Page 1

Jornal Paroquial Jornal Informativo da Paróquia Nossa Senhora da Boa Viagem Rua João Motta Espezim, 1023, Saco dos Limões - Florianópolis - SC - 88045-400 Edição 35 - Abril/2010

Páscoa: A ternura de Deus Por Dom Paulo Mendes Peixoto Está perto a festa da vitória, do amor e da vida, o surgimento de "coisas novas" relacionadas com o tempo pascal. Será tempo de mais partilha, mais justiça e menos idolatria do dinheiro, do lucro, da cobiça, da ganância, da ambição, da destruição e da morte. A Páscoa revela a ternura de Deus num mundo onde reinam a justiça e os seus valores. Não podeis servir a dois senhores, a Deus, e ao dinheiro, conforme está anunciado no lema da Campanha da Fraternidade deste ano. A ternura de Deus é qualificada como perdão e misericórdia. Ele acolhe a mulher flagrada em delito de adultério. O seu princípio não é o julgamento condenatório e legalista. Nem sempre quem condena é perfeito. É também pecador. Ser misericordioso é realizar algo novo e estranho aos olhos do novo mundo. É a prática dos legados da Páscoa, capaz de realizar a alegria do coração acolhedor, alegria pascal, daquele que realmente conhece e vive a Palavra de Jesus Cristo.

Toda essa realidade será vivenciada na Semana Santa, particularmente no Tríduo Pascal. A Quinta-Feira Santa, a SextaFeira Santa e o Sábado Santo são os dias privilegiados na vida dos cristãos. Tempo de silêncio e recolhimento. É no Tríduo Pascal que acontece o ponto mais alto da obra salvadora de Jesus Cristo. Ele institui a Eucaristia, o Sacerdócio e inaugura o Mandamento novo do Amor, lavando os pés dos discípulos, morre na cruz e, ao terceiro dia, ressuscita. No Sábado Santo Jesus está na sepultura. É como a semente que está para nascer. É a hora do silêncio, da espera do surgimento da vida, agora vida nova. Com isto, o passado fica apagado. É a prática do perdão, daquilo que aconteceu com a mulher adúltera. Deus olha para nós com profunda compaixão. Ele desaprova as infidelidades, os orgulhos do coração e se compadece daqueles que aceitam a misericórdia. Uma experiência de amor pode mudar completamente a vida das pessoas. É a ternura de Deus com seu povo.

Conversão Pastoral Conversão: esforço pessoal e comunitário em direção de um objetivo definido. ("Ad altiora natus sum" São Luiz Gozanga) Converão Pastoral: conversão para além de uma pastoral de mera conservação para uma pastoral decididamente missionária. (DAE 213). Batizados: chamados a recomeçar a partir de Cristo, a reconhecer e seguir sua presença com

Desejamos que a alegria deste tempo chegue a todos os lares de nossa Paróquia e juntos possamos proclamar felizes:

Jesus Ressuscitou! Sim, verdadeiramente Ele ressuscitou!

a mesma realidade e novidade de 2000 anos atrás. (DAP 549) A Igreja é a casa e escola da comunhão, onde os discípulos compartilham a mesma fé, esperança e amor a serviço da missão evangelizadora. (DAE 50) Pistas de ação para Evangelização: - Promover a dignidade da pessoa; - Renovar a comunidade; - Construir uma sociedade solidária.

“Pessoas evangelizadas, ao se fazerem dom, transbordam na comunidade, que, por sua vez, enquanto comunidade eclesial, existe para o serviço de Deus na sociedade”. (DAE 56) (Fonte: Trechos extraídos do Plano de Pastoral Paroquial)


2

Jornal Paroquial

Dízimo, Catequese, Liturgia, Ação Social

Mensagem do Arcebispo

Cristo, nossa Páscoa

Da tristeza à alegria. A Sexta-feira Santa foi uma experiência decepcionante para os apóstolos. Com a morte de seu Mestre na Cruz, morriam também suas esperanças de uma vida melhor. Não só haviam abandonado Jesus: nos últimos momentos de sua vida haviam se deixado levar pela mentira, pela covardia e, mesmo, pela traição. As perspectivas, agora, não eram as melhores: provavelmente voltariam para as suas ocupações anteriores e guardariam as lembranças de um tempo que foi bom enquanto durou. Poucos dias depois, surpreendentemente, esses mesmos apóstolos estavam reunidos em comunidade. Não pareciam os mesmos; o clima dominante era de alegria e otimismo. Ao falarem de seu Mestre não se referiam a um morto, mas a alguém que estava vivo. Mostravam-se até capazes de morrer por ele e dar a vida pela propagação de seu Evangelho. O que aconteceu entre o momento da crucificação no Calvário e o nascimento dessa vida em comunidade? Como compreender tão rápida e profunda transformação? O que modificou o ânimo dos apóstolos para que passassem do desânimo total ao entusiasmo contagiante? Ele ressuscitou! Qualquer um deles poderia responder com as palavras que Paulo escreveria mais tarde: "Cristo morreu por nossos pecados..., foi sepultado... ressuscitou ao terceiro dia..." (1Cor 15,3-4). Não há, nesse texto, a preocupação por detalhes, menos ainda o gosto pelo espetacular. Há um anúncio que passará a ser o centro de suas pregações: Cristo ressuscitou! Com a ressurreição de Cristo e, posteriormente, com a vinda do Espírito Santo, os apóstolos compreenderam os ensinamentos

