Page 1

maio 2010

Belém - Pará - Brasil

www.paramais.com.br

ISSN 16776968

Edição 102

6,00 3

XV CONGRESSO MÉDICO AMAZÔNICO SUSTENTABILIDADE DO DENDÊ A FEIJ NO PARÁ


EDIÇÃO 102, MAIO 2010

Congresso Médico 06 XV Amazônico

Editora Círios SS Ltda CNPJ: 03.890.275/0001-36 Inscrição (Estadual): 15.220.848-8 Rua Timbiras, 1572A - Batista Campos Fone: (91) 3083-0973 Fax: (91) 3223-0799 ISSN: 1677-6968 CEP: 66033-800 Belém-Pará-Brasil www.paramais.com.br revista@paramais.com.br

Seminário discute sustenta-

12 bilidade do dendê no Pará 16 A FEIJ e a Humanidade 22

Feira do Empreendedor: Negócios na Amazônia

Lançamento do Flor Pará e 28 do Frutal Amazônia 2010

32

Mecanização agrícola eleva produtividade de grãos e tubérculos no sul do Pará

36

Mãe, Visível e Invisível

DIRETOR e PRODUTOR: Rodrigo Hühn; EDITOR: Ronaldo Gilberto Hühn; COMERCIAL: Alberto Rocha, Augusto Ribeiro, Rodrigo Silva, Rodrigo Hühn; DISTRIBUIÇÃO: Dirigida, Bancas de Revista; REDAÇÃO: Ronaldo G. Hühn; COLABORADORES: Acyr Castro, Antoninho Marmo Trevisan, Camillo M. Vianna, Edson Coelho Eduardo Cipullo, Iolanda Lopes, José Luiz Magalhães, Leni Sampaio, Lenise Resende, Levi Menezes, Manoela Melo, Rosely Boschini, Sebastião Baracho, Sergio Pandolfo, Sonia Machado Jardim, Valmor Bolan; FOTOGRAFIAS: Edivaldo Lucas;; David Alves, Elcimar Neves, Eliseu Dias e Rodolfo Oliveira/Ag Pa ; José Pantoja/Sespa e José Iglésias Júnior; José Luiz M. Dias; Ricardo Stuckert/PR e Valter Campanato/Abr; Nádia Souza; Ricardo Stuckert/PR e Valter Campanato/Abr; DESKTOP: Mequias Pinheiro; EDITORAÇÃO GRÁFICA: Editora Círios OS ARTIGOS ASSINADOS SÃO DE INTEIRA RESPONSABILIDADE DE SEUS AUTORES

ANATEC

ASSOCIAÇÃO DE PUBLICAÇÕES

PA-538

Homenagem para todas

38 as Mulheres 45

Amamentar faz bem à saúde da mãe

48

Rodovia Belém-Brasília uma epopéia composta por dois médicos: JK e Waldir Bouhid

).

is guineensis

ezeiro (Elae fruto do dend Capa: Dendê, s vie Da l vil Ke Foto de Tom


XV Congresso Médico Amazônico Saúde Pública: Desafios Amazônicos Fotos: David Alves/Ag Pa ; José Pantoja/Sespa e Edivaldo Lucas

A

governadora Ana Julia Carepa e a secretária de Estado de Saúde Pública S i l v i a C o m a r u participaram da solenidade de abertura do XV Congresso Médico Amazônico, com o tema "Saúde Pública: Desafios Amazônicos". O governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa) é um dos principais patrocinadores do evento, organizado pela Sociedade Médico Cirúrgica do Pará, presidida pelo médico José Luiz de Carvalho, que também é o presidente do Congresso. Além José Luiz de Carvalho, Ana Julia e Silvia Comaru, estiveram no palco da cerimônia, o presidente de honra do Congresso, Camilo Vianna, o presidente da Comissão Organizadora, César Neves, o presidente da Comissão Científica, David Bichara, o secretário municipal de Saúde de Belém, Sérgio Pimentel, a presidente do Conselho Regional de Medicina, Fátima Couceiro, o diretor do Sindicato dos Médicos do Pará, João Gouveia, o representante do Conselho Federal de Biomedicina e o representante de todos os palestrantes Mauro Sales. A programação começou com

Camilo Vianna, presidente de honra do Congresso e um dos homenageados

homenagem a todos os médicos que presidiram o Congresso Médico Amazônico desde 1966. Em seguida, falou o presidente da Comissão Científica David Bichara, A governadora Ana Julia Carepa na abertura do XV Congresso Médico Amazônico

06

informando que o Congresso é o maior da região amazônica, reunindo três mil pessoas. Segundo ele, a programação do evento, na verdade, começou em janeiro com os cursos pré-congresso que se estenderam até agora. "Além disso, levamos cursos para o interior do Estado e tudo de novo que for debatido aqui será também levado para conhecimento em municípios como Altamira, Marabá e Tucuruí", prometeu. Ele informou, ainda, que o Congresso reúne conhecimento de 43 especialidades médicas e áreas afins, mostrando a importância do trabalho integrado na área de saúde e que foram inscritos mais de mil trabalhos científicos, sendo 690 selecionados para apresentação em forma de pôster. Ao final, disse que, pela primeira vez, o Congresso Médico Amazônico vai escolher a melhor tese de doutorado, dissertação de mestrado, monografia e trabalho de conclusão de curso das 14 profissões da área da saúde. Depois, foi feita uma emocionante homenagem ao médico José Maria Sales, que estava como presidente da Comissão Científica, quando faleceu em 2009. O paramais.com.br


Camillo Vianna, recebendo a justa homenagem da Sociedade Médico Cirúrgica do Pará

reconhecimento do seu trabalho pela elevação da medicina paraense foi traduzido num diploma entregue à viúva Maria Eliza Sales por José Luiz de Carvalho. Houve, ainda uma homenagem ao presidente de honra do Congresso, Camilo Viana, feita pelos médicos Jorge Ohana e Pedro Pardal, pela importante atuação do médico na área da saúde e meio ambiente. José Luiz de Carvalho usou da tribuna principalmente para agradecer ao governo do Estado, demais patrocinadores e todos que trabalharam para a realização do evento científico. Finalizando disse: “A grandiosidade do Congresso se faz, principalmente, porque essa é a primeira vez que contaremos com a adesão de profissionais de todas as áreas da saúde e a presença dos presidentes de todas as sociedades especializadas de medicina, trazendo sua contribuição e emprestando toda a sua experiência”, afirmou o médico

paramais.com.br

oncologista José Luiz Amorim de Carvalho, presidente do XV Congresso MédicoAmazônico. Por último, falou a governadora Ana Julia Carepa, que retribuiu os agradecimentos e reconheceu a justa homenagem feita a Camilo Viana. Ela disse que uma coisa que a atraiu foi o tema do Congresso "Saúde Pública: Desafios Amazônicos", porque realmente, fazer saúde pública no Pará é um grande desafio, a começar pelas dimensões continentais. Outro obstáculo é o fato de 75% da população viver no interior do Estado, ao contrário dos demais Estados da região, em que a maioria está na Região Metropolitana. Apesar disso, o governo do Estado tem conseguido realizar muitas ações importantes, como ampliar o abastecimento de água potável devendo alcançar mais de 100 mil novas ligações até o fim deste ano, fortalecer a Atenção

Primária, com o Plano Estadual de Fortalecimento e Valorização da Atenção Primária, que prevê o repasse de recursos fundo a fundo para os 143 municípios independentemente de partido político. Durante os quatro dias foram discutidos temas multidisciplinares de relevante importância para o público alvo, formado por médicos, nas mais variadas especialidades, enfermeiros, farmacêuticos, odontólogos, biomédicos, nutricionistas, psicólogos, estudantes em formação, enfim, todas as categorias da saúde – foi um momento certo para atualização, intercâmbio de conhecimentos científicos e aperfeiçoamento profissional. Para o médico e palestrante Raimundo Leão, o encontro gera uma visão abrangente acerca da Medicina: “O encontro teve uma receptividade muito boa, e não existe em nenhum outro lugar um Congresso que agregue essas características. O evento foi uma oportunidade de reflexão e análise dos estudantes, principalmente em relação a temas como o mercado de trabalho e o atendimento necessário. O evento proporcionou também a participação de pessoas da sociedade civil, a chance de aprenderem a reconhecer sintomas e características de doenças como a hipertensão e a diabetes. O Congresso contou com a participação de 500 palestrantes de todo o Brasil e do exterior, discutindo temas relacionados a 38 das 56 especialidades médicas, reconhecidas pela Associação Médica

07


José Luiz Amorim de Carvalho, presidente da Sociedade Médico Cirúrgica do Pará e do XV CMA

O medico Antônio César Azevedo Neves, presidente da Comissão Organizadora, fazendo sua saudação

A governadora com os organizadores e homenageados

Brasileira. Os assuntos foram distribuídos em 27 conferências, 74 palestras e 75 mesas redondas.

O encerramento O XV Congresso Médico Amazônico encerrou suas ações com sucesso de público, que superou as expectativas da organização do evento. Temas como asma, câncer, mortalidade infantil, medicina do esporte, escalpelamento,

mortalidade infantil, entre outros, estiveram na pauta do evento e serviram para ilustrar e mostrar às autoridades, todas as especificidades da região amazônica, como as distâncias e a dificuldade de transporte pelos rios. Para o médico oncologista José Luiz Amorim de Carvalho, presidente do XV Congresso Médico Amazônico, o diferencial desta edição do evento, foi a união de todas as áreas da saúde: “O Congresso sempre foi essencialmente

médico, mas, agora entendemos a importância da multidisciplinaridade para o diagnóstico, o tratamento e a prevenção de doenças. Por esta razão, incluímos as outras áreas, buscando o melhores caminhos para os desafios amazônicos, principalmente àqueles vividos pela saúde pública, que já viveu inúmeros avanços, mas ainda necessita evoluir”, afirma. Ainda de acordo com o presidente do Congresso, o grande número de participantes, cerca de três mil

Durante a abertura do XV Congresso Médico Amazônico

Ana Julia Carepa parabeniza Camillo Vianna

08

paramais.com.br


profissionais e estudantes, foi alcançado, principalmente, pelo nível de qualidade dos palestrantes. “Atingimos o maior número de participantes de todos os eventos realizados pela Sociedade Médica, muito, em função de termos conseguido palestrantes do mais alto nível, tanto do Estado, como também palestrantes de nível nacional e internacional, trazidos pelas instituições parceiras”, avalia o médico. O evento contou com a participação das 54

sucedidos em outros estados do Brasil. Para o médico palestrante Valter Garcia, do Serviço de Transplantes da Santa Casa de Porto Alegre-RS e ex-Presidente da Associação Brasileira de Transplantes de Órgãos, o principal objetivo dos transplantes é garantir a vida e a qualidade de vida dos pacientes, mas isso acaba esbarrando na falta de doadores. Em todo o Brasil, existem aproximadamente 34 mil pessoas na fila de espera por um rim, grande parte desse número se deve à

orientação dos profissionais de saúde, à falta de organização de captação e logística de transporte de órgãos e à falta de recursos que financiem os transplantes. P

Camillo Vianna mostrando aos congressistas suas realizações na Sopren e na Amazônia

João Gouveia, diretor do Sindicato dos Médicos do Pará, foi um dos homenageados

especialidades médicas e 14 profissões das demais áreas de saúde, como enfermagem, fisioterapia, farmácia, odontologia, entre outras.

Transplantes Um dos temas amplamente discutidos durante o Congresso, foi a situação dos transplantes de órgãos na região Norte e no restante do país. No último dia do evento, o Simpósio de Doação de Órgãos debateu questões como a falta de doadores, a importância do processo doação-transplante e os casos bem

paramais.com.br

complexidade do processo doação-transplante. “O processo doação-transplante é muito complexo e existem muitas burocracias. Para nós, o ideal é que a cada dez possíveis doadores, cinco fossem aproveitados”, explica Valter. No Pará, o número de potencias doadores é de 14,8 por milhão. Um número muito abaixo da média nacional, que fica em torno de 35 doadores por milhão. Segundo Valter, essa triste realidade se deve à pouca

A governadora Ana Julia reconheceu a justa homenagem feita a Camillo Vianna

09


Lula é um dos líderes mais influentes do mundo

A

Lula é um dos líderes mais influentes do mundo

10

popularidade do presidente Luiz Inácio Lula da Silva quebra mais uma barreira mundial. A revista americana Time divulgou seu tradicional ranking das 100 pessoas mais influentes do mundo, com nosso presidente no topo da lista. A publicação divide os indicados em quatro categorias – Líderes, Heróis, Artistas e Pensadores –, com 25 nomes em cada. Lula encabeça a primeira, que tem, em segundo, J.T. Wang, ceo da taiwanesa Acer Group; em terceiro Admiral Mike Mullen, chairman do Joint Chiefs of Staff (grupo de líderes militares das forças armadas dos Estados Unidos); e, em quarto, Barack Obama. Cada personalidade citada ganhou uma descrição, feita por outra grande figura mundial. O perfil de Lula foi escrito pelo documentarista Michael Moore, que declara: “O que Lula quer para o Brasil é o que costumávamos chamar do “Sonho Americano”. Nós, nos Estados Unidos, estamos vivendo em uma sociedade de contrastes, que está rapidamente se tornando mais parecida com o Brasil”. Entre outras personalidades, figuram na lista da Time o ex-presidente Clinton, de 63 anos, como destaque da seção dedicada aos "heróis" por seu trabalho como enviado das Nações Unidas ao Haiti, como lembra o cantor irlandês da banda U2, Bono Vox, no perfil que escreveu sobre o ex-governante para a revista e onde assegura que "sem ele, o universo não seria tão amigável para os humanos". Nessa seção também estão a sul-coreana Kim Yuna, que este ano conseguiu o primeiro ouro em patinação artística para seu país em Vancouver; o opositor iraniano Mir Hussein Musavi, e o ator Ben Stiller por seu trabalho na reconstrução de escolas

paramais.com.br


no Haiti, assim como os desportistas Didier Drogba e Serena Williams, entre outros. Entre os artistas e celebridades, a revista destaca o domínio da nova-iorquina Lady Gaga, que aos 24 anos conseguiu inúmeros sucessos mundiais com seu primeiro trabalho e com uma aparições surpreendentes. "O trabalho de um artista é retratar - seja através de palavras ou sons, letras ou música- como é estar vivo em seu tempo. A arte de Lady Gaga captura o período que vivemos", afirma a cantora Cindy Lauper para a Time no artigo em que destaca a "admiração" que sente pela jovem artista. A Time também destacou o humorista televisivo Conan O'Brien, que voltará em breve à televisão após abandonar a "NBC", a cineasta Kathryn Bigelow, que se tornou a primeira mulher a ganhar um Oscar de melhor direção por seu filme "Guerra ao Terror". Oprah Winfrey também está entre os escolhidos deste ano, assim como o diretor de "Avatar", James Cameron, a atriz Sandra Bullock, os britânicos Ricky Gervais e Robert Pattinson, os cantores Elton John e Prince e o costureiro Marc Jacobs, diretor criativo da empresa francesa Louis Vuitton. Além disso também aparecem a cantora Taylor Swift, os atores Ashton Kutcher e Neil Patrick Harris, assim como o produtor e popular juiz do programa de talentos "American Idol", Simon Cowell. Também fazem parte da lista da revista Time, já na categoria "pensadores", a prestigiosa arquiteta anglo-iraquiana Zaha Hadid, o executivo-chefe da Apple, Steve Jobs e o ex-presidente do Federal Reserve e agora assessor presidencial em matéria econômica, Paul Volcker, entre outros. Fecha essa categoria a juíza americana de origem porto-riquenha Sonia Sotomayor, de 55 anos, que foi escolhida por Obama no ano passado para ocupar um posto na Suprema Corte se transformando assim na primeira mulher hispana a chegar o tribunal. A revista Time também inclui uma análise de quem de sua lista são os mais influentes na internet, através de uma análise do número de seguidores e de conexões que essas pessoas acumulam nas redes sociais Facebook e Twitter. P

paramais.com.br

The 2010 TIME 100: The World's Most Influential People Our annual list of the people whose ideas, innovations and actions are shaping our world LEADERS Luiz Inácio Lula da Silva

