Issuu on Google+

A cantora Juliana Cortes tem show no Teatro Paiol, em Curitiba, nos dias 6 e 7.

Ary Barroso é personagem de peça teatral, que será encenada no Teatro Positivo, nos dias 6 e 7.Página 15

PARANÁ

CURITIBA, 1 A 7 DE JUNHO DE 2013 - ANO I - Nº 8 - PUBLICAÇÃO SEMANAL Foto: Felipe Rosa

DISTRIBUIÇÃO GRATUITA

EM FOCO

Página 15

Longe da crise

Foto: Arquivo

Embora os efeitos da crise internacional tenham afetado alguns setores da economia brasileira, com reflexos nos estados, em Curitiba a indústria da construção civil mantém-se em expansão. Página 10

Triste rio

A TODO VAPOR

Enquanto para alguns a aposentadoria é sinônimo de sombra e água fresca, há quem já tenha “pendurado as chuteiras” há muito tempo e, nem por isso, deixou de trabalhar. Seo Audálio (foto) e dona Terezinha são bons exemplos disso. No auge de seus 80 anos, eles arregaçam as mangas para complementar a renda familiar. Mas até que ponto cumprir uma dura rotina é saudável para quem já está na terceira idade? Especialista dá dicas de como saber quando é a hora de parar. Página 8 CONFIRA NESTA EDIÇĂO: ARTIGOS ....................................... 2 ESPAÇO DO LEITOR ..................... 2 POLÍTICA ...................................... 3 SAÚDE ................................. 4, 8 e 9 CIDADES ................................. 6 e 7

ECONOMIA ..................... 10, 11 e 12 ESPORTES ............................ 13 e 16 CULTURA ............................. 14 e 15 COLUNISTAS NILSON MONTEIRO ...................... 3 SÉRGIO BASSI ............................. 12

ARTIGOS

Pós-graduação, uma ferramenta na carreira profissional Nilton cordoni Junior – Página 2

Descaso agrava poluição do Rio Belém, em Curitiba, e leva ambientalistas a se movimentarem para melhorar a qualidade da água do manancial. Página 6

Capital fashion Moda invade a cidade, nesta semana, durante a 8ª edição do Paraná Business Collection. Página 12


PREVISÃO DO TEMPO PÁGINA 2

CURITIBA Sábado 11º 23º

Pancadas de chuva

Domingo 13º 20º

Pancadas de chuva

Variação de nebulosidade

Variação de nebulosidade

Parcialmente Nublado

Parcialmente Nublado

Parcialmente Nublado

Segunda-feira 10º 19º Terça-feira 8º 19º Quarta-feira 12º 20º Quinta-feira 12º 21º Sexta-feira 14º 22º

Informações CPTEC – www.cptec.inpe.br

PARANÁ

EM FOCO

Publicação Hora Extra Comunicação Editor Lucian Haro Redação Ana Ehlert, Caroline Sagaz, Felipe Stresser e Lucian Haro Colunistas Nilson Monteiro Sérgio Bassi Colaboradores Nilton Cordoni Junior Fotos Felipe Rosa e Suellen Lima Comercial Guaracy Ribas Junior Projeto Gráfico e Diagramação Celso Arimatéia Tiragem 30.000 exemplares auditados pela GP Auditores

O Jornal Paraná em Foco é impresso em papel certificado FSC, garantia de manejo florestal responsável, e com tinta ecológica elaborada com matérias-primas bioderivadas e renovável na Grafinorte S.A. – Indústria Gráfica e Editora.

A tiragem e distribuição desta edição de 30.000 exemplares são auditadas pela GP Auditores. FALE COM A REDAÇÃO redacao@horaextramkt.com.br COMERCIAL comercial@horaextramkt.com.br (041) 3013-1096 www.premfoco.com.br www.facebook.com/paranaemfoco @paranaemfoco

PARANÁ EM FOCO CURITIBA, 1 A 7 DE JUNHO DE 2013

ARTIGOS

> NILTON CORDONI JUNIOR*

Pós-graduação, uma ferramenta na carreira profissional Muito se fala da importância dos cursos de pós-graduação ou mesmo da continuidade dos estudos como aperfeiçoamento ou atualização frente às tecnologias, descobertas e mudanças no mundo das organizações. Desde muito cedo o estudante se obriga a escolher a primeira profissão. Sim, a primeira, pois os estudos demonstram que, em uma carreira profissional, teremos de duas a três diferentes profissões. Neste ínterim, e pela rapidez com que novas descobertas são apresentadas ao mercado, novos produtos são incorporados ao cotidiano das pessoas e empresas e novos processos e procedimentos são necessários para fazer frente a estas mudanças. Percebe-se que em um curto espaço de tempo nossos recursos técnicos utilizados tornam-se obsoletos. E quando se trata de atender a estas mudanças e suas consequências é que se constata que as universidades do Brasil e do mundo afora se sentem distantes e impotentes para auxiliar de forma mais completa os alunos certificados pelas mesmas. Para preencher este vácuo, surgem os cursos de pós-graduação com a preocupação e promessa de diminuir a distância do aprendizado dos bancos universitários e as novas necessidades da carreira e do mercado. Ouvindo universitários em fase de conclusão de curso, observa-se que a grande maioria deseja a continuidade

A escolha do curso de pósgraduação está intimamente ligada às necessidades do mercado e aos anseios do profissional

dos estudos por meio de uma extensão (pós) em uma das diversas vertentes do curso estudado na universidade, em busca de maior conhecimento técnico e prático, bem como da oportunidade de conquistar nova vaga no mercado de trabalho ou ser promovido dentro da empresa de atuação. Já avaliando o mercado, o grau de exigência é crescente e a tecnicidade dispara, propiciando a ampliação de cursos, treinamentos e aperfeiçoamento. Em uma rápida pesquisa pela internet o profissional, recém-formado ou não, perceberá que os cursos de pósgraduação se multiplicam. No entanto, estes devem ser ranqueados pela qualidade ou renome da instituição e ter amplitude (ementário) e reconhecimento, além dos professores convidados e seus títulos/currículo. E, não menos importante, é o montante a ser investido. Antes de escolher o curso, o profissional deverá se certificar quais são seus pontos fracos, técnica e humanamente, quais suas necessidades para a construção ou continuidade de sua carreira e ainda as necessidades da empresa em que está atuando. A escolha do curso de pós-graduação está intimamente ligada às necessidades do mercado e aos anseios do profissional, que é o responsável em administrar sua carreira, e não delegá-la à empresa ou ao departamento de recursos humanos. Portanto, quando escolhemos ser um profissional completo, os estudos fazem parte desta escolha. * Nilton Cordoni Junior é presidente do Instituto Curitiba de Arte e Cultura (ICAC) e mestre em Direção e Administração de Empresas pela ESADE de Barcelona (Espanha)

TELEFONES ÚTEIS SEGURANÇA

SAÚDE Ambulância – SAMU Ambulância – SIATE Hospital Cajuru Hospital de Clínicas Hospital Evangélico Hospital do Trabalhador Hospital Pequeno Príncipe Hospital Angelina Caron Vigilância Sanitária

192 193 3271-3000 3360-1800 3240-5000 3212-5700 3310-1010 3679-8100 3330-4300

Unidades de Saúde 24 horas Centro Municipal de Emergências Médicas Boa Vista 3251-1013 Boqueirão 3217-1201 / 3217-1258 Cajuru 3261-4026 / 3226-1994 Campo Comprido 3373-1332 / 3279-1623 CIC 3314-5061 / 3314-5058 Fazendinha 3314-5112 / 3314-5105 Pinheirinho 3212-1468 / 3212-1457 Sítio Cercado 3378-6405

Bombeiros 193 Defesa Civil Estadual 199 Guarda Municipal 153 Instituto Médico Legal (IML) 3281-5600 Força Verde / Polícia Ambiental 0800-643-0304 Narcodenúncia 181 Ouvidoria das Polícias 0800-410-090 / 3323-7535 Polícia Militar 190 Polícia Civil 197 Polícia Federal 3251-7500 Polícia Rodoviária Estadual 198 / 3281-9000 Polícia Rodoviária Federal 191 / 3535-1910

UTILIDADE PÚBLICA Aeroporto Afonso Pena Copel Detran Previdência Social (INSS) Procon Rodoferroviária Sanepar

3381-1515 0800-510-0116 0800-643-7373 135 0800-411-512 3320-3000 115

E S P A Ç O

do Leitor Adotei uma criança que tinha mais de seis anos e nunca me arrependi. Por isso, recomendo a quem quer adotar que dê essa oportunidade à criança com mais de cinco anos de idade. Claudinei Barbosa Mora no Fazendinha

