém que não chora na hora de sorrir, que não fala na hora de escutar, mas antes, cala na hora de falar, dá na hora de dar e perdoa no momento de pecar... E alguém que me ame, na hora de odiar. Toque de amor vai de: Geraldo Barros para: Clarice Dirlene para: Rodrigo Martins para: Sandra Manoel para: Ana Maria Nunes para: Geraldo Nunes


www.cidadestem.com.br

Esta veiculação é uma cortesia da Revista Cidades tem r

e

v

i

s

t

a

JULHO

/

2009


2009 / JULHO a t s i v e r

www.cidadestem.com.br


Revista CIDADES tem - Edição 5 - Julho 2009