11


Seminário discute sustentabilidade do dendê no Pará Fotos Elcimar Neves e Eunice Pinto/Ag. Pa Egon Krakhecke, secretário de Extrativismo e Desenvolvimento Rural Sustentával do Ministério do Meio Ambiente

A

Sustentabilidade da expansão da produção do dendê no Brasil foi o tema do Seminário Internacional de Lançamento do Programa de Estímulo à Produção de Palma em Áreas Selecionadas do Brasil, no Hangar Centro de Convenções. O evento integrou a programação de lançamento, pelo presidente Lula, do Programa de Produção Sustentável de Palma de Óleo no Brasil. Marcílio Monteiro, secretário de Estado de Projetos Estratégicos, durante o Seminário Internacional sobre o Programa de Produção Sustentável do Óleo de Palma

12

Destinado a gestores públicos, pesquisadores, representantes da cadeia produtiva do dendê, ambientalistas, representantes da agricultura familiar, o seminário foi coordenado pelos governos estadual e federal. Os temas abordaram as implicações ambientais, tecnológicas, econômicas, e agrícolas da produção de óleo de palma. O principal objetivo do seminário foi lançar o programa de incentivo à dendeicultura em áreas selecionadas do Brasil, intensificar as relações públicoprivadas para a dendeicultura nacional e criar oportunidades de cooperação nacional e internacional. Mesas redondas com representantes de ministérios, instituições científicas, iniciativa privada e governo do estado, abordaram assuntos como Políticas públicas para a expansão da dendeicultura no Brasil; Sustentabilidade ambiental da dendeicultura no Brasil; Legislação ambiental, contribuições do dendê para proteção e recuperação das florestas; Indicadores de sustentabilidade para macrorregiões com plantios de dendê e Cultura do dendê, inclusão Social e desenvolvimento regional.

Marco Antônio Leite, coordenador do Programa de Biocombustíveis do Ministério do Desenvolvimento Agrário

Regularização fundiária e ambiental garantiu o polo de biodiesel no Pará "O Pará está na vanguarda da regularização de imóveis rurais e será o primeiro Estado a firmar parceria com o governo federal no programa Mais Ambiente ", anunciou o coordenador de agroenergia do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Denilson Ferreira, em Belém, durante reunião para apresentar o Programa de Produção Sustentável de Óleo de Palma no Brasil. Criado pelo Ministério do Meio Ambiente brasileiro, o Mais Ambiente é o primeiro programa federal que auxilia a regulamentação de imóveis rurais no Brasil. Os mecanismos de regularização ambiental e fundiária implantados pelo governo do Pará foram fundamentais para viabilizar a implantação do programa que fará das regiões Tocantins, Capim e Guamá, no Pará, o maior polo produtor de óleo de palma do mundo. Graças a iniciativas como o Cadastro Ambiental Rural (CAR) e o Zoneamento Ecológico Econômico (ZEE), o Pará pode atender aos critérios econômicos, sociais e ambientais estabelecidos pelo programa federal. O secretário de Estado de Projetos Estratégicos, Marcílio Monteiro, explica que, no Pará, o programa nacional de produção e uso de biocombustível foi implantado com os subsídios necessários para se tornar um referencial mundial em sustentabilidade. "Por determinação da governadora Ana Júlia Carepa, nossa preocupação não era apenas a de implantar o polo de produção de óleo de palma, mas de implantar um referencial mundial em sustentabilidade", destacou. Entre os critérios adotados para garantir que a expansão da cultura não ocorra de forma predatória, está o estímulo à produção em áreas já degradadas e a proibição da subtituição de vegetação nativa pela produção do dendê. "Nosso paramais.com.br


Denilson Ferreira, coordenador de Agroenergia do Ministério da Agricultura

desafio é ser o maior produtor de palma do mundo sem derrubar uma única árvore para tal", declarou Denilson Ferreira. A manutenção da agricultura familiar também está estre os pontos chaves do programa. O secretário de Extrativismo e Desenvolvimento Rural Sustentável do Ministério do Meio Ambiente, Egon Krakheck, destacou que o programa é baseado, fundamentalmente, na agricultura familiar. "Os agricultores familiares correspondem a uma parcela de 30% a 50% da produção do óleo de palma", garantiu. Quarenta e quatro municípios das duas regiões serão beneficiados, somando uma população total de mais de 1,8 milhão de habitantes. A estimativa é de um investimento de R$ 1,1 bilhão em cinco anos. Hoje o Pará tem 80 mil hectares de área plantada e até 2014 a intenção é atingir 210 mil hectares. São nove plantas industriais e o objetivo é ampliar para 12 em cinco anos, com 4.700 empregos diretos hoje e meta de 15 mil em quatro anos. São 900 parceiros na agricultura familiar e 300 médios e grandes produtores, com meta de se chegar a 13 mil e 14.500, respectivamente, até 2014. O programa já abriu linha de crédito para o dendê, pelo Pronaf-Dendê, capacitará 120 técnicos para dar assistência aos produtores; investiu em melhoramento genético e produção de sementes, garantindo R$ 60 milhões para instalar uma unidade da Embrapa voltada ao cultivo do dendê; instalou câmara setorial como espaço permanente de diálogo e construção da cadeia de dendê; promoveu seminário internacional para debater boas O secretário Marcílio Monteiro, de Projetos Estratégicos, disse que a governadora exige que o polo seja referência mundial em sustentabilidade

Miguel Rosseto, presidente da Petrobras Biocombustivel durante o Seminário Internacional

protocolo é estabelecer padrões rigorosos a toda cadeia produtiva da palma no Brasil. Governo e empresários assinam "Com a assinatura do projeto assinado pelo presidente Lula, não se permite mais protocolo para a exploração derrubada de floresta para produção de da palma no Pará dendê, está proibida a exploração ilegal da Durante o Seminário de Produção m ã o - d e - o b r a d o s t r a b a l h a d o r e s Sustentável de Palma no Brasil houve a envolvidos no cultivo da palma e é assinatura do Protocolo Socioambiental obrigatória a inclusão da agricultura entre o governo do Pará e empresas familiar no cultivo da palma e da produção produtoras do óleo de palma. O do dendê", informou a sub-chefe da Casa documento determina obrigações comuns Civil. Ela comentou que o seminário é importante, porque permite uma discussão sobre toda a cadeia produtiva de palma. Tereza ressaltou que assim como a palma representa benefícios, também pode gerar riscos, sobretudo, ao meio ambiente, por gerar desmatamento em áreas de mata virgem. "Então, é preciso discutir sobre esse assunto", enfatizou. Para a governadora do Pará, o protocolo é a prova do compromisso de seu governo para com o crescimento econômico e social do estado. "É uma responsabilidade de toda cadeia produtiva do óleo de palma, A governadora com a placa que recebeu do representante principalmente no que diz respeito à da empresa Agropalma, Antônio Pereira da Silva, em reconhecimento concedida pelos produtores responsabilidade social e ambiental. O de palma no Pará importante é que esse documento foi entre a administração pública estadual e construído a partir de várias discussões", federal e as empresas que exploram a ressaltou. produção do dendê no território paraense. O secretário estadual de Projetos O protocolo prevê critérios de Estratégicos, Marcílio Monteiro, sustentabilidade ambiental, social, informou que serão feitas reuniões produtiva e econômica. Representando no semestralmente, para que sejam evento o presidente da República, Luiz repassadas informações sobre o cultivo Inácio Lula da Silva, a subchefe da Casa sustentável da palma e, com isso, fazer Civil da Presidência da República, Tereza uma prestação de contas à população. Campello, explica que a novidade do "Essa é a prova da transparência do governo Ana Júlia", comentou o Manoel Vicente Bertone, secretário nacional secretário. de Produção e Agroenergia, assinou o Em meio ao lançamento do Protocolo Socioambiental seminário do Programa de Produção Sustentável de Palma no Brasil, a governadora recebeu das mãos do representante da empresa Agropalma, Antônio Pereira da Silva, uma placa de reconhecimento concedida pelos produtores de palma no Pará à administração pública pelos serviços prestados para o desenvolvimento estado. P práticas, gargalos e potencialidades e criou o ZEE Agroecológico, para garantir crédito e seguro rural

13


Zoneamento Ecológico-Econômico mapeia áreas produtivas no Pará

I

nstrumento fundamental para o planejamento das ações públicas e privadas no território paraense, o Zoneamento Ecológico -Econômico (ZEE Zona Oeste e Leste e Calha Norte), abarca 122 municípios paraenses, que agora contam com um mapeamento detalhado das áreas indicadas para atividades produtivas, usos alternativos do solo, reflorestamento e preservação. O ZEE do Pará é regulamentado por duas leis: a lei nº 7.243/2009, que dispõe sobre o ZEE da área de influência da BR-163 (Cuiabá-Santarém) e BR-230 (Transamazônica), mais conhecido como ZEE-Zona Oeste. Ele abrange 19 municípios da porção oeste do Estado, ou 27% do território e aproximadamente 1 milhão de habitantes. E a lei nº 7.398/2010, sancionada em abril deste ano pela governadora Ana Júlia Carepa, que regulamenta o ZEE-Zona Leste e Calha Norte, a porção mais populosa do Estado, que corresponde a 33% de nosso território e 103 municípios. O arquipélago do Marajó não faz parte dos ZEEs porque o seu mapeamento está sendo feito pelo Plano de Desenv olvimento R egional Sustentável (PDRS) do Marajó. Os estudos que deram origem ao ZEE do Pará foram baseados em dois diagnósticos que se entrelaçam: o socioeconômico, que identificou as potencialidades produtivas e características culturais de cada região, e o natural (meio físico e biótico), que avaliou quais são as zonas de conservação, preservação e de uso controlado. Dessa forma, as atividades humanas no território paraense passam a ser regularizadas, com

14

respeito ao meio-ambiente e aumento da produtividade nas áreas adequadas. A ampla participação popular marcou todo o processo dos ZEEs, através de dezenas de reuniões e audiências públicas, onde a população pôde apresentar as suas demandas e visões sobre os problemas que afetam as suas localidades. Esses aportes foram considerados na elaboração dos estudos, além dos conhecimentos científicos de pesquisadores de várias instituições de pesquisa, como o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas (IBGE), Museu Paraense Emilio Goeldi, Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária, Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), universidades públicas paraenses e técnicos do Governo do Estado ligados a diferentes órgãos P públicos.

paramais.com.br


Prefeitos do Xingu garantem a Lula total apoio à Hidrelétrica de Belo Monte

P

refeitos e vereadores da região da Transamazônica manifestaram total apoio à construção da Hidrelétrica de Belo Monte, no Rio Xingu, em carta aberta entregue ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva e à governadora Ana Júlia Carepa, em reunião no auditório do Palácio dos Despachos, sede administrativa do Governo do Pará. Na carta, as lideranças políticas reiteram a certeza de que a obra promoverá o desenvolvimento da região. A expectativa dos prefeitos é quanto à realização do ato em defesa de Belo Monte, previsto para o mês de junho, que deve contar com a presença do presidente da República. "Estamos de acordo com a hidrelétrica, porque sabemos que ela representa o desenvolvimento para o Pará, para a nossa região e para todo o país", disse o presidente do Consórcio Belo Monte e prefeito de Anapu, Francisco de Assis dos Santos Sousa, ao entregar o documento ao presidente Lula. Segundo ele, além de manifestar publicamente o apoio à construção da hidrelétrica, o objetivo do documento é garantir que o projeto trará benefícios à população local, como o crescimento do setor industrial e geração de empregos. Eraldo Pimenta, o presidente daAssociação dos Municípios da Transamazônica (Amut), reiterou o que disse o prefeito de Anapu, e ressaltou que os prefeitos estavam ali para ouvir, do próprio Lula, a garantia de que as empresas vencedoras da licitação de Belo Monte cumprirão os acordos de compensação, como o investimento de R$ 500 milhões na infraestrutura da região. "Queremos um empreendimento com condições de desenvolvimento", declarou ele. Prefeitos e vereadores da Transamazônica, região a ser beneficiada diretamente pela hidrelétrica, se reuniram em Belém com o presidente

Fotos Lucivaldo Sena / AG. PARÁ Lula, ao lado de Ana Júlia Carepa e do prefeito de Anapu, Francisco de Assis Sousa, após receber a carta de apoio a Belo Monte

Na mesma direção A governadora Ana Júlia Carepa disse não ter dúvida de que a hidrelétrica permitirá o desenvolvimento da Transamazônica e do restante do Pará. Ela garantiu que a obra fará com que a energia fique no Estado, para que haja a transformação da riqueza mineral pela indústria no próprio território paraense. "Com isso, presidente, caminhamos na mesma direção: governo e povo. A pobreza no Pará não é ficção e, para combatê-la, precisamos da energia elétrica de Belo Monte", enfatizou a governadora. Lula ressaltou que há 30 anos se discute no Brasil a construção da hidrelétrica de Belo Monte e disse que, ao estar na presidência do país, descobriu o potencial energético hídrico brasileiro, em especial o da região amazônica. "É uma energia limpa, não poluente e barata. Ao defender a hidrelétrica, não defendo as mazelas do passado, que não respeitaram os povos ribeirinhos, a

população indígena e os recursos naturais. Não podemos prescindir de um bem que Deus deu para o Estado do Pará, porque o Estado não pode mais ser exportador de matéria prima e depois importar produtos a peso de ouro", afirmou o presidente. Ele concluiu o encontro com os prefeitos comentando que muita gente defende outras formas de produção de energia, como a eólica, porém "nenhuma é mais barata, menos poluente que a hidrelétrica". Para o presidente Lula, Belo Monte é um projeto que busca respeitar o P meio ambiente e o povo brasileiro.

