Issuu on Google+

PREVALÊNCIA DE GIARDÍASE EM CRIANÇAS E SEUS CÃES DA PERIFERIA URBANA DE LAGES, SANTA CATARINA PREVALENCE OF GIARDIASIS IN CHILDREN AND ITS DOGS OF THE URBAN PERIPHERY OF LAGES, SANTA CATARINA Andréia Aparecida Ribeiro Arruda1, Rosiléia Marinho de Quadros2, Sandra Márcia Tietz Marques3, Gino Chaves da Rocha4 RESUMO Este trabalho objetivou determinar a prevalência de Giardia lamblia em crianças e cães pertencentes ao mesmo domicílio, de um bairro sem sistema de saneamento básico e com alto índice de crianças e animais domésticos. Foram coletadas amostras de fezes de 100 crianças e de 100 cães, pertencentes ao mesmo domicílio. O diagnóstico foi determinado pelas técnicas de Faust e de Sheather. A prevalência de Giardia lamblia em crianças foi de 27% (27/100), com positividade de 88,88% e de 51,85% pelas técnicas de Faust e de Sheather, respectivamente. Para os cães, a prevalência de giardíase foi de 20% (20/100), com 66,67% para a técnica de Faust e de 33,33% para a de Sheather. A técnica de Faust foi mais eficiente na detecção de cistos de Giardia lamblia. A relação entre a presença de crianças com giardíase e seus respectivos cães foi observada em 14 amostras. Considerando a probabilidade da associação da infecção por Giardia lamblia, a proporção de crianças e seus cães infectados foi de 12%. O valor da Razão de Chances foi, aproximadamente, 12 indicando que a chance de uma criança estar infectada e seu cão também é 12 vezes maior do que aquelas em que seus cães não estão infectados. O índice de infecção por Giardia lamblia aponta para a necessidade de educação sanitária, medidas terapêuticas e profiláticas. Palavras-Chave: Giardia lamblia, crianças, cães, zoonose, Santa Catarina ABSTRACT This work had the objective to determine the prevalence of Giardia lamblia in children and dogs pertaining from the same domicile, of a city quarter without system of basic sanitation and with high index of children and domestic animals. Fecal samples of 100 1

Bióloga, Ciências Biológicas e da Saúde – UNIPLAC 2 Profª. de Parasitologia e Zoologia - Ciências Biológicas e da Saúde – UNIPLAC 3 Profª. Drª. Faculdade de Veterinária – UFRGS. E-mail: sandra.marques@ufrgs.br 4 Profº. Drº, Programa de Pós-Graduação em Saúde Coletiva/Mestrado – UNIPLAC Revista da FZVA. Uruguaiana, v.15, n.2, p.126-134. 2008


127 Prevalência de giardíase...

children and 100 dogs had been collected on the same domicile. The diagnosis was determined by the techniques of Faust and Sheather. The prevalence of Giardia lamblia in children was of 27% (27/100), with positivity of 88,88% and 51,85% for the techniques of Faust and Sheather, respectively. For the dogs, the prevalence of giardiasis was of 20% (20/100), with 66,67% for the technique of Faust and 33,33% for the Sheather. The technique of Faust was more efficient on the detention of cysts of Giardia lamblia. The relation of the presence of giardiasis in children and them respective dogs were observed in 14 samples. Considering the probability of the association on the infection for Giardia lamblia, the infection ratio of children and its dogs were of 12%. The value of the Reason of Possibilities was approximately 12, indicating that the possibility of a child and also his dog been infected is 12 times bigger then those who’s dogs are not infected. The index of infection for Giardia lamblia points to the necessity of sanitary education, therapeutical and prophylactic measures. Key words: Giardia lamblia, children, dogs, zoonosis, Santa Catarina principalmente através da ingestão de INTRODUÇÃO