de Cristo e deixaram-se envolver por sua mensagem. Cada qual identificava-se com os discípulos de Emaús: na tarde do domingo da ressurreição, ao voltarem para a sua aldeia, eles percorreram um longo caminho com o Ressuscitado sem, porém, perceber que era ele. Quando ele partiu o pão é que o reconheceram; até então seus olhos estavam demasiadamente pesados e seu coração preso às próprias preocupações (Lc 24,13-35). Procurai as coisas do alto! Mais tarde, também os primeiros cristãos descobriram que pode-se conviver com Jesus, lado a lado, sem tomar consciência de sua presença. E quando essa presença é notada, é possível que, repentinamente, ele "desapareça", desejando ser procurado e encontrado em seus irmãos. "Cristo, nosso cordeiro pascal, foi imolado" (1Cor 5,7), proclamará o apóstolo Paulo aos coríntios. E, na mesma carta, acrescentará: "Se Cristo não ressuscitou, a vossa fé não tem nenhum valor e ainda estais em vossos pecados". As primeiras comunidades cristãs acreditaram que a mensagem de Cristo era verdadeira porque o Ressuscitado havia vencido a morte. Sabiam que, se isso não tivesse acontecido, as gerações posteriores teriam apenas uma série de palavras e gestos para recordar, mas gestos e palavras incapazes de levar as pessoas a assumir a causa de Jesus de Nazaré. "Se ressuscitastes como Cristo, procurai as coisas do alto, onde Cristo está sentado a direita de Deus" (Cl 3,1). O Ressuscitado está no meio de nós. Ele, nossa páscoa, passa em nossos caminhos, acolhe os que aceitam ser transformados por ele e convidanos à doação. Através de nós quer acabar com toda a forma de escravidão (e o pecado é a primeira delas!) e criar um novo tipo de relacionamento entre as pessoas. Quando os discípulos de Emaús fizeram a experiência do Ressuscitado, não se fecharam em sua descoberta: foram correndo contar aos outros o que tinham acabado de descobrir. Qual será a reação dos discípulos de hoje?... Dom Murilo S.R. Krieger, scj Arcebispo de Florianópolis

Palavra do Padre Ressurreição. Aleluia! Celebramos nestes dias os mistérios de morte e de vida. Jesus ressuscitado chama a sua família a proclamar a vitória da vida sobre a morte. Diz a Igreja num antigo hino da Liturgia das Horas "Cantem meus lábios a luta/ que sobre a cruz se travou;/ cantem o nobre triunfo/ que no madeiro alcançou/ o Redentor do universo/ quando por nós se imolou." As grandes celebrações da liturgia destes dias nos chamam a meditar a paixão, morte e ressurreição de Jesus. O fruto desta semana deve perdurar todo a ano. São as missas dos nossos domingos e dias de semana que evocam esse mistério. É a Campanha da Fraternidade que propõe mudança de atitude em relação à Economia e vida. Passamos uma hora com Jesus na Vigília do Monte das Oliveiras. Meditamos as dores de Jesus e de Maria na procissão do Encontro. É certamente uma grande semana! Vamos vivenciá-la com intensidade proporcional ao entusiasmo que nos anima nos encontros com Jesus. Outra novidade deste mês no Jornal Paroquial é que nosso Arcebispo, vai escrever mensalmente uma mensagem para o nosso jornal sendo um presente para toda comunidade paroquial.

Dom Murilo S.R.Krieger,scj Arcebispo de Florianópolis

Outro motivo de ação de graças foi o nosso Retiro Paroquial que aconteceu na Vila de Fátima, no Morro das Pedras, onde nossas lideranças viveram momentos de formação intensa e renovaram seu encontro pessoal com Jesus Cristo. Convido a todos os paroquianos para vivermos intensamente as solenidades da Semana Santa. Com Cristo Ressuscitados, vamos assumir com alegria, as metas comunitárias do nosso Plano Paroquial Pastoral de 2010, para explodirmos na missão de evangelizar.

Pe. Luis Antônio Caon Pároco

"Se ressuscitastes como Cristo, procurai as coisas do alto, onde Cristo está sentado a direita de Deus" (Cl 3,1). O Ressuscitado está no meio de nós. Ele, nossa páscoa, passa em nossos caminhos, acolhe os que aceitam ser transformados por ele e convida-nos à doação.

EXPEDIENTE Direção Geral: Pe. Luís Antonio Caon Colaborador

Antonio Morossino Jr Diagramação e Editoração: Olga Oliveira Revisão: Diác. José Antônio Schweitzer

Tiragem: 2000 exemplares

Mercado Ideal Qualidade e Bons Preços

Fone 3733 6509 Aberto de Segunda a sábado das 7h às 21h. Domingos e Feriados das 8:00 as 20:00 hs. Aceitamos seu cartão de Credito/Debito e também cheque pré para ate 30 dias.


3

Jornal Paroquial

A Ressurreição "... e Deus, que ressuscitou o Senhor, nos ressuscitará também a nós, pelo seu poder" (1 Cor 6,14). Todos os anos, a nossa mãe Igreja, nos chama a atenção para o maior acontecimento da história da humanidade: a paixão, morte e ressurreição de Jesus Cristo. Dispomos de 40 dias para organizar melhor a nossa vida interior e celebrar como cristãos o grande mistério da Redenção. Neste tempo somos convidados a comer e beber de forma mais moderada, lembrando que mais de um bilhão de pessoas passam fome e sede todos os dias, no mundo. Para que o gesto tenha realmente seus méritos, oferecer na coleta de solidariedade - 28 de março- um pouco do que nos pode fazer falta, para ajudar um brasileirinho que precisa muito mais do que nós. A Igreja nos orienta, também, a intensificar a nossa oração. Orar mais, ler de forma orante a bíblia, saber respeitar as pessoas, ser mais amigo daqueles com quem nós convivemos. Devemos dar uma especial atenção ao domingo, indo celebrar o dia do Senhor em nossa comunidade. Desta forma somos levados a uma verdadeira conversão de nossa vida, do nosso pensar, do nosso planejar e do nosso viver. Assim nos programamos para participar da ceia do Senhor, na quinta-feira santa, da paixão, na sexta-feira e na celebração das celebrações que é a ressurreição do Senhor. Todos esses momentos de participação significam que acreditamos na ressurreição de Jesus Cristo e na nossa futura ressurreição. São Paulo em Cor 15,12ss, nos questiona essas duas verdades: primeiro, a ressurreição de Jesus Cristo, como garantia da realização plena do plano do Pai e do cumprimento

de tudo o que se lê na bíblia. Segundo, pela sua ressurreição, a certeza da nossa futura ressurreição. É preciso crer, é preciso acreditar, é preciso divulgar esta fé e testemunhar perante nossos irmãos essas tão importantes verdades da nossa fé. Somos orientados, também, a pedir que o Senhor aumente sempre mais a nossa fé. Podemos rezar: "Creio, Senhor, mas aumentai a nossa (minha) fé". Com isso demonstramos nossa humildade diante do mistério de Deus e Ele, com certeza, vai nos confirmar na fé e derramar suas bênçãos sobre nós e nossas famílias. Que o Senhor, que ressurgiu ao terceiro dia da sua morte, nos ajude a crescer a cada dia em nossa fé, esperança e caridade. Feliz e abençoada Páscoa! Diácono Pedro Carbonera

Encontro de Preparação para o Batismo Dia: 10 de Abril Inscrições: Secretaria Paroquial a partir de 13/03.