Prefeitos do Consórcio Belo Monte, durante a entrega, ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva, da Carta Aberta de apoio a construção da Hidrelétrica de Belo Monte


A FEIJ e a Humanidade

n

e

o

s

Uma Contribuição Para a Infância e a Juventude do Pará e da Amazônia Fotos José Iglésias Júnior e José Luiz M. Dias

G

raças à tenacidade de um jovem tenente do Exército Brasileiro, Gonçalo Lagos Castelo Branco Leão (Chefe Castelo), de imenso amor pela Pátria, foi criada a Federação Educacional Infanto-Juvenil (FEIJ).

Fatos Históricos Chefe Castelo fundou em 23 de abril de 1929 a Federação Paraense de Escotismo (FPE), com Álvaro Fonseca, Emanuel Moraes e Glycério Marques, vinculada à União Brasileira de Escoteiros (UBE), cujas reuniões eram feitas em rua localizada atrás da Basílica de Nª Sª de Nazaré, durante alguns anos. Por interferência do Prefeito de Belém, Abelardo Condurú, foi oferecida, ao Chefe Castelo, a possibilidade de escolher um espaço na Capital que foi na Av. Independência (hoje Av. Gov. Magalhães Barata), ampliado mais tarde até a Av. São Jerônimo (hojeAv. Gov. José Malcher). A fim de dar continuidade a sua grandiosa obra de trabalho, amor e educação á

39

Panteão do Chefe Castelo

infância e á juventude, desvinculou-se em 1949, da Confederação Brasileira de Escotismo de Terra (CBET), por não concordar com as normas de mudança estatutária e estrutural da mesma. E em Assembléia Geral da FPE realizada no dia 12 de novembro de 1949, foi fundada a Federação Educacional Infanto-Juvenil (FEIJ). Entidade civil sem fins lucrativos, declarada de utilidade pública pela lei municipal nº 1.349 de 27 de agosto de 1951, e lei estadual nº 4.264 de 30 de novembro de 1968. Desde sua fundação vem contribuindo com o desenvolvimento dos desportos no Pará, seja no passado, em 20/02/1951, representando nosso Estado no campeonato brasileiro de natação, com Alcir Ramos e Raimundo Barroso, medalhas de ouro e prata respectivamente. Natércia Mendonça com duas(02)medalhasdeouro As irmãs Sônia e Lúcia Pinheiro Vianna, foram campeãs na travessia da Baia do Guajará (Ilha da Onças-Belém). Sônia com o nado de “Craw” e Lúcia com o nado de Costas.

paramais.com.br


e muitos outros, que fizeram e fazem parte deste grande projeto que tem continuidade até hoje.

Objetivos Ao longo de seus 60 anos de existência, a FEIJ tem por finalidade trabalhar pela educação e assistência social da infância e da juventude, educa sob tríplice aspecto: intelectual, físico e moral. Tem como principal objetivo desenvolver entre seus associados, sentimentos de humanidade e fraternidade, assim como o espírito de iniciativa, capacitando-os para resolverem com independência, segurança e confiança os problemas do dia a dia. Versatilidade é uma das principais características que o feijiano adquiri ao

Feijianos Memoráveis É necessário que seja dado um corte neste relato no sentido de preservar para a história pessoas que deram tudo de si, com o Chefe Castelo (um dos maiores educadores que o Brasil já teve, cujo objetivo direto foi educar a infância e a juventude deste imenso País): A seguir são relacionados seus seguidores, momento em que se faz Pavilhão da FEIJ, em Reunião de Domingo

paramais.com.br

lembrar seu “braço direito” e substituto na presidência, Raymundo Martins Vianna (Chefe Viannão), Antônio Pedro, Camillo e Garibaldi Martins Vianna, Edmundo e Luiz Lima, Álvaro e Justiniano Fonseca, Carlos Costa de Oliveira, Antônio Pereira, Geraldo de Carvalho, Pedro Libonatti, José Navarro de Azevedo, Clodoaldo e Cláudio Nascimento, Renato e José Maria Christo Mendes Leite, Carlos Alberto de Araújo Menezes, Álvaro Almeida, Aldeniz Leite da Silva, Lenilma Alcântara Reunião para o Trabalho de Sábado

Quadra de Esportes Glycério Marques, em Atividade Esportiva

17


Concurso de Leitura na Biblioteca Chefe Raymundo Vianna

Atividades de Limpeza e Conservação – Sábado

Piscinas Semi-Olímpicas

Bosque Chefe Camillo Martins Vianna

ingressar na Entidade, através do: trabalho, esporte, lazer e cultura, procurando desenvolver os sentimentos de amor à família, à pátria, o culto aos heróis, respeito à Bandeira Nacional, à ordem e às autoridades constituídas, solidificando o civismo.

A FEIJ hoje Formação Administrativa É constituída por uma Diretoria Executiva, sendo seu presidente atual o Sr. José Luiz Magalhães Dias, um Conselho Superior e um Conselho Fiscal e, regida por Estatuto atualizado, dentro das normas federais. Quatro (04) associações filiadas e autônomas compõem seu quadro educativo: Couto de Magalhães (ACM), Benjamim Sodré (ABS), Geraldo de Carvalho (AGC) e Braz de Aguiar (ABA), que convivem harmoniosamente, competindo entre si em torneios culturais e esportivos, como Olimpíada e Campeonato Feijianos, anualmente. 18

A FEIJ apresenta em sua formação humana 390 pessoas, sendo a maioria crianças e adolescentes (80%) e os demais adultos de até 95 anos. Participam ativamente das atividades semanais, que cobrem todos os dias, principalmente sábados e domingos. A maioria vem de áreas da periferia da Região Metropolitana de Belém.

Atividades Culturais A FEIJ incentiva ações, principalmente intelectuais, por isto dinamiza várias atividades como: Participação do Cerimonial de Honra ao Mérito ao Chefe Castelo, em 20/06/2002, naAssembléia Legislativa do Pará. Durante esta homenagem, a equipe da FEIJ esteve presente, e, sob a coordenação do Chefe Camillo, foram entoados, para todos os homenageados, o Catê de Guerra e a Canção Glória aos Homens, como é a tradição. Comemoração dos 100 (cem) anos de nascimento do Chefe Castelo, com ampla programação em 23/04/2007. Feijianos antigos vieram de outros estados,

Campo de Futebol da FEIJ

inclusive Rj e Ap, para participarem da Comemoração. Neste mesmo período, em nome da FEIJ e pelo Chefe Castelo, o então, presidente José Carvalho de Moraes, recebeu homenagem da Câmara de Vereadores de Belém, momento em que foi entoado um Catê de Guerra, para os demais homenageados. Estímulo e apoio às atividades femininas.

Acantonamentos e Acampamentos Confraternização Natalina, com apresentação de Peças Teatrais, pelos feijianos, e entoação de canções alusivas à Época, por todos. Reuniões Periódicas com Antigos e Novos Feijianos


Cursos de Liderança (Participações e Encerramentos de Turmas)

Abertura da Olimpíada Feijiana de 2010

Encontro de familiares e feijianos por ocasião de Missa Solene da Páscoa, no mês de Abril e participação dos pais em programações internas. Acompanhamento didático dos associados em atividades escolares, pois a Entidade não admite o desinteresse nos estudos. Existe livro publicado pelo feijiano Carlos de Senna Mendes, sobre a história da FEIJ. Informações constantes são veiculadas na revista “Pará Mais” com tiragem mensal de 40 000 exemplares sobre a FEIJ e o Chefe Castelo. O Cordão do Papagaio, Peça Teatral Histórica da FEIJ, de autoria de Justiniano Fonseca e Raymundo Vianna, conta com a colaboração do “Príncipe dos Poetas Paraenses - Bruno de Menezes. Esta Peça foi relatada pelo Chefe Camillo Vianna na Revista Amazônia, de circulação internacional, com tiragem anual de 170 000 exemplares. Consta, também, relato na revista Parauara, da

paramais.com.br

Sociedade Brasileira Médico-Cirúrgico de escritores do Pará e de responsabilidade do cidadão Sérgio Pandolpho, distribuída para 800 médicos escritores no Brasil a cada três meses. Todos os dias relacionados às datas cívicas, a Bandeira Nacional é hasteada em mastro principal de 25 metros, localizado no estacionamento frontal da Sede. Na administração do Feijiano Leônidas Gonzaga de Alcântara Júnior (1992 – 1993) foi construído em frente ao Salão Nobre o Panteão, onde foram colocados os restos mortais do Chefe Castello, em 12 de Novembro de 1993. A partir de então foi criada “A Semana Cultural e Esportiva Feijiana”, que neste ano vai para a sua 17ª Edição. Completando esta iniciativa, foi plantado o Pau D'Arco, na área, Árvore Símbolo do Brasil. Como tradição o Chefe Camillo em dia de Finados reúne representantes das Associações para falar sobre os

19


companheiros falecidos, que inclui chefe Castello e todos os feijianos que não estão mais fisicamente na Entidade.

Atividades de Trabalho Como fator de desenvolvimento moral, várias atividades de construção, conservação e limpeza são desenvolvidas na Entidade, pelos próprios feijianos. Grupos Voluntários de Trabalho, durante a semana, aos sábados e aos domingos, vêm se dedicando à preservação do patrimônio, realizando limpeza, pintura e capinação geral, inclusive do Campo de Futebol.

Cursos Palestras e Eventos Informações didaticamente organizadas fazem parte do calendário anual da Entidade, por isto: O terceiro Curso Sobre Desenvolvimento de Habilidades em Liderança encontra-se em andamento (isto, nos últimos dois anos). Temas apresentados e discutidos sistematicamente sob a forma de Palestras e Reuniões Culturais, como: Combate à Violência, Fumo, Bebidas, Gravidez Precoce, Gripe Suína, Sexo Precoce e outros. Provas Técnicas e Concursos Gerais (de

Leituras, Cartazes, Refeições e outros) são realizados periodicamente. Treinamentos para Chefes de Banhos e Voluntários, sobre salvamento na Piscina, ministrados pelo Comando de Corpo de Bombeiros do Estado do Pará. Treinamentos de Combate às Drogas por profissionais graduados, inclusive da Polícia Federal.

Biblioteca da FEIJ “Raymundo Martins Vianna”

Vianna, cujo 1º Concurso Literário foi realizado em novembro de 2008. Atividades Esportivas Diversas modalidades esportivas são praticadas na FEIJ, dentre algumas a Entidade foi pioneira no Pará, como: Natação, Balé Aquático (atual, Nado Sincronizado), Pólo Aquático, Saltos Ornamentais eAqualouco. A Natação merece um destaque especial, pois foi a primeira Entidade a inaugurar uma Piscina Semi-Olímpica no Estado, formando como já foi dito, inúmeros atletas, inclusive nos dias atuais, pois conta com a Escola de Natação da FEIJ, aberta inclusive para o Público Externo.

Patrono da Biblioteca, ex-presidente da Entidade, Raymundo Martins Vianna, foi Secretário de Interior e Justiça no GovernoAurélio do Carmo. Recebeu homenagem do Governador Simão Jatene, que deu seu nome à magnífica Escola Estadual Raymundo Martins Vianna, situada na Avenida Augusto Montenegro, em Belém do Pará. A doação de livros e revistas para enriquecimento da Biblioteca Raymundo Martins Vianna, vem sendo feita por companheiros feijianos. Sob a coordenação da fejiana bibliotecária Margarida Vianna Prédio da Biblioteca Chefe Rodrigues, foi instalada a Raymundo Martins Vianna Biblioteca Raymundo Martins


Outras modalidades esportivas são praticadas como: Competições Aquáticas (como exemplo: Pólo Aquático e Maratonas), Futebol de Salão, Voleibol, Basquetebol, Futebol de Campo, Tênis de Mesa, Xadrez, Corrida de Rua, Caminhada, Aventura Ecológica e “Triathlon”. Entre as associações acontecem anualmente a Olimpíada e o Campeonato, ambos em sua 60ª Versão. São realizadas trilhas na Ilha do Cumbú

(frente a Belém-Pa) e no Parque Florestal do Utinga (Belém-Pa), com acompan-

Título Evento/Modalidade Campeã por Equipe V/ “Triathlon” Campeã Paraense Pré-Master /Natação Vice-Campeã Paraense Pré-Master /Natação Vice-Campeã Paraense Master /Natação Bi-Campeã Por Equipe VI /“Triathlon” Tri-Campeã Por Equipe VII/ “Triathlon” Diversos em Salvador-Ba Campeonato N/NE de Natação Tetra-Campeã Por Equipe VIII/ “Triathlon” Penta- Campeã Por Equipe IX/ “Triathlon” Campeã Jogos da Natureza “Cross Triathlon”/Etapa Mosqueiro Hexa-Campeã Por Equipe X/ “Triathlon” Terceira Colocada -Pa Master /Natação Campeã Paraense “Triathlon” Campeã Paraense “Aquathlon” Campeã Paraense “Duathlon” Campeã Paraense XI /“Triathlon” Bi-Campeã Paraense “Triathlon” Bi-Campeã Paraense “Aquathlon” Bi-Campeã Paraense “Duathlon” “Triathlon”deRevezamento/Etapa Ver -o-Rio Campeã Diversos em Aracajú-Se Campeonato N/NE de Natação Campeã Futebol de Bairros /Área de São Braz Bi-Campeã Futebol de Bairros /Área de São Braz Camp Brasil“Triathlon”de Revez/Etp Belém Campeã Campeã Triathlon de Revezamento

paramais.com.br

hamento da Polícia Militar do Estado. Na recente inauguração da terceira piscina foram convidadas veteranas feijianas que participaram do primeiro Balé Aquático realizado na Entidade, bem como apresentação de Nova Equipe, hoje denominada de Nado Sincronizado, sob a coordenação da antiga feijiana Lílian Faro. No presente, serão relacionados os resultados das equipes feijianas competidoras externamente:

Realização Unama/Itaú Fepam Fepam Fepam Unama/Itaú Unama/Itaú N/NE Natação

Unama/Itaú Unama/Itaú PMB Unama/Itaú Fepam Fpatri Fpatri Fpatri Unama/Itaú Fpatri Fpatri Fpatri Fpatri N/NE Natação