cistos, contidas em águas sem tratamento

As enfermidades parasitárias são apontadas

como

de

contaminados, através de pessoa para

desenvolvimento sócio-econômico de um

pessoa, do contato com animais infectados

país; nos países subdesenvolvidos e em

ou ainda sendo veiculados por vetores

desenvolvimento representam um problema

(IGLESIAS, 1997). Embora o homem seja

sério de saúde pública. Embora não sejam

o principal reservatório do parasito, outros

medidos esforços por parte de equipes de

animais podem estar envolvidos como

saúde no mundo para controlá-las, não tem

castores, cães, ratos, cobaias, carneiros e

ocorrido

índices,

outros (REY, 2001). Durante a fase aguda

particularmente entre famílias de baixa

da doença, isto é, durante a fase diarréica,

renda, cuja condição de vida precária, má

os trofozoítos podem ser encontrados nas

higiene e nutrição contribuem para a

fezes em grande quantidade. Intercalados

propagação de enfermidades parasitárias

com este período de deposição de cistos há

(CECIL et al., 1990).

outros, de oito a dez dias com interrupção

uma

Giardia

indicadores

ou tratadas de forma ineficiente, alimentos

redução

(G.)

nos

lamblia,

um

protozoário flagelado, pode ser responsável por um quadro de enterite, geralmente benigno.

A

infecção

humana

se

de sua eliminação, chamados de períodos negativos (NEVES, 2005). A Organização Mundial da Saúde (OMS) estima que possam ocorrer, para a Revista da FZVA. Uruguaiana, v.15, n.2, p.126-134. 2008


Arruda, A.A.R. et al.

128

espécie humana, mais de 200 milhões de

Como unidades de análise foram coletadas

casos anuais, na África, Ásia e América

um total de 100 amostras de fezes de

Latina, sendo 500.000 novos casos por ano.

crianças e 100 amostras fecais de cães. Os

A prevalência mundial é elevada, revelando

animais eram de diferentes raças e idades,

cifras de 40% no Peru, 35% no Egito,

com e sem sintomas de diarréia.

32,5% na Austrália, 21% na Tailândia, 20%

Os exames parasitológicos foram

na Índia, Guatemala e Cuba, 16% nos

executados no Laboratório de Parasitologia

Estados Unidos e 28,5% no Brasil. O

da Universidade do Planalto Catarinense

exame parasitológico de fezes constitui a

(UNIPLAC), em Lages. As amostras fecais

melhor

o

foram acondicionadas em potes plásticos

diagnóstico da giardíase, por ser um método

identificados e conservados à temperatura

não invasivo, de fácil execução, baixo custo

de 2 a 8°C, em um período máximo de 24

e por utilizar equipamentos de fácil

horas após a coleta. Para o diagnóstico

disponibilidade

coproparasitológico foram utilizadas as

maneira

de

estabelecer

(CIMERMAN

e

técnicas

CIMERMAN, 2003).

de

Faust

e

de

Sheather

O presente trabalho foi realizado

(CIMERMAN e CIMERMAN, 2003). O

no município de Lages, SC, no período de

diagnóstico positivo teve como critério a

julho a novembro de 2005, objetivando

presença de cistos e/ou trofozoítos de G.

determinar a relação de ocorrência de

lamblia através da microscopia óptica, com

Giardia lamblia entre crianças e cães

preparações

domiciliados nas mesmas residências e

aumento de 400X.

comparar

estatisticamente

a

eficiência

entre as técnicas de Faust e de Sheather.

coradas

pelo

lugol,

em

Para a análise do nível escolar, as crianças estudadas foram provenientes da creche até o sétimo ano do Ensino

MATERIAL E MÉTODOS

Fundamental, e classificadas por faixa

O trabalho foi desenvolvido no

etária, assim categorizadas: A (de 1 a 3

período de julho à outubro de 2005, com

anos de idade); B (de 4 a 6 anos de idade);

crianças da Escola de Educação Básica

C ( de 7 a 9 anos de idade) e D ( de 10 a 12

Municipal Mutirão localizada no Bairro

anos de idade).

Habitação, município de Lages, SC, com

Para os cães, as faixas etárias

857 alunos matriculados. Destes, 409

foram categorizadas em: Jovens ( de 0 a 1

alunos encontravam-se matriculados da

ano de idade) e Adultos ( acima de 1 ano).