Irmandade Nossa Senhora do Rosário atualiza Estatutos e Metas

Você sabia que a IRMANDADE NOSSA SENHORA DO ROSÁRIO é tão antiga quanto a Associação dos Moradores do Caeira, AMOCA? Na verdade, foi um grupo que se formou dentre os membros da Associação dos Moradores. Inicialmente, esse grupo se reunia uma vez por mês para refletir, ouvir a Palavra de Deus e rezar. Esse movimento cresceu e organizou-se graças à união e ao entrosamento que havia entre os que moravam no novo bairro. O sonho de formar uma comunidade atuante com uma sede para encontros, reuniões e preparar as crianças para a Eucaristia, levou o novo grupo a esse novo desafio. Durante anos esse grupo se manteve unido na amizade, na oração, esperançoso pelos objetivos comuns a todos. Com o apoio determinado do Pe. Vilmar, todos concordaram em pagar o que faltava da aquisição de um terreno, onde havia uma casa. Com pequenas modificações, a IRMANDADE se reunia nessa casa e realizava a liturgia dominical. A preparação das crianças acontecia num galpãozinho que havia num terreno atrás da casa, adquirido tempos depois.

Mas tudo ia ficando desconfortável, na medida que aumentava a participação de seus membros e pelo desgaste do uso e ataque de cupins. Para a construção da nova capela a IRMANDADE exerceu papel decisivo, não apenas pelo que recolhia mensalmente, mas principalmente pelo modo como conseguiu motivar os moradores em vista de realizar o que era desejo comum - a construção da nova capela. Agora, vencida a primeira etapa, parte para novas conquistas, atualizando seus ESTATUTOS e renovando SEUS OBJETIVOS. Entende acima de tudo que sua atualização deve acontecer na direção do NOVO PLANO PAROQUIAL DE PASTORAL. E neste sentido, elegerá a NOVA DIRETORIA convidando os integrantes a se tornarem ativos e renovados na caminhada. Como movimento reconhecido e atuante, habilita-se a dar sustentabilidade às mais diversas pastorais, como a do Dízimo, da Ação Social. Liturgia, entre outras. fonte: Pastoral da Comunicação - Caeira

Grupo de Oração El Shadai O Grupo de Oração El Shadai se preocupa em preparar momentos para que mais pessoas possam conhecer DEUS, o seu amor por nós e o Espírito Santo, que nos santifica. Por isso iniciamos o Seminário de Vida no Espírito Santo, no dia 22/03, falando do amor de DEUS, depois no dia 29/03, falando dos pecados que nos afastam, e segue agora nos dias: 05/04 - JESUS, Senhor da minha vida 12/04 - Fé e conversão 19/04 - Batismo no Espírito Santo.

Convidamos todos a participarem dessa experiência, pois DEUS nos chama a conversão diária e precisamos da força do Espírito Santo em tudo nas nossas vidas. Reunimo-nos todas as segundasfeiras as 20 hs na Igreja Matriz. Fonte: Nadia Dédalo Gorjão Coordenadora


4

Dízimo, Catequese, Liturgia, Ação Social

Caeira faz sua história

A comunidade Nossa Senhora do Rosário, da Paróquia Nossa Senhora da Boa Viagem, organizou o Plano das atividades pastorais para o período de 2010 a 2012. No terceiro domingo da Quaresma, dia 07 de março deste ano, foi dada a posse aos novos membros da CPC, com a seguinte relação: Presidente: Pe. Luiz Antônio Caon, Coordenadora: Sibila Dolores Real, Vice Coordenadora: Maurília Furtado; Primeiro Secretário: Gustavo Real Rabelo, Segundo Secretário: Nádia T. de Oliveira. Administrador Econômico: Maury Vitor de Souza; Pastoral da Pessoa Idosa: Resilamar M. da Silva. Pastoral do Dízimo: Alaíde de A. Vilamil. Coordenação dos Ministros da Comunhão: Rita Rodrigues. Pastoral Litúrgica: Norma Martins Vieira e Pastoral da Comunicação: Cornélio Marcon e

Isabela Machado. Pastoral Catequética: Maria Bernardete de Souza, Movimento de Irmãos: Maury de Souza; Grupo Alegria: Maura Vitalina dos Santos. Grupo do Terço da Misericórdia: Eliete Vieira. Irmandade Nossa Senhora do Rosário: Teodora Maria Ferreira. Legião de Maria: Elsa Pereira. Coordenações a preencher: Coordenação dos Grupos Bíblicos em Família, Coordenação da Pastoral da Criança e da Adolescência, Coordenação da Pastoral Vocacional, da Pastoral da Juventude, da Pastoral Familiar, da Pastoral

Política, da Pastoral para a formação de Acólitos e Pastoral da Ação Social. Estes cargos passam a ser um convite, e até um desafio para você, leitor ou leitora, que participa da Comunidade e avalia, como valor nobre, o voluntariado

para as atividades comunitárias, quando nutridas e iluminadas pelo amor a Deus e ao próximo. O grau de perfeição da comunidade revela-se pela participação ativa de seus integrantes. Participar é atitude de serviço, é ser fraterno e, por isso, é expressão da vivência cristã. A Comunidade agradece a contribuição dos ex-membros do CPC e segue com esperança renovada o caminho ensinado por Jesus, convocando a todos a se ajudarem mutuamente no modo pessoal de estar incluído. Que sejam dois anos de generoso plantio e colheita espiritual abundante para a comunidade. Nas horas mais exigentes, vamos lembrar o que o cantor sagrado sugeria para esses momentos: "Os que semeiam com lágrimas, com sorrisos colherão" (Sl 126, 5) Fonte: Pastoral da Comunicação Caeira