PMB PMB Sesc Ufpa

Ano 1998 1999 1999 1999 1999 2000 2000 2001 2002 2002 2003 2003 2003 2003 2003 2004 2004 2004 2004 2004 2004 2006 2007 2007 2007

21


Parcerias Externas A FEIJ entende que a parceria com organizações externas são de extrema importância para o engrandecimento Reunião de Domingo para Esportes, Cultura e Lazer

intelectual e moral de seus associados, por isso mantém constantes projetos com órgãos como: Embrapa, Sopren, Prefeitura Municipal de Belém, Polícia Militar, Polícia Federal, Bombeiros A Sociedade de Preservação dos Recursos Naturais e Culturais da Amazônia, antiga colaboradora da FEIJ, vem fornecendo sementes de essências de sementes florestais oriundas do Bosque Chefe Camillo, para entidades ambientalistas parceiras na luta contra a devastação da Amazônia.

citados nas crônicas já publicadas na Para+ Nº 63 e na Revista Independente Nº 14, de 06 de 2006, serão lembrados em P crônicas próximas. (*) José Luiz Magalhães, Presidente da Diretoria Executiva Camilo Martins Vianna, Presidente do Conselho Superior

Eleição da Atual Diretoria – Dez. 2009 a Dez. 2011

OBS. A história da FEIJ é formada por dedicados colaboradores que merecem destaque e que por não terem seus nomes

22

paramais.com.br


FEIRA DO EMPREENDEDOR: NEGÓCIOS NA AMAZÔNIA

J

Fotos: João Luz

á estão abertas as inscrições para a Feira do Empreendedor 2010. Um dos eventos de maior visibilidade e sucesso realizados pelo SEBRAE, acontece em vários estados brasileiros desde 1992, e neste ano o Pará inicia o calendário realizando a Feira do Empreendedor entre os dias 26 e 30 de maio no Hangar – Centro de Convenções e Feiras da Amazônia. As inscrições podem ser feita pelo site www.feiradoempreendedorpa.com.br até o dia da Feira e servem como um pré-credenciamento para se evitar filas na entrada do evento. Este ano, a Feira também terá edições em Santa Catarina, Paraná, Mato Grosso do Sul, Ceará, Sergipe, Minas Gerais, Rio Grande do Sul, Pernambuco, Rio Grande do Norte e Roraima. No total, em 15 anos de sucesso, já foram mais de 100 edições realizadas por todo o Brasil e mais de 1,5 milhões de visitantes. No Pará, o evento cumpre a missão de fomentar o empreendedorismo na Amazônia, promovendo ações que incentivem a sustentabilidade e sensibilizem para a consciência socioambiental nas micros e pequenas empresas, abordando temas como coleta seletiva, uso sustentável e reaproveitamento de matéria-prima, além de eficiência energética. Uma das inovações dá-se na oportunidade para o desenvolvimento do chamado Empreendedorismo Étnico. A Feira do Empreendedor 2010 traz para o circuito dos negócios na Amazônia a produção das etnias da região. Os povos indígenas e as populações tradicionais (quilombolas e ribeirinhos) irão expor seus produtos e cultura chamando a atenção para o seu potencial empreendedor. Este é um marco P na história do circuito Feira do Empreendedor.

paramais.com.br

A Feira será realizada no Hangar e terá mais de 650 oportunidades de negócios

A reutilização de materiais como forma de sustentabilidade será pauta da Feira do Empreendedor 2010 Capacitação e orientação para quem quer abrir ou expandir um negócio


Acyr CASTRO

C

omo se não fosse todo dia! E quando se trata de mãe pensa-se logo na mãe das mães, minha madrinha Senhora Auxiliadora dos Cristãos, mãe do Verbo Encarnado, eu particularmente penso também na melhor das mães terrenas, a Neucília tão querida de mim e das minhas irmães Cecy, Eliana, Suely, Nina Rosa e Marilda, não pondo de lado o mano que cedo subiu, o nosso João Luiz. No dia 9 todo o universo se enfeita de rosas para festejar, de ponta a ponta, de Norte ao Sul e de Leste à Oeste, todas as mulheres que compartilham da obra de Deus, noivas e mães, possibilitando assim a continuidade da espécie humana, à frente dos festejos a nossa amada e santa Igreja Católica agora sob a direção de um novo pastor, Dom Alberto Taveira, na eterna batalha em defesa da vida. O problema essencial permanece sendo a busca constante pelo fim da miséria e sobre tudo daqueles que sobrevivem muito abaixo da linha da pobreza. Sem isso o brilho da festa como que se diminuísse para além do psicológico, do político e de todas as pretensões possíveis e imagináveis. Um programa e tanto a ser comprido quer pelas autoridades públicas, civis e eclesiásticas, quer pela própria população que não quer perecer, uma questão de cidadania. Trata-se de algo fundamental, no

Senhora Auxiliadora dos Cristãos

cumprimento da máxima divina "crescei e multiplicai". Desejo aos generosos amigos Ronaldo e Rodrigo Hühn que editam, com talento, coragem e sacrifício, a mais bela revista planetária, muita felicidade. Diz a sabedoria popular, tão bem expressa numa canção, que quem diz tudo de uma vez depois fica sem nada a dizer. Daí que deixarei o resto, que não é pouco, para junho, se Nosso Senhor Jesus Cristo permitir e Ele quer. Bom dia, boa tarde, boa noite e boa sorte, assim se faça e se cumpra. (*) Todo o universo se enfeita de rosas

24

Jornalista e escritor

paramais.com.br


É bem verdade que esporte e saúde são conceitos que andam juntos

Copa do Mundo “verde e amarela”

C

onheci Barcelona antes das Olimpíadas de 1992 e quando lá voltei, poucos anos depois, encontrei outra cidade. Graças às benfeitorias que fizeram para os jogos, Barcelona viveu um processo de revitalização surpreendente, emergindo de um período de estagnação de cerca de 15 anos, iniciado com a passagem da ditadura para a democracia espanhola. Desde então, a cidade ganhou um ar cosmopolita comparável às mais influentes capitais da Europa. Megaeventos internacionais trazem desafios para as cidades. Algumas delas tomam esse desafio à unha e deixam um legado importante para a gente local, mantendo a atratividade desses centros por anos a fio. Isso inclui amplos investimentos em infraestrutura, como estradas, transportes, habitação, escritórios, salas comerciais, tecnologia, telecomunicações, hotelaria, entre muitos outros.

26

por Antoninho Marmo Trevisan

Da mesma maneira que os grandes eventos esportivos, a Expo 98, que aconteceu em Lisboa, foi um marco de contemporaneidade e pioneirismo no uso de tecnologia aplicada a projetos de arquitetura, engenharia e construção. Lisboa recebeu cerca de 11 milhões de visitantes durante a Expo 98, o mesmo que toda a população do país. Obviamente, tiveram que se preparar para isso e o fizeram muito bem. O Parque das Nações, que sediou a Expo 98, urbanizou uma área degradada e abriga hoje prédios de apartamentos e de escritórios, um grande centro de compras, galerias de arte, restaurantes e o oceanário, o segundo maior do mundo. Nem dá para calcular por quantos anos tudo isso ainda trará à Um simpático leopardo chamado Zakumi. Este é o mascote da Copa do Mundo da Fifa de 2010 na África do Sul paramais.com.br


cidade em termos de visitantes e renda, mas com certeza serão muitos. Para sediar a Copa do Mundo de 2014 e, dois anos depois, as Olimpíadas, o que o Brasil e o Rio de Janeiro terão que enfrentar não será pouco. Li recentemente que a Copa será uma oportunidade extraordinária para os produtos orgânicos, quem diria. Pensando bem, combina: atletas devem se alimentar com o que há de melhor. E, sem dúvida, alimentos saudáveis, como são os orgânicos, deveriam estar – se que já não estão – no cardápio dos competidores. A organização do Mundial já demonstrou interesse em colocar o assunto em evidência nas peças de promoção do evento e, paralelamente, planeja ações concretas nessa área. Isso fará emergir um número expressivo de atividades e ações oportunas. É bem verdade que esporte e saúde são conceitos que andam juntos, dizem todos os manuais a respeito. Em se tratando de eventos de tamanha envergadura como Copa do Mundo e Olimpíadas, qualquer ação que incorpore esses conceitos estarão iluminadas por potentes holofotes. As chances de elas darem certo aumentarão, com certeza.

paramais.com.br

Com isso, a agricultura orgânica, que já de orgânicos, muitos outros negócios vinha em ascensão no Brasil, pode ganhar ganharão espaço para crescer. novo impulso desde agora.Até porque não Dizem os especialistas que esses só os atletas, mas o grande contingente megaeventos podem ser muito bons ou formado por turistas e torcedores, muito ruins para uma cidade ou país. Tudo nacionais e internacionais que certamente depende de como eles são organizados, estarão circulando por aqui, também vislumbrando benefícios duradouros para consumirá alimentos. E, nesse caso, a população. Nós, torcedores, além de haverá gosto para tudo, tanto quanto vibrar podemos fazer muito mais, novas oportunidades para quem estiver principalmente pelos nossos negócios e empreendimentos. atento e forte. P Se der tudo certo, enfim, impulsionados (*) Empresário, educador e consultor. Presidente da Trevisan Escola de Negócios e membro do pelas demandas da Copa do Mundo, os Conselho de Desenvolvimento Econômico negócios de alimentos orgânicos, que já e Social (CDES) conta com uma legislação específica, restando apenas regulamentações, pode ter facilidades de se expandir. Com os esportes na ordem do dia, novos hábitos alimentares têm tudo para se estabelecer na vida das pessoas, em meio à crescente necessidade também de se ter melhor qualidade de vida no cotidiano. C o m o n e m s ó d e Li recentemente que a Copa será alimentos vive o homem, uma oportunidade extraordinária para assim como o segmento os produtos orgânicos, quem diria

27


Lançamento do Flor Pará e do Frutal Amazônia 2010 Frutal e Flor Pará comemoram crescimento do setor

A

por Leni Sampaio fotos Elcimar Neves e Rodolfo Oliveira/Ag Pa

governadora Ana Júlia Carepa entregou semana passada em Marabá, sudeste do Estado, a licença prévia da Siderúrgica Aços Laminados do Pará (Alpa), com investimento de 3,7 bilhões de dólares. Centenas de pessoas chegaram ao local em caravanas para presenciar o momento histórico. Políticos, empresários, prefeitos e lideranças comunitárias se concentraram em torno da tenda armada na área do futuro pátio de minérios da siderúrgica. Ana Júlia chegou acompanhada pelo presidente da Vale S.A. Roger Agnelli e foi muito aplaudida. A licença prévia garante o início das obras de terraplanagem na futura área da Alpa em dois meses. Em seu discurso, a governadora fez um breve balanço das obras que o Governo Popular realiza em Marabá, com destaque para a ampliação e revitalização do

Distrito Industrial, no qual será erguido o novo polo metal-mecânico da região. "No Distrito Industrial nós teremos a verdadeira verticalização mineral do Estado, abrindo um novo ciclo da economia paraense", disse. A governadora também adiantou que esteve em Brasília durante o lançamento do PAC-2, onde estão previstos mais investimentos para a região de Carajás. "Nunca o Pará recebeu tanto recurso e a cidade de Marabá está incluída com mais projetos estruturais e de benefício para povo", destacou, acrescentando ainda que, o governo está realizando obras de ampliação do sistema de abastecimento de água, duplicação da ponte sobre o rio Itacaiúnas, revitalização do bairro do Cabelo Seco, instalação de infocentros, entre outras ações que estão ajudando a melhorar o quadro sócio-econômico do município.

História O secretário de Desenvolvimento, Ciência e Tecnologia, Maurílio Monteiro, disse que o Governo Popular faz história ao viabilizar empreendimentos do porte da Alpa, com repercussões na economia das regiões Norte e Centro-Oeste do País. O secretário fez uma analogia com a criação da Companhia Siderúrgica Nacional, por Getúlio Vargas, iniciativa que resultou na indústria automobilística e naval no Brasil, com o diferencial de que os recursos eram do tesouro nacional. No caso da Alpa, o secretário frisou que os investimentos são da área privada, o que não compromete recursos do governo, que continuará investindo em educação, segurança, transporte, entre outros segmentos básicos para o desenvolvimento sócioeconômico do Estado. O empreendimento também terá A mesa oficial do lançamento do 10º Flor Pará 2010

28

paramais.com.br


Euvaldo Bringel, falando para representantes de órgãos federais e estaduais e produtores, durante o lançamento do 10º Flor Pará

vai gerar empregos graças à transformação do minério em aço. O secretário lembrou ainda que a obra da Alpa está associada ao término das obras das eclusas de Tucuruí e da hidrovia Araguaia-Tocantins. "Estamos num Estado democrático que atrai o investimento e a confiança do empresariado. A instalação da Alpa é resultado de uma articulação de interesse do Go ve r no , q u e r e s u lto u n u m investimento de seis bilhões de reais. Por isso, não temos dúvida de que esta solenidade é um divisor de água na história da indústria do Pará", disse.

Diplomas Na solenidade, os primeiros alunos dos

paramais.com.br

cursos de preparação de mão-de-obra da Alpa foram diplomados. Seis futuros colaboradores da Alpa subiram ao palco para receber o carinho da governadora Ana Júlia Carepa. O jovem André Lima Alves, 26 anos, que concluiu o curso de ferreiro-armador foi o primeiro a receber o seu diploma. Ainda emocionado, ele disse que agora tem uma profissão e que está pronto para exercê-la daqui em diante. A dona-de-casa Carla Andressa Silva, 34 anos, recebeu o diploma do curso de cozinha industrial e disse que já prepara almoços e jantares para ocasiões festivas. "Estou muito feliz. Isso é a realização de um sonho", disse. Única mulher da turma de almoxarifado, Andiskley Gomes Santos, 31 anos, disse que o curso foi

Cássio Alves Pereira, secretário de Estado de Agricultura e Euvaldo Bringel, presidente do Instituto Frutal, durante o lançamento do 10º Flor Pará 2010, no auditório da Sagri

maravilhoso e que agora ela está mais preparada para enfrentar o mercado de trabalho. Doracilda da Silva fez o curso de assistente administrativo e já está trabalhando, após conseguir uma vaga no Sine de Marabá. "Só tenho que agradecer à governadora por tudo que ela tem feito por nós", disse.

