Issuu on Google+

ENERGIA

ENERGIA NUCLEAR: BRASIL, UM PASSO À FRENTE Banco de Imagens

Em parceria, a UEM e a Marinha trabalham para tornar o Brasil autossuficiente na produção de combustível nuclear

Usina Nuclear de Angra dos Reis

A

busca do homem por uma melhor qualidade de vida com acesso a bens e serviços, resulta em uma grande demanda de energia que cresce a cada dia em todo o mundo. Essa necessidade leva à procura de novas e eficientes fontes de geração, que muitas vezes, esbarram na questão ambiental. Os combustíveis fósseis como o carvão e o petróleo são grandes emissores de gases poluidores que causam o efeito estufa. A energia solar e a eólica têm capacida-

40

PARANÁ FAZ CIÊNCIA

de limitada e dependem de condições climáticas. A gerada pelas hidrelétricas é eficiente, mas depende da incidência de chuvas e pode causar grandes danos à natureza por causa das inundações. A opção para a crise energética é a energia nuclear, considerada limpa, mas que exige, além de discernimento em seu uso, domínio de sofisticado conhecimento. No Brasil, o combustível nuclear que alimenta os reatores das centrais nucleares é comprado da Suécia. Para tornar o país autossuficiente o governo tem um

projeto para desenvolver uma tecnologia eficiente e segura para produzi-lo aqui. A ideia é reduzir os custos da geração de energia elétrica por processo nuclear e passar de país importador para exportador. O projeto é de responsabilidade do CTM-ARAMAR - Centro de Tecnologia da Marinha, que produz a cerâmica urânia-gadolínia (UO2 - Gd2O3) um combustível que combina esses dois elementos e que torna o urânio mais reativo e eficiente.


Revista Parana Faz Ciência - Edição 1