Jornal Paroquial

Comunidade caminhando com a paróquia A Primeira Reunião da nova Coordenação do CPC da comunidade Nossa Senhora do Rosário, da Paróquia Nossa Senhora da Boa Viagem, na semana de sua tomada de posse, reuniu seus membros para refletir, organizar e agendar as ações referentes ao programa de atividades pastorais para o período de sua vigência. Como as outras sete comunidades, Caeira integra a grande Comunidade Paroquial do Saco dos Limões e, por isso, segue as linhas gerais da Pastoral Paroquial que elegeu como prioridades as quatro dimensões: Catequese, Liturgia, Dizimo e Ação Social. Conforme o Documento de Aparecida, todo cristão consciente de sua fé e de seu batismo, em sua casa, em seu trabalho e junto às pessoas de seu convívio, manifesta essas quatro atitudes: 1. A função de catequista, 2. É ativo na Liturgia participando, ajudando e convidando para as celebrações na sua comunidade; 3. Contribui para manter a comunidade em suas ações, doando seu Dízimo e 4. busca atender às diversas carências existentes, na organização da Ação Social. Tudo o que foi exposto e programado na reunião do CPC-CAEIRA confirmou com clareza que os objetivos e metas da Comunidade não são apenas para celebrações dominicais. Partindo dos encontros litúrgicos, o agir das lideranças é resultante do que Deus lhes sugeriu nas celebrações em vista, não só da promoção própria, mas também em relação à comunidade, à sociedade paroquial e à sociedade catarinense e brasileira. A reunião do CPC expressou o desejo de aprofundar o sentido dos ritos das celebrações, de orientar as ações da Catequese para a compreensão dos ritos e celebrações e buscar revelar o sentido da atitude interior do Dízimo e das ações Sociais.

Para alcançar estas metas expressou o desejo dar qualidade às ações já realizadas na comunidade, tais como o ministério da música, os encontros com adolescentes e pais dos catequizandos e o Estudo Bíblico nas famílias. Algumas metas concretas foram estabelecidas para a Ação Social e Doação do Dízimo: 1. Atendimentos com cestas básicas a famílias carentes da comunidade. 2. Arrecadar fundos para a formação dos seminaristas Rafael e Dorval. 3. A construção da rampa de acesso à capela. 4. Compra do terreno contíguo à capela. Para os recursos da formação dos seminaristas foram sugeridas outras fontes, como jantar e bingo. Caro leitor ou leitora, seu Batismo foi o pedido de sua adesão por Cristo, centro e ápice da vida da Igreja. Esse pedido concedido, motiva, hoje, todo seu agir cristão, que deve ser religioso, celebrativo, solidário e comprometido. Fonte:Pastoral da Comunicação - Caeira


5 Jornal Paroquial

Inicia em Santa Catarina a Campanha contra a Violência e Extermínio de Jovens

Nos dias 13 e 14 de março, cerca de 50 jovens das 10 dioceses de Santa Catarina participaram do Seminário Estadual da Campanha contra a Violência e o Extermínio de jovens. O evento foi promovido pelas Pastorais da Juventude de Santa Catarina, com a participação do Projeto Aroeira - Procurando Caminho e apoio do Centro Cultural Escrava Anastácia e do Centro Social Marista Monte Serrat. Sob a assessoria metodológica de Lourival Rodrigues da Silva, da Casa da Juventude Pe Bournier, de Goiânia, o evento foi realizado na comunidade de Monte Serrat, no Centro de Florianópolis. Por ser no morro e com grandes riscos sociais, mas com a forte presença da Igreja, isso possibilitou aos participantes mergulhar na realidade empobrecida da comunidade. Este Seminário Estadual se liga à Campanha Nacional contra a Violência e o Extermínio de Jovens, promovida pelas Pastorais da Juventude do Brasil, com o objetivo de lançar o debate na sociedade civil sobre a violência que vem abreviando cada vez mais a vida da juventude. Durante o Seminário, o tema da violência foi debatido a partir de três eixos principais: violência urbana; violência no campo e violência no trânsito. A partir da análise estrutural da sociedade, conduzida pelo professor Ivo Theis, foi possível entender a origem da violência como um problema estrutural, fruto de processos históricos, que atualmente atingem a sociedade, principalmente os jovens. Na tarde de sábado aconteceram "mesas redondas". A primeira delas violência urbana - trouxe depoimentos de jovens inseridos em projetos sociais realizados no morro. Estes jovens, em suas partilhas de vida, relataram como as oportunidades que estes projetos lhes concederam mudaram suas realidades, permitindo que saíssem do mundo do crime. Pe Vilson Groh, que acompanha alguns destes projetos em Florianópolis, relatou que o objetivo destas organizações, atuando em rede, é oferecer propostas

concretas de vida para os jovens. Lembrou que "o tráfico tem uma proposta completa e sedutora". Diante disso, é preciso gerar oportunidades. "Uma esperança sem materialidade é uma esperança vazia", refletiu. Violência no Campo No segundo momento da tarde o eixo tratado foi a violência no campo, conduzido pelo jovem Luiz Fernando Ribeiro da Luz, do Movimento dos Pequenos Agricultores - MPA, e a jovem Ana Elsa Munarini, do Movimento das Mulheres Camponesas - MMC. Foi ressaltado, dentre outras formas de violência no campo, a questão dos agrotóxicos. Lembrou-se que o Brasil é o país que mais consome agrotóxicos no mundo, fazendo, inclusive, muitas vítimas jovens, seja por câncer bem como por outras doenças resultantes dessa forma de violência indireta. No terceiro eixo do seminário violência no trânsito - José Roberto de Souza Dias, professor de Ciências Sociais, ex-diretor do Denatran e ex-presidente do Contran, explanou sobre os motivos da violência que vitima milhares de jovens no trânsito. "O maior erro de um acidente de trânsito é chamá-lo de 'acidente', pois é uma 'doença social' que pode ser tratada e encarada", sugere José Roberto. Propostas para o Estado e para as dioceses

O dia de domingo foi o momento de planejar a Campanha no Estado, desencadeando ações em âmbito local, diocesano e estadual. Para o Estado, foram assumidas quatro ações: elaboração de projetos em parceria com outras organizações, realização de uma audiência pública, organização de uma marcha estadual de mobilização e a realização de uma pesquisa sobre a violência nas diversas realidades catarinenses. Em âmbito diocesano, diversas ações foram pensadas. Com base nisso, cada diocese fará posteriormente seu planejamento, a partir da realidade local.