Caravanas O espaço para oitocentos lugares ficou pequeno para tanta gente. Mais de vinte ônibus com caravanas de dez municípios lotaram as dependências do local erguido no Km 14 da BR 230 (Transamazônica), futura endereço da Alpa. Ninguém escondia a emoção por estar vivendo um

29


O mercado paraense já absorve 70% dessa produção e o restante é exportado para outros estados como Rio de Janeiro, Brasília e São Paulo

Na área da floricultura, a produção anual do Pará está em torno de 1,5 milhão de flores tropicais, subtropicais, ornamentais, folhagens e gramas.

dia histórico. O presidente da Associação dos Produtores Rurais da Vila Monte Sinai, área rural de Marabá, estava com 54 agricultores na festa. Ele disse que estava ali para agradecer à governadora e pedir mais apoio para aumentar a produção da vila. Segundo ele, a produção de feijão, arroz, verduras e legumes não atende a demanda. "Queremos apoio para legalizar nossa associação e vender mais", disse. O presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Itupiranga, Raimundo Costa Oliveira também fez questão de parabenizar a governadora. "Fretamos dois ônibus para ver nossa governadora, pois este empreendimento vai trazer muita melhoria para o nosso povo. Governadora, a senhora está de parabéns", disse, ao informar que, nesta quarta-feira, o município de Itupiranga realizou a audiência pública sobre a hidroviaAraguaia-Tocantins. Outras caravanas de políticos e empresários também estavam presentes. Os secretários de Estado André Farias (Integração Regional), Aníbal Picanço(Meio Ambiente) e Maurílio Monteiro (Desenvolvimento, Ciência e Te c n o l o g i a ) a c o m p a n h a r a m a governadora Ana Júlia Carepa. A deputada Bernadete Tem Caten, os

30

paramais.com.br


deputados federais Paulo Rocha, José Geraldo, Asdrúbal Bentes, Gerson Peres e o deputado estadual Gabriel Guerreiro também prestigiaram o evento, sendo lembrados pela governadora como partes importantes no processo de desenvolvimento do Estado. Liderados pelo prefeito de Marabá Maurino Magalhães, prefeitos da região também acompanharam a solenidade. Para a maioria deles o momento foi de gratidão e cumprimentos à governadora pela obra daAlpa.

Alpa A partir da licença prévia, a expectativa da Vale S.A. é iniciar os serviços de terraplanagem no mês de junho e as demais etapas da obras, em outubro. O empreendimento compreende a O florista Ailton Júnior durante a Feira Flor Pará

Cássio Alves Pereira com belo exemplar de cupuaçu

instalação de um sistema totalmente integrado a partir da construção de uma siderúrgica para produzir aços laminados e placas, a construção de um acesso ferroviário para receber o minério de ferro de Carajás, a construção de um terminal fluvial para receber o carvão mineral e fazer o escoamento da produção

paramais.com.br

A diretora de Floricultura da Secretaria de Estado de Agricultura, Dulcimar Melo durante a I Feira Flor Pará

siderúrgica até o terminal de Vila do Conde, em Barcarena. "O nosso papel é fomentar o crescimento da produção siderúrgica no Brasil e, para isso, estamos buscando as melhores tecnologias, os melhores processos", disse o presidente P da Vale, RogerAgnelli.

31


Mecanização agrícola elevaprodutividade

A pequena fábrica de farinha de mandioca do agricultor Dativo de Araújo Almeida, no município de Abel Figueiredo garante 15 empregos diretos

N

o Projeto de Assentamento Serra do Arara, em Abel Figueiredo, região Rio Capim, uma pequena fábrica de farinha de mandioca garante 15 empregos diretos. O proprietário e agricultor Dativo de Araújo Almeida apostou no empreendimento que, mesmo sem energia elétrica, funciona a todo vapor há cerca de seis meses. Na terra propícia para o cultivo do tubérculo, a produtividade para a safra desse ano deve aumentar em, pelo menos, 70% em relação ao ano passado. A produção de farinha abastece quatro municípios da região. Na comunidade 3 Irmãos, em São Domingos do Araguaia, região do Carajás, os produtores familiares comemoram os resultados na lavoura. A família divide as tarefas: enquanto os homens garantem a colheita, as mulheres se revezam raspando a mandioca para ser processada. "A roça está uma beleza; nem tenho como agradecer a ajuda que

32

por Iolanda Lopes fotos: Eliseu Dias/Ag Pa

estamos recebendo aqui", disse José Ananias, proprietário do lote. Já em Palestina do Pará, na mesma região, na área pertencente à Associação dos

Pequenos Produtores Rurais do Projeto de Assentamento Riomar (Aprarma), a 45 quilômetros da sede do município, foram mecanizadas 15 hectares de terra,

paramais.com.br


de grãos e tubérculos no sul do Pará beneficiando 35 famílias. A lavoura plantada em consórcio, que agrega arroz e milho, vai render esse ano 50 toneladas de grãos - número 45% maior que o registrado no ano passado, quando foram colhidas 35 toneladas. "Essa é a primeira experiência com mecanização de área e a prioridade é, nesse momento, garantir a segurança alimentar", enfatizou Conceição Soares da Luz, presidente da

Aprarma. As experiências bem sucedidas fazem parte do projeto de fomento à produção de alimentos em lavouras mecanizadas nas áreas de agricultores familiares nas regiões Sul e Sudeste do Pará, da Secretaria de Estado de Agricultura (Sagri), por meio do programa Campo Cidadão. A mecanização é operada somente em áreas antropizadas (pastagens

degradadas e roças abandonadas) e restituirá aos lotes familiares a capacidade produtiva dessas áreas, tornando-as efetivamente úteis e produtivas, ajudando a conter o avanço migratório e predatório para as áreas de preservação ambiental. Pelo menos 700 famílias de produtores foram beneficiadas com o processo. São filiados a sindicatos de trabalhadores e trabalhadoras rurais, associações de

Fabricação de farinha de mandioca

paramais.com.br

33


Produtores familiares comemoram resultados na lavoura e tarefas são divididas: homens garantem a colheitae mulheres se revezam raspando a mandioca

pequenos agricultores familiares e nas cooperativas, os quais vivem em projetos de assentamentos da reforma agrária e em comunidades tradicionais nesses municípios. As secretarias municipais de agricultura também integram o projeto. A interferência mecanizada no preparo dessas áreas familiares pretende gerar uma produção média de 633 toneladas de grãos e 642 toneladas de tubérculos, principalmente a mandioca. Número superior em 40% à produção registrada em 2009. Ainda que grande parte dessa produção seja consumida pelas próprias famílias, o excedente deverá ser utilizado para abastecer o mercado regional, reduzindo significativamente a necessidade de importação desses alimentos básicos, além de gerar emprego e renda.

Experiências bem sucedidas integram projeto Campo Cidadão, de produção de alimentos em lavouras mecanizadas no sul do Pará, fomentado pela Sagri

Os agricultores Edionatah de Moraes e Antônio Carlos Ribeiro, trabalham no cultivo de mandioca da comunidade Três Irmãos, do município de São Domingos do Araguaia. O agricultor José Ananias, conhecido como Seu Paraíba, é proprietário da área de plantação de mandioca na comunidade Três Irmãos. A fabricação de farinha faz parte do projeto de fomento a produção de alimentos em lavouras mecanizadas nas áreas de agricultores familiares na região Sul/Sudeste do estado, fomentado pela Secretaria de Estado de Agricultura (Sagri), através do Programa Campo Cidadão do Estado do Pará

O agricultor Edionatah de Moraes


Histórico As regiões Sul e Sudeste do Pará, onde se agrega também o entorno do lago de Tucuruí, já ocuparam, há cerca de 20 anos, a posição de maiores produtoras de grãos do Estado, com expressiva produção de tubérculos. Porém, as práticas são rudimentares em áreas não estocadas e não mecanizadas, em que os agricultores familiares cultivam em até dois ciclos

consecutivos de plantio, adotando como estratégia de manejo o repouso de área agricultável, que variava entre quatro e sete anos. Em alguns locais, esse plantio se repetia apenas mais uma vez, na mesma área, o que obrigava o agricultor a adotar o processo produtivo como "agricultura migratória", em razão da redução da fertilidade do solo e queda expressiva na produtividade dessas culturas alimentares, cultivadas sem correção e sem fertilizantes químicos ou orgânicos.

A expectativa é resgatar o processo produtivo de grãos e tubérculos em toda a região, através de práticas mais modernas e eficientes, com preparo mecanizado de áreas, possibilitando a aplicação de técnicas de correção e adubação de solos, que certamente resultarão em significativo aumento na produção e na produtividade. P (*) Sagri

Mandioca sendo descascada pelas mulheres da comunidade Três Irmãos, do município de São Domingos do Araguaia, para posterior processamento. A fabricação de farinha faz parte do projeto de fomento a produção de alimentos em lavouras mecanizadas nas áreas de agricultores familiares na região Sul/Sudeste do estado, fomentado pela Sagri.

Todos ajudam

Joventina da Luz Silva trabalhando na raspagem da mandioca para seu posterior processamento

Descascando a mandioca

José Ananias, conhecido como Seu Paraíba

O agricultor Antônio Carlos Ribeiro


Mãe, Visível e Invisível!

D

iz um ditado popular que: “Ser Mãe é padecer no paraíso!”. Discordo! Pois, para mim, Mãe é a razão de ser e, de estar, no Paraíso a inundá-lo de felicidade para os seus filhos e, para si própria! Só se padece quando não há convergência, no entanto, com relação à Mãe, Ela, mesmo não sendo correspondida, dedica todo o seu amor e, carinho, aos seus dependentes, mormente, às Crianças!

por Sebastião Baracho

Dessa forma, ninguém padece... Doando! A minha Mãe, após cumprir a sua missão terrena, está no seio do Criador de todas as coisas, todavia, do infinito, continua emanando o seu amor para todos os seus filhos, de forma mental difundida. A seguir, apresento minhas homenagens a todas as Mães do Universo conhecido e, por nós, ainda desconhecido (com relação ao nosso estado de vivência lá), a saber: a) Homenagens: Entre os valores da vida, ocupas o Nossas homenagens a todas as Mães do Universo

36

primeiro lugar, tu és uma passarela florida para o meu coração desfilar, da tua boca quero o mel de mil beijos de amor, numa refrega com laurel em arena sem perdedores! Os teus olhos quero mirar, em flerte de veneração e, da íris do teu olhar, florescer a minha devoção! Na sombra da tua imagem, onde nenhum mal alcança, há um oásis de passagem: Hospedaria da esperança! O teu majestoso caminhar tem a faceta da beleza, numa decoração sem par que, enciúma a natureza! É dadivoso o teu sorriso, pairando em tua face divinal, és o reflexo do paraísoobscurecendotodoomal! Até as flores nos jardins, curvam-se ao teu mirar, como mostrando a mim, a formosura do teu olhar! As estrelas no infinito, ficam no éter a cismar, achando o teu andar bonito e, querendo te acompanhar!Aluz amena do luar fica toda embevecida, em poder te seguir pelas estradas da vida! A água das cascatas soltam chispas de luz, cantando em serenatas onde a tua beleza seduz. O gorjeio dos passarinhos fazem coro a tua passagem, duetando nos belos ninhos ao encanto da tua imagem! Até as estações do ano transformam-se em verão, para te verem passando... Minha doçura e paixão! Como ficar insensível ante tantos carinhos, quando, até o invisível, abremte os caminhos? Este é o retrato rimado da minha Mãe querida que, atualmente, junto a Deus e, ao meu lado (no pensamento), é a razão da

paramais.com.br


minha vida! b) Respostas das mães que estão no infinito: Filhos! Não chorem por mim! Não lamentes nem fiquem tristes, a morte da vida não é o fim, pois, para mim Ela, eterna... Existe! Sou

paramais.com.br

mais feliz do que vocês, em minha atual existência, por aí só vivi uma vez, aqui... Existoemconsistência! A cada lágrima derramada, dos seus olhos filiais, minha alma enciumada, fica penando pelos portais, Portais agora nos

separando da matéria que vocês conduzem, mas, quando Dela for se livrando, viveremos juntos, nas... Luzes! Por mim foi feito o possível, o impossível só Deus poderia!Perdi vocês, meus filhos incríveis, mas, ganhei por mãe... Maria! P

37


Homenagem para todas as Mulheres por Lenise Resende

1. Toda a Mulher que nunca é notícia no seu papel "apagado" de simples mulhercasada, mulher-mãe e mulher-dona de casa; 2. Toda a Mulher que se esforça diariamente por conciliar a sua vida profissional com a sua vida familiar, sabendo inclusive – quando necessário – dar o primeiro lugar à família, em defesa da sua estabilidade; 3. Toda a Mulher que, por não se enquadrar fisicamente nos modelos considerados mais atraentes e modernos, se sente muitas vezes sozinha, abandonada, desprezada e ridicularizada; 4. Toda a Mulher que, por não ter tido acesso à cultura ou aos bens materiais, e apesar do seu valor como Pessoa, se sente injustamente menos válida e menos apreciada; 5. Toda a Mulher que, pela sua cor, idade, estado, profissão, nacionalidade, religião ou educação, se sente discriminada; 6. Toda a Mulher que, sozinha e por seu único esforço pessoal e pelo seu trabalho digno - por mais humilde que seja!- luta