Gostei muito da matéria sobre adoção. Parabéns à equipe do jornal. Edneia Celma Mora no Campo Comprido

Gostei da oportunidade e do espaço dados para a matéria sobre adoção. Nunca é tarde para ter um filho. Ione Pereira Mora no Barigüí

Adorei a matéria sobre adoção. Tem muita criança com mais de quatro anos à espera de uma família para ser adotada. Marcela Guilmar Mora no Portão

A coluna do Sérgio Bassi é sempre muito boa. Sou estudante de medicina e sempre vou buscar o jornal para ler a Coluna de Saúde. Jonathas Ribeiro Mora no Centro

Muito boa a matéria do Mamma Mia! Adorei o modo como foi escrita. É bom saber que vocês se preocupam com cultura. Marcela Prestes Mora no Santa Quitéria

Boa a matéria “No rumo certo”. É bom ver que Pinhais, antes visto como um município acanhado, hoje é exemplo nacional. Paula Tomas da Silva Mora no Boqueirão

Esse vereador Galdino está de brincadeira. Com tanta coisa importante para se fazer e ele vem com essa lei de sepultamento de animal. Edson Faxina Mora em Curitiba

Moro em São Paulo e fiquei feliz quando, ao chegar em Curitiba, recebi o Paraná em Foco. Jornal sério e com personalidade. Marcelo Ruberval de Souza Mora em São Paulo

Adorei o formato e como as matérias do jornal são feitas. Parabéns a todos. Tatiane Britto Mora em Fazenda Rio Grande

Adoro o Paraná Em Foco, É de rápida leitura e muita informação. Sempre uso de exemplo para meus alunos. Parabéns a toda a equipe. Solange Couto Mora em Pinhais

Mande suas sugestões, críticas e elogios para leitor@premfoco.com.br


PÁGINA 3

COLUNISTA

NILSON MONTEIRO*

POLÍTICA

PARANÁ EM FOCO CURITIBA, 1 A 7 DE JUNHO DE 2013

Internacional

Vereadores discutem com a população destino do dinheiro público municipal para o ano que vem

A Câmara Municipal de Curitiba encerra, nesta semana, a fase de discussão da proposta da Prefeitura para a Lei das Diretrizes Orçamentárias (LDO) referente ao ano de 2014. A consulta pública, feita por e-mail e por urnas espalhadas pela cidade, termina na segunda-feira (3). No dia seguinte, a Comissão de Economia, Finanças e Fiscalização promove debate sobre o tema durante a sessão plenária da Casa. A população pode, nessa fase de discussão, apresentar opiniões e sugestões ao projeto. As urnas para a consul-

ta encontram-se nos anexos I e II do Legislativo e nas administrações regionais (Bairro Novo, Boa Vista, Boqueirão, Cajuru, CIC, Matriz, Pinheirinho, Portão e Santa Felicidade). Aberta aos cidadãos, a audiência de terça-feira terá a participação da Secretaria Municipal de Finanças. Serão contabilizadas, também, as sugestões apresentadas na consulta, por região. “Acredito que a realização da audiência durante o horário da sessão já é um avanço, porque garante a presença dos vereadores. É uma forma de buscar ainda mais transparência ao processo, ao aproximar todos os parlamentares do debate”, afirmou a presidente da Comissão de Economia, Professora Josete (PT).

Tramitação A Câmara Municipal tem até o encerramento da sessão

Foto: Andressa Katriny

Diretrizes orçamentárias

Pés-vermelhos

Urnas estão espalhadas nas sedes das Administrações regionais da Prefeitura legislativa, em 30 de junho, para aprovar e devolver o projeto de lei à Prefeitura. Antes da análise em plenário, os vereadores podem, entre 10 e 12 de junho, apresentar emendas à proposta, e as eventuais sugestões precisam ser admitidas pela Comissão de Economia da Casa. A LDO é base para a Lei

Orçamentária Anual (LOA) de 2014, que vai tramitar pelo Legislativo Municipal no segundo semestre do ano. A previsão de receitas e despesas apresentadas pelo Executivo para o próximo ano é de, respectivamente, R$ 7,165 bilhões e R$ 7,082 bilhões. (Com Câmara Municipal de Curitiba)

Os vereadores de Curitiba também analisam, nesta segunda-feira (3), entre outras matérias, o projeto de lei de Tico Kuzma (PSB), que pretende coibir o furto de materiais metálicos pela cidade. O texto prevê que as empresas que trabalham com sucata registrem a origem de seus ob-

O Governo Federal publicou, na semana passada, em edição extraordinária do Diário Oficial da União, o Decreto 8.020, permitindo que a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) autorize a Eletrobras a repassar recursos às distribuidoras de energia para garantir os descontos na conta de luz dos brasileiros. Segundo o ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, o decreto vai permitir um repasse total antecipado de R$ 2,8 bilhões. A ação foi adotada pelo governo, porque a Medida Provisória (MP) 605, que permite o uso de recursos da Conta de Desenvolvimento Energético

Tico Kuzma (PSB)

Foto: Divulgação

Luz mais barata

Foto: Divulgação

Furtos metálicos jetos, como fios de cobre, arames, peças, placas e tubos. O projeto exige, ainda, que esse cadastro contenha a descrição do material, a origem e a data de compra. Também obriga a apresentação de documento oficial de identidade e endereço. As empresas que descumprirem as normas poderão ser penalizadas com advertência, multa de até R$ 1 mil e a cassação do alvará de funcionamento, em caso de reincidência. O projeto havia sido retirado da ordem do dia, por cinco sessões, a pedido do próprio Kuzma. A segunda votação está prevista para quarta-feira (5).

Roma, a capital italiana, será o destino de A Banda Mais Bonita da Cidade em agosto, depois de apresentações pela América do Sul: ontem, 31 de maio, o show estava marcado para Buenos Aires, na Argentina, e hoje, será a vez de Montevideo, no Uruguai, conhecer a arte da banda paranaense. No giro pela Europa, uma nova agenda pode ser marcada para Lisboa.

Ministro de Minas e Energia, Edison Lobão

para compensar os descontos concedidos no custo da energia elétrica, não será aprovada em tempo hábil pelo Senado. O governo vai incluir a proposta em outra MP, mas, até que ela seja aprovada, o decreto garantirá que os recursos sejam antecipados para garantir os descontos, já que a MP 605 vence nesta segunda-feira (3).

A nação pé-vermelho se juntou ontem, em grande confraternização, no Bagdad Café, em Curitiba. Faltou espaço e sobrou animação. A proposta surgiu de um grupo das redes sociais, Londrina-Memória Viva. E que vida!

Carência O deputado Gilberto Martin (PMDB) propôs e será realizado, no próximo dia 5, às 10 horas, no Plenário da Assembleia Legislativa, um debate especialmente necessário para os tempos de agora: “A falta de médicos no interior do país”.

As mancheias Boa notícia de alémmar: apesar da crise econômica em terras lusitanas, a 83ª Feira do Livro de Lisboa, que teve início no último dia 23 e termina no dia 10 de junho, recebe, diariamente, a visita de milhares de pessoas. E de compradores, apesar de Portugal amargar aguda crise: a Editora Clube do Autor, de porte médio, vende uma média de mil livros por dia na feira.

Gol de placa Aos corintianos e anticorintianos, drogados e não drogados, amantes ou nãode futebol, recomendo: “Casagrande e seus demônios”, escrito pelo jornalista Gilvan Ribeiro em tabelinha com o ex-jogador Casagrande e publicado pela Globo Livros. Uma lição de vida! * Nilson Monteiro é escritor e jornalista em Curitiba


PÁGINA 4

SAÚDE

PARANÁ EM FOCO CURITIBA, 1 A 7 DE JUNHO DE 2013

O fim da fumaça FotoS: Felipe Stresser

Novidade no Brasil, tratamento faz pacientes largarem o cigarro em 90 minutos

cigarro é fedido, mas eu gosto do cheiro”, diz. Ela conta que jamais imaginou que fosse conseguir parar de fumar. “As pessoas nunca me viram sem cigarro. Antes de fazer qualquer coisa de manhã, antes mesmo de escovar os dentes, eu fumava três cigarros. Eu não conseguia fazer nada sem antes fumar, era automático. Eu sentia prazer com o cigarro”, revela. Para satisfazer a dependência, ela fumava até três carteiras de cigarros por dia. Quem vê dona Tereza não acredita que a senhora de 59 anos, fumante há 38 anos, está há um mês sem fumar. Depois de tentar outros métodos para largar o cigarro, usando até mesmo cigarro eletrônico, ela só conseguiu parar com a ajuda de um método inédito no Brasil.