Em âmbito diocesano, diversas ações foram pensadas. Com base nisso, cada diocese fará posteriormente seu planejamento, a partir da realidade local.

Para dar suporte para que a Campanha aconteça nas dioceses e no Estado, foi constituída uma Equipe Estadual, formada por alguns dos jovens presentes. A partir das ações de formação, conscientização e debates nas dioceses, grupos, paróquias e comunidades, esta Campanha quer se juntar às muitas vozes presentes no Brasil, dizendo em todos os cantos de Santa Catarina: "Chega de Violência e Extermínio de Jovens!". Avaliação Para Rodrigo da Silva, secretário Regional das PJ´s de Santa Catarina e um dos organizadores do evento, o Seminário foi muito bom no sentido de dar um paço inicial para a Campanha Nacional contra a Violência e Extermínio da Juventude. Segundo ele, a escolha do local foi importante para mostrar a realidade da juventude urbana em uma área sujeita à violência. Também os depoimentos dos participantes contribuíram muito para entender a realidade da juventude tanto no campo, quanto no meio urbano. A apresentação da Campanha foi feita pela equipe de coordenação e contribuiu para que os jovens conhecessem quais os seus objetivos. As assessorias, segundo Rodrigo, também ajudaram muito para que os jovens conhecessem as realidades que os jovens enfrentam. "O local proporcionou um ambiente místico que motivou para que os jovens voltem com força para as suas dioceses, grupos, paróquias e comunidades, reflitam sobre o que foi discutido e para que os jovens façam com que a Campanha aconteça nesses locais", disse Rodrigo da Silva. Fonte: Site da arquidiocese.

Prioridade: Ação Social

Conhecendo a Ação Social Arquidiocesana (Asa)

Tecendo a rede de ações sociais com a cultura da solidariedade Em sintonia com a Cáritas Brasileira, a ASA "testemunha e anuncia o evangelho de Jesus Cristo, defendendo a vida, promovendo e animando a solidariedade libertadora, participando da construção de uma nova sociedade, com as pessoas em situação de exclusão social, a caminho do Reino de Deus". Objetivos - Realizar estudos sobre os problemas de assistência social, de educação de base e de promoção humana, com vistas ao desenvolvimento de estratégias de combate à miséria e à pobreza; - Colaborar na formação da consciência particular e pública, para que, no ambiente social, vigorem a solidariedade e fraternidade humana e a justiça social; - Planejar e promover ações conjuntas com associações, movimentos, grupos que visem a assistência social, promoção e defesa dos direitos humanos; - Formar e capacitar agentes para a ação social e o exercício da cidadania; o Divulgar os trabalhos no campo social e educativo. A Ação Social Paroquial constróí junto estes objetivos e tem como missão repassá-los na vivência pastoral aos paroquianos através de suas ações pastorais, como vêm fazendo nestes anos de atuação na paróquia. Fonte: Site arquidiocese


6

Jornal Paroquial

Dízimo, Catequese, Liturgia, Ação Social

Prioridade: Dízimo

Fica conosco Senhor! Neste tempo em que relembramos a paixão e morte de Jesus Cristo e que celebramos a Sua ressurreição, faz sentido refletirmos sobre a passagem bíblica, escrita por São Lucas, que nos relata a caminhada de Jesus com seres humanos feito nós, nesta passagem os discípulos de Emaús. (LC 24,13-35). Muitas vezes semelhantes aos discípulos de Emaús, caminhamos sem reconhecer que o Senhor está ao nosso lado e caminhamos tristes, cabisbaixos, meio que pensando que nossa motivação na caminhada de Igreja, especialmente nas ações voltadas ao trabalho nas Pastorais, Movimentos, Associações e Serviços está esfriando. Porém o que nos falta é abrir o coração para que a graça de Deus se revele e então possamos ver e reconhecer a realidade que nos cerca. Num breve balanço, em relação às realizações alcançadas em nossa paróquia, voltando há apenas quatro anos e nos reportando para os dias atuais, constatamos que a organização paroquial, através das orientações paroquiais e administrativas, a efetivação do Plano Paroquial de Pastoral como fio condutor dos trabalhos coordenados pelo pároco e efetivados pelos paroquianos preocupados com a evangelização neste espaço territorial, revelam feitos que podemos e devemos citar: -Conselhos Pastorais Paroquiais e Comunitários em plena atividade; - Pastorais, Movimentos, Serviços e Associações, cada qual segundo seus carismas, funcionando e impulsionando a paróquia pela oração constante, serviço permanente como que demonstrando o amor para sempre por Cristo e sua Igreja; - Revitalização da Pastoral da Criança em diversas comunidades; - Implementação da Pastoral da Juventude, orientando e estimulando a participação de jovens crismados em Movimentos Jovens, na paróquia e nas comunidades;

Por Lenir Lídia da Silva

- Realização de retiro paroquial de espiritualidade. Os participantes que aceitaram o convite, por sentirem-se chamados a ficar mais próximos de Jesus Cristo, por três dias, fizeram experiência de encontro pessoal através da leitura orante da Bíblia. Seguindo nesta linha, houve no ano anterior e haverá neste ano, tardes de leitura orante da Bíblia, na mesma metodologia Inaciana. As datas e locais serão informados pelo Jornal Paroquial. - Realização dos Sacramentos do Batismo, Comunhão, Penitência, Crisma, Casamentos e Unção dos Enfermos, nas oito comunidades; - Reforma do complexo paroquial. A reforma do salão, a revitalização da casa paroquial e igreja matriz foram concluídas com esmero, muito bom gosto, excelente aproveitamento dos espaços, dando um "santo orgulho" aos paroquianos, que podem usufruir com segurança e conforto destes espaços próprios para convívio e oração. - Criação do Jornal Paroquial como mais um instrumento de evangelização, em edição mensal;

Viver e crescer em comunidade!