38

pela sobrevivência própria e pela dos seus filhos - quando os tem - sem que para tal se sujeite alguma vez, a vender o seu corpo; 7. Toda a Mulher, casada ou não, que luta pela dignificação do seu papel na sociedade, nos vários campos do mundo

da cultura, contra os vários conceitos e estereótipos da mulher - objeto decorativo e descartável; 8. Toda a Mulher que generosamente se

esforça por defender a Família – a sua e a dos outros – como uma relação estável e duradoura, alegre e aberta à vida, consciente de que a Família – contra todos os ventos e marés - continua a ser um G r a n d e P r o j e t o d e A m o r, u m compromisso livre e voluntário, uma entrega certamente com riscos, mas sem limites e capaz de preencher e dar sentido à vida inteira; 9. Toda a Mulher que apesar de usada e abusada, de muitas e degradantes maneiras, luta por sair da crise em que se vê afundada, qualquer que ela seja, ciente de que por muito que custe é sempre possível voltar a erguer a cabeça e encontrar uma mão desinteressada e amiga; 10. Toda a Mulher, em qualquer parte do mundo, que reconhecendo muito embora, a necessidade de homens e mulheres se compreenderem e respeitarem, se preocupa por apoiar solidariamente outras mulheres, em especial as mais fragilizadas e carentes, e defender o seu tratamento em igualdade de direitos com os homens. P

paramais.com.br


COMPANHIA DE DANÇA LANÇA COLETÂNEA BIBLIOGRÁFICA

A

Companhia Moderno de Dança lançará em junho deste ano a coletânea bibliográfica Processos Criativos em Companhia , que compreende três volumes. O primeiro deles intitula-se Gesto Transfigurado: a abstração do cotidiano urbano nos processos de criação e encenação do espetáculo Metrópole e é resultante da pesquisa de mestrado da professora Ana Flávia Mendes. O segundo, Dança Imanente: a dissecação artística do corpo no processo de criação do espetáculo Avesso, é fruto da pesquisa de doutorado da mesma professora. Já o terceiro volume, intitulado Abordagens Criativas na Cena: os múltiplos olhares da Companhia Moderno de Dança, compreende um conjunto de textos produzidos pelos integrantes do grupo, que articulam as artes cênicas aos seus diferentes saberes acadêmicos, ilustrando a multiplicidade comum à Companhia. Formada por antigos alunos do Colégio Moderno, instituição de ensino formal de Belém do Pará, a Companhia foi fundada a partir do trabalho desenvolvido no Grupo Coreográfico desta instituição. O ano era 2002 e muitos dos componentes do referido grupo de dança escolar já se encontravam no ensino superior ou estavam prestes a concluir o ensino médio. Os professores Gláucio Sapucahy e Ana Flávia Mendes lideravam os alunos. Juntos, professores e alunos propuseram à Direção do Colégio Moderno a criação de um grupo de dança que atendesse aos anseios de seus antigos estudantes. Os professores obtiveram total apoio da Direção, sobretudo da Diretora Pedagógica, Professora Marlene Vianna, que não somente aprovou a existência da Companhia Moderno de Dança, mas assumiu o papel de Diretora de Honra do grupo. Em sete anos de trabalho no cenário artístico paraense, a Companhia tem vinculado pesquisa e produção em dança à formação de seus integrantes. Neste sentido, merecem destaque também seus projetos paralelos. São eles: o Grupo de Dança Moderno em Dança, o Projeto Social Aluno-Bailarino-Cidadão e o Festival Escolar de Dança do Pará - FEDAP. O Grupo de Dança Moderno em Cena foi criado nos mesmos moldes com que se

Cena do espetáculo Metrópole, que é objeto de investigação do livro Gesto Transfigurado, volume 1 da coleção Processos Criativos em Companhia

Cena do espetáculo Avesso, que é objeto de investigação do livro Dança Imanente, volume 2 da coleção Processos Criativos em Companhia

formou a Companhia Moderno de Dança. A história se repete, porém desta vez, os jovens egressos do Colégio Moderno são orientados pelos próprios integrantes da Companhia. O Projeto Social AlunoBailarino-Cidadão consiste em uma ação solidária que oportuniza a prática da dança a alunos de escolas das redes de ensino público estadual e municipal. Já o FEDAP, possibilita a grupos de dança escolares, espaço próprio para a apresentação de suas produções e avaliação qualificada, contribuindo para o crescimento dos trabalhos artísticos e educacionais desses grupos. Nos três projetos citados, os integrantes da Companhia Moderno de Dança transformam-se em professores, coreógrafos, organizadores e produtores, viabilizando necessidades elementares e ampliando suas funções artísticas na frente pedagógica e da produção em artes. Funcionando como núcleo artístico independente, porém com o apoio institucional irrestrito do Colégio Moderno, hoje a Companhia Moderno de Dança se prepara para colher os primeiros frutos de sua caminhada acadêmica. A coletânea Processos Criativos em Companhia é, portanto, produto de anos de estudo e experimentação em artes cênicas. É uma obra alicerçada em ações de extensão do ensino formal, promovidas e incentivadas pela própria escola. Trata-se de uma iniciativa inédita em nível local e nacional no campo das artes, visto que, até então, não se tem notícias de um grupo de dança que tenha lançado três livros concomitantemente. Ao longo de sua trajetória a Companhia tem conquistado importantes prêmios,

tais como: Prêmio FUNARTE de Dança Klauss Vianna (2006, 2008 e 2009); Prêmio SECULT-PA de Estímulo à Criação em Dança (2006 e 2008); Prêmio SESI-PA de Melhor Coreógrafo(a) (2004 e 2006); Prêmio SESI-PA de Coreógrafo(a) Revelação (2003 e 2005); Prêmio SESI-PA de Melhor Bailarina (2004); Prêmio SESI-PA de Bailarino Revelação (2003); Prêmio de Melhor Grupo no Encontro Internacional de Dança do Pará (2005); Prêmio de Melhor Coreografia no Encontro Internacional de Dança do Pará (2006). Além disto, o grupo foi contemplado com a Bolsa de Produção Crítica em Artes da FUNARTE (2008) e a Bolsa de Pesquisa, Experimentação e Criação Artística do Instituto de Artes do Pará (2010). Viabilizado por duas dessas premiações, o lançamento da coleção será apenas o passo inicial em uma nova etapa do grupo, que pretende, com os recursos angariados na venda dos livros, iniciar o processo de construção de um centro multidisciplinar de artes em diálogo com outras áreas do conhecimento. A programação de lançamento acontecerá no Teatro Margarida Schiwasappa (CENTUR) nos dias 26 e 27 de junho às 20 horas. Na ocasião haverá uma sessão de autógrafos acompanhada de coquetel, além da apresentação de trechos dos espetáculos Metrópole e Avesso, e da estreia do mais recente trabalho da Companhia Moderno de Companhia Moderno de Dança – coletivo que assina o livro Abordagens Criativas na Cena, volume 3 da coleção bibliográfica Processos Criativos em Companhia

Dança, o espetáculo Reforma. Após o lançamento dos três primeiros volumes da coleção, a Companhia promete disponibilizar no mercado novos livros, publicando outras de suas produções acadêmicas e, por conseguinte, atualizando e movimentando o campo teórico-prático da dança.


Fies

(Financiamento ao Estudante do Ensino Superior)

O

Fundo de Financiamento ao Estudante do Ensino Superior (Fies) é um programa do Ministério da Educação destinado a financiar prioritariamente estudantes de cursos de graduação. Para candidatar-se ao Fies os estudantes devem estar regularmente matriculados em instituições de ensino não gratuitas cadastradas no programa, em cursos com avaliação positiva no SINAES. O Fies é operacionalizado pelo Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação - FNDE. Todas as operações de adesão das instituições de ensino, bem como de inscrição dos

estudantes são realizadas pela internet, o que traz comodidade e facilidade para os participantes, assim como garante a confiabilidade de todo o processo.

Inscrições dos estudantes Novo Site do Fies 2010. Para efetuar sua inscrição acesse o endereço,http://sisfiesaluno.mec.gov.br/s eguranca/principal. Sendo o seu primeiro acesso, clique no link à esquerda para efetuar o primeiro cadastro. É necessário ter em mãos número do CPF, data de nascimento e um endereço de email válido. Será solicitada a criação de uma senha. A partir daí você terá acesso ao SisFies, preenchendo o restante do cadastro e informando os dados da instituição e curso pretendidos para o financiamento. P

Regras para Inscrições do Novo Fies 2010 O MEC publicou no Diário Oficial de 03/05/2010, as regras e procedimentos para inscrição do Novo Fies 2010. A íntegra da Portaria Normativa do FIES 2010 pode ser vista no site da Imprensa Nacional. Atenção: A inscrição no FIES será efetuada exclusivamente pela internet, por meio do Sistema Informatizado do FIES (SisFIES), disponível nas páginas eletrônicas do Ministério da Educação (MEC) e do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE). Para efetuar a inscrição no FIES, o estudante deverá informar seu número do Cadastro de Pessoas Físicas (CPF) e prestar todas as informações solicitadas pelo Sistema. Os estudantes que obtiverem o financiamento que já pagaram alguma mensalidade à sua Instituição terão o valor das parcelas ressarcidos pelas mesmas. Dentre as principais mudanças do Novo Fies 2011 é que, (somente a partir de 2011), só estudantes que tiverem participado do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem 2010) poderão pedir o Fies. Neste ano, ainda não será necessário. Outras mudanças são, segundo a nova lei do Fies, publicada no início deste ano, o abatimento de 1% da dívida para os jovens que optarem por licenciaturas e atuarem como professores da rede pública de educação básica com jornada de, no mínimo, 20 horas semanais. Também conseguirão o abatimento de 1% da dívida os alunos que optarem por medicina e atuarem no programa Saúde da Família em áreas prioritárias definidas pelo Ministério da Saúde. Formados em medicina terão ainda o período de carência estendido enquanto durar a residência médica.

Informações sobre o Fies: 0800 616161 Atendimento IES: fies.instituicao.ensino@fnde.gov.br Atendimento estudantes: fies.estudantes@fnde.gov.br Acesso ao ambiente virtual do Fies para adesão das mantenedoras: http://iesfies.mec.gov.br/ 40

paramais.com.br


Mulher imprescindível até

quando se fala do estímulo à leitura

W

oman, mujer, femme, donna, frau, mulher. Não importa o idioma, não importa o país, em qualquer lugar do mundo mulher é sinônimo de amor, de luta, de fé, de força, de coragem e de leitura também. Por motivos históricos, o dia 08 de março foi escolhido para ser o Dia Internacional da Mulher, mas para o Instituto Pró-Livro (IPL) um dia apenas é pouco para agradecer e homenagear a maior incentivadora de leitura em nossopaís. De acordo com a segunda edição da pesquisa Retratos da Leitura no Brasil, encomendada pelo IPL ao Ibope Inteligência, 55% dos leitores brasileiros são mulheres e 49% apontam a mãe ou a mulher responsável pela educação na família como a p r i n c i p a l incentivadora do hábito de leitura. Entre crianças de cinco a dez anos esse número sobe para 73%. Ainfluência da mulher no hábito de leitura não para por aí. 60% dos leitores brasileiros lembram-se de terem visto a mãe, sempre ou de vez em quando, lendo. As mulheres não incentivam apenas pelo exemplo. Elas se dedicam. Mais da metade das mulheres leitoras dizem que, sempre ou algumas vezes, leem para os leitores iniciantes. A pesquisa Retratos da Leitura no Brasil prova que a mulher faz a diferença. E é para essas mulheres a homenagem do IPL. Às mulheres que há tempos deixaram de

paramais.com.br

por Sonia Machado Jordim

A mãe ou a mulher responsável pela educação na família como a principal incentivadora do hábito de leitura

ser o sexo frágil. Erasmo Carlos já havia cantado que esta é uma mentira absurda. E ele reconhece a força da mulher ao cantar “sou forte, mas não chego aos seus pés”. À mulher que é uma, mas que se desdobra em várias. É filha, amiga, irmã, esposa, mãe, professora, dona de casa, profissional. E ela é tudo isso ao mesmo tempo. O IPL deseja que a mulher continue a fazer a diferença e que absorva, completamente, mais este papel, o de incentivadora de leitura. Que ela possa ensinar pelo exemplo, que ela consiga mostrar, com a ternura que lhe é peculiar, a importância dos livros. Nós, do Instituto Pró-Livro, esperamos que as mulheres tenham a consciência da sua importância neste processo de incentivo à leitura, que continuem estimulando, não apenas às crianças, mas a todas as pessoas, pois leitura é conhecimento, é prazer, é sonho, é realidade.

Você, mulher, é peça importante para que possamos transformar o Brasil em um país de leitores, porque você tem o poder de transformação. Continue colocando livros no caminho das pessoas que ama. Mostre a elas todas as possibilidades que os livros oferecem. Assim como a mulher, o livro também desempenha vários papéis na sociedade. Ele mostra os caminhos, apresenta oportunidades, propicia sonhos e conhecimentos. É uma janela aberta para o mundo. O livro é amigo, companheiro, fonte de prazer e de sabedoria. São tantas as qualidades parecidas com as das mulheres, que fica fácil a gente entender o resultado da pesquisa Retratos da Leitura no Brasil. Mulher e livro se complementam. Neste dia 08 de março de 2010 e em todos os dias do ano, o IPL agradece e parabeniza a todas as mulheres do Brasil, pelo Dia Internacional da Mulher e, principalmente, por desempenharem, de maneira brilhante, o papel de incentivadora de leitura. P (*) Presidente do Instituto Pro-Livro

O livro é amigo, companheiro, fonte de prazer e de sabedoria

41


A década do livro O por Rosely Boschini

ano de 2010, que inaugura a segunda década do Século XXI, mostra-se muito promissor para o mercado editorial e ampliação do hábito de leitura em nosso país. A começar pela estimativa de crescimento econômico de 5%, consolidando a recuperação econômica do Brasil, a primeira nação a emergir da grave crise mundial. Ademais, teremos a realização das eleições para a Presidência da República, governadores, senadores e deputados federais e estaduais, que sempre suscitam maior interesse em pesquisas e estudos sobre política e história. Haverá, ainda, a Copa do Mundo, na África do Sul, evento tradicionalmente estimulante para a indústria da cultura e do entretenimento como um todo. Também será realizada a 21ª Bienal Internacional do Livro de São Paulo, de 12

É essencial a mobilização do setor público e da iniciativa privada, para que 2010 seja o primeiro ano de um década em que o livro esteja ao alcance de todos os brasileiros

42

e 22 de agosto, no O ano de 2010 mostra-se Anhembi. O evento — o muito promissor para o momento do livro no mercado editorial Brasil ! — atrai grande volume de público, constituindo-se, tradicionalmente, em elemento formador de novos leitores. Trata-se de um verdadeiro convertedor de visitantes d e f e i r a s e m frequentadores de livrarias. Há que se considerar, ainda, o crescimento anual dos p r o g r a m a s governamentais de distribuição de livros às escolas públicas, agora não mais restritos às obras didáticas. Assim, há vários fatores que permitem vislumbrar com otimismo a performance do mercado editorial. Não temos os números fechados de 2009, mas os dados e estatísticas dos estudos mais recentes corroboram a percepção de exemplares, conforme se pode verificar na que o livro e a leitura encontram-se numa pesquisa “Produção e Vendas do Mercado curva ascendente no País. No período de Editorial Brasileiro”, realizada pela 2 0 0 6 e 2 0 0 8 , f o r a m l a n ç a d o s Fipe/USP para a CBL (Câmara Brasileira aproximadamente 57 mil novos títulos e do Livro) e SNEL (Sindicato Nacional dos impressos mais de um bilhão de Editores de Livros). O estudo também

paramais.com.br


aponta significativa redução de preços. Se considerarmos os valores reais, ou seja, já descontada a inflação de 2004 a 2008, a queda do preço médio efetivo do período foi de 22,4% no segmento de obras gerais, por exemplo. Em 2008, o mercado editorial faturou R$ 3,3 bilhões. Foram publicados 51.129 títulos (mais 19,52% em relação a 2007) e produzidos 340.274.195 exemplares (menos 3,17% na comparação com o ano anterior). Os números mostram maior investimento em novos títulos. É uma estratégia inteligente do mercado, estimulando o surgimento de autores e a produção intelectual. O maior número de títulos permite gerenciamento estratégico das tiragens, que vão respondendo ao comportamento da demanda. Outra importante pesquisa — Retratos da Leitura no Brasil — também indica um cenário de crescimento para o consumo de livros. Em sua última edição, identificou a existência de 95 milhões de leitores no País e um índice de leitura de 4,7 títulos por habitante/ano. Fica muito claro que a década terminada em 2009 apresentou um grande avanço do livro no Brasil. Entretanto, ainda estamos num patamar aquém do compatível com a realidade do país detentor da 10ª economia mundial, no qual se tem verificado um dos índices mais acentuados de redução da miséria no Planeta e que se posiciona como nação prestes a ingressar no rol das desenvolvidas. Assim, é preciso, no novo ano, um imenso esforço para mitigar os

obstáculos à expansão substantiva do hábito de leitura. Um dos passos importantes é suprir a falta de bibliotecas, inclusive na rede pública de ensino. O Censo Escolar 2008 indica essa carência em 113 mil escolas, ou 68,81% da rede pública! O problema não se limita à falta de livros. Em 2009, o orçamento federal para o envio de obras gerais à rede pública foi de R$ 76,6 milhões. É um montante apreciável para as aquisições. Em 2008, as escolas receberam, em média, 39,6 livros cada uma, média muito razoável. E isto não inclui o PNLD (Programa Nacional do