Acupuntura a laser

“Eu não conseguia fazer nada sem antes fumar, era automático” O cigarro é uma das principais causas de mortes que podem ser evitadas no mundo. Um estudo da Organização Mundial da Saúde (OMS) aponta que o tabagismo é responsável por 4,9 milhões de óbitos no mundo por ano. A OMS estima que cerca de 1,2 bilhão de pessoas sejam fumantes. Enquanto o governo brasileiro arrecada R$ 6 bilhões em imposto com a venda de cigarros, em contrapartida, o Ministério da Saúde gasta cerca de R$ 19 milhões por ano só com o diagnóstico e o tratamento de doenças causadas pelo tabagismo passivo, ou seja, de não fumantes. Isso ocorre, porque, não

são apenas os fumantes que sujeitam a saúde a graves riscos. Pessoas que não fumam, mas são expostas à fumaça do cigarro, têm 30% mais chances de desenvolver câncer de pulmão e 24% a mais de sofrer infarto e doenças cardiovasculares. De acordo como o Instituto Nacional do Câncer (INCA), pelo menos 2,6 mil não fumantes morrem no Brasil por ano devido a doenças provocadas pelo tabagismo passivo. Além do câncer, o tabaco pode causar doenças coronarianas, como infarto, angina e arritimias, doenças cerebrovasculares (derrames cerebrais), doenças pulmonares obstrutivas crônicas

Novo tratamento a laser é a esperança para quem quer parar de fumar

(bronquites e enfisema), além de aneurismas arteriais, úlceras do trato digestivo, infecções respiratórias e impotência sexual. Foi para evitar fazer par-

te desta triste estatística que dona Tereza Cristina procurou ajuda para parar de fumar. “Na verdade, eu sempre gostei de fumar. Minha irmã me infernizava dizendo que o

Trazida da Alemanha, Facilitas Smoking Therapy é uma novidade no mercado, cujo tratamento “consiste na aplicação de um laser especial de baixa intensidade em pontos específicos da orelha relacionados ao desejo de fumar. A sessão, que dura noventa minutos, é indolor, não invasiva, segura e sem efeitos colaterais”, diz o terapêuta André Santin. A terapia também elimina os sintomas da abstinência, como ansiedade, nervosismo, transpiração, estresse, insônia e aumento do apetite. O tratamento soft-laser da Facilitas trata justamente essa mudança de hábito, mas para isso requer esforço inicial do paciente. Antes da sessão, é necessário que o paciente fique pelo menos oito horas sem fumar. “O método é imediato”, garante Santin. Dona Tereza comprova. “Rute, você alguma vez imaginou que eu ia parar de fumar? (pergunta gritando para a vizinha) Eu me sinto orgulhosa de ter conseguido parar de fumar. Ninguém acreditou que fosse possível” nem Rute.


PÁGINA 6

Até 2050,

CIDADES

PARANÁ EM FOCO CURITIBA, 1 A 7 DE JUNHO DE 2013

mais de 45% da população mundial não vai ter acesso à água potável.

O rio mais poluído de Curitiba mostra que não há o que comemorar na semana do meio ambiente Segundo a Organização das Nações Unidas (ONU), cerca de 1,1 bilhão de pessoas não têm acesso à água potável no mundo e mais de 5,7 milhões morrem diariamente devido a doenças transmitidas pela água contaminada. A entidade aponta ainda que até 2050, mais de 45% da população mundial não vai ter acesso à água potável. O Brasil é destaque positivo nesse cenário, por deter a maior reserva hídrica do mundo: 13,7% da água doce do planeta. No entanto, a população brasileira coloca os seus recursos em risco ao gerar 230 mil toneladas de lixo por dia. Volume suficiente para encher o estádio do Maracanã. José Pedro Naisser, criador da ONG Despertar da Consciência, aponta que é necessário educar as pessoas para cuidar do planeta: “É difícil fazer com que as pessoas cuidem do meio ambiente. Meu trabalho é fazer isso a partir

FotoS: Felipe Stresser

Janela para o meio ambiente de quatro pilares: paz, saúde, tecnologia e sustentabilidade.” Para ele, em Curitiba, essa falta de educação com a natureza pode ser visto no Rio Belém, que apresenta o maior índice de poluição hídrica dentre os rios que banham a capital. Segundo um levantamento do Instituto Ambiental do Paraná (IAP), a maior causa dessa sujeira é a destinação inadequada de esgotos domésticos.

Janela Cansada do pouco caso com o Rio Água Verde, a Associação Guanabara (Associação dos Moradores, Comerciantes e Amigos da Microbacia Hidrográfica dos Rios Água Verde e Guaíra) começou a lutar pela limpeza dos rios Água Verde e Guaíra, que deságuam no Belém. “A Associação começou em 2009, com a inauguração da Janela do Rio para justamente alertar as autoridades sobre o pro-

Milani: “Nós só queremos limpar e preservar o rio”


CIDADES

PARANÁ EM FOCO CURITIBA, 1 A 7 DE JUNHO DE 2013

blema da poluição dos rios. Nós não ganhamos nada com isso. Nós só queremos limpar e preservar o rio”, conta Mario Milani, presidente da entidade. A Janela do Rio, como é chamado o muro com vista para o Rio Guaíra, começou como um ato de protesto. Segundo Milani, “antes, a pessoa ia à padaria próxima ao rio e sentia o fedor dele. Então eu e uns amigos construímos este muro, para mostrar onde estava o problema”. Valmir Maiochi, o dono da padaria que fica ao lado do rio diz que o problema melhorou em 30%. “O problema só vai melhorar 100% quando arrumarem as ligações clandestinas que ainda jogam esgoto no rio”, sugere.

Movidos pelo amor Para o ecologista Naisser, esse e outros problemas relacionados ao meio ambiente

demonstram a falta de amor pela vida. “Cuidar do meio ambiente é cuidar da vida. As pessoas só se unem pela dor. A hora em que as pessoas se unirem pelo amor ao próximo, amor ao meio ambiente, amor pela paz. Aí as coisas vão começar a acontecer”, prevê. Milani, que se acostumou a ver o rio todos os dias, percebe a ação humana nele. “Pode não parecer, mas bem de manhã, quando não tem ninguém acordado, a cor da água do rio fica mais clara. Mas é só as pessoas acordarem, que ele escurece, com o esgoto”, denuncia. Naisser acrescenta que uma pessoa não precisa morrer pelo meio ambiente, mas são atitudes como a da Associação Guanabara que fazem a diferença. “Não podemos ser apenas espectadores, mas protagonistas dessa mudança” finaliza.

Naisser: “É difícil fazer com que as pessoas cuidem do meio ambiente”

PÁGINA 7


PÁGINA 8

PARANÁ EM FOCO CURITIBA, 1 A 7 DE JUNHO DE 2013

SAÚDE

Trabalho aos 80 FotoS: Felipe Rosa

Para quem acha que aposentadoria é a hora de pôr as pernas para o ar e descansar do tempo de trabalho, eles provam que não

Seo Audálio: “Ficar parado é que não dá”

Quem não o conhece e vê o senhor Audálio Alexandre Tavares “correndo” para cima e para baixo pelo prédio da Secretaria da Fazenda do Estado do Paraná (SEFA), localizado no Centro de Curitiba, nem de longe imagina que ele tem 80 anos de idade. E com uma memória de dar inveja. O assessor de gabinete afirma ter voltado a trabalhar, embora já seja aposentado há um bom tempo, para complementar a renda da casa. “Eu trabalhei em banco por muitos anos e também em indústria de confecções. Eu me aposentei por lá. Mas viver só com a aposentadoria é complicado”, revela. Ele retornou à ativa há dois anos e meio. No entanto, seo Audálio, que é considerado por colegas de trabalho como um “serelepe”, afirma não ver na idade um limitador para quem quer manter-se vivo no mercado. “Eu acho que a pessoa tem que trabalhar até quando a saúde permitir. Depois disso, já complica”, opina o octogenário, que nem sonha com a possibilidade de efetivar uma segunda aposentadoria. “Acho que não vou parar tão cedo, viu”, diz. O aposentado também defende que, em muitos casos, entregar-se às limitações físicas e ficar desocupado só piora a situação de um idoso. Ainda segundo ele, uma pesquisa feita com os japoneses aponta que 80% dos trabalhadores das estradas de ferro (um dos segmentos que mais emprega no país asiático) morrem em