Umas das tarefas mais importantes dos(as) catequistas é despertar nas crianças e adolescentes o gosto pelo trabalho em grupo e pela aceitação uns dos outros. Eles devem aprender o sentido de ser comunidade, descobrir o quanto é gratificante viver em comunidade, mas, ao mesmo tempo, conhecer os limites dessa

vivência para superá-los com tranquilidade. Deus não nos fez para viver sozinhos, isolados, precisamos de amigos, de companhia. A comunidade cristã é o lugar de nossa convivência fraterna como irmãos e irmãs. Nela passamos boa parte de nossa vida. Crescemos como pessoa humana, realizamos projetos comuns, aprendemos cidadania, descobrimos nossos potenciais e, não menos importante, elevamos juntos nossa ação de graças a Deus. A Santíssima Trindade é a verdadeira comunidade, nela o Pai, o Filho e o Espírito Santo estão intimamente unidos.

Poderíamos continuar citando outros feitos realizados em cada uma das comunidades, porém nosso objetivo não é apenas citar o que vem acontecendo de bom nesta caminhada com Jesus, mas também, refletirmos sobre o quanto é positivo caminhar com diretrizes claras e focadas na unidade de grupos com características diferentes. Como os discípulos de Emaús, que, num primeiro momento, pela tristeza, não perceberam que Jesus ressuscitou e num segundo momento, ao ver Jesus abençoar o pão, percebem que a Sua obra de salvação é real, nós também passamos por dois momentos: desmotivados tendemos a não ver as boas obras e energizados pelo convívio com as diferenças e a graça de Deus, percebemos as muitas realizações da paróquia. Portanto, em comunidade precisamos ver/perceber que as diferenças existentes na condução e carismas dos CPP, CPCs, Pastorais, Movimentos, Associações e Serviços, por vezes, não compreendidos, se vistas com generosidade e caridade, compõem os elementos que nos faltam para nos unirmos. Assim colocando-nos como criaturas e filhos de um mesmo Deus, que ama a todos sem distinção, poderemos perceber que o que nos une é o que nos falta. Não estará no outro o elemento que nos falta para nos assemelharmos a Deus? (Gênesis, 1,26), a Cristo Ressuscitado? Como os discípulos de Emaús clamemos: Fica conosco Senhor ! (Lc. 24, 29).

Feliz Páscoa!

Prioridadade: Catequese Diante do individualismo que toma conta de nossa sociedade, nosso esforço deve ser cada vez maior para que nossas crianças não absorvam isso e, assim, não percam o senso comunitário. A lógica excludente da sociedade não deve nos enfraquecer e desanimar na construção de um mundo mais justo e mais fraterno. É importante que tenhamos, na catequese, dinâmicas e brincadeiras para integração grupai, visando a aceitação uns dos outros e o aprendizado de conviver com as diferenças

O Dízimo e o Espírito Missionário Ampliar os espaços da fé é uma missão de todos nós, que acreditamos e seguimos Jesus Cristo no seu trabalho de divulgação do Reino de Deus. E é para participar da realização dessa obra que somos chamados a colaborar de uma maneira objetiva. Esse é o espírito missionário católico, que se manifesta de diferentes maneiras: no trabalho paroquial de assistência à comunidade, através dos missionários que levam a palavra de Deus aos lugares mais distantes, pelos sacramentos ministrados pelos sacerdotes, na formação de novas vocações, na assistência hospitalar, no ensino transmitido às diversas gerações, na manutenção de um lugar para acolhida espiritual e tantas outras. São muitas as formas de ser um missionário e nós, fiéis, participamos de todas elas através de um simples e significativo gesto de solidariedade cristã: a oferta do dízimo. Um gesto simples, mas repleto de força, em que o dizimista entra em comunhão com Deus participando do seu plano de salvação. É o ato de ofertar que confirma o espírito missionário do dízimo e se transforma no testemunho maior e efetivo de nossa Ação Missionária, de nosso amor por Deus e pelo próximo, possibilitando a realização do trabalho missionário que atende à convocação: "Ide por todo o mundo e pregai o Evangelho a toda criatura" (Mc 16.15) O tema de nossa campanha de 2010 não deixa dúvidas: o Dízimo, mais do que uma retribuição, passa a ser um verdadeiro testemunho de nossa Ação Missionária. Pelo Dízimo, eu também sou um missionário Em seu milagre em Caná, Jesus transformou a água em vinho. Foi um primeiro sinal prático de que ele era mesmo o filho de Deus. Hoje, mais de dois mil anos depois desse milagre, nós também, de maneira prática, transformamos amor e gratidão em ações de atendimento aos necessitados, em gestos de solidariedade, dando uma parte do que temos para aqueles que precisam. Tudo isso é possível através da oferta do dizimo: é quando ele atua como uma verdadeira testemunha da Ação Missionária, fazendo com que cada católico entre em comunhão com Deus tornando-se, também, um missionário e atendendo a convocação de Jesus Cristo: partilhar e evangelizar.