São prioritários programas capazes de facilitar o acesso ao livro pelas crianças e jovens matriculados na rede pública de ensino

Livro Didático). O que mais falta é infraestrutura física, ou seja, espaços adequados à montagem das bibliotecas. Somam-se a esse problema os grilhões do analfabetismo, triste realidade de um a cada dez brasileiros. Em números absolutos, segundo estudo do Ministério da Educação, cerca de 15 milhões de brasileiros maiores de 15 anos não sabem ler e escrever. Mais grave ainda é que 21,6% dos habitantes com mais de 15 anos são analfabetos funcionais. São prioritários, ainda, programas capazes de facilitar o acesso ao livro pelas crianças e jovens matriculados na rede pública de ensino. Nesse sentido, além da ampliação das ações federais, como o PNLD e Programa Nacional Biblioteca da Escola, são necessárias mais iniciativas conjuntas entre União, estados e municípios e a iniciativa privada. Exemplo bem-sucedido da viabilidade desse objetivo é o projeto Minha Biblioteca, realizado na cidade de São Paulo, com forte apoio e participação da CBL. É essencial a mobilização do setor público e da iniciativa privada, como vêm fazendo as entidades do mercado editorial, para que 2010 seja o primeiro ano de um década em que o livro esteja ao alcance de todos os brasileiros e a leitura, conduzindo nossa população à sociedade do conhecimento, referende nossa condição de país desenvolvido! P (*) Empresária do setor editorial, é a presidente da Câmara Brasileira do Livro (CBL)

É essencial que o livro e a leitura esteja ao alcance de todos os brasileiros, para sermos um país desenvolvido paramais.com.br

43


Tempo não é dinheiro por Christian Barbosa

C

ontrariando a máxima do capitalismo, tempo não é dinheiro. Se fosse, qualquer desempregado seria extremamente rico. Mas também dinheiro abundante não é sinônimo de riqueza. A utilidade que você tira do seu tempo e do seu dinheiro é que determinam o quão rico você é, ou qual a verdadeira prosperidade você possui. A sinergia entre tempo e dinheiro é tão grande que dificilmente você conseguirá ter um sem o outro de forma equilibrada. Ou seja, para aproveitar seu dinheiro você precisa de tempo e para ter tempo você precisa de dinheiro. Isso não significa a conquista de um sonho utópico, ou ganhar na loteria. Significa que você se prontificou a aprender como usar melhor seu tempo e seu dinheiro, para g e r a r e m prosperidade. Independente do tempo e do d in h e i r o disponível atualmente. Esse é o pressuposto que defendemos e comprovamos no livro Mais Tempo Mais Dinheiro, que escrevi em parceria com o Gustavo Cerbasi (Casais Inteligentes Enriquecem Juntos). Defendemos o conceito de que a vida é vivida basicamente em “ciclos pessoais”,

que são o modo como escolhemos e decidimos levar nossa vida. Esses ciclos podem ser visualizados na imagem de uma espiral, como um amortecedor de carro. Essa espiral pode ser ascendente (prosperidade), descendente (frustração) ou contínua no mesmo ponto (sobrevivência). O Ciclo da Prosperidade compreende as pessoas que dão resultados, que sabem usar bem seu tempo, conseguem fazer o dinheiro render e aumentar, usam técnicas de planejamento para tempo e finanças e vivem de forma sustentável em todos os seus papéis. O ciclo da Frustração tem sentido descendente e compreende as pessoas que não conseguem ter tempo para nada, vivem cheias de problemas financeiros, pagam juros aos bancos, vivem atrasadas em suas atividades e o estresse é parte

De acordo com o especialista em administração de tempo e produtividade, Christian Barbosa, a vida acontece em "ciclos pessoais", marcados pela forma como as pessoas escolhem e decidem levar suas rotinas, conseguindo acumular riqueza ou não. "Esses ciclos se equiparam à imagem de uma espiral, como um amortecedor de carro, que pode ser ascendente, descendente ou contínua no mesmo ponto", explicou Barbosa. O ciclo da prosperidade (ascendente) é aquele em que as pessoas dão resultados e sabem como usar bem o tempo. "Elas conseguem fazer o dinheiro render e aumentar, usam técnicas de planejamento para tempo e finanças e vivem de forma sustentável em todos os seus papéis".

Quando a situação piora Um outro ciclo é o da sobrevivência (contínuo no mesmo ponto), quando a pessoa não perde 44

integrante da vida. O ciclo da Sobrevivência é quando o círculo se estaciona em alguma posição da espiral da vida e a pessoa literalmente, “corre atrás do próprio rabo”. Muitas vezes ela se conforma em apenas sobreviver. Em ter dinheiro suficiente para pagar suas contas, em permanecer estacionados em sua carreira, em seu tempo ser mal utilizado na maioria das vezes. O propósito de uma vida equilibrada e com resultados é entrar na espiral da prosperidade e nunca mais sair dela. E isso depende de alguns fatores, mas principalmente da sua auto-análise em descobrir o ciclo que se encontra e de vontade para operar mudanças na sua vida. T e m p o e Dinheiro são grandezas que quando bem Comissão de frente, utilizadas fazem a incorrigível alegria a diferença na da nossa gente sua vida, da sua família e das pessoas que estão ao seu redor. Não é sorte, mágica ou utopia. É metodologia, treinamento, persistência e planejamento colocados em prática no seu P dia-a-dia !

riqueza, mas também não acumula. Nesta situação, a pessoa se conforma apenas em sobreviver, tendo dinheiro suficiente para pagar suas contas e permanecer no mesmo ponto de sua carreira. O tempo, para elas, também é mal utilizado na maioria das vezes. Pior do que essas pessoas, por sua vez, estão aquelas no ciclo da frustração (descendente). "Engloba as pessoas que não conseguem ter tempo para o que gostam, vivem cheias de problemas financeiros, pagam juros aos bancos, estão atrasadas em suas atividades e o estresse configura-se como parte integrante da vida", ressaltou Barbosa. Para conseguir se manter no ciclo da prosperidade, Barbosa indicou que a pessoa faça uma autoanálise com o intuito de descobrir em que fase da vida se encontra. paramais.com.br


Amamentar

faz bem à saúde da mãe

A

s mulheres que amamentam os filhos por mais tempo têm menos probabilidades em sofrer ataques cardíacos ou tromboses. A conclusão faz parte de um estudo realizado pela Universidade de Pittsburgh, nos Estados Unidos. O trabalho de investigação foi publicado na conceituada revista da especialidade Obstetrics & Gynecology. Eleanor Bimla Schwarz, responsável pelo estudo explica que os problemas cardíacos são a principal causa de morte entre o sexo

Além das vantagens conhecidas para os bebês, um estudo revela agora que as mulheres também ganham com a amamentação feminino, por isso, é importante conhecer todas as formas de proteção. Há vários anos que se conhece a vantagem do leite materno para a saúde dos bebês agora, finalmente, há provas de que amamentar também faz bem à saúde das mães, é a conclusão da pesquisa. Segundo os dados recolhidos na investigação as mulheres que amamentaram pelo menos durante um mês os seus bebês têm, depois de atingirem a menopausa, menores taxas de diabetes, hipertensão e colesterol. Em relação às mulheres que amamentaram durante um ano os filhos, por comparação com as que nunca deram leite materno aos

A primeira mamada na cesariana e parto normal

Bebê tem que mamar logo que nasce!

A Organização Mundial da Saúde preconiza que a primeira mamada ocorra logo na primeira hora de vida do bebê. Portanto, quanto antes ocorrer, maior será os benefícios da amamentação e menor o risco do desmame precoce.

O aleitamento materno é fundamental nos primeiros minutos de vida do novo serzinho. Mesmo aquela mamãe que por vezes não pode nem sentar e está cansada do exaustivo trabalho de parto, é preciso sim dar atenção imediata ao filho.

paramais.com.br

filhos, foi encontrada uma probabilidade de menos 10% em ter ataques cardíacos e tromboses.

140 mil mulheres Desta forma, os investigadores concluíram ainda que os benefícios para a saúde, no caso do sexo feminino, são em longo prazo. A maioria das mulheres que participou no estudo tinha dado de mamar aos filhos há mais de 20 anos. “Quanto mais tempo a mãe der de mamar ao filho melhor para ambos. Este estudo revela ainda uma boa razão para mudar algumas políticas laborais e incentivar as mães a amamentar os filhos”, explica Eleanor Bimla Schwarz. Participaram nesta investigação, que teve início em 1994, perto de 140 mil mulheres.


Alma de Mulher N

o objetivo de buscar o papel da mulher no mundo, o caminho escolhido foi minha vida, vista e analisada pela alma e coração femininos. Quando criança, já sentia como são diferentes os caminhos das pessoas. Pobres e ricos, crentes e ateus, feios e bonitos, saudáveis e imperfeitos. Um mundo cheio de cores, alegres e tristes. E eu desejava muito entendê-lo. Olhava-me e ignorava o sentido de minha existência. Mas sentia-me bem, assim como era. Meus cabelos cacheados que me cobriam os ombros me enchiam de orgulho. Pela manhã, os escovava, tratando-os como a um tesouro. Minha alma feminina já se manifestava em pequenas coisas. Emocionava-me com facilidade e não raro derramava lágrimas por algo que via ou presenciava.Alma de mulher. Nos longos recreios na escola eram constantes minhas visitas a gruta de Nossa Senhora e ali... Sentia-me feliz. Aquela mulher, de rara beleza me fascinava e me orientava. Tinha um amor imenso por aquela mulher. Jovem e corajosa que gerou, amamentou, ensinou os primeiros passos a Jesus. Sim, eu a amava muito e gostava de partilhar com ela o imenso privilégio de ser mulher. Um dia, pensava eu, ainda faria algo forte, algo de que pudesse me orgulhar. Algo para deixar sementes e brotar minha presença neste mundo.Alma de mulher.

46

por Maria Cristina Moreira Safadi

Minha mãe era rainha naquela bonita casa. E eu... Eu a achava linda... Mãe de oito filhos,sabia se conduzir com força e determinação, dispensando a cada um a real necessidade que se fazia presente. Ocupava em meu coração infantil um lugar que ninguém mais haveria de conquistar. Segurava suas mãos, sabendo que me levariam por um justo caminho. Seguia seus passos, certos e firmes e admirava-a mais do que nunca, dividindo suas horas nos afazeres domésticos e em seus cuidados com o lar. A delicadeza feminina.Alma de mulher. Mas, seria isto o que se espera de uma mulher? Fui crescendo, olhos atentos, mãos explorando, visitas contínuas a Nossa Senhora. Não... jamais poderia imaginar a luz que recebi de Minha Mãe. Procurava incessantemente meu lugar. Estudava, lia tudo que me passava pelas mãos. Mudei de rumo muitas e muitas vezes, mas sempre a alma feminina, ansiosa, misteriosa e terna, dirigia meus mais importantes momentos. Alma de mulher Finalmente terminei meus estudos em profissão não tão feminina. Ao menos pensava assim, tendo como universo o mundo que se descortinava a minha frente. Mas a imagem daquela Nossa Senhora jamais me abandonou. Trazia-me uma força traduzida na minha vontade de marcar o meu caminho com flores, muitas flores. Flores com seu aroma, sua mensagem, sua cor, seu sentido, purificando as mãos daqueles que as tocam. Um mundo visto por meu coração. Alma de mulher. Nesta fase de minha vida já começava a compreender a importância de ser mulher. Colocar nos corações toda vida emocional que vibra no sangue de cada um. Olhavam e e n ã o identificava mais aquela menina

franzina e temerosa dos velhos tempos. E os sonhos onde estariam eles? Escondido em algum canto de meu coração. Mas não estavam perdidos. Acalento-os até hoje e muitos... Estes os realizei. Alma de mulher. Tornei-me mãe e meus filhos muito me ensinaram. Aprendi a esquecer, perdoar, não permanecer em queda, pois muito ainda haveria de lutar. Conheci a beleza de ter em meus ombros a tarefa de carregar seres que muito amo. Trabalho gerando flores, lágrimas que caem numa canção, sorrisos que brotam dos lábios de meus filhos. Tudo em perfeita harmonia. Impossível ser feliz sem vê-los igualmente felizes.Alma de mulher Abri então meu coração, entendendo que ser feliz é muito mais. É compreender a verdadeira missão a que nos foi destinada. Trazer ao mundo o toque delicado das mãos femininas, no cuidado, no amor, no trabalho. É dizer não a violência que insiste em se alastrar, é pagar com sorriso a lágrima que insiste em cair, é gostar do amargo porque nele também podemos perceber o doce. Ser mulher é saber calar e falar com o coração. É poder se comunicar sem nem mesmo usar a palavra. É ter a tarefa de decidir com força e determinação, sentindo em nossas mãos o peso da decisão.Alma de mulher. Finalmente em minha jornada encontrei a Deus. E pude amá-lo de forma intensa e maravilhosa. Pude senti-Lo nos P momentos paramais.com.br


Oralis Odontologia Clínica e Geriatria

Vivendo de sorriso aberto A Clínica Oralis alia conforto e qualidade no atendimento odontológico desde a infância até a 3ª idade. O conforto é resultado de suas instalações modernas e amplas possibilitando também acessibilidade a cadeirantes e que incluem ainda centro cirúrgico odontológico completo e laboratório protético. A qualidade está expressa em sua equipe de profissionais capacitados e que abrangem várias especialidades dando ao paciente a comodidade e segurança de realizar seu tratamento odontológico total num só lugar. Outro destaque da clínica é o inovador atendimento domiciliar, hospitalar e centro cirúrgico oferecidos aos pacientes com dificuldade ou impossibilidade de locomoção. Portanto, se você procura odontologia de alto nível aliada a um tratamento ético e confiável você encontra na Clínica Oralis.