SAÚDE

PARANÁ EM FOCO CURITIBA, 1 A 7 DE JUNHO DE 2013

Foto: Divulgação/Senado

até cinco anos após se aposentarem. “Diante disso, então, ficar parado é que não dá”, sugere, bem humorado. Diferente de seo Audálio, dona Terezinha Frates, também de 80 anos, não precisa bater o ponto todos os dias, pois encontrou um jeito de arrumar aquela graninha extra no final do mês, sem precisar ir muito longe de casa. No bairro onde mora e nas vizinhanças, ela passa fazendo a entrega dos produtos de beleza que vende por catálogos e também comercializa os artesanatos que confecciona. “Eu faço chinelos, mantas, tricô e bordados personalizados, além de vender Avon, Jequiti e Natura. O dinheiro ajuda, e muito, para pagar as contas”, revela a aposentada. Muito ativa e disposta a encarar desafios, dona Terezinha ainda precisa dividir a agenda de entrega das encomendas com aulas de ginástica, ensaios de coral, exercício da fé (em missas e novenas), além de passeios e encontros do grupo de terceira, ou melhor idade, que participa. “Tendo vontade, a pessoa consegue fazer o que quiser, independente de quantos anos tenha”, conta. Desenhando o futuro sem muita pressa, a aposentada prefere não estipular prazo de validade para a sua reserva de energias. “Eu quero continuar assim por um bom tempo e peço que Deus me dê bastante saúde para aprender cada

Relator do projeto, senador Paulo Davim (PV-RN)

PÁGINA 9

Dona Terezinha: “Tendo vontade, a pessoa consegue fazer o que quiser” vez mais coisas”, resume Terezinha.

Desaposentadoria

Os idosos que, mesmo aposentados, continuam trabalhando também poderão contar com um novo benefício daqui para a frente. Isso porque a Comissão de Assuntos Sociais do Senado aprovou, em abril deste ano, um projeto de lei que prevê o direito ao recálculo da aposentadoria de pessoas que se enquadram no chamado Regime Geral de Previdência Social (RGPS) - quem se aposentou por tempo de contribuição ou pelo critério da proporcionalidade -, caso permaneçam na ativa. Pela legislação atual, a Previdência Social não reconhece a renúncia à aposentadoria a esses beneficiários e mantém a contribuição ao INSS sem qualquer contrapartida. O texto foi aprovado em caráter terminativo pelo Senado, mas ainda precisa passar pela análise da Câmara dos Deputados. O relator do projeto, senador Paulo Davim (PV-RN), destacou que a Justiça tem reconhecido o direito dos contribuintes a um valor melhor de benefício, no caso de permanecerem trabalhando depois de se aposentarem. Pelo texto, o contribuinte não perderá os valores recolhidos ao INSS por ocasião da primeira aposentadoria. O projeto de lei proíbe, ainda, qualquer possibilidade de a Previdência Social requerer, quando perde a causa na Justiça, a devolução dos valores das aposentadorias pagas. (Com Agência Brasil)

Eis a questão Do ponto de vista econômico, a permanência dos idosos no mercado de trabalho é excelente, o que mostra que a terceira idade está mais saudável e produtiva do que nunca. Mas e do lado clínico, até que ponto é saudável atravessar décadas e mais décadas na labuta? A médica Debora Christina de Alcantara Lopes, presidente da Sociedade Paranaense de Geriatria, aponta aspectos positivos nisso. “É saudável, sim, uma pessoa continuar trabalhando mesmo depois de aposentada, desde que tenha sido habituada a fazer isso a vida inteira”, explica. Ainda de acordo com a especialista, manter-se economicamente ativo é ótimo aos idosos e serve, inclusive, como um bom exercício de memória, convivência e até para fazer com que se sintam úteis. Há de se ficar atento, no

entanto, quando o corpo começar a dar sinais de que está na hora de parar. “É recomendado que o idoso ponha o pé no freio quando já não sinta mais vontade de fazer aquilo, quando as atividades antes executadas com facilidade passam a se tornar difíceis ou quando a própria saúde não permita que continue”, esclarece a médica, citando o caso das pessoas que fazem trabalhos pesados, como os pedreiros e as domésticas. E para quem acha que ficar em casa é mais seguro para um aposentado do que “viver” na rua, Debora afirma que, clinicamente falando, não há dados nem estudos que confirmem que as pessoas que continuam trabalhando estão mais expostas às doenças do que aquelas que quase nunca saem. “Muito pelo contrário. Quem se mantém ativo tem menos chances de sofrer com problemas como depressão e sentimento de improdutividade, por exemplo”, conclui a geriatra.


PÁGINA 10

ECONOMIA

PARANÁ EM FOCO CURITIBA, 1 A 7 DE JUNHO DE 2013

Um mundo de apartamentos

Foto: Divulgação/Eneas Gomez

Em março deste ano, Curitiba tinha à venda 20 mil imóveis residenciais novos. Desde 2009, as construtoras da capital têm erguido, em média, 8,8 mil apartamentos residenciais por ano, segundo a Associação dos Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário do Paraná (Ademi/ PR). Através de uma conta simples, conclui-se que, em apenas quatro anos, foram construídos e lançados no mercado imobiliário 35,2 mil apartamentos. Até do final do ano, o setor prevê a entrega de até 9,5 mil apartamentos. E, para quem questiona se o mercado tem espaço para mais imóveis, a Ademi estima valorização anual dos preços das unidades residenciais novas entre 7% a 10% para os próximos anos. O preço médio atual do metro quadrado, em Curitiba, é de R$ 5.672,75. O imóvel com quatro dormitórios é o mais caro – R$ 6.904 - e o mais

Foto: Arquivo

Curitiba tem 20 mil imóveis novos em oferta, mesmo assim mercado prevê alta de até 10% no valor da unidade

O setor mantém alta a oferta de imóveis novos, sem afetar a valorização dos apartamentos

Sobre a possibilidade de haver queda de preços, o presidente da Ademi, Gustavo Selig, afirma que isso não irá ocorrer. Avalia, porém, que a expansão do mercado será mais lenta que a registrada em anos anteriores.

barato, o de dois quartos (R$ 4.956). Os imóveis de apenas um dormitório aparecem como o segundo mais valorizado cotado em R$ 5.619 o metro quadrado. Já os apartamentos novos de três quartos têm o valor do metro quadrado em R$ 5.212. Em 2011, o valor médio do metro quadrado na capital era

de R$ 4.432,50 e, em, 2012, passou para R$ 5.039. Sobre a possibilidade de haver queda de preços, o presidente da Ademi, Gustavo Selig, afirma que isso não irá ocorrer. Avalia, porém, que a expansão do mercado será mais lenta que a registrada em anos anteriores. Em 2009, por exemplo, quando houve o


PÁGINA 11

ECONOMIA

PARANÁ EM FOCO CURITIBA, 1 A 7 DE JUNHO DE 2013

boom da construção civil,o crescimento médio chegou a 20%. “Estamos entrando em uma fase de maior equilíbrio e mais estabilidade, o que é muito bom para o mercado”, analisa.

Bairros com maior oferta de apartamentos novos 14%

9%

Ecoville Água Verde Portão

Investimento

7%

Centro

6% Novo Mundo

11% 10% 9%

Ecoville Centro

de apartamentos com até 100 unidades, que de 66% em 2011, passou para 78% em 2012.

Oferta De acordo com o levantamento do tipo/padrão de imóvel presente no mercado, a maior oferta eram os apartamentos de 2 e 3 quartos. No supereconômico (até R$ 170 mil), eles totalizavam 1.372 unidades – 74,4% do total de unidades ofertadas no padrão. Na classe econômico (de R$ 170.001 a R$ 250 mil), 4.005 unidades – 58% do total de unidades ofertadas no padrão. Na standard (R$ 250.001 a R$

7%

400 mil) 8.112 unidades – 81,5% do total de unidades ofertadas no padrão. No padrão médio (R$ 400.001 a R$ 600 mil), os imóveis de 2 e 3 dormitórios somavam 2.825 unidades – 50,7% do total de unidades ofertadas no padrão. Os de alto padrão (R$ 600.001,00 a R$ 1 milhão), 1.194 unidades – 34,6% do total de unidades ofertadas no padrão. Já na classe luxo (acima de R$ 1 milhão), a predominância são os imóveis com quatro dormitórios, totalizando 1.299 unidades – 37,3% do total de unidades ofertadas no padrão.