Educação Infantil ao Ensino Fundamental. Revista da FZVA. Uruguaiana, v.15, n.2, p.126-134. 2008


129 Prevalência de giardíase...

estudo

gênero, 12 meninos (50%) e 12 meninas

transversal qualitativo para identificar a

(50%) foram positivos para a técnica de

positividade de infecção

por Giardia

Faust; e para a técnica de Sheather foram

lamblia nas crianças e nos seus cães

sete meninos e sete meninas (50%). Entre

testando a hipótese de infecção associada.

as duas técnicas diagnósticas empregadas,

Duas hipóteses foram testadas: a primeira

24 amostras (88,88%) se apresentaram

foi testar se as probabilidades das crianças e

positivas utilizando a técnica de Faust e 14

seus cães estarem infectados eram iguais

amostras (51,85%) utilizando a técnica de

tendo, utilizando o teste não-paramétrico de

Sheather.

Z (teste Z); e a segunda hipótese de

positividade

nulidade estabelecida foi a de que não havia

utilizadas em 11 amostras (40,74%).

Estatisticamente,

é

um

Houve entre

Entre

associação da infecção parasitária entre a

as

coincidência as

duas

diferentes

de

técnicas

categorias

criança e seu cão, utilizando o teste Qui-

etárias para as crianças analisadas, sete

Quadrado de Pearson (χ2). Ambos os testes

crianças pertenciam a categoria A, nove na

tiveram como nível de significância α =

categoria B, 62 na categoria C e 22 na

0.05. Havendo associação da infecção na

categoria D.

criança e no seu cão será calculado o

Do total das crianças infectadas

Coeficiente Phi (ϕ), para determinar o grau

por G. lamblia, identificadas em ambas

de associação e também a Razão de

técnicas, duas amostras (7,41%) foram da

Chances (odds ratio), para se saber em

categoria B, dezessete (62,96%) da C e oito

quantas vezes a probabilidade de ambos

(29,63%) da D. Quanto ao nível de escolaridade

estarem infectados (VIEIRA, 2003). O

estudo

foi

aprovado

pelo

das

crianças

analisadas,

28

foram

Comitê de Ética em Pesquisa com seres

provenientes da creche e primeira série, 35

humanos da UNIPLAC. Os responsáveis

da segunda série, 19 da terceira série, oito

pelas

e

da quarta série, sete da quinta série e três da

consentiram em coletar fezes de seus filhos

sexta série. O nível de positividade para a

e cães para a realização dos exames

escolaridade foi de seis (22,22%) para a

parasitológicos.

creche e primeira série, oito (29,63%) para

crianças

foram

sensibilizadas

a segunda série, cinco (18,52%) para a RESULTADOS O coeficiente de prevalência da giardíase nas crianças foi de 27%. Por

terceira série, quatro (14,81%) para a quarta série, dois (7,41%) para a quinta série e dois (7,41%) para a sexta série. Revista da FZVA. Uruguaiana, v.15, n.2, p.126-134. 2008


Arruda, A.A.R. et al.

130

Para as 100 amostras fecais de

Quadrado (χ2 = 21.90), com o valor

cães, a positividade foi de 20%. Conforme

corrigido (χ2 corrigido = 19.15), inferindo

as técnicas empregadas, a positividade foi

estatisticamente que a infecção da criança

de 18 amostras (90%) pela técnica de Faust,

está associada à infecção do seu cão. O

sendo 12 machos (66,67%) e seis fêmeas

cálculo do Coeficiente Phi (ϕ) indicou um

(33,33%). Através da técnica de Sheather,

grau

11

apresentaram

considerando-se que os valores do ϕ,

positividade para cistos de Giardia lamblia;

menores que 0.30 ou 0.35, são tomados

destes, sete (63,64%) provenientes de

como indicadores de pequena associação

material fecal de machos e quatro (36,36%)

(Vieira, 2003). O valor da Razão de

de

Chances

amostras

fêmeas.

positividade

(55%)

Houve entre

coincidência as

duas

de

técnicas

utilizadas em 08 amostras (40%).

nas

diferentes

associação

foi,

moderado

(0.47),

aproximadamente,

12

indicando que a chance de uma criança estar infectada e seu cão também é 12 vezes

Em relação às idades dos cães a positividade

de

categorias

maior do que aquelas em que seus cães não estão infectados.

analisadas foi de 80% (16 amostras) para animais jovens e 20% (4 amostras) para

DISCUSSÃO

animais adultos.