Tv. Dom Romualdo de Seixas, 1830 (entre João Balbi e Boaventura da Silva)

Tel: (91) 3224-2662 jkodontogeriatria@yahoo.com.br


Sérgio PANDOLFO

RODOVIA BELÉM-BRASÍLIA. UMA EPOPEIA COMPOSTA POR DOIS MÉDICOS: JK E WALDIR BOUHID nosso propósito, neste artigo, enaltecer e pôr a descalvado o trabalho de dois médicos de têmpera superior e que também foram escritores de livros convencionais e de páginas sublimes da História recente. A Rodovia Belém-Brasília, que vem de completar o cinquentenário de abertura juntamente com a inauguração de Brasília, a 21 de abril p.p., teve uma trajetória de verdadeira epopeia entre a decisão e a concretização dos sonhos de dois homens notáveis: Juscelino Kubitschek e Waldir Bouhid. A determinação e o arrojo marcaram a personalidade desses dois gigantes, como já a seguir se verá - e é sobre aspectos dessa partitura épica que pretendemos discorrer - composta a quatro mãos por JK, um médico – também exímio escritor - que chegou ao pináculo da glória e da fama em função das obras que ousou fazer, que o tornaram conhecido de todos, e por outro médico, Waldir Bouhid, também

É

“Caminhos alcatifados, floridos, não podem levar à glória. Os caminhos da glória hão que ser, necessariamente, pedregosos, quase ínvios”. SerPan

mineiro de berço que se fez parauara do grão por adoção, mas que, em contraposição a JK, desconhecido, quase anônimo, como, aliás, soem ser as pessoas, coisas e fatos ligados ao Norte, que ocupava, à época, a superintendência da SPVEA e como tal causava espécie aos que lhe não conheciam as aptidões e os méritos. Um médico a dirigir um órgão que se pretendia viesse a alçapremar e valorizar a economia amazônica? Viu-se depois que esse era o homem certo, indicado para o lugar certo. Sabe-se muito, quase tudo, a respeito de Brasília e obviamente sobre JK, “o maior visionário pragmático que governou nosso País” no dizer de Baggio, mas sabe-se pouco, quase nada, sobre a Belém-Brasília, sua segunda obra de primeira grandeza, cuja abertura e implantação se constituem, sem ponta de dúvida, em empreitada trabalhosa, esfalfante, quase ínvia, mas grandiosa e grandiloquente por si mesma. No início de 1958, o Presidente Juscelino Kubitschek reuniu, no Imagem histórica de fevereiro de 1959: o presidente da República Juscelino Kubitschek (c) visita as obras de construção da Rodovia Belém-Brasília. Waldir Bouhid está um pouco atrás e à direita. O estradão principiava de ser aberto pelos mateiros sapadores

48

Palácio dos Leões, em São Luís do Maranhão, os Governadores da Amazônia Mapa do traçado e do Nordeste bem como os da Belém-Brasília dirigentes de órgãos confeccionado pelos federais para comunicartécnicos da SPVEA-RODOBRÁS lhes sua decisão de construir a Nova Capital da República, cuja inauguração já havia adrede fixado para o dia 21 de abril de 1960. Após a exposição do Presidente Juscelino a respeito das obras infraestruturais de transporte e comunicação planejadas para proporcionar condições de desenvolvimento à nova capital, Waldir Bouhid, Superintendente da SPVEA, verificando que o Pará estava fora do projeto global, fez ver que, sem uma rodovia interligando a capital paraense ao planejado Distrito Federal, este nada significaria para Belém, naquela época com ligação direta com o Rio de Janeiro, sede do governo federal, apenas por meio de navios e de aviões. O engenheiro Régis Bittencourt, Diretor Geral do DNER, homem de grande conceito e renome, consultado no ato por Juscelino sobre a viabilidade técnica da construção de uma rodovia entre Belém e Brasília, abriu o mapa do Brasil e, assinalando o enorme trecho de floresta virgem, disse ser humanamente impossível à engenharia nacional realizar obra daquele vulto, no prazo de dois anos. Tentava-se “pôr a água da razão no vinho puro da sabedoria divina”, a redizer São Boaventura. Sem se dar por vencido, Waldir Bouhid lançou o desafio: “Presidente, não sou engenheiro rodoviário, sou médico sanitarista. Entretanto, se Vossa Excelência conceder-me os meios, a SPVEA construirá essa rodovia para ser inaugurada juntamente com Brasília”. E quem você acha que poderia se encarregar da tarefa? - indagou Nonô (terno apelido de infância que lhe houvera dado sua mãe). Bouhid não tergiversou: “Eu mesmo, presidente; conheço palmo a palmo a região, tenho prática de lidar com mateiros e como homem do Pará sempre sonhei com essa estrada e farei qualquer sacrifício para vê-la construída” Tomado de surpresa - e maior firmeza - o diamantino presidente concluiu: “Pois então, senhores, começaremos amanhã!”. Mais do que nunca cabe repetir aqui os imorredouros versos de Fernando Pessoa: “Deus quere, o homem sonha, a obra nasce” Em suas memórias, “o poeta da obra pública”, como o chamou Guimarães Rosa, veio a assentar as razões das estradas em seu plano de metas: “Eu via o Brasil como um enorme território fechado no qual era preciso abrir um cruzeiro de estradas”. A Belém-Brasília era apenas um braço dessa imensa cruz. A “espinha dorsal do País” no dizer de Sayão, a

paramais.com.br


seguir qualificado. Em 19 de maio de 1958, Juscelino sancionava o decreto nº 3.710, criando a Comissão Executiva da Rodovia Belém-Brasília – RODOBRÁS, vinculada à SPVEA e presidida pelo seu Superintendente. Transformada em meta prioritária do governo Kubitschek, a construção da rodovia foi subdividida pela RODOBRÁS em três setores: Goiás, Maranhão e Pará. O trecho de Goiás coube ao engenheiro agrônomo Bernardo Sayão, pioneiro do desbravamento do norte goiano, após o convite desafiador que lhe formulara JK, nestes termos: “Você seria capaz de arrombar esta selva e unir o País de norte a sul? – ao que Bernardo, saltando da cadeira, resoluto retrucou: ”Este é o dia mais feliz da minha vida. Depois de fazer essa estrada já posso morrer”. Definiram-se, aí, as peças do enxadrino tabuleiro. “Sapo pula por precisão, não por boniteza”, ensina-nos a roseana sabença. Desoladoramente este herói de inquietação e bravura gigantescas viera a sucumbir, tragicamente, esmagado pelo tombo de gigantesca árvore, em pleno serviço, a 15 de janeiro de 1959. O trabalho de desbravamento da floresta virgem, numa extensão de 600 km entre São Miguel do Guamá, no Pará e Imperatriz, no Maranhão, foi o mais dramático dessa batalha ciclópica contra as asperezas da Natureza, o tempo limitado, a falta de equipamentos adequados e o excesso de chuvas nas épocas invernosas. Os 6.000 homens lançados nessa magnífica obra de integração nacional operavam, na fase inicial de desmatamento, basicamente com machados, terçados, facões e pequenas ferramentas de uso manual, ademais da determinação e bravura. Mas são da autolavratura de Nonô os traços da melhor feição

JK na boleia de um caminhão de trabalhadores da RODOBRAS visita as obras iniciais da rodovia talhada em pleno “Inferno Verde”

paramais.com.br

Waldir Bouhid no local onde tombou Sayão: os operários ergueram uma cruz com a madeira tirada do tronco da árvore assassina

sobre a complexidade da obra: “E o entusiasmo de muitos, o heroísmo de alguns chefes como Sayão, a fria determinação de outros como Waldir Bouhid, aliado, tudo isso, a uma admirável equipe de engenharia e de firmas empreiteiras, apoiada no trabalho anônimo de milhares de mateiros, o que parecia irrealizável se foi convertendo, aos poucos, em realidade”. Bouhid era mineiro de Estrela, mas ainda jovem transferira-se para Belém a convite do governador da época, a fim de ocupar o cargo de Diretor da Saúde Pública do Pará, chegando a ser prefeito de Belém, deputado estadual, governador interino, elegendo-se, posteriormente, Senador da República pelo Pará (1954), mandato ao qual renunciou em 1956 ao ser indicado para o espinhoso cargo de Superintendente da SPEVEA; Doutor Honoris Causa da UFPA. Cassado em 1964, o ideólogo da Belém-Brasília teve seus direitos políticos suspensos, como tantos outros grandes homens públicos daqueles plúmbeos tempos, inclusive o próprio JK. Longe dos momentos de tristeza causados pelo desaparecimento trágico do engenheiro Bernardo Sayão, do engenheiro paraense Rui Almeida, outro elemento de proa, e de outros trabalhadores anônimos, o ponto marcante daquela obra considerada impossível foi a chegada da Coluna Norte da Caravana de Integração Nacional, em Brasília – fizeram-se acompanhar de uma imagem protetora da Virgem de Nazaré,

49


Ponte do Estreito, sobre o Tocantins, nos primórdios da rodovia

Ponte sobre o rio Guamá nos primórdios da estrada

padroeira dos paraenses -, depois de oito dias de viagem. Bastante o da aceitação daquela primeva vereda transilvana por parte dos aversos, emocionado, Waldir Bouhid, comandante da caravana, ao ser abraçado críticos e detratores do estradão de Nonô – não fora ele o artista do por Juscelino, que estava radiante de alegria, disse-lhe apenas: impossível! -, que por meio de ironia, sarcasmo, mordacidade e/ou “Presidente, missão cumprida”. maldisfarçada inveja - mãe de todos os No dia dois de fevereiro, houve em O triunfo do guerreiro. JK no alto do obelisco pecados - a inquinavam de “estrada que liga de seu Memorial em Brasília (foto do autor) Brasília um acontecimento de significação o nada a coisa nenhuma”, ou, de um político excepcional na vida brasileira – uma verdadeira de caricato e desluzido desempenho, já festa cívica de integração nacional. Brasileiros “varrido” da memória nacional, que a de todos os quadrantes, partindo de anatematizou: “estrada para onça passear”, Uruguaiana, Porto Alegre, Belém do Pará, a exigir do presidente, mais do que nunca, a Fortaleza, Pernambuco, Rio de Janeiro, São serenidade e determinação que ele fazia Paulo, Belo Horizonte, Cuiabá, Campo Grande – expressar por meio de seu sorriso sempre para só citar alguns pontos extremos que até presente, largo e de ledo e limpo lume. então não se tocavam por laços rodoviários – Cinco décadas passadas, a rodovia viajando exclusivamente em veículos de de integração nacional - diria melhor! - de fabricação nacional, marcaram de modo interação nacional, aí está: completada, eloquente um acontecimento histórico: o final consumada, amodernada. E mais: à feição da condição de isolamento em que viviam as do Guamá e do Tocantins que ela transpõe, nossas populações. esgalhada de ramos vicinais frutificados, Outro fato bastante significativo: deixando para trás da Amazônia somente o muitos dos integrantes das caravanas eram “verde vagomundo” de Bené Monteiro, elementos que não acreditavam na rodovia de embotando as lendas do boto que faz mal às ligação Norte-Sul do País. Engajaram-se na moças. coluna como novos São Tomés: queriam ver JK foi para nós talvez a gema mais para crer. De um deles sabemos que estava preciosa saída das Minas Gerais e Waldir convencido de que a viagem da Coluna Norte Bouhid o grande artífice executor dessa seria uma farsa bem engendrada e que as magnífica joia lapidada. Dois médicos que, viaturas e os passageiros seriam transportados com suas poções e meizinhas, curaram da de aviões de um ponto para outro da selva, onde inanição e do isolamento este gigante só existiam os campos de pouso, abertos de 100 adormecido eternamente em berço em 100 km. Para esse desconfiado foi uma esplêndido. agradável decepção aquele sulco gigantesco desvirginando a intocada floresta que parecia ARRIMO BIBLIOGRÁFICO intransponível...! Baggio, MA. Juscelino Kubitschek: Sua Excelência. Começava nesse ponto o segundo Perigos, barrancos e atoleiros dos primeiros tempos B.Horizonte, Ed. B, 2005 round da batalha, tão renhido quanto o primeiro, Begliomini, H. Juscelino Kubitschek de Oliveira – Cortesia: arquivo particular de Orlando Mergulhão

Patrono da Sociedade Brasileira de Urologia, S. Paulo, Expressão e Arte, 2005 Bojunga, C. JK o artista do impossível, Rio de Janeiro, Objetiva, 2001 Diversos Autores. Artigos de Jornal. Coleção Araújo Lima, nº 9, SPVEA, R. Janeiro, 1959 a Informações pessoais e apontamentos fornecidos pela Dr . Clara Pandolfo, que foi Diretora do Depto. de Recursos Naturais da SPVEA/SUDAM Informações pessoais e apontamentos fornecidos pelo RP Orlando Mergulhão, que fora Oficial de Gabinete interino da SPVEA na gestão do Dr. Waldir Bouhid Kubitschek, J. Por que construí Brasília, Brasília, Senado Federal, 2000 Mena Barreto, R. Aventura através do progresso, SPVEA, R. Janeiro, 1965 Pandolfo, SM. Juscelino Kubitschek- O médico que integrou a Amazônia ao Brasil, Pará +, Belém, Ed. Círios, nº 05, 2002 Pandolfo, SM. JK Revisitado. A mais difícil operação do Dr. Juscelino, Pará +, Belém, Ed. Círios, nº 45, 18-22, 2005 Pandolfo, SM. A cidade-avião e sua pista de pouso, Pará +, Belém, Ed. Círios, nº. 98, 2010

Foto histórica. Waldir Bouhid volta a Belém vinte anos após a cassação (1985) para cumprimentar o novo superintendente da agora SUDAM, Henry Kayath

50

(*) Médico e escritor. SOBRAMES/ABRAMES www.sergiopandolfo.com serpan@amazon.com.br

paramais.com.br


Para+ No. 102  

A Pará+ é a única revista com circulação mensal no Pará, e a revista paraense com maior número de edições já veiculadas, há mais de 10 anos...