7

Jornal Paroquial

Retiro Paroquial: Um Encontro íntimo com o Amor de Deus

Testemunho: Jesus no meio de nós! Uma de nossas lideranças paroquiais, Marinês Bressan, enviou um testemunho sobre suas impressões do Retiro Paroquial, vejamos abaixo:

Por Pe. Carlos Viana

Nos dias 19 a 21 de março aconteceu o retiro paroquial com algumas lideranças das várias comunidades. Foi um encontro abençoado quando por um final de semana fomos convidados a deixar-nos guiar por Deus. Os temas foram orientados a partir do texto de João 15, 9-17 quando Cristo nos convida a permanecer no amor de Deus. Sem amor nossa vida não tem sentido algum. O Amor concreto, provado, apaixonado, sereno e verdadeiro faz nossa vida brilhar e viver o projeto de Deus para nós. Durante o final de semana fomos introduzidos a Juliana de Norwich, que nos ajudou a mergulhar nessa aventura do amor de Deus em Jesus e seu reino. Auxiliados por uma grande mulher, mística, amiga de Deus e que nos deixou um texto surpreendente sobre o amor divino: Revelações do Amor Divino, o grupo pode permanecer em comunhão com Deus. Juliana de Norwich nasceu em 1342 na Inglaterra e morreu depois de 1416. Ela recebeu 16 revelações (ela chama de "showings") que só foram "explicadas" trinta anos depois. Ela nos mostra uma profunda sensibilidade de uma pessoa de grande intimidade com Deus e fala do amor divino como poucos na história da humanidade. Juliana é considerada a primeira mulher a escrever um livro em inglês. Ela é uma verdadeira mestra que nos ensinou sobre o amor

de Deus e sobre a pessoa de Jesus conduzindonos a viver uma profunda experiência de oração, mergulhando no mais íntimo de nossa vocação. Eis um texto de Juliana de Norwich, Revelações do Amor Divino - Texto Longo Capítulo 5 (Tradução minha): "Ao mesmo tempo, nosso Senhor mostrou-me uma visão espiritual do seu amor familiar. Eu vi que para nós Ele é tudo que nos acontece de bom e confortador. Ele é nossa roupa (indumentária), envolvendonos por amor, abraçando-nos e nos cercando com um amor terno, de forma que Ele nunca nos abandona, sendo Ele mesmo tudo que é bom para nós, assim eu entendi. (…) Nós precisamos conhecer a pequenez de todo ser criado e designar como nada tudo que é feito a fim de que amemos e possuamos Deus aquele que não foi criado. Esta é a razão porque nós não nos sentimos à vontade em nossos corações e almas: nós procuramos aqui por satisfação em coisas tão triviais, onde não há lugar para descanso, e não conhecemos nosso Deus que é todopoderoso, sabedoria plena, bondade sem limites; Ele sim é o descanso em si mesmo. Deus deseja ser conhecido, e fica feliz que repousemos Nele; porque tudo que esta abaixo Dele não pode oferecer nada para nos satisfazer; e isto é porque, até quando tudo que é criado pareça como nada, ninguém (nenhuma alma) pode realmente descansar (ter repouso). Quando alguém estabelece tudo como nada por amor, para ter Aquele que é todas as coisas, então esta pessoa é capaz de receber repouso espiritual. Nosso Deus e Senhor também mostrou que Lhe dá grande prazer quando uma simples (alma) pessoa vem a Ele de um modo despojado (desnudo), simples e familiar." O Retiro Paroquial foi um momento muito lindo de encontro com Deus. Houve profundos momentos de silêncio, oração, partilha e celebrações que marcaram todos os que participaram. Esperamos contar com sua presença no próximo ano!

25 anos de Vida Consagrada de Irmã Zélia Caon Camati, csj O nosso Pároco, Pe. Luís Antônio Caon, presidiu a missa de 25 anos de vida consagrada de sua prima Irmã Zélia Caon Camati. Irmã Zélia é natural da comunidade de Sant Ana, município de Antônio Prado RS. Os seus pais, já falecidos, João e Rosalina foram pessoas dedicadas à família e a comunidade. E, através de exemplos e palavras, transmitiram sua profunda fé em Deus e a alegria de viver. Em

No último final de semana, 19 ,20 e 21 de março tivemos a oportunidade de participar do Retiro Paroquial no Morro das Pedras. O pregador, foi o Pe. Carlos Viana. Num primeiro momento parecia ser mais um retiro que se igualava ao anterior. Ao chegarmos naquele paraíso que é Vila Fátima, já nos deparamos com toda a criação de Deus, sol, céu, mar, terra, natureza e a maior criação de todas: Homens e Mulheres. Iniciamos o retiro com uma missa, em uma capela simples, porém, de uma grandeza infinita. Talvez fossem os nossos corações que estavam tão abertos e esperançosos que em alguns momentos na celebração, parecíamos estar ao ar livre pois o barulho do mar nos deixava infinitamente maravilhados. Os quartos aconchegantes e a companhia dos irmãos foi um verdadeiro privilégio.

Pe. Carlos Viana, não foi apenas mais um pregador e sim mais um sorriso que vinha de encontro ao nosso, e tornava todo aquele momento em um ambiente extremamente agradável. "Os pontos," assim, chamados por ele, textos bíblicos que eram passados para estudo e meditação nos ensinaram a ver e rever histórias que Jesus nos contou de modo diferente. Suas explicações nos deixavam ansiosos para encontrarmos o que fomos buscar. Quando podíamos, trocávamos algumas palavras ..( poucas palavras..) mas o semblante de cada um era como se estivéssemos vendo Jesus no meio de nós. Deixamos aqui, o convite para o próximo ano. "Eis a grande oportunidade de contemplar a natureza e meditar a Palavra de Deus " A paz de Deus a todos! Vemo-nos no próximo ano !

Tardes de Espiritualidade A Paróquia Nossa Senhora da Boa Viagem reunida em Assembléia, além das prioridades pastorais para 2010: DÍZIMO, LITURGIA, CATEQUESE E AÇÃO SOCIAL, decidiu pela realização do retiro paroquial de espiritualidade e tardes de oração. O retiro foi de grande proveito para quem dele participou. Agora o convite está aberto a todos os paroquianos e paroquianas para participar das tardes de espiritualidade. Optamos por realizálas em cada uma das comunidades da paróquia, de modo a favorecer a participação do povo da comunidade.