Quando

comparado

a

estudos

A relação entre a presença de

feitos em crianças provenientes de escolas

crianças infectadas com G. lamblia e seus

públicas de outros municípios brasileiros, a

respectivos cães foi observada em 14

prevalência de Giardia lamblia na Escola

amostras.

de Educação Básica Municipal Mutirão no

O calculo do teste de significância Z rejeitou a hipótese de nulidade (Z =

Bairro Habitação do município de Lages foi elevada.

18.08, com correção de continuidade =

O bairro Habitação fica situado na

15.07), inferindo que as probabilidades das

periferia da cidade de Lages onde está

infecções entre crianças e cães não são as

localizada a Escola e apresenta um dos mais

mesmas. Considerando a probabilidade da

deficitários sistemas de saneamento básico

associação da infecção por Giardia lamblia,

onde muitas das casas não apresentam

a proporção de crianças e seus cães

escoamento de esgotos domésticos, também

infectados foi de 12%.

há um elevado índice de crianças e animais

A hipótese de nulidade também foi

domésticos.

rejeitada, através do cálculo do QuiRevista da FZVA. Uruguaiana, v.15, n.2, p.126-134. 2008


131 Prevalência de giardíase...

As amostras positivas analisadas

outras crianças ou à pessoas que trabalham

pela técnica de Faust e pela técnica de

nestes

Sheather revelaram em crianças 27% de

contaminarem o ambiente. Com o aumento

positividade para a presença do protozoário,

da idade as crianças adquirem melhores

resultado semelhante ao encontrado por

hábitos de higiene, aumentando também a

CARDOSO et al. (1995) com 27,7% em

resistência imunomediada em função de

Creches

contatos

em

Aracajú/SE.

Resultados

inferiores foram encontrados em escolares

estabelecimentos,

sucessivos

além

com

o

de

parasito

(MACHADO et al., 1999). Com

(12,6%) de Uberlândia/MG por FERREIRA

relação

aos

animais

e MARÇAL Jr. (1997); em Creches e

infectados, a positividade de 20% revela um

Escolas de Mirassol/SP (10%) segundo

índice

MACHADO et al. (1999); 21,4% em

MUNDIM et al. (2003), de 41% em

Creches

Uberlândia/MJ;

Comunitárias

de

Niterói/RJ

inferior

aos

de

encontrados

38%

relatado

por

por

(UCHOA et al., 2001) e 14,25 % em

BARTMAN e ARAUJO (2004) em Porto

Centros de Educação Infantil de Lages/SC

Alegre/RS; de 34% em Florianópolis/SC

(QUADROS et al., 2004).

por GENNARI e SOUZA (2002); de

O alto índice de infecção por G.

34,04% em Canoas/RS por BECK et al.

sócio-

(2005) e de 42% em Uberlândia/MG por

econômicas pelas quais estas crianças

SOUZA et al. (2002). Em Curitiba/PR e

vivem, como este protozoário apresenta

Rio de Janeiro/RJ, as freqüências foram

uma via de transmissão fecal-oral, a higiene

muito

pessoal

respectivamente (GENNARI e SOUZA,

lamblia

indica

e

as

ambiental

condições

é

de

extrema

superiores,

70

e

80%

2002). Valores inferiores a este foram

importância na fonte de infecção. Em relação à idade, a maior

encontrados por SOGAYAR (2001) e

prevalência foi encontrada em crianças com

LOPES et al. (2001) que demonstraram

7 a 9 anos, visto que é nesta época em que

índices de infecção de 3,4% e 6,6%,

se iniciam as atividades escolares para a

respectivamente.

maior parte das crianças e estas ficam mais

Com relação ao sexo, os machos

expostas a infecções em locais com maior

apresentaram maior positividade (66,67%)

densidade populacional em uma idade em

em relação às fêmeas em ambas as técnicas,

que ainda não adquiriram completamente

assim também descrito por OLIVEIRA-

hábitos

podendo

SEQUEIRA et al. (2002), que encontraram

transmitir o parasito aos seus familiares, à

maior número de machos positivos, porém

de

higiene

pessoal,

Revista da FZVA. Uruguaiana, v.15, n.2, p.126-134. 2008


Arruda, A.A.R. et al.