6%

Pinheirinho Portão

2011

10%

Centro

10%

Ecoville

6%

6%

5%

Água Verde

Portão

Pinheiro

2012

Fonte: Ademi--PR

Construção sustentável Em termos proporcionais, a cidade está à frente das duas principais metrópoles brasileira, São Paulo e Rio de Janeiro. Nos últimos dois anos, 48,3% dos empreendimentos comerciais e corporativos lançados em Curitiba buscam o selo verde – que atestam a sustentabilidade dos edifícios –, contra 47,2% dos lançamentos em São Paulo e 40,8% no Rio de Janeiro, que também estão em processo de certificação. Os dados são do Green Building Council Brasil (GBC Brasil), que promove a certificação LEED (Leadership in Energy&Environmental Design) no País. Para Marcos Casado, diretor técnico e educacional GBC Brasil, a tendência é de crescimento deste tipo construção no Brasil. “A meta é atingir 900 empreendimentos registrados e 120 certificados até o final de 2013”, reforça. De acordo com o GBC Brasil, construções sustentáveis apresentam menores taxas de condomínio, em parte por conta da redução do consumo de energia (30%) e de água (entre 30% e 50%), além das vantagens da operação inteligente do prédio, segurança, conforto térmico e acústico e preservação do meio ambiente. Alinhado com este modelo de negócio, o Complexo Empresarial Iguaçu 2820 busca a certificação LEED, com entrega prevista para outubro deste ano, segundo informações do diretor da Construtora e Incorporadora Laguna, Gabriel Raad, responsável pela construção e administração do Iguaçu 2820. O selo LEED já é usado em mais de 140 países. O Brasil possui 698 empreendimentos registrados, sendo líder em construções sustentáveis na América Latina, aparecendo em quarto lugar no ranking de países certificados pelo LEED, atrás apenas de Estados Unidos (44.702), China (1.219) e Emirados Árabes (811). “Somente Curitiba é responsável por cerca de 128.000 m² comerciais e corporativos, além de aproximadamente 330.000 m² relativos a outros usos, o que demonstra a expansão desse mercado”, ressalta Guido Petinelli, responsável pelo processo de certificação de uma série de empreendimentos na cidade, incluindo o Complexo Empresarial Iguaçu 2820.

Foto: Divulgação

Setor de usados cresce 3% em um ano O setor de usados também apresenta expansão, apesar do grande número de imóveis novos em oferta. Em abril deste ano, havia 20.971 unidades usadas à venda, o que corresponde a 3% a mais que as 20.327 de igual período de 2012, segundo o Instituto Paranaense de Pesquisas e Desenvolvimento do Mercado Imobiliário e Condominial (Inpespar), do Sindicato da Habitação e Condomínios do Paraná (Secovi-PR). Das 20.971 unidades, 17.345

Água Verde

2010

Foto: Arquivo

Selig explica a escalada de preços dos imóveis novos como reflexo do mercado. Os apartamentos de 1 dormitório representam imóveis para investimento. Ele ressalta que, em função da queda de juros do ano passado, este tipo de habitação tornou-se mais vantajoso para os investidores. Já os imóveis de 4 dormitórios ficaram muito tempo com baixo volume de lançamentos e os novos vieram em patamar de diferenciação mais elevado. Essa característica reflete nos preços, atualmente os mais altos neste primeiro trimestre, em relação ao fim de 2012. Já o patamar dos imóveis de 3 dormitórios, em menor valor, é explicado pela entrada no mercado de empreendimentos mais populares no primeiro trimestre de 2013. Outra característica do mercado de imóveis de Curitiba é a busca da privacidade. Dados da entidade de classe mostram que a participação dos condomínios com mais de 301 unidades foi de 1% em 2012, ante os 8% de 2011. Em contrapartida, houve aumento no número de condomínios

9%

eram residenciais, 761 comerciais e 2.695 terrenos. Deste total, as ofertas maiores são de casas de três dormitórios, com 4.997 unidades, que correspondem a 28% do mercado, e sobrados – são 4.050 imóveis, que representam 23,5% das ofertas. O preço médio do imóvel usado, por metro quadrado, anunciado em abril, foi de R$ 2.817, ante aos R$ 2.780,45 de março, com valorização de 1,32% de um mês para o outro. O metro quadrado da kitinete é o

mais caro – R$ 3.482,96 –, seguido do apartamento de um quarto, anunciado por R$ 3.365,86. O metro quadrado do sobrado estava em R$ 2.537,34. De acordo com a análise, nos últimos 12 meses a oferta de imóveis usados à venda se manteve na média de 20.801 unidades por mês. Das 20.327 unidades ofertadas em abril de 2012 havia 16.981 unidades residenciais, 814 comerciais e 2.532 terrenos.

Complexo Empresarial Iguaçu 2820


COLUNISTA

PÁGINA 12 *

SÉRGIO BASSI

A osteoporose é uma doença osteometabólica que acomete até 30% das mulheres na pós-menopausa e caracterizase por perda progressiva de conteúdo ósseo, distorção da microarquitetura e diminuição da resistência óssea. A principal consequência da osteoporose é o aumento do risco de fraturas, principalmente em fêmur, antebraço e vértebras. No Brasil, já no ano de 1998, as fraturas ósseas associadas à osteoporose atingiram 94.120 fraturas vertebrais, e 37.000 fraturas de punho e fêmur, cada uma delas. A fratura de fêmur apresenta mortalidade de 25% no primeiro ano, e 50% das pacientes necessitam de algum tipo de auxílio definitivo para as atividades da vida diária. Embora a massa óssea seja principalmente determinada por herança genética, bem como a sua diminuição (osteoporose) tenha grande relação com o período pós-menopausa, vários fatores de risco se relacionam à diminuição dessa massa. A identificação dos fatores de risco é de importância fundamental, pois muitos são passíveis de intervenção efetiva. O BRAZOS (Brazilian Osteoporosis Study) foi o primeiro grande estudo brasileiro a identificar a ocorrência de fraturas ósseas por osteoporose e os fatores de risco a elas associados na população brasileira, acima de 40 anos. Os resultados deste estudo mostraram que a ocorrência de fraturas por fragilidade óssea foi de 15,1% entre as mulheres. Os fatores associados às fraturas foram: idade avançada, sedentarismo, história familiar de fratura do quadril, tabagismo, quedas frequentes, diabetes mellitus e má qualidade de vida. O estudo também mostrou que apenas 4% da população usava bisfosfonato (medicamento contra osteoporose), o que sugere que menos da metade dos pacientes com osteoporose estavam recebendo tratamento. Finalmente, concluímos que a prevenção de fraturas em pacientes portadores de osteoporose pode ser bastante útil e simples de ser realizada. Além do uso de medicamentos específicos, após diagnosticada a osteoporose, a interrupção do tabagismo, o controle do diabetes nos pacientes portadores deste mal, a prática regular de atividades físicas e a prevenção de quedas frequentes são atitudes de fácil aplicação e muito úteis para a melhoria da qualidade de vida de pacientes. * Sérgio Bassi é médico cirugião em Curitiba

ECONOMIA

PARANÁ EM FOCO CURITIBA, 1 A 7 DE JUNHO DE 2013

Made in Paraná FotoS: Divulgação/FIEP

Osteoporose – como conviver com ela

O novo diretor artístico do evento, Carlos Pazetto propõe mudanças no Paraná Business Collection 2013

Mais uma vez a capital ecológica do País se prepara para virar, por quatro dias, a capital fashion brasileira e receber o principal e mais completo evento de moda da região Sul: o Paraná Business Collection (PBC). A feira, que chega à sua 8ª edição e antecipa tudo o que vai “bombar” na temporada Primavera/ Verão 2014, traz como diferencial, desta vez, no entanto, o maior destaque ao mundo dos negócios. O evento vai de terça (4) a sexta-feira (7), no Centro de Exposições da Federação das Indústrias do Paraná (Fiep), no bairro Jardim Botânico. A estimativa dos organizadores do Paraná Business Collection é contar com a participação de cerca de 80 expositores neste ano, ante os 45 de 2012. A previsão também é reunir mais de 15 mil pessoas ligadas à moda, entre lojistas, comerciantes, empresários, estilistas e estudantes. O evento é realizado pela Fiep, em parceria com o Sebrae-PR e o Conselho Setorial de Vestuário. Toda essa mudança na proposta do Business Collection está sendo atribuída ao novo diretor artístico do evento, Carlos Pazetto, que assina a direção de todos os desfiles e conta com 17 anos de experiência no mercado de moda e luxo. Ele traz em seu curriculum produções para clientes famosos como Marc Jacobs, Chanel e a francesa Louis Vuitton. Também dirigiu importantes atrações de moda, a exemplo do Minas Trend Preview e o Claro Rio Summer. A troca de direção tem como objetivo “oxigenar” o evento para que receba maior atenção nacional, justamente num momento de crise para o mercado têxtil brasileiro, que enfrenta concorrência desleal dos produtos estrangeiros, especialmente os “Made in China”. No ano passado, o setor de vestuário paranaense faturou cerca de R$ 2 bilhões. Para 2013, a intenção é crescer entre

Mais do que vender peças e destacar o nome de grandes estilistas locais, o Paraná Business Collection quer movimentar o mundo dos negócios

Expectativa é reunir 80 expositores neste ano, 77% a mais que os 45 de 2012

6% e 7% e é aí que entra o Paraná Business Collection – para aquecer esse mercado. Pois como o próprio Carlos Pazetto disse durante a coletiva de imprensa que o apresentou: “Sem business não há fashion.”