São convidados a participar não só os que foram no retiro, mas todo o povo da paróquia. Jesus Cristo sempre dedicava tempo ao povo de Deus a dedicava tempo ao Deus do povo. Jesus se colocava diante do povo e diante do Pai. Se nós queremos seguir Jesus de verdade, além de nos dedicarmos ao próximo, precisamos dedicar tempo para estar na presença de Deus. Datas das tardes de Espiritualidade 17/04 Caeira , 15/05 Matriz, 26/06 Limoeiro 24/07 Costeira, 21/08 Seta 25/09 Bom Jesus, 23/10 Ressacada 13/11 Carianos PARTICIPE DAS TARDES DE ORAÇÃO EM NOSSA PARÓQUIA. Pe. Luís Antônio Caon, Pároco.

março de 1983, Irmã Zélia ingressou no noviciado das Irmãs de São José de Chambery na província de Porto Alegre. Há 14 de fevereiro de 1985 emitiu seus primeiros votos, tomando como lema de sua consagração religiosa as palavras do profeta Isaías:”Nada temas, porque estou contigo” (Is,43). Já trabalhou em Porto Alegre, Rio Grande, Jaquirana e Rio Grande do Norte. Atualmente exerce sua missão na ajuda e no

acompanhamento em vista da promoção do ser humano integral junto à comunidade de Montenegro RS, pois além de religiosa, estudou e concluiu sua formação acadêmica nas áreas da Psicologia e Pedagogia. Pe. Luís participou juntamente com seus pais e sua irmã Suzana. A missa foi no dia 20 de março, na comunidade de Sant ‘Ana, em Antônio Prado. Irmã Zélia é Caon por parte de sua mãe Rosalina que vem a ser irmã do pai do padre.


8

Dízimo, Catequese, Liturgia, Ação Social

Algumas imagens do Retiro Paroquial

O Retiro Paroquial aconteceu de 19 a 21 de Março de 2010 no Morro das Pedras e teve como pregador o Pe. Carlos.

Comemoração de Celebração da Vida

Celebrações da Semana Santa na Igreja Matriz

Dia 01/04 (quinta-feira) às 19:30h. Missa da Ceia do Senhor. Dia 02/04 (sexta-feira) às 15h. Paixão do Senhor. Dia 03/04 (sábado) às 19:30h . Vigília Pascal. Domingo de Páscoa Dia 04/04 missa e celebração da Palavra na Igreja Matriz e nas comunidades.

Comemoração de celebração da vida da Pastoral da Criança na Comunidade São Pedro Apóstolo com 117 famílias e 17 gestantes cadastradas e Comunidade São Jose Operário (Seta) com 40 famílias e 7 gestantes cadastradas, na celebração da vida do mês de marco de 2010.

Comunidade do Limoeiro em Ação Na comunidade do Limoeiro continuam os trabalhos que foram escolhidos como meta para 2010 e com novas ideias e projetos. A catequese continua com bom número de incrições e conta com uma catequista nova. Segundo o coordendador, a comunidade continua trabalhando em prol de todos e ele agradece a todos que participaram da reunião.

Acesse: http://ww.boaviagem.org.br/ www.boaviagem.org.br/ Veja o Jornal Paroquial online Jornal da Arquidiocese e muito mais... Divulgue!

Conselho Pastoral da Comunidade Santa Rita inicia suas atividades O CPC da comunidade Sta. Rita de Cássia, realizou no dia 18 de março a sua primeira reunião do ano de 2010. Nela, foram apresentados os planos de ação paroquial e os planos de ação da comunidade. O momento também foi oportuno para que as pastorais explanassem as suas realidades e expectativas.Estavam presentes todas as lideranças da comunidade entre eles os novos representantes das pastorais dos Acólitos, Ação social e Grupo jovem Ruah.

Jornal Paroquial

01 - 19h30-Missa Paroquial da Ceia do Senhor Liturgia Paroquial-Igreja Matriz 01 - 20h -Reunião de Assessoria MAV-CCPP/Sala 1 02 - Celebração Paroquial da Paixão do Senhor - Coleta para Lugares Santos Liturgia Paroquial - Igreja Matriz 03 - 19h30 - Missa Paroquial da Vigília Pascal - Liturgia Paroquial - Igreja Matriz 04 - Páscoa da Ressurreição Liturgia Paroquial - Comunidades 09 - 20h -Reunião Geral MAV-C - C P P / Auditório 10 - 09h -Reunião Coordenadores e Assessores - PJ - CPP - Sala 1 10 - 14h - Reunião e Formação PASCOM-Pastorais em Comunicação Pastoral da Comunicação (A definir) 10 - 14h Encontro de Preparação de Pais e Padrinhos - Equipes Batismo -CPP Auditório 10 - 16h -Batizado na Matriz Igreja Matriz 12 - 20h - Reunião do Conselho Comarcal de Pastoral da Comarca da Ilha - Par. Nossa Srª da Boa Viagem Saco dos Limões 13 - 20h - Reunião Paroquial Pastoral Familiar Pastoral Familiar -CPP - Sala 3 13 - 20h -Reunião Paroquial de Liturgia CPP - Sala 1 13 -20h -Quarto do Rosário -MI - Igreja Matriz 14 - 20h - Reunião Geral dos Ministros da Comunhão Ministros da Comunhão- CPP - Sala 2 16 - Reunião Coordenação Paroquial Com Dirigentes MI - CPP - Sala 1 17 - 14h Tarde Paroquial de Oração e Espiritualidade Pastoral Litúrgica Caeira 17 - Sábado 15h Casamento Comunitário de Legalização Pastoral Familiar Igreja Matriz 20 - Terça-feira 20h - R e u n i ã o Pastoral Catequética CPP - Sala 1 24 - 14h - Formação Paroquial para Animadores do GBF - CPP - Auditório 24 - 16h- Batizado na Matriz 24 - 20h - Jantar Paroquial de Confraternização - Festa da Padroeira 2010 CPC´S CPP - Salão 27 - 20h -Reunião Geral do Movimento de Irmãos -MI- CPP - Auditório 27 - 20h - Reunião Paroquial do Dízimo CPP - Sala 1 28 - 20h - Curso de Capacitação da Ação Social - Dimensão Social da IgrejaAuditório do Colégio Adotiva. Costeira do Pirajubaé. 30 - 15h às 17h Reunião da Cúria Legião de Maria-CPP - Auditório

Jornal da Paróquia Nossa Senhora da Boa Viagem Abril/2010  

Jornal Informativo da Paróquia Nossa Senhora da Boa Viagem Edição 35, Abril de 2010

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you