Apesar

tal dado pode ter ocorrido devido à

de

14

132

amostras

coincidências pois a raça e sexo do animal

demonstrarem relação de positividade em

não interferem na infecção (SOUZA et al.,

crianças e seus animais, há grande dúvida

2002).

quanto ao potencial zoonótico da Giardia Em cães com idades inferiores a 12

encontrado

em

Portanto,

representou

que

determinado se a convivência com os cães

OLIVEIRA et al. (1990) descrevem que a

foi a fonte de infecção para a criança,

distribuiç��o dos parasitos em cães ocorrem

apesar disto esta possibilidade não pode ser

principalmente em animais com menos de

excluída.

um ano de idade. OLSON (1995) e

precaução devem ser observadas pelo

MUNDIM et al. (2003), relataram que a

homem quando em contato com fezes ou

prevalência da giardíase em animais é mais

animais infectados.

alta

nos

jovens,

mostrando

que

o

não

fator

domésticos.

meses a infecção por Giardia lamblia (80%),

este

animais

Deste

não

modo

pôde

medidas

ser

de

são

imunocompetentes e se encontram mais

CONCLUSÃO Com os resultados obtidos neste

propensos à ingestão de material fecal. ARAUJO

estudo, podemos concluir que: 1) O método

(2004), estatisticamente a exposição dos

de Faust mostrou maior eficiência que o

animais mais jovens para a infecção por G.

método

lamblia é o dobro em relação aos animais

diferença da giardíase entre meninos e

mais velhos.

meninas; 3) Os cães machos e os jovens

Conforme

BARTMANN

e

de

Sheather;

2)

Não

houve

de

obtiveram percentual maior de positividade;

diagnóstico, a técnica de Faust, utilizando

4) A concordância de parasitismo por

solução de sulfato de zinco a 33%, foi mais

Giardia lamblia entre crianças e seus cães

eficiente em relação à técnica de Sheather

foi demonstrada em 14 amostras; 5) São

utilizando solução saturada de açúcar, por

necessárias ações de educação sanitária,

apresentar

sensibilidade,

medidas terapêuticas e profiláticas para a

concordando com MUNDIM et al. (2003),

erradicação da giardíase na população

além

estudada.

Em

de

relação

ao

maior

apresentar

um

método

campo

de

visualização mais claro em função da

REFERÊNCIAS

menor viscosidade da solução utilizada na outra técnica.

BARTMAN, A.; ARAUJO, F.A.P. de. Freqüência de Giardia lamblia (Kunstler, Revista da FZVA. Uruguaiana, v.15, n.2, p.126-134. 2008


133 Prevalência de giardíase...

1882),

em

cães

(Canis

determinada

através

parasitológicos

solicitados

de

familiaris)

piloto. Revista da Sociedade Brasileira de

exames

Medicina Tropical, Uberaba, v.30, n.5,

por clínicas

p.373-377, 1997.

veterinárias da cidade de Porto Alegre, Rio Grande do Sul, Brasil. Ciência Rural, v.34,

GENNARI, S.M.; SOUZA, S. Giardíase.

n.4, p. 1093-1096, 2004.

São Paulo: Fort Dodge Saúde Animal LTDA, 2002. 13p. Boletim Técnico.

BECK, C. et al. Freqüência da infecção por Giardia lamblia (Kunstler, 1882) em cães

IGLÉSIAS, J.D. Aspectos médicos das

(Canis familiaris) avaliada pelo Método de

parasitoses humanas. Rio de Janeiro:

Faust e cols. (1939) e pela Coloração da

Editora Médica e Científica, 1997. 483p.