Serviço: Paraná Business Collection Quando? De 4 a 7 de junho Onde? Centro de exposições Horário Coimbra, na Fiep (Rua Comendador Franco, 1341, Jardim Botânico). Informações: Confira a programação completa do evento no site: www.eventopbc.com.br


PÁGINA 13

ESPORTE

PARANÁ EM FOCO CURITIBA, 1 A 7 DE JUNHO DE 2013

Paixão pelo futebol tou a Copa do Mundo de 1966, na Inglaterra. “É uma regra dentro do São Paulo: que quem vai pra Seleção ganha mais. Mas o mais positivo nisso foi a satisfação de disputar a Copa do Mundo de 66”, diz Paraná, que foi o primeiro paranaense a ser convocado para a Seleção. Ele fez 11 jogos e marcou um gol. Foi no jogo amistoso contra o Peru, no dia 4 de junho de 66, quando o Brasil ganhou por 4 a 0.

Conquistas

Paraná, em 1969

Primeiro paranaense convocado para a Seleção Brasileira de futebol, Paraná diz que o que mais gostava de fazer era jogar futebol Opinião FotoS: Divulgação

Nascido no dia 21 de março de 1942, em Cambará, no Norte do Estado, Ademir de Barros é mais conhecido como Paraná. O apelido veio com a carreira no futebol, no São Bento, em Sorocaba, cidade do interior paulista para onde a família se mudou quando ele ainda era bem pequeno. “Perguntaram qual era o meu nome. Respondi: Ademir. Falaram que era um nome muito difícil. Então perguntaram de onde eu era, e ficou Paraná”, relembra. A carreira profissional teve início no São Bento. Mas a paixão pelo futebol começou nas peladas em improvisados campinhos no bairro onde morava, onde já se impunha pela habilidade com a bola. Aos 14 anos, Paraná começou a jogar no time da fábrica onde o pai trabalhava. “Com essa idade já conseguia acompanhar o ritmo dos mais velhos. O meu pai também era jogador”, diz. Foi jogando neste time que o futebol do ponta-esquerda chamou a atenção do São Bento, que o contratou para jogar no time profissional, quanto tinha 17 anos. Suas atuações pelo time de Sorocaba despertaram o interesse do São Paulo, que o contratou em 1965, quando tinha 23 anos, onde permaneceu até 1972. Durante esse tempo jogou 394 partidas e marcou 40 gols pelo time da capital paulista. Suas atuações pelo tricolor valeram ao ponta-esquerda a convocação para a Seleção Brasileira, que dispu-

Hoje aos 71 anos, aposentado tanto do futebol quanto do trabalho na Prefeitura de Sorocaba, Paraná considera que fez uma boa trajetória no futebol. “Naquela época a gente não ganhava como hoje, mas ganhava o suficiente para viver. Hoje se ganha muito, mas não se joga nada. Perdeuse aquele futebol romântico, só se joga por dinheiro”, lamenta. Paraná, ainda gosta de jogar com os amigos, mas nas rodas não conversa muito sobre os jogos atuais. “Eu não vejo jogo. Na verdade, eu nunca gostei de assistir. Só de jogar”, revela.

A frustração pela eliminação da Seleção Brasileira – ganhou apenas um jogo e perdeu dois - da Copa de 1966, foi compensada pelas conquistas que teve pelo São Paulo, que foi vice-campeão paulista em 1967 e bicampeão paulista em 70 e 71. “Eu joguei de 1960 a 1980, não lembro quantos gols eu fiz na carreira, pois não era um jogador de fazer muitos gols”, diz; Mesmo assim fez o primeiro gol (de pênalti) na inauguração do Estádio do Café, em Londrina, no dia 22 de agosto de 1976, jogando pelo Londrina, que empatou com o Flamengo em 1 a 1. Aos 42 anos de idade, de volta a Sorocaba, jogando por times de menor expressão, foi eleito o melhor jogador da várzea. “Os outros times tinham moleques de 19 anos, e eu fui considerado o melhor”, conta. Para ele, todos os momentos da trajetória foram bons: “Eu só gostava de jogar futebo. E jogava.”

Paraná em Foco: o melhor do jornalismo para você leitor, cliente, parceiro e amigo.

Atinge diretamente, mais de 90 mil pessoas/semana, superando 360 mil leitores num único mês.

www.premfoco.com.br

É distribuído sistematicamente nos principais pontos de Curitiba e regiões norte, sul, leste e oeste.


PÁGINA 14

CULTURA

PARANÁ EM FOCO CURITIBA, 1 A 7 DE JUNHO DE 2013

Luzes, câmera e ação Curitiba será o centro do cinema mundial por mais de uma semana Começa, na próxima terça-feira (6), a segunda edição do “Olhar de Cinema - Festival Internacional de Curitiba”, com a participação de 47 filmes independentes, de 93 países. Entre as atrações, estão filmes nacionais e internacionais, como o documentário inglês Leviathan, exibido nos festivais de Milão e Nova York, e que terá, na capital paranaense, a sua primeira projeção no Brasil. O terror mexicano Halley, mostrado nos festivais de Sun-

Serviço: Olhar de Cinema – Festival Internacional de Curitiba Quando: de 6 a 14 Onde: Espaço Itaú de Cinema (Rua Comendador Araújo, 731) Cinemateca de Curitiba (Rua Presidente. Carlos Cavalcanti, 1.174 – São Francisco) Preço: R$ 5 e R$ 2,50. Curta-metragem: R$ 1,00

dance e Rotterdam (Holanda), também promete atrair um bom público. Já pelo cinema nacional, dois longas-metragens - “Boa Sorte, Meu Amor” e esse “Amor Que Nos Consome” – devem atrair a atenção do público. Além disso, o Festival Internacional de Curitiba agendou a mostra “Olhar Retrospectivo”, em homenagem ao cineasta gaúcho Carlos Reichenbach e uma série de filmes alemães intitulada de “Foco Alemanha”, que retrata Berlim antes e depois da queda do muro, em 1989.

Mais lugares Devido ao sucesso da edição de 2012, com todas as sessões esgotadas, para este ano, os organizadores do Festival decidiram aumentar o número de lugares: uma sala para 200 pessoas e outras duas com capacidade para 100 espectadores, cada uma. Além disso, o festival vai durar nove dias, dois a mais que o do ano passado. O número de títulos para análise de exibição também aumentou, de 1.540 para 1.960.

“Asas do desejo”, de Wim Wenders, está na série de filmes alemães intitulada de “Foco Alemanha”

Carlos Reichenbach, homenageado em “Olhar Retrospectivo”

O filme “Aguirre – A Cólera dos Deuses”, de Werner Herzog, será a abertura, no dia 6, da segunda edição do festival

“Boa Sorte, Meu Amor”, do diretor Daniel Aragão

“Amor Que Nos Consome”, filme de Allan Ribeiro


CULTURA

PARANÁ EM FOCO CURITIBA, 1 A 7 DE JUNHO DE 2013

PÁGINA 15

Agenda Cultural SHOWS

Belo e grupo Bom Gosto

Bossa, Encantamento Pictórico

O cantor Belo e o grupo Bom Gosto tem show neste sábado (1º), no Master Hall, em Curitiba. A apresentação comemora os 10 anos do bar Thá na Cuca. Na ocasião os pagodeiros cantam seus maiores sucessos. Ingressos: R$ 60. Informações: (41) 3248-1001.

A exposição garante espaço no Memorial de Curitiba até o próximo dia 26. Idealizada pelos artistas Sandra Marchi e Carlos Rocha, a mostra traz pinturas - elaboradas com a técnica de tinta acrílica sobre tela inspiradas na Música Popular Brasileira dos anos 50. Entrada gratuita. Informações: www.fundaçãoculturaldecuritiba.com.br

Skank

Anders Als Immer – algo diferente

A banda apresenta neste sábado (1º), no no Teatro Positivo, em Curitiba, o show do álbum “Multishow ao Vivo - Skank no Mineirão”. No repertório, toca o primeiro single do novo álbum, “De Repente”. O Skank também interpreta músicas do disco Estandarte (2008) e grandes hits da carreira, como “Vou Deixar”, “É uma Partida de Futebol” e “Resposta”. Ingressos a partir de R$ 66. Informações: (41) 3317-3107.

Juliana Cortes

A cantora curitibana faz apresentações de lançamento do álbum “(In)Vento”, nos dias 6 e 7, no Teatro Paiol. Ela terá a companhia dos músicos Fábio Cardoso (piano), Ronaldo Saggiorato (baixo), Luis Otávio Almeida (guitarra) e Vina Lacerda (percussão). No repertório, o grupo inclui obras de Paulo Leminski, Carlos Careqa, Chico Mello, Alexandre Nero, Vitor Ramil, Junio Barreto e Luiz Felipe Leprevost, entre outros. Ingressos: R$ 20. Informações: www.fundacaoculturaldecuritiba.com.br

André Matos

O cantor e banda têm show no dia 8, no Music Hall, dando início à turnê “The Turn of the Lights”. O grupo toca na integra o álbum “Angels Cry”, que marcou a estreia de André há 20 anos na banda Angra. Ingressos: entre R$ 50 e R$ 80. Informações: (41) 3026-5050.

EXPOSIÇÕES

Nos Jardins do Éden

Pemanece aberta até 4 de agosto, na Galeria da Caixa, em Curitiba, a exposição “Nos Jardins do Éden”, do fotógrafo Christian Cravo. O projeto tem como objetivo abordar a singularidade do povo haitiano, revelando a relação entre os indivíduos e os rituais místicos do país. Entrada franca. Informações: www.caixacultural.com.br

A exposição pode ser vista até 11 de agosto no Museu Oscar Niemeyer (MON). São mais de 100 trabalhos de designers do mundo todo. Com curadoria do alemão Volker Albus, a mostra celebra o ano da Alemanha no Brasil. Entre os designers participantes estão 47 alemães e 20 de outros países europeus. Entrada: R$ 6. Informações: (41) 3350-4400.

TEATRO

Semo Polaco Non Semo Tanso O Retorno pra Roça

A peça fica em cartaz até 30 de junho, aos, sábados e domingos, no Teatro Barracão EnCena, em Curitiba. O espetáculo é sequência da narrativa “Semo Polaco Non Semo Fraco”. Depois de Isidorio Duppa reencontrar sua irmã Flortcha os dois retornam para a roça na companhia de Keith Lua, Trambolhão e Nick Bombinha. O personagem guarda uma suposta mala com dinheiro, dando início a muitas trapaças, onde o mais esperto nem sempre se dá bem. Ingressos: R$ 30. Informações: (41) 3223-5517.

Ary Barroso - Do Princípio ao Fim

Em cartaz nos dias 6 e 7 deste mês, às 21 horas, no Teatro Positivo, a peça é uma biografia teatralizada da vida do autor de “Aquarela do Brasil”, focando-se nos últimos dias da vida do artista. Ingressos: R$80. Informações: (41) 3315-0808.

Pela Madrugada

A peça poderá ser assistida até o próximo dia 22, aos sábados, no Teatro Rodrigo D’Oliveira, em Curitiba. É a história de Camilo e Guilherme, dois amigos, que acabam se separando. Numa madrugada, os jovens se reúnem para este último encontro de memórias, confidências, descobertas, redescobertas e revelações. Ingressos: R$ 20. Informações: (41) 3223-2205.

A datilógrafa

CINEMA

A jovem Rose Pamphyle tem um dom: datilografar numa velocidade vertiginosa. Ela desperta o esportista ambicioso adormecido em Louis Echard, dono de um escritório de seguros. Elenco: Romain Duris, Déborah François, Bérénice Bejo, Shaun Benson, Mélanie Bernier, Nicolas Bedos e Miou-Miou, entre outros. Espaço Itaú de Cinema (Shopping Crystal) - Sala 2 - Sexta a quinta: 14h30, 16h40, 19h e 21h10.

destruindo a organização e a frota por dentro. Atormentado por questões pessoais, o Capitão Kirk lidera uma busca ao homem responsável por tudo isso. Elenco: Chris Pine, Benedict Cumberbatch, Zachary Quinto, Alice Eve, Zoe Saldana, Karl Urban, Simon Pegg, Anton Yelchin e John Cho, entre outros. IMAX® Theatre – Curitiba - Sala 1 Sábado e quinta (legendado, em 3D): 19h35 - UCI Estação - Sala 4 - Sábado e quinta (legendado, em 3D): 20h30 - UCI Palladium - Sala 4 - Sábado e quinta (legendado, em 3D): 21h15.

Um Bom Partido

Sem proteção

Jim Grant é advogado e pai solteiro. Quando um jornalista descobre sua verdadeira identidade, ele deve fugir para buscar provas que o inocentem. Elenco: Robert Redford, Shia LaBeouf, Susan Sarandon, Nick Nolte, Chris Cooper, Terrence Howard, Stanley Tucci e Anna Kendrick, entre outros. Espaço Itaú de Cinema (Shopping Crystal) - Sala 5 Sexta a terça (sala VIP): 14h30, 19h e 21h30; Quarta (sala VIP): 14h30 e 19h; Quinta (sala VIP): 14h30, 19h e 21h30 - UCI Estação Sala 7 - Sexta a quinta: 16h50, 19h25 e 22h - UCI Palladium - Sala 8 - Sexta, sábado, quarta e quinta: 16h20, 18h55, 21h30 e 0h; Domingo a terça: 16h20, 18h55 e 21h30.

Se Beber, Não Case! Parte III

Phil, Stu, Alan e Doug se encontram mais uma vez para uma última aventura em Las Vegas. Sem casamentos ou despedidas de solteiro dessa vez. O que pode dar errado? Elenco: Bradley Cooper, Zach Galifianakis, Ed Helms, John Goodman, Jamie Chung, Justin Bartha, Heather Graham, Ken Jeong e Sasha Barrese, entre outros. Cineplus Jardim das Américas - Sala 3 – (Dublado) Quinta: 13h30, 15h35, 17h40 e 19h45 - UCI Estação – Curitiba - Sala 3 - Quinta: 13h20, 15h30, 17h40, 19h50 e 22h - UCI Palladium – Curitiba - Sala 2 - Quinta: 13h, 15h15, 17h30, 19h45 e 22h.

Star Trek - Além da Escuridão

Quando a tripulação da Enterprise retorna para casa, descobre que um inimigo está

Um jogador de futebol aposentado volta para sua cidade-natal para tentar reatar a relação com a ex-mulher e o filho. Elenco: Gerard Butler, Jessica Biel, Noah Lomax, Dennis Quaid, Uma Thurman, Catherine Zeta-Jones, James Tupper, Judy Greer e Abella Wyss, entre outros. Cineplex Batel (Shopping Novo Batel) - Sala 2 - Sexta a quinta: 14h15 e 18h20.

ta do amor. Além disso, apresenta a formação da primeira banda do cantor, a Aborto Elétrico. Elenco: Thiago Mendonça, Laila Zaid, Bruno Torres, Daniel Passi, Sandra Corveloni, Marcos Breda, Bianca Comparato e Conrado Godoy, entre outros. Cinemark Barigüi - Sala 4 - Sexta e sábado (nacional): 21h e 23h20; Domingo a terça (nacional): 21h; Quinta (nacional): 21h. Sala 7 - Sexta a quinta (nacional): 13h, 15h30 e 17h50 - Cinemark Mueller - Sala 5 - Sexta e sábado (nacional): 12h50, 15h, 17h10, 19h20, 21h40 e 23h50 - Cineplex Batel (Shopping Novo Batel) - Sala 3 - Sexta a terça (nacional): 16h20 e 20h35 - Cineplus Jardim das Américas - Sala 1 - Sexta a terça (nacional): 19h30 e 21h35 - Espaço Itaú de Cinema (Shopping Crystal) - Sala 1 - Sexta a quinta (nacional): 13h20, 15h20 e 19h UCI Estação - Sala 3 - Sexta a quarta (nacional): 13h15, 15h30, 17h45, 20h e 22h15 - Sala 9 - Quinta (nacional): 14h45 e 19h15 - UCI Palladium - Sala 6 - Sexta a terça (nacional): 16h05 e 20h25.