Auramina, no município de Canoas, RS, Brasil. Ciência Rural, Santa Maria, v.35,

LOPES, R.S. et al. Ocorrência de giardíase

n.1, p.2-5, 2005.

em cães e gatos no município de Botucatu – SP. Jornal Brasileiro de Patologia. v.37,

CARDOSO, G.S. et al. Freqüência e

p.224, 2001.

aspectos epidemiológicos da giardíase em creches no município de Aracajú, SE,

MACHADO, R.C. et al. Giardíase e

Brasil. Revista da Sociedade Brasileira de

helmintíases em crianças de creches e

Medicina Tropical, Uberaba, n.13, p.63-

escolas do 1° e 2° graus (públicas e

65, 1995.

privadas) da cidade de Mirassol (SP, Brasil). Revista da Sociedade Brasileira

CECIL, R.L. et al. Tratado de medicina

de Medicina Tropical, Uberaba, v. 32, n.

interna. 18 ed. v..2 Rio de Janeiro:

6, 1999.

Guanabara Koogan, 1990, 2141p. MUNDIM, M.J.S. et al. Freqüência de CIMERMAN,

S.;

CIMERMAN,

B.

Giardia

spp

por

duas

técnicas

de

Medicina Tropical. São Paulo: Atheneu,

diagnóstico em fezes de cães. Arquivo

2003. 690p.

Brasileiro de Medicina Veterinária e Zootecnia, Belo Horizonte, v. 55, n. 6,

FERREIRA, C.B.; MARÇAL JUNIOR, O.

2003.

Enteroparasitoses em escolares do distrito de Martinésia, Uberlândia, MG: um estudo Revista da FZVA. Uruguaiana, v.15, n.2, p.126-134. 2008


Arruda, A.A.R. et al.

134

NEVES, D.P. Parasitologia dinâmica. São

laboratorial

Paulo: Atheneu, 2005.

infecciosas e auto imunes. 2.ed. Rio de

das

principais

doenças

Janeiro: Guanabara Koogan, 2001. p.250 – OLIVEIRA, P.R. et al. Prevalência de

254.

endoparasitos em cães da região de Revista

SOUSA, S.Z. de. et al. Determinação da

Brasileira de Medicina Veterinária e

prevalência de Giardia sp. e estudo

Saúde Animal, São Paulo, v.27, n.2, p.193-

comparativo

197, 1990.

diagnóstico, utilizando-se fezes de cães

Uberlândia,

Minas

Gerais.

de

duas

técnicas

de

procedentes de canis de Uberlândia OLIVEIRA-SEQUEIRA,

T.C.G.

et

al.

Prevalência de parasitos intestinais em cães no

estado

de

São

Paulo,

Minas Gerais. Universidade Federal de Uberlândia, 2002.

Brasil.

Parasitologia Veterinária, v.103, n.1-2,

UCHOA,

p.19-27, 2002.

intestinais:

C.M.

A.et

prevalência

al.

Parasitoses

em

creches

comunitárias da cidade de Niterói, Rio de OLSON, M.E. et al. Effects of giardiasis on production in a domestic ruminant (lamb) model. Journal of American Medical

Janeiro – Brasil. Revista do Instituto Adolfo Lutz, São Paulo, v.60, n.2, p.97101, 2001.

Veterinary Research, Alberta, v. 56, n. 11, p. 1470 – 1474, 1995.

VIEIRA,

QUADROS, R.M. de. et al. Parasitas intestinais em centros de educação infantil

S.

Bioestatística:

tópicos

avançados. Rio de Janeiro: Elsevier, 2003. 216p.

municipal de Lages, SC, Brasil. Revista da Sociedade

Brasileira

de

Medicina

Tropical, Uberaba, n.37, v.5, p.422-423, 2004.

REY, L. Parasitologia. 2.ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2001. 731p.

SOGAYAR, R. Giardíase. In: FERREIRA, A.W.;

AVILA,

S.L.M.

Diagnóstico Revista da FZVA. Uruguaiana, v.15, n.2, p.126-134. 2008


3981 17430 1 pb giardoa criança