O Amante da Rainha

A Fuga do Planeta Terra

A história, que se passa no planeta alienígena Baab, mostra o famoso astronauta Scorch Supernova, considerado um herói nacional para a população com ajuda de seu irmão Gary. Após interceptar um pedido de ajuda vindo do “Planeta Escuro”, também conhecido como Terra, ele parte para o planeta, contrariando seu irmão, que avisa que ninguém até o momento havia conseguido voltar de lá. Elenco: Vozes por: Brendan Fraser, Rob Corddry, Ricky Gervais, Jonathan Morgan Heit, Jessica Alba, Sofía Vergara, Paul Scheer, Jason Simpson e Sarah Jessica Parker, entre outros. UCI Estação - Sala 5 -Quinta (dublado, em 3D): 13h30 - UCI Palladium - Sala 7 - Quinta (dublado, em 3D): 15h45.

Somos tão jovens

O filme mostra um jovem Renato Russo lidando com os problemas de qualquer adolescente, como escola, pais e a descober-

A história se inicia quando Caroline Mathilde, uma jovem britânica que se torna rainha da Dinamarca após casar-se com o rei Christian VII, envolve-se com o médico alemão Johann Struensee. O romance proibido toma cada vez mais força ao que o rei vai enfraquecendo, e o casal assume o poder do país, iniciando uma reforma inspirada no iluminismo. Elenco: Alicia Vikander, Mads Mikkelsen, Mikkel Boe Følsgaard, Trine Dyrholm, David Dencik, Thomas W. Gabrielsson, Cyron Melville, Bent Mejding, Harriet Walter, Laura Bro e Søren Malling, entre outros. Cineplex Batel (Shopping Novo Batel) - Sala 4 - Sexta a quinta: 14h10, 16h50 e 19h30.

HORÓSCOPO Leão (23/7 a 22/8)

Mercúrio e Vênus unidos nos últimos graus de Gêmeos ainda beneficiam a sua saúde e os trabalhos executados individualmente. Em poucos dias, você estará mais voltado para questões pessoais e de identidade.

Mercúrio e Vênus unidos nos últimos graus de Gêmeos ainda movimentam suas atividades sociais, os trabalhos em grupo e as amizades. No entanto, em poucos dias, você estará mais voltado para si e suas emoções.

Touro (21/4 a 20/5) Mercúrio e seu regente unidos nos últimos graus de Gêmeos ainda movimentam seus rendimentos. As finanças continuam em alta. Em poucos dias você começa uma fase de contatos com possíveis novos contratos.

Gêmos (21/5 a 20/6) Seu regente e Vênus unidos nos últimos graus de seu signo ainda beneficiam as finanças e as amizades. No entanto, em breve você começa uma fase mais voltada para as aquisições materiais.

Câncer (21/6 a 22/7) Mercúrio e Vênus unidos nos últimos graus de Gêmeos ainda beneficiam a sua saúde e os trabalhos executados individualmente. Em poucos dias, você estará mais voltado para questões pessoais e de identidade.

Virgem (23/8 a 22/9) Seu regente e Vênus unidos nos últimos graus de Gêmeos ainda movimentam positivamente suas atividades de trabalho e seus planos de carreira. Em poucos dias você começa a comandar um projeto em equipe.

Libra (23/9 a 22/10) Mercúrio e seu regente unidos nos últimos graus de Gêmeos ainda movimentam seus projetos de viagem e os contatos com estrangeiros. Uma nova fase, mais voltada para a carreira, deve começar em breve.

Escorpião (23/10 a 21/11) Mercúrio e Vênus unidos nos últimos graus de Gêmeos movimentam seus relacionamentos mais profundos e as finanças compartilhadas. Em poucos dias, você entra em uma fase mais voltada para projetos futuros.

Sagistário (21/11 a 21/12) Mercúrio e Vênus unidos nos últimos graus de Gêmeos movimentam seus relacionamentos, sejam eles pessoais ou profissionais. Em poucos dias, as finanças compartilhadas começam a entrar em uma ótima fase.

CRUZADAS

B R A N C A

Capricórnio (22/12 a 20/1) Mercúrio e Vênus unidos nos últimos graus de Gêmeos ainda movimentam seu dia a dia de trabalho, melhorando o relacionamento com colegas. Os relacionamentos pessoais e profissionais ganham maior importância.

Aquário (21/1 a 19/2) Mercúrio e Vênus unidos nos últimos graus de Gêmeos ainda movimentam seus romances e os namoros que começaram durante o mês. Em poucos dias você começa uma fase voltada para os projetos de trabalho.

Peixes (20/2 a 20/3) Mercúrio e Vênus unidos nos últimos graus de Gêmeos ainda movimentam seus relacionamentos familiares e sua vida doméstica. Em poucos dias, você entra em uma fase mais voltada para o amor e os romances.

Solução:

Áries (21/3 a 20/4)


PÁGINA 16

ESPORTES Maria chuteira é uma ova! PARANÁ EM FOCO CURITIBA, 1 A 7 DE JUNHO DE 2013

Se alguma vez a presença da mulher nas arquibancadas foi associada ao flerte com os jogadores, hoje elas põem o preconceito para escanteio e dominam os estádios. Não importa se como torcedoras, jogadoras, jornalistas, bandeirinhas, juízas ou comentaristas, muito além de emprestar beleza, as mulheres vêm mostrando que entendem, e muito, do mundo da bola. Afinal de contas, é só dar uma olhadinha nos estádios para ver mães, filhas, avós, tias, torcendo pelo time do coração. Além disso, as conquistas do futebol feminino brasileiro nas Olimpíadas são reflexos de uma evolução da mulher no meio futebolístico. No Brasil, mesmo com o pouco reconhecimento do futebol feminino, a prática vem ganhando visibilidade. Alguns torneios são televisionados e contam com patrocinadores. A projeção vem dando frutos. Marta, atacante da Seleção Brasileira de Futebol Feminina, já foi escolhida diversas vezes como a melhor do mundo e chegou a receber o apelido de “Pelé de Saias”. Para a jovem atleta, de 14 anos, Luana Gomes de Oliveira, que joga nas categorias de base do time de futsal do Paraná Clube, ver as mulheres ganhando espaço no esporte

FotoS: Divulgação

Cada vez mais é possível ver a forte presença feminina nas arquibancadas dos estádios

Luana: “Espero que o espaço para as mulheres cresça ainda mais” é um sonho. “Para mim, que estou começando, tudo isso é um incentivo. Ver a Marta sendo reconhecida é maravilhoso. Pretendo me profissionalizar no futebol de campo, que é a modalidade que mais gosto. E espero que o espaço

Pesquisa

para as mulheres cresça ainda mais”, diz. Mas a participação das mulheres não fica restrita apenas a atletas e torcedoras. Ao longo desses anos, o futebol nacional, ganhou árbitras e bandeirinhas. As mulheres que comandam o jogo atuam em campeonatos nacionais e inter-

nacionais masculinos, como, por exemplo, o Campeonato Brasileiro, Copa do Brasil e a Copa Sul-Americana.

Por todos os lados As torcedoras colorem as arquibancadas. Elas sabem de cor o nome dos jogadores e técnicos, acompanham os

campeonatos, sabem regras, xingam, gritam, se maquiam com as cores do clube e usam a camisa do time do coração como se fosse um manto sagrado. Logicamente, como ninguém é de ferro, às vezes, a pauta da conversa muda e o assunto passa a ser o jogador bonito e suas pernas, mas nada que mude o assunto principal: o futebol como paixão. Para Adelmari Nassar dos Santos, torcedora do Coritiba e frequentadora assídua dos jogos do “verdão”, há 35 anos, ir ao jogo é um ritual. “Vou aos jogos desde 1978. Nessa época era difícil ver mulheres, existia muito preconceito. Hoje, dá gosto ver tantas mulheres conhecendo o futebol e se apaixonando. Já levei muitas amigas para torcer, gente que nunca tinha entrado no estádio e que agora vão com frequência. Sou sócia e não perco nenhum jogo, pois é o meu lazer ver o Coxa jogar.”

A preocupação é tanta com o público feminino, que a Pluri Consultoria divulgou pesquisa feita em sete cidades (São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Curitiba, Porto Alegre e Salvador), que investigou o interesse feminino pelo futebol e levantou pontos que impedem uma maior presença feminina nos estádios. A maior preocupação das mulheres, segundo a pesquisa, é com relação à segurança, banheiros e falta de companhia. Apenas 38% responderam que não gostavam de futebol. Dessas, mais da metade disse que, se as condições nos estádio fossem melhores, com certeza iriam assistir aos jogos. Mesmo com esses aspectos negativos, as mulheres têm driblado a falta de infraestrutura e feito com suas presenças “gol de placa” em todos os estádios do Brasil.

Adelmari: “Hoje dá gosto ver tantas mulheres conhecendo o futebol e se apaixonando”


Paraná